Você está na página 1de 42

UNIZAMBEZE

FACULDADE DE CIENCIAS DE SAUDE

Crescimento e Divisão Celular

Manacque Mapotere, MSc., BSc.


Crescimento

O crescimento celular aqui é entendido como


multiplicação celular, sendo este responsável é por:

(1) Formar o conjunto de células que compõem o


indivíduo;
(2) Repor as células que morrem pelo processo
natural de envelhecimento.
Cromonema: filamento cromossômico básico
formado pela associação de nucleossomos vizinhos
numa organização que lembra um solenóide.
Núcleo celular
Poros da carioteca
Carioteca

Nucléolo

Cromatina

Nucleoplasma

Retículo
endoplasmático
rugoso
(cromatina em alto grau de
espiralização)
Cromossomas

Material genético condensado, visível durante a


divisão celular
1 cromossomo com duas cromátides
Ciclo celular
O ciclo celular corresponde ao conjunto de
transformações que ocorre desde que uma célula é
formada até ao momento em que ela se divide, originando
duas células-filhas.

Este é um processo dinâmico e contínuo. Podem


considerar-se, no ciclo celular, duas fases que, por sua
vez, se dividem em etapas diferentes: a interfase e a fase
mitótica.
INTÉRFASE: Corresponde ao período compreendido
entre o fim de uma divisão celular e o
início da divisão celular seguinte. É a fase
Ciclo celular mais longa do ciclo celular e corresponde a
cerca de 90% da duração total do ciclo.
Nesta fase do ciclo celular a actividade
DIVISÃO metabólica é intensa; a célula cresce e
duplica o seu DNA. Os cromossomas
encontram-se dispersos pelo núcleo e não
são visíveis

Mitose
Etapas da Interfase
 Intervalo G1 ou pós-mitótico - Crescimento celular e
formação de organelos – Decorre entre o fim da
mitose e o início da replicação de DNA.
 A actividade biossintética é intensa, especialmente de
proteínas, enzimas e RNA. Há também, a formação de
organelos celulares.
 Após esta etapa, as células podem prosseguir para a
fase S do ciclo ou entrar na fase G0 (estádio no qual as
células continuam metabolicamente activas, mas não
se dividem).
 Período S ou período de síntese de DNA – Replicação
do DNA com duplicação dos cromossomas – Ocorre a
replicação do DNA da célula. Às novas moléculas de
DNA associam-se proteínas e cada cromossoma passa a
ser constituído por dois cromatídeos ligados por 1
centromero.

 Intervalo G2 ou pré-mitótico – Crescimento celular –


Decorre entre o fim da replicação do DNA e o início da
mitose. Dá-se a síntese de moléculas(sintese de RNA e
proteinas essenciais para o inicio da mitose) necessárias
à divisão celular e também de outros constituintes
celulares. O volume da célula praticamente duplica.
MITOSE
As células filhas serão geneticamente iguais à célula mãe
conteúdo celular, duplicado durante a interfase, é
repartido pelas células-filhas. Esta fase inclui a divisão do
núcleo e a divisão do citoplasma. Na fase mitótica
consideram-se duas etapas: Mitose ou cariocinese –
Divisão do núcleo
Objectivos:
Crescimento corporal,
Reposição de células mortas
Regeneração de tecidos lesados,
Desenvolvimento embrionário
Reprodução assexuada
Prófase
Metáfase
Fases da
Mitose Anáfase
Telófase
Prófase
 É, geralmente, a fase mais longa da mitose.
 Os cromossomas, constituídos por dois cromatídeos
unidos por um centrómero, condensam gradualmente,
tornando-se mais curtos e espessos.
 Os centrossomas da célula começam a deslocar-se para
pólos opostos e forma-se, entre eles, o fuso acromático
ou mitótico, constituído por feixes de microtúbulos
proteicos que se agregam, formando fibrilas.
 O invólucro nuclear desagrega-se.
Metafase
 Os cromossomas atingem o seu estado de condensação
máximo e dispõem-se no plano equatorial (plano
equidistante aos pólos da célula), com os “braços” para
fora, constituindo a placa equatorial e estando prontos
para se dividirem.
 Os centrossomas atingem os pólos das células.
 O desenvolvimento do fuso acromático completa-se,
havendo fibrilas ligadas aos cromossomas e outras
unindo os dois pólos (Cinetocoricas).
Anafase
 Os dois cromatídeos de cada cromossoma separam-se,
passando a constituir cromossomas independentes.
 As fibrilas que se encontram ligadas aos cromossomas
encurtam e os cromossomas filhos afastam-se em
direcção aos pólos – a este processo dá-se o nome de
ascensão polar. Da se a clivagem dos centromeros.
Cromatidios que antes pertenciam ao mesmo
cromossoma, agora separados, constituem 2
cromossomas independentes.
 No final da anafase, existe, em cada pólo, um conjunto
idêntico de cromossomas.
Telofase
 é o estado final da mitose. A membrana nuclear
reorganiza-se em torno dos cromossomas nos dois pólos da
célula e os nucléolos reaparecem.
 Dá-se a dissolução do fuso acromático. Os cromossomas
descondensam, tornando-se menos visíveis. A célula passa
a ser constituída por dois núcleos.
Citocinese
 Divisão do citoplasma – Durante a anafase e a telofase,
nos animais, forma-se na zona do plano equatorial um
anel contráctil de filamentos proteicos.
 Estes contraem-se e puxam a membrana para dentro,
causando um sulco de clivagem que vai estrangulando o
citoplasma, até se separarem as duas células filhas.
 O citoesqueleto é restabelecido e adquirem a forma
original dos progenitoras, possuindo assim todos
elementos citoplasmaticos.
 O ciclo dos centrossomos compreende a duplicação dos
centriolos e da matriz centrossomica, começam a se
duplicar durante a interfase, no final da fase G1 ou no
inicio da fase S
 Os 2 centriolos do par centriolar se separam, aparece um
procentriolo, cujo os mesmos crescem durante as fases S e
G2 e tem seu tamanho máximo no começo da profase,
onde se exibe 2 pares de centriolos, situando se no meio da
matriz centrossomica
 Os cinetócoros são os locais de implantação dos
microtúbulos do fuso acromaticos
 Cinetocoros aderidos aos centromeros(constrição 1a), mais
estreito do cromossoma
 O alongamento da celula na anafase gera um mecanismo
adicional para o movimento dos cromossomas para os
polos(Anafase A, cromossomas vao para os polos, e na
Anafase B, ocorre mutuo distanciamento dos 2 conjuntos
cromossomicos, como resultado do alongamento que sofre
a celula, dando assim o crescimento dos micr das fibras)
 O envoltorio nuclear é reconstituido durante a
telofase

No termino da prófase, o envoltório nuclear se desintegra


em vesiculas, a lamina nuclear se desarma e os complexos
do poro ficam ligados a alguns cromossomas.

Na telofase, partes do reticulo se associam aos cromossomas


e se fundem entre si, para reconstituir os envoltorios dos
nucleos filhos, reaparecem os complexos do poro, as
lâminas se polimerizam e recompõem a lâmina nuclear
Durante a mitose, a síntese de RNA é interrompida
 A velocidade de sintese cai na profase, desaparece na
metafase e anafase,
 Cromatina nao pode ser transcrita quando estiver muito
enrolada, por ser impossivel a RNA polimerase chegar ao
DNA,
 Sintese proteica diminui na mitose
 Actividades síntéticas- RNA e das proteinas- recuperam-se
na telofase, quando a cromatina se desenrola e o envltorio
nuclear se recompõe
A citocinese é gerada após a formação de um anel
contractil composto por actina e miosina II
 Na telofase, microtubulos do fuso tendem a se
despolimerizar e a desaparecer, as fibras polares persistem
na zona equatorial da célula,aumentando a sua quantidade

 Corpo intermediário-fibras remanescentes do fuso


mitótico, vesiculas e o material denso

 Citocinese-é produzida pela formação de 1sulco no plano


equatorial da celula na anafase

 Na telofase, o sulco equatorial se aprofunda ate alcançar o


corpo intermediário, dando a partição do citoplasma
Regulação do ciclo celular
 As celulas possuem mecanismos especiais para
coordenar os processos de sintese no núcleo e no
citoplasma e também para marcar o começo e a
conclusão das distintas fase do ciclo celular.

 O ciclo celular pode parar em determinados pontos e só


avança quando determinadas condições se verificarem,
como a presença de quantidades adequada de nutrientes
ou qndo a celula atinge determinadas dimensões.

 A regulação do ciclo celular é realizada por ciclinas e


por quinases ciclino-dependentes
 Ponto de controlo-momento de transição no qual a celula
deve tomar ou nao a decisão de dividir

 Ciclinas-alternam um periodo de sintese crescente,


seguido por outro de rapida degradação,

 Quinases dependentes de ciclinas-qndo activadas por


ciclinas, fosforilam as moléculas cruciais para a divisão
celular

 As ciclinas G1 e as ciclinas mitoticas


 Cdk2 e cdc2
A fase S tem inicio quando a ciclina G1 activa a cdk2
 A celula deixa para traz a fase G1 e ingressa na fase S,
começa a replicar o DNA, pelo facto a ciclina G1 activar
quinase cdk2, dando inicio a cadeia de fosforilação em
sucessivas proteinas.
 A cdk2 é activada apenas qndo a ciclina G1 atinge um
limiar de concentração
 Factor Promotor da Replicação(FPR)-complexo proteico
 Na fase S, a conc da ciclina começa diminuir, qndo
retorna ao limiar anterior, separa-se da cdk2 e desaparece
FPR
 A ciclina é a única que varia conc e os níveis da cdk2 se
mantêm constantes em todo ciclo celular
Na fase G2, actuam mecanismos de segurança

Provê a célula um lapso durante o qual actuam


mecanismos de segurança para controlar-antes que a
célula se divida
Se moléculas de DNA completaram sua replicação e tbem
se foram reparadas
A duplicação dos componentes citoplasmáticos deve ser
completada
A fase M se inicia quando a ciclina mitótica activa a
cdk2
 Feito o controle, começa a fase M,
 A cdk2 e uma ciclina mitótica, começam a ser sintetizada
a partir da G2 (antes que desapareça a ciclina G1)
 A ciclina, une-se a cdc2-formam factor promotor da
mitose (FPM), sendo activada pela ciclina, a cdc2
fosforila.

Consequências da fosforilação de proteinas


Armação de filamentos de actina se desintegra, de modo que
a célula perde o contacto com células vizinhas ou com a
matriz extracelular e se torna esférica, filamentos de
actina participa da citocinese
 Os microtubúlos interfásicos se desarmam, embora
outros se nucleiem para dar lugar às fibras do fuso
mitótico
 A lâmina nuclear se desagrega e, com ela, o
envoltório nuclear
 A forma pela qual a histona H1 se associa ao DNA é
modificada, levando ao enrolamento e à compactação
dos cromossomas
Resumo de mecanismo de regulação do ciclo celular
Na fase G1
Células-filhas da mitose ingressa na fase G1 da interfase
e,se for induzida por um factor estimulante da
proliferação celular, repete o ciclo e a celula volta a se
dividir, ou que não estão em condições de o fazer,
permanecem num estágio chamado G0.

As razões podem ser:


1. Celulas que nao se dividem mais, permanecendo neste
estágio ate a sua morte(neurónios e fibras musculares)
2. Células que não tiveram quantidades de nutrientes
3. Células que não atingiram o tamanho requerido
Na fase G2
Antes de iniciar-se a mitose, existe outro momento de
controle, caso a replicação do DNA não tenha ocorrido
correctamente, o ciclo pode ser interrompido e a célula
volta iniciar a fase S

Na metafase
No final da metafase, evidencia-se mais um mecanismo de
regulação, responsável pela verificação da ligação do
fuso acromatico com os cromossomas, de forma a que
migre sempre um dos cromatidios para os pólos
I - Intérfase

II – Início da prófase

III – Final da prófase


Prófase
IV – Metáfase
Metáfase
V – Início da Anáfase
Anáfase
VI – Final da Anáfase
Telófase VII – Início da Telófase

VIII – Final da Telófase


MEIOSE
As células filhas terão a metade do
material genético (cromossomos) em
relação à célula mãe

Objectivos: Produção de gametas (animais)


Produção de esporos (vegetais)
FASES DA MEIOSE I

PRÓFASE I
Gametas

Crossing-over e recombinação durante a meiose


METÁFASE I ANÁFASE I

TELÓFASE I
FASES DA MEIOSE II
PRÓFASE II METÁFASE II

ANÁFASE II TELÓFASE II
Material genético e divisão celular

Haplóide - n Diplóide – 2n Diplóide – 2n


duplicados

Você também pode gostar