Você está na página 1de 25

CIDADE DE SÃO PAULO

Cronologia do Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus


(em atualização / construção)

1865
No dia 21 de agosto, regulamentação do serviço de Tilburis, veículos de duas
rodas puxados por um cavalo ou carruagem de 4 rodas puxados por uma parelha,
quando a cidade possuía cerca de 30 mil habitantes. Trata-se do primeiro registro
de organização de transporte público na cidade, que se tem notícia. Serviço foi
regulamentado, por conta própria, pelo italiano Donato Severino, transformando-os
em carro de praça com tabela de horários e preços.

1890
População da cidade alcança 65 mil habitantes,sendo a quarta capital brasileira
em número de habitantes.

1891
No dia 8, inauguração da Avenida Paulista, que se torna o principal endereço da
elite paulistana da época.

1893
Circula o primeiro automóvel, de propriedade de Henrique Santos Dumont, pai de
Santos Dumont.

1897
O presidente da Câmara regulamenta o serviço de ônibus de tração animal,
através de tabela de preço e horário, incluindo o transporte de cargas e bagagens.

1900
População do Município: 224.654 habitantes

No dia 7de maio, a Light and Power inaugura a primeira linha de bonde elétrico,
ligando o Largo de São Bento à Barra Funda, passando pelo bairro de Campos
Elíseos, quando a cidade contava com 240 mil habitantes.

1909
Asfaltamento da avenida Paulista com material importado da Alemanha. Trata-se
da primeira via da cidade e do estado de São Paulo a receber tal melhoramento.
Na mesma ocasião os passeios foram alargados e a arborização remodelada,
com o plantio de ipês.

Década de 1910
Foto - Ônibus Sauer, importado da Alemanha.

1911
No dia 20, início da operação da primeira linha de ônibus. Transportava
passageiros das estações Norte e Brás pela manhã. e na parte da tarde realizava
viagens para o Parque Antártica e Avenida Paulista. O serviço durou pouco tempo
pois horário e itinerário não eram fixados e ainda havia escassez de passageiros.
Os paulistanos preferiam a segurança e o conforto dos bondes elétricos.

O município de São Paulo conta com cerca de 2 mil veículos.

1913
População da cidade com cerca de 400 mil habitantes.

1920
População alcança 580 mil habitantes. Na indústria paulistana, 52 % da mão de
obra empregada era formada por estrangeiros.

1924
Após longo período de seca, que comprometeu a geração de força nas usinas
hidrelétricas, impedindo a circulação dos bondes elétricos, dá-se o início da
operação das primeiras linhas de ônibus regulares, quando a população da
cidade atinge 700 mil habitantes.

1925
Surge o serviço de ônibus circulares, com veículos importados da europa.
Foto - Rua Libero Badaró

1926
A Light importa 50 ônibus Yellow Coach, que circulam até 1932. Nesse mesmo
ano a Light, que também opera o sistema de bondes elétricos da cidade, apresenta
um plano integrado de transportes, incluindo um sistema metroviário. A proposta
não é aceita pela Prefeitura.

1930
Na década de 30, com o acirramento da concorrência dos ônibus e a perda da
exclusividade no transporte de passageiros, a Light desiste de renovar sua
concessão para o sistema de bondes, que expira em 1941.

Foto - Praça da Sé

1933
A cidade conta com 1 milhão de habitantes.

Foto – Viaduto do Chá, por volta de 1930

1937
A Light transmite a Prefeitura que não está mais interessada em explorar os serviços
de transporte coletivo a partir de 1941, data do término da concessão iniciada em
1897.

1939
O prefeito Prestes Maia cria a CETS - Comissão de Estudos de Transporte Coletivo
do Município de São Paulo, visando criar um programa para a administração
municipal assumir o controle dos transportes coletivos na capital, em vista do final
da concessão da Light em 1941.

A Comissão Municipal de Transportes Coletivos entrega ao prefeito de São Paulo o


seu parecer favorável à adoção de omnibus eléctrico naquela capital.

Início do serviço regular de ônibus entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo,
pela viação Pássaro Marrom, através da antiga estrada Rio-São Paulo.

1940
População do Município: 1.326.261 habitantes

Foto - Bairro da Liberdade


Foto - Trocador
1941
O Governo Federal prorroga compulsoriamente a concessão da Light na operação
dos transportes coletivos, em função da dificuldade de importação de combustivel.

A cidade conta com frota de 3 mil ônibus, distribuídos em 37 empresas


particulares e 90 linhas, contra uma frota total de 500 bondes elétricos. [2]

No dia 31de agosto, circula pela primeira vez no estado de São Paulo, na
capital, um ônibus a gasolina adaptado para consumo de gasogênio, devido à
restrições de uso de derivados de petróleo imposto pela 2ª Guerra.

Evolução da Frota de Bondes

Ano Quantidade

1930 400
1934 700
1948 509

1943
A cidade conta com 46 linhas de ônibus.

A Comisão Municipal de Transportes Coletivos publica o relatório “O Tranporte


Coletivo na Cidade de São Paulo”

1946
No dia 10 de outubro, o prefeito Abrahão Ribeiro autoriza, através do Decreto Lei
365, a constituição de uma empresa para operar serviço de transportes coletivos
por 30 anos, a CMTC - Companhia Municipal de Transportes Coletivos.

1947
Em fins de abril, inauguração da Via Anchieta. No mesmo dia a empresa Expresso
Brasileiro Viação Ltda. inicia a operação de 20 novos ônibus GM Coach modelo
Parlour Coach na linha São Paulo – Santos.

No dia primeiro de julho, a CMTC inicia a operação do sistema de transporte da


capital ao receber o patrimônio da Light.
No dia primeiro de agosto, "quebra-quebra" de grandes proporções de bondes e
ônibus, após o aumento da tarifa de bondes e ônibus em mais de 100% pela
CMTC - Companhia Municipal de Transportes Coletivos.

No segundo semestre, a CMTC inicia a operação dos ônibus GM Coach da


General Motors na cidade, inicialmente na linha Centro – Jardim América com frota
de 10 veículos. Os novos ônibus com capacidade para 70 passageiros, sendo 40
sentados, eram dotados de motor diesel de 6 cilindros, freios a ar comprimido e
transmissão hidráulica, eliminando os comandos manuais.

1949
No dia 22, inauguração da primeira linha de trólebus da cidade de São Paulo e
do país, ligando a Praça João Mendes ao bairro da Aclimação, com extensão de
2.500 metros. A linha substitui a antiga linha de bonde que atendia ao bairro.

1950
A CMTC importa 200 ônibus Twin Coach, hidramáticos.

Foto - Praça Ramos de Azevedo

1953
Inauguração da linha Penha - Lapa, deixando de operar em 1978 e voltando a
operar em 1979 com novo itinerário. Em 1983 torna-se a linha de maior demanda
da cidade.

1954
Cerca de 90 por cento da frota municipal de ônibus é operada pela CMTC. Na
década de 50 a CMTC desenvolve um complexo industrail próprio visando a
reforma e o encarroçamento de ônibus e bondes.

1957
No dia 14 de dezembro, entrega à prefeitura da primeira quota de 25 ônibus
novos, Mercedes Benz, dos 100 encomendados pelo governo municipal.

No dia 4 de setembro, inauguração da linha Pedreira - Anhangabaú.


1959
No dia 27 de janeiro, criação da primeira linha diametral, ligando Belém a
Pinheiros.

No dia 20 de fevereiro, com o êxito da primeira linha diametral, a diretoria da


CMTC resolve criar novas linhas desse tipo. A nova linha será do Paraíso à Casa
Verde.

No dia 16 de junho, na 21ª Sessão Especial realizada na Câmara dos


Vereadores, o prefeito prestou esclarecimentos sobre a CMTC, informando a atual
frota: 155 trólebus, 1.185 ônibus diesel, 493 bondes e 29 microônibus.

1960
População do Município: 3.709.274 habitantes

1961
Inauguração da primeira Estação Rodoviária da cidade, no bairro de Campos
Elíseos. Em 1982, com a inauguração do Terminal Rodoviário do Tietê, a
rodoviária foi desativada e o prédio adaptado para a instalação do Shopping
Fashion Center Luz, inaugurado em 1988.

Cidade de São
Paulo
Viagens em Transporte Coletivo em 1961

Modal %

Ônibus 81,0
Bonde 8,0
Trem de Subúrbio 6,7
Trólebus 4,3

1967
Gilberto Arantes Lanhoso, idealiza o Metrobus para São Paulo: Tráfego exclusivo
de ônibus em pistas reservadas, terminais especiais no Centro da Cidade com
venda antecipada de bilhetes, plataformas ao nível do piso dos ônibus e portas
mais largas em ambos os lados. (Revista Transporte Moderno)

Neste ano o transporte público é responsável por 68% dos deslocamentos na


capital paulista. Em 1993, este percentual cai para 56%.

Evolução da Frota de Ônibus Urbano no período 1967-1977:

Ano Região Metropolitana SP Município de São Paulo


1967 7 mil 5.800 mil
1977 11 mil 8.000 mil

1968
Desativação do sistema de bondes, abrindo maior mercado e participação das
empresas de ônibus particulares.

1970
Foto - Avenida São João

1972
Criação do Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV) na Secretaria de
Transportes, mais tarde, em 1976, com a criação da Companhia de Engenharia de
Tráfego – CET o departamento adquire técnicas mais avançadas para a solução dos
problemas de transporte na cidade. Entre 1977 e 1978 a velocidade média nos
principais corredores de tráfego aumentou em cerca de 43% nos horários de pico.

1975
A CMTC opera apenas 14% da frota municipal de ônibus.

No dia 14, início da operação do sistema de integração metrô-ônibus. Primeiro


sistema integrado do gênero no país.

1976
Fim do período de concessão da CMTC, a prefeitura renova então, por um
período de mais 30 anos o período de concessão, mantendo-a como reguladora
do serviço de transporte coletivo por ônibus.
1977
Implantação de faixa exclusiva, junto ao passeio do lado direito, na Avenida 9 de
Julho, entre a Praça da Bandeira e rua Groelândia, operada por ônibus em
comboio com paradas ordenadas, denominado Sistema Comonor. O novo sistema
permitiu a redução de 60 para 20 segundos o tempo de parada dos veículos nos
pontos, o aumento de 90% da velocidade comercial nos horários de ponta.

A cidade conta com 60 km de faixas exclsuivas para ônibus em operação.

A CMTC adquire 120 ônibus Mercedes Benz monobloco especiais, sem ar-
condicionado, para operação em 6 linhas do novo serviço executivo. A linha
Praça Gentil Novo (Brooklin) – Patriarca é a primeira linha a entrar em operação.

No dia 2 de maio, início da operação do Terminal Intermunicipal do Jabaquara,


com 12.100 metros quadrados de área construída, junto à estação Jabaquara da
Linha Norte-Sul do Metrô.

Região Metropolitana de São Paulo


Deslocamentos em Transporte Coletivo

Ano %

1967 63,50
1977 61,00

No dia primeiro de janeiro, início da vigência do novo sistema de transporte


coletivo por ônibus. A cidade é dividida em 23 setores, cada um sob a
responsabilidade de uma empresa. Até então, a cidade contava com 68
empresas de ônibus.

Em meados de 1978, os carros ganham nova identidade visual, dentro do


Programa de Orientação ao Usuário de Ônibus - Pró-Uso, que atribuia uma cor a
cada uma das nove regiões da cidade. As linhas também passam a serem
identificadas por números de 4 dígitos. O estudos do Programa Pró-Uso foram
iniciados em 1968, interrompido por alguns anos, reativado em 1974, e posto em
prática em 1978.
1979
Em janeiro, nas avenidas Celso Garcia e Rangel Pestana, é implantado o segundo
corredor exclusivo para ônibus operado em Comboio, em trecho de 2,8 km de
extensão com 114 linhas, beneficiando cerca de 400 mil passageiros/dia.

Inauguração da Ponte-Rodoviária para o litoral, com saídas do Terminal Jabaquara,


entre as Empresas Ultra/Rápido Brasil e Zefir.

A cidade contava com cerca de 60 km de faixas exclusivas para ônibus.

1980
População do Município: 8.493.217 habitantes

No dia 31 de março, inauguração do Corredor Paes e Barros, primeiro corredor


exclsuivo para circulação de ônibus da cidade de São Paulo, com extensão de
3,4 km. Nesta mesma data é inaugurada a linha de trólebus para a Vila Prudente,
passando pela mesma via, com frota de 20 veículos.

No dia 13 de dezembro, inauguração do terminal de integração trólebus-ônibus


da Vila Prudente, com uma linha de trólebus troncal para o centro da cidade e 4
linhas alimentadoras de ônibus diesel..

1982
No dia primeiro de feverereiro, inauguração das primeiras duas linhas do serviço
de microônibus da CMTC, com micros modelo Puma Chevrolet, com motor a
álcool, fabricados em 1981, com os seguintes trajetos: a primeira linha ligando a
Praça do Correio a Tremembé, e a segunda a Praça da Sé a A.E.Carvalho.

No dia 9 de maio, inauguração do Terminal Rodoviário do Tietê, o maior terminal


rodoviário de passageiros do país e segundo do mundo, atrás somente do terminal
rodoviário de Nova Iorque. O novo terminal é atendido diretamente pela estação
do metrô do Tietê, da linha Norte-Sul.

No dia 14 de maio, desativação da faixa exclusiva para ônibus e trólebus no


contra-fluxo da rua Voluntários da Pátria, na zona norte. Trata-se de uma das
primeiras faixas exclusivas para ônibus a serem implantadas.

1983
Inauguração da primeira linha de integração ônibus-trem, ligando o centro à
estação Pinheiros da Fepasa.

Ampliação de 12 para 16 o número de linhas de integração ônibus-trólebus, sem


acréscimo no valor da tarifa.

1984
A CMTC adquire 76 novos ônibus Padron.

1985
No dia 30 de junho, início das obras do corredor exclsuivo para ônibus nas
avenidas 9 de Julho e Santo Amaro.

Criação do Museu da CMTC - Gaetano Ferolla.

A CMTC operava com frota de 2.879 ônibus, transportando cerca de 580


milhões de passageiros no ano.

No dia 17 de dezembro, início da operação da Ponte Rodoviária Rio-São Paulo


com a seguinte divisão de horários: Viação Cometa, 37,5%; Expresso Brasileiro,
32,5%; e Itapemirim, 30%.

Cidade de São Paulo


Viagens em Transporte Coletivo em 1985

Modal %

Ônibus / Trólebus 89
Metrô 6
Trem de Subúrbio 5

1986
Em janeiro, início da operação de ônibus rodoviário de dois andares pelas
estradas do país,ligando São Paulo a Santiago do Chile, com freqüência de duas
saídas semanais, às terças e sextas, às 15h30. Os ônibus com 3,85 m de altura,
carroceria Neoplan - alemã e operados pela Chile-Bus (Chilena), tinham
capacidade para 60 passageiros, sendo 20 no piso inferior e 40 no superior

1987
População da Região Metropolitana: 14.247.882 habitantes

Em janeiro, a CMTC adota nova cor vermelha na sua frota de ônibus.

No dia 25 de janeiro, inauguração do terminal de integração de Santo Amaro,


ainda sem receber os trólebus da linha da Praça da Bandeira.

Em junho, início da operação, ainda parcial, do Corredor 9 de Julho - Santo


Amaro.

No dia 21 de setembro, na gestão do prefeito Jânio Quadros, início da operação


comercial do protótipo do ônibus de dois andares construído pela CMTC. O
veículo circulava ainda em fase de destes, num trecho do corredor exclusivo, entre
o Terminal Santo Amaro e a avenida Juscelino Kubitschek, fora do horário de maior
movimento, entre 9h e 16h. O protótipo que custou Cz$ 7 milhões tem
capacidade para 104 passageiros, sendo 46 passageiros sentados no segundo
andar, onde é proibido viajar de pé, e 68 passageiros no primeiro andar, sendo
26 sentados. O veículo tem 10,6 metros de comprimento e 4,26 metros de altura,
1,90 metros de altura no primeiro andar e 1,70 metros no segundo. Conta com
suspensão a ar, chassi e motor Scania, igual ao dos ônibus convencionais do tipo
Padron. O novo carro foi apelidado de “ Dose Dupla”, pelo seu idealizador, o
prefeito Jânio Quadros.

1988
No dia 28 de janeiro, inauguração do terminal rodoviário de longa distância do
Bresser , junto à estação Bresser da linha Leste-Oeste do metrô.

No dia 28 de fevereiro, a CMTC adquire mais 7 ônibus de dois andares,


totalizando de 11 unidades.

Em outubro, início da operação experimental do primeiro trecho do Corredor de


Trólebus São Mateus - Jabaquara, no trecho São Mateus - Ferrazópolis. A
operação comercial se dá no dia 3 de dezembro.

1989
No dia 9 de junho, início da integração entre os trólebus e os ônibus municipais no
terminal Santo André-Leste, do Corredor São Mateus - Ferrazópolis.
No dia 26 de outubro, inauguração do segundo trecho do Corredor de Trólebus
São Mateus - Jabaquara, com 4 quilômetros de extensão, entre São Bernardo do
Campo e o Terminal de Piraporinha.

No dia 20 de dezembro, inauguração do Terminal Rodoviário da Barra Funda,


junto às estações do metrô e do trem metropolitano.

1990
No dia 23 de outubro, inauguração do terceiro e último trecho do Corredor São
Mateus -Jabaquara, entre o Terminal de Piraporinha e Jabauqara, totalizando 33
km de corredor exclusivo para trólebus e ônibus diesel.

No dia 7 de novembro, início da operação do sistema de integração entre o


Metrô e o Corredor São Mateus - Jabaquara.

Mapa - Corredor São Mateus - Jabaquara

1991
População do Município: 9.646.185 habitantes

A cidade conta com frota de 7.294 ônibus diesel e 322 trólebus,segundo


reportagem do Jornal Folha de São Paulo.

Em fevereiro, início da operação do Corredor Vila Nova - Cachoeirinha,


representando a concretização de uma idéia antiga na área técnica de transportes
da Prefeitura, da operação à esquerda, com a conservação dos canteiros centrais
e com a utilização de ônibus com portas de ambos os lados.

Foto - Corredor Vila Nova Cachoeirinha - Estação

Em junho é iniciada a operação da primeira linha - 805A - Circular Avenidas - com


embarque pela porta dianteira.

Em junho, início da operação de ônibus a gás.

Em agosto, através do terminal de São Mateus, início da integração gratuita entre


a linha de trólebus municipal São Mateus e o corredor intermunicipal da EMTU,
também operado por trólebus.

No dia 11 de setembro, o prefeito Reynaldo de Barros inaugura, às onze horas, a


primeira linha de microônibus de São Paulo, a ser operada pela CMTC. Eram vinte
micros a álcool que faziam o itinerário "circular", com passagem ao preço de Cr$
15,00. O serviço foi extinto em outubro do mesmo ano, em vista da pouca
aceitação por parte dos passageiros.

Em dezembro, a CMTC recebe 6 articulados Volvo B58 Caio, passando a contar


com 29 articulados.

1992
A CMTC operava com frota de 3.896 ônibus, transportando cerca de 426
milhões de passageiros no ano.

No dia 4 de março, desativação do serviço de ônibus executivo da CMTC,


inaugurado em 1977

Quadro - Dados Operacionais das Linhas Executivo da CMTC

Regulamentação da Lei Municipal 1050 determina que até o ano de 2001 o


combustivel básico da frota municipal deixe de ser o diesel e passe a ser o gás
natural. Em agosto entra em funcionamento o primeiro posto para abastecimento de
gás natural exclusivo para ônibus. São entregues mais 15 ônibus a gás natural,
totalizando 70 veículos em operação em 5 linhas.

No dia 14 de maio, início da operação da bilhetagem eletrônica no Corredor de


Trólebus São Mateus - Jabaquara, com a venda de bilhetes realizada em
estabelecimentos comerciais próximos ao Corredor .

Reforma da frota de 37 ônibus de dois andares da CMTC, em serviço desde


1987. Cada ônibus transportava 26 passageiros sentados e 40 em pé no
primeiro piso, e 46 sentados no segundo piso, totalizando 112 passageiros.

A CMTC inicia a reforma de 650 ônibus diesel Padron II, com suspensão
pneumática e direção hidráulica e 3ª porta, modelos Volvo/Caio com motor de
251 cv e Scania/ Marcopolo com 205 cv.

1994
A cidade conta com frota de 9.417 ônibus diesel e 389 trólebus,segundo
reportagem do Jornal Folha de São Paulo.

No dia 9 de março, a operação do sistema de trólebus municipal é tercerizado e


passa ser realizado por 3 empresas: a Eletrobus assumindo a garagem de
Tatuapé, a Transbraçal-Tbbus na garagem do Brás e Imperial, assumindo a
garagem de Santo Amaro.

A CMTC opera até o mês de abril. A partir do mês de maio a operação dos
ônibus e trólebus é concedida à empresas particulares.

Link - Trólebus - Resumo Histórico

Pistas Exclusivas para Ônibus na Região Metropolitana de São Paulo

Corredor Inauguração Extensão (km)


Paes e Barros 1980 3,4
Nove de Julho - Santo Amaro 1987 14,6
Vila Nova - Cachoeirinha 1991 11,0
São Mateus - Jabaquara 1988 32,6
Total - 61,6

População da Região Metropolitana: 16.541.890 habitantes

1995
No dia 8 de março de 1995, a CMTC muda a razão social para São Paulo
Transporte S.A. - SPtrans.

Início da operação do sistema de rastreamento de veículos - "Fiscal Eletrônico".

1996
Pela empresa Julio Simões, início da operação da primeira linha de ônibus urbano
de duas portas com ar-condicionado do país, na linha Mogi das Cruzes -
Salesópolis, com veículos Alpha Scania L113 CL.

Início da construção do primeiro corredor de VLP – Veículo Leve sobre Pneus, entre
o terminal Dom Pedro II e Sacomã, ainda na gestão do prefeito Celso Pitta.

Em junho, início da modernização do Terminal Dom Pedro II, inaugurado em 4 de


novembro de 1996. O terminal, com 25 mil metros quadrados, atende a 45 linhas
de ônibus e cerca de 200 mil passageiros diariamente. No mesmo dia entram em
operação 35 novos ônibus articulados, sendo prevista a entrega de mais 50
articulados em 30 dias.

No dia 30 de agosto, inaguração do corredor e terminal Vila Nova -


Cachoeirinha, com 19.200 metros quadrados, na zona norte.

No dia 23 de setembro, inauguração do Terminal JoãoDias, na zona sul, com


área de 14 mil metros quadrados e custo de 10 milhões de reais.

No dia 8 de novembro, inauguração da modernização do Terminal Bandeira, que


se torna fechado, atendendo a 18 linhas. O terminal ganhou, entre outras
melhorias, passarelas, escadas rolantes e acesso controlado por bilhetagem
eletrônica.

No dia 11 de novembro, inauguração do terminal de integração Cidade


Tiradentes, com custo de 4,7 milhões de reais.

1997
No dia 12 de maio, inauguração da modernização do Terminal Princesa Isabel,
transformando-se no segundo terminal da área central a permitir transferência
gratuita entre linhas de ônibus. O terminal que devia ter sido inaugurado em
dezembro de 1996, teve de passar por reformas para atender exigência do
Condephaat, órgão estadual responsável pelo patrimônio histórico, em função do
terminal fica perto do Palácio Campos Elísios, que é tombado.

No dia 21 de maio, transferência da operação do Corredor de Trólebus São


Mateus - Jabaquara para a Metra Sistema de Transportes Ltda, que se torna
responsável pela operação do corredor por 20 anos.

1998
No dia 27 de abril, início da operação dos primeiros ônibus com bilhetageme
eletrônica no município de São Paulo, na frota de 35 trólebus das 3 linhas
circulares do Centro: Terminal Dom Pedro - Terminal Bandeira, Terminal Dom Pedro
- Terminal Princesa Isabel e Terminal Princesa Isabel - Terminal Bandeira.

No dia 26 de setembro, início da operação de 20 ônibus biarticulados, tornando-


se São Paulo a segunda cidade do país a operar este tipo de veículo. Foram
adquiridas pela Viação Campo Belo e pela Kuba Viação Urbana para operação
na linha troncal entre o Terminal Bandeira e o Terminal Capelinha, também
inaugurado neste mês. Os novos biarticulados possuem 25 metros de comprimento,
capacidade para 276 passageiros, portas dos dois lados e um conjunto de
microcâmeras que permitem ao motorista monitorar o embarque e desembarque
nas três portas do lado direito e nas quatro do lado esquerdo, auxiliando ainda
nas manobras.

Em setembro, a SP Trans adota novas cores padrão na frota de ônibus municipal,


que passam a variar de acordo com o tipo de veículo. Os antigos continuam com
a mesma pintura de cor vermelho e branco ou verde e branco. Os modelos Padron
ganham a cor amarelo claro, os articulados e biarticulados, amarelo escuro; os
trólebus, azul com imagens e os veículos movidos a gás, azul claro.(Milbus -
www.milbus.com.br).

Quadro - Passageiros Transportados no período 1960-1998

1999
No dia 28 de junho, início da operação de sistema fotográfico de fiscalização da
faixa exclusiva de ônibus da Avenida Marquês de São Vicente, região central da
cidade.

Inauguração do Terminal Metropolitano de Cotia, ao lado da Rodovia Raposo


Tavares.

No dia 27de outubro, em São Bernardo do Campo-SP, fabricado pela Eletra -


Teconologia em Tração Híbrida, é apresentado o ônibus híbrido, cuja tecnologia
consiste na associação do motor diesel a um alternador para gerar energia elétrica
a bordo.

2000
Inauguração do Corredor Itapecerica com faixa segregada à esquerda e 11
paradas elevadas
junto ao canteiro central.

Início da operação de ônibus leitos com camas, pela Real Expresso, o “ Royal
Class”, com poltronas que se transformam em camas de verdade , perfeitamente
horizontais. São apenas 18 leitos por veículo, o que significa muito mais espaço e
conforto na viagem. Operam nas linha Brasília a São Paulo, Ribeirão Preto,
Uberaba e Uberlândia.

No dia 16 de maio, inauguração de faixa exclusiva para ônibus na Avenida


Senador Teotônio Vilela, na zona sul, beneficiando 47 linhas.

No dia 28 de agosto, início da operação da Ponte Orca (Operadores Regionais


de Coletivos Autônomos), integrando gratuitamente, através de lotações, os
usuários das estações de Vila Madalena da linha Paulista do Metrô e Cidade
Universitária da CPTM.

2001
No dia primeiro de dezembro, desativação do terminal todoviário do Bresser. As
34 linhas que atendiam 145 cidades do Sul de Minas Gerais são transferidas para
o Terminal Rodoviário Tietê, com exceção da linha para o Aeroporto de Cumbica,
que continuou operando no terminal.

Texto - Opinião de Jaime Lerner sobre os Corredores de Ônibus em São Paulo

2002
No dia 4 de abril, início da operação, em testes, do primeiro Trólebus de piso
baixo do país. Trata-se de um Urbanuss Pluss Low Floor(rebaixamento integrgal) em
serviço na linha 285 São Mateus - Ferrazópolis. Também é o primeiro ônibus com
rebaixamento integral a operar no país.

2003
Inauguração do Centro de Controle Operacional do Corredor 9 de Julho/Santo
Amaro, com objetivo de controlar o fluxo de ônibus nos 15 quilômetros de corredor
entre os Terminais Bandeira e Santo Amaro, além de disponibilizar aos usuários,
em painéis eletrônicos, informação simultânea sobre o horário da partida e
chegada dos ônibus. O corredor atende a demanda de 300 mil passageiros/dia.

No dia 19 de março, conclusão das obras de revitalização do Terminal Rodoviário


do Tietê.

No dia 16 de junho, inauguração do terminal de integração de Parelheiros, e no


dia 29, inauguração do terminal do Jardim Angêla, todos na zona sul da cidade.

No dia 26 de junho, o ônibus híbrido brasileiro desenvolvido pela Eletra, de São


Bernardo do Campo, recebeu em San Francisco, Califórnia, o segundo lugar do
prêmio World Technology, concedido pela World Technology Network, na
categoria Energia. O sistema utilizado pelo modelo Viale híbrido, que utiliza
carroçaria Marcopolo, possibilita a redução de 90% na emissão de poluentes e de
30% no consumo de combustível, segundo medições realizadas pela UFRJ. A
tecnologia está sendo utilizada em 13 ônibus aqui no Brasil e já foi exportada
para Chile e Nova Zelândia. A empresa negocia sua exportação para vários
outros países, inclusive os EUA.
No dia 14 de dezembro, inauguração do corredor exclusivo para ônibus, com
faixa exclsuiva junto ao canteiro central, o "Passa-Rápido" Pirituba-Lapa-Centro com
15 km de extensão e 3 Terminais de Integração (Pirituba, Lapa e Amado Gurgel).
O Corredor não possui separação física entre ônibus e automóveis, sendo
fiscalizado por câmaras de TV. Possui pontos de parada no canteiro central e
ônibus com portas à esquerda.O tempo de trajeto total no corredor diminuiu de 90
para 60 minutos e os ônibus são monitorados por satélite com tecnologia GPS.
Atende a cerca de 175 mil passageiros diariamente..

2004
No dia 17 de maio, início da operação do bilhete temporal integrado de 2 horas
do sistema municipal de ônibus.

No dia 8 de agosto, inauguração do Passa-Rápido Jardim Ângela/Guarapiranga/


Santo Amaro, na Zona Sul, com 7,3 km de extensão e benificiando cerca de 140
mil passageiros/dia. O corredor atende aos terminais de integração de
Guarapiranga, inaugurado no mesmo dia, e o terminal Jardim Ângela, inagurado
em 2003.

Em agosto, inauguração do Passa-Rápido Parelheiros/ Rio Bonito/Santo Amaro,


com 23,2 km de extensão, na Zona Sul, atendendo diretamente a três terminais de
integração e benificiando cerca de 460 mil passageiros/dia.

No dia 15 de agosto, inauguração do Passa-Rápido Capelinha/Ibirapuera/Metrô


Santa Cruz, na Zona Sul, benificiando cerca de 250 mil passageiros/dia.

No dia 28 de agosto, inauguração do último trecho do Passa-Rápido 9 de


Julho/Santo Amaro, com 5,8 km de extensão, no trecho do bairro de Santo Amaro
na Zona Sul da cidade, entre a avenida São Gabriel e a estátua do Borba Gato.
Primeiro trecho da refoma do corredor, inagurado nos anos 80,e agora
denominado Passa-Rápido, foi entregue no dia 26 de junho de 2004, com 5,4 km
de extensão entre a Parada São Gabriel e o Terminal da Bandeira.

Em agosto, nauguração do Passa-Rápido Teotônio Vilela /Robert Kennedy, ligando


o terminal de integração de Varginha - inaugurado em julho - à região do Socorro.

Em setembro, homologação, pelo Conselho Nacional de Trânsito, através da


resolução 163 publicada no Diário Oficial, da circulação de ônibus de 15 metros,
que circulam no país desde 2001 com autorizações especiais.

No dia 13 de setembro, inauguração do Passa-Rápido Rebouças, reduzindo em


até 45 minutos o tempo de viagem entre o Centro da cidade e o bairro de Campo
Limpo na Zona Oeste da cidade. O eixo possui 10,3 km de extensão e se
desenvolve sobre as avenidas Professor Francisco Morato, Eusébio Matoso e
Rebouças, além da rua da Consolação. Por ele circulam 58 linhas de ônibus,
utilizadas por cerca de 480 mil pessoas. (Prefeitura de São Paulo)

No dia 2 de outubro, início da transferência gratuita entre os ônibus do Corredor


São Mateus - Jabaquara no Terminal Santo de André Oeste. A medida visa
desafogar os terminais de São Bernardo, Diadema e Piraporinha, onde a
transferência gratuita já é permitida.

No dia 13 de outubro, início da integração tarifária, sem custo adicional, entre 4


linhas intermunicipais e a linha 5 do metrô na estação de Capão Redondo.

No dia 11 de dezembro, após a implantação do sistema de integração temporal


de 2 horas em toda frota do município, em maio de 2004, o terminal de
integração A.E Carvalho torna-se o primeiro terminal de integração a ser aberto,
passando a integração tarifária a ser efeutada através de bilhetagem eletrônica
dentro do próprio veículo e não mais em área fechada.

Foto - Primeira linha com Ônibus Híbrido


Foto - Linha Praça Ramos - Terminal Pirituba
Foto - Corredor Dom Pedro II - Sacomã
Foto - Metrô Paraíso

2005
Entrega de 10 ônibus híbridos, fabricados pela Eletra, à duas empresas do ABC,
sendo 8 veículos para a empresa SBC Trans e 2 para a viação ABC. No mês de
março é iniciada a operação de ônibus articulado com piso baixo Caio Millennium
II / Scania na Viação Santa Brígida.

No dia 18 de abril a Prefeitura anuncia o projeto de prolongamento das obras do


VLP, ainda paralisadas, até Cidade Tiradentes e São Mateus, totalizando 32 km
de extensão, com previsão de carregamento de 350 mil passageiros/dia.

No dia primeiro de maio, inauguração da linha expressa Terminal Cidade


Tiradentes - Terminal Dom Pedro, com paradas apenas nao Shopping Aricanduva e
metrô Tatuapé. No dia primeiro de junho é inaugurada a segunda linha expressa,
também ligando o Terminal Cidade Tiradente ao Terminal Dom Pedro, mas com
paradas no Terminal São Mateus e Terminal Vila Prudente.

Em agosto, inauguração do terminal rodoviário de longa distância de Guarulhos,


sendo logo fechado em 2007 por falta de passageiros. Os passageiros preferiam
usar o terminal do Tietê na cidade de São Paulo.

No dia 4 de novembro, reinício das obras do VLP, com projeto modificado, sendo
estendido até o bairro de Cidade Tiradentes.

No dia 6 de dezembro, início da operação do pré-embarque no Terminal Jardim


Angêla, devendo o passageiro validar o bilhete antes do embarque no veículo.

No dia 30 de dezembro, início da operação da primeira fase do sistema de


inetgração de bilhetagem eletrônica entre os ônibus municipais e os trens da Linha
Paulista do Metrô e os trens da Linha C da CPTM, com tarifa de 3 reais, válida por
2 horas. A medida beneficia cerca de 1,1 milhão de passageiros/dia. que se
utilizam da integração metrô-ônibus com tarifa de 4,10 R$.

2006
No dia 17 de janeiro, retomada das obras de expansão do Corredor do ABC até
a Marginal Pinheiros, no trecho de 11, 9 km entre o Terminal Diadema e estação
Berrini da CPTM. O trecho, orçado em 72 milhões de reais, foi construído com
recursos do tesouro do Estado.

No primeiro semestre, início da operação de sistema de bilehtagem eletrônico nos


cerca de 4 mil ônibus intermunicipais dos 39 municípios da Região Metropolitana,
operados por 52 empresas, que transportam cerca de 1 milhão e 300 mil
passageiros diariamente. O sistema custou 40 milhões de reais, rateado pela
próprias empresas.

Em setembro, fim do sistema integrado de transportes e Mogi das Cruzes.

No dia 9 de outubro, início dos testes no Corredor Cidade Tiradentes (ex-fura fila),
no trecho entre o Parque Dom Pedro II e Sacomã, com 8 km de extensão, com
veículos sem passageiros.

A partir do dia 9 de outubro, a rua 25 de março é bloqueado ao tráfego de


veículos, inclusive ônibus.

Em outubro, previsão de conclusão do trecho Diadema - Berrini do Corredor do


ABC.

No dia 31 de outubro, início da operação do Sistema Integrado de


Monitoramento, que informa o tempo real de posicionamento dos veículos a cada
60 segundos através de equipamentos GPS instalados nos veículos. Incialmente
foram instalados computadores de bordo em 1.531 ônibus que circulam nos
bairros da zona norte de Perus, Pirituba, Freguesia do Ó e Vila Brasilândia, além
de 62 painéis eletrônicos de informação aos passageiros no corredor Pirituba -
Lapa - Centro.

Em dezembro a EMTU testa um ônibus que reduz a emissão de fumaça em 99%.


O modelo em operação na Viação Urubupungá atende ao padrão Euro 3 de
emissão de poluentes.

2007
No início do ano, instalação dos primeiros aparelhos de televisão em 500 ônibus
com a programação da Bus TV, empresa Portuguesa, pioneira no setor no Brasil.
Em outubro um segunda empresa entra no mercado, a TVO, do grupo Mixer,
instalando mais 500 televisões . A cidade de São Paulo em 2007 contava com
frota de cerca de 13 mil ônibus.

No dia 8 de março, inauguração da primeira etapa do corredor Expresso


Tiradentes, com 8 km de extensão entre os terminais Parque Dom Pedro II
(Mercado) e Sacomã, além das estações Metrô Pedro II, Ana Néri, Clube Atlético
Ypiranga e Rua do Grito. No mesmo trecho ficaram faltando as estações Luís
Gama, Alberto Lion, Cipriano Barata, Ipiranga CPTM e General Lecor, a serem
entregues posteriormente.

O corrdedor começou a ser construído em 1996 ainda na gestão do prefeito


Celso Pitta, passando por diversas interrupções. As obras foram retomadas em
2005, quando teve o projeto modificado pelo Secretaria Municipal de
Transportes. Até a inauguração foram investidos R$ 1,2 bilhão.

Em abril, o Corredor Expresso Tiradentes operava com 15 articulados Mercedes


Benz chassi 0 500 UA piso baixo “low-entry” com carrocerias Caio Mondego e
Millenium fabricados em 2006, com capacidade para 150 passageiros, além de
10 ônibus híbridos Eletra / Marcopolo Gran Viale, com piso baixo e ar-
condicionado, fabricados em 2004, com capacidade para 90 passageiros.
Em setembro, após a aprovação da prefeitura, é lançado o serviço de transporte
coletivo contratado Usebus, com o itinerário definido pela demanda dos usuários.
O serviço, uma união de 18 empresas, contava com frota inicial de 20 ônibus
rodoviários, com poltronas reclináveis, ar-condicionado, som ambiente, tv e dvd. O
custo mensal por usuário variava entre 260 e 290 reais.

No dia 18 de outubro, através do Decreto “D”, publicado no Diário Oficial do


Município, a Secretaria Municipal de Transportes renova até 31 de março de
2008 a permissão para os táxis usarem 9 corredores de ônibus de São Paulo, e
também para os automóveis nos finais de semana, feriados e na madrugada,
sendo no peírodo das 15h de sábado às 4h de segunda-feira nos finais de
semana, e nos feriados, da 0h às 4h do dia seguinte. A autorização para o uso
de corredores em períodos ociosos foi determinada pela primeira vez em 15 de
agosto de 2005. A medida inclui os seguintes corredores:

− Pirituba / Lapa / Centro


− Inajar /Rio Branco / Centro
− Campo Limpo / Rebouças / Centro
− Santo Amaro / Nove de Julho / Centro
− Jardim Ângela / Guarapiranga / Santo Amaro
− Capelinha / Ibirapuera / Centro
− Parelheiros / Rio Bonito / Santo Amaro
− Itapecerica / João Dias / Centro
− Paes de Barros

2008
Previsão de início da construção do corredor Tucuruvi – Guarulhos, com
investimento previsto de 413 milhões de reais e término das obras para 2010. O
corredor está inserido no projeto do Anel Metropolitano, interligando Guarulhos ao
correder São Mateus – Jabaquara no ABC.

No dia 29 de janeiro, início da operação da linha Expresso Celso Garcia,


ligando os terminais Aricanduva, A.E.Carvalho e Penha diretamente ao Parque
Dom Pedro II.
2009
No dia 11 de março, inauguração das estações Alberto Lion e Dionópolis do
Expresso Tiradentes, em novo trecho com cerca de 2 km de extensão. O Expresso
Tiradentes, quando inaugurado em 2007, transportava cerca de 29 mil pessoas
por dia, passando para uma média de 53 mil usuários em março de 2009. O
Expresso Tiradentes funcionava das 4h às 0h05, contava, até então, com 8,5
quilômetros de extensão, cinco estações, e dois terminais. Entre as estações, uma
fazia integração com o Metrô Pq. Dom Pedro II (linha 3 - Vermelha) e outra com a
estação Ipiranga da CPTM (linha 10 - Turquesa). Nos terminais Mercado, no
centro, e Sacomã, na zona sul, os usuários têm acesso a linhas municipais e
metropolitanas. Tanto as estações quanto os terminais contavam com bicicletário.

No dia 20 de março, a EMTU/SP abre o processo de licitação para contratação


de empresa especializada responsável pela elaboração dos projetos executivos e
pela execução de obras de construção do corredor Diadema – São Paulo
(Brooklin). O traçado do Corredor Diadema – São Paulo (Brooklin), com 12
quilômetros de extensão, inicia no Terminal Metropolitano Diadema e inclui a
Avenida Pres. Kennedy, no município de Diadema, além das Avenidas Cupecê,
Ver. João de Luca, Prof. Vicente Rao e Roque Petroni Jr, em São Paulo, até a futura
Estação de Transferência Morumbi, permitindo a conexão com a Estação Morumbi
da Linha 9 – Esmeralda da CPTM. Esta ligação é operada, desde 2000, pela
Concessionária Metra com micro-ônibus até as Estações Morumbi e Brooklin da
CPTM. Também serão construídas as Estações de Transferência Jardim Miriam,
Washington Luis, Vereador José Diniz, Santo Amaro e Morumbi, além de
intervenções no Terminal Metropolitano Diadema para adequação do acesso de
entrada e saída dos veículos e preparação da plataforma de embarque.

Fontes:
CMTC, "Próxima Parada o Futuro", 1993
Anuário Estatístico do Estado de São Paulo
Diário de São Paulo
Portal Webtranspo
General Motors do Brasil. Revista Auto Viação. 1947 setembro.
[2] São Paulo. Prefeitura Municipal. A Evolução dos Transportes em São Paulo. 1985

Volta - Home
Marcelo Almirante 2007
Memória do Transporte Público - www.rota.notlong.com