Você está na página 1de 1

ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO EM SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA

(SESA/PR, 2014)
Caso B
Identificação Roberto, 38 anos de idade, casado, eletricista, natural de Salvador, BA.
Queixa atual Sintomas depressivos, fóbicos, panicosos, obsessivo-compulsivos e
hipocondríacos (sic). Há cerca de dezoito anos tem pensamentos obsessivos. De
fato, ao exame, observa-se um usuário ansioso, com ideias obsessivas de
agressão, além de ideias de poder estar doente (o tempo todo, verifica com a
mão sua temperatura corporal), com humor visivelmente depressivo. Não
apresenta alterações do conteúdo do pensamento, o qual se mostra organizado,
porém rapidamente acelerado (observa-se certa pressão por falar). Não apresenta
alucinações. Juízo de realidade preservado e observa-se que está estável no
trabalho e no casamento.
Antecedentes Referiu na primeira consulta que vinha sofrendo desde os 20 anos de idade com
pensamentos que diziam respeito a relações sexuais com a mãe e agressão ao
pai. Relata que subitamente, “no dia 04/09/1996, às 21:30 h”, veio-lhe à cabeça
um pensamento obsessivo intenso que teria de matar o seu genitor. Refere que
para lidar com os seus pensamentos, resolvia se trancar no quarto e passar o dia
rezando. Não podia dizer o que se passava com ele aos pais porque tinha medo
do que eles poderiam pensar. Receava, também, perder o controle da situação e
pensava que poderia fazer o que os seus pensamentos sugeriam. Demorou cerca
de oito anos para procurar ajuda médica e, quando o fez, referiu não ter logrado
êxito. Tentou psicoterapia inicialmente e ficou mais de um ano em vão nesse
tratamento, pois o psicoterapeuta chegou a lhe dizer que “se pensasse naquelas
coisas, elas acabariam acontecendo mesmo”. Desesperou-se e nunca mais quis
fazer psicoterapia. Procurou outro médico. Foi-lhe prescrito antidepressivo, que
só conseguia usar em doses baixas devido aos efeitos colaterais. Teve uma
melhora pequena, porém não satisfatória, e antes de completar um ano de uso
da medicação, interrompeu-o.

Pontuação total:
Estratificação: ( ) Baixo Risco ( ) Médio Risco ( ) Alto Risco

Você também pode gostar