Você está na página 1de 75

Competências gerais

Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, co
uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e
hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.

Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção a

Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos da
expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas so
e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações pr
ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.

Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que re
socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outr

Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as
elas.

Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação,fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humano
indivíduos e
de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.

Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios é
Competências específicas de Ciências humanas
Compreender a si e ao outro como identidades diferentes, de forma a exercitar o respeito à diferença em uma sociedade plural e promover os direitos

Analisar o mundo social, cultural e digital e o meio técnico-científico-informacional com base nos conhecimentos das Ciências Humanas, considerand
para intervir em situações do cotidiano e se posicionar diante de problemas do mundo contemporâneo.

Identificar, comparar e explicar a intervenção do ser humano na natureza e na sociedade, exercitando a curiosidade e propondo ideias e ações que c
cultural, de modo a participar efetivamente das dinâmicas da vida social.

Interpretar e expressar sentimentos, crenças e dúvidas com relação a si mesmo, aos outros e às diferentes culturas, com base nos instrumentos de in
acolhimento e a valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceito

Comparar eventos ocorridos simultaneamente no mesmo espaço e em espaços variados, e eventos ocorridos em tempos diferentes no mesmo espa

Construir argumentos, com base nos conhecimentos das Ciências Humanas, para negociar e defender ideias e opiniões que respeitem e promovam
exercitando a responsabilidade e o protagonismo voltados para o bem comum e a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

Utilizar as linguagens cartográfica, gráfica e iconográfica e diferentes gêneros textuais e tecnologias digitais de informação e comunicação no desenv
localização, distância, direção, duração, simultaneidade, sucessão, ritmo e conexão.
Competências específicas de Ensino religioso

Conviver com a diversidade de crenças, pensamentos, convicções, modos de ser e viver.

Conhecer os aspectos estruturantes das diferentes tradições/movimentos religiosos e filosofias de vida, a partir de pressupostos científicos, filosófico

Compreender, valorizar e respeitar as manifestações religiosas e filosofias de vida, suas experiências e saberes, em diferentes tempos, espaços e te

Reconhecer e cuidar de si, do outro, da coletividade e da natureza, enquanto expressão de valor da vida.

Analisar as relações entre as tradições religiosas e os campos da cultura, da política, da economia, da saúde, da ciência, da tecnologia e do meio am

Debater, problematizar e posicionar-se frente aos discursos e práticas de intolerância, discriminação e violência de cunho religioso, de modo a asseg
cidadania e da cultura de paz.
Competências específicas de Linguagens

Compreender as linguagens como construção humana, histórica, social e cultural, de natureza dinâmica, reconhecendo-as e valorizando-as como for
subjetividades e identidades sociais e culturais.

Conhecer e explorar diversas práticas de linguagem (artísticas, corporais e linguísticas) em diferentes campos da atividade humana para continuar ap
na vida social e colaborar para a construção de uma sociedade mais justa, democrática e inclusiva.

Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, para se expressar e partilhar
diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao diálogo, à resolução de conflitos e à cooperação.

Utilizar diferentes linguagens para defender pontos de vista que respeitem o outro e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e
global, atuando criticamente frente a questões do mundo contemporâneo.

Desenvolver o senso estético para reconhecer, fruir e respeitar as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, inclusive aque
bem como participar de práticas diversificadas, individuais e coletivas, da produção artístico-cultural, com respeito à diversidade de saberes, identidad

Compreender e utilizar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais
diferentes linguagens e mídias, produzir conhecimentos, resolver problemas e desenvolver projetos autorais e coletivos.
Competências específicas de Matemática

Reconhecer que a Matemática é uma ciência humana, fruto das necessidades e preocupações de diferentes culturas, em diferentes momentos histór
problemas científicos e tecnológicos e para alicerçar descobertas e construções, inclusive com impactos no mundo do trabalho.

Desenvolver o raciocínio lógico, o espírito de investigação e a capacidade de produzir argumentos convincentes, recorrendo aos conhecimentos mate

Compreender as relações entre conceitos e procedimentos dos diferentes campos da Matemática (Aritmética, Álgebra, Geometria, Estatística e Prob
segurança quanto à própria capacidade de construir e aplicar conhecimentos matemáticos, desenvolvendo a autoestima e a perseverança na busca d

Fazer observações sistemáticas de aspectos quantitativos e qualitativos presentes nas práticas sociais e culturais, de modo a investigar, organizar, re
interpretá-las e avaliá-las crítica e eticamente, produzindo argumentos convincentes.

Utilizar processos e ferramentas matemáticas, inclusive tecnologias digitais disponíveis, para modelar e resolver problemas cotidianos, sociais e de o
resultados.

Enfrentar situações-problema em múltiplos contextos, incluindo-se situações imaginadas, não diretamente relacionadas com o aspecto prático-utilitár
utilizando diferentes registros e linguagens (gráficos, tabelas, esquemas, além de texto escrito na língua materna e outras linguagens para descrever

Desenvolver e/ou discutir projetos que abordem, sobretudo, questões de urgência social, com base em princípios éticos, democráticos, sustentáveis
indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza.

Interagir com seus pares de forma cooperativa, trabalhando coletivamente no planejamento e desenvolvimento de pesquisas para responder a questi
modo a identificar aspectos consensuais ou não na discussão de uma determinada questão, respeitando o modo de pensar dos colegas e aprendend
Competências específicas de Ciências da natureza

Compreender as Ciências da Natureza como empreendimento humano, e o conhecimento científico como provisório, cultural e histórico.

Compreender conceitos fundamentais e estruturas explicativas das Ciências da Natureza, bem como dominar processos, práticas e procedimentos d
debate de questões científicas, tecnológicas, socioambientais e do mundo do trabalho, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma s

Analisar, compreender e explicar características, fenômenos e processos relativos ao mundo natural, social e tecnológico (incluindo o digital), como ta
exercitando a curiosidade para fazer perguntas, buscar respostas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das Ciências

Avaliar aplicações e implicações políticas, socioambientais e culturais da ciência e de suas tecnologias para propor alternativas aos desafios do mund
do trabalho.

Construir argumentos com base em dados, evidências e informações confiáveis e negociar e defender ideias e pontos de vista que promovam a cons
outro, acolhendo e valorizando a diversidade de indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza.

Utilizar diferentes linguagens e tecnologias digitais de informação e comunicação para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir con
Natureza de forma crítica, significativa, reflexiva e ética.

Conhecer, apreciar e cuidar de si, do seu corpo e bem-estar, compreendendo-se na diversidade humana, fazendo-se respeitar e respeitando o outro,
Natureza e às suas tecnologias.

Agir pessoal e coletivamente com respeito, autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, recorrendo aos conhecimentos das
questões científico-tecnológicas e socioambientais e a respeito da saúde individual e coletiva, com base em princípios éticos, democráticos, sustentá
Competências específicas de Língua Portuguesa

Reconhecer o texto como lugar de manifestação e negociação de sentidos, valores e ideologias.

Compreender a língua como fenômeno cultural, histórico, social, variável, heterogêneo e sensível aos contextos de uso, reconhecendo-a como meio
comunidade a que pertencem.

Apropriar-se da linguagem escrita, reconhecendo-a como forma de interação nos diferentes campos de atuação da vida social e utilizando-a para am
de construir conhecimentos (inclusive escolares) e de se envolver com maior autonomia e protagonismo na vida social.

Ler, escutar e produzir textos orais, escritos e multissemióticos que circulam em diferentes campos de atuação e mídias, com compreensão, autonom
partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos, e continuar aprendendo.

Compreender o fenômeno da variação linguística, demonstrando atitude respeitosa diante de variedades linguísticas e rejeitando preconceitos linguís

Empregar, nas interações sociais, a variedade e o estilo de linguagem adequados à situação comunicativa, ao(s) interlocutor(es) e ao gênero do disc

Analisar informações, argumentos e opiniões manifestados em interações sociais e nos meios de comunicação, posicionando-se ética e criticamente
direitos humanos e ambientais.

Selecionar textos e livros para leitura integral, de acordo com objetivos, interesses e projetos pessoais (estudo, formação pessoal, entretenimento, pe

Envolver-se em práticas de leitura literária que possibilitem o desenvolvimento do senso estético para fruição, valorizando a literatura e outras manife
dimensões lúdicas, de imaginário e encantamento, reconhecendo o potencial transformador e humanizador da experiência com a literatura.

Mobilizar práticas da cultura digital, diferentes linguagens, mídias e ferramentas digitais para expandir as formas de produzir sentidos (nos processos
mundo e realizar diferentes projetos autorais.
Competências específicas de Arte

Explorar, conhecer, fruir e analisar criticamente práticas e produções artísticas e culturais do seu entorno social, dos povos indígenas, das comunidad
distintos tempos e espaços, para reconhecer a arte como um fenômeno cultural, histórico, social e sensível a diferentes contextos e dialogar com as d

Compreender as relações entre as linguagens da Arte e suas práticas integradas, inclusive aquelas possibilitadas pelo uso das novas tecnologias de
audiovisual, nas condições particulares de produção, na prática de cada linguagem e nas suas articulações.

Pesquisar e conhecer distintas matrizes estéticas e culturais – especialmente aquelas manifestas na arte e nas culturas que constituem a identidade
contemporâneas, reelaborando-as nas criações em Arte.

Experienciar a ludicidade, a percepção, a expressividade e a imaginação, ressignificando espaços da escola e de fora dela no âmbito da Arte.

Mobilizar recursos tecnológicos como formas de registro, pesquisa e criação artística.

Estabelecer relações entre arte, mídia, mercado e consumo, compreendendo, de forma crítica e problematizadora, modos de produção e de circulaçã

Problematizar questões políticas, sociais, econômicas, científicas, tecnológicas e culturais, por meio de exercícios, produções, intervenções e aprese

Desenvolver a autonomia, a crítica, a autoria e o trabalho coletivo e colaborativo nas artes.

Analisar e valorizar o patrimônio artístico nacional e internacional, material e imaterial, com suas histórias e diferentes visões de mundo.
Competências específicas de Educação Física

Compreender a origem da cultura corporal de movimento e seus vínculos com a organização da vida coletiva e individual.

Planejar e empregar estratégias para resolver desafios e aumentar as possibilidades de aprendizagem das práticas corporais, além de se envolver no

Refletir, criticamente, sobre as relações entre a realização das práticas corporais e os processos de saúde/doença, inclusive no contexto das atividad

Identificar a multiplicidade de padrões de desempenho, saúde, beleza e estética corporal, analisando, criticamente, os modelos disseminados na míd

Identificar as formas de produção dos preconceitos, compreender seus efeitos e combater posicionamentos discriminatórios em relação às práticas c

Interpretar e recriar os valores, os sentidos e os significados atribuídos às diferentes práticas corporais, bem como aos sujeitos que delas participam.

Reconhecer as práticas corporais como elementos constitutivos da identidade cultural dos povos e grupos.

Usufruir das práticas corporais de forma autônoma para potencializar o envolvimento em contextos de lazer, ampliar as redes de sociabilidade e a pro

Reconhecer o acesso às práticas corporais como direito do cidadão, propondo e produzindo alternativas para sua realização no contexto comunitário

Experimentar, desfrutar, apreciar e criar diferentes brincadeiras, jogos, danças, ginásticas, esportes, lutas e práticas corporais de aventura, valorizand
Competências específicas de Língua Inglesa

Identificar o lugar de si e o do outro em um mundo plurilíngue e multicultural, refletindo, criticamente, sobre como a aprendizagem da língua inglesa c
globalizado, inclusive no que concerne ao mundo do trabalho.

Comunicar-se na língua inglesa, por meio do uso variado de linguagens em mídias impressas ou digitais, reconhecendo-a como ferramenta de acess
possibilidades para a compreensão dos valores e interesses de outras culturas e para o exercício do protagonismo social.

Identificar similaridades e diferenças entre a língua inglesa e a língua materna/outras línguas, articulando-as a aspectos sociais, culturais e identitário
identidade.

Elaborar repertórios linguístico-discursivos da língua inglesa, usados em diferentes países e por grupos sociais distintos dentro de um mesmo país, d
direito e valorizar os usos heterogêneos, híbridos e multimodais emergentes nas sociedades contemporâneas.

Utilizar novas tecnologias, com novas linguagens e modos de interação, para pesquisar, selecionar, compartilhar, posicionar-se e produzir sentidos e
ética, crítica e responsável.
Conhecer diferentes patrimônios culturais, materiais e imateriais, difundidos na língua inglesa, com vistas ao exercício da fruição e da ampliação de p
artístico-culturais.
Competências específicas de Geografia

Utilizar os conhecimentos geográficos para entender a interação sociedade/natureza e exercitar o interesse e o espírito de investigação e de resoluçã

Estabelecer conexões entre diferentes temas do conhecimento geográfico, reconhecendo a importância dos objetos técnicos para a compreensão da
recursos da natureza ao longo da história.

Desenvolver autonomia e senso crítico para compreensão e aplicação do raciocínio geográfico na análise da ocupação humana e produção do espaç
diferenciação, distribuição, extensão, localização e ordem.

Desenvolver o pensamento espacial, fazendo uso das linguagens cartográficas e iconográficas, de diferentes gêneros textuais e das geotecnologias
informações geográficas.

Desenvolver e utilizar processos, práticas e procedimentos de investigação para compreender o mundo natural, social, econômico, político e o meio t
perguntas e soluções (inclusive tecnológicas) para questões que requerem conhecimentos científicos da Geografia.

Construir argumentos com base em informações geográficas, debater e defender ideias e pontos de vista que respeitem e promovam a consciência s
sem preconceitos de qualquer natureza.

Agir pessoal e coletivamente com respeito, autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, propondo ações sobre as questões
democráticos, sustentáveis e solidários.
Competências específicas de História

Compreender e problematizar os conceitos e procedimentos norteadores da produção historiográfica.

Compreender acontecimentos históricos, relações de poder e processos e mecanismos de transformação e manutenção das estruturas sociais, políti
diferentes espaços para analisar, posicionar-se e intervir no mundo contemporâneo.

Compreender a historicidade no tempo e no espaço, relacionando acontecimentos e processos de transformação e manutenção das estruturas socia
problematizar os significados das lógicas de organização cronológica.

Elaborar questionamentos, hipóteses, argumentos e proposições em relação a documentos, interpretações e contextos históricos específicos, recorre
empatia, o diálogo, a resolução de conflitos, a cooperação e o respeito.

Identificar interpretações que expressem visões de diferentes sujeitos, culturas e povos com relação a um mesmo contexto histórico, e posicionar-se
democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Analisar e compreender o movimento de populações e mercadorias no tempo e no espaço e seus significados históricos, levando em conta o respeito

Produzir, avaliar e utilizar tecnologias digitais de informação e comunicação de modo crítico, ético e responsável, compreendendo seus significados p
Língua Portuguesa

COMPONENTE ANO/FAIXA CAMPOS DE ATUAÇÃO PRÁTICAS DE LINGUAGEM OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES

Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF01LP01) Reconhecer que textos são lidos e escri tos da
Língua Portuguesa 1º atuação autônoma) Protocolos de leitura esquerda para a direita e de cima para bai xo da pági na.

(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, pal avras e


Todos os campos de Escrita
Língua Portuguesa 1º atuação (compartilhada e autônoma) Correspondência fonema-grafema frases de forma alfabética – usando letras/grafemas que
representem fonemas.

Todos os campos de Escrita Construção do sistema alfabético/ (EF01LP03) Observar escrita s convencionais, comparando-as às
Língua Portuguesa 1º atuação (compartilhada e autônoma) Convenções da escrita suas produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento do alfabeto do (EF01LP04) Distingui r as letras do alfabeto de outros sinais
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) português do Brasi l gráfico s.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF01LP05) Reconhecer o sistema de escrita alfabética como
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) Construção do sistema alfabético representação dos sons da fal a.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e


Língua Portuguesa 1º (EF01LP06) Segmentar oralmente palavras em sílabas.
atuação (Alfabetização) da ortografi a

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e


Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) da ortografi a (EF01LP07) Identificar fonemas e sua representação por letras.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF01LP08) Relacionar elementos sonoros (sílabas, fonemas,
Língua Portuguesa 1º
atuação (Alfabetização) da ortografi a partes de palavras) com sua representação escrita.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF01LP09) Comparar pal avras, identi ficando semelhanças e
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) da ortografi a diferenças entre sons de sílabas i niciais.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento do alfabeto do (EF01LP10) Nomear as letras do alfabeto e recitá-lo na ordem das
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) português do Brasi l l etras.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento das diversas grafias (EF01LP11) Conhecer, diferenci ar e relacionar letras em formato
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) do alfabeto/ Acentuação i mprensa e cursiva, maiúsculas e minúsculas.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Segmentação de (EF01LP12) Reconhecer a separação das palavras, na escrita, por
Língua Portuguesa 1º pala vras/Classifi cação de palavras
atuação (Alfabetização) espaços em branco.
por número de sílabas

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF01LP13) Comparar pal avras, identi ficando semelhanças e
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) Construção do sistema alfabético diferenças entre sons de sílabas mediais e finais.

(EF01LP14) Identificar outros sinais no texto além d as letras, como


Todos os campos de Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 1º Pontuação pontos fi nais, de interrogação e excl amação e seus efeitos na
atuação (Alfabetização) entonação.

(EF01LP15) Agrupar palavras pel o critério de aproximação de


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Sinonímia e
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) antonímia/Morfol ogi a/Pontuação significado (sinonímia) e separar palavras pelo critéri o de oposição
de si gnifi cado (antonímia).

(EF01LP16) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, quadras, quadri nhas, parlendas, trava-
Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura l ínguas, dentre outros gêneros do campo da vi da cotidi ana,
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto do texto e
relacionando sua forma de organi zação à sua finalidade.

(EF01LP17) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, li stas, agendas, calendários, avi sos,
Escrita convites, receitas, instruções de montagem e legendas para álbuns,
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada fotos o u ilustrações (digitais ou impressos), dentre outros gêneros
do campo da vida cotidiana, consi derando a situaçã o comunicativa
e o tema/assunto/ final idade do texto.

(EF01LP18) Registrar, em co laboração com os cole gas e com a


ajuda do professor, cantigas, quadras, quadri nhas, parlendas,
Escrita
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada trava-línguas, dentre outros gêneros do camp o da vida cotidiana,
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto/finalidade
do texto.

(EF01LP19) Reci tar pa rlenda s, quadras, quadri nhas, trava-línguas,


Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral com entonação adequada e observando as ri mas.

(EF01LP20) Identificar e reproduzir, em listas, agendas,


calendários, regras, avisos, convites, receitas, instruções de
Análise linguística/semiótica montagem e legendas para á lbuns, fotos ou il ustrações (digi tais ou
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana (Alfabetização) Forma de composição do texto
i mpressos), a formatação e diagramação específica de cada um
desses gêneros.

(EF01LP21) Escrever, em colaboração com os colegas e com a


ajuda do professor, listas de regras e regul amentos que organizam
Escrita
Língua Portuguesa 1º Campo da vida pública (compartilhada e autônoma) Escrita compartilhada a vi da na comunidade escolar, dentre outros gêneros do campo da
atuaçã o cidadã, consid erando a situação comunicativa e o
tema/assunto do texto.

(EF01LP22) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, diagramas, entrevi stas, curiosidades,
Campo das práticas de Escrita
Língua Portuguesa 1º estudo e pesquisa (compartilhada e autônoma) Produção de textos dentre outros gêneros do campo investigativo , di gitai s ou
i mpressos, considerando a situação comunicati va e o
tema/assunto/finalidade do texto.

(EF01LP23) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, entrevistas, curiosidades, dentre outros
Campo das práticas de Planejamento de texto oral gêneros do campo i nvestigati vo, que possam ser repassados
Língua Portuguesa 1º Oralidade
estudo e pesquisa Exposi ção ora l oralmente por meio de ferramentas digitais, em áudio ou vídeo,
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto/finalidade
do texto.

(EF01LP24) Identificar e reproduzir, em enunciados de tarefas


Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Forma de composição dos escolares, di agramas, entrevistas, curiosidades, digitais ou
Língua Portuguesa 1º textos/Adequação do texto às
estudo e pesquisa (Alfabetização) i mpressos, a formatação e di agramação específi ca de cada um
normas de escrita desses gêneros, i nclusive em suas versões orais.

(EF01LP25) Produzir, tendo o professor como escri ba, recontagens


Escrita de histórias l idas pelo professor, históri as ima gi nadas ou baseadas
Língua Portuguesa 1º Campo artístico-literário (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada em li vros de imagens, observando a forma de comp osição de
textos narrativos (personagens, enredo, tempo e espaço).

Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de (EF01LP26) Identificar eleme ntos de uma narrativa li da ou
Língua Portuguesa 1º Campo artístico-literário (Alfabetização) narrati vas escutada, incluindo personag ens, enredo, tempo e espaço.

(EF12LP01) Ler palavras novas com precisão na decodifi cação, no


Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 1º, 2º atuação autônoma) Decodificação/Fluência de leitura caso de palavras de uso frequente, ler globalmente, por
memorização.

(EF12LP02) Buscar, sel ecion ar e ler, com a mediação do professor


Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 1º, 2º atuação autônoma) Formação de leitor (leitura compartilhada), textos que circulam em mei os impressos ou
digi tais, de acordo com as ne cessidades e i nteresses.

Construção do sistema alfabético/ (EF12LP03) Copiar textos breves, mantendo suas características e
Todos os campos de Escrita Estabelecimento de relações voltando para o texto sempre que tiver dúvidas sobre sua
Língua Portuguesa 1º, 2º atuação (compartilhada e autônoma) anafóricas na referenciação e distri buição gráfi ca, espaçamento entre as palavras, escrita das
construção da coesão palavras e pontuação.

(EF12LP04) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor ou já com certa autonomia, li stas,
Lei tura/escuta (compartilhada e agendas, calendários, avisos, convites, receitas, instruções de
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura montagem (digitais ou impressos), dentre outros gêneros do campo
da vi da coti diana, considerando a situação co municati va e o
tema/assunto do texto e relacionando sua forma de organização à
sua finali dade.

(EF12LP05) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, (re)contagens de h istórias, poemas e
Escrita outros textos versificad os (l etras de canção, quadrinhas, cordel),
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita compartilhada poemas visuais, tiras e histórias em quadrinhos, dentre outros
gêneros do campo artísti co-li terário, considerando a situação
comun icativa e a finalidade do texto.

(EF12LP06) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, recados, avisos, convites, receitas,
i nstruções de montagem, dentre outros gêneros do campo da vida
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral coti diana, que possam ser repassados oralmente por mei o de
ferramentas digitai s, em áudi o ou vídeo, considerando a situação
comun icativa e o tema/assunto/finalidade do texto.

(EF12LP07) Identificar e (re)produzir, em canti ga, quadras,


Análise linguística/semiótica quadrinhas, parlendas, trava-línguas e canções, rimas, ali terações,
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida cotidiana Forma de composição do texto
(Alfabetização) assonânci as, o ritmo de fala relacionado ao ritmo e à melodia das
músi cas e seus efei tos de sentido.

(EF12LP08) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, fotolegendas em notícias, manchetes e
Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Compreensão em leitura l ides em notícias, ál bum de fotos di gital noti ci oso e notícias curtas
autônoma) para público infanti l, dentre outros gêneros do campo jornalístico,
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto do texto.

(EF12LP09) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, slogans, anúnci os publicitári os e textos
Lei tura/escuta (compartilhada e de campanhas de conscienti zação destinados ao público infanti l,
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública autônoma) Compreensão em leitura
dentre outros gêneros do campo publicitári o, considerando a
situação comunicati va e o tema/assunto do texto.

(EF12LP10) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, cartazes, avisos, fol hetos, regras e
Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública autônoma) Compreensão em leitura regulamentos que organizam a vida na comunidade escol ar, dentre
outros gêneros do campo da atuação cidadã, consi derando a
situação comunicati va e o tema/assunto do texto.

(EF12LP11) Escrever, em colaboração com os colegas e com a


ajuda do professor, fotolegendas em notícias, manchetes e l ides
Escrita em notícias, álbum de fotos digital noticioso e notíci as curtas para
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública (compartilhada e autônoma) Escrita compartilhada públi co infantil, di gitai s ou impressos, dentre outros gêneros do
campo jornalístico, con siderando a situação comunicati va e o
tema/assunto do texto.

(EF12LP12) Escrever, em colaboração com os colegas e com a


ajuda do professor, slogans, anúncios publicitários e textos de
Escrita
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Escrita compartilhada campa nhas de conscie ntização destinados ao públi co infantil,
(compartilhada e autônoma)
dentre outros gêneros do campo publicitári o, considerando a
situação comunicati va e o tema/ assunto/finalidade do texto.

(EF12LP13) Pl anejar, em col aboração com os colegas e com a


ajuda do professor, slogans e peça de campa nha de
consci entização desti nada ao público infanti l que possam ser
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Oralidade Produção de texto oral
repassados oral mente por meio de ferramentas di gitai s, em áudio
ou vídeo, consi derando a situação comunicativa e o
tema/assunto/finalidade do texto.

(EF12LP14) Identificar e reproduzir, em fotolegendas de notícias,


Análise linguística/semiótica álbum de fotos digi tal noticioso, cartas de leitor (revi sta infanti l),
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública (Alfabetização) Forma de composição do texto digi tais ou impressos, a formatação e diagramação específica de
cada u m desses gêneros, inclusi ve em suas versões orais.

Análise linguística/semiótica (EF12LP15) Identificar a forma de composição de slogans


Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública (Alfabetização) Forma de composição do texto publi ci tários.

(EF12LP16) Identificar e reproduzir, em anúncios publicitários e


textos de campanhas de conscienti zação destinados ao público
Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública (Alfabetização) Forma de composição do texto i nfanti l (orais e escritos, di gitai s ou impressos), a formatação e
diagramação específi ca de cada um desses gêneros, incl usi ve o
uso de imagens.

(EF12LP17) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, enunciados de tarefas escolares,
Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e diagramas, curiosidades, pequenos relatos de experimentos,
Língua Portuguesa 1º, 2º estudo e pesquisa autônoma) Compreensão em leitura entrevi stas, verbetes de enciclopédia infantil, entre outros gêneros
do campo i nvestigativo, considerando a situação comuni cativa e o
tema/assunto do texto.

(EF12LP18) Apreciar p oemas e outros textos versificados,


Lei tura/escuta (compartilhada e observando rimas, sonoridades, jogos de pal avras, reconhecendo
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo artístico-literário autônoma) Apreciação estética/Estilo seu pe rtenci mento ao mundo imagi nári o e sua dime nsão de
encantamento, j ogo e fruição.

(EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, rimas,


Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de textos
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo artístico-literário sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,
(Alfabetização) poéticos compa rações, rel aci onando-as com sensações e associações.

(EF15LP01) Identificar a função soci al de textos que circulam em


campo s da vida social dos quais participa cotidianamente (a casa, a
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e Reconstrução das condições de
Língua Portuguesa 5º atuação autônoma) produção e recepção de te xtos rua, a comunidade, a e scola) e nas mídias i mpressa, de massa e
digi tal, reconhecendo para que foram produzidos, onde circul am,
quem os produziu e a quem se destinam.

(EF15LP02) Estabelecer expectativas em relação ao texto que vai


l er (pressuposi ções antecipadoras dos senti dos, da forma e da
função soci al do texto), apoia ndo-se em seus conhecimentos
prévios sobre as condições de produção e recepção desse texto, o
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa Estratégia de leitura gênero, o suporte e o universo temáti co, bem como sobre
5º atuação autônoma)
saliências textuais, recursos gráficos, imagens, dados da própria
obra (índice, prefácio e tc.), confirmando anteci pações e inferências
realizadas antes e durante a leitura de textos, checando a
adequação das hipóteses realizadas.

1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e


Língua Portuguesa 5º atuação autônoma) Estratégia de leitura (EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos.

1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF15LP04) Identificar o efeito de sentido produzido pelo uso de
Língua Portuguesa 5º atuação autônoma) Estratégia de leitura recursos expressi vos g ráfico-visuais em textos multissemióti cos.

(EF15LP05) Pl anejar, com a ajuda do professor, o texto que será


produzido, consi derando a situação comunicativa, o s interlocutores
(quem escreve/para quem escreve); a fi nalidade ou o propósito
(escrever para quê); a circula ção (onde o texto vai circul ar); o
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Produção de textos suporte (qual é o portador do texto); a l inguagem, organização e
Língua Portuguesa 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) Planejamento de texto
forma do texto e seu te ma, pesquisando em meios impressos ou
digi tais, sempre que for preci so, informações necessárias à
produção do texto, organizando em tópicos os dado s e as fontes
pesquisadas.

(EF15LP06) Reler e revisar o texto produzido com a ajuda do


1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Produção de textos professor e a colaboração dos colegas, para corrigi-lo e aprimorá-
Língua Portuguesa 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) Revisão de textos l o, fazendo cortes, acréscimo s, reformulações, correções de
ortografia e pontuação.

(EF15LP07) Edi tar a versão final do texto, em colaboração com os


1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Produção de textos
Língua Portuguesa Edição de textos colegas e com a ajuda do professor, ilustrando, quando for o caso,
5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) em suporte adequado, manual ou di gital .

1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Produção de textos (EF15LP08) Util izar software, inclusive programas de edição de
Língua Portuguesa texto, para editar e publicar os textos produzidos, expl orando os
5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) Utilização de tecnologia digital
recursos multissemióti cos disponíveis.

(EF15LP09) Expressar-se em situações de intercâmbio oral com


1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Oral idade públi ca/Intercâmbio clareza, preocupando-se em ser compreendido pelo interlocutor e
Língua Portuguesa 5º atuação Oralidade conversacional em sala de aula usando a palavra com tom de voz audível, boa articulação e ritmo
adequado.

(EF15LP10) Escutar, com atenção, falas de p rofessores e col egas,


1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de
Língua Portuguesa Oralidade Escuta atenta formulando perguntas pertinentes ao tema e solicita ndo
5º atuação esclareci mentos sempre que necessário.

(EF15LP11) Reconhecer características da conversação


1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Características da conversação espontânea presencial , respeitando os turnos de fala, selecionando
Língua Portuguesa 5º atuação Oralidade espontâne a e util izando, durante a conversação, formas d e tratamento
adequadas, de acordo com a si tuação e a posição do interl ocutor.

(EF15LP12) Atribuir signi ficado a aspectos não linguísticos


1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Aspectos não linguísticos (paralinguísticos) observados na fala, como direção do olhar, riso,
Língua Portuguesa 5º atuação Oralidade (paralinguísticos) no ato da fal a gestos, movi mentos da cabeça (de concordânci a ou discordância),
expressão corporal, tom de voz.

(EF15LP13) Identificar final idades da interação oral em diferentes


1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Relato oral/Registro formal e
Língua Portuguesa Oralidade contextos comunicati vos (soli citar informações, apresentar
5º atuação i nformal opini ões, i nformar, relatar experi ênci as etc.).

(EF15LP14) Construir o sentido de históri as em quadrinhos e


1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e Leitura de ima gens em narrativas
Língua Portuguesa Campo da vida cotidiana autônoma) tirinhas, rel aci onando imagens e pal avras e interpretando recursos
5º visuais
gráfico s (tipos de balões, de l etras, onomatop ei as).

(EF15LP15) Reconhecer que os textos literários fazem parte do


1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e mundo do imagi nári o e apresentam uma dimensão lúdica, de
Língua Portuguesa 5º Campo artístico-literário autônoma) Formação do leitor literário encantamento, valorizando-os, em sua diversidade cultural, como
patrimônio artístico da humani dade.

(EF15LP16) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e


1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e com a aj uda do professor e, mais tarde, de maneira autônoma,
Língua Portuguesa 5º Campo artístico-literário autônoma) Leitura colaborativa e autônoma textos narrativos de mai or porte como contos (populares, de fadas,
acumu lativos, de assombração etc.) e crônicas.

(EF15LP17) Apreciar p oemas visuais e concretos, observando


1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e efeitos de senti do criados pelo formato do texto na página,
Língua Portuguesa 5º Campo artístico-literário autônoma) Apreciação estética/Estilo distri buição e diagramação das l etras, pelas il ustrações e por outros
efeitos vi suais.

1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e Formação do leitor literário /Leitura (EF15LP18) Relacionar texto com ilustrações e outros recursos
Língua Portuguesa 5º Campo artístico-literário autônoma) multissemiótica gráfico s.

1º; 2º; 3º; 4º; (EF15LP19) Recontar oralmente, com e sem apoio de i magem,
Língua Portuguesa Campo artístico-literário Oralidade Contagem de histórias
5º textos li terários lidos pelo professor.

(EF02LP01) Util izar, ao produzi r o texto, grafi a correta de palavras


conhecidas ou com estruturas si lábicas já dominadas, letras
Todos os campos de Escrita Construção do sistema alfabético/
Língua Portuguesa 2º maiúscul as em início de frases e em substantivos próprios,
atuação (compartilhada e autônoma) Convenções da escrita
segme ntação entre as palavras, ponto final, p onto d e interrogação
e ponto de exclamação.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF02LP02) Segmenta r palavras em sílabas e remover e substi tuir
Língua Portuguesa 2º atuação (Alfabetização) da ortografi a síl abas iniciais, mediais ou finai s para criar novas palavras.

(EF02LP03) Ler e escrever palavras com correspon dências


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e regulares diretas entre letras e fonemas (f, v, t, d, p, b) e
Língua Portuguesa 2º atuação (Alfabetização) da ortografi a correspondências regulares contextuais (c e q; e e o, em posi ção
átona em final de palavra).

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF02LP04) Ler e escrever corretamente palavras com sílabas CV,
Língua Portuguesa 2º V, CVC, CCV, identi ficando q ue existem vogais em todas as
atuação (Alfabetização) da ortografi a
síl abas.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF02LP05) Ler e escrever corretamente palavras com marcas de
Língua Portuguesa 2º atuação (Alfabetização) da ortografi a nasalidade (til , m, n).

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento do alfabeto do (EF02LP06) Perceber o princípio acrofônico que opera nos nomes
Língua Portuguesa 2º
atuação (Alfabetização) português do Brasi l das l etras do alfabeto.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento das diversas grafias (EF02LP07) Escrever palavras, frases, textos curtos nas formas
Língua Portuguesa 2º atuação (Alfabetização) do alfabeto/ Acentuação i mprensa e cursiva.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Segmentação de (EF02LP08) Segmenta r corretamente as pala vras ao escrever
Língua Portuguesa 2º pala vras/Classifi cação de palavras
atuação (Alfabetização) frases e textos.
por número de sílabas

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF02LP09) Usar adequadamente ponto final, ponto de
Língua Portuguesa 2º atuação (Alfabetização) Pontuação i nterrogação e ponto de exclamação.

(EF02LP10) Identificar si nônimos de palavras de texto lido,


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Sinonímia e determinando a diferença de sentido entre eles, e formar antônimos
Língua Portuguesa 2º atuação (Alfabetização) antonímia/Morfol ogi a/Pontuação de palavras encontradas em texto lido pelo acréscimo do prefixo de
negação i n-/im-.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF02LP11) Formar o aumentativo e o diminutivo de pal avras com
Língua Portuguesa 2º atuação (Alfabetização) Morfologia os sufixos -ão e -i nho/-zinho.

(EF02LP12) Ler e compreender com certa autonomia cantigas,


Lei tura/escuta (compartilhada e l etras de canção, dentre outros gêneros do campo da vida
Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura coti diana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto
do texto e relacionando sua forma de organização à sua finali dade.

(EF02LP13) Pl anejar e produ zir bilhetes e cartas, em mei o


Escrita i mpresso e/ou digital, dentre outros gêneros do campo da vi da
Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada coti diana, considerando a situação comunicativa e o
tema/assunto/finalidade do texto.

(EF02LP14) Pl anejar e produ zir pequenos relatos de observação


Escrita de processos, de fatos, de experiênci as pessoais, mantendo as
Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana Escrita autônoma e compartilhada
(compartilhada e autônoma) característi cas do gênero, considerando a situação comunicati va e
o tema/assunto do texto.

(EF02LP15) Cantar cantigas e canções, obedecend o ao ritmo e à


Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral melodia.
(EF02LP16) Identificar e reproduzir, em bilhetes, recados, avisos,
Análise linguística/semiótica cartas, e-mail s, receitas (modo de fazer), relatos (di gitais ou
Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana (Alfabetização) Forma de composição do texto i mpressos), a formatação e diagramação específica de cada um
desses gêneros.

(EF02LP17) Identificar e reproduzir, em rel atos de experiências


pessoais, a sequênci a dos fatos, utilizando expressões que
Análise linguística/semiótica marquem a passagem do tempo (“antes”, “depois”, “ontem”, “hoje”,
Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana (Alfabetização) Forma de composição do texto
“amanhã”, “outro dia”, “antiga mente”, “há muito tempo” etc.), e o
nível de informatividade nece ssário.

(EF02LP18) Pl anejar e produ zir cartazes e folhetos para divulgar


evento s da escola ou da comuni dade, util izan do linguagem
Escrita
Língua Portuguesa 2º Campo da vida pública (compartilhada e autônoma) Escrita compartilhada persuasi va e el ementos textu ai s e visuais (tamanho da letra,
l ei aute, imagens) adequados ao gênero, considerando a si tuação
comun icativa e o tema/assunto do texto.

(EF02LP19) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, notícias curtas para público i nfantil, para
compo r jornal falado que possa ser repassado oralmente ou em
Língua Portuguesa 2º Campo da vida pública Oralidade Produção de texto oral meio d igital , em áudio ou vídeo, dentre outros gêneros do campo
j ornalístico, consi deran do a situação comunicativa e o
tema/assunto do texto.

(EF02LP20) Reconhecer a fu nção de textos utilizados para


Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 2º estudo e pesquisa autônoma) Imagens analíticas em textos apresentar informações coletadas em ativi dades de pesquisa
(enquetes, pequenas e ntrevi stas, regi stros de experimentações).

(EF02LP21) Explorar, com a mediação do professor, textos


Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 2º estudo e pesquisa autônoma) Pesquisa i nformativos de di ferentes ambientes digitais de pesqui sa,
conhecendo suas possibilidades.

(EF02LP22) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, pequenos relatos de experimentos,
Campo das práticas de Escrita
Língua Portuguesa 2º estudo e pesquisa (compartilhada e autônoma) Produção de textos entrevi stas, verbetes de enciclopédia infantil, dentre outros gêneros
do campo i nvestigativo, digi tais ou impressos, considerando a
situação comunicati va e o tema/assunto/final idade do texto.

(EF02LP23) Pl anejar e produ zir, com certa autonomi a, pequenos


Campo das práticas de Escrita
Língua Portuguesa 2º estudo e pesquisa (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma registros de observação de resul tados de pesqui sa, coerentes com
um tema investigado.

(EF02LP24) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas e


com a aj uda do professor, relatos de experimentos, registros de
Campo das práticas de Planejamento de texto oral observação, entrevistas, dentre outros gêneros do campo
Língua Portuguesa 2º estudo e pesquisa Oralidade Exposi ção ora l i nvesti gativo, que possam ser repassados oralmente por meio de
ferramentas digitai s, em áudi o ou vídeo, considerando a situação
comun icativa e o tema/assunto/ final idade do texto.

(EF02LP25) Identificar e reproduzir, em rel atos de experimentos,


Forma de composição dos
Campo das práticas de Análise linguística/semiótica entrevi stas, verbetes de enciclopédia infantil, digi tais ou impressos,
Língua Portuguesa 2º estudo e pesquisa (Alfabetização) textos/Adequação do texto às a formatação e diagramação específica de ca da um desses
normas de escrita
gêneros, inclusive em suas versões orais.

Lei tura/escuta (compartilhada e (EF02LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, textos
Língua Portuguesa 2º Campo artístico-literário autônoma) Formação do leitor literário l iterários, de gêneros variados, desenvolvendo o gosto pela lei tura.

Escrita (EF02LP27) Reescrever textos narrativos literários lidos pelo


Língua Portuguesa 2º Campo artístico-literário (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada professor.

(EF02LP28) Reconhecer o confli to gerador de uma narrativa


Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de
Língua Portuguesa 2º Campo artístico-literário (Alfabetização) narrati vas ficci onal e sua resol ução, al ém de palavras, e xpressões e frases
que ca racterizam personagens e ambientes.

Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de textos (EF02LP29) Observar, em poemas vi suai s, o formato do texto na
Língua Portuguesa 2º Campo artístico-literário (Alfabetização) poéticos visua is página , as ilustrações e outros efei tos visuais.

(EF03LP01) Ler e escrever palavras com correspon dências


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e regulares contextuais entre grafemas e fonemas – c/qu; g/gu; r/rr;
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) da ortografi a s/ss; o (e não u) e e (e não i) em sílaba átona em final de palavra –
e com marcas de nasalidade (til, m, n).

(EF03LP02) Ler e escrever corretamente palavras com sílabas CV,


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) da ortografi a V, CVC, CCV, VC, VV, CVV, identificando que exi stem vogais em
todas as síl abas.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF03LP03) Ler e escrever corretamente palavras com os dígrafos
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) da ortografi a l h, nh, ch.

(EF03LP04) Usar acen to gráfico (agudo ou circunflexo) em


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento das diversas grafias
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) do alfabeto/ Acentuação monossílabos tônicos termi nados em a, e, o e em palavras oxítonas
terminadas em a, e, o, seguidas ou não de s.

Segmentação de (EF03LP05) Identificar o número de sílabas de palavras,


Todos os campos de Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) pala vras/Classifi cação de palavras classifi cando-as em monossílabas, di ssílabas, trissílabas e
por número de sílabas poli ssílabas.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF03LP06) Identificar a síl aba tônica em palavras, classifi cando-as
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) Construção do sistema alfabético em oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas.

(EF03LP07) Identificar a função na l eitura e usar na escrita ponto


Todos os campos de Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) Pontuação final, ponto de interrogação, ponto de exclamação e , em di álogos
(discurso direto), dois-pontos e travessão.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF03LP08) Identificar e diferenci ar, em textos, substantivos e
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) Morfologia verbos e suas funções na oração: agente, ação, objeto da ação.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF03LP09) Identificar, em textos, adjeti vos e sua função de
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) Morfossintaxe atribuição de proprieda des aos substantivos.

(EF03LP10) Reconhecer prefixos e sufixos produtivos na formação


Todos os campos de Análise linguística/semiótica de palavras deri vadas de substanti vos, de adjetivos e de verbos,
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) Morfologia utilizando-os para compreender palavras e para formar novas
palavras.

(EF03LP11) Ler e compreender, com autonomia, textos inj untivos


i nstrucionai s (receitas, instruções de montagem etc.), com a
Lei tura/escuta (compartilhada e estrutura própria desses textos (verbos i mperati vos, indicação de
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura passos a ser seguidos) e mesclando pal avras, imag ens e recursos
gráfico - vi suai s, considerando a si tuação comuni cativa e o
tema/assunto do texto.

(EF03LP12) Ler e compreender, com autonomia, cartas pessoais e


diários, com expressão de se ntimentos e opiniões, dentre outros
Lei tura/escuta (compartilhada e gêneros do campo da vida cotidiana, de acordo com as convenções
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura
do gênero carta e consideran do a situação comunicativa e o
tema/assunto do texto.

(EF03LP13) Pl anejar e produ zir cartas pessoais e diários, com


expressão de senti mentos e opini ões, dentre outros gêneros do
Produção de textos campo da vida cotidian a, de acordo com as convenções dos
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa
gêneros carta e diário e considerando a situação comunicativa e o
tema/assunto do texto.

(EF03LP14) Pl anejar e produ zir textos injunti vos instruci onais, com
a estrutura própria desses textos (verbos imperativos, i ndicação de
Escrita passos a ser seguidos) e mesclando pal avras, imag ens e recursos
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa
gráfico -visuais, considerando a situação comunicati va e o tema/
assunto do texto.

(EF03LP15) Assistir, em víde o digital, a programa de cul inária


Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral i nfanti l e, a partir dele, planejar e produzir receitas e m áudi o ou
vídeo.

(EF03LP16) Identificar e reproduzir, em textos i njunti vos


i nstrucionai s (receitas, instruções de montagem, digitai s ou
Análise linguística/semiótica i mpressos), a formatação pró pria desses textos (verbos
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana (Ortografização) Forma de composição do texto i mperativos, indicação de passos a ser segui dos) e a diagramação
específica dos textos desses gêneros (lista de ingredientes ou
materiais e instruções de exe cução – "modo de fazer").

(EF03LP17) Identificar e reproduzir, em gêneros epistolares e


diários, a formatação própria desses textos (relatos de
Análise linguística/semiótica aconte cimentos, expressão d e vivências, emoções, opiniões ou
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana (Ortografização) Forma de composição do texto
críticas) e a diagramação específica dos textos desses gêneros
(data, saudação, corpo do texto, despedida, assi natura).

(EF03LP18) Ler e compreender, com autonomia, cartas dirigidas a


veículos da mídia impressa ou digital (cartas de leitor e de
Lei tura/escuta (compartilhada e reclamação a jornais, revistas) e notícias, dentre outros gêneros do
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública autônoma) Compreensão em leitura
campo jornalístico, de acordo com as convenções d o gênero carta
e considerando a situação co municati va e o tema/assunto do texto.

(EF03LP19) Identificar e discuti r o propósito do uso de recursos de


Lei tura/escuta (compartilhada e persuasão (cores, imagens, escolha de palavras, j ogo de palavras,
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública autônoma) Compreensão em leitura tamanho de letras) em textos publicitários e de prop aganda, como
elementos de convenci mento .

(EF03LP20) Produzir cartas dirigidas a veículos da mídia impressa


ou digital (cartas do leitor ou de reclamação a jornais ou revi stas),
Produção de textos dentre outros gêneros do campopo lítico-ci dadão, com opini ões e
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa
críticas, de acordo com as co nvenções do gênero carta e
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto do texto.

(EF03LP21) Produzir a núncios publicitários, textos de campanhas


de con scientização destinados ao público i nfantil, observando os
Produção de textos recursos de persuasão util iza dos nos textos publicitári os e de
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa
propaganda (cores, imagens, slogan, escolha de pa lavras, jogo de
palavras, tamanho e tipo de l etras, diagramação).

(EF03LP22) Pl anejar e produ zir, em colaboração com os colegas,


telejornal para público infantil com al gumas notícias e textos de
campa nhas que possam ser repassados oralmente ou em mei o
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública Oralidade Planejamento e produção de texto digi tal, em áudi o ou vídeo, co nsiderando a situação comunicati va, a
organização específica da fala nesses gêneros e o tema/assunto/
finalidade dos textos.

(EF03LP23) Anal isar o uso de adjetivos em cartas dirigidas a


Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública (Ortografização) Forma de composição dos textos veículos da mídia impressa ou digital (cartas do leitor ou de
reclamação a jornais ou revistas), di gitai s ou i mpressas.

(EF03LP24) Ler/ouvir e compreender, com autonomi a, rel atos de


Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e observações e de pesquisas em fontes de informações,
Língua Portuguesa 3º estudo e pesquisa autônoma) Compreensão em leitura
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto do texto.

(EF03LP25) Pl anejar e produ zir textos para apresentar resultados


de observações e de pesquisas em fontes de i nformações,
Campo das práticas de Produção de textos i nclui ndo, quando perti nente, imagens, di agra mas e gráficos ou
Língua Portuguesa 3º estudo e pesquisa (escri ta compartilhada e autônoma) Produção de textos
tabelas simples, considerando a situação comunicativa e o
tema/assunto do texto.

(EF03LP26) Identificar e reproduzir, em rel atórios de observação e


Forma de composição dos textos
Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Adequação do texto às normas d e pesquisa, a formatação e di agramação específi ca desses gêneros
Língua Portuguesa 3º estudo e pesquisa (Ortografização) (passo s ou li stas de i tens, tabel as, il ustrações, gráfi cos, resumo dos
escrita
resulta dos), inclusive em suas versões orais.

(EF03LP27) Reci tar cordel e cantar repentes e emboladas,


Língua Portuguesa 3º Campo artístico-literário Oralidade Performances orais observando as rimas e obedecendo ao ritmo e à melodia.

Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF35LP01) Ler e compreender, sil enciosamente e, em segui da,
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação autônoma) Decodificação/Fluência de leitura em voz alta, com autonomia e fluência, textos curtos com nível de
textualidade adequado.

(EF35LP02) Sel eci onar livros da bi blioteca e/ou do canti nho de


Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e l ei tura da sala de aula e/ou disponíveis em meios digitais para
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação autônoma) Formação de leitor l ei tura individual, justi ficando a escol ha e compartilh ando com os
colegas sua opinião, após a leitura.

Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF35LP03) Identificar a idei a central do texto, demonstrando
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação autônoma) Compreensão compreensão gl obal.

Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e


Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação autônoma) Estratégia de leitura (EF35LP04) Inferir informações implícitas nos textos lidos.

Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF35LP05) Inferir o sentido de palavras ou e xpressões
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Estratégia de leitura desconheci das em textos, com base no contexto da frase ou do
atuação autônoma)
texto.

(EF35LP06) Recuperar rel ações entre partes de um texto,


Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e i dentificando substituições lexicais (de substantivos por sinônimos)
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Estratégia de leitura ou pronominais (uso de pronomes anafóricos – pessoais,
atuação autônoma)
possessivos, demonstrativos) que contribuem para a continui dade
do texto.
(EF35LP07) Util izar, ao produzi r um texto, conhecimentos
l inguísti cos e gramaticais, tais como ortografia, regras bási cas de
Todos os campos de Produção de textos Construção do sistema alfabético/ concordância nomi nal e verbal, pontuação (ponto fi nal, ponto de
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) Convenções da escrita
exclamação, ponto de interrogação, vírgulas em enumerações) e
pontuação do di scurso direto, quando for o caso.

(EF35LP08) Util izar, ao produzi r um texto, recursos de


Construção do sistema alfabético/ referenciação (por substi tuição lexi cal ou por pronomes pessoais,
Todos os campos de Produção de textos Estabelecimento de relações possessivos e demonstrativos), vocabul ári o apropriado ao gênero,
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) anafóricas na referenciação e recursos de coesão pronominal (pronomes anafóricos) e
construção da coesão articul adores de relações de sentido (tempo, causa, oposi ção,
conclusão, comparação), com nível suficiente de i nformatividade.

(EF35LP09) Organizar o texto em unidades de sentido, dividindo-o


Todos os campos de Produção de textos Planejamento de texto/Progressão em parágrafos segundo as normas gráficas e de acordo com as
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) temática e paragrafação
característi cas do gênero textual.

(EF35LP10) Identificar gêneros do discurso oral, uti lizados em


diferentes situações e contextos comunicati vos, e suas
característi cas linguístico-expressivas e composicionais
Todos os campos de Forma de composição de gênero s (conve rsação espontânea, conversação telefônica, entrevistas
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação Oralidade orais
pessoais, entrevistas no rádi o ou na TV, debate, noticiário de rádio
e TV, narração de jogos esporti vos no rádio e TV, aula, debate
etc.).

(EF35LP11) Ouvir gravações, canções, textos falados em


diferentes variedades l inguísticas, identifi cando características
Todos os campos de regionais, urbanas e ru rais da fala e respei tando as diversas
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação Oralidade Variação linguística variedades li nguísticas como características do uso da língua por
diferentes grupos regio nai s ou di ferentes culturas locais, rejeitando
preconcei tos l inguísti cos.

(EF35LP12) Recorrer ao dicionário para esclarecer dúvida sobre a


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e escri ta de palavras, especialmente no caso de palavras com
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação (Ortografização) da ortografi a
relações irregulares fonema-grafema.

(EF35LP13) Memorizar a grafia de palavras de uso frequente nas


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e quais as relações fonema-grafema são irregulares e com h inicial
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação (Ortografização) da ortografi a
que não representa fonema.

(EF35LP14) Identificar em textos e usar na produção textual


Todos os campos de Análise linguística/semiótica pronomes pessoais, possessivos e demonstrati vos, como recurso
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação (Ortografização) Morfologia
coesivo anafóri co.

(EF35LP15) Opinar e defender ponto de vista sobre tema pol êmico


Produção de textos relacionado a situações vivenciadas na escola e/ou na comuni dade,
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo da vida pública (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa utilizando regi stro formal e estrutura adequada à argumentação,
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto do texto.

(EF35LP16) Identificar e reproduzir, em notíci as, manchetes, lides e


Análise linguística/semiótica corpo de notíci as simpl es para público infantil e cartas de
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo da vida pública (Ortografização) Forma de composição dos textos reclamação (revista infantil), digi tais ou impressos, a formatação e
diagramação específi ca de cada um desses gêneros, incl usi ve em
suas versões orai s.

Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF35LP17) Buscar e sel ecio nar, com o apoi o do professor,
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Pesquisa i nformações de interesse sobre fenômenos sociais e naturais, em
estudo e pesquisa autônoma)
textos que ci rculam em meios impressos ou digitais.

Campo das práticas de (EF35LP18) Escutar, com atenção, apresentações de trabalhos


Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Oralidade Escuta de textos orais realizadas por col egas, formulando perguntas pertinentes ao tema
estudo e pesquisa
e sol icitando esclarecimentos sempre que necessário.

Campo das práticas de (EF35LP19) Recuperar as ideias principais em si tuações formais de


Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º estudo e pesquisa Oralidade Compreensão de textos orais escuta de exposições, apresentações e palestras.

(EF35LP20) Expor trabalhos ou pesqui sas escolares, em sala de


Campo das práticas de Planejamento de texto oral aula, com apoio de recursos multissemióticos (i magens, diagrama,
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º estudo e pesquisa Oralidade Exposi ção ora l tabelas etc.), ori entando-se por roteiro escri to, planej ando o tempo
de fala e adequando a linguagem à situação comunicativa.

(EF35LP21) Ler e compreender, de forma autônoma, textos


Lei tura/escuta (compartilhada e l iterários de diferentes gêneros e extensões, inclusive aqueles sem
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário autônoma) Formação do leitor literário i lustrações, estabelecendo preferênci as por gêneros, temas,
autores.

Lei tura/escuta (compartilhada e Formação do leitor literário / Leitura (EF35LP22) Perceber diál ogos em textos narrativos, observando o
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário autônoma) efeito de sentido de verbos de enunciação e, se for o caso, o uso
multissemiótica
de vari edades linguísticas no di scurso direto.

Lei tura/escuta (compartilhada e (EF35LP23) Apreciar p oemas e outros textos versificados,


Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário autônoma) Apreciação estética/Estilo observando rimas, ali terações e diferentes modos de divisão dos
versos, estrofes e refrõ es e seu efeito de sentido.

Lei tura/escuta (compartilhada e (EF35LP24) Identificar funções do texto dramático (escrito para ser
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário autônoma) Textos dramáticos encenado) e sua organização por meio de diálogos entre
personagens e marcad ores d as falas das personagens e de cena.

(EF35LP25) Criar narrativas ficci onais, com certa autonomia,


Produção de textos utilizando detalhes descriti vos, sequênci as de eventos e imagens
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada apropriadas para suste ntar o sentido do texto, e marcadores de
tempo, espaço e de fala de personagens.

(EF35LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, narrativas


Produção de textos ficci onais que apresentem cenários e personagens, observando os
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada elementos da estrutura narrativa: enredo, tempo, espaço,
personagens, narrador e a construção do discurso i ndireto e
discurso direto.

Produção de textos (EF35LP27) Ler e compreender, com certa autonomia, textos em


Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita autônoma versos, explorando rimas, sons e jogos de palavras, imagens
poéticas (sentidos figurados) e recursos visuais e sonoros.

(EF35LP28) Decl amar poemas, com entonação, postura e


Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário Oralidade Declamação i nterpretação adequadas.

(EF35LP29) Identificar, em narrati vas, cenári o, personagem central,


Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de confl ito gerador, resolução e o ponto de vista com base no qual
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário (Ortografização) narrati vas históri as são narradas, di ferenciando narrati vas em primeira e
terceira pessoas.

(EF35LP30) Diferenciar di scurso indireto e discurso di reto,


Análise linguística/semiótica determinando o efeito de sentido de verbos de enunciação e
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário (Ortografização) Discurso direto e indireto explicando o uso de va riedad es linguísticas no di scurso direto,
quando for o caso.

Análise linguística/semiótica Forma de composição de textos (EF35LP31) Identificar, em textos versi ficados, efeitos de sentido
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário (Ortografização) poéticos decorrentes do uso de recursos rítmicos e sonoros e de metáforas.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF04LP01) Grafar palavras utili zando regras de correspondência
Língua Portuguesa 4º atuação (Ortografização) da ortografi a fonema--grafema regulares diretas e contextuais.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF04LP02) Ler e escrever, corretamente, palavras com sílabas VV
Língua Portuguesa 4º e CVV em casos nos quais a combinação VV (ditongo) é reduzida
atuação (Ortografização) da ortografi a
na líng ua oral (ai, ei , ou).

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento do alfabeto do (EF04LP03) Localizar palavras no di cionário para esclarecer
Língua Portuguesa 4º português do Brasi l/Ordem significados, reconhecendo o si gnificado mais plausível para o
atuação (Ortografização)
al fabética/Pol issemia contexto que deu origem à consulta.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento das diversas grafias (EF04LP04) Usar acen to gráfico (agudo ou circunflexo) em
Língua Portuguesa 4º atuação (Ortografização) do alfabeto/ Acentuação paroxítonas terminadas em -i(s), -l, -r, -ão(s).

(EF04LP05) Identificar a função na l eitura e usar, adequadamente,


Todos os campos de Análise linguística/semiótica na escrita ponto final, de interrogação, de exclamação, dois-pontos
Língua Portuguesa 4º atuação (Ortografização) Pontuação e travessão em diálogos (discurso direto), vírgula em enumerações
e em separação de vocativo e de aposto.

(EF04LP06) Identificar em textos e usar na produção textual a


Todos os campos de Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 4º Morfologia/Morfossintaxe concordância entre substantivo ou pronome pessoal e verbo
atuação (Ortografização)
(conco rdância verbal).

(EF04LP07) Identificar em textos e usar na produção textual a


Todos os campos de Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 4º Morfossintaxe concordância entre artigo, substantivo e adj etivo (concordância no
atuação (Ortografização)
grupo nominal).

(EF04LP08) Reconhecer e grafar, corretamente, palavras derivadas


Todos os campos de Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 4º Morfologia com os sufi xos -agem, -oso, -eza, -izar/-isar (regul ares
atuação (Ortografização)
morfológicas).

(EF04LP09) Ler e compreender, com autonomia, bol etos, faturas e


carnês, dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, de
Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 4º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura acordo com as convenções d o gênero (campos, itens elencados,
medidas de consumo, código de barras) e considerando a situação
comun icativa e a finalidade do texto.

(EF04LP10) Ler e compreender, com autonomia, cartas pessoais


Lei tura/escuta (compartilhada e de recl amação, dentre outros gêneros do campo da vi da cotidi ana,
Língua Portuguesa 4º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura de aco rdo com as convenções do gênero carta e co nsiderando a
situação comunicati va e o tema/assunto/final idade do texto.

(EF04LP11) Pl anejar e produ zir, com autonomia, cartas pessoais


de recl amação, dentre outros gêneros do campo da vi da cotidi ana,
Produção de textos de aco rdo com as convenções do gênero carta e co m a estrutura
Língua Portuguesa 4º Campo da vida cotidiana (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa própria desses textos (problema, opi nião, argumentos),
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto/finalidade
do texto.

(EF04LP12) Assistir, em víde o digital, a programa infanti l com


Língua Portuguesa 4º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral i nstruções de montagem, de jogos e brincade iras e, a parti r dele,
planej ar e produzir tuto riai s em áudio ou vídeo.

(EF04LP13) Identificar e reproduzir, em textos i njunti vos


i nstrucionai s (instruçõe s de jogos digitai s ou i mpressos), a
Análise linguística/semiótica formatação própri a desses textos (verbos imperativos, indicação de
Língua Portuguesa 4º Campo da vida cotidiana (Ortografização) Forma de composição do texto passos a ser seguidos) e formato específico dos textos orais ou
escri tos desses gêneros (lista/ apresentação de materiais e
i nstruções/passos de j ogo).

Lei tura/escuta (compartilhada e (EF04LP14) Identificar, em notícias, fatos, participantes, local e


Língua Portuguesa 4º Campo da vida pública autônoma) Compreensão em leitura momento/tempo da ocorrênci a do fato noti ci ado.

Lei tura/escuta (compartilhada e (EF04LP15) Distingui r fatos de opiniões/sugestões em textos


Língua Portuguesa 4º Campo da vida pública autônoma) Compreensão em leitura (informativos, jornalísticos, publicitários etc.).

(EF04LP16) Produzir n otícias sobre fatos oco rridos no universo


escolar, digitais ou i mpressas, para o jornal da esco la, noticiando
Produção de textos
Língua Portuguesa 4º Campo da vida pública os fato s e seus atores e comentando decorrências, de acordo com
(escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa as convenções do gênero notícia e considerando a situação
comun icativa e o tema/assunto do texto.

(EF04LP17) Produzir j ornai s radiofôni cos ou tel evi si vos e


entrevi stas veicul adas em rádio, TV e na internet, orientando-se por
Língua Portuguesa 4º Campo da vida pública Oralidade Planejamento e produção de texto roteiro ou texto e demonstrando conhecimento dos gêneros jornal
falado/televisivo e entrevista.

(EF04LP18) Anal isar o padrão entonacional e a exp ressão faci al e


Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 4º Campo da vida pública (Ortografização) Forma de composição dos textos corporal de âncoras de jornais radiofônicos ou televisivos e de
entrevi stadores/entrevistados.

(EF04LP19) Ler e compreender textos exposi tivos de divul gação


Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 4º Compreensão em leitura científica para crianças, considerando a situação comunicativa e o
estudo e pesquisa autônoma) tema/ assunto do texto.

Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF04LP20) Reconhecer a fu nção de gráfi cos, diagramas e tabelas
Língua Portuguesa 4º Imagens analíticas em textos
estudo e pesquisa autônoma) em textos, como forma de apresentação de dados e informações.

(EF04LP21) Pl anejar e produ zir textos sobre temas de interesse,


com base em resultados de observações e pesqui sas em fontes de
Campo das práticas de Produção de textos
Língua Portuguesa 4º Produção de textos i nformações impressas ou eletrônicas, incluindo, quando pertinente,
estudo e pesquisa (escri ta compartilhada e autônoma) i magens e gráficos ou tabelas simples, considerando a situação
comun icativa e o tema/assunto do texto.
(EF04LP22) Pl anejar e produ zir, com certa autonomi a, verbetes de
Campo das práticas de Produção de textos enciclopédia infantil, di gitais ou impressos, co nsiderando a situação
Língua Portuguesa 4º estudo e pesquisa (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita autônoma
comun icativa e o tema/ assunto/final idade do texto.

(EF04LP23) Identificar e reproduzir, em verbetes de enciclopédia


i nfanti l, digitais ou impressos, a formatação e diagramação
Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Forma de composição dos textos específica desse gênero (título do verbete, defini ção, detalhamento,
Língua Portuguesa 4º estudo e pesquisa (Ortografização) Coesão e articuladores
curiosidades), considerando a si tuação comunicativa e o
tema/assunto/finalidade do texto.

Forma de composição dos textos (EF04LP24) Identificar e reproduzir, em seu formato, tabelas,
Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Adequação do texto às normas d e diagramas e gráficos em relatórios de observação e pesquisa,
Língua Portuguesa 4º estudo e pesquisa (Ortografização)
escrita como forma de apresentação de dados e informações.

(EF04LP25) Representar cenas de textos dramáticos, reproduzindo


Campo das práticas de Produção de textos as falas das personagens, de acordo com as rubricas de
Língua Portuguesa 4º estudo e pesquisa (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita autônoma
i nterpretação e movimento indicadas pelo autor.

Análise linguística/semiótica Forma de composição de textos (EF04LP26) Observar, em poemas concretos, o formato, a
Língua Portuguesa 4º Campo artístico-literário (Ortografização) poéticos visua is distri buição e a diagramação das letras do texto na página.

Análise linguística/semiótica Forma de composição de textos (EF04LP27) Identificar, em textos dramáticos, marcadores das falas
Língua Portuguesa 4º Campo artístico-literário (Ortografização) dramáticos das pe rsonagens e de cena.

(EF05LP01) Grafar palavras utili zando regras de correspondência


Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e fonema-grafema regulares, contextuais e morfológicas e palavras
Língua Portuguesa 5º atuação (Ortografização) da ortografi a
de uso frequente com correspondências irregulares.

(EF05LP02) Identificar o caráter polissêmico das pa lavras (uma


Conhecimento do alfabeto do mesma pal avra com di ferentes signi ficados, de acordo com o
Todos os campos de Análise linguística/semiótica português do Brasi l/Ordem contexto de uso), comparando o significado de determi nados
Língua Portuguesa 5º atuação (Ortografização)
al fabética/Pol issemia termos utilizados nas á reas científicas com esses mesmos termos
utilizados na linguagem usual.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento das diversas grafias (EF05LP03) Acentuar corretamente palavras oxítonas, paroxítonas
Língua Portuguesa 5º atuação (Ortografização) do alfabeto/ Acentuação e proparoxítonas.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF05LP04) Diferenciar, na l eitura de textos, vírgula, ponto e
Língua Portuguesa 5º Pontuação vírgula , doi s-pontos e reconhecer, na leitura de textos, o efeito de
atuação (Ortografização)
senti do que decorre do uso de reticências, aspas, parênteses.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF05LP05) Identificar a expressão de presente, passado e futuro
Língua Portuguesa 5º atuação (Ortografização) Morfologia em tempos verbais do modo indicati vo.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF05LP06) Flexionar, adequadamente, na escrita e na oralidade,


Língua Portuguesa 5º Morfologia os verbos em concordância com pronomes pessoai s/nomes
atuação (Ortografização)
sujeitos da oração.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF05LP07) Identificar, em textos, o uso de conjunções e a rel ação
Língua Portuguesa 5º Morfologia que estabelecem entre partes do texto: adi ção, oposição, tempo,
atuação (Ortografização)
causa, condi ção, finalidade.

Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF05LP08) Diferenciar pal avras primitivas, derivadas e compostas,
Língua Portuguesa 5º atuação (Ortografização) Morfologia e derivadas por adição de prefixo e de sufixo.

(EF05LP09) Ler e compreender, com autonomia, textos instrucional


Lei tura/escuta (compartilhada e de regras de jogo, dentre outros gêneros do campo da vida
Língua Portuguesa 5º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura coti diana, de acordo com as convenções do gênero e considerando
a si tuação comunicativa e a finalidade do texto.

(EF05LP10) Ler e compreender, com autonomia, anedotas, piadas


Lei tura/escuta (compartilhada e e cartuns, dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, de
Língua Portuguesa 5º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura acordo com as convenções d o gênero e considerando a situação
comun icativa e a finalidade do texto.

(EF05LP11) Registrar, com a utonomi a, anedotas, piadas e cartuns,


Produção de textos dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, de acordo com
Língua Portuguesa 5º Campo da vida cotidiana (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa as convenções do gênero e consi derando a situação comunicativa
e a finalidade do texto.

(EF05LP12) Pl anejar e produ zir, com autonomia, textos


Escrita i nstrucionai s de regras de jogo, dentre outros gêneros do campo da
Língua Portuguesa 5º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa vida cotidiana, de acordo com as convenções do gê nero e
considerando a si tuação comuni cativa e a finalidade do texto.

(EF05LP13) Assistir, em víde o digital, a postagem de vlog infantil


Língua Portuguesa 5º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral de críti cas de brinquedos e livros de li teratura infantil e, a partir
dele, p lanejar e produzir resenhas di gitais em áudio ou vídeo.

Análise linguística/semiótica (EF05LP14) Identificar e reproduzir, em textos de resenha críti ca de


Língua Portuguesa 5º Campo da vida cotidiana (Ortografização) Forma de composição do texto brinquedos ou livros de literatura infantil , a formatação própria
desses textos (apresentação e avaliação do produto).

(EF05LP15) Ler/assistir e compreender, com autonomi a, notíci as,


Lei tura/escuta (compartilhada e reportagens, vídeos em vlogs argumentativos, dentre outros
Língua Portuguesa 5º Campo da vida pública Compreensão em leitura gêneros do campo pol ítico-cidadão, de acordo com as convenções
autônoma)
dos gê neros e consi derando a situação comunicativa e o
tema/assunto do texto.

Lei tura/escuta (compartilhada e (EF05LP16) Comparar i nformações sobre um mesmo fato


Língua Portuguesa 5º Campo da vida pública Compreensão em leitura veiculadas em diferentes míd ias e concluir sobre qu al é mais
autônoma)
confi ável e por quê.

(EF05LP17) Produzir roteiro para edição de u ma reportagem digital


Produção de textos sobre temas de interesse da turma, a parti r de buscas de
Língua Portuguesa 5º Campo da vida pública i nformações, imagens, áudios e vídeos na internet, de acordo com
(escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa
as convenções do gênero e consi derando a situação comunicativa
e o tema/assunto do texto.

(EF05LP18) Roteirizar, produzi r e edi tar vídeo para vlogs


argumentativos sobre produtos de mídia para público infanti l
(filmes, desenhos animados, HQs, games etc.), com base em
Língua Portuguesa 5º Campo da vida pública Oralidade Planejamento e produção de texto conhecimentos sobre os mesmos, de acordo com as convenções
do gênero e considerando a situação comunicativa e o tema/
assunto/final idade do texto.

(EF05LP19) Argumentar oral mente sobre acontecimentos de


i nteresse social, com base em conhecimentos sobre fatos
Língua Portuguesa 5º Campo da vida pública Oralidade Produção de texto divulgados em TV, rádi o, míd ia impressa e digital, respeitando
pontos de vista diferentes.

(EF05LP20) Anal isar a valida de e força de argumentos em


Análise linguística/semiótica argumentações sobre produtos de mídia para público infantil
Língua Portuguesa 5º Campo da vida pública (Ortografização) Forma de composição dos textos (filmes, desenhos animados, HQs, games etc.), com base em
conhecimentos sobre os mesmos.

Análise linguística/semiótica (EF05LP21) Anal isar o padrão entonacional, a expressão faci al e


Língua Portuguesa 5º Campo da vida pública (Ortografização) Forma de composição dos textos corporal e as escol has de variedade e registro l inguísticos de
vloggers de vl ogs opinati vos ou argumentati vos.

Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF05LP22) Ler e compreender verbetes de dicionário,
Língua Portuguesa 5º Compreensão em leitura i dentificando a estrutura, as informações gramaticais (signifi cado de
estudo e pesquisa autônoma)
abreviaturas) e as informações semânticas.

Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF05LP23) Comparar i nformações apresentadas e m gráficos ou
Língua Portuguesa 5º estudo e pesquisa autônoma) Imagens analíticas em textos tabelas.

(EF05LP24) Pl anejar e produ zir texto sobre tema de interesse,


Campo das práticas de Produção de textos organizando resultados de pesquisa em fonte s de informação
Língua Portuguesa 5º estudo e pesquisa (escri ta compartilhada e autônoma) Produção de textos i mpressas ou digitais, incluindo i magens e gráficos ou tabelas,
considerando a si tuação comuni cativa e o tema/assunto do texto.

(EF05LP25) Pl anejar e produ zir, com certa autonomi a, verbetes de


Língua Portuguesa 5º Campo artístico-literário Oralidade Performances orais dicionário, di gitais ou impressos, considerando a situação
comun icativa e o tema/assunto/finalidade do texto.

Forma de composição dos textos (EF05LP26) Util izar, ao produzi r o texto, conheci mentos linguísticos
Campo das práticas de Análise linguística/semiótica e gramaticai s: regras sintáticas de concordância nominal e verbal,
Língua Portuguesa 5º Adequação do texto às normas d e
estudo e pesquisa (Ortografização) convenções de escrita de citações, pontuação (ponto final, dois-
escrita pontos, vírgul as em enumerações) e regras ortográficas.

(EF05LP27) Util izar, ao produzi r o texto, recursos de coesão


Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Forma de composição dos textos pronominal (pronomes anafóricos) e articuladores de relações de
Língua Portuguesa 5º estudo e pesquisa (Ortografização) Coesão e articuladores senti do (tempo, causa, oposição, concl usão, compa ração), com
nível adequado de informatividade.

(EF05LP28) Observar, em ciberpoemas e mi nicontos infanti s em


Análise linguística/semiótica Forma de composição de textos
Língua Portuguesa 5º Campo artístico-literário (Ortografização) mídia digital, os recursos multissemióti cos presentes nesses textos
poéticos visua is
digi tais.

Reconstrução do contexto de (EF06LP01) Reconhecer a impossibil idade de uma neutrali dade


produção, circulação e recepção de absoluta no rel ato de fatos e identificar di ferentes graus de
textos parcialidade/ i mparcialidade dados pelo recorte fei to e pelos efeitos
Campo
Língua Portuguesa 6º Leitura Caracterização do campo de sen tido advi ndos de escolhas feitas pel o autor, d e forma a poder
jornalístico/mi diáti co
j ornal ístico e relação entre os desenvolver uma ati tude crítica frente aos textos jornalísticos e
gêneros em circulação, mídias e tornar-se consci ente das escolhas feitas enquanto produtor de
práticas da cultura digital textos.

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção de
textos
Campo (EF06LP02) Estabelecer relação entre os diferentes gêneros
Língua Portuguesa 6º Leitura Caracterização do campo
jornalístico/mi diáti co j ornalísticos, compreendendo a centralidade da notícia.
j ornal ístico e relação entre os
gêneros em circulação, mídias e
práticas da cultura digital

Todos os campos de (EF06LP03) Anal isar diferenças de sentido entre pa lavras de uma
Língua Portuguesa 6º atuação Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia série sinoními ca.

(EF06LP04) Anal isar a função e as flexões de substantivos e


Todos os campos de
Língua Portuguesa 6º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe adjetivos e de verbos nos mo dos Indicativo, Subjuntivo e
atuação
Imperativo: afirmativo e negati vo.

Todos os campos de (EF06LP05) Identificar os efe itos de sentido dos mo dos verbais,
Língua Portuguesa 6º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe considerando o gênero textual e a i ntenção comuni cativa.

(EF06LP06) Empregar, adequadamente, as regras de concordância


Todos os campos de nominal (relações entre os substantivos e seus determinantes) e as
Língua Portuguesa 6º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe regras de concordânci a verbal (relações entre o verbo e o sujeito
simples e composto).

(EF06LP07) Identificar, em textos, períodos compostos por orações


Todos os campos de
Língua Portuguesa 6º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe separadas por vírgula sem a utilização de conectivo s, nomeando-os
atuação como períodos compostos por coordenação.

(EF06LP08) Identificar, em texto ou sequênci a textual, orações


Todos os campos de
Língua Portuguesa 6º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe como unidades constituídas em torno de um núcleo verbal e
atuação períodos como conjunto de orações conectad as.

Todos os campos de (EF06LP09) Classi ficar, em texto ou sequência textual, os períodos


Língua Portuguesa 6º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe simples compostos.

Todos os campos de (EF06LP10) Identificar si ntagmas nomi nais e verbais como


Língua Portuguesa 6º atuação Análise linguística/semiótica Sintaxe constituintes imedi atos da oração.

(EF06LP11) Util izar, ao produzi r texto, conhecimentos l inguísti cos e


Todos os campos de Elementos notacionais da
Língua Portuguesa 6º Análise linguística/semiótica gramaticais: tempos verbais, concordânci a nominal e verbal , regras
atuação escrita/morfossintaxe ortográficas, pontuação etc.

(EF06LP12) Util izar, ao produzi r texto, recursos de coesão


Todos os campos de referencial (nome e pronomes), recursos semânticos de sinoními a,
Língua Portuguesa 6º Análise linguística/semiótica Semântica Coesão
atuação antonímia e homoními a e mecanismos de representação de
diferentes vozes (discu rso di reto e indireto).
Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção de
textos (EF67LP01) Anal isar a estrutura e funcionamento dos hiperlinks em
Campo Caracterização do campo textos noticiosos publicados na Web e vislumbrar possi bilidades de
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Leitura
j ornal ístico e relação entre os uma escri ta hipertextual .
gêneros em circulação, mídias e
práticas da cultura digital

(EF67LP02) Explorar o espaço reservado ao leitor nos jornais,


revistas, impressos e o n-li ne, si tes noticiosos etc., d estacando
notícias, fotorreportagens, en trevi stas, charges, assuntos, temas,
Campo debates em foco, posicionando-se de maneira ética e respei tosa
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Leitura Apreciação e réplica
frente a esses textos e opiniõ es a eles rel acio nadas, e publicar
notícias, notas jornalísticas, fotorreportagem de i nteresse geral
nesses espaços do leitor.

(EF67LP03) Comparar i nformações sobre um mesmo fato


Campo divulgadas em diferentes veículos e mídias, a nal isando e avali ando
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Leitura Relação entre textos
a confiabil idade.

Campo Estratégi a de leitura Distinção de (EF67LP04) Distingui r, em segmentos descontínuos de textos, fato
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Leitura fato e opin ião da opinião enunci ada em relação a esse mesmo fato.

(EF67LP05) Identificar e avaliar teses/opiniõe s/posi cionamentos


Estratégi a de leitura: i dentificação de
Campo tese s e argumentos explíci tos e argumentos em textos argumenta tivos (carta de leitor,
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Leitura comen tário, artigo de o pi nião, resenha críti ca etc.), manifestando
Apreci ação e répli ca
concordância ou di scordânci a.

(EF67LP06) Identificar os efe itos de sentido provocados pela


Campo seleção l exical, topicalização de elementos e seleção e
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Leitura Efeitos de sentido
hierarquização de informações, uso de 3ª pessoa etc.

(EF67LP07) Identificar o uso de recursos persuasi vos em textos


Campo argumentativos diversos (como a elaboração do títu lo, escolhas
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Leitura Efeitos de sentido l exicais, construções metafóricas, a explicitação ou a ocul tação de
fontes de informação) e perceber seus efeitos de sentido.

(EF67LP08) Identificar os efe itos de sentido devi dos à escolha de


i magens estáticas, sequenciação ou sobreposição de imagens,
definição de fi gura/fundo, ângul o, profundidade e foco,
Campo Efei tos de sen tido Exploração da cores/tonal idades, rel ação co m o escrito (relações de rei teração,
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Leitura multissemiose compl ementação ou oposição) etc. em notícias, reportagens,
fotorreportagens, foto-denúnci as, memes, gifs, anúncios
publi ci tários e propagandas publicados em jornais, revi stas, sites na
i nternet etc.

(EF67LP09) Pl anejar notícia impressa e para ci rculação em outras


mídias (rádio ou TV/vídeo), tendo em vista as condi ções de
produção, do texto – objetivo, leitores/espectadores, veículos e
mídia de circulação etc. –, a partir da escolha do fato a ser
noticiado (de rel evância para a turma, escola ou comunidade), do
Campo Estratégi as de produção: l evantamento de dados e i nformações sobre o fato – que pode
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Produção de textos pl an ejamento de textos informativos envolver entrevistas co m envolvidos ou com especiali stas,
consultas a fontes, análise de documentos, cobertura de eventos
etc.–, do registro dessas informações e dados, da escolha de fotos
ou ima gens a produzir ou a utilizar etc. e a previsão de uma
estrutura hipertextual (no caso de publi cação em sites ou blogs
noticiosos).

(EF67LP10) Produzir n otícia impressa tendo em vista


Textualização, tendo em vi sta suas característi cas do gênero – títul o ou manchete com verbo no tempo
condições de produção, as presente, li nha fina (opcional), lide, progressã o dada pel a ordem
Campo características do gênero em decrescente de importânci a dos fatos, uso de 3ª pessoa, de
Língua Portuguesa 6º, 7º Produção de textos questão, o estabelecimento de palavras que indicam precisão –, e o estabelecimen to adequado de
jornalístico/mi diáti co
coesão, coesão e produzir notíci a para TV, rádio e internet, tendo em vista,
adequação à norma-padrão e o uso além d as características do g ênero, os recursos de mídias
adequado de ferramentas de edição disponívei s e o manejo de recursos de captação e edição de áudio
e imag em.
(EF67LP11) Pl anejar resenhas, vlogs, vídeos e podcasts vari ados,
e texto s e vídeos de apresentação e apreciação pró prios das
cultura s juvenis (algumas possibil idades: fanzines, fanclipes, e-
zines, gamepl ay, detonado etc.), dentre outros, tendo em vista as
condições de produção do texto – objeti vo, l eitores/espectadores,
Campo Estratégi as de produção: veículos e mídia de circulação etc. –, a partir da escol ha de uma
Língua Portuguesa 6º, 7º Produção de textos pl an ejamento de textos produção ou evento cultural para analisar – livro, filme, séri e, game,
jornalístico/mi diáti co
argumentativo s e apreciati vos canção, vi deocli pe, fanclipe, show, saraus, slams etc. – da busca
de info rmação sobre a produção ou evento escolhid o, da síntese de
i nformações sobre a obra/evento e do elenco/seleção de aspectos,
elementos ou recursos que possam ser desta cados positiva ou
negativamente ou da rotei ri zação do passo a passo do game para
posteri or gravação dos vídeos.
(EF67LP12) Produzir resenhas críticas, vlogs, vídeos, podcasts
variados e produções e gêneros própri os das culturas j uveni s
(algumas possi bilidades: fanzines, fancli pes, e-zines, gameplay,
Campo Textualização de textos detonado etc.), que apresentem/descrevam e/ou avaliem
Língua Portuguesa 6º, 7º Produção de textos produções culturais (l ivro, filme, série, game, canção, disco,
jornalístico/mi diáti co argumentativo s e apreciati vos
videoclipe etc.) ou evento (sh ow, sarau, slam etc.), tendo em vista o
contexto de produção dado, as características do gênero, os
recursos das mídias envolvidas e a textualização adequada dos
textos e/ou produções.

(EF67LP13) Produzir, revi sar e editar textos publicitários, levando


em conta o contexto de produção dado, explorando recursos
Campo Produção e edi ção de textos multi ssemióticos, relacionando elementos verbais e visuais,
Língua Portuguesa 6º, 7º Produção de textos utilizando adequadamente estratégias discursivas de persuasão
jornalístico/mi diáti co publ ici tários
e/ou convenci mento e criando título ou slogan que façam o leitor
motivar-se a i nteragir com o texto produzi do e se si nta atraído pelo
servi ço, i deia ou produto em questão.

(EF67LP14) Defini r o contexto de produção da entrevi sta (objetivos,


o que se pretende conseguir, porque aquele entrevistado etc.),
l evantar informações sobre o entrevi stado e sobre o acontecimento
ou tema em questão, p reparar o roteiro de pergunta r e realizar
entrevi sta oral com envolvidos ou especial istas relacionados com o
Campo Planejamento e produção de fato noticiado ou com o tema em pauta, usando roteiro previamente
Língua Portuguesa 6º, 7º jornalístico/mi diáti co Oralidade entrevi stas orais elaborado e formulando outras perguntas a partir das respostas
dadas e, quando for o caso, sel ecionar partes, transcrever e
proceder a uma edição escrita do texto, adequando-o a seu
contexto de publicação , à construção composicional do gênero e
garantindo a relevância das informações man tidas e a continuidade
temática.

(EF67LP15) Identificar a proibição imposta ou o direito garantido,


bem como as circunstânci as de sua aplicação, em artigos relativos
Campo de atuação na vida Estratégi as e procedimentos de a normas, regimentos escol ares, regimentos e estatutos da
Língua Portuguesa 6º, 7º pública Leitura l eitura em textos l egais e n ormati vos sociedade civil, regulamentações para o mercado publicitário,
Código de Defesa do Consumidor, Códi go Nacional de Trânsito,
ECA, Consti tuição, dentre outros.

(EF67LP16) Explorar e analisar espaços de reclamação de di rei tos


e de envio de solicitações (tais como ouvidorias, SAC, canai s
l igados a órgãos públ icos, plataformas do consumid or, plataformas
Contexto de produção, circulação e de recl amação), bem como de textos pertencentes a gêneros que
Campo de atuação na vida recepção de textos e práticas circulam nesses espaços, reclamação ou carta de reclamação,
Língua Portuguesa 6º, 7º pública Leitura relacionadas à defesa de direitos e à solicitação ou carta de soli citação, como forma de ampliar as
participação soci al possibilidades de produção desses textos em casos que remetam a
reivindicações que envolvam a escola, a comunidade ou algum de
seus membros como forma de se engajar na busca de solução de
problemas pessoai s, dos outros e coletivos.

(EF67LP17) Anal isar, a partir do contexto de produção, a forma de


organização das cartas de solicitação e de reclamação (datação,
Relação entre contexto de produção forma de iníci o, apresentação contextuali zada do pedi do ou da
e ca racterísticas composicionais e reclamação, em geral, acompanhada de expli cações, argumentos
Campo de atuação na vida esti lísticas dos gêneros (carta de e/ou relatos do problema, fórmula de fi nalização ma is ou menos
Língua Portuguesa 6º, 7º Leitura solicitação , carta de reclamação, cordata, dependendo do tipo de carta e subscrição) e algumas das
pública
petição on-line, carta aberta, abaixo- marcas l inguísticas rel aci onadas à argumentação, expl icação ou
assinado, proposta etc.) relato de fatos, como forma d e possi bilitar a e scrita fundamentada
Apreci ação e répli ca de cartas como essas ou de postagens em canai s própri os de
reclamações e solicitações em situações que envolvam questões
relativas à escola, à comunidade ou a al gum dos se us membros.

Campo de atuação na vida Estratégi as, procedimentos de (EF67LP18) Identificar o obje to da recl amação e/ou da solicitação e
Língua Portuguesa 6º, 7º Leitura l eitura em textos reivindi catórios ou sua sustentação, expli cação ou justi ficativa, d e forma a poder
pública
propositivos anali sar a perti nênci a da soli ci tação ou justificação.

(EF67LP19) Realizar levantamento de questões, problemas que


Campo de atuação na vida Estratégi a de produção: requeiram a denúncia de desrespeito a di rei tos, reivindicações,
Língua Portuguesa 6º, 7º Produção de textos pl an ejamento de textos
pública reclamações, solicitações que contempl em a comuni dade escol ar
reivindicatóri os ou propositivos
ou algum de seus membros e examinar normas e legislações.

Campo das práticas de (EF67LP20) Realizar pesquisa, a partir de recortes e questões


Língua Portuguesa 6º, 7º estudo e pesquisa Leitura Curadoria de informação definidos previamente, usando fontes i ndicadas e abertas.

Campo das práticas de Estratégi as de escri ta: textualização, (EF67LP21) Divulgar resultados de pesquisas por meio de
Língua Portuguesa 6º, 7º Produção de textos apresentações orais, painéis, artigos de divulgação científica,
estudo e pesquisa revisão e edição
verbetes de enciclopédia, podcasts científi cos etc.

Campo das práticas de Estratégi as de escri ta: textualização, (EF67LP22) Produzir resumo s, a partir das notas e/ou esquemas
Língua Portuguesa 6º, 7º estudo e pesquisa Produção de textos revisão e edição feitos, com o uso adequado de paráfrases e citações.

(EF67LP23) Respei tar os turnos de fala, na participação em


Campo das práticas de conversações e em discussões ou atividades coleti vas, na sala de
Língua Portuguesa 6º, 7º Oralidade Conversação espontânea aula e na escol a e formul ar perguntas coerentes e adequadas em
estudo e pesquisa
momentos oportunos e m situações de aulas, apresentação oral,
semi nári o etc.

(EF67LP24) Tomar nota de a ul as, apresentações orais, entrevistas


Campo das práticas de Procedi mentos de apoi o à (ao vivo, áudio, TV, víd eo), id entificando e hierarqui zando as
Língua Portuguesa 6º, 7º Oralidade i nformações principais, tendo em vista apoiar o estudo e a
estudo e pesquisa compreensão Tomada de nota
produção de sínteses e reflexões pessoais ou outros objetivos em
questã o.

(EF67LP25) Reconhecer e utilizar os critérios de organização


tópica (do geral para o específico, do específico para o geral etc.),
Campo das práticas de as marcas linguísticas dessa organização (marcado res de
Língua Portuguesa 6º, 7º Análise linguística/semiótica Textualização Progressão temática ordenação e enumeração, de explicação, defi ni ção e
estudo e pesquisa
exemp lifi cação, por exempl o) e os mecanismos de paráfrase, de
maneira a organizar mais adequadamente a coesão e a progressão
temática de seus textos.

Campo das práticas de (EF67LP26) Reconhecer a estrutura de hipertexto e m textos de


Língua Portuguesa 6º, 7º Análise linguística/semiótica Textualização divulgação científica e proceder à remi ssão a conce itos e relações
estudo e pesquisa
por meio de notas de rodapés ou boxes.

(EF67LP27) Anal isar, entre os textos li terários e entre estes e


outras manifestações artísticas (como ci nema, teatro, música, artes
Língua Portuguesa 6º, 7º Campo artístico-literário Leitura Relação entre textos visuais e midi áticas), referênci as expl ícitas ou implíci tas a outros
textos, quanto aos temas, personagens e recursos literári os e
semi óticos

(EF67LP28) Ler, de forma au tônoma, e compreender –


selecionando procedimentos e estratégi as de l eitura adequados a
diferentes obj etivos e levando em conta características dos gêneros
e supo rtes –, romances infantoj uvenis, contos populares, contos de
Estratégi as de l eitura Apreciação e terror, lendas brasilei ra s, indígenas e africanas, narrativas de
Língua Portuguesa 6º, 7º Campo artístico-literário Leitura répli ca aventu ras, narrativas de enigma, mitos, crônicas, autobiografi as,
históri as em quadrinhos, mangás, poemas de forma li vre e fixa
(como sonetos e cordéis), vídeo-poemas, poemas visuai s, dentre
outros, expressando aval iaçã o sobre o texto lido e estabelecendo
preferências por gêneros, temas, autores.

Reconstrução da textual idade (EF67LP29) Identificar, em texto dramático, personagem, ato, cena,
Efei tos de sen tidos provocados
Língua Portuguesa 6º, 7º Campo artístico-literário Leitura fala e indicações cênicas e a organização do texto: enredo,
pelo s usos de recursos l inguísti cos e
multissemióticos confl itos, ideias pri nci pais, po ntos de vi sta, universos de referência.

(EF67LP30) Criar narrativas ficci onais, tais como contos popul ares,
contos de suspense, mistério, terror, humor, narrati vas de enigma,
crônicas, hi stórias em quadrinhos, dentre outros, qu e uti lizem
cenários e personagens reali stas ou de fantasia, observando os
Construção da textualidade Rel ação
Língua Portuguesa 6º, 7º Campo artístico-literário Produção de textos elementos da estrutura narrativa próprios ao gênero pretendido, tais
entre textos
como enredo, personagens, tempo, espaço e narrador, util izando
tempos verbais adequados à narração de fatos passados,
empregando conheci mentos sobre diferentes modos de se i niciar
uma hi stóri a e de inserir os discursos direto e i ndireto.

(EF67LP31) Criar poemas co mpostos por versos livres e de forma


fixa (como quadras e sonetos), uti lizando recursos visuais,
Construção da textualidade Rel ação semân ticos e sonoros, tais como cadências, ritmos e rimas, e
Língua Portuguesa 6º, 7º Campo artístico-literário Produção de textos entre textos poemas visuais e vídeo-poemas, expl orando as relações entre
i magem e texto verbal, a distribuição da mancha gráfica (poema
visual) e outros recursos visuais e sonoros.

Todos os campos de (EF67LP32) Escrever palavras com correção ortográfi ca,


Língua Portuguesa 6º, 7º atuação Análise linguística/semiótica Fono-ortografia obedecendo as convenções da l íngua escrita.

Todos os campos de
Língua Portuguesa 6º, 7º atuação Análise linguística/semiótica Elementos notacionais da escrita (EF67LP33) Pontuar textos adequadamente.

Todos os campos de (EF67LP34) Formar antônimos com acréscimo de p refixos que


Língua Portuguesa 6º, 7º atuação Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia expressam noção de negação.

Todos os campos de (EF67LP35) Distingui r palavras derivadas por acréscimo de afixos e


Língua Portuguesa 6º, 7º atuação Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia palavras compostas.

(EF67LP36) Util izar, ao produzi r texto, recursos de coesão


Todos os campos de
Língua Portuguesa 6º, 7º Análise linguística/semiótica Coesão referencial (léxica e pronominal) e sequenci al e outros recursos
atuação
expressivos adequados ao gênero textual.

(EF67LP37) Anal isar, em di ferentes textos, os efeitos de sentido


Todos os campos de decorrentes do uso de recursos linguístico-di scursivos de
Língua Portuguesa 6º, 7º atuação Análise linguística/semiótica Sequências textuais prescri ção, causalidade, sequênci as descritivas e expositi vas e
ordenação de eventos.

(EF67LP38) Anal isar os efeitos de sentido do uso de figuras de


Todos os campos de
Língua Portuguesa 6º, 7º Análise linguística/semiótica Figuras de linguagem l inguagem, como comparação, metáfora, metonímia,
atuação
personifi cação, hipérbole, dentre outras.

(EF69LP01) Diferenciar l iberdade de expressão de discursos de


Campo Apreci ação e répli ca
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Leitura ódio, p osicionando-se contrariamente a esse tipo de discurso e
Relação entre gêneros e mídias
vislumbrando possibi lidades de denúnci a quando for o caso.

(EF69LP02) Anal isar e comparar peças publicitárias variadas


(cartazes, folhetos, outdoor, anúnci os e propagandas em diferentes
mídias, spots, jingl e, vídeos etc.), de forma a perceber a arti cul ação
entre elas em campanhas, as especificidades das várias semioses
Campo Apreci ação e répli ca
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Leitura e mídias, a adequação dessas peças ao públ ico-alvo, aos obj etivos
Relação entre gêneros e mídias
do anunci ante e/ou da campanha e à construção co mposicional e
esti lo dos gêneros em questão, como forma de ampliar suas
possibilidades de compreensão (e produção) de textos
pertencentes a esses gêneros.

(EF69LP03) Identificar, em notícias, o fato central, suas principais


circunstâncias e eventuais decorrências; em reportagens e
fotorreportagens o fato ou a temática retratada e a perspectiva de
Campo Estratégi a de leitura: apreender os
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Leitura abordagem, em entrevistas os principais temas/subtemas
sentidos globais do texto
abordados, expl icações dada s ou teses defendidas em relação a
esses subtemas; em tirinhas, memes, charge, a crítica, ironia ou
humor presente.

(EF69LP04) Identificar e anal isar os efei tos de sentido que


fortalecem a persuasão nos textos publi ci tários, relaci onando as
Campo estratégias de persuasão e apelo ao consumo com os recursos
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Leitura Efeitos de sentido l inguísti co-discursivos utilizados, como i magens, tempo verbal,
j ogos de palavras, figuras de linguagem etc., com vi stas a fomentar
prática s de consumo conscientes.

(EF69LP05) Inferir e justificar, em textos multissemióti cos – ti ri nhas,


Campo charges, memes, gifs etc. –, o efeito de humo r, ironi a e/ou críti ca
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Leitura Efeitos de sentido pelo uso ambíguo de palavras, expressões ou imagens ambíguas,
de cl ichês, de recursos iconográficos, de pontuação etc.

(EF69LP06) Produzir e publicar notícias, fotodenúncias,


fotorreportagens, reportagens, reportagens mul timidiáticas,
i nfográficos, podcasts noti ci osos, entrevistas, cartas de leitor,
comen tários, artigos de opinião de interesse local ou global, textos
de apresentação e apreciação de produção cultural – resenhas e
outros própri os das formas de expressão das culturas j uveni s, tais
como vlogs e podcasts cul turais, gameplay, detonado etc.– e
Relação do texto com o contexto de cartazes, anúnci os, propagandas, spots, jingles de campanhas
Campo sociais, dentre outros em várias mídias, viven ciando de forma
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Produção de textos produção e experi mentação de
papéi s sociais significativa o papel de repórter, de comentad or, de analista, de
crítico, de editor ou articulista , de booktuber, de vlogger (vloguei ro)
etc., como forma de compree nder as condições de produção que
envolvem a circulação desses textos e poder participar e vi slumbrar
possibilidades de parti ci pação nas práticas de linguagem do campo
(EF69LP07)
j ornalístico eProduzir
do campotextos em dide
midiático ferentes
forma gêneros, consi derando
éti ca e responsável,
sua ad equação
l evando-se ao contexto produção
em consideração o contexto e da
circulação
Web 2.0, – os
que amplia a
enunciadores
possibilidade de envolvidos,
circulaçãoosdesses
objetivos, o gênero,
textos e “funde”o suporte,
os papéisa de
circulação -, ao
l ei tor e autor, demodo (escri toeou
consumidor oral; imagem estática ou em
produtor.
movi mento etc.), à variedade l inguísti ca e/ou semiótica apropriada
a esse contexto, à construção da textualidade rel aci onada às
Campo propriedades textuais e do gênero), uti lizando estratégias de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Produção de textos Textualização planej amento, elaboração, revisão, edição, re escrita/redesi gn e
avaliação de textos, pa ra, com a aj uda do pro fessor e a
colaboração dos colegas, corrigi r e aprimorar as produções
realizadas, fazendo cortes, acréscimos, reformulações, correções
de con cordância, ortografi a, pontuação em textos e editando
i magens, arqui vos sonoros, fazendo cortes, acréscimos, aj ustes,
acrescentando/ alterando efeitos, ordenamentos etc.

(EF69LP08) Revi sar/editar o texto produzido – notícia, reportagem,


resenha, artigo de opin ião, dentre outros –, te ndo em vista sua
adequação ao contexto de produção, a mídi a em questão,
Campo Revisão/edi ção de texto i nformativo
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos característi cas do gênero, aspectos relati vos à textualidade, a
jornalístico/mi diáti co e opinativo relação entre as di ferentes semioses, a formatação e uso adequado
das ferramentas de edi ção (d e texto, foto, áudio e vídeo,
dependendo do caso) e adeq uação à norma culta.
(EF69LP09) Pl anejar uma campanha publicitári a sobre
questõ es/probl emas, temas, causas significativas para a escol a
e/ou comuni dade, a parti r de um l evantamento de material sobre o
tema ou evento, da definição do público-al vo, do texto ou peça a
Campo Planejamento de textos de peças ser produzido – cartaz, banner, folheto, panfleto, anúncio impresso
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Produção de textos publ ici tárias de campanhas sociais
e para internet, spot, propaganda de rádio, TV etc. –, da ferramenta
de edição de texto, áudi o ou vídeo que será util izada, do recorte e
enfoque a ser dado, das estratégi as de persuasão que serão
utilizadas etc.

(EF69LP10) Produzir n otícias para rádios, TV ou vídeos, podcasts


Oral idade noticiosos e de opinião, entre vistas, comentários, vl ogs, jornais
*Considerar todas as habil idades radiofônicos e televisivos, dentre outros possíveis, relativos a fato e
Campo dos eixos leitura e produção que se Produção de textos j ornalísticos temas de interesse pessoal, local ou global e textos orais de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co orais
referem a textos ou produções orais, apreciação e opinião – podcasts e vl ogs noticiosos, cul turais e de
em áudi o ou vídeo opini ão, ori entando-se por roteiro ou texto, considerando o contexto
de produção e demonstrando domínio dos gêneros.

Oral idade
(EF69LP11) Identificar e anal isar posi cionamentos defendidos e
*Considerar todas as habil idades
Campo dos eixos leitura e produção que se Produção de textos j ornalísticos refutados na escuta de interações polêmicas em entrevistas,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co orais discussões e debates (televisivo, em sal a de aula, em redes sociai s
referem a textos ou produções orais,
em áudi o ou vídeo etc.), entre outros, e se posicionar frente a eles.

(EF69LP12) Desenvolver estratégias de planejamento, elaboração,


revisão, edição, reescrita/ redesign (esses três úl timos quando não
for situ ação ao vivo) e avali ação de textos orais, áudio e/ou vídeo,
Oral idade considerando sua adequação aos contextos em que foram
*Considerar todas as habil idades produzidos, à forma composi cional e estilo de gêneros, a clareza,
Campo dos eixos leitura e produção que se Planejamento e produção de textos progressão temática e variedade l inguísti ca empregada, os
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co j ornal ísticos orais
referem a textos ou produções orais, elementos rel aci onados à fala, tai s como modulação de voz,
em áudi o ou vídeo entonação, ritmo, al tura e intensi dade, respiração etc., os
elementos ci nésicos, tai s como postura corpo ral, movimentos e
gestua lidade significati va, expressão facial, contato de olho com
plateia etc.

Participação e m discussõe s orai s de (EF69LP13) Engaj ar-se e contribuir com a busca de conclusões
Campo temas controversos de i nteresse da comun s rel ativas a problemas, temas ou questões polêmicas de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Oralidade
turma e/ou de relevância social i nteresse da turma e/ou de relevânci a soci al.

(EF69LP14) Formul ar perguntas e decompor, com a ajuda dos


colegas e dos professores, tema/questão pol êmica, explicações e
Participação e m discussõe s orai s de
Campo temas controversos de i nteresse da ou argumentos relativos ao objeto de discussão para anál ise mai s
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Oralidade minuciosa e buscar em fontes di versas informações ou dados que
turma e/ou de relevância social
permitam anali sar partes da questão e comparti lhá-los com a
turma.

Participação e m discussõe s orai s de (EF69LP15) Apresenta r argumentos e contra-argumentos


Campo temas controversos de i nteresse da coerentes, respei tando os turnos de fal a, na parti cip ação em
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Oralidade
turma e/ou de relevância social discussões sobre tema s controversos e/ou polêmicos.

(EF69LP16) Anal isar e utilizar as formas de composição dos


gêneros jornalísticos da ordem do relatar, tais como notícias
(pirâmide inverti da no impresso X blocos noticiosos hipertextuai s e
hipermidiáticos no digi tal, que também pode contar com imagens
Campo de vári os tipos, vídeos, grava ções de áudio etc.), da ordem do
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Análise linguística/semiótica Construção composicional
argumentar, tai s como artigos de opinião e editorial
(contextual ização, defesa de tese/opini ão e uso de argumentos) e
das en trevi stas: apresentação e contextualização do entrevi stado e
do tema, estrutura pergunta e resposta etc.
(EF69LP17) Perceber e analisar os recursos estilísticos e
semi óticos dos gêneros j orna lísti cos e publicitários, os aspectos
relativos ao tratamento da informação em notícias, como a
ordenação dos eventos, as escolhas l exicais, o efeito de
i mparcialidade do relato, a morfologia do verbo, em textos
noticiosos e argumentativos, reconhecendo marcas de pessoa,
número, tempo, modo, a distribuição dos verbos nos gêneros
Campo textuais (por exemplo, as formas de pretérito em relatos; as formas
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Análise linguística/semiótica Estilo
de presente e futuro em gêneros argumentati vos; as formas de
i mperativo em gêneros publicitários), o uso de recursos persuasivos
em textos argumentati vos diversos (como a elaboração do títul o,
escolhas lexicais, construções metafóricas, a expl icitação ou a
ocultação de fontes de informação) e as estratégias de persuasão e
apelo ao consumo com os recursos linguístico-discursivos
utilizados (tempo verbal, jogo s de palavras, metáforas, imagens).
(EF69LP18) Util izar, na escrita/reescrita de te xtos argumentativos,
recursos l inguísticos que marquem as rel ações de sentido entre
parágrafos e enunciados do texto e operadores de conexão
Campo adequados aos tipos de argumento e à forma de composição de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Análise linguística/semiótica Estilo textos argumentati vos, de maneira a garanti r a coesão, a coerênci a
e a progressão temática nesses textos (“primeiramente, mas, no
entanto, em primeiro/segundo/tercei ro lugar, finalmente, em
conclusão” etc.).

(EF69LP19) Anal isar, em gêneros orais que envolvam


Campo argumentação, os efei tos de sentido de elementos típicos da
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º jornalístico/mi diáti co Análise linguística/semiótica Efeito de sentido modalidade falada, como a pausa, a entonação, o ri tmo, a
gestua lidade e expressão facial, as hesitações etc.

(EF69LP20) Identificar, tendo em vista o contexto de produção, a


forma de organização dos textos normativos e l egais, a lógica de
hierarquização de seus itens e subitens e suas partes: parte inicial
Reconstrução das condições de (título – nome e data – e ementa), blocos de artigos (parte, l ivro,
produção e ci rculação e adequação capítulo, seção, subseção), a rtigos (caput e parágrafos e incisos) e
Campo de atuação na vida do texto à construção composi cional parte final (disposições pertin entes à sua implementação) e anali sar
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Leitura e ao estilo de gênero efeitos de senti do causados pelo uso de voca bul ári o técni co, pelo
(Lei, código, estatuto, código, uso do imperativo, de pal avras e expressões que i ndicam
regimento etc.) circunstâncias, como advérbios e locuções adverbiais, de pal avras
que indicam generalidade, como alguns pronomes indefi nidos, de
forma a poder compreender o caráter i mperativo, coercitivo e
generalista das l eis e d e outras formas de regulame ntação.

(EF69LP21) Posicionar-se em relação a conteúdos veiculados em


prática s não institucionali zadas de participação social, sobretudo
àquela s vi nculadas a manifestações artísti cas, produções cul turais,
Campo de atuação na vida i nterve nções urbanas e práticas próprias das culturas juvenis que
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Leitura Apreciação e réplica pretendam denunciar, expor uma problemática ou “convocar” para
uma reflexão/ação, rel aci onando esse texto/produção com seu
contexto de produção e relacionando as partes e se mioses
presentes para a construção de sentidos.

(EF69LP22) Produzir, revi sar e editar textos reivindicatórios ou


propositi vos sobre probl emas que afetam a vida escolar ou da
Campo de atuação na vida comun idade, justificando pontos de vista, reivindi cações e
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Produção de textos Textualização, revisão e edição detalhando propostas (justificativa, objetivos, ações previstas etc.),
l evando em conta seu contexto de produção e as características
dos gê neros em questão.

(EF69LP23) Contribuir com a escrita de textos normativos, quando


houver esse tipo de demanda na escola – regimentos e estatutos
de organizações da sociedad e civil do âmbi to da atuação das
Campo de atuação na vida crianças e j ovens (grêmio li vre, clubes de leitura, associações
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Produção de textos Textualização, revisão e edição cultura is etc.) – e de regras e regul amentos nos vários âmbi tos da
escola – campeonatos, festivais, regras de convi vência etc.,
l evando em conta o contexto de produção e as cara cterísticas dos
gêneros em questão.

(EF69LP24) Discutir casos, reais ou simulaçõ es, submetidos a


j uízo, que envolvam (suposto s) desrespeitos a arti gos, do ECA, do
Código de Defesa do Consumidor, do Código Nacio nal de Trânsi to,
de regulamentações do mercado publicitário etc., como forma de
Campo de atuação na vida criar famil iaridade com textos legais – seu vocabulário, formas de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Oralidade Discussão oral organização, marcas de estilo etc. -, de mane ira a facilitar a
compreensão de leis, fortalecer a defesa de direitos, fomentar a
escri ta de textos normativos (se e quando isso for necessário) e
possibilitar a compreensão do caráter interpretativo das leis e as
várias perspectivas que pode m estar em jogo.

(EF69LP25) Posicionar-se de forma consistente e sustentada em


uma di scussão, assemblei a, reuni ões de colegiados da escol a, de
Campo de atuação na vida agremiações e outras si tuações de apresenta ção de propostas e
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Oralidade Discussão oral defesa s de opini ões, respeita ndo as opini ões contrárias e propostas
alternativas e fundamentando seus posi ci onamentos, no tempo de
fala previsto, valendo-se de sínteses e propostas claras e
j ustifi cadas.

(EF69LP26) Tomar nota em discussões, debates, palestras,


apresentação de propostas, reuni ões, como forma de documentar o
Campo de atuação na vida evento e apoi ar a própria fala (que pode se dar no momento do
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Oralidade Registro evento ou posteri ormente, qu ando, por exemplo, for necessária a
retomada dos assuntos tratados em outros contextos públicos,
como diante dos representados).

(EF69LP27) Anal isar a forma composici onal de textos pertencentes


a gêneros normativos/ jurídicos e a gêneros da esfe ra política, tai s
como propostas, programas políticos (posicionamento quanto a
diferentes ações a serem propostas, objetivos, ações previstas
Campo de atuação na vida Análise de textos legais/no rmativos, etc.), propaganda políti ca (propostas e sua sustentação,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Análise linguística/semiótica posicionamento quanto a temas em discussão) e textos
propositivos e reivindicatórios
reivindicatóri os: cartas de reclamação, peti ção (proposta, suas
j ustifi cativas e ações a serem adotadas) e suas marcas l inguísti cas,
de forma a incrementar a compreensão de textos pertencentes a
esses gêneros e a possibi litar a produção de textos mais
adequados e/ou fundamentados quando isso for requerido.
(EF69LP28) Observar os mecanismos de modalização adequados
aos textos j urídicos, as modali dades deônticas, que se referem ao
eixo da conduta (obri gatoriedade/permissibilidade) como, por
exemp lo: Proibição: “Não se deve fumar em recintos fechados.”;
Obriga toriedade: “A vida tem que valer a pena.”; Possibi lidade: “É
Campo de atuação na vida permiti do a entrada de menores acompanhad os de adultos
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º pública Análise linguística/semiótica Modalização responsáveis”, e os mecanismos de modal iza ção adequados aos
textos políti cos e proposi tivos, as modal idades apreciativas, em que
o locutor exprime um juízo de valor (positivo ou negati vo) acerca do
que enunci a. Por exemplo: “Que bel o discurso!”, “Di scordo das
escolhas de Antônio.” “Felizmente, o buraco ai nda não causou
acidentes mai s graves.”
(EF69LP29) Refletir sobre a relação entre os contextos de
produção dos gêneros de divulgação científica – texto didáti co,
artigo de divulgação científi ca, reportagem de divulgação científica,
Reconstrução das condições de verbete de enciclopédia (impressa e di gital ), esquema, infográfico
Campo das práticas de produção e recepção dos textos e (estático e animado), relatóri o, rel ato multimidiáti co de campo,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Leitura adequação do texto à construção podcasts e vídeos variados de divulgação científi ca etc. – e os
composicional e ao estil o de gênero aspectos relativos à construção composicional e às marcas
l inguísti ca características desses gêneros, de forma a ampliar suas
possibilidades de compreensão (e produção) de textos
pertencentes a esses gêneros.

(EF69LP30) Comparar, com a ajuda do professor, conteúdos,


dados e informações de di ferentes fontes, levando em conta seus
Campo das práticas de contextos de produção e referências, identificando coincidências,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Leitura Relação entre textos compl ementari dades e contradi ções, de forma a poder identificar
erros/imprecisões conceituai s, compreender e posicionar-se
criti camente sobre os conteúdos e informações em questão.

(EF69LP31) Util izar pistas l inguísticas – tais como “em


Campo das práticas de primeiro/segundo/terce iro lugar”, “por outro lado”, “d ito de outro
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Leitura Apreciação e réplica modo”, isto é”, “por exemplo” – para compreender a hierarqui zação
das proposições, sintetizando o conteúdo dos textos.

Estratégi as e procedimentos de (EF69LP32) Sel eci onar informações e dados relevantes de fontes
Campo das práticas de l eitura Rel ação do verbal com outras diversas (impressas, di gi tais, orais etc.), aval iando a qualidade e a
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Leitura semioses utilidade dessas fontes, e org ani zar, esquematicamente, com aj uda
Procedi mentos e gêneros de apoio à do professor, as i nformações necessárias (sem excedê-l as) com ou
compreensão sem apoio de ferramentas di gitai s, em quadros, tabelas ou gráfi cos.

(EF69LP33) Articular o verbal com os esquemas, infográficos,


i magens variadas etc. na (re)construção dos senti dos dos textos de
Estratégi as e procedimentos de
divulgação científica e retextual izar do discursi vo para o
Campo das práticas de l eitura Rel ação do verbal com outras esquemático – infográfico, esquema, tabel a, gráfico, ilustração etc.
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Leitura semioses
– e, ao contrário, transformar o conteúdo das tabela s, esquemas,
Procedi mentos e gêneros de apoio à i nfográficos, ilustrações etc. em texto discursivo, como forma de
compreensão
ampliar as possibil idades de compreensão desses textos e analisar
as características das mul tissemioses e dos gêneros em questão.

(EF69LP34) Grifar as partes essenciais do texto, tendo em vista os


objetivos de leitura, produzir marginálias (ou tomar notas em outro
Estratégi as e procedimentos de
suporte), sínteses orga ni zadas em itens, quadro sinóptico, quadro
Campo das práticas de l eitura Rel ação do verbal com outras compa rativo, esquema, resumo ou resenha do texto lido (com ou
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Leitura semioses
sem comentári o/análi se), mapa concei tual, dependendo do que for
Procedi mentos e gêneros de apoio à mais adequado, como forma de possibil itar uma maior
compreensão
compreensão do texto, a sistematização de conteúdos e
i nformações e
(EF69LP35) Pl anejar textos de divul gação científica, a partir da
elaboração de esquema que considere as pesquisas feitas
anteriormente, de notas e sín teses de l eituras ou de registros de
experimentos ou de estudo de campo, produzir, revisar e editar
textos voltados para a divul gação do conhecimento e de dados e
Consideração das condições de resulta dos de pesquisas, tais como arti go de divul gação científica,
Campo das práticas de produção de textos de divulgação artigo de opinião, reportagem científica, verbete de enciclopédi a,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Produção de textos científica verbete de enciclopédia digital colaborativa , infográ fico, relatório,
Estratégi as de escri ta relato de experimento científi co, relato (multimidiático) de campo,
tendo em vista seus co ntextos de produção, que podem envolver a
disponibi lização de i nformações e conhecimentos em circulação em
um formato mais acessível para um públi co específi co ou a
divulgação de conheci mentos advindos de pe squisas bibl iográficas,
experimentos científico s e estudos de campo realizados.

(EF69LP36) Produzir, revi sar e editar textos voltado s para a


divulgação do conheci mento e de dados e resul tados de pesqui sas,
tais como artigos de divulgação científica, verbete de enci clopédi a,
Campo das práticas de Estratégi as de escri ta: textualização, i nfográfico, infográfico animado, podcast ou vlog cie ntífico, relato de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Produção de textos revisão e edição experimento, relatório, relatório multimi diático de campo, dentre
outros, considerando o contexto de produção e as regularidades
dos gê neros em termos de suas construções composi cionai s e
esti los.

(EF69LP37) Produzir roteiros para elaboração de vídeos de


diferentes tipos (vlog ci entífico, vídeo-mi nuto, programa de rádio,
Campo das práticas de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Produção de textos Estratégias de produção podcasts) para di vul gação de conhecimentos científicos e
resulta dos de pesquisa, tendo em vi sta seu contexto de produção,
os el ementos e a construção composicional d os roteiros.

(EF69LP38) Organizar os dados e informações pesquisados em


painéi s ou slides de apresentação, levando em conta o contexto de
produção, o tempo disponível, as característi cas do gênero
Estratégi as de produção: apresentação oral, a mul tissemiose, as mídi as e tecnol ogias que
Campo das práticas de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Oralidade pl an ejamento e prod ução de serão utilizadas, ensai ar a ap resentação, considerando também
apresentações orais elementos paral inguísticos e cinésicos e proceder à exposição oral
de resultados de estudos e pesquisas, no tempo determinado, a
partir do planejamento e da d efinição de diferentes formas de uso
da fala – memorizada, com apoio da leitura ou fala espontânea.

(EF69LP39) Defini r o recorte temático da entrevista e o


entrevi stado, levantar i nformações sobre o entrevistado e sobre o
tema da entrevista, elaborar roteiro de perguntas, realizar
Campo das práticas de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Oralidade Estratégias de produção entrevi sta, a parti r do roteiro, abrindo possibili dades para fazer
perguntas a partir da resposta, se o contexto permitir, tomar nota,
gravar ou salvar a entrevista e usar adequadamente as
i nformações obtidas, de acordo com os objetivos estabelecidos.

(EF69LP40) Anal isar, em gravações de semi nári os, conferências


rápidas, trechos de palestras, dentre outros, a construção
compo sicional dos gêneros de apresentação – abertura/saudação,
i ntrodução ao tema, ap resentação do plano de exposição,
desenvolvimento dos conteúdos, por meio do encadeamento de
Construção composi cional temas e subtemas (coesão temática), síntese final e/ou concl usão,
Campo das práticas de encerramento –, os ele mento s paral inguístico s (tais como: tom e
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Análise linguística/semiótica Elementos parali ngu ísticos e
volume da voz, pausas e hesitações – que, em geral, devem ser
cinésicos Apresentações o rai s minimizadas –, modula ção de voz e entonação, ritmo, respiração
etc.) e ci nési cos (tais como: postura corporal, movimentos e
gestua lidade significati va, expressão facial, contato de olho com
plateia, modulação de voz e entonação, sincronia da fala com
ferramenta de apoi o etc.), para mel hor performar apresentações
orais n o campo da divulgação do conheci mento.
(EF69LP41) Usar adequadamente ferramentas de apoio a
apresentações orais, escolhe ndo e usando tipos e tamanhos de
fontes que permitam boa visualização, topi cal izando e/ou
organizando o conteúdo em itens, inserindo d e forma adequada
Campo das práticas de Usar adequadamente ferramentas
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Análise linguística/semiótica i magens, gráficos, tabelas, fo rmas e el ementos gráficos,
de apoio a apresentações orais
dimensionando a quanti dade de texto (e imagem) por slide, usando
progressivamente
(EF69LP42) e dea construção
Anal isar forma harmônica recursosdos
composicional mai stextos
sofisti cados
como efei tos de
pertencentes transição,
a gêneros sl ides mestres,
relacionados layouts personal
à divulgação de izados
etc.
conhecimentos: título, (olho), introdução, divisão do texto em
subtítu los, i magens il ustrativas de conceitos, rel ações, ou
resulta dos complexos (fotos, ilustrações, esquemas, gráfi cos,
i nfográficos, diagramas, figuras, tabelas, mapas) etc., exposição,
conten do defi nições, descri ções, comparações, enu merações,
exemp lifi cações e remissões a conceitos e relações por meio de
notas de rodapé, boxes ou links; ou títul o, contextualização do
Campo das práticas de Construção composi cional e estilo campo , ordenação temporal ou temática por tema ou subtema,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Análise linguística/semiótica Gên eros d e divulgação científica i nterca lação de trechos verbais com fotos, ilustrações, áudios,
vídeos etc. e reconhecer traços da linguagem dos textos de
divulgação científica, fazendo uso consciente das estratégias de
i mpessoal ização da li nguagem (ou de pessoalização, se o tipo de
publi cação e objetivos assim o demandarem, como em al guns
podcasts e vídeos de divulgação científi ca), 3ª pessoa, presente
atemporal, recurso à citação, uso de vocabul ári o
técni co/especial
(EF69LP43) izado etc.,
Identificar co moos
e utilizar forma de de
modos ampliar suas de outras
introdução
capacidades
vozes no textode–compreensão
citação literal ee produção de textos
sua formatação nesses –, as
e paráfrase
gêneros.
pistas linguísticas responsáveis por introduzir no texto a posição do
autor e dos outros autores ci tados (“Segundo X; De acordo com Y;
Campo das práticas de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º estudo e pesquisa Análise linguística/semiótica Marcas linguísticas Intertextuali dade De minha/nossa parte, penso/amos que”...) e os ele mentos de
normatização (tai s como as regras de inclusão e formatação de
citações e paráfrases, de organização de referência s bibliográficas)
em textos científicos, desenvolvendo reflexão sobre o modo como a
i ntertextual idade e a retextualização ocorrem nesses textos.

(EF69LP44) Inferir a presença de valores sociai s, culturai s e


Reconstrução das condições de humanos e de diferentes visões de mundo, em textos literári os,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura produção, circulação e recepção reconhecendo nesses textos formas de estabelecer múltiplos
Apreci ação e répli ca olhares sobre as identi dades, sociedades e culturas e considerando
a autoria e o contexto social e hi stórico de sua produção.

(EF69LP45) Posicionar-se criticamente em re lação a textos


pertencentes a gêneros como quarta-capa, programa (de teatro,
dança, exposi ção etc.), sinopse, resenha críti ca, comentário em
Reconstrução das condições de blog/vlog cultural etc., para selecionar obras l iterárias e outras
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura produção, circulação e recepção manife stações artística s (cinema, teatro, exposições, espetáculos,
Apreci ação e répli ca CD´s, DVD´s etc.), di ferenciando as sequências descritivas e
avaliativas e reconhecendo-o s como gêneros que apoiam a escolha
do livro ou produção cul tural e consul tando-os no momento de fazer
escolhas, quando for o caso.

(EF69LP46) Participar de prá ticas de compartilhamento de


l ei tura/recepção de obras literárias/ manifesta ções artísti cas, como
Reconstrução das condições de rodas de leitura, clubes de lei tura, eventos de contação de histórias,
de leituras dramáti cas, de apresentações teatrais, musi cais e de
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura produção, circulação e recepção
filmes, cineclubes, festivai s de vídeo, saraus, sl ams, canais de
Apreci ação e répli ca booktu bers, redes soci ais temáti cas (de leitores, de ci néfil os, de
músi ca etc.), dentre outros, tecendo, quando possível , comentários
de ordem estética e afetiva
(EF69LP47) Anal isar, em textos narrati vos ficcionais, as diferentes
formas de composição próprias de cada gênero, os recursos
coesivos que constroem a pa ssagem do tempo e articulam suas
partes, a escolha lexical típi ca de cada gênero para a
caracterização dos cenários e dos personagens e os efeitos de
senti do decorrentes dos tempos verbais, dos tipos de discurso, dos
Reconstrução da textual idade e
compreensão dos efeitos verbos de enunciação e das variedades li nguísticas (no discurso
direto, se houver) empregados, identi ficando o enredo e o foco
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura de sentidos provocados pelos usos
narrati vo e percebendo como se estrutura a n arrativa nos diferentes
de recursos linguísticos e gêneros e os efei tos de sentido decorrentes do foco narrativo típi co
multissemióticos
de cad a gênero, da caracterização dos espaços físi co e psicológico
e dos tempos cronológico e psi col ógico, das diferentes vozes no
texto (do narrador, de personagens em di scurso direto e i ndireto),
do uso de pontuação expressiva, palavras e expressões
conota tivas e processo s figurativos e do uso de recursos
l inguísti co-gramaticais próprios a cada gênero narrativo.

Reconstrução da textual idade e (EF69LP48) Interpretar, em poemas, efei tos produzidos pelo uso de
compreensão dos efeitos recursos expressi vos sonoros (estrofação, rimas, al iterações etc),
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura de sentidos provocados pelos usos semân ticos (fi guras de lingua gem, por exemp lo), gráfico- espaci al
de recursos linguísticos e (distrib ui ção da mancha gráfi ca no papel), imagens e sua relação
multissemióticos com o texto verbal.

(EF69LP49) Mostrar-se interessado e envolvido pel a leitura de


l ivros de literatura e por outra s produções culturais do campo e
recepti vo a textos que rompam com seu universo de expectativas,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura Adesão às práticas de leitura que representem um desafio em relação às suas possibi lidades
atuais e suas experiências anteriores de l eitura, apoiando-se nas
marcas l inguísticas, em seu conhecimento sobre os gêneros e a
temática e nas orientações dadas pel o professor.

(EF69LP50) El aborar texto te atral, a partir da adaptação de


romances, contos, mi tos, narrativas de eni gma e de aventura,
novelas, biografi as romanceadas, crônicas, dentre outros,
i ndi cando as rubricas para caracterização do cenário, do espaço,
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Produção de textos Relação entre textos do tempo; expl icitando a caracterização física e psicológica dos
personagens e dos seus modos de ação; reconfi gurando a i nserção
do discurso di reto e dos tipos de narrador; explicitando as marcas
de vari ação linguística (dialetos, regi stros e ja rgões) e
retextualizando o tratamento da temática.

(EF69LP51) Engaj ar-se ativamente nos processos de


Consideração das condições de planej amento, textual ização, revisão/ edição e reescri ta, tendo em
produção vista as restrições temáti cas, composicionais e estil ísticas dos
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Produção de textos Estratégi as de produção: textos pretendi dos e as configurações da situação de produção – o
pl an ejamento, textual ização e l ei tor p retendido, o suporte, o contexto de circulação do texto, as
revisão/edição finalidades etc. – e con siderando a imaginação, a estesia e a
verossimilhança próprias ao texto li terário.

(EF69LP52) Representar cenas ou textos dramáticos,


considerando, na caracterização dos persona gens, os aspectos
l inguísti cos e paralinguísticos das falas (ti mbre e tom de voz,
pausas e hesi tações, e ntonação e expressivi dade, variedades e
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Oralidade Produção de textos orais (EF69LP53) Ler em voz
registros l inguísticos), osalta textos
gestos li terários
e os diverso sno
deslocamentos – como
espaço
contos
cênico, de amor, dee ahumor,
o figurino de suspense,
maquiagem e elaborando de terror; crônicas líri cas,
as rubricas
humorísticas,
i ndi cadas pelocríti cas;por
autor bem
meiocomo leituras orai
do cenário, s capisonora
da trilha tuladase da
exploração dos modos
(compartilhadas ou nãode cominterpretação.
o professor) de livros de maior
extensão, como romances, narrativas de enig ma, narrativas de
aventu ra, li teratura infa ntojuvenil, – contar/recontar histórias tanto
da tradição oral (causos, contos de esperteza , contos de ani mais,
contos de amor, contos de encantamento, piadas, d entre outros)
quanto da tradição l iterária escrita, expressan do a compreensão e
i nterpretação do texto por meio de uma leitura ou fala expressiva e
fluente , que respei te o ritmo, as pausas, as hesitações, a
entonação indicados tanto pela pontuação quanto por outros
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Oralidade Produção de textos orais Oralização
recursos gráfico-edi toriais, como negritos, itálicos, caixa-alta,
i lustrações etc., gravando essa lei tura ou esse conto/reconto, seja
para análise posterior, seja para produção de audi obooks de textos
l iterários diversos
(EF69LP54) ou de
Anal isar podcasts
os efeitos dede l eituras
sentido dramáticasdacom
decorrentes ou
i nteração
sem efei
entre os tos especiais
elementos e ler e/ouedeclamar
linguísticos os recursos poemas diversos, tanto
paralinguísticos e
de forma livre
cinésicos, como quanto d e formanofixa
as variações (como
ritmo, as quadras,
modulações sonetos,
no tomliras,
de
haicais
voz, etc.), empregando
as pausas, os recursos
as manipulações li nguísti
do estrato cos, paralinguísticos
sonoro da li nguagem,
e ci nési cos
obtidos por necessári os aos efeidas
meio da estrofação, tos de sentido
ri mas e depretendidos,
figuras de como o
lritmo e a entonação,
inguagem o emprego as
como as aliterações, de assonâncias,
pausas e prolongamentos,
as onomatopeias, o
tom e o timbre vocais, bem como eventuai s recursos
dentre outras, a postura corporal e a gestuali dade, na declamação de
gestua
Recursos linguísticos e semióticos de lidadeapresentações
poemas, e pantomima que convenham
musicais ao gêne
e teatrais, tantoroem
poético
gêneroseà
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Análise linguística/semiótica situação
que operam nos textos pertencentes em prosade compartilhamento
quanto em questão.
nos g êneros poéticos, os efeitos de sentido
aos gêneros l iterários decorrentes do emprego de figuras de li nguagem, tais como
compa ração, metáfora, personifi cação, metonímia, hipérbole,
eufemi smo, ironia, paradoxo e antítese e os efeitos de sentido
decorrentes do emprego de palavras e expressões denotativas e
conota tivas (adjetivos, locuções adjetivas, orações subordi nadas
adjetivas etc.), que funcionam como modifi cadores, percebendo
sua função na caracterização dos espaços, tempos, personagens e
ações próprios de cada gênero narrativo.
Todos os campos de (EF69LP55) Reconhecer as variedades da língua falada, o conceito
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º atuação Análise linguística/semiótica Variação linguística de norma-padrão e o de preconceito linguístico.

(EF69LP56) Fazer uso consciente e refl exi vo de regras e normas


Todos os campos de da norma-padrão em situações de fal a e escrita nas quais ela deve
Língua Portuguesa 6º; 7º; 8º; 9º atuação Análise linguística/semiótica Variação linguística
ser usada.

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção de (EF07LP01) Distingui r diferentes propostas editoriais –
textos sensaci onalismo, jornali smo i nvesti gativo etc. –, de forma a
Campo Caracterização do campo i dentificar os recursos utilizados para impacta r/chocar o leitor que
Língua Portuguesa 7º jornalístico/mi diáti co Leitura
j ornal ístico e relação entre os podem comprometer uma análise crítica da notícia e do fato
gêneros em circulação, mídias e noticiado.
práticas da cultura digital

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção de (EF07LP02) Comparar notícias e reportagens sobre um mesmo
textos fato divulgadas em diferentes mídias, anali sando as especi ficidades
Campo Caracterização do campo das mídi as, os processos de (re)elaboração dos textos e a
Língua Portuguesa 7º jornalístico/mi diáti co Leitura
j ornal ístico e relação entre os convergência das mídias em notícias ou reportagens
gêneros em circulação, mídias e multi ssemióticas.
práticas da cultura digital

Todos os campos de (EF07LP03) Formar, com base em palavras primitivas, palavras


Língua Portuguesa 7º atuação Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia derivadas com os prefi xos e sufixos mais produti vos no português.

Todos os campos de (EF07LP04) Reconhecer, em textos, o verbo como o núcleo das


Língua Portuguesa 7º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe orações.

(EF07LP05) Identificar, em orações de textos l idos ou de produção


Todos os campos de própria, verbos de predicação compl eta e incompl eta: intransi tivos e
Língua Portuguesa 7º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe
transitivos.

Todos os campos de (EF07LP06) Empregar as regras básicas de concordância nomi nal


Língua Portuguesa 7º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe e verbal em situações comun icativas e na produção de textos.

(EF07LP07) Identificar, em textos li dos ou de produção própri a, a


Todos os campos de estrutura básica da ora ção: sujeito, predicado , complemento
Língua Portuguesa 7º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe
(objetos direto e i ndireto).

Todos os campos de (EF07LP08) Identificar, em textos li dos ou de produção própri a,


Língua Portuguesa 7º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe adjetivos que ampliam o sentido do substantivo sujeito ou
atuação
compl emento verbal.

Todos os campos de (EF07LP09) Identificar, em textos li dos ou de produção própri a,


Língua Portuguesa 7º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe advérbios e locuções a dverbiais que ampliam o sentido do verbo
atuação
núcleo da oração.

Todos os campos de (EF07LP10) Util izar, ao produzi r texto, conhecimentos l inguísti cos e
Língua Portuguesa 7º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe gramaticais: modos e tempos verbais, concordância nominal e
atuação
verbal, pontuação etc.

(EF07LP11) Identificar, em textos li dos ou de produção própri a,


Todos os campos de períodos compostos nos quais duas orações são conectadas por
Língua Portuguesa 7º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe vírgula , ou por conjunções que expressem soma de sentido
atuação
(conjunção “e”) ou oposição de senti dos (conj unções “mas”,
“porém”).

(EF07LP12) Reconhecer recursos de coesão referencial:


Todos os campos de substituições lexicais (de substantivos por sinônimos) ou
Língua Portuguesa 7º atuação Análise linguística/semiótica Semântica Coesão pronominais (uso de pronomes anafóri cos – pessoa is, possessivos,
demonstrativos).

(EF07LP13) Estabelecer relações entre partes do texto,


Todos os campos de i dentificando substituições lexicais (de substantivos por sinônimos)
Língua Portuguesa 7º Análise linguística/semiótica Coesão ou pronominais (uso de pronomes anafóricos – pessoais,
atuação
possessivos, demonstrativos), que contribuem para a continuidade
do texto.

Todos os campos de (EF07LP14) Identificar, em textos, os efei tos de sen tido do uso de
Língua Portuguesa 7º atuação Análise linguística/semiótica Modalização estratégias de modali zação e argumentatividade.

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção de (EF08LP01) Identificar e comparar as várias editorias de jornais
Campo textos i mpressos e digitais e de sites noticiosos, de forma a refl etir sobre
Língua Portuguesa 8º Leitura Caracterização do campo os tipos de fato que são noticiados e comentados, as escol has
jornalístico/mi diáti co
j ornal ístico e relação entre os sobre o que noticiar e o que não noticiar e o destaque/enfoque
gêneros em circulação, mídias e dado e a fidedi gnidade da informação.
práticas da cultura digital

Campo (EF08LP02) Justifi car diferenças ou semelhanças no tratamento


Língua Portuguesa 8º Leitura Relação entre textos dado a uma mesma i nformação vei culada em textos diferentes,
jornalístico/mi diáti co
consultando sites e serviços de checadores de fatos.

(EF08LP03) Produzir a rtigos de opinião, tendo em vista o contexto


Campo Textualização de textos de produção dado, a defesa de um ponto de vista, utilizando
Língua Portuguesa 8º jornalístico/mi diáti co Produção de textos argumentativo s e apreciati vos argumentos e contra-argumentos e arti culado res de coesão que
marquem rel ações de oposição, contraste, exemplificação, ênfase.

Todos os campos de (EF08LP04) Util izar, ao produzi r texto, conhecimentos l inguísti cos e
Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Fono-ortografia gramaticais: ortografi a, regên cias e concordâncias nominal e
atuação
verbal, modos e tempos verbais, pontuação e tc.

Todos os campos de (EF08LP05) Anal isar processos de formação de palavras por


Língua Portuguesa 8º Análise linguística/ semiótica Léxico/morfologia compo sição (agl utinação e justaposição), apropri ando-se de regras
atuação
básicas de uso do hífen em palavras compostas.

Todos os campos de (EF08LP06) Identificar, em textos li dos ou de produção própri a, os


Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe termos constituti vos da oraçã o (suj eito e seus modificadores, verbo
atuação
e seus complementos e modi ficadores).

Todos os campos de (EF08LP07) Diferenciar, em textos lidos ou de produção própria,


Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe compl ementos diretos e indiretos de verbos transitivos,
atuação
apropriando-se da regência de verbos de uso frequente.

Todos os campos de (EF08LP08) Identificar, em textos li dos ou de produção própri a,


Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe verbos na voz ativa e na voz passiva, i nterpretando os efei tos de
atuação
senti do de suj eito ativo e passivo (agente da passiva).

(EF08LP09) Interpretar efeito s de senti do de modificadores


Todos os campos de (adjuntos adnomi nais – artigos definido ou indefinido, adjetivos,
Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe expressões adj etivas) em substanti vos com função de sujeito ou de
atuação
compl emento verbal, usando-os para enriquecer seus própri os
textos.

(EF08LP10) Interpretar, em textos lidos ou de produção própria,


Todos os campos de efeitos de senti do de modificadores do verbo (adjuntos adverbi ais –
Língua Portuguesa 8º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe advérbios e expressões adve rbiai s), usando-os para enriquecer
seus próprios textos.

Todos os campos de (EF08LP11) Identificar, em textos li dos ou de produção própri a,


Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe agrupamento de orações em períodos, diferenciando coordenação
atuação
de sub ordinação.

Todos os campos de (EF08LP12) Identificar, em textos li dos, orações subordi nadas com
Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe conjunções de uso frequente, incorporando-as às suas próprias
atuação
produções.

(EF08LP13) Inferir efeitos de sentido decorrentes do uso de


Todos os campos de
Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe recursos de coesão sequenci al : conj unções e articuladores
atuação
textuais.

(EF08LP14) Util izar, ao produzi r texto, recursos de coesão


Todos os campos de sequencial (articuladores) e referencial (léxi ca e pronominal),
Língua Portuguesa 8º atuação Análise linguística/semiótica Semântica construções passivas e impessoais, discurso di reto e indireto e
outros recursos expressivos adequados ao gênero textual.

(EF08LP15) Estabelecer relações entre partes do texto,


Todos os campos de
Língua Portuguesa 8º Análise linguística/semiótica Coesão i dentificando o antecedente de um pronome relativo ou o referente
atuação
comum de uma cadeia de substitui ções lexi cai s.

(EF08LP16) Expli car os efeitos de sentido do uso, em textos, de


Todos os campos de estratégias de modali zação e argumentatividade (si nais de
Língua Portuguesa 8º atuação Análise linguística/semiótica Modalização pontuação, adj etivos, substantivos, expressões de grau, verbos e
perífrases verbais, advérbios etc.).

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção de
textos (EF89LP01) Anal isar os interesses que movem o campo
Campo j ornalístico, os efeitos das novas tecnologias no campo e as
Língua Portuguesa 8º, 9º Leitura Caracterização do campo
jornalístico/mi diáti co condições que fazem da informação uma mercadori a, de forma a
j ornal ístico e relação entre os poder desenvolver uma atitude críti ca frente aos textos jornalísticos.
gêneros em circulação, mídias e
práticas da cultura digital

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção de (EF89LP02) Anal isar diferentes práti cas (curti r, compartilhar,
textos comen tar, curar etc.) e textos pertencentes a diferentes gêneros da
Campo
Língua Portuguesa 8º, 9º Leitura Caracterização do campo cultura digital (meme, gi f, comentário, charge digital etc.) envolvidos
jornalístico/mi diáti co
j ornal ístico e relação entre os no trato com a informação e opinião, de forma a possibil itar uma
gêneros em circulação, mídias e presença mai s críti ca e ética nas redes.
práticas da cultura digital

(EF89LP03) Anal isar textos de opini ão (artigo s de opini ão,


Estratégi a de leitura: apreender os editoriais, cartas de leitores, comentári os, posts de blog e de redes
Campo
Língua Portuguesa 8º, 9º Leitura sentidos globais do texto sociais, charges, memes, gifs etc.) e posicionar-se de forma crítica
jornalístico/mi diáti co
Apreci ação e répli ca e fundamentada, ética e respeitosa frente a fatos e opiniões
relacionados a esses textos.

(EF89LP04) Identificar e avaliar teses/opiniõe s/posi cionamentos


Estratégi a de leitura: apreender os explíci tos e impl ícitos, argumentos e contra-argumentos em textos
Campo
Língua Portuguesa 8º, 9º Leitura sentidos globais do texto argumentativos do campo (carta de leitor, comentário, arti go de
jornalístico/mi diáti co
Apreci ação e répli ca opini ão, resenha crítica etc.), posicionando-se frente à questão
controversa de forma sustentada.

(EF89LP05) Anal isar o efeito de sentido produzido pelo uso, em


Campo
Língua Portuguesa 8º, 9º Leitura Efeitos de sentido textos, de recurso a formas de apropriação textual (paráfrases,
jornalístico/mi diáti co
citações, discurso direto, indi reto ou indireto li vre).

(EF89LP06) Anal isar o uso de recursos persuasi vos em textos


Campo argumentativos diversos (como a elaboração do títu lo, escolhas
Língua Portuguesa 8º, 9º jornalístico/mi diáti co Leitura Efeitos de sentido l exicais, construções metafóricas, a explicitação ou a ocul tação de
fontes de informação) e seus efeitos de senti do.

(EF89LP07) Anal isar, em notícias, reportagens e peças publicitárias


em várias mídias, os efeitos de senti do devidos ao tratamento e à
compo sição dos eleme ntos nas i magens em movi mento, à
Campo Efei tos de sen tido Exploração da
Língua Portuguesa 8º, 9º Leitura performance, à montagem feita (ri tmo, duração e sincroni zação
jornalístico/mi diáti co multissemiose
entre as li nguagens – complementaridades, i nterferências etc.) e ao
ritmo, melodia, instrumentos e sampleamento s das músicas e
efeitos sonoros.

(EF89LP08) Pl anejar reportagem impressa e em outras mídias


(rádio ou TV/vídeo, si tes), tendo em vista as condições de produção
do texto – obj etivo, leitores/espectadores, veículos e mídia de
circulação etc. – a partir da escolha do fato a ser aprofundado ou
do tema a ser focado (de relevância para a turma, e scola ou
comun idade), do levantamento de dados e informações sobre o
Campo Estratégi a de produção: fato ou tema – que pode envolver entrevistas com e nvolvidos ou
Língua Portuguesa 8º, 9º jornalístico/mi diáti co Produção de textos pl an ejamento de textos informativos com especi alistas, consultas a fontes diversas, análise de
documentos, cobertura de eventos etc. -, do registro dessas
i nformações e dados, da escolha de fotos ou imagens a produzir ou
a util izar etc., da produção de infográficos, quando for o caso, e da
organização hipertextual (no caso a publi cação em sites ou blogs
noticiosos ou mesmo d e jornais i mpressos, por meio de boxes
variados).
(EF89LP09) Produzir reportagem impressa, com título, linha fina
(optativa), organização composici onal (expositiva, interpretati va
e/ou opinativa), progressão temática e uso de recursos l inguísticos
Campo Estratégi a de produção: compa tíveis com as escolhas feitas e reportagens multimi diáticas,
Língua Portuguesa 8º, 9º jornalístico/mi diáti co Produção de textos textualização de textos informativos tendo em vista as condições de produção, as características do
gênero, os recursos e mídias di sponívei s, sua organi zação
hipertextual e o manejo adequado de recursos de captação e
edição de áudio e i magem e adequação à norma-padrão.

(EF89LP10) Pl anejar arti gos de opi nião, tendo em vista as


condições de produção do texto – objeti vo, l eitores/espectadores,
veículos e mídia de circulação etc. –, a partir da escol ha do tema ou
questã o a ser di scutido(a), da relevância para a turma, escola ou
Estratégi a de produção: comun idade, do levantamento de dados e informações sobre a
Campo
Língua Portuguesa 8º, 9º Produção de textos pl an ejamento de textos questã o, de argumentos relacionados a diferentes posi ci onamentos
jornalístico/mi diáti co argumentativo s e apreciati vos em jog o, da defi nição – o que pode envolver consul tas a fontes
diversas, entrevi stas com especiali stas, análise de textos,
organização esquemática das i nformações e argumentos – dos
(tipos de) argumentos e estratégias que prete nde utilizar para
convencer os leitores.

(EF89LP11) Produzir, revi sar e editar peças e campanhas


publi ci tárias, envol vendo o uso articulado e complementar de
Estratégi as de produção: diferentes peças publ icitárias: cartaz, banner, i ndoor, folheto,
Campo panfleto, anúncio de j ornal /revista, para internet, spot, propaganda
Língua Portuguesa 8º, 9º Produção de textos pl an ejamento, textual ização, revisão
jornalístico/mi diáti co e edição de textos publicitários de rádio, TV, a parti r da escolha da questão/problema/causa
significativa para a escola e/ou a comunidade escol ar, da defi nição
do público-alvo, das peças que serão produzidas, das estratégias
de persuasão e convencimento que serão utilizadas.
(EF89LP12) Pl anejar coletiva mente a reali zação de um debate
sobre tema previamente defi nido, de i nteresse col etivo, com regras
acordadas e pl anejar, em gru po, participação em debate a partir do
l evantamento de informações e argumentos que possam sustentar
o posi ci onamento a ser defendido (o que pode envolver entrevistas
com especi alistas, consultas a fontes diversas, o registro das
Estratégi as de produção: i nformações e dados obti dos etc.), tendo em vista as condições de
Campo produção do debate – perfil d os ouvi ntes e demais participantes,
Língua Portuguesa 8º, 9º Oralidade pl an ejamento e participação em
jornalístico/mi diáti co debates regrados objetivos do debate, motivações para sua reali zação, argumentos e
estratégias de convencimento mais eficazes etc. e participar de
debates regrados, na condi ção de membro de uma equipe de
debatedor, apresentador/medi ador, espectador (com ou sem direito
a perguntas), e/ou de juiz/aval iador, como forma de compreender o
(EF89LP13)
funci onamento Pl anejar entrevistas
do debate, e poderorais com pessoas
participar de formali gadas ao fato
convincente,
noticiado, especiale istas
ética, respeitosa críticaetc., como forma
e desenvol de oatitude
ver uma bter dados e
de respeito e
idiál
nformações
ogo para sobre
com asosi deias
fatos divergentes.
cobertos sobre o tema ou questão
discuti da ou temáticas em estudo, l evando em conta o gênero e
seu contexto de produção, partindo do levantamento de
Estratégi as de produção: i nformações sobre o entrevistado e sobre a temática e da
Campo elaboração de um rotei ro de perguntas, garantindo a relevância das
Língua Portuguesa 8º, 9º Oralidade pl an ejamento, realização e edi ção
jornalístico/mi diáti co de entrevistas orais i nformações mantidas e a continuidade temática, realizar entrevista
e fazer edição em áudio ou vídeo, incluindo uma contextuali zação
i ni ci al e uma fala de en cerramento para publicação da entrevi sta
i soladamente ou como parte integrante de reportagem
multi midi ática, adequando-a a seu contexto de publ icação e
garantindo a relevância das informações man tidas e a continuidade
temática.

Argumentação: movimentos (EF89LP14) Anal isar, em textos argumentativos e propositi vos, os


Campo movi mentos argumentativos de sustentação, refutação e
Língua Portuguesa 8º, 9º Análise linguística/semiótica argumentativo s, tipos de argumento
jornalístico/mi diáti co e força argumentativa negociação e os tipos de argumentos, avaliando a força/tipo dos
argumentos utilizados.
(EF89LP15) Util izar, nos debates, operadores argumentativos que
Campo marcam a defesa de ideia e de diálogo com a tese do outro:
Língua Portuguesa 8º, 9º jornalístico/mi diáti co Análise linguística/semiótica Estilo concordo, di scordo, concordo parcialmente, d o meu ponto de vista,
na perspecti va aqui assumi da etc.

(EF89LP16) Anal isar a modalização realizada em textos noticiosos


e argumentativos, por mei o das modalidades apreciativas,
viabil izadas por classes e estruturas gramaticais como adjetivos,
Campo l ocuções adjetivas, advérbios, locuções adverbiais, orações
Língua Portuguesa 8º, 9º jornalístico/mi diáti co Análise linguística/semiótica Modalização
adjetivas e adverbiais, orações relati vas restri tivas e expli cativas
etc., de maneira a perceber a apreciação ideol ógica sobre os fatos
noticiados ou as posi ções implícitas ou assumidas.

(EF89LP17) Relacionar textos e documentos legais e normati vos


de imp ortânci a universal, nacional ou local qu e envolvam direitos,
em especial, de crianças, adolescentes e j ovens – tais como a
Declaração dos Direitos Humanos, a Constitu ição Brasilei ra, o ECA
-, e a regulamentação da organização escolar – por exemplo,
Reconstrução do contexto de
Campo de atuação na vida produção, circulação e recepção de regimento escolar -, a seus contextos de produção, reconhecendo e
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Leitura anali sando possívei s motivações, finalidades e sua vinculação com
textos legai s e normativos
experiências humanas e fatos hi stóricos e sociais, como forma de
ampliar a compreensão dos di rei tos e deveres, de fomentar os
princíp ios democráti cos e uma atuação pautada pela ética da
responsabi lidade (o outro tem direito a uma vida dig na tanto quanto
eu tenho).
(EF89LP18) Explorar e analisar i nstânci as e canais de participação
disponívei s na escola (conselho de escola, outros colegiados,
grêmio li vre), na comunidade (associações, coletivos, movimentos,
etc.), no munícipio ou no país, incluindo formas de participação
Contexto de produção, circulação e digi tal, como canais e plataformas de participação (como portal e-
Campo de atuação na vida recepção de textos e práticas cidadania), servi ços, portais e ferramentas de acompanhamentos
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Leitura relacionadas à defesa de direitos e à do trabalho de políti cos e de trami tação de leis, canais de educação
participação soci al políti ca, bem como de propostas e proposições que circulam
nesses canais, de forma a participar do debate de i deias e
propostas na esfera social e a engajar-se com a busca de soluções
para probl emas ou questões que envol vam a vi da da escola e da
comun idade.

(EF89LP19) Anal isar, a partir do contexto de produção, a forma de


organização das cartas abertas, abaixo-assinados e petições on-
l ine (identifi cação dos si gnatários, expl icitação da reivindicação
feita, a companhada ou não de uma breve apresentação da
Relação entre contexto de produção problemática e/ou de justificativas que visam sustentar a
Campo de atuação na vida e ca racterísticas composicionais e reivindicação) e a proposição , di scussão e ap rovação de propostas
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Leitura esti lísticas dos gêneros políti cas ou de soluções para probl emas de interesse públi co,
Apreci ação e répli ca apresentadas ou lidas nos ca nai s digitais de participação,
i dentificando suas marcas li nguísticas, como forma de possibili tar a
escri ta ou subscrição consciente de abaixo-assi nados e textos
dessa natureza e poder se posi cionar de forma crítica e
fundamentada frente às propostas

(EF89LP20) Comparar propostas políticas e de solução de


problemas, i dentificando o que se pretende fazer/impl ementar, por
que (motivações, justificati vas), para que (obj etivos, benefíci os e
consequênci as esperados), como (ações e passos), quando etc. e
Estratégi as e procedimentos de a forma de avali ar a eficácia da proposta/solução, contrastando
Campo de atuação na vida l eitura em textos reivindi catórios ou dados e informações de di ferentes fontes, ide ntificando
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Leitura
propositivos coincidências, complementaridades e contradições, de forma a
poder compreender e posicionar-se cri ticamente sobre os dados e
i nformações usados em fundamentação de propostas e analisar a
coerênci a entre os elementos, de forma a tomar deci sões
fundamentadas.

(EF89LP21) Realizar enquetes e pesquisas de opinião, de forma a


l evantar prioridades, probl emas a resol ver ou propostas que
possam contribuir para melhoria da escola ou da comunidade,
caracterizar demanda/necessidade, documen tando-a de diferentes
Estratégi a de produção: maneiras por meio de diferen tes procedimentos, gêneros e mídias
Campo de atuação na vida pl an ejamento de textos e, quando for o caso, selecionar informações e dados relevantes de
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Produção de textos
reivindicatóri os ou propositivos fontes pertinentes diversas (sites, impressos, vídeos etc.),
avaliando a qual idade e a utilidade dessas fontes, que possam
servi r de contextualização e fundamentação de propostas, de forma
a justificar a proposição de propostas, proj etos culturais e ações de
i nterve nção.

(EF89LP22) Compreender e comparar as di ferentes posições e


Escuta i nteresses em j ogo em uma discussão ou apresentação de
Campo de atuação na vida Apreender o sentido geral dos textos propostas, avaliando a validade e força dos argumentos e as
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Oralidade Apreci ação e répli ca consequênci as do que está sendo proposto e, quando for o caso,
Produção/Proposta formular e negociar propostas de diferentes naturezas relativas a
i nteresses coletivos envolven do a escola ou comuni dade escol ar.

(EF89LP23) Anal isar, em textos argumentativos, reivindicatórios e


Campo de atuação na vida Movimentos argumentativos e força propositi vos, os movi mentos argumentativos utilizados
Língua Portuguesa 8º, 9º Análise linguística/semiótica
pública dos argumentos (sustentação, refutação e negoci ação), avaliando a força dos
argumentos utilizados.

Campo de atuação na vida (EF89LP24) Realizar pesquisa, estabelecendo o recorte das


Língua Portuguesa 8º, 9º pública Leitura Curadoria de informação questõ es, usando fontes abertas e confiáveis.

(EF89LP25) Divulgar o resultado de pesquisa s por mei o de


Campo de atuação na vida Estratégi as de escri ta: textualização, apresentações orais, verbetes de enciclopédi as col aborativas,
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Produção de textos revisão e edição reportagens de divulgação científica, vl ogs ci entíficos, vídeos de
diferentes tipos etc.

(EF89LP26) Produzir resenhas, a parti r das notas e/ou esquemas


feitos, com o manejo adequado das vozes envolvi das (do
Campo de atuação na vida Estratégi as de escri ta: textualização,
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Produção de textos revisão e edição resenhador, do autor da obra e, se for o caso, também dos autores
citados na obra resenhada), por meio do uso de paráfrases, marcas
do discurso reportado e citações.

(EF89LP27) Tecer considerações e formular problematizações


Campo de atuação na vida
Língua Portuguesa 8º, 9º Oralidade Conversação espontânea pertinentes, em momentos oportunos, em si tuações de aul as,
pública apresentação oral, seminário etc.

(EF89LP28) Tomar nota de videoaul as, aulas digitais,


apresentações multi mídias, vídeos de di vulga ção ci entífica,
documentários e afins, identificando, em função dos objetivos,
Campo de atuação na vida Procedi mentos de apoi o à i nformações principais para apoio ao estudo e realizando, quando
Língua Portuguesa 8º, 9º Oralidade
pública compreensão Tomada de nota necessário, uma síntese final que destaque e reorganize os pontos
ou con ceitos centrais e suas relações e que, em alg uns casos, sej a
acomp anhada de reflexões pessoais, que podem conter dúvidas,
questi onamentos, considerações etc.

(EF89LP29) Util izar e perceber mecani smos de progressão


temática, tais como retomadas anafóricas (“que, cujo, onde”,
pronomes do caso reto e obl íquos, pronomes demonstrati vos,
Campo de atuação na vida Textualização Progressão temática nomes correferentes etc.), ca táforas (remetendo para adiante ao
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Análise linguística/semiótica
i nvés de retomar o j á dito), uso de organizadores textuais, de
coesivos etc., e analisar os mecanismos de reformu lação e
paráfrase utili zados nos texto s de divulgação do conheci mento.

(EF89LP30) Anal isar a estrutura de hipertexto e hi perl inks em


Campo de atuação na vida textos de divulgação científi ca que circulam na Web e proceder à
Língua Portuguesa 8º, 9º pública Análise linguística/semiótica Textualização
remissão a conceitos e relações por meio de links.

(EF89LP31) Anal isar e utilizar modalização epistêmica, isto é,


modos de i ndicar uma avaliação sobre o val or de verdade e as
condições de verdade de uma proposição, tais como os
asseverativos – quando se concorda com (“realmen te,
Campo de atuação na vida
Língua Portuguesa 8º, 9º Análise linguística/semiótica Modalização evidentemente, naturalmente, efetivamente, claro, certo, lógico,
pública
sem dúvida” etc.) ou discorda de (“de jei to nenhum, de forma
alguma”) uma ideia; e os quase-asseverativos, que indi cam que se
considera o conteúdo como quase certo (“talvez, assim,
possivelmente, provavelmente, eventual mente”).

(EF89LP32) Anal isar os efeitos de sentido decorrentes do uso de


mecan ismos de intertextualidade (referências, alusões, retomadas)
entre os textos li terários, entre esses textos literári os e outras
Língua Portuguesa 8º, 9º Campo artístico-literário Leitura Relação entre textos manife stações artística s (cinema, teatro, artes visuais e midi áticas,
músi ca), quanto aos temas, personagens, estilos, autores etc., e
entre o texto original e paródias, paráfrases, pastich es, trai ler
honesto, vídeos-minuto, viddi ng, dentre outros.

(EF89LP33) Ler, de forma au tônoma, e compreender –


selecionando procedimentos e estratégi as de l eitura adequados a
diferentes obj etivos e levando em conta características dos gêneros
e supo rtes – romances, contos contemporâneos, mi ni contos,
Estratégi as de l eitura Apreciação e fábulas contemporâneas, romances juveni s, bi ografias
Língua Portuguesa 8º, 9º Campo artístico-literário Leitura
répli ca romanceadas, novelas, crônicas visuais, narrativas de ficção
científica, narrativas de suspense, poemas de forma livre e fixa
(como haicai), poema concreto, ciberpoema, dentre outros,
expressando aval iação sobre o texto lido e estabele cendo
preferências por gêneros, temas, autores.

Reconstrução da textual idade e


compreensão dos efeitos de (EF89LP34) Anal isar a organização de texto dramático apresentado
em teatro, televi são, cinema, identi ficando e percebendo os
Língua Portuguesa 8º, 9º Campo artístico-literário Leitura sentidos provocados pel os usos de
senti dos decorrentes dos recursos li nguísti cos e semióticos que
recursos l inguísticos e sustentam sua realização como peça teatral, novela, fil me etc.
multissemióticos

(EF89LP35) Criar contos ou crôni cas (em especial, líricas), crônicas


visuais, mini contos, narrativas de aventura e de ficção científica,
dentre outros, com temáticas próprias ao gênero, usando os
Língua Portuguesa 8º, 9º Campo artístico-literário Produção de textos Construção da textualidade conhecimentos sobre os constituintes estruturais e recursos
expressivos típicos dos gêneros narrativos pretendidos, e, no caso
de produção em grupo, ferramentas de escrita col aborativa.

(EF89LP36) Parodiar poemas conhecidos da literatura e criar textos


em versos (como poemas concretos, ciberpoemas, haicais, liras,
microrroteiros, lambe-lambes e outros tipos de poemas),
Língua Portuguesa 8º, 9º Campo artístico-literário Produção de textos Relação entre textos explorando o uso de re cursos sonoros e semânticos (como figuras
de linguagem e jogos de palavras) e vi suai s (como relações entre
i magem e texto verbal e di stribuição da mancha gráfica), de forma a
propiciar di ferentes efeitos de sentido.

(EF89LP37) Anal isar os efeitos de sentido do uso de figuras de


Todos os campos de
Língua Portuguesa 8º, 9º Análise linguística/semiótica Figuras de linguagem l inguagem como i roni a, eufemismo, antítese, ali teração,
atuação
assonânci a, dentre outras.

Reconstrução do contexto de (EF09LP01) Anal isar o fenômeno da di ssemi nação de notícias


produção, circulação e recepção de falsas nas redes soci ais e desenvolver estratégias para reconhecê-
textos l as, a partir da veri ficação/avaliação do veículo, fonte, data e local
Campo
Língua Portuguesa 9º Leitura Caracterização do campo da publicação, autoria, URL, da anál ise da formatação, da
jornalístico/mi diáti co
j ornal ístico e relação entre os compa ração de diferen tes fontes, da consulta a sites de curadoria
gêneros em circulação, mídias e que atestam a fi dedignidade do relato dos fatos e denunciam
práticas da cultura digital boatos etc.

(EF09LP02) Anal isar e comentar a cobertura da imprensa sobre


Campo
Língua Portuguesa 9º jornalístico/mi diáti co Leitura Relação entre textos fatos d e relevânci a social, comparando di ferentes enfoques por
meio d o uso de ferramentas de curadoria.

(EF09LP03) Produzir a rtigos de opinião, tendo em vista o contexto


de produção dado, assumindo posição di ante de tema polêmi co,
Campo Textualização de textos
Língua Portuguesa 9º Produção de textos argumentando de acordo com a estrutura própria desse tipo de
jornalístico/mi diáti co argumentativo s e apreciati vos texto e uti lizando diferentes tipos de argumentos – de autoridade,
comprovação, exemplificação princípio etc.

(EF09LP04) Escrever textos corretamente, de acordo com a norma-


Todos os campos de
Língua Portuguesa 9º atuação Análise linguística/semiótica Fono-ortografia padrão, com estruturas sintáticas compl exas no nível da oração e
do período.

Todos os campos de (EF09LP05) Identificar, em textos li dos e em produções próprias,


Língua Portuguesa 9º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe
atuação orações com a estrutura sujeito-verbo de ligação-predicativo.

(EF09LP06) Diferenciar, em textos lidos e em produções próprias, o


Todos os campos de efeito de sentido do uso dos verbos de l igação “ser”, “estar”, “ficar”,
Língua Portuguesa 9º atuação Análise linguística/semiótica Morfossintaxe
“parecer” e “permanecer”.

(EF09LP07) Comparar o uso de regência verbal e regência nominal


Todos os campos de
Língua Portuguesa 9º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe na norma-padrão com seu uso no português brasileiro col oquial
atuação oral.

(EF09LP08) Identificar, em textos li dos e em produções próprias, a


Todos os campos de
Língua Portuguesa 9º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe relação que conjunções (e locuções conjuntivas) coordenativas e
atuação subordinati vas estabelecem entre as orações que conectam.

Todos os campos de Elementos notacionais da (EF09LP09) Identificar efeitos de sentido do uso de orações
Língua Portuguesa 9º atuação Análise linguística/semiótica escrita/morfossintaxe adjetivas restritivas e explicativas em um período composto.

Todos os campos de (EF09LP10) Comparar as regras de colocação pron ominal na


Língua Portuguesa 9º atuação Análise linguística/semiótica Coesão norma-padrão com o seu uso no português brasileiro col oquial.

(EF09LP11) Inferir efeitos de sentido decorrentes do uso de


Todos os campos de
Língua Portuguesa 9º Análise linguística/semiótica Coesão recursos de coesão sequenci al (conjunções e articu ladores
atuação textuais).

(EF09LP12) Identificar estrangeirismos, caracteri zando-os segundo


Todos os campos de
Língua Portuguesa 9º Análise linguística/semiótica Variação linguística a conservação, ou não, de sua forma gráfica de origem, avali ando a
atuação
pertinênci a, ou não, de seu uso.
Língua Portuguesa MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC

COMPONENTE ANO/FAIXA CAMPOS DE ATUAÇÃOPRÁTICAS DE LINGUAGEM OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES COMENTÁRIO POSSIBILIDADES PARA O CURRÍCULO

Para contextualizar o d esenvolvimen to dessa habi lidade, o currículo pode orientar que a
prática de leitura se desenvol va em si tuações significativas, em que o ato de refl etir sobre as
O momento de leitura em voz alta de materi ais impressos e digitais, feita pelo professor, terá características do sistema de escrita (por exempl o, saber a direção em que se lê) aconteça
(EF01LP01) Reconhecer que textos são lidos e o papel de modelizar procedimentos de leitura, entre eles, o que se refere a esta habili dade.
Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e de modo a trazer para os estudantes o pap el da leitura na vida. Nesse processo, podem
Língua Portuguesa 1º atuação autônoma) Protocolos de leitura escri tos da esquerda para a direita e de cima para Esta habili dade também é parte do processo de aquisição do sistema de escri ta, porque o ajud ar projetos e /ou sequências didá ticas que proponham, por exempl o, a oralização de
baixo da página. procedimento de apontar o que está sendo lido oferece pi stas sobre a rel ação entre fala e
textos (como pre parar-se para apresentar ou gravar uma leitura — canti ga , po ema e tc. —
escrita.
para pais ou colegas). Os obj etivos poderão orientar atividade de leitura fe ita pelo professor e
acomp anh ada pelo aluno em material impresso o u projetad a por aparelhos el etrônicos.

Na elaboração do currículo, pode-se contextu al izar esta habilidade com temas de interesse
dos al unos. É po ssível prever, nas salas de alfabetização, em pro jetos e/ou sequências
didá ticas, o funci ona mento da bi blioteca de classe, o estudo sobre um povo indígena do
A escrita espontânea deve acontecer a partir de textos (listas, trechos de parlendas etc.)
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por desde o i nício do 1º ano, de modo permanente. Escrevendo e anali sando suas produções, Brasi l, a el abo ração de uma rece ita cul inária, a produção de orientações para uma
Todos os campos de Escrita brincadeira. Ainda, esta ha bi lidade pode ser aprofundada nos currículos com a previsão da
Língua Portuguesa 1º atuação (compartilhada e autônoma) Correspondência fonema-grafema ditado, palavras e frases de forma al fabética – usando pensando como grafar determinadas pal avras, tendo escritas convencionais como referência, escrita si tuada em textos cuja unidade mínima se ja a palavra, como títulos e l egendas com
l etras/grafemas que representem fonemas. os estudantes vão, progressi vamente, utilizando as letras que representam os fonemas. É
uma ou mais palavras, modo de preparo de receitas cul inárias, estrofe de uma cantiga, por
possível chegar à compreensão da base al fabética até o final do 2º ano.
exemp lo, de acordo com as possibilidades e necessidades do s estudantes. As habili dad es
propostas no currícu lo podem contemplar situaçõ es de análi se em grupos, em dupla s e
i ndi vi dualmente.

Na elaboração do currículo, cada região poderá pensar em propor habil idades que favoreçam
a prática d e leitura e escrita de modo permanente nas salas de alfabetização, valorizando a
A observação e análise de escritas acontece tanto para reconhecer partes iguais de duas anál ise de refere nciai s estáveis de escrita, como o nome próp rio e o s textos da tradi ção oral,
palavras (na lista de nomes: MARIANA e MARIA) quanto para identifi car semelhanças
(EF01LP03) Observar escrita s convencionais, que possibi lita m um avanço na compreensão das relações grafema-fonema. É importante
Todos os campos de Escrita Construção do sistema alfabético/ compa rando-as às suas produções escritas, gráficas em partes de textos que se rel aci onam do ponto de vista sonoro, como as ri mas de i ndi car a progressão de habil idades que en volvam análi se de unidades menores que a
Língua Portuguesa 1º atuação (compartilhada e autônoma) Convenções da escrita um poema. Os textos de referência para atividades como estas devem ser conhecidos pelos
percebendo semel hanças e diferenças. pala vra, consi derando que os alunos te rão melho res condições de realizá-la após a
estudantes. O procedimento de comparação é recurso a ser utilizado na produção de novas
escritas. compreensão da base alfabéti ca. Para que essa análise seja possível, é preci so cria r
condições para a realizaçã o de comparação entre e scritas: um procedimento a se r aprendido
para potencializar a reflexão sobre o sistema de escrita.

Na elaboração do currículo, pode-se contextu al izar esta habilidade com a indicação de textos
da tradição oral regionais que, ao serem utilizados em atividades de leitura e escrita,
Trata-se de habilidade que se efetiva pelo contato com o material impresso e/ou digi tal, tanto contrib uem pa ra a compreensão da relação existente entre fala e escrita. As h abi lidades
propostas no currícu lo podem sinalizar rela ções progressi vas que vão desde um registro
pela prática de leitura do professor acompanhada pelo estudante quanto pelo exercício de ler,
ainda que sem saber, em interação com os col egas ou, ainda, nas atividades de escrita. A gráfico não convencional (ain da que rel acionado à fala) para uma re presentação
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento do alfabeto do (EF01LP04) Distingui r as letras do alfabeto de outros convenci onal que co ntemp le a escrita de todos os fonemas.O princípio acrofônico é um
Língua Portuguesa 1º progressão da identi ficação das l etras (princípio acrofônico) acontece gradualmente, com
atuação (Alfabetização) português do Brasi l sinais gráficos. i ndi cador de possibilidades de som da l etra, não oferecendo referências para todos os
reorganizações constantes até a produção de escritas ortográfi cas. O pri ncípio acrofônico é fonemas, pois a escrita brasileira é também ortog ráfica. O uso de apenas essa idei a pode
compreendido em atividades de escrita, quando a escolha da letra e a sua nomeação o
trazer dificuldades para o estudante; assi m, não convém que um currículo dissocie esta e
evi denciam.
outras habilidades que tratam das relações entre letras e fo ne mas da prática de ler e escrever
textos — ainda que sejam aqueles em que a organi zação e strutural facilite a memorização —,
visto que é por meio dessas práti cas que a compreensão do princípi o acro fônico acontece.

Na elaboração do currículo, recomenda-se propor habil idades que contemplem, no 1º e 2º


ano, a análise de palavras e suas parte s a parti r do trabalho com textos da tradição oral e
A associação de uma marca gráfica (sej a letra ou não) a cada emissão sonora de uma
l istas, progredindo para uma análi se ca da vez mai s ajustada de partes menores da palavra,
palavra (sílaba oral ) já representa indícios do processo de fonetização que, neste momento,
Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF01LP05) Reconhecer o sistema de escrita não compreende a reanálise da sílaba em unidades menores nem, portanto, o no que se refere: à quantidade (quantas letras e sons a compõem); à qual idade (quais l etras
Língua Portuguesa 1º Construção do sistema alfabético alfabética como representação dos sons da fala. correspondem a quais sons); à ordem das letras na escrita de cada palavra. Pode m ser
atuação (Alfabetização) estabelecimento de relação entre fonema-letra/grafema. Aos poucos, por meio da reflexão
rei terada sobre a escrita, será possível que isso aconteça, chegando-se ao uso das letras criados espaços de reflexã o a respeito da correspondênci a fonema-grafema (do p rin cípio
alfabético à construção da ortografi a), por meio da comparação reflexiva entre palavras —
convencionais.
habi lidade (EF01LP03) — de modo progressi vamente autônomo, a partir de textos g enu ínos
do repertório l ocal que atendam interesses temático s dos estudantes.

Essa habil idade compreende a identificação das emi ssões vocais que compõem a palavra Na elaboração do currículo, é possível que as habilidades propostas ori entem a segmentação
falada — as sílabas —, o que acontece, no processo de compreensão do sistema, tão logo o oral das palavras em sílabas em situações si gnifi cativas com o uso de can tigas, parlendas do
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF01LP06) Segmenta r oralmente palavras em
Língua Portuguesa 1º estudante compreende a relação entre a fala e a escrita, sendo conhecimento fonológi co repertório local e nacional, de modo a contribuir para a consti tuição proficiente desta
atuação (Alfabetização) da ortografi a síl abas. precoce no processo de alfabetização. Em situações de leitura e escrita, essa habi lidade habi lidade. Ap ós a compreensão do sistema de e scrita, essa habi lidade será uma ferramenta
funciona como procedimento de controle do registro e ajuste do falado ao escri to. para a compreensão de outros aspectos da linguagem verbal (tonicidade e acentuação).

Na elaboração do currículo, as habil idades propostas podem prever análises fonológicas a


Trata-se de habilidade desenvolvida progressivamente, pelo uso da li nguagem em situações partir de textos conhecidos, até cheg ar-se a orientar análises de pal avras e partes delas,
de lei tura e escrita de textos diversos, especial mente as parlendas, os poemas e as cantigas.
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF01LP07) Identificar fonemas e sua representação culminando com a análise da rel ação fonema-gra fema, em situações de reflexão sobre a
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) da ortografi a por letras. À medida em que os estudantes avançam na compreensão do sistema de escrita, vão grafia correta, o que só deverá ocorrer após a compreensão do sistema de escrita pelos
real izando análises fonológicas cada vez mais ajustadas, tanto na palavra quanto na sílaba,
estu da ntes. Al ém di sso, essa s habilidades são conhecimento fundamental para reali zar
até chegar ao fonema.
procedime ntos de translineação.

Na elaboração do currículo, as habil idades propostas podem prever análises fonológicas a


Trata-se de habilidade desenvolvida, progressi vamente, pelo uso da linguagem em situações partir de textos conhecidos, até cheg ar a orientar análises de palavras e partes delas,
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros (sílabas, culminando com a análise da rel ação fonema-gra fema, em situações de reflexão sobre a
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e de lei tura e escrita de textos diversos. À medi da que os estudantes avançam na
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) da ortografi a fonemas, partes de palavras) com sua representação compreensão do sistema de escrita, vão realizando anál ises fonológi cas cada vez mais grafia correta. Neste últi mo caso, isso só deverá ocorrer após a compreensão do sistema de
escri ta. escrita pelos estudantes, n ão sendo conveniente que um currículo o rien te o trabal ho com
ajustadas, tanto na palavra quanto na sílaba, até chegar ao fonema.
esta habili dade de modo separado da leitura e escrita de textos. Além disso, e sta habil idade é
conhecimento fundamental para realizar procedimentos de transl ineação.

Esta habili dade remete à análise fonológica que deve ser orientada no processo de Na elaboração do currículo, as habil idades propostas podem prever análises fonológicas de
alfabetização. A progressão evolui da análi se de palavras presentes em textos conhecidos pala vras e partes delas, a partir de textos con hecidos (l ista de nome s da sala, de objetos,
(EF01LP09) Comparar pal avras, identi ficando
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e para refletir sobre as características do sistema de escrita, para a análise de palavras que textos como: parlendas, canti gas), culmi nando com a análi se da relação fonema-grafema, em
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) da ortografi a semel hanças e diferenças en tre sons de sílabas compõem, por exemplo, um acervo sel eci onado para di scuti r determinada regularidade situações de refl exão sobre a grafia correta, que deve ocorrer apenas após a compreensão
i ni ci ais.
ortográfica, de modo que a reflexão acontece no âmbito dos estudos sobre a convenção da da base alfabética. Esse procedimento é importante para a compreensão da base alfabética
escrita. do sistema de escrita, assim como das questões ortográficas.

Na elaboração do currículo, pode-se contextu al izar esta habilidade com a indicação de textos
da tradição oral regionais que, ao serem utilizados em atividades de leitura e escrita,
contrib uem pa ra a compreensão da relação existente entre fala e escrita. As h abi lidades
Trata-se de habilidade que se efetiva pelo contato com o material impresso e/ou digi tal, tanto propostas pod em sinal izar relaçõ es pro gressivas que vão d esde um reg istro gráfi co não
convenci onal (ainda que relacionado à fala) para uma representação convencional q ue
pela prática de leitura do professor acompanhada pelo estudante quanto pelo exercício de ler,
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento do alfabeto do (EF01LP10) Nomear as letras do alfabeto e recitá-lo contemple a escri ta de todos os fone mas. O princípio acrofôni co é um indi cador de
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) português do Brasi l na ordem das letras. ainda que sem saber, em interação com os col egas ou, ainda, nas atividades de escrita. A possibili da des de som da l etra, não oferecendo referências para todos os fonemas, pois a
progressão da identi ficação das l etras acontece, gradualmente, com reorganizações
escrita bra sil eira é também ortográfica. O uso de ap ena s essa ideia pod e trazer di ficuldades
constantes até a produção de escri tas ortográficas. para o estudante; assim, não convém que um currículo di ssocie e sta e outras habil idades que
tratam das relações entre letras e fonemas da prática de ler e escrever textos — ainda que
sejam aqueles em que a organi zação e stru tural facilite a memorização —, visto que é por
meio d essas práti cas q ue a compree nsão do princípi o acrofônico acontece.

Na elaboração do currículo, a ori entação a se r dada para o desenvo lvi mento da habilidade
refere-se, sobretudo, à di sponi bi lização de di versos materiais impressos e digi tais que,
certamente, apresentarão tipos d e letra difere ntes, tematizando esse aspecto das ativi dades
(EF01LP11) Conhecer, diferenci ar e relacionar letras O trabalho formal com essa habi lidade acontece após o momento em que os estudantes
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento das diversas grafias em formato imprensa e cursi va, maiúscul as e compreendem as regras de geração do si stema de escri ta. Contudo, no contato com os de ensino. Recomenda-se que, inicialmente, a prática e m a lfabetização se ja orientada com o
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) do alfabeto/ Acentuação uso de letra mai úscula de i mprensa tan to e m atividades de leitura quanto de e scrita.
minúscul as. textos impressos e digi tais há uma aproxi mação a essas habi lidades.
Posteriormente, os materiais como li vros, revi stas, j ornai s imp ressos e di gitais permitem o
acesso a outros ti pos de le tra, favorece ndo a aná lise e reconhecime nto de situações de uso
dos di ferentes tipos, além da letra cu rsiva, de uso mais frequente no conte xto escolar.

A construção da habilidade de segmentar o texto em palavras acontece pel a práti ca da l ei tura


e escrita (ler e segmentar textos conhecido s escritos de modo agl utinado, contar as palavras
e co mparar os resultad os com os col eg as). Na el aboração do currículo, pode-se enfatizar
Para segmentar o texto em palavras, o aprendiz deverá articular as referências de palavras processos que levem o aprendiz a, p rogressi vamente, superar idei as co mo: a) artigos
Segmentação de que constituiu a partir da fala — baseadas na prosódia — com as referências obti das a partir definidos, preposi ções, conjunções, pronomes átonos n ão devem ser re presentad os por
Todos os campos de Análise linguística/semiótica pala vras/Classifi cação de palavras (EF01LP12) Reconhecer a separação das palavras, na dos textos escritos — conj unto de letras delimitado por espaços em branco ou sinais de escrito; b) pronunci ar "vemcácomigo" ou "afoto" j unto não torna esses segmentos pal avras;
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) escri ta, por espaços em branco.
por número de sílabas pontuação. É nessa articulação que se constituem os cri térios de segmentação pelo c) na escrita se enxerga agrupamentos de letras — as palavras — separados por espaços em
estudante. branco ou si nais de pontuação, o que não aconte ce na fala. A complexificação do trabalho
com esta habilidade deve prever a superação dessas ideias, de modo que o aluno
compreenda, progressi vamente, que escrita e fala possuem critérios diferentes para
segme ntar as pa lavras.

Na elaboração do currículo, as habil idades propostas podem prever análises fonológicas de


Esta habili dade remete à análise fonológica que deve ser orientada no processo de pala vras e partes delas, a partir de textos con hecidos — no caso da reflexão sobre as
alfabetização. A progressão evolui da análi se de palavras presentes em textos conhecidos características do sistema alfabéti co —, culminando com a an ál ise da rel ação fonema-
(EF01LP13) Comparar pal avras, identi ficando
Todos os campos de Análise linguística/semiótica para refletir sobre as características do sistema de escrita, para a análise de palavras que grafema, em situ ações de reflexão sobre a grafi a correta, desde que os estudante s já tenham
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) Construção do sistema alfabético semel hanças e diferenças en tre sons de sílabas compõem, por exemplo, um acervo sel eci onado para di scuti r determinada regularidade compreendido o sistema alfabético. Esse procedimento é importante para a compreensão da
mediais e fi nais.
ortográfica, de modo que a reflexão acontece no âmbito dos estudos sobre a convenção da base a lfabética do si stema de escri ta, assi m como das questões ortográficas, não sendo
escrita. i ndi cado que aconteça de modo desarti culado do trabalho com a prática de leitura e de
escrita.

Na elaboração do currículo, deve-se co nsiderar q ue , na escol a, o estudo da pontuação


aconte ce de duas maneiras: na leitura, ao anali sar os efei tos de sen tido produ zidos pelo uso
feito no texto; e na escri ta, de modo epilinguístico, no uso d a linguagem, ao di scutir
Apesar de esta habi lidade não se referi r aos sinais gráficos de acentuação, é possível inclui-
(EF01LP14) Identificar outros sinais no texto além d as possibili da des de pontuar, an alisar os efeitos de sentido produzi dos pelas diversas
Todos os campos de Análise linguística/semiótica l etras, como pontos fi nais, de interrogação e los junto com os sinais de pontuação, como outras marcas gráficas que um texto/palavra possibili da des que se colocam (ponto fi nal , de interroga ção, de exclamaçã o) e selecionar as
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) Pontuação apresenta e que o aluno deve reconhecer. Trata-se do início de ampliação organizada do
exclamação e seus efe itos na entonação. mais adequadas às intenções de si gnifi cação. As si tuações de revisão processual coleti va do
olhar do aluno para além do sistema al fabético de escrita. texto p otencializam a reflexão sobre aspectos textuais como esse . A progressão está previ sta
pela ampl iação gradati va dos sinais a serem utilizados, mas tamb ém de ve-se considerar o
níve l de autonomia do estudante.

Na elaboração do currículo, é preciso q ue o movimento metodol ógico a ser empregado nesse


estu do corresponda à análise comparativa e à reflexão com base em inventári os. Assim, a
proposta é estud ar dois grupos de palavras: um que contenha uma l ista de palavras com
(EF01LP15) Agrupar palavras pel o critério de
Esta habili dade prevê reconhecer rel ações de sinonímia e antonímia por comparação de seus sinônimos e ou tro que contenha a me sma li sta de palavras com seus antônimo s. A
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Sinonímia e aproximação de significado (sinonímia) e separar palavras a parti r de uma determinada relação. É importante que a rel ação seja apresentada tarefa é identificar o critério de agrupamento de cada uma das listas. Depois disso, dada uma
Língua Portuguesa 1º atuação (Alfabetização) antonímia/Morfol ogi a/Pontuação palavras pelo cri tério de oposição de si gnificado
em textos, para que o sentido das pal avras seja apreendido na acepção adequada. l ista de palavras, pode-se ela borar um grupo que contenha os sinônimos destas, a p artir de
(antonímia). um rol dado; depois, elaborar outro grupo que contenha os seus antônimos, a partir de outro
rol. No currículo escola r, a progressão pode organizar-se a partir da compl exidade lexical e
do nível de autonomia requerido do aluno.

Na elaboração do currículo, pode-se consi derar, na defi ni ção das habili dades, as
características dos textos sel ecio nad os e dos gêneros previstos. As parlendas, po r exemplo,
(EF01LP16) Ler e compreender, em colaboração com são textos da tradição oral . Organiza m-se em versos rimados, ri tmados e, por vezes,
os colegas e com a aju da do professor, quadras, Trata-se de uma habilidade complexa, que precisa considerar tanto o trabal ho com as
repetiti vos, nem sempre com significado lógico. Podem ter várias finali dades: ensinar (a
quadrinhas, parlendas, trava-línguas, dentre outros habilidades de leitura quanto as características de cada um dos gêneros do campo da vida
Lei tura/escuta (compartilhada e gêneros do campo da vida cotidiana, consi derando a cotidiana (organi zação i nterna; marcas li nguísticas; conteúdo temático) e dos textos contar, por exemplo); arrel iar o adversário; escolher participantes de jog os; adivinhar; ninar;
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura brincar (pular corda, por exemplo); final izar ou começar hi stórias, en tre outras. Podem ser
situação comunicati va e o tema/assunto do texto e específicos a serem li dos. Atentar para o fato de que o trabalho previsto é em colaboração, e
relacionando sua forma de organi zação à sua não de modo autônomo. acomp anh ada s por mo vimentos corporais. Nas ati vi dad es de estudo, convém focalizar as
características que forem i mportantes para a compreensão do texto, articu lar essas
finalidade.
características à finalidade do texto, prever um trabalho dialógico e refle xivo, assi m como a
compa ração e ntre textos por semelhanças e diferenças.

Na elaboração do currículo, podem-se indicar situações de produção, nos doi s primei ros
(EF01LP17) Pl anejar e produ zir, em colaboração com anos, tend o o professor como escri ba; e, considerando-se a complexidade da tarefa, propor
os colegas e com a aju da do professor, listas, habi lidades que envolvam tanto prod uzir uma parte (i ni ci al/final) d e um texto conhecido
Trata-se de uma habilidade que articula a produção textual com o gênero em foco e três
agendas, calendários, avisos, convites, receitas, quanto um texto completo. Portanto, co nsiderando-se o ano, a ajuda do professor pode se
Escrita i nstruções de montagem e l egendas para álbuns, fo tos vetores do processo de escri ta (situação/tema ou assunto/finali dade). Envolve ao menos duas dar de duas formas: co mo escriba do texto ditado pel a turma e/ou in tervindo no processo de
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada ou ilustrações (digitais ou impressos), dentre outros operações di stintas: planej ar e produzir, que podem ser trabalhadas separadamente, e plan ej amento e prod ução, coletivamente e em du pl as. Assi m, as habil idades podem
si gnificam organizar as i deias para depois col ocá-las no papel. Os gêneros a serem
gêneros do campo da vida cotidiana, consi derando a trabalhados engl obam aqueles relati vos ao campo da vida cotidiana. contemplar a produção pelo ditado ao professor e pela parceria com colegas, de acordo com
situação comunicati va e o tema/assunto/ finalidade do a co mplexidade do gênero. Para a in trodução de gê neros mais complexos do campo de
texto. atuaçã o da vida cotidia na, po dem ser p ropostas, nos anos finais, habil idades que prevejam o
trabalho em colaboração.

Na elaboração do currículo, pode-se contextu al izar, aprofundar e complementar esta


habi lidade considerando que: no registro colaborati vo de textos que se sabe de cor, é
pertinente que o con teúdo focal sejam as características do sistema de escrita (variedade de
(EF01LP18) Registrar, em co laboração com os O registro realizado coletivamente pelo professor, quando o texto é ditado pelos estudantes, l etras e pa lavras, relação do falado com o escrito), uma vez que não há decisões a tomar
colegas e com a ajuda do professor, cantigas, permite observar tanto característi cas do sistema de escrita quanto da textuali dade (em sobre o que será escri to. Alguns aspectos textuais podem ser tratados, como a organizaçã o
Escrita quadras, quadrinhas, p arlend as, trava-línguas, dentre especial no caso dos textos que não se sabe de cor). Quando situado em um projeto de em versos: escri ta de cada um em uma li nha, o que impl ica saber onde começam e
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada outros gêneros do campo da vida cotidiana, escrita, também o contexto de produção e as implicações para o texto são tematizados. O terminam. Já no regi stro coleti vo de textos que não se sabe de cor (reescrita/ditado ao
considerando a si tuação comuni cativa e o trabalho col etivo e em grupo modeliza procedimentos de escrita e otimiza a ci rculação de professor), o foco pode estar nos aspectos textuais (sequênci a dos fatos, relação entre eles,
tema/assunto/finalidade do texto. informações. articul ação dos trechos, realização de concordância nomi nal e verbal etc.), pois os
estu da ntes, embora po ssam conhecer o conteúdo, têm que el abo rar um texto que não está
previamen te d efinido, situaçã o que é fu nda menta l para o desenvol vi mento do al uno como
produtor de textos, mesmo antes de saber grafá-l os.

Na elaboração do currículo, é possível articular a habili dade ao eixo de reflexão sobre o


sistema de escrita. Para tanto, pode-se pre ver qu e, antes de recitar, sej a feita leitura , em
Trata-se de habilidade que envolve a leitura e a compreensão do texto a ser recitado, para
colaboração com os colegas ou o profe ssor, gara ntindo-se que os estudantes aco mpanhem
(EF01LP19) Reci tar pa rlenda s, quadras, quadri nhas, que o estudante, conhecendo os sentidos do texto, possa ler/recitar/declamar com maior com os textos em mãos. Além disso, é possível e studar recitações gravadas, anal isando as
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral trava-línguas, com entonação adequada e observando fluência, entonação adequada e uti lização de recursos paratextuais. A habil idade favorece,
diferentes performances, d e mod o a consti tuir um repertóri o de re cursos e condições que
as rimas. ainda, a reflexão sobre o sistema de escri ta, pois a busca pelas rimas propicia o ajuste entre
aspectos sonoros e escritos. permitam um desempe nho de melhor q ual idade. Há, aqui, oportunid ade de trabalho
i nterdisci plinar com a h abi lidade (EF15AR17), da Arte, no q ue se refere a recitar textos
ritmados com a entonação adequada.

(EF01LP20) Identificar e reproduzir, em listas, Na elaboração do currículo, é importante considerar que, no 1º ano, esta habili dade deve ser
desenvolvida na forma de uma intensa frequentação do s estudantes a textos organizados em
agendas, calendários, regras, avisos, convites,
Análise linguística/semiótica receita s, instruções de montagem e legendas para Esta habili dade refere-se a reconhecer, na lei tura, recursos linguísticos e discursivos que tais gêneros. Projetos de coletâneas de jogos e/o u brincadeiras (de roda, de corda, de correr
Língua Portuguesa 1º Campo da vida cotidiana (Alfabetização) Forma de composição do texto constituem os gêneros previstos, de modo que seja possível empregá-los adequadamente etc.) — com as respectivas instruções — impressos ou di gitai s, em víde o ou á udi o, podem
álbuns, fotos ou ilustrações (digitais ou impressos), a
nos textos a serem produzidos. viabil izar esse trabalho. Na organi zação do currícul o, a progressão pode dar-se a pa rtir da
formatação e diagramação específi ca de cada um diversifi cação de textos, da extensão e complexidade deles, a ssim como o nível de
desses gêneros.
autonomia requerido do aluno.

Na elaboração do currículo, pode-se orientar a anál ise de l eis, como o Estatuto da Crian ça e
do Adol escente, entre outras, de modo a constituir repertóri o temáti co. É p ossível propor
(EF01LP21) Escrever, em colaboração com os habi lidades que prevejam: a) o planejamen to coletivo da si tuação comunicativa e do texto; b)
Trata-se de uma habilidade que articula a produção textual com os gêneros do campo da a análise da forma composicional dos gêneros do campo da atuação cidadã e dos portadores
colegas e com a ajuda do professor, listas de regras e
Escrita regulamentos que organizam a vida na comunidade atuação cidadã em jogo e dois vetores do processo de escrita (situação/tema ou assunto). A que as integra m, para i den tificar suas caracte rísticas; c) o estudo dos elementos típi cos de
Língua Portuguesa 1º Campo da vida pública Escrita compartilhada habilidade prevê a colaboração dos colegas e professores na produção do texto, que envolve tais textos para decidir sob re a pertinênci a de sua uti lização, considerando as intenções de
(compartilhada e autônoma) escolar, dentre outros gêneros do campo da atuação
organi zar as ideias e uti lizar a consciência do que significa viver em comuni dade para depoi s significaçã o; d) a textu al ização e revisão processual e final. A progressão horizon tal pode
cidadã, considerando a situação comuni cativa e o escrevê-l as em formato de lista. tomar como referência o grau de compl exidade dos textos a serem abordados. Há, aqui ,
tema/assunto do texto.
oportunidade de trabalho inte rdiscipli na r co m as habilidades (EF12EF04), da Educação
Física; (EF01HI04), da História; e (EF01GE04), da Geografia, associadas à i dentificação,
discussão e produção de textos sobre regras de convi vência e sua i mportância.

Na elaboração do currículo, pode-se pensar em propor habil idades que en volvam o uso de
(EF01LP22) Pl anejar e produ zir, em colaboração com procedime ntos de consulta a ambien tes digi tais e m colaboração. É possível, ainda, propor
Trata-se de uma habilidade que articula a produção textual com os gêneros do campo
os colegas e com a aju da do professor, diagramas, atividades que: a) envolvam análise de textos dos gêneros em questão para extrair as suas
Campo das práticas de Escrita entrevi stas, curiosidades, dentre outros gêneros do investigati vo e três vetores do processo de escrita (si tuação/tema ou assunto/final idade). E características; b) orientem a revisão coletiva durante a produção; c) desmembrem a
Língua Portuguesa 1º Produção de textos envol ve ao menos duas operações distintas: planejar e produzi r, que podem ser tratadas em
estudo e pesquisa (compartilhada e autônoma) campo investigativo, digitais ou i mpressos, habi lidade, separando os gêneros e especificando algumas de suas característica s. Pode-se,
separado, e si gnificam organizar as i deias para depois col ocá-las no papel. A ajuda do
considerando a si tuação comuni cativa e o professor refere-se à atuação como escriba do texto, podendo orientar o trabalho das duplas. por exemplo, propor a produção de conteúdo de dia gramas estabelecidos previamente. No
tema/assunto/finalidade do texto. caso da entrevista, a aproximaçã o ao g êne ro poderá ser arti culad a, regi on almente, a estudos
das culturas locais, por me io de entrevistas aos p arentes e amigos mais velhos dos alunos.

A habi lidade p od e prever tanto a oralização de textos escri tos produzidos quanto a produção
(EF01LP23) Pl anejar e produ zir, em colaboração com O foco desta habilidade é a produção de áudi os ou vídeos de gêneros investigativos a serem diretamente oral, por meio de gravaçõe s em áudio e/ou em vídeo dos textos previstos,
os colegas e com a aju da do professor, entrevistas, utilizando-se esquemas de apoio escritos. É possível desmembrá-la, prevendo: a) a pesquisa
vei culados em mídias digitais. E envolve duas operações complexas sucessivas — planejar e
Campo das práticas de Planejamento de texto oral curiosidades, dentre outros gêneros do campo produzir textos desses gêneros — arti culadas com três vetores da produção textual: a do con teúdo temático; b) o estudo das pri ncip ai s características de textos orai s no gênero
Língua Portuguesa 1º Oralidade i nvesti gativo, que possam ser repassados oralmente selecionado para produção; c) o pl anejamento e a el ab oração do te xto a ser prod uzido. Na
estudo e pesquisa Exposi ção ora l si tuação comuni cativa; o tema ou assunto; a final idade da produção. Observar que o trabalho
por meio de ferramentas digitai s, em áudi o ou vídeo, elab oração do currícul o, pode-se pre ver um trabalho com a habilidade organizado em
considerando a si tuação comuni cativa e o é em colaboração e com a ajuda do professor, tanto para a pesqui sa e estudos realizados sequências ou em proj etos di dáticos com temática que envolva, por exempl o, entrevistar as
quanto para a produção do texto oral.
tema/assunto/finalidade do texto. famílias para resgate da história do local em que vivem; participar em rádios comuni tárias
para divul gar campanhas reali zadas pe los estudantes; entre outras possibil idades.

Na elaboração do currículo, deve-se co nsiderar q ue o d esenvolvime nto de sta habil idade pode
aconte cer por meio da frequentação do s estudantes a textos organizados nos gêneros
previstos, o que pode ser sugerido na elaboração dos currículos. A ati vi dade de leitu ra
(EF01LP24) Identificar e reproduzir, em enunciados de colaborati va e a de revisão processual e final possibi lita m e studar os recursos e analisar a
Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Forma de composição dos tarefas escolares, di agramas, entrevistas, Esta habili dade refere-se a reconhecer, no processo de leitura, recursos linguísticos e adequação do s textos produzidos. Proj etos que preveja m a elaboração de blogs, vlo gs,
Língua Portuguesa 1º textos/Adequação do texto às curiosidades, digitai s ou i mpressos, a formatação e discursivos que constituem os gêneros previstos, de modo que sej a possível empregá-los canais di gitais ou jornais — d igitai s ou i mpressos — nos qu ai s sejam apresentadas
estudo e pesquisa (Alfabetização)
normas de escrita diagramação específi ca de cada um desses gêneros, adequadamente nos textos a serem produzidos. entrevi stas e/ou curi osi dad es vi abilizam o trabalho, pois incluem a leitura de estudo e a
i nclusive em suas versões orais. produção dos textos. Na organização do currículo, a progre ssão pode dar-se pela
diversifi cação do tema abo rdado, pel a complexidade dos te xtos e pel o nível de au tonomia do
alun o, que pode se efetivar pela organi zação de habili dades em que as tarefas sejam
reali zadas em colaboração e, progressi vamente, com autonomia.
Na elaboração do currículo, é preciso l evar em conta que a atividade de recon tagem de
históri as prevê a el aboração de um texto cujo conteúdo j á é conhecido pelo al uno, sendo,
mesmo assim, importante prever habi lidades que indiquem o planejame nto da situação
comun icativa e do texto pa rte a parte, tarefa que poderá ser coletiva . Dessa forma, o currículo
(EF01LP25) Produzir, tendo o professor como escri ba,
Esta habili dade diz respeito a produzir recontagens de hi stórias, ou seja, a partir das pode focalizar, nessa atividade, a capacida de de textuali zação, ou seja, de redigir o
Escrita recontagens de histórias lidas pelo professor, hi stórias informações previamente adquiridas, elaborar narrativas. Ela prevê que o professor seja o enunciado, considerando a sua organização interna: sequência temporal de ações, rel ações
Língua Portuguesa 1º Campo artístico-literário (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada i maginadas ou baseadas em livros de i magens, responsável pelo registro das histórias dos al unos. O desenvol vi mento dessa pode ser de cau sali dade estabel ecidas entre os fatos, emprego de articuladores adequados entre os
observando a forma de comp osição de textos
narrati vos (personagens, enredo, tempo e espaço). iniciada antes de o aluno saber escrever. trechos do enunciado, uti lização do registro literári o, manutenção do tempo ve rbal ,
esta be leci mento de coerência e coesão entre os trechos do texto, entre outros aspectos. A
progressão horizontal pode apoiar-se na extensão e/ou na complexidade das histórias
programadas e no foco nesse ou naquele aspecto da comp osição
(personagens/enredo/tempo/espaço).
Na elaboração do currículo, convém qu e o de senvolvimento d essa habi lidade venha
associ ado à frequentação dos estudantes a textos organizados nos gêneros previstos.
Enquanto eles não compreenderem a base al fabéti ca do siste ma de escrita, é i mportante que
os currículos prevejam atividades de l eitura colab orativa de estudo, capazes d e propiciar a
Esta habili dade refere-se a reconhecer — na leitura ou escuta — elementos básicos
Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de (EF01LP26) Identificar eleme ntos de uma narrativa constitutivos dos textos narrativos do campo artísti co-literário. Seu desenvolvimento permite anál ise dos recursos in di cados, assi m como a roda de leitura. O texto exposto para que os
Língua Portuguesa 1º Campo artístico-literário (Alfabetização) l ida ou escutada, incl uindo personagens, enredo, estu da ntes possam ver onde o professor está len do e a companhar as suas indicações é
narrati vas ao aluno aprofundar a compreensão de narrativas e desenvolver capaci dades de análi se e
tempo e espaço. recurso de grande rel evância. A progressão horizon tal pode se dar pela complexi dade dos
crítica. textos escutados e pelo nível de autonomia que se pretende levar o aluno a conquistar em
cada e tapa. Há, aqui, oportuni dade para o trabalho interdi scipli nar com as habilidades
(EF15AR1 8), da Arte; e (EF01HI06), da Hi stória, associadas à identificação de elementos
narrati vos em textos l idos, escutados e, também, encenados.

Na elaboração do currículo, a indicação de habi lidades de leitura de textos da tradição o ral ,


como cantigas regi onais e na cionai s, poemas, l etra de músicas, entre outros textos cuja
A habilidade pode orientar a leitura de duas maneiras: a) quando se trata de alunos que estão
organização estrutural faci lite a memori zação, é i mportante para a construção dessa
Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF12LP01) Ler palavras novas com precisão na em processo de construção do sistema, por mei o da leitura col aborativa de textos conhecidos habi lidade. Em d ocumentos de orientações di dáticas, é possível prever a expl ici tação das
Língua Portuguesa 1º, 2º atuação autônoma) Decodificação/Fluência de leitura decodificação, no caso de palavras de uso frequente, de memória, realizando ajuste do texto falado ao seu registro gráfico; b) quando se trata dos modalidades de trabalho com a leitura (leitura em voz alta pel o professor, leitu ra autônoma,
l er globalmente, por memorização. alunos que já compreenderam o sistema (o que pode ocorrer até o final do 2º ano), com
precisão na decodifi cação. l ei tura colaborativa, entre outras) que podem contribui r para a org an ização do ensino de
l ei tura, que de ve acontecer com a construção das habil idades de compree nsão do sistema de
escrita.

Na elaboração do currículo, é possível prever a lei tura colaborativa, que é, inclusive no que
No trabal ho com leitura, é preci so ensinar procedimentos e comportamentos lei tores: ambos
(EF12LP02) Buscar, sel ecion ar e ler, com a mediação diz respeito à seleçã o de textos, a atividade n a qual se estuda um texto por meio de questões
Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e do professor (leitura co mparti lhada), textos que impl icam a mobi lização das diversas habilidades de leitura.A l eitura compartilhada é uma problemati zadoras feitas pelo professor após uma l eitura inicial do texto (ou sem reali zá-la, de
Língua Portuguesa 1º, 2º Formação de leitor atividade que potenci aliza esse trabal ho: expl ici ta como agem os leitores proficientes na
atuação autônoma) circulam em mei os imp ressos ou di gitais, de acordo acordo com o ob jetivo). A progressão d o trabalho com leitura se dá a parti r do nível de
leitura.Ao selecionar temas pertinentes para o ensino, convém considerar os que são do
com as necessidades e interesses. interesse dos alunos e os que são relevantes para a compreensão da realidade vi vida. compl exi dade dos textos e do nível de autonomia do aluno (trabalho coletivo, grupos, duplas,
autônomo).

Na elaboração do currículo, é possível prever que o desenvolvimento desta habi lidade supõe:
a) a mobilização da atenção do aluno p ara co m todas as características gráficas do texto:
(EF12LP03) Copiar textos breves, mantendo suas
Construção do sistema alfabético/ pontuação (medi al e final ), paragrafa ção, acentuação, presença de l etras mai úsculas,
Todos os campos de Escrita Estabelecimento de relações característi cas e voltan do para o texto sempre que Esta habili dade consi ste em observar e reproduzir pequenos textos, e é útil como recurso distribuição gráfi ca de suas parte s, tran sli neação; b) a constante me di ação do professor em
Língua Portuguesa 1º, 2º tiver dúvidas sobre sua distri buição gráfi ca, para chamar a atenção do aluno para aspectos como pontuação, acentuação, presença de
atuação (compartilhada e autônoma) anafóricas na referenciação e todas as etapas das ativi dades propostas. Co nvém que, no currículo, seja sub linhada a
construção da coesão espaçamento entre as palavras, escrita das palavras e letra maiúscula, paragrafação e distribuição gráfica de suas partes, entre outros. necessi dade de os textos sel ecio nad os serem curtos ou trechos significativos de um texto
pontuação.
mais longo. A progressão horizontal pode dar-se pela extensão e co mplexidade dos textos e
pelo nível de autonomi a do aluno.

Na elaboração do currículo, pode-se consi derar, na previsão de atividades, as características


dos textos selecionados para leitura e dos gêneros previsto s. Uma receita, por exemplo,
(EF12LP04) Ler e compreender, em colaboração com organiza-se pela pre sença de: título, quantidades dos ingredientes, modo de fazer. Pode
os colegas e com a aju da do professor ou já com certa Trata-se de uma habilidade complexa, que precisa considerar tanto o desenvol vi mento de
conter ainda: rendimen to, grau de dificul dade e tempo de trabalho. Adequa-se ao portad or e
autonomia, l istas, agendas, calendários, avisos, habilidades de leitura quanto as características de cada um dos gêneros do campo da vida
Lei tura/escuta (compartilhada e convites, receitas, instruções de montagem (di gitais ou cotidiana (organi zação i nterna; marcas li nguísticas; conteúdo temático) e dos textos espaço de ci rculação: se for para crianças, as quantidades po dem vir indicadas por i magens
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura (xícara, co lher etc.) e a linguagem será menos compl exa, em especial n o 'modo de fazer'.
i mpressos), dentre outros gêneros do campo da vi da específicos a serem li dos.No que se refere à progressão da aprendizagem, atentar para o
coti diana, considerando a situação comunicativa e o fato de que a formul ação da habi lidade j á implica um critéri o: o grau de autonomia do aluno Nas atividades de estudo, convém foca lizar as características que forem importantes para a
compreensão do texto, articular essas cara cterísticas à fina lidade do texto, prever um
tema/assunto do texto e relacionando sua forma de (l eitura em col aboração; leitura autônoma).
trabalho di al ógico e reflexivo, assim como a comparação entre textos por semelhanças e
organização à sua fi nalidade. diferenças. Além do grau de autonomia do al uno, a progressão da aprendizagem pode
apoi ar-se no grau de complexidade dos textos e dos temas.
Na elaboração do currículo, é possível articular esta habil idade a outras que prevej am
Esta é uma habi lidade diretamente rel acionada à construção da textualidade. Articula a conteú dos rel aci onados à partici pação em situações comuni cativas, como saraus, rodas de
(EF12LP05) Pl anejar e produ zir, em colaboração com produção do texto com o gênero do campo artístico-literário e doi s vetores do processo de l ei tura de poema s e oralização de quadrinhas/corde l, em dia da famíl ia na escola, prevendo a
os colegas e com a aju da do professor, (re)contagens escrita (situação/finali dade), comportando ao menos duas etapas — pl anejamento e escrita, observação e o planejamento da situ ação comunicati va com os alunos. É preciso ressaltar
Escrita de histórias, poemas e outros textos versifi cados que significam organi zar as ideias para depois colocá-las no papel — passíveis de tratamento que a atividade de recontagem de hi stórias prevê a elabora ção de um texto cujo con teúdo é
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita compartilhada (letras de canção, quadri nhas, cordel), poemas em etapas sucessivas. Poderá ser desmembrada em habilidades que prevej am: a) pl anejar e conhecido. Dessa forma, é fo cali zada nessa atividade a capacidade de textualização, ou seja,
visuais, tiras e histórias em quadri nhos, dentre outros recontar histórias; b) pl anejar e produzir escrita das históri as recontadas, por ditado ao de redigir o enunci ado. Já a atividade d e escrita de textos con hecidos de memória envol ve
gêneros do campo artísti co-li terário, considerando a professor e/ou col egas; c) planej ar e escrever textos versifi cados conhecidos de memória apenas o registro gráfico do texto que, nesse caso, é tão conhecido quanto o conteú do
situação comunicati va e a fi nalidade do texto. (coletivamente, em duplas ou de modo autônomo), como letras de canção, quadrinhas e temático. A progressão pode apoiar-se no grau de complexidade dos gêneros menci ona do s
cordel. Todas as habili dades podem indicar a revisão processual do texto. e/ou
A habidalidade
autonomia
requeraplanejar
ser desenvol vid a pelo
e produzir aluno
textos eme/ou
ora is di ferentes etapasdependendo
para oralizar, de cad a um da
dos dois
primeiroscomunicati
situação anos. va. É comum, por e xemplo, que recados sejam produzidos oralmente; já
as i nstruções de montagem costuma m ser el aborad as por escrito, podendo ser orali zadas.
Como o objeti vo fina l é a tran smissão oral dos textos, na el aboração do currículo, é possível
(EF12LP06) Pl anejar e produ zir, em colaboração com prever que o estudante tanto pode saber o co nteúdo de um recad o e el aborar o texto qu an do
os colegas e com a aju da do professor, recad os, falar ao destinatári o (pessoal mente, por mei o de mensagem de voz de aplicati vos de celular
avisos, convites, receitas, instruções de montagem, etc.) quanto pode nece ssitar ter o texto produzido por escrito para poder ler para o
dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, que Trata-se de uma habilidade que articula escri ta e oralização da escrita, considerando, ainda, i nterlocutor (como instruções de montagem e receitas e tc.). Para o desenvolvimento desta
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral o gênero do campo da vida cotidiana a ser produzido e três vetores da produção, seja escrita,
possam ser repassados oralmente por mei o de habi lidade, pode-se propor que h aj a: a) análise da situa ção comunicativa e dos gêneros com
ferramentas digitai s, em áudi o ou vídeo, considerando sej a oral (situação/tema ou assunto/finalidade). a fin al idade de compreender as suas característi cas, de modo a oferecer repertóri o para a
a si tuação comunicativa e o tema/assunto/finalidade produção; b) planeja mento , p rodução e revisão dos textos, com apoio do registro escrito; c)
do texto. acesso e utilização de ferramentas digi tais qu e viabili zem a produ ção dos textos, em áudio ou
víde o. A progressão pode apoiar-se nas duas operaçõe s diferentes que a habilida de envolve.
Assi m, planejamento e produção podem ser programad os para momentos sucessivos. Além
disso, recomenda-se prever o tra bal ho em colaboração, desde o coletivo até o organi zado em
Na
duplelaboração
as/gru pos. do currículo, deve-se co nsiderar q ue os textos previstos são ótimas
referências pa ra a reali zação de leituras de aj uste, posto que a sua organi zação versifi cada e
o ritmo e melo di a ofere cem pistas so bre onde come çam e termi nam os versos, balizando o
(EF12LP07) Identificar e (re)produzir, em canti ga, Esta habili dade refere-se a reconhecer, no processo de leitura, recursos linguísticos e
trabalho do aluno. Proj etos de co letâneas de cantigas, parlendas, trava-línguas são sempre
Análise linguística/semiótica quadras, quadrinhas, p arlend as, trava-línguas e discursivos que constituem os gêneros previstos, de modo que sej a possível reproduzi-los em ótimas pro postas que viabi lizam esse trabalho. Na organização do currícul o, a progressão
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida cotidiana (Alfabetização) Forma de composição do texto canções, rimas, aliterações, assonâncias, o ritmo de atividades de escrita e reescrita, assim como de criá-los em atividades de produção de textos.
pode dar-se a parti r da di versificação de textos, d a extensão e complexidade deles, assim
fala rel acionado ao ritmo e à mel odia das músicas e Esta habili dade envolve, portanto, a oralização dos textos previstos, com o objetivo de como o nível de autonomia requerido do al uno. Há, aqu i, oportunidade para o trabalho
seus efeitos de sentido . evi denciar seus padrões rítmicos e sonoros.
i nterdisci plinar com as habil idades (EF15AR14), (EF15AR15) e (EF15AR17), da Arte,
associ adas à experime ntação com fontes sonoras e i de ntificação de ele mento s constitutivos
da música.

(EF12LP08) Ler e compreender, em colaboração com


os colegas e com a aju da do professor, fotolegendas
Lei tura/escuta (compartilhada e em notícias, manchetes e li des em notícias,
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública autônoma) Compreensão em leitura

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Compreensão em leitura

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Compreensão em leitura

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Escrita compartilhada

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Escrita compartilhada

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Oralidade Produção de texto oral

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Forma de composição do texto

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Forma de composição do texto

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo da vida pública Forma de composição do texto

Língua Portuguesa 1º, 2º Compreensão em leitura

Língua Portuguesa 1º, 2º Campo artístico-literário Apreciação estética/Estilo


Na elaboração do currículo, é importante considerar que esta hab ilidade rel aci ona -se com a
(EF35LP31): ambas preveem identificar recursos típi cos do s textos versifi cados,
relacionando-os com impressões e sensações por eles provocadas, sendo que, na
(EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, Esta habili dade refere-se a — no processo de leitura de textos — i dentificar recursos
(EF35LP31), aprofunda-se o estudo, focalizando os efeitos de senti do provocados pelo uso
Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de textos rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, linguísticos e di scursi vos que constituem os gêneros poéti cos previstos. Fundamental para o de metáforas e recursos rítmi cos (progressão vertical). O desenvolvimento desta habili dade
Língua Portuguesa 1º, 2º Campo artístico-literário (Alfabetização) poéticos expressões, comparações, relacionando-as com desenvolvimento dessa habilidade é a oral ização de tais textos, sem o que os aspectos
demanda a programação de atividades de estudo col etivo, em especial no 1º e 2º ano,
sensações e associações. rel aci onados à sonoridade e ao ritmo não podem ser observados.
quando os estudantes ainda não se encontram al fabeti zados. Convém, portan to, que a
mediação do pro fessor e o envol vimento sistemático do aluno em práticas colaborati vas de
l ei tura e escrita sejam contemplados j á nesse s momentos i niciais.

Na elaboração do currículo, é possível destacar que o desenvol vi mento desta habilidade


permite que o aluno reconheça que os textos se organizam em gêneros que possuem
(EF15LP01) Identificar a função soci al de textos que funçõe s sociai s rel aci onadas aos difere ntes campos de atuação no qual circul am. Espera-se
Esta habili dade refere-se à necessidade de o al uno identificar que os textos possuem funções que o al un o reco nhe ça que, para informar-se sob re a vacinação contra febre amarela, por
circulam em campos da vi da social dos quais parti ci pa
diretamente rel aci onadas aos diversos campos de atuação da vi da soci al em que se inserem exemp lo, pode-se ler notícias publi cadas em jornais impressos e digitai s que circulam na
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e Reconstrução das condições de coti dianamente (a casa, a rua, a comunidade, a e às di ferentes mídias. Trata-se, portanto, de uma habilidade mai s ampl a, na qual se estudam esfe ra pública. Por outro lado, se quiser comentar uma matéria publicada em um j ornal
Língua Portuguesa 5º atuação autônoma) produção e recepção de te xtos escola) e nas mídias impressa, de massa e digital ,
os textos para procurar características dos gêneros e para estabelecer relações entre eles, os i mpresso, deve concluir qu e o melhor g êne ro é a ca rta de leitor. Ou seja, não é em qualquer
reconhecendo para que foram produzidos, on de
circulam, quem os produziu e a quem se destinam. campos de atuação e sua organização interna. gênero que se busca qualquer informação: para cada intenção de di zer, há um gê ne ro que é
mais adequado. A progressão horizo ntal e vertical da habil idade pode ser estabelecida com
base n as esferas de atividades selecionadas, nos gêneros a serem estudados, nas mídias
em que a produção circulará etc.

(EF15LP02) Estabelecer expectativas em relação ao Os vetores desta habilidade são: a) a anteci pação de in formações sobre o conteúdo do texto
texto q ue vai l er (pressuposições antecipadoras dos
(posições, tratamento temático, visão do interlocutor, valores etc.); b) a real iza ção de
senti dos, da forma e da função social do texto), O foco é a realização de antecipações, i nferências e verificações ao longo do processo de i nferências, seja a partir de dados do texto, das informações trazidas pe lo professor sobre o
apoian do-se em seus conhecimentos prévios sobre as
leitura, a partir tanto da recuperação do contexto de produção e de recepção do texto a ser contexto de prod ução ou do conhecimento prévio do al uno; c) a verifi cação tanto das
condições de produção e recepção desse texto, o
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e gênero, o suporte e o universo temáti co, bem como lido quanto do universo temáti co em jogo. É possível articular essas informações com pi stas anteci pações real iza da s quanto das inferências. O uso dessas i nformações é importante
Língua Portuguesa 5º atuação autônoma) Estratégia de leitura fornecidas pelo própri o texto, para realizar previsões sobre o conteúdo. Durante a leitura do durante todo o processo de l eitura, pois permite uma melhor compreensão e maio r fl uên cia.
sobre saliências textuais, recursos gráficos, imagens,
dados da própria obra (índice, prefácio etc.), texto, essa articul ação permite i nferir dados implícitos e verificar antecipações e inferênci as Na elaboração do currículo, a progressão pode se dar com base nos gêneros abordados, no
real izadas. foco do trabalho di dático (mobilização de conheci mento s prévios; recuperação do contexto de
confi rmando antecipações e i nferênci as realizadas
produção; antecipações; produção de inferências; verifi cação) e no grau de autonomia do
antes e durante a leitura de textos, checando a alun o na e tapa d e ensino em j ogo.
adequação das hipóteses realizadas.

Na elaboração do currículo, é necessário considerar pode-se prever que a compreensão de


um texto requer a mobilização simul tânea de várias habili dades e a uti lização de di versos
As i nformações explíci tas em um texto são aquelas que estão, literalmente, expressas no
procedime ntos, de acordo com o grau de autonomia do al uno e a finalidade e o tipo de l eitura
texto, seja ele oral ou escrito. Localizá-las, portanto, no caso do texto escrito, requer do aluno
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF15LP03) Localizar informações explícitas em que lei a o enunciado e a identifi que. Muitos consi deram essa habil idade como a menos a se r realizada. Assim, não convém que um currícul o dissocie a l ocal iza ção de informação de
Língua Portuguesa 5º atuação autônoma) Estratégia de leitura textos. outras igualmente re levantes, como a identificação da ideia central do texto. A pro gressão
complexa. É preci so considerar, no entanto, que localizar informações não ocorre no vazi o,
mas a partir do texto. Assim, é tarefa que pode ser tão complexa quanto o próprio texto. dessa habil idade pode con siderar di ferente s critérios: o gênero e/ou o ti po de texto em jogo; o
obje tivo proposto; o ti po de leitura (cola borativa ou autônoma); o proced imento a ser
desenvolvido; etc.

Ao trabalhar com textos multissemióticos, é preci so con siderar qu e os senti dos dependem da
articul ação entre texto verbal e recursos gráfico-editoria is. Ler o texto sem consi dera r essa
relação é ignorar que posi ci onamentos político-ideológicos, re ligiosos, valores éticos e
esté ticos também podem se apresentar nos recursos gráfico-visuais. Dessa forma, é preciso
Os textos das diferentes esferas de ativi dade costumam apresentar diferentes recursos
prever, na elaboração do currícul o, situações de aprendizagem nas quais aconteçam a
(EF15LP04) Identificar o efeito de sentido produzido gráfico-vi suais: boxes de complementação, linkagem ou de remissão; infográficos; negrito,
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e pelo uso de recursos expressivos gráfico-visu ai s em itál ico, l etra capitular; uso de notas de rodapé; hiperlinks; som e movimento; cores, imagens; explicitaçã o refle xiva e colaborati va da maneira como o l eitor proficiente realiza essa
Língua Portuguesa 5º atuação autônoma) Estratégia de leitura operação. Há recursos que estão mais presentes em textos de determinado campo de
textos multi ssemi óticos. entre outros. A compreensão adequada do texto depende da identifi cação dos efeitos de
sentido produzidos pel o uso de tai s recursos, o que i mpli ca articulá-los ao texto verbal. atuaçã o, como boxes nos textos de pesqui sa e estu do; infográfi cos em reportagens e
notícias; notas de rodapé em textos acadêmi cos etc.A progressão curricular pode ser
esta be leci da com base na qu antidade e no tipo de recurso gráfico-visua l mobilizado pel o
texto; na complexidade do texto e/ou do gê ne ro; no grau de autonomia do aluno e m leitura a
cada e tapa do ensino.
(EF15LP05) Pl anejar, com a ajuda do professor, o
O foco da habilidade é o planejamento, entendido como etapa inicial do processo de É possível pre ver, na e labora ção do currículo, uma progressão do ensino com base nos
texto q ue será produzi do, considerando a situ ação
produção do texto. Pl anejar diz respeito, então, a organizar ideias da pré-escrita levando em gêneros a serem abordados na prática de produção de textos, ao l ongo dos anos, de modo a
comun icativa, os interl ocutores (quem escreve/para conta di versos fatores, como o objeti vo do texto final, o público l eitor etc. Trata-se de uma contemplar de mandas locais, nacionais e universais de forma espiral: um mesmo gê nero
quem escreve); a finali dade ou o propósito (escreve r
habilidade fundamental para que o aluno reconheça e considere os diferentes vetores da pode aparecer mais de uma vez em textos e/ou se podem deman da r tarefas cada vez mai s
para quê); a circulação (onde o texto vai circu lar); o
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Produção de textos suporte (qual é o portador do texto); a l inguagem, escrita. A habilidade pode ser desmembrada, nesse caso, envolvendo os doi s tipos de compl exas (produzir o fi nal de um co nto de aventura lido, produzi r um livro com contos de
Língua Portuguesa 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) Planejamento de texto planejamento e prevendo progressão (com e sem ajuda): a) planejar o conteúdo do texto de aventu ra etc.). Além disso, podem-se propor atividades que contemplem o ato de pl anejar
organização e forma do texto e seu tema, pesquisando
em meios impressos ou digitais, sempre que for acordo com o gênero: criação do conteúdo temático (gêneros como: contos em geral, com auton omia prog ressiva. Ainda, é possíve l pensar em agrupame ntos didáticos, como, por
crônicas etc.) ou de pesquisa desse conteúdo (textos nos gêneros: notícia, verbetes, artigos exemp lo, habilidades q ue envolvam gêneros literários e requerem a criaçã o de conteúdo
preciso, informações necessári as à produção do texto,
em geral etc.); b) planejar o texto parte a parte, na ordem demandada pelo gênero temático e habilidades que envolvam gêneros de outras ordens, como argumentar e expor,
organizando em tópicos os dados e as fontes trabalhado. contemplando-se a ação de pl anejar de modo progressivo ao longo dos anos.
pesquisadas.

O foco da habilidade está nas etapas finais do processo de produção escrita, necessárias ao
apri moramento do texto. Reler e revisar diz respeito a observar a própri a produção com
Na elaboração do currículo, pode-se ampliar a habilidade de revisão de textos pro du zidos,
(EF15LP06) Reler e revisar o texto produzido com a atenção a detal hes de edição e aprimoramento do texto. Pode-se desmembrar a habili dade
articul ando-a, po r exemplo, ao uso de ferra menta s digitais, al ém de prever a fami liarização
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Produção de textos ajuda do professor e a colaboração dos coleg as, para para contemplar a revisão processual e final , com e sem colaboração. É indicado hierarqui zar dos al unos com as ferramentas em questão. A progressão do ensino pode apoiar-se na
Língua Portuguesa 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) Revisão de textos corrigi-lo e aprimorá-lo, fazen do cortes, acréscimos, a revisão de aspectos ligados à coerência (i nformações l ivres de contradições, completude de
compl exi dade dos gêneros e dos textos, assim como no grau de autono mia do aluno a cada
reformulações, correçõ es de ortografia e pontuação. ideias etc.) e ao uso de elementos coesivos, como pontuação e organizadores textuais etapa da aprendizag em pretendida.
(presença de marcadores de tempo e outros que indi quem a progressão do texto), assim
como dos aspectos ortográficos.

Na elaboração do currículo, a progressão pode ser pensada com ba se em critérios como o


O foco da habilidade incide sobre os cuidados com a ci rculação/publicação do texto em suporte em jogo, os recursos e as ferramentas de edição a se rem utilizados, o grau de
(EF15LP07) Edi tar a versão final do texto, em
suportes impressos ou di gitai s. Editar, nesse caso, consiste em dar os toques finais à versão autonomia do al uno na rea lização da tarefa etc. Quando for o caso, podem ser previstas
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Produção de textos colaboração com os colegas e com a ajuda do final de um texto produzido no que diz respeito à sua estruturação e também nos elementos habi lidades específi cas, que envolvam conhecimentos proced imentais necessários ao uso de
Língua Portuguesa 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) Edição de textos professor, ilustrando, quando for o caso, em suporte
que o rodei am, seja em suporte manual ou digital. A habili dade pode ser antecipada por ferramentas digitai s. Há, ai nd a, a possi bilidade de compl ementação da habi lidade,
adequado, manual ou digital. outras, que prevejam a edi ção do texto em parceria. envolvendo a análise d o projeto gráfi co em materiais impressos e o design em materi ais
digi tais.

O foco desta habilidade é o conhecimento e o domínio de ferramentas di gitai s na edição e Na elaboração do currículo, é possível prever habilidades e specíficas, e nvolvendo
publicação de textos. Assim, está estreitamente associada à habilidade (EF15LP07), na conhecimentos procedimentais necessários a o uso do software, que podem ser articulados à
(EF15LP08) Util izar software, inclusive programas de medida em que pressupõe a atividade de edição de texto (o que significa realizar a habi lidade em projetos de elaboração de textos encontrados em: fol hetos com orientações
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Produção de textos edição de texto, para editar e publicar os textos observação atenta de sua produção, fazendo as revisões e ajustes necessários) e de sobre questõe s/prob lemas l ocais; guias, pesquisas sobre povos indígen as/africanos; entre
Língua Portuguesa 5º atuação (escri ta compartilhada e autônoma) Utilização de tecnologia digital produzidos, expl orando os recursos multi ssemióticos publicação do texto (ou seja, deixar a produção disponível para o acesso do lei tor). Esta outros. Há, aqui, oportunidade de trabalho interdi scipli nar com a habili dade (EF15AR26), da
disponívei s. habilidade envol ve a previsão de habilidades específicas para uso do software e para o Arte, no que se refere à utili zação de difere ntes tecnol ogias e recursos digitais nos processos
gênero produzi do/editado, considerando cada ano, assi m como a util ização do software com de cria ção. A habil idade pode, ai nda, ser articulada a outras q ue proponham a
ou sem ajuda do professor. contextualização da prática de produ ção de textos.

Na elaboração do currículo, pode-se indicar a análise das situações comuni cativas e dos
gêneros que nelas circulam, podendo organizar habilidades que prevejam a articu lação entre
o planejamento e: a) a produção de textos orais: expor os resultados de uma pesqui sa para
(EF15LP09) Expressar-se em situações de O desenvolvimento da habilidade requer a indicação dos discursos que devem ser
uma audiê ncia, participar de debates sobre questõe s controversas, apresentar indicações
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Oral idade públi ca/Intercâmbio i ntercâ mbio oral com clareza, preocupando-se em ser aprendi dos, de modo que as especificidades dos textos orais que ci rculam nessas situações l iterárias em uma roda, realizar/parti ci par de entrevi stas, en tre outras; b) a oralização de
Língua Portuguesa Oralidade compreendido pelo interlocutor e usando a palavra tornem-se obj eto de ensino. Considerar que expor oralmente o resultado de pesqui sa
5º atuação conversacional em sala de aula textos escri tos: apresentar poemas em saraus, ler textos produzidos para programas de
com to m de voz audível, boa articulação e ritmo real izada requer saberes diferenciados daquel es em que a proposta é opinar para tomar
adequado. deci são col etiva, ou mesmo debater sobre aspectos controversos de um tema. rádio;c) o desenvolvimento da proficiência em gêneros orai s mais produ tivos e cul turalmen te
relevantes na região. A progressão ao l ong o dos cinco anos i niciais pode apoiar-se no grau
de complexidade do gênero oral estudado, no foco em habi lidade de planejamento ou
produção e no grau de autonomia a ser conquistado pelo aluno a ca da eta pa.

Na elaboração do currículo, é possível articular esta habil idade à organização de sequências


didá ticas para ensino de textos orais que envolva m procedimentos e comportamentos
próprios desse tipo de situação comunicativa, como tomar notas e escutar atentamente, com
Esta é uma habi lidade muito relevante como suporte para a progressão nos estudos. E, ao solicitação formal de pedido de turno . As habi lidades podem orientar um conjunto de ações
(EF15LP10) Escutar, com atenção, falas de
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de professores e colegas, formulando perguntas contrári o do que muitos supõem, pode e deve ser ensinada. A escuta atenta poderá ser que envol vam o estudo e a análise: a) da situação comunicativa; b) do gênero envol vido e
Língua Portuguesa Oralidade Escuta atenta desenvolvida em si tuações comunicativas (seminários, mesas-redondas, entre outras) que suas marcas l inguísticas; c) da audiência na escuta. A prog ressão no desenvolvimento desta
5º atuação pertinentes ao tema e solicita ndo escl arecimentos
envol vam gêneros como: exposição oral, discussão argumentativa e/ou debate, entrevista habi lidade pode pautar-se pelo grau de complexidade d o gênero em foco (con versa para tirar
sempre que necessário. oral etc. dúvida, debate, aula expositi va, seminário etc.); pelo foco no planejamento ou na atuação;
pelo aspecto da atenção a ser trabal hado (os gestos e expressões facia is, a entonação, as
noções, conceitos e seus termos, as definições, as teses, o s argu mento s etc.); pelo grau de
autonomia a ser conquistado pelo aluno a cada etapa.

Fundamental para o convívio cotidiano, fora e dentro da escol a, esta habil idade refere-se a Na elaboração do currículo, pode-se prever estudar di ferentes tipos de conversação, em
(EF15LP11) Reconhecer características da saber organi zar a sua fala no gênero i ndicado, considerando as características do contexto
diferentes situações co municati vas. Gravações em áudio e/ou víd eo dessas conversas
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Características da conversação conversação espontânea presencial , respeitando os no qual está sendo produzida: a) que se organiza em tantos turnos quantos forem os permitem a análise dos mais variados fatores que podem interferir na flui dez e na efi cácia dos
Língua Portuguesa Oralidade turnos de fala, selecionando e util izando, durante a interlocutores; b) que a efeti vidade da compreensão mútua depende da escuta efetiva do
5º atuação espontâne a evento s re gi strados. Do ponto de vista da progressão, recomenda-se o trabalho em
conversação, formas de tratamento adequadas, de outro, como balizador da organi zação da próxi ma fala; c) que as escol has dos recursos
acordo com a situação e a posição do interlocutor. textuai s e paratextuais precisam ser adequadas às intenções de significação e ao contexto da colaboração realizado cole tivamente, progred indo para o trabalho em grupos/duplas, até o
autônomo, a depender da complexidade do gênero, do tema e do texto.
si tuação de comunicação.

Na elaboração do currículo, pode-se prever o estudo de diversas situações de comunicação


oral no que se refere aos recursos paralinguísticos, de mod o a: a) anali sar os efei tos de
sentido produzidos por el es;b) reconhecer a adequação (ou não) das esco lhas do l ocutor;c)
constituir um repertó rio de recursos possíveis de serem util iza dos; d) selecionar os recursos
(EF15LP12) Atribuir signi ficado a aspectos não
mais adequados às intenções de si gnifi cação do discurso a ser produzi do. A habilidade
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Aspectos não linguísticos l inguísti cos (paralinguísticos) observados na fal a, A habilidade envolve o reconhecimento e a anál ise das expressões corporais associadas à poderá também ser prevista de modo a rticulado à análise d e textos orais, em uma
Língua Portuguesa Oralidade como direção do olhar, ri so, gestos, movi mentos da
5º atuação (paralinguísticos) no ato da fal a fala, com o objetivo de determinar seu papel na construção dos sentidos dos textos orai s. determinada situação comunicativa, de modo a aproxi mar os estudantes d as características
cabeça (de concordânci a ou discordância), expressão
corporal, tom de voz. desses textos e da diversidade de recursos paral inguísticos que compõem a sua
multimodali dade. É interessante, do ponto de vista da progressão, prever uma traj etória qu e
vá d o trabalho coleti vo em co laboração até aproximar-se do autônomo. Há, aqui,
oportunidade de trabalho inte rdiscipli na r co m a habili dade (EF15AR19), da Arte, n o que se
refere
Na à i dentificação
elaboração de el ementos
do currículo, pode-seteatrais na vida
organizar habilcotidian a. envolvam as finalidades
idades que
i ndi cadas, arti cul ada s aos seus respectivos gêneros, além de exp or ideias sobre temas
estu da dos e argume ntar a respei to d e aspectos controversos de temas em geral. A
solicitação de informações pode referir-se a e spaços como: bi bl ioteca ou secretaria da
escola, sobre passei os pre vistos no calendário escolar, como vi si tas a exp osições de arte e
(EF15LP13) Identificar final idades da interação oral em Fundamental para o desenvolvimento da proficiência oral, esta habi lidade efetiva-se em
1º; 2º; 3º; 4º; Todos os campos de Relato oral/Registro formal e diferentes contextos comunicativos (soli ci tar si tuações como: solicitar informações em espaços públ icos, semi nári os, mesas-redondas, distintos museus. Trata-se de uma si tuação comuni cativa na qual o aluno precisa estar
Língua Portuguesa Oralidade preparado, saber o tipo de informação a se r sol icitada em cad a ocasi ão e o modo de fazê-lo
5º atuação i nformal i nformações, apresentar opiniões, informar, relatar rodas de conversas etc. E envolve gêneros como: exposição oral, discussão argumentativa
naquel e espaço. A h ab ilidade pode orientar ações que envolvam: a) o estudo da situaçã o
experiências etc.). e/ou debate, entrevista oral etc. comun icativa; b) o planejame nto e a an ál ise do gênero envolvido e suas marcas linguísticas;
c) o papel da audiência no contexto específi co. A progressão no desenvolvimento desta
habi lidade pode pautar-se pelo foco na análise ou na prática de escuta do gênero previsto;
peloelaboração
Na grau de complexidade
do currículo, do gêneroconsi
pode-se e/ouderar
do texto oralcterísticas
as cara envol vido;dos
pel ga ên
situação
eros mencionados
ecomun icativaaem
dos textos jog o;sugeri
serem pel o grau
dos. Édei mportante
autono miatomar
a sercomo
conquistado pelo
obj eto de a lunoas
estudo a cada etapa.
características
das tirinhas e das histó rias em quadrinhos. Ambo s os gêneros supõem ficcionalização;
organização interna que articula recursos verbais aos gráfico-visu ai s; ei xo temporal;
l inguagem col oquial; entre outros aspectos. A ti ri nha contém crítica aos valores sociais;
Trata-se de uma habilidade complexa, que precisa considerar tanto o trabal ho com as
(EF15LP14) Construir o sentido de históri as em provoca efei tos de humor; organiza-se em ti ra de poucos quadrinhos; é pu blicada em jornais
1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e Leitura de ima gens em narrativas quadrinhos e ti ri nhas, relacionando imagens e habilidades de leitura quanto as características dos gêneros quadrinho e ti ri nha (organização e revistas. A HQ é mais extensa; trata-se de histórias com trama mais compl exa e de
Língua Portuguesa Campo da vida cotidiana autônoma) interna; marcas l inguísti cas; conteúdo temático) dos textos a serem lidos. Quanto ao nível de
5º visuais palavras e interpretand o recu rsos gráfi cos (tipos de diferentes tipos; é publ icad a em revi stas e livros. Convém que o trabalho proposto pelos
autonomia, considera-se que é uma habil idade prevista para os 5 anos iniciais; assim, o ideal
balões, de letras, onomatopeias). é prever leituras e anál ise em colaboração e, gradativamente, alcançar a autonomi a. currículos locais seja dialógico e refl exi vo, utilizando análise e comparação por diferenças e
semel hanças. Critéri os para a progressão podem ser: a complexidade do gênero em foco, a
exte nsão e a complexidade d os textos e/ou dos recursos e o grau de autonomia d o aluno a
cada e tapa do ensino. Há, aqui, opo rtunidade de trabal ho interdi scipli nar com a habil idade
(EF15AR0 4), da Arte, no que se refere a conhecer quadri nhos e tirinhas como uma
expressão artística.

Para o desenvolvimento dessa habilidade, é fundamental que, na el aboração do currículo,


(EF15LP15) Reconhecer que os textos literários fazem A habilidade incide sobre a disti nção entre textos l iterários e não l iterários, o que envol ve a
sejam propostos critéri os para a sele ção de textos, livro s e sites que: possuam quali dade
1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e parte do mundo do imaginário e apresentam uma compreensão da natureza e dos objetivos das diferentes práticas de leitura, assim como dos esté tica; não subesti mem a capacidade do lei tor; abordem adequadamente os temas, do
Língua Portuguesa Campo artístico-literário autônoma) Formação do leitor literário dimensão lúdi ca, de encantamento, valorizando-os, pactos de leitura que se estabelecem. No que se refere ao nível de autonomia, atentar para o
5º ponto de vista dos alunos; sejam representativos de diferentes culturas, i ncl usive as menos
em sua di versidade cul tural, como patrimônio artísti co fato de que a formul ação da habi lidade prevê a progressão de sua aprendizagem ao l ongo
da humanidade. dos anos iniciai s. prestig iadas. É a inda necessário prever o desenvol vi mento de proj etos de leitura por autores,
por gênero e por reg ião, val ori zando a cultura de di ferentes grupo s sociais.

Na elaboração do currículo, pode-se prever uma progre ssão verti cal que a rticule l eitura com
(EF15LP16) Ler e compreender, em colaboração com Trata-se de uma habilidade complexa, que envolve tanto o trabalho com as habi lidades de
produção coletiva e autônoma de um gênero no ano, e uma progressão horizontal que
1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e os colegas e com a aju da do professor e, mais tarde, leitura como um todo quanto as características dos gêneros e dos textos literári os narrativos garanta uma variedade de gêneros, ao longo dos anos, considerando a co mplexidade dos
Língua Portuguesa Campo artístico-literário autônoma) Leitura colaborativa e autônoma de maneira autônoma, textos narrativos de maior porte de maior extensão. No que se refere ao nível de autonomia, atentar para o fato de que a
5º textos e gêneros. É possível pensar, também, a progressão em um mesmo gênero, a partir
como contos (populares, de fadas, acumulati vos, de formul ação da habi lidade prevê a progressão de sua aprendizagem ao l ongo dos anos
assombração etc.) e crônicas. iniciais. da escolha de textos mais compl exos: a ha bi lidade poderá ser a mesma em dois anos
seguidos, por exempl o, e a progressão se dará pela compl exi dade do texto.

Ati vi da des que podem favorecer o desenvolvimento dessa habilidade são, entre outras, a
l ei tura colaborativa — para estud o dos textos e modelização de procedi mentos e
compo rtamentos leitores —, a roda de leito res e o d iári o de leitura — para socialização de
Estreitamente associada à habilidade (EF12LP18), esta é uma habil idade compl exa. Envolve: i mpressões sobre l eituras reali zadas e circula ção de critérios de apreciaçã o utilizados pelos
(EF15LP17) Apreciar p oemas visuais e concretos, a) o desenvolvimento das habilidades de leitura como um todo; b) o caráter não uti litári o diferentes leitores, como na habil idade (EF35LP2 1). É i mportante que, na elaboração do
1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e observando efei tos de sentido criados pelo formato do (l údico/estético) dos textos literários; c) as características dos poemas visuai s e concretos. A currículo, consi dere-se a disponibili dade de materi ais digitais nas escolas, com recursos
Língua Portuguesa 5º Campo artístico-literário autônoma) Apreciação estética/Estilo texto n a página, distri buição e di agramação das l etras, formul ação da habi lidade supõe tanto a formação de um repertório literário específi co como a como som, movi mento e imagem. No desenvolvi mento do currículo, a organização de saraus
pelas ilustrações e por outros efeitos vi suais. previsão curricular de estratégias didáti cas que progridam do trabalho em colaboração para a e de slams cri a um espaço de sociali zação de poemas, selecionados de acordo com os
conqui sta da autonomia. crité rio s de apreciação ética, estética e afetiva consti tuídos pelos alunos. A compl exi dad e dos
gêneros e textos pre vistos, as marca s linguísticas dos poemas mencionados e o grau de
autonomia do al uno proposta para cada ano podem ser bons cri térios para a progressão da
aprendizagem.

Na elaboração do currículo, é possível propor ati vi dades de le itura colaborativa coletiva,


destinadas a modelizar procedimentos de articulação entre texto verbal e visual, analisando,
Esta é uma habi lidade complexa, que envolve o desenvolvimento das habili dades de lei tura
i nclusive, o proje to g ráfico-ed itorial como um todo. Prop ostas de apreciações estéticas e
1º; 2º; 3º; 4º; Lei tura/escuta (compartilhada e Formação do leitor literário /Leitura (EF15LP18) Relacionar texto com ilustrações e outros como um todo e as características de gêneros e textos diversos, i nclui ndo recursos gráficos afeti vas colaboram para a percepção, pelo aluno, das diferentes perspectivas pelas quais
Língua Portuguesa Campo artístico-literário autônoma) ou il ustrações. É especi almente i mportante na leitura de textos l iterários. A formulação da
5º multissemiótica recursos gráficos. uma obra pode ser vista. A progressão pode basear-se em cri térios como a complexidade do
habilidade supõe a previsão curricular de estratégias di dáticas que progri dam do trabal ho em
col aboração para a conquista da autonomi a. gênero e dos textos previstos, o tipo de ilustração e/ou recurso gráfi co a ser abordado, a
maior ou menor rel evância da il ustração para a compreensão do texto o u o grau de
autonomia do al uno a cada etapa do ensino.
Nos anos iniciais, a atividade de reconto também possibili ta a aprendizagem de conteúd os
como: a) caracte rísticas típicas do re gi stro li terário; b) organização dos fatos e m o rdem
temporal, l inear ou n ão , reconhecendo que a escolha por uma ou outra acarreta diferenças no
texto p ara garantir a coerênci a e a coesão; c) estabelecimento de re lações de causa lidade
entre os fatos — quando houver — util izando os articul adores adequados. Assi m, na
elab oração do currícul o, pode-se pre ver o reconto coletivo, ca paz de propiciar seja o resgate
1º; 2º; 3º; 4º; (EF15LP19) Recontar oralmente, com e sem apoio de A habilidade envolve a l eitura compreensi va e o estudo da obra a ser recontada, vi sando a de asp ectos relevantes do texto original eventualmente omi tidos ou mal realizados, sej a a
Língua Portuguesa Campo artístico-literário Oralidade Contagem de histórias apropriação de recursos como a entonação expressiva e a prosódia, que ajustam os discussão de soluções possíveis. Sempre qu e possível, a recontagem deve a contecer a
5º i magem, textos l iterários li dos pelo professor.
discursos orais ao contexto. partir de textos o rigi nais e integrais, escritos em registro lite rário. Além disso, convém que os
currículos definam situações comuni cativas específi cas para a contação de históri as, como
rodas com famili ares e /ou colegas, saraus etc. A progressão no ensino da habili dade pode
apoi ar-se no grau de complexidade dos textos e/ou gên eros l iterários propostos, nos
diferentes
Na tiposdo
elaboração decurrículo,
imagem aasserem usadosem
orientações e nore lação
foco noà ortografia
planejamento ou na
podem execução
indicar a das
atividades.
reali zação do Pode, ainda,
ditado considerar
diagnóstico, o graude
seguido del autonomi
evantamentoa que
dassenecessi
pretende levade
dades r o alu no a
atingir a cada etapa.
aprendizagem, p ara se leção de obj etivos da escola/professor e trabalho com erros mais
frequentes da turma. Os conheci mentos so bre a convenção ortográfica, ao longo dos anos,
(EF02LP01) Util izar, ao produzi r o texto, grafi a correta A habilidade envolve diferentes conhecimentos gramaticais. Em relação ao uso da letra podem prever o uso do dicionário, al ém de orientar o ensino de procedime ntos como: rever a
de palavras conhecidas ou com estruturas silábicas j á maiúscula em substantivos próprios, a análise da ocorrência nos nomes da turma e nos escrita para conferir a ortografia; recorrer a fontes confiáveis; anotar as regularidades
Todos os campos de Escrita Construção do sistema alfabético/ dominadas, letras maiúscul as em início de frases e em textos lidos pelo professor e acompanhado pelo grupo, e/ou lidos autonomamente, pode ser descobertas. Os conheci mentos sobre ortografi a são di ferentes daqueles relacionados à
Língua Portuguesa 2º atuação (compartilhada e autônoma) Convenções da escrita substantivos própri os, segme ntação entre as palavras, ori entada. Já o uso da pontuação pode ser facili tado pelo ensino organi zado em sequências construção da base alfabética. Assim, convém que os objetivos estabeleçam, em ortografia,
ponto final, ponto de interrogação e ponto de didáti cas que envolvam a análise das ocorrências e o uso da pontuação pri meiro em si tuação uma progressão que se i nicie apenas a pós a compreensão da base alfabéti ca. No caso da
exclamação. de produção de texto e, em um segundo momento, de revisão textual. pontuação , é indicado que os currículos organizem habilida de s específicas, considerando que
ela faz parte d o ato de textuali zar/escrever, não se resu mindo ao estudo dos sinais de
pontuação . A compreensão do sistema de pontuação acontece pela análise da ocorrência em
textos e pela reflexão sobre os senti dos provocados sobre os textos em di ferentes si tuações
de escrita.

Atividades para anal isar partes de palavras e montar outras podem acontecer com textos Na elaboração do currículo, as habil idades propostas podem orientar o trabalho com esta
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF02LP02) Segmenta r palavras em sílabas e conhecidos pel os estudantes, como os nomes da classe, si tuação em que a segmentação é habi lidade, ao l ongo dos anos , contemplando, no 1º ano, tanto a anál ise de partes de
Língua Portuguesa 2º remover e substituir síl abas iniciais, medi ais ou finai s favoreci da pelo aspecto da contextualização e compreensão do pri ncípio do sistema pala vras a partir de textos conhecido s do repertório local quanto a reflexão sobre a
atuação (Alfabetização) da ortografi a
para criar novas pal avras. alfabético de que, ao mudar determinada parte de um nome, muda-se o nome convenção da escrita, respeitand o-se a condição de os estudante s já terem compreendido o
(MARIO/MARI/ARI/IAM, RIAM). sistema de escrita.

Na elaboração do currículo, as orientações em re lação à ortografia podem indicar a


reali zação do ditado diagnóstico, seguido de l evantamento das necessi dades de
(EF02LP03) Ler e escrever palavras com No que envolve as regulares diretas, o desenvolvimento da habili dade acontece pela prática
aprendizagem, p ara se leção de habi lidades e trabalho com erros mais frequentes da turma.
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e correspondências regulares di retas entre letras e da lei tura e escrita de modo permanente. No caso das regulares contextuai s, é pertinente a Os conhecimentos sobre a convenção ortográfica, ao longo dos a no s, podem prever o u so do
Língua Portuguesa 2º fonemas (f, v, t, d, p, b) e correspondênci as regulares construção de regras de observação das semelhanças e diferenças; portanto, a habili dade
atuação (Alfabetização) da ortografi a dicionário, al ém de orientar o ensino de procedimen tos como: rever o que escreveu para
contextuais (c e q; e e o, em posição átona em final de pressupõe outras distintas, que envolvem procedimento de anál ise e regi stro das conferi r a ortografia; recorrer a fo ntes confi áveis; anotar as regularidades descobertas. Os
palavra). descobertas.
conhecimentos sobre ortografia são diferentes daqueles relacionados à co nstrução da base
alfabética devendo, portanto, ser tematizados apenas após a construção desta úl tima.

Na elaboração do currículo, pode-se aprofundar esta habi lidade e nfati zando procedi mentos
Esta habili dade faz parte da compreensão do si stema de escrita e envolve a compreensão da de análise comparativa da escrita, que potenci alizam as possi bi lidades de compreensão e
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF02LP04) Ler e escrever corretamente palavras com ordem das letras na palavra e na sílaba, o que não costuma ser evidente para os estudantes. avanço do estudante. É preferível qu e os textos a serem oferecidos aos estudantes para
Língua Portuguesa 2º síl abas CV, V, CVC, CCV, identi ficando que existem Recomenda-se que se priorize a análi se e comparação entre escri tas estáveis e as do aluno l ei tura — assim como os solicitados para produção — sej am genuínos; dessa forma, as
atuação (Alfabetização) da ortografi a
vogais em todas as síl abas. e, além disso, a análise de escritas diferentes de uma mesma palavra, realizadas em pala vras que os constituem n ão serã o selecionadas por grau de comple xidade de sua
momentos di stintos pelo al uno. compo sição, colocando ao aluno a tarefa de lidar com todos os níveis de complexidade ao
mesmo tempo .

Na elaboração do currículo, as orientações em re lação à ortografia podem indicar a


reali zação do ditado diagnóstico, seguido de l evantamento das necessi dades de
aprendizagem, p ara se leção de habi lidades e trabalho com erros mais frequentes da turma.
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF02LP05) Ler e escrever corretamente palavras com Essa habil idade envolve conhecimento das ocorrências de nasali zação em grande parte das Os conhecimentos sobre a convenção ortográfica, ao longo dos a no s, podem prever o u so do
Língua Portuguesa 2º palavras da língua portuguesa. A anál ise, comparação e estabel ecimento de di ferenças são
atuação (Alfabetização) da ortografi a marcas de nasalidade (til, m, n). dicionário, al ém de orientar o ensino de procedimen tos como: rever o que escreveu para
recomendadas neste caso, além das atividades de leitura e escrita. conferi r a ortografia; recorrer a fo ntes confi áveis; anotar as regularidades descobertas. Os
conhecimentos sobre ortografia são diferentes daqueles relacionados à co nstrução da base
alfabética, devendo, portanto, ser temati zados ap en as após a construção desta última.

Na elaboração do currículo, pode-se contextu al izar esta habilidade com a indicação de textos
da tradição oral regionais que, ao serem utilizados em atividades de leitura e escrita,
Parei Trata-se de habilidade que se efetiva pelo contato com o material impresso e/ou digi tal, contrib uem pa ra a compreensão da relação existente entre fala e escrita. As h abi lidades
propostas pod em sinal izar relaçõ es pro gressivas que vão d esde um reg istro gráfi co não
tanto pela prática de leitura do professor acompanhada pel o estudante, quanto pelo exercício
convenci onal (ainda que relacionado à fala) para uma representação convencional q ue
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento do alfabeto do (EF02LP06) Perceber o princípio acrofônico que opera de ler, ainda que sem saber, em interação com os colegas ou, ainda, nas atividades de contemple a escri ta de todos os fone mas. O princípio acrofôni co é um indi cador de
Língua Portuguesa 2º escrita. A progressão da identi ficação das l etras acontece, gradualmente, com
atuação (Alfabetização) português do Brasi l nos no mes das l etras do alfabeto. possibili da des de som da l etra, não oferecendo referências para todos os fonemas, pois a
reorganizações constantes até a produção de escritas ortográfi cas. O pri ncípio acrofônico é escrita bra sil eira é também ortográfica. O uso de ap ena s essa ideia pod e trazer di ficuldades
compreendido em atividades de escrita, quando a escolha da letra e a sua nomeação o
para o estudante, assim, não convém que um cu rrículo dissocie esta e outras habilidades
evi denciam.
que tratam das relaçõe entre letras e fo nemas da prática de ler e escrever textos — ainda que
sejam aqueles em que a organi zação e stru tural facilite a memorização —, visto que é por
meio d essas práti cas q ue a compree nsão do princípi o acrofônico acontece.

Esta habilidade requ er que o estudante , ap ós a compreensão do sistema de e scrita, adqui ra


Esta habili dade implica no reconhecimento das diferentes formas de regi stro gráfi co das
profici ênci a na grafia de textos com os dois tipos de letra: imprensa e cursiva. Na elaboração
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento das diversas grafias (EF02LP07) Escrever palavras, frases, textos curtos letras. Trata-se de habili dade a ser desenvolvida tão logo a compreensão do sistema de do currícul o, é importante consi derar que o uso da l etra cursiva requer maior cuidado, pois
Língua Portuguesa 2º escrita tenha acontecido, e não antes disso. Na leitura, o reconhecimento da l etra de
atuação (Alfabetização) do alfabeto/ Acentuação nas formas i mprensa e cursiva. i mplica emendar as letras, além de p recisão no movimento a ser feito. A progressão, a ser
imprensa maiúscul a e minúscula é fundamental ; mas, na escrita, a sol icitação deve envol ver prevista pelas redes, pode acontecer no 2º ano, visando-se, i nici almente, a agi lidade no
apenas o uso de maiúscula. Na letra cursiva, a escrita deve envolver as duas modalidades.
registro e, depois, a precisão no desenho das letras.

Na elaboração do currículo, a construção d a habili dade de segmentar o texto em pal avras


aconte ce em si tuações de prática de leitura e escrita. Os currículos podem enfatizar
Para segmentar o texto em palavras, o aluno deverá articular as referências de pal avras que processos que levem o aprendiz a refle tir e superar, progressi vamente, idei as como: a)
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Segmentação de (EF02LP08) Segmenta r corretamente as pala vras ao constituiu a partir da fala — baseadas na prosódia — com as obtidas a partir dos textos artigos definidos, preposições, conj unções, pronomes á tonos não devem ser representados
Língua Portuguesa 2º pala vras/Classifi cação de palavras escritos — conj unto de letras delimitado por espaços em branco e/ou si nais de pontuação. É por escrito ; b) pronunci ar "vemcácomigo" ou "afoto" junto não torna esses segmentos
atuação (Alfabetização) escrever frases e textos.
por número de sílabas nessa articulação que se constituem os critérios a serem mobilizados pelo estudante nas pala vras; c) na escri ta, se enxerga agrupamentos de letras — as palavras — separados por
práticas de leitura e escri ta. espaços em branco ou sinais de pontuação, o que não acontece na fala . A progressão
horizontal do trabalho com esta habil idade deve avançar de modo que o aluno comp reenda
que escrita e fala possuem critéri os diferentes para segmentar as pal avras.

Na elaboração do currículo, deve-se co nsiderar q ue , na escol a, o estudo da pontuação


aconte ce de duas maneiras: a) na l eitura: analisar o s efeitos de sentido produzidos pel o uso
feito no texto; b) na escrita: de modo epi linguístico, no uso da linguagem, discutir
Esta habili dade inclui os seguintes aspectos: identificar os sinais gráficos que chamamos de
si nais de pontuação; reconhecer — na leitura — sua função; usar, na produção escrita, esses possibili da des de pontuar, an alisar os efeitos de sentido produzi dos pelas diversas
Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF02LP09) Usar adequadamente ponto final, ponto possibili da des que se colocam (ponto fi nal , de interroga ção, de exclamaçã o) e selecionar a
Língua Portuguesa 2º Pontuação si nais, para garantir legibili dade e provocar os efeitos de senti do desejados. Considerar,
atuação (Alfabetização) de inte rrogação e ponto de exclamação. mais adequada às intenções de significação. As situações de revi são processual coletiva do
ainda, que este é um momento propício à organização inicial desse saber: pela análise dos texto p otencializam a reflexão sobre aspectos textuais como esse s. Orienta-se que a
efeitos de sentido provocados na l eitura de textos, especialmente os conheci dos.
progressão cu rricular seja previ sta pela ampl iação gradati va dos sinais a serem utilizados, de
modo coerente com os efeitos de sentido p ropostos. Convém, ain da , qu e os currículos
considerem o nível de autonomia do estudante, a ser construído ao longo dos anos.

Na elaboração do currículo, deve-se co nsiderar q ue a p rogressão vertical já está definida,


posto que esta habil idade avança em relação à (EF01LP15). É fundamental, ainda, que os
currículos associ em o seu desenvolvimento às práticas de l ei tura de textos, conforme
Esta habili dade avança em relação à (EF01LP15), pois, por um lado, propõe anal isar a i ndi cado. No que se refere à progressão horizontal, pod e-se p ensar no estudo de diferentes
(EF02LP10) Identificar si nônimos de palavras de texto diferença entre os sinônimos no que se refere ao contexto de uso; por outro, solicita formar o prefixo s possívei s para se formar o antônimo. Do ponto de vista metodo lógico, é possível que
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Sinonímia e l ido, determi nando a diferença de sentido entre eles, e
Língua Portuguesa 2º antônimo por prefixação definida. Essa tarefa supõe desconstrui r a i deia de que os sentidos os currículos orientem a continuidade d a refle xão a partir de i nventários (nesse ca so, um
atuação (Alfabetização) antonímia/Morfol ogi a/Pontuação formar antônimos de palavras encontradas em texto
l ido pelo acréscimo do prefixo de negação in-/i m-. entre sinôni mos são sempre idênticos. Além disso, apresenta ao aluno uma das i nventário de antônimos constituídos por prefixos variados — in, im, des, a nti, por exemplo —
possibil idades de formação do antônimo, a partir do acréscimo de um prefixo dado. e também sem p refixação). No que tange aos sinônimos, o grau de complexidade lexica l
(palavras mai s difíceis) também pode d efinir a progressão. Além disso, é preciso consi derar o
níve l de autonomia requerido do estudante para rea lizar a tarefa, que deve ser
progressivamente alcançada.

Na elaboração do currículo, a progressão no que se refere a esta habili dade deve prever
diminutivos e aumentativos não regulares (com outras terminações). Além di sso, é i mporta nte
Esta habili dade implica em compreender os conceitos de aumentativo e diminuti vo e do modo anal isar os usos do diminutivo e aumentativo nos textos, que podem acarretar sentidos
Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF02LP11) Formar o aumentativo e o diminutivo de
Língua Portuguesa 2º Morfologia como são consti tuídos lexicalmente na sua forma regular: com as terminações -ão/-zão; depreciati vos, pejorativos e afetivos. Na progressão, é preciso considerar, ainda, o n ível de
atuação (Alfabetização) palavras com os sufixos -ão e -inho/-zinho.
-i nho/-zinho. autonomia do estudante ao realizar o estudo, sendo possível propor habilidades q ue orientem
o trabalho em co labora ção, ini cia lmente, e, na sequência, o desemp enh o autô nomo na
orali da de e na escrita.

Cantigas e canções são gêneros que estão ligados às material idades: l etra e mel odia. Na
cantiga, a letra é escrita em versos e estrofes e sempre há rimas, o que nem sempre vale
para as ca nções. Há vários tipos de cantigas: de ninar, de rod a, d e nata l, a cada um
(EF02LP12) Ler e compreender com certa autonomia Trata-se de uma habilidade complexa, que precisa considerar tanto o trabal ho com as correspondendo fina lidades específi cas. A estrutura rítmica das cantigas e canções permite
canti gas, l etras de canção, dentre outros gêneros do habilidades de leitura quanto as características de cada um dos gêneros do campo da vida que se estabeleçam relações entre o que se canta e o que está escrito, o que cria condições
Lei tura/escuta (compartilhada e
Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura campo da vida cotidian a, considerando a situação cotidiana (organi zação i nterna; marcas li nguísticas; conteúdo temático) e dos textos para uma leitu ra de aju ste, possibil itando a reflexão sobre o si stema de escri ta. Na
comun icativa e o tema/assunto do texto e relacionando específicos a serem li dos. Atentar para o fato de que o trabalho previ sto é com certa elab oração do currícul o, convém focali zar as características que forem importante s para a
sua forma de organização à sua fi nalidade. autonomia, o que supõe a possibil idade de trabalho em col aboração. compreensão do texto, articular essas cara cterísticas à fina lidade do texto, prever um
trabalho di al ógico e reflexivo, assim como a comparação entre textos por semelhanças e
diferenças. Podem ser indicadas habili dades que envolvam a leitura em col aboração e
autônoma.

Na elaboração do currículo, a habilidade pode ser ampliada com

Trata-se de uma habilidade que articula a produção textual com os gêneros do campo da vi da
(EF02LP13) Pl anejar e produ zir bilhetes e cartas, em cotidiana e três vetores da produção do processo de escrita (situação/tema ou
Escrita meio i mpresso e/ou digital, dentre outros gêneros do
Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada campo da vida cotidian a, considerando a situação assunto/finalidade). Envolve ao menos duas operações distintas: planejar e produzir, que
comun icativa e o tema/assunto/finalidade do texto. podem ser abordadas em separado, e si gnificam organizar as i deias para depois col ocá-las
no papel.

Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana Escrita autônoma e compartilhada

Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral

Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana Forma de composição do texto

Língua Portuguesa 2º Campo da vida cotidiana Forma de composição do texto

Língua Portuguesa 2º Campo da vida pública Escrita compartilhada

Língua Portuguesa 2º Campo da vida pública Oralidade Produção de texto oral

Língua Portuguesa 2º Imagens analíticas em textos

Língua Portuguesa 2º Pesquisa

Língua Portuguesa 2º Produção de textos

Língua Portuguesa 2º Escrita autônoma

Língua Portuguesa 2º Oralidade

Língua Portuguesa 2º

Língua Portuguesa 2º Campo artístico-literário Formação do leitor literário


Na elaboração do currículo, é preciso l evar em conta que a atividade de recon tagem de
históri as prevê a el aboração de um texto cujo conteúdo j á é conhecido pelo al uno, sendo,
mesmo assim, importante prever habi lidades que indiquem o planejame nto da situação
comun icativa e do texto pa rte a parte, tarefa que poderá ser coletiva . Dessa forma, o currículo
Esta habili dade diz respeito a escrever textos baseados em narrativas literári as lidas pel o pode focalizar, nessa atividade, a capacida de de textuali zação, ou seja, de redigir o
professor, ou sej a, a parti r das informações previ amente adquiridas. Ela está estreitamente enunciado, considerando a sua organização interna: sequência temporal de ações, rel ações
Escrita (EF02LP27) Reescrever textos narrativos literários rel aci onada à habilidade (EF01LP25), estabelecendo com ela uma relação de progressão: o de cau sali dade estabel ecidas entre os fatos, emprego de articuladores adequados entre os
Língua Portuguesa 2º Campo artístico-literário (compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada l idos pelo professor.
que aprendeu a produzi r coleti vamente e com a i ntervenção do professor como escriba no trechos do enunciado, uti lização do registro literári o, manutenção do tempo ve rbal ,
ano anteri or, o aluno começa a empreender indi vidual mente e com al guma autonomia. esta be leci mento de coerência e coesão entre os trechos do texto, entre outros aspectos. A
progressão horizontal da habil idade pode tomar como referência a extensão e/ou
compl exi dade dos textos narrativos focalizados, assim como o grau de autono mia a ser
conquistada pelo aluno a cad a etapa . As atividades podem, ainda, prever uma progressão da
habi lidade ao longo do ano, indicando a produção em duplas ou autônoma.

Na elaboração do currículo, deve-se co nsiderar q ue esta habilidade articula-se à (EF01LP26),


representando uma progressão vertical. O trabalho a ser desenvolvido é o mesmo que o
(EF02LP28) Reconhecer o confli to gerador de uma Esta habili dade arti cula-se com a (EF01LP26), referindo-se a aspectos semelhantes aos nela previsto para a h abi lidade (EF01LP26), considerando-se que, no 2º ano, é possível que os
Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de narrati va ficcional e sua resolução, além de palavras, defini dos. Além disso, impl ica em identifi car trechos de textos li dos que possam caracterizar alun os já tenham compreendido a base alfabéti ca do sistema de escrita e, dessa maneira,
Língua Portuguesa 2º Campo artístico-literário (Alfabetização) narrati vas expressões e frases que caracterizam person agens e elementos das narrati vas ficcionais li terárias. Seu desenvolvimento permite ao aluno possam ler os textos ju nto com o pro fessor, no momento do estudo, até utili zando re cursos
ambientes. aprofundar a compreensão de narrativas e desenvolver capacidades de análise e crítica. de ressaltar trechos relevantes. A progressão horizontal pode se dar pela compl exi dade dos
textos escutados e pelo nível de autonomia que se pretende levar o aluno a conquistar em
cada e tapa.

Na elaboração do currículo, o desenvolvimento desta habil idade demanda a previ são de


prática s de lei tura e de estudo de poemas visuais, para que as su as características
fundamentais sejam identificadas: a presença de ilustração reali zada por meio das l etras e
pala vras; a criação de efeitos visuais incomuns (di reção de escrita; linearização origi nal ;
(EF02LP29) Observar, em poemas vi suai s, o formato O foco desta habilidade é perceber — no processo de l eitura e estudo de poemas visuais — efeitos rotati vos, inversões, por e xemplo); a ocupação figurativa d o espaço disponível. As
Análise linguística/semiótica Formas de composi ção de textos do texto na pági na, as ilustrações e outros efeitos as fi guras que o poema compõe no espaço que ocupa, veri ficando se o formato e/ou a atividades colaborati vas são mais ad eq uad as para o de senvolvimen to d a habili dade, em
Língua Portuguesa 2º Campo artístico-literário (Alfabetização) poéticos visua is
visuais. disposição das letras provocam efeitos de sentido peculi ares. especial as co letivas, com mediação do professor. Como pode have r alunos ainda não
alfabetizados no início do 2º ano, é fundamental a exposição do texto aos alunos, com
i ndi cações explíci tas da leitura que e stá sendo feita. A prog ressão horizontal pode apoiar-se
no grau de complexidade dos gêneros e textos propostos, no tipo de recurso a ser estudado e
no nível de autonomia do estudante a ser conquistado a cada etapa.
Na elaboração do currículo, a escolha de qual regularidade trabalhar depende do diagnóstico
a se r realizado com os estudantes. Os currícul os podem orientar a realização de ditado inicial
para verificar e o rganizar a s intervenções necessárias com os difere ntes tipos de ocorrências
regulares contextuais (aquelas em que o contexto define a letra a ser utilizada), amp liando-se
(EF03LP01) Ler e escrever palavras com Esta habili dade trata dos casos em que o contexto interno da palavra é que determina que
a habilidade para ocorrências irregul ares: som do S (auxíl io, cidade); do Z; do LH (fa míl ia e
correspondências regulares contextuais entre letra usar em sua grafia nos casos ci tados pela habili dade. Levar o aluno a construir regras é
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e grafemas e fonemas – c/qu; g/gu; r/rr; s/ss; o (e não u) a estratégia i ndicada, e pode ocorrer pela análise comparativa das ocorrênci as em listas de toalha etc.). Nesse caso, a habilidade se articulará com outras que tratam da ortografia, como
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) da ortografi a a (EF0 3LP03) e (EF35LP13). É possível, ainda, propor habil idades que ori entem a a nál ise de
e e (e não i) em sílaba átona em final de pal avra – e palavras, favorecendo a antecipação do contexto em que é correto usar uma ou outra l etra
com marcas de nasal idade (til, m, n). (ex: M/P/B), o que o contribui para a compreensão da regra. grupos de palavras do tipo das prevista s na habil idade, para levanta mento de semelhanças e
diferenças, seguido do registro das con clusões. Ai nda que não se chegue a fo rmalizar as
regras, esses registros poderão ser consultados até que a grafia correta estej a automatizada.
Deve-se observar que a construção da ortografi a só se inicia após a aquisição da base
alfabética.

Na elaboração do currículo, pode-se observar que a construção d a ortografia i ni ci a-se apenas


Para desenvolver esta habilidade, que diz respeito a reconhecer, compreender e registrar após a aquisição da base alfabética. Esta habi lidade po de ser arti culada às demais que
(EF03LP02) Ler e escrever corretamente palavras com palavras com diferentes esquemas silábicos, é indicado que não haja control e das escri tas tratam da ortografia, respeitando a ori entação de realizar ditado ini ci al para verificar e
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e síl abas CV, V, CVC, CCV, VC, VV, CVV, identificando espontâneas dos alunos desde o 1º ano. Durante o processo de produção, escrevendo o que organizar as i ntervenções com os di ferente s tipos de ocorrências qu e se fizerem necessári as.
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) da ortografi a
que existem vogais em todas as sílabas. desej am, eles entram em contato com dúvi das ortográfi cas, o que é positivo para a A habi lidade p od erá prever, no pri meiro semestre, a escri ta convencional de palavras de uso
aprendi zagem. frequente e, no segundo, sem essa observação, o que permite uma progressão na
aprendizagem.

Na elaboração do currículo, pode-se orientar a anál ise comparati va de ocorrênci as, para
Para a efetivação da habilidade, que consiste em compreender e registrar a grafia de favo recer a obse rvação de semelhanças e di ferenças. Exemplo: comparar as diferentes
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Construção do sistema alfabético e (EF03LP03) Ler e escrever corretamente palavras com diferentes palavras, é preciso analisar listas de pal avras com ocorrências que possam gerar formas de marcar a nasali zação. Os casos previstos pela habilida de podem aparece r em ano
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) da ortografi a os dígrafos l h, nh, ch.
dúvi das, seja por grafia semelhantes (nh/l h), seja por sons semelhantes (ch/x). anterior, observando-se a restrição d e que a construção da ortografia só se ini cia após a
aqui sição da base al fabéti ca, com habil idades que prevejam a col ab oração.

É i mportante, na el aboração do currículo, con siderar qu e o de senvolvimen to d esta habil idade


deve a contecer depois que o estudante construir uma certa proficiência na escri ta. Todo esse
trabalho pode se r realizado sem o uso da metalin gu age m (utilizar terminol ogia da gramática
Esta habili dade requer do aluno: identificar as sílabas das pal avras; reconhecer qual sílaba é para se referir às questões abordadas, por exemplo, substantivo, ad jetivo, concordância
(EF03LP04) Usar acen to gráfico (agudo ou
tônica; identifi car quais têm vogais abertas e quais têm vogais fechadas; reconhecer sinais verbal etc.). No entanto, é preci so ressaltar que o uso torna a linguagem mai s eco nô mica,
Todos os campos de Análise linguística/semiótica Conhecimento das diversas grafias circunflexo) em monossílabos tônicos terminados em gráficos como o acento agudo e o circunfl exo; relacionar o primei ro com vogai s abertas e o podendo facili tar a reflexão. No p rocesso de ensino, o recurso à metalinguagem é posterior à
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) do alfabeto/ Acentuação a, e, o e em palavras oxítonas terminadas em a, e, o,
segundo, com as fechadas. Depois di sso, requer que os alunos identifiquem as regularidades compreensão do fato d iscutido, e orienta-se que: a) a progressão da acentuação inicie-se
seguidas ou não de s. da acentuação apontadas na habilidade. com as pautas de memorização, nas quais pal avras são afixadas em cartazes que o aluno
possa consultar ao escrever; b) ao longo dos ano s, as regularidades sej am di scutidas por
meio d e um movimento dialógi co de análi se e reflexão, seguido de emprego na prod ução
textual.

Na elaboração do currículo, convém qu e se programe o desenvolvimento desta habili dade


para uma etapa posterior à da construção de uma certa proficiência na escrita. É preciso
Segmentação de (EF03LP05) Identificar o número de sílabas de
Todos os campos de Análise linguística/semiótica pala vras/Classifi cação de palavras palavras, cl assificando-as em monossílabas, Esta habili dade requer ao aluno reconhecer e di vidi r as síl abas das palavras, classifi cando-as ressal tar q ue o u so da metali nguagem torna a linguagem mais econômi ca, podendo facili tar a
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) conforme ori entação. reflexã o. No processo de ensino, o recurso à metali nguagem é posterior à compreensão do
por número de sílabas dissíl abas, trissílabas e polissílabas.
fato discutido. Trata-se de habil idade a ser proposta na progressão do trabalho co m
acentu ação.

Na elaboração do currículo, convém qu e o trabalho com essa habili dade: a) venha previsto
para etapas em que o estu da nte já apresente uma certa profi ci ência na escrita; b) sej a
Esta habili dade requer a análise de grupos de palavras, com reconhecimento e separação
(EF03LP06) Identificar a síl aba tônica em palavras, antece dido pelos estudos de separação das pal avras em sílabas. Todo esse trabal ho pode
Todos os campos de Análise linguística/semiótica das sílabas existentes, para identifi car aquela que é pronunciada com maior intensidade. O
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) Construção do sistema alfabético classifi cando-as em oxítonas, paroxítonas e objeti vo vi sado é o de proceder a uma cl assificação das palavras que é fundamental para a
ser reali zado sem o uso da metalinguagem. No entanto, é preciso ressa ltar qu e o seu uso
proparoxítonas. torna a linguagem mai s econômica, podendo facilitar a reflexão. Consi dere-se que a previsão
compreensão de al gumas das regras da acentuação gráfi ca. de recurso à metalinguagem é mais adequada e produtiva se for posteri or à comp reensão do
fato discutido.

Na elaboração do currículo, convém qu e o estudo da pontuação aconteça de duas maneiras


(como na habi lidade EF02LP09): na lei tura, ao anal isar os efe itos de sentido produzi dos pelo
uso no texto; e na escrita, ao discutir possibil idades e analisar os efeitos de sentid o
Esta habili dade prevê a ampliação do estudo dos recursos de pontuação em relação à
(EF03LP07) Identificar a função na l eitura e usar na produzidos (nesse caso, el ab orar discurso direto ou indireto) e selecionar a mais adequada
Todos os campos de Análise linguística/semiótica escri ta ponto final , ponto de interrogação, ponto de habilidade (EF02LP09), incluindo a pontuação de di scurso direto — dois pontos e travessão. às i ntenções de sign ificação. A pontuação de discurso direto inclui o emprego de verbos
Língua Portuguesa 3º Pontuação Da mesma forma, o estudo prevê: identi ficar os sinai s gráficos que estão sendo incluídos;
atuação (Ortografização) exclamação e, em diálogos (discurso direto), dois- dicendi — que in di cam quem está falando e de que modo: por exemplo, disse o rapaz;
reconhecer — na leitura — a sua função; usá-los no texto para apresentar expressividade,
pontos e travessão. legibili dade e provocar os efeitos de senti do desejados. respondeu prontamente; entre outros — em diversos l ocais do enunciado (antes, no interior
ou depois da fala). A progressão pode se d ar pela a mpliação dos recursos, mas os aspectos
citados preci sam ser considerados, assim como o nível de autonomia do estudante a cada
etapa do processo.

Na elaboração do currículo, o trabalho com esta habili dade deve prever não os áridos
A habilidade prevê aprender as classes gramati cai s das palavras indicadas (substanti vos e exercícios de análise sintática, mas a utilização instrumental desse saber para tomar
Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF03LP08) Identificar e diferenci ar, em textos, verbos) e identi ficar as funções sintáticas que el as podem assumir nos enunciados. É decisões sobre a legibili dade do texto produzi do, especialmente durante a revisão proce ssual
Língua Portuguesa 3º Morfologia substantivos e verbos e suas funções na oração: interessante prever um trabalho reflexivo de observação, anál ise, comparação e derivação de coletiva. Nesse momento, é possível antecipar problemas de compreensão que o interlo cutor
atuação (Ortografização)
agente, ação, obj eto da ação. regul ari dades no trabalho com as classes de palavras; e usar os saberes gramaticais como possa vir a ter e ajustar o texto, garanti ndo escol has adequadas às i ntenções de significação.
ferramentas de consti tuição da legibi lidade. Na pro gressão curri cul ar, pode-se considerar organizações si ntática s prog ressivamente mais
compl exas, garanti ndo sempre o trabal ho em colaboração (co letivo e em duplas).

Na elaboração do currículo, deve-se co nsiderar q ue a p rogressão curricular vertical j á está


A habilidade prevê reconhecer o adjetivo como a classe de pal avra que atri bui características
definida na BNCC, j á que esta habi lidade a vança em relação ao estudo das classes
Todos os campos de Análise linguística/semiótica (EF03LP09) Identificar, em textos, adjeti vos e sua aos substantivos. É interessante prever um trabalho reflexivo, com base em inventários, de gramaticais. Pod e-se tamb ém pe nsar n a amp liação de recursos possívei s para a qualifi cação
Língua Portuguesa 3º Morfossintaxe função de atribuição de propriedades aos observação, análise, comparação e l evantamento de regularidades que caracterizem essa
atuação (Ortografização) de processos, de personagens e de locai s em que as ações d e histórias acontece m nos
substantivos. cl asse de palavras; usar os saberes gramaticais como ferramentas de constitui ção da
legibili dade do texto. textos, tanto ao longo dos anos quanto no i nterior de um mesmo ano. Na progressão, pode-
se considerar, ainda, o nível de autonomia do estudante.

Na elaboração do currículo, é interessa nte a refle xão a partir de i nventários, prevendo: a)


observação, análi se e compa ração, com levantamento de regularidades de forma e de
(EF03LP10) Reconhecer prefixos e sufixos produtivos Trata-se de reconhecer — ainda que de modo não sistemati zado — que há palavras que sentido no uso dos afixos; b) o uso desse saber para resolver problemas de comp reensão
Todos os campos de Análise linguística/semiótica na formação de palavras derivadas de substa ntivos, deri vam de outras e que têm o seu sentido modificado pelo acréscimo de afixos ou no iníci o vocabular.A progressão cu rricular verti cal já está de finida na BNCC, se consid erarmos que a
Língua Portuguesa 3º atuação (Ortografização) Morfologia de adjeti vos e de verbos, util izando-os para ou no final delas. Esses afixos possuem senti dos regulares, sendo possível identi ficar o habi lidade (EF05LP08) avança em relação a esta. No que se refere à progressão ho rizontal,
compreender palavras e para formar novas palavras. si gnificado de uma palavra derivada se a primiti va e o afi xo forem conheci dos. pode-se pensar na ampli ação de afixos possíveis (e os seus respectivos senti dos) para o
processo de derivação. Na progressão, pode-se, ai nda, considerar o grau de complexidade
l exical (palavras ma is difíceis) e o nível de autonomi a do estudante.

Na elaboração do currículo, pode-se consi derar, na proposi ção das habilid ade s, as
características dos textos sel ecio nad os para leitura e dos gêneros previ stos. As in struções de
(EF03LP11) Ler e compreender, com autonomia, montagem, por exempl o, o rganizam-se pela presença de: apresentação e nomeação de
textos inj untivos instrucionais (receitas, i nstruções d e
Trata-se de uma habilidade complexa, que precisa considerar tanto o trabal ho com as todas as peças; esquema gráfico de monta ge m; instruções, propriamente. Podem conter
Lei tura/escuta (compartilhada e montagem etc.), com a estrutura própri a desses textos habilidades de leitura quanto as características de cada um dos gêneros (organização também uma relação d e cuidados relacionados ao uso, a depender da especificidade do
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura (verbos imperativos, i ndicação de passos a ser
interna; marcas l inguísti cas; conteúdo temático) e dos textos injuntivos instrucionais a serem produto. Caracte rizam-se pela presença do imperativo ou i nfini tivo n as instruções. Nas
seguidos) e mesclando palavras, imagens e recursos
gráfico - vi suai s, considerando a si tuação comuni cativa lidos. Atentar para o fato de que o trabalho previsto é com autonomia. atividades de estudo, convém focal izar as características que forem importantes para a
compreensão do texto, articular essas cara cterísticas à fina lidade do texto, prever um
e o tema/assunto do texto.
trabalho di al ógico e reflexivo, assim como a comparação entre textos por semelhanças e
diferenças.

Diários pessoais são muito bem recebidos pelas crianças. Embora relatos curtos em 1ª
(EF03LP12) Ler e compreender, com autonomia, pessoa sejam o regi stro mais comum nesse gênero, também são admiti do s poemas, crôni cas
etc. qu e atend am à finalidade de expressar e relatar sentimen tos, opiniões e acon tecimentos
cartas pessoais e diários, com expressão de Trata-se de uma habilidade complexa, que precisa considerar tanto o trabal ho com as
Lei tura/escuta (compartilhada e senti mentos e opi niões, dentre outros gêneros do habilidades de leitura quanto as características dos gêneros carta pessoal e diário da vida pessoal. O e lemento fixo do texto é a data em cada registro. A li ng uag em costuma
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana autônoma) Compreensão em leitura ser i nformal, mas também pode tender para o li terário. O diário — assim como as ca rtas —
campo da vida cotidian a, de acordo com as (organização i nterna; marcas linguísticas; conteúdo temático) e dos textos específicos a
pode ser real ou fictício, quer di zer, ser o rel ato de um personagem de uma históri a
convenções do gênero carta e considerando a serem li dos. Atentar para o fato de que o trabalho previ sto é com autonomia. determinada. Isso col oca a possibilid ad e de q ue, na elaboração do currículo, sejam previstas
situação comunicati va e o tema/assunto do texto.
atividades com ou a partir de obras li terárias lidas. O desen volvimento da habi lidade favorece
o trabalho com p roje tos de leitura envolven do os gêneros citados.

Na elaboração do currículo, a habilidade pode ser ampliada com a referência à produção em


(EF03LP13) Pl anejar e produ zir cartas pessoais e parceria e de modo autônomo, garantindo, assim, uma progre ssão no ano. É possível propor
habi lidades que: a) envolvam análise de textos dos gêneros de carta pessoal e diário, de
diários, com expressão de se ntimentos e opiniões, Trata-se de uma habilidade que articula a produção textual com o gênero de cartas pessoais
Produção de textos dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, de e diário e doi s vetores do processo de escrita (situação/tema ou assunto). Envolve ao menos modo a expl icitar as su as características, construindo registros que possam repertoriar a
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa produção; b) orientem o uso de procedi mento s escritores, como: reler o que está escri to para
acordo com as convenções d os gêneros carta e diário duas operações distintas, passíveis de abordagem em separado: planej ar e produzir, que
continuar, consultar o pl anejamento para tomar decisõe s no momento da escrita e revisar no
e considerando a situação co municati va e o si gnificam organizar as i deias para depois col ocá-las no papel. processo e ao final . É possível especi ficar o dese nvolvimento de habil idades relativa s às
tema/assunto do texto.
cartas pessoais ficci onais, a parti r de obras li terárias de rel evância (como O Gato Malhado e
a Andorinha Sinhá, de Jorge Amado).

Na elaboração do currículo, o desenvolvimento da habil idade deve prever a contextualização


em projetos te máti cos, como, por exemplo, exposi ção de origamis prefe rid os da classe
(apresentados com as devidas in stru ções escritas e m e spaço reservado para que o visitan te
possa arriscar-se a pro duzi-los), mural de dobraduras e as devidas instruções, espaço d o
(EF03LP14) Pl anejar e produ zir textos injunti vos Trata-se de uma habilidade que articula a produção textual com o gênero injuntivo
brinquedo, no qual visitantes são instigados e orientado s a montar b rinq ue dos antigos, a
i nstrucionai s, com a estrutura própria desses textos instrucional e dois vetores do processo de escrita (situação/tema ou assunto). Envolve ao
Escrita (verbos imperativos, i ndicação de passos a ser menos duas operações distintas, que podem ser tratadas em separado: planejar e produzir, partir de um modelo e de instruções escritas, com assessoria dos alunos. É possível propor
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana (compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa habi lidades que: a) envolvam análise de textos do g êne ro injuntivo instrucional, de modo a
seguidos) e mesclando palavras, imagens e recursos que significam organi zar as ideias para depois colocá-las no papel . A habilidade ainda prevê
explicitar as suas característi cas, construindo registros que possa m repertori ar a produção; b)
gráfico -visuais, considerando a situação comunicati va que, na produção, levem-se em conta aspectos gráfico-visuai s que possam ajudar na orientem o uso d e procedi mentos escritores, como: rele r o que está escrito para conti nuar,
e o tema/ assunto do texto. compreensão do texto.
consultar o planej amento para tomar deci sões no momento da escrita e revisar ao longo do
processo e ao final . A prog ressão horizontal pode acontece r a partir de dois critérios: o nível
de autonomia do aluno para realizar as atividades propostas ou a complexidade do texto a
ser ela borado.
A habi lidade p od erá envol ver tanto a escrita quanto a oral ização de uma receita conheci da ,
conforme orientação . Nesse caso, as habili da des podem ser ampli adas. A orali zação nã o
envolve produção de conteúdo, mas a l ei tura expressi va de textos já produzi dos. Na
elab oração do currícul o, pode-se pre ver, ainda, um bloco de habil idades que envolvam
(EF03LP15) Assistir, em víde o digital, a programa de A habilidade envolve a recepção atenta e a análise de receitas transmiti das em mídia di gital , procedime ntos de util ização das ferramentas digi tais a sere m utili zadas na produção de
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana Oralidade Produção de texto oral culinária infantil e, a pa rtir del e, pl anejar e pro duzir além de duas outras operações complexas e articuladas entre si: planejar e produzir textos do textos orais em ambientes digitais. Além di sso, pode-se propor: a) análise de textos, no
receita s em áudio ou vídeo. mesmo gênero. gênero receita, para extrair as su as características, de acordo com a situação comu ni cativa;
b) planejamen to do texto a ser produ zido, considerando a situação em que irá circular; c)
orientação da produção/textuali zação d este. A progressão horizonta l pode apoiar-se na
exte nsão e compl exi da de das receitas, assim como nas operações sucessivas que a
habi lidade envolve.
Na elaboração do currículo, deve-se co nsiderar q ue a p rogressão vertical desta habi lidade j á
está garantida , considerando-se a habi lidade (EF02LP16). Se, no 2º ano, o trabalho poderi a
(EF03LP16) Identificar e reproduzir, em textos se d ar apenas por frequentação, no 3º ano, o aprofundamento pode ser real izado por
i nj untivos instrucionai s (receitas, i nstruções de sequências didáticas. A atividade de lei tura colaborativa possi bi lita estudar os recursos
montagem, digitais ou impressos), a formatação previstos, enquanto a de revi são processual e fi nal possibili ta ana lisar a adequação dos
Análise linguística/semiótica própria desses textos (verbos imperativos, indi cação Esta habili dade refere-se a reconhecer, no processo de leitura, recursos linguísticos e textos produzidos. Um proj eto a ser realizado, por exempl o, é a criação de vlog, com
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana (Ortografização) Forma de composição do texto discursivos que constituem os gêneros previstos, de modo que sej a possível empregá-los
de passos a ser seguidos) e a diagramação e specífica apresentação de recei tas da região, o que pode ser previsto no currículo l ocal . Além di sso, na
adequadamente nos textos a serem produzidos.
dos textos desses gêneros (lista de i ngredi entes ou organização do currículo, a progressão horizontal pode dar-se pela diversifi cação temática
materiais e instruções de exe cução – "modo de dos textos, da extensão e compl exi dade deles, assi m como do nível de autonomia do al uno.
fazer"). Há, aqui, oportunidade para o tra bal ho interdiscip linar com as habili dades (EF03MA02),
(EF03MA08) e (EF03MA09), da Matemática, para a leitura, compreensão e utilização de
números deci mais e divisão em receitas.
Na elaboração do currículo, deve-se co nsiderar q ue esta habilidade já representa um
aprofundamento em relação à (EF02 LP16). No 2º ano, o trabalho acontece por frequentação;
(EF03LP17) Identificar e reproduzir, em gêneros no 3º, o aprofundamento pode ser real izado por sequências didáticas, o que pode ser
epistolares e di ári os, a formatação própria desses explicitado nas h abi lidades. A ati vida de de leitura col aborativa possibilita e studar os recursos
Análise linguística/semiótica textos (relatos de acontecimentos, expressão de Esta habili dade refere-se a reconhecer, no processo de leitura, recursos linguísticos e previstos, enquanto a de revi são processual e fi nal possibili ta ana lisar a adequação dos
Língua Portuguesa 3º Campo da vida cotidiana (Ortografização) Forma de composição do texto vivências, emoções, opi niões ou críticas) e a discursivos que constituem os gêneros previstos, de modo que sej a possível empregá-los textos produzidos. Uma proposta de trabalho interessante pode ser escrever para pessoas de
diagramação específi ca dos textos desses gê neros adequadamente nos textos a serem produzidos. diferentes estados para saber como é a vida dela s. É possível, ainda, produzir um bl og ou
(data, saudação, corpo do texto, despedida, enviar e-mails. A progressão hori zontal pode dar-se pela l eitura de cartas pessoais ficcionai s,
assinatura). assim como pelo nível de autonomia do aluno, que, no currículo, se efetiva pela organi zação
de habilidades em que as tarefas sejam realizadas em colaboração e, progressivamente, com
autonomia .

(EF03LP18) Ler e compreender, com autonomia, O foco dessa habili dade é a compreensão de textos de diferentes gêneros do campo
Recomenda-se que o tratamento dessa habilidade, nos currículos lo cais, asso cie o seu
cartas di ri gidas a veícu los da mídi a impressa ou digital jornalístico (com destaque para as cartas à redação e para as notícias). As convenções de
desenvolvimento a práticas de leitura e produção próprias do campo jornalísti co. Convém,
Lei tura/escuta (compartilhada e (cartas de leitor e de recl amação a jornais, revistas) e cada gênero, a situação comunicati va e o tema/assunto do texto constituem-se como vetores portanto, que os currículos orientem as escolas a re speito de como garantir ao aluno amplo
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública Compreensão em leitura notícias, dentre outros gêneros do campo j ornal ístico, da compreensão visada. Seu desenvol vi mento requer a participação direta e si stemática do
autônoma) acesso à mídi a impressa e digital. A progressão horizontal pode combin ar dife rentes cri térios:
de aco rdo com as convenções do gênero carta e aluno em práticas de lei tura e produção de textos do campo jornalísti co/mi diático, nas quai s
considerando a si tuação comuni cativa e o possa observar os vetores mencionados em ação, assim como refl etir a respeito de seu papel a) o gênero visado; b) o ve tor a ser con siderado; c) o grau de complexidade dos g ên eros e
textos selecionados; d) o n ível de complexidade que se pretende levar o aluno a conquistar.
tema/assunto do texto. na (re)construção dos sentidos do texto.

O trabal ho com esta habi lidade supõe: a identi ficação do interlocutor privilegiado, a
Trata-se de uma habilidade complexa, que precisa considerar tanto o trabal ho com as l ocali zação do s recursos persuasivos apresentados no texto, o reconhecimento dos efeitos de
(EF03LP19) Identificar e discuti r o propósito do uso de
habilidades de leitura quanto as características de cada um dos gêneros (organização sentido provocados nos texto s por ta is recursos, a análi se da adequação dos recursos
Lei tura/escuta (compartilhada e recursos de persuasão (cores, imagens, esco lha de interna; marcas l inguísti cas; conteúdo temático) e dos textos publicitários e de propaganda a empregados, considerando-se o interlocutor pretendido, a função do gênero e a fi nalidade do
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública Compreensão em leitura palavras, jogo de palavras, tamanho de letras) em
autônoma) serem li dos. No que se refere ao nível de autonomia, os currículos locais podem prever se, ao texto. Na elaboração do currículo, é possível organizar a progressão considerand o a
textos publi citários e de propaganda, como elementos final do ano, os alunos deverão alcançar o trabalho autônomo ou não. Em caso positi vo, é compl exi dade dos textos e o grau de auton omia do aluno ao reali zar a tarefa. A leitura
de con vencimento.
importante indicar os procedimentos a serem adotados. colaborati va, trabalhada na habili dad e (EF12LP02), é atividade fundamental para a real ização
desse trab al ho.

Na elaboração do currículo, pode-se prever ati vid ad es que ampliem a habilidade, orientando
(EF03LP20) Produzir cartas dirigidas a veículos da o estudo d as características dos espaços dos leitores em mídias i mpressas e digitais, bem
mídia impressa ou digital (cartas do leitor ou de Trata-se de uma habilidade que articula a produção textual com os gêneros de cartas em como as regras de u so desses ambientes. É possível propor habilidades q ue prevej am a
Produção de textos reclamação a jornais ou revistas), dentre outros questão e dois vetores do processo de escrita (situação/tema ou assunto). Pode ser anál ise de participaçõe s de lei tores nesses ambientes, para refletir sobre: a) a diferença entre
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública gêneros do campopo l ítico-cidadão, com opiniões e articulada à análise das matérias a serem comentadas nas cartas. A habili dade prevê a argumentar e divulgar discurso de ódi o; b) o respeito à dive rsidade de opini ão sobre temas
(escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa
críticas, de acordo com as co nvenções do gênero produção de textos do campo políti co-cidadão, que envolvem organizar as i deias e utili zar a atuais. É possível , ainda, propor habilid ade s que: a) envolvam análise de textos dos gêneros
carta e considerando a si tuação comuni cativa e o consciência cidadã para depois escrevê-las. em questã o, d e mod o a expli ci tar suas característi cas e elaborar registros; b) orientem o uso
tema/assunto do texto. de procedi mento s escritores, como: reler o que está escri to para continuar, consultar o
plan ej amento para tomar decisões no momento da escrita e revisar no pro cesso e ao final.

Na elaboração do currículo, convém prever o trabalho contextuali zado em projetos


(EF03LP21) Produzir a núncios publicitários, textos de
Trata-se de uma habilidade que articula a produção de gêneros publi ci tários ao uso de i nterdisci plinares que a bordem temáticas relevantes para a comunid ade local, como a
campa nhas de conscie ntização destinados ao públi co
Produção de textos i nfanti l, observando os recursos de persuasão recursos de persuasão apropriados e diz respei to a organizar as i deias e utili zar a criatividade conservação do patrimônio público, a preservação de recursos naturai s, a con scientização
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública para depois escrevê-las. A habili dade pode ser desmembrada para incluir a análise dos sobre a necessidade de consumo sustentável, o repúdio ao preconcei to, a val ori zação d a
(escri ta compartilhada e autônoma) Escrita colaborativa utilizados nos textos publ ici tários e de propaganda
(cores, imagens, sl ogan, escolha de palavras, jogo de gêneros, o estudo dos recursos de persuasão e outros aspectos relacionados à característica cultura local, entre outros. Po derão ser propostas ativi dades em que a produção aco nteça em
multimodal dos textos desses gêneros. colaboração e de modo mais autônomo, prevendo, desse modo, uma progressão verti cal no
palavras, tamanho e tipo de l etras, diagramação).
ano.
É muito importante que, na elaboração do currículo, prevej a-se o acesso e a util ização de
ferramentas digitai s que viabi lizem a produção dos textos em áudio ou vídeo. As habi lidades
podem prever: a) a seleção e estudo dos textos a serem produzid os para compreender suas
características, de acordo com o con texto; b) o planejamento/pesquisa do conteúdo temático
e, considerando a si tuação em que irá circular, o tipo de mídia; c) a ori entação do trabalho em
(EF03LP22) Pl anejar e produ zir, em colaboração com colaboração. Alé m d isso, é importante considerar que a habil idade pode referir-se ta nto à
os colegas, telejornal p ara público i nfantil com O foco da habilidade está na oralização de textos destinados a telejornais infantis. A produção oral quanto à oralização de textos escritos a serem gravados em vídeo. Essa
algumas notícias e textos de campanhas que possa m produção vi sada está articulada a quatro vetores: a situação comunicativa, o pl ano geral do situação coloca as seguintes con di ções básicas para a adequação do texto: a) produzir a
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública Oralidade Planejamento e produção de texto ser repassados oral mente ou em meio digital, em texto própri o do gênero visado, o tema e a finali dade. Além di sso, as atividades previstas escrita do texto a ser lido; e/ou b) organi zar esquema do texto a ser produzido ora lmente, o
áudio ou vídeo, considerando a situação comunicati va, compreendem duas operações sequenciais complexas: o planejamento e a execução. A que requer mui to ensai o coleti vo, com análise crítica; c) estudar o s recursos a serem
a organização específica da fal a nesses gêneros e o habilidade requer, ai nda, a análise da mídia e dos textos/gêneros que nela ci rculam. empregados nesse materi al, conside rando a especifi cid ade da mídi a e ambiente no qual será
tema/assunto/ final idade dos textos. veiculado o material. A progressão horizontal pode apoi ar-se no grau de complexidade dos
gêneros jo rnal ísticos envolvidos, no foco do e nsino (a organização geral do texto; as
ferramentas e recursos a serem mobilizados; o pl an ejamento; a elaboração) e no grau d e
autonomia a ser conquistada pelo aluno a cada etapa. Há, aqui, oportunidade de trabalho
i nterdisci plinar com as habil idades (EF15AR26), da Arte; e (EF35EF03), da Educação Física,
no que se refere à comunicação de i nformações por múltiplas l inguagens.
Na elaboração do currículo, recomenda-se que o desenvol vi mento desta habilidade venha
(EF03LP23) Anal isar o uso de adjetivos em cartas Esta habili dade arti cula-se às (EF35LP16) e (EF12LP14), que também envolvem gêneros do associ ado a diferentes práticas de leitura e escrita de cartas d iri gidas a mídias impre ssas ou
Análise linguística/semiótica dirigi das a veículos da mídia impressa ou digital jornalismo impresso ou digital. Vi sa identi ficar e analisar, no processo de lei tura, o papel dos digi tais. Essas práticas permitem a contextualização da habi lidade, fornecendo ao aluno
Língua Portuguesa 3º Campo da vida pública (Ortografização) Forma de composição dos textos (cartas do leitor ou de recl amação a jornais ou adjeti vos na (re)construção de sentidos de cartas do leitor ou de reclamação, de modo que experiências e materi ais vari ados para a observação e a refl exão. A progressão horizontal
revistas), digitais ou i mpressas. sej a possível empregá-l os adequadamente nos textos a serem produzidos. pode se dar pela complexidade dos textos lidos e pelo nível de autonomia que se pretende
l evar o aluno a conquistar em cada etapa.

Relatos de experimentos e de pe squisas são textos úteis no trabalho co m temas que


remetam diretamente a questões soci ais, como relações estabele cidas entre crianças e o
celular; o impacto das redes sociais na vi da da criança; a presença da violência no cotidiano
da cidade; entre outros. Na elaboração do currículo, as hab ilidades podem orientar a
(EF03LP24) Ler/ouvir e compreender, com autonomi a, Trata-se de uma habilidade complexa, que precisa considerar tanto o trabal ho com as pesquisa desses textos na i nternet para montar u m dossiê e elaborar uma carta de
Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e relatos de observações e de pesquisas em fontes de habilidades de leitura quanto as características de cada um dos gêneros (organização reclamação, ou de lei tor, organizado em um projeto de leitu ra e escrita. Convém focal izar as
Língua Portuguesa 3º estudo e pesquisa autônoma) Compreensão em leitura i nformações, considerando a situação comunicativa e interna; marcas l inguísti cas; conteúdo temático) e dos textos de rel atos e pesqui sas a serem características que forem i mportantes para a compreensão do texto, articu lar essas
o tema/assunto do texto. lidos. Atentar para o fato de que o trabalho previsto é com autonomia. características à finalidade do texto, prever um trabalho dialógico e refle xivo, assi m como a
compa ração e ntre textos por semelhanças e diferenças. Há, aqui, oportunidade de trabalho
i nterdisci plinar com as habil idades (EF03MA26), (EF03MA27), (EF03MA28), da Matemática
(EF03CI06), (EF03CI09), da Ciênci a; (EF03HI03), d a História; e (EF03GE01), da Geografia,
associ
Na adas a coleta,
elaboração leitura, podem-se
do currículo, comparação e interpretação
organi de dados
zar habilidades de pesquisas.
que prevej am trabalho em
parceria entre as turmas, articulando-o com o estudo dos gêneros envol vidos na
apresentação, como a exposição oral. As pesqui sas podem assumi r caráter in terdisci plinar,
com te mas como: povos origi nári os do Brasil , imi grantes, entre outros. Há, aqui, o po rtunidade
(EF03LP25) Pl anejar e produ zir textos para apresentar
Esta é uma habi lidade que arti cula a produção textual com o gênero de apresentação de de trabalho interdiscipli nar co m a s habilidades (EF03MA26), (EF03MA27), (EF03MA28), da
resulta dos de observações e de pesquisas em fontes
Campo das práticas de Produção de textos de info rmações, incluin do, qu ando pertinente, resultados de observações e pesquisas e doi s vetores do processo de escrita (si tuação/tema Matemática; (EF03CI06), (EF03CI09), de Ci ência s; (EF03HI03), da Hi stória; e (EF03GE01),
Língua Portuguesa 3º ou assunto). Envolve ao menos duas operações distintas, que podem ser tratadas em da Geografia, associadas à coleta, leitura, comparação e in terpretação de dados, com apoio
estudo e pesquisa (escri ta compartilhada e autônoma) Produção de textos i magens, diagramas e gráficos ou tabelas si mples,
considerando a si tuação comuni cativa e o separado: planej ar e produzir, que significam organizar as ideias para depois colocá-las no de recursos mul tissemi óticos, incluindo gráficos e tabelas. É possível , ainda, propor
papel. habi lidades que: a) definam o gênero a ser produzido nos resultados de observações e
tema/assunto do texto.
pesquisas apresentados e proponham análise de textos para explicitar suas características,
construindo re gi stros que possam repertoriar a prod ução; b) o rien tem o uso de procedimentos
escritores, como: reler o que está escrito para continuar, co nsultar o planejamento para tomar
decisões
Na elaboração
na escrita
do currículo,
e revisardeve-se
no processo
co nsiderar
e ao final.
q ue o d esenvolvime nto de sta habil idade pode
aconte cer por meio da frequentação do s estudantes a textos organizados nos gêneros
previstos. A ativi dade de leitu ra col aborativa e a de revi são processual e fi nal possibilitam
estu da r os recursos e analisar a adequação dos textos produzi dos, sendo fundamen tal que
(EF03LP26) Identificar e reproduzir, em rel atórios de os currículos prevejam habili dades que i ndiquem o trabalho com essas atividades. Proje tos
Forma de composição dos textos observação e pesquisa, a formatação e diagramaçã o Esta habili dade refere-se a reconhecer, no processo de leitura, recursos linguísticos e que prevej am a elaboração de pesqui sas sobre q ue stões soci ai s relevantes a serem
Campo das práticas de Análise linguística/semiótica
Língua Portuguesa 3º Adequação do texto às normas d e específica desses gêneros (p assos ou listas de itens, discursivos que constituem os gêneros previstos, de modo que sej a possível empregá-los divulgadas em seminários viabili zam o trabalho. A p rogressão curricular pode dar-se pela
estudo e pesquisa (Ortografização)
escrita tabelas, ilustrações, gráficos, resumo dos resultados), adequadamente nos textos a serem produzidos. compl exi dade dos textos e pelo nível de autonomia do aluno, o que se traduz em um trabalho
i nclusive em suas versões orais. i ni ci almente colaborati vo e, progressivamente, mais autônomo. Há, aqui, oportunidade de
trabalho in terdisci plinar com as habil idades (EF03MA26), (EF03MA27) e (EF03MA28), da
Matemática; (EF03CI06) e (EF03CI09), da Ci ênci a; (EF03GE01), da Ge og rafia; e
(EF03HI03), da História, associadas a coleta, l eitura, comparação e inte rpretação de dados,
com apoio de recursos multissemióti cos (li stas, tabelas, ilustrações, gráficos).

Na elaboração do currículo, pode-se orientar, para além dos gêneros menci on ado s, estudos
de textos poéticos da cul tura local ou nacio na l, assim como aqueles refere ntes às culturas
(EF03LP27) Reci tar cordel e cantar repentes e Trata-se de habilidade que envolve a leitura e compreensão do texto a ser recitado, para que periféricas, especialme nte os mais rel evantes para as culturas locais. Podem ser previstas
também habil idades que indiquem o trabalho em colaboração, de modo a favorecer o
Língua Portuguesa 3º Campo artístico-literário Oralidade Performances orais emboladas, observando as ri mas e obedecen do ao o aluno, conhecendo os efeitos de sentido em jogo, possa l er/reci tar/cantar com maior
desenvolvimento da flu ência e observação do ritmo entre os estudantes. Há, aqui,
ritmo e à melodi a. fluência, ritmo e entonação adequada. oportunidade de trabalho inte rdiscipli na r co m as habilidades (EF15AR14) e (EF15AR17), d a
Arte, associad as a improvi sação, composição e son orização de histórias e exploração dos
elementos constitutivos da música.

As atividades que mais potencializam o desenvolvimento da fl uên cia leitora são aquelas em
que o l eitor estuda textos que lerá em voz alta, em col aboração com outro leitor mais
profici ente. A l ei tura precisa ser contextualizada em uma situação comunicativa genuína ,
como uma leitura dramática (situação em que atores fazem a leitura de um texto teatral para
Ler fl uentemente requer do aluno um conjunto de habi lidades que vão das relativas à
(EF35LP01) Ler e compreender, sil enciosamente e, aquisição do sistema de escrita às de compreensão, apreci ação e réplica do lei tor aos textos. uma audiê ncia, i nterpretando os personagens). Na el ab oração do currícul o, podem-se prever
Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e atividades em que os alunos: estudam o texto no coleti vo, com mediaçã o do p rofessor, em
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º atuação autônoma) Decodificação/Fluência de leitura em seguida, em voz alta, com autonomi a e fluência, Não se trata de oralizar o texto rapidamente e sem erro na articul ação dos sons, mas de ler
especial os personagens; depois da divisão dos papéi s, em dupla s, estudam em voz alta,
textos curtos com nível de textuali dade adequado. um texto em voz alta sem embaraço e com compreensão. A lei tura se dá na rel ação entre ajustando interpretações; fazem um ensaio da ap resentação, com avaliação das
texto e l eitor; assi m, o texto preci sa ser adequado às possibili dades e i nteresses do leitor.
performances para novos ajustes; performam a lei tura dramática para a audi ência .A
progressão cu rricular p ode jogar com a complexidade d os textos, o foco do trabalho
(substituições lexicais ou p ronominais; diferentes tipos de substi tuição e m cada um dos
casos), os procedimentos did áticos programados e o grau de autonomia do al uno.
Na elaboração do currículo, quatro aspectos podem ser consi derados: a sel eção de materiais
de leitura; o uso de espaços nos qua is esses materi ais circula m; a a preciação e o
A habilidade trata de comportamentos l eitores fundamentais, que implicam tanto saber compa rtilhamento da lei tura. O pri meiro aspecto implica em utilizar critéri os pessoais de
(EF35LP02) Sel eci onar livros da bi blioteca e/ou do
canti nho de leitura da sala de aula e/ou disponíveis em frequentar espaços nos quais circul em materi ais de l eitura — impressos e/ou digitais — apreciação (estética, tema etc.). O segundo, envolve frequentar salas de leitura e bi bliotecas
Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e quanto estabelecer critérios de apreci ação estética desses materi ais, para possibi litar a físicas e digita is, sabendo sol ici tar ou encontrar materiais de leitura. O terceiro e o quarto
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Formação de leitor meios digi tais para leitura individual, j ustifican do a
atuação autônoma) sociali zação das opiniões com terceiros. Para o desenvolvi mento desta habilidade, são envolvem uti lizar os critérios de apreciação pessoal para di vul gar su a opinião a respeito de
escolha e comparti lhando com os colegas sua opi nião, fundamentais a frequentação de espaços desti nados à lei tura e a participação em ativi dades materiai s lidos, em esp aços escolares, como uma roda de leitores, ou digitais, como sites de
após a leitura.
como a roda de leitores. comen tários sobre li vros li dos. A progressã o do e nsino-aprendizagem pode apoi ar-se no grau
de complexidade dos procedi mentos de seleção, dos materiais de leitura visados e do ti po de
j ustifi cativa prete ndi da, assim como no grau de autonomia do al uno.

Na elaboração do currículo, é necessário considerar que esta é uma habilidade que envolve
várias outras: localização de informação, inferenciação, articulação de trechos do texto,
Trata-se de uma habilidade complexa, de redução do conteúdo do texto. Por meio dela, o (re)construção de informações. No entanto, é preciso considerar ainda que o
aluno articula as i nformações dos diferentes trechos, i dentifica as partes mai s relevantes com desenvolvimento de ca da uma dessas habilidades pode ser mai s difícil em um gênero e/ou
Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF35LP03) Identificar a idei a central do texto,
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Compreensão base em pistas forneci das pelo próprio texto e, por meio desse processo de sumari zação, tipo de texto do que em outro s, dependendo da compl exida de em questão. Localizar
atuação autônoma) demonstrando compreensão gl obal.
identi fica a ideia central.Para reali zar essa tarefa, é necessário mobili zar outras habili dades, i nformações pode envol ver, entre outros aspectos, a articulação de trechos diferentes de u m
como as de localização, inferenciação e construção de informações. mesmo texto. Assim, a progressão curricular da habil idade (EF35LP03) pode apoi ar-se tanto
no desenvolvimento co nexo de outra s quanto na compl exid ad e do g êne ro ou tipo de texto a
ser estuda do.

Na elaboração do currículo, considere-se q ue , pa ra estabe lecer inferências é necessário


explicitar as pi stas textuais e/ou as informações prévias, articulando-as entre si . Além di sso, é
a leitura colabor
Os sentidos dos textos são compostos também por informações subentendidas e/ou
pressupostas, que, mesmo não estando explícitas, si gnificam. Portanto, pode-se afirmar que
Todos os campos de Lei tura/escuta (compartilhada e (EF35LP04) Inferir informações implícitas nos textos
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Estratégia de leitura é impossível compreender os textos sem realizar i nferências.Realizar uma i nferência é
atuação autônoma) l idos.
estabelecer, no processo de leitura, uma ligação entre uma ideia expressa no texto e outra
que o leitor pode ativar com base em conheci mentos prévios ou no contexto.

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Estratégia de leitura

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Estratégia de leitura

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Oralidade

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Oralidade Variação linguística

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Morfologia

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo da vida pública Escrita colaborativa

Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo da vida pública Forma de composição dos textos
Na elaboração do currículo, no que diz respeito à progressão, pode-se considerar o grau de
autonomia dos alunos e a complexidade dos procedimentos e nvolvidos, assi m como a
finalidade da busca e da seleção. É importante consi derar, ainda, se nos ambi entes físicos é
Esta habili dade focali za o trabalho de busca e seleção de textos sobre fenômenos soci ais e possível procurar diretamente nas prateleiras ou é necessário recorrer ao encarregado,
(EF35LP17) Buscar e sel ecio nar, com o apoi o do
naturais di gitais e impressos. Isso supõe a discussão de procedi mentos e de critérios de bibl iotecário ou computador: os procedi mento s a serem pre vistos se rão específicos em cada
Campo das práticas de Lei tura/escuta (compartilhada e professor, informações de interesse sobre fenômenos sel eção dos textos nos diferentes ambientes, sempre com auxílio do professor, considerando caso. Indicar assunto, foco e autores e materi al de leitura possíve l. Nos ambie ntes digi tais,
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º estudo e pesquisa autônoma) Pesquisa sociais e naturais, em textos que circulam em mei os
tanto a especificidade de salas de l eitura, bibl iotecas escolares, públi cas e pessoai s, quanto convém não só considerar as característi cas do ambiente e da ferramenta de busca para
i mpressos ou digitais.
ambientes digitais. definir procedimentos, como, ainda, estabe lecer critérios de confiabili dade dos sites. Podem
ser propostas ha bi lidades considerando a interação com os di ferentes a mbientes. Há, aqui ,
oportunidade de trabalho inte rdiscipli na r co m as habilidades (EF03MA18), da Matemática;
(EF03HI02) e (EF03HI03), da Hi stória, associadas à realizaçã o de p esquisas.

Na elaboração do currículo, a habilidade de escuta de textos orais pode prever: a)


A habilidade tem como foco a escuta atenta e responsiva de apresentações orai s em procedime ntos de re gi stro de informações consideradas importantes e de dúvidas a serem
(EF35LP18) Escutar, com atenção, apresentações de
contexto escolar. A escuta — que tem como finalidade pri meira a compreensão do texto oral apresentadas ao fi nal da exposição; b) el aboração de questões a serem feitas ao locutor, ao
Campo das práticas de trabalhos realizadas por colegas, formulando — dá suporte tanto à formul ação de perguntas para escl arecimentos, por exemplo, quanto à final da exposiçã o, p ara esclarecimentos, posici onamentos em relação à fala etc.; c) trabalho
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º estudo e pesquisa Oralidade Escuta de textos orais perguntas pertinentes ao tema e soli citando
construção de respostas/explicações, considerando o uso progressivo de justificativas para a em colaboração ini ci al até chegar, prog ressivamente, ao autônomo. Tal habili dade é
esclareci mentos sempre que necessário.
emissão de opinião. fundamental p ara a formação do estudante ; o s currículos podem procurar desenvolvê-la na
discussão de temas sociais rel evantes para a comunidade local .

Na elaboração do currículo, pode-se prever o trabalho com esta habilidade em situações


comun icativas de di scussã o de q uestões interdi scipli nares e intercul turais que impl iquem o
estu do de temas sociai s re levantes para a comunidade local. É possível orientar para que a
(EF35LP19) Recuperar as ideias principais em recuperação do conteú do ouvido aconteça por meio de esq ue mas ou tabelas, prevendo,
Campo das práticas de situações formai s de escuta de exposições, Trata-se de habilidade que envolve a escuta atenta e responsiva de apresentações orais em portanto, habil idades que envolvam diferen tes situações formais de escuta e induzam ao
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º estudo e pesquisa Oralidade Compreensão de textos orais contexto escolar.
apresentações e palestras. ensino das formas de registro que possibili tem a recuperação da fala. A progressão pode ser
pensada com base em critéri os como o s diferentes ti pos de situações formai s, a
compl exi dade e/ou a extensã o dos textos orais e o grau de autonomia a ser conquistado pelo
alun o a cada etapa desse ensi no .
Na elaboração do currículo, a habilidade pode ser desenvolvi da no interior de projetos e/ou
sequências que articulem a e specificidade dos textos no gênero exposi ção oral ao trabalho
i nterdisci plinar, prevendo, por exemplo, temas como alimentação saudável;
brinquedos/bri ncadeiras de ontem e de hoj e; povos do Brasil; entre outros. É possível prever
(EF35LP20) Expor trabalhos ou pesqui sas escolares, atividades destin ada s a famil iarizar o al uno com habilidades q ue envolvam o acesso aos
em sala de aula, com apoio de recursos A habilidade tem como foco a exposição oral de pesquisas em contexto escolar. E requer o recursos multissemióti cos presentes nos te xtos e a pesquisa de conteúdo temático. A
Campo das práticas de Planejamento de texto oral multi ssemióticos (imagens, diagrama, tabelas etc.), estudo de textos desse gênero, de modo a permiti r ao al uno reconhecer a arti cul ação entre a progressão, tanto horizontal quanto vertical, pode pautar-se pelo grau de complexidade dos
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º estudo e pesquisa Oralidade Exposi ção ora l orientando-se por rotei ro escrito, planejando o tempo fala e o uso de roteiro escrito e recursos multissemióti cos próprios ou compatíveis com o trabalhos e/ou pesquisas, na alte rnância do foco do ensino (o gênero e sua organização
de fala e adequando a linguagem à situação gênero previ sto. geral; os recurso s a serem mobil izad os; a pro dução do rote iro ; etc.) e o grau de autonomia a
comun icativa. ser conquistada pelo aluno a cad a etap a. Há, aqui, oportuni dade de trabalho interdisciplinar
com as habil idades (EF03MA26), (EF03MA27), (EF03MA28), da Matemáti ca; (EF03CI06),
(EF03CI09), de Ciênci as; (EF03HI03 ), da História; e (EF03GE01), da Geografia, associadas à
coleta, leitura, comparação e interpretação de dados, com apoio de recursos multissemióti cos
(listas,
Na tabelas, do
elaboração ilustrações,
currículo, gráficos).
o trabalho com essa habil idade supõe a constituição de critéri os
de aprecia ção estéti ca e afeti va de materiais de leitura. Para tanto, é preciso garanti r: oferta
Trata-se de uma habilidade complexa. Para o seu desenvolvimento, é importante considerar: de material de leitura de qualidade estética, ética, temática e linguística; espaços nos quais
diferentes leitores possam trocar informações sobre ma teriais l idos (físi cos ou digi tais). Três
(EF35LP21) Ler e compreender, de forma autônoma, a) o trabalho com as habi lidades de leitura como um todo; b) o caráter não util itário
atividades potencial izam esse trabalho: a roda de le itores (na qua l os al unos comentam livros
Lei tura/escuta (compartilhada e textos li terários de diferentes gêneros e exten sões, (l údico/estético) dos textos literários; c) as característi cas de gêneros literári os diversos, de escolha pessoal lidos); o di ári o pessoal de leitura (na qual os alunos regi stram as
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário autônoma) Formação do leitor literário i nclusive aquel es sem ilustrações, estabelece ndo inclusi ve dramáticos e poéticos. A formulação da habil idade pressupõe o pl anejamento
i mpressões que vão tendo sobre o que leem e que socializam com os colegas); a leitura
preferências por gêneros, temas, autores. curricular de níveis menores de autonomi a nos doi s primeiros anos e de estratégias didáticas programada (na qual livros de maior extensão são li dos e estudados col etivamente, com
capazes de conduzir à autonomia nos três últimos.
mediação do pro fessor). A progressão da aprendizagem pode apoia r-se no grau de
compl exi dade dos gêneros e textos pre vistos (assim como dos seus respe ctivos temas), nos
autores se leci onados e no grau de autonomia que se pretende ati ng ir a cada etapa do ensino.

No desenvolvimento dessa habilidade, os di álogos precisam ser reconhecidos não a pen as


O foco dessa habili dade é a apreensão, pelo aluno leitor, dos efei tos de sentido produzidos pela s marcas gráficas que os aprese ntam (dois pontos-travessão; dois pontos-aspas, por
em textos narrativos por: a) verbos introdutóri os da fala de terceiros (verbos de enunciação exemp lo), ou pela presença dos verbos dicendi (introdutóri os das falas de tercei ro s), ma s
(EF35LP22) Perceber diál ogos em textos narrativos,
ou dicendi) em casos de discurso citado (discurso direto; indireto; indireto livre); b) uso de também — e sobretudo — a partir da significação do texto. Na elaboração do currícul o, pode-
Lei tura/escuta (compartilhada e Formação do leitor literário / Leitura observando o efeito de sentido de verbos de variedades linguísticas na representação dessas fal as no discurso direto. O desenvol vi mento se, por exemp lo, pro po r projetos que organizem uma exposição d e diálogos famosos (de
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário autônoma) multissemiótica enunciação e, se for o caso, o uso de variedades
dessa habilidade é fundamental para a compreensão do caráter e da dinâmica de personagens de livros lidos); ou a produção d e vídeos, em duplas, contendo u m d iálogo
l inguísti cas no discurso direto. personagens numa trama, assim como da organização textual da narrati va. Mas pressupõe selecionado pelos alunos. A complexidade dos gêneros e textos previstos pel os currícul os, as
um trabalho prévio tanto com o discurso citado quanto com variação linguística. marcas linguísticas dos diálogos e o grau de autonomia do al uno proposta para cada ano
podem ser bons critéri os para a prog ressão da apre ndi zagem.

(EF35LP23) Apreciar p oemas e outros textos


Lei tura/escuta (compartilhada e versi ficados, observando rimas, aliterações e
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário autônoma) Apreciação estética/Estilo diferentes modos de divisão dos versos, estrofes e
refrões e seu efeito de sentido.

Ati vi da des que favorecem o desenvolvimento dessa habil idade são, entre outras, a l eitura
Esta é uma habi lidade complexa, que envolve: a) o desenvolvimento das habilidades de colaborati va — para estudo dos textos e modelização de procedimentos e comportamentos
l ei tores —, e a roda de l eitores, como n a habili dade (EF35LP21). Na elaboração do currículo,
(EF35LP24) Identificar funções do texto dramático leitura como um todo; b) o caráter não util itário (lúdico/estético) dos textos li terários; c) as
a organiza ção de lei turas dramáticas de textos teatrais (l eituras feita s por um grupo de
Lei tura/escuta (compartilhada e (escrito para ser encen ado) e sua organização por características dos diferentes gêneros dramáticos. A formulação da habilidade supõe tanto a pessoas que assumem os di ferentes papéis da peça teatral, representando-os) cria um
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário autônoma) Textos dramáticos meio d e diálogos entre personagens e marcadores das formação de um repertório literário específi co como a previ são curricular de estratégias
espaço de social ização dos texto s, além de possi bi litar o desenvolvimento da fl uênci a leitora,
falas das personagens e de cena. didáti cas que progridam da lei tura colaborativa para a autônoma, ao l ongo dos três últi mos como na h abi lidade (EF35LP01). A complexidade dos gêneros e textos previstos, as ma rcas
anos.
l inguísti cas do s textos dramáti cos e o g rau de autonomi a do a luno proposta para os três anos
em j og o podem ser bons critérios para a progressão da aprendizagem.

Na elaboração do currículo, é importante considerar que a criação de narrativas fi ccionais


difere da recontagem por solicitar a criação de co nteúdo temá tico, sendo, portanto, mais
(EF35LP25) Criar narrativas ficci onais, com certa compl exa. É p ossível prever o estudo de narrati vas representativas da cultura local, nacional
Esta habili dade é mais complexa, pois envolve produzir narrativas de conteúdo temático, o
autonomia, utili zando detalhe s descritivos, sequências e universal (cul turas afri cana e la tino-ameri cana, por exemplo), além de ampliar a habili dade
Produção de textos que pode ser planejado de forma coletiva ou mais autônoma, garantindo progressão vertical
Língua Portuguesa 3º, 4º, 5º Campo artístico-literário (escri ta compartilhada e autônoma) Escrita autônoma e compartilhada de eve ntos e imagens apropriadas para sustentar o no ano. Ela prevê que o al uno se utilize de recursos de descrição e narração para criar esses com a criação parcial (produzir parte desconheci da de um conto l ido) e/ou colaboração no
senti do do texto, e marcadores de tempo, espaço e de plan ej amento. Pode-se, ainda, analisar as características dos gêneros, a parti r do estudo dos
fala de personagens. textos. A habil idade se relaciona à (EF15LP05) e (EF02LP27). recursos p resentes nos textos e prever a progressão horizontal e verti cal (ampl iando a
compl exi dade do gênero ou texto proposto nos di ferentes a no s), começando com produção
coletiva, segui da de trabalho em dup las/grupos para chegar à pro du ção autônoma.

(EF35LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, Nos currículos lo cais, convém qu e o de senvolvimen to d essa habi lidade venha sempre
O foco dessa habili dade