Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS


DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ATUARIAIS
AUDITORIA II

QUESTÕES – RELATÓRIO DO AUDITOR INDEPENDENTE

1. Conforme a norma sobre “Emissão do Relatório do Auditor Independente sobre


as Demonstrações Contábeis”, para formar a opinião sobre as demonstrações, o auditor
deve concluir se obteve segurança razoável de que as demonstrações contábeis
tomadas em conjunto estão livres de distorção relevante, independentemente se
causada por fraude ou erro. De acordo com as informações acima, julgue os itens abaixo
como VERDADEIROS (V) ou FALSOS (F).
I. Essa conclusão deve levar em consideração se, no julgamento do auditor, foi
obtida evidencia de auditoria apropriada e suficiente.
II. Essa conclusão deve levar em consideração se, no julgamento do auditor,
distorções não corrigidas são relevantes, individualmente ou em conjunto.
III. Essa conclusão deve levar em consideração avaliações de aspectos qualitativos
ou quantitativos, em todos os aspectos relevantes das demonstrações contábeis.
Estão CERTOS os itens:
a) I e II, apenas. b) I, II e III.
c) II e III, apenas. d) I e III, apenas.

2. Cliente de auditoria é proprietário de um teatro que alugou por um período de


20 anos para uma empresa de espetáculos. O ativo mais importante, obviamente, é o
imobilizado, constituído pelo teatro. Este ativo representa 92% do ativo total e 85% do
patrimônio líquido. No exame, foram aplicados os procedimentos de auditoria
planejados e foram detectados erros relevantes no valor contábil desse teatro
apresentado no balanço patrimonial, disseminados no conjunto das demonstrações
contábeis. Identifique a alternativa CORRETA sobre a opinião do auditor.
a) Sem ressalvas, pois passivos e patrimônio líquido não apresentaram
problemas.
b) Com ressalva do tipo “exceto quanto”, mencionando o valor dos erros
observados.
c) Opinião adversa.
d) O auditor deve abster-se de opinar.

3. A comunicação dos principais assuntos de auditoria no relatório do auditor


pode fornecer aos usuários das demonstrações contábeis uma base para obtenção de
informações adicionais com a administração e com os responsáveis pela governança sobre
determinados assuntos relacionados à entidade, às demonstrações contábeis
auditadas ou à auditoria realizada. Assinale a opção CORRETA.
a) A comunicação dos principais assuntos de auditoria no relatório do auditor
substitui a divulgação, nas demonstrações contábeis, que a estrutura aplicável de relatórios
financeiros exige que a administração faça ou que são necessárias para atingir o objetivo
de apresentação adequada.
b) A comunicação dos principais assuntos de auditoria no relatório do auditor
ocorre no contexto em que o auditor formou sua opinião sobre as demonstrações
contábeis tomadas em conjunto.
c) A comunicação dos principais assuntos de auditoria no relatório do auditor
substitui a emissão de opinião modificada por parte do auditor, quando exigido pelas
circunstâncias do trabalho de auditoria.
d) A comunicação dos principais assuntos de auditoria no relatório do auditor
substitui a apresentação de relatório sobre continuidade operacional, quando existe
incerteza relevante em relação a fatos ou condições que podem levantar dúvida
significativa quanto à capacidade de continuidade operacional da entidade.

4. A inclusão de parágrafo de ênfase na seção “Outros Assuntos” do relatório


do auditor não substitui outras obrigações. Em relação a esse assunto, julgue os itens
abaixo como VERDADEIROS (V) ou FALSOS (F).
I. A inclusão de parágrafo de ênfase não substitui uma opinião modificada
quando exigido pelas circunstâncias específicas do trabalho de auditoria.
II. A inclusão de parágrafo de ênfase não substitui as divulgações nas
demonstrações contábeis exigidas da administração de acordo com a estrutura de
relatório financeiro aplicável ou que são, de outra forma, necessárias para alcançar uma
apresentação adequada.
III. A inclusão de parágrafo de ênfase não substitui a inclusão de Nota
Explicativa da Administração quando existe incerteza relevante em relação a eventos
ou condições que podem levantar dúvida significativa quanto à capacidade da
entidade de manter sua continuidade operacional.
A sequência CORRETA é:
a) V, V, F.
b) F, F, F.
c) F, V, V.
d) V, V, V.

5. Quando o auditor independente do exercício corrente é o mesmo que emitiu


o relatório de auditoria do exercício anterior sobre as demonstrações contábeis que estão
sendo reapresentadas, seu relatório sobre as demonstrações contábeis do exercício
corrente deverá conter:
a) parágrafo de ênfase, mencionando os itens que sofreram ajustes e reapresentação.
b) ressalva pelo fato de alguns números terem sido ajustados e reapresentados.
c) parágrafo de ”Outros Assuntos” sobre os ajustes e reapresentação.
d) parágrafo de ênfase sobre os ajustes e reapresentação.
6.
7. Sobre a utilização de serviços de especialista para dar suporte à opinião do
auditor independente a ser emitida no seu relatório, assinale a opção INCORRETA.
a) O auditor não deve fazer referência ao trabalho do especialista componente
da equipe de auditoria em seu relatório que contenha opinião não modificada.
b) O auditor poderá fazer referência ao trabalho de especialista em seu
relatório, se essa referência for relevante para o entendimento de ressalva ou outra
modificação na sua opinião.
c) Caso o auditor faça referência ao trabalho de especialista no seu relatório,
deverá indicar no relatório que essa citação não reduz a sua responsabilidade por
essa opinião.
d) Em nenhuma circunstância, o auditor poderá fazer referência no seu relatório
aos serviços de especialista.

8. A Companhia Natal avalia tradicionalmente, os seus estoques ao custo. O


auditor independente constatou ao final dos trabalhos de 2015, quando da preparação
do seu relatório, a existência de uma distorção relevante mensurada, caso a administração
tivesse avaliado os seus estoques pelo menor valor entre o custo e o valor líquido de
realização. A administração decidiu manter a sua prática contábil. Como sócio-
responsável pelo trabalho, que tipo de relatório dos auditores independentes emitiria
nessa circunstância?
a) Opinião não Modificada.
b) Opinião com Ressalva.
c) Abstenção de Opinião.
d) Opinião Adversa.

9. A Transparência Auditores Independentes foi contratada pela Sempre Nova


Indústrias S.A. para auditoria do conjunto completo das demonstrações contábeis, de
acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Durante os trabalhos, o auditor
independente não teve condições de obter evidência de auditoria apropriada e
suficiente sobre diversos elementos das demonstrações contábeis. Os possíveis efeitos
dessa impossibilidade de obter evidência de auditoria apropriada e suficiente são
considerados relevantes e generalizados para as demonstrações contábeis. Como sócio
responsável pelo trabalho, que tipo de relatório você emitiria para essa empresa?
a) Negativa de Opinião.
b) Abstenção de Opinião.
c) Opinião com Ressalva.
d) Opinião Adversa.

10. A administração da EBA S.A. preparou demonstrações contábeis no


pressuposto de continuidade operacional, mas, no julgamento do auditor, a utilização
desse pressuposto foi inapropriada. Nessa circunstância, ele deve emitir relatório com:
a) Opinião com Ressalva.
b) Opinião não Modificada.
c) Opinião não Modificada e Parágrafo de Ênfase.
d) Opinião Adversa.

11. O auditor obteve evidência de auditoria de que existe distorção relevante nas
demonstrações contábeis do período anterior sobre as quais foi emitida uma opinião sem
modificação. Diante desse fato, assinale a opção INCORRETA.
a) Caso os valores correspondentes não tenham sido adequadamente ajustados e
não tenham sido feitas as divulgações apropriadas, o auditor deve expressar uma
Opinião com Ressalva ou uma Opinião Adversa no seu relatório sobre as
demonstrações contábeis do período corrente.
b) O auditor deve evidenciar no seu relatório do período corrente, com clareza,
o motivo que originou a Ressalva ou a Opinião Adversa.
c) O auditor deve omitir-se em relação ao assunto, pois a responsabilidade
pelo relatório do exercício anterior, apresentado de forma comparativa, é exclusiva do
auditor independente que o emitiu.
d) As demonstrações contábeis anteriores que continham as distorções não foram
alteradas e não aconteceu a reemissão de relatório do auditor independente, porém os
valores correspondentes foram adequadamente retificados e foram feitas as
divulgações apropriadas nas demonstrações do exercício corrente e, por isso, o auditor
optou pela inclusão de Parágrafo de Ênfase no seu relatório.

12. O auditor possui a responsabilidade de emitir um relatório apropriado nas


circunstâncias em que, ao formar uma opinião sobre as demonstrações contábeis, conclui
que é necessária uma modificação na sua opinião sobre as demonstrações contábeis.
A Norma (NBC TA 705) estabelece alguns tipos de opinião modificada, acerca
desse assunto, assinale a opção CORRETA.
a) “Opinião com Ressalva” – quando o auditor, tendo obtido evidência de
auditoria apropriada e suficiente, conclui que as distorções, individualmente ou em
conjunto, são relevantes e generalizadas nas demonstrações contábeis.
b) “Opinião Adversa” – quando o auditor, tendo obtido evidência de auditoria
apropriada e suficiente, conclui que as distorções, individualmente ou em conjunto,
são relevantes e não generalizadas para as demonstrações contábeis.
c) “Opinião com Ressalva” – quando o auditor não consegue obter evidência
apropriada e suficiente de auditoria para suportar sua opinião, mas conclui que os
possíveis efeitos de distorções não detectadas, se houver, sobre as demonstrações
contábeis poderiam ser relevantes, mas não generalizados.
d) “Opinião Adversa”- quando o auditor não consegue obter evidência de
auditoria apropriada e suficiente para suportar sua opinião e conclui que os possíveis
efeitos de distorções não generalizadas.

13. Um auditor independente concluiu que o uso do pressuposto de


continuidade operacional, em determinada empresa auditada, é apropriado, mas que
há incerteza significativa. Ele verificou que as demonstrações contábeis descrevem
adequadamente os principais eventos que podem levantar dúvida quanto à capacidade de
continuidade; avaliou os planos da administração para esses eventos e que há divulgação
clara sobre essa incerteza.
Em seu relatório o auditor deve
a) expressar uma opinião sem ressalva e sem parágrafo de ênfase.
b) expressar uma opinião sem ressalva e com parágrafo de ênfase.
c) expressar uma opinião com ressalva.
d) expressar uma opinião adversa.
e) abster-se de expressar sua opinião.

14. De acordo com as NBC TA, o relatório de auditoria interna deve incluir,
necessariamente,
a) os riscos cogitados inicialmente no planejamento, mesmo que não tenham
sido utilizados para a auditoria.
b) a carta da gerência da instituição auditada com a comunicação da necessidade
de se realizar a auditoria.
c) as eventuais limitações ao alcance dos procedimentos de auditoria.
d) os nomes das instituições externas que emitiram notas fiscais em favor do
órgão auditado.
e) as discussões minuciosas de toda a equipe de auditoria interna.

15. Considerando-se a NBC TA 700 – FORMAÇÃO DA OPINIÃO E EMISSÃO DO


RELATÓRIO DO AUDITOR INDEPENDENTE SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS e ainda
o disposto na NBC TA 705 – MODIFICAÇÕES NA OPINIÃO DO AUDITOR INDEPENDENTE,
quando o auditor concluir que as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os
aspectos relevantes, de acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável, ele
deve:
a) modificar sua opinião.
b) abster-se de emitir opinião.
c) emitir opinião com ressalva.
d) expressar uma opinião não modificada.

16. Um auditor realizou trabalhos de auditoria contábil e obteve evidência de


auditoria apropriada e suficiente. Detectou, todavia, que a entidade auditada não houvera
conduzido os testes para determinação do Valor Realizável Líquido em seus Estoques,
de acordo com o determinado pela NBC TG 16 (R1) – ESTOQUES.
Apesar de seus questionamentos, os referidos testes seguiram sem realização. A
sua análise o conduziu a concluir que a distorção é relevante, mas não generalizada
nas Demonstrações Contábeis.
Quanto aos demais itens examinados, concluiu que, em todos os aspectos
relevantes, a posição patrimonial e financeira, o desempenho de suas operações e os seus
fluxos de caixa, bem como o desempenho consolidado de suas operações e os seus
fluxos de caixa consolidados para o exercício findo estavam de acordo com as práticas
contábeis adotadas no Brasil e as Normas Internacionais de Relatório Financeiro – IFRS
emitidas pelo International Accounting Standards Board – IASB.
Diante apenas das informações apresentadas e de acordo com a NBC TA 700 –
FORMAÇÃO DA OPINIÃO E EMISSÃO DO RELATÓRIO DO AUDITOR INDEPENDENTE SOBRE
AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS e com a NBC TA 705 – MODIFICAÇÕES NA OPINIÃO
DO
AUDITOR INDEPENDENTE, deve o auditor:
a) expressar uma opinião não modificada.
b) expressar uma opinião com ressalva.
c) expressar uma opinião adversa.
d) abster-se de expressar uma opinião.

Você também pode gostar