Você está na página 1de 1

A Constituição Federal de 1988 - norma de maior hierarquia no ordenamento jurídico

brasileiro - assegura a todos os cidadãos o direito ao bem-estar e à proteção. Entretanto, no


Brasil, esses direitos não se concretizam de forma plena, por causa do fato de haver a
negligência contra os idosos. Isso ocorre devido à falta de políticas públicas efetivas e à
ausência de respeito para com as pessoas da terceira idade. Dessa maneira, essa realidade
constitui um desafio a ser resolvido não somente pelos poderes públicos, mas também por
toda a sociedade.
Ao visar tal realidade, inicialmente, convém destacar a precariedade de ações factuais
vindas do poder público como uma das causas desse problema. Sob esse viés, com o
propósito de expor essa situação, o livro "Quarto de Despejo - Diário de uma favelada", da
escritora paulistana, Carolina Maria de Jesus, retrata casos de desrespeito aos idosos, na
comunidade de Canindé, onde residia. De forma análoga, a obra traz reflexões sobre a falta
de atuação de políticas públicas, na atualidade, direcionadas aos mais velhos, em que cenas
de agressões, abandono e maus tratos retratados no livro acabam se repetindo pela falta de
atuação do governo.
Outrossim, ressalta-se o irrespeito aos nossos anciões como um dos fatores que
aumenta a prevalência do contratempo. Acerca disso, é pertinente trazer o discurso do
filósofo francês Étienne de La Boétie, em sua obra, "Discurso da Servidão Voluntária", o qual
defende que enquanto o bem-estar, a segurança e o respeito forem dados a apenas algumas
pessoas, não seremos uma sociedade livre. No entanto, fica explícito que esse cenário de
seletividade prevalece no cotidiano, pois esses direitos não são executados, de forma plena,
aos idosos. Logo, constata-se que essa atitude ocasiona a continuidade do descaso aos
nossos velhos.
Urge, portanto, que medidas atenuantes sejam tomadas para a solução do infortúnio.
Ademais, cabe ao Congresso Nacional - órgão responsável pelas edições de comandos legais
- combater os problemas que ameaçam as pessoas idosas, por meio de atos normativos de
políticas públicas direcionadas aos lugares com maior índice de desrespeito aos anciões e
fiscalizatórios para a execução plena do Estatuto do Idoso, a fim de que a percentagem de
maus-tratos diminua. Além disso, o Governo Federal deve incentivar o debate sobre os
direitos e o respeito aos idosos, por intermédio de palestras televisivas com a participação
de pessoas idosas e profissionais especializados, com a finalidade de esclarecer à população
e desconstruir o desrespeito. Desse modo, toda a problematização será amenizada e o corpo
social composto também pela terceira idade terão os direitos ao bem-estar e à proteção,
elencados na CF/88, efetivados de forma eficazes e o combate contra à negligência aos
idosos será concretizado.

Você também pode gostar