Você está na página 1de 43

CICLO

CELULAR
CICLO CELULAR
A Teoria Celular, postulada por Scheilden e Schawnn, assenta
nos seguintes pressupostos:

– a célula é a unidade básica estrutural e funcional de


todos os seres vivos (isto é, todos os seres vivos são
constituídos por células, onde ocorrem os processos vitais);
– todas as células provêm de células preexistentes;
– a célula é a unidade de reprodução, de desenvolvimento
e de hereditariedade dos seres vivos.

A célula assegura a continuidade da vida


DIVISÃO CELULAR
1 CÉLULA-MÃE 2 CÉLULAS-FILHAS, geneticamente iguais à célula-mãe

Reprodução Crescimento dos seres Reconstituição de células e


vivos de tecidos

A este processo está sempre associada a


replicação do DNA
DIVISÃO CELULAR

Divisão celular em procariontes

Divisão celular em eucariontes


DIVISÃO CELULAR

Nos organismos pluricelulares, são


Nos organismos unicelulares, como as necessárias muitas divisões
bactérias ou leveduras, cada divisão celulares para que se constitua um
celular corresponde à reprodução. indivíduo a partir da célula-ovo.
ESTRUTURA DOS CROMOSSOMAS
Como é que moléculas tão
extensas como as de DNA se
movimentam durante a divisão
celular, sem se quebrarem ou
emaranharem?

No núcleo, o material genético está


distribuído por várias moléculas de
DNA.
Cada molécula de DNA, associada a
histonas (proteínas que permitem o
enrolamento da molécula de DNA),
constitui um filamento de cromatina
dispersa que, quando se enrola,
origina um cromossoma (cromatina
condensada).
ESTRUTURA DOS CROMOSSOMAS

DNA

PROCARIONTES EUCARIONTES
Sem histonas Com histonas
ESTRUTURA DOS CROMOSSOMAS

- O nucleossoma é a unidade fundamental da cromatina.


- Consiste numa unidade de DNA, dividida em duas espirais, que se enrolam
em torno de um disco proteico, constituído por quatro pares de proteínas
chamadas histonas (H2A, H2B, H3 e H4).
ESTRUTURA DOS CROMOSSOMAS
Em alguns períodos da vida Noutros períodos a molécula de DNA duplica e
celular os cromossomas são os cromossomas passam a ser constituídos
constituídos por apenas 1 por 2 cromatídeos (duas moléculas de DNA
cromatídeo (uma molécula de associadas a proteínas) ligados pelo
DNA associada a proteínas).
centrómero.
ESTRUTURA DOS CROMOSSOMAS

DNA Nucleossoma 1 cromossoma


1 cromossoma com
com
2 cromatídeos
1 cromatídeo
DIFERENTES TIPOS DE CARIÓTIPOS

CARIÓTIPO – Conjunto de
cromossomas de uma célula que, pelo
seu número, forma e tamanho
caracteriza uma determinada espécie.
CICLO CELULAR
Ciclo celular - Conjunto de transformações
que ocorrem desde a formação de uma
célula até ao momento em que ela própria,
por divisão, origina duas células – filhas.

Ciclo
celular

Interfase
Fase
Fase Fase Fase Mitótica
G1 S G2
Mitose Citocinese
INTERFASE

Período em que a célula não se encontra em divisão e os cromossomas


estão distendidos.
 Os cromossomas não podem ser visualizados no microscópio ótico comum.
Período que decorre entre o fim de uma divisão celular e o início da divisão
seguinte.
Corresponde aos períodos G1, S e G2.
INTERFASE
Fase G1:

Período entre o fim da mitose e o início da replicação de DNA.


 Intensa actividade de biossíntese, sendo produzidas moléculas de RNA,
proteínas, lípidos e glícidos.
 Ocorre a formação de organitos celulares com crescimento da célula.
Cada cromossoma é constituído por um cromatídeo.

Nota: alguns tipos de células não se dividem e permanecem paradas durante G1, numa
fase conhecida como G0 (neurónios).
Fase S:
INTERFASE
Replicação semi-conservativa do DNA – cada cromossoma passa a ser
constituído por dois cromatídeos, unidos por um centrómero. Não ocorre alteração
do número de cromossomas, no entanto, a quantidade de DNA duplica.
Fora do núcleo, nas células animais, inicia-se a duplicação dos centríolos,
originando dois pares.
Ocorre a síntese de histonas, proteínas que se associam ao DNA.

No centrossoma, para além dos centríolos, pode ainda ser encontrada


uma grande diversidade de proteínas, como tubulinas, quinesina,
calmodulina, ATPases, RNA polimerases, centrina e centrofilinas.
INTERFASE
Fase G2:

Decorre entre o final da síntese de DNA e início da fase mitótica.


 A célula prepara-se para a divisão, com a síntese de biomoléculas
necessárias à divisão celular, como por exemplos proteínas, que vão ser
utilizadas na fase mitótica, e a formação de novos organitos celulares.
Ocorre a produção de estruturas membranares que serão utilizadas nas
células filhas
Nas células animais os centríolos completam a sua duplicação.
INTERFASE

Resumindo…
FASE MITÓTICA
Profase
Mitose ou
cariocinese
(divisão do Metafase
núcleo)
Fase Anafase
Mitótica
Telofase
Citocinese
(divisão do
citoplasma)
MITOSE

A mitose é um processo
que ocorre na divisão das
células eucarióticas,
durante o qual o núcleo se
divide, originando dois
núcleos com o mesmo
número de cromossomas
do núcleo inicial.
MITOSE
Profase
MITOSE
Profase
 É a etapa mais longa da mitose, em que os cromossomas se tornam
progressivamente mais curtos e mais grossos, devido ao facto de ocorrer
uma condensação da cromatina.

Começam a visualizar-se os dois cromatídeos-irmãos, constituintes de


cada cromossoma, unidos pelo centrómero.

Nas células animais, os centrossomas afastam-se para polos opostos e


iniciam o desenvolvimento de microtúbulos proteicos. Inicia-se, assim, a
formação do fuso acromático entre os dois pares de centríolos.

No final da Profase o nucléolo desaparece e a membrana nuclear


desorganiza-se, assumindo a forma de pequenas vesículas.
MITOSE
Metafase
MITOSE
Metafase
 Os cromossomas apresentam a sua máxima condensação.

Os microtúbulos vão crescendo, a partir dos centrossomas, localizados em


polos opostos da célula. Quando um microtúbulo, vindo de um dos polos,
estabelece ligação com um dos cromatídeos, o microtúbulo que cresceu no
do polo oposto fixa-se ao cromatídeo irmão do primeiro. Forma-se, assim,
um fuso acromático que, no momento em que todas as fibras atingem o
mesmo comprimento, obriga a um posicionamento dos cromossomas no
plano equatorial.

Quando os cromossomas se dispõem no plano equatorial, formando a


placa equatorial, os seus centrómeros estão voltados para o centro do plano
equatorial, enquanto que os seus braços ficam voltados para fora.
MITOSE
Anafase
MITOSE
Anafase
 É a etapa mais curta da mitose, na qual se verifica a rutura do
centrómero, o que origina a separação dos cromatídeos de cada um dos
cromossomas.

Os cromossomas, agora constituídos apenas por um cromatídeo, iniciam


a ascensão polar, uma vez que são puxados pelos microtúbulos do fuso
acromático, que começam a encurtar.

A célula alonga-se ligeiramente, aumentando a distância entre os polos


do fuso.

No final da Anafase, cada polo da célula possui um conjunto de


cromossomas (constituídos por um só cromatídeo), exatamente igual.
MITOSE
Telofase
MITOSE
Telofase
 O fuso acromático degenera.

Forma-se um invólucro nuclear em torno dos cromossomas de cada


núcleo-filho, individualizando cada um deles.

Os cromossomas iniciam um processo de descondensação até se


tornarem num emaranhado de cromatina, com aspeto semelhante ao da
interfase.

No final desta etapa a célula apresenta dois núcleos idênticos entre si e
ao núcleo que os originou, ao nível da constituição cromossómica e, como
tal, da constituição genética, assegurando-se a manutenção das
características hereditárias ao longo das gerações.
Mitose em células animais
Mitose em células vegetais

Enquanto que nas células animais existe um centrossoma, estrutura formada


pelos centríolos, que organiza o fuso acromático, nas células vegetais as
fibras do fuso acromático são formadas a partir de estruturas, que se
localizam nos polos, designadas por centros organizadores de microtúbulos.
Citocinese em células animais

A citocinese, divisão do citoplasma, nas células animais, depende da


formação de um anel contráctil (estrutura composta por filamentos de
actina e de miosina – proteínas estruturais) na zona do plano equatorial, no
fim da Anafase e na Telofase.
 Os filamentos proteicos desse anel contraem-se e puxam a membrana
citoplasmática para dentro, causando um sulco de clivagem que vai
estrangulando o citoplasma, até se separarem as duas células-filhas.
Citocinese em células vegetais

Nas células vegetais, a existência da parede celular não permite o estrangulamento.


Assim, vesículas resultantes do Complexo de Golgi, contendo celulose, outros
polissacarídeos e proteínas, depositam-se na região equatorial da célula, originando
uma placa celular.
À medida que as vesículas golgianas se vão fundindo, originam uma membrana
celular que divide a célula em duas.
A posterior deposição de celulose junto da placa celular vai originar duas paredes
celulares que, geralmente, começam a formar-se do centro da célula para a periferia.
Quando estas paredes atingem a parede da célula-mãe, completa-se a divisão da
célula-mãe em duas células-filhas.
Fase Mitótica

https://www.youtube.com/watch?v=VlN7K1-9QB0
Fase mitótica

Mitose Constituída por Citocinese

Constituída por Ocorre por

Profase Metafase Anafase Telofase Estrangulamento Deposição


de vesículas
Onde se verifica Onde se verifica Onde se verifica Onde se verifica

nas nas
Desorgani- Formação Ascensão polar Organização
zação nuclear e da placa dos nuclear e Células Células
condensação equatorial cromossomas descondensação animais vegetais
da cromatina filhos da cromatina

Provoca origina
origina
Divisão Redução do Divisão
nuclear teor de DNA citoplasmática
Estabilidade do programa genético

Profase e Metafase

Anafase e Telofase

Fase G1 Fase S Fase G2 Fase G1

Interfase Mitose
Qual é o destino das novas células?
 continuar
a dividir-se;
Após terminar a divisão celular, a célula pode:

manter-se em fase G1
(também chamada G0);

 diferenciar-se
e especializar-se
Regulação do ciclo celular

Pode ocorrer a
apoptose (morte)
da célula
O ciclo celular possui pontos de controlo, constituídos por proteínas.
“(...) Quando surge uma célula, ela proveio de
outra célula, tal como os animais de outros
animais e as plantas de outras plantas.”

Rudolf Virchow (1858)

Você também pode gostar