Você está na página 1de 10

1

ATUALIZAÇÕES EM PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

TORNEIO INTERATIVO E INTERDISCIPLINAR DE FUTSAL

GLEIDSON SANTOS OLIVEIRA


JÂNIA PAULA DE OLIVEIRA E SILVA
KARINE LIRA DE SOUZA
KELLY CRISTINA FERREIRA DA COSTA
KLAY MURILO MORAIS SANTANA
JOÃO CARLOS DÓRIA ADAN CORDEIRO

Tutor: Prof. Rogério Gedeon de Araújo

O tema propõe a interação entre alunos da escola através do Futsal. Levando em


consideração o grande interesse dos estudantes pelo esporte e a necessidade de
promover um trabalho interdisciplinar que se construa tomando como ponto de partida
as atividades que são do interesse saudável dos estudantes. Assim, reconhecemos que as
atividades lúdico-recreativas, as práticas corporais, as lutas e os esportes fazem parte
deste “mundo” de interesse dos nossos alunos e estas atividades tem poder de mobilizá-
los, de motivá-los e estimulá-los a ir mais além... Por esta razão, o Futsal interativo,
organizado e articulado interdisciplinarmente pode colaborar para uma melhora
significativa no processo ensino-aprendizagem no âmbito escolar.

Bahia
2013
2

GLEIDSON SANTOS OLIVEIRA


JANIA PAULA DE OLIVEIRA E SILVA
KARINE LIRA DE SOUZA
KELLY CRISTINA FERREIRA DA COSTA
KLAY MURILO MORAIS SANTANA

TORNEIO INTERATIVO E INTERDISCIPLINAR DE FUTSAL

Miniprojeto intitulado: Torneio


Interativo e Interdisciplinar de Futsal,
elaborado pela Equipe D, do Curso de
Atualização em Práticas Pedagógicas,
como tarefa final do Módulo 4.

Tutor: Prof. Rogério Gedeon de Araújo

Bahia
2013
3

1. DESCRIÇÃO

1.1 Participantes

Este ensaio foi fundamentado para ser aplicado aos discentes do 1º ano
do ensino médio, diagnosticado inicialmente com a faixa etária entre os 14 e 16 anos, a
qual se apresenta entre os alunos como aquela que tem uma maior participação nas
atividades lúdicas, promovidas no interior da unidade escolar.
Além disto, por ser a primeira turma do ensino médio, pode-se com isto,
ser referência para os alunos do 2º e do 3º ano, e quando eles estiverem no 2º ano e já
estarão acostumados, preparados e/ou adaptados a este tipo de construção do
conhecimento.

1.2 Cronograma

O torneio acontecerá em 05 semanas- durante cinco fases (rodadas).


Todas as sextas-feiras será uma rodada para os meninos e todas as segundas-feiras será
uma rodada para as meninas, durante o dia todo - manhã das 07h20min às 11h00min e à
tarde das 13h20min às17: 00h. Os alunos e as alunas irão ao turno oposto ao de estudo
para evitar faltar às aulas regulares. Cada turno terá 05 jogos.
A sensibilização será feita no início do ano letivo, no 1º dia de aula, onde
todos os alunos são chamados para discutir sobre o projeto, nesta oportunidade além de
sensibilizados eles também conhecem as tarefas que eles precisam cumprir para
desenvolveram o projeto que é o torneio tais como: questões comportamentais que serão
discutidas, debatidas e cobradas como critérios para a participação nos jogos. Entre
outras, eles ficam sabendo que para jogarem precisam ter bom desempenho e
rendimento nas demais disciplinas, ser assíduo nas aulas além de ter um comportamento
compatível com o ambiente escolar. Que nós estaremos juntos ao final da II Unidade
verificando isto, aluno por aluno.
Os critérios de rendimentos que serão cobrados nas disciplinas
consideradas “críticas” do ponto de vista do interesse, da participação e da
4

aprendizagem. Quanto a isto, eles reclamam um pouco, depois logo compreendem que é
melhor para eles, que neste momento seja assim.
Deste modo, as tarefas englobam reflexão e conscientização do papel
deles na escola enquanto estudantes e englobam também aspectos concernentes à
aprendizagem visto que, se o desempenho deles não for demonstrado através do
rendimento nas I e II Unidades, eles não irão participar do torneio.
A atividade que culmine em experimentação será no dia-a-dia das
Unidades citadas acima através do desenvolvimento dos alunos em todas as atividades
pertinentes aos critérios para a participação nos jogos. A culminância será a realização
do Torneio Interativo de Futsal, através de uma rodada por semana de jogos de Futsal na
quadra da Unidade da Escolar.

2. JUSTIFICATIVA

A Educação Física como um importante componente do currículo


escolar, sempre buscou a sua autonomia pedagógica, o baixo status e o preconceito
refletiam a falta de uma concepção, e de uma metodologia. Várias foram as tendências
as quais apontavam diferentes práticas pedagógicas, destacando-se as vertentes
tecnicistas, esportivistas e a biologicista.
Todas estas tendências metodológicas estiveram atreladas a um momento
histórico social, sugerindo diversas interpretações a respeito do real valor da Educação
Física e dos Esportes no interior da escola. Não poderemos entender esta disciplina
como elemento de pesquisa para reprodução da realidade vigente, e sim para
identificação e transformação das relações políticas e sociais, promovendo a inclusão e
o respeito aos valores éticos.
Nesta Perspectiva, o Futsal pode legitimar a sua prática pedagógica,
contribuindo com atividades que permitam a efetivação da igualdade, exercendo um
papel político no contexto escolar, apontando para as várias alternativas que favoreçam
as individualidades e o histórico de vida de cada elemento constituinte de um grupo
escolar.
“A Desigualdade de renda repercute em outras desigualdades sociais…. À
medida que os sistemas educacionais vão se expandindo, pode-se pensar que
a brecha da desigualdade na educação vai diminuir.” (CASASSUS, 2007,
p.38).
5

Observamos hoje uma diminuição do número de alunos que participam


das aulas de Educação Física escolar, que pode ser reflexo de aulas monótonas e/ou
repetitivas ou mesmo por questões que envolvem saúde. O fato é que o educador não
pode reverter esta realidade, desenvolvendo atividades descontextualizadas ou mesmo
dispensando-os dos exercícios. É necessário um envolvimento radical com esta situação,
com uma análise das alternativas possíveis que possam modificar o panorama e
envolver todos os segmentos do ambiente escolar.
Este projeto nasceu, portanto, na perspectiva de que precisamos aliar os
interesses saudáveis dos nossos jovens com suas necessidades educacionais. Nós
professores de Educação Física, acreditamos que os outros também, percebemos um
maior interesse dos alunos pelas práticas esportivas em detrimento das outras atividades
escolares ligadas às outras disciplinas; tudo indica que seja por questões relacionadas à
ludicidade, ao prazer de jogar, do bem-estar que proporcionam as brincadeiras, etc.;
quando se trata de Futsal a participação é bem mais ativa e constante.
Assim, considerando que estamos buscando avançar no processo
educacional entendemos que podemos utilizar o Futsal como um recurso pedagógico
norteador deste Mini-projeto interdisciplinar, facultando aos alunos a oportunidade de
envolver-se e participar de uma atividade lúdico-esportiva que eles tanto gostam aliando
participação à construção de conhecimento nas demais disciplinas. Desta forma,
reconhecendo que a Educação Física tem elementos capazes de intervir, de forma
bastante, positiva a condução do aprendizado do aluno (dizemos pelo fato do projeto já
ter sido desenvolvido algumas vezes) e o desenvolvimento deste trabalho transformou o
proceder de muitos alunos e de alguns aspectos do cotidiano escolar. Escolhemos,
portanto, o Futsal por reconhecê-lo como o esporte preferido dos alunos e de muitas
alunas da escola nos indicando que serve como justificativa pedagógica e de
protagonismo juvenil para realizar essa proposta de projeto interdisciplinar, pois as
demais disciplinas irão compor o projeto trazendo suas propostas de trabalho.

“O esporte, como pratica social que institucionaliza temas lúdicos da cultura


corporal, se projeta numa dimensão complexa de fenômeno que envolve
códigos, sentidos e significados da sociedade que o cria e o pratica. Por isso,
deve ser analisado nos seus variados aspectos, para determinar a forma em
que deve ser abordado pedagogicamente no sentido de esporte “da” escola e
não como o esporte “na” escola.” (Coletivos de Autores, 1992, p 70)
6

3. FUNDAMENTAÇÃO

O Torneio Interativo de Futsal é uma possibilidade interessante de


efetivar no interior da escola atividades motoras características de um fenômeno social
desportivo, considerado por muitos como a modalidade esportiva mais praticada nas
escolas brasileiras. Neste contexto, permitimos trocas de experiências, através de gestos
motores de múltiplos significados. Estas trocas traduzem-se como uma interessante
proposta, transformando o espaço escolar em uma grande oficina de inter-relações, de
respeito às diversidades e do direito de se expressar com a linguagem corporal.
Neste sentido, estaríamos exercendo legitimamente um papel que
transcende ao biológico, ao tecnicista e o esportivista, nos aproximando da construção
de uma identificação como uma disciplina com reais possibilidades de concretizar o
sonho de ser reconhecido socialmente, libertando-se do estigma de uma área do
conhecimento improdutiva e de procedimentos pedagógicos diretivos, resgatando o
prazer dos alunos pela atividade motora desenvolvida pela escola. Nesta linha de
pensamento Bento (1991), aprofunda:

“Uma Educação Física atenta aos problemas do presente não poderá deixar
de eleger a educação à saúde como uma das orientações centrais. Se pretende
prestar serviços valiosos à educação social dos alunos, se pretende contribuir
para uma vida produtiva, criativa e bem-sucedida…” (BENTO, 1991 p. 104)

A participação de todos os segmentos da comunidade escolar formaliza


esta proposta, estimulam a incorporação dos gestos técnicos, e direcionam para o
entendimento da relação que existe entre as limitações dos movimentos naturais do ser
humano com as dificuldades de aprendizagem que se repetem no processo educativo.
Considerando ainda, o envolvimento das outras áreas do conhecimento, e
os recursos audiovisuais recrutados para a concretização deste ensaio, vislumbramos
uma dialética interessante entre as várias áreas do conhecimento, possibilitando a
compreensão por parte do corpo discente, da sua capacidade de transcendência e de
projetar-se como um ser histórico, criador e transformador.
“A importância de demonstrar as relações entre os conteúdos da disciplina
Educação Física e os das demais disciplinas reside não na sua importância
como meio auxiliar daquelas, mas na identificação de pontos comuns do
conhecimento e na dependência que corpo e mente ação e compreensão,
possuem entre si” (FREIRE, 1994 p.183)
7

A abrangência das demais áreas que podem colaborar para este


Miniprojeto está inserida na seguinte proposta:
Matemática: que pode usar as tabelas de jogos, classificação, levantar e
quantificar  dos alunos por turma e por turno e apresentar através de gráficos, etc.
História: Pesquisar a história do Futsal dentro das escolas e ou  da
região.
 Sociologia: Influência do Futsal escolar para a Vida dos estudantes
daquela U.E; como os alunos estão vendo, sentindo e participando, como os pais estão
elaborando e compreendendo o projeto. Qual está sendo o resultado para a comunidade
escolar e local?
Português: Criação de acrósticos estimulando cada time. Frases. Faixas
com frases de torcedores ‘empurrando o time’ etc.
Artes: Construção de bandeiras e símbolos  (escudos) do time de cada
sala, bem como elaboração da torcida organizada com música e coreografia.
Geografia: Quais escolas da região que utilizam o  futsal como projeto
interdisciplinar e como elemento transformador da prática pedagógica no âmbito
escolar.
Os recursos didáticos utilizado seriam: bolas, apito, cronômetro, cartões,
livros, revistas, TV, internet, rádio, computador, câmera fotográfica, celular, data show,
gravador, buscadores, filmes etc.
A avaliação será pautada na participação de cada aluno, nas diversas
funções distribuídas entre eles, na execução das tarefas relacionadas às disciplinas
envolvidas, na contribuição que cada aluno dará a sua equipe, torcida, turma e às
unidades educacionais. O entendimento do espaço esportivo como local de socialização
e de abertura de novas possibilidades, também figuram como pré requisitos importantes
para a validação dos resultados.
A avaliação da atividade em desenvolvimento será a análise e a
observação processual de todo o movimento dos alunos para que eles cheguem até o
torneio; a avaliação da atividade concluída será igualmente processual, diária, pois se
eles não cumprirem suas atividades e/ou tarefas e em participando serão avaliados assim
desta mesma maneira, a cada jogo, a cada rodada, a cada torcida organizada apresentada
em cada jogo, toda atividade na quadra com os adversários, companheiros, árbitros etc.
E em todas as demais disciplinas envolvidas no Mini- Projeto.
8

Método: O Torneio Interativo Interdisciplinar acontecerá na quadra da escola- Os


conceitos trabalhados e desenvolvidos serão pertinentes ao Futsal; o Futsal oficial e o
escolar; as regras que vamos manter as que iremos tirar ou criar; quem vai arbitrar -
geralmente é um aluno da escola- mas que não irá participar do Torneio, podendo ser do
_do 2º ou do 3º ano do ensino médio.

A participação dos pais e ou das pessoas da comunidade local  é


constante, pois eles se interessam pelo trabalho perguntando sempre se vai acontecer
novamente. Essas estratégias saem do papel e vão para a prática no início do ano letivo,
como escrevi no começo, oportunidade em que as demais disciplinas convidam os
alunos ao debate para se inserirem no processo, da forma descrita anteriormente.

4. OBJETIVO GERAL

 Desenvolver habilidades e competências relacionadas ao Futsal e através da


interação deste desenvolvimento aliar à pesquisa e à produção de conhecimento
pertinente às demais áreas do conhecimento; inserindo a disciplina, a prática de
estudar, de pesquisar e de construir conhecimento como uma rotina no seu
cotidiano e na sua vida escolar.

4.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Conhecer o Futsal, diferenciando o Futsal na escola do Futsal da escola;


 Aprender a respeitar regras como também a discuti-las e criá-las;
 Favorecer vivências que ressaltem os fundamentos técnicos e táticos do futsal;
 Desenvolver através da prática do esporte a lealdade, companheirismo, honestidade 
união e o espírito de equipe.

5. RESULTADOS ESPERADOS

 Integração entre os estudantes.


 Melhor rendimento e aprendizado nas demais disciplinas.
9

 Que os alunos sintam prazer em ir para escola, em pegar num livro, espírito
científico ao acessar a INTERNET.
 Que os alunos sintam que podem seguir o ano letivo com entusiasmo e ter mais
interesse e efetiva participação na sua vida escolar.
OBS: A experiência que tive nas vezes que pude desenvolver este Mini-projeto
é que num trabalho interativo com Futsal o resultado é exatamente este; ouvi de
um aluno que, não gostava de estudar, não entrava na sala de aula e só gostava
de ficar na quadra, participou do projeto o seguinte: que se juntou a um colega
que gostava de estudar, ia para casa dele todos os dias fazer as atividades, só
para poder participar do Torneio.... Agora, disse ele: “já me acostumei a
estudar...”
10

6. REFERÊNCIAS

BENTO, J. O. As funções da Educação Física. In Revista Horizonte, N45, 1991.


CASASSUS, Juan. A escola e a Desigualdade. Liber Livro Editora, 2007. FREIRE, J
B. Educação Física de Corpo Inteiro. 04. São Paulo: Scipione, 1994. COLETIVO DE
AUTORES. Metodologia do Ensino de Educação Física. 06. São Paulo: Cortez, 1992.
LOPES, Alexandre Apolo da Silveira Menezes. Futsal: metodologia e didática na
aprendizagem [ilustrações: Fabiana Fernandes], São Paulo: Phorte Editora, 2004.

Você também pode gostar