Você está na página 1de 15

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

ESCOLA POLITÉCNICA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Lucas Moura

Victor Gabriel Fagundes

GERADOR DE FORMA DE ONDA SENOIDAL

RELATÓRIO DA ETAPA 1 DO PROJETO SEMESTRAL DA DISCIPLINA


LABORATÓRIO INTEGRADO III

SALVADOR

2021

1
Diagrama Esquemátio

A proposta de construção de um gerador de onda senoidal, utilizando


diodos semicondutores, foi desenvolvida em 2 etapas. Primeiro foi construido um
circuito gerador de onda triangular, utilizando um circuto conhecido como
Schimitt-Trigger, em seguida foi construido um circuito conformador de onda,
que através de diodos retificadores e zeners, transforma a onda anterior em um
onda senoidal. O circuito completo, com os sinais gerados por ele, pode ser visto
na fig.1.

Figura 1 Diagrama completo do gerador de onda senoidal.

Projeto do circuito gerador de onda triangular através do Schmitt Trigger

O circuito representado na Fig.2 possui 2 estágios. No primeiro,


representado pelo amplificador operacional com realimentação positiva, há a
geração de uma onda quadrada. Esse sinal, por sua vez, é direcionado a um
bloco integrador, de modo a ser obtida, por fim, a forma de onda triangular.

2
Figura 2 Circuito Schimitt Trigger gerador de onda quadrada e triangular.

Figura 3 Sinais gerados pelo Schimitt Trigger e suas respectivas medidas.

Considerando Vsat a amplitude da onda quadrada e Vx a amplitude da


onda triangular, segue-se que

𝑅2
𝑉𝑥 = ( )𝑉𝑠𝑎𝑡 (1)
𝑅1
Logo, a tensão de pico a pico Vpp da onda triangular é da forma

𝑅2
𝑉𝑝𝑝 = 2𝑉𝑥 = 2( )𝑉𝑠𝑎𝑡 (2)
𝑅1
Contudo, a tensão Vpp também pode ser escrita como sendo

1 𝑇
𝑉𝑝𝑝 = ( )( )𝑉𝑠𝑎𝑡 (3)
𝑅3 𝐶1 2

3
onde T representa o período da onda triangular.
Igualando as Eqs. 2 e 3, define-se que

4𝑅3 𝑅2 𝐶1
𝑇= (4)
𝑅1
Como f = T-1, encontra-se facilmente a expressão para frequência

𝑅1
𝑓= (5)
4𝑅3 𝑅2 𝐶1
Para este projeto, foi solicitada uma onda triangular com frequência de
200 Hz. Ainda, para obtenção de uma onda senoidal com amplitude de 8V, fixou-
𝜋
se uma amplitude igual a 8 × 2 .
Dessa forma, a partir das Eqs.1 e 5

𝑅2
( )𝑉𝑠𝑎𝑡 = 4𝜋
𝑅1
(6)
𝑅1
= 200
4𝑅3 𝑅2 𝐶1

Arbitrando Vsat = 20 V, segue-se que

𝑅1 20 5
= =
𝑅2 4𝜋 𝜋
(7)
𝑅2 = 20𝑘𝛺 → 𝑅1 ≈ 31.83𝑘𝛺
Já para a expressão da frequência, ao considerar C1 = 10nF

5 1
( ) = 200
𝜋 4𝑅3 10−8
(8)
𝑅3 ≈ 198.94𝑘𝛺
Eliminando as casas decimais por meio de aproximações, os parâmetros
do circuito se tornam
R1 = 32 kΩ
R2 = 20 kΩ
R3 = 199 kΩ
C1 = 10 nF
No entanto, durante experimentação do circuito no simulador PartQuest
(Fig. 2), foi necessária uma redução no valor de R3, visto que a onda triangular
originada possuía frequência inferior a 200 Hz. Assim, o valor prático de R 3
passou a ser de 190 kΩ e a resposta, conforme pode ser observado na Fig.2, se
adequou ao solicitado.
4
Cabe citar que o termo “Amplitude” presente no gráfico da Fig.3 se refere
ao valor Vpp da onda triangular, isto é, 8π + 0.388, sendo o valor 0.388 o desvio
em relação ao previsto teoricamente. Por se tratar de um valor muito pequeno,
esse desvio é desprezado, assim como o desvio de 0.65792 no valor da
frequência.

PARÂMETROS DE MODELAGEM DO DIODO RETIFICADOR


Para extração dos parâmetros de modelagem do diodo retificador, foi
construído com circuito, conforme representado na Fig.4, constituído por uma
fonte de alimentação senoidal, por um diodo retificador e por um resistor.

Figura 4 Circuito construido para a extração do parâmetros do diodo.

Selecionados R = 1 kΩ e o diodo 1N4001, efetuou-se, através da réplica


no simulador PartQuest (Fig.5), foi selecionado o quarto do periodo em que a
fonte de alimentação se econtrava entre 0 e 20V, de forma que dados referentes
a VS e VR foram utilizados para criação de um banco de dados.
Uma vez obtidos os dados, foi possível determinar, a partir das Eqs. 9 e
10, a tensão e a corrente no diodo, respectivamente.

𝑉𝐷 = 𝑉𝑠 − 𝑉𝑅 (9)

𝑉𝑅
𝑖𝐷 = (10)
1000
A partir das variáveis iD e VD, foi possível a representação da característica
I-V do diodo retificador, como também a aproximação dessa curva por um
5
modelo linearizado por partes (Fig. 6). Ambos os procedimentos foram
realizados através da execução do script presente no Anexo I, executado no
software MATLAB.

Figura 5 – Gráfico da característica I-V do retificador 1N4001.

Para a curva linear em vermelho, vale a Eq.11

𝑖𝐷 = 𝑎𝑉𝐷 + 𝑏 (11)
Entretanto, de acordo com o modelo linearizado por partes do diodo,
representado na Eq.12

𝑉𝐷 = 𝑟𝑑 𝑖𝐷 + 𝑣𝑑0 (12)

Substituindo 12 em 11
𝑖𝐷 = 𝑎(𝑟𝐷 𝑖𝐷 + 𝑣𝑑0 ) + 𝑏

𝑖𝐷 + 0 = 𝑖𝐷 (𝑎𝑟𝐷 ) + (𝑎𝑣𝑑0 + 𝑏)

1 (13)
𝑎𝑟𝐷 = 1 → 𝑟𝐷 =
𝑎
𝑏
𝑎𝑣𝐷0 + 𝑏 = 0 → 𝑣𝐷0 = −
𝑎

A curva encontrada, através do comando polyfit do MATLAB apresenta,


coeficientes a ≈ 0.28277 e b ≈ -0,17297. Portanto, segue-se que:

6
rD ≈ 3.5364 Ω
vD0 ≈ 0.6117 V

PARÂMETROS DE MODELAGEM DOS DIODOS ZENER


Para extração dos parâmetros de modelagem do diodo Zener, foi
construído com circuito, conforme representado na Fig. 6, constituído por uma
fonte de alimentação senoidal, por um diodo zener e por um resistor.

Figura 6 Circuito para a a caracterização do diodo Zener.

Foram simulados três modelos de zener de acordo com sua tensão


nominal. O modelos escolhidos foram respectivamente 1N4734a, 1N4735a e o
1N4737a. Depois de colhidos os dados de tensão no diodo e no resistor, foram
feitos gráficos, através do MATLAB, para a observação da caracteristica do
zener.

7
Figura 7 Curva característica Iz-Vz do zener 1n4734a

Figura 8 Curva característica Iz-Vz do zener 1n4735a

Figura 9 Curva característica Iz-Vz do zener 1n4737a

8
Utilizando o mesmo software de simulação, também foram calculadas,
através das linearizações os valores de Rz e de Vz0, para os diodos 1n4734a,
1n4735a e 1n4737a, respectivamente:

Rz = 5,14 Ω, Vz0 = -0,48V

Rz = 7,33 Ω, Vz0 = -0,45V

Rz = 5,38 Ω, Vz0 = -0,49V

CIRCUITO CONFORMADOR
O circuito da fig.10 gera um sinal de uma onda senoidal, através de uma
aproximação chamada “peicewise linear” (linear por partes). Nele foi utilizado o
diodo retificador 1n4001. Também foram utilizados diodos zeners 1n43734a,
1n43735a e 1n43737a, que têm respectivamente 5,1V, 6,2V e 7,5V de Vz.

Figura 10 Circuito conformador de onda.

Na fig. 11 serão analisados as formas de onda de tensão na saída do


conformador e no mesmo plot, afim de comparação as correntes de cada ramo,
do ramo 1 ao 7 da esquerda para a direita.

9
Figura 11 Gráfico da tensão de saída do conformador e das correntes em cada ramo em função do
tempo.

A escolha dos valores de tensão do zener, foram coerentes com valores


encontrados no mercado. Dispondo dos valores dos parâmetros dos diodos
Zener e diodos retificadores, a tensão de referência de cada ramo foi calculada:
VREF = VZnom(K) + VD0.
Vref1 = 5,71V
Vref2 = 6,81V
Vref3 = *7,99V

O valor de Vref3, foi considerado 7,99, por estar acima de Vm o que


ocasionaria um problema na hora de calcular o seu período.
Para dimensionar os resistores do circuito, devem ser calculadas as
inclinações dos trechos de reta da aproximação. Para VREF3 > VREF2 > VREF1,

𝑉𝑟𝑒𝑓1 1 𝑉𝑟𝑒𝑓1
𝑖𝑛𝑐1 = , com t1 = ω 𝑎𝑟𝑐𝑠𝑒𝑛 ( )
𝑡1 𝑉𝑚

𝑉𝑟𝑒𝑓2− 𝑉𝑟𝑒𝑓1 1 𝑉𝑟𝑒𝑓2


𝑖𝑛𝑐2 = , com t2 = ω 𝑎𝑟𝑐𝑠𝑒𝑛 ( )
𝑡2 −𝑡1 𝑉𝑚

𝑉𝑟𝑒𝑓3 − 𝑉𝑟𝑒𝑓2 1 𝑉𝑟𝑒𝑓3


𝑖𝑛𝑐3 = , com t3 = ω 𝑎𝑟𝑐𝑠𝑒𝑛 ( )
𝑡3 −𝑡2 𝑉𝑚

10
Em que Vm é o valor de pico desejado para a função senoidal, ω é a
frequência da tensão triangular de entrada. Por conta da simetria das funções só
é necessário calcular para ¼ do período. Os valores encontrados foram de:

𝑖𝑛𝑐1 = 1436,77
𝑖𝑛𝑐2 = 984,23
𝑖𝑛𝑐1 = 469,72
t1 = 3,97ms
t2 = 5,06ms
t2 = 7,60ms
O circuito conformador atenua a inclinação da forma de onda triangular para
produzir as inclinações dos trechos de reta. Deve-se proceder a uma análise nodal para
se chegar às relações(para o caso de 7 ramos). Para |vSap| < VREF1 = VZnom(1) + VD0:

𝑑𝑉𝑠𝑎𝑝 𝑅𝑏 𝑑𝑉𝑇
= ∙
𝑑𝑡 𝑅𝑎 + 𝑅𝑏 𝑑𝑡
Para VREF1 < |vSap| < VREF2 = VZnom(1) + VD0:

𝑑𝑉𝑠𝑎𝑝 𝑅𝑏 𝑅𝑒𝑞1 𝑑𝑉𝑇


= ∙
𝑑𝑡 𝑅𝑎 𝑅𝑒𝑞1 + 𝑅𝑏 𝑅𝑒𝑞1 + 𝑅𝑎 𝑅𝑏 𝑑𝑡

Sendo REQ1 = rz1 + rD + R1 a resistência equivalente no ramo 1. Para VREF2


< |vSap| < VREF3 = VZnom(3) + VD0:

𝑑𝑉𝑠𝑎𝑝 𝑅𝑏 𝑅𝑒𝑞1 𝑅𝑒𝑞2 𝑑𝑉𝑇


= ∙
𝑑𝑡 (𝑅𝑎 + 𝑅𝑏 )𝑅𝑒𝑞1 𝑅𝑒𝑞2 + (𝑅𝑒𝑞1 + 𝑅𝑒𝑞2 )𝑅𝑎 𝑅𝑏 𝑑𝑡

sendo REQ2 = rz2 + rD + R2 a resistência equivalente no ramo 2.


𝑇
𝑑𝑉𝑇 𝑉𝑇 (𝑚á𝑥( )) 𝑑𝑉𝑠𝑎𝑝
4
Substituindo-se 𝑑𝑡
por 𝑑𝑡
, então 𝑑𝑡
nas equações acima pode ser
igualada aos valores de inc1, inc2 e inc3 calculados previamente, conforme o
intervalo considerado. O valor de Ra foi arbitrado 330𝛺 os demais valores
encontrados foram der:

𝑇
𝑉𝑇 (𝑚á𝑥 ( 4 ))
= 10.500
𝑑𝑡

11
Rb = 2k𝜴
Req1 = 643𝛺
Req2 = 435𝛺

Por fim na fig 12, segue um gráfico comparando as três principais saídas
de tensão do circuito.

Figura 12 Gráfico das saídas de tensão quadrada, triangular e senoidal, em função do tempo.

ANEXO I – SCRIPT PARA ANÁLISE DO RETIFICADOR


%Importacao dos Dados

fid = fopen('Dados_1N4001.csv');

data =
textscan(fid,'%f%f%f%f%f%f%f%f%f%f%f','Delimiter',',','HeaderLines',13
);

fclose(fid);

%Obtencao das Variaveis de Interesse

v1 = data{2}; %Tensao da Fonte

vo = data{2} - data{3}; %Tensao do Diodo

i = data{3}/1000; %Corrente do Diodo

% Modelo Linearizado por Partes

new_vo = (vo(250:end))';

new_i = (i(250:end))';

linearizado_partes = polyfit(new_vo, new_i, 1);

raiz = roots(linearizado_partes);

12
rd = 1/linearizado_partes(1);

vdo = -linearizado_partes(2)/linearizado_partes(1);

%Comparativo

figure;

scatter(vo,i,'g');

hold on;

plot(linspace(raiz, max(vo), 10), polyval(linearizado_partes,


linspace(raiz, max(vo), 10)),'r');

hold on;

plot(linspace(vo(1), raiz, 10), zeros(length(linspace(vo(1), raiz,


10)), 1), 'r');

legend({'Dispersão Simulada', 'Curva Linear Encontrada'}, 'Location',


'northwest');

xlabel('vd (V)');

ylabel('id (A)');

title('Caracteristica I-V do Diodo');

ANEXO 2 – SCRIPT PARA ANÁLISE DO ZENER


clear;

clc;

close all;

%Importacao dos Dados

fid = fopen('zener_37a.csv');

data = textscan(fid,'%f%f%f%f%f%f%f%f%f%f%f','Delimiter',',','HeaderLines',13);

fclose(fid);

%Obtencao das Variaveis de Interesse

vr = data{3};

vz = -data{2};

iz = vr/1000;

% Modelo Linearizado por Partes

13
%1N4734A:

%new_iz = (iz(198:227))';

%new_vz = (vz(198:227))';

%1N4735A:

%new_iz = (iz(206:241))';

%new_vz = (vz(206:241))';

%1N4737A:

new_iz = (iz(210:241))';

new_vz = (vz(210:241))';

linearizado_partes = polyfit(new_vz, new_iz, 1);

raiz = roots(linearizado_partes);

% i = a*vo + b, --> vo = i/a - b/a = rd*i + vdo --> rd = 1/a, vdo = -b/a

rz = 1/linearizado_partes(1);

vdz = -linearizado_partes(2)/linearizado_partes(1);

%Comparativo

figure;

scatter(vz,iz,'g');

hold on;

plot(vz(213:241), polyval(linearizado_partes, vz(213:241)),'r');

hold on;

14
plot(linspace(vz(241), raiz, 10), polyval(linearizado_partes,linspace(vz(241), raiz, 10)),'r');

hold on;

plot(linspace(raiz, vz(185), 10), zeros(length(linspace(raiz, vz(185), 10)), 1), 'r');

legend({'Dispersão Simulada', 'Curva Linear Encontrada'}, 'Location', 'northwest');

xlabel('vz (V)');

ylabel('iz (A)');

title('Caracteristica Iz-Vz do Zener 1N4737a');

15

Você também pode gostar