Você está na página 1de 132

A I G R E J A D E J E S U S C R I S TO D O S S A N TO S D O S Ú LT I M O S D I A S ■ JULHO DE 2002

A LIAHONA
A Milenar Lion House, por Grant Romney Clawson
Construída em 1856, em Salt Lake City, a Lion House recebeu esse nome em homenagem ao Presidente Brigham Young —
conhecido carinhosamente como “O Leão do Senhor”. O título foi-lhe atribuído depois de um sermão particularmente vigoroso em
Nauvoo; o Élder Wilford Woodruff observou em seu diário: “O leão rugiu novamente esta noite”.
A I G R E J A D E J E S U S C R I S TO D O S S A N TO S D O S Ú LT I M O S D I A S ■ JULHO DE 2002

A LIAHONA
2 Sumário para a Conferência Geral de 24 Relatório do Departamento 77 Sair da Escuridão para Sua
Abril de 2002 e a Reunião Geral das de Auditoria da Igreja Maravilhosa Luz
Moças Wesley L. Jones Élder Robert D. Hales
25 Relatório Estatístico da Igreja de 2001 80 Andamos pela Fé
SESSÃO DA MANHÃ DE SÁBADO
F. Michael Watson Presidente Gordon B. Hinckley
4 A Igreja Segue em Frente
26 A Conversão Plena Traz Felicidade
Presidente Gordon B. Hinckley SESSÃO DA TARDE DE DOMINGO
Élder Richard G. Scott
7 Crianças 83 Que Firme [É o Nosso] Alicerce
29 Verdadeiros Amigos
Presidente Boyd K. Packer Élder Russell M. Nelson
Élder Henry B. Eyring
10 A Lei do Dízimo 87 Vida Eterna por Intermédio de Jesus
32 Obediência e Fé
Élder Earl C. Tingey Cristo
Élder R. Conrad Schultz
13 Desenvolver a Força Interior Élder John M. Madsen
34 Dispostos a Aprender
Mary Ellen W. Smoot 89 Alguns Ensinamentos Básicos
Élder Robert R. Steuer
15 “Vinde após Mim” Extraídos da História de Joseph Smith
36 O Evangelho em Nossa Vida Élder Carlos H. Amado
Élder Joseph B. Wirthlin
Élder Dallin H. Oaks
19 Cunhas Ocultas 91 Caridade: O Amor Perfeito e Eterno
39 Consagrar a Vossa Ação Élder Gene R. Cook
Presidente Thomas S. Monson
Élder Neal A. Maxwell
94 Sentir o Amor do Senhor
SESSÃO DA TARDE DE SÁBADO Bonnie D. Parkin
SESSÃO DO SACERDÓCIO
23 Apoio às Autoridades da Igreja 95 A Oportunidade de Servir
42 Tornar-nos Homens em Quem Haja
Presidente Thomas S. Monson Élder Gerald N. Lund
o Espírito de Deus
Élder L. Tom Perry 97 Aonde Mandares, Irei
46 Esta Estrada a Que Chamamos Vida Élder William R. Walker
Élder Ben B. Banks 98 As Coisas Pacíficas do Reino
48 Tornar-nos um Grande Benefício Élder M. Russell Ballard
para Nossos Semelhantes 101 Voltamo-nos para Cristo
Élder Spencer J. Condie Presidente Gordon B. Hinckley
51 Isso Não Pode Acontecer Comigo
REUNIÃO GERAL DAS MOÇAS
Presidente James E. Faust
103 Permanecer em Lugares Santos
54 Eles Oram e Vão em Frente
Sharon G. Larsen
Presidente Thomas S. Monson
105 Fortalecer o Lar e a Família
58 Dignidade Pessoal para Exercer o
Carol B. Thomas
Sacerdócio
Presidente Gordon B. Hinckley 108 Levantem a Tocha Bem Alto
Margaret D. Nadauld
SESSÃO DA MANHÃ DE DOMINGO 111 O Caminho da Perfeição
62 A Oração como Corda Salva-Vidas Presidente Thomas S. Monson
Presidente James E. Faust
69 O Outro Filho Pródigo .............................
Élder Jeffrey R. Holland 64 As Autoridades Gerais de A Igreja de
72 Para o Teu Bem Jesus Cristo dos Santos dos Últimos
Bispo Richard C. Edgley Dias
74 O Idioma do Amor 115 Eles Falaram para Nós
Gayle M. Clegg 116 A Presidência das Auxiliares
116 Guia de Recursos
122 Notícias da Igreja
ÍNDICE POR ASSUNTO Luz 77, 80
Abuso 58 Luz de Cristo 77, 98
Adversidade 72 Meditação 89
Amizade 29 Metas 46
Amor 7, 29, 69, 74, 91 Obediência 10, 32, 34, 36
Aprendizado 111 Obra Missionária 54
Arrependimento 26 Oração 54, 62, 74, 80, 89, 105
Autodisciplina 51 Ordenanças do Templo 83
Bênçãos 10, 54 Orgulho 32
Bondade 58 Padrões 108
Caridade 91 Paz 98
Cobiça, 69 Perdão 19, 98
Comprometimento 39, 97 Plano de Salvação 72, 83
Consagração 39 Potencial 51
Conversão 26 Preparação 48
ORADORES EM ORDEM ALFABÉTICA Crescimento da Igreja 4 Profetas 42, 95
Amado, Carlos H. 89 Crianças 7, 74 Proteção 7
Ballard, M. Russell 98 Cunhas 19 Recato 108
Banks, Ben B. 46 Dignidade 58 Reconciliação 19
Clegg, Gayle M. 74 Disciplina 111 Retidão 108
Condie, Spencer J. 48 Discipulado 15, 111 Reverência 103
Cook, Gene R. 91 Disposição para aprender 34 Sacerdócio 42, 58
Edgley, Richard C. 72 Dízimo 10, 80 Sacrifício 15, 105
Eyring, Henry B. 29 Engano 32 Santidade 103
Faust, James E. 51, 62 Ensino 7 Serviço 13, 36, 48, 69, 95
Hales, Robert D. 77 Escolhas 46 Sociedade de Socorro 13, 94
Hinckley, Gordon B. 4, 58, 80, 101 Escrituras 89 Submissão 39, 95
Holland, Jeffrey R. 69 Escuridão 77 Tentação 15, 51
Larsen, Sharon G. 103 Espírito Santo 29, 34, 42, 46, 77, 103 Testemunho 10, 87, 94, 97, 101
Lund, Gerald N. 95 Exemplo 29, 42, 108 Trabalho 111
Madsen, John M. 87 Expiação 72, 83 União 13
Maxwell, Neal A. 39 Família 62, 105 Verdade 83, 89
Monson, Thomas S. 19, 23, 54, 111 Fé 26, 32, 48, 51, 54, 62, 72, 80, 101 Vida Eterna 87
Nadauld, Margaret D. 108 Felicidade 26, 46, 74, 111
Nelson, Russell M. 83 Força 13
Oaks, Dallin H. 36 Freqüência, Igreja 36, 89
Packer, Boyd K. 7 Fundo Perpétuo de Educação 4
Parkin, Bonnie D. 94 Generosidade 69
Perry, L. Tom 42 Gratidão 91, 94, 111
Schultz, R. Conrad 32 História, Igreja 4
Scott, Richard G. 26 Hospitalidade 4
Smoot, Mary Ellen W. 13 Humildade 34
Steuer, Robert R. 34 Inveja 69
Thomas, Carol B. 105 Jesus Cristo 15, 36, 62, 77, 87, 98,
Tingey, Earl C. 10 101
Walker, William R. 97 Joseph Smith 89
Wirthlin, Joseph B. 15 Lar 105
Lugares Santos 103

A L I A H O N A
2
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Julho de 2002, Vol. 55, Nº 7
A LIAHONA, 22987-059
Publicação oficial em português de A Igreja de
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
A Primeira Presidência: Gordon B. Hinckley,
Thomas S. Monson, James E. Faust
Quórum dos Doze: Boyd K. Packer, L. Tom Perry,
David B. Haight, Neal A. Maxwell, Russell M. Nelson,
Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard, Joseph B. Wirthlin,
Richard G. Scott, Robert D. Hales, Jeffrey R. Holland,
Henry B. Eyring
Editor: Dennis B. Neuenschwander
Consultores: J. Kent Jolley, W. Rolfe Kerr,
Stephen A. West
Administradores do Departamento de Currículo:
Diretor Gerente: Ronald L. Knighton
Diretor Editorial: Richard M. Romney
Diretor Gráfico: Allan R. Loyborg
Equipe Editorial:
Editor Gerente: Marvin K. Gardner
Editora Administrativa Assistente: Jenifer L. Greenwood
Editor Associado: Roger Terry
Editora Assistente: Lisa Ann Jackson
Editor Associado: Susan Barrett
Assistente de Publicações: Collette Nebeker Aune
Equipe de Diagramação:
Gerente Gráfico da Revista: M. M. Kawasaki
Diretor de Arte: Scott Van Kampen
Diagramador Sênior: Sharri Cook
Diagramadores: Thomas S. Child, Randall J. Pixton
Gerente de Produção: Jane Ann Peters
Produção: Reginald J. Christensen, Denise Kirby,
Kelli Pratt, Rolland F. Sparks, Kari A. Todd,
Claudia E. Warner
Pré-Impressão Digital: Jeff Martin
Equipe de Impressão e Distribuição:
Diretor: Kay W. Briggs
Gerente de Distribuição (Assinaturas): Kris T Christensen
A Liahona:
Diretor Responsável e Produção Gráfica:
Dario Mingorance
Editor: Luiz Alberto A. Silva (Reg. 17.605)
Tradução e Notícias Locais: Wilson Roberto Gomes
Assinaturas: Cezare Malaspina Jr.
REGISTRO: Está assentado no cadastro da DIVISÃO DE
CENSURA DE DIVERSÕES PÚBLICAS, do D.P.F., sob nº
1151-P209/73 de acordo com as normas em vigor. GRAVAÇÃO DA CONFERÊNCIA um dos discursos que melhor se adapte
ASSINATURAS: Toda correspondência sobre assinaturas
deverá ser endereçada a: Departamento de Assinaturas A gravação das sessões da conferência às necessidades daqueles a quem é feita
de A Liahona Caixa Postal 26023, CEP 05599-970 –
São Paulo, SP. Preço da assinatura anual para o Brasil: estará à disposição em diversos idiomas a visita.
R$ 18,00. Preço do exemplar em nossa agência:
R$ 1,80. Para Portugal – Centro de Distribuição nos centros de distribuição, geralmente
Portugal, Rua Ferreira de Castro, 10 – Miratejo, dois meses após a conferência. Ver nesta NA CAPA
Corroios 28 55238. Assinatura Anual: 10 Euros. Para o
exterior: Exemplar avulso: US$ 3.00; Assinatura: US$ edição, página 126, mais informações Primeira Capa: Fotografia por Craig
30.00.
As mudanças de endereço devem ser comunicadas sobre os DVDs da conferência geral. Dimond. Última Capa: Fotografia por
indicando-se o endereço antigo e o novo.
Envie manuscritos e perguntas para: Jed Clark.
Liahona, Floor 24, 50 East North Temple, Salt Lake City, DISCURSOS DA CONFERÊNCIA NA
UT 84150-3223, USA. Ou envie um e-mail para:
cur-liahona-imag@ldschurch.org INTERNET FOTOGRAFIAS DA CONFERÊNCIA
A “Liahona” (um termo do Livro de Mórmon que
significa “bússola” ou “orientador”) é publicada em Para acessar os discursos da conferên- As fotografias foram tiradas por Craig
albanês, alemão, armênio, búlgaro, cambojano,
cebuano, chinês, coreano, croata, dinamarquês, cia geral pela Internet em vários idio- Dimond, Jed Clark, Kelly Larsen, Ellie
esloveno, espanhol, estoniano, fijiano, finlandês, mas, visite o site www.lds.org Carter, Robert Casey, Tamra Ratieta,
francês, haitiano, hiligaynon, húngaro, holandês,
ilokano, indonésio, inglês, islandês, italiano, japonês,
letão, lituano, malgaxe, marshallês, mongol, norueguês,
Allexis Duce, Mark Hedengren, Richard
polonês, português, quiribati, romeno, russo, samoano, MENSAGENS PARA MESTRES FAMILIA- Romney, Arnie Angle, e Casey McFarland.
sueco, tagalo, tailandês, taitiano, tâmil, tcheco, télugo,
tonganês, ucraniano e vietnamita. (A periodicidade RES E PROFESSORAS VISITANTES
varia de uma língua para outra.)
© 2002 por Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos
Para as mensagens de mestres fami-
reservados. Impressa nos Estados Unidos da América. liares e professoras visitantes, escolha
For readers in the United States and Canada:
July 2002 Vol. 55 No. 7. A LIAHONA (USPS
311-480) Portuguese (ISSN 1044-3347) is published
monthly by The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints,
50 East North Temple, Salt Lake City, UT 84150. USA
subscription price is $10.00 per year; Canada, $15.50
plus applicable taxes. Periodicals Postage Paid at Salt Lake
City, Utah, and at additional mailing offices. Sixty days’ notice
required for change of address. Include address label from
a recent issue; old and new address must be included.
Send USA and Canadian subscriptions to Salt Lake
Distribution Center at address below. Subscription
help line: 1-800-537-5971. Credit card orders (Visa,
MasterCard, American Express) may be taken by phone.
(Canada Poste Information: Publication Agreement
#40017431)
POSTMASTER: Send address changes to Salt Lake
Distribution Center, Church Magazines, PO Box 26368,
Salt Lake City, UT 84126-0368.

J U L H O D E 2 0 0 2
3
Sessão da Manhã de Sábado
6 de Abril 2002

A Igreja Segue
Em Frente
Presidente Gordon B. Hinckley

Nenhuma outra igreja originária dos Estados Unidos cresceu tão


rápido ou espalhou-se por tantos lugares. (. . .) É um fenômeno
sem precedentes.
Mas todas essas terríveis dificulda-
des resultaram em algo glorioso.
Hoje chegamos ao ápice e vejam o
quanto realizamos.
Daqueles primeiros seis membros
surgiu uma enorme família com
mais de 11 milhões de fiéis. Daquele
sossegado vilarejo cresceu um movi-
mento que hoje está espalhado por
cerca de 160 nações da Terra. A
Igreja tornou- se a quinta maior
igreja dos Estados Unidos. Trata-se
de um desenvolvimento excepcio-
nal. Há mais membros da Igreja fora
dos Estados Unidos do que aqui
dentro. Isso também é algo notável.
Nenhuma outra igreja originária dos
Estados Unidos cresceu tão rápido

A mados irmãos e irmãs, é


maravilhoso reunir-me com
vocês de novo numa gran-
diosa conferência mundial da Igreja.
Há exatos cento e setenta e dois
ou espalhou-se por tantos lugares.
No seio da Igreja, há membros de
várias nações e falantes dos mais
diversos idiomas. É um fenômeno
sem precedentes. Com o passar do
A sede da Igreja está situada
nesta cidade que recentemente
sediou a 19ª edição das Olimpíadas
anos, Joseph Smith e seus compa- tempo, um esplêndido quadro tem- de Inverno. De modo consciente,
nheiros reuniram-se na singela casa se descortinado diante de nossos tomamos a decisão de não usar essa
de madeira da fazenda de Peter olhos. Sua mais bela expressão con- ocasião para fazer proselitismo, mas
Whitmer na pacata cidadezinha de siste na vida de um povo feliz e estávamos confiantes de que desse
Fayette, Nova York, e organizaram a admirável. E o futuro inspira pro- evento significativo colheríamos
Igreja de Cristo. messas igualmente prodigiosas. excelentes frutos para a Igreja. Os
A partir desse início modesto, Logo que nosso povo chegou a belos prédios que temos aqui — o
aconteceu algo verdadeiramente este vale há 155 anos, eles antevi- Templo, o Tabernáculo, este magní-
extraordinário. A história desta obra ram com espírito de profecia um fico Centro de Conferências, o
tem sido admirável. Nosso povo futuro brilhante. Mas às vezes me Edifício Memorial Joseph Smith, as
suportou toda sorte de sofrimento. pergunto se eles realmente percebe- instalações de História da Família, o
Seus sacrifícios são indescritíveis. Seu ram a magnitude desse sonho que Edifício Administrativo da Igreja, o
trabalho é imenso e inacreditável. viria a concretizar-se. Edifício dos Escritórios da Igreja, as
A L I A H O N A
4
O Coro do Tabernáculo proporcionou a música para a congregação que lotou completamente uma das sessões
da 172ª Conferência Geral Anual.

instalações de Bem-Estar, além das enorme vantagem, algo raramente sua melhor forma, mas encantaram-
centenas de capelas deste vale — encontrado em qualquer outro lugar. se também com a beleza desta
não podiam ser ignorados por quem Tudo correu muito bem. Os visi- cidade. Foram recebidos por pessoas
andasse pelas ruas desta cidade e tantes vieram às centenas de milha- gentis, prestativas e ansiosas por
das localidades vizinhas. Como o res. Alguns vieram desconfiados e ajudá-los. Não estou insinuando que
apresentador Mike Wallace me disse hesitantes, com a mente ainda tal hospitalidade foi exclusividade
certa vez: “Esses prédios passam a repleta de idéias ultrapassadas e dos membros da Igreja. A comuni-
idéia de algo sólido”. errôneas. Vieram achando que pode- dade como um todo se uniu numa
E, além disso, confiávamos total- riam ser enredados em situações formidável expressão de hospitali-
mente em nosso povo e sabíamos que indesejáveis por fanáticos religiosos. dade. Mas tudo isso resultou em
milhares deles serviriam como volun- No entanto, acharam algo que algo maravilhoso para a Igreja. A
tários nesse espetacular evento. Eles jamais esperavam. Descobriram não imprensa, tantas vezes difícil e
seriam responsáveis, agradáveis, bem só a beleza natural desta região, com pouco favorável, com raras exceções
informados e prestativos. A peculiar suas montanhas e vales magníficos; falou e escreveu usando termos elo-
capacidade de nosso povo de falar as descobriram não só o maravilhoso giosos e que descreviam de modo
línguas do mundo se mostraria uma espírito dos jogos internacionais em fidedigno a cultura peculiar aqui
J U L H O D E 2 0 0 2
5
existente, as pessoas que eles conhe- Ele citou mais algumas estatísti- para o norte e para o sul e edificare-
ceram e com quem trabalharam e o cas: o estado conta com seis compa- mos vilas e cidades às centenas, e
espírito de hospitalidade que sentiram. nhias de dança; são vendidos mais milhares de santos se unirão a nós,
A televisão veiculou imagens pianos e harpas em Utah do que em vindos de diversas nações da Terra.
nossas para bilhões de pessoas em qualquer outra parte dos Estados Este local se tornará um grande
todo o mundo. Jornais e revistas Unidos; o Coro do Tabernáculo ponto de encontro das nações. Reis
publicaram inúmeros artigos. Mórmon tem [360] integrantes; e a e imperadores e os nobres e sábios
Dezenas de milhares de pessoas loja mais velha de pianos Steinway da Terra virão visitar-nos aqui”.
andaram pela Praça do Templo, admi- de Utah (. . .) começou seus negó- (Brigham Young: The Man and His
raram a majestosa Casa do Senhor, cios já em 1862. Em Utah, os gastos Work [1936], Preston Nibley, p. 128)
sentaram-se no Tabernáculo e ouvi- per capita com os alunos estão entre Testemunhamos o cumprimento
ram a incomparável música do coro. os mais baixos; contudo, seu rendi- dessa profecia recentemente. Nem
Outras milhares lotaram este notável mento nos exames é excelente. ‘Tem preciso dizer que estou muito feliz
Centro de Conferências para assistir à sido uma experiência fascinante com os acontecimentos. Esses visi-
fabulosa produção que trata da Igreja aprender sobre esta cultura’.” tantes tiveram uma amostra da cul-
e sua missão internacional. Outras A escritora Georgie Geyer con- tura peculiar desta comunidade.
milhares visitaram o Centro de cluiu seu artigo da seguinte forma: “É Cremos que essa cultura mereça ser
História da Família. Cedemos espaço simplesmente a mistura de uma reli- preservada. Dou meus parabéns e
à imprensa no Edifício Memorial gião séria e respeitável e de famílias agradecimentos a nosso povo, que
Joseph Smith. Fomos entrevistados que fazem questão de promover os participou em tão grandes números
por correspondentes de televisão, mais elevados graus de cultura com a e com tanta boa vontade. Estendo
rádio e da mídia impressa de diversas mais moderna tecnologia e um senso meus elogios e palavras de gratidão
partes dos Estados Unidos e de todo o de organização e governo em geral também a todos os outros que traba-
mundo. Fui informado de que quase sensato. Em poucas palavras, é uma lharam juntos para tornar esse
4.000 artigos sobre a Igreja foram mistura moderna do melhor da velha evento significativo e memorável.
difundidos apenas na imprensa alemã. América”. (“Salt Lake City and State Agora eu gostaria de tocar breve-
Georgie Anne Geyer, importante of Utah Reveal Themselves to the mente em outros assuntos.
escritora dos Estados Unidos, cuja World”, Salt Lake Tribune, 15 de feve- Ao falar sobre Brigham Young,
coluna é publicada em vários jornais, reiro de 2002, A15) lembrei-me do Fundo Perpétuo de
escreveu o seguinte: “Como é que Se tivéssemos tempo, eu poderia Educação que estabelecemos. Só faz
um estado predominantemente mór- ler muitos outros trechos de artigos um ano que falei sobre ele pela pri-
mon poderia fazer algo tão audacioso de jornalistas experientes de todo o meira vez em nossa conferência geral.
quanto sediar um evento internacio- mundo, que nos teceram grandes As contribuições que recebemos de
nal de tamanha envergadura? Será elogios. santos dos últimos dias generosos
que o mundo viria de bom grado a Houve coisas negativas? É claro garantem a solidez dessa nova
um estado cuja religião dominante que sim. Mas foram mínimas. empreitada. Precisaremos de ainda
orienta os membros a absterem-se de Tivemos entrevistas particulares mais, mas já ficou bem claro que os
álcool, fumo e até mesmo cafeína, com presidentes de países, embaixa- membros da Igreja estão dispostos a
três elementos sempre presentes em dores, dirigentes de empresas e de colaborar de muito boa vontade com
conferências internacionais?” outros ramos de atividade. essa iniciativa. Jovens de áreas pouco
Depois ela citou Raymond T. Em 1849, dois anos depois de favorecidas do mundo (rapazes e
Grant, diretor artístico do Festival nosso povo chegar aqui e depois da moças que em sua grande maioria são
de Artes das Olimpíadas. Ao descoberta de ouro na Califórnia, ex-missionários) terão condições de
comentar sobre a cerimônia de aber- muitos ficaram desanimados. Eles receber uma boa instrução, o que lhes
tura, ele disse: “ ‘Sabe, 98 por cento tinham-se empenhado para tirar o permitirá erguer-se dos níveis de
de todos os participantes são volun- sustento do solo árido. Gafanhotos pobreza nos quais viveram seus ante-
tários e isso é notável. De fato, a haviam devorado suas colheitas. Os passados ao longo de gerações. Eles se
maioria não ganhou nada para isso. invernos eram frios. Muitos pensa- casarão e seguirão seu caminho,
É algo extraordinário, e eu atribuiria ram em ir para a Califórnia a fim de detentores de habilidades que lhes
isso diretamente à cultura mórmon. enriquecer. O Presidente Young diri- permitirão ganhar bem e assumir sua
Eu, que fui criado católico em Nova giu-se a eles e instou-os a permane- posição na sociedade, onde poderão
York, achei interessante que cer. Ele prometeu: “Deus amenizará fazer uma contribuição significativa.
Brigham Young, o fundador da o clima, e construiremos uma cidade Da mesma forma, crescerão na Igreja,
colônia mórmon de Utah, tenha e um templo para o Deus Altíssimo ocupando cargos de responsabilidade
construído um teatro antes de qual- neste lugar. Expandiremos nossos e criando famílias que permanecerão
quer outro edifício’. povoamentos para o leste e o oeste, firmes na fé.
A L I A H O N A
6
Tenho tempo para ler apenas um
depoimento. É de um rapaz que foi
abençoado por esse programa.
“Como é maravilhoso saber que
Crianças
não preciso mais apenas sonhar com Presidente Boyd K. Packer
meus estudos ou meu futuro. O Presidente Interino do Quórum dos Doze Apóstolos
Senhor abriu as portas, e isso já é
realidade!
Atualmente, estou freqüentando
uma excelente escola técnica em meu
país, onde estudo para tornar-me téc- Existem na nossa crença e existem nos nossos ensinamentos
nico em informática. (. . .) Ao estudar, conselhos, mandamentos, e inclusive admoestações de que
estou descobrindo minhas habilidades.
A disciplina que desenvolvi na missão devemos proteger, amar, cuidar e “ensinar [os filhos] a andarem
ajuda-me a ter êxito. (. . .) Jamais um nos caminhos da verdade”.
rapaz se sentiu mais abençoado do que
eu. O Fundo Perpétuo de Educação Mais tarde, o menino voltou.
fortaleceu minha fé no Senhor Jesus Arrastou-se lentamente pelo canto da
Cristo. Agora, mais do que nunca, parede, olhando para o pão e depois
sinto a responsabilidade que o evange- para mim. Estava perto do lugar onde
lho me impõe: a de preparar-me para a mulher o veria novamente. Estendi
ser um melhor membro, um melhor os braços abertos e ele veio correndo.
líder e um melhor pai. (. . .) Coloquei-o no colo.
Minha querida mãe, que fez tan- Então, como num gesto simbó-
tos sacrifícios, fica tão emocionada lico, coloquei- o na cadeira do
que chora ao orar à noite, devido a Presidente Tuttle. Após a oração de
sua gratidão ao Senhor. (. . .) encerramento, para minha grande
Agora, visualizo minha cidade tristeza, o menino evadiu na escuri-
sendo abençoada por minha causa. dão da noite.
Vislumbro a Igreja com líderes que Ao voltar para casa, contei ao
têm estabilidade financeira e que Presidente Spencer W. Kimball sobre
podem apoiar a obra do Senhor com ele. Ficou sensibilizado e falou sobre
todo o poder, mente e força. Vejo a isso num discurso de conferência. Ele
Igreja prosperar. Anseio por iniciar contou esse fato para as pessoas e
minha própria família e ensinar-lhes
que podemos ser auto-suficientes.
Assim, preciso terminar meus estu-
dos. Então, a fim de ajudar meus
irmãos, devolverei dentro de pouco
H á muitos anos, em Cuzco,
no alto da Cordilheira dos
Andes, no Peru, o Élder A.
Theodore Tuttle e eu realizamos
uma reunião sacramental numa sala
disse-me mais de uma vez: “Essa
experiência tem um significado
muito maior do que você imagina”.
Jamais esqueci aquele órfão de rua.
Muitas vezes, na América do Sul,
tempo a quantia que me foi empres- longa e bem estreita, com uma porta procurei por ele no rosto das pessoas.
tada. (. . .) Sou grato pela misericór- que dava para a rua. Era noite e Quando me lembro dele, lembro-me
dia do Salvador. Ele verdadeiramente fazia muito frio. de outras crianças como ele.
nos sustém com Seu amor.” Enquanto o Élder Tuttle falava, um Depois da Segunda Guerra
E há muitos outros casos, irmãos menino, de talvez seis anos de idade, Mundial, numa noite fria, em uma
e irmãs. Com o avanço desta obra apareceu na porta. Ele usava apenas estação de trem no sul do Japão, ouvi
grandiosa pelo mundo, já estamos uma camisa rota que ia até o joelho. alguém bater na janela do trem. Lá
abençoando mais de 2.400 pessoas. À nossa esquerda, havia uma estava um menino usando a mesma
E muitas outras ainda serão mesinha com um prato de pães para camisa rota, um trapo amarrado em
abençoadas. o sacramento. Esse menino de rua volta do queixo inchado, a cabeça
Que o Senhor abençoe vocês e órfão viu o pão, e arrastou-se vaga- coberta de escaras. Ele segurava uma
cada um de nós ao rejubilarmo-nos rosamente pelo canto da parede em lata velha e uma colher, o símbolo de
na oportunidade de participar desta sua direção. Estava quase na mesa um mendigo órfão. Ao tentar abrir a
causa extraordinária nesta época quando uma mulher sentada numa porta para dar-lhe dinheiro, o trem
gloriosa da obra do Senhor. É minha das fileiras o viu. Com um movi- partiu. Nunca esquecerei daquele
humilde oração. Em nome de Jesus mento brusco da cabeça, ela o garoto faminto, naquele frio, segu-
Cristo. Amém.  expulsou. Senti-me frustrado. rando sua lata vazia.
J U L H O D E 2 0 0 2
7
Havia um menino, de aproxima- muito em Jenny, seus irmãos coloca- que as criancinhas necessitam de
damente sete anos, internado em vam o braço ao redor dela, prote- batismo, está no fel da amargura e
um hospital de uma escola pública gendo -a. A mãe então falou do nos laços da iniqüidade; porque não
para índios. Ele estava com febre e amor e da enorme alegria que Jenny tem fé nem esperança nem cari-
coriza. Abri um embrulho que sua trazia para a família. dade; portanto, se morrer com esse
mãe trouxera da reserva, a quilôme- Aqueles pais aprenderam que pensamento, deverá ir para o
tros de distância dali. Amarrados “após muita tribulação (. . .) vem a inferno. (. . .)
numa caixa de papelão, com um bênção”. (D&C 103:12) Percebi Eis que falo ousadamente, tendo
adesivo que certamente conseguira que se uniram mais diante da adver- autoridade de Deus“. (Morôni 8:14,
no posto de trocas, estavam alguns sidade e refinaram-se como puro 16)
pães fritos (guloseimas típicas dos ouro — tornando-se verdadeiros Somente quando uma criança
índios Navajo), e alguns pedaços de santos dos últimos dias. atinge a idade da responsabilidade,
carne de carneiro — um presente de Eles disseram-nos que Jenny cos- estabelecida pelo Senhor como os
Natal para o filho. tuma adotar alguns pais. Assim, oito anos (ver D&C 68:27), seu
Vi recentemente, numa reporta- quando apertei sua mão, disse-lhe: batismo torna-se necessário. Antes
gem de televisão, uma fila de refugia- “Sou o vovô”. disso, elas são inocentes.
dos, longa e bem familiar. Com eles, Ela olhou para cima e disse: “É, Não se deve ignorar ou negligen-
como de costume, havia crianças car- eu já sabia!” ciar as crianças. Não se deve, em
regando crianças. Uma delas estava Nada existe nas escrituras, nada hipótese alguma, abusar delas ou
sentada em cima de um pacote carre- existe nas nossas publicações, nada molestá-las. As crianças não devem
gado pela mãe. À medida que anda- existe em nossa crença ou ensina- ser abandonadas ou colocadas de
vam silenciosa e vagarosamente, ela mentos que permita ou autorize os lado por causa do divórcio. Os pais
olhava para a câmera. Aquele rosti- pais ou qualquer outra pessoa negli- são responsáveis por sustentá-las.
nho negro, miúdo e grave, e aqueles genciar, abusar ou molestar os pró- O Senhor disse: “Todos os filhos
grandes olhos negros pareciam per- prios filhos ou os de outras pessoas. têm o direito de receber de seus pais
guntar: Por quê? Existem nas escrituras, existem o seu sustento até alcançarem a
As crianças reúnem em si o pas- nas nossas publicações, existem na maioridade”. (D&C 83:4)
sado, o presente e o futuro. Elas são nossa crença e existem nos nossos Devemos cuidar de suas necessi-
muito preciosas. Toda vez que nasce ensinamentos conselhos, manda- dades físicas, espirituais e emocio-
uma criança, o mundo se renova em mentos, e inclusive admoestações nais. O Livro de Mórmon ensina: “E
inocência. de que devemos proteger, amar, cui- não permitireis que vossos filhos
Penso constantemente nas crian- dar e “ensinar [os filhos] a andarem andem famintos ou desnudos; nem
ças e jovens e nos seus pais e oro nos caminhos da verdade”. (Mosias permitireis que transgridam as leis
por eles. 4:15) Seduzi-las é algo inconcebível. de Deus e briguem e disputem entre
Recentemente, assistimos a uma Dentre as advertências mais for- si e sirvam ao diabo, que é o mestre
reunião sacramental apresentada tes e as penalidades mais severas do pecado, ou seja, que é o espírito
por crianças com necessidades espe- contidas nas revelações estão as rela- mau de quem nossos pais falaram,
ciais. Cada uma delas tinha algum cionadas a crianças pequenas. Jesus sendo ele inimigo de toda retidão”.
tipo de deficiência, fosse de audição, disse: “Mas, qualquer que escandali- (Mosias 4:14)
de visão ou deficiência mental. Ao zar um destes pequeninos, que Nada se compara ao pai que é
lado de cada uma delas havia um crêem em mim, melhor lhe fora que responsável e que, dessa forma,
adolescente responsável por acom- se lhe pendurasse ao pescoço uma ensina os filhos com responsabili-
panhá-las. Elas cantaram e tocaram mó de azenha, e se submergisse na dade. Nada se compara à mãe que
música para nós. À nossa frente, na profundeza do mar”. (Mateus 18:6) está presente para confortá-los e
primeira fileira, havia uma menina Nos dias do profeta Mórmon, dar-lhes segurança. Amor, proteção
que fazia sinais para os que estavam algumas pessoas que não entendiam e carinho são de inestimável valor.
atrás de nós que não podiam ouvir. que as criancinhas são “inocentes O Senhor disse: “Eu, porém,
Jenny prestou um breve testemu- diante de Deus” (Mosias 3:21) e são ordenei que criásseis vossos filhos
nho. Depois, seus pais falaram. “vivas em Cristo” (Morôni 8:12), em luz e verdade”. (D&C 93:40)
Falaram da agonia profunda que queriam batizá-las. Mórmon disse Com muita freqüência, um dos
tiveram ao saber que sua filha que eles “[negavam] as misericór- pais é deixado sozinho para criar os
jamais teria uma vida normal. dias de Cristo e [desprezavam] a sua filhos. O Senhor tem Sua maneira
Falaram sobre as dificuldades inter- expiação e o poder de sua reden- de fortalecer aquele pai ou mãe a fim
mináveis do cotidiano, que se segui- ção”. (Morôni 8:20) de que cumpra, sozinho, com as res-
ram ao seu crescimento. Contaram Mórmon repreendeu-os seria- ponsabilidades que seriam dos dois
que, se alguém ria ou reparava mente, dizendo: “Aquele que pensa pais. Constitui-se um erro gravíssimo
A L I A H O N A
8
(A partir da esquerda) O Presidente Thomas S. Monson, Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência; o
Presidente Gordon B. Hinckley; e o Presidente James E. Faust, Segundo Conselheiro na Primeira Presidência,
aguardam o início de uma das sessões da conferência.

de qualquer um dos pais, abandonar disseram-nos que “[devemos] já meninos, e não os estorveis de vir a
deliberadamente os filhos. ser mestres [e ensinar] quais sejam mim; porque dos tais é o reino dos
Sempre penso em outro menino os primeiros rudimentos das pala- céus”. (Mateus 19:14)
que conhecemos numa formatura vras de Deus; [pois são] tais que Quando Seus discípulos pergun-
do Seminário, numa distante cidade necessitais de leite, e não de sólido taram que tipo de homens eles
da Argentina. Ele estava bem ves- mantimento. (. . .) deveriam ser, Jesus colocou um
tido e parecia bem nutrido. Mas o mantimento sólido é para menino no meio deles. (Ver Mateus
Os alunos vinham pelo corredor os perfeitos, os quais, em razão do 18:2–3.) A não ser que “[nos torne-
no meio das fileiras de cadeiras e costume, têm os sentidos exercita- mos] como uma criancinha, não
subiam no palanque. Havia três dos para discernir tanto o bem como [poderemos], de modo algum, her-
degraus bem altos. O menino não o mal“. (Hebreus 5:12, 14) dar o reino de Deus”. (3 Néfi 11:38)
conseguia subir porque suas pernas O Apóstolo Paulo escreveu: Tenho uma profunda preocupa-
eram muito curtas; ele era anão. “Com leite vos criei, e não com ção, em minha mente, coração e
Foi então que percebemos vindo carne, porque ainda não podíeis, alma, com as crianças e seus pais.
logo atrás dele, dois rapazes robustos nem tampouco ainda agora podeis”. Ao longo dos anos, tentei desco-
que subiram no primeiro degrau, um (I Coríntios 3:2) brir o que o Presidente Kimball que-
de cada lado, e levantaram aquele Em uma revelação dada em 1830, ria dizer quando me lembrava
menino elegantemente até o pódio. pouco antes de a Igreja ser organi- daquele menino de rua órfão de
Quando terminou a cerimônia, eles zada, o Senhor advertiu: “Porque Cuzco, e repetia: “Aquela experiên-
o ergueram novamente e saíram agora não podem tolerar carne, cia tem um significado muito maior
caminhando com ele. Eram seus devem receber leite; portanto não do que você imagina”. Um dia ele
amigos e zelavam por ele. Ele não deverão conhecer estas coisas, para acrescentou: “Você colocou o futuro
conseguia subir o primeiro degrau que não pereçam”. (D&C 19:22) de uma nação em seu colo”.
sem a ajuda deles para levantá-lo. Devemos ter cuidado a fim de Agora, no ano do meu 78º ani-
Aqueles que vêm à Igreja, vêm que não tornemos aquele primeiro versário, entendo o que o Presidente
como crianças, espiritualmente degrau alto demais ou que o projete- Kimball estava vendo; sei o que ele
falando. Precisam de alguém — mos para aqueles que têm pernas queria dizer. Aquele menino de
algum amigo — para erguê-los. compridas e fortes, deixando os Cuzco e o do Japão e as outras
Se projetarmos os degraus após o outros sem ninguém para erguê-los. crianças ao redor do mundo influen-
batismo para servirem apenas aos Quando alguns discípulos ciam profundamente meus pensa-
que têm pernas compridas e fortes, repreenderam os que levavam as mentos, meus sentimentos e minhas
estaremos ignorando o que o Senhor criancinhas a Jesus, Ele disse: orações mais fervorosas. Penso cons-
disse nas revelações. Os profetas “Deixai (que significa permitir) os tantemente nas crianças e nos seus
J U L H O D E 2 0 0 2
9
pais que lutam para criá-los numa
época cada vez mais perigosa.
Assim como meus Irmãos, viajei
pelo mundo inteiro. Também ocupei
A Lei do Dízimo
cargos de confiança na área da edu- Élder Earl C. Tingey
cação, nos negócios, no governo e Da Presidência dos Setenta
na Igreja. Escrevi livros e, como
meus irmãos, também recebi honras,
graus, diplomas e placas. Tais honras
são concedidas devido às posições
que ocupamos ou nas quais servimos O Senhor estabeleceu a lei do dízimo como a lei de sustento de
e não têm mérito algum. Sua Igreja.(. . .) Trata-se também de uma lei pela qual mostramos
Avaliando o valor dessas coisas, a
única que mais prezo — mais do que nossa lealdade ao Senhor.
todas essas juntas — o que tem
maior valor para mim é a maneira meu pai se minha mesada de 25
como nossos filhos e filhas e seus res- centavos por hora poderia ser
pectivos cônjuges tratam seus filhos aumentada. Mas ao lembrar que o
e como, por sua vez, nossos netos cinema custava 20 centavos e um
tratam os menores. doce custava apenas 5 centavos,
No que diz respeito a compreen- hoje percebo que provavelmente eu
der nosso relacionamento com nosso recebia mais do que merecia.
Pai Celestial, as coisas que minha Ao folhear este diário de mais de
esposa e eu aprendemos como pais e 50 anos, percebo que em todas as
avós que foram mais significativas, semanas dos anos de 1944 e 1945,
aprendemos com nossos filhos. enquanto fiz anotações neste livro,
Essa bênção foi-me dada como paguei o dízimo de 10 por cento de
um presente da minha esposa. O minhas rendas a cada semana. Em
Senhor disse de mulheres como ela: dezembro de 1944, registrei que
“[Uma mulher é dada a um homem] havia pagado $12,35 de dízimo
para multiplicar e encher a Terra, de naquele ano, um dízimo integral.
acordo com meu mandamento, e Este diário foi onde aprendi a
para cumprir a promessa feita por pagar o dízimo.
meu Pai antes da fundação do
mundo e para sua exaltação nos
mundos eternos, a fim de gerar as
almas dos homens; pois nisso se per-
petua a obra de meu Pai, para que
N o Natal passado, recebi um
presente muito especial de
minha mãe. Ela havia guar-
dado cuidadosamente ao longo des-
ses muitos anos um livrinho que
Minha mulher e eu ensinamos a
nossos filhos a importância de sepa-
rarem o dízimo a cada semana
quando recebiam uma mesada ou
ganhavam dinheiro cuidando de
ele seja glorificado”. (D&C 132:63) ganhei de meus pais em 1944, crianças ou fazendo algum trabalho.
Com mulheres como minha quando tinha 10 anos de idade. Eles colocavam o dízimo numa cai-
esposa no papel de mães, percebe- Este é o livro. Trata-se de um diá- xinha. No domingo de jejum, entre-
mos por que o Senhor revelou “que rio no qual me ensinaram a registrar gavam o dízimo ao bispo. Também
grandes coisas sejam requeridas das minhas rendas e despesas semanais. aprenderam o valor do dinheiro eco-
mãos de seus pais”. (D&C 29:48) Por exemplo, meu registro da nomizando boa parte de suas rendas
Presto testemunho de que o semana de 29 de julho de 1944 para a missão e seus estudos.
evangelho é verdadeiro, e o poder indica que eu comecei a semana Nossos netos estão agora seguindo
dele deve ser usado para abençoar as com $24,05 dólares e ganhei mais um caminho semelhante.
criancinhas. Oro sinceramente para $7,00 trabalhando em nossa Ensinemos esse princípio a nossos
que as crianças, os jovens e os seus fazenda. Como despesas, gastei 5 filhos e certifiquemo-nos de que eles
pais recebam o dom do Espírito centavos para comprar doces, $3,45 nos vejam pagando o dízimo. O
Santo, que lhes será um guia e uma por uma compra, 20 centavos para o Presidente Joseph F. Smith disse:
proteção, que prestará o testemunho cinema e $2,37 em roupas. Também “Nossos filhos, assim que atingirem
em seu coração de que Jesus é o investi $20,00 em bônus de guerra e idade suficiente para ganharem algum
Cristo, o Filho de Deus, o Unigênito paguei 70 centavos de dízimo. dinheiro, devem ser ensinados a pagar
do Pai. Em nome de Jesus Cristo, Terminei a semana com $4,28 dóla- o dízimo, para que seu nome seja
amém.  res. Lembro-me de ter perguntado a escrito no livro da lei do Senhor”.1
A L I A H O N A
10
Quando eu estava na Primária,
aprendemos este poema:

O que é o dízimo?
Eu vou lhes contar.
Dez centavos para cada dólar
E um centavo para cada dez.

A doutrina do pagamento do
dízimo encontra- se em diversos
lugares nas escrituras. Abraão pagou
o dízimo a Melquisedeque. 2 Os
filhos de Israel foram ensinados a
levarem seus dízimos para o Senhor.3
Provavelmente a escritura mais
citada sobre o tema do dízimo no
Velho Testamento encontra-se em
Malaquias:
“Roubará o homem a Deus?
Todavia vós me roubais, e dizeis: Em
que te roubamos? Nos dízimos e nas
ofertas. (. . .)
Trazei todos os dízimos à casa do Membros e visitantes chegam ao Centro de Conferências para a sessão da
tesouro, para que haja mantimento conferência geral.
na minha casa, e depois fazei prova
de mim nisto, diz o Senhor dos Uma moeda de meio centavo é estradas nem edifícios. Apenas um
Exércitos, se eu não vos abrir as muito pequena. Era a menor moeda tranqüilo local do templo coberto de
janelas do céu, e não derramar sobre de bronze usada pelos judeus. Valia grama com quatro pedras de esquina
vós uma bênção tal até que não haja um sessenta e quatro avos de uma rodeadas por uma cerca modesta.
lugar suficiente para a recolherdes.” 4 moeda de prata romana. Em 1838, os santos foram expul-
O montante do dízimo que paga- Nesta dispensação, o Senhor esta- sos de Far West. Joseph Smith e
mos é o acerto mais perfeito e justo beleceu a lei do dízimo como a lei de outros líderes foram presos e levados
que conheço. Trata- se de um sustento de Sua Igreja. Sem ela, não para a cadeia de Liberty. Ali fica-
décimo de nossas rendas. Todos, poderíamos levar adiante os propósi- ram, sob as mais horríveis condições
desde o mais pobre ao mais rico, tos eternos do Senhor. Trata-se tam- que se possa imaginar, por seis
pagam a mesma porcentagem. bém de uma lei pela qual mostramos meses. Meus próprios antepassados
Cristo ensinou esse princípio na his- nossa lealdade ao Senhor e nos pro- sofreram imensamente em Far West
tória da oferta da viúva: vamos merecedores de privilégios, e quase perderam a vida.
“E, estando Jesus assentado ordenanças e bênçãos. Quando estive em Far West e
defronte da arca do tesouro, obser- Estive recentemente em Inde- fiquei imaginando como tinha sido,
vava a maneira como a multidão pendence, Missouri, e tive vontade abri minhas escrituras e li a seção
lançava o dinheiro na arca do de dirigir para o norte por uma hora, 119 de Doutrina e Convênios. Essa
tesouro; e muitos ricos deitavam até chegar a Far West. Os santos dos revelação foi dada por intermédio
muito. últimos dias fundaram Far West em do Profeta Joseph Smith em Far
Vindo, porém, uma pobre viúva, 1836, como um local de refúgio da West, em 8 de julho de 1838, em
deitou duas pequenas moedas, que perseguição. Far West tornou-se a meio a essas perseguições:
valiam meio centavo. capital do condado, estimando-se “E este será o início do dízimo de
E, chamando os seus discípulos, que tivesse de 3 mil a 5 mil habitan- meu povo.
disse-lhes: Em verdade vos digo que tes. Ela foi a sede da Igreja durante E depois disso, os que assim tive-
esta pobre viúva deitou mais do que algum tempo. Meus próprios ante- rem pagado o dízimo pagarão a
todos os que deitaram na arca do passados viveram ali. décima parte de toda a sua renda
tesouro; Quando cheguei a Far West, anual; e isto será uma lei perma-
Porque todos ali deitaram do que olhei em volta e vi apenas imensos nente para eles, para meu santo
lhes sobejava, mas esta, da sua campos arados, com belas e viçosas sacerdócio, diz o Senhor”.6
pobreza, deitou tudo o que tinha, plantações de milho, trigo, feno e Pensei comigo mesmo que a lei
todo o seu sustento.” 5 outros produtos. Não havia cidade, do dízimo não poderia ter sido
J U L H O D E 2 0 0 2
11
família. Ele disse que tinha uma
pequena horta e criava alguns gan-
sos. Perguntei: “O que fazem as gan-
sas?” Ele respondeu: “Elas põem
ovos”. Eu disse: “Se numa manhã
você descobrir 10 ovos de gansas
nos ninhos de suas gansas?” Uma luz
brilhou em sua alma. “Eu poderia
pegar um ovo e entregar para meu
presidente do ramo”, respondeu. Ele
compreendeu e se tornou um dizi-
mista integral.
Ao pagarmos e ensinarmos nossos
filhos a pagar o dízimo, desenvolve-
remos uma família profundamente
comprometida a fazer e cumprir os
convênios do templo. A mais glo-
riosa de todas as bênçãos que rece-
bemos nesta vida e nas eternidades
são as bênçãos resultantes de saber-
recebida pelos membros da Igreja que declarara que, dada a sua mos que nossa família está selada
numa ocasião menos oportuna do pobreza, ela não devia ter que pagar para toda a eternidade. Atualmente,
que aquela. Mas eles a receberam, e seu dízimo. Ela disse: “Você me talvez existam alguns que estejam
os membros começaram a viver essa negaria uma bênção? Se eu não negando a si mesmos esse privilégio
nova lei numa época em que esta- pagar meu dízimo, devo esperar que por deixarem de pagar o dízimo. Para
vam perdendo suas propriedades e, o Senhor retenha Suas bênçãos de aqueles que se encontram nessa
em alguns casos, a própria vida. Ao mim. Pago meu dízimo, não apenas situação, meu conselho é que exer-
visitar Far West, adquiri um teste- por que é uma lei de Deus, mas por- çam sua fé, façam prova do Senhor
munho espiritual da lei do dízimo que espero uma bênção por fazê-lo. nisso e paguem seu dízimo.
muito mais forte e profundo do que Cumprindo esta e outras leis, espero Vocês e sua família sentirão uma
já havia sentido antes. prosperar e ser capaz de sustentar paz especial que ultrapassa todo o
Quero dar um conselho aos mui- minha família”.7 entendimento ao pagarem o dízimo
tos milhares de membros que se E ela prosperou? Seu filho e seu integral. Sentirão que Ele os
filiam à Igreja atualmente como neto tornaram-se presidentes da conhece e aceita sua contribuição.
resultado do diligente trabalho de Igreja, e seus descendentes atuais Perceberão que todos os seus temo-
nossos missionários. Exerçam sua fé. incluem um membro do Quórum res relacionados com as finanças,
Paguem seu dízimo. Essa lei pode ser dos Doze Apóstolos e muitos líderes sustento, cuidados pessoais e com a
diferente daquilo a que estavam importantes da Igreja. família irão diminuir. Saberão que o
acostumados antes de seu batismo. Falando de sua mãe, Joseph F. Pai Celestial os ama.
Mas nada que façam como recém- Smith disse, certa vez, que ela Sou grato por meus pais terem-
conversos irá prepará-los de modo pagava “o dízimo de suas ovelhas e me ensinado a pagar o dízimo.
mais pleno para desfrutar as maravi- gado, um décimo de sua manteiga, Presto meu humilde testemunho de
lhosas bênçãos que lhes estão reser- um décimo de suas galinhas, um que o pagamento do dízimo é um
vadas, até as bênçãos do templo, do décimo de seus ovos, um décimo de princípio verdadeiro do evangelho
que o pagamento de seu dízimo. seus porcos, um décimo de seus de Jesus Cristo. Em nome de Jesus
Agora, um breve conselho para bezerros, um décimo de seus cava- Cristo. Amém. 
os missionários. Ensinem o dízimo a los, um décimo de tudo que criava”.8
seus pesquisadores de modo que eles Eu estava, certa vez, ensinando a NOTAS
adquiram um testemunho desse lei do dízimo para um grupo de líde- 1. Gospel Doctrine, 5.a ed., 1939, p. 231.
maravilhoso princípio do evangelho. res da Igreja na África. Um irmão 2. Ver Gênesis 14:20.
A mãe de Joseph F. Smith era disse: “Élder Tingey, como posso 3. Ver Deuteronômio 12:6.
conhecida como a “Viúva Smith”. pagar o dízimo se não tenho renda?” 4. Malaquias 3:8,10.
Ela era viúva de Hyrum Smith, que Perguntei e descobri que ele tinha 5. Marcos 12:41–44.
morreu como mártir juntamente uma grande família de sete ou oito 6. D&C 119:3–4.
com o Profeta Joseph. Ela repreen- filhos e estava desempregado. 7. Doutrina do Evangelho, p. 207.
deu certa vez o secretário do dízimo Perguntei como ele alimentava sua 8. Doutrina do Evangelho, pp. 207–208.

A L I A H O N A
12
No decurso da longa jornada pelas

Desenvolver rochosas montanhas e depois de tan-


tas dificuldades, adquirira uma firme
convicção. Sua fé fora testada e sua

a Força Interior conversão estava completa. Havia


passado por um refinamento que
provavelmente o melhor dos espe-
Mary Ellen Smoot
lhos não poderia refletir. Susanna
Recém-Desobrigada Presidente Geral da Sociedade de Socorro havia orado por força, e encontrou-a
— nas profundezas da própria alma.
Esse é o tipo de força interior
sobre o qual gostaria de falar-lhes.
Como podemos tornar-nos tão con-
Como podemos tornar-nos tão convertidas à verdade, tão cheias vertidas à verdade, tão cheias de fé,
tão dependentes de Deus, a ponto
de fé, tão dependentes de Deus, a ponto de sermos capazes de de sermos capazes de sobrepujar as
sobrepujar as provações e ainda sermos fortalecidas por elas? provações e ainda sermos fortaleci-
das por elas?
de boa qualidade e outras habilidades Não é necessário viver muito
à vida das mulheres do mundo todo”. para descobrir que a vida quase
Para nossa orientação, temos a nunca nos conduz pelo caminho
Declaração da Sociedade de que planejamos. As adversidades e
Socorro, a reunião de aprimora- aflições acontecem para todos.
mento pessoal, familiar e doméstico Vocês conhecem alguém que não
e o programa das professoras visitan- gostaria de mudar algo em si mesmo
tes. Essas ferramentas foram cuida- ou na situação em que vive? E
dosamente elaboradas e foram mesmo assim, tenho certeza de que
implementadas para ajudar as irmãs vocês conhecem muitas pessoas que
a expandir sua força interior por prosseguem com fé. Vocês querem
meio do serviço e da união. ficar perto dessas pessoas, são inspi-
Para demonstrar o tipo de força radas por elas e mesmo fortalecidas
interior a que me refiro, gostaria de por seu exemplo.
contar-lhes a história de Susanna Nos últimos cinco anos, encon-
Stone Lloyd, que, em 1856, aos 26 trei-me com irmãs desde a África até
anos, saiu da Inglaterra e viajou a Espanha, que são pioneiras a seu
sozinha para Utah. Única pessoa da modo. Fiquei maravilhada com sua

E m nome de minhas conselhei-


ras e da junta geral da
Sociedade de Socorro, presta-
mos homenagem aos membros da
Igreja no mundo, especificamente as
família a filiar-se à Igreja, Susanna
participou da Companhia Willie de
Carrinhos de Mão. Assim como
muitos outros pioneiros, suportou
fome, doenças e fadiga que quase
força interior, e senti-me inspirada
pela sinceridade de seu testemunho.
Elas vivem as verdades contidas na
Declaração da Sociedade de Socorro.
A declaração lembra-nos quem
mulheres, que por meio de sua fideli- lhe custaram a vida. realmente somos e por que fazemos
dade e devoção sacrificam seu tempo Na chegada ao vale do Lago as coisas que fazemos. Quanto mais
e talentos para abençoar a vida de Salgado, Susanna pediu emprestado vivermos esses preceitos, mais força
indivíduos e famílias no mundo todo. um espelho para melhorar um pouco interior iremos adquirir. Nosso
Na bênção que o Presidente a aparência. Apesar de seus melho- reflexo mostrará a nossa crença. O
Gordon B. Hinckley proferiu quando res esforços, lembra: “Jamais esque- jejum, a oração e o estudo das escri-
fui designada, ele falou sobre o ser- cerei o reflexo que vi. Algumas de turas influenciam o nosso relaciona-
viço que a Sociedade de Socorro minhas amigas não me reconhece- mento com o Salvador. Gostaria de
pode realizar. Disse: “Esta é uma ram”.1 Por ter trocado o seu espelho ressaltar mais duas maneiras de
organização formidável, talvez a com um indígena por um pouco de desenvolver a força interior:
maior e mais antiga organização carne de búfalo, ela passou muito
desse tipo no mundo inteiro, cuja tempo sem olhar para a própria ima- SERVIÇO
missão é fazer o bem e ajudar os afli- gem. Agora, ela mesma não se reco- Quando nossa conversão é verda-
tos e necessitados, e levar processos nhecia. Era uma pessoa diferente, deira, desviamos o foco de nós mes-
de educação, de serviços domésticos tanto por fora quanto por dentro. mas para outras pessoas. Podemos
J U L H O D E 2 0 0 2
13
desenvolver a força interior por meio de aprimoramento pessoal, familiar auxiliares apóiam umas às outras e
do serviço. Nada alegraria mais o e doméstico e encontrem os meios coordenam seus esforços; elas
adversário do que sermos distraídas de fortalecer o espírito, desenvolver apóiam os líderes do sacerdócio e,
por interesses e apetites egoístas. habilidades pessoais, fortalecer o lar juntos, esforçam-se para trazer famí-
Mas nós temos o conhecimento. O e a família e prestar serviço cari- lias a Cristo. À medida que o reino
serviço nos ajudará a permanecer no doso. Ao fazer isso, iremos tornar- de Deus rola até os confins da Terra,
caminho certo. nos menos preocupadas com nossos devemos unir nossos esforços na sal-
Nas conferências das mulheres, próprios problemas e mais depen- vação das almas.
nas reuniões de aprimoramento pes- dentes de Deus. Como presidência geral da
soal, familiar e doméstico, e, o mais Sociedade de Socorro, somos gratas
importante, em nosso próprio lar, sou UNIÃO pela nova ênfase nas professoras
inspirada por seus atos de serviço. Outra maneira de desenvolver a visitantes. 4 As novas mensagens
Há poucas semanas, recebi um força interior é empenharmo-nos na convidam as irmãs a lerem as escri-
telefonema do Presidente da Área união de nossa família, estaca, ala e turas e os ensinamentos da Primeira
Europa Central. Disse que os mem- presidências. O Senhor mesmo ensi- Presidência e outras Autoridades
bros e missionários na Albânia e na nou-nos: “Se não sois um, não sois Gerais a respeito dos princípios do
Moldávia estavam passando frio, e meus”.2 evangelho. As irmãs, então, são
pensou na possibilidade de a A união de propósito, pensa- incentivadas a compartilhar desco-
Sociedade de Socorro ter alguns acol- mento e sentimento é uma qualidade bertas e experiências sobre como
choados para mandar-lhes. Imaginem extraordinária. Quando conseguimos sua vida foi abençoada por viver
minha alegria quando fui até o deixar de lado as diferenças e valori- determinado princípio.
Centro de Serviço Humanitário e zamos a força uns dos outros, coisas Irmãs, se seguirem esse modelo,
constatei que poderíamos doar 1.000 grandiosas passam a ocorrer. O irão sentir mais união com sua com-
acolchoados. Em uma questão de dias Profeta Joseph Smith admoestou- panheira e com as irmãs visitadas.
eles foram embalados e enviados. O nos: “Não se limitem quanto aos seus Serão fortalecidas espiritualmente.
presidente da missão escreveu-me, conceitos das virtudes do pró- Não importa sob que circunstân-
dizendo: “Os membros daqui emocio- ximo(”). [Vocês] devem ampliar sua cias, quem dentre nós se permitiria
naram-se porque outros membros se alma no sentido de ajudarem-se passar a vida toda em frente ao espe-
preocuparam com eles”. Muito obri- umas às outras“3. Essa generosidade lho da autopiedade e do desânimo?
gada a vocês, por seu serviço altruísta. de espírito propicia maior união. Sim, o Apóstolo Paulo admoestou-
Irmãs, analisem cuidadosamente Tenho visitado estacas e alas que nos que todos nós precisamos “exami-
os tópicos sugeridos para as reuniões são unidas. As presidências das nar-nos a nós mesmos”5 de vez em
A L I A H O N A
14
quando. Todos nós precisamos arre-
pender-nos, reconhecer nossas fraque-
zas e vir mais intensamente a Cristo.
Assim como Susanna, talvez tenha-
Vinde Após Mim
mos de trocar nosso espelho para atra- Élder Joseph B. Wirthlin
vessar os vales da dor, do sofrimento e Do Quórum dos Doze Apóstolos
do desânimo. Mas ao fazermos isso,
descobriremos a força que nos é dada
por Deus, a qual não teríamos encon-
trado se não fosse por esse meio.
O Presidente Joseph F. Smith Aqueles que deixam suas redes, com fé, e seguem o Salvador
falou com muito sentimento sobre a terão uma alegria que está muito além de sua capacidade de
força interior das mulheres pionei-
ras. Disse: “A morte nada lhes signi- compreender.
ficava. As dificuldades não eram
nada para elas. O frio ou a chuva, o largar suas redes e segui-Lo?” Estou
calor, nada significavam para elas. certo de que muitos o fariam.
Tudo que sentiam e sabiam e deseja- Mas para alguns, essa pode não ser
vam era o triunfo do reino de Deus e uma decisão assim tão fácil. Alguns
da verdade que o Senhor lhes tinha descobrem que suas redes, por sua
concedido”. E depois, com toda a própria natureza, muitas vezes não
sinceridade de um profeta de Deus, são tão fáceis de se abandonar.
ele exclamou: “E agora, onde estão Existem redes de muitos tama-
essas mulheres?”6 nhos e formatos. As redes que
Estou hoje aqui para prestar teste- Pedro, André, Tiago e João deixa-
munho de que tais mulheres estão ram para trás eram objetos tangíveis:
no mundo inteiro, na Sociedade de Ferramentas que os ajudavam a
Socorro da Igreja. Sou grata, imensa- ganhar a vida.
mente grata, pela oportunidade que Muitas vezes pensamos nesses qua-
tenho de ver as mulheres do nosso tro homens como humildes pescado-
tempo que “se fortaleceram no res que não tiveram que sacrificar
conhecimento da verdade”.7 De todo muito quando deixaram suas redes
o coração, eu sei que o Senhor pode para seguir o Salvador. Pelo contrário,
fazer “que as coisas fracas se tornem
fortes”.8 Sei que esta é a Sua obra e
este é Seu reino. E sei que cada uma
de nós pode refletir o Salvador pelo
modo como escolhermos viver a
E les eram pescadores antes de
ouvirem o chamado. Lançando
suas redes no mar da Galiléia,
Pedro e André pararam quando Jesus
de Nazaré Se aproximou, olhou em
como ressalta o Élder James E.
Talmage, em Jesus o Cristo, Pedro,
André, Tiago e João eram sócios num
negócio rendoso. “Eram proprietários
de barcos e empregavam outros
nossa vida. Em nome de Jesus seus olhos e disse estas simples pala- homens”. De acordo com o Élder
Cristo. Amém.  vras: “Vinde após mim”. Mateus relata Talmage, Simão Pedro “encontrava-se
que os dois pescadores, “deixando logo em boa situação financeira; e quando
NOTAS as redes, seguiram-no”. uma vez afirmou haver deixado tudo
1. Journey to Zion: Voices from the Então, o Filho do Homem aproxi- para seguir Jesus, o Senhor não negou
Mormon Trail, compilado por Carol mou-Se de dois outros pescadores que o sacrifício de Pedro, quanto aos
Cornwall Madsen, (1997), pp. 631–635. que estavam num barco com seu seus bens temporais, tivesse sido
2. D&C 38:27. pai, consertando suas redes. Jesus os grande (. . .)”.2
3. Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, chamou: “[E Tiago e João], dei- Mais tarde, a rede das riquezas
seleção de Joseph Fielding Smith (1976), xando imediatamente o barco e seu aprisionou um jovem rico que dizia
p. 223. pai, seguiram [o Senhor]”.1 ter obedecido todos os mandamen-
4. Ver “Para Tal Tempo Como Este”, Vocês já se perguntaram como tos desde sua juventude. Quando
A Liahona, fevereiro de 2002, p. 18. seria viver na época do Salvador? Se ele perguntou ao Salvador o que
5. Ver I Coríntios 11:28. tivessem estado ali, teriam atendido mais teria que fazer para alcançar a
6. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja, a Seu chamado: “Vinde após Mim!” vida eterna, o Mestre disse: “Se que-
Joseph F. Smith, p. 189. Talvez, uma pergunta mais rea- res ser perfeito, vai, vende tudo
7. Alma 17:2. lista seria: “Se o Salvador os cha- o que tens e dá- o aos pobres, e
8. Éter 12:27. masse hoje, estariam dispostos a terás um tesouro no céu; e vem, e
J U L H O D E 2 0 0 2
15
segue-me.” Quando o jovem ouviu inúteis, improdutivos e até mesmo dos juros rapidamente os prende
isso, “retirou-se triste, porque pos- destrutivos, ele pode tornar-se uma exigindo que vendam todo o seu
suía muitas propriedades”.3 rede que nos prende. tempo e energia para atender às exi-
As redes geralmente são defini- Muitos gostam de assistir a compe- gências de seus credores. Eles preci-
das como dispositivos para capturar tições esportivas, mas se soubermos sam abdicar de toda a sua liberdade,
algo. De modo mais restrito, porém dizer qual foi o desempenho de nos- tornando-se escravos de suas pró-
mais importante, podemos definir sos jogadores ou atletas favoritos, mas prias despesas excessivas.
uma rede como qualquer coisa que esquecermos aniversários ou datas É impossível fazer uma lista de
nos tente ou nos impeça de seguir o importantes, negligenciarmos nossa todas as muitas redes que podem
chamado de Jesus Cristo, o Filho do família ou talvez ignorarmos oportu- prender-nos e impedir-nos de seguir o
Deus vivo. nidades de prestar atos de serviço Salvador. Mas se formos sinceros em
As redes, nesse contexto, podem cristão, então os esportes também nosso desejo de segui-Lo, precisamos
ser nosso emprego, nossos hobbies, podem ser uma rede que nos prende. imediatamente deixar as redes do
nossos prazeres e, acima de tudo, nos- Desde a época de Adão, a huma- mundo que nos prendem, e segui-Lo.
sas tentações e pecados. Em resumo, nidade tem ganhado seu sustento Não conheço outro período da
uma rede pode ser qualquer coisa que diário com o suor de seu rosto. Mas história do mundo que fosse tão
nos arraste para longe de nosso Pai se nosso trabalho consome todo o repleto de tamanha variedade de
Celestial ou de Sua Igreja restaurada. nosso tempo a ponto de negligen- redes que prendem. Nossa vida
Deixem-me dar-lhes um exemplo ciarmos os aspectos espirituais da facilmente se enche de compromis-
moderno. Um computador pode ser vida, então o trabalho também pode sos, reuniões e tarefas. É muito fácil
uma ferramenta útil e indispensável. ser uma rede que nos prende. ficarmos presos num grande número
Mas se permitirmos que ele con- Alguns ficaram enredados na de redes a ponto de a mera sugestão
suma nosso tempo com propósitos rede das dívidas excessivas. A rede de livrar-nos delas nos pareça algo
ameaçador e até assustador.
Às vezes achamos que quanto
mais ocupados estamos, mais impor-
tantes somos, como se nossos com-
promissos definissem nosso valor.
Irmãos e irmãs, podemos passar a
vida inteira correndo atrás de uma
lista interminável de compromissos
que, no final, realmente pouco
importam.
Talvez não seja tão importante
fazermos tantas coisas. O essencial é
que enfoquemos toda a energia de
nossa mente, nosso coração e nossa
alma nas coisas de significado
eterno. Isso é essencial.
Em meio ao ruído e clamor da vida
soando ao nosso redor, ouvimos gritos
de “venha por aqui” e “vá por ali”.
Em meio à balbúrdia e as vozes sedu-
toras que procuram cativar nosso
interesse e ocupar nosso tempo, uma
figura solitária se coloca às margens
do mar da Galiléia chamando-nos
brandamente: “Vinde após Mim”.
É muito fácil perdermos o ponto
de equilíbrio na vida. Lembro-me de
alguns anos que foram particular-
mente difíceis para mim. Nossa
família tinha crescido, chegando a
sete filhos. Eu tinha servido como
conselheiro num bispado e recebi o
sagrado chamado de bispo de nossa
A L I A H O N A
16
ala. Esforçava-me para administrar atenderem ao chamado do Homem e tribulações. Joseph Smith não foi
nosso negócio, o que me ocupava da Galiléia. uma exceção. Nem os outros santos
durante várias horas por dia. Devo Infelizmente, muitos estão dema- desta última dispensação. E as coisas
muito à minha maravilhosa esposa siadamente presos em suas redes não são diferentes hoje.
que sempre fez com que me fosse para atenderem ao chamado. O Tive a oportunidade muito espe-
possível servir ao Senhor. Salvador explicou: “Vós não credes cial de conversar com uma mulher
Havia simplesmente coisas porque não sois das minhas ovelhas. que ouviu o chamado do Salvador
demais para fazer no tempo disponí- (. . .) As minhas ovelhas ouvem a quando tinha 18 anos. Seu pai, que
vel. Em vez de sacrificar coisas minha voz, e eu conheço-as, e elas era um líder importante de outra
importantes, decidi acordar cedo, me seguem”.7 igreja, ficou furioso com ela e proi-
cuidar de meus negócios, e depois Como seguimos o Salvador? biu-a de ser batizada. Ele disse que se
usar o tempo exigido para ser um Exercendo fé. Crendo Nele. Crendo ela se tornasse membro da Igreja de
bom pai e marido, e um membro fiel que um Deus amoroso ainda fala ao Jesus Cristo dos Santos dos Últimos
da Igreja. Não foi fácil. Houve homem na Terra em nossos dias. Dias, seria renegada pela família.
manhãs em que, quando o desperta- Seguimos o Salvador arrepen- Embora o sacrifício fosse grande,
dor tocava, eu abria um olho com dendo -nos de nossos pecados, aquela jovem atendeu ao chamado
esforço e tinha vontade de quebrar sentindo pesar por eles e abando- do Salvador e entrou nas águas do
o relógio. nando-os. batismo.
Não obstante, o Senhor foi mise- Seguimos o Salvador entrando Seu pai não pôde aceitar a deci-
ricordioso e ajudou-me a encontrar nas águas do batismo e recebendo a são dela e tentou forçá-la a abando-
energias e tempo para fazer tudo o remissão de nossos pecados, rece- nar sua nova religião. Ele e a esposa
que eu me comprometera a fazer. bendo o dom do Espírito Santo e repreenderam-na severamente por
Embora fosse difícil, jamais me arre- permitindo que essa influência nos sua decisão de tornar-se membro da
pendi de ter decidido aceitar o cha- instrua, guie e console. Igreja e exigiram que ela renegasse e
mado do Senhor e segui-Lo. Como seguimos o Salvador? abandonasse sua nova religião.
Pensem no quanto devemos a Ele. Obedecendo a Ele. Ele e nosso Pai Mesmo diante da ira, amargura e
Jesus é a ressurreição e a vida. Celestial deram-nos mandamentos, humilhação, sua fé permaneceu
“Quem crê [Nele], ainda que esteja não para castigar-nos ou atormentar- forte. Ela suportou os maus-tratos
morto, viverá”.4 Há pessoas muito nos, mas para ajudar-nos a alcançar verbais e emocionais, sabendo que
ricas que dariam tudo que possuem uma plenitude de alegria, tanto tinha ouvido o chamado do Salvador
em troca de apenas uns poucos anos, nesta vida quanto nas eternidades e que iria segui-Lo a despeito das
meses ou mesmo dias de vida mortal. vindouras, para todo o sempre. conseqüências.
O que deveriam estar dispostos a dar Em contrapartida, quando nos Por fim, aquela jovem conseguiu
em troca da vida eterna? apegamos a nossos pecados, nossos encontrar um porto seguro, um local
Há aqueles que dariam tudo o que prazeres e muitas vezes até ao que
possuem para ter paz. “Vinde a mim, imaginamos ser nossas obrigações; O Edifício Memorial Joseph Smith
todos os que estais cansados e opri- resistimos à influência do Espírito visto a partir do espelho d’água, ao
midos”, ensinou o Salvador, “e eu vos Santo; e deixamos de lado as pala- lado leste do Templo de Salt Lake.
aliviarei”.5 Mas não é apenas paz que vras dos profetas, então ficamos fir-
o Salvador promete aos que guardam memente presos nas redes de nossa
Seus mandamentos e perseveram até própria Galiléia. Vemo-nos incapazes
o fim, mas vida eterna, “que é o de deixá-las para trás e seguir o
maior de todos os dons de Deus”.6 Cristo vivo.
Graças ao Salvador, viveremos Mas o Bom Pastor está-nos cha-
para sempre. A imortalidade signi- mando hoje. Será que reconhecere-
fica que jamais morreremos. Mas a mos a voz do Filho de Deus? Será
vida eterna significa viver para sem- que O seguiremos?
pre nas esferas exaltadas, em com- Gostaria de deixar-lhes uma pala-
panhia daqueles que amamos, vra de advertência. Há aqueles que
envoltos por profundo amor, imensa acham que se seguirmos o Salvador,
alegria e glória. nossa vida estará livre de preocupa-
Nenhum dinheiro do mundo ções, dores e temores. Isso não acon-
pode comprar esse estado exaltado. tece! O próprio Salvador foi descrito
A vida eterna é um dom que um Pai como um homem de dores. 8 Aqueles
Celestial amoroso ofereceu gratuita primeiros discípulos que seguiram o
e liberalmente a todos os que Cristo sofreram grandes perseguições
J U L H O D E 2 0 0 2
17
O Presidente Boyd K. Packer, Presidente Interino do Quórum dos Doze Apóstolos; e os Élderes L. Tom Perry,
Neal A. Maxwell, Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard e Joseph B. Wirthlin, do Quórum dos
Doze Apóstolos, diante da congregação, nas poltronas do púlpito.

de refúgio, junto a um bondoso criança que procura por meio da lado estão seus nobres conselheiros e
membro da família, longe das amea- oração entrar em comunhão com o o Quórum dos Doze Apóstolos e as
ças e acusações de seu pai. Mestre do universo. Ela segue o outras Autoridades Gerais, cada qual
Ela conheceu um rapaz fiel, e Salvador. O membro rico que doa acrescentando sua voz para procla-
casaram-se no templo, recebendo as generosamente para a Igreja e para mar as gloriosas e alegres novas: O
bênçãos especiais que acompanham o próximo. Ele segue o Salvador. evangelho eterno foi novamente res-
o casamento no templo. Tal como Jesus, o Cristo, às mar- taurado ao homem!
Hoje ela é uma dentre muitos gens do mar da Galiléia, há 2000 Jesus Cristo é “o caminho, e a ver-
que se sacrificaram tanto para seguir anos, chamou os fiéis pescadores, dade e a vida; ninguém vem ao Pai,
o chamado do Salvador. Ele está agora estendendo o mesmo senão por [Ele]”.9 Como sua teste-
Sim, não estou dizendo que o chamado a todos os que escutam munha especial, testifico a vocês que
caminho seja fácil. Mas presto-lhes Sua voz: “Vinde após Mim!” chegará o dia em que todo homem,
meu testemunho de que aqueles que Temos redes que precisam ser cui- mulher e criança verá o olhar cari-
deixam suas redes, com fé, e seguem dadas e redes que precisam ser con- nhoso do Salvador. Nesse dia, sabere-
o Salvador terão uma alegria que sertadas. Mas quando o Mestre do mos com certeza o valor de nossa
está muito além de sua capacidade oceano, Terra e céu nos chama, decisão de segui-Lo sem hesitar.
de compreender. dizendo: “Vinde após mim”, devemos Que possamos todos ouvir o cha-
Ao conhecer os maravilhosos deixar as redes aprisionadoras do mado do Mestre e deixar imediata-
membros desta Igreja, tanto jovens mundo para trás e seguir Seus passos. mente nossas redes que aprisionam
quanto idosos, sinto-me encorajado Irmãos e irmãs, proclamo alegre- e segui-Lo com alegria, é minha sin-
e pleno de gratidão pela fidelidade mente que o evangelho foi nova- cera oração, em nome de Jesus Cristo.
dos que ouviram o chamado do mente restaurado! Os céus se Amém. 
Salvador e O seguiram. abriram para o Profeta Joseph Smith
Por exemplo, um operário segue o e ele viu e conversou com Deus, o NOTAS
Salvador dia após dia, durante um Pai, e Seu Filho Jesus Cristo. Sob a 1. Mateus 4: 18–22.
período de mais de três décadas, direção e orientação divina de seres 2. James E. Talmage, Jesus o Cristo,
lendo as escrituras durante o horá- celestiais, verdades eternas foram p. 211.
rio de almoço, enquanto seus cole- novamente restauradas ao homem! 3. Mateus 19:21–22.
gas de trabalho o ridicularizam por Em nossos dias, outro grande pro- 4. João 11:25.
isso. A viúva de 70 anos, confinada feta vive e acrescenta diariamente 5. Mateus 11:28.
a sua cadeira de rodas, que alegra o seu testemunho a essas verdades 6. D&C 14:7.
espírito de todos que a visitam, sem sagradas. O Presidente Gordon B. 7. João 10:26–27.
nunca deixar de dizer o quanto ela é Hinckley ocupa o sagrado cargo de 8. Ver Isaías 53:3; Mosias 14:3.
abençoada. Ela segue o Salvador. A porta-voz do Deus eterno. A seu 9. João 14:6.

A L I A H O N A
18
cunha ainda estava lá no inverno

Cunhas Ocultas em que caiu aquela tempestade de


neve.
No silêncio gelado daquela noite
Presidente Thomas S. Monson de inverno (. . .) um dos três galhos
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência maiores se partiu e caiu ruidosa-
mente ao chão. O restante da
árvore ficou com uma distribuição
desequilibrada de peso e também se
partiu e acabou tombando. Quando
Não passemos para as gerações futuras as desavenças e raivas de a tempestade passou, não restara
nossa época. Removamos todas as cunhas ocultas que só servem sequer um broto da árvore outrora
majestosa.
para destruir-nos. Bem cedo pela manhã, o fazen-
deiro saiu de casa para lamentar sua
escondida dentro dela que causou o perda. (. . .)
estrago. Então seus olhos avistaram algo
A história da cunha de ferro no tronco desabado. ‘A cunha’, mur-
começou muito tempo antes, murou ele, reprovadoramente. ‘A
quando o fazendeiro de cabelos cunha que eu encontrei no pasto’.
brancos [que hoje mora na proprie- Num instante ele percebeu por que
dade em que a nogueira se erguia] a árvore tinha caído. Presa no
era um menino na fazenda de seu tronco que crescia, a cunha impediu
pai. A serraria tinha acabado de que as fibras dos galhos se entrela-
mudar-se do vale, e os novos mora- çassem como deviam”.1
dores ainda encontravam ferramen- Irmãos e irmãs, existem cunhas
tas e peças de equipamento ocultas na vida de muitas pessoas
espalhadas por toda parte. (. . .) que conhecemos, sim, talvez até em
Naquele dia, em particular, foi nossa própria família.
uma cunha de madeireiro — Gostaria de contar-lhes sobre um
grande, plana e pesada, com 30 cm amigo muito querido, que hoje já
ou mais de comprimento, entortada partiu da mortalidade. Seu nome era
pelo uso [— que o menino encon- Leonard. Ele não era membro da

E m abril de 1966, na
Conferência Geral Anual da
Igreja, o Élder Spencer W.
Kimball fez um discurso memorável.
Ele citou uma história escrita por
trou] (. . .) no pasto. [A cunha de
madeireiro é utilizada para derrubar
uma árvore, inserindo-se a cunha
num talho e golpeando-a com uma
marreta para alargar a fenda.] (. . .)
Igreja, embora sua mulher e filhos
fossem. Sua mulher serviu como pre-
sidente da Primária; seu filho serviu
honrosamente em uma missão. Tanto
sua filha quanto seu filho casaram-se
Samuel T. Whitman, intitulada Como já estava atrasado para o jan- em solenes cerimônias no templo e
“Cunhas Esquecidas”. Decidi citar tar, o rapaz colocou a cunha (. . .) tinham suas respectivas famílias.
também a história de Samuel T. entre os galhos da jovem nogueira Todos que conheciam Leonard
Whitman, acrescentando em que seu pai havia plantado perto do gostavam dele, tal como eu. Ele
seguida alguns exemplos de minha portão principal. Ele pretendia levar apoiava sua esposa e seus filhos em
própria vida. a cunha para o galpão logo depois suas designações na Igreja. Ele ia a
Whitman escreveu: “A tempes- do jantar, ou em outra ocasião em muitas atividades patrocinadas pela
tade de neve [daquele inverno] que estivesse passando por ali. Igreja com eles. Ele levava uma vida
não tinha sido muito forte. É Ele realmente pretendia fazê-lo, digna e pura, uma vida de serviço ao
verdade que alguns fios de eletrici- mas nunca o fez. [A cunha] estava próximo e bondade. Sua família e
dade haviam sido derrubados e ali entre os galhos, um pouco espre- muitas outras pessoas se pergunta-
que houve um súbito aumento no mida, quando ele chegou à idade vam por que Leonard tinha passado
número de acidentes ao longo adulta. Estava ali, firmemente presa, toda a mortalidade sem as bênçãos
da rodovia. (. . .) Normalmente, quando se casou e assumiu a que o evangelho proporciona a seus
a grande nogueira teria facilmente fazenda do pai. Estava parcialmente membros.
conseguido suportar o peso que encoberta no dia em que o pessoal Quando Leonard ficou idoso, sua
se acumulou em seus longos da colheita jantou sob a árvore. saúde começou a fraquejar. Ele aca-
galhos. Foi a cunha de ferro (. . .) Totalmente oculta na árvore, a bou sendo hospitalizado, às portas da
J U L H O D E 2 0 0 2
19
morte. Na última vez que conversei da família de Leonard, que combina- pequeno grupo de amigos se reuniu.
com Leonard, ele me disse: “Tom, eu das ficaram muito valorizadas e Mas a porta da capela estava tran-
o conheço desde quando você era um alcançaram um preço de venda bem cada. O atarefado bispo tinha-se
menino. Sinto que devo explicar-lhe mais alto. A antiga dúvida sobre o esquecido do funeral. Todas as tenta-
porque nunca me filiei à Igreja”. motivo pelo qual Leonard jamais se tivas de encontrá-lo foram em vão.
Então, ele contou algo que havia filiara à Igreja tinha sido respondida. Sem saber o que fazer, o pai colocou o
acontecido com seus pais, há muitos Ele sempre sentira que sua família caixão debaixo do braço e carregou-o
e muitos anos. Relutantemente, a tinha sido enganada pelo vizinho. de volta para casa, com a famíla a seu
família chegou a uma situação tal, Ele confidenciou-me, depois de lado, caminhando sob uma chuva
que viu que precisaria vender sua nossa conversa, que sentia como se torrencial.
fazenda, e recebeu uma proposta. um grande fardo tivesse sido final- Se a família tivesse um caráter
Nessa ocasião, um fazendeiro vizinho mente removido de suas costas, ao mais fraco, eles poderiam ter cul-
pediu-lhes que vendessem a fazenda preparar-se para encontrar-se com o pado o bispo e guardado ressenti-
para ele, embora por um preço Criador. A trágedia foi que uma mentos. Quando o bispo ficou
menor, acrescentando: “Sempre cunha oculta impedira que Leonard sabendo da tragédia, foi visitar a
fomos bons amigos. Desse modo, se progredisse espiritualmente na vida. família e se desculpou. Com a mágoa
eu comprar a sua fazenda, poderei Conheço uma família que veio da ainda evidente no rosto, mas com
tomar conta dela”. Por fim, os pais de Alemanha para a América. A língua lágrimas nos olhos, o pai aceitou as
Leonard concordaram em vender a inglesa era difícil para eles. Tinham desculpas, e os dois se abraçaram
fazenda. O comprador, aquele vizi- poucos recursos, mas todos foram num espírito de compreensão. Não
nho, ocupava um cargo de responsa- abençoados com a vontade de tra- restou nenhuma cunha oculta para
bilidade na Igreja, e a confiança que balhar e um amor a Deus. causar mais sentimentos de raiva. O
isso suscitava ajudou a convencer a Seu terceiro filho nasceu, mas amor e a aceitação prevaleceram.
família a vender-lhe a fazenda, viveu apenas dois meses e depois O espírito precisa ser libertado de
embora não tivessem percebido morreu. O pai era marceneiro e cons- tudo que impeça seu progresso e de
que teriam recebido muito mais se a truiu um belo caixão para o corpo de ressentimentos não resolvidos para
tivessem vendido para o primeiro seu querido filho. O dia do funeral foi que a alma sinta alegria na vida. Em
comprador interessado. Pouco tempo sombrio, expressando a tristeza que muitas famílias, há sentimentos
depois de a venda ter sido efetuada, sentiam pela morte do filho. A família feridos e uma relutância em perdoar.
o vizinho vendeu a sua fazenda caminhou até a capela, com o pai Não importa, realmente, qual tenha
juntamente com a fazenda comprada carregando o pequeno caixão, e um sido a questão. Não podemos nem

A L I A H O N A
20
devemos permitir que ela continue a
magoar-nos. Condenar o outro faz
com que as feridas permaneçam
abertas. Somente o perdão cura.
George Herbert, um poeta do início
do século XVII, escreveu: “Aquele
que não perdoa destrói a ponte que
ele próprio precisará atravessar se
desejar atingir o céu, porque todos
precisamos de perdão”.
Belas são as palavras do Salvador
quando estava prestes a morrer na
impiedosa cruz. Ele disse: “Pai, per-
doa-lhes, porque não sabem o que
fazem”.2
Há pessoas que têm dificuldade
em perdoar a si mesmas e se apegam
a suas supostas imperfeições. Gosto O Templo de Salt Lake e a estátua de uma mãe e seus filhos simbolizam a
muito da história de um líder reli- importância das famílias eternas.
gioso que se colocou ao lado de uma
mulher que estava morrendo, ten- esperança, a tristeza é substituída passo à frente e dizer: “Eu realmente
tando confortá-la, mas sem ter pela felicidade, e o sentimento de sinto muito! Vamos ser o que já
sucesso. “Estou perdida”, disse ela. estarmos perdidos na multidão desa- fomos um dia: amigos. Não passe-
“Arruinei minha vida e a de todos a parece com a certeza de que o Pai mos para as gerações futuras as
meu redor. Não há esperança para Celestial Se importa com cada um desavenças e raivas de nossa época”.
mim”. de nós. Removamos todas as cunhas ocultas
O homem notou um retrato de O Salvador garantiu a veracidade que só servem para destruir-nos.
uma linda menina sobre a cômoda. disso ao ensinar que nenhum pás- De onde se originam as cunhas
“Quem é ela?” perguntou ele. saro cai ao chão sem que o Pai ocultas? Algumas resultam de dispu-
A mulher ficou radiante. “Ela é Celestial saiba. Ele concluiu essa tas não resolvidas, que levam a
minha filha, a única coisa bela em bela mensagem, dizendo: “Não maus sentimentos, seguidos de
minha vida”. temais, pois; mais valeis vós do que remorso e tristeza. Outras começam
“E você a ajudaria se ela estivesse muitos passarinhos”.3 com desapontamentos, invejas, dis-
com problemas ou tivesse cometido Há algum tempo, li o seguinte cussões e mágoas imaginárias.
um erro? Você a perdoaria? Ainda artigo da Associated Press publicado Precisamos resolvê-las, deixá-las de
continuaria a amá-la?” num jornal. “Um homem idoso reve- lado e não permitir que germinem,
“Claro que sim!” exclamou a lou no funeral de seu irmão, com se espalhem e acabem destruindo.
mulher. “Eu faria qualquer coisa por quem havia dividido desde a juven- Uma amável senhora de mais de
ela. Por que me pergunta isso?” tude uma pequena cabana de um só noventa anos de idade veio pro-
“Porque quero que você saiba”, cômodo nos arredores de Canisteo, curar-me certo dia e inesperada-
disse o homem, “que, figurativa- Nova York, que eles haviam dividido mente me contou várias mágoas que
mente falando, o Pai Celestial tem o quarto ao meio com uma linha ris- tinha. Ela mencionou que muitos
um retrato seu sobre a cômoda cada a giz no chão, após uma briga, e anos antes, um fazendeiro vizinho,
Dele. Ele a ama e irá ajudá-la. Peça que nenhum deles havia cruzado a com quem ela e o marido haviam
Seu auxílio”. linha ou trocado uma única palavra tido desentendimentos ocasionais,
Uma cunha oculta que impedia com o outro desde aquele dia, 62 pediu se poderia cortar caminho por
sua felicidade foi removida. anos antes”. Que poderosa e destru- dentro de sua propriedade para che-
Num momento de perigo ou de tiva cunha oculta. gar até as terras dele. Ela fez uma
provação, esse conhecimento, essa Como Alexander Pope escreveu: pausa, então, com a voz trêmula,
esperança, essa compreensão propor- “Errar é humano, perdoar é divino”.4 disse: “Tommy, eu não deixei que
cionarão conforto para a mente Às vezes nos ofendemos com ele cruzasse nossa propriedade, mas
perturbada e o coração aflito. Todo muita facilidade. Em outras ocasiões fiz com que ele desse toda a volta, a
o Novo Testamento transmite somos por demais obstinados para pé, para chegar até as terras dele. Eu
a mensagem de renascimento da aceitar um sincero pedido de des- errei e me arrependo disso. Ele já
alma humana. As sombras do deses- culpa. Vamos vencer nosso ego, morreu, mas como eu gostaria de
pero são dispersas pelos raios de orgulho e mágoa e depois dar um poder dizer-lhe que sinto muito.
J U L H O D E 2 0 0 2
21
Membros e visitantes que vão à conferência passam pelos portões que conduzem ao nível do balcão do Centro
de Conferências.

Como desejaria ter uma segunda Mais tarde, quando Roy Kohler diante de si. A cunha oculta que os
chance”. ficou gravemente enfermo com cân- separara por algum tempo desapare-
Ao ouvir seu relato, as palavras cer e tinha pouco tempo de vida, ceu para sempre. Eles trabalharam
escritas por John Greenleaf Whittier minha esposa, Frances, e eu visita- juntos a noite inteira e durante o dia
vieram-me à mente: “De todas as mos Roy, e eu lhe dei uma bênção. seguinte, auxiliados por várias pes-
palavras tristes escritas ou faladas, a Ao conversarmos em seguida, o soas da comunidade.
mais triste de todas é: ‘Poderia ter irmão Kohler disse: “Quero contar- Roy Kohler faleceu, e Grant
sido’”.5 lhe uma das coisas mais sublimes que Remund está ficando idoso. Seus
Em 3 Néfi, no Livro de Mórmon, já me aconteceu na vida”. Ele então filhos serviram juntos no mesmo bis-
lemos este conselho inspirado: “Não contou-me sobre os mal-entendidos pado da ala. Considero realmente
haverá disputas entre vós (. . .). Pois que tivera com Grand Remund e a preciosa a amizade dessas duas famí-
em verdade, em verdade vos digo que discórdia que se estabelecera entre lias maravilhosas.
aquele que tem o espírito de discórdia eles. Ele disse: “Estávamos brigados Sejamos sempre um exemplo em
não é meu, mas é do diabo, que é o um com o outro”. nosso lar e no fiel cumprimento de
pai da discórdia e leva a cólera ao “Então”, prosseguiu Roy, “eu todos os mandamentos; que não
coração dos homens, para contende- tinha acabado de juntar o feno para haja cunhas ocultas, mas lembremo-
rem uns com os outros. Eis que esta o inverno quando, certa noite, nos da admoestação do Salvador:
não é minha doutrina, levar a cólera devido a uma combustão espontâ- “Nisto todos conhecerão que sois
ao coração dos homens, uns contra os nea, o feno pegou fogo, queimando meus discípulos, se vos amardes uns
outros; esta, porém, é minha dou- todo o estábulo e tudo que estava aos outros”.7
trina: que estas coisas devem cessar”.6 nele. Fiquei desolado”, disse Roy. Essa é minha súplica e minha
Gostaria de concluir com o relato “Não sabia o que iria fazer. A noite oração, em nome de Jesus Cristo.
de dois homens que são heróis para estava escura, com exceção das bra- Amém. 
mim. Seus atos de coragem não sas que se apagavam. Foi então que
foram realizados em escala nacional, vi faróis de tratores e equipamento NOTAS
mas, sim, num pacífico vale conhe- pesado chegando pela estrada, vindo 1. Conference Report, abril de 1966,
cido como Midway, Utah. da propriedade de Grand Remund. p. 70.
Há muitos anos, Roy Kohler e Quando o grupo de resgate entrou 2. Lucas 23:34.
Grand Remund serviram juntos em em nossa propriedade e me encon- 3. Mateus 10:31.
cargos na Igreja. Eles eram muito trou ali com lágrimas no rosto, 4. An Essay on Criticism (1711),
amigos. Eram fazendeiros e tinham Grant disse: ‘Roy, você tem uma parte 2, linha 525.
plantações e gado leiteiro. Houve, grande bagunça para arrumar. Meus 5. “Maud Muller”, The Complete
então, um mal-entendido que se rapazes e eu estamos aqui. Vamos ao Poetical Works of Whittier (1892), p. 48.
transformou numa certa rixa entre trabalho’.” Os homens se empenha- 6. 3 Néfi 11:28–30.
os dois. ram juntos na tarefa que tinham 7. João 13:35.

A L I A H O N A
22
Sessão da Tarde de Sábado Os que forem contrários, se houver,
6 de Abril 2002 manifestem-se pelo mesmo sinal.
É proposto que apoiemos os

Apoio às Autoridades Élderes Gerald N. Lund e William R.


Walker como os novos membros do
Segundo Quórum dos Setenta.
Todos a favor, manifestem- se.

da Igreja Quem se opuser, manifeste-se. É


proposto que desobriguemos Kay H.
Christensen, Clayton S. Huber,
Presidente Thomas S. Monson David López, Hyde M. Merrill,
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência Adelson de Paula Parrella e
R. Gordon Porter como Setentas-
Autoridades de Área. Todos a favor,
manifestem-se.
É proposto que apoiemos os
seguintes Setentas-Autoridades de
Boyd Kenneth Packer como Área: D. Allen Andersen, David S.
Presidente Interino do Quórum dos Baxter, C. Elmer Black Jr., G. Lynn
Doze Apóstolos e os seguintes como Brenchley, Ildefonso de Castro Deus
membros desse quórum: Boyd K. Neto, Clayton M. Christensen,
Packer, L. Tom Perry, David B. Haight, Ernesto A. da Silva, Hector A.
Neal A. Maxwell, Russell M. Nelson, Dávalos, James Dunlop, James M.
Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard, Dunn, I. Lee Ence, Carlos R.
Joseph B. Wirthlin, Richard G. Fernandez, John R. Gibson,
Scott, Robert D. Hales, Jeffrey R. Stephen W. Hansen, Emmanuel A.
Holland e Henry B. Eyring. Todos a Kissi, B. Renato Maldonado, Jeffrey J.
favor, manifestem-se. Quem se opu- Marchant, Gerald A. Mead,
ser, manifeste-se. Hyae-Kee Min, Rodrigo Myrrha,
É proposto que apoiemos os con- Masayuki Nakano, Yasuo Niiyama,
selheiros na Primeira Presidência e Carlos L. Pedraja, Carlos A. Perez,
os Doze Apóstolos como profetas, D. Chad Richardson, Maury W.
videntes e reveladores. Todos a Schooff, M. Gonzalo Sepúlveda,
favor, pedimos que se manifestem. T. LaMar Sleight, John C. Taggart,

M eus irmãos e irmãs, o


Presidente Hinckley soli-
citou que eu apresentasse
agora a vocês as Autoridades Gerais,
Setentas-Autoridades de Área e
O organista Richard Elliott acompanha o Coro do Tabernáculo na sessão
da manhã de sábado.

presidências gerais das auxiliares da


Igreja para seu voto de apoio.
É proposto que apoiemos Gordon
Bitner Hinckley como profeta
vidente e revelador e Presidente de
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos
dos Últimos Dias; Thomas Spencer
Monson como Primeiro Conselheiro
na Primeira Presidência e James
Esdras Faust como segundo conse-
lheiro na Primeira Presidência.
Todos a favor manifestem-se. Os
que se opuserem manifestem-se.
É proposto que apoiemos Thomas
Spencer Monson como Presidente
do Quórum dos Doze Apóstolos;
J U L H O D E 2 0 0 2
23
Anthony R. Temple. Todos a favor,
manifestem-se. Quem se opuser, pelo
mesmo sinal.
É proposto que desobriguemos,
Relatório do
com um voto de agradecimento e
profundo apreço, Mary Ellen Wood
Smoot, Virginia Urry Jensen, e
Departamento de
Sheri L. Dew, da Presidência
Geral da Sociedade de Socorro.
Desobrigamos também todas as
irmãs membros da junta geral da
Auditoria da Igreja
Sociedade de Socorro. Todos a favor, Apresentado por Wesley L. Jones
Diretor Administrativo do Departamento de Auditoria da Igreja
manifestem- se. É proposto que
apoiemos Bonnie Rae Dansie Parkin
como a nova presidente geral da
Sociedade de Socorro, com Kathleen
Hurst Hughes como a primeira con-
selheira e Anne Clark Pingree como Para a Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos
segunda conselheira. Todos a favor, dos Últimos Dias
manifestem-se. Quem se opuser, pelo
mesmo sinal.
É proposto que apoiemos
as demais Autoridades Gerais,
Setentas-Autoridades de Área e
Presidências Gerais das Auxiliares
como constituídas atualmente. Todos
P rezados irmãos:
A Igreja de Jesus Cristo dos
Santos dos Últimos Dias man-
tém um departamento de auditoria
que realiza seu trabalho indepen-
equipe do Departamento de
Auditoria da Igreja é formada por
contadores credenciados, auditores
internos credenciados e outros profis-
sionais qualificados e credenciados.
a favor, pedimos que se manifestem. dente de todos os demais departa- Sob a direção da Primeira Presi-
Quem se opuser, manifeste-se. mentos e operações da Igreja. dência, o Departamento de
Parece-me, Presidente Hinckley, O diretor administrativo do Auditoria da Igreja tem autoridade
que os apoios foram unânimes. Departamento de Auditoria da para realizar auditorias em todos os
Obrigado, irmãos e irmãs, por sua Igreja responde direta e regular- departamentos e operações da Igreja
fé e orações contínuas.  mente à Primeira Presidência. A no mundo. O Departamento de

O interior do Centro de Conferências fica lotado para uma das sessões.

A L I A H O N A
24
Auditoria da Igreja tem acesso a
todos os registros, funcionários, pro-
priedades e sistemas necessários para
as auditorias de contribuições, de
Relatório Estatístico
despesas e de recursos. O risco é o
fator primário a orientar a seleção e
realização de auditorias.
da Igreja de 2001
Os gastos dos fundos da Igreja em Apresentado por F. Michael Watson
2001 foram autorizados pelo Con- Secretário da Primeira Presidência
selho de Disposição de Dízimos. Esse
conselho é composto pela Primeira
Presidência, Quórum dos Doze
Apóstolos e Bispado Presidente, con-
forme estabelecido por revelação.
Os gastos são controlados pelos
Departamentos de Orçamento e
Finanças sob a direção dos Comitês
de Dotação e Orçamento. A admi-
nistração dos orçamentos aprovados
foi auditada e um relatório foi
I rmãos e irmãs, a Primeira
Presidência emitiu o relatório a
seguir, referente ao crescimento
e à posição da Igreja até 31 de
dezembro de 2001:
(Montevidéu Uruguai, Winter
Quarters Nebraska, Guadalajara
México, Perth Austrália, Columbia
River Washington)
Número de templos
apresentado. em funcionamento .....................107
Com base no desempenho de nos- UNIDADES DA IGREJA
sas auditorias, o Departamento de Estacas .....................................2.607 MEMBROS PREEMINENTES FALECIDOS
Auditoria da Igreja acredita que sob Distritos ......................................618 DESDE ABRIL DO ANO PASSADO
todos os aspectos materiais, as contri- Missões .......................................333 Élder Loren C. Dunn, Autoridade
buições recebidas e os dispêndios efe- Alas e Ramos.........................26.084 Geral emérita e presidente do Templo
tuados durante o ano encerrado em de Boston Massachusetts; Élder
2001 foram administrados de acordo MEMBROS DA IGREJA Merlyn R. Lybbert, antigo membro
com as diretrizes orçamentárias apro- Total de membros ...........11.394.522 dos Setenta; Élder George R. Hill III,
vadas e com as normas e procedimen- Aumento no número de crianças antigo membro dos Setenta; Phyllis
tos estabelecidos pela Igreja. registradas..............................69.522 Nielsen Reeve, esposa de Rex C.
As atividades financeiras de orga- Conversos batizados ............292.612 Reeve, Sr., Autoridade Geral
nizações afiliadas à Igreja, que foram Emérita; Avanelle Richards Osborn,
administradas separadamente da MISSIONÁRIOS esposa de Spencer H. Osborn,
Igreja, não foram auditadas pelo Missionários de antigo membro dos Setenta; Naomi
Departamento de Auditoria da tempo integral .......................60.850 Ward Randall, antiga conselheira na
Igreja em 2001. Essas organizações presidência geral da Primária e
incluem a Deseret Management TEMPLOS autora do hino “Sou um Filho
Corporation e suas subsidiárias, a Templos dedicados em 2001...........5 de Deus”. 
Universidade Brigham Young e
outras instituições de ensino supe-
rior. Contudo, as atividades financei-
ras dessas organizações foram
auditadas por firmas de contabili-
dade independentes. Além disso, o
Departamento de Auditoria da
Igreja verificou que houve a apresen-
tação adequada dos relatórios com o
resultado da auditoria ao comitê de
auditoria de cada organização.
Submetemos respeitosamente,
DEPARTAMENTO DE
AUDITORIA
Wesley L. Jones
Diretor Administrativo
1º de abril de 2002 
J U L H O D E 2 0 0 2
25
respondeu: “Ainda que todos se

A Conversão Plena escandalizem, nunca, porém, eu”.


Então o Mestre profetizou solene-
mente: “Em verdade te digo que

Traz Felicidade hoje, nesta noite, antes que o galo


cante duas vezes, três vezes me
negarás”. Ao que Pedro respondeu
Élder Richard G. Scott
com mais veemência: “Ainda que
Do Quórum dos Doze Apóstolos me seja necessário morrer contigo,
de modo nenhum te negarei”.3
Para mim, uma das passagens mais
comoventes das escrituras é a que
descreve o que aconteceu depois.
Sua felicidade atual e eterna está condicionada ao seu grau Uma advertência discreta a cada um
de nós de que, saber o que é certo e
de conversão e à transformação que ela traz à sua vida. até desejar ardentemente fazer o que
é certo, não é o suficiente. Na ver-
logo voltam a fazer as mesmas coisas dade é, com freqüência, muito difícil
que decidiram abandonar. fazer aquilo que sabemos ao certo
O que é que diferencia a vida que devemos fazer. Lemos:
desses dois grupos? Como vocês “E como certa criada, vendo-o
podem tomar decisões corretas [Pedro] (. . .), disse: Este também
consistentemente? As escrituras estava com ele. Porém, ele negou-o,
dão -nos uma idéia. Imaginem o dizendo: Mulher, não o conheço.
entusiasta e impetuoso Pedro. (. . .) vendo-o outro, disse: Tu és
Durante três anos ele servira como também deles. Mas Pedro disse:
Apóstolo ao lado do Mestre, obser- Homem, não sou. (. . .) outro afir-
vando milagres e ouvindo ensina- mava, dizendo: Também este verda-
mentos transformadores e deiramente estava com ele, (. . .) E
explicações particulares das parábo- Pedro disse: Homem, não sei o que
las. Juntamente com Tiago e João, dizes. E logo, estando ele ainda a
Pedro assistiu à gloriosa transfigura- falar, cantou o galo. E, virando-se o
ção de Jesus Cristo, seguida das Senhor, olhou para Pedro, e Pedro
visitações de Moisés e Elias. 1 No lembrou-se da palavra do Senhor,
entanto, com tudo isso, o Salvador (. . .) E, saindo (. . .) para fora, cho-

C ada um de nós já observou


pessoas que passam a vida
consistentemente fazendo o
que é certo. Elas parecem ser felizes,
e são até mesmo entusiastas em
podia ver que ainda faltava consis-
tência a Pedro. O Mestre o conhecia
muito bem, como conhece a cada
um de nós. Lemos na Bíblia:
“Disse também o Senhor: Simão,
rou amargamente.”4
Por mais dolorosa que possa ter
sido para Pedro a confirmação da
profecia, sua vida começou a mudar
para sempre. Ele tornou-se aquele
relação à vida. Quando precisam Simão, eis que Satanás vos pediu servo decidido, firme como uma
tomar decisões difíceis parece que, (. . .). Mas eu roguei por ti, para que rocha, que era essencial para o
invariavelmente, tomam as decisões a tua fé não desfaleça; e tu, quando plano do Pai depois da crucificação
corretas, muito embora houvessem te converteres, confirma teus irmãos. e ressurreição do Salvador. Essa
outras alternativas tentadoras a seu E ele lhe disse: Senhor, estou emocionante passagem ilustra tam-
alcance. Sabemos que elas estão pronto a ir contigo até à prisão e à bém o quanto o Salvador amava
sujeitas à tentação, mas parecem morte”.2 Certamente essas não eram Pedro. Ainda que enfrentasse um
não notá-las. De modo semelhante, palavras vãs do ponto de vista de desafio esmagador à Sua própria
notamos que outras não são tão Pedro. Ele foi sincero no que disse, vida e carregasse nos ombros o peso
valentes em suas decisões. Em um mas agiu de modo diverso. de tudo que iria acontecer, Ele
ambiente que tenha grande influên- Mais tarde, no Monte das virou-Se e olhou para Pedro—o
cia do Espírito, elas resolvem melho- Oliveiras, Jesus profetizou a Seus amor de um Mestre foi transmitido
rar, mudar o curso de sua vida, discípulos: “Todos vós esta noite vos a um aluno querido dando-lhe cora-
deixar de lado os hábitos que as escandalizareis em mim; porque está gem e entendimento em um
debilitam. São muito sinceras em escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas momento de necessidade. Pedro ele-
sua determinação de mudar. Mas se dispersarão”. Mais uma vez, Pedro vou- se à plena estatura de seu
A L I A H O N A
26
chamado. Ele ensinou com poder e de uma crença ou curso de ação para contrárias ao evangelho de Jesus
testemunho inabalável, a despeito outro. A conversão é uma mudança Cristo simplesmente morreu. E, em
de ameaças, prisão e açoites. Estava espiritual e moral. Ser convertido seu lugar existe o amor a Deus, com
totalmente convertido. implica não meramente uma aceita- uma determinação sólida e dominante
Às vezes a palavra convertido é ção mental de Jesus Cristo e Seus de guardar Seus mandamentos.”
usada para descrever quando uma ensinamentos, mas também uma fé Para serem convertidos, vocês
pessoa sincera decide ser batizada. motivadora Nele e em Seu evange- precisam lembrar-se de aplicar dili-
No entanto, se usada de forma ade- lho. Uma fé que produza uma trans- gentemente em sua vida as palavras
quada, conversão significa muito mais formação, uma mudança real no chave: “o amor a Deus, com uma
do que isso, tanto para o recém con- entendimento de alguém quanto ao determinação sólida e dominante de
verso como para o membro antigo. significado da vida e em sua fideli- guardar Seus mandamentos”. Sua
Com característica clareza e precisão dade a Deus, em interesse, pensa- felicidade atual e eterna está condi-
doutrinária, o Presidente Marion G. mento e conduta. Naquele que se cionada ao seu grau de conversão e
Romney explicou a conversão: converteu verdadeira e plenamente, à transformação que ela traz à sua
“Ser convertido significa mudar o desejo pelas coisas que são vida. Como, então, podem tornar-se
verdadeiramente convertidos? O
Presidente Romney descreve os pas-
sos que precisam seguir:
“A filiação à Igreja e a conversão
não são necessariamente sinônimos.
Nem ser convertido e ter um teste-
munho não são necessariamente a
mesma coisa. Adquire-se um teste-
munho quando o Espírito Santo tes-
tifica a verdade ao pesquisador
honesto. Um testemunho como-
vente dá nova vida à fé. Isto é, ele
induz o arrependimento e a obe-
diência aos mandamentos. A con-
versão é o fruto ou a recompensa do
arrependimento e da obediência.”5
Em uma declaração simples, a
verdadeira conversão é o fruto da fé,
do arrependimento e da obediência
consistente. A fé, vem de se ouvir a
palavra de Deus6 e ser sensível a ela.
Vocês receberão, do Espírito Santo,
um testemunho confirmador de coi-
sas que aceitam pela fé ao executá-
las de bom grado. 7 Vocês serão
levados a arrepender-se de faltas
resultantes de coisas que fizeram de
errado ou das coisas boas que não
tiverem realizado. Como conseqüên-
cia, sua capacidade de obedecer con-
sistentemente será fortalecida. Esse
ciclo de fé, arrependimento, e obediên-
cia consistente irão conduzi-los a
uma conversão maior, com as bên-
çãos que dela advirão. A verdadeira
conversão fortalecerá sua capaci-
dade de fazer aquilo que sabem que
devem fazer e quando devem fazê-lo,
não importando as circunstâncias.
Em geral, considera-se que a pará-
bola do semeador, ensinada por Jesus,
J U L H O D E 2 0 0 2
27
passava por dificuldades: “Não obs-
tante, jejuavam e oravam freqüente-
mente e tornavam-se cada vez
mais fortes em sua humildade e cada
vez mais firmes na fé em Cristo,
enchendo a alma de alegria e con-
solo, sim, purificando e santificando o
coração, santificação essa resultante
da entrega de seu coração a Deus”.9
O Presidente Hinckley declarou
que é a verdadeira conversão que
faz a diferença.10
Para receberem as bênçãos pro-
metidas resultantes da verdadeira
conversão, talvez tenham que fazer
algumas mudanças em sua vida. O
descreve como a palavra do Senhor é propôs algo impróprio e vocês nada Salvador disse: “Não volvereis a
recebida por pessoas diferentes fizeram para resistir? mim agora, arrependendo-vos de
quando é pregada. Pensem por um “(. . .) [Alguns] recebem a vossos pecados e convertendo-vos,
momento, como a mesma parábola semente entre espinhos, os quais para que eu vos cure?(. . .) se vier-
pode se aplicar a vocês em circuns- ouvem a palavra; Mas os cuidados des a mim, tereis vida eterna.”11
tâncias diferentes de sua vida, deste mundo, (. . .) e as ambições de Presto testemunho de que, ao
quando enfrentam desafios ou ficam outras coisas, entrando, sufocam a pedirem orientação, o Espírito
sob fortes influências. A palavra, ou palavra, e fica infrutífera.” Santo os ajudará a identificar as
ensinamentos do Salvador, pode che- Já houve ocasiões em que vocês mudanças pessoais que precisam
gar a vocês de muitas maneiras: ao queriam tanto uma determinada fazer para conseguir a plena con-
observarem os outros, por meio de coisa que justificasse a quebra de versão. O Senhor poderá, então,
suas próprias orações, ao ponderarem seus padrões? abençoá-los mais abundantemente.
as escrituras, ou pela orientação do “(. . .) [Alguns] recebem a Sua fé Nele se fortalecerá, sua
Espírito Santo. À medida que repito a semente em boa terra são os que capacidade de arrependimento
explanação dada por Jesus a Seus dis- ouvem a palavra e a recebem, e dão aumentará, e sua energia para obe-
cípulos, a respeito da parábola, exa- fruto, um a trinta, outro a sessenta, decer consistentemente se refor-
minem mentalmente sua vida. Vejam outro a cem, por um.”8 çará. O Senhor vive. Ele os ama.
se existem períodos em que os ensina- Sei que essa é a forma como dese- Ao fazerem o melhor possível, Ele
mentos corretos encontram em vocês jam viver. A maneira com que vocês os ajudará. Em nome de Jesus
condições inadequadas para recebê- mais plenamente aceitam os ensina- Cristo. Amém. 
los e, conseqüentemente, os frutos mentos do Salvador e Sua doutrina,
prometidos de felicidade, paz, satisfa- por meio da obediência voluntária, NOTAS
ção e progresso se perdem. determina quantos frutos, vocês 1. Ver Mateus 17:3; 1 Reis 17:1; D&C
“O que semeia, semeia a palavra; colherão como bênçãos em sua vida. 110:13.
(. . .) [Alguns] junto do caminho Essa parábola ilustra que o grau com 2. Lucas 22:31–32; grifo do autor.
(. . .) mas, tendo-a eles ouvido, vem que, de bom grado, vocês obedecem 3. Ver Marcos 14:27, 29–31.
logo Satanás e tira a palavra que foi as coisas que sabem que devem fazer, 4. Lucas 22:56–62.
semeada nos seus corações.” resistindo à racionalização que pode 5. Conferência de Área da Guatemala,
Isso poderia acontecer a vocês, tentá-los a fazer o oposto, determi- 21 e 22 de fevereiro de 1977, pp. 8–9.
no ambiente errado e com as amiza- nará quão verdadeiramente conver- 6. Ver Romanos 10:17; Joseph F. Smith,
des erradas? tidos vocês estão. Ela ilustra, Doutrina do Evangelho, 7a Edição, p. 99.
“(. . .) [Alguns] (. . .) sobre portanto, com que amplitude o 7. Ver Éter 12:6.
pedregais; os quais, ouvindo a pala- Senhor pode abençoar sua vida. 8. Marcos 4:14–20.
vra, logo com prazer a recebem; A verdadeira conversão produz o 9. Helamã 3:35.
Mas não têm raiz em si mesmos, fruto da felicidade duradoura que 10. Seminário de Representantes
antes são temporãos; depois, sobre- pode ser desfrutado ainda que o Regionais, 6 de abril de 1984, citado
vindo (. . .) perseguição (. . .) logo mundo esteja em tumulto e não por W. Mack Lawrence, “Conversão e
se escandalizam.” esteja sentindo nenhuma alegria. O Compromisso”, A Liahona, julho de 1996,
Alguma vez já estiveram em uma Livro de Mórmon ensina o seguinte a p. 78.
circunstância em que alguém lhes respeito de um grupo de pessoas que 11. 3 Néfi 9:13–14.

A L I A H O N A
28
Fomos amigos durante os cursos pri-

Verdadeiros Amigos mário e secundário, e então separa-


mos-nos quando passamos a
freqüentar [escolas] diferentes.
Élder Henry B. Eyring Mbuti foi batizado em abril de
Do Quórum dos Doze Apóstolos 1999 e 4 semanas mais tarde, ele veio
até minha casa para visitar-me e falar-
me a respeito do evangelho. Apesar
dos rumores que ouvira sobre a Igreja,
fiquei impressionado com os mem-
Todos seremos provados. E todos precisamos de amigos bros que me receberam calorosa-
verdadeiros que nos amem, que nos escutem, que nos mostrem mente em minha primeira visita.
Nesse mesmo domingo meu amigo
o caminho e que testifiquem a respeito da verdade para nós. apresentou-me aos missionários.
Marcaram dias para ensinar-me. Meu
entrarmos nesse caminho e nele amigo esteve presente a todas as
avançarmos bastante e então falhar- palestras, e sempre me convidava
mos com o Senhor e O negarmos, para as atividades. Era muito bom
teria sido melhor se nunca tivésse- estar entre pessoas que tinham os
mos iniciado a caminhada.2 mesmos valores, interesses, padrões e
Penso a esse respeito cada vez que objetivos. Foi durante esse tempo que
me encontro com membros novos da comecei a freqüentar o Instituto [de
Igreja. Tenho essa oportunidade fre- Religião]. Tudo parecia muito natu-
qüentemente por todo o mundo. ral: às quintas-feiras [17h30] pales-
Vejo seu rosto confiante e muitas tras missionárias, a seguir, o Instituto.
vezes eles me falam de algumas das Aprendi muitas coisas no Instituto
provas a que sua fé é submetida e e gostei de nossa classe a respeito de
então, com um tom de desespero na como conseguir um casamento celes-
voz, eles suplicam: “por favor, ore tial. O primeiro semestre terminou
por mim”. Nesses momentos sinto em maio, logo após eu ter começado
novamente o peso da responsabili- a freqüentá-lo e senti-me frustado.
dade dada a cada um de nós pelo Mas fiquei feliz por poder participar
profeta vivo do Senhor. É a promessa do curso do segundo semestre sobre

A cada ano, centenas de


milhares dos filhos de nosso
Pai Celestial entram para A
Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos
Últimos Dias. Para a maioria isso
simples que fizemos nas águas do
batismo de “(. . .) carregar os fardos
uns dos outros (. . .)”3 Isso é ser um
amigo. Essas palavras do Presidente
Hinckley instilam-me energia:
Ensinamentos dos Profetas Vivos.
Enquanto frequentava o insti-
tuto, comprei as quatro obras-
padrão e continuei a aprender e a
crescer na Igreja, linha sobre linha,
requer uma grande mudança na “(. . .)Espero, oro, suplico a vocês, a preceito sobre preceito, um pouco
vida. Todos fazem um convênio cada um de vocês, a adotar cada aqui, um pouco ali. Fui batizado no
sagrado com grandes promessas e novo membro da Igreja. Tornem-se dia 17 de setembro de 1999 por um
com um solene compromisso de per- seus amigos. Apeguem-se a eles”.4 outro amigo que conheci enquanto
severarem. Tal convênio é tão O Presidente Hinckley não pode freqüentava o instituto.
importante que nosso Pai Celestial estar presente e ser amigo de cada Sou grato pelo programa do
descreveu as bênçãos e as dificulda- membro novo. Mas vocês podem ser Instituto. Ele não apenas me moldou,
des ao profeta Néfi: esse amigo, de pelo menos um deles. mas também ajudou a qualificar-me
“E ouvi a voz do Pai, dizendo: Tudo o que é necessário é que sin- para a missão e começar cinco meses
Sim, as palavras do meu Amado são tam um pouco do que eles sentem e após meu batismo a preparação para
verdadeiras e fiéis. Quem perseverar um pouco do que o Salvador sente ela. Fui abençoado com muitas opor-
até o fim, esse será salvo. por eles. Tentem sentir o que vai no tunidades de servir e de ensinar
E agora, meus amados irmãos, sei coração de um rapaz, Nkosiyabo mesmo antes de minha missão.
por isso que, a menos que o homem Eddie Lupahla, na África, ao escre- Sou grato a meu amigo, espero
persevere até o fim, seguindo o ver a respeito de seu amigo. que ele saiba o que fez por mim.
exemplo do Filho do Deus vivente, “Há dois anos e meio, antes de Ambos servimos como missionário,
não poderá ser salvo”.1 filiar-me à Igreja em 1999, meu bom eu fui para África do Sul Durban e
O Salvador adverte que se amigo, Mbuti Yona procurou-me. ele, para África do Sul Cidade do
J U L H O D E 2 0 0 2
29
Cabo. Tudo o que se precisa é de um que, se entrardes pelo caminho e orava com fé no Salvador. Ele rece-
amigo para que ocorra uma mudança receberdes o Espírito Santo, ele vos bia testemunho e orientação por
tão grande na vida de alguém.”5 mostrará todas as coisas que deveis intermédio do Espírito. Não apenas
Aparentemente não há nada fazer.” 7 O Espírito Santo deve ter fazia as coisas que lhe eram solicita-
milagroso nessa história. Mas há um dito a ele que começasse a se prepa- das, como também pedia a Deus
milagre de sabedoria que vai além rar para a missão, e ele o fez. que fizesse com que o Sacrifício
da capacidade humana. Não sabemos que amigos o Expiatório agisse em sua vida.
Talvez por já ter trilhado aquele acompanharam às reuniões sacra- Néfi descreve essa mudança
caminho ou talvez por meio de reve- mentais, tanto antes como depois milagrosa e sua causa:
lação, Mbuti sabia o que seu amigo do batismo, mas alguns certamente “E agora, meus amados irmãos,
teria que passar. E por isso sabia o receberam tão calorosamente percebo que ainda meditais em
como apoiá-lo e ajudá-lo. como o fizeram em sua primeira vosso coração; e é-me doloroso
Ele apresentou o amigo aos mis- visita. Ali ele renovou seus convê- falar-vos sobre isso. Porque, se dés-
sionários. Ele ajudou o amigo a ser nios de sempre se lembrar do seis ouvidos ao Espírito que ensina o
batizado e a receber o dom do Espírito Salvador, guardar Seus mandamen- homem a orar, saberíeis que deveis
Santo. Ele levou o amigo, antes tos, e recebeu novamente a pro- orar; porque o espírito mau não
mesmo do batismo, a um lugar onde messa da companhia do Espírito ensina o homem a orar, mas ensina-
ele poderia estudar as escrituras e Santo. Não sabemos que papel seus lhe que não deve orar.
ser nutrido pela boa palavra de amigos desempenharam quando foi Mas eis que vos digo que deveis
Deus. Ainda antes do batismo ele convidado a servir e a discursar. Mas orar sempre e não desfalecer; e nada
ajudou o amigo a descobrir esta pro- podemos ter certeza de que todos deveis fazer para o Senhor sem
messa: “(. . .) Por isto eu vos disse: agradeceram a ele e que lhe disse- antes orar ao Pai, em nome de
Banqueteai-vos com as palavras de ram quando sentiram o espírito em Cristo, para que ele consagre para
Cristo; pois eis que as palavras de seu serviço e no que ensinava. vós a vossa ação, a fim de que a
Cristo vos dirão todas as coisas que Podemos saber um pouco de sua vossa ação seja para o bem-estar de
deveis fazer.”6 As palavras devem ter vida pessoal. Ele escreveu que conti- vossa alma.”8
dito a ele que comprasse as escritu- nuava a aprender. Escreveu que O Espírito Santo é um Consolador
ras e ele o fez. crescia na Igreja, “linha por linha, e um orientador. Mas é também um
No batismo, o irmão Lupahla preceito por preceito, um pouco aqui agente purificador. É por isso que é
recebeu o dom do Espírito Santo e um pouco ali”. Disse que tinha tão importante perseverar quando
para ser seu companheiro constante, sido moldado por sua experiência no prestamos serviço no Reino. Quando
desde que O convidasse e fosse digno instituto do Sistema Educacional da somos chamados a servir podemos
Dele. Isso garantiu-lhe a promessa: Igreja. Sabemos, pelas escrituras, o orar com segurança para que
“Pois eis que vos digo novamente que causou essas mudanças nele. Ele o Espírito Santo seja nosso

Os Élderes Henry B. Eyring, Jeffrey R. Holland e Richard G. Scott, do Quórum dos Doze Apóstolos, contemplam
a congregação, enquanto os membros da Primeira Presidência conversam antes de uma sessão da conferência.

A L I A H O N A
30
companheiro. Quando pedimos com este, de dar alguém a sua vida pelos e isto para que se cumpra a palavra
fé, uma mudança pode ocorrer em seus amigos. que diz que ele tomará sobre si as
nossa natureza tanto para o bem- Vós sereis meus amigos, se fizer- dores e as enfermidades de seu povo.
estar de nossa alma como para nos des o que eu vos mando. E tomará sobre si a morte, para
tornar fortes, a fim de enfrentar os Já vos não chamareis servos, por- soltar as ligaduras da morte que
desafios que teremos. que o servo não sabe o que faz o seu prendem o seu povo; e tomará sobre
Existem limites no que os amigos senhor; mas tenho-vos chamado si as suas enfermidades, para que se
podem fazer para ajudar aqueles que amigos, porque tudo quanto ouvi de lhe encham de misericórdia as
precisam perseverar. São os novos meu Pai vos tenho feito conhecer.”9 entranhas, segundo a carne, para
membros que devem orar. São eles O Salvador cuida do membro que que saiba, segundo a carne, como
que devem confiar na força que passa por dificuldades, como um socorrer seu povo, de acordo com
receberão em resposta à suas ora- amigo. Ele deu Sua vida por todos suas enfermidades.”10
ções. Eles precisam, pela fé, decidir nós. Ele nos ama e nos concederá, se Terceiro, precisamos ser exemplos
por si mesmos se serão batizados, formos fiéis, o dom de sentirmos uma para o novo membro. Podemos ban-
confiando em seu amigo perfeito, o parte de Seu amor por eles. Tenho quetear-nos nas palavras de Deus.
Salvador. Devem escolher, pela fé sido abençoado, em certas ocasiões, Podemos pedir e viver para merecer
Nele, a se arrependerem, a serem pelo Espírito Santo para poder sentir a companhia do Espírito Santo.
humildes e contritos. o amor que o Salvador tem por um Podemos ser obedientes devido à
Eles precisam decidir-se a receber membro novo que está com dificul- nossa fé em Jesus Cristo. E podemos
o dom do Espírito Santo. As palavras dades. Sei que isso é possível. tornar-nos exemplo de um discípulo
da confirmação como membro da Segundo, precisamos ouvir aos que nasceu de novo por meio da
Igreja são um convite: “Recebe o membros novos com compreensão e Expiação. Isso acontecerá gradual-
Espírito Santo”. E essa decisão não é empatia. Isso também exige dons mente. Talvez seja difícil reconhecer
feita somente uma vez, mas a cada espirituais, já que nossas experiên- essa mudança em nós mesmos. Mas
dia, a cada hora, a cada minuto. cias raramente poderão se comparar ela ocorrerá. E dará esperança ao
Mesmo quando o Espírito Santo às deles. Não é suficiente dizer: “Eu novo membro e a todos que se tor-
vem e os inspira no que devem fazer, compreendo, sei como você se narem nossos amigos na senda da
fazê-lo ou não fazê-lo é uma escolha. sente”, a menos que seja verdade. vida eterna.
Mesmo quando eles lêem as escritu- Mas o Salvador sabe. Ele está prepa- Quarto, precisamos prestar teste-
ras regularmente, é preciso tomar a rado para ajudá-los a serem amigos munho da verdade ao membro novo.
decisão de “[banquetear-se] nas que compreendem até mesmo aque- Deve ser sincero e será melhor se for
palavras de Cristo” . E mesmo o ban- les que acabaram de conhecer, se simples. Ajudará mais quando for
quete não nutre sem a decisão de pedirem com fé. Antes que Ele nas- sobre a realidade e a missão do
fazer o que as palavras de Cristo lhes cesse, os profetas sabiam o que Ele Salvador, sobre o amor de nosso Pai
dizem para fazer. Ao se exercitar a fé faria para poder ajudá-los a serem Celestial e dos dons e da companhia
e ao praticar a obediência por tempo amigos por Ele: do Espírito Santo. E é sempre essen-
suficiente, o Espírito Santo torna-Se “E ele seguirá, sofrendo dores e cial testificar que o Pai e o Filho apa-
um companheiro constante e a per- aflições e tentações de toda espécie; receram ao jovem Joseph Smith e que
severança é garantida.
O membro precisa fazer suas esco-
lhas, mas um verdadeiro amigo é
vital. Existem meios importantes
pelos quais vocês podem comparti-
lhar a carga de um membro novo e
torná-la mais leve. Podemos amar,
ouvir, dar exemplo e testificar. Em pri-
meiro lugar, precisamos amá-los. É
isso que o Salvador faz. Podemos fazê-
lo com Ele e por Ele. Ele mostrou-nos
o caminho em seu ministério mortal.
Ensinou por preceito e exemplo que
devemos amar Seus discípulos.
“O meu mandamento é este: Que
vos ameis uns aos outros, assim
como eu vos amei.
Ninguém tem maior amor do que
J U L H O D E 2 0 0 2
31
a plenitude do evangelho e a Igreja
verdadeira foram restaurados por
Mensageiros Celestiais. O Espírito
Santo irá confirmar que essas declara-
Obediência e Fé
ções simples são verdadeiras. Élder R. Conrad Schultz
O membro novo precisará dessa Dos Setenta
confirmação, repetidamente, até
mesmo quando não estivermos por
perto para testificar. Caso decidam
rejeitar a companhia do Espírito
Santo, ele ou ela não conseguirá “Obediência movida pela fé” é uma questão de confiança.
resistir. Mas isso ocorre com todos A pergunta é simples: Confiamos no Pai Celestial? Confiamos
nós, não importa onde estejamos e
quão fiéis tenhamos sido. Todos em nossos profetas?
seremos provados. E todos precisa-
mos de amigos verdadeiros que nos Todos nós estávamos usando coletes
amem, que nos escutem, que nos salva-vidas e, com certa dificuldade,
mostrem o caminho e que testifi- manobramos o barco, metade dele
quem a respeito da verdade para cheio d’água, até o local onde ele
nós, para que possamos reter a flutuava, e o resgatamos.
companhia do Espírito Santo. Fomos atingidos por uma daque-
Vocês precisam ser esses amigos las ondas repentinas que surgem
verdadeiros. sem aviso prévio. Não é comum isso
Ainda posso lembrar-me como se acontecer e não há meios de prever
fosse hoje dos amigos que há muito a chegada dela. Mais tarde, soube-
tempo tocaram minha vida para o mos que ao longo da costa, de
bem. Eles já partiram, mas a lem- Oregon a Washington, cinco pessoas
brança de seu amor, exemplo, fé e morreram afogadas naquele dia, em
testemunho ainda me sustém. Sua três acidentes de barco, cada um
amizade com pelo menos um mem- num local diferente. Todos foram
bro novo poderá, nesta vida e na causados pela mesma onda, que sem
vindoura, fazer com que centenas ou nenhuma razão aparente surgiu na
mesmo milhares dos antepassados e superfície do mar. Quando consegui-
dos descendentes dele, os chamem
abençoados.
Esta é a verdadeira Igreja de Jesus
Cristo. Ele vive. Ele os ama, e ama
àqueles a quem vocês devem servir e
N o mundo em que vivemos,
as coisas nem sempre são o
que parecem. Às vezes não
nos damos conta das forças terríveis
que nos influenciam. As aparências
mos passar por cima do banco de
areia, o mar estava calmo e não
dava nenhum sinal de perigo. Mas o
mar mostrou-se muito traiçoeiro e
bem diferente do que parecia.
que se tornarão seus verdadeiros podem ser muito enganosas. Quando trilhamos nosso cami-
amigos eternamente. Há alguns anos, tive uma expe- nho pela vida, devemos estar conti-
No sagrado nome de Jesus Cristo. riência com falsas aparências cujos nuamente vigilantes e ficar atentos
Amém.  resultados poderiam ter sido trági- a essas coisas enganadoras e não nos
cos. O primo de minha mulher e sua prender às aparências. Se não for-
NOTAS família vieram de Utah visitar-nos. mos cuidadosos, aquela onda repen-
1. 2 Néfi 31:15–16 Era um dia calmo de verão na costa tina da vida pode ser tão mortal
2. Ver 2 Néfi 31:14; D&C 40:1; D&C do Oregon e estávamos pescando no como aquela do mar.
41:5–6. mar. Estava agradável e nós nos Uma das táticas furtivas do
3. Mosias 18:8. divertíamos muito pegando salmões Adversário é fazer-nos acreditar
4. Reunião em Edmonton, Alberta, quando, por alguma razão, eu me que obedecer aos princípios e man-
Canadá, 2 de agosto de 1998. virei e vi uma onda gigantesca de damentos de Deus sem questionar
5. Correspondência pessoal. 2,5 m prestes a cair sobre nós. Só é obediência cega. Seu objetivo é
6. 2 Néfi 32:3. tive tempo de gritar um aviso antes fazer-nos acreditar que devemos
7. 2 Néfi 32:5. que a onda nos atingisse cobrindo seguir nossos próprios caminhos
8. 2 Néfi 32:8–9. toda a embarcação. Seja como for, o mundanos e ambições egoístas. Isso
9. João 15:12–15. barco ficou firme, mas Gary, o primo ele faz persuadindo-nos a crer que
10. Alma 7:11–12. de minha mulher, foi atirado ao mar. seguir os profetas e obedecer aos
A L I A H O N A
32
Uma família pára diante da estátua de O Cristo, no Centro de Visitantes Norte da Praça do Templo.

mandamentos “cegamente” não é simples: Confiamos no Pai Celestial? filhos que os amamos, ler as escritu-
pensar por si mesmo. Ele ensina Confiamos em nossos profetas? ras, pagar dízimos e ofertas, ir às reu-
que não é inteligente fazer algo Outra cilada do Adversário é niões da Igreja, e assim por diante.
somente porque um profeta vivo ou fazer-nos acreditar que a sabedoria O Pai Celestial comunica-Se de
profetas das escrituras assim nos do mundo e o que ele tem a nos modo muito claro com Seus filhos.
instruíram. ensinar é a única fonte de conheci- Nos ensinamentos do evangelho
O fato de obedecermos aos man- mento que devemos usar. O irmão não existe o sonido incerto do qual
damentos de Deus sem questionar do profeta Néfi, Jacó, compreendeu Paulo fala. (Ver I Coríntios 14:8.)
não é obediência cega. O Presidente o plano do Adversário e alertou-nos Não há nenhuma pergunta a res-
Boyd K. Packer, na conferência de quanto a isso: peito do significado do que está
abril de 1983, ensinou: “Os santos “Oh! Quão astuto é o plano do sendo dito ou sobre os sussurros do
dos últimos dias não são obedientes maligno! Oh! A vaidade e a fraqueza e Espírito. Não nos deixaram sozi-
porque são compelidos a isso. Eles a insensatez dos homens! Quando são nhos. Temos as escrituras, os profe-
são obedientes porque conhecem instruídos pensam que são sábios e não tas, pais que nos amam e líderes.
certas verdades espirituais e decidi- dão ouvidos aos conselhos de Deus, Por que às vezes nos desviamos do
ram, numa manifestação de seu pró- pondo-os de lado, supondo que sabem caminho? Por que nos deixamos
prio arbítrio individual, obedecer por si mesmos; portanto sua sabedoria influenciar pelas trapaças do
aos mandamentos de Deus. (. . .) é insensatez e não lhes traz proveito. Adversário? A solução para essas cila-
Não somos obedientes porque E eles perecerão.” (2 Néfi 9:28) das é simples na teoria, mas às vezes
somos cegos; somos obedientes por- Jacó não disse que não devería- difícil na prática. O Presidente
que vemos”. (“Agency and Control”, mos nos instruir. Ele continua seu Harold B. Lee, na conferência de
Ensign, maio de 1983, p. 66) discurso, dizendo que é bom ser ins- outubro de 1970, falou sobre o
Poderíamos chamar isso de “obe- truído quando ouvimos os conselhos Senhor, o Adversário e a solução para
diência movida pela fé”. Tendo fé, de Deus. enfrentar o poder de suas armadilhas.
Abraão foi obediente e preparou Alguns acreditam que podemos “Temos algumas provações difí-
Isaque para o sacrifício; pela fé, Noé escolher quais mandamentos de ceis para enfrentar antes que o
obedeceu e construiu a arca; pela fé, Deus seguir. Por conveniência, rotu- Senhor complete sua obra nesta
Néfi foi obediente e obteve as placas lam muitos mandamentos como Igreja e no mundo nesta dispensa-
de latão; e também pela fé, uma insignificantes, coisas que podem ser ção. (. . .) O poder de Satanás
criancinha obedece e pula do alto ignoradas e que não oferecem aumentará; vemos isso em toda a
para os braços fortes do pai. ameaça à vida ou não são muito parte. (. . .)Devemos aprender a dar
“Obediência movida pela fé” é uma importantes. Por exemplo, orar, ouvidos às palavras e mandamentos
questão de confiança. A pergunta é guardar o Dia Santificado, dizer aos que o Senhor dará por intermédio
J U L H O D E 2 0 0 2
33
de Seu profeta. (. . .) Algumas coisas
exigirão paciência e fé.” (Conference
Report, outubro de 1970, p. 152)
O Presidente Lee acrescentou um
Dispostos a Aprender
alerta ao continuar seu discurso, Élder Robert R. Steuer
dizendo que podemos às vezes não Dos Setenta
gostar do que dizem as autoridades
da Igreja porque podem entrar em
conflito com nosso ponto de vista ou
interferir com alguma coisa em nossa
vida social. Entretanto, se ouvirmos Sendo ensináveis, ativamos toda a força e bênçãos da Expiação
e fizermos essas coisas como se fos- em nossa vida.
sem ditas pelo próprio Senhor, não
seremos enganados e receberemos
grandes bênçãos. sejam humildes e fiéis, procurando
Esse conceito traz-nos de volta à manter o Espírito do Senhor e Ele as
obediência. Devemos sempre ser conduzirá no caminho correto.
obedientes. Faz parte do plano de Tomem cuidado para não repelir a
felicidade eterna. Não conheço voz mansa e delicada, que as ensi-
nenhuma doutrina mais crucial para nará o que fazer e aonde ir. Ela irá
o nosso bem-estar nesta vida e na produzir os frutos do reino”.3
próxima. Todas as escrituras ensinam Como nos colocamos em condi-
obediência e nunca houve um após- ções de receber esse poder de instru-
tolo ou profeta que não tenha ensi- ção divina em nossa vida? Primeiro,
nado o princípio da obediência. precisamos estar dispostos a aprender.
Às vezes é necessário ser obe- Enquanto muitas pessoas natural-
diente mesmo quando não entende- mente têm fome e sede de retidão,
mos a razão para a lei. É preciso ter fé outras podem ser forçadas a ser
para ser obediente. O Profeta Joseph humildes.4 Alguns de nós, em vez de
Smith, ao ensinar sobre esse assunto, seguir instruções ou modificar a si
disse que tudo quanto Deus requer é mesmos, gostariam de simplesmente
justo, embora não possamos com- mudar as regras. Naamã sem dúvida
preender porque razão Ele ordena
isso ou aquilo, senão até depois de
muito tempo. [Ver Ensinamentos do
Profeta Joseph Smith, sel. Joseph
Fielding Smith (1976), p. 250]
O s verdadeiros discípulos do
Mestre são ensináveis. Em
poucas palavras, Abraão
mostrou-nos claramente porque ele
foi tão extraordinariamente aben-
queria livrar-se da lepra, mas ficou
furioso quando o mensageiro do
Senhor disse-lhe que apenas se
lavasse sete vezes no rio Jordão. Era
constrangedor, simples demais; além
Sou grato por termos usado cole- çoado. Ele viveu “desejando receber disso, ele achava que os rios da sua
tes salva-vidas naquele dia no mar. instruções e guardar os mandamen- terra eram melhores do que o Jordão.
Agradeço por ter conseguido evitar a tos de Deus”.1 Desejar receber ins- Porém, Naamã foi curado da lepra
tragédia que atingiu outras pessoas truções é muito mais do que ter quando ouviu seus servos, mudou de
devido àquela onda repentina. Oro disposição para ouvir. Quando nosso idéia e agiu “conforme a palavra do
para que continuemos a usar nossos desejo de receber instruções é mais homem de Deus”.5 Ele soube de um
coletes salva-vidas da obediência a forte do que nosso comodismo em modo dramático que havia um pro-
fim de evitarmos a tragédia que cer- permanecer como estamos, tor- feta de Deus em Israel. Nós também
tamente cairá sobre nós se formos namo-nos ensináveis. devemos reconhecer que Deus tem
enganados e sucumbirmos às tenta- O Presidente Brigham Young leis reguladoras e que Sua sabedoria é
ções do Adversário. ensinou que nossa “primeira respon- maior do que a nossa. 6 O próprio
Presto testemunho que nosso Pai sabilidade [é] procurar o Senhor até Moisés declarou, após ver a majestade
Celestial vive, que Ele nos ama e abrirmos a via de comunicação e a obra de Deus: “O homem nada é,
que, sendo obedientes e não questio- entre Deus e nossa própria alma”2. coisa que nunca havia imaginado”.7
nando Seus mandamentos, podere- Pouco depois da morte do Profeta Segundo: Precisamos ter também
mos novamente habitar com Ele e Joseph Smith, Brigham Young falou uma atitude condizente ao aprendi-
Seu Filho Jesus Cristo, nosso a respeito de um sonho no qual zado. Isso ocorre quando pondera-
Salvador e Redentor. Em nome de Joseph o visitou para dar-lhe instru- mos e nos esforçamos muito em
Jesus Cristo. Amém.  ções: “(. . .) Diga às pessoas que espírito. 8 É um esforço genuíno.
A L I A H O N A
34
Significa buscar as escrituras, dar nem a conseqüência delas. Mas Ele respondeu que às vezes vinha-
atenção a elas e estudá-las. Quando como somos livres para agir por nós lhe alguma inspiração ou o Espírito
somos humildes e desprovidos de mesmos, a vida às vezes pode ser sussurrava-lhe algo. Ele gostava de
orgulho, nosso coração é enterne- uma jornada difícil na qual não é tirar o cartão do bolso e escrever o
cido, e então podemos nos concen- fácil concentrar nossa mente e nosso que sentia, a qualquer momento que
trar nos conselhos e instruções coração nas verdades de Deus. tivesse a inspiração, e depois ten-
celestiais. O pai de Lamôni, o pode- Porém, como disse o Presidente tava agir de acordo com o que rece-
roso rei lamanita, concentrou-se Thomas S. Monson: “O Senhor bera, o mais depressa possível.
exatamente nisso, até mesmo caindo espera que pensemos. Espera que tra- Sentimo -nos mais humildes ao
por terra para demonstrar seu balhemos. Espera nosso testemunho constatarmos que aquela voz mansa
grande compromisso de conhecer a e nossa dedicação”.14 e delicada está sempre pronta a nos
Deus. Ele declarou: “Abandonarei Para tornar-nos ensináveis passa- mostrar o que fazer e aonde ir. O
todos os meus pecados para conhe- mos por um processo no qual apren- Senhor nos diz que quanto mais
cer-te, para que eu possa ser levan- demos linha sobre linha. Nesse damos ouvidos a essa voz, mais
tado dentre os mortos e salvo no processo, convertemos pensamentos vezes ela se dirige a nós. Se real-
último dia”.9 e sentimentos em ações. Mas há mente não a seguirmos, essa voz
Terceiro: Precisamos ser obedien- grandes recompensas para o exercício acaba por desaparecer.
tes à instrução que recebemos. Alma de nossa fé ao abrirmos o caminho da Como resultado de tornar-nos
disse: “[se puseres] à prova minhas comunicação com Deus. O Senhor ensináveis ganhamos um testemu-
palavras, e exercerdes uma partícula disse: “Abençoados os que dão ouvi- nho ainda maior do cuidado que o
de fé”.10 Néfi disse simplesmente: “Eu dos aos meus preceitos e escutam os Pai Celestial tem conosco. Temos a
irei e cumprirei”.11 Que atitude mara- meus conselhos, porque obterão sabe- segurança e a certeza de que o nosso
vilhosa de submissão e obediência doria”.15 Ele também disse: “E todo curso na vida está de acordo com
quando aceitou o conselho do pai de aquele que dá ouvidos à voz do Sua vontade.17 Temos até razões para
ir buscar as placas de latão, quando Espírito vem a Deus, sim, o Pai”.16 sermos bons, para sermos honestos e
lhe foi mostrado onde deveria caçar e Há alguns anos, lembro-me de razões para mudar nosso comporta-
como construir um navio!12 Em todos ter perguntado ao meu sogro, um mento. Sendo ensináveis, ativamos
os casos ele agiu com confiança, indo bispo muito experiente, a respeito toda a força e bênçãos da Expiação
em frente, “não sabendo de ante- de um pequeno cartão que ele sem- em nossa vida. Passamos a ser sensí-
mão” 13 as coisas que deveria fazer pre carregava no bolso da camisa. veis aos sussurros do Espírito Santo
J U L H O D E 2 0 0 2
35
de maneira que os princípios ensina-
dos pelos profetas e as verdades da
Terra são capazes de colocar Cristo
profundamente em nossa vida. 18
O Evangelho em
Tornamo -nos Seus verdadeiros
discípulos.
Amando essas verdades com todo
Nossa Vida
o nosso coração, desenvolvemos Élder Dallin H. Oaks
uma forte ligação entre nós e a Do Quórum dos Doze Apóstolos
Fonte da própria verdade, “pois a
inteligência apega-se à inteligência;
a sabedoria recebe a sabedoria; a
verdade abraça a verdade [e] a vir-
tude ama a virtude”.19 Portanto, des- Ele nos deu Sua Expiação, Seu Evangelho e Sua Igreja,
cobriremos que as coisas que mais
valorizamos e gostamos são aquelas uma sagrada combinação que nos proporciona a certeza
que nós pessoalmente aprendemos de imortalidade e a oportunidade de vida eterna.
do Senhor.
Testifico que por intermédio do Deus. Ambos estão perdendo algu-
Profeta Joseph Smith recebemos inú- mas das bênçãos especiais desta vida
meras revelações de verdade que e arriscam-se a perder as mais glo-
prestam testemunho do Sacrifício riosas bênçãos da vida futura.
Expiatório de Jesus Cristo. Sendo O Senhor deu profetas e apósto-
ensináveis, veremos com mais cla- los, conforme ensinou Paulo, para “o
reza, escutaremos e seremos obe- aperfeiçoamento dos santos, para a
dientes a essas revelações que obra do ministério, para edificação
continuam sendo dadas hoje por do corpo de Cristo”. (Efésios 4:12)
intermédio de nossos apóstolos, pro- As pessoas que não estão partici-
fetas, videntes e reveladores. Em pando plenamente na Igreja de Jesus
nome de Jesus Cristo. Amém.  Cristo dos Santos dos Últimos Dias
e procurando uma conversão espiri-
NOTAS tual pessoal estão perdendo expe-
1. Abraão 1:2. riências essenciais no Grande Plano
2. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: de Felicidade estabelecido por Deus.
Brigham Young (1997), p. 41. Os ensinamentos e o trabalho da
3. Citado por Brigham Young em Igreja são essenciais para levar a
Ensinamentos dos Presidentes da Igreja:
Brigham Young, p. 41.
4. Ver Mateus 5:6 e Alma 32:13.
5. Ver II Reis 5:1–14.
6. Ver D&C 93:30.
H á alguns anos vi uma tira de
jornal que mostrava um
ministro religioso conver-
sando com um casal montados numa
motocicleta e vestidos como hippies.
efeito a vida eterna do homem. (Ver
Moisés 1:39.)
Oro para que muitos que ouvi-
rem minhas palavras venham a ter
um testemunho espiritual da impor-
7. Moisés 1:10. “Nós vamos à igreja, sim”, disse um tância da missão da Igreja de edifi-
8. Ver Alma 17:5. deles ao ministro religioso. “Estamos car e exaltar os filhos de Deus. Oro
9. Ver Alma 22:17–18. indo para lá há muitos anos (. . .) só especialmente para que alguns que
10. Alma 32:27. que ainda não chegamos.”1 ainda não estejam desfrutando as
11. 1 Néfi 3:7. Muitos de nossos parentes e ami- bênçãos da plena participação e do
12. Ver 1 Néfi 3:4; 16:23–32, 17:8–11. gos ainda não chegaram à igreja comprometimento na Igreja pro-
13. 1 Néfi 4:6. também. Eles podem freqüentar curem e adquiram esse testemunho
14. “Ao Resgate”, A Liahona, julho de esporadicamente, mas ainda não e coloquem-no em prática.
2001, p. 58. estão desfrutando todas as bênçãos Há aproximadamente dez anos,
15. 2 Néfi 28:30. da participação e do serviço na quando eu estava numa conferência
16. D&C 84:47. Igreja. Outros talvez freqüentem de estaca nos Estados Unidos, fui
17. Ver Joseph Smith, comp., Lectures regularmente mas deixam de assu- apresentado a um membro que não
of Faith (1985), p. 38. mir compromissos e não procuram o participava na Igreja por muitos
18. Ver Moisés 7:62. próprio renascimento espiritual que anos. Aquele membro perguntou-
19. D&C 88:40. resulta da entrega do coração a me: “Por que devo voltar a ser ativo
A L I A H O N A
36
na Igreja?” Respondi que se levásse- organizações da Igreja e aqueles que são os frutos especiais dessa renova-
mos em consideração tudo o que o o fazem têm a experiência de con- ção semanal de nossos convênios.
Salvador fez por nós, seria fácil ofe- versão descrita pelo profeta que nos Nas decisões do dia-a-dia e em meu
recer algo a serviço Dele e de nosso rogou: “Vinde a Cristo, sede aperfei- próprio crescimento pessoal, desfru-
próximo. Aquele membro pensou çoados nele”. (Morôni 10:32) tei o cumprimento dessa promessa.
alguns momentos no que eu dissera Por toda a minha vida fui aben- Sinto-me triste quando um santo
e então deu-me esta surpreendente çoado por ser membro e participar dos últimos dias deixa de entender a
resposta: “O que Ele fez por mim?” da Igreja de Jesus Cristo dos Santos preciosa bênção que recebem aque-
Essa surpreendente resposta dos Últimos Dias. É impossível des- les que guardam o mandamento de
levou-me a refletir no que as pessoas crever todas as maneiras pelas quais oferecer seus sacramentos a cada
esperam receber de Jesus Cristo, de a Igreja abençoou minha vida e a Dia do Senhor. O que existe nesta
Seu evangelho e da participação em vida das pessoas que amo. Mas darei vida, nos lagos ou rios, nos locais de
Sua Igreja. Pensei em outros que dis- alguns exemplos, esperando que recreação comercial, ou na leitura
seram ter parado de ir à Igreja porque acrescentem persuasão pessoal aos do jornal de domingo, que possa
ela não estava “atendendo a suas princípios citados. proporcionar algo que se compare a
necessidades”. A que necessidades A freqüência à Igreja todas as essas bênçãos? Não há prazer
esperavam que a Igreja atendesse? Se semanas proporciona a oportuni- recreativo que possa se igualar à
as pessoas estiverem simplesmente dade de tomarmos o sacramento, renovação purificadora e à orienta-
procurando satisfazer uma necessi- como o Senhor nos ordenou. (Ver ção e crescimento espiritual que
dade de convívio social, elas podem D&C 59:9.) Se o fizermos com a Deus prometeu aos que fielmente
ficar desapontadas em determinada preparação e atitude corretas, o tomarem o sacramento e O honra-
ala ou ramo e procurar outras asso- sacramento renova o efeito purifica- rem a cada Dia do Senhor. Dou gra-
ciações. Existem oportunidades satis- dor de nosso batismo e nos qualifica ças pelo cumprimento dessas
fatórias de convívio social em muitas para a promessa de que teremos promessas em minha vida e afirmo
organizações. Se estiverem simples- sempre o Seu Espírito conosco. A que elas estão ao alcance de todos.
mente buscando ajuda para aprender missão desse Espírito, o Espírito Quando cheguei à idade da res-
o evangelho, podem procurar alcan- Santo, é prestar testemunho do Pai ponsabilidade e compreendi e senti
çar essa meta por meio da literatura e do Filho e conduzir-nos à verdade. os efeitos do pecado pessoal, os ensi-
existente. Mas será que são esses os (Ver João 14:26; 2 Néfi 31:18.) O namentos do evangelho de Jesus
principais propósitos da Igreja? Isso é testemunho e a verdade, que são Cristo deram-me paz e coragem
tudo o que recebemos do evangelho essenciais à nossa conversão pessoal, para prosseguir, sabendo que meus
de Jesus Cristo?
Alguém disse que aquilo que rece-
bemos depende do que procuramos.
As pessoas que freqüentam a Igreja
apenas para receber alguma coisa de
natureza temporal podem ficar desa-
pontadas. O Apóstolo Paulo escre-
veu reprovadoramente sobre as
pessoas que “não servem a nosso
Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ven-
tre”. (Romanos 16:18) As pessoas
que freqüentam a Igreja a fim de doar
algo a seu semelhante e servir o
Senhor raramente ficarão desaponta-
das. O Salvador prometeu: “Quem
perder a sua vida, por amor de mim,
achá-la-á”. (Mateus 10:39)
A Igreja nos dá oportunidades de
servir o Senhor e nosso semelhante.
Se for oferecido da forma correta e
pelo motivo certo, esse serviço irá
recompensar-nos com muito mais
do que doamos. Milhões de pessoas
servem abnegada e eficazmente
como líderes ou professores nas
J U L H O D E 2 0 0 2
37
pecados poderiam ser perdoados e neste mundo, no contexto da eter- Ao longo dos anos, minha parti-
que sempre existe esperança e mise- nidade. Quão grato sou pelo enfo- cipação ativa na Igreja proporcio-
ricórdia para os que erram. que e paz resultantes de uma nou-me acesso a conselhos e
Ao ter a experiência de ver entes compreensão baseada no evangelho inspiração dos líderes da Igreja nas
queridos falecerem, inclusive meu do propósito da vida e seu relacio- coisas que eu deveria fazer como
pai, minha mãe e minha esposa, as namento com a eternidade! marido, pai e líder em minha famí-
revelações consoladoras do Espírito Desde minha infância, durante o lia. Repetidas vezes, nas conferên-
Santo deram-me forças para seguir período estudantil, no casamento e cias gerais e de estaca, nos quóruns
adiante. O Espírito afirma que existe passando além da meia-idade, a do sacerdócio e nas aulas da Escola
propósito nas adversidades mortais e Igreja proporcionou-me um convívio Dominical, fui ensinado e inspirado
dá-nos a certeza da ressurreição e da pessoal com as melhores pessoas do por pais, mães e avós maravilhosos e
realidade do relacionamento fami- mundo. Os professores e colegas de experientes. Procurei seguir esses
liar selado para a eternidade. classe na Escola Dominical e ensinamentos para melhorar minha
Por toda a vida, fui abençoado Primária, no escotismo e em outras participação nesses relacionamentos
pela doutrina e os ensinamentos do atividades dos jovens, nas atividades que terão continuidade por toda a
evangelho de Jesus Cristo. Conforme do quórum, da ala e da estaca, foram eternidade. Para citar um exemplo,
ensinado nas escrituras e pelos líde- os melhores exemplos e amigos que foi-me ensinado acerca do poder de
res e professores desta Igreja, o evan- eu poderia encontrar neste mundo. uma bênção do sacerdócio, não ape-
gelho foi uma luz em meu caminho e Evidentemente, nossa Igreja não tem nas como uma bênção de cura, mas
o impulso para meu progresso tem- o monopólio das pessoas boas do também uma bênção de conforto e
poral e espiritual. Conforme ensinou mundo, mas temos uma concentra- orientação que um pai portador do
Brigham Young, as leis do evangelho ção notável delas. As pessoas com Sacerdócio de Melquisedeque tem o
“ensinam os homens a serem verda- quem convivi nas organizações da privilégio de dar aos membros de
deiros, honestos, castos, sóbrios, tra- Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos sua família. O aprendizado e a apli-
balhadores, econômicos e a amar e Últimos Dias deram-me a capacidade cação prática desse princípio favore-
praticar toda boa palavra e obra, de reconhecer, apreciar e ampliar ceram minha vida e a vida de meus
(. . .) elas elevam e enobrecem o meu convívio com pessoas excelentes entes queridos com um carinho e
homem, (. . .) [e] se forem plena- em outras igrejas e organizações. proximidade que só poderiam advir
mente cumpridas, proporcionam Como meu pai morreu antes que da experiência de sentir o signifi-
saúde e força para o corpo, clareza eu completasse oito anos de idade, cado do sacerdócio de Deus numa
de percepção, vigor para as faculda- tive motivo para questionar o propó- família eterna.
des mentais, bem como salvação sito que o Senhor teria em privar-me Também sou grato pelas admoes-
para a alma”.2 de um relacionamento que os outros tações das escrituras e dos líderes
Entre as muitas bênçãos que meninos desfrutavam sem dar-lhe o da Igreja sobre as coisas que deve-
recebi por causa dos ensinamentos devido valor. Assim como acontece mos evitar. Seguindo seu conselho,
do evangelho estão aquelas prometi- com muitas outras dificuldades mor- pude evitar as armadilhas que
das pelo cumprimento da Palavra de tais, o entendimento do evangelho poderiam ter-me subjugado e escra-
Sabedoria. Para mim, elas incluíram de Jesus Cristo preencheu esse vazio. vizado. O álcool, o cigarro, as dro-
saúde e conhecimento e a capaci- Quão grato sou por meu irmão, gas, a pornografia e o jogo são
dade de correr e não me cansar; minha irmã e eu termos sido criados apenas alguns dos exemplos de
caminhar e não desfalecer, e o cum- por uma mãe viúva que usou sua fé e substâncias e práticas causadoras
primento da promessa de que “o o casamento de nossos pais no tem- de vício e dependência das quais
anjo destruidor passará por eles, plo para fazer com que nosso pai fui aconselhado a me afastar. Lanço
como os filhos de Israel, e não os falecido fosse uma presença diária um apelo a todos, especialmente
matará”. (D&C 89:18–21) em nossa vida. Nunca tivemos que aos jovens, de que dêem ouvido e
O evangelho nos ensina a pagar o sentir que estávamos desprovidos de atendam às palavras dos homens e
dízimo e as ofertas, prometendo-nos um pai. Tínhamos um pai, mas ele mulheres que Deus chamou como
bênçãos se assim o fizermos. Presto não estava conosco por um período seus líderes e professores. Vocês
testemunho do cumprimento dessa de tempo. Existem poucas coisas serão abençoados se abstiverem-se
promessa em minha vida. Vi as jane- mais importantes nesta vida do que de colocar sua própria sabedoria ou
las do céu abrirem-se para mim, o conhecimento de nosso lugar na desejos acima dos mandamentos de
concedendo-me inumeráveis bên- mortalidade e nosso potencial na seu Criador e das admoestações de
çãos. Entre elas está a capacidade de eternidade. O casamento selado Seus servos.
ver a importância relativamente para a eternidade num templo do As escrituras nos instruem a
pequena que têm as propriedades, o Senhor proporciona essa possibili- tomarmos sobre nós “toda a arma-
orgulho, a preeminência e o poder dade para toda criança ou adulto. dura de Deus” para que sejamos
A L I A H O N A
38
capazes de “resistir no dia mau”. Elas
prometem que a “couraça da retidão”
e “o escudo da fé” irão “apagar todos
os dardos inflamados dos iníquos”.
Consagrar a Vossa
(D&C 27:15–17) Rogo que obede-
çam a esses ensinamentos e se tornem
merecedores dessas bênçãos. Elas
Ação
incluem a conversão espiritual pessoal Élder Neal A. Maxwell
— a “vigorosa mudança (. . .) em Do Quórum dos Doze Apóstolos
nosso coração” (Mosias 5:2) — que
nos ajuda a tornar-nos como nosso Pai
Celestial deseja que sejamos.
Os líderes desta Igreja dizem, como
disse o Salvador: “A minha doutrina Ao ponderarmos e buscarmos a consagração, é compreensível
não é minha, mas daquele que me
enviou. Se alguém quiser fazer a von- que as exigências nos deixem atemorizados. Mas o Senhor nos
tade Dele, pela mesma doutrina reconfortou, dizendo: “Minha graça vos basta”. (D&C 17:8)
conhecerá se ela é de Deus, ou se eu
falo de mim mesmo”. (João 7:16–17) o bem-estar eterno de nossa alma.
Seus líderes também dizem, tal (Ver 2 Néfi 32:9.) Essa consagração
como o rei Benjamim: “Quisera que plena envolve uma convergência
considerásseis o estado abençoado e submissa de pensamentos, palavras e
feliz daqueles que guardam os man- ações, que é exatamente o oposto do
damentos de Deus. Pois eis que são afastamento: “Pois como conhece
abençoados em todas as coisas, tanto um homem o mestre a quem não
materiais como espirituais; e se eles serviu e que lhe é estranho e que
se conservarem fiéis até o fim, serão está longe dos pensamentos e desíg-
recebidos no céu, para que assim pos- nios de seu coração?” (Mosias 5:13)
sam habitar com Deus em um estado Muitos ignoram a consagração
de felicidade sem fim”. (Mosias 2:41) por parecer algo muito abstrato ou
Na revelação moderna, o Senhor desanimador. Contudo, a pessoa
declarou: “Eu, o Senhor, estou obri- cônscia de suas imperfeições sente o
gado quando fazeis o que eu digo; descontentamento divino em rela-
mas quando não o fazeis, não tendes ção a seu pequeno progresso asso-
promessa alguma”. (D&C 82:10) ciado à procrastinação. Seguem-se,
O que o Salvador fez por nós? Ele portanto, alguns conselhos para os
nos deu Sua Expiação, Seu evange-
lho e Sua Igreja, uma sagrada combi-
nação que nos proporciona a certeza
de imortalidade e a oportunidade de
vida eterna. Testifico que isso é ver-
D irijo meu discurso aos mem-
bros da Igreja que são
imperfeitos mas têm cons-
ciência disso e se esforçam por
melhorar. Como sempre, a pessoa
membros da Igreja, confirmando
essa orientação, incentivando-os a
prosseguirem a jornada e conso-
lando-os ao encontrarem algumas
dificuldades.
dade e presto testemunho de Deus, que mais se beneficiará com meus A disposição de sermos espiri-
o Pai, o Autor do Plano, e de Seu conselhos sou eu mesmo. tualmente submissos não é algo que
Filho Jesus Cristo, o Redentor que Temos a tendência de pensar na desenvolvemos instantaneamente,
tornou tudo isso possível, em nome consagração somente como a doa- mas, sim, gradualmente, subindo os
de Jesus Cristo. Amém.  ção de bens materiais, quando Deus degraus que, afinal de contas, foram
assim nos ordena. Mas a consagra- feitos mesmo para serem galgados
NOTAS ção final é a entrega de si mesmo a um a cada vez. Nossa vontade pode
1. Calvin Grondahl,[Ogden, Utah] Deus. Coração, mente e alma foram chegar a ser “absorvida pela von-
Standard Examiner, 26 de maio de 1990. as abrangentes palavras de Cristo ao tade do Pai” e estaremos “dispostos
2. Carta ao redator do Religio- descrever o primeiro mandamento, a submeter-[nos] (. . .) como uma
Philosophical Journal, 7 de janeiro de 1869, que deve ser cumprido constante- criança se submete a seu pai”. (Ver
citado por Jed Woodworth, “Brigham mente e não apenas de modo espo- Mosias 15:7; Mosias 3:19.) Caso
Young and the Mission of Mormonism”, rádico. (Ver Mateus 22:37.) Se o contrário, embora nos esforcemos,
Brigham Young University Studies, vol. 40, cumprirmos, nossas ações serão continuaremos sendo fustigados
Nº 2, (2001) p. 11. então plenamente consagradas para pela turbulência do mundo por
J U L H O D E 2 0 0 2
39
estarmos parcialmente afastados do momento a momento”, o excesso de pois não estamos dispostos a
rumo. apego e devoção a essas coisas não encarar o que ainda nos falta. (Ver
Seria útil analisarmos alguns são recomendáveis! (Mosias 2:21) Marcos 10:21.) Um certo resquício
exemplos de consagração temporal. Outra pedra de tropeço surge de egoísmo torna-se assim evidente.
Quando “Ananias e Safira vende- quando servimos a Deus generosa- Existem muitas maneiras pelas
ram suas propriedades, eles “[retive- mente com nosso tempo e dinheiro, quais podemos diminuir. O Reino
ram] parte do preço”. (Ver Atos mas continuamos retendo parte de Terrestre, por exemplo, incluirá
5:1–11.) Muitos de nós nos apega- nosso eu interior, o que implica que pessoas “honradas”, que certa-
mos firmemente a uma “parte” espe- ainda não somos inteiramente Seus! mente não prestaram falso teste-
cífica de nós mesmos, tratando Alguns encontram muita dificul- munho. Contudo, elas não foram
nossas obsessões como se fossem dade quando determinadas tarefas “valentes no testemunho de Jesus”.
propriedades. Assim sendo, não chegam ao fim. João Batista, porém, (D&C 76:75, 79) A melhor forma
importa quanto já tenhamos dado, a foi um grande exemplo, ao declarar de prestarmos um valente testemu-
última porção é a mais difícil de ser o seguinte acerca do crescente nho de Cristo é tornar-nos mais
ofertada. É claro que uma oferta número de seguidores de Jesus: “É semelhantes a Ele, e é a consagra-
parcial continua sendo louvável, necessário que ele cresça e que eu ção que molda nosso caráter para
mas se assemelha muito a uma des- diminua”. (João 3:30) A falsa noção seguirmos Seus passos. (Ver 3 Néfi
culpa do tipo “já contribuí no ano de que nossas designações são o 27:27.)
passado”. (Ver Tiago 1:7–8.) único indicador de quanto Deus nos Ao enfrentarmos os mencionados
Podemos ter, por exemplo, um ama aumenta nossa relutância em desafios, a disposição de submeter-
conjunto específico de habilidades e desapegar-nos delas. Irmãos e irmãs, nos espiritualmente muito nos
talentos que, sem dúvida alguma, nosso valor individual já foi divina- ajuda, às vezes auxiliando-nos a
são nossos. Se continuarmos a ape- mente determinado como sendo ceder ou oferecer alguma coisa, até
gar-nos a eles mais do que a Deus, “grande”, e não varia com as oscila- mesmo a vida mortal, em outras
estaremos deixando de obedecer ple- ções da bolsa de valores. ocasiões a “apegar-nos firmemente”
namente ao primeiro mandamento. Outros degraus ficam sem ser gal- ou, em outros momentos, a galgar o
Como Deus está nos “apoiando de gados, como no caso do jovem rico, próximo degrau. (1 Néfi 8:30)
Mas se não mantivermos a pers-
Os participantes da conferência observam a cascata ao lado sul do Centro pectiva correta, os próximos passos
de Conferências. podem parecer extraordinariamente
difíceis. Embora tivessem conheci-
mento de que Deus abençoara Israel
para que escapasse do poderoso
Faraó e seus exércitos, Lamã e
Lemuel, por sua falta de visão, não
tiveram fé na capacidade de Deus
de ajudá-los a lidar com um mero
líder local, como Labão.
Também podemos ser desviados
do caminho por ficarmos demasia-
damente ansiosos por agradar nossos
superiores no ambiente de trabalho
ou emprego. Colocar “outros deu-
ses” à frente do Deus verdadeiro é
algo que também viola o primeiro
mandamento. (Êxodo 20:3)
Muitas vezes até defendemos
nossas manias ou hábitos, como se
essas coisas de certa forma fizessem
parte de nossa personalidade. Ser
um discípulo é, de certo modo, um
“esporte de contato”, como testifi-
cou o Profeta Joseph:
“Sou como uma enorme pedra
bruta que vem descendo de uma
alta montanha, que vai-se polindo à
A L I A H O N A
40
medida que suas arestas se alisam ao deliberadamente pequeno exército realmente temos a oferecer a Deus.
esfregar em alguma coisa. (. . .) E de Gideão), dizendo: “A minha mão As dádivas usuais que oferecemos
assim, chegarei a ser um dardo me livrou”. (Juízes 7:2) Valorizar a a Ele e seus resultados poderiam
polido na aljava do Todo-Poderoso”. nossa própria “mão” faz com que muito bem levar o carimbo “Devolver
[Ensinamentos do Profeta Joseph seja duplamente difícil confessarmos ao Remetente”, com ‘R’ maiúsculo.
Smith, pp. 295-296] a mão de Deus em todas as coisas! Mesmo quando Deus recebe essa
Como freqüentemente os joelhos (Ver Alma 14:11; D&C 59:21.) única dádiva, aqueles que são
dobram-se bem antes da mente, a Num lugar chamado Meribá, um plenamente fiéis receberão em troca
retenção de uma “parte” priva a dos maiores homens que já existiu, “tudo o que Ele possui”. (D&C
obra de Deus de alguns dos melho- Moisés, ficou cansado do clamor do 84:38) Que imensa vantagem
res intelectos da humanidade. Seria povo pedindo água. Por um levamos!
bem melhor que fôssemos humildes momento, Moisés “falou impruden- Até lá, as seguintes verdades
como Moisés, que aprendeu coisas temente”, dizendo: “Porventura tira- continuam válidas: Deus nos deu
“que nunca havia imaginado”. remos água desta rocha para vós?” nossa vida, nosso arbítrio, nossos
(Moisés 1:10) Infelizmente, porém, (Salmos 106:33; Números 20:10; talentos e oportunidades, Ele nos
no sutil interrelacionamento entre ver também Deuteronômio 4:21.) O deu nossas propriedades, Ele nos
arbítrio e personalidade, há muita Senhor chamou a atenção de deu o tempo de vida mortal que nos
relutância. A desistência de certas Moisés por ter usado a segunda pes- foi designado com todas as coisas
atitudes e idéias, na verdade, é uma soa do plural, “tiraremos”, em vez da necessárias para chegarmos até
vitória, porque nos leva aos cami- terceira pessoa, “Ele tirará”, e depois o fim dele. (Ver D&C 64:32.)
nhos mais elevados de Deus. (Ver o magnificou ainda mais. Bem faría- Orientados por essa perspectiva,
Isaías 55:9.) mos em ser tão humildes quanto evitaremos graves erros de propor-
Ironicamente, uma dedicação Moisés. (Ver Números 12:3.) ção. Alguns deles podem ser bem
demasiada, inclusive para coisas Jesus jamais perdeu a perspectiva menos divertidos do que ouvir um
boas, pode diminuir nossa devoção a correta das coisas! Embora fizesse grupo de oito pessoas cantando e
Deus. Podemos, por exemplo, envol- muito de bom, Ele sabia o tempo confundi-los com o Coro do
ver-nos demasiadamente nos espor- todo que a Expiação O aguardava, Tabernáculo!
tes e na adoração do corpo físico. implorando com compreensão: “Pai Não admira que o Presidente
Uma pessoa pode reverenciar a salva-me desta hora; mas para isto Hinckley tenha enfatizado nossa
natureza, mas negligenciar o Deus vim a esta hora”. (João 12:27; ver condição de povo do convênio,
que a criou. Outro pode dar atenção também João 5:30; João 6:38.) salientando os convênios do sacra-
exclusiva à boa música ou a uma Quanto mais desenvolvermos o mento, dízimo, templo e referindo-
profissão digna. Nessas circunstân- amor, paciência e humildade, mais se ao sacrifício como “a própria
cias, as “coisas mais importantes” teremos a ofertar a Deus e à huma- essência da Expiação”. (Teachings of
são freqüentemente negligenciadas. nidade. Além disso, ninguém possui Gordon B. Hinckley, 1997, p. 147.)
(Ver I Coríntios 2:16; Mateus os mesmos talentos ou se encontra O Salvador alcançou um nível
23:23.) Só o Altíssimo pode guiar- em nossa oportuna esfera de ação extraordinário de submissão, ao
nos plenamente para o melhor que em meio às pessoas. enfrentar a angústia e agonia da
podemos fazer de bom. É evidente que os degraus nos Expiação e “[desejar] não ter de
Todas as coisas dependem dos levam para um território novo, o beber a amarga taça e recuar”.
dois grandes mandamentos, decla- qual talvez estejamos relutantes em (D&C 19:18) Em nossa pequena e
rou Jesus, e não vice versa! (Ver explorar. Assim sendo, as pessoas imperfeita escala, enfrentamos coi-
Mateus 22:40.) O primeiro manda- que conseguem ter sucesso em gal- sas que precisamos superar e deseja-
mento não é cancelado simples- gar esses degraus são uma vigorosa mos que elas sejam de alguma forma
mente por causa da vigorosa busca motivação para o restante de nós. removidas de nossa vida.
de um bem menor, porque não ado- Geralmente damos mais atenção às Pensem nisto. O que seria do
ramos um deus menor. pessoas que admiramos. O faminto ministério de Jesus se Ele tivesse
Antes de desfrutarmos a colheita filho pródigo lembrou-se das boas realizado muitos outros milagres
do trabalho digno, devemos pri- refeições que tinha em sua casa, mas mas não o milagre transcendental
meiro reconhecer a mão de Deus. também foi mais motivado por do Getsêmani e do Calvário? Seus
Caso contrário, estaremos racionali- outras lembranças ao decidir: outros milagres ampliaram a vida de
zando: “A minha força, e a fortaleza “Levantar-me-ei e irei ter com meu alguns e diminuíram os sofrimentos
da minha mão, me adquiriu este pai”. (TJS Lucas 15:18) de outros. Mas como esses milagres
poder”. (Deuteronômio 8:17) Ou Ao esforçar-nos para tornar-nos poderiam se comparar ao milagre,
“gloriando -nos”, como a antiga plenamente submissos, nossa von- maior de todos, a ressurreição uni-
Israel teria feito (se não fosse pelo tade, no final das contas, é tudo que versal? (Ver I Coríntios 15:22.)
J U L H O D E 2 0 0 2
41
A multiplicação de pães e peixes ali- Sessão do Sacerdócio
mentou uma multidão faminta. 6 de Abril 2002
Mesmo assim, as pessoas logo fica-
ram com fome novamente, ao passo
que aqueles que recebem o Pão da
Vida jamais terão fome novamente.
(João 6:51, 58)
Tornar-nos Homens
Ao ponderarmos e buscarmos a
consagração, é compreensível que as
exigências nos deixem atemorizados.
em Quem Haja
Mas o Senhor nos reconfortou,
dizendo: “Minha graça vos basta”.
(D&C 17:8) Será que cremos real-
o Espírito de Deus
mente Nele? Ele também prometeu
Élder L. Tom Perry
que tornaria fortes as coisas fracas. Do Quórum dos Doze Apóstolos
(Éter 12:27) Será que estamos real-
mente dispostos a submeter-nos a
esse processo? Mas se desejamos a
plenitude, não podemos reter uma
parte! O Senhor está obrigado por solene convênio a abençoar a nossa
Deixarmos que nossa vontade
seja cada vez mais absorvida pela vida, de acordo com nossa fidelidade. Só Ele pode transformar-nos
vontade do Pai, na verdade, significa em homens que possuem o Espírito de Deus, sim, o Espírito Santo.
uma personalidade ampliada e mais
capaz de receber “tudo o que [Deus] de sacerdote. Não havia escolas
possui”. (D&C 84:38) Além disso, secundárias onde vivíamos. Ele que-
como poderemos receber “tudo” que ria estudar e recebeu permissão do
Ele possui enquanto nossa vontade pai para deixar a fazenda e procurar
não for muito mais semelhante à conhecimentos em outro lugar, mas
Dele? E o Seu “tudo” não pode ser teve que fazê-lo por conta própria.
plenamente compreendido por aque- Ao chegar a Salt Lake City, ele ficou
les que estão apenas parcialmente sabendo de um emprego na casa do
comprometidos. Presidente Joseph F. Smith. Ele foi
Na verdade, estaremos traindo contratado para cuidar das duas
nosso “eu” futuro ao retermos qual- vacas que o Profeta possuía. Em
quer “parte” agora. Não precisamos nossas noites familiares, pedíamos a
perguntar: “Por ventura sou eu, meu pai que relatasse experiências
Senhor?” (Mateus 26:22) Em vez de sua juventude na casa do Profeta.
disso, deveríamos perguntar quais Ouvíamos relatos como estes:
são nossas pedras de tropeço: A irmã Smith instruiu meu pai
“Senhor, que parte de minha vida em seus deveres explicando que as
preciso melhorar?” Talvez já há vacas “(. . .) são aristocratas, e você
muito tempo saibamos qual é a res-
posta e precisamos mais de determi-
nação do que de Sua resposta.
A maior felicidade no generoso
Q uero dirigir meu discurso
desta noite para os grandes
rapazes que são portadores
do Santo Sacerdócio Aarônico. Que
precisa tratá-las muito bem.
Mantenha-as tão limpas e treine-as
tão bem que se em alguma ocasião
eu decidir levá-las para a sala de
plano de Deus é reservada no final bênção especial é possuir o Sacer- estar elas estejam suficientemente
para aqueles que estão dispostos a se dócio de Deus, que pode multiplicar limpas para ali entrarem”. Meu pai
empenhar ao máximo e pagar o nossos poderes, capacidade e discer- disse que sabia ordenhar, mas não
preço da jornada até Seu glorioso nimento. Para ilustrar as bênçãos entendia nada de lavar vacas.
reino. Irmãos e irmãs, prossigamos recebidas por causa desse privilégio, Antes da ordenha, todas as noites
sempre nesta jornada. (“Come, Let gostaria de falar sobre dois homens e manhãs, elas deviam ser cuidado-
Us Anew”, Hymns, n.o 217.) de Deus, que tinham o nome de samente lavadas com água quente e
Em nome do Senhor que está de José. enxugadas, havendo sabão e toalhas
braços abertos (ver D&C 103:17; Meu pai teve uma experiência preparadas para isso. Elas tinham
136:22), sim, Jesus Cristo. Amém!  muito especial quando tinha a idade que ser alimentadas com o melhor
A L I A H O N A
42
feno e ordenhadas na hora certa, lembra a declaração do Faraó sobre Com seus métodos malignos,
duas vezes por dia. José do Egito: “Acharíamos um Satanás conseguiu espalhar muitos
Além de seus deveres com o gado homem como este em quem haja o novos vírus infecciosos. Esses vírus
“aristocrático” da família Smith, espírito de Deus?” (Gênesis 41:38) infligirão grande dano em nosso
meu pai também tinha às vezes que As histórias de meu pai conta- espírito se não contarmos com
fazer algumas tarefas domésticas. Ele vam a respeito do Presidente Smith, meios poderosos para defender-nos
nos contou: “Numa manhã gelada, sua família e suas vacas, mas tam- deles. Isso me faz pensar no maior
lavei os degraus da residência oficial bém revelavam algo sobre como os programa anti-vírus de todos: o dom
do Presidente da Igreja. Quase fiz tempos mudaram desde o início do do Espírito Santo.
com que ele levasse um tombo, por- século XX. Não creio que meu pai Falando sobre o dom do Espírito
que deixei a água congelar antes de sequer imaginasse nossos computa- Santo, o Presidente Joseph F. Smith
secar os degraus. Tive então que dores modernos que podem ser disse: “‘O dom do Espírito Santo’ é
jogar água fervendo para derreter o colocados sobre uma pequena mesi- uma bênção especial selada sobre os
gelo e usar toalhas para secar a nha e cuja velocidade é medida em penitentes crentes em Jesus Cristo
pedra. Os degraus ficaram quase gigahertz e cuja capacidade de que foram batizados e é uma ‘teste-
limpos, mas meus colegas de classe armazenamento é medida em giga- munha constante’. Podemos desfru-
já estavam passando a caminho da bytes. Também não creio que ele tar o espírito de Deus como uma
escola antes que eu conseguisse ter- sequer imaginasse o mal que influência temporária, por meio da
minar o trabalho. Foi algo que me Satanás poderia fazer com essas qual a luz e o poder divinos são con-
ensinou a ser mais humilde.” mesmas tecnologias maravilhosas. cedidos à humanidade para ocasiões
Ao contar essas histórias, não
quero dar-lhes a impressão que meu Um coro formado somente por vozes masculinas da Universidade
pai era uma versão masculina da Brigham Young — Idaho apresenta-se durante a sessão do sacerdócio.
Cinderela. A família Smith recebeu
aquele pobre menino da fazenda de
Idaho em sua casa enquanto ele ter-
minava o curso secundário e
enquanto freqüentava a Universidade
de Utah. Eles o incluíam nas ativida-
des da família, na mesa de jantar e na
oração familiar. Meu pai prestou à sua
própria família o seu testemunho de
que o Profeta Joseph F. Smith era ver-
dadeiramente um homem de Deus:
“Quando me ajoelhei com o profeta,
na oração familiar, e ouvi sua sincera
súplica pelas bênçãos do Senhor
sobre sua família, seus rebanhos e ani-
mais, e percebi que aquelas mesmas
vacas que tanto me humilharam
eram alvo de suas bênçãos, subita-
mente me dei conta da situação em
que me encontrava. (. . .) A maioria
dos grandes homens nos decepcio-
nam quando os conhecemos intima-
mente. Não foi assim com o Profeta
Joseph F. Smith. Cada ato comum do
dia-a-dia aumentou sua grandeza.
Para mim, ele era profeta mesmo
quando lavava as mãos ou desatava o
cadarço dos sapatos.”
As lições aprendidas proporcio-
naram-nos um maior apreço e amor
pelo profeta de Deus.
A descrição que meu pai fez
do Presidente Joseph F. Smith me
J U L H O D E 2 0 0 2
43
e propósitos especiais. Mas o dom 10 dos quais eram mais velhos que começou a fazer-lhe propostas
do Espírito Santo, que foi recebido ele. Seu pai parecia favorecê-lo mais impróprias. José imediatamente per-
pelos apóstolos no dia de Pentecostes do que os outros. Ele fez para José cebeu que estava no lugar errado.
e é conferido na confirmação, é uma um manto de muitas cores, deixou Ele disse:
testemunha permanente e uma que José ficasse em casa e instruiu-o “Ninguém há maior do que eu
investidura mais alta.” (James R. a ir de vez em quando verificar o nesta casa, e nenhuma coisa me
Clark, comp., Messages of the First trabalho dos irmãos, que pastorea- vedou, senão a ti, porquanto tu és
Presidency of The Church of Jesus vam os rebanhos no campo. José sua mulher; como pois faria eu
Christ of Latter-day Saints, 6 vols., também teve sonhos, que pareciam tamanha maldade, e pecaria contra
1965–1975, 5:4) colocá-lo em posição de autoridade, Deus? (. . .)
É importante que sua família os acima de seus outros irmãos. E ela lhe pegou pela sua roupa,
ajudem a aprender o evangelho de Certo dia, quando José foi verifi- dizendo: Deita-te comigo. E ele dei-
nosso Senhor e Salvador. Depois, car o trabalho de seus irmãos xou a sua roupa na mão dela, e
todos devemos confiar na orientação enquanto eles pastoreavam os reba- fugiu, e saiu para fora.” (Gênesis
do dom do Espírito Santo para dis- nhos, os irmãos decidiram que já 39:9, 12)
cernir o certo do errado. É aí que o tinham se cansado de José e quise- Aprendemos uma grande lição
exemplo de José do Egito nos ajuda a ram livrar-se dele. Surgiu uma opor- com José. Quando estava diante da
sermos instruídos. Ele era um homem tunidade de vender José como tentação, ele imediatamente se afas-
que confiava tão plenamente no escravo para uma caravana de tou até da aparência do mal. Todos
Espírito do Senhor, que mesmo um ismaelitas que viajavam para o Egito. temos ocasiões na vida em que nos
homem cegado pela prática da idola- De repente, José se viu numa terra encontramos em situações difíceis.
tria, ou seja, o Faraó, reconheceu seu estranha, com costumes estranhos, Quando estivermos diante
caráter e força incomuns. com uma religião estranha, e pior de daquilo que é mau e degradante,
Procuremos agora ver que gran- tudo, tinha sido vendido como seja o tipo errado de música, progra-
des mensagens podemos aprender escravo. José se comportou tão bem e mas de televisão ou na Internet, que
ao estudarmos sobre os grandes líde- mostrou-se tão capaz que foi com- nos coloque no ambiente errado,
res das escrituras. Joseph Fielding prado por “Potifar, oficial de Faraó, quão fortalecedor será lembrar-nos
Smith instruiu-nos em sua obra capitão da guarda”. (Gênesis 37:36) da história de José: “(. . .) E [ele]
Answers to Gospel Questions: “E o Senhor estava com José, [e o fugiu, e saiu para fora.” (Gênesis
“Existem muitas evidências de espírito que ele levava consigo aju- 39:12)
que os meninos eram chamados e dou-o, fazendo com que se tornasse Ele fugiu da tentação.
ordenados na antiguidade. Na época um] (. . .) homem próspero; e estava Mesmo fazendo as escolhas cer-
que precedeu o dilúvio, quando a na casa de seu senhor egípcio. tas, José não ficou livre de proble-
vida dos homens era bastante pro- Vendo, pois, o seu senhor que o mas em sua vida. Quando Potifar
longada, alguns foram chamados Senhor estava com ele, e tudo o que voltou para casa, sua mulher recla-
para agir quando ainda eram relati- fazia o Senhor prosperava em sua mou ao marido que José havia zom-
vamente jovens. Enoque tinha ape- mão. bado dela. Potifar ficou tão irado
nas vinte e cinco anos quando foi José achou graça em seus olhos, e que “(. . .) o tomou, e o entregou na
ordenado por Adão; (. . .) e Noé servia-o; e [Potifar] o pôs sobre a casa do cárcere, no lugar onde os
recebeu o sacerdócio quando tinha sua casa, e entregou na sua mão presos do rei estavam encarcerados;
apenas dez anos de idade. (D&C tudo o que tinha. assim esteve ali na casa do cárcere.
107:48, 52.) Não sabemos quantos E aconteceu que, desde que o [E novamente] o Senhor (. . .)
anos tinha José, filho de Israel, pusera sobre a sua casa e sobre tudo estava com José, e estendeu sobre
quando recebeu o sacerdócio; mas o que tinha, o Senhor abençoou a ele a sua benignidade, e deu-lhe
deve ter sido quando ainda era bem casa do egípcio por amor de José; e a graça aos olhos do carcereiro-mor.
jovem. Ele foi vendido pelos irmãos bênção do Senhor foi sobre tudo o [Pouco tempo depois] o carce-
quando tinha apenas dezessete, e que tinha, na casa e no campo. reiro-mor entregou na mão de José
certamente tinha o sacerdócio antes E deixou tudo o que tinha na todos os presos que estavam na casa
disso, porque ele o exerceu na terra mão de José, de maneira que nada do cárcere, e ele ordenava tudo o
do Egito. [Ver Gênesis 37:2; sabia do que estava com ele, a não que se fazia ali.” (Gênesis 39:20-22)
40:8–19; 41:14–36.]” (comp. Joseph ser do pão que comia. E José era for- Mas o Senhor estava com José, e
Fielding Smith Jr., 1957–1966, 2:9.) moso de porte, e de semblante.” surgiu novamente uma oportuni-
Abrindo o Livro de Gênesis no (Gênesis 39:2–6) dade para ele enquanto servia na
Velho Testamento, encontramos a Certo dia, quando José estava prisão. Dois dos servos do Faraó
história de José. José era membro trabalhando na casa, viu-se numa também foram colocados na prisão.
de uma família que tinha 11 irmãos, situação difícil. A mulher de Potifar Cada um deles teve um sonho que
A L I A H O N A
44
José conseguiu interpretar. Um deles o que tornava José diferente de Prometo-lhes que, se derem ouvi-
perderia a vida na prisão; o outro todos os outros servos, ao dizer: dos à voz de advertência do Espírito
voltaria dentro de três dias ao cargo “Acharíamos um homem como este Santo e seguirem Sua orientação,
de copeiro-mor do Faraó. Os dois em quem haja o espírito de Deus?” vocês serão abençoados com o
sonhos se cumpriram. O copeiro, (Gênesis 41:38) ministério de anjos, que acrescenta-
que voltou a seu cargo elevado Vocês podem observar que em rão sabedoria, conhecimento, poder
perante o Faraó, esqueceu-se de cada situação em que José se encon- e glória à sua vida. Lembrem-se de
José, até dois anos terem-se passado. trava, o Senhor estava com ele. É que o Senhor está obrigado por
Então, o Faraó teve um sonho. fácil reconhecer o espírito especial solene convênio a abençoar a nossa
Ninguém conseguia interpretar seu que havia nele por causa da forma vida, de acordo com nossa fideli-
sonho. O copeiro finalmente se lem- como ele vivia e atendia à voz do dade. Só Ele pode transformar-nos
brou de José. Ele contou ao Faraó Senhor a orientá-lo. em homens que possuem o Espírito
sobre a capacidade que José tinha Esse mesmo reconhecimento de Deus, sim, o Espírito Santo.
de interpretar sonhos. “Então, man- estará com cada um de nós, ao ser- Que grande bênção é possuir o
dou Faraó chamar a José, e o fizeram mos conduzidos e dirigidos por Seu Santo Sacerdócio do Senhor e ter
sair logo do cárcere; e barbeou-se e Santo Espírito. Ouçam a voz mansa esse poder e força dentro de nós.
mudou as suas roupas e apresentou- e delicada quando estiverem diante Que o Senhor nos inspire e guie ao
se a Faraó.” (Gênesis 41:14) de um momento de decisão. estudarmos as histórias dos grandes
José conseguiu interpretar o Certamente será uma forte voz de profetas que viveram nesta Terra.
sonho do Faraó. O Faraó ficou tão advertência para dizer-lhes que des- Que possamos colher da vida deles
impressionado que fez de José um de liguem o tipo errado de música as coisas que nos levarão para mais
seus servos. O Senhor estava nova- sugestiva, que fujam de programas perto de nosso Criador e nos ajuda-
mente com José. Em pouco tempo, degradantes da televisão ou que rão a desfrutar as bênçãos e os frutos
José chegou a ocupar um cargo que saiam de uma página da Internet proporcionados pelo evangelho de
ficava abaixo apenas do Faraó em que colocará pensamentos maus em nosso Senhor e Salvador. Que seja-
toda a terra do Egito. Havia algo sua mente. O Santo Espírito os fará mos inspirados a seguir Seu cami-
especial que distinguia José de todos saber quando entrarem em território nho, é minha humilde oração, em
os outros servos. O Faraó declarou proibido. nome de Jesus Cristo. Amém. 

J U L H O D E 2 0 0 2
45
experiência maravilhosa viajar por

Esta Estrada a Que entre os desfiladeiros com o tempo


bom, pois nos permitiria apreciar as
criações de Deus.

Chamamos Vida Depois de cuidadoso planeja-


mento e preparação, dois de meus
filhos, minha única filha e eu parti-
Élder Ben B. Banks
mos no primeiro dia para Big Sky,
Da Presidência dos Setenta Montana, onde passaríamos a noite.
A manhã estava perfeita, e esperáva-
mos fazer uma jornada agradável.
Contudo, à medida que avançáva-
mos, nuvens negras condensaram-se
Se permanecerem no caminho certo, a recompensa no fim e trouxeram chuva, que aos poucos
veio acompanhada de granizo e neve.
da jornada da vida valerá os momentos de adversidade que Com isso, ficamos extremamente
experimentarem ao longo do caminho. molhados, sentindo muito frio e can-
saço. Ao terminarmos o primeiro dia
aquilo que ocorrerá durante sua vida da nossa jornada, já em nosso destino
e na eternidade.” [(livreto, 2001) para pernoite, lembrei-me de que a
p. 2] vida pode ser exatamente como
Espero que de alguma forma aquele dia. Felizmente, havíamos nos
hoje, eu possa ensinar um pouqui- preparado para todos os tipos de con-
nho do que aprendi nesses quase dições climáticas; se não tivéssemos
setenta anos de viagem pela estrada feito isso, dificilmente teríamos com-
da vida. Seus pais ou avós talvez já pletado o percurso do primeiro dia.
lhes tenham dito isso: “Quanto mais Para cada etapa da jornada da vida,
velhos ficamos, mais rápido parece deveríamos partir cheios de espe-
passar o tempo”. É como se num rança e otimismo, estando, porém,
minuto tivéssemos doze anos, com preparados para enfrentar oposição
uma vida inteira pela frente, e no ou dificuldades ao longo do caminho.
minuto seguinte tivéssemos quase O padrão que estabelecem na
setenta, com muito peso pela frente juventude pode acompanhá-los pelo
e por todos os lados! resto de sua vida mortal. Fazendo as
É difícil acreditar que a última escolhas certas agora, vocês serão
vez que falei em uma sessão do capazes de escolher o caminho que

I rmãos, estou muito satisfeito por


estar com vocês esta manhã.
Também quero falar especifica-
mente aos rapazes do Sacerdócio
Aarônico. Amo vocês e me importo
sacerdócio na conferência foi há
quase treze anos. Naquela ocasião,
falei aos irmãos sobre um percurso
de bicicleta que fiz com os meus
filhos, e aprendi com aquela expe-
os ajudará a suportar, mais tarde,
as intempéries e os momentos de
desânimo.
Por exemplo, se vocês têm o
hábito de usar uma linguagem vul-
com vocês. riência a importância de preparar-se gar, quanto mais a usarem, mais difí-
No novo livreto Para o Vigor da bem para a jornada da vida. cil será mudar esse comportamento
Juventude, a Primeira Presidência Hoje quero falar sobre outros e deixá-lo de lado. É melhor esco-
dirige-se a vocês, dizendo: “Queridos percursos que fiz e compartilhar as lher agora outro caminho, um que
rapazes e moças, depositamos grande lições que aprendi com eles. os leve à pureza de pensamentos,
confiança em vocês. Vocês são espí- Recentemente, alguns membros palavras e ações, para que vocês
ritos escolhidos que nasceram nestes da minha família concluíram que possam desfrutar a companhia do
dias em que as responsabilidades e seria divertido fazer o percurso, de Espírito Santo. Imaginem a dificul-
oportunidades, assim como as tenta- bicicleta, de Bozeman, Montana, dade de servir como missionários,
ções, são as maiores. Estão iniciando até Jackson Hole, no Wyoming, quando vocês precisam ter a compa-
sua jornada por esta vida mortal. aqui nos Estados Unidos. Esse per- nhia constante do Espírito, se tive-
Seu Pai Celestial deseja que ela seja curso de 362 quilômetros levaria rem sempre na mente uma linguagem
alegre e que os leve de volta à sua três dias. Atravessaríamos as vulgar. Se têm esse problema em
presença. As decisões que tomarem Montanhas Rochosas em três oca- relação ao linguajar que usam, agora
agora determinarão em grande parte siões. Decidimos que seria uma é o tempo de mudar.
A L I A H O N A
46
O Templo de Salt Lake visto da praça do Edifício dos Escritórios da Igreja.

No segundo dia da nossa viagem, como os nefitas dos tempos antigos; Há dois anos, o Élder Richard G.
seguimos para West Yellowstone lembrem-se sempre da verdadeira Scott, do Quórum dos Doze
(uma cidadezinha a oeste do Parque fonte de onde emanam suas bênçãos. Apóstolos, e eu tivemos a oportuni-
Nacional de Yellowstone, no No terceiro dia de nossa jornada, dade de fazer uma viagem de canoa
Wyoming). Tudo estava conforme o aprendi que embora tenhamos algu- em Quetico, uma região deserta em
que esperávamos — as bicicletas mas grandes dificuldades em nossa Ontário, no Canadá, onde tivemos
estavam funcionando bem, nossas vida, é nossa atitude que determina que transportar, por terra, a canoa e
pernas estavam descansadas, e assim como iremos enfrentá-las. Naquele os nossos suprimentos de um lago a
avançamos em direção ao segundo dia, atravessamos as Montanhas outro. Ao chegarmos no meio da
destino. Foi então que percebi que, Rochosas três vezes, e passamos de travessia de um dos maiores lagos, o
se não formos cuidadosos quando uma altura de quase 1500 metros tempo fechou e as águas antes tran-
tudo está bem na vida, podemos ser para 2500 metros. Subir desfiladei- qüilas tornaram-se turbulentas e
tentados a esquecer nosso Pai ros íngremes de bicicleta requer a perigosas, arremessando nossa
Celestial e dar crédito a nós mesmos atitude certa para alcançar a alti- pequena canoa de um lado para
pela nossa condição de felicidade. tude certa. Assim acontece na vida. o outro.
Não cometam tal erro. Estabelecendo metas dignas e man- Tínhamos uma decisão a tomar.
O Profeta Joseph Smith ensinou: tendo os olhos fitos nelas, vocês Ou tentávamos chegar ao nosso
“A felicidade é o objetivo e o propó- aprenderão autodisciplina e alcan- destino, ou íamos para a ilha mais
sito de nossa existência; e também çarão muitas coisas. É claro que próxima e esperávamos a tempes-
será o fim, caso sigamos o caminho houve momentos em que subir tade passar. A resposta parece óbvia
que nos leva até ela; e esse rumo é a aquelas escarpas íngremes foi muito agora, mas na ocasião não foi fácil
virtude, retidão, fidelidade, santidade mais do que eu podia suportar, mas tomar essa decisão. Continuando
e obediência a todos os mandamentos não desisti, porque eu tinha um pro- em frente, pudemos chegar ao local
de Deus.” [Ensinamentos do Profeta pósito firme. onde planejávamos. Se atrasássemos
Joseph Smith, selecionados por Joseph Jovens do Sacerdócio Aarônico, nossa viagem, chegaríamos muito
Fielding Smith (1976), p. 249.] exorto-os a estabelecerem metas para tarde e talvez tivéssemos que viajar
O Livro de Mórmon está repleto si próprios, tais como concluir o no escuro. Ao ponderarmos as
de relatos daqueles que foram aben- Seminário, servir como missionários opções, tivemos a inspiração de
çoados pelo Senhor e então torna- honrados, formar-se na faculdade e irmos imediatamente para a ilha
ram- se orgulhosos pelas suas ser dignos de casar-se no templo. Na mais próxima. Assim que fizemos
conquistas. Finalmente, com seu idade em que estão, essas podem isso, a tempestade se agravou de
orgulho, deixavam o caminho cor- parecer metas muito grandes, mas se maneira muito pior do que esperá-
reto e perdiam tudo o que tinham vocês começarem a caminhada em vamos. Se tivéssemos continuado
ao apostatarem da verdade. Tomem sua direção agora, estarão muito mais a remar, nossa vida estaria em
cuidado para nunca se tornarem preparados para alcançá-las. grande perigo.
J U L H O D E 2 0 0 2
47
Aqui na mortalidade somos
chamados a tomar sérias decisões,
cujo resultado pode ter um efeito
duradouro em nosso futuro espiri-
Tornar-nos um
tual. Incentivo-os a estarem sempre
dignos de buscarem o Espírito para
ajudá-los a escolher sempre o que
Grande Benefício
é certo.
No Livro de Mórmon, Néfi nos
conta: “E estareis então no caminho
estreito e apertado que conduz à
para Nossos
vida eterna; sim, havereis entrado
pela porta; havereis procedido
segundo os mandamentos do Pai e
Semelhantes
do Filho; e havereis recebido o Élder Spencer J. Condie
Espírito Santo (. . .)”. (2 Néfi 31:18) dos Setenta
Quando minha família concluiu o
percurso de 362 quilômetros de bici-
cleta, aprendemos que não importa
quão difíceis as coisas se tornem na
estrada da vida, uma grande felici- Oro para que vocês, maravilhosos rapazes, sejam dignos não
dade está à espera daqueles que são apenas de receber o ministério de anjos, mas que vocês, como o
obedientes aos mandamentos e per-
severam até o fim. jovem Wilford Woodruff, tornem-se um anjo ministrador na vida
Vocês, rapazes portadores do de outros.
Sacerdócio Aarônico, têm a respon-
sabilidade de manter-se firmemente
centralizados em seu destino eterno. como “bem duro para alguém que
Naturalmente a jornada da vida tinha andado 97 quilômetros sem
pode ter muitos altos e baixos. ter-se alimentado”. Recordou-se
Haverá, certamente, dias em que mais tarde: “Aquele foi o pior dia de
sentirão que a vida é muito dura. trabalho da minha vida”.2
Mas se permanecerem no caminho No dia seguinte, andaram 19 qui-
certo, a recompensa no fim da jor- lômetros na chuva até que chega-
nada da vida valerá os momentos de ram à casa de um homem que, por
adversidade que experimentarem ao acaso, era membro da turba de
longo do caminho. Missouri. O Irmão Woodruff disse:
Do livreto Para o Vigor da “Quando chegamos, a família prepa-
Juventude, diz novamente a Primeira rava- se para tomar o desjejum.
Presidência: “Que possam manter Naqueles dias, era costume dos mis-
sua mente e corpo limpos dos peca- sourianos convidar as visitas para
dos do mundo, para que possam rea- comer, mesmo que fossem inimigos;
lizar o grande trabalho que se assim, convidou-nos para o desje-
encontra à sua frente. Oramos para jum; ficamos muito agradecidos com
que possam ser dignos de levar o convite. Ele sabia que éramos
adiante as responsabilidades de edifi-
car o reino de Deus e preparar o
mundo para a Segunda Vinda do
Salvador.” (página 3)
Q uando era ainda um rapaz
de 27 anos, Wilford
Woodruff foi ordenado
sacerdote no dia 5 de novembro de
mórmons, e logo que começamos a
comer, ele começou a praguejar con-
tra os mórmons. Sobre a mesa, havia
um enorme prato de bacon com
Meus jovens amigos, saibam da 1834. Oito dias depois, ele começou ovos e bastante pães; suas blasfê-
importância de serem sábios uma missão de dois anos nos Estados mias, no entanto, não nos impedi-
seguindo os conselhos do Profeta, e do Sul (dos Estados Unidos)1. Certa ram de comer, pois quanto mais
a felicidade os acompanhará para o noite, ele e o companheiro encontra- praguejava, mais comíamos, até que
resto de sua jornada da vida. ram abrigo na casa de uma família ficamos totalmente satisfeitos; então
Testifico isso em nome de Jesus que lhes ofereceu somente o chão levantamos, pegamos nosso chapéu,
Cristo, amém.  para dormir, o qual ele descreveu e agradecemos-lhe pelo desjejum.
A L I A H O N A
48
para uma geração inteira de futuros
líderes que aprenderão a trabalhar
efetivamente juntos em conselhos.
Rapazes, vocês crescerão em esta-
tura e força física ao se engajarem
na prática de danças folclóricas,
esportes e competições atléticas cor-
diais e saudáveis, caracterizadas pelo
bom espírito esportivo. Vocês cres-
cerão em graça para com Deus ao
realizarem a pesquisa da história da
família, ao fazerem batismos no tem-
plo pelos antepassados mortos, ao
tornarem-se mestres familiares fiéis,
ao limparem sempre a capela, ao
visitarem asilos, e ao ajudarem a
embelezar sua comunidade. Quando
assim fizerem, serão um exemplo do
conselho do rei Benjamim: “quando
estais a serviço de vosso próximo,
estais somente a serviço de vosso
Deus”.12 Um jovem líder sábio dará
menos ênfase a atividades para
Participantes da conferência sobem a rampa para ver a estátua de O Cristo, levantar fundos e muito mais ênfase
no Centro de Visitantes Norte. ao serviço altruísta aos outros.
Vocês, rapazes, irão crescer em
A última palavra que dele ouvimos possam servir e abençoar a vida de graça para com os homens e tornar-se
era ainda de blasfêmia. Confio em outros, e para tornarem-se um bene- mais bem preparados para a missão, o
que o Senhor o recompensará pelo fício para seus semelhantes. casamento e o futuro emprego, ao
nosso desjejum”.3 Lemos no evangelho de Lucas que aprenderem mais sobre várias profis-
Ao fim do primeiro ano de sua “crescia Jesus em sabedoria, e em sões e desenvolverem maior autocon-
missão, ele relatou que tinha “via- estatura, e em graça para com Deus e fiança por meio de fazer discursos,
jado 5.228 quilômetros, realizado 170 os homens”.9 Como nossa busca ter- participar em peças originais de teatro
reuniões, [e] batizado 43 pessoas.”4 rena pela perfeição envolve tornar-se de apenas um ato e shows de talentos.
Sua primeira missão aos Estados mais semelhantes ao Salvador, então As atividades da nossa juventude
do Sul foi seguida de duas breves mis- nós, da mesma forma, devemos cres- devem refletir nossa crença de que
sões às Ilhas Fox, no litoral do cer em sabedoria e estatura, e em “os homens existem para que tenham
Maine,5 e duas missões subseqüentes graça para com Deus e os homens. alegria”13, e devemos estar desejosos
à Inglaterra.6 Durante sua última mis- As atividades do quórum do de compartilhar essa alegria com os
são na Inglaterra, em 1840, ele reco- sacerdócio e a mutual, realizada outros. Há pouco tempo, conheci
nheceu que, “por meio das bênçãos com as Moças, quando cuidadosa e uma mulher do leste dos Estados
de Deus”, tinha sido um instrumento fervorosamente planejadas e discuti- Unidos que está atualmente morando
para trazer mais de 1.800 almas para das no Comitê da Juventude do no vale do Lago Salgado. Ela é uma
a Igreja, num período de oito meses.7 Bispado, 10 ajudarão cada rapaz e irmã dedicada de outra igreja cristã, e
Wilford Woodruff provou por si moça, inclusive os menos ativos e então perguntei-lhe como se sentia
mesmo a promessa contida no Livro aqueles que não são membros, a vivendo entre os santos dos últimos
de Mórmon de que “Deus providen- crescer em sabedoria, à medida que dias. Ela disse: “Meu marido e eu
ciou um meio para que o homem, adquirirem uma apreciação maior vivemos bem, mas eu me preocupo
pela fé, pudesse operar grandes pelas escrituras e pelas palavras dos com nossa filha adolescente. Toda
milagres; portanto ele se torna um profetas vivos, e participarem das quarta-feira à noite, por volta das sete
grande benefício para seus seme- atividades da Mutual que envolvem horas, algumas moças da vizinhança
lhantes”. 8 Meus jovens irmãos do “qualquer coisa virtuosa, amável, de passam em frente a nossa casa indo,
Sacerdócio Aarônico, quero lembrá- boa fama ou louvável”.11 juntas, para algum lugar, e nunca
los de que nosso Pai nos Céus não Aconselhar-se mutuamente no pararam para convidar nossa filha de
quer apenas que sejam bons, mas Comitê da Juventude do Bispado 14 anos para ir com elas”.
que sejam bons em algo, para que constitui um treinamento valioso Eu respondi: “Esse é o seu dia
J U L H O D E 2 0 0 2
49
de sorte; acho que eu mesmo posso resposta na forma de palavras impres- “não importa que um homem seja
resolver esse problema”. Ela pronta- sas num papel, mas à medida que Sacerdote ou Apóstolo, o impor-
mente deu-me seu endereço e o lerem, receberão fortes impressões, tante é que magnifique seu cha-
nome da filha, e entramos em con- inspirações e, conforme a promessa, o mado. Um Sacerdote possui as
tato com o presidente da estaca e Espírito Santo “vos mostrará todas as chaves do ministério de anjos.
também com o diretor do Seminário. coisas que deveis fazer”.17 Jamais em minha vida, como
Nossos amigos e vizinhos são filhos Satanás quer que vocês renunciem Apóstolo, como Setenta, ou como
de um amoroso Pai Celeste que a seu arbítrio moral em favor de Élder, tive mais proteção do Senhor
deseja que todos retornem a Ele. várias formas de comportamento do que quando possuía o ofício de
Podemos nos dar por satisfeitos se viciador, mas um Pai Celestial amo- Sacerdote. O Senhor revelou a
nem todos os membros do nosso quó- roso prometeu-lhes por intermédio do mim, por meio de visões, revelações,
rum estão freqüentando as reuniões Seu profeta, Isaías, que por meio do e por meio do Espírito Santo, muitas
no domingo de manhã? Certamente jejum sincero, ao subjugar seus apeti- coisas que me aconteceriam”.23
podemos estender-nos aos menos ati- tes físicos, Ele os ajudará a “[soltar] as Amados jovens, oro para que cada
vos, e aos que professam outra fé, e ligaduras da impiedade”, e “[despeda- um de nós, por meio de nossa fé, use-
calorosamente convidá-los para nos- çar] todo o jugo”.18 Invoquem essa mos nosso poder do sacerdócio para
sas atividades da Mutual dos Rapazes promessa por meio do jejum. O operar grandes milagres, pregando o
e Moças, Seminário, aulas da Escola jejum, ou a existência de um vazio evangelho e servindo outros, tor-
Dominical e reuniões sacramentais. físico no nosso corpo, abrirá o espaço nando-nos, assim, um grande benefí-
Quando Joseph Smith e Oliver espiritual necessário para que receba- cio para nossos semelhantes, em
Cowdery receberam o Sacerdócio mos a plenitude do evangelho. nome de Jesus Cristo. Amém. 
Aarônico das mãos do ressurreto O estudo das escrituras e o jejum,
João Batista, receberam também “as precedidos e seguidos da oração NOTAS
chaves do ministério dos anjos”,14 e realmente “ao mais desalentado 1. Matthias F. Cowley, Wilford
assim também aconteceu a vocês, [trazem] consolação”. 19 A vida Woodruff: History of His Life and Labors,
quando foram ordenados. Oro para inteira do Profeta Joseph Smith Salt Lake City; Deseret News, 1909, p. 47.
que vocês, maravilhosos rapazes, demonstra o poder da oração e o 2. Ibid., p. 50.
sejam dignos não apenas de receber o cumprimento da promessa do 3. Ibid., p. 50.
ministério de anjos, mas que vocês, Senhor de que “Se pedires, recebe- 4. Ibid., p. 58.
como o jovem Wilford Woodruff, rás revelação sobre revelação”. 20 5. Ibid., pp. 70–86.
tornem-se um anjo ministrador na Uma importante revelação que 6. Ibid., pp. 99–128; pp. 114–128;
vida de outros, ao exercerem sua fé e vocês receberão será sobre como pp. 129–146.
operarem “grandes milagres”, tor- podem tocar melhor a vida de 7. Ibid., p. 119.
nando-se assim um “grande benefí- outras pessoas que se perderam no 8. Ver Mosias 8:18.
cio” para seus semelhantes. caminho. Assim sendo, é bom lem- 9. Ver Lucas 2:52.
Satanás quer diminuir sua fé e brar o sábio conselho do Presidente 10. Manual de Instruções da Igreja,
enfraquecer o poder do sacerdócio Hinckley: “O Espírito Santo é um volume 1, Líderes do Sacerdócio e das
que vocês possuem para operar gran- Testificador da verdade, que pode Auxiliares, p. 309.
des milagres, mas um Pai Celestial ensinar aos homens o que eles não 11. Regras de Fé 1:13.
amoroso deu-lhes uma proteção podem ensinar uns aos outros”.21 12. Mosias 2:17.
divina, o dom do Espírito Santo. No O Presidente Gordon B. Hinckley 13. 2 Néfi 2:25.
primeiro capítulo do Livro de considera ter bons amigos um dos 14. D&C 13.
Mórmon, aprendemos que quando ingredientes fundamentais para reter 15. 1 Néfi 1:8–12.
Leí lia as escrituras, “ele [ficava] novos conversos e trazer de volta os 16. 2 Néfi 32:3.
cheio do Espírito do Senhor”.15 Néfi menos ativos, e Robert Browning 17. 2 Néfi 32:5.
nos promete posteriormente que se descreveu com eloqüência como isso 18. Isaías 58:6.
“[nos banquetearmos] com as pala- acontece: 19. Hinos, “Com Fervor Fizeste a
vras de Cristo (. . .) as palavras de Prece?”, nº 83.
Cristo [nos] dirão todas as coisas que . . . Fora abençoado como tu, 20. D&C 42:61.
[devemos] fazer”.16 Envolver-me-ia com o amor, e assim, 21. Gordon B. Hinckley, “O Pai, o
Talvez vocês estejam tomando Dos amigos ergueria um baluarte; Filho e o Espírito Santo”, A Liahona,
decisões a respeito da missão, da Jamais sendo derrotado, destarte, março de 1998, p. 7.
futura carreira e, finalmente, do Assistido por gentis e fiéis amigos.22 22. “Paracelsus”, The Poetical Works of
casamento. Ao lerem as escrituras Robert Browning, 2 vols. (1902), 1:25.
e orarem em busca de orientação, Como presidente da Igreja, 23. “Discourse”, Millennial Star, 5 de
talvez não consigam enxergar a Wilford Woodruff declarou que outubro de 1891, pp. 628–629.

A L I A H O N A
50
ao Titanic quando encontrou o ice-

Isso Não Pode berg, pode ocorrer a nós. Com muita


freqüência, vemos apenas parte do
perigo que está adiante.

Acontecer Comigo A História está repleta de exem-


plos de homens que eram talentosos
e capazes, mas que, em um momento
Presidente James E. Faust
de fraqueza, jogaram fora uma vida
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência promissora. O rei Davi é um exem-
plo trágico. Quando jovem ele era
belo, corajoso e possuía grande fé.
Ele matou Golias, o gigante assusta-
dor. Tornou-se rei. Possuía tudo o
Seu futuro talvez não traga fama nem fortuna, mas pode ser que um homem poderia desejar.
Apesar disso, quando viu Bate-Seba,
algo mais duradouro e recompensador. Lembrem-se de que ele a desejou muito embora ela fosse
o que fazemos na vida reflete na eternidade. esposa de outro homem. Ele fez com
que o marido dela, Urias, o heteu,
a qualquer hora. Muito de nosso fosse mandado para a frente da
rumo durante a vida recebe a maior força na peleja para que o
influência de forças que só notamos matassem. Urias morreu em batalha
parcialmente. e Davi casou-se com Bate-Seba.
O Presidente Charles W. Penrose Como conseqüência desse ato vil,
costumava contar a história de um Davi perdeu sua herança espiritual.3
oficial do Titanic que declarou que a Todo o bem que Davi realizou, foi
tripulação não temia a “Deus, nem negado em grande parte, porque ele
ao homem ou ao demônio”, porque se permitiu sucumbir a um defeito
o Titanic fora construído de maneira pessoal.
tão sólida que poderia facilmente Certa vez ouvi um homem
resistir à colisão com outros navios dizendo a seus filhos: “Consigo diri-
ou ao contato de qualquer outra gir mais próximo da borda do preci-
força, incluindo icebergs. 2 Titanic pício do que vocês porque tenho
tinha cerca de trezentos metros de mais experiência”. Ele pensava que
comprimento, 12 andares de altura e estava no controle, mas na realidade
fora construído com o mais fino aço. estava ignorando o perigo real da
Naquela noite trágica de 14 de abril situação. “O problema de se usar a

M eus amados irmãos do


sacerdócio de Deus, a res-
ponsabilidade de falar-
lhes esta noite é imensa. Tenho
orado por inspiração e orientação e
de 1912, outros navios comunicaram
que havia gelo à frente. Ainda assim
o Titanic continuou a aumentar sua
velocidade, navegando pelo frio
Oceano Atlântico. Quando os vigias
experiência como guia é que, com
freqüência, o exame final vem pri-
meiro e a lição vem depois!”4 Algumas
pessoas acham que a idade e a expe-
riência fazem com que seja mais
espero que possam me entender. perceberam o iceberg, era tarde fácil resistir à tentação. Isso é uma
Um dos grandes mitos da vida é demais. O Titanic não conseguiu inverdade.
aquele em que os homens acreditam manobrar a tempo e o iceberg passou Lembro-me de ouvir o Presidente
serem invencíveis. Homens demais arranhando todo o lado estibordo do J. Reuben Clark, Jr. contar a respeito
acreditam serem homens de aço, for- navio, causando uma série de perfu- de uma ocasião em que uma filha ia
tes o bastante para suportar qualquer rações. Duas horas e quarenta minu- sair com alguém. Ele pediu-lhes que
tentação. Enganam-se pensando: tos mais tarde o recém-construído voltassem para casa até uma certa
“Isso não pode acontecer comigo”. Titanic foi a pique rumo ao fundo do hora. Irritada com esse lembrete
Usando um pensamento de Bertrand oceano. Mais de 1.500 pessoas mor- constante, a [adolescente] excla-
Russell: “Somos todos como o peru reram afogadas. mou: “‘Papai, qual é o problema,
que acorda na manhã do dia de Em geral um oitavo de um ice- não confia em mim?’
Ação de Graças esperando o almoço berg fica acima da superfície. O gelo A resposta deve ter sido cho-
de sempre. As coisas podem dar em seu centro é muito compacto e cante para ela. Ele disse: ‘Não,
errado a qualquer hora”.1 Irmãos isso mantém sete oitavos do iceberg sub- minha [filha], não confio em vocês.
pode acontecer a qualquer um de nós merso. A mesma coisa que ocorreu Não confio nem em mim mesmo.’”5
J U L H O D E 2 0 0 2
51
ficarmos viciados em álcool, mas
uma bebida normalmente leva à
outra. É muito melhor nunca tomar
o primeiro copo. Porque assim vocês
saberão que não serão levados a
beber mais.
“Comprar só um bilhete de lote-
ria.” Esse é um vício mais sútil do
que os demais. Talvez não ache que
jogos de azar viciem porque não é
uma substância que o corpo ingere,
mas como alguém escreveu recente-
mente: “As pessoas que jogam arris-
cam mais do que apenas dinheiro.
Sua vida e sua família estão em
perigo também”.10
“Só uma olhada rápida no site
pornográfico da Internet, ou na foto
do meio de uma revista provoca-
tiva.” Parece tão inofensivo, mas o
que vemos é muito mais difícil de
deixar de lado do que aquilo que é
ingerido pelo nosso corpo. Muitos
dos piores criminosos admitem que
começaram a vida de crimes vendo
fotografias obscenas.
Algumas pessoas dirão que não há
problema em se participar de diver-
sões inadequadas de vez em quando.
Contudo, isso com freqüência, tira a
sensibilidade levando à violência,
relações sexuais impróprias, vulgari-
dade, tomar o nome do Senhor em
vão e outros males relacionados.
Falei muito a respeito das coisas
que vocês não querem que lhes
aconteça. Consideremos, agora,
algumas das coisas boas que querem
que lhes aconteça. Se estiverem dis-
Para que algumas coisas “não pos- inofensivo, mas, por favor, enten- postos a pagar o preço do sucesso,
sam acontecer conosco”, sugiro que dam o quanto as drogas são podero- coisas boas podem lhes acontecer,
aprendamos com o conselho do sas. Um viciado disse o seguinte: muito além de seus maiores sonhos
Presidente Spencer W. Kimball: “Não há forma de se controlar as e expectativas! Com freqüência não
“Desenvolvam a autodisciplina para drogas. Elas o controlam. A pri- temos sequer um relance de nosso
que, mais e mais, não tenham que meira vez, em geral, não se sente potencial para a felicidade e para a
decidir e decidir novamente o que nada. Mas é aí que elas o agarram”.7 realização nesta vida e na eterni-
farão quando se defrontarem com a “Só um cigarro — só para ver dade porque, como o Apóstolo
mesma tentação uma vez atrás da como é a sensação.” Mas cuidado Paulo disse: “Agora vemos por espe-
outra. Precisam apenas decidir certas com o perigo aí escondido. A nico- lho em enigma”. 11 Mas as lentes
coisas uma só vez. Que grande bên- tina vicia facilmente.8 No máximo podem ser clareadas e se tornar lím-
ção é ficar livre de se agustiar por quatro cigarros já podem ser o sufi- pidas como o cristal por meio da
causa de uma tentação. Isso con- ciente para colocar alguém (. . .) a influência do Espírito Santo. O
some tempo e é muito arriscado”.6 caminho de se tornar um fumante Salvador prometeu-nos que o
Alguns talvez racionalizem pen- regular.9 Consolador, que é o Espírito Santo,
sando: “Apenas uma dose de drogas “Apenas uma cerveja.” Não que “vos ensinará todas as coisas”, e
não vai me afetar”. Isso parece conhecemos nosso potencial para “vos fará lembrar de tudo quanto
A L I A H O N A
52
vos tenho dito”12 e “vos guiará em Mais tarde, durante o almoço, Salvador por meio da fé e do teste-
toda a verdade”.13 uma das Autoridades Gerais pergun- munho do Espírito.18
Precisamos reconhecer que nos- tou a esse novo presidente de estaca Vocês também podem vir a saber
sos dons e habilidades naturais são se ele tinha certeza absoluta de que o que sabiam como filhos valorosos
limitados, mas quando fortalecidos o evangelho era verdadeiro. Ele res- de Deus na existência prémortal.
pela inspiração e orientação do pondeu que não sabia. O apóstolo Isso pode acontecer com vocês. Mas
Espírito, nosso potencial cresce sênior disse, então, ao outro após- não acontecerá automaticamente.
imensamente. Vocês precisam da tolo: “Ele sabe disso tão bem quanto Você terá que exercer a fé. A única
ajuda de um poder além do seu pró- você. A única coisa que ele não sabe forma de adquirir conhecimento
prio para fazer algo extraordinaria- é que ele sabe. Ele descobrirá isso espiritual e mantê-lo ardendo viva-
mente útil. Vocês, rapazes, podem em pouco tempo. (. . .) Não precisa mente é sendo humildes, devotos e
ter oportunidades e receber bênçãos se preocupar”. esforçando-se diligentemente para
maiores do que as que jamais imagi- Pouco tempo depois, o novo presi- guardar todos os mandamentos.
naram. Seu futuro talvez não traga dente de estaca testificou, após uma Durante a abertura dos recém
fama nem fortuna, mas pode ser experiência espiritual: “Derramei concluídos Jogos Olímpicos de
algo mais duradouro e recompensa- lágrimas de gratidão ao Senhor pelo Inverno de 2002 em Salt Lake City,
dor. Lembrem-se de que o que faze- testemunho firme, perfeito e absoluto o Coro do Tabernáculo Mórmon e a
mos na vida reflete na eternidade. que veio à minha vida a respeito da Orquestra Sinfônica de Utah apre-
Alguns de vocês, rapazes, talvez divindade deste trabalho”.15 sentaram uma composição musical
ainda não tenham um forte testemu- Muitos de nós não têm plena majestosa especialmente composta
nho da origem divina desta Igreja consciência do que realmente sabe- por John Williams para ser o tema
como seus pais têm. Talvez quisessem mos. Muito embora o evangelho nos musical oficial dos Jogos. Era intitu-
ter mais certeza de que Joseph Smith tenha sido ensinado, talvez não lada “Chamado aos Campeões”. As
realmente teve uma visão de Deus o tenhamos plena consciência do que primeiras palavras emocionantes
Pai e de Seu Filho, Jesus Cristo, e de o Senhor colocou em nosso “inte- dessa composição são: citius (mais
que o Livro de Mórmon foi verdadei- rior” e escreveu “no [nosso] cora- rápido), altius (mais alto) e for-
ramente traduzido das placas de ouro. ção”.16 Como rapazes do convênio, tius (mais forte), que são o lema
Talvez tenham algumas dúvidas per- vocês são herdeiros de grandes pro- Olímpico oficial desde 1924.
sistentes quanto à lei do dízimo, a messas. Vocês têm a oportunidade Irmãos do sacerdócio, vivemos
lei da castidade ou a Palavra de de tornarem-se mais do que “racha- em uma época maravilhosa. Jamais
Sabedoria. Isto não é incomum para dores de lenha e tiradores de água”.17 na história da Igreja observamos
alguns jovens de sua idade. Sua fé tal- Não afirmo ter uma compreensão mais testemunhas da veracidade
vez não tenha sido plenamente tes- absoluta de todos os princípios do desta obra sagrada. Temos nossos
tada. Talvez ainda não tenham tido evangelho, mas cheguei ao conheci- difamadores e críticos, como sempre
que defender suas crenças nem seu mento seguro da divindade e da tivemos. Mas jamais a Igreja escalou
estilo de vida. Asseguro-lhes que autoridade desta Igreja. Esse conhe- mais alto, moveu-se mais rapida-
grandes coisas podem acontecer a cimento chegou a mim gradual- mente ou tem sido mais forte na
vocês. Podem receber um testemunho mente, linha sobre linha e preceito realização de sua missão. Agora che-
inabalável de que esta é a Igreja de sobre preceito. E agora sei o que sei, gou a hora de todos nós nos elevar-
Jesus Cristo, e que por intermédio de da mesma forma que vocês podem mos e prosseguirmos. Chegou a hora
Joseph Smith, o evangelho foi restau- vir a saber o que sabem. Isso pode do chamado dos campeões. Na obra
rado à Terra em sua plenitude. Mas acontecer com vocês. de Deus precisamos, também, ser
esse testemunho talvez não venha O conhecimento vem por meio mais rápidos, trabalhando com mais
antes de sua fé ter sido testada.14 da fé. Hoje em dia precisamos insistência; mais alto, esforçando-
Há muitos anos, duas Autori- conhecer a veracidade do que nos para atingirmos metas espiri-
dades Gerais chamaram um homem estava nas placas de ouro sem tê-las tuais mais grandiosas; e mais fortes,
muito jovem para ser um novo presi- visto. Elas não estão à nossa disposi- confiando na força de Deus. Isso
dente de estaca. Ao aceitar o cha- ção para que vejamos e toquemos pode acontecer com vocês.
mado, o novo presidente de estaca como o fizeram as Três Testemunhas A maneira segura de receberem as
disse que daria total dedicação a seu e as Oito Testemunhas. Alguns dos alegrias e as bênçãos é seguindo
chamado e que não pediria que que realmente viram e tocaram as nosso profeta vivo, o Presidente
nenhum membro de sua estaca fosse placas não permaneceram fiéis à Gordon B. Hinckley. Tantas coisas
mais dedicado que ele. Então pres- Igreja. Ver um anjo deve ter sido boas chegaram a nós por intermédio
tou seu testemunho de que acredi- uma grande experiência, mas é de nossos profetas anteriores, mas é a
tava no evangelho de todo o coração muito mais importante chegar ao voz do Presidente Hinckley que pre-
e estava disposto a vivê-lo. conhecimento da divindade do cisamos ouvir hoje, precisamos seguir
J U L H O D E 2 0 0 2
53
seus conselhos para que as melhores
coisas aconteçam a nós. Disto eu tes-
tifico em nome de Jesus Cristo.
Amém. 
Eles Oram
NOTAS
1. The Oxford Companion to Philosophy
e Vão em Frente
[O Companheiro de Oxford para
Presidente Thomas S. Monson
Filosofia], ed. Ted Honderich (1995), Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência
p. 610.
2. Ver Joseph Fielding Smith, Church
History & Modern Revelation [História da
Igreja & Revelações Modernas], 1:25.
3. Ver D&C 132:39. Como um vigoroso grupo de portadores do sacerdócio, sejamos
4. Autor desconhecido, citado em
1,911 Best Things Anybody Ever Said cumpridores da palavra, e não somente ouvintes. Oremos, depois
[As 1.911 Melhores Coisas que Alguém Já sigamos em frente e façamos.
Disse], comp. Robert Byrne (1988), p. 386.
5. Conforme citado por Harold B. Lee, navegadores de todo o mundo. O
The Teachings of Harold B. Lee [Os Ensina- irmão Baudin, que fala francês mas
mentos de Harold B. Lee], organizado muito pouco de inglês, estava ten-
por Clyde J. Williams (1996), p. 629. tando descrever-me o segredo do
6. President Kimball Speaks Out [O sucesso dos capitães do mar taitia-
Presidente Kimball Fala] (1981), p. 94 nos. Ele disse: “Eles são incríveis. O
7. Guilliermo D. Jalil, “Teen Addiction” tempo pode estar péssimo, o barco
[“O Vício entre os Adolescentes”], Street- pode estar furado, pode ser que não
Wise Drug Prevention: A Realistic Approach haja nenhum equipamento de auxí-
to Prevent and Intervene in Adolescent Drug lio à navegação exceto seus instintos
Use [Prevenção contra as Drogas voltada e as estrelas do céu, mas eles oram e
para as Ruas: Uma Abordagem Sensata à vão em frente”. Ele repetiu essa
Prevenção e à Intervenção no Uso de frase três vezes. Há uma lição nessa
Drogas pelos Adolescentes] (1996), declaração. Precisamos orar e depois
Internet, www.nodrugs.com. precisamos agir. As duas coisas são
8. Ver Departamento de Educação dos importantes.
EUA, “Growing up Drug Free: A Parent’s Esta promessa do livro de
Guide to Prevention, Part 2” [Crescer Provérbios dá-nos coragem:
Livre das Drogas: Guia de Prevenção
para os Pais, Parte 2], KidSourceOnline,
www.kidsource.com.
9. Ver Janet Brigham, “Tobacco:
Quitting for Good”, [Fumo: Deixar de
M eus irmãos, sinto-me hon-
rado pelo privilégio que
tenho de dirigir-lhes a
palavra nesta noite. Que grande ale-
gria sinto ao ver este magnífico
“Confia no Senhor de todo o teu
coração, e não te estribes no teu
próprio entendimento. Reconhece-o
em todos os teus caminhos, e ele
endireitará as tuas veredas”.1
Fumar Permanentemente], Ensign, fev. Centro de Conferências lotado com Basta abrirmos no relato encon-
de 2002, p. 52. jovens e idosos portadores do sacer- trado em I Reis para apreciarmos
10. Shanna Ghaznavi, “Don’t Bet Your dócio de Deus. Sinto uma imensa novamente o princípio de que
Life” [“Não Aposte Sua Vida”], New Era, responsabilidade ao lembrar que há quando seguimos o conselho do
fev. de 2002, p. 26. grupos de portadores do sacerdócio Senhor, quando oramos e depois
11. I Cor. 13:12. como este reunidos por todo o seguimos em frente, o resultado
12. João 14:26. mundo. Oro para que a inspiração beneficia a todos. Lemos ali que
13. João 16:13. do Senhor guie meus pensamentos e houve uma grande seca em toda a
14. Ver Éter 12:6. inspire minhas palavras. região. Por causa disso houve muita
15. Heber J. Grant, Gospel Standards, Há muitos anos, numa designa- fome. Elias, o profeta, recebeu do
comp. por G. Homer Durham [Padrões ção no Taiti, eu estava conversando Senhor o que para ele deve ter pare-
do Evangelho], (1941), p.68. com nosso presidente de missão, o cido uma instrução surpreendente:
16. Ver Jer. 31:33. Presidente Raymond Baudin, a res- “Levanta-te, e vai para Sarepta
17. Josué 9:21. peito do povo taitiano. Eles são (. . .); eis que eu ordenei ali a uma
18. Ver João 20:29. conhecidos como um dos melhores mulher viúva que te sustente”.
A L I A H O N A
54
Quando encontrou a viúva, Elias Se eu lhes perguntasse qual de antes da dedicação do templo de
declarou: “Traze-me, peço-te, num todas as passagens do Livro de Nova Zelândia, Donald Cummings, o
vaso um pouco de água que beba. Mórmon é a mais lida, suponho que pai, era presidente do distrito da mis-
E, indo ela a trazê-la, ele a cha- seria o relato encontrado em 1 Néfi são, em Perth. Ele, a esposa e a famí-
mou e lhe disse: Traze-me agora tam- sobre Néfi, seus irmãos, seu pai, e o lia estavam decididos a assistirem à
bém um bocado de pão na tua mão”. mandamento para conseguirem de dedicação do templo, embora fossem
A resposta dela descreve sua Labão as placas de latão. Talvez isso muito pobres. Começaram a orar, tra-
triste situação, ao explicar que aconteça porque a maioria de nós, de balhar e economizar. Venderam seu
estava preparando uma última refei- tempos em tempos, nos propomos a único carro e juntaram todo centavo
ção para ela e seu filho, e que depois ler novamente o Livro de Mórmon. que puderam, mas uma semana antes
iriam morrer. Geralmente começamos por 1 Néfi. da partida programada, ainda lhes fal-
Quão implausível deve ter-lhe Na verdade, as passagens ali encon- tava 200 libras esterlinas. Graças a
parecido a resposta de Elias: “Não tradas retratam maravilhosamente a dois presentes inesperados de 100
temas; vai, faze conforme à tua pala- necessidade de orar e depois de ir e libras cada um, eles atingiram sua
vra; porém faze dele primeiro para fazer. Disse Néfi: “Eu irei e cumprirei meta em cima da hora. Como o
mim um bolo pequeno, e traze-mo as ordens do Senhor, porque sei que irmão Cummings não podia tirar
aqui; depois farás para ti e para teu o Senhor nunca dá ordens aos filhos licença do trabalho para viajar, deci-
filho. dos homens sem antes preparar um diu pedir demissão do emprego.
Porque assim diz o Senhor Deus caminho pelo qual suas ordens pos- Viajaram de trem pelo imenso
de Israel: A farinha da panela não se sam ser cumpridas”.3 continente australiano, chegando a
acabará, e o azeite da botija não fal- Lembramos o mandamento. Sydney, onde se uniram a outros
tará até ao dia em que o Senhor dê Lembramos a resposta de Néfi. membros que também viajavam
chuva sobre a terra. Lembramos o resultado. para a Nova Zelândia. O irmão
E ela foi e fez conforme a palavra Em nossos dias, há muitos exem- Cummings e sua família foram um
de Elias; e assim comeu ela, e ele, e plos de pessoas que oraram, e depois dos primeiros australianos a realiza-
a sua casa muitos dias. foram e fizeram. Quero contar-lhes rem batismos pelos mortos no
Da panela a farinha não se aca- um tocante relato de uma boa família Templo de Nova Zelândia. Estavam
bou, e da botija o azeite não faltou que vivia na bela cidade de Perth, entre os primeiros da longínqua
(. . .)”.2 Austrália. Em 1957, quatro meses Perth, Austrália, a receberem a

J U L H O D E 2 0 0 2
55
investidura no Templo de Nova meu Espírito estará em vosso cora- membro e perguntou: “Você tem um
Zelândia. Eles oraram, eles se prepa- ção e meus anjos ao vosso redor visitante hospedado aqui?”
raram e depois seguiram adiante. para vos suster”.6 “Tenho, sim”, foi a resposta.
Quando a família Cummings vol- É inspirador o trabalho missioná- O guarda florestal prosseguiu,
tou para Perth, o irmão Cummings rio realizado por Walter Krause, que dizendo: “Então, venha dar uma
conseguiu um novo emprego, que mora em Prenzlau, Alemanha. O olhada nas pegadas que ele deixou”.
era melhor que o anterior. Ele ainda irmão Krause, cuja dedicação ao A grande área branca e plana por
estava servindo como presidente do Senhor é muito conhecida, está hoje onde o irmão Krause tinha cami-
distrito, nove anos depois, quando com 92 anos de idade. Como nhado era na verdade um lago con-
tive o privilégio de chamá-lo como o patriarca, ele deu mais de mil bên- gelado, e algum tempo antes, o
primeiro presidente da Estaca Perth çãos patriarcais a membros que guarda tinha aberto um grande
Austrália.4 Creio que é significativo moram em muitas partes da Europa. buraco no meio do lago para pescar.
que ele seja atualmente o primeiro Por ter ficado sem onde morar, O vento tinha coberto o buraco de
presidente do Templo de Perth. depois da Segunda Guerra Mundial, neve, de modo que o irmão Krause
As seguintes palavras inspirado- como muitas outras pessoas na não poderia ter visto o perigo que
ras foram tiradas do filme época, o irmão Krause e a família correra. Suas pegadas iam até a beira
Shenandoah: “Se não tentarmos, não moraram num campo de refugiados do buraco e depois seguiam direta-
o faremos; e se não o fizermos, então em Cottbus e começaram a freqüen- mente para a casa do membro, sem
por que estamos aqui?” tar a Igreja ali. Ele foi imediata- que ele soubesse de nada. Levando-
Existem hoje mais de 60.000 mente chamado para liderar o ramo se em conta o peso de sua mochila e
missionários de tempo integral ser- de Cottbus da Igreja. Quatro meses suas botas de borracha, ele certa-
vindo ao Senhor em todo o mundo. depois, em novembro de 1945, o mente teria se afogado, caso tivesse
Muitos desse imenso exército estão Presidente do Distrito, Richard dado um passo a mais em direção ao
ouvindo e assistindo a esta sessão Ranglack, procurou o irmão Krause buraco que ele não podia ver. O
do sacerdócio da Conferência e perguntou-lhe o que acharia de irmão Krause comentou posterior-
Geral. Eles oram e depois vão em servir numa missão. A resposta do mente que esse evento teve grande
frente, confiando no Senhor com irmão Krause demonstra sua dedica- repercussão na vila, na época.7
respeito ao local para onde são ção à Igreja. Ele disse: “Não preciso A vida inteira do irmão Krause
enviados e confiando em seu presi- refletir a esse respeito. Se o Senhor seguiu o padrão de orar e depois ir
dente de missão com respeito ao precisa de mim, eu irei”. em frente.
local onde servem dentro de suas Ele partiu em 11 de dezembro de Se algum de nós se sentir incapaz
respectivas missões. Entre as muitas 1945, com vinte marcos alemães no ou tiver dúvidas quanto à sua capa-
revelações referentes ao sagrado bolso e um pedaço de pão seco. Um cidade de atender a um chamado do
chamado dos missionários, há duas dos membros do ramo dera-lhe um sacerdócio para servir, lembremo-
passagens que são as minhas prefe- casaco de frio deixado por um filho nos desta divina verdade: “Com
ridas. As duas se encontram em que morrera na guerra. Outro mem- Deus, todas as coisas são possíveis”.8
Doutrina e Convênios. bro, que era sapateiro, deu-lhe um Há pouco tempo, fiquei sabendo
A primeira encontra-se na seção par de sapatos. Com isso e duas do falecimento de James Womack, o
100. Vocês devem lembrar que camisas, dois lenços e dois pares de patriarca da Estaca Shreveport
Joseph Smith e Sidney Rigdon meias, ele partiu para sua missão. Louisiana. Ele serviu por muito
tinham-se ausentado de suas famí- Certa vez, no meio do inverno, ele tempo e abençoou muitas vidas. Há
lias por algum tempo e estavam caminhou de Prenzlau até Kammin, vários anos, o Presidente Spencer W.
preocupados com elas. O Senhor uma pequena vila em Mecklenberg, Kimball contou ao Presidente
revelou-lhes esta mensagem que onde quarenta e seis pessoas assisti- Gordon B. Hinckley, ao Élder Bruce
reconforta os missionários de toda a ram às reuniões que ele realizou. R. McConkie e para mim o que acon-
Igreja: “Em verdade, assim vos diz o Chegou depois do anoitecer, após teceu na designação do patriarca da
Senhor, meus amigos (. . .): Vossas caminhar por seis horas ao longo Estaca Shreveport Louisiana, da
famílias estão bem; encontram-se de estradas, caminhos e, por fim, Igreja. O Presidente Kimball disse
em minhas mãos e eu lhes farei o atravessando campos arados. Pouco que havia entrevistado, buscado e
que me parecer bem; pois em mim antes de chegar à vila, encontrou um orado para saber a vontade do
todo o poder existe”.5 amplo espaço plano e branco, onde Senhor com respeito à escolha. Por
A segunda encontra-se na seção era mais fácil caminhar, e em pouco algum motivo, nenhum dos candida-
84 de Doutrina e Convênios: tempo chegou à casa de um membro tos sugeridos era o homem que deve-
“Quem vos receber, lá estarei tam- para passar a noite. ria ser designado naquela ocasião.
bém, pois irei adiante de vós. Estarei Na manhã seguinte, o guarda flo- O dia chegou ao fim; tendo início
a vossa direita e a vossa esquerda e restal bateu na porta da casa do as reuniões da noite. De repente, o
A L I A H O N A
56
abençoar. Sou provavelmente a pes-
soa mais baixa que você verá sen-
tada diante de você”.
O Presidente Kimball contou-nos
que quando o nome de James
Womack foi apresentado na confe-
rência de estaca, “os membros
ergueram a mão entusiasticamente
em voto de apoio”.
Foram lembradas as palavras do
Senhor ao Profeta Samuel na oca-
sião em que Davi foi designado
como futuro rei de Israel: “O
homem vê o que está diante dos
olhos, porém o Senhor olha para o
coração”.9
Irmãos, seja qual for nosso cha-
mado, independentemente de nos-
sos temores ou ansiedades, oremos e
depois vamos e façamos, lembrando
as palavras do Mestre, sim, o Senhor
Jesus Cristo, que prometeu: “(. . .)
Eu estou convosco todos os dias, até
a consumação dos séculos”.10
Na Epístola de Tiago lemos o con-
selho: “Sede cumpridores da palavra,
e não somente ouvintes, enganando-
vos com falsos discursos”.11
Como um vigoroso grupo de por-
Presidente Kimball voltou-se para o Presidente Kimball reuniu-se com o tadores do sacerdócio, sejamos cum-
presidente da estaca e pediu-lhe que irmão Womack e informou-lhe que o pridores da palavra, e não somente
identificasse um certo homem que Senhor o designara para ser o ouvintes. Oremos, depois sigamos
estava sentado quase no fundo da patriarca, fez-se um longo silêncio na em frente e façamos.
capela. O presidente da estaca res- sala. Então, o irmão Womack disse: Em nome de Jesus Cristo.
pondeu que aquele era James “Irmão Kimball, pelo que sei o Amém. 
Womack, e o Presidente Kimball patriarca precisa colocar as mãos na
disse: “Ele é o homem que o Senhor cabeça da pessoa que ele vai aben- NOTAS
escolheu para ser o patriarca da sua çoar. Como pode ver, não tenho mãos 1. Provérbios 3:5–6.
estaca. Peça-lhe que venha falar para colocar na cabeça de ninguém”. 2. I Reis 17:9–11, 13–16; ver também
comigo na sala do sumo conselho, O irmão Kimball, com seu jeito v. 12.
logo após a reunião”. bondoso e paciente, convidou o 3. 1 Néfi 3:7.
O presidente da estaca, Charles irmão Womack a ficar de pé atrás 4. Ver Richard J. Marshall, “Saga of
Cagle, ficou surpreso, porque James da cadeira em que o irmão Kimball Sacrifice”, Ensign, agosto de 1974,
Womack não era um homem estava sentado. Disse então: pp. 66–67.
comum. Ele tinha sofrido lesões ter- “Agora, irmão Womack, incline-se 5. Doutrina e Convênios 100:1.
ríveis enquanto lutava na Segunda para a frente e veja se os tocos de 6. D&C 84:88.
Guerra Mundial. Perdera as duas seus braços alcançam o alto da 7. Ver Garold N. Davis e Norma S.
mãos e parte de um braço, bem minha cabeça”. Para alegria do Davis, “Behind the Iron Curtain:
como a maior parte da visão e parte irmão Womack, eles tocaram a Recollections of Latter-day Saints in East
da audição. Não queriam deixá-lo cabeça do irmão Kimball, e ele Germany 1945–1989”, Brigham Young
entrar na faculdade de direito, exclamou: “Eu consigo tocá-lo! Eu University Studies 35, nº 1, 1995,
quando ele voltou da guerra, mas consigo tocá-lo!” pp. 54–55.
ele concluiu o curso como terceiro “É claro que pode tocar-me”, res- 8. Mateus 19:26.
de sua turma, na Universidade pondeu o irmão Kimball. “E se con- 9. I Samuel 16:7.
Estadual de Louisiana. segue tocar-me, então conseguirá 10. Mateus 28:20.
Naquela noite, quando o tocar qualquer pessoa que for 11. Tiago 1:22.

J U L H O D E 2 0 0 2
57
Nossa conduta em público deve

Dignidade Pessoal ser irrepreensível. E nossa conduta


em particular é ainda mais impor-
tante. Deve ir além dos padrões míni-

para Exercer mos estabelecidos pelo Senhor. Não


podemos deleitar-nos no pecado,
muito menos tentar encobri-los. Não

o Sacerdócio podemos satisfazer nosso orgulho.


Não podemos participar da vaidade
da ambição injusta. Não podemos
exercer controle, domínio ou coação
Presidente Gordon B. Hinckley sobre nossa esposa ou filhos ou sobre
quaisquer outras pessoas com qual-
quer grau de iniqüidade.
Se fizermos qualquer dessas coi-
sas, os poderes dos céus se afastarão.
Nossa conduta em público deve ser irrepreensível. E nossa O Espírito do Senhor Se ressentirá.
conduta em particular é ainda mais importante. Deve ir além A própria virtude do sacerdócio se
anulará. Sua autoridade se perderá.
dos padrões mínimos estabelecidos pelo Senhor. Nossa maneira de viver, as pala-
vras que proferimos e nosso compor-
homem receba e exerça esse poder tamento cotidiano determinam
sagrado. É sobre isso que desejo dis- nossa eficácia como homens e rapa-
correr hoje. zes portadores do sacerdócio.
Começarei lendo para vocês tre- Nossa quinta regra de fé declara:
chos da seção 121 de Doutrina e “Cremos que um homem deve ser
Convênios. chamado por Deus, por profecia e
“Os direitos do sacerdócio são pela imposição de mãos, por quem
inseparavelmente ligados com os possua autoridade, para pregar
poderes do céu e (. . .) os poderes do o Evangelho e administrar suas
céu não podem ser controlados nem ordenanças”.
exercidos a não ser de acordo com Mesmo que alguém com autori-
os princípios da retidão. dade imponha as mãos sobre nossa
Que eles nos podem ser conferi- cabeça e nos ordene, podemos por
dos, é verdade; mas quando nos pro- meio de nosso comportamento anu-
pomos a encobrir nossos pecados ou lar e perder qualquer direito de
satisfazer nosso orgulho, nossa vã exercer essa autoridade divina.
ambição ou exercer controle ou A seção 121 diz ainda: “Nenhum
domínio ou coação sobre a alma dos poder ou influência pode ou deve

Q ueridos irmãos, hoje eu


gostaria de falar com cla-
reza sobre um assunto que
muito me preocupa. Que prazer
filhos dos homens, em qualquer
grau de iniqüidade, eis que os céus
se afastam; o Espírito do Senhor se
magoa e, quando se afasta, amém
ser mantido em virtude do sacerdó-
cio, a não ser com persuasão, com
longanimidade, com brandura e
mansidão e com amor não fingido;
imenso e que desafio preocupante é para o sacerdócio ou a autoridade Com bondade e conhecimento
dirigir-lhes a palavra. Que grandiosa desse homem.” (D&C 121:36–37) puro, que grandemente expandirão
fraternidade formamos com os por- Essas são as palavras inequívocas a alma, sem hipocrisia e sem dolo”.
tadores do precioso e magnífico do Senhor no tocante a Sua autori- (D&C 121:41–42)
sacerdócio. Ele provém de Deus dade divina. Que enorme responsa- Então, irmãos, esses são os parâ-
nosso Pai Eterno que, nesta gloriosa bilidade isso representa para cada um metros pelos quais este sacerdócio
dispensação, falou, juntamente com de nós. Nós que portamos o sacerdó- deve ser exercido. Ele não é uma
Seu Filho Amado, novamente dos cio de Deus devemos seguir padrões peça de roupa que vestimos e tira-
céus. Eles enviaram Seus servos mais elevados do que os do mundo. mos a nosso bel-prazer. É, quando
autorizados para conferir essa auto- Precisamos disciplinar-nos. Não exercido em retidão, como uma
ridade divina aos homens. devemos ostentar um ar de superiori- segunda pele, uma parte integrante
A dignidade pessoal torna-se o dade, mas podemos e precisamos ser de nós em todos os momentos e em
padrão indispensável para que um homens decentes e honrados. todas as circunstâncias.
A L I A H O N A
58
Assim, vocês rapazes que pos-
suem o Sacerdócio Aarônico rece-
beram esse poder que encerra as
chaves do ministério de anjos.
Pensem nisso por alguns instantes.
Vocês não podem dar-se ao luxo
de fazer qualquer coisa que venha a
interpor-se entre vocês e os anjos
ministradores à sua volta.
Vocês não podem ser imorais de
maneira alguma. Não podem ser
desonestos. Não podem trapacear,
mentir, tomar o nome de Deus em
vão nem usar linguajar impuro e
ainda ter o direito ao ministério de
anjos.
Não quero que vocês sejam hipó-
critas. Quero que sejam viris, cheios
de vida, fortes e felizes. Aqueles que
tiverem propensão para o esporte,
quero que sejam bons atletas e que
se empenhem para tornarem- se
campeões. Mas ao fazerem-no, não
precisam entregar-se a comporta-
mentos inadequados, profanos ou
impuros.
Aos rapazes que anseiam por ser-
vir como missionários, não corrom-
pam sua vida com nada que venha a
lançar dúvidas sobre sua dignidade
para servirem como representantes
do Senhor.
Vocês não devem e nem podem,
em circunstância alguma, enfraque-
cer o poder divino que vocês levam
dentro de si como ministros ordena-
dos do evangelho.
À guisa de advertência, a Os membros dos Setenta cantam durante uma sessão da conferência.
Primeira Presidência e o Quórum
dos Doze Apóstolos dirigiram a Protejam-se de tais acusações nunca A Igreja de Jesus Cristo dos Santos
vocês a seguinte declaração: se separando de seu companheiro, dos Últimos Dias.
“Como missionários, espera-se mesmo nas casas que vocês visita- Vocês iniciarão a busca de uma
que vocês mantenham os mais ele- rem.” (Declaração da Primeira companheira eterna. Desejarão
vados padrões de conduta, Presidência sobre a conduta missio- casar-se na casa do Senhor. Para
incluindo a estrita observância da nária, 22 de março de 2002) vocês, não deve haver alternativa.
lei de castidade (. . .). Vocês não precisarão preocupar- Tenham cuidado para não destruí-
(. . .) Vocês jamais devem ficar a se com essas coisas caso observem rem sua dignidade a ponto de não
sós com outra pessoa, do sexo mas- em todos os momentos as regras da poderem casar- se dessa forma.
culino ou feminino, adulto ou obra missionária. Se assim procede- Passem momentos agradáveis, mas
criança [a não ser o companheiro rem, vocês terão uma experiência mantenham o namoro dentro dos
que lhes for designado]. maravilhosa e regressarão honrosa- limites de uma rígida autodisciplina.
Até mesmo acusações falsas con- mente para o seio de seus entes que- O Senhor deu-nos um mandamento
tra um missionário inocente podem ridos sem manchas, desconfianças e uma promessa. Ele exortou-nos:
custar meses de investigação e resul- nem remorsos. “Que a virtude adorne teus pensa-
tar na interrupção temporária ou Ao voltarem para casa, nunca mentos incessantemente”. Em
definitiva do serviço missionário. esqueçam que vocês são élderes de seguida, prometeu: “Tua confiança
J U L H O D E 2 0 0 2
59
se fortalecerá na presença de Deus; Home: The Savior of Civilization forma de abuso, algo muito vei-
e (. . .) o Espírito Santo será teu [1924], p. 42; Conference Report, culado na imprensa. É o abuso sór-
companheiro constante”. (D&C abril de 1935, p. 116.) E o Presidente dido e maligno de crianças por
121:45–46) Lee ensinou: “A parte mais impor- adultos, em geral homens. Essa
A esposa que vocês escolherem tante do trabalho do Senhor que forma de abuso não é nova. Há indí-
estará em condição de igualdade vocês poderão fazer é aquele realizado cios de que vem de longa data. É
com vocês. Paulo declarou: “Nem o dentro das paredes de seu próprio algo totalmente desprezível, trágico
homem é sem a mulher, nem a lar”. (Harold B. Lee, Doing the Right e terrível. Lamento dizer que já
mulher sem o homem, no Senhor”. Things for the Right Reasons, Brigham houve, ainda que em dimensões
(I Cor. 11:11) Young University Speeches of the muito pequenas, esse monstruoso
No relacionamento conjugal não Year [19 de abril de 1961], p. 5) mal em nosso meio. É algo que não
há inferioridade nem superioridade. Estou confiante de que quando pode ser admitido ou tolerado. O
A mulher não anda à frente do comparecermos perante o tribunal próprio Senhor disse: “Mas, qual-
marido nem o marido à frente da de Deus, pouquíssima menção se quer que escandalizar um destes
mulher. Eles caminham lado a lado fará a quanta riqueza acumulamos pequeninos, que crêem em mim,
como filho e filha de Deus numa na vida ou a quais honras do mundo melhor lhe fora que se lhe pendu-
jornada eterna. alcançamos. Mas serão feitas per- rasse ao pescoço uma mó de azenha,
Ela não é sua serva, sua proprie- guntas detalhadas sobre nossos rela- e se submergisse na profundeza do
dade nem nada do gênero. cionamentos no lar. E estou mar”. (Mateus 18:6)
Que fenômeno trágico e repug- convencido de que somente aqueles São palavras fortes saídas da boca
nante é o dos maus-tratos à esposa. que ao longo da vida amaram, res- do Príncipe da Paz, o Filho de Deus.
Qualquer homem desta Igreja que peitaram e valorizaram seu cônjuge Citando o Manual de Instruções:
maltratar sua esposa ou a humilhar, e filhos ouvirão de nosso juiz eterno “A posição da Igreja é a de que não
insultar ou exercer sobre ela injusto as palavras “Bem está, servo bom e se pode tolerar forma alguma de
domínio não é digno de possuir o fiel (. . .); entra no gozo do teu maus-tratos ou abuso. Os que mal-
sacerdócio. Ainda que ele tenha Senhor”. (Mateus 25:21) tratam ou abusam (. . .) estão sujei-
sido ordenado, os céus se afastarão, Gostaria de mencionar outro tipo tos à ação disciplinar da Igreja. Eles
o Espírito do Senhor Se magoará e de maus-tratos: o que vitima os ido- não devem receber chamados na
amém para a autoridade do sacerdó- sos. A meu ver, não é algo comum Igreja e não podem receber uma
cio desse homem. entre nós. Espero que não. Oro para recomendação para o templo.
Qualquer homem envolvido que de fato não o seja. Mesmo que uma pessoa que tenha
nessa prática é indigno de possuir Creio que, em sua grande maio- abusado sexualmente ou maltratado
uma recomendação para o templo. ria, os membros da Igreja observam fisicamente uma criança seja subme-
Lamento dizer que presencio o antigo mandamento: “Honra a teu tida a uma ação disciplinar da Igreja
muitos casos desse fenômeno horrí- pai e a tua mãe, para que se prolon- e posteriormente venha a ser restau-
vel. Há homens que agridem a guem os teus dias na terra que o rada à plena integração na Igreja ou
esposa, tanto verbal quanto fisica- Senhor teu Deus te dá”. (Êxodo readmitida pelo batismo, os líderes
mente. Que tragédia é um homem 20:12) não devem chamar essa pessoa para
rebaixar a mãe de seus filhos. Mas como é trágico e absoluta- nenhum cargo em que tenha que
É verdade que existem algumas mente revoltante o abuso aos idosos. trabalhar com crianças ou jovens, a
mulheres que agridem o marido. Estamos vivendo cada vez mais menos que a Primeira Presidência
Mas não estou dirigindo-me a elas tempo, graças aos milagres da ciên- autorize a remoção dessa anotação
hoje, mas aos homens desta Igreja, cia moderna e aos avanços da medi- na ficha de membro da pessoa.
homens a quem o Todo-Poderoso cina. Mas com a velhice vem a Nos casos de abuso, a primeira
conferiu Seu santo sacerdócio. deterioração da capacidade física e responsabilidade da Igreja é ajudar
Se houver ao alcance de minha por vezes mental. Já disse outras os que foram abusados e proteger as
voz homens culpados de tal compor- vezes que descobri que a chamada possíveis vítimas futuras”. (Volume
tamento, chamo-os ao arrependi- terceira idade traz consigo inúmeras 1: Presidências de Estaca e Bispados
mento. Ajoelhem-se e peçam perdão dificuldades. Sou profundamente [1998], p. 159)
ao Senhor. Orem pedindo a Ele o grato pelo amor e preocupação de Há muito tempo temos tratado
poder para controlar sua língua e sua nossos filhos por sua mãe e seu pai. desse problema. Exortamos os bis-
mão pesada. Peçam perdão a sua Como é belo ver um filho ou filha pos, presidentes de estaca e outros
esposa e seus filhos. O Presidente desdobrando-se para ajudar com líderes a ajudarem as vítimas, conso-
McKay dizia sempre: “Nenhum bondade, carinho e amor um pai ou larem-nas, fortalecerem-nas, mos-
sucesso na vida compensa o fracasso mãe idosos. trarem a elas que o que aconteceu
no lar”. (Citando J. E. McCulloch, Agora eu gostaria de citar outra foi errado, que não foi culpa delas e
A L I A H O N A
60
que isso nunca mais precisará ocor- para ajudá-la. Nosso coração sofre sumamente precioso e extraordiná-
rer novamente. também pelo agressor, mas não rio. Ele encerra a autoridade para
Lançamos publicações, criamos podemos tolerar o pecado por ele governar a Igreja, administrar seus
uma linha telefônica em que os líde- cometido. Quando há uma ofensa, assuntos e falar com autoridade em
res da Igreja podem receber conselhos há uma penalidade. Os trâmites da nome do Senhor Jesus Cristo, agir
para lidar com casos de abuso e ofere- lei civil serão seguidos. E se iniciará como Seus servos designados, aben-
cemos auxílio profissional por meio também o processo eclesiástico, que çoar nossa família e muitos outros.
dos Serviços Sociais Familiares SUD. muitas vezes resultará na excomu- Ele serve como guia para dirigir
Esses atos muitas vezes são de nhão. Esse assunto é extremamente nossa vida. Em sua plenitude, essa
natureza criminosa e passíveis de delicado e sério. autoridade estende-se além do véu
punição legal. Consultores profissio- Contudo, reconhecemos e sem- da morte e chega às eternidades que
nais, incluindo advogados e assis- pre devemos reconhecer que estão por vir.
tentes sociais, podem ser contatados quando a penalidade foi paga e as Não há nada que se compare ao
nessa linha telefônica para orientar exigências da justiça foram cumpri- sacerdócio em todo o mundo.
os bispos e presidentes de estaca no das, sempre haverá uma mão amiga Protejam-no, valorizem-no, amem-
tocante a suas responsabilidades e bondosa pronta para ajudar. no, vivam de modo a serem dignos
nessas circunstâncias. Os líderes de Poderá haver restrições permanen- dele.
outros países devem telefonar para tes, mas haverá também bondade. “Assim resplandeça a vossa luz
os respectivos presidentes de área. Irmãos, acho que talvez eu tenha diante dos homens, para que vejam
A missão da Igreja é uma missão sido meio negativo neste discurso. as vossas boas obras e glorifiquem a
de salvação. Gostaria de salientar Não foi minha intenção. Meu desejo vosso Pai, que está nos céus.”
isso. É a obra de salvar almas. é erguer uma voz de advertência ao (Mateus 5:16) É minha humilde
Desejamos ajudar tanto a vítima sacerdócio da Igreja de todo o oração ao deixar-lhes minha bênção
quanto o agressor. Nosso coração mundo. e externar-lhes meu amor. Em nome
sofre pela vítima, e precisamos agir Deus concedeu-nos um dom de Jesus Cristo. Amém. 

J U L H O D E 2 0 0 2
61
Sessão da Manhã de Domingo vontade, assim na terra como no
7 de Abril 2002 céu;
O pão nosso da cada dia nos dá
hoje;
E perdoa-nos as nossas dívidas,

A Oração como assim como nós perdoamos aos nos-


sos devedores;
E não nos induzas à tentação;

Corda Salva-Vidas mas livra-nos do mal; porque teu é o


reino, e o poder, e a glória, para
sempre. Amém.”3
Primeiro, a oração é uma
Presidente James E. Faust humilde admissão de que Deus é
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência
nosso Pai e que o Senhor Jesus
Cristo é nosso Salvador e Redentor.
Segundo, é uma confissão sincera do
pecado e da transgressão e um
pedido de perdão. Terceiro, é o
Cada um de nós tem problemas que não podem ser solucionados e reconhecimento de que precisamos
fraquezas que não podemos sobrepujar sem chegarmos, por meio de uma ajuda superior à nossa pró-
pria capacidade. Quarto, é uma
da oração, a uma fonte de força superior. oportunidade de dar graças e
expressar gratidão ao nosso Criador.
duração dessas orações a cada dia. É importante que digamos, com fre-
Não existe uma cota estabelecida qüência: “Agradecemos (. . .)”
para quantas necessidades podemos “Reconhecemos que tudo provém
indicar em nossas orações todos os de Ti (. . .) “Somos gratos a Ti
dias. Não precisamos passar por uma (. . .)” Quinto, é um privilégio pedir
secretária nem marcar hora para bênçãos específicas à Deidade.
chegarmos ao trono da graça. Muitas orações são proferidas
Podemos nos comunicar com Ele em quando estamos de joelhos. O
qualquer hora ou lugar. Salvador ajoelhou-Se ao orar ao Pai
Quando Deus colocou o homem no Jardim do Getsêmani.4 Mas silen-
sobre a Terra, a oração tornou-se a ciosas orações do coração também
corda salva-vidas entre a humanidade chegam ao céu. Nós cantamos: “A
e Deus. Assim, na geração de Adão, oração é o desejo sincero do coração,
os homens começaram a “invocar o quer proferida quer silente”5. Orações
nome do Senhor”.1 Através de todas sinceras vêm do coração. De fato, a
as gerações desde aquela época, a sinceridade requer que busquemos os
oração tem suprido uma necessidade sentimentos mais verdadeiros de
humana de grande importância. Cada nosso coração quando oramos, em

P resto testemunho nesta manhã


a respeito da importância da
oração. Ter acesso ao nosso
Criador por intermédio de nosso
Salvador é certamente um dos gran-
um de nós tem problemas que não
podem ser solucionados e fraquezas
que não podemos sobrepujar sem
chegarmos, por meio da oração, a
uma fonte de força superior. Essa
lugar de usar vãs repetições ou exibi-
ções artificiais como aquelas conde-
nadas pelo Salvador na parábola do
fariseu e do publicano.6 Nossas ora-
ções então serão como o “canto do
des privilégios e bênçãos de nossa fonte é o Deus no céu a quem oramos coração” e “uma prece”7, não apenas
vida. Aprendi, devido a inúmeras em nome de Jesus Cristo.2 Ao orar- chegando a Deus, mas tocando tam-
experiências, que grande é o poder mos devemos pensar que nosso Pai bém o coração de outros.
da oração. Nenhuma autoridade ter- no céu possui todo conhecimento, Jeremias aconselha-nos a orar de
rena pode nos impedir de entrarmos entendimento, amor e compaixão. todo nosso coração e alma.8 Enos
em contato direto com nosso O que é a oração? O Salvador narrou como sua alma estava
Criador. Jamais ocorrerá uma falha deu-nos um exemplo no Pai Nosso faminta e como ele orarara o dia
mecânica ou eletrônica quando ora- quando orou: “Pai nosso, que estás todo9 As orações variam de intensi-
mos. Não existe limite no número de no céus, santificado seja o teu nome; dade. Até mesmo o Salvador
vezes em que podemos orar nem na Venha o teu reino, seja feita a tua “[orou] mais intensamente” em Seu
A L I A H O N A
62
O Templo de Salt Lake visto do Edifício dos Escritórios da Igreja.
Autoridades Gerais de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
PRIMEIRA PRESIDÊNCIA Abril de 2002

Presidente Thomas S. Monson Presidente Gordon B. Hinckley Presidente James E. Faust


Primeiro Conselheiro Segundo Conselheiro
QUÓRUM DOS DOZE

Boyd K. Packer L. Tom Perry David B. Haight Neal A. Maxwell Russell M. Nelson Dallin H. Oaks

M. Russell Ballard Joseph B. Wirthlin Richard G. Scott Robert D. Hales Jeffrey R. Holland Henry B. Eyring

PRESIDÊNCIA DOS SETENTA

Earl C. Tingey D. Todd Christofferson David E. Sorensen Ben B. Banks Dennis B. Neuenschwander Charles Didier Cecil O. Samuelson Jr.
PRIMEIRO QUÓRUM DOS SETENTA SEGUNDO QUÓRUM DOS SETENTA

Angel Abrea Carlos H. Amado Neil L. Andersen Merrill J. Bateman William R. Bradford Monte J. Brough Sheldon F. Child Richard D. Allred Athos M. Amorim E. Ray Bateman L. Edward Brown Douglas L. Callister Val R. Christensen Darwin B. Christenson

L. Whitney Clayton Gary J. Coleman Spencer J. Condie Gene R. Cook Quentin L. Cook Claudio R. M. Costa Robert K. Dellenbach Keith Crockett Adhemar Damiani Duane B. Gerrard H. Aldridge Gillespie Ronald T. Halverson Keith K. Hilbig J. Kent Jolley

John B. Dickson Christoffel Golden Jr. Walter F. González John H. Groberg Bruce C. Hafen Donald L. Hallstrom F. Melvin Hammond Gerald N. Lund Dale E. Miller Earl M. Monson Merrill C. Oaks Robert C. Oaks Robert F. Orton Stephen B. Oveson

Harold G. Hillam F. Burton Howard Jay E. Jensen Marlin K. Jensen Kenneth Johnson W. Rolfe Kerr Yoshihiko Kikuchi Wayne S. Peterson Bruce D. Porter H. Bryan Richards Ned B. Roueché R. Conrad Schultz Dennis E. Simmons Donald L. Staheli

Cree-L Kofford John M. Madsen Richard J. Maynes Lynn A. Mickelsen Glenn L. Pace Carl B. Pratt Ronald A. Rasband Robert R. Steuer David R. Stone H. Bruce Stucki Jerald L. Taylor D. Lee Tobler William R. Walker Gordon T. Watts

Lynn G. Robbins Steven E. Snow Dieter F. Uchtdorf Francisco J. Viñas Lance B. Wickman W. Craig Zwick Stephen A. West Robert J. Whetten Richard H. Winkel Robert S. Wood H. Ross Workman

BISPADO PRESIDENTE

Richard C. Edgley H. David Burton Keith B. McMullin


Primeiro Conselheiro Bispo Presidente Segundo Conselheiro
A luz do entardecer alonga a sombra dos visitantes no espaçoso saguão, no lado interno das entradas
do nível platéia do Centro de Conferências.

Uma vista grande-angular mostra o Centro de Conferências a partir do canto sudoeste da praça externa.
momento de agonia.10 Algumas ora-
ções são simples expressões de grati-
dão e pedidos para que as bênçãos
continuem a ser recebidas por nos-
sos entes queridos e por nós.
Contudo, em períodos de grande
dor ou necessidade pessoal, talvez
seja exigido mais do que simples-
mente pedir. O Senhor disse: “(. . .)
supuseste que eu o concederia a ti,
quando nada fizeste a não ser pedir-
me”.11 Algumas vezes, ao buscarmos
bênçãos por meio da oração, é
necessário trabalho, esforço e dili-
gência de nossa parte.
Por exemplo, em certas ocasiões o
jejum é adequado como forte evi-
dência de nossa sinceridade. Como
Alma testificou ao povo de Zaraenla:
“(. . .) Eis que jejuei e orei durante
muitos dias, a fim de saber estas coi-
sas por mim mesmo. E agora sei por
mim mesmo que são verdadeiras,
porque o Senhor Deus mas revelou
por seu Santo Espírito (. . .)”. 12
Quando jejuamos, tornamos nossa
alma mais humilde, 13 o que nos
coloca mais em sintonia com Deus e
com Seus propósitos sagrados.
Somos privilegiados por orar dia-
riamente pelas grandes e pelas
pequenas preocupações de nossa
vida. Considerem as palavras de
Amuleque, que nos advertiu a orar
em nossos campos e por nossos reba-
nhos; em nossa casa, tanto de manhã
como ao meio-dia e à noite; a orar
contra o poder de nossos inimigos e missionário, para que as portas se dever. Perseverei e sobrevivi. Fui
do diabo; a clamar a Ele por nossas abram para ele, para que ele encon- designado para o navio cargueiro bri-
colheitas; abrir nossa alma em nossos tre o honesto de coração”. A oração tânico que iria de São Francisco até
aposentos e em nossos desertos. simples e básica de uma criança: Suez. Fiquei no navio durante 83
Quando não estivermos clamando “que eu não seja traquinas hoje” ou dias, com exceção de uma breve
diretamente a Deus, devemos deixar “que todo mundo tenha muita coisa escala em Auckland, Nova Zelândia.
que nosso coração se volte continua- para comer” ou “que mamãe fique Eu era o único homem de nossa reli-
mente para Ele em oração.14 boa logo”. Essas são orações sublimes gião a bordo. Aos domingos eu ia
O conselho de Amuleque apli- que ressoam nas mansões eternas no para a parte dianteira do navio com
cado hoje em dia pode ser a oração céu. Deus conhece suas necessidades meu pequeno conjunto de escrituras
profundamente preocupada de uma melhor do que podemos indicá-las,15 e hinário preparados para os solda-
esposa: “Abenções Jason e protegei-o mas Ele quer que nos acheguemos a dos. Em meio ao barulho muito forte
enquanto ele serve nosso país nessa Ele com fé para pedir bênçãos, segu- do vento, eu lia as escrituras, orava e
época de guerra”. A oração de uma rança e consolo. cantava sozinho. Nunca tentei fazer
mãe: “Por favor, abençoa minha que- Já mencionei anteriormente uma qualquer barganha com o Senhor,
rida Jane para que ela tome as deci- experiência que tive no exército mas orava fervorosamente dizendo a
sões corretas”. A oração de um pai: durante a Segunda Guerra Mundial. Ele que se eu sobrevivesse à guerra e
“Pai Celestial, por favor, abençoe Apresso -me a dizer que não fui voltasse para minha esposa e família,
o Johnny em seu trabalho como nenhum herói. Mas cumpri meu eu tentaria sinceramente permanecer
J U L H O D E 2 0 0 2
67
fiel aos convênios sagrados que fizera jovem pai de Liverpool, Inglaterra, lugar de se voltar para a congrega-
no batismo, ao juramento e convênio mas a bomba não havia explodido. ção, ajoelhou-se de frente para a
do sacerdócio e aos meus convênios Sua esposa falecera e ele criava os parede. Isso, eu suponho, foi para
do templo. cinco filhos sozinho. Ele reuniu a esconder a tristeza e as lágrimas.
Como parte de nossos deveres, todos nesse momento de grande Já ouvira homens e mulheres ora-
nosso pequeno navio cargueiro rece- ansiedade para fazerem a oração rem—especialmente os primeiros—
beu ordens para rebocar um petro- familiar. Eles “todos oraram (. . .) desde o mais ignorante, tanto nas
leiro incendiado até Auckland, Nova sinceramente e quando acabaram de letras quanto ao intelecto, até o mais
Zelândia. O petroleiro não tinha pro- orar, as crianças disseram: “Papai, culto e eloqüente. Mas jamais até
pulsão e vagava indefeso no oceano. vai ficar tudo bem. Estaremos segu- então ouvira um homem dirigir-se
Embora nunca os víssemos, sabíamos ros em nossa casa esta noite”. ao seu Criador como se Ele estivesse
que submarinos inimigos estavam à Assim foram para a cama, com presente ouvindo, como um pai bon-
espreita. Enquanto rebocávamos o aquela bomba terrível bem ali do doso ouve os lamentos de um filho
navio fomos pegos por uma tempes- lado de fora , meio submersa no obediente. Joseph era na época
tade terrível que de acordo com o solo. Se ela tivesse explodido teria inculto, mas aquela oração, que fora
que ficamos sabendo depois, afun- destruído provavelmente quarenta em grande parte por aqueles que o
dara muitos barcos. Devido à carga ou cinqüenta casas e matado duzen- acusavam de se haver desviado e
que estávamos rebocando, não tas ou trezentas pessoas (. . .) caído em pecado, a fim de que o
tínhamos impulso suficiente para Na manhã seguinte (. . .) toda a Senhor os perdoasse e lhes abrisse os
atravessar as ondas gigantes com a vizinhança foi retirada por um prazo olhos, para que enxergassem da
proa então nosso navio era atirado de quarenta e oito horas e a bomba forma correta. Aquela oração, eu
lateralmente na depressão formada foi finalmente removida (. . .) suponho, em minha mente humilde,
entre as ondas violentas. Ele tremia, Ao retornarem, o irmão Patey partilhou do saber e da eloqüência
rangia e pendia de um lado para perguntou ao líder do Esquadrão de do céu. Ele não demonstrou ostenta-
outro, correndo o risco de emborcar Prevenção a Ataques Aéreos: ‘Bem, ção, nem elevou a voz em sinal de
a cada vez. Sou grato pela influência o que encontrou?’ entusiasmo, mas usou um tom sim-
sustentadora e pelo consolo que “Sr. Patey, quando chegamos até ples como que conversando, como
minhas orações traziam naquela oca- a bomba que estava do lado de fora um homem fala a um amigo que
sião e em outros momentos de perigo de sua casa descobrimos que poderia esteja diante de si. Pareceu-me, que
desde aquela época. explodir a qualquer momento. Não se o véu fosse retirado, eu poderia
O Salvador nos disse: “Orai ao havia nada de errado com ela. ver o Senhor diante do mais humilde
Pai no seio de vossa família, sempre Ficamos intrigados por ela não ter dentre Seus servos que eu já vi. Foi a
em meu nome, a fim de que vossas explodido’”. 18 Coisas milagrosas maior de todas as orações que eu
mulheres e vossos filhos sejam aben- acontecem quando as famílias oram jamais ouvi”.20
çoados”.16 Em nossa época, a Igreja juntas. Ao aproximar-se a hora da morte
nos insta a que tenhamos uma ora- O Salvador aconselhou-nos a e ressurreição do Salvador, Ele ofe-
ção em família todas as noites e orarmos por aqueles que nos menos- receu Sua grande oração intercessó-
todas as manhãs. prezam.19 Esse princípio é freqüente- ria. Depois de recomendar Seus
Certa vez ouvi uma professora da mente ignorado em nossas orações. apóstolos ao Pai e orar por eles, Ele
Primária perguntando a um garoti- O Profeta Joseph Smith entendia isso então orou por todos aqueles que
nho se ele orava todas as noites. claramente. Suas petições eram fer- acreditariam Nele por intermédio da
“Sim”, foi a resposta do garoto. vorosas, seus motivos puros, e as palavra desses apóstolos e rogou ao
“E você ora pela manhã tam- bênçãos do céu, regulares. Daniel Pai por todos nós. Ele orou para que
bém?” perguntou a professora da Tyler, um amigo do Profeta, recor- pudéssemos ser um como Ele é um
Primária. dava-se de uma ocasião importante: com o Pai, e que o mundo acredi-
“Não”, respondeu o menino. “Na ocasião em que William Smith e tasse que o Pai O enviara.21
“‘Num’ sinto medo durante o dia”.17 outros se rebelaram contra o Profeta Nenhuma oração foi tão como-
Medo do escuro não deveria ser a em Kirtland, eu estava na reunião vente como a que foi proferida pelo
única motivação para orarmos — (. . .) em que Joseph presidia. Ao próprio Salvador no Jardim do
seja pela manhã ou pela noite. entrar no prédio da escola pouco Getsêmani. Ele afastou-Se de Seus
A oração familiar é uma influên- antes do início da reunião e obser- apóstolos, ajoelhou-Se e orou: “Pai,
cia marcante e que sustém. Durante vando o homem de Deus, notei tris- se queres, passa de mim este cálice;
os dias negros da Segunda Guerra teza em seu semblante e lágrimas todavia não se faça a minha von-
Mundial, uma bomba de mais de escorrendo-lhe pelas faces. Momentos tade, mas a tua”. 22 Um elemento
500 libras caira do lado de fora da depois foi cantado um hino e ele ini- importante em todas as nossas ora-
pequena casa do irmão Patey, um ciou a reunião com uma oração. Em ções seria seguir o padrão daquela
A L I A H O N A
68
oração no Getsêmani: “não se faça a
minha vontade, mas a tua”. Dessa
forma admitimos nossa devoção e
submissão aos propósitos superiores
O Outro
do Senhor em nossa vida. Como Ele
disse: “Se vós estiverdes em mim, e
as minhas palavras estiverem em vós,
Filho Pródigo
pedireis tudo o que quiserdes, e vos Élder Jeffrey R. Holland
será feito”.23 Que dia glorioso, para Do Quórum dos Doze Apóstolos
cada um de nós, será aquele em que
oraremos com a confiança de que “se
pedirmos alguma coisa, segundo a
sua vontade, ele nos ouve”.24
Espero sinceramente que ao fazer- Nenhum de nós é menos amado ou menos querido por Deus do
mos nossas orações diárias, lem-
bremo-nos de pedir que as bênçãos que outros. Testifico que Ele ama a cada um de nós — com nossas
do Senhor continuem a repousar inseguranças, nossas ansiedades e nossa auto-imagem.
sobre nosso líder amado, o Presidente
Gordon B. Hinckley. Ninguém sabe Então a escritura diz animadora-
totalmente, nem mesmo seus conse- mente “[tornou] em si”. Determinou-
lheiros, do peso que têm seus fardos e se a voltar para casa, esperando ser
quão grande é sua responsabilidade. aceito pelo menos como um servo na
Testifico isso em nome de Jesus casa de seu pai. A imagem terna do
Cristo. Amém.  ansioso e fiel pai desse rapaz, cor-
rendo até ele e cobrindo-o de beijos é
NOTAS uma das cenas mais comoventes de
1. Gên. 4:26. todas as escrituras sagradas. Ela diz a
2. 2 Né. 32:9; 3 Né. 20:31. cada filho de Deus que, quer esteja
3. Mat. 6:9–13. no caminho ou não, Ele nos quer de
4. Lucas 22:41. volta sob a proteção de Seus braços.
5. Hinos, nº 82 [tradução livre]. Mas absortos nesta história do
6. Ver Lucas 18:10–14. filho mais jovem, podemos perder de
7. D&C 25:12. vista, se não tivermos cuidado, o
8. Jeremias 29:13. registro de um filho mais velho, pois
9. Enos 1:4. consta na primeira linha do relato do
10. Lucas 22:44. Salvador: “Um certo homem tinha
11. D&C 9:7.
12. Alma 5:46.
13. Salmos 35:13.
14. Ver Alma 34:20–27.
15. Mat. 6:8.
E ntre as mais memoráveis pará-
bolas que o Salvador contou
está a história de um irmão
mais novo, tolo, que foi a seu pai e
pediu-lhe a parte dos bens que lhe
dois filhos” — e poderia ter acrescen-
tado — “ambos estavam perdidos e
precisavam voltar para casa”.
O filho mais moço voltou e foi
colocado sobre seus ombros um
16. 3 Né. 18:21. pertencia, e partiu de casa para des- manto e em seu dedo, um anel,
17. Adaptado de Tal D. Bonham, The perdiçar sua herança numa “vida quando entra em cena o filho mais
Treasury of Clean Church Jokes [“O Tesouro dissoluta”.1 Seu dinheiro e seus ami- velho. Ele tem sido zeloso, traba-
de Piadas Limpas para a Igreja”], conforme gos desapareceram mais rápido do lhando fielmente no campo, e agora
citado em Holy Humor [Humor Santo], que esperava — como sempre acon- está voltando do trabalho. A lingua-
comp. por Cal e Rose Samra, p. 23. tece — e chegou o terrível dia do gem de jornadas paralelas para casa,
18. Andre K. Anastasiou, Conference ajuste de contas — como sempre embora de diferentes lugares, é fun-
Report, out. 1946, p. 26. chega. No caminho descendente dos damental nessa história.
19. Mat. 5:44. acontecimentos, ele tornou-se um Quando se aproxima da casa, ele
20. The Juvenile Instructor, fev. 1892, guardador de porcos, tão faminto, ouve o som de música e gargalhadas.
vol. 27, pp. 127–128. tão necessitado de sustento e digni- “E, chamando um dos servos
21. João 17:21. dade, “desejava encher o seu estô- (notem que ele tem servos), pergun-
22. Lucas 22:41–42. mago com as bolotas que os porcos tou-lhe o que era aquilo.
23. João 15:7. comiam”. Mas nem mesmo isso ele E [o servo] lhe disse: Veio teu
24. I João 5:14. pode ter. irmão; e teu pai matou o bezerro
J U L H O D E 2 0 0 2
69
cevado, porque o recebeu são e aborrecido porque seu irmão voltou seu, assim como todas as roupas
salvo. para casa. guardadas naquela casa e todos os
Mas [o irmão mais velho] se Não. Corrijo-me. Esse filho está anéis. Ele esquece por um momento
indignou, e não queria entrar. E zangado não por causa da volta do que sua fidelidade é recompensada e
saindo o pai, instava com ele.” outro, mas porque seus pais estão sempre será.
Vocês sabem a conversa que tive- felizes com isso. Sentindo-se rejei- Não, ele, que possui pratica-
ram depois disso. Certamente para tado e talvez com um pouco mais do mente tudo e que tudo conseguiu
esse pai, a dor pela perda do filho que autocomiseração, esse filho leal, com seu trabalho árduo, de maneira
obstinado que saiu de casa e chafur- particularmente leal, esquece por um honrada, não tem a única coisa que
dou com os porcos é agora agravada momento que nunca teve que pode torná-lo o completo homem
pela percepção de que o irmão conhecer a imundície e o desespero, do Senhor que quase é. Ele ainda
mais velho e mais sábio, o herói do o medo ou a auto -rejeição. Ele precisa desenvolver a compaixão, a
irmão mais novo — como sempre esquece, por um momento, que misericórdia, e a perspectiva de tole-
são os irmãos mais velhos — está cada bezerro da propriedade já é rância para perceber que quem está
voltando não é seu rival. É seu irmão.
Como seu pai suplicou-lhe que per-
cebesse, ele é aquele que estava
morto, e reviveu. É aquele que tinha
se perdido, e fora agora achado.
Certamente esse irmão mais jovem
fora um prisioneiro — um prisioneiro
do pecado e da estupidez — vivendo
num antro. Mas o irmão mais velho
vive confinado também. Ele foi, até
agora, incapaz de libertar-se da pró-
pria prisão. Ele é assombrado pelo
monstro roxo da inveja.2 Ele se sente
subestimado por seu pai e despojado
dos direitos e privilégios por seu
irmão, quando esse não é o caso. Ele
é vítima de um insulto fictício. Como
tal, ele se compara a Tântalo, da
mitologia grega, que tem a água até o
queixo, mas continua morrendo de
sede. Alguém que até agora presumi-
velmente tinha estado feliz com sua
vida e contente com sua sorte, subita-
mente sente-se muito infeliz simples-
mente porque outra pessoa teve um
pouco de sorte também.
Quem é esse que sussurra tão
sutilmente em nossos ouvidos que
um presente dado a alguém diminui,
de alguma forma, as bênçãos que
recebemos? Quem faz-nos sentir que
se Deus está sorrindo para alguém,
Ele então deve estar certamente nos
ignorando? Vocês e eu sabemos
quem faz isso — é o pai de todas as
mentiras.3 É Lúcifer, nosso inimigo
comum, que desde o início dos tem-
pos, tem dito sempre e a todos: “Dá-
me a tua honra.”4
Diz-se que a inveja é o único
pecado que ninguém confessa
prontamente, mas é o provérbio
A L I A H O N A
70
dinamarquês que sugere quão disse- mata-mosca. Ainda assim sei que ela Somente o Pai e Seu Filho
minada pode ser essa tendência: “Se me ama de um jeito especial quando Unigênito podem fazê-lo. A salva-
a inveja fosse uma febre, o mundo tento cantar. Sei disso porque vejo em ção está Neles apenas. Assim, ora-
todo estaria doente.” O pároco dos seus olhos. São os olhos do amor. mos para que Eles nos ajudem, para
Contos de Canterbury, de Chaucer, Um observador escreveu certa que Eles “venham” encontrar-nos,
lamenta esse mal porque é de longo vez: “Num mundo que compara fre- abraçar-nos e levar-nos ao banquete
alcance — indigna-se com tudo, qüentemente as pessoas, classifi- que prepararam.
inclusive toda virtude e talento, e cando -as como mais ou menos Eles assim farão! As escrituras
pode ser ofendido por tudo, inclusive inteligentes, mais ou menos atraen- estão repletas da promessa de que a
toda bondade e alegria.5 Quando os tes, mais ou menos bem-sucedidas, graça de Deus é suficiente.9 Esta é
outros parecem crescer à nossa vista, não é fácil realmente acreditar em uma arena na qual ninguém precisa
pensamos que por isso estamos um amor [divino] que não faça o lutar ou competir. Néfi declara que
menores. Assim, infelizmente, agi- mesmo. Quando vejo alguém sendo o Senhor “ama o mundo” e conce-
mos de maneira menos digna. elogiado”, diz ele, “é difícil não pen- deu livremente a salvação.
Como isso acontece, principal- sar em mim mesmo como menos “Eis que ordenou o Senhor a
mente quando desejamos tanto que digno de honras; quando leio sobre alguém que não participasse de sua
não aconteça? Acho que pelo a bondade e amabilidade de outras bondade?” pergunta ele. Não! “Todo
menos uma das razões para isso é pessoas, é difícil não imaginar se eu [ser] (. . .) tem tanto privilégio
que a cada dia vemos tentações de mesmo não sou tão bondoso e amá- quanto qualquer outro e [por sua
um tipo ou de outro que nos dizem vel como elas; e quando vejo tro- vez] nenhum é excluído.”
que o que temos não é o suficiente. féus, recompensas e prêmios serem “Vinde a mim todos vós, extre-
Alguém ou algo está sempre nos concedidos a pessoas especiais, não mos da Terra”, clama Ele, e “com-
dizendo que precisamos ser mais posso deixar de me perguntar por prai leite e mel sem dinheiro e sem
bonitos ou mais ricos, mais aplaudi- que aquilo não aconteceu comigo.”8 preço”.10 Todo ser tem tanto privilégio
dos ou mais admirados do que Se não resistirmos, poderemos ver quanto qualquer outro. Caminhem
somos. É-nos dito que não temos como essa tendência enganosa do em paz; com confiança; sem medo e
propriedades suficientes nem vamos mundo irá finalmente nos mostrar sem inveja. Estejam certos de que o
a lugares muito divertidos. Somos uma visão terrível e degradante de Pai Celestial sempre lhes dará em
bombardeados com a mensagem de Deus e uma visão terrível de nós abundância.
que fomos pesados na balança das mesmos. A maior parte dos manda- Ao fazermos isso, podemos aju-
coisas do mundo, e foi determinado mentos “não deverás” tem o propó- dar outros, invocando bênçãos
que estamos com falta das coisas sito de impedir que machuquemos sobre eles assim como eles suplicam
que o mundo considera serem outras pessoas, mas estou conven- por nós. Podemos aplaudir cada
importantes.6 Certos dias são como cido que o mandamento de não talento e habilidade, a quem quer
se tivéssemos trancafiados em um cobiçar tem o propósito de evitar que seja dado, tornando assim a
cubículo do grande e espaçoso edifí- que machuquemos a nós mesmos. vida aqui mais semelhante à que
cio, onde a única coisa que passa na Como podemos superar tal ten- teremos nos céus.
televisão é uma novela infindável dência tão comum em quase todos Será de grande ajuda nos lem-
chamada “Vãs Imaginações”.7 nós? Porque podemos fazer alguma brarmos sempre da forma como
Contudo, Deus não age dessa coisa como esses dois filhos fizeram, Paulo em poucas palavras determi-
forma. O pai nessa história não e começar a trilhar nosso caminho nou a prioridade das virtudes —
causa sofrimento a seus filhos. Ele de volta ao Pai. Devemos fazê-lo “Agora, pois, permanecem a fé, a
não os compara impiedosamente com tanta diligência e humildade esperança e o amor, estes três, mas o
com os filhos de seus vizinhos. Ele quanto nos for possível. Ao longo maior destes é o amor”. 11 Ele nos
não os compara entre si. Seus gestos desse percurso, podemos contar nos- lembra que somos todos do corpo de
de compaixão com um deles não sig- sas muitas bênçãos e podemos Cristo, e que todos os membros,
nificam negar seu amor ao outro. Ele aplaudir as conquistas dos outros. sejam fortes ou frágeis, devem ser
é divinamente generoso com ambos Melhor ainda, podemos servir os amados e protegidos, essenciais e
os filhos. Ele estende a caridade aos outros, o mais refinado exercício já importantes. Sentimos a profundi-
dois. Acredito que Deus aja conosco prescrito para o coração. Mas, dade de seu clamor para que “não
da mesma forma que minha querida enfim, isso não será suficiente. haja divisão no corpo, mas
esposa, Pat, age com a minha voz Quando estamos perdidos podemos (. . .)tenham os membros igual cui-
quando canto. Ela é uma exímia “tornar a nós mesmos”, mas nem dado uns dos outros. De maneira
musicista, algo como um gênio musi- sempre estaremos aptos a “nos que, se um membro padece, todos
cal, mas eu não consigo capturar encontrar”, e não podemos “salvar- os membros padecem com ele; e, se
uma nota musical nem com papel nos” para toda a eternidade. um membro é honrado, todos os
J U L H O D E 2 0 0 2
71
membros se regozijam (. . .)”.12 Este
conselho incomparável ajuda-nos a
lembrar que a palavra “generosidade”
tem o mesmo tipo de derivação que a
Para o Teu Bem
palavra “genealogia”, ambas vindo do Bispo Richard C. Edgley
latim genus, que significa do mesmo Primeiro Conselheiro no Bispado Presidente
nascimento ou gênero.13 Será sempre
mais fácil sermos generosos quando
nos lembrarmos de que a pessoa que
está sendo favorecida é verdadeira-
mente um de nós. Podemos tirar da adversidade nossos maiores triunfos, e talvez
Irmãos e irmãs, testifico que chegue o dia em que, em meio a nossas dificuldades, entenderemos
nenhum de nós é menos amado ou
menos querido por Deus do que estas palavras com as quais já estamos familiarizados: “para o
outros. Testifico que Ele ama a cada teu bem”.
um de nós — com nossas inseguran-
ças, nossas ansiedades e nossa auto- Quando o Profeta Joseph Smith,
imagem. Ele não nos julga por nossos sofrendo o que teria sido um dos seus
talentos ou nossa aparência; Ele não momentos mais negros enquanto
nos julga por nossa profissão nem estava confinado na masmorra cha-
por nossas posses. Ele vibra com todo mada Cadeia de Liberty, clamou: “Ó
corredor, alertando-os que a corrida Deus, onde estás?” (D&C 121:1), o
é contra o pecado, não uns contra os Senhor o consolou com as seguintes
outros. Sei que se formos fiéis, sere- palavras: “(. . .) sabe, meu filho, que
mos cobertos com um manto de jus- todas essas coisas te servirão de
tiça confeccionado sob medida para experiência e serão para o teu
cada um,14 “vestes (. . .) [branquea- bem”.(D&C 122:7) Como é difícil e
das] no sangue do Cordeiro”.15 Que como pode parecer dolorosamente
possamos incentivar uns aos outros estranho tirar algo de bom de uma
em nosso empenho de conquistar tragédia e de um sofrimento pessoal.
esse prêmio é minha sincera oração Como podem parecer inconsistentes
em nome de Jesus Cristo. Amém.  as palavras “para o teu bem”!
Entretanto, compreender o plano
NOTAS de redenção de Cristo ajuda-nos a
1. Ver Lucas 15:11–32.
2. Ver William Shakespeare, O Mercador
de Veneza, ato 3, cena 2, linha 110.
3. 2 Néfi 2:18.
4. Moisés 4:1.
A lgum tempo atrás, recebi
uma carta anônima de uma
mãe inconsolável, expres-
sando seu sofrimento e dor por um
filho que cometera sérias transgres-
colocar todo esse sofrimento em
perspectiva. Em nosso estado pré-
mortal, o Pai Celestial apresentou
Seu plano para a mortalidade, o que
Alma descreveu como o “plano de
5. Ver Geoffrey Chaucer, Contos de sões, magoando profundamente pes- felicidade”. (Alma 42:8) Acredito
Canterbury, ed. Walter W. Skeat (1929), soas inocentes e queridas. que todos nós entendemos que,
pp. 534–35. Desde que recebi essa carta, e vindo à Terra, estaríamos expostos a
6. Ver Daniel 5:27. percebendo seu desespero, tenho todas as experiências da vida ter-
7. Ver 1 Néfi 12:18. tido um grande desejo de expressar rena, incluindo as provações não tão
8. Henry J. M. Nouwen,The Return of meu amor a ela e a outras pessoas agradáveis de dor, sofrimento, deses-
the Prodigal Son (1992), p.103. que estão passando por situações pero, pecado e morte. Haveria oposi-
9. Ver Éter 12:26; Morôni 10:32; D&C semelhantes, e tentado levar algum ção e adversidade e se isso fosse tudo
17:8. consolo e esperança àqueles que o que soubemos a respeito do plano,
10. Ver 2 Néfi 26:24–28; grifo do autor. carregam fardos pesados em silêncio, duvido que algum de nós o teria
11. I Coríntios 13:13. fardos esses geralmente só conheci- aceitado, rejubilando-se e dizendo:
12. Ver I Coríntios 12:25–26. dos por eles mesmos e pelo amoroso “Isso é o que eu sempre quis: dor,
13. Reconheço a contribuição de Pai Celestial. sofrimento, desespero, pecado e
Henri Nouwen para que fizesse esse Sei, irmã Anônima, que o que morte”. Mas o plano de felicidade
adendo etimológico. vou dizer servirá apenas de lembrete, ficou claro e tornou-se aceitável, até
14. Ver Isaías 61:10; 2 Néfi 4:33; 9:14. mas ainda assim será um outro teste- mesmo desejável, quando um Irmão
15. Apocalipse 7:14. munho de algo que você já sabe. Mais Velho deu um passo à frente e
A L I A H O N A
72
ofereceu-Se para vir a este mundo e segurança financeira e a reconfor- esperança; o tipo de fé que traz o
fazer com que tudo desse certo para tante influência do evangelho em conhecimento e a garantia de que
nós. Por causa da dor e do sofri- seu lar. Mas talvez o mais difícil de tudo o que experimentamos é parte
mento, Ele traria a paz. Devido ao tudo seja a dor de observar o sofri- do plano do evangelho e de que
desespero, Ele traria a esperança. Por mento de um ente querido e não para os justos, tudo o que parece
haver transgressão, Ele traria arre- poder ajudar por se tratar de um errado acabará sendo correto. A paz
pendimento e perdão. Por causa da pecado ou transgressão. e a compreensão para perseverar
morte, traria a ressurreição da vida. Há poucas pessoas, ou talvez não com dignidade e clareza de propó-
E com essa explicação e essa oferta haja ninguém que não caminhe sobre sito pode ser uma doce recompensa.
muito mais generosa, cada um de este fogo refinador da adversidade e Esse tipo de fé pode ajudar-nos a ver
nós concluiu: “Posso fazer isso. Vale do desespero, sofrimentos que às o bem, mesmo quando o caminho
a pena arriscar”. E assim, fizemos vezes os outros vêem, mas que a da vida parece ser feito de espinhos,
nossa escolha. maioria esconde e suporta em silên- cardos e rochas íngremes.
A inescrutável amplitude da cio. Grande parte do pesar, da dor e Quando Jesus e Seus discípulos
misericórdia de Cristo e Sua do sofrimento nós não escolheríamos passaram por um homem que fora
Expiação foram explicadas por hoje. Mas nós realmente escolhemos cego desde que nascera, os discípu-
Amuleque no capítulo 34 de Alma antes. Escolhemos quando vimos o los perguntaram: “Rabi, quem
no Livro de Mórmon. Amuleque plano completo. Escolhemos quando pecou, este ou seus pais, para que
esclarece que era necessário haver tivemos uma visão clara de que o nascesse cego?
“um grande e último sacrifício”. Salvador nos resgataria. E, se nossa fé Jesus respondeu: Nem ele pecou
(Alma 34:10) Depois explica que tal e compreensão fossem tão nítidas nem seus pais; mas foi assim para
sacrifício não poderia ser de animal hoje como eram quando fizemos que se manifestem nele as obras de
nem de qualquer tipo de ave que o essa escolha pela primeira vez, acre- Deus”. (João 9:2–3)
homem já conhecesse. Teria de ser o dito que escolheríamos o mesmo Não acredito que nosso Pai
sacrifício de um Deus — Jesus atualmente. Celestial cause tragédias e sofri-
Cristo. Deveria ser um sacrifício Sendo assim, talvez o desafio seja mento em nossa vida. Mas como “as
infinito e eterno. Então foi feito o ter, em épocas difíceis, o mesmo tipo obras de Deus” foram manifestadas
sacrifício e pela fé estamos trilhando de fé que tivemos quando escolhe- na cura do homem cego, assim tam-
este caminho que chamamos morta- mos pela primeira vez; o tipo de fé bém o modo como enfrentamos nos-
lidade. Ficamos tristes com a morte que transforma o questionamento e sas provações pessoais podem
inexplicável de uma criança, a até a raiva em reconhecimento do manifestar as “obras de Deus”.
doença ou deficiência física inespe- poder, bênçãos e esperança que Em nossa tristeza poderíamos
rada de um ente querido. Pais divor- recebemos apenas Dele que é a encontrar a ternura e o bem que fre-
ciados lutam para prover a fonte de todo o poder, bênçãos e qüentemente está associado a nossos
obstáculos e que são peculiares às
dificuldades. Podemos encontrar esses
momentos memoráveis que estão
muitas vezes escondidos pela dor e
pela agonia. Podemos sentir paz, aju-
dando outras pessoas, utilizando nos-
sas próprias experiências para dar
esperança e consolo. Podemos ainda
lembrar-nos sempre, com grande
seriedade e gratidão, Daquele que
sofreu mais do que todos para fazer
com que tudo desse certo para nós. E
agindo dessa forma, podemos ser for-
talecidos para suportar nossos fardos
em paz. Então, as “obras de Deus”
poderiam ser manifestadas.
Falando da Expiação de Cristo,
gosto da definição do dicionário
para a palavra “infinito” e “eterno”
porque acredito que ele explica exa-
tamente o que Deus quis dizer.
“Infinito: sem fronteiras ou limites.”
J U L H O D E 2 0 0 2
73
E a definição de eterno: “sem
começo nem fim”. [The American
Heritage Dictionary of the English
Language (2000), pp. 611, 898.]
O Idioma do Amor
Você percebe, irmã Anônima, que Irmã Gayle M. Clegg
a Expiação foi para você em seu Segunda Conselheira na Presidência Geral da Primária
sofrimento? É pessoal, já que Ele está
plenamente ciente de suas provações
e tristezas, pois Ele já as sofreu. Isso
significa que sempre pode haver um
novo começo para cada um de nós, Toda criança precisa de um comentário positivo, feito com
até para um filho que cometeu trans- regularidade. “Você é conhecido. Você tem valor. Você tem
gressões sérias, e que ao avançarmos
pelas tribulações e dificuldades da potencial. Você é bom.”
vida, presos ao desespero, concen-
tramo-nos não onde estivemos, mas e eu ficava aflita por ela, todas as
para onde estamos indo. Não nos manhãs, quando a acompanhava até
atemos ao que passou, mas ao que a escola e quando a esperava na
pode acontecer. saída, desanimada, no fim do dia.
Não há dúvida de que a maioria Um dia, algumas das crianças agi-
de nós preferiria aprender as duras ram de modo particularmente desa-
lições da vida na segurança confor- gradável. Umas chegaram a
tável de uma aula da Escola jogar-lhe pedras e a empurraram,
Dominical ou junto ao fogo acolhe- rindo dela durante o recreio. Ficou
dor de uma lareira durante uma assustada e machucada, e decidiu
noite familiar. Mas, gostaria de que não voltaria para a classe.
salientar que foi num canto frio e Enquanto ficou sentada no pátio
escuro da Cadeia de Liberty que sur- vazio, lembrou-se do que lhe havía-
giu uma das mais bonitas e consola- mos ensinado a respeito da solidão.
doras escrituras dadas ao homem, Lembrou-se de que o Pai Celestial
cujas palavras finais são: “(. . .) está sempre perto de Seus filhos e
todas essas coisas te servirão de que ela poderia falar com Ele a qual-
experiência e serão para o teu bem”. quer momento, e não somente na
Da mesma forma, poderíamos tirar
da adversidade nossos maiores
triunfos, e talvez chegue o dia em
que, em meio a nossas dificuldades,
Q uando ainda era uma
jovem mãe, eu e meu
marido vimo-nos na situa-
ção de reunir nossos cinco filhos,
hora de dormir. Ele compreenderia a
linguagem do seu coração. E, em um
dos cantos do pátio, ela baixou a
cabeça e fez uma oração. Não sabia
entenderemos estas palavras com as todos com menos de oito anos, e direito o que deveria pedir, então
quais já estamos familiarizados: mudar-nos para a América do Sul. pediu que o papai e a mamãe pudes-
“para o teu bem”. Embora nenhum de nós dominasse o sem estar com ela e protegê-la. Ao
Aprendemos nas escrituras que idioma, para minha filha de seis anos voltar para a sala de aula, lembrou-
quando o Salvador foi ao Jardim do a dificuldade para aprender uma se de uma música da Primária:
Getsêmani para pagar o preço nova língua parecia maior. Decidimos
máximo por nossas transgressões e colocá-la em uma pré-escola junto a Se vou a passeio num campo florido
nossos sofrimentos, Ele sangrou por crianças de quatro anos, ainda que Escolho umas flores para te ofertar,
todos os poros. (Ver D&C 19.) ela já devesse estar começando o O campo e as flores, com seu colorido,
Acredito, irmã Anônima, que em ensino fundamental. Tínhamos espe- Em ti, mãe querida, me fazem pensar.
Sua dor agonizante, Ele verteu uma rança de que a interação com crian- (“Se Vou a Passeio”, Músicas para
gota por você, uma gota por seu filho ças mais novas fosse menos Crianças, p. 109)
e uma por mim. traumatizante para ela e facilitasse o
Acredito na oração. Acredito na desenvolvimento de sua habilidade Quando ela abriu os olhos, viu
fé. Acredito em arrependimento e em comunicar-se em português. uma florzinha entre os blocos de
no poder da redenção. E, sim, irmã Mas para minha filha, a realidade cimento. Apanhou-a e colocou-a no
Anônima, acredito em você assim era que assim como era estranha para bolso. Seus problemas com as outras
como o amoroso Pai Celestial. Em as outras crianças, estas também o crianças não desapareceram, mas
nome de Jesus Cristo. Amém.  eram para ela. Cada dia era uma luta ela começou a ir para a escola tendo
A L I A H O N A
74
certeza de que seus pais estavam com Espírito Santo de que a Igreja é ver- tempo ensinando no templo, em
ela. dadeira, mas que em seguida se Abundância, Ele percebeu que o
Cada um de nós, como minha defrontam com o desafio de apren- povo talvez não tivesse compreen-
filhinha de seis anos, já se sentiu per- der tanto o evangelho quanto um dido todas as palavras que dissera.
dido ou excluído em uma terra estran- segundo idioma ao mesmo tempo? Pediu-lhes que fossem para casa e
geira. Talvez sua terra estrangeira Fico maravilhada com sua coragem. que ponderassem e orassem com sua
tenha sido aprender um idioma, ou Nossa vida está repleta de muitos família e se preparassem para
álgebra, ou química. Ao decidir entrar exemplos da frustração que viven- quando Ele voltasse no dia seguinte.
para a Igreja, talvez tenha se sentido ciamos quando aprendemos uma Mas quando “Jesus olhou nova-
como quem desembarca em um porto outra língua. No entanto, existe um mente para a multidão que o cer-
estrangeiro, mesmo tendo sido bati- idioma que é universal. As palavras cava e viu que estavam em lágrimas
zado em seu próprio país. Ponha-se no “Em ti, mãe querida, me fazem pen- e olhavam-no fixamente, como se
lugar de um novo converso. Palavras sar” tocaram profundamente o cora- quisessem pedir-lhe que permane-
como chamado, Bispado Presidente, ou ção de uma menininha. Uma canção cesse um pouco mais com eles. . . .
mesmo Autoridade Geral são termos da Primária e uma florzinha silvestre E pegou as criancinhas, uma a
que precisam ser explicados. foram a linguagem bem conhecida uma, e abençoou-as. . . .
E os missionários, que compreen- da resposta a uma oração. E dirigindo-se à multidão, disse-
deram e atenderam aos influxos do Depois de Jesus passar algum lhes: Olhai para vossas criancinhas.
E ao olharem, . . .[viram] anjos
descendo dos céus, como se estives-
sem no meio do fogo; e eles desce-
ram e cercaram aqueles pequeninos
. . . e os anjos ministraram entre
eles”. (3 Néfi 17:5–24)
“Cercar” com o fogo do nosso
testemunho, eis o idioma que todos
nós precisamos aprender a falar e
compreender.
A primeira lição que uma criança
aprende ao freqüentar a Primária é
“Sou Um Filho de Deus”. Criancinhas
de 18 meses podem apontar para si
mesmas, acompanhando as palavras
da poesia:

“O Pai Celestial me conhece


e me acompanha aonde eu for.
Ele sabe meu nome e onde eu moro.
E por mim tem muito amor”.
(“O Pai Celestial Me Conhece”,
Primária 1: Sou um Filho de Deus
[1994], p. 2)

Quando eu era professora da


sexta série, há vários anos, um rapaz
de 14 anos, usando a roupa típica
das gangues, passou para a minha
classe. Ele era dois anos mais velho
e tinha duas vezes o tamanho dos
outros 30 alunos. Logo vim a desco-
brir que Brian não lia, não freqüen-
tava a escola com regularidade e
havia morado com uma série de
tutores em diversas cidades.
Era época de entregar os boletins
e eu aproveitei um dia de folga para
J U L H O D E 2 0 0 2
75
ir à escola e terminar o registro dos Recordo que havia crianças também; fluísse para os pés e pernas. Ele sal-
trabalhos dos alunos e preencher os Eu quisera ter seu destemor.” vou suas pernas e mesmo sua vida,
boletins. Quando fui até a sala de (“Whenever I Think about forçando-a a ajudar-se a si mesma.
aula para recolher os registros, pude Pioneers”, Children’s Songbook, As crianças de hoje têm de
ver Brian criando uma enorme agi- p. 222) [Ainda não disponível em enfrentar jornadas tão terríveis e difí-
tação na classe. Sugeri à minha português.] ceis quanto as enfrentadas pelos pio-
grata professora substituta que Brian neiros rumo ao Oeste. Defrontam-se
me acompanhasse para fora da Susan Madsen conta-nos a histó- com todos os tipos de calamidade ao
classe. Com alguns livros cheios de ria de Agnes Caldwell, na longo do caminho. Precisamos ajudá-
desenhos feitos pelos alunos da pri- Companhia Willie de Carrinhos de las a fortalecer-se para suportar seu
meira série nos braços, fomos até a Mão. Eles foram apanhados pela fardo e ainda ter alegria em seu viver.
biblioteca, conversando um pouco intensa nevasca e sofreram terrivel- Às vezes, precisamos correr para
sobre futebol no caminho. mente com fome e frio. Os carroções acompanhar a fé dos nossos filhos.
Acomodamo-nos na mesa onde de ajuda chegaram com alimentos e Em outro momento, em 3 Néfi,
eu fazia os registros dos boletins. cobertores, mas não havia lugar sufi- enquanto Cristo abençoava Seus
Perguntei-lhe se ele já tivera um ciente para levar todas as pessoas. discípulos, “Seu rosto sorriu-lhes e a
boletim. Mesmo depois do resgate, a maioria luz de seu semblante iluminou-os”.
Balançou a cabeça e disse: das pessoas teve de perfazer a pé a (3 Néfi 19:25)
“Não”. Perguntei-lhe se gostaria de difícil jornada de muitos quilômetros Um semblante iluminado diz que
ter um. até atingir a segurança do vale. você é bom. As crianças tentam ser
Ele olhou-me bem nos olhos: “Só A pequena Agnes, de nove anos, como Jesus. Elas querem ser iguais
se ele disser que eu sou um bom estava muito cansada para continuar a alguém que sorri. Querem estar
menino”. andando. O cocheiro notou sua com alguém que lhes responde com
Fiz um boletim especial para ele, determinação em acompanhar o car- alegria.
onde procurei enfatizar seus esforços. roção e perguntou-lhe se queria uma O Presidente Hinckley disse: “As
Escrevi seu nome completo e registrei carona. Ela conta, com as próprias crianças precisam da luz do sol.
sua habilidade de incluir as pessoas e palavras, o que aconteceu depois. Precisam de alegria. Precisam de
fazer todo mundo rir. Mencionei cla- “Quando ele estendeu a mão e amor e cuidados”. (“Salvai as
ramente seu amor pelo esporte. Não segurou a minha, fez com a boca Crianças”, Presidente Gordon B.
era um boletim muito convencional, aquele estalido característico para os Hinckley, A Liahona, janeiro de
mas pareceu agradá-lo. Pouco tempo cavalos andarem, forçando-me, 1995, p. 54.)
depois daquilo, Brian desapareceu de assim, a correr com pernas que já (. . .) Esse deve ser o idioma do ensino
nossa escola e a última notícia que não podiam mais correr. E isso conti- do evangelho a nossos filhos.
tive dele foi que estava morando em nuou por uma distância que me pare- Qualquer que seja a sua língua
outro estado. Desejei ardentemente ceu de muitos quilômetros. Só o que nativa, saiba ensinar e falar o idioma
que ele levasse no bolso, aonde quer eu pensava naquele momento era das orações sinceras e dos testemu-
que fosse, o boletim que dizia que ele que esse era o homem mais malvado nhos felizes, para que os anjos do
era um bom menino. que jamais viveu sobre a Terra ou que céu e da Terra possam cercar-nos e
Um dia, todos nós receberemos eu jamais conhecera. Exatamente no ministrar-nos. Precisamos de profes-
nosso boletim final. Talvez nossas ponto em que parecia que eu não ia sores do evangelho que falem o
notas reflitam o modo como regis- mais agüentar, ele parou [e puxou-me idioma do elogio e da amizade.
tramos a bondade uns dos outros. para dentro do carroção]. Pegou um Precisamos entregar regularmente
Toda criança precisa de um comen- cobertor e envolveu-me com ele, dei- boletins em que esteja anotada a
tário positivo, feito com regulari- xando-me (. . .) quentinha e confor- bondade nos olhos uns dos outros. É
dade. “Você é conhecido. Você tem tável. No interior do carroção, tive uma bênção deixar que nossos filhos
valor. Você tem potencial. Você tempo para mudar de idéia a seu res- corram até onde suas forças o per-
é bom.” peito, o que realmente fiz, depois de mitam para que fortaleçam seu pró-
Eu adoro histórias de crianças compreender que ao fazer aquilo, ele prio testemunho, e devemos olhar
pioneiras. Sempre ouvimos falar de havia-me salvo de um congelamento para nossas criancinhas e envolvê-
seus pais, caminhando em direção fatal, se simplesmente me erguesse las no cobertor de nosso afeto
ao Vale do Lago Salgado. Como nas para o carroção.” (I Walked To Zion, durante toda a grande jornada,
palavras da canção da Primária: [1994], p. 59) usando o idioma universal do amor.
O cocheiro daquele carroção fez Sou grata pela grande bênção de
“Quando penso no tempo dos a garotinha correr a maior distância “olhar para nossas criancinhas”. Eu
pioneiros, e o mais rápido que ela conseguiria, quisera ter seu destemor, em nome
Adultos de grande valor, para que a circulação do sangue de Jesus Cristo. Amém. 
A L I A H O N A
76
posso tê-la para mim mesmo e para

Sair da Escuridão para meus entes queridos para sempre?”

A LUZ DE CRISTO E O DOM DO

Sua Maravilhosa Luz ESPÍRITO SANTO


Todos trazemos uma luz para a
Terra, a Luz de Cristo. “Eu sou a
Élder Robert D. Hales
verdadeira luz que ilumina todo
Do Quórum dos Doze Apóstolos homem que vem ao mundo”6, disse
o Salvador.
“A luz que está em todas as coi-
sas, que dá vida a todas as coisas.” 7
Essa luz que “convida e impele a
Os emblemas da Expiação do Salvador nos relembram que não fazer o bem continuamente” 8 é
“concedida a todos os homens, para
precisamos tropeçar na escuridão. Podemos ter sempre a Sua que eles possam distinguir o bem do
luz conosco. mal”.9
Usando a luz de Cristo para
nações da Terra e muitos de seus discernir e escolher o certo, pode-
líderes vieram para cá. Eles nos mos ser conduzidos a uma luz
viram servindo juntamente com nos- ainda maior: O dom do Espírito
sos amigos e vizinhos de outras reli- Santo. Testifico que por meio da
giões. Viram a luz em nossos olhos e Restauração do evangelho e do
sentiram nosso aperto de mão. “O santo sacerdócio de Deus, os discí-
monte da casa do Senhor” 3, com pulos de Jesus Cristo nestes últimos
suas torres iluminadas, foi visto por dias têm o poder de conceder o dom
3,5 bilhões de pessoas em todo do Espírito Santo. Ele é concedido
o mundo. As nações ouviram o pela imposição das mãos daqueles
glorioso som deste Coro do que possuem a autoridade do sacer-
Tabernáculo. Centenas de milhares dócio, e é recebido por aqueles que
assistiram a uma apresentação ao seguiram os princípios da fé e do
vivo neste auditório, intitulada Luz arrependimento e que receberam a
do Mundo: Celebração da Vida — O ordenança do batismo por imersão
Espírito do Homem, a Glória de Deus¸ para a remissão dos pecados.
que incluía uma declaração de nossa O Espírito Santo é o terceiro
crença em Jesus Cristo. Expresso membro da Trindade, um ser de

I saías, um grande profeta do Velho


Testamento, profetizou: “E acon-
tecerá nos últimos dias que se fir-
mará o monte da casa do Senhor no
cume dos montes, e se elevará por
humilde agradecimento por estes e
outros meios pelos quais A Igreja de
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos
Dias continua a ser tirada “da obs-
curidade e das trevas”.4
espírito. 10 Ele é o Consolador, o
Espírito de Deus, o Santo Espírito
da Promessa. Ele presta testemunho
de Jesus Cristo, Sua obra e o traba-
lho de Seus servos sobre a Terra. Ele
cima dos outeiros; e concorrerão a Durante as Olimpíadas houve age como um agente purificador
ele todas as nações”.1 Referindo-se muitas manifestações de luz, como a para limpar-nos e santificar-nos do
aos cidadãos dessas nações, o tocha olímpica; o Filho da Luz; e o pecado. 11 O direito à companhia
Presidente John Taylor disse: “Eles tema “Acenda a Luz Interior”. 5 constante Dele é um dos maiores
virão dizendo que nada sabem sobre Talvez a luz mais memorável tenha dons que podemos receber na mor-
os princípios de nossa religião, mas sido a que se viu nos olhos dos pró- talidade, porque por meio da luz de
que perceberam que somos uma prios competidores. Mas o que nos Seu sussurro e Seu poder purificador
comunidade honesta; que ministra- tocou não foi a competição nem o podemos ser conduzidos de volta à
mos a justiça e a retidão”.2 espetáculo. Foi a profunda verdade presença de Deus.12
que essas coisas simbolizavam: A
TIRAR DAS TREVAS fonte da luz que existe dentro de TREVAS E LUZ
Quando Salt Lake City sediou as cada um de nós. Quando éramos crianças, apren-
Olimpíadas de Inverno de 2002 e os Nesta manhã, dirijo-me aos que demos a afastar as trevas acendendo
Jogos Paraolímpicos, vimos o cum- perguntaram: “O que foi a luz que vi a luz. Às vezes, quando nossos
primento de muitas profecias. As e senti? De onde ela veio? Como pais não estavam em casa à noite,
J U L H O D E 2 0 0 2
77
chegávamos a acender todas as luzes O mesmo acontece com a luz espiri- E neste mundo, as trevas nunca
da casa! Compreendemos esta lei tual. Ela precisa ser renovada em estão muito distantes. Na verdade,
física que também é uma lei espiri- nós de modo constante. Precisamos estão sempre bem próximas de nós,
tual: A luz e as trevas não podem gerá-la dia a dia, pensamento por esperando a oportunidade para
ocupar o mesmo espaço ao mesmo pensamento, e agindo com retidão a entrarem em nossa vida. “Se não
tempo. cada dia, se quisermos manter afas- fizeres bem, o pecado jaz à porta”,
A luz afasta as trevas. Quando a tadas as trevas do adversário. disse o Senhor. 21
luz está presente, as trevas são Quando eu era menino, costu- Isso é tão previsível quanto qual-
vencidas e precisam partir. Mais mava voltar para casa de bicicleta quer lei física: Se deixarmos que a
importante, as trevas não podem do treino de basquete. Eu conectava luz do Espírito falhe ou se apague
conquistar a luz a menos que a luz um pequeno gerador à roda da por deixarmos de guardar os manda-
seja reduzida ou se afaste. Quando a minha bicicleta. Então, quando eu mentos, de tomar o sacramento, de
luz espiritual do Espírito Santo está pedalava, a roda fazia girar um orar ou de estudar as escrituras, as
presente, as trevas de Satanás se pequeno rotor, que produzia eletrici- trevas do adversário certamente
afastam. dade e emitia um facho de luz. Era virão. “E vem o ser maligno e tira a
Amados rapazes e moças da um mecanismo simples porém efi- luz e a verdade dos filhos dos
Igreja, estamos participando de uma caz. Mas eu precisava pedalar para homens pela desobediência”. 22
batalha entre as forças da luz e das fazê-lo funcionar! Aprendi rapida- Lemos nas escrituras que algumas
trevas. Se não fosse pela Luz de mente que se eu deixasse de pedalar pessoas “nas trevas andam às apal-
Jesus Cristo e Seu evangelho, esta- minha bicicleta, a luz se apagava. padelas sem terem luz” e a “desati-
ríamos condenados à destruição. Também aprendi que quando estava nar como ébrios”. 23 Se seguirmos
Mas o Salvador disse: “Eu sou a luz “ocupando-me zelosamente” 17 em tropeçando pelo caminho, podemos
que vim ao mundo”.13 “Quem me pedalar, a luz se tornava mais nos acostumar com a falta de luz a
segue não andará em trevas, mas intensa, e a escuridão à frente era nosso redor, esquecendo quão glo-
terá a luz da vida.”14 dissipada. rioso é caminhar na luz.
O Senhor é nossa luz e, literal- A geração de luz espiritual pro-
mente, nossa salvação. 15 Como o vém do esforço constante em O CAMINHO PARA A LUZ
fogo sagrado que envolveu as crian- mantermos diariamente a nossa espi- Existe um meio de sairmos das
ças em 3 Néfi, 16 Sua luz formará um ritualidade. Provém da oração, do “névoas de escuridão”24 para o cami-
escudo de proteção separando-nos estudo das escrituras, do jejum, do nho que conduz à alegria na vida e a
das trevas do adversário, se formos serviço ao próximo, da aplicação vida eterna no mundo vindouro. O
dignos de merecê-la. Vocês precisam prática do evangelho e da obediên- Senhor disse a Isaías “Guiarei os
dessa luz. Estudem cuidadosamente cia aos mandamentos. “Aquele que cegos pelo caminho que nunca
as escrituras e o livreto Para o Vigor guarda seus mandamentos recebe conheceram, fá-los-ei caminhar
da Juventude e ouçam os ensinamen- verdade e luz”18, disse o Senhor, “e pelas veredas que não conheceram;
tos de seus pais e líderes. Então, pela aquele que recebe luz e persevera em tornarei as trevas em luz perante
obediência a seus sábios conselhos, Deus recebe mais luz; e essa luz se eles”.25
aprendam a desfrutar a luz protetora torna mais e mais brilhante, até o dia O profeta Néfi descreveu o cami-
do evangelho em sua vida. perfeito”.19 Irmãos e irmãs, esse dia nho: “Portanto, meus amados
Vocês podem se perguntar: perfeito será quando estivermos na irmãos, sei que, se seguirdes o Filho
“Como faço isso?” Há apenas um presença de Deus, o Pai, e de Jesus com todo o coração, agindo sem
meio: Vocês precisam aprender a Cristo. hipocrisia e sem dolo diante de
gerar essa luz a cada dia, crendo em Às vezes as pessoas perguntam: Deus, mas com verdadeira intenção,
Jesus Cristo e seguindo Seus manda- “Por que tenho que ir à reunião arrependendo-vos de vossos peca-
mentos. sacramental?” ou “Por que preciso dos, testemunhando ao Pai que
viver a Palavra de Sabedoria e pagar estais dispostos a tomar sobre vós o
GERAR A LUZ o dízimo?” “Por que não posso viver nome de Cristo pelo batismo (. . .)
No inverno passado, tive a opor- um pouco no mundo?” Posso dizer- então recebereis o Espírito Santo;
tunidade de aprender um pouco lhes o por quê? Porque para pedalar- sim, então vem o batismo de fogo e
mais sobre meus pulmões. Fiquei mos espiritualmente precisamos dos do Espírito Santo”.26
bem ciente de que não podemos dois pés! A menos que vocês este- O convênio que fazemos no
armazenar oxigênio. Não podemos jam plenamente empenhados em batismo e renovamos quando toma-
guardar o ar que precisamos respirar, viver o evangelho, de todo o “cora- mos o sacramento — tomar sobre
não importa o quanto tentemos. A ção, mente e força”20, não consegui- nós o nome de Cristo, sempre lem-
cada momento, a cada respiração, rão gerar suficiente luz espiritual brar-nos Dele e guardar Seus man-
nossa vida precisa ser renovada. para afastar as trevas. damentos — inclui a promessa de
A L I A H O N A
78
que teremos Seu Espírito sempre com toda a sinceridade de coração e Ele é a luz em quem o Seu Pai Se
conosco.27 Os emblemas da Expiação eu irei curá-los; e sereis vós o meio comprazia.
do Salvador nos relembram que de levar-lhes salvação”. 29 Ele é a luz e o cabeça da antiga
não precisamos tropeçar na escuri- Igreja, organizada com doze apósto-
dão. Podemos ter sempre a Sua luz UM TESTEMUNHO ESPECIAL los, profetas e setentas.
conosco. DE SUA LUZ Ele é a luz da Expiação cumprida
Agora, irmãos e irmãs, nesta no Jardim do Getsêmani e no Gólgota,
“ASSIM RESPLANDEÇA A VOSSA LUZ” grande e última batalha entre a luz que tomou sobre Si os pecados do
Tendo sido criado em Long e as trevas, sinto-me grato pela mundo, para que toda a humanidade
Island, Nova York, compreendi oportunidade de “[suportar] as afli- pudesse alcançar a salvação eterna.
como a luz é vital para os que via- ções, como (. . .) soldado de Jesus Ele é a luz do sepulcro vazio, o
jam na escuridão para o alto mar. Cristo”.30 Juntamente com Paulo, eu Senhor ressuscitado com um corpo
Quão perigoso é um farol apagado! declaro: “A noite é passada, e o dia glorificado de carne e ossos, que rom-
Quão devastador é um farol cuja luz é chegado. Rejeitemos, pois, as peu as cadeias da morte e conquistou
se apagou! obras das trevas, e vistamo-nos das uma vitória eterna sobre a sepultura.
Nós que temos o dom do Espírito armas da luz”. 31 Presto meu especial Ele é a luz que ascendeu ao céu
Santo precisamos ser fiéis a seus sus- testemunho de que Jesus Cristo “é perante os olhos de Seus discípulos,
surros de modo que possamos ser a luz e a vida do mundo; sim, uma com a promessa de que voltaria da
uma luz para as pessoas. luz sem fim, que nunca poderá ser mesma forma.
“Assim resplandeça a vossa luz obscurecida”.32 Ele é a Luz que apareceu com
diante dos homens”, disse o Senhor, Ele é a luz de Belém, nascido de Seu Pai e restaurou, por intermédio
“para que vejam as vossas boas Maria, Sua mãe mortal, e Seu Pai, o do Profeta Joseph Smith, a mesma
obras e glorifiquem a vosso Pai, que Deus Todo-Poderoso. Igreja que Ele estabelecera durante
está nos céus”. 28 Ele é a luz que foi batizada por Seu ministério terreno.
Não sabemos quem pode estar imersão, por João Batista, sobre Ele é a luz que guia e dirige
precisando de nós. E como disse o quem o Espírito Santo Se manifes- esta Igreja atualmente, por meio de
Salvador, “não sabeis se eles irão tou em Espírito como uma pomba revelação a um profeta, seus conse-
voltar e arrepender-se e vir a mim que descia. lheiros e os Doze Apóstolos.

J U L H O D E 2 0 0 2
79
Ele é a minha luz, meu Redentor,
meu Salvador, e também de vocês.
Sei que Deus vive. Sei que Ele
nos chamou “das trevas para sua
Andamos pela Fé
maravilhosa luz”.33 Oro para que a Presidente Gordon B. Hinckley
luz de Seu evangelho restaurado
continue a se espalhar por todo o
mundo de modo que todos tenham a
oportunidade de ouvir e escolher, e
que Sua Igreja “saia do deserto da Partimos rumo ao desconhecido, mas a fé ilumina o caminho.
escuridão e resplandeça formosa
como a luz, brilhante como o sol”, Se cultivarmos essa fé, jamais andaremos na escuridão.
para que Sua “glória encha a
Terra”.34 Durante o processo de conver-
Em nome de Jesus Cristo. são, o pesquisador da Igreja aprende
Amém.  um pouco. Ele talvez leia um pouco
a respeito da Igreja. Ele não
NOTAS entende, ou melhor, não consegue
1. Isaías 2:2. entender o prodígio que é o evange-
2. John Taylor, Deseret News: lho.Se ele, porém, for sincero em
Semiweekly, 27 jan. de 1880, p.1. sua busca, se estiver disposto a se
3. Miquéias 4:1. ajoelhar e orar a respeito disso, o
4. D&C 1:30. Espírito toca seu coração, talvez de
5. TMComitê Olímpico de Salt Lake. forma muito delicada. Indica-lhe o
6. D&C 93:2. caminho a seguir. Ele vê um pouco
7. D&C 88:12–13. do que jamais vira antes. E com fé,
8. Morôni 7:13. quer a reconheça ou não, ele dá
9. Morôni 7:16. alguns passos cuidadosos. Depois
10. Ver A de F 1:1; D&C 130:22. caminha mais um pouco e uma
11. Ver Bible Dictionary, “Holy Ghost”, vista mais clara se descortina diante
p. 704. Ver também Guia para Estudo das dele.
Escrituras, “Espírito Santo” e “Santo
Espírito da Promessa”, pp. 73–74, p. 194.
12. Ver João 14:16–18; 26–27.
13. João 12:46.
14. João 8:12.
É uma linda manhã de abril, do
lugar de onde falamos, no Dia
do Senhor. Os pés de tulipa
estão crescendo, e em breve irrompe-
rão flores de grande beleza. No
Há muito tempo, trabalhei para
uma de nossas ferrovias cujos trilhos
atravessavam as montanhas do
oeste. Viajava de trem com freqüên-
cia. Era nos tempos das locomotivas
15. Ver Salmos 27:1. inverno da nossa dúvida havia a espe- a vapor. Aqueles grandes monstros
16. Ver 3 Néfi 17:24. rança da primavera. Sabíamos que ela dos trilhos eram gigantes, rápidos e
17. D&C 58:27. viria. Essa era nossa fé baseada na perigosos. Com freqüência eu imagi-
18. D&C 93:28. experiência de anos anteriores. nava como é que o maquinista se
19. D&C 50:24. Assim também acontece com arriscava ao fazer a longa viagem
20. D&C 4:2. assuntos que envolvem o espírito e a noturna; Então cheguei à conclusão
21. Gênesis 4:7. alma. À medida que cada homem de que não era uma única longa jor-
22. D&C 93:39. ou mulher segue o caminho da vida, nada, mas sim uma seqüência de
23. Jó 12:25. haverá estações obscurecidas pela pequenas jornadas. A locomotiva
24. 1 Néfi 12:17. dúvida, pelo desânimo, pela desilu- tinha um farol que iluminava uma
25. Isaías 42:16. são. Em tais circunstâncias uns pou- distância de cerca de 350 a 450
26. 2 Néfi 31:13. cos vêem adiante devido ao poder metros. O maquinista apenas enxer-
27. Ver D&C 20:37, 77, 79. da fé, mas muitos tropeçam na gava essa distância e isso era o bas-
28. Mateus 5:15–16. escuridão e chegam a se perder. tante, porque era algo constante
29. 3 Néfi 18:32. Meu chamado a vocês, esta diante dele, atravessando toda a
30. II Timóteo 2:3. manhã, é um chamado à fé, aquela fé noite até o amanhecer de um novo
31. Romanos 13:12. que é “(. . .) o firme fundamento das dia.
32. Mosias 16:9. coisas que se esperam, e a prova das O Senhor falou a respeito desse
33. I Pedro 2:9. coisas que se não vêem.” (Hebreus processo. Ele disse: “E aquilo que
34. D&C 109:73–74. 11:1), como Paulo descreveu-a. não edifica não é de Deus e é trevas.
A L I A H O N A
80
Aquilo que é de Deus é luz; e
aquele que recebe luz e persevera
em Deus recebe mais luz; e essa luz
se torna mais e mais brilhante, até o
dia perfeito.” (D&C 50:23–24)
E isso ocorre com nossa jornada
eterna. Damos um passo de cada
vez. Ao fazê-lo partimos rumo ao
desconhecido, mas a fé ilumina o
caminho. Se cultivarmos essa fé,
jamais andaremos na escuridão.
Vou contar-lhes a respeito de um
conhecido meu. Não vou mencionar
seu nome para que ele não fique
constrangido. Sua esposa sentia que
algo estava faltando na vida deles.
Certo dia, conversou com um
parente que era membro da Igreja.
O parente sugeriu que ligasse para
os missionários. Ela o fez. O marido,
porém, foi rude com eles e disse-lhes
que não voltassem mais.
Meses se passaram. Certo dia, um
outro missionário, ao encontrar o
registro dessa visita, resolveu que ele
e o companheiro tentariam nova-
mente. Ele era um élder alto, da
Califórnia, com um largo sorriso
estampado no rosto.
Bateram à porta e o homem
atendeu. Eles poderiam entrar por
alguns minutos? Perguntaram. Ele para o homem. Ele recebera uma hábil e amado, um líder com grande
consentiu. pequena luz e entendimento, um sabedoria e entendimento e, acima
O missionário disse, diretamente: toque de fé. Ele estava pronto para de tudo, um homem de grande fé.
“Imagino se o senhor sabe orar”. O tentar dar o próximo passo. O desafio que cada membro
homem respondeu que ele conhecia o Linha sobre linha, os missionários desta Igreja enfrenta é o de dar esse
Pai Nosso. Ao que o missionário o ensinaram pacientemente. Ele rea- próximo passo, de aceitar a respon-
replicou: “Isso é bom, mas deixe-me gia positivamente à medida que sua sabilidade para o qual é chamado,
ensiná-lo a fazer uma oração pessoal”. fé crescia transformando-se em uma muito embora não se sinta qualifi-
Ele prosseguiu explicando que nos luz pálida de entendimento. Pessoas cado e cumpri-la com fé, com a
ajoelhamos em sinal de humildade amigas de seu ramo aproximaram-se plena expectativa de que o Senhor
diante do Deus do céu. O homem dele para infundir-lhe confiança e iluminará o caminho diante dele.
ajoelhou-se. Então o missionário responder as perguntas dele. Os Deixem-me contar-lhes uma his-
prosseguiu dizendo: “Nos dirigimos homens jogaram tenis com ele, e ele tória a respeito de uma jovem em
a Ele como nosso Pai no Céu. e a família eram convidados para São Paulo, Brasil. Ela trabalhava
Agradecemos a Ele pelas muitas bên- jantar na casa dessas pessoas. para ajudar a família e ao mesmo
çãos recebidas, como nossa saúde, Ele foi batizado, e esse foi um tempo freqüentava a faculdade.
nossos amigos, nosso alimento. gigantesco passo de fé.O presidente Contarei sua história usando suas
Pedimos, então Suas bênçãos. do ramo pediu-lhe que fosse chefe próprias palavras. Ela diz:
Expressamos as esperanças e desejos de escoteiro de quatro garotos. Isso “Minha universidade tinha um
mais profundos. Pedimos que Ele o levou a outras responsabilidades, regulamento que proibia a realiza-
abençoe as pessoas que passam por e a luz da fé fortaleceu-se em sua ção de provas por alunos que esti-
necessidades. Fazemos tudo em nome vida a cada nova oportunidade e vessem em atraso nas mensalidades.
de Seu Filho Amado, o Senhor Jesus experiência. Por essa razão, ao receber meu salá-
Cristo, encerrando com “Amém”. Isso tem prosseguido. Hoje ele rio, primeiramente separava o
Foi uma experiência agradável serve como um presidente de estaca dinheiro do dízimo e ofertas, e o
J U L H O D E 2 0 0 2
81
restante era distribuído para o paga- Repentinamente parou, e voltando- “(. . .) Eu, o Senhor, sou miseri-
mento da escola e outras despesas. se em minha direção, perguntou: cordioso e benigno para com aque-
Lembro-me de um período em ‘Como vai sua faculdade?’ Surpresa, les que me temem e deleito-me em
que (. . .) enfrentei sérias dificulda- não acreditava no que estava honrar aqueles que me servem em
des financeiras. Era uma quinta- ouvindo. A única coisa que conse- retidão e em verdade até o fim.
feira quando recebi meu salário. Ao gui falar com voz trêmula, foi: ‘Tudo Grande será sua recompensa e
calcular o orçamento mensal, notei bem!’ Ele me olhou pensativo e des- eterna sua glória.
que não haveria o suficiente para pediu-se novamente. (. . .) E a eles revelarei todos os misté-
pagar o dízimo e a faculdade. Teria Logo em seguida, a secretária rios, sim, todos os mistérios ocultos
de escolher entre um e outro. As entrou na sala, dizendo que eu era de meu reino desde a antigüidade; e
provas bimestrais começariam na uma pessoa afortunada! Quando lhe por eras futuras (. . .).
semana seguinte e, se não as fizesse, perguntei o motivo de tal afirmação, Sim, até as maravilhas da eterni-
poderia perder o ano escolar. Senti ela simplesmente respondeu: ‘O dade conhecerão (. . .).
uma forte angústia. (. . .) [e] o cora- chefe acabou de comunicar que, a E sua sabedoria será grande e seu
ção aflito. Estava diante de um partir de hoje, o escritório vai pagar entendimento alcançará os céus; e
doloroso impasse e não sabia qual integralmente sua faculdade e seus diante deles a sabedoria dos sábios
decisão tomar. Ponderava entre as livros. Antes de sair, passe por minha perecerá e o entendimento dos pru-
duas escolhas: pagar o dízimo ou mesa e informe os valores, pois ama- dentes se desvanecerá.
arriscar a possibilidade de conseguir nhã mesmo lhe darei o cheque.’ Porque pelo meu Espírito os ilu-
os créditos necessários para a apro- Dito isso, ela retirou-se e, eu, minarei e pelo meu poder dar-lhes-
vação escolar. chorando muito e sentindo -me ei a conhecer os segredos de minha
Esse sentimento consumiu minha humilde, ajoelhei-me ali mesmo e vontade; sim, até as coisas que o
alma e permaneceu comigo até agradeci ao Senhor por Sua genero- olho não viu nem o ouvido ouviu e
sábado. Foi quando lembrei que, ao sidade. [Disse] ao Pai Celestial que ainda não entraram no coração do
aceitar o batismo na Igreja, concor- não precisava abençoar-me tanto. homem”. (D&C 76:5–10)
dara em viver a lei do dízimo. Eu Eu necessitava somente do valor de Como alguém pode pedir mais:
havia assumido um compromisso, uma mensalidade, e o dízimo que Quão gloriosa é esta obra com que
não com os missionários, mas com o havia pago no domingo era tão estamos comprometidos. Quão
Pai Celestial. Naquele momento, a pequeno em comparação à quantia maravilhosos são os caminhos do
angústia foi desaparecendo, dando que estava recebendo! Durante Todo-Poderoso quando caminhamos
lugar a uma agradável sensação de aquela oração, as palavras registra- pela fé diante Dele.
tranqüilidade e determinação. (. . .) das em Malaquias vieram-me à A fé de um pesquisador é como
Naquela noite, ao orar, pedi per- mente: ‘(. . .) fazei prova de mim um pedaço de madeira verde atirado
dão ao Senhor por minha indecisão. (. . .) se Eu não vos abrir as janelas na fogueira. Aquecido pelas chamas,
No domingo, antes do início da reu- do céu, e não derramar sobre vós ele seca e começa a queimar. Mas se
nião sacramental, procurei o bispo uma bênção tal até que não haja for tirado do fogo, não consegue
e, com grande satisfação, paguei o lugar suficiente para a recolherdes’. mais queimar sozinho.Sua chama
dízimo e ofertas. Aquele foi um dia (Mal. 3:10) Até aquele momento, vacilante se apaga. Contudo, se for
especial. Simplesmente sentia-me nunca havia sentido a grandeza da deixado na fogueira, gradualmente
feliz e em paz comigo mesma e com promessa contida nessa escritura, e começará a queimar e soltar labare-
o Pai Celestial. que esse mandamento é, na ver- das. Em pouco tempo se tornará
No dia seguinte, enquanto estava dade, uma grande prova de amor parte das chamas da fogueira e
no escritório, tentava descobrir uma que o Pai Celestial dá a Seus filhos acenderá outro pedaço de madeira
saída para conseguir realizar as pro- aqui na Terra.” mais verde.
vas, que se iniciariam na quarta- A fé é a fibra básica que dá força A assim prossegue, meus irmãos e
feira daquela semana. Por mais que a esta obra. Isso é evidente onde irmãs, este grande trabalho de fé,
pensasse, não achava uma solução. quer que esta Igreja esteja estabele- edificando as pessoas por toda esta
Na época, trabalhava em um escri- cida no mundo. Ela não se limita a imensa Terra para que alcancem um
tório de advocacia e meu chefe era a um país, a uma nação, a um idioma conhecimento maior dos caminhos
pessoa mais rigorosa e severa que ou a um povo. É encontrada em do Senhor e sejam mais felizes
havia conhecido na vida. todas as partes. Somos um povo seguindo seu padrão.
Já era final do expediente, que tem fé. Andamos pela fé. Que Deus, nosso Pai Eterno,
quando meu chefe se aproximou Prosseguimos em nossa jornada continue a sorrir sobre esta grande
e transmitiu as últimas ordens do eterna, um passo de cada vez. obra e faça com que ela prospere é
dia. Feito isso, com sua pasta na É grande a promessa do Senhor minha humilde oração em nome de
mão, despediu-se e deixou a sala. aos fiéis de todas as partes. Ele disse: Jesus Cristo. Amém. 
A L I A H O N A
82
Sessão da Tarde de Domingo afirmada nos escritos sagrados. Eu
7 de Abril 2002 estudei as escrituras quanto às partes
que se referem à eternidade antes da

Que Firme [É o formação da Terra. Não se preo-


cupem. Não vou citá-las todas. Mas
incluirei algumas dessas citações no
texto escrito desta mensagem. Essas

Nosso] Alicerce verdades invisíveis e eternas consti-


tuem as “estacas pré-mortais” que
suportam o alicerce desta Igreja.
Élder Russell M. Nelson O Plano de Redenção e a
do Quórum dos Doze Apóstolos Possibilidade de Progênie no
Reino de Deus
Antes mesmo da fundação da
Terra, o plano de salvação já estava
pronto.3 Nele estava incluída a pos-
O alicerce da nossa fé individual, se edificado na verdade eterna, sibilidade de termos uma progênie
permite que cada um de nós alcance níveis sempre mais elevados, divina no reino de Deus.4
A Expiação de Jesus Cristo
segundo uma perspectiva eterna. O centro desse plano era o
Sacrifício Expiatório de Jesus Cristo.
Nos conselhos pré-mortais, Ele foi
preordenado por Seu Pai para expiar
uma profundidade superior a 30 por nossos pecados e romper as liga-
metros. Sobre essas estacas, correias duras da morte física e espiritual.5
de aço foram lançadas e afixadas a Jesus declarou: “Eu (…) [fui] prepa-
uma unidade que pode ser ajustada, rado desde a fundação do mundo
se for necessário nivelar o prédio.2 É para redimir meu povo. (…) Em
sobre esse alicerce invisível mas mim toda a humanidade terá vida e
seguro, que o templo encontra-se tê-la-á eternamente, sim, aqueles
erguido e está firme. que crerem em meu nome”.6 Mais
É preciso um firme alicerce para tarde, Paulo acrescentou que a
que qualquer edifício, instituição ou Igreja está “[edificada] sobre o fun-
pessoa subsista. Tendo isso em damento dos apóstolos e dos profe-
mente, vamos tecer algumas consi- tas, de que Jesus Cristo é a principal
derações sobre o alicerce d’A Igreja pedra da esquina”.7
de Jesus Cristo dos Santos dos Últi- A Oposição do Adversário
mos Dias. Depois, veremos como o Antes mesmo da formação do
sólido alicerce da Igreja suporta o mundo, o Senhor foi confrontado
nosso alicerce de fé enquanto indi- por Satanás.8 Ele e seus seguidores
víduos na Igreja. sempre lutaram contra a obra

H á cerca de vinte anos,


quando estava para ser
construído um templo na
Cidade do México, os arquitetos
defrontaram- se com um grande
I. O ALICERCE DE A IGREJA DE JESUS
CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS
DIAS
Esta Igreja apóia-se em um único
sagrada do Salvador e sempre conti-
nuarão a fazê-lo.
A Préordenação ao Sacerdócio
e Seu Recebimento
Antes da fundação do mundo,
desafio. A Cidade do México situa- alicerce, firmemente fincado nos existíamos como filhos espirituais ao
se sobre uma área cujas camadas princípios da verdade eterna. Irmãos lado de nosso Pai Celeste. Entre nós
subterrâneas têm muita água. Por e irmãs, a causa sagrada que defen- havia homens nobres e grandes,
isso, alguns de seus edifícios movi- demos não teve início em 1820 no preordenados para portar o sacerdó-
mentam-se e inclinam-se com o Estado de Nova York. Também não cio. 9 Abraão 10, Jeremias 11, Joseph
passar do tempo. A construção do teve início em Belém. Tampouco no Smith12 e outros13 foram designados a
templo naquele lugar exigia um tipo Jardim do Éden. A fundação do tornar-se profetas de Deus. Foi pre-
específico de alicerce. Duzentas e evangelho eterno já existia antes dito também que o sangue dos profe-
vinte e uma estacas enormes, de mesmo de o mundo existir. tas seria derramado nesta causa
concreto armado1 foram fincadas a Essa realidade é repetidamente sagrada.14 A maneira de conferir o
J U L H O D E 2 0 0 2
83
sacerdócio deveria ser pelos pais colocada à disposição “dos que mor- O desvio dos filhos causa sofrimento
“desde o princípio do tempo, (…) ou ressem sem conhecimento do evan- aos pais. Algumas famílias divididas
seja (…) antes da fundação da gelho”.25 Um elo entre as gerações foi não se juntam mais. Um estado
Terra”.15 providenciado para que uma total, [permanente ou temporário] de
Às Irmãs o Poder de Glorificar completa e perfeita união e fusão de confusão quanto à identidade sexual
a Deus dispensações e chaves e poderes e é mal-compreendido. Jovens casais,
As irmãs receberam dons espe- glórias ocorram e sejam reveladas.26 seja qual for o motivo, não têm a
ciais. Segundo o Senhor, elas rece- Irmãos e irmãs, essas estacas invi- bênção de ter filhos. Mesmo nos
beram o poder de “multiplicar e síveis mas seguras foram colocadas dias de hoje, “os culpados e iníquos
encher a Terra, de acordo com meu antes da existência do mundo. Elas são deixados impunes por causa de
mandamento, e para cumprir a pro- suportam o evangelho eterno — seu dinheiro”.36 Há coisas que não
messa feita por meu Pai antes da agora restaurado em sua plenitude.27 nos parecem justas.37
fundação do mundo, (…) para sua Tendo um alicerce como esse, esta Com um firme alicerce, entre-
exaltação nos mundos eternos, a fim Igreja não será movida de seu tanto, estaremos mais bem prepara-
de gerar as almas dos homens; pois lugar28, mesmo durante o milênio.29 dos para buscar a ajuda do Senhor,
nisso se perpetua a obra de meu Pai, mesmo quando nos depararmos com
para que ele seja glorificado”. 16 II. O ALICERCE DOS MEMBROS perguntas cujas respostas são difí-
Pensem nisso: Quando a mãe dá à DA IGREJA ceis. Disse o poeta:
luz e cria um filho, ela não só ajuda Assim como edifícios e institui-
a Terra a cumprir o fim de sua cria- ções têm alicerces, nós como indiví- Quem és Tu eu não sei,
ção17, mas glorifica a Deus! duos também temos alicerces que Mas isto, ao menos, posso dizer:
Os Filhos do Convênio sustentam a nossa fé. Alguns são As Plêiades, em fileira prateada,
Os filhos do convênio foram fracos, outros fortes. Podemos ficar Fizeste ascender.
designados no reino pré-mortal. em dúvida, “como a onda do mar,
Paulo ensina-nos que o Senhor “nos que é levada pelo vento e lançada Ordenaste ao vento indomável
elegeu nele antes da fundação do de uma para outra parte”30, ou pode- Que seu próprio caminho escolhesse;
mundo”.18 mos permanecer sobre um firme ali- E, de cores, entre o dia e a noite,
As Bênçãos Baseadas na Obe- cerce e prender-nos nele com Que um muro se erguesse.
diência à Lei correias de aço espiritual, ficando
Depois, foram estabelecidas as arraigados e edificados nas estacas Às estrelas deste o resplendor
condições que nos permitem receber eternas do evangelho.31 E às flores o desabrochar;
as bênçãos de Deus — que nos vêm O Presidente Gordon B. Hinckley E nos ricos veios das minas,
pela obediência às leis nas quais elas pediu que os novos conversos fossem Raras gemas vieste ocultar;
se baseiam.19 amparados na Igreja por meio de um
Coisas Sagradas a Serem Reve- amigo, um chamado, e que fossem Notável, porém, em Tua obra
ladas nos Últimos Dias nutridos pela boa palavra de Deus.32 esplendorosa,
Outra estaca corresponde às Sempre cantamos “Que firme ali- E suprema em todo o Teu plano,
revelações reservadas para os últi- cerce, ó santos do Senhor/ Tereis É a busca da perfeição que puseste
mos dias. O Senhor há muito plane- pela fé em Jesus, o Salvador”! 33 No coração humano.38
jou revelar “coisas ocultas desde a Quando recebemos o alimento da
fundação do mundo”.20 Essas coisas palavra de Deus, banqueteamo-nos Embora não saibamos todas as
incluíam revelações registradas com Seu amor.34 coisas39, sabemos que Deus vive e
no Livro de Mórmon. 21 Também Lembrem-se: “É sobre a rocha de que nos ama40. Permanecendo nesse
incluíam as ordenanças e os convê- nosso Redentor, que é Cristo, o firme alicerce, podemos buscar e
nios do santo templo. 22 O Senhor Filho de Deus, que deveis construir obter a força necessária para supor-
declarou ao Profeta Joseph Smith: os vossos alicerces; para que, tar os pesados fardos de nossa vida.
“digno-me revelar a minha Igreja quando o diabo lançar a fúria de Por exemplo, presto tributo às
coisas que têm sido mantidas ocul- seus ventos,(. . .) quando todo o seu almas notáveis que enfrentam os pro-
tas desde antes da fundação do granizo e violenta tempestade vos blemas da paternidade com fé inaba-
mundo, coisas pertinentes à dispen- açoitarem, isso não tenha poder lável em seu Criador. Um casal muito
sação da plenitude dos tempos”.23 para vos arrastar ao abismo da misé- querido de nossa família recente-
A Redenção dos Mortos ria e angústia sem fim, por causa da mente teve um filho. A criança nas-
O Senhor revelou que “a orde- rocha sobre a qual estais edificados, ceu com uma série de anomalias que
nança do batismo pelos mortos (…) que é um alicerce seguro”.35 afetavam praticamente todos os
foi instituída desde antes da fundação Mesmo os firmes alicerces não sistemas de seu pequeno corpo.
do mundo”.24 A salvação foi, assim, podem evitar os problemas da vida. Precisou ser submetido a duas
A L I A H O N A
84
O templo e os edifícios do centro de Salt Lake City elevam-se atrás do Centro de Conferências.

cirurgias em sua primeira semana Disse -me ela: ‘Quando vejo a especialmente do Livro de Mórmon,
de vida. E ainda outras serão neces- maneira cuidadosa como o Pai sem que me lembre da profusão de
sárias. Quando fui conversar com Celestial preparou e planejou minha sentimentos de conforto e paz que
os pais do pequenino, não pergun- situação presente, como eu poderia experimentei. Penso sempre nas noi-
taram: “Por que isso aconteceu sentir medo do futuro? Com certeza tes em que me recolhia ao meu
conosco”? Ao contrário, disseram: Ele está preparando hoje todas as coi- quarto e abria a alma ao Pai Celestial
“Sabemos que este filho estava sas de que necessitarei para enfrentar e Lhe agradecia por preservar-me a
reservado para nós. Deus nos con- o que ainda está para vir’”.41 vida”. Depois, esse Élder compartilha
fiou este bebezinho especial. Nós o Recebi de um missionário uma mais esta notícia maravilhosa: “Voltei
amaremos e cuidaremos dele da carta que jamais esquecerei. Nela, ao consultório médico esta semana
melhor forma possível”. Agradeço ele diz: “Ainda não tenho certeza do (…) e (…) ele não conseguiu encon-
ao Senhor por esses pais! motivo pelo qual fui acometido de trar qualquer vestígio da doença em
Não faz muito tempo, a morte cei- câncer, particularmente durante o meu corpo”.42 Tenho um grande amor
fou a vida do marido de uma amiga período em que estava servindo ao por esses fiéis missionários!
nossa, repentinamente, sem qualquer Senhor em uma missão, mas posso Quão firme é o nosso alicerce? O
aviso. A declaração a seguir, feita pela dizer com toda a honestidade e sin- alicerce desta Igreja foi feito muito
viúva, foi redigida por sua própria ceridade que sou eternamente grato antes de o mundo existir. Ele é forte.
irmã: “Ao analisar estes últimos anos a nosso misericordioso Pai Celestial É verdadeiro. É eterno. O alicerce
e dias, ela reconheceu maravilhada por ter-me permitido passar por essa da nossa fé individual, se edificado
algumas habilidades e experiências experiência. (…) Não há um dia na verdade eterna, permite que cada
específicas que um Pai amoroso colo- sequer”, ele continua, “em que eu um de nós alcance níveis sempre
cou em sua vida, coisas que poderiam não reflita sobre os dias em que mais elevados, segundo uma pers-
parecer circunstanciais na ocasião, fiquei internado no hospital, subme- pectiva eterna.43 É essa fé que trará
mas que a prepararam especifica- tendo-me à quimioterapia ou con- esperança quando não houver espe-
mente para sobrepujar essa perda torcendo-me em dor devido a uma rança. E nos dará alegrias no pre-
devastadora. Em vez de sentir-se nova cirurgia. (…) Nenhum dia se sente, e a vida eterna no futuro.
abandonada, cheia de amargura, sen- passa sem que eu pense nos dias que Disso eu testifico, em nome de Jesus
tiu-se acalentada e confortada. (…) passei estudando as escrituras, Cristo. Amém. 
J U L H O D E 2 0 0 2
85
NOTAS 25. D&C 128:5. 39. Se comparada à onisciência de
1. Cada estaca tinha 45,72cm de 26. Ver D&C 128:18. nosso Criador, sabemos relativamente
diâmetro. 27. Ver Atos 3:20–21. pouco sobre os dinossauros ou os deta-
2. Ver John Forres O’Donnal, (1997), 28. Ver Daniel 2:28, 31–44; D&C lhes da Criação, por exemplo. Mas isto
p. 288. 65:2–6; 124:45. nós sabemos: “Em verdade vos digo: No
3. Ver 1 Néfi 10:18; Mosias 15:19; 29. Ver Bruce R. McConkie, The dia em que o Senhor vier, ele revelará
Alma 12:25, 30; 18:39; 22:13–14; 42:26; Millennial Messiah (1982), p. 672. todas as coisas — coisas passadas e coisas
D&C 76:12–13. 30. Tiago 1:6. ocultas que nenhum homem conheceu,
4. Às pessoas do Velho Mundo, disse o 31. Ver Efésios 3:17–19; Colossences coisas da Terra pelas quais foi feita e seu
Senhor: “Vinde, benditos de meu Pai, pos- 2:6–7. propósito e seu fim — coisas muito pre-
suí por herança o reino que vos está pre- 32. Ver “Algumas Considerações a ciosas, coisas que estão no alto e coisas
parado desde a fundação do mundo”. Respeito de Templos, Retenção de que estão em baixo, coisas que estão
(Mateus 25:34) Os povos da América Conversos e Serviço Missionário”, dentro da terra e sobre a terra e nos
antiga também foram ensinados que “os A Liahona de janeiro de 1988, p. 51; céus”. (D&C 101:32–34; ver também
que tiverem acreditado no Santo de Israel também Jacó 6:7; Morôni 6:4. 121:29–32.)
(…) herdarão o reino de Deus, que foi 33. Hinos, nº 42; ver também 2 Néfi 40. Ver 1 Néfi 11:16–17.
preparado para eles desde a fundação do 28:27–30. 41. Virginia H. Pearce, Why I Believe
mundo”. (2 Néfi 9:18; ver também Éter 34. Ver Jacó 3:2. (2002), pp. 245–246.
4:19.) 35. Helamã 5:12. Lembrem-se de que 42. Correspondência pessoal, 15 de
5. Ver João 17:5, 24; 1 Pedro 1:19–20; um homem sábio constrói sua casa sobre a janeiro de 2002.
Mosias 4:6–7; 18:13; 3 Néfi 26:3–5; D&C rocha e não sobre a areia. (Ver Mateus 43. Nossa provação mortal foi compa-
93:7–9; Moisés 5:57; TJS Gênesis 5:43; 7:24–27.) rada ao segundo ato de uma peça de três
14:30–31. 36. Helamã 7:5. atos. Quando as cortinas se fecharem no
6. Éter 3:14. 37. As coisas parecem “justas” conforme segundo ato, a peça ainda não terminou.
7. Efésios 2:20. o limite da perspectiva de quem olha. Paulo Sem termos o conhecimento do conteúdo
8. Ver TJS Apocalipse 12:6–8. nos ensina: “Se esperamos em Cristo só do primeiro e do último ato, o segundo
9. Ver Alma 13:3, 5, 7; D&C 132:28; nesta vida, somos os mais miseráveis de pode parecer ou curto demais, ou longo
138:55–56; Abraão 3:22–23. todos os homens”. (I Coríntios 15:19.) demais, ou difícil demais, ou confuso
10. Ver Abraão 3:23. 38. Harry Kemp, “God the Architect” demais. Quando conhecemos os três atos,
11. Ver Jeremias 1:4–5. [Deus, o Arquiteto], Masterpieces of o segundo passa a ter um significado
12. Ver 2 Néfi 3:5–15; D&C 127:2; Religious Verse, ed. James Dalton Morrison, maior. Por isso, a necessidade de termos
138:53–55. (1948), pp. 46–47. uma perspectiva eterna.
13. Ver D&C 138:53.
14. Ver Lucas 11:49–51.
15. Abraão 1:3.
16. D&C 132:63.
17. Ver D&C 49:16–17.
18. Efésios 1:4; ver também v. 5. Paulo
também nos ensina que o poder de Deus,
“que nos salvou, e chamou com uma santa
vocação, (…) que nos foi dada em Cristo
Jesus antes dos tempos dos séculos”.
(II Timóteo 1:9; ver também D&C
38:1–4; Abraão 3:22–26.) É importante
observar que o Livro de Mórmon destina-
se “a mostrar aos remanescentes da casa
de Israel as grandes coisas que o Senhor
fez por seus antepassados; e para que pos-
sam conhecer os convênios do Senhor”.
(O Livro de Mórmon, folha de rosto.)
19. Ver D&C 130:20–21; 132:5, 11–12.
20. Mateus 13:35.
21. 2 Néfi 27:10.
22. Ver D&C 124:40–41.
23. D&C 124:41.
24. D&C 124:33.

A L I A H O N A
86
dos Doze, denominada “O Cristo

Vida Eterna Vivo”, da qual citarei alguns trechos:


“[Jesus Cristo] foi o Grande
Jeová do Velho Testamento e o

por Intermédio Messias do Novo Testamento. Sob a


direção de Seu Pai, Ele foi o criador
da Terra. (. . .)

de Jesus Cristo Ele deu Sua vida para expiar os


pecados de toda a humanidade.
(. . .)
Ele foi o Primogênito do Pai, o
Élder John M. Madsen Filho Unigênito na carne, o
Dos Setenta
Redentor do mundo.
Ele levantou-Se do sepulcro para
ser ‘ feito as primícias dos que
dormem’. (I Coríntios 15:20) Como
Senhor Ressuscitado (. . .) Ele
Para conhecer o Senhor Jesus Cristo, nós e toda a humanidade também ministrou a Suas ‘outras
precisamos recebê-Lo. E para recebê-Lo, precisamos receber ovelhas’ (João 10:16) na antiga
Seus servos. América. No mundo moderno, Ele e
Seu Pai apareceram ao menino
compreender plenamente que “é Joseph Smith, dando início à prome-
rico aquele que tem a vida eterna” tida ‘dispensação da plenitude dos
(D&C 6:7) e que a vida eterna é a tempos’. (Efésios 1:10)(. . .)
maior dádiva de Deus ao homem Seu sacerdócio e Sua Igreja foram
(D&C 14:7). Declarado de modo restaurados na Terra, ‘edificados
simples, a vida eterna é viver para sobre o fundamento dos apóstolos e
sempre como família na presença de dos profetas, de que Jesus Cristo é a
Deus (D&C 132:19–20, 24, 55). principal pedra da esquina’. (Efésios
Em Sua grandiosa oração inter- 2:20)(. . .)
cessora, o Salvador deu a toda a Ele voltará um dia à Terra (. . .) e
humanidade a chave para se alcan- governará como Rei dos Reis e rei-
çar a vida eterna: “E a vida eterna nará como Senhor dos Senhores.
é esta: que te conheçam, a ti só, (. . .) Cada um de nós será julgado
por único Deus verdadeiro, e a por Ele. (. . .)
Jesus Cristo, a quem enviaste”. (. . .) Apóstolos Seus, devida-
(João 17:3) mente ordenados, [prestam testemu-
Mas como o homem pode chegar nho] de que Jesus é o Cristo Vivo, o
a conhecer o único Deus verdadeiro? Filho imortal de Deus. Ele é o grande

H á quase dois mil anos, um


jovem rico que tinha “mui-
tas propriedades” fez uma
pergunta extremamente importante
ao Salvador: “Bom Mestre, que bem
O Salvador respondeu: “Eu sou o
caminho, e a verdade e a vida; nin-
guém vem ao Pai, senão por mim”.
(João 14:6)
Testifico que o único caminho
Rei Emanuel. (. . .) Ele é a luz, a vida
e a esperança do mundo. (. . .)” (A
Liahona, abril de 2000, pp. 2–3.)
É maravilhoso e absolutamente
essencial que saibamos quem é o
farei para conseguir a vida eterna?” pelo qual nós e toda a humanidade Senhor Jesus Cristo.
(Mateus 19:16.) Depois de “ouvir” pode achegar-se ao Pai Celestial e Mas novamente testifico que a
as instruções do Salvador e Seu gen- conhecê-Lo, e assim alcançar a vida única maneira pela qual nós e toda
til convite “ Vem, e segue -me” eterna, é achegar-nos ao Senhor a humanidade podemos achegar-nos
(Mateus 19:21), o jovem rico “reti- Jesus Cristo e conhecê-Lo. a nosso Pai Celestial e conhecê-Lo,
rou-se, triste, porque possuía muitas Mas quem é Jesus Cristo, para que e assim alcançar a vida eterna, é
propriedades”. (Mateus 19:22) nos acheguemos a Ele e O conheça- achegando -nos ao Senhor Jesus
Tragicamente, milhões de pessoas mos? Não conheço nenhuma descri- Cristo e conhecendo-O.
no mundo atual ainda dão mais ção mais vigorosa e maravilhosa da O que significa conhecer o
valor e preferem as “riquezas da identidade e do papel do Senhor Senhor Jesus Cristo e como pode-
Terra” em vez das “riquezas da eter- Jesus Cristo do que a declaração da mos fazê-lo?
nidade” (D&C 38:39), sem saber ou Primeira Presidência e do Quórum O Salvador respondeu: “(. . .)
J U L H O D E 2 0 0 2
87
Estreita é a porta e apertado o cami-
nho que leva à exaltação e à conti-
nuação das vidas, e poucos há que o
encontram, porque no mundo não
me recebeis nem me conheceis. Mas
se me receberdes no mundo, então
me conhecereis. (. . .)” (D&C 132:
22–24)
Será que podemos plena e verda-
deiramente compreender Suas pala-
vras? “Se me receberdes” — o
Grande Jeová, o Messias, o criador
da Terra, o Salvador e Redentor do
mundo, o Filho imortal de Deus —
“se me receberdes (. . .), então me
conhecereis”. (D&C 132:23; grifo do
autor.)
Para conhecer o Senhor Jesus
Cristo, nós e toda a humanidade
precisamos recebê-Lo. E para
recebê-Lo, precisamos receber Seu
servos. (Ver Mateus 10:40; D&C
1:38; 68:8-9; 84:36; 112:20.)
Para recebê-Lo, precisamos rece-
ber a plenitude de Seu evangelho,
Seus convênios eternos, inclusive
todas as verdades, leis, convênios e
ordenanças necessários para que a
humanidade volte à presença de
Deus. (Ver D&C 39:11; 45:9; 66:2;
76:40–43; 132:12; 133:57.)
Para recebê-Lo, os fiéis filhos de
Deus precisam receber Seu sacerdó-
cio e magnificar seus chamados.
(D&C 84:33–35)
Mas, essencialmente, para recebê-
Lo e conhecê-Lo, nós e toda a
humanidade precisamos “(. . .) [vir]
a Cristo, [ser] aperfeiçoados nele”,
como exortou Morôni. (Morôni
10:32; grifo do autor.) Em outras
palavras, precisamos achegar-nos a Participantes da conferência atravessam o portão norte da Praça do Templo.
Cristo e esforçar-nos para tornar-nos
“semelhantes” a Ele. (Ver “O palavra “devereis” significa “é neces- É minha oração que chegue logo
Desafio de Tornar-se”, Élder Dallin sário” ou “constitui obrigação ou “o tempo em que o conhecimento
H. Oaks, A Liahona, janeiro de dever moral”. (Ver Lucas 24:26; e a de um Salvador se espalhará por
2001, p. 40.) definição da palavra ought, “devereis” toda nação, tribo, língua e povo”.
O Senhor Ressuscitado disse: no American Dictionary of the English (Mosias 3:20; ver também Moisés
“(. . .) Que tipo de homens devereis Language by Noah Webster, p. 1828.) 7:62; Isaías 11:9), e que todos
ser? Em verdade vos digo que deve- As santas escrituras, antigas e moder- os que desejarem O recebam,
reis ser como eu sou”. (3 Néfi 27:27) nas, confirmam que “é necessário” e sim, o Senhor Jesus Cristo, e O
O significado da palavra “devereis” que estamos “obrigados” por convê- conheçam, para que possam ache-
usado em Sua pergunta “(. . .) Que nio “a sermos”, como Ele declarou, gar- se a nosso Pai Celestial e
tipo de homens devereis ser?” é “como Eu sou”. (3 Néfi 27:27; ver conhecê-Lo, e assim alcançar a vida
essencial para que compreendamos também 3 Néfi 12:48; Mateus 5:48; eterna, em nome de Jesus Cristo
Sua resposta, “como Eu sou”. A 1 João 3:2; Morôni 7:48.) Amém. 
A L I A H O N A
88
façam tudo o que puderem para

Alguns Ensinamentos viver de acordo com ela.

PRINCÍPIO 2: SABER A IMPORTÂNCIA

Básicos Extraídos DA LEITURA DAS ESCRITURAS


Joseph Smith conhecia as escritu-
ras porque as estudava. Ele disse: “Li

da História um dia na Epístola de Tiago, pri-


meiro capítulo, versículo cinco, o
seguinte: E, se algum de vós tem falta
de sabedoria, peça-a a Deus, que a

de Joseph Smith todos dá liberalmente, e o não lança em


rosto, e ser-lhe-á dada.” JS—H 1:11
Durante seu curto ministério,
Élder Carlos H. Amado Joseph Smith também recebeu muitas
Dos Setenta outras revelações importantes que
foram resultado de sua leitura das
escrituras. Vocês precisam estudá-las
para poderem aproximar-se de Deus,
que é a fonte de toda a verdade.
A conversão é um processo pessoal e espiritual. Cada um deve
examinar esses princípios sozinho. PRINCÍPIO 3: SABER O VALOR
DA ORAÇÃO
como missionário e, até hoje, ainda O jovem Joseph disse:
fico atônito ao lê-la e sinto-me pro- “Finalmente cheguei à conclusão
fundamente grato por ela. Desde de que teria de permanecer em tre-
que Joseph Smith recebeu a vas e confusão, ou fazer como Tiago
Primeira Visão, esse fato tem sido aconselha, isto é, pedir a Deus. (. . .)
uma bênção e um dom de fé para Era a primeira vez na vida que
todo o crente sincero; é um convite fazia tal tentativa, pois em meio a
aberto para aqueles que procuram a todas as ansiedades que tivera,
verdade e um desafio permanente jamais havia experimentado orar em
para o incrédulo. voz alta. (. . .)
Para aqueles que ainda não são Ajoelhei-me e comecei a oferecer
membros da Igreja, sugiro que leiam a Deus os desejos de meu coração.”
o testemunho de Joseph Smith com (. . .)
a mente aberta e real intenção. Descobrira ser verdadeiro o teste-
Vocês sentirão sua sinceridade e munho de Tiago: que um homem
conhecerão a respeito do estabeleci- que necessitasse de sabedoria podia
mento da Igreja, de como foi restau- pedi-la a Deus e obtê-la, sem ser
rada de modo miraculoso! repreendido.” (JS—H 1:13–15, 26)

A história de Joseph Smith foi


escrita para que soubésse-
mos dos fatos relativos à res-
tauração da Igreja nestes últimos dias.
A essência da história é uma demons-
Embora haja um amplo conteúdo
espiritual nessa história fascinante,
limitarei meus comentários à exposi-
ção de cinco princípios que, assim
como ajudaram o jovem profeta, aju-
Nosso Pai Celestial, como um pai
perfeito, conhece todas as necessi-
dades espirituais e materiais que
vocês têm e quer abençoá-los, e por
isso lhes deu o mandamento de pro-
tração de confiança nas promessas do darão vocês a conhecerem a Deus. curá-Lo e de pedir coisas a Ele.
Senhor e uma fonte de alegria e cer- Joseph descobriu a verdade por-
teza para todos os que crêem. PRINCÍPIO 1: TER O DESEJO SINCERO que orou. Em nossa época, milhões
Já tive oportunidade de lê-la mui- DE CONHECER A VERDADE de membros da Igreja também testi-
tas vezes e em diferentes situações. Joseph Smith tinha um desejo ficam da realidade da restauração
Fiquei impressionado com ela profundo de conhecer a Deus e de porque, seguindo esse conselho,
quando criança; serviu-me de guia e fazer Sua vontade. Vocês podem ter pediram ao Senhor com fé. Vocês
fonte de força quando era adoles- o mesmo desejo, e o próprio Deus têm o mesmo direito de receber uma
cente; partilhei-a com coragem e pode guiá-los até a verdade. Quando resposta para suas orações porque
entusiasmo quando jovem, ao servir vocês reconhecerem a verdade, um testemunho é um dom de Deus
J U L H O D E 2 0 0 2
89
dado somente àqueles que pedem com
real intenção. Experimentem, e a
promessa se cumprirá.

PRINCÍPIO 4: DESCOBRIR A BÊNÇÃO


DA MEDITAÇÃO
Joseph Smith meditava muito.
Ele pensava, analisava, comparava e
tentava achar respostas para o que
lia nas escrituras. Ele disse:
“Durante esses dias de grande
alvoroço, minha mente foi levada a
sérias reflexões e grande inquieta-
ção; (. . .)
Muitas vezes disse a mim mesmo:
Que deve ser feito? Quem, dentre
todos esses grupos está certo, ou
estão todos igualmente errados? Se
algum deles é correto, qual é, e
como poderia sabê-lo? (. . .)
Jamais uma passagem de escritura
penetrou com mais poder no coração
de um homem do que essa, naquele
momento, no meu. Pareceu entrar
com grande força em cada fibra de
meu coração. Refleti repetidamente
sobre ela.” (JS—H 1:8, 10, 12)
Meditar sobre verdades eternas
significa pensar e fazer perguntas a si
mesmo repetidas vezes: “Como posso
saber?”, “Como os outros souberam?”
Como vocês podem saber essas
coisas? Por favor, reflitam seria-
mente nisso.

PRINCÍPIO 5: EXPERIMENTAR
A ALEGRIA DE IR À IGREJA
Em seu desejo de conhecer a ver-
dade, Joseph Smith visitou várias
denominações religiosas em sua
comunidade. Sobre essa experiência reino de Deus na Terra e receber um devido à Sua misericórdia, que res-
com Deus, o Pai, e Seu Filho, Jesus testemunho de sua verdade. Vamos ponderá nossas petições de acordo
Cristo, ele descreveu claramente as à Igreja para sentir o Espírito, apren- com nossa sinceridade. Apenas
instruções que recebeu a respeito de der Sua doutrina, renovar nossos aqueles que procuram com real
outras igrejas: convênios e receber as ordenanças intenção receberão sua resposta,
“Perguntei aos Personagens que de salvação e exaltação para voltar à como um dom de Deus, por inter-
estavam na luz acima de mim qual presença de Deus com nossa família. médio do Espírito Santo.
de todas as seitas estava certa (pois Vocês são gentilmente convidados a O Espírito Santo também é cha-
até aquele momento jamais me ir à Igreja e ver por si mesmos todas mado de Consolador e é aquele que
ocorrera que todas estivessem erra- essas coisas. testifica. A Ele devemos nosso
das) e a qual me unir. (. . .) A conversão é um processo pes- conhecimento e nosso testemunho
Não era meu dever unir-me a soal e espiritual. Cada um deve exa- de que Cristo é o Filho de Deus.
qualquer das seitas, mas continuar minar esses princípios sozinho. Não Depois que forem batizados, se
como estava até nova orientação.” é suficiente fazer uma mera tenta- permanecerem dignos e fiéis a seus
(JS—H 1:18, 26) tiva, com dúvidas, temores e falta de convênios, vocês receberão a orien-
Todos nós precisamos conhecer o confiança. Deus nos promete, tação constante do Espírito Santo
A L I A H O N A
90
por meio de sussurros, idéias, senti-
mentos, sonhos e avisos.
A história e as escrituras contam-
nos a respeito de pessoas que ouviram,
Caridade: O Amor
conversaram ou obtiveram de alguma
outra forma a evidência da existência
de Deus e de Seu plano de salvação.
Perfeito e Eterno
Entretanto, muitas delas não perma- Élder Gene R. Cook
neceram fiéis a suas convicções. Dos Setenta
Aprendemos com isso que não é
o que sabemos por intermédio dos
nossos sentidos físicos, mas a
influência do Espírito Santo, que nos
permite entender os propósitos de À medida que pensarmos e agirmos cada vez mais como Ele, os
Deus e segui-Los.
Quando as pessoas aprendem atributos do homem natural desaparecerão e serão substituídos
esses princípios básicos e param de pelo coração e mente de Cristo.
praticá-los, elas perdem a luz e a
orientação que as ajudam a entender todas as dádivas de Deus”3, “o amor
Deus e Seus profetas. O sinal visível perfeito, (. . .) eterno”4.
disso é que elas mesmas se afastam, Como a caridade é algo difícil de
tornam- se menos ativas ou até descrever, é mais fácil reconhecê-la
entram em discórdia com a Igreja. quando buscamos exemplos na vida
Outro sinal, não visível, é que param de pessoas que a possuem.
de praticar um ou mais dos cinco ■ Vemos a caridade numa avó

princípios que mencionei: idosa e inválida que assina um jornal


1. Eles não têm mais o desejo sin- vespertino, sabendo que isso fará
cero de saber toda a verdade; com que seu neto, entregador de
2. Não lêem mais as escrituras; jornais, venha à sua casa todos os
3. Não oram; dias onde ela, tendo-o ao seu lado
4. Não meditam sobre as verdades de joelhos, o ensinará a orar.
eternas; ■ A caridade é demonstrada tam-

5. Não vão mais à Igreja. bém na mãe que, em tempos de


É maravilhoso que numa época duras economias e escassez de
de grande confusão religiosa, embora carne, parece gostar só das asas do
não tivesse ainda 15 anos, em meio à frango, para perplexidade de todos
oposição, até mesmo perseguição,
Joseph Smith paciente e diligente-
mente demonstrou obediência e
mostrou-nos um modo simples,
Q ueridos irmãos e irmãs,
desejo mais do que nunca
neste momento prestar tes-
temunho, meu testemunho pessoal,
os outros membros da família.
■ A caridade manifesta-se no

homem que sofre uma punição


publicamente, mas que mesmo
porém eficaz de nos aproximarmos do amor de Deus por mim, por assim a aceita com humildade.
mais de Deus. vocês e por toda a humanidade. Não é uma característica comum
Esse processo exige que aprenda- Quem seria realmente capaz de a todos esses exemplos de caridade a
mos preceito sobre preceito, um expressar sua total gratidão em reco- atitude altruísta, o fato de essas pes-
pouco aqui e um pouco ali, até que nhecimento ao amor de Deus? soas nada esperarem em troca? Todos
desenvolvamos fé e uma compreen- Como tenho sido abençoado há tan- os nossos atributos divinos parecem
são clara do nosso potencial divino. tos anos por estar com vocês e por brotar da caridade, e ela por sua vez
(Ver 2 Néfi 28:30.) sentir o puro amor de Cristo que abrange a todos.5 Qualquer homem
É nossa responsabilidade valori- vocês transmitem. Tenho uma pode ter o dom do amor, mas a cari-
zar, dia após dia, as impressões que grande dívida para com vocês e para dade só é concedida aos que são ver-
sentimos por meio do Espírito, apli- com Deus. dadeiros seguidores de Cristo.6
cando constantemente esses cinco O próprio poder de Deus encon-
princípios. DEFINIÇÃO DE CARIDADE tra-se em Seus atributos de
É minha oração que assim faça- O Senhor disse que caridade é “o santidade.7 O poder do sacerdócio
mos sempre, em nome de Jesus puro amor de Cristo”1, é “a maior é mantido por esses atributos. 8
Cristo. Amém.  alegria para a alma”2, “a maior de Nós buscamos essas qualidades,
J U L H O D E 2 0 0 2
91
especialmente a caridade, o puro
amor de Cristo.9

AS COISAS QUE DESTROEM O AMOR


E A PAZ
Contudo, o demônio existe, o des-
truidor desse amor, que o substitui
por raiva e hostilidade.10 Meu amigo,
William, sentia-se assim: hostil.
Parecia que qualquer coisa que acon-
tecesse era culpa do Senhor — uma
doença, a morte de alguém, uma
criança rebelde, uma fraqueza pes-
soal, uma oração “não respondida” —
tudo isso endureceu-lhe o coração.
Sua raiva interior, que podia explodir
a qualquer momento, foi direcionada
a Deus, ao próximo e a si mesmo. De
seu coração emanava descrença, tei-
mosia, orgulho, contenda, falta de
esperança, de amor e de orientação.
Era um homem muito infeliz.
Essas coisas que destroem a paz11
cegaram William para os sentimen- Por fim, aprendeu a amar mais a conceder essas dádivas maravilhosas.
tos de Deus por ele. Ele não conse- si mesma, sendo mais bondosa, gen- Reflitam comigo por um momento
guia perceber, tampouco sentir o til e longânima. Parou de lutar pela nos grandiosos dons a seguir: as gló-
amor de Deus. Ele não via, especial- auto-estima e passou a amar a si rias de toda a criação18, a terra, o céu;
mente nos momentos difíceis, que mesma do modo como Deus a o amor e a alegria; Suas atitudes de
Deus o estava abençoando rica- amava. A imagem de si mesma tor- misericórdia, perdão e inumeráveis
mente, mesmo assim. Em vez disso, nou-se a de Cristo. respostas à orações; a dádiva dos
retribuía o amor com raiva. Será que entes queridos e finalmente, o maior
todos nós já não nos sentimos dessa RECONHECER, RECEBER E TRANSMITIR de todos os dons — o dom que o Pai
maneira vez ou outra? Mesmo O AMOR DE DEUS nos deu: Seu Filho que expiou por
quando menos merecíamos, Ele nos Como então podemos “[reves- nós, o Perfeito em caridade, o próprio
amou muito. Sem dúvida, Ele nos tirmo-nos mais] do vínculo da cari- Deus do amor.19
amou primeiro.12 dade, (. . .) da perfeição e da paz”?15 2. Recebam Seu Amor com
Gostaria de dar-lhes três sugestões: Humildade. Sejam gratos pelo dom,
SOFRIMENTO COM PROPÓSITO — 1. Reconheçam Seu Amor. “Rogai especialmente por Aquele que fez a
A CARIDADE NOS FORTALECE (. . .) com toda a energia de vosso doação.20 A verdadeira gratidão é a
Minha amiga cristã, Betty, era coração”16 por esse dom. Façam isso capacidade de ver, sentir e até mesmo
exatamente o oposto. Ela enfrentou com humildade e coração contrito e receber amor com humildade. 21 A
muitas das mesmas dificuldades que vocês ficarão cheios da esperança e gratidão é uma forma de retribuir o
William, mas como sentia o amor de do amor do próprio Espírito Santo. amor de Deus. Reconheçam Sua
Deus, suportou a tribulação em Ele revelará o Cristo a vocês.17 mão, digam-Lhe isso, expressem seu
nome do Salvador13, participou da Faz parte do dom da caridade ser amor a Ele. 22 Quando vocês real-
natureza divina14 e assim desenvol- capaz de reconhecer o mão de Deus mente conhecerem o Senhor, verão
veu fé e amor mais profundos por e sentir Seu amor em tudo o que nos que há uma relação profunda e
Deus, além de ter ganhado força cerca. Haverá momentos em que sagrada edificada na confiança.
para lidar com qualquer problema não será fácil perceber o amor de Saberão que Ele entende sua
que porventura surgisse. Deus por nós em todas as experiên- angústia23 e vontade com compaixão
Seu amor pelos outros cresceu. cias que temos porque Ele é um e sempre responde a vocês com amor.
Parecia até que ela já perdoava as Doador perfeito, anônimo. Vocês Recebam-no. Sintam esse amor.
pessoas com antecedência. Ela apren- levarão a vida toda para desvendar Não é suficiente saber apenas que
deu como fazer as pessoas sentirem Sua mão e os dons que Ele derramou Deus ama vocês. O dom é para ser
seu amor. Aprendeu que amor com- sobre vocês, porque Ele tem um jeito sentido continuamente, dia após dia.24
partilhado é amor multiplicado. pessoal, simples e humilde de nos Será um motivador divino por toda a
A L I A H O N A
92
sua vida. Arrependam-se. Removam no Senhor para sempre. 34 “Que incentivo a sentimentos negativos, busca
toda e qualquer imundice de sua [nossas] cargas sejam leves pela ale- de louvor. Tudo isso refere-se ao homem
vida25, inclusive a raiva. Recebam gria em seu Filho”35 é minha oração natural, não ao homem de Cristo.
uma remissão contínua de seus peca- em nome de Jesus Cristo. Amém.  12. Ver I João 4:19.
dos26 e vocês dominarão todas as suas 13. Ver D&C 138:13. Minha amiga
paixões e se encherão de amor.27 NOTAS sabia que o sofrimento poderia ajudá-la
3. Transmitam Seu Amor. As respos- 1. Morôni 7:47. das seguintes formas: Ela seria provada
tas do Senhor a nós são sempre cheias 2. Ver 1 Néfi 11:22–23; 8:10–12. (ver Abraão 3:24–25; D&C 98:13–14);
de amor. Não deveria nossa atitude 3. 1 Néfi 15:36. aprenderia a escolher o bem ou o mal
para com Ele ser bondosa, mostrando 4. Morôni 8:17. (2 Néfi 2:18) ; saberia que as bênçãos
nosso verdadeiro amor? Ele concede 5. “Existe uma virtude, atributo ou vêm após as tribulações (ver D&C
graça (ou bondade) por graça, atri- princípio que, se tratado com atenção e 58:2–4); aprenderia obediência, paciência
buto por atributo. À medida que praticado pelos santos, resulta em salva- e fé (D&C 105:6; Mosias 23:21; Romanos
nossa obediência for maior, recebere- ção para milhares e milhares de pessoas. 5:3–5); obteria perdão dos pecados (ver
mos mais graça (ou bondade) pela Refiro-me à caridade, ou amor, da qual Helamã 15:3; D&C 132:50, 60; 95:1).
graça que retribuímos a Ele.28 Vocês procede o perdão, a longanimidade, a bon- 14. Ver II Pedro 1:1–8.
não podem recebê-Lo inteiramente dade e a paciência.” [Ensinamentos dos 15. D&C 88:125.
até que sejam como Ele.29 Presidentes da Igreja: Brigham Young (1995), 16. Morôni 7:48.
Quando um homem primeiro pp. 217–218.] 17. Ver Morôni 8:25–26; Romanos 5:5;
emerge seus pensamentos em amor e 6. Ver Morôni 7:48. Há alguma dife- 2 Néfi 26:13.
transmite esses sentimentos a Deus, rença entre a caridade e o amor? O 18. Ver Moisés 6:63; Alma 30:44.
ao homem, ou a si mesmo, uma por- Senhor Se refere a eles inúmeras vezes 19. Ver 1 João 4:8.
ção maior desse atributo certamente separadamente, como em D&C 4:5. 20. Ver D&C 88:33.
virá do Espírito. Isso ocorre com Alguns dizem que caridade é amor mais 21. Ver Alma 5:26.
todos os atributos divinos. Os senti- sacrifício — uma mistura dos dois. Talvez 22. Ver Alma 26:16; Morôni 10:3.
mentos justos gerados por um a caridade esteja para o amor como a fé 23. Ver D&C 133:52–53.
homem parecem preceder aqueles para a crença. Tanto a fé como a caridade 24. Ver Alma 34:38.
gerados pelo Espírito. A menos que exigem ação, trabalho e sacrifício. A cari- 25. Ver I João 2:15–17.
você esteja sentindo amor, não dade abrange Seu amor por nós, nosso 26. Ver Mosias 4:11–12.
poderá transmitir o verdadeiro amor amor por Ele e amor cristão pelas outras 27. Ver Alma 38:12.
a outras pessoas. O Senhor nos disse pessoas. 28. Ver D&C 93:12–13, 20.
que nos amássemos uns aos outros 7. Ver D&C 84:19–24. 29. Ver I João 3:1–3.
como Ele nos amou30, por isso, lem- 8. Ver D&C 121:41–46. 30. Ver João 13:34; D&C 112:11.
brem-se: para serem amados, amem 9. “Um homem cheio do amor de Deus 31. “Acautelar-se contra o orgulho
de todo o coração.31 não se contenta em abençoar apenas sua e não procurar superar uns aos outros,
família, mas corre o mundo inteiro, dese- mas obrar pelo bem de cada um.” (Ensina-
OS FRUTOS DO DOM DA CARIDADE joso de abençoar toda a raça humana.” mentos do Profeta Joseph Smith, sel. Joseph
Irmãos e irmãs, como testemunha (Joseph Smith, citado em A Liahona, Fielding Smith [1976], p. 151.)
especial de Cristo, presto testemu- janeiro de 1998, p. 91.) 32. Ver I Coríntios 2:16; II Coríntios
nho mais uma vez do extraordinário 10. Quando passamos por um sofri- 10:5.
amor de Deus por todos nós indivi- mento real em nossa vida, o diabo está 33. “O homem realmente grande é
dualmente. Se magnificarmos esse sempre presente para fermentar o coração aquele que é verdadeiramente cristão. O
dom de Deus, teremos um coração do homem com raiva, enquanto o Senhor que você pensar de Cristo com toda a sin-
novo, um coração puro, bem como continuamente emana amor. No mesmo ceridade em seu coração determina o que
amor e paz sempre crescentes. À sofrimento “muitos se [tornam] insensíveis você é e determinará em grande parte os
medida que pensarmos e agirmos (. . .) e muitos [são] abrandados em virtude seus atos. (. . .) Escolhendo-O como nosso
cada vez mais como Ele, os atributos de suas aflições.” (Alma 62:41) Que exem- ideal, desenvolvemos em nós o desejo
do homem natural desaparecerão e plo maravilhoso de como reagir à adversi- de ser como Ele, de ter Sua amizade.”
serão substituídos pelo coração e dade! (David O. McKay, Conference Report,
mente de Cristo.32 Nós nos tornare- 11. Alguns sentimentos que destroem abril de 1951, pp. 93 e 98.) Se você pensar
mos como Ele, e então realmente O o amor e a paz incluem, mas não se limi- em Cristo o bastante, começará a agir
receberemos.33 tam aos que se seguem: Medo, perfeccio- como Ele. Se você agir como Ele tempo
O profeta do Senhor ama vocês, nismo, inveja, insubordinação, dúvida, suficiente, irá tornar-se exatamente como
como todos esses Irmãos. Que o raiva, ciúme, domínio injusto, descrença, o Senhor.
Senhor nos abençoe para que “o impaciência, julgamento, mentira, orgu- 34. Alma 37:36.
afeto do [nosso] coração seja posto lho, contenda, murmúrio, competição, 35. Alma 33:23.

J U L H O D E 2 0 0 2
93
Sentir o Amor
do Senhor
Bonnie D. Parkin
Presidente Geral da Sociedade de Socorro

Meu maior desejo é que toda mulher desta Igreja sinta o amor
do Senhor em sua vida.

meus filhos e suas respectivas espo-


sas que têm contribuído para que se
tornem homens mais dignos. Sou
grata por meus netos. Outro dia, à David e sua mulher, Jennifer, que
noite, fomos à casa de um dos nos- residem na Bélgica. David disse:
sos filhos para contar-lhe sobre este “Mãe, sei que você conseguirá.
chamado. As crianças já estavam na Talvez você não se lembre, mas cos-
cama. Disse a Brett e Angie: “Fui tumava ter uma escritura pregada
chamada para ser a Presidente Geral na geladeira que dizia: ‘Mas eu e
da Sociedade de Socorro”. Brett minha casa serviremos ao Senhor’.
disse: “Você? Presidente Geral da (Josué 24:15)” Disse também: “Eu
Sociedade de Socorro da Igreja vivia abrindo e fechando a porta da
inteira?” Os filhos não são maravi- geladeira e sabia que você e o papai
lhosos? Ele disse exatamente o que realmente agiam de acordo com essa
eu estava sentindo nas últimas escritura”. Sou tão grata por nossos
semanas. filhos!
Ontem, quando chegamos em Agradeço pelas irmãs da Igreja

I rmãos e irmãs, ouvimos as pes-


soas dizerem: “Se você quer
crescer, agarre toda boa oportu-
nidade”. Sei que vou crescer com
este chamado. Gostaríamos de agra-
casa, havia um fax de nosso filho que me orientaram, amaram,

decer à Síster Smoot, Síster Dew e


Síster Jensen pelo grande trabalho
que realizaram por todas nós como
membros da Igreja. Agradeço a
Kathy e Anne, minhas conselheiras,
por sua boa vontade em servir. Elas
são mulheres de fé.
Sou tão grata hoje por minha
mãe e meu pai, pelos ensinamentos
que me deram, por seu amor, por
terem-me ensinado a trabalhar. Eu
realmente sei como trabalhar. Sou
grata a meu marido. Jim é um com-
panheiro maravilhoso. Eu o amo e
sou grata por seu apoio. Ele é um
homem de integridade. Sou grata a
A L I A H O N A
94
ensinaram e acreditaram em mim.
Sou grata pelos missionários da
Missão Inglaterra Londres Sul por
sua retidão, pelo modo como cum-
A Oportunidade
prem seus convênios. Agradeço aos
santos britânicos que me amaram e
ajudaram-me a fazer parte daquela
de Servir
grande nação. Élder Gerald N. Lund
Irmãos e irmãs, não sei porque fui Dos Setenta
chamada, mas sei que fui chamada
pelo Senhor. Prometo a vocês que
lhes darei meu amor e meu apoio,
mas peço-lhes que sejam pacientes
enquanto aprendo a cumprir meu Sei quão profundamente Ele nos ama e como esse amor nos
novo chamado.
Convido as jovens adultas da motiva a agir como Ele deseja.
Igreja, onde quer que se encontrem,
a olhar para a Sociedade de Socorro profeta diz o quanto gostaria de ter a
e a verem que são necessárias lá, que voz de um anjo. Em seguida, ele se
nós as amamos, que podemos passar arrepende de ter tido esse desejo e no
uma época maravilhosa juntas. Por versículo quatro faz uma extraordiná-
favor, venham, fiquem conosco. ria declaração. Diz que temos de ter
Como Wallace Stegner escreveu a cuidado com o que desejamos, pois o
respeito dos mórmons, “as mulheres Senhor concede aos homens de
mórmons eram extraordinárias”. E acordo com os desejos de seu cora-
continuam extraordinárias até hoje. ção. Em seguida, lê-se o que foi para
Sei que o Senhor ama as mulheres mim uma afirmação assombrosa:
da Igreja. Meu maior desejo é que “Sejam eles para a salvação ou para a
toda mulher desta Igreja sinta o destruição”. Deus nos concederá o
amor do Senhor em sua vida. Tenho que desejarmos de acordo com nossa
sentido o amor do Senhor em minha vontade. (Ver Alma 29:1–5.)
vida e sou tão grata por isso. Fui para casa naquele dia pen-
Agradeço a paz que tenho sentido. sando, não que quaisquer dos meus
Testifico do meu Salvador Jesus desejos fossem errados, mas percebi,
Cristo. Sei que Ele vive. Tenho sen- naquele momento, que aqueles
tido Seu amor, seu perdão. Lembro-
me de uma missionária quando
partiu para o campo missionário. Em
seu testemunho de despedida, ela
disse: “Vou para esta missão para
D epois de 34 anos no Sistema
Educacional da Igreja,
minha mulher e eu decidi-
mos nos aposentar há uns três anos e
trilhar caminhos diferentes na vida.
desejos eram meus. Naquele dia,
comecei a tentar mostrar ao Senhor
que meu desejo era cumprir os Seus
desejos. Naquela hora, eu achava
que era isso mesmo o que eu queria,
mostrar ao Pai Celestial que O amo, Começamos então a fazer planos. mas aprendi que falar é fácil, difícil é
para mostrar minha gratidão e pagar Mudamos de residência para ficar colocar em prática algo assim. Como
a dívida que tenho com Ele”. Disse mais perto dos filhos e dos netos. disse ontem o Élder Maxwell, só
também: “Nunca estive tanto em Comecei a desenvolver o que para quando realmente entregamos nosso
débito com o Senhor como agora”. mim eram projetos maravilhosos. coração a Deus é que Ele pode
Presto testemunho do poder do Alguns eu considerava absoluta- começar a acelerar a purificação, a
profeta de Deus, o Presidente mente brilhantes. Então deparamo- santificação e o processo de aperfei-
Gordon B. Hinckley, e sou grata por nos com um daqueles momentos çoamento. (Ver Helamã 3:35.)
ele, por seu amor e por todos os pro- cruciais da vida em que tudo muda. Vimos que nos três anos que se
fetas que tiveram confiança em mim. Naquela época, tínhamos o privi- seguiram o Senhor fez com que tri-
Testifico isso em nome de Jesus légio de morar em frente ao Élder F. lhássemos caminhos muito diferen-
Cristo. Amém.  Enzio Busche, hoje membro emérito tes do que pensávamos, e este
dos Setenta, e sua mulher. Um dia, o chamado é o caminho mais recente
NOTAS Élder Busche falou em nosso quórum que Ele nos indicou.
1. The Gathering of Zion: The Story of de sumos sacerdotes e citou uma Outro dia, depois que o
the Mormon Trail (1964), p. 13. escritura no Livro de Alma onde esse Presidente Hinckley chamou a mim
J U L H O D E 2 0 0 2
95
tive o privilégio de passar cerca de
10 anos fazendo um estudo pro-
fundo e extenso de sua vida, do que
ele escreveu e ensinou, bem como
daqueles que o conheceram e ama-
ram, e aprendi que Joseph foi o pro-
feta dos profetas, aquele que foi
digno de realizar a Restauração
desta grande e última dispensação.
Aprendi também com toda a certeza
que as chaves que ele restaurou
continuam intactas hoje e estão
agora em poder do nosso profeta
vivo, Gordon B. Hinckley.
Mais uma vez, regozijamo-nos
com esta oportunidade de servir.
Sentimo-nos profundamente humil-
des e imensamente honrados. Deixo
este testemunho com vocês em
nome de Jesus Cristo. Amém. 

Abaixo: O interior do vestíbulo


do Centro de Conferências.

e a minha mulher, eu estava lendo anos e não sabia lá grande coisa, o


Deuteronômio e encontrei um versí- Espírito tocou meu coração e per-
culo no 12º capítulo que achei cebi a importância que há na
muito significativo. O versículo é mulher com quem você se casa. A
um mandamento, e diz: “E perante partir dessa época, comecei a orar
o Senhor teu Deus te alegrarás em para que o Senhor me ajudasse a
tudo em que puseres a tua mão”. encontrar a mulher que seria minha
(Deut. 12:18) Somos gratos pelo companheira eterna. Essas orações
privilégio de nos alegrar no Senhor foram respondidas e tudo o que des-
com esta nova oportunidade. frutamos de bom hoje em nossa
Desde que começamos a trilhar família com nossos filhos e netos é
esses caminhos, temos comprovado em grande parte por causa dela.
o quanto o Senhor é verdadeira- Sei que Jesus é o Cristo, que Sua
mente misericordioso, sei quão pro- misericórdia e a de Seu Pai são infi-
fundamente Ele nos ama e como nitas e nunca terminam, mesmo
esse amor nos motiva a agir como quando não as merecemos. Sempre
Ele deseja. Quando eu tinha 16 amei o Profeta Joseph Smith, mas
A L I A H O N A
96
como o Presidente Packer e todos os

Aonde Doze como profetas, videntes e


reveladores. Presto testemunho de
que eles realmente são profetas,

Mandares Irei videntes e reveladores.


Eu amo o Senhor. Amo esta
Igreja. Amo os santos fiéis do
Élder William R. Walker
mundo todo, pessoas maravilhosas
Dos Setenta que fazem tudo o que podem para
honrar seus compromissos e viver
sua religião. Presto testemunho
de que Deus vive e que Jesus Cristo,
Seu Filho, é nosso Salvador e
Eu O amo. Quero fazer tudo o que puder para servir como Ele Redentor. Eu O amo. Quero fazer
tudo o que puder para servir
deseja que eu sirva. como Ele deseja que eu sirva.
Digo essas palavras e presto meu
Presidente Gordon B. Hinckley e testemunho da veracidade dessas
seus conselheiros, Presidente coisas em nome de Jesus Cristo.
Monson e Presidente Faust, bem Amém. 

Participantes da conferência encontram-se no lado de fora de uma das


entradas do Centro de Conferências.

Q ueridos irmãos e irmãs, é


com grande humildade e
profundo respeito que
ocupo este lugar sagrado. Quando
eu era menino e morava em
Raymond, Alberta, Canadá, ado-
rava quando cantávamos “Aonde
Mandares Irei” (ver Hinos, nº 167).
Toda vez que cantávamos esse hino
numa reunião sacramental ou na
Escola Dominical, essas palavras
intensificavam em meu coração e
minha alma o compromisso de sem-
pre ir aonde o Senhor quisesse me
mandar, de dizer o que Ele achasse
melhor eu dizer; “Tal como manda-
res, serei”, querido Deus. Parece
oportuno reafirmar esse compro-
misso hoje.
Sou grato pelo voto de apoio de
ontem, e junto com vocês apóio o
J U L H O D E 2 0 0 2
97
E ele, despertando, repreendeu o

As Coisas Pacíficas vento, e disse ao mar: Cala-te,


aquieta-te. E o vento se aquietou, e
houve grande bonança.” (Marcos

do Reino 4:37–39)
Vocês podem imaginar o que os
apóstolos devem ter sentido quando
Élder M. Russell Ballard
viram os vários elementos — o
Do Quórum dos Doze Apóstolos vento, a chuva e o mar — obedece-
rem ao calmo comando do Seu
Mestre? Embora tivessem acabado
de ser chamados ao santo aposto-
lado, eles O conheciam e O ama-
A paz — a verdadeira paz, que penetra em nossa alma com toda vam, e criam Nele. Haviam deixado
sua família e seu trabalho para
a força — vem apenas na fé e por meio da fé no Senhor Jesus segui-Lo. Em um tempo relativa-
Cristo. mente curto, tinham-No ouvido
ensinar coisas inacreditáveis, e
dias desalentadores para os filhos de tinham-No visto realizar poderosos
Israel. Trabalhando arduamente sob milagres. Mas aquilo estava aquém
o domínio do Império romano, eles de sua compreensão, e o olhar em
ansiavam por liberdade e paz. seu rosto deve ter mostrado isso.
Esperavam o Messias; estavam cer- “E disse-lhes: Por que sois tão
tos de que Ele viria resgatá-los da tímidos? Ainda não tendes fé?
opressão física e política. E alguns E sentiram um grande temor, e
aceitaram o evangelho de felicidade diziam uns aos outros: Mas quem é
e paz do Salvador, mesmo não apre- este, que até o vento e o mar lhe
ciando ainda todas as suas implica- obedecem?” (Marcos 4:40–41)
ções espirituais. Em tempos de turbulência e
Em certo dia, no início do minis- temor, a promessa de paz infinita e
tério mortal do Senhor, uma grande eterna do Salvador ressoa sobre nós
multidão O seguiu ao mar da com um poder especial, da mesma
Galiléia, e ajuntou-se ao Seu redor, maneira que Sua habilidade de acal-
ficando Ele no mar. “E (. . .) entrou mar as ondas deve ter afetado pro-
e assentou-se num barco, sobre o fundamente aqueles que estavam
mar; e toda a multidão estava em com Ele no mar da Galiléia naquela

I rmãos e irmãs, permitam-me, em


nome de todos, expressar a grati-
dão também à presidência da
Sociedade de Socorro e sua junta,
que tão bem nos serviram e que
terra junto do mar. E ensinava-lhes
muitas coisas por parábolas.”
(Marcos 4:1–2)
Grandes e maravilhosas coisas
foram ensinadas naquele dia,
noite tempestuosa há muito tempo.
Como aqueles que viviam na
época de Seu ministério mortal, há
alguns entre nós que procuram a paz
física e a prosperidade como sinais do
foram recentemente desobrigadas. incluindo a parábola do semeador. assombroso poder do Salvador. Às
Mais uma vez estamos chegando ao (Ver Marcos 4:3–20.) Ao fim de um vezes não conseguimos compreender
fim de outra conferência geral enalte- dia inteiro de ensinamentos e ins- que a paz duradoura que Jesus pro-
cedora e inspiradora. Sinto-me sempre truções, o Senhor sugeriu aos Seus mete é uma paz interior, nascida pela
bastante revigorado e iluminado discípulos que atravessassem para o fé, ancorada pelo testemunho,
durante esses dias maravilhosos de outro lado do mar da Galiléia. nutrida pelo amor, e expressa pela
ensino e testemunho. Sei que a maio- Enquanto navegavam naquela contínua obediência e arrependi-
ria de vocês sentem o mesmo. Talvez o noite, “(. . .) levantou-se grande mento. É uma paz de espírito que
que sentimos durante a conferência temporal de vento, e subiam as ecoa em nosso coração e alma.
seja semelhante ao sentimento que os ondas por cima do barco, de Quando se experimenta e se conhece
primeiros discípulos do Salvador expe- maneira que já se enchia. esta paz interior, não há temor pela
rimentaram ao segui-Lo de um lugar a E ele estava na popa, dormindo desarmonia e discórdia do mundo.
outro para ouvi-Lo ensinar as Boas sobre uma almofada, e despertaram- Sabe-se, no fundo do coração, que
Novas do Seu Evangelho. no, dizendo-lhe: Mestre, não se te tudo está bem considerando - se
De muitas maneiras, esses foram dá que pereçamos? aquilo que realmente importa.
A L I A H O N A
98
Como o Presidente Hinckley ins- aquele processo glorioso, porém ter- descoberta e os princípios do evan-
truiu aos portadores do sacerdócio na rível, da Expiação, o Senhor Jesus gelho são compreendidos e aplica-
noite passada, não há paz no pecado. Cristo fez esta importante promessa dos, uma grande paz pode destilar-se
Pode haver comodidade, populari- aos Seus apóstolos: “Deixo-vos a no coração e na alma dos filhos do
dade, fama e mesmo prosperidade, paz, a minha paz vos dou (. . .).” Pai Celestial. Disse o Salvador por
mas não há paz. “Iniqüidade nunca (João 14:27) intermédio de Joseph Smith: “(. . .)
foi felicidade.” (Alma 41:10) Estava Ele prometendo aos Seus aquele que pratica as obras da reti-
Ninguém pode estar em paz se esti- discípulos o tipo de paz que o mundo dão receberá sua recompensa, sim,
ver vivendo uma vida em desarmo- reconhece como a segurança, a paz neste mundo e vida eterna no
nia com a verdade revelada. Não ausência de disputas ou tribulações? mundo vindouro.” (D&C 59:23)
existe paz em ter um espírito mau ou Certamente o registro histórico É surpreendente notar a diferença
contencioso. Não há paz na vulgari- sugeriria outra coisa. Aqueles pri- que essa paz pode fazer na vida
dade, promiscuidade ou permissivi- meiros apóstolos experimentaram daqueles que a aceitam. Quando
dade. Não há paz no vício em drogas, muitas provações e perseguições pelo estava presidindo a Missão Canadá
álcool ou pornografia. Não há paz em restante da sua vida, o que provavel- Toronto, há muitos anos, nossos mis-
abusar das pessoas de qualquer mente fez com que o Senhor acres- sionários começaram a ensinar uma
forma, seja emocional, física ou centasse à Sua promessa de paz: família que estava em escuridão espi-
sexualmente, pois aqueles que têm “Não vo-la dou como o mundo a dá. ritual. Eram pessoas pobres e incul-
tal comportamento permanecerão Não se turbe o vosso coração, nem tas, e seu aspecto refletia a falta de
num tormento mental e espiritual até se atemorize.” (João 14:27) apreciação ou preocupação com a
que venham a Cristo com toda “Tenho-vos dito isto, para que higiene e a aparência pessoal. Mas
humildade e busquem perdão por em mim tenhais paz; no mundo eram pessoas boas e honradas — de
meio do completo arrependimento. tereis aflições, mas tende bom “coração honesto”, como as que ora-
Creio que, vez por outra, todos ânimo, eu venci o mundo.” (João mos sempre para que os missionários
ansiamos pela “paz de Deus, que 16:33; ênfase do autor) encontrem — e reagiram com espiri-
excede todo o entendimento”. A paz — a verdadeira paz, que tualidade ao sentirem, pela primeira
(Filipenses 4:7) A paz que acalma penetra em nossa alma com toda a vez em sua vida, a paz que o evange-
nosso coração perturbado só nos força — vem apenas na fé e por lho oferece.
vem quando seguimos o Espírito de meio da fé no Senhor Jesus Cristo. Ao sabermos que iriam ser batiza-
Cristo, que é “concedido a todos os Quando essa preciosa verdade é dos, a Síster Ballard e eu fomos
homens, para que eles possam dis-
tinguir o bem do mal” (Morôni
7:16), pois leva-nos ao arrependi-
mento pelos pecados e à busca do
perdão. Todos nós sofremos a
mesma fome de conhecer “as coisas
pacíficas do reino” (D&C 36:2), e
de provar “o fruto da justiça” que
“semeia-se na paz, para os que exer-
citam a paz”. (Tiago 3:18) Em cada
lar, vizinhança e comunidade deve-
mos lutar pela paz, e nunca sermos
partidários da contenção ou divisão.
Nas histórias das escrituras, o
Senhor prometeu paz aos Seus
seguidores. O salmista escreveu que
“O Senhor dará força ao seu povo; o
Senhor abençoará o seu povo com
paz”. (Salmos 29:11) Isaías referiu-
se ao Salvador como “o Príncipe da
Paz”. (Isaías 9:6) Néfi previu o dia
em que, entre seus descendentes, “o
Filho da Retidão [aparecer-lhes-ia]
e [curá-los-ia]; e eles [teriam] paz
com ele”. (2 Néfi 26:9)
Algumas horas antes de iniciar
J U L H O D E 2 0 0 2
99
assistir à reunião batismal. Eu estava para que eles fossem à reunião sacra- Novamente citando as profecias
ao lado do bispo da ala quando a mental vestidos adequadamente. de Isaías: “E todos os teus filhos
família chegou. Com toda sinceri- Eles sentaram-se com os missio- serão ensinados do Senhor; e a paz
dade, devo dizer-lhes que foi uma nários, e a luz do evangelho literal- de teus filhos será abundante.”
visão constrangedora. Eles estavam mente irradiava deles. Alma (Isaías 54:13)
despenteados, sujos e amarrotados. descreve isso como “[receber] a ima- Uma vez que tenhamos experi-
O bispo estivera fora da cidade por gem [de Deus] em vosso semblante”. mentado o doce fruto da paz de
algum tempo, por isso não conhecera (Ver Alma 5:14.) Curvei-me de lado Deus, estaremos naturalmente pro-
ainda os mais novos membros da sua para falar com o bispo: “Viu, bispo? pensos a compartilhá-lo com outros.
ala; assim, sua primeira impressão, Faremos deles verdadeiros santos!” Francisco de Assis, conhecido como
foi no mínimo, decepcionante. Naturalmente a transformação o “que amava toda a Criação”, viveu
Cumprimentou-os amavelmente, física ocorrida de um dia para o outro a maior parte de sua vida minis-
mas assim que se afastaram, imaginei fora meramente superficial, quando trando aos pobres e necessitados
ter visto suas pernas bambearem. comparada à transformação espiri- que estavam perto dele — inclusive
Pus meu braço sobre o ombro tual extremamente mais importante, os animais. A paz que encontrou em
desse querido bispo para oferecer- que ocorreu com aquela família, à sua obra, encheu-o de energia e fê-
lhe meu apoio — tanto físico como medida que o evangelho penetrou lo almejar que outros a tivessem. Ele
espiritual. Fui inspirado a dizer-lhe: completamente em seu coração e em escreveu:
“Bispo, não é maravilhoso? Podemos sua vida. Por meio da orientação dos
transformá-los em bons santos dos missionários e do subseqüente com- Senhor, fazei de mim um instru-
últimos dias!” panheirismo do seu bom bispo e dos mento da vossa paz.
Ele olhou para mim e sorriu. Não membros da ala, essa família toda Onde houver ódio, que eu leve amor.
sabia se estava sorrindo porque con- emergiu da escuridão espiritual para Onde houver ofensa, que eu leve o
cordava comigo, ou porque pensava a luz e verdade do evangelho. Nesta perdão.
que eu fosse mais um missionário luz, a família foi aquecida, revigorada Onde houver dúvida, que eu leve a fé.
super-entusiasmado. e revitalizada pela paz que advém do Onde houver desespero, que eu leve
A reunião batismal prosseguiu e a conhecimento de que o Senhor Jesus a esperança.
família foi batizada. No dia seguinte, Cristo vive. A luz das verdades do Onde houver trevas, que eu leve a luz.
decidimos assistir a reunião naquela evangelho restaurados à Terra por E onde houver tristeza, que eu leve
ala para assegurar que aquela família intermédio do Profeta Joseph Smith a alegria.
fosse bem recebida nas reuniões da começou a mostrar a essa família o Oh Mestre, fazei que eu procure mais
Igreja, como membros novos. caminho para o templo, onde eles Consolar que ser consolado;
Quando a família chegou à capela receberam, um ano depois, suas bên- Compreender que ser compreendido;
para a reunião sacramental, eu çãos eternas. Amar que ser amado.
estava sentado próximo ao bispo, no
púlpito. O pai estava usando uma O Presidente Hinckley usa sua bengala para saudar a congregação
camisa branca, limpa. Não era larga no Centro de Conferências, observado pelo Presidente Monson, Primeiro
o bastante para permitir que ele Conselheiro na Primeira Presidência.
pudesse abotoar o último botão no
colarinho, e ele estava usando uma
gravata que eu sabia ter visto em um
de meus élderes. Mas seu rosto
estava radiante de felicidade e paz. A
mãe e as filhas pareciam ter sido
transformadas de um dia para o
outro. Seus vestidos não eram luxuo-
sos, mas estavam limpos e graciosos.
Elas também tinham aquele brilho
especial do evangelho. Os meninos
usavam camisas brancas muito maio-
res que seu tamanho, com as mangas
enroladas; e suas gravatas estendiam-
se quase abaixo dos joelhos. Era
óbvio que os missionários tinham
colocado suas próprias camisas bran-
cas e gravatas naqueles meninos,
A L I A H O N A
100
Pois é dando que se recebe;
É perdoando que se é perdoado,
E é morrendo que se vive para a
vida eterna.
Voltamo-nos
Em mais de uma ocasião, o Senhor
pediu aos Seus seguidores que fossem
para Cristo
“pacificadores”, prometendo que Presidente Gordon B. Hinckley
estes seriam “chamados filhos de
Deus”. (Mateus 5:9) Este conceito é
encontrado várias vezes nas escritu-
ras, tecendo um padrão de paz por
meio de parábolas e proclamações:
■ “Concilia-te depressa com o teu
Assim como brilha a estrela polar no céu, (. . .) lá permanece o
adversário” (Mateus 5:25); Redentor do mundo, o Filho de Deus, firme e seguro como a
■ “Amai a vossos inimigos”
âncora de nossa vida imortal.
(Mateus 5:44);
■ “Não julgueis” (Mateus7:1);
■ “Amarás o teu próximo como a

ti mesmo” (Mateus 22:39); Estamos chegando ao fim desta


■ “Não condeneis” (Lucas 6:37); grande conferência. Desfrutamos de
■ “Soltai” [ou perdoai] (Lucas um magnífico banquete à mesa do
6:37); Senhor. Fomos instruídos em Seus
■ “Ameis uns aos outros.” (João caminhos conforme Seu padrão.
13:34) Cada um de nós deve ter-se tor-
Essas são algumas das indicações nado um pouco melhor com esta
dadas claramente nas escrituras de valiosa experiência. Do contrário,
que a paz de Deus não deve ser nossa reunião terá sido lamentavel-
armazenada. Em vez disso, ela deve mente em vão.
ser compartilhada deliberadamente Ao término deste discurso, o
com nossa família, nossos amigos e Coro irá cantar
nossa comunidade. Deve ser com-
partilhada com a Igreja bem como “É tarde, a noite logo vem —
com os que não são membros dela. O dia declinou!
Enquanto os que conviverem A sombra vespertina, além,
conosco não escolherem provar Nos vales já tombou.
a doce paz da plenitude do Em minha casa vem ficar:
evangelho restaurado por si mesmos,
certamente serão abençoados por
vê-la em nossa vida e sentir a
presença da paz do evangelho em
nós. A mensagem da paz crescerá e
A mados irmãos e irmãs, eu
também gostaria de expres-
sar meu sincero agradeci-
mento pelo extraordinário serviço
prestado pela irmã Smoot, irmã
Habita no meu lar.
Ó Salvador, vem ao meu lar!
Comigo vem morar.
Ó Salvador, vem ao meu lar!
Comigo vem morar”.
se espalhará por meio do nosso Jensen, irmã Dew e toda a junta, (“É Tarde, a Noite Logo Vem”,
exemplo. que serviram tão fielmente e tão Hinos, nº 96)
“Vivei em paz”, disse o Apóstolo bem nessa esplêndida organização
Paulo, “e o Deus de amor e de paz das mulheres. É uma sociedade Essas palavras resumem muito
será convosco.” (II Coríntios 13:11) maravilhosa, uma força de 4.900.000 bem o sentimento do nosso coração,
Sou grato por poder testificar a mulheres. Nada se iguala a ela, ao regressarmos ao nosso lar.
vocês que Jesus Cristo é o Filho de creio, no mundo, e é impressionante Que o Espírito do Senhor nos
Deus, e que ao segui-Lo, com fé e o modo como influencia excepcio- acompanhe e permaneça conosco.
confiança, todos podem encontrar a nalmente a vida das mulheres em Não sabemos o que nos espera. Não
doce paz interior que o evangelho todos os cantos da Terra. Muito sabemos o que os próximos dias nos
oferece, como nos foi ensinado obrigado, queridas irmãs, por tudo o reservam. Vivemos em um mundo
durante essa conferência. Disso tes- que fizeram. Bem-vindas, irmã de incertezas. Para uns, haverá gran-
tifico em nome de Jesus Cristo. Parkin e suas conselheiras, e a junta des realizações. Para outros, decep-
Amém.  que irão selecionar. ções. Para alguns, muita alegria,
J U L H O D E 2 0 0 2
101
Ao ponderar sobre Sua vida inconfundivelmente sobre essa
incomparável, dizemos com o grande visão. Fora uma visão do
Profeta Isaías: Todo-Poderoso e do Redentor do
“Ele tomou sobre si as nossas mundo, gloriosa além da nossa com-
enfermidades, e as nossas dores preensão, mas certa e inequívoca
levou sobre si (. . .). quanto ao conhecimento que
(. . .) Ele foi ferido por causa das trouxe. É com base nesse conheci-
nossas transgressões, e moído por mento, enraizado no solo profundo
causa das nossas iniqüidades; o cas- da revelação moderna, que nós,
tigo que nos traz a paz estava sobre segundo as palavras de Néfi, “fala-
ele, e pelas suas pisaduras fomos mos de Cristo, regozijamo-nos em
sarados”. (Isaías 53:4–5) Cristo, pregamos a Cristo, profetiza-
Na grande batalha que foi tra- mos de Cristo e escrevemos de
vada no céu, Lúcifer, o filho da acordo com nossas profecias para
manhã, apresentou um plano, que que [nós e] nossos filhos [saibamos]
foi rejeitado. O Pai de todos nós, em que fonte procurar a remissão de
felicidade, boa saúde e um viver por amor a nós, Seus filhos, ofere- [nossos] pecados”. (2 Néfi 25:26)
tranqüilo. Para outros, quem sabe, ceu um plano melhor, segundo o E assim, meus irmãos e irmãs, ao
a doença, e algumas tristezas. Nós qual teríamos a liberdade de esco- nos despedirmos de vocês por
não sabemos. Mas uma coisa é lher o curso de nossa vida. Seu algum tempo, repetimos nosso
certa: assim como brilha a estrela Filho Unigênito, nosso Irmão Mais testemunho firme e duradouro.
polar no céu, independentemente Velho, era a parte mais importante Fazemos isso como indivíduos que
do que o futuro nos reserva, lá per- desse plano. Os homens teriam o têm um conhecimento firme e
manece o Redentor do mundo, o arbítrio, e com esse arbítrio, viria a seguro. Como já lhes disse muitas
Filho de Deus, firme e seguro como responsabilidade. O homem seguiria vezes antes, e digo novamente
a âncora de nossa vida imortal. Ele os caminhos do mundo e pecaria, agora, sei que Deus, nosso Pai
é a rocha de nossa salvação, nossa tropeçaria. Mas o Filho de Deus Eterno, vive. Ele é o grande Deus
força, nosso consolo, o centro de nasceria na carne, e ofereceria a Si do universo. Ele é o Pai de nosso
nossa fé. mesmo em sacrifício para expiar espírito, com quem podemos con-
No brilho do sol ou nas sombras, pelos pecados de todos os homens. versar em nossas orações.
voltamo-nos para Ele, e Ele lá está Por meio de sofrimento indizível ele Sei que Jesus Cristo é Seu Filho
para nos infundir confiança e sorrir Se tornaria o grande Redentor, o Unigênito, o Redentor do mundo,
para nós. Salvador da humanidade. que deu Sua vida para que pudésse-
Ele é o ponto central de nossa Com um pequeno entendimento mos ter a vida eterna, e que
adoração. Ele é o Filho do Deus Vivo, desse dom incomparável, o maravi- governa e reina com Seu Pai. Sei
o Primogênito do Pai, o Unigênito na lhoso dom da redenção, curvamo- que Eles são Seres individuais, sepa-
carne, que deixou as cortes celestes nos em reverente amor diante Dele. rados e distintos um do outro, e,
nas alturas para nascer como um ser Como Igreja, temos recebido crí- apesar disso, iguais em forma, subs-
mortal, sob as mais humildes circuns- ticas, muitas delas. Elas dizem tância e propósito. Sei que é a obra
tâncias. Sobre a solidão de Sua vida que não acreditamos no Cristo tra- do Todo-Poderoso “levar a efeito a
Ele disse: “As raposas têm covis, e as dicional da cristandade. Há substân- imortalidade e vida eterna do
aves do céu têm ninhos, mas o Filho cia no que elas dizem. Nossa fé, homem”. (Moisés 1:39.) Sei que
do homem não tem onde reclinar a nosso conhecimento, não se baseia Joseph Smith foi um profeta, o
cabeça”. (Mateus 8:20) Ele “andou nas antigas tradições, em credos ori- grande profeta desta dispensação,
fazendo bem”. (Atos 10:38) ginados de uma compreensão limi- por intermédio do qual essas verda-
Era um homem de milagres. tada e das quase infindáveis des nos foram dadas. Sei que esta
Estendeu a mão aos que se encon- discussões dos homens que tentam Igreja é a obra de Deus, presidida e
travam em aflição. Curou os chegar a uma definição do Cristo dirigida por Jesus Cristo, cujo nome
doentes e levantou os mortos. E ressurreto. Nossa fé, nosso conheci- santo ela traz.
apesar de todo o amor que trouxe mento, provém do testemunho de Dessas coisas eu testifico solene-
ao mundo, foi “rejeitado e despre- um profeta nesta dispensação que mente, ao deixar com vocês,
zado entre os homens; homem viu pessoalmente o grande Deus do meus amados irmãos, meu amor e
de dores, e experimentado nos universo e Seu Filho Amado, o minha bênção, no nome sagrado
trabalhos: (. . .) Era desprezado” e Senhor Jesus Cristo ressurreto. Eles de Jesus Cristo. Amém. Que Deus
não [fizeram] dele caso algum. falaram com ele e ele falou com Eles. os guarde até que nos encontremos
(Isaías 53:3) Ele testificou aberta, inequívoca e novamente. 
A L I A H O N A
102
Reunião Geral das Moças Imaginem a sua solidão! Ainda
30 de Março 2002 assim, seu belo testemunho e conse-
lho, contidos no último capítulo do

Permanecer em
Livro de Mórmon contam-nos que
ele estava em companhia de anjos e
do Espírito Santo. Não estava intei-
ramente só. O Espírito Santo afasta

Lugares Santos de nós os tormentos e as dores cau-


sadas pela solidão, isolamento ou
rejeição, e preenche-nos com a paz.
Sharon G. Larsen Ele é chamado o Consolador — e é
Segunda Conselheira na Presidência Geral das Moças exatamente isso!
É possível que os momentos mais
solitários sejam aqueles em que esta-
mos rodeados por pessoas, amigos
que estão fazendo escolhas erradas, e
Permanecer em lugares santos é saber como devemos ficamos sozinhos. Existem lugares
que não são seguros para vocês,
nos comportar, estando sozinhos ou acompanhados. mesmo que queiram ajudar alguém
necessitado. O Senhor nos disse para
sozinhos ou no meio de uma multi- ficarmos em lugares santos. Há luga-
dão. Quando tomamos a decisão de res onde o Espírito jamais estará pre-
controlar nossos pensamentos e ações sente. Vocês sabem quais são esses
e decidimos ser o melhor que pode- lugares. Afastem-se deles. Não dêem
mos, o melhor da vida virá até nós. lugar a uma curiosidade que certa-
Um lugar santo é onde nos senti- mente será interrompida. Prestem
mos a salvo, seguros, amados e con- atenção nos seus sentimentos e vocês
fortados. Igual a quando estávamos saberão identificar se o sentimento é
em nosso lar celestial. Permanecer de insegurança ou desconforto.
em lugares santos e estar em boa A irmã Heather contou-nos a
companhia trazem-nos de volta sen- experiência de ser convidada para ir
timentos e lembranças daquele lar a uma festa com a turma “popular”
que um dia deixamos, o lar que às da sua escola. Ao entrar, a música
vezes nos parece tão distante. ressoava pela casa de maneira tão
Dois anos e meio depois da orga- alta que afetou seu espírito. Sentiu-
nização da Igreja, o Senhor avisou se mal. Então seus amigos começa-
Joseph Smith das guerras, fome e ram a desaparecer nos aposentos
pragas que aconteceriam por causa escuros. Heather disse: “Naquela

E ra noite de quinta-feira, noite


em que mamãe e papai costu-
meiramente iam oficiar no
Templo de Cardston. Eu era adoles-
cente, assim como vocês. Vovó, que
da maldade dos homens. Depois Ele
nos disse como ficaríamos em segu-
rança em meio a esse mundo:
“Permanecei em lugares santos e
não sejais movidos até que venha o
festa, logo me dei conta de que teria
que optar entre aquelas pessoas e os
meus padrões. Não podia ficar com
os dois. Eu não queria ouvir as pala-
vras que eram pronunciadas ali nem
morava conosco, tinha saído e então dia do Senhor”. (D&C 87:8) deixar meus pensamentos serem
ficaria sozinha em casa. Ao saírem, Em lugares santos somos protegi- contaminados pelas cenas daqueles
papai abraçou-me e disse: “Sharon, dos de quase toda perturbação filmes, não importa o quão popula-
fique em boa companhia”. que assola o mundo. Os anjos pode- res as pessoas fossem. Sabia que
Pensei: “O que ele quis dizer com rão nos acompanhar e suster. aquele não era o meu lugar.
isso? Será que ele não sabe que esta- (Ver D&C 84:88.) O grande pro- Enquanto aguardava a chegada de
rei sozinha”? Então concluí que tinha feta Morôni estava cercado pela minha mãe, que me vinha buscar,
sido isso mesmo que ele quis dizer. maldade e os lamanitas estavam olhei pela janela a escuridão da
Permanecer em lugares santos é prontos para eliminar qualquer coisa noite e vi, reluzente como um farol,
saber como devemos nos comportar, que surgisse em seu caminho. Já o templo. Era como se o Senhor
estando sozinhos ou acompanhados. haviam assassinado todos os nefitas, estivesse me reafirmando que havia
É freqüentar lugares onde o Espírito exceto Morôni, que estava sozinho, tomado a decisão correta”. (Usado
Santo possa fazer-nos companhia — escondido por quase vinte anos. com permissão, nome fictício.)
J U L H O D E 2 0 0 2
103
Permanecer em lugares santos Nossa filha trouxe umas coisas de limpam a casa para uma amiga idosa,
ajuda-nos a ser santos, mas isso é um comer para tranqüilizar seus três essas coisas trazem sentimentos de
atributo cuja aquisição requer prática. filhinhos durante a reunião sacra- altruísmo, sacrifício e santidade.
Pratiquem ouvir ao Espírito e ser obe- mental. Quando o sagrado emblema Haverá ocasiões em que o Espírito
dientes. Pratiquem ser moralmente sacramental do pão estava passando, sussurrará que você pode melhorar o
puras. Pratiquem ser reverentes Jake, de três anos, sussurrou em meu lugar onde se encontre. A cidade
quanto a coisas sagradas. O Senhor ouvido: “Diga-lhes que não precisa- russa de Omsk, na Sibéria, pareceu-
nos disse para nos achegarmos a Ele, e mos desse pão. Já trouxemos nosso me fria e árida, até que ouvi um
Ele nos tornará santos. (D&C 60:7) próprio lanche”. Para um menino de grupo de moças e rapazes cantando
Permitam que Ele as envolva em amor, três anos, tudo o que ele enxergava “Grandioso És Tu” em seu próprio
perdão e paz. Independentemente do eram pedaços de pão, e pensou que idioma. De repente, o mundo inteiro
que estiver acontecendo à sua volta, tinha coisas melhores para comer. — ou pelo menos o nosso mundo —
vocês podem praticar a transformação Identificar o que seja santo e educar tornou-se cheio de calor, amor e feli-
de seu próprio ambiente, repleto do nosso desejo nesse sentido é vital cidade: um lugar santo.
Espírito do Senhor. para a nossa felicidade. Um pôr-de- Existe uma enorme quantidade
Em vez de perguntar às pessoas o sol magnífico, um céu todo estre- de inteligência e orientação e segu-
quanto suas roupas devem ser cur- lado, uma linda rosa orvalhada ou rança à sua disposição, por meio da
tas, apertadas, abertas ou decotadas, um gatinho novo, tudo nos faz lem- oração sincera e constante e do
vocês são responsáveis e devem per- brar mais uma vez que todas as coi- estudo regular das escrituras. Isso
guntar-se: “O que devo vestir, como sas do Senhor são santas. manterá sua mente constantemente
deve ser a minha aparência e como Lugares santos podem ser todos sintonizada em lugares santos
devo agir para que o Espírito Santo os lugares onde vocês estiverem — quando forem para a escola, às com-
possa estar sempre comigo e o Pai sozinhas, na multidão, com estra- pras ou quando navegarem na
Celestial possa abençoar-me”? nhos, com amigos. O caminho para Internet. O Presidente James E.
É muito difícil treinar nossos Jericó era traiçoeiro e temível. Havia Faust disse: “Acredito que a leitura
desejos para que busquem a bon- ladrões entre os arbustos e árvores, das escrituras é a melhor lavadora de
dade e a beleza, quando o oposto se esperando emboscar qualquer via- pensamentos sujos ou sem controle”.
nos apresenta constantemente e jante. Foi necessário que um samari- (“Capacidade de Autocontrole”, A
parece ser tão mais atraente, diver- tano cheio de bondade e coragem Liahona, julho de 2000, p. 44.)
tido e popular. modificasse a estrada e a transfor- A santidade é calma e suave, passa
Quando vocês receberam o masse de um local assustador em um facilmente despercebida se não esti-
batismo, fizeram convênio de guar- local santo. Existem muitas coisas vermos prestando atenção. O Senhor
dar os mandamentos. Esse convênio que vocês podem fazer para trazer ressurreto foi até Emaús ao lado de
e a bênção de ter sempre consigo o santidade a lugares comuns: quando dois homens que estavam tão perple-
Espírito do Senhor é renovado vocês passam uma tarde com os xos com os eventos da crucificação e
todas as vezes que participam dig- irmãos pequenos para que a mãe ressurreição que não se deram conta
namente do sacramento. Isso as for- cansada possa descansar, quando de que era o próprio Senhor que
talecerá quando se defrontarem lavam os pratos para seu irmão, caminhava em sua companhia.
com a tentação. mesmo que seja a vez dele, quando Anos atrás, participei de um grupo
formado por pessoas de diferentes
Vários banners saúdam as jovens que chegam ao Centro de Conferências crenças para cantar “O Messias”, de
para a reunião geral das Moças. Handel. Apesar das diferenças entre
as religiões, todos estávamos can-
tando a respeito do mesmo Messias,
nosso próprio Salvador. Já havia can-
tado esse oratório muitas vezes, mas
durante uma apresentação particular,
o Espírito me disse que eu não estava
cantando notas somente, mas sim
estava cantando meu testemunho:
“Verdadeiramente ele tomou sobre si
as nossas enfermidades, e as nossas
dores levou sobre si”. (Isaías 53:4)
Soube com todas as forças do coração
que Ele tinha feito isso por mim. Por
um momento, as outras 300 vozes
A L I A H O N A
104
eram como sussussos e eu senti como
se estivesse sozinha diante do Senhor.
Senti Seu amor e a confirmação de
que Ele havia tomado as enfermidades
Fortalecer o Lar
e dores do meu coração adolescente e
que, se eu fosse obediente, Ele conti-
nuaria a caminhar comigo pelo resto
e a Família
da vida. Essa sensação de bênção, Carol B. Thomas
conforto e completo amor do Sal- Primeira Conselheira na Presidência Geral das Moças
vador por mim é algo que não
tem preço.
Assim que compreendermos o
que significa lugares santos, sabere-
mos onde devemos estar. Três princípios ajudarão vocês a fortalecer seu lar e sua família:
Pode ser que custe o sacrifício de
nosso gosto pelas coisas do mundo, cuidados, sacrifício e oração.
ou de nossa popularidade. Pode
requerer humildade e perdão ou um Como filhas de Deus, algumas de
arrependimento completo. Mas vocês podem possuir excelentes atri-
exige “mãos limpas e pureza de cora- butos atléticos, mas todas foram
ção”. (Salmos 24:4) Façam todo o abençoadas com muitos talentos e
possível para poder permanecer em dons. Um dos dons mais importantes
lugares santos e não ser movidas, é sua capacidade de fortalecer o lar
para defender a verdade e a retidão, e a família, a nova sentença acres-
independentemente da fascinação centada ao tema das Moças. Re-
superficial e das maldades e desíg- conhecem essas palavras? Uma das
nios existentes no coração de designações a nós confiadas enquanto
homens conspiradores (D&C 89:4) moças e mulheres no reino é amar e
e na mídia. Eis as palavras do fortalecer nossa família.
Presidente Hinckley: “Aperfeiçoem- Minha oração esta noite é para
se e deixem a nobreza do bom cará- que o Espírito resplandeça em seu
ter brilhar através de sua vida”. coração, que tenham um grande
(“Uma Época de Novos Inícios”, A desejo de fortalecer sua família
Liahona, julho de 2001, p. 88.) agora e de preparar-se para a família
Queridas moças, convidem o Senhor que terão no futuro. As escrituras
para caminhar a seu lado. Deixem
que Ele acompanhe vocês durante a
vida toda, todos os dias, para que
vocês retornem para o lar que todas
desejam, o lugar mais santo de todos.
D epois de assistirmos ao encer-
ramento das Olimpíadas de
2002, não podemos deixar
de lembrar aqueles que levaram para
casa a medalha de ouro. Muitos atle-
estão repletas de ensinamentos que
fortalecem nossa família. Não há
maior mestre do que o Salvador. Ao
estudarmos Seus ensinamentos e
seguirmos Seu exemplo, podemos
tas, depois de anos de preparação, vie- melhorar nossa vida em família.
Encerro com um hino que expressa ram para competir, esperando vencer. Vamos falar agora sobre três princí-
minha oração por vocês e por mim: Como moças na Igreja, vocês também pios que ajudarão vocês a fortalecer
Mais vontade dá-me estão preparando-se e competindo o lar e a família:
Mais força em Jesus, por um medalhão, com o Espírito res- ■ Cuidados

Mais autodomínio, plandecendo em seu coração. ■ Sacrifício

Mais paz nessa cruz; O programa das Moças oferece ■ Oração.

Mais rica esperança, um excelente campo de treinamento


Mais obras aqui, para ajudar cada uma a atingir suas CUIDADOS
Mais ânsia do céu, metas, e o tema das Moças é uma Quem é que não gosta de brincar
Mais vida em Ti. lembrança constante de que não com uma criancinha ou segurar um
(“Mais Vontade Dá-Me”, Hinos, estamos sozinhas nessa competição. recém-nascido em seus braços? Por
nº 75) Fazemos parte da equipe do Senhor sermos mulheres, nascemos com
e Ele sempre estará ao nosso lado uma habilidade natural de amar e
Em nome de Jesus Cristo. para ajudar-nos a levar para casa a cuidar dos outros. Cuidar significa
Amém.  nossa medalha de ouro. dar apoio uns aos outros, incentivar
J U L H O D E 2 0 0 2
105
Jovens na entrada do Centro de Conferências vêm participar da reunião geral das Moças, realizada em 30 de março.

uns aos outros, nutrir uns aos outros aprendendo a desenvolver seus cui- para o trabalho. Ajudam a fazer o
e amar uns aos outros. Estamos dados. jantar e levam as crianças para a
fazendo isso em nossa família? Quando nosso Pai Celestial apre- cama.
O próprio Salvador mostrou-nos sentou o Salvador ao mundo, Ele ■ Preferem ficar em casa no fim-

Seus cuidados. Ele nos disse repeti- demonstrou um enorme cuidado ao de-semana a participar de reuniõezi-
das vezes: “quantas vezes vos ajuntei utilizar uma voz mansa. A palavra nhas onde se exibem filmes
como a galinha ajunta seus pintos da escritura diz: “ouviram uma voz inadequados.
sob as asas e alimentei-vos!” (3 Néfi que parecia vir do céu: (. . .) e não ■ Milhares de vocês levantam-se

10:4) era uma voz áspera nem forte; às cinco da manhã para participar
Quando sua família está reunida, entretanto, apesar de ser uma voz das aulas do seminário, antes de ir
vocês podem fazer muita coisa para mansa, penetrava-lhes até o para a escola.
propiciar um espírito de união. âmago”. (3 Néfi 11:3) O Salvador está orgulhoso de
Quando foi a última vez que vocês Em nosso lar, esse pode ser um vocês. Ele conhece seus problemas e
envolveram a mãe ou o pai em um modelo de como devemos nos compreende a dificuldade que
abraço e agradeceram a eles por tudo comunicar com os membros da representa, para vocês, fazer sacrifí-
o que fazem? Os pais proporcionam a família. Evitemos falar alto, prefe- cios. O Salvador nos ensinou a fazer
maior parte dos cuidados, mas eles rindo em vez disso uma voz mansa sacrifício. Ele sacrificou Sua vida
precisam de cuidados também. quando falarmos com aqueles a por toda a humanidade.
Como mulheres, podemos ajun- quem amamos. É essa a maneira Depois de Sua Ressurreição, a
tar nossos pintos sob as asas com como o Pai Celestial fala a Seus primeira coisa que explicou aos nefi-
amor e carinho. Recentemente, vi filhos. tas foi o Seu sacrifício. Ele disse: “E
uma jovem mãe falar com sua filhi- bebi da taça amarga que o Pai me
nha de dois anos. A menina estava SACRIFÍCIO deu (. . .) no que me submeti à von-
chorando e a mãe não conseguia O segundo princípio é o sacrifí- tade do Pai em todas as coisas”. (3
entender os desejos da filha. A mãe, cio. Como moças, vocês estão Néfi 11:11) Ele fez o que o Pai
então, disse-lhe: “Não chore. Fale aprendendo, todos os dias, o signifi- Celestial queria que fizesse.
comigo. Diga o que a está aborre- cado do sacrifício. Ficamos impres- O Pai Celestial deseja que crie-
cendo”. A mãe mostrou tanto res- sionadas com tantas coisas boas que mos nossa família em retidão. O fato
peito pela garotinha de dois anos vocês estão fazendo. de tornarem-se esposas e mães tal-
que ela parou de chorar e “falou” ■ Vocês ajudam a tomar conta vez limite as oportunidades de sua
com sua mãe. A jovem mãe estava dos pequenos quando sua mãe sai carreira, mas isso pode ser muito
A L I A H O N A
106
recompensador. Quando ainda era para ensinar-lhes a plenitude do Lucy Mack Smith, History of Joseph
uma jovem mãe, lembro-me de ter evangelho. A maior parte desse Smith, publicado por Preston Nibley
tocado uma música para minhas tempo Ele dedicou à oração. Vocês [1979], p. 102.)
filhas enquanto elas dançavam em sabiam que do capítulo 17 ao 20, em Como vocês podem utilizar a ora-
volta da sala. Pode parecer um 3 Néfi, a oração é mencionada cerca ção para fortalecer sua família?
pouco ingênua, mas dizia assim: de 38 vezes? Diversas vezes Ele Devido ao grande amor que o Pai
ordenou ao povo que orasse. Celestial tem por vocês, Ele quer
Quando eu crescer, quero ser mãe Ajoelhou-Se naquele solo e orou que vocês falem com Ele. Sejam
e ter uma família: por eles. Ensinou- os a orar. quais forem os problemas que estão
um bebê, dois bebês, três bebês só Abençoou as criancinhas e orou ao enfrentando, vocês podem orar por
meus. Pai por elas. Ordenou-lhes que sem- toda e qualquer coisa:
Dentre tantas ocupações, não pre orassem em seu coração. ■ Podem orar pedindo ajuda para

escolherei nenhuma outra: Talvez durante uma atividade da cumprir as normas familiares, como
terei uma família. Mutual vocês possam levar as escri- voltar para casa no horário estipulado;
Eu os amarei a qualquer hora do dia, turas, ler esses quatro capítulos em ■ Podem orar para que sua famí-

e lhes darei biscoitos e leite, e ama- voz alta, e sublinhar onde aparece a lia tenha o desejo de estudar as
relos balões. palavra oração, compartilhando his- escrituras em conjunto;
E os acalentarei se estiverem em tórias e testemunhos sobre o poder ■ Podem orar para que a comuni-

dificuldade, da oração. Posso garantir-lhes que cação com a mãe ou o pai melhore;
e lerei histórias e cantarei belas sentirão o Espírito do Senhor e ■ E podem orar para serem mais

canções. desenvolverão um testemunho pacientes com um irmão ou uma


(Janeen Brady, “I Want to Be a maior sobre a oração. irmã, ajudando-os a resolver seus
Mother”, in Beloved Songs [1987], Nossos profetas disseram que não problemas.
10–13) ficam preocupados com os jovens Orem pelos problemas que as afli-
que oram duas vezes ao dia. E, se gem! Não desistam. O Pai Celestial
Acredito que tenham entendido eles não se preocupam com vocês, pode e irá responder às suas orações.
a mensagem. Ser mãe é uma grande vocês também não têm razão para Muitas das minhas próprias orações
bênção, e não um sacrifício. nos preocupar consigo mesmas, foram respondidas, embora também
desde que façam suas orações, com existam algumas que ainda não o
ORAÇÃO sinceridade, duas vezes ao dia. foram. Nossas orações serão respon-
Terceiro, o Salvador nos ensina a Ouçam a esta história maravi- didas no tempo do Senhor, quando
orar. lhosa, contada pela mãe do Profeta estivermos preparados.
Para ajudar a fortalecer sua famí- Joseph Smith, sobre a noite em que Esta noite eu falei sobre três prin-
lia, a oração deverá ser uma parte ele foi pegar as placas de ouro. Ela cípios que irão ajudá-las a fortalecer
constante e diária de sua vida. Ela escreveu: “[Naquela noite] fiquei seu lar e sua família:
irá proteger vocês contra o adversá- acordada até bem tarde. (. . .) ■ Cuidados

rio, proporcionará paz e ajudará os Aproximadamente à meia-noite ■ Sacrifício

membros da família a amarem mais Joseph chegou (. . .) e perguntou-me ■ Oração

uns aos outros. se eu tinha um baú com cadeado e O Salvador, nosso Redentor e
Quando o Salvador visitou os chave (. . .) e por não o ter, fiquei Amigo, mostrou-nos o caminho. Se
nefitas, Ele dispunha de poucos dias muito apreensiva. (. . .) Mas Joseph vocês colocarem em prática Seus
(. . .) disse: ‘Não faz mal, posso dar ensinamentos, talvez nunca rece-
um jeito (. . .) mesmo sem ele — bam uma medalha Olímpica de ouro
acalme-se — está tudo bem’”. ou de prata, mas o fato de serem
Pouco depois, Joseph e Emma merecedoras do medalhão das
saíram, levando um cavalo e a char- Moças poderá trazer-lhes uma
rete. Agora prestem atenção ao que recompensa muito maior, e as aju-
disse sua mãe: “Passei a noite toda dará a manter acesa a chama do
orando e suplicando a Deus, pois a Espírito Santo, fazendo-a brilhar
ansiedade de minha alma não me continuamente no coração de cada
deixava dormir.” As súplicas de uma uma. Oro para que, ao estudar as
mãe, uma filha digna de Deus, con- escrituras e ter um grande amor por
fortaram o Profeta e protegeram as elas, vocês possam encontrar outros
placas de ouro. Por muitos anos, meios significativos de fortalecer seu
suas orações constantes ajudaram a lar e sua família. Em nome de Jesus
fortalecer seu lar e sua família. (Ver Cristo. Amém. 
J U L H O D E 2 0 0 2
107
esse tipo de pensamento. Ao assistir

Levantem a Tocha a TV ou ler as revistas, pode ser que


venham a sentir-se um pouco fora do
normal, quando, na realidade, vocês

Bem Alto é que conhecem o que é certo.


Pode ser que vocês saibam que
tenho sete filhos. Sei como são os
Margaret D. Nadauld
rapazes! A vida lá em casa é emo-
Presidente Geral das Moças cionante! Tenho aprendido muito
com eles e seus amigos, tanto rapa-
zes como moças. Eu lhes poderia
contar alguns de seus segredos.
Talvez possa partilhar de um deles, e
Desenvolvam a divindade que existe em seu íntimo. Não embacem espero não entrar em apuros. Os
rapazes detestam ficar embaraçados.
o brilho do espírito com o qual vieram do céu. O Senhor depende Lembro-me de uma vez em que um
de sua bondade e sua influência neste mundo. rapaz conhecido meu tinha um
encontro para ir a um baile a rigor.
que está nos céus”.1 A luz divina que Ele trouxe sua convidada até nossa
levam dentro de sua alma é herdada casa, antes do baile, para que pudés-
de Deus, porque vocês são filhas semos tirar fotografias. Quando che-
Dele. Parte da luz que a torna tão garam, ele foi até a cozinha onde eu
magnificente é a bênção da feminili- estava procurando uma câmera e
dade. Que coisa maravilhosa é saber disse: “Espere até ver o vestido de
que suas características de mulher, minha garota! Ela está tão linda!”
femininas, são uma investidura de Esse rapaz nunca dissera algo assim
Deus. Nossos profetas dos últimos antes, portanto, eu mal podia espe-
dias ensinam que “o sexo (masculino rar para ver o que queria dizer.
ou feminino) é uma característica Quando a vi, entendi; ela estava
essencial da identidade e do propó- muito bonita. O vestido que usava
sito pré-mortal, mortal e eterno de era lindo. Fiquei sabendo que ela e a
cada um”.2 É uma bênção sagrada mãe haviam procurado por toda
nascer com as qualidades requinta- parte por ele. Quando finalmente
das de uma filha de Deus. As mulhe- encontraram esse vestido, sabiam
res de Deus, tanto as antigas quanto que ficaria perfeito com alguns
as modernas, são espirituais e sensí- toques de tecido e costura para que

E sta é a tocha que levou o fogo


Olímpico em parte de sua via-
gem da Grécia a Salt Lake
City, no final de fevereiro. Ela é um
símbolo de excelência e esperança.
veis, meigas e dóceis. Possuem uma
natureza bondosa e acalentadora.
Essa é sua herança. Nunca menos-
prezem os dons que lhes são concedi-
dos por Deus. Desenvolvam a
ficasse dentro dos seus altos padrões.
Todos os seus esforços foram
recompensados, pois ela estava abso-
lutamente radiante essa noite, mas,
era mais que o vestido que a fazia
Foi acesa pela primeira vez na divindade que existe em seu íntimo. luzir. Era sua tranqüila confiança.
Grécia, no início das Olimpíadas, há Não embacem o brilho do espírito Lembrei-me da escritura: “Que a vir-
muito, muito tempo. com o qual vieram do céu. O Senhor tude adorne teus pensamentos inces-
Esta é a tocha das Moças. Ela depende de sua bondade e sua santemente; então tua confiança se
simboliza a luz do evangelho que influência neste mundo. fortalecerá”.3 De onde veio essa con-
vem de nosso Pai Celestial. Essa luz Hoje, quero simplesmente con- fiança? Notei que essa jovem podia
teve seu início no céu, antes de você versar com vocês, de coração para encarar outras pessoas porque não
nascer. Lá, foi-lhe ensinado o grande coração, sobre serem bondosas e as estava preocupada com sua aparên-
plano de felicidade. Por ter aceitado vantagens de sê-lo. É sobre levantar cia. Ela já havia cuidado desse deta-
esse plano, você tem a honra de car- essa tocha bem alto. lhe há semanas. O rapaz com quem
regar a tocha de luz. O mundo tentará fazer com que ela estava sentia-se à vontade, seguro
O Salvador nos ensinou “assim pensem que ser bondosas está fora de e feliz com ela porque o vestido que
resplandeça a vossa luz diante dos moda e desatualizado, e que a popu- usava não era transparente. Era reca-
homens, para que vejam as vossas laridade advém de desrespeitar as leis tado em todos os aspectos, o que a
boas obras e glorifiquem a vosso Pai, e rebaixar seus padrões. Não aceitem tornava confiante e feliz. E isso era
A L I A H O N A
108
encantador. Ela não o deixava emba- ostentar seu corpo; 5) praticam esses padrões pode ser sua arma
raçado; ele tinha orgulho dela. esportes com entusiasmo, sem secreta para atrair as pessoas e tam-
As moças que podem ser maravi- nunca perder o controle; 6) pare- bém para mantê-las no caminho
lhosas portadoras da tocha têm cem não se importar com o que os correto. Quando vivem diariamente
padrões elevados durante o tempo artistas do momento usam ou fazem; os elevados padrões da Igreja, vocês
todo, não apenas no seu vestido de vocês têm seu próprio estilo. levantam alto a tocha.
baile, mas em todos os dias, todos os Resumindo: Vocês não imitam os Liz é um exemplo do que estou
dias comuns. Existem muitas de padrões do mundo porque conhe- dizendo. Ela era aluna de uma classe
vocês que são assim, e eu as saúdo cem um padrão superior. Sabem de matemática juntamente com
hoje. Vocês fizeram do recato um quem são, e isso as deixa em grande Lindsay, que notou em Liz um “bri-
modo de vida. É mais do que sim- vantagem. Sabem que são realmente lho” diferente à sua volta, segundo
plesmente a maneira de vestir. filhas de nosso Pai Celestial. Sabem suas próprias palavras. Lindsay
Inclui pelo menos seis coisas: 1) Seu que Ele as conhece e que as ama. admitiu que não achava que Liz
comportamento é decente e reca- Desejam agradá-Lo e respeitam Seu realmente a conhecesse, mas ainda
tado, e no entanto são uma compa- amor por vocês. Sabem que mesmo assim fazia com que se sentisse bem.
nhia muito divertida; 2) Seu que cometam erros tolos, Ele as aju- Ela realmente vivia de acordo com o
linguajar nunca é chulo, mas alegre dará, se voltarem-se para Ele. que acreditava e sempre fazia com
e interessante; 3) Vocês se vestem Vocês agem como se tivessem que os outros se sentissem bem e
bem e isso é atraente; 4) são nota- decorado o livreto Para o Vigor da incluídos. Lindsay observou Liz
das por desenvolver seus talentos Juventude! Não é um ótimo guia? Às durante várias semanas. Então,
e alcançar suas metas, não por vezes gosto de chamá-lo de “suges- certo dia, Liz não apareceu na
usar “piercings”, fazer tatuagens e tões para a felicidade”, pois viver escola. Passou-se mais um dia, e
outro. Lindsay ficou finalmente
sabendo que Liz estava muito
doente, com meningite que lhe
ameaçava a vida.
Ela voltou da escola muito triste,
sentou-se à mesa e chorou. Embora
ela e Liz não fossem grandes amigas,
ela disse à mãe que precisavam fazer
alguma coisa por Liz. Lindsay suge-
riu que a família toda orasse e
jejuasse por Liz. Que choque, a mãe
ouvir falar em jejum por uma de
suas filhas, quando já não se jejuava
e nem se mencionava o jejum em
sua casa há anos. Quando Lindsay e
a mãe conversaram com o resto da
família naquela noite, ao jantar,
houve certa resistência, mas Lindsay
lhes fez um apelo e finalmente todos
concordaram em jejuar e orar por
Liz, uma estranha. Algo maravi-
lhoso aconteceu. Não demorou
muito antes que Liz voltasse à
escola, parecendo saudável e feliz
como sempre. Mas, não foi só isso; a
experiência trouxe um notável espí-
rito de esperança para a casa de
Lindsay. Por causa dele, algumas
grandes mudanças começaram a
suceder na família. Agora eles estão
realizando oração familiar juntos,
algo que já não acontecia há anos.
A bondade de Liz brilhou, e con-
tagiou. Liz, se você está aqui hoje,
J U L H O D E 2 0 0 2
109
eu gostaria de dizer: “Muito obri- mão direita sobre [minha] cabeça e brilhe com tanta intensidade que seja
gada! Por meio de sua bondade, disse: ‘Bem, minha neta, quero que uma influência para o bem para as
você abençoou pelo menos uma você se lembre de que este é o teste- gerações vindouras. Por estas razões,
família inteira a quem você prova- munho de seu avô, que ele lhe disse e ainda outras, que a Primeira
velmente nem conhece. E, quem com suas próprias palavras que real- Presidência disse: “Queremos que
sabe quantos outros já foram leva- mente viu o Salvador, aqui no tem- todas as moças se esforcem para
dos à luz do evangelho ao verem sua plo, e falou com Ele face a face’”.4 ganhar o Reconhecimento das
tocha levantada”. Podem imaginar a reverência que Moças. À medida que as jovens tra-
Ser bom faz com que você se sentirão ao andar pelas mesmas balham para alcançar tal objetivo,
sinta bem e isso faz também com salas por onde o Salvador andou? elas desenvolverão habilidades e atri-
que outros se sintam bem! Deixem- Podem imaginar-se ali, puras e lim- butos que as levarão ao templo e as
me dizer-lhes isto: É muito mais fácil pas, filhas de Deus, preparadas para prepararão para uma vida de serviço
fazer o que é certo do que fazer o receber Suas maiores bênçãos? para sua família e para o Senhor”.5 O
que é errado. A vida é muito menos O Progresso Pessoal a ajudará em novo e belo Medalhão das Moças
complicada quando se é bom. sua preparação para ir ao templo. É apresenta as torres do templo, lem-
A maior vantagem de ser boa é inspirado pelos céus. Que belo brando-as que se estão preparando
que isso as levará ao templo, o lugar pequeno tesouro ele é. Ele as ajudará para receber as ordenanças do tem-
mais belo e sagrado de todos os que a achegar-se ao Salvador, e as ajudará plo, pois é por meio das ordenanças
há nesta Terra. O templo é o local a magnificar os dons divinos da femi- e convênios do templo que chegamos
que o Salvador poderia visitar por nilidade sobre os quais falamos. É algo a Cristo.
ser Sua santa casa aqui na Terra. destinado exatamente a vocês, neste Estamos pensando especifica-
A neta do Presidente Lorenzo período muito importante de prepara- mente em Cristo nesta véspera de
Snow estava certa ocasião, com ele ção, pois os padrões que estabelece- Páscoa. Há mais de 2.000 anos,
no templo quando ele lhe disse: rem e as escolhas que fizerem agora nesta noite, enquanto Seu corpo era
“’Allie, quero dizer-lhe uma coisa. Foi afetarão o resto de sua vida. É nossa colocado no sepulcro, alguns acredi-
bem aqui que o Senhor Jesus Cristo oração que à medida que completa- taram que a luz havia-se apagado.
me apareceu’. [Vovô] colocou sua rem seu Progresso Pessoal, sua luz Mas sabemos que na manhã do ter-
ceiro dia, que chamamos de Páscoa,
Ele ressurgiu para ser nossa salva-
ção, nosso Salvador, nossa luz eterna
que nunca nos faltará. Testifico que
Cristo é a luz e a vida do mundo.
Queridas moças, que a sua luz res-
plandeça diante de toda a sua família
e amigos, para que vejam as suas boas
obras e glorifiquem ao seu Pai que
está nos céus. É um privilégio carre-
gar a tocha. Nossa oração é para que
a luz de Cristo brilhe em seu caminho
a cada passo que derem e que sua
bondade as qualifique para receber,
um dia, as ordenanças do templo,
pois é naquele santo lugar que encon-
trarão a maior luz de todas. Em nome
de Jesus Cristo. Amém. 

NOTAS
1. Mateus 5:16.
2. A Família: Proclamação ao Mundo”,
A Liahona, out. de 1998, p. 24.
3. D&C 121:45.
4. “Lorenzo Snow and the Sacred
Vision”, Friend, ago. de 1993, 14.
5. Carta da Primeira Presidência, 28 de
setembro de 2001, sobre Fortalecimento
da Juventude.

A L I A H O N A
110
porque se ficarmos do lado da linha

O Caminho em que o Senhor estiver, se perma-


necermos sob a influência de nosso
Pai Celestial, o adversário não

da Perfeição poderá sequer tentar-nos. Mas se


nos movermos para o território do
demônio (. . .) ficaremos infelizes e
Presidente Thomas S. Monson
essa infelicidade aumentará com o
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência passar dos anos a menos que nos
arrependamos de nossos pecados e
nos voltemos para o Senhor”.4
Ao falar aos rapazes do
Sacerdócio Aarônico, menciono,
Apliquem quatro virtudes específicas e bem-sucedidas em sua com freqüência, o conselho de um
pai ao filho precioso: “Se você des-
vida. São elas: uma atitude de gratidão; um desejo de aprender; cobrir que está onde não deveria
uma devoção à disciplina; e uma disposição para o trabalho. estar, saia imediatamente”! A
mesma verdade é aplicável a vocês,
No clássico de Lewis Carroll, Alice moças presentes a este Centro de
no País das Maravilhas, Alice se vê Conferências e a vocês reunidas em
chegando a uma encruzilhada, com capelas por todo o mundo.
dois caminhos diante dela, ambos se Sempre senti que quando trata-
estendendo para algum lugar, mas em mos de generalidades, dificilmente
direções opostas. Ela se vê diante do seremos bem- sucedidos; mas
Gato Risonho a quem pergunta: quando tratamos de coisas específi-
“Que caminho devo tomar”? cas, dificilmente fracassaremos.
O gato responde: “Isso depende Exorto-as, portanto, a aplicarem
do lugar aonde quer chegar. Se não quatro virtudes específicas e bem-
sabe para onde quer ir, então pouco sucedidas em sua vida. São elas:
importa o caminho que irá tomar”!2 1. Uma atitude de gratidão;
Ao contrário de Alice, cada uma 2. Um desejo de aprender;
de vocês sabe para onde quer ir. O 3. Uma devoção à disciplina; e
caminho que querem tomar importa, 4. Uma disposição para o trabalho.
porque o caminho que irão tomar Primeiro, uma atitude de gratidão.
nesta vida as levará para a senda No livro de Lucas, capítulo 17, lemos
que irão tomar a seguir. o relato dos dez leprosos. O Salvador,

A nossa presidência das


Moças falou muito bem,
não é mesmo? Apóio e
endosso tudo o que ouvi dessas
mulheres esplêndidas no dia de
Uma alegre canção popular, muito
antiga, contém uma linha provoca-
tiva: “Se desejar faz com que isso
aconteça, então continue a desejar e
seus problemas se desvanecerão”.
ao viajar rumo à Jerusalém, atraves-
sou a Galiléia e a Samaria e passou
por uma certa aldeia onde Se encon-
trou, nos arredores da cidade, com
dez leprosos que foram obrigados,
hoje. Elas são verdadeiras servas de Uma outra fórmula para o fracasso devido à sua condição, a viverem
nosso Pai Celestial e declararam Sua vem de uma canção mais recente: separados dos demais moradores.
santa palavra. “Não se preocupe, alegre-se”! Eles “pararam de longe” e levanta-
“A felicidade”, escreveu o Profeta Nosso tema para esta noite: ram a voz: “Jesus, Mestre, tem mise-
Joseph Smith, “é o objetivo e propó- “Permanecei em Lugares Santos” é ricórdia de nós”.
sito de nossa existência e também mais adequado. Gosto, também, das O Salvador, com grande compai-
será o fim, caso trilhemos o caminho palavras seguintes: “Permanecei em xão e amor por eles, disse: “Ide, e
que conduz a ela. E essa senda é a lugares santos e não sejais movidos mostrai-vos aos sacerdotes”. E
virtude, retidão, fidelidade, santi- (. . .)”.3 quando foram, descobriram que
dade e obediência a todos os man- O Presidente George Albert estavam curados. As escrituras nos
damentos de Deus.”1 Smith, o oitavo presidente da Igreja, contam que:
Mas como alguém encontra esse exortou: “Coloquemos nossos pés na O Salvador respondeu: “Não
caminho e, ainda mais, como rodovia que leva à felicidade e vida foram dez os limpos? E onde estão
alguém permanece nesse caminho eterna, não apenas ocasionalmente, os nove? Não houve quem voltasse
que leva à perfeição? mas todos os dias e todas as horas, para dar glória a Deus senão este
J U L H O D E 2 0 0 2
111
estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te, tornar esta época um período mara- Terceiro, falemos a respeito de
e vai; a tua fé te salvou”.5 vilhoso para se viver na Terra. uma devoção à disciplina.
Mediante intervenção divina, Nossas oportunidades são ilimitadas. Nosso Pai Celestial deu a cada
aqueles leprosos foram poupados de Há muitas coisas certas, como pro- um de nós o poder para pensar e
uma morte lenta e cruel, recebendo fessores que ensinam, amigos que raciocinar e decidir. Com tal poder,
um novo período de vida. A gratidão ajudam, casamentos que dão certo e a autodisciplina torna- se uma
expressa por um deles mereceu a bên- pais que se sacrificam. necessidade.
ção do Mestre, mas a ingratidão dos Sejam gratas por sua mãe, seu Cada um de nós tem a responsa-
outros nove desapontou o Senhor. pai, sua família e por seus amigos. bilidade de escolher. Talvez pergun-
As pragas de hoje são como a Demonstrem gratidão por suas pro- tem: “As decisões são realmente
lepra de antigamente. Elas custam a fessoras na Organização das Moças. importantes?” Digo -lhes que as
sarar, debilitam e destroem. São Eles os amam, oram por vocês, ser- decisões determinam o destino.
encontradas em toda parte. Sua dis- vem-nas. São preciosas à sua vista e Vocês não podem tomar decisões
seminação não conhece fronterias. à vista de seu Pai Celestial. Ele ouve eternas sem conseqüências eternas.
Nós as conhecemos como orgulho, suas orações. Ele estende a vocês Vou dar-lhes uma fórmula sim-
cobiça, indulgência, crueldade e Sua paz e Seu amor. Fiquem próxi- ples pela qual podem medir as esco-
crime, para citar apenas algumas. mas Dele e de Seu Filho, e não lhas com que se defrontam. É fácil
Em uma conferência regional, o caminharão sozinhas. recordá-la: “Não se pode estar certo
Presidente Gordon B. Hinckley Segundo, um desejo de aprender. fazendo o que é errado nem se pode
declarou: “Vivemos em um mundo O Apóstolo Paulo disse a estar errado, fazendo o que é certo”.
tão sujo. A sujeira está em todo lugar. Timóteo: “Ninguém despreze a tua Sua consciência as adverte como
Está nas ruas. Está na televisão. Está mocidade; mas sê o exemplo dos um amigo antes de nos punir como
nos livros e nas revistas. É como uma fiéis (. . .)”.7 um juiz.
grande inundação, feia, suja e má, O Presidente Stephen L. O Senhor, em uma revelação
envolvendo o mundo. Temos que nos Richards, que foi conselheiro na dada por intermédio de Joseph
elevar acima dela.(. . .) O mundo Primeira Presidência há muitos anos, Smith, o Profeta, aconselhou: “E
está perdendo seus padrões morais. era um grande pensador. Ele disse: “A aquilo que não edifica não é de
Isso só pode trazer sofrimento. O fé e a dúvida não podem coexistir na Deus e é trevas. Aquilo que é de
caminho para a felicidade depende mente ao mesmo tempo, porque uma Deus é luz.”11
de se voltar a ter uma vida familiar repele a outra”. Meu conselho é que Algumas pessoas tolas voltam as
sólida e da observância de padrões busquem a fé e afastem a dúvida. costas para a sabedoria de Deus e
morais; o valor disso vem sendo pro- O Senhor aconselhou: “Nos seguem a sedução da moda volúvel, a
vado através dos séculos”.6 melhores livros buscai palavras de atração da falsa popularidade e a emo-
Se seguirmos o conselho do sabedoria; procurai conhecimento, ção do momento. É preciso coragem
Presidente Hinckley, poderemos sim, pelo estudo e também pela fé”.8 para pensar o que é certo, escolher o
Podemos encontrar a verdade nas que é certo e fazer o que é certo, pois
escrituras, nos ensinamentos dos essa rota raramente é fácil de ser tri-
profetas, nas instruções de nossos lhada, se é que alguma vez o será.
pais e na inspiração que vem a nós A batalha pela autodisciplina
ao dobrarmos nossos joelhos e pode deixá-las um tanto magoadas e
buscarmos a ajuda de Deus. machucadas, mas sempre uma pes-
Devemos ser fiéis aos nossos soa melhor. A autodisciplina é um
ideais, porque os ideais são como as processo rigoroso, na melhor das
estrelas: não podem tocá-las com as hipóteses; muitos de nós queremos
mãos, mas ao segui-las chegarão ao que ela não exija esforço nem dor.
seu destino.9 Caso contratempos temporários nos
Muitas de suas professoras estão aflijam, uma parte muito significa-
com vocês aqui, esta noite. Confio tiva de nossa batalha pela autodisci-
que cada professora se encaixe na plina é a determinação e a coragem
descrição que fizeram de uma delas: de tentar novamente.
“Ela cria na sala de aula um ambiente Minhas queridas jovens irmãs, sei
em que o calor humano e a aceitação que nenhuma descrição a vocês é
transmitem um encanto mágico, mais verdadeira do que a expressa
onde o crescimento e o aprendizado, pela Primeira Presidência em 6 de
o vôo da imaginação e o espírito dos abril de 1942: “Quão gloriosas e
jovens estejam sempre seguros.”10 próximas dos anos é a juventude
A L I A H O N A
112
pura; esta juventude tem uma ale- universitária que estava tão ocupada Alemanha haviam perdido pratica-
gria inexprimível aqui, e felicidade com as alegrias da vida estudantil, que mente toda sua liberdade. As ativida-
eterna no além”.12 adiou a preparação para um exame. des de nossos jovens eram restritas;
A vida eterna no reino de nosso Na véspera, à noite, ela percebeu que todas as ações eram monitoradas.
Pai é sua meta, e a autodisciplina já era tarde e que não havia se prepa- Pouco depois de ter assumido
certamente será necessária se plane- rado. Ela racionalizou, O que é mais minhas responsabilidades naquela
jam alcançá-la. importante — minha saúde, que requer área, participei de uma das conferên-
Finalmente, que cada um de nós que eu vá dormir, ou o trabalho fatigante cias mais edificantes realizadas naquela
cultive uma disposição para o trabalho. de estudar? Bem, creio que podem parte da Alemanha. Depois dos hinos
O Presidente J. Reuben Clark, que foi adivinhar o resultado. O sono venceu, inspiradores e dos discursos, tive a
conselheiro na Primeira Presidência o estudo fracassou e o teste foi um sensação de que deveria reunir-me
há muitos anos, disse: “Acredito que desastre pessoal. Precisamos trabalhar. com os preciosos jovens adolescentes
estamos aqui para trabalhar, e acre- Esta é, então, a fórmula sugerida. na parte externa do velho edifício.
dito que não existe maneira de fugir 1. Uma atitude de gratidão; Eram poucos em número, mas escuta-
disso. Creio que não conseguimos 2. Um desejo de aprender; ram cada palavra que proferi. Eles
colocar esse desejo em nosso cérebro 3. Uma devoção à disciplina; e estavam famintos pela palavra e pelo
tão rápido como deveríamos. 4. Uma disposição para o trabalho. incentivo de um Apóstolo do Senhor.
Precisamos trabalhar se quisermos ser Haverá momentos de desespero Antes de ir para a conferência,
bem-sucedidos ou se quisermos pro- em toda vida e haverá a necessidade de fato, antes de sair dos Estado
gredir. Não há outra maneira”.13 de orientação vinda de uma fonte Unidos, senti-me inspirado a com-
“Nossa lei é trabalhar, trabalhar” 14 divina, até mesmo um apelo silen- prar três embalagens de goma de
é mais do que uma frase de um hino cioso de ajuda. Testifico-lhes, de mascar. Adquiri três sabores: menta,
favorito; é um chamado ao trabalho. todo meu coração e alma, que nosso hortelã e frutas. Ao término da reu-
Talvez um exemplo ajude. A pro- Pai Celestial as ama, que está atento nião com os jovens, distribui cuida-
crastinação é verdadeiramente um a vocês e que não as abandonará. dosamente duas barras de goma de
ladrão de tempo — especialmente Vou narrar-lhes uma experiência mascar para cada jovem, algo que
quando se diz respeito ao trabalho pessoal e preciosa como ilustração. eles jamais haviam experimentado.
realmente árduo. Falo da necessi- Durante muitos anos minhas designa- Receberam o presente com alegria.
dade de estudar diligentemente ao se ções levaram-me àquela parte da Os anos se passaram. Retornei a
prepararem para as provas na escola Alemanha que ficava atrás da Cortina Dresden, o local da conferência que
e de fato, para os testes da vida. de Ferro. Sob o controle comunista, mencionei. Agora tínhamos capelas;
Conheço uma estudante as pessoas que viviam naquela área da agora o povo tinha liberdade. A

J U L H O D E 2 0 0 2
113
Guardei esse presente para que
pudesse me lembrar e ensinar minha
filha que o Pai Celestial ouve real-
mente nossas orações”.
Seguro aquele presente diante de
vocês nesta noite, um símbolo de fé
e da certeza da ajuda celestial que
nosso Pai e Seu Filho, Jesus Cristo,
lhes darão.
Nesta noite de Páscoa, que nos-
sos pensamentos se voltem para
Aquele que expiou por nossos peca-
dos, que mostrou-nos a maneira como
viver, como orar e que demonstrou
por Suas próprias ações como fazê-
lo. Nascido em um estábulo, tendo
como berço uma manjedoura, esse
Filho de Deus, o próprio Jesus
Cristo, o Senhor, nos acena para
que O sigamos. “Quão doce alegria
esta frase nos dá: ‘Eu sei que o meu
Redentor vive!’” 12 Em nome de
Jesus Cristo. Amém. 

NOTAS
1. Ensinamentos do Profeta Joseph Smith,
ed. Joseph Fielding Smith (1970),
pp. 255–256.
2. Adaptação de Alice no País das
Maravilhas, de Lewis Carroll (1992)
p. 76.
3. D&C 87:8; grifo do autor.
4. Em Conference Report, abril de
1944, pp. 31–32.
5. Lucas 17:11–19.
6. Conferência Regional em Berlim,
Alemanha não estava mais separada aquele presente. Ela me disse que Alemanha, 16 de junho de 1996.
por fronteiras políticas, mas tornara- racionou uma barra de goma de mas- 7. I Timóteo 4:12.
se uma única nação. Aqueles jovens car cortanto-a em pedaços pequeni- 8. D&C 88:118.
eram agora adultos e tinham seus nos. Contou-me como era doce ao 9. Ver Carl Schurz, 1859, em John
próprios filhos. paladar e como lhe era preciosa”. Bartlett, comp. Familiar Quotations, 15ª
Após uma grande conferência ins- Então, sob o olhar aprovador de sua ed., (1980), p. 602.
piradora, uma mãe e sua filha vieram mãe querida, ela entregou-me uma 10. De Grand Street Boys Club and
falar comigo. A filha, que estava mais caixa pequenina. Ao abrir a tampa da Foundation, citado no New York Times.
ou menos com a idade de vocês e caixa, deparei-me com a outra barra 11. D&C 50:23–24.
que falava um pouco de inglês disse- de chiclete, ainda em sua embalagem 12. Em James R. Clark, comp.,
me: “Presidente Monson, recorda-se original quase vinte anos mais tarde. Messages of the First Presidency of The
de ter realizado uma rápida reunião “Minha mãe e eu queremos que fique Church of Jesus Christ of Latter-day Saints,
de jovens após uma conferência de com isso”, disse-me ela. 6 vols. (1965–1975), 6:150.
distrito muito tempo atrás, onde o As lágrimas rolaram em meio aos 13. J. Reuben Clark Jr., Work — Work
senhor deu a cada menino e menina abraços que se seguiram. Always! BYU Speeches of the Year (25 de
duas barras de goma de mascar”? A mãe falou-me, então: “Antes maio de 1960), p. 4.
Respondi: “Sim, claro que me que o senhor viesse para nossa con- 14. Will L. Thompson, “Nossa Lei É
lembro”. ferência há tantos anos, eu orara ao Trabalhar”, Hinos, nº 142.
Ela prosseguiu: “Minha mãe era meu Pai Celestial para saber se Ele 15. Samuel Medley, “Eu Sei Que Vive
uma das jovens a quem o senhor deu realmente Se importava comigo. Meu Senhor”, Hinos, nº 70.

A L I A H O N A
114
a verdadeira paz, que penetra em

Eles Falaram nossa alma com toda a força — vem


apenas na fé e por meio da fé no
Senhor Jesus Cristo.

para Nós Élder Robert D. Hales, do Quórum


dos Doze Apóstolos: A luz afasta as tre-
vas. Quando a luz está presente, as
trevas (…) precisam partir. Mais
importante, as trevas não podem con-
Relatório para as Crianças da Igreja sobre a 172ª Conferência quistar a luz a menos que a luz seja
reduzida ou se afaste. Quando a luz
Geral Anual realizada em 6 e 7 de abril de 2002. espiritual do Espírito Santo está pre-
sente, as trevas de Satanás se afastam.

Élder Jeffrey R. Holland, do


Presidente Gordon B. Hinckley: Primeiro, a oração é uma humilde Quórum dos Doze Apóstolos: Podemos
Assim como brilha a estrela polar no admissão de que Deus é nosso Pai e (…) começar a trilhar nosso cami-
céu, lá permanece o Redentor do que o Senhor Jesus Cristo é nosso nho de volta ao Pai. Devemos fazê-lo
mundo. (…)No brilho do sol ou nas Salvador e Redentor. Segundo, é com tanta diligência e humildade
sombras, voltamo-nos para Ele, e uma confissão sincera do pecado e da quanto nos for possível ao longo
Ele lá está para nos infundir con- transgressão e um pedido de perdão. desse percurso, podemos contar nos-
fiança e sorrir para nós. Ele é o Terceiro, é o reconhecimento de que sas muitas bênçãos e podemos aplau-
ponto central de nossa adoração. precisamos de uma ajuda superior à dir as conquistas dos outros. Melhor
nossa própria capacidade. Quarto, é ainda, podemos servir os outros, o
Presidente Thomas S. Monson, uma oportunidade de dar graças e mais refinado exercício já prescrito
Primeiro Conselheiro na Primeira expressar gratidão ao nosso Criador. para o coração.
Presidência: Em muitas famílias, há
sentimentos feridos e uma relutância Presidente Boyd K. Packer, Élder Henry B. Eyring, do
em perdoar. Não importa, realmente, Presidente Interino do Quórum dos Quórum dos Doze Apóstolos: Os
qual tenha sido a questão. Não Doze Apóstolos: Nada se compara ao novos membros (…) precisam, pela
podemos nem devemos permitir que pai que é responsável e que, dessa fé, decidir por si mesmos se serão
ela continue a magoar-nos. conde- forma, ensina os filhos com respon- batizados, confiando em seu amigo
nar o outro faz com que as feridas sabilidade. Nada se compara à mãe perfeito, o Salvador. (…) Eles pre-
permaneçam abertas. Somente o que está presente para confortá-los cisam decidir-se a receber o dom
perdão cura. e dar-lhes segurança. do Espírito Santo. (…) E essa deci-
são não é feita somente uma vez,
Presidente James E. Faust, Segundo Élder M. Russell Ballard, do mas a cada dia, a cada hora, a cada
Conselheiro na Primeira Presidência: Quórum dos Doze Apóstolos: A paz — minuto. Mesmo quando o Espírito
Santo vem e os inspira no que
devem fazer, fazê-lo ou não fazê-lo
é uma escolha.

Élder Earl C. Tingey, da Presi-


dência dos Setenta: Você e sua família
sentirão uma paz especial que ultra-
passa todo o entendimento ao paga-
rem o dízimo integral. (…) Saberão
que o Pai Celestial os ama.

Irmã Gayle M. Clegg, Segunda


Conselheira na Presidencia Geral da
Primária: É uma bênção deixar que
nossos filhos corram até onde suas
forças o permitam para que fortale-
çam seu próprio testemunho. 
J U L H O D E 2 0 0 2
115
GUIA DE RECURSOS

Presidência Geral das Auxiliares Ensinamentos


ESCOLA DOMINICAL para os Nossos
Dias – 2002

A s reuniões do Sacerdócio de
Melquisedeque e da Sociedade de
Socorro no quarto domingo deverão
basear-se nos “Ensinamentos para
Élder John H. Groberg Élder Cecil O. Samuelson Jr. Élder Richard J. Maynes os Nossos Dias”. Todos os anos, a
Primeiro Conselheiro Presidente Segundo Conselheiro Primeira Presidência determina dez
tópicos, com as respectivas referências,
RAPAZES para serem utilizados nessas reuniões.
A seguir, encontram-se os tópicos e
referências designados para 2002. Mais
dois tópicos deverão ser determinados
pela presidência das estacas e distritos.
As discussões nas reuniões do
quarto domingo devem pautar-se em
uma ou talvez duas referências desig-
nadas que melhor se adaptem às cir-
Élder Glenn L. Pace Élder F. Melvin Hammond Élder Spencer J. Condie cunstâncias e necessidades do quórum
Primeiro Conselheiro Presidente Segundo Conselheiro
ou dos membros da classe; os professo-
SOCIEDADE DE SOCORRO res não precisam usar todas as referên-
cias. Incentivamos os líderes e
instrutores a não fazerem mera leitura
ou apresentação durante essas oportu-
nidades de discussão. Eles devem defi-
nir o melhor meio de motivar o
quórum e os membros da classe a apli-
carem os princípios discutidos. Para
mais sugestões no preparo e desenvol-
Irmã Kathleen H. Hughes Irmã Bonnie D. Parkin Irmã Anne C. Pingree vimento das discussões em classe, con-
Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira sulte o manual Ensino, Não Há Maior
MOÇAS Chamado e o Guia de Ensino.
1. Jesus de Nazaré, Salvador e Rei
Mt. 1:18–21; At. 4:8–12;
3 Né. 11:7–17.
“Testemunhas Especiais de Cristo”,
A Liahona, abril de 2001, pp. 2–24
(vídeo opcional: Testemunhas Especiais
de Cristo, código 53584 059).
Russell M. Nelson, “Jesus O Cristo:
Irmã Carol B. Thomas Irmã Margaret D. Nadauld Irmã Sharon G. Larsen Nosso Mestre e Muito Mais”, A
Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira Liahona, abril de 2000, pp. 4–19.
PRIMÁRIA “Jesus Cristo, Nosso Alicerce
Seguro”, lição 1 do Manual Básico
da Mulher SUD, Parte B.
Ensinamentos para os
Nossos Dias — 2003
A lista de assuntos e respectivas
referências para os “Ensinamentos
para os Nossos Dias”, 2003, estará
Irmã Sydney S. Reynolds Irmã Coleen K. Menlove Irmã Gayle M. Clegg à disposição em vários idiomas no site
Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira da Igreja na Internet (www.lds.org),
a partir de julho de 2002.

A L I A H O N A
116
2. Tornar-se Realmente Convertidos Gordon B. Hinckley, Testemunhas’ ”, A Liahona, julho de
como Famílias e Indivíduos “Conselhos e Oração do Profeta 2001, pp. 15–17.
Lc. 18:18–30; Mos. 4:6–7; 5:2; para os Jovens”, A Liahona, abril “A Obra Missionária”, capítulo 33
Al. 5:14–35. de 2001, pp. 30–41. de Princípios do Evangelho.
Gordon B. Hinckley, “O Milagre David B. Haight, “Ser um Elo
9. Encontrar e Apascentar as
da Fé”, A Liahona, julho de 2001, Forte”, A Liahona, janeiro de 2001,
Ovelhas Perdidas do Senhor
pp. 82–85. pp. 23–25.
Lc. 10:25–37; Ef. 2:19;
L. Tom Perry, “Discipulado”, A “A Família Pode Ser Eterna”, capí-
Al. 31:34–35; D&C 18:15–16.
Liahona, janeiro de 2001, pp. 72–74. tulo 36 de Princípios do Evangelho.
Thomas S. Monson, “Sua Viagem
Dallin H. Oaks, “O Desafio de
7. Fortalecer o Lar e a Família Eterna”, A Liahona, julho de 2000,
Tornar-se”, A Liahona, janeiro de
Contra o Mal pp. 56–59.
2001, pp. 40–43.
Isa. 52:11; Jo. 15:1–4; Jacó Henry B. Eyring, “ ‘Velai Comigo’ ”,
“Caridade”, capítulo 30 de
3:10–12; D&C 121:45. A Liahona, julho de 2001, pp. 44–47.
Princípios do Evangelho.
Thomas S. Monson, “Pornografia – “Integração: Uma
3. Permanecer Fiéis ao Nosso Inimigo Mortal”, A Liahona, novem- Responsabilidade do Sacerdócio”,
Convênio Batismal bro de 2001, pp. 2–6. lição 10 de Deveres e Bênçãos do
Mt. 3:13–17; 2 Né. 31:5–20; Neal A. Maxwell, “As Tentações e Sacerdócio, Parte B.
Mos. 18:7–10. Seduções do Mundo”, A Liahona,
10. Receber as Bênçãos do Templo
James E. Faust, “Nascer de janeiro de 2001, pp. 43–46.
Salm. 24:3–5; D&C 109:12–23;
Novo”, A Liahona, julho de 2001, “Pureza Moral”, lição 34 de
110:6–10.
pp. 68–71. Deveres e Bênçãos do Sacerdócio,
Boyd K. Packer, “O Templo
Robert D. Hales, “O Convênio do Parte A.
Sagrado”, A Liahona, junho de 1992,
Batismo: Estar no Reino e Ser do
8. Participar do Serviço Missionário pp. 14–23.
Reino”, A Liahona, janeiro de 2001,
como Famílias e Indivíduos Russell M. Nelson, “Preparação
pp. 6–9.
Mc. 16:15; D&C 18:15–16; Pessoal para as Bênçãos do Templo”,
“Batismo, um Convênio
34:4–6; 60:1–2; 88:81; 123:12. A Liahona, julho de 2001, pp. 37–40.
Constante”, lição 29 de Deveres e
M. Russell Ballard, “Os Membros “Nossa Responsabilidade Quanto
Bênçãos do Sacerdócio, Parte A.
São a Chave”, A Liahona, setembro de ao Templo e à História da Família”,
4. Encontrar Felicidade e Paz 2000, pp. 12–21. lição 8 de Deveres e Bênçãos do
por Intermédio da Expiação Jeffrey R. Holland, “ ‘Ser-me-eis Sacerdócio, Parte B. 
Isa. 1:16–20; 2 Né. 9:18–21;
Al. 34:14–16; 38:8–9; D&C O nível do balcão, do Centro de Conferências, durante uma das sessões.
18:10–13.
Boyd K. Packer, “ ‘O Toque da Mão
do Mestre’ ”, A Liahona, julho de 2001,
pp. 25–28.
Richard G. Scott, “O Caminho da
Paz e Alegria”, A Liahona, janeiro de
2001, pp. 31–33.
“Arrependimento”, capítulo 19 de
Princípios do Evangelho.
5. Desenvolver um Testemunho
das Verdades do Evangelho
Jo. 7:17; Al. 5:44–46; 32:27–28;
Ét. 12:6; Morô. 10:4–5; D&C 6:20–23.
James E. Faust, “Um Testemunho
Crescente”, A Liahona, janeiro de
2001, pp. 69–71.
Joseph B. Wirthlin, “Testemunho
Puro”, A Liahona, janeiro de 2001,
pp. 27–30.
“Um Testemunho do Evangelho
de Jesus Cristo”, lição 26 de Deveres
e Bênçãos do Sacerdócio, Parte A.
6. Deixar aos Filhos uma Herança
de Fé
Prov. 22:6; Mat. 5:13–16;
Tit. 2:1–8; 1 Né. 1:1; D&C 68:25–28.

J U L H O D E 2 0 0 2
117
D. Kelly Ogden, “Lembrar-se do Denalee Chapman, “As Três
Guia de Recursos — Dia do Senhor”, A Liahona, maio de Perguntas” A Liahona, novembro de
Sacerdócio 1998, pp. 16–23.
“Entoai a Deus Louvor”, Hinos,
2000, pp. 46–47.
“Guarda os Mandamentos”, Hinos,
Aarônico Manual 3 nº. 100. nº 194.
(Para ser utilizado como suplemento
— e não para substituir — as lições Lição 30: Um Portador Lição 35: Fé no Senhor Jesus Cristo
de 26 a 49.) do Sacerdócio Aarônico Gordon B. Hinckley, “Não Temas,
Respeita a Feminilidade Crê Somente”, A Liahona, outubro de

P ede-se que as lições sejam minis-


tradas na ordem em que foram
impressas. Nota: O manual não inclui
Thomas S. Monson, “ ‘Eis Aí Tua
Mãe,’ ” A Liahona, abril de 1998,
pp. 2–7.
2000, pp. 26–29.
“Fé em Jesus Cristo”, A Liahona,
março de 2002, pp. 42–43.
uma lição específica para o Natal. Se Russell M. Nelson, “Nosso Dever “Creio em Cristo”, Hinos, nº 66.
você deseja dar uma aula especial no Sagrado de Honrar as Mulheres”, A
Lição 36: Bênçãos Patriarcais
Natal (22 de dezembro), sugerimos uti- Liahona, julho de 1999, pp. 45–48.
James E. Faust, “As Bênçãos do
lizar discursos de conferência, artigos e “Ó Meu Pai”, Hinos, no. 177.
Sacerdócio”, A Liahona, janeiro de
hinos que se relacionem com o nasci- Lição 31: Escolher uma 1996, pp. 67–70.
mento, a Expiação, a Ressurreição e a Companheira Eterna “Como Posso Preparar-me para
vida e missão do Salvador. Gordon B. Hinckley, “As Receber a Bênção Patriarcal?”, A
Lição 26: Bênçãos da Castidade Obrigações da Vida”, A Liahona, Liahona, agosto de 2001, pp. 22–24.
“O Que os Profetas Ensinam a res- maio de 1999, pp. 2–7. “Deus Fala a Seus Filhos por Meio
peito de Castidade e da Fidelidade”, A Richard G. Scott, “Faze o Bem”, de Revelação Pessoal”, A Liahona,
Liahona, outubro de 1999, pp. 26–29. A Liahona, março de 2001, pp. 10–17. maio de 1999, p. 25.
Jeffrey R. Holland, “Pureza Alfonso Castro Vázquez, “ ‘Quero
Lição 37: Frutos e Dons do Espírito
Pessoal”, A Liahona, janeiro de 1999, uma Família Eterna’ ”, A Liahona,
Thomas S. Monson, “ ‘O Espírito
pp. 89–92. agosto de 2000, pp. 26–28.
Vivifica’ ”, A Liahona, junho de 1997,
Robert Layton, “E a Abstinência?”, Lição 32: Preparar-se para a pp. 2–7.
A Liahona, novembro de 1999, Investidura no Templo John B. Dickson, “Os Dons
pp. 42–43. James E. Faust, “ ‘Quem Subirá Incomparáveis”, A Liahona, outubro
Terrance D. Olson, “Verdades ao Monte do Senhor?’ ”, A Liahona, de 1999, pp. 18–24.
acerca da Pureza Moral”, A Liahona, agosto de 2001, pp. 2–5. “Um Deus de Milagres”, A
outubro de 1999, pp. 30–39. Carlos E. Asay, “O Garment do Liahona, novembro de 1999, pp. 8–11.
Lição 27: O Corpo É um Templo Templo”, A Liahona, setembro de Ronal Navarro Gutiérrez,
Boyd K. Packer, “ ‘Sois o Templo 1999, pp. 32–39. “Conduzido pelo Espírito”, A Liahona,
de Deus’ ”, A Liahona, janeiro de F. David Stanley, “O Passo Mais novembro de 1998, pp. 8–9.
2001, pp. 85–88. Importante”, A Liahona, outubro de
Lição 38: O Puro Amor de Cristo
Colleen Whitley, “’Não Estou 2001, pp. 34–37.
Thomas S. Monson, “Aqueles Que
Prejudicando Ninguém’”, A Liahona, Carol B. Thomas, “Preparar Nossa
Amam Jesus”, A Liahona, março de
março de 2000, pp. 40–42. Família para o Templo”, A Liahona,
1999, pp. 2–7.
julho de 1999, pp. 13–15.
Lição 28: Resistir à Tentação Todd Dunn, “ ‘Olá, José’ ”, A
Boyd K. Packer, “O Espírito de Lição 33: Casamento Celestial — Liahona, fevereiro de 2000, p. 43.
Revelação”, A Liahona, janeiro de Uma Preparação para a Eternidade Linda A. Peterson, “Minha
2000, pp. 26–29. Richard G. Scott, “Receber as Heroína”, A Liahona, dezembro de
Neal A. Maxwell, “As Tentações e Bênçãos do Templo”, A Liahona, julho 1999, pp. 34–35.
Seduções do Mundo”, A Liahona, de 1999, pp. 29–31. Jeanie McAllister, “ ‘A Caridade
janeiro de 2001, pp. 43–46. “Cuidar do Casamento” A Liahona, Nunca Falha’ ” A Liahona, fevereiro
Darrin Lythgoe, “Resistir à maio de 2000, p. 25. de 1999, pp. 26–31.
Tentação”, A Liahona, novembro de Larry E. Dahl, “A Lei Maior” A
Lição 39: Banquetear-se nas
2001, p. 7. Liahona, agosto de 1999, pp. 16–24.
Palavras de Cristo
Brad Wilcox, “Pergunta Perigosa”, “As Famílias Poderão Ser Eternas”
Robert D. Hales, “A Cura da Alma
A Liahona, maio de 2000, pp. 32–35. Hinos, nº 191.
e do Corpo”, A Liahona, janeiro de
Lição 29: Observância do Sábado Lição 34: Obediência 1999, pp. 16–19.
James E. Faust, “O Dia do James E. Faust, “Obediência: O Trisha Swanson Dayton, “Vencer
Senhor”, A Liahona, janeiro de 1992, Caminho Que Conduz à Verdadeira Minha Guerra”, A Liahona, agosto de
pp. 36–39. Liberdade”, A Liahona, julho de 1999, 2001, pp. 26–28.
Brian Lewis, “O Propósito da pp. 53–56. George A. Horton Jr., “Aplicar as
Primária”, A Liahona, fevereiro de Kenneth Johnson, “ ‘Pela Mesma Escrituras a Nós Mesmos”, A Liahona,
1999, pp. 46–47. Doutrina Conhecerá’ ”, A Liahona, agosto de 2000, pp. 44–45.
junho de 1999, pp. 11–15.

A L I A H O N A
118
“Estudando as Escrituras”, Hinos, “Eu Devo Partilhar” Hinos, Gordon Swensen, “O Braço da
nº 176. nº 135. Honra”, A Liahona, março de 2001,
pp. 8–9.
Lição 40: Fazer a Obra Missionária Lição 45: Fortalecer Testemunhos
Robert J. Matthews, “ ‘Não Dirás
David B. Haight, “Sua Missão: Partilhando-os
Falso Testemunho’ ”, A Liahona,
Uma Aventura Espiritual”, A Liahona, Gordon B. Hinckley, “Meu
novembro de 1998, pp. 14–21.
outubro de 2001, pp. 12–16. Testemunho”, A Liahona, julho de
Richard D. Draper, “ ‘Não Furtarás’”,
M. Russell Ballard, “Agora É o 2000, pp. 82–85.
A Liahona, outubro de 1998, pp. 26–31.
Momento”, A Liahona, janeiro de James E. Faust, “Um Testemunho
2001, pp. 88–91. Crescente”, A Liahona, janeiro de Lição 48: Preparar-se para Servir
Barbara Jean Jones, “É o Seu 2001, pp. 69–71. por Meio da Educação
Chamado”, A Liahona, outubro de Joseph B. Wirthlin, “Testemunho Gordon B. Hinckley, “Conselhos e
2001, pp. 20–23. Puro”, A Liahona, janeiro de 2001, pp. Oração do Profeta para os Jovens”, A
“Chamados a Servir”, Hinos, 27–30. Liahona, abril de 2001, pp. 30–41.
nº 166. “Testemunho”, Hinos, nº 71. Anne Yelvington Lynch, “Asas”, A
Liahona, fevereiro de 2000, pp. 26–29.
Lição 41: Tornar-se Mais Lição 46: Ensino Familiar Eficiente
Darrin Lythgoe, “As Recompensas
Semelhante a Nosso Salvador Russell M. Nelson, “Pastores,
do Aprendizado”, A Liahona, novem-
Dallin H. Oaks, “O Desafio de Ovelhas e Mestres Familiares”, A
bro de 1999, p. 48.
Tornar-se”, A Liahona, janeiro de Liahona, abril de 1999, pp. 42–48.
2001, pp. 40–43. Malcolm W. Watson, “Mestres Lição 49: Temos um Legado
Richard C. Edgley, “ ‘Eis Aqui o Familiares até o Fim”, A Liahona, Maravilhoso
Homem’ ”, A Liahona, janeiro de setembro de 2000, pp. 43–44. Jeffrey R. Holland, “Como Pombas
2000, pp. 49–51. Kellene Ricks Adams, “Como nas Janelas”, A Liahona, julho de
Yessika Delfin Salinas, “ ‘Orai por Tornar-se um Mestre Familiar ou 2000, pp. 90–93.
Vossos Inimigos’ ”, A Liahona, setem- Professora Visitante Melhor”, Stephen B. Oveson, “Nosso
bro de 2000, pp. 8–10. A Liahona, setembro de 1998, Legado”, A Liahona, janeiro de 2000,
“Sim, Eu Te Seguirei”, Hinos, nº 134. pp. 34–45. pp. 34–36.
“Importa Realmente Se Somos
Lição 42: Ser Humilde e Pronto a Lição 47: Honestidade
Parentes dos Pioneiros?”, A Liahona,
Aprender James E. Faust, “ ‘Buscamos Estas
março de 1998, pp. 30–32.
James E. Faust, “Encontrar Vida Coisas’ ”, A Liahona, julho de 1998,
“Constantes Qual Firmes
Abundante”, A Liahona, novembro de pp. 48–51.
Montanhas”, Hinos, nº 184. 
2000, pp. 2–6.
Neal A. Maxwell, “ ‘Arrepender-
nos de Nosso Egoísmo’ (D&C 56:8),”
A Liahona, julho de 1999, pp. 26–28.
Sam and Christie Giles, “ ‘Não O
Queremos Aqui’ ”, A Liahona, junho
de 1999, pp. 38–40.
“Sê Humilde”, Hinos, nº 74.
Lição 43: Pensamentos e Linguagem
James E. Faust, “Capacidade de
Autocontrole”, A Liahona, julho de
2000, pp. 52–55.
Cree-L Kofford, “Seu Bom Nome
Está Seguro em Nossa Casa”, A
Liahona, julho de 1999, pp. 96–98.
H. David Burton, “Honrar o
Sacerdócio”, A Liahona, julho de
2000, pp. 46–48.
Lição 44: Serviço aos Outros
Gordon B. Hinckley, “ ‘Não
Tenhais Receio de Praticar o Bem’ ”,
A Liahona, fevereiro de 2000, pp. 2–5.
D. Todd Christofferson, “O
Quórum do Sacerdócio”, A Liahona,
janeiro de 1999, pp. 47–49.
Roger Terry, “ ‘Um Destes Meus
Pequeninos Irmãos’ ”, A Liahona,
dezembro de 2000, pp. 18–24.

J U L H O D E 2 0 0 2
119
Lição 29: Uma Mudança “Vencer o Mundo”, A Liahona,
Guia de no Coração setembro de 2000, pp. 26–27.
Recursos — James E. Faust, “Nascer de Novo”,
A Liahona, julho de 2001, pp. 68–71.
Lição 34: Afastar-se da
Moças Manual 3 Spencer J. Condie, “A Disposição
Desonestidade
James E. Faust, “Honestidade —
(Para ser utilizado como suplemento de Fazer o Bem Continuamente”, A
— e não para substituir — as lições Uma Bússola Moral”, A Liahona,
Liahona, junho de 2001, pp. 14–21.
de 26 a 49.) janeiro de 1997, pp. 44–47.
Robert L. Millet, “Despojar-se do
Robert J. Matthews, “ ‘Não Dirás
Homem Natural”, A Liahona, agosto

P ede-se que as lições sejam minis-


tradas na ordem em que foram
impressas. Nota: O manual não inclui
de 2000, pp. 6–10.
Juan Antonio Flores, “Mudança
de Vida”, A Liahona, maio de 1998,
Falso Testemunho’ ”, A Liahona,
novembro de 1998, pp. 14–21.
Richard D. Draper, “ ‘Não
uma lição específica para o Natal. Se Furtarás’”, A Liahona, outubro
pp. 40–41.
você deseja dar uma aula especial no de 1998, pp. 26–31.
Natal (22 de dezembro), sugerimos uti- Lição 30: O Estudo das Escrituras
Lição 35: Decisões sobre o Namoro
lizar discursos de conferência, artigos e L. Tom Perry, “Deixe a Palavra
Richard G. Scott, “Faze o Bem”,
hinos que se relacionem com o nasci- Penetrar-lhe a Alma”, A Liahona,
A Liahona, março de 2001, pp. 10–17.
mento, a Expiação, a Ressurreição novembro de 1996, pp. F2–3.
Tamara Leatham Bailey,
e a vida e missão do Salvador. Trisha Swanson Dayton, “Vencer
“Freqüentadora do Templo”, A
A=O Amigo. Minha Guerra”, A Liahona, agosto
Liahona, maio de 1999, pp. 46–48.
de 2001, pp. 26–28.
Lição 26: Arrependimento “As Famílias Poderão Ser Eternas”,
“‘Podeis Saber a Verdade’”, A
Richard G. Scott, “O Caminho da Hinos, nº 191.
Liahona, outubro de 2000, pp. 22–24.
Paz e Alegria”, A Liahona, janeiro de George A. Horton Jr., “Aplicar as Lição 36: Padrões no Casamento
2001, pp. 31–33. Escrituras a Nós Mesmos”, A Liahona, “O Que os Profetas Ensinam a res-
Henry B. Eyring, “Não Deixem agosto de 2000, pp. 44–45. peito de Castidade e da Fidelidade”,
para Depois”, A Liahona, janeiro de A Liahona, outubro de 1999,
2000, pp. 38–41. Lição 31: Servir na Igreja
pp. 26–29.
“Como Encontrar a Paz Interior”, Thomas S. Monson, “Como
Jeffrey R. Holland, “Pureza
A Liahona, junho de 2000, pp. 32–33. Mostramos Nosso Amor?”, A Liahona,
Pessoal”, A Liahona, janeiro de 1999,
“Vinde a Cristo”, Hinos, nº 69. fevereiro de 1998, pp. 2–7.
pp. 89–92.
M. Russell Ballard, “Ancorados na
Lição 27: Perdoar-nos a Nós Lola B. Walters, “A Síndrome do
Fé e na Devoção”, A Liahona, agosto
Mesmos Grapefruit”, A Liahona, setembro de
de 2001, pp. 30–40.
Gordon B. Hinckley, “Como Posso 1999, p. 24.
Peter B. Gardner, “Nos Bastidores”,
Tornar-me a Mulher que Sempre Quis “Casamento Celestial”, A Liahona,
A Liahona, fevereiro de 2000,
Ser?”, A Liahona, julho de 2001, outubro de 1998, p. 25.
pp. 22–23.
pp. 112–115. “Nossa Lei É Trabalhar”, Hinos, Lição 37: A Palavra de Deus como
“Como Posso Saber Se Fui nº 142. Padrão
Perdoado?”, A Liahona, novembro de Richard G. Scott, “Perguntas
1999, pp. 26–28. Lição 32: Servir na Comunidade
Sérias, Respostas Sérias”, A Liahona,
Patricia H. Morrell, “Por Favor, Thomas S. Monson, “ ‘O Exemplo
setembro de 1997, pp. 28–32.
Perdoe-me”, A Liahona, setembro de dos Fiéis’ ”, A Liahona, janeiro de
Larry E. Dahl, “A Lei Maior”, A
1998, p. 7. 1993, pp. 105–107.
Liahona, agosto de 1999, pp. 16–24.
Roderick J. Linton, “Cultivar o Roger Terry, “ ‘Um Destes Meus
Zoltán Soltra, “Qual Será o Fardo
Perdão”, A Liahona, junho de 1998, Pequeninos Irmãos’ ”, A Liahona,
Mais Pesado?”, A Liahona, abril de
pp. 28–33. dezembro de 2000, pp. 18–24.
1999, p. 29.
“‘A Serviço de Vosso Próximo’”,
Lição 28: Consagração e Sacrifício “Estuda a Minha Palavra”, A
A Liahona, agosto de 1998, pp. 14–15.
James E. Faust, “O Preço de Ser Liahona, março de 1998, p. 25.
“Eu Devo Partilhar”, Hinos,
um Discípulo”, A Liahona, abril de nº 135. Lição 38: Bons Hábitos de Saúde
1999, pp. 2–6. Gordon B. Hinckley, “Conselhos e
M. Russell Ballard, “A Lei do Lição 33: Toda Pessoa É Divina
Oração do Profeta para os Jovens”, A
Sacrifício”, A Liahona, março de 2002, e Eterna
Liahona, abril de 2001, pp. 30–41.
pp. 10–20. Gordon B. Hinckley, “A Luz
Neal A. Maxwell, “Sabedoria e
Donald L. Enders, “Primeiros Interior de Cada Uma”, A Liahona,
Ordem”, A Liahona, dezembro de
Seguidores Fiéis”, A Liahona, fevereiro julho de 1995, pp. 104–106. .
2001, pp. 18–23.
de 2001, pp. 38–45. Ronald A. Rasband, “Um por
Jennifer Parry, “Ser Aceita”, A
Laury Livsey, “Eu Irei e Um”, A Liahona, janeiro de 2001,
Liahona, março de 2000, pp. 11–12.
Cumprirei”, A Liahona, fevereiro de pp. 36–37.
Colleen Whitley, “ ‘Não Estou
1998, pp. 8–11. “‘Lembre-se de Quem Você É’”,
Prejudicando Ninguém’ ”, A Liahona,
A Liahona, junho de 2001, pp. 46–47.
março de 2000, pp. 40–42.

A L I A H O N A
120
Lição 39: Reconhecer Nosso Valor Jeanette Waite Bennett, “Eu Não Lição 46: Administração Financeira
Individual Me Encaixo”, A Liahona, junho de Gordon B. Hinckley, “Para Rapazes
Russell M. Nelson, “Somos Filhos 1999, p. 41. e para Homens”, A Liahona, janeiro
de Deus”, A Liahona, janeiro de 1999, de 1999, pp. 63–66.
Lição 44: Evitar uma Vida de Crises
pp. 101–104. Marvin J. Ashton, “Guia de
Sucessivas
Sam and Christie Giles, “ ‘Não O Finanças da Família”, A Liahona,
Gordon B. Hinckley, “Seu Maior
Queremos Aqui’ ”, A Liahona, junho abril de 2000, pp. 42–47.
Desafio, Mãe”, A Liahona, janeiro de
de 1999, pp. 38–40. Joe J. Christensen, “Ganância,
2001, pp. 113–16.
Jack Weyland, “A Lista de Egoísmo e Indulgência Excessiva”,
Jeffrey R. Holland, “ ‘Não
Qualidades”, A Liahona, março de A Liahona, julho de 1999, pp. 9–12.
Rejeiteis, Pois, a Vossa Confiança’ ”,
1999, pp. 40–45. “A Importância de Vivermos de
A Liahona, junho de 2000, pp. 34–42.
“A Vitória”, A Liahona, agosto de Acordo com Nossas Possibilidades”,
Paula J. Lewis, “Cinco Maneiras
1998, pp. 40–41. A Liahona, maio de 2001, p. 25.
de Reduzir o Estresse”, A Liahona,
Lição 40: Amar-nos a Nós Mesmos setembro de 2000, p. 24. Lição 47: Mensagens dos Profetas
e ao Próximo Modernos
Lição 45: Como Escolher uma
James E. Faust, “ ‘Aos Que Me M. Russell Ballard, “ ‘Suas Palavras
Profissão
Honram Honrarei’ ”, A Liahona, julho Recebereis’ ”, A Liahona, julho de
Gordon B. Hinckley, “Conselhos e
de 2001, pp. 53–56. 2001, pp. 79–82.
Oração do Profeta para os Jovens”, A
Stephen A. West, “ ‘De Pequenas Dennis B. Neuenschwander,
Liahona, abril de 2001, pp. 30–41.
Coisas’ ”, A Liahona, julho de 1999, “Profetas Vivos: Videntes e
Gordon B. Hinckley, “As
pp. 32–34. Reveladores”, A Liahona, janeiro
Obrigações da Vida”, A Liahona,
Anne Billings, “Popularidade,” A de 2001, pp. 49–51.
maio de 1999, pp. 2–7.
Liahona, fevereiro de 1999, p. 24. Neil L. Andersen, “Profetas e
“Amai-vos Uns aos Outros”, Hinos, Grilos Espirituais”, A Liahona, janeiro
nº 197. de 2000, pp. 18–20. 
Lição 41: Ser Digna de Confiança
Gordon B. Hinckley, “A Busca da
Excelência”, A Liahona, setembro de
1999, pp. 2–8.
Gordon B. Hinckley, “Não Deixe a
Bola Cair”, A Liahona, setembro de
1998, pp. F2–3.
Denalee Chapman, “As Três
Perguntas”, A Liahona, novembro de
2000, pp. 46–47.
Lição 42: Preparar-se para as
Mudanças
Gordon B. Hinckley, “Não Temas,
Crê Somente”, A Liahona, outubro de
2000, pp. 26–29.
Lance B. Wickman, “Você no
Futuro”, A Liahona, novembro de
2000, pp. 22–24.
Anja Müller, “Preparar-se para as
Tempestades da Vida”, A Liahona,
março de 2000, pp. 12–13.
Lição 43: O Relacionamento com
Outras Pessoas
Thomas S. Monson, “O Farol do
Senhor — Mensagem para os Jovens
da Igreja”, A Liahona, maio de 2001,
pp. 2–7.
Yessika Delfin Salinas, “ ‘Orai por
Vossos Inimigos’ ”, A Liahona, setem-
bro de 2000, pp. 8–10.
Linda A. Peterson, “Minha
Heroína”, A Liahona, dezembro de
1999, pp. 34–35.

J U L H O D E 2 0 0 2
121
NOTÍCIAS DA IGREJA

Élder Gerald N.
Lund
Dos Setenta

Os membros da Igreja erguem a mão para apoiar os novos líderes


durante a sessão da tarde de sábado.
“Deus não engana ninguém e nin-
guém engana a Deus”, costu-
mava dizer sempre meu pai. Ele
também nos dizia com freqüência:
Novas Autoridades Gerais e “Deus é muito generoso e nos dá
muitas bênçãos”, diz o Élder Gerald N.
de Área e Nova Presidência Geral Lund, recém chamado membro dos
da Sociedade de Socorro Setenta.
“Crescemos com essa filosofia,”
prossegue, “e ela ainda define a

A s recém-chamadas Autoridades
Gerais, Setentas-Autoridades
de Área e membros da presidência
Em suas palavras de abertura da
sessão do sábado pela manhã, o
Presidente Gordon B. Hinckley falou
forma como me sinto a respeito do
serviço. Quanto mais tento agrade-
cer a Deus, mais Ele parece aben-
geral da Sociedade de Socorro foram sobre o crescimento contínuo da çoar-me, o que por sua vez me
apoiadas em 6 de abril, durante a Igreja. Ele se referiu às impressões coloca cada vez mais em dívida para
172ª Conferência Geral Anual. positivas sobre a Igreja recebidas pelas com Ele. Nunca se consegue ficar
O Élder Gerald N. Lund e o Élder centenas de milhares de visitantes, em dia com Deus.”
William R. Walker foram chamados líderes governamentais e mídia, Quando Gerald Lund retornou do
para servir no Segundo Quórum dos quando visitaram Salt Lake City por serviço missionário, ele decidiu que
Setenta. Bonnie D. Parkin foi cha- ocasião dos Jogos Olímpicos de iria trabalhar em lugar de freqüentar
mada como presidente geral da Inverno. Falou também sobre o uma faculdade.
Sociedade de Socorro, com Kathleen sucesso do crescente Fundo Perpétuo “Comecei a trabalhar na área de
H. Hughes como primeira conselheira de Educação anunciado no último construção,” explica. “Depois de
e Anne C. Pingree como segunda mês de abril, o qual está atualmente uma semana limpando formas de
conselheira. ajudando cerca de 2.400 jovens san- cimento com uma escova muito
Foram chamados também trinta tos dos últimos dias de países em dura, percebi que não era assim que
novos Setentas-Autoridades de desenvolvimento a obterem instrução. queria passar a vida.”
Área—13 dos Estados Unidos, dois Durante a sessão do sacerdócio, o Ele matriculou-se imediatamente
do Brasil, dois do Japão e um da Presidente Hinckley falou dura- na Universidade Brigham Young,
Argentina, Austrália, Bolívia, Chile, mente contra o abuso dos cônjuges, onde concluiu seu grau de bacharel
Equador, Inglaterra, Gana, Hong dos idosos e das crianças. “É algo e seu mestrado. A decisão de ir para
Kong, Coréia, Nova Zelândia, que não pode ser admitido ou tole- a faculdade não apenas mudou sua
Paraguai, Peru e Uruguai. rado”, disse ele.  vida, mas também resultou em
A L I A H O N A
122
muitos anos de ensino do evangelho ao Segundo Quórum do Setenta, o lembrar-me daquela imagem. Ela
a um número incontável de santos Élder Lund estava servindo como teve uma profunda influência em
dos últimos dias. Presidente da Estaca Universidade mim durante a infância. Cresci
Gerald Lund começoçu a dar Brigham Young 14.  amando os líderes da Igreja,” diz ele.
aulas no seminário em Salt Lake City O Élder William R. Walker nas-
em 1965, iniciando uma carreira de ceu em 25 de maio de 1944, tendo
34 anos no Sistema Educacional da como pais J. Harris e Beth Russell
Igreja. Além dos primeiros anos em Walker. Depois de cumprir uma mis-
que ensinou o seminário, ele ensinou são de tempo integral no Japão, ele
o instituto, serviu como diretor do freqüentou a Universidade Brigham
instituto, trabalhou com redador de Young onde conheceu a esposa,
materiais curriculares e realizou uma Vicki Van Wagenen. Casaram-se no
série de designações administrativas. Templo de Salt Lake em 10 de
Ele é também autor de muitos livros junho de 1968 e têm cinco filhos.
e artigos populares. Após sua formatura, os Walker
O Élder Lund nasceu em mudaram- se para Vancouver,
Fountain Green, Condado de Colúmbia Britânica, no Canadá,
Sanpete, Utah, filho de Jewell e onde ele iniciou sua carreira na área
Evelyn Lund em 12 de setembro de de investimentos como corretor da
1939. A família mudou-se para Salt bolsa de valores. Os Walker residi-
Lake City quanto ele estava com um ram em Salt Lake City; em Concord,
ano de idade e posteriormente para Élder William R. Califórnia; em Dunwoody, Georgia;
Murray, Utah, onde ele passou e em Kenilworth, Illinois antes de
grande parte de sua adolescência.
Walker retornarem a Utah em 1988. Ele era
Em 1963, casou-se com Retta presidente de uma subsidiária do
Lynn Stanard, de Great Falls, Dos Setenta American Express e posteriormente
Montana. Eles têm 7 filhos e 17
netos. A irmã Lund é uma musicista
talentosa e publica muitos de seus
Q uando criança, na pequena
comunidade santos dos últi-
mos dias de Raymond, em Alberta,
ocupou cargos executivos em dois
dos maiores bancos do mundo,
Citibank e Barclays Bank.
arranjos. Os Lund colaboraram em no Canadá, William Walker com O Élder Walker adora cuidar das
várias cantatas de Natal e de Páscoa. freqüência visitava a casa dos avós, flores e das árvores frutíferas que
O Élder Lund serviu como presi- que viviam perto dele. Lá, pendu- possui em seu jardim. Ele e a esposa
dente de ramo, bispo e conselheiro rada na parede havia uma foto da têm tido também muitas oportuni-
de bispo. Por ocasião de seu chamado Primeira Presidência. “Ainda consigo dades de trabalhar no cultivo dos
jardins do Senhor. Eles foram cha-
Participantes da conferência passeiam pelo Tabernáculo, na Praça mados para presidirem a missão
do Templo. Japão Tóquio Sul em 1990 e ele ser-
via como presidente da Estaca
Sandy Utah Cottonwood Creek por
ocasião de seu chamado ao Segundo
Quórum dos Setenta. Ele foi bispo
duas vezes, sumo conselheiro e
agente regional de bem-estar.
“Uma parte importante de minha
vida foi a missão que servi quando
jovem”, disse o Élder Walker. “O
Presidente Hinckley visitou o Japão
três vezes enquanto lá estive. Em
uma das visitas à casa da missão, ele
disse ao meu companheiro e à mim
para que nos preparássemos para ser
bispos e presidentes de estaca. Isso
realmente surpreendeu-nos. Mas fui
abençoado para ver o cumprimento
daquele maravihoso incentivo de
um profeta de Deus.” 
J U L H O D E 2 0 0 2
123
Lago Salgado, que fora colonizado Irmã Parkin serviu na junta geral
pelo avô de seu pai, sob a orientação da Sociedade de Socorro de 1990 a
do Presidente Brigham Young. Os 1994, quando foi chamada como
pais de sua mãe eram conversos suí- segunda conselheira da presidência
ços que se estabeleceram perto de geral das Moças. Depois, em 1997,
Idaho Falls, Idaho. seu marido foi chamado para servir
Em 1962, a Irmã Parkin recebeu o durante três anos como presidente
grau de bacharel na Universidade do da Missão Inglaterra Londres Sul.
Estado de Utah e logo depois come- “A bênção de servir uma missão
çou a ensinar a terceira série em com meu marido fortaleceu-me
Bountiful, Utah. Em fevereiro de muito”, diz ela. “Nós amamos os
1963, conheceu James L. Parkin, que santos ingleses, assim como nossos
estava no primeiro ano da faculdade élderes e sísteres, e aprendemos
de medicina, na Universidade de muito com eles”.
Utah. Eles se casaram em 1º de julho Ansiosa para encorajar as moças
de 1963, no Templo de Salt Lake. a descobrir as alegrias da Sociedade
Bonnie D. Parkin Atualmente, pais de 4 filhos e de Socorro e para que as irmãs dessa
avós de 14 netos, a família Parkin organização alcancem as moças, a
Presidente Geral da Sociedade
de Socorro goza férias familiares no Lago Powell Irmã Parkin diz: “Para todas as
ou esquiando nas montanhas. A irmãs, a Sociedade de Socorro é um

M uitas das coisas boas em
minha vida aconteceram por
causa da Sociedade de Socorro,” diz
Irmã Parkin também gosta de cuidar
do jardim, jogar tênis e caminhar
pela manhã.
lugar que nos pode ajudar a vir a
Cristo”. 

Bonnie D. Parkin. “Creio na bon- “Ao analisar minha vida noto que
dade das mulheres para cuidar umas todos os chamados me têm fortale-
das outras de modo a encorajar-se cido”, diz ela. “Ser chamada para ser-
mutuamente. vir como presidente da Sociedade de
Nascida no dia 4 de agosto de Socorro quando era uma das mães
1940, filha de Jesse H. e Ruth mais jovens de minha ala, foi um
Butikofer Dansie, Irmã Parkin é a desafio, mas, uma doce paz me inva-
terceira em uma família de cinco diu quando as mulheres da ala me
filhos. Ela foi criada em Herriman, aceitaram. Esse chamado abençoou
Utah, na parte sudoeste do Vale do minha vida e me ajudou a crescer”.

Um coro formado pelo Instituto de Logan e de Ogden apresenta-se


durante a sessão da tarde de sábado.

Kathleen H.
Hughes
Primeira Conselheira, Presidência
Geral da Sociedade de Socorro

O
“ Pai Celestial concedeu às
mulheres muitos dons, habilida-
des e qualidades maravilhosos”, diz
Kathleen H. Hughes, recém chamada
primeira conselheira na presidência
geral da Sociedade do Socorro. “Com
Sua ajuda, e com a ajuda uns dos
outros, não falharemos.”
A irmã Hughes diz que as pala-
vras das escrituras, juntamente com
seu conhecimento de que é filha de
A L I A H O N A
124
Deus, tem sido um alicerce para ela e como diretora na Escola Distrital de inglês na Universidade de Utah e foi
tem-na ajudado a encontrar a paz, Provo (Utah) desde 1985. professora voluntária de alfabetiza-
mesmo durante os períodos difíceis de Mas recentemente a irmã ção de crianças de origem hispânica
sua vida. Certa ocasião, por exemplo, Hughes serviu como presidente das cursando a escola de ensino funda-
enquanto se debatia com o que pode- Moças da ala. Ela serviu na mental, seguindo o programa: I Can
ria ter sido uma depressão pós-parto, Sociedade de Socorro, Primária e Read Program [Programa Eu Sei Ler].
ela e o marido visitaram a Cadeia de Escola Dominical e na junta geral Foi também professora particular de
Liberty em Missouri. Recapitularam a da Organização das Moças. inglês para imigrantes Laocianos por
experiência pela qual Joseph Smith lá “O propósito da Sociedade de intermédio dos Literacy Volunteers of
passou e leram a revelação que rece- Socorro é o de ajudar as irmãs e as America [Voluntários da Alfabetização
beu e que se encontra registrada em famílias, com a ajuda do sacerdócio, da América].
Doutrina e Convênios 121. A irmã a virem a Cristo”, diz ela. “Sinto “Acho que o Senhor nos propor-
Hughs percebeu que assim como o tanta paz a respeito desse chamado e ciona experiências que nos preparam
Senhor apoiara Joseph Smith, Ele a sei que será uma oportunidade mara- para o que acontecerá no futuro”,
ajudaria a suportar suas próprias pro- vilhosa para trabalhar com essas diz a irmã Pingree, que afirma que
vações. “Foi uma daquelas ocasiões grandes mulheres na presidência.”  sua experiência com a alfabetização
de que sempre nos lembramos” um ajudou a prepará-la para o novo
momento decisivo quando senti a cargo. Ela tem esperanças de, na
presença do Senhor em minha vida e posição de segunda conselheira da
percebi o que as escrituras podem presidência geral da Sociedade de
fazer para trazer consolo e paz”, Socorro, continuar a promover a
diz ela. alfabetização como parte integral da
A irmã Hughes nasceu em 19 de Sociedade de Socorro.
outubro de 1944 em Tooele, Utah, A irmã Pingree diz também que
filha de William Daly e Emma trabalhar com pessoas de outros paí-
Johanson Hurst. Casou-se com o ses serviu-lhe de preparação em
escritor Dean T. Hughes em 23 de outros aspectos. “Minha perspectiva
novembro de 1966 no Templo de e compreensão das mulheres de todo
Salt Lake; eles têm três filhos e o mundo ampliou-se. Elas ensina-
cinco netos. ram-me mais acerca da fé e testemu-
A irmã Hughes recebeu o grau de nho do que eu lhes ensinei”, diz ela.
bacharel em inglês pela Faculdade Os chamados que teve anterior-
Estadual de Weber em 1966 e um mente (participou da junta da
mestrado em educação especial pela Anne C. Pingree Sociedade de Socorro, foi presidente
Universidade Estadual do Missouri da Sociedade de Socorro da estaca e
Central em 1974. Ela deu aulas Segunda Conselheira, Presidência da ala, conselheria na presidência das
Geral da Sociedade de Socorro
durante muitos anos e tem trabalhado Moças da estaca e presidente da

O interior do Centro de
Conferências.
A nne C. Pingree adora ler, mas
adora ainda mais ajudar outras
pessoas a aprenderem a ler.
Primária da ala) fizeram com que a
irmã Pingree passasse a sentir muito
amor a ser muito grata pelas mulheres
Quando estava servindo como da Igreja. “Espero alcançar todas as
missionária com o marido, George C. mulheres e ajudar cada uma a perce-
Pingree, enquanto ele presidia a ber que o Senhor a considera impor-
Missão Nigéria Porto Harcourt, tante. Os profetas disseram-nos que,
empenhou-se em promover a alfabe- sendo mulheres que fizeram convê-
tização, principalmente junto às líde- nios, temos uma contribuição signifi-
res das auxíliares. “Nunca esquecerei cativa a fazer na edificação do reino
a alegria das irmãs ao aprenderem a nos dias atuais. Nossa influência justa
ler. Quando se levantavam nas reu- é importante neste mundo”, diz ela.
niões de treinamento para ler frases A irmã Pingree nasceu em Salt
simples a respeito de suas responsabi- Lake City no dia 11 de junho de
lidades de liderança, as outras mulhe- 1941 e é filha de Ezra T . Clark e
res aplaudiam-nas e elas ficavam Maude Erciskon Clark. Ela e o
muito contentes”, diz a irmã Pingree. marido casaram-se no Templo de
“Abriram-se novos horizontes.” Salt Lake em 1963 e têm cinco
A irmã Pingree formou-se em filhos e quatro netos. 
J U L H O D E 2 0 0 2
125
80 estacas e 13 missões, existem
atualmente nessa nação. O Templo
Manila Filipinas foi dedicado
em 1984.
O Chile tem mais de 520.000 san-
tos dos últimos dias. Quando o
Templo de Santiago do Chile foi dedi-
cado em 1983, o país tinha cerca de
140.000 membros. Em 1988 o Chile
tornou-se a quarta nação do mundo a
atingir 50 estacas. Entre 1983 e 1993,
o número de membros chilenos e o
número de estacas dobrou, tornando
o Chile o país de maior crescimento
da Igreja na América do Sul. O cres-
cimento continuo, incluindo a cria-
ção de 26 novas estacas entre 1994 e
1996, levou à criação da Área
Chilena em 1996. 

Élder Dallin H. Oaks Élder Jeffrey R. Holland

Conferência de
O Élder Oaks e o Élder Holland Abril Disponível
Servirão em meio aos Santos Locais em DVD
A conferência geral de abril está
agora disponível em 16 idiomas

A partir de agosto, o Élder


Dallin H. Oaks e o Élder
Jeffrey R. Holland do Quórum dos
anos nas áreas de desenvolvimento:
o crescimento rápido. “O cresci-
mento rápido tem sido nosso maior
em um único DVD. Com apenas um
toque, os membros podem assistir a
conferência e ouví-la em alemão, can-
Doze Apóstolos servirão em designa- problema”, disse o Presidente tonês, cebuano, coreano, espanhol,
ções fora dos Estados Unidos por um Gordon B. Hinckley em uma entre- ingles, francês, italiano, japonês, man-
período de um ano. O Élder Oaks vista ao Deseret News. “E que pro- darim, português, russo, samoano,
servirá como Presidente de Área das blema maravilhoso é esse.” tagalo, taitiano ou tonganês.
Filipinas e o Élder Holland servirá Em suas novas designações, o Porque o DVD é compatível com
como Presidente de Área do Chile. Élder Oaks e o Élder Holland irão os formatos NTSC, PAL e SECAM,
As designações marcam a pri- auxiliar no treinamento da nova ele pode ser assistido usando-se apare-
meira vez em décadas que um mem- liderança da Igreja e ajudarão os lhos de DVD e de televisão espalha-
bro do Quórum dos Doze Apóstolos novos membros a se integrarem à dos pelo mundo. O conjunto de DVD
residiu e presidiu fora dos Estados Igreja e a freqüentarem o templo. As (item nº 22057059) está disponível
Unidos. O Élder Ezra Taft Benson novas designações também capacita- nos centros de distribuição da Igreja
(1899–1994) e o Élder Mark E. rão os membros do Quórum dos desde junho. 
Petersen (1900–1984) presidiram Doze a adquirir mais experiência
como Apóstolos a Missão Européia para atender tais necessidades.
e a Missão Europa Ocidental respec- O Chile e as Filipinas têm viven-
tivamente. O Élder David O. ciado um rápido crescimento da
McKay (1873–1970) também serviu Igreja nos últimos anos. Nas Filipinas
como presidente de missão quando o número de membros da Igreja atin-
era membro do Quórum dos Doze giu quase meio milhão, com muito
Apóstolos, presidindo a Missão desse crescimento ocorrendo na
Britânica no início da década de 1920. última década. O total de membros
A indicação do Élder Oaks e do nas Filipinas em 1984 era de 76.000,
Élder Holland como presidentes tem em 1990 era de 237.000 e hoje é de
como propósito enfrentar o desafio aproximadamente 496.000. Mais de
que a Igreja vem enfrentando por 1.200 congregações, oganizadas em
A L I A H O N A
126
da Igreja John Taylor (1808–1887) e
Joseph F. Smith (1838–1918). Os
santos fiéis apegaram-se a essas pro-
messas, passando-as de geração a
geração.
“A história e as lendas de
Snowflake têm abundância dessas
histórias”, disse o presidente do
templo Leon T. Ballard, nascido em
Snowflake. “Cresci ouvindo essas
coisas. É por essa razão que consi-
dero este, um templo profético.
FOTOGRAFIA DE SCOTT P. ADAIR, CORTESIA DO CHURCH NEWS

Este templo é a resposta a profe-


cias que foram feitas”, disse Dean
Porter, coordenador do comitê do
Templo de Snowflake Arizona. “É
um tributo não tanto a nós, mas a
nossos antepassados, que deixaram
seu lar em Utah e ganharam a vida
com dificuldade aqui.”
Mais de 11000 membros partici-
param da dedicação do templo.
Embora apenas 9.000 residam na
area de Snowflake, mais de 94.000
Encimando uma colina, o Templo de Snowflake Arizona é o 108º templo participaram da visitação entre 2 e
da Igreja em funcionamento. Ele representa o cumprimento de uma 16 de fevereiro. O Presidente
profecia e um tributo à fé dos pioneiros. Ballard disse que muitos milhares de
visitantes estiveram lá devido aos
laços ancestrais que têm naquela
O Presidente Hinckley Dedica area. “E com esse entusiasmo trou-
o Templo de Snowflake Arizona xeram consigo seus amigos”, disse
ele. Esse entusiasmo pelo novo tem-
plo não diminuiu desde a dedicação.
“Temos 24 sessões por semana, e

O Presidente Gordon B.
Hinckley dedicou o Templo
de Snowflake—o Segundo do
Arizona e uma pequena porção do
oeste do Novo México. O distrito
do templo também inclui membros
quase cada uma delas tem estado
completamente lotada”, disse o
Presidente Ballard. 
Arizona e o 108º—em quatro ses- que residem nas reserves indígenas
sões no dia 3 de março. dos apaches, hopi, navajo e zuni.
“Somos gratos por aqueles que Muito da decoração e das mobílias
lançaram os alicerces desta comuni- nativas foram incluídas no interior
Paraolimpíadas
dade e de outras próximas”, disse o do templo, itens como tapetes, ces- Seguem-se aos
Presidente Hinckley em sua oração tos e cerâmicas feitos à mão.
dedicatória, referindo-se aos primei- Snowflake e a cidade vizinha de
Jogos de Inverno
ros colonizadores que chegaram à Taylor foram colonizadas em 1878 de Salt Lake
area de Snowflake em 1878 con- como parte do esforço de coloniza-
forme solicitado pelo Presidente ção iniciado pelo Presidente
Brigham Young. “Eles lutaram deses-
peradamente por muito tempo con-
tra adversidades de muitas espécies.
Brigham Young, Em 1880, o Élder
Wilford Woodruff, então do
Quórum dos Doze Apóstolos, incen-
O espírito da competição atlé-
tica prosseguiu enquanto Salt
Lake City recepcionava os Jogos de
Agora sua posteridade desfruta os tivaram os santos que passavam por Inverno Paraolímpicos de 2002
doces frutos de seu empenho e o dificuldades a perseverarem falando entre 8 e 16 de março. Mais de
resultado de tudo é este templo belo a respeito da possibilidade de se 4.000 voluntários e milhares de
e magnífico.” construir um templo em seu meio. telespectadores vibraram com o
O novo templo servirá os mem- Posteriormente, declarações proféti- empenho dos atletas deficientes de
bros da Igreja da parte nordeste do cas foram atribuídas aos Presidentes todo o mundo ao competirem nas
J U L H O D E 2 0 0 2
127
provas de esqui, hóquei e esqui atra-
vés dos campos.

PASSANDO A TOCHA
Em 7 de março, a Primeira
Presidência e os membros do Quórum
dos Doze Apóstolos ficaram na frente
do Edifício de Administração da
Igreja para passarem a tocha parao-
límpica. Nos degraus, a Primeira
Presidência deu as boas-vindas a
Carrie Snoddy de Park City, Utah,
que carregava a tocha. Ela entregou a

FOTOGRAFIA DE JEFFREY D. ALLRED, CORTESIA DO CHURCH NEWS


tocha ao Presidente James E. Faust,
Segundo Conselheiro na Primeira
Presidência, que a entregou ao
Presidente Thomas S. Monson,
Primeiro Conselheiro na Primeira
Presidência, que a passou para o
Presidente Gordon B. Hinckley.
O Presidente Hinckley levantou a
tocha para que os espectadores a vis-
sem. “Bem-vindos, bem-vindos às
Paraolimpíadas, a estes grandes atle-
tas que se superaram!” Disse ele.
“Vão em frente! Vençam a corrida! O Presidente Gordon B. Hinckley recebe com um beijo a portadora da
Exijam a flâmula! Sejam felizes, sejam tocha das Paraolimpíadas, Carrie Snoddy, tendo ao lado o Presidente
felizes. Estamos todos com vocês. Thomas S. Monson e sua esposa, Frances.
Estamos todos torcendo por vocês.
Queremos que sejam bem-sucedidos para chegar a este ponto,” disse ela. representou as Ilhas Virgens dos
e esperamos que esta seja uma oca- “É tão bom poder finalmente estar EUA como membro de sua equipe
sião fantástica, fabulosa e maravi- aqui, fazer a adrenalina fluir, ir para de trenó das Olimpíadas de Inverno.
lhosa para todos os participantes. o local da prova e competir.” O irmão Wheeler aprendeu a com-
Que todos saiam vitoriosos. Hurra!” Keith Barney, membro da Ala petir com trenós durante a faculdade
Alpine 11, Estaca Alpine Utah, com- e fez amizade com os membros da
ATLETAS PARTICIPANTES petiu na corrida através dos campos equipe das Ilhas Virgens enquanto
Entre os 1.000 atletas de 36 paí- e na divisão de esqui sentado do trabalhava em St. Thomas na
ses que competiram nos Jogos biatlo masculino. Ele é também um metade do ano 2000. Ele juntou-se à
Paraolímpicos de Inverno de 2002 ciclista da equipe paraolímpica equipe quando surgiu uma vaga
em Salt Lake estiveram dois santos dos EUA. inesperada. 
dos últimos dias. Lacey Heward, um O irmão Barney perdeu o uso de
membro de 22 anos de idade da Ala suas pernas em um acidente quando Lacey Heward, membro da Igreja em
Mount Mahogany, Estaca Highland estava com 14 anos de idade. Hoje ele Highland, Utah, ganhou a medalha
Utah Leste, esquiou sobrepujando trabalha no centro de reabilitação do de bronze na categoria de mono-ski,
temores pessoais e superando a Centro Médico da Universidade de durante as Paraolimpíadas.
maioria de seus competidores em 11 Utah. Ele ensina as pessoas que passa-
FOTOGRAFIA DE RAVELL CALL, CORTESIA DO CHURCH NEWS

e 14 de março, conquistando duas ram a sofrer recentemente de algum


medalhas de bronze na divisão femi- tipo de deficiência física a terem uma
nina de esqui simples. vida magnífica e produtiva.
A irmã Heward contava com ape-
nas 18 meses de idade quando um NOTÍCIAS DAS OLIMPÍADAS
acidente deixou-a incapacitada. Mas Além dos atletas olímpicos em
uma deficiência física não reduziu destaque em A Liahona de junho de
sua determinação pessoal de “ser o 2002, Quinn Wheeler, de 28 anos de
melhor que eu puder ser”. idade, membro da Ala Taylorsville
“Tenho trabalhado arduamente 39, Estaca Taylorsville Utah Sul,
A L I A H O N A
128
Um Dia para Ser Lembrado: 14 de Setembro de 2001, por Anne Marie Oborn
Depois dos ataques terroristas na terça-feira 11 de setembro de 2001, o Presidente dos Estados Unidos, George W. Bush declarou
o dia 14 de setembro, quinta-feira, um dia para ser lembrado. Todos foram incentivados a acender uma vela em memória das vítimas dos ataques.
Este quadro mostra a artista e sua filha observando o dia que será sempre lembrado.

A
história desta obra tem sido admirável. Nosso povo
suportou toda sorte de sofrimento. Seus sacrifícios
são indescritíveis. Seu trabalho é imenso e inacre-
ditável. Mas todas essas terríveis dificuldades resultaram em
algo glorioso. Hoje chegamos ao ápice e vejam o quanto rea-
lizamos”, disse o Presidente Gordon B. Hinckley na abertura da
conferência geral. “Com o passar do tempo, um esplêndido
quadro tem-se descortinado diante de nossos olhos. Sua mais
bela expressão consiste na vida de um povo feliz e admirável. E
o futuro inspira promessas igualmente prodigiosas.”
2
02229 87059

RELATÓRIO DA 172ª
PORTUGUESE

CONFERÊNCIA GERAL ANUAL


6 E 7 DE ABRIL DE 2002
4