Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO

TRIBUNAL FEDERAL

PARTIDO POLÍTICO xxxxxxxxxx, pessoa jurídica de direito privado, inscrito no


CNPJ sob o n°.xx.xxx.xxx/xxxx-xx e no TSE sob o n°.xxxxxxxx, por seu Diretório
Nacional, com sede em xxxxxxxxxx, por seu advogado infra-assinado xxxxxxxxxx,
com escritório xxxxxxxxxx, endereço que indica para os fins do art. 77, V, do CPC,
conforme art. 103, inciso VIII, da Constituição Federal e art. 2º, inciso VIII, da Lei
n. 9.868/99, por seu advogado regularmente inscrito na OAB xx, sob o n. xxxxx, e
devidamente constituído (instrumento de mandato em anexo) com escritório
profissional situado na Rua: xxxxxxxxx, nº: xxx, Bairro: xxxxx, cidade de
xxxxxxxxx,(estado), vem respeitosamente perante V. Exª., com fundamento no
art. 102, I, “a”da Constituição Federal e no art. 10 da Lei n. 9.868/99, propor:

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE POR OMISSÃO


em face de Mesa do Congresso Nacional pelos fundamentos que serão
apresentados.

I – DO OBJETO IMPUGNADO
A Constituição Federal de 1988 adotou a ação de inconstitucionalidade por omissão
em seu art. 103, § 2°:
§ 2º - Declarada a inconstitucionalidade por omissão de medida para tornar efetiva
norma constitucional, será dada ciência ao Poder competente para a adoção das
providências necessárias e, em se tratando de órgão administrativo, para fazê-lo
em trinta dias.
A Lei 12.063/2009, que acresceu o Capítulo II-A à Lei 9.868/1999, trouxe a
disciplina processual para a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão –
ADO.
II – DA COMPETÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
Art. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, precipuamente, a guarda da
Constituição, cabendo-lhe:
I - Processar e julgar, originariamente:
a) a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo federal ou
estadual e a ação declaratória de constitucionalidade de lei ou ato normativo
federal; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 3, de 1993)
p)  o pedido de medida cautelar das ações diretas de inconstitucionalidade;

III – DA LEGITIMIDADE ATIVA


Seção II
Do Supremo Tribunal Federal
Art. 103. Podem propor a ação direta de inconstitucionalidade e a ação
declaratória de constitucionalidade: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº
45, de 2004) (Vide Lei nº 13.105, de 2015) (Vigência)
VIII - partido político com representação no Congresso Nacional;

IV – DA LEGITIMIDADE PASSIVA
O Congresso Nacional conjuntamente com o Presidente da República, são os
responsáveis pela edição da norma que viabilizaria o exercício do direito de greve
pelos servidores públicos, até apresente data, não editada.

V – DA INCONSTITUCIONALIDADE POR OMISSÃO


O Art. 7°, XXIII, da CRFB/88 assim dispõe: “Art. 7° São direitos dos trabalhadores
urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:

(“...), XXXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas,


insalubres ou perigosas, na forma da lei”.
Essa é uma típica norma de eficácia limitada dependente de
regulamentação e a medida judicial objetiva apropriada para defender a
efetividade desse direito social é a Ação Direta de Inconstitucionalidade
por Omissão.
VII – DOS PEDIDOS E REQUERIMENTOS
Diante de todo o exposto, requer:
a) Concessão da medida cautelar, para suspender a aplicação do artigo 37, VII, da
CFRB /88, tornando viável o exercício do direito de greve pelos servidores
públicos, nos termos do artigo 12-F, parágrafo único, da Lei 9868/99;
b) A Intimação do Presidente do Congresso Nacional (do Senado Federal), e do
Presidente da República, como autoridades responsáveis pela omissão
inconstitucional, manifestem-se no prazo de cinco dias, sobre o pedido de medida
cautelar, com fundamento no artigo 12-F da CFRB /88.
c) A Intimação do Presidente do Congresso Nacional (do Senado Federal), e do
Presidente da República, como autoridades responsáveis pela omissão
inconstitucional, manifestem-se no prazo de trinta dias, sobre o mérito da ação,
com fundamento no artigo 6, da Lei 9868/99.
d) Intimação do Ilustre representante do Ministério Público, o Senhor Procurador
Geral da República, para manifestar-se, no prazo de 15 dias, emitindo seu parecer,
conforme o artigo12-E, parágrafo 3, da Lei 9868/99 e artigo 103, parágrafo 1, da
Constituição Federal de1988;
e) Intimação do senhor Advogado Geral da União, para manifestar-se, no prazo de
15 dias,conforme artigo 12-E, parágrafo 2, da Lei 9868/99;
Apresenta, por fim, as inclusas cópias em duas vias da inicial, procuração, cópias
da Art. 103, § 2 da Constituição Federal de 1988 impugnado e documentos
comprobatórios da inércia alegada, da inconstitucionalidade da norma impugnada,
conforme exigência do art. 12-B, parágrafo único, da Lei n. 9.868/99.

Dá-se à causa o valor de R$ xx. xxx,xx.

Termos em que pede deferimento.

Local e data...
ADVOGADO...
OAB...

Você também pode gostar