Você está na página 1de 3

FIOCRUZ/EPSJV

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM


SAÚDE.
Curso: Mestrado

Resolução n. 02/2014

Dispõe sobre normas para Constituição


de Comissão de Bolsa e Concessão de
bolsas de estudo aos alunos do Mestrado
Profissional com o objetivo de melhorar
as condições de trabalho dos discentes,
favorecendo maior dedicação de tempo
ao curso e estimulando sua produção
técnico-acadêmica.

A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional em


Saúde (CPG) da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz, considerando
o Regimento Geral da Pós-Graduação Stricto sensu da Fiocruz, o Regulamento do
Curso e com base na deliberação de seu colegiado reunido em 04 de abril de 2014,
resolve que:

1 A Comissão de Bolsas é formada por cinco membros: um representante da


Coordenação do Programa, que a preside, dois docentes e dois discentes, todos
referendados pelo Colegiado do Programa.
2 Compete à Comissão:
2.1 Definir critérios de concessão de bolsa;
2.2 Selecionar o(s) discente(s) que serão contemplados com a(s) bolsa(s);
2.3 Acompanhar o desempenho do(s) bolsista(s), avaliando o relatório semestral das
atividades e recomendar a renovação ou o cancelamento da bolsa;
2.4 Sugerir alterações da presente resolução, submetendo-a ao Colegiado do Programa.

3 As bolsas de estudo para o Mestrado Profissional em Educação Profissional em Saúde


destinadas ao Programa através de recursos da EPSJV/Fiocruz serão concedidas aos
discentes mediante processo seletivo disciplinado em chamada interna elaborada pela
comissão de Bolsas, considerando critérios acadêmicos e socioeconômico pré-
estabelecidos, referendados pelo Colegiado.
3.1 Os candidatos deverão ter condições efetivas de dedicar-se ao curso;
3.2 Poderão ter vínculo empregatício, desde que comprovem uma carga horária mínima
de 20 horas semanais de dedicação ao curso;
3.3 Os candidatos à bolsa deverão apresentar a seguinte documentação: Carta de
candidatura (objetivos e justificativa), Currículo Lattes atualizado, Plano de trabalho,
Carta compromisso, Comprovante de rendimentos e matrícula em disciplinas segundo
as orientações do itinerário acadêmico.

4 Considerando a situação em que a demanda seja superior ao número de bolsas a serem


concedidas, os candidatos que atenderem aos critérios acadêmicos e socioeconômicos
serão classificados em ordem decrescente, ocorrendo a concessão de bolsas até a
disponibilidade do limite orçamentário.

5 Objetivando a manutenção da bolsa, os bolsistas serão avaliados semestralmente


segundo os seguintes critérios acadêmicos:
5.1 Ao fim do 1º semestre letivo serão exigidos: Relatório de atividades com assinatura
do professor orientador; Relatório de avanços do projeto; carta do orientador e
aprovação nas disciplinas de acordo com o item 5.4; e matrícula nas disciplinas
indicadas no itinerário acadêmico;
5.2 Ao fim do 2º semestre letivo serão exigidos: Relatório de atividades com assinatura
do professor orientador; Relatório de avanços do projeto; carta do orientador; aprovação
nas disciplinas de acordo com o item 5.4; Exame de Qualificação com data marcada até
maio do ano seguinte; e matrícula nas disciplinas indicadas no itinerário acadêmico;
5.3 Ao fim do 3º semestre letivo serão exigidos: Relatório de atividades com assinatura
do professor orientador; carta do orientador; Histórico escolar; e Exame de Qualificação
realizado;
5.4 O aluno bolsista deverá alcançar conceito A ou B nas disciplinas ao longo do curso,
admitindo-se uma única vez o conceito C.
5.5 O não cumprimento de quaisquer das exigências relacionadas acima caracterizará a
perda da bolsa.
6 Para a renovação de bolsa, além de cumpridas as exigências acima, serão
considerados os seguintes critérios:
6.1 Ter obtido encaminhamento do Orientador favorável à renovação; e.
6.2 Não ter trancado matrícula.

7 O tempo de recebimento da bolsa de estudo não poderá ultrapassar 24 meses de


matrícula no Programa. Caso a defesa da dissertação se realize até o 25° mês de
matrícula no programa, o aluno terá direito a um auxílio para a impressão e revisão da
dissertação no valor de uma bolsa.

8 Os casos omissos e as situações especiais serão examinados, caso a caso, pela


Comissão de Bolsa e homologado pelo Colegiado do Programa.

9 Esta resolução entrará em vigor a partir de sua aprovação pelo Colegiado do Programa
de Pós-Graduação em Educação Profissional em Saúde.

Rio de Janeiro, 04 de abril de 2014.

Coordenação da Pós-Graduação

Homologada em 04 de abril de 2014.

Você também pode gostar