Você está na página 1de 25

ACADEMIA FAMILY’S CHURCH

MINISTÉRIO DE INTERCESSÃO
MENTORA PASTORA HELENA
WEYTH

ANNA JAMILLE COSTA DE SOUSA


JELSIENE COSTA DE SOUSA
THAMIRES COSTA DE SOUSA

RELIGIOSIDADE E DANÇA:
A interferência da religiosidade
na dança cristã

Brasília
2021
ANNA JAMILLE COSTA DE SOUSA
JELSIENE COSTA DE SOUSA
THAMIRES COSTA DE SOUSA

RELIGIOSIDADE E DANÇA:
A interferência da religiosidade
na dança cristã

Trabalho de Conclusão de Mentoria apresentado


ao Curso da Academia Family’s Church promovido
pelo Ministério de Intercessão.

Orientadora: Pastora Helena Weyth

Brasília

2021
Dedicamos este trabalho ao Senhor Deus
que nos capacitou em todos os momentos;
ao Sr. José Pereira da Costa, nosso
amado avô e pai que nos ensinou lições
incríveis de vida; ao Ministério Family's
Dance onde nos tornamos família de
verdade e ao nosso Pastor Arley que
confia, aposta e investe em nossas vidas.
Agradecimentos

Agradecemos à Pastora Helena Weyth que nos orientou e nos incentivou na


continuidade do curso e agregou tanto conhecimento em nossas vidas; à Alessandra
e à Danielle que nos fizeram o convite, nos aceitaram e nos receberam tão bem no
ministério de intercessão, já nos sentimos parte do ministério. Louvamos a Deus que
nos ajudou com discernimento e nos trouxe palavras reveladoras, palavras que nos
auxiliam no dia mal e que, certamente, estão sendo trazidas à memória com o
falecimento do patriarca da nossa família.
Pensamos em vários temas para conclusão da mentoria.

Certo dia o Senhor falou conosco sobre o bloqueio de aceitação das pessoas,
com relação ao ministério de danças. Ele confirmou o tema em sonhos com nossa
mãe e depois com nossa orientadora Pastora Helena. Tem sido muito gratificante
entender o propósito deste ministério no corpo de Cristo e também identificar
possíveis falhas que precisam ser corrigidas, para que a real motivação do nosso
coração seja adorar a Deus através dos movimentos corporais.
Assistimos vários vídeos, textos e teses de oposição ao ministério de danças e
de pessoas que acreditam no poder deste ministério. Fomos ministradas grandemente
e o Senhor trouxe revelações ao nosso coração. Somos gratas às meninas que fazem
parte desse núcleo, tornaram-se nossas filhas! Amamos cada uma de vocês, oramos
e desejamos o crescimento espiritual de todas, contem conosco sempre! Vamos
alinhar nossos desejos ao coração do Pai e dançar com Ele até o último dia de nossas
vidas!
“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de
Deus, que apresenteis os vossos corpos em
sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é
o vosso culto racional.”

Romanos 12:1
RESUMO

A dança é vista com maus olhos em algumas igrejas, como demonstração da


carnalidade no meio do povo de Deus; reflexo da religiosidade disfarçada de cautela.
A Bíblia relata alguns episódios de regozijo ao Senhor através da dança de forma
adequada, e também uma dança de maneira inadequada com más intenções no
coração. O Apóstolo Paulo organiza a liturgia no culto de forma decente e ordeira, de
forma que a edificação da igreja seja alcançada. A Dança não substitui a palavra de
Deus, mas se torna uma ministração da palavra através dos movimentos corporais
quando realizada da maneira correta, liberando cura, libertação e intercessão à igreja.

Palavras-chave: Religiosidade. Danças. Dança cristã. Adoração.


ABSTRACT

Dance is frowned upon in some churches as a demonstration of carnality among


God's people; reflection of religiosity disguised as caution. The Bible reports some
episodes of rejoicing to the Lord through dancing properly, and also dancing improperly
with evil intentions in the heart. The Apostle Paul organizes the liturgy in worship in a
decent and orderly manner so that the building of the church is achieved. Dance does
not replace the word of God, but becomes a ministry of the word through bodily
movements when done in the right way, releasing healing, deliverance and
intercession to the church.

Key-words: Religiosity. Dances. Christian Dance. Worship.


SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ...................................................................................................... 8
2 RELIGIOSIDADE E DANÇA ................................................................................. 9
2.1 RELIGIOSIDADE ............................................................................................... 9
2.2 A DANÇA NA BÍBLIA ....................................................................................... 10
3 LITURGIA NO CULTO ........................................................................................ 16
4 O PODER DA DANÇA ........................................................................................ 17
4.1 DANÇA PROFÉTICA ....................................................................................... 18
4.2 ADORAÇÃO ..................................................................................................... 18
4.3 INTERCESSÃO................................................................................................ 19
4.4 CURA ............................................................................................................... 19
4.5 LIBERTAÇÃO................................................................................................... 19
4.6 GUERRA .......................................................................................................... 20
4.7 LOUVOR E JÚBILO ......................................................................................... 20
4.8 SALVAÇÃO ...................................................................................................... 20
4.9 CLAMOR .......................................................................................................... 20
5 DANÇA E BATALHA ESPIRITUAL .................................................................... 22
6 CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................ 23
7 BIBLIOGRAFIA .................................................................................................. 24
8

1 INTRODUÇÃO

Em pleno século XXI, e mesmo com toda liberdade de expressão que o Brasil
possui, a dança ainda é vista com “maus olhos” por algumas igrejas, como sendo
demonstração da carnalidade no meio do povo de Deus.

A inclusão das artes nos louvores e cultos a Deus, ainda é difícil de ser
integrada por causa de usos e costumes, regras humanas, aquisição de jugo pesado
para se mostrar correto e íntegro diante de pessoas.

“A dança é algo mundano! O mundo entrando na igreja! Carnalidade,


sensualidade, show, busca de aplausos! Dança não acrescentará em nada nos
cultos!” Estas, entre outras “opiniões”, estão expressas na internet, nas redes sociaise
em muitas igrejas, opiniões que acabam tornando-se doutrinas.

O intuito deste trabalho é desmistificar muitos paradigmas que foram


transmitidos de geração em geração sobre a dança nos cultos a Deus; e esclarecer o
assunto com embasamento bíblico e histórico.
9

2 RELIGIOSIDADE E DANÇA

Pode-se dizer que a religiosidade é pior do que a imoralidade. O religioso


cultiva uma vida aparente de devoção exterior, sem a paixão interior. São duas coisas
terrivelmente danosas a sua relação com Deus: a justiça própria e o orgulho.
A Bíblia relata um momento ímpar em 2 Sm 6,11-23; quando Davi trouxe de
volta a arca da aliança para Jerusalém. A ocasião era de festa e o rei estava exultante
e “dançava com todas as suas forças diante do Senhor” (v. 14), externando sua
adoração a Deus sem se preocupar com o que os outros estariam pensando dele.
Mesmo em meio aos olhares críticos, o verdadeiro adorador não se importa
com o meio externo, pois a intenção do seu coração é cultuar ao Deus único e vivo.
Sua esposa, Mical, o “desprezou no seu coração” e o criticou severamente por dançar
daquela maneira diante do povo (vs. 16 e 20). Pode-se dizer que ela não
compreendeu a motivação de Davi, ou que ela se preocupou mais com a imagem do
Rei Davi do que com o momento espiritual da nação.
Existem muitos “Micais” no meio da congregação. Por causa da religiosidade
de Mical, ela se tornou estéril, nunca gerou um único filho (v.23).
A religiosidade pode trazer esterilidade no meio do povo de Deus!

2.1 RELIGIOSIDADE

“E alguns dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava
em casa. E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta
cabiam; e anunciava-lhes a palavra. E vieram ter com ele conduzindo um
paralítico, trazido por quatro. E, não podendo aproximar-se dele, por causa
da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco,
baixaram o leito em que jazia o paralítico. E Jesus, vendo a fé deles, disse ao
paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. E estavam ali assentados
alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: Por que
diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? E
Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes
disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações? Qual é
mais fácil? Dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-
lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda? Ora, para que saibais que o Filho
do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico), a
ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. E levantou-se e,
tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se
admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.” (Marcos 2,1-12)
10

Os fariseus, doutores da lei, sentiam-se protetores da lei de Deus e exigiam o


cumprimento de seus seguidores, mas eles mesmos não viviam o que pregavam.
Apegavam-se mais às tradições do que às coisas realmente importantes para o reino
de Deus, interpretavam a lei da forma que melhor lhes pareciam e tinham uma outra
visão de Deus, como um ser vingativo e não como Jesus O anunciava, como pai
amoroso e zeloso.
À semelhança dos fariseus dos dias de Jesus, muitos pecam hoje por
religiosidade; falam e se comportam com ares de bons cristãos em público, com isso,
encobrem sua desobediência e insubmissão.
Não adianta passar horas na igreja, sentado, ouvindo a palavra de Deus,
agindo como quem diz sim a tudo que o Senhor pede e depois não faz nada daquilo
que o Senhor ordenou. O religioso não consegue reconhecer seu pecado, é um
pecador vacinado contra o arrependimento, acha que tudo que faz está certo e que
faz para Deus, e em nome Dele (WEYTH, Helena - Apostila Religiosidade).
Na maioria das vezes, estas pessoas não ajudam, criticam e acabam matando
a semente lançada nos corações. A aparência de obediência não está entre os
pecadores, mas entre os religiosos.
Pode-se diagnosticar dois polos de religiosidade com relação à dança na
igreja:
1 - Pessoas que não aceitam o mover da arte através da dança nos cultos ao
Senhor e;
2 - Pessoas que dançam com a motivação errada, buscando realmente
holofotes e méritos próprios.
A religiosidade impede um contato mais íntimo com Deus, em ambos os lados.

2.2 A DANÇA NA BÍBLIA

Existem várias citações sobre a dança nas escrituras, tanto no Antigo


Testamento quanto no Novo Testamento; sendo que esta quantidade de relatos
bíblicos mencionando a dança confirma a forte presença desta cultura que deu origem
ao cristianismo.
É preciso considerar algumas palavras hebraicas específicas traduzidas por
dança (SILBERLING, 1995, p.15):
11

• Chuwl ou Chiyl (Dança em círculo ou roda):

“E fiquem observando. Quando as moças de Siló forem para as danças,


saiam correndo das vinhas e cada um de vocês apodere-se de uma das
moças de Siló e vá para a terra de Benjamim. Quando os pais ou irmãos delas
se queixarem a nós, diremos: Tenham misericórdia deles, pois não
conseguimos mulheres para eles durante a guerra, e vocês são inocentes,
visto que não lhes deram suas filhas“. Foi o que os benjamitas fizeram.
Quando as moças estavam dançando, cada homem tomou uma para fazer
dela sua mulher. Depois voltaram para a sua herança, reconstruíram as
cidades e se estabeleceram nelas.” (Jz 21,21-23)
“Quando os soldados voltavam para casa, depois que Davi matou o filisteu,
as mulheres saíram de todas as cidades de Israel ao encontro do rei Saul
com cânticos e danças, com tamborins, com músicas alegres e instrumentos
de três cordas.” (1 Sm 18,6)
“Com danças e cânticos, dirão: ‘Em Sião estão as nossas origens!’” (Sl 87,7)

• Machol ou Machowl (Dança ou dançando):

“Mudaste o meu pranto em dança, a minha veste de lamento em veste de


alegria,” (Sl 30,11)
“Louvem eles o seu nome com danças; ofereçam-lhe música com tamborim
e harpa.” (Sl 149,3)
“louvem-no com tamborins e danças, louvem-no com instrumentos de cordas
e com flautas,” (Sl 150,4)
“Então as moças dançarão de alegria, como também os jovens e os velhos.
Transformarei o lamento deles em júbilo; eu lhes darei consolo e alegria em
vez de tristeza.” (Jr 31,13)
“Dos nossos corações fugiu a alegria; nossas danças se transformaram em
lamentos.” (Lm 5,15)

• Mecholal ou Mechowlah (Dança de roda, danças):

“Então Miriã, a profetisa, irmã de Arão, pegou um tamborim e todas as


mulheres a seguiram, tocando tamborins e dançando.” (Ex 15,20)
“Quando Jefté chegou à sua casa em Mispá, sua filha saiu ao seu encontro,
dançando ao som de tamborins. E ela era filha única. Ele não tinha outro filho
ou filha.” (Jz 11,34)
“Eu a edificarei mais uma vez, ó virgem, Israel! Você será reconstruída! Mais
uma vez você se enfeitará com guizos e sairá dançando com os que se
alegram.” (Jr 31,4)

• Kara (Dançar, saltar, tripudiar, girar):

“Davi, vestindo o colete sacerdotal de linho, foi dançando com todas as suas
forças perante o Senhor,” (2 Sm 6,14)
12

• Raqad (Saltitar, dançar, pular, fazer saltar):

“Quando a arca da aliança do Senhor estava entrando na Cidade de Davi,


Mical, filha de Saul, observava de uma janela. E, aconteceu que ao ver o rei
Davi dançando e celebrando, ela o desprezou em seu coração.” (1 Cr 15,29)
“Eles soltam os seus filhos como um rebanho; seus pequeninos põem-se a
dançar.” (Jó 21,11)
“tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de dançar,” (Ec
3,4)

• Dalag (Saltar, pular sobre):

"Esta é a voz do meu amado; ei-lo aí, que já vem saltando sobre os montes,
pulando sobre os outeiros." (Ct 2,8)
"Então os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantará, porque
águas arrebentarão no deserto e ribeiros no ermo." (Is 35,6)

• Pazaz (Saltitar, ser feito forte):

"Ao entrar a arca do Senhor na Cidade de Davi, Mical, filha de Saul, estava
olhando pela janela e, vendo ao rei Davi, que ia saltando e dançando diante
do Senhor, o desprezou no seu coração." (II Sm 6,16)

• Shiyr (Brincar, cantores ambulantes, contemplar, cantar, agir de maneira


desajeitada, rir, sorrir):

“Cantem-lhe uma nova canção; toquem com habilidade ao aclamá-lo.” (Sl


33,3)
“Prestem culto ao Senhor com alegria; entrem na sua presença com cânticos
alegres.” (Sl 100,2)

• Chagag (Mover-se em círculo, marchar em procissão, celebrar, dançar,


rodopiar, festa, feriado solene, festival):

"Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu


havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria
e louvor, com a multidão que festejava." (Sl 42,4)
"E, se a família dos egípcios não subir, nem vier, não virá sobre ela a chuva;
virá sobre eles a praga com que o Senhor ferirá os gentios que não subirem
a celebrar a festa dos tabernáculos." (Zr 14,18)
“Depois disso Moisés e Arão foram falar com o faraó e disseram: "Assim diz
o Senhor, o Deus de Israel: ‘Deixe o meu povo ir para celebrar-me uma festa
no deserto’ ". (Ex 5,1)
"Assim, começando no décimo quinto dia do sétimo mês, depois de terem
colhido o que a terra produziu, comemorem a festa do Senhor durante sete
dias; o primeiro dia e também o oitavo serão dias de descanso. (Lv 23,39)
13

• Haliykah (Caminhada, procissão ou marcha, caravana):

“Já se vê a tua marcha triunfal, ó Deus, a marcha do meu Deus e Rei


adentrando o santuário.” (Sl 68,24)

• Giyl ou Guwl (Girar sob influência de emoções - comumente regozijo):

"Alegrem-se os céus, e regozije-se a terra; e diga-se entre as nações: o


Senhor reina." (I Cr 16,31)
"Para que eu conte todos os teus louvores nas portas da filha de Sião, e me
alegre na tua salvação." (Sl 9,14)

• Alats (Saltar de alegria, estar jubiloso, regozijar, triunfar):

"Quando os justos exultam, grande é a glória; mas quando os ímpios


sobem, os homens se escondem." (Pv 28,12)
"Mas alegrem-se os justos, e se regozijem na presença de Deus, e folguem
de alegria." (Sl 68,3)

Palavras que Indicam Movimentos de Adoração:

• Schacah (Adorar e se curvar):

"Esperai aqui, com o jumento; eu e o rapaz iremos até lá e, havendo adorado,


voltaremos para junto de vós." (Gn 22,5)
"E imediatamente, curvando-se Moisés para a terra, o adorou." (Ex 34,8)

• Barak (Ajoelhar-se e abençoar):

"Então, disse Davi a toda a congregação: agora, louvai o Senhor, vosso Deus.
Então, toda a congregação louvou ao Senhor, Deus de seus pais; todos
inclinaram a cabeça, adoraram o Senhor e se prostraram perante o rei." (I Cn
29,20)
"Esdras bendisse ao Senhor, o grande Deus; e todo o povo respondeu:
Amém! Amém! E, levantando as mãos; inclinaram-se e adoraram o Senhor,
om o rosto em terra." (Ne 8,6)

• Hallal (Louvar e celebrar, de onde derivou-se a palavra Aleluia):

"Designou dentre os levitas os que haviam de ministrar diante da arca do


Senhor, e celebrar, e louvar, e exaltar o Senhor, Deus de Israel." (I Cr 16,4)
14

"Cantavam alternadamente, louvando e rendendo graças ao Senhor, com


estas palavras: Ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre sobre
Israel. E todo o povo jubilou com altas vozes, louvando ao Senhor por se
terem lançado os alicerces da sua casa." (Ed 3,11)

Palavras gregas para dança:

• Orcheomai (Dançar):

"Nós vos tocamos flauta, e não dançastes; entoamos lamentações, e não


pranteastes." (Mt 11,17)

• Choros (Dança em círculo):

"Ora, o filho mais velho estivera no campo, e, quando voltava, ao aproximar-


se da casa, ouviu a música e as danças." (Lc 15,25)

• Agalliao (Saltar de alegria, regozijar grandemente):

"Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois


assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós." (Mt 5,12)
"Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória, porque são chegadas as
bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou" (Ap. 19,7)

• Skirtao (Saltar de alegria):

"Ouvindo esta saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre; então,


Isabel ficou possuída do Espírito Santo." (Lc 1,41)
"Regozijai-vos naquele dia e exultai, porque grande é o vosso galardão no
céu; pois dessa forma procederam seus pais com os profetas." (Lc 6,23)

• Proskuneo (Adorar, beijar, prostrar-se em reverência):

“Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o


Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus
adoradores." (Jo 4,23)
"Todos os anjos estavam de pé rodeando o trono, os anciãos e os quatro
seres viventes, e ante o trono se prostraram sobre o seu rosto, e adoraram a
Deus." (Ap 7,11)

• Latreuo (Servir, ministrar, adorar):


15

"Porque nós é que somos a circuncisão, nós que adoramos a Deus no


Espírito, e nos gloriamos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne." (Fp
3,3)
"[...] e que era viúva de oitenta e quatro anos. Esta não deixava o templo, mas
adorava noite e dia em jejuns e orações." (Lc 2,37)

Em vários textos a palavra hebraica gil (‫ )גיל‬é vertida por regozijo, embora
seu significado seja literalmente “rodopiar de alegria”. Vê-se a expressão “Ele se
regozijará” no texto de Sofonias, que diz: “O Senhor, o seu Deus, está em seu meio,
poderoso para salvar. Ele se regozijará em você, com o seu amor a renovará, ele se
regozijará em você com brados de alegria.” (Sf 3,17).
Neste caso a palavra vertida por “Ele se regozijará” é (‫ )גילי‬e por isso a
tradução literal seria “Deus dançará de alegria”. Ao todo são treze vocábulos
traduzidos por dança ou vertidos por regozijo que indicam a dança como expressão
de alegria. A ampla aplicação da palavra “regozijo” para indicar a dança em tantos
vocábulos, dá-nos indícios da importância da dança na cultura hebraica
(SILBERLIN, 1995, p.15, 16).

A Bíblia relata também duas ocasiões com danças inadequadas:


● Quando Moisés desce do monte com os 10 mandamentos e o povo está
dançando em volta do bezerro de ouro. (Ex 32,19)
● Quando a filha de Herodias dança sensualmente em troca de aplausos,
e como pagamento de sua dança pede a cabeça de João Batista para
Herodes. (Mc 6,22)
Os ministros de dança precisam se atentar, no momento que forem dançar na
igreja, qual o propósito no qual estão dançando. O propósito não deve ser agradar a
homens, muito menos buscar aplausos e elogios para o ego; o único propósito deve
ser glorificar somente ao nome do Senhor e edificar a igreja. Todos os departamentos
da igreja necessitam ter essa visão.
“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo
o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa
fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.” (Fp 4,8)

O principal propósito da ministração da dança é adoração ao Senhor e


edificação da igreja.
16

3 LITURGIA NO CULTO

“Liturgia é a reunião dos elementos ou práticas que, regulamentados por uma


igreja ou seita religiosa, fazem parte de um culto religioso.” (Dicionário on-line)
Algumas pessoas não aceitam a dança como elemento de culto ao Senhor,
embasando-se no Novo Testamento, o qual não menciona a dança nas reuniões
religiosas; e no Antigo Testamento, a dança era apenas paralitúrgica, fora do templo,
e em algumas ocasiões de festas.
No novo testamento, em Lc 15:25, Jesus relata a parábola do filho pródigo,
que ao retornar a casa do pai é recebido com festa. Enquanto isso, o filho mais velho
estava no campo quando se aproximou da casa, ouviu música e dança.
Jesus faz uma conexão dessa passagem, ao fato de um pecador arrependido
gerar festas no céu, e assim, pela fé, esse mover de alegria e regozijo, também é
demonstrado através da dança.
O apóstolo Paulo faz algumas observações de como deve ser a organização
no culto. Não há um cronograma litúrgico, no entanto, a maior preocupação é de
como está a vida do cristão e a maneira que deve ser feita a adoração a Deus.
“Que fareis pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo,
tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para
edificação. E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois,
ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver
intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. E
falem dois ou três profetas, e os outros julguem. Mas, se a outro, que estiver
assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. Porque todos
podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos
sejam consolados. E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.
Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as
igrejas dos santos.” (1 Co 14,26-33)
O coração grato, temente e contrito ao Senhor, deve ser um estilo de vida do
adorador, dentro e fora da igreja.
“Falando entre vocês com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e
louvando com o coração ao Senhor.” Efésios 5:19
Então, qual seria o objetivo dos cultos nos dias de hoje?
• Explicar e esclarecer verdades da Bíblia;
• Dar orientações de como devem-se viver e agir como cristãos;
• Edificar a igreja;
• Levar pessoas à fé;
• Consolar e animar os que estão em dificuldades;
17

4 O PODER DA DANÇA

“A dança é a arte de movimentar expressivamente o corpo seguindo


movimentos ritmados, em geral ao som de música.” (Dicionário on-line)
Muitas vezes fala mais que uma palavra verbal, torna-se uma ministração da
palavra de Deus, através de movimentos corporais. Apenas lembrando que nada
substitui a Bíblia, que é a própria palavra de Deus, viva e eficaz. O ensino da palavra
deve ser a prioridade nos cultos.
“Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se
uns aos outros com toda a sabedoria e cantem salmos, hinos e cânticos
espirituais com gratidão a Deus em seu coração.” (Cl 3,16)
Entretanto, o Senhor leva a igreja no momento do ajuntamento para liberação
de cura, libertação, adoração a Ele. Esses movimentos podem ser vistos através dos
louvores (músicos e instrumentistas), das orações direcionadas e também através da
dança.
O ministro de dança pode ser um canal de cura para outras pessoas ou para
si próprio. A dança se torna uma linguagem universal, e Deus pode usar os
movimentos do ministrante para liberar algo na igreja e no mundo espiritual.
“Entretanto, procurem, com zelo, os melhores dons. E eu passo a mostrar-
lhes um caminho ainda mais excelente.” (1 Co 12,31)
"Moisés levantou a vara e estendeu a mão para o mar vermelho, a fim de que
se abrisse, sob um comando do Senhor.” (Ex 14,16)

Houve poder nesse movimento físico e a vontade do Senhor foi cumprida com
a abertura do mar vermelho. O ministro de dança precisa estar sensível à voz do
Senhor para obedecer Seu comando no momento certo, a fim de cumprir a Sua
vontade.
O ministério de danças edifica a igreja, se a igreja não sente essa edificação
vinda do alto, para ela o ministério de danças passa a ser apenas um grupo de
pessoas que enfeitam o altar em meio aos louvores. Cada ministro precisa fazer uma
autoavaliação de qual tem sido a motivação de dançar, como está a sua vida com
Deus e se tem se submetido à autoridade e à vontade de Deus.
18

4.1 DANÇA PROFÉTICA

“Profético: vem de profecia, profeta. Profetas: homens que traziam as


verdades de Deus para o povo.” (Dicionário on-line)
A dança profética não nasce de passos bonitos e ensaiados, muito menos da
técnica. Ela vem de um profundo relacionamento entre o ministro e Deus, que é o
dono da dança! Essa dança vem de Deus que o guia e o conduz. A dança profética
começa no quarto secreto e sai dos padrões normais, vai além de passos e gestos
ensaiados. Ela traz o sobrenatural para a Terra através de uma ministração sincera e
simples ao coração de Deus. (MATOS, Gisela – Dança pelas Nações)
Todo movimento executado precisa ter um propósito, para cada gesto há uma
liberação de um decreto no reino espiritual. A dança profética só acontece quando
gera algo no reino espiritual, seja adoração, intercessão, cura, libertação, guerra,
louvor, alegria e júbilo, salvação.
Até sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei o meu Espírito
naqueles dias, e profetizarão. (At 2,18)
A arte na dança é cultural e temporal. Um artista japonês, com certeza, se
expressará de uma outra forma, do que o artista brasileiro ou africano. A linguagem
da palavra de Deus precisa ser lançada independentemente do tipo artístico. Seres
humanos não têm a capacidade de declarar que um estilo de dança não pertence a
Deus, ou que uma dança africana, por exemplo, que está entoando o nome do Senhor,
não é de Deus por causa do seu ritmo e conceito. Certamente para o público que está
adorando ao Senhor, dentro daquela cultura, enxerga sim como adoração a Deus, e
certamente sobe como uma oração direto ao trono do Pai.

4.2 ADORAÇÃO

“Jesus respondeu: “Está escrito:’ Adore o Senhor, o seu Deus, e só a ele preste
culto”’. (Lc 4,8)
Movimentos de prostração, quando tudo o que mais importa é chamar atenção
do Senhor com cada movimento que se faz, é quando o ministro esquece quem está
a sua volta e se vê diante do trono do Senhor, é quando se declara em cada passo
quem Deus é.
Quando a adoração é feita de maneira espontânea no culto, normalmente há
19

uma edificação do próprio ministro de dança, uma vez que a igreja está num mesmo
ambiente em unidade de adoração.
Quando a ministração é feita de forma coreografada, em uma oportunidade
específica no culto ou fora do culto (no evangelismo, por exemplo), há uma edificação
no corpo de Cristo através da dança, uma vez que as pessoas param para receber o
que o ministério está liberando.

4.3 INTERCESSÃO

Cada movimento intercede por um propósito, seja por uma vida, pela igreja,
pela própria vida do ministro. Na verdade, toda dança é uma oração. Os ministros são
intercessores do povo e dos perdidos, mas existem pessoas que são chamadas para
esse propósito em específico, ao ponto de, durante uma ministração, Deus levá-las a
irem interceder por alguém.
“Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis.
A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tg 5,16)

4.4 CURA

Quando os movimentos profetizam cura espiritual ou física na vida de alguém


(movimentos que curam).
“Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro
que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.”
(Jo 5,4)

4.5 LIBERTAÇÃO

Cada movimento de um ministro com uma vida em santidade diante de Deus,


pode libertar uma vida, quebrar grilhões, correntes e cadeias que aprisionam a vida
das pessoas.
“Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.” (2 Co
3:17)
20

4.6 GUERRA

Movimentos firmes de luta, de força, guiados pelo Senhor. Algumas pessoas,


conseguem visualizar o reino espiritual e de fato, liberar “golpes” sobre principados,
potestades, demônios.
“Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes
contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne
e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os
príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade,
nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que
possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois,
firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça
da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando
sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos
inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada
do Espírito, que é a palavra de Deus;” (Ef 6, 11-17)

4.7 LOUVOR E JÚBILO

Saltos, giros, pulos, palmas, sorrisos. Toda reação é para agradecer ao


Senhor, ministrar alegria sobre a igreja.
“Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras. Servi ao Senhor com
alegria; e entrai diante dele com canto. Sabei que o Senhor é Deus; foi ele
que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu
pasto. Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor;
louvai-o, e bendizei o seu nome.” (Sl 100,1-4)

4.8 SALVAÇÃO

Quando a vida do ministro é usada para que alguém se converta, quando seus
movimentos são tão sinceros que a pessoa vê Deus no ministro e decide se render
ao Senhor.
“Eu vos afirmo que, da mesma maneira, haverá muito mais alegria no céu por um
pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não carecem de
arrependimento.” (Lc 15,7)

4.9 CLAMOR

Muitas vezes o ministro é levado a movimentos de contrição, em clamor ao


21

Senhor.
“Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração
quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.” (Sl 51,17)
22

5 DANÇA E BATALHA ESPIRITUAL

As danças de guerra, por sua vez, são direcionadas para o mesmo sentido
da guerra espiritual; visam gerar libertação para que a Igreja possa compartilhar com
o Senhor em adoração, quebrando o cativeiro espiritual que bloqueia o mover do
louvor na Igreja.

“De conceder-nos que, libertados da mão de nossos inimigos, o serviríamos sem


temor, em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida.” (Lc 1,74-75)

Davi, por exemplo, tocava e o espírito mau era expulso da vida de Saul (1 Sm
16, 14-23). A Bíblia registra que Davi era adorador e homem de guerra, um modelo
de adorador que deve ser seguido, pois os altos louvores a Deus, juntamente com a
espada de dois gumes, a Bíblia; constituem uma estratégia de guerra para vencer
demônios que se levantam contra a igreja:

“Estejam na sua garganta os altos louvores de Deus, e espada de dois


fios nas suas mãos, Para tomarem vingança dos gentios, e darem
repreensões aos povos; Para prenderem os seus reis com cadeias, e
os seus nobres com grilhões de ferro; Para fazerem neles o juízo
escrito; esta será a honra de todos os seus santos. Louvai ao Senhor.”
(Sl 149:6-9)

O louvor também está presente nas batalhas como consta no texto de 2 Cr


20,21, quando relata sobre cantores marchando à frente do exército para entoar
louvores a Deus, como Ele mesmo havia orientado. Assim, as danças de guerra, em
harmonia com os hinos e cânticos entoados, são caracterizadas por movimentos em
marcha variados pela intensidade e vigor corporal, saltos, sapateados e giros.

Outro detalhe é que o Espírito Santo traz, também, movimentos muito


semelhantes aos de uma luta com espada e escudo, um em cada mão. Pode parecer
loucura, mas ao longo dos anos, a aprendizagem que fica é de seguir as instruções
do Senhor, não importando se “Micais” venham desprezar ou criticar, o desejo de
servir a Deus é maior.

“Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é


mais forte do que os homens.” (1 Co 1,25)
23

6 CONSIDERAÇÕES FINAIS

“Portanto, irmãos, pelas misericórdias de Deus, peço que ofereçam o seu corpo como
sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Este é o culto racional de vocês. (Rm 12,1)

Diversas expressões da dança na bíblia foram localizadas, principalmente no


Antigo Testamento. Há dança na Bíblia e há dança no meio do povo de Deus.

Assim como vários elementos, a dança não é citada como integrante da


liturgia nos cultos. Entretanto, há orientações do modelo de vida cristã que deve ser
seguido em todo o tempo, dentro e fora da igreja.

“Que fareis pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem
doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.” (1 Co
14,26)

É preciso respeitar o formato de culto e liturgia de cada igreja e denominação;


alguns concordam, outros não. O respeito é fundamental pois um dos princípios para
ser cristão é amar uns aos outros.

“Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não
ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?” (1 Jo 4,20)

A motivação do coração é rascunhada pelo Senhor. Ele sabe o que realmente


tem impulsionado as obras das mãos de cada ministro.

“E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete
espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome
de que vives, e estás morto. Sê vigilante, e confirma os restantes, que
estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de
Deus. Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e
arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás
a que hora sobre ti virei. Mas também tens em Sardes algumas poucas
pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco;
porquanto são dignas disso. O que vencer será vestido de vestes brancas, e
de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o
seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos. Quem tem ouvidos,
ouça o que o Espírito diz às igrejas.” (Ap 3,1-6)
24

7 BIBLIOGRAFIA

https://www.significados.com.br/danca/
https://novabiblia.com.br/versiculos/danca
https://louvareicomdancas.blogspot.com/2014/04/a-palavra-danca-em-
hebraico.html
http://pginasdeamor.blogspot.com/2010/06/danca-na-biblia.html
http://retoricos.blogspot.com/2013/03/danca-profetica-um-ato-visivel-no-
reino.html
Apostila Pra. Helena Weyth, para academia de intecessores familys church
http://ministerioguiadospordeus.blogspot.com/2012/02/danca-de-
jubilo.html?m=1
https://youtu.be/Bz75s-FfeIc - LuVidanca - Dançar na igreja é correto?
https://youtu.be/H-RPGLB-z40 - LuVidanca - Perguntas e respostas sobre
ministerio de danças.
King James - Bíblia
Bíblia on-line

Você também pode gostar