Você está na página 1de 5

PREPARA ENEM II

Aluno: Nathan de Lucena Turma: 304

1. (Enem/2017) Durante o Estado Novo, os encarregados da propaganda procuraram


aperfeiçoar-se na arte da empolgação e envolvimento das “multidões” através das
mensagens políticas. Nesse tipo de discurso, o significado das palavras importa pouco,
pois, como declarou Goebbels, “não falamos para dizer alguma coisa, mas para obter
determinado efeito”.
CAPELATO, M. H. Propaganda política e controle dos meios de comunicação. In:
PANDOLFI, D. (Org.). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: FGV, 1999.
O controle sobre os meios de comunicação foi uma marca do Estado Novo, sendo
fundamental à propaganda política, na medida em que visava:
a) conquistar o apoio popular na legitimação do novo governo.
b) ampliar o envolvimento das multidões nas decisões políticas.
c) aumentar a oferta de informações públicas para a sociedade civil.
d) estender a participação democrática dos meios de comunicação no Brasil.
e) alargar o entendimento da população sobre as intenções do novo governo

2. (Enem/2019) A depressão que afetou a economia mundial entre 1929 e 1934 se


anunciou, ainda em 1928, por uma queda generalizada nos preços agrícolas
internacionais. Mas o fator mais marcante foi a crise financeira detonada pela quebra
da Bolsa de Nova Iorque. Disponível em: http://cpdoc.fgv.br. Acesso em: 20 abr. 2015
(adaptado).
Perante o cenário econômico descrito, o Estado brasileiro assume, a partir de 1930,
uma política de incentivo à:
a) industrialização interna para substituir as importações.
b) nacionalização de empresas estrangeiras atingidas pela crise.
c) venda de terras a preços acessíveis para os pequenos produtores.
d) entrada de imigrantes para trabalhar nas indústrias de base recém-criadas.
e) abertura de linhas de financiamento especial para empresas do setor terciário.
3. Em 1935, o governo brasileiro começou a negar vistos a judeus. Posteriormente,
durante o Estado Novo, uma circular secreta proibiu a concessão de vistos a “pessoas
de origem semita”, inclusive turistas e negociantes, o que causou uma queda de 75%
da imigração judaica ao longo daquele ano. Entretanto, mesmo com as imposições da
lei, muitos judeus continuaram entrando ilegalmente no país durante a guerra e as
ameaças de deportação em massa nunca foram concretizadas, apesar da extradição de
alguns indivíduos por sua militância política. GRIMBERG, K. Nova língua interior: 500
anos de história dos judeus no Brasil. In: IBGE.
Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de Janeiro: IBGE, 2000 (adaptado). Uma razão
para a adoção da política de imigração mencionada no texto foi o(a):
a) receio do controle sionista sobre a economia nacional.
b) reserva de postos de trabalho para a mão de obra local.
c) oposição do clero católico à expansão de novas religiões.
d) apoio da diplomacia varguista às opiniões dos líderes árabes.
e) simpatia de membros da burocracia pelo projeto totalitário alemão.

4. Em 10 de novembro de 1937, Getúlio Vargas realizou um autogolpe conhecido como


Golpe do Estado Novo. Ele cancelou a eleição presidencial marcada para 1938,
suspendeu a Constituição de 1934 e substitui-a por uma nova Carta mais autoritária
conhecida como Polaca, porque se inspirava na Constituição da Polônia. O golpe do
Estado Novo foi realizado com justificativa em um documento falso e apresentado à
nação referente a um suposto golpe comunista em curso no Brasil. Estamos falando
do:
a) Plano Condor
b) Plano Cohen
c) Plano de Metas
d) Plano do Estado Novo
e) Plano do Catete

5. Logo após o golpe do Estado Novo, o governo, por ordem de Vargas, realizou uma
cerimônia de queima das bandeiras estaduais. Esse ato simbolizava:
a) a disposição autoritária do Estado Novo para suprimir os interesses regionais.
b) a troca dos símbolos estaduais por novos que valorizassem o Estado Novo.
c) uma resposta do governo aos interesses dos estados pela criação de novas
bandeiras.
d) o cumprimento do que determinava a Constituição de 1937 sobre o descarte de
bandeiras
defeituosas.
e) a valorização do federalismo.

6. A Segunda Guerra Mundial fez emergir interesses e aspirações conflitantes que


culminaram em relevantes mudanças nos quinze anos posteriores (1945- 1960). Entre
esses novos acontecimentos, é possível citar:
a) o início dos movimentos pela libertação colonial na África e a divisão do mundo em
dois blocos.
b) a balcanização do sudeste da Europa e o recrudescimento das ditaduras na América
Latina.
c) a criação do Mercosul e a expansão dos comunistas no Oriente Médio.
d) os conflitos entre palestinos e judeus e o desaparecimento do império austro-
húngaro.
e) o desmantelamento da União Soviética e a dominação econômica dos Estados
Unidos

7. No século passado, por volta dos anos 70, o arsenal de armas nucleares à disposição
dos militares da U.R.S.S. e dos E.U.A. era mais que suficiente para desintegrar várias
vezes toda a humanidade, caso fosse usado em uma guerra. Nessas circunstâncias, o
fantasma do holocausto nuclear esteve presente no cotidiano de bilhões de habitantes
do planeta, até o fim da União Soviética, no começo dos anos 90. Contribuiu para
afastar esse pesadelo catastrófico:
a) a crise dos mísseis soviéticos em Cuba.
b) a criação do Pacto de Varsóvia.
c) a vitória dos E.U.A. na Guerra do Golfo.
d) os acordos assinados por Ronald Reagan e Mikhail Gorbatchev.
e) a decisão de H. Truman, de só usar a energia nuclear para fins pacíficos.
8. “Há oitenta anos, a Rússia era forte por causa do dinamismo revolucionário do
comunismo, incluindo o poder de atração da sua ideologia. Há quarenta anos, a Rússia
Soviética era forte por causa do poderio do Exército Vermelho. Hoje, a Rússia de Putin
é forte por causa do gás e do petróleo.” Timothy Garton Ash, historiador inglês, janeiro
de 2007. Do texto, depreende-se que a Rússia:
a) manteve inalterada sua posição de grande potência em todo o período mencionado.
b) recuperou, na atualidade, o seu papel de país líder da Europa.
c) conheceu períodos de altos e baixos em função das conjunturas externas.
d) passou de força política, a força militar e desta, a força econômica.
e) conservou, sempre, a sua preeminência graças ao incomparável poderio militar.

9. Após a Segunda Guerra Mundial, consolidou-se uma ordem político-econômica


internacional que expressou o(a):
a) conflito político e ideológico entre a União Soviética e os Estados Unidos.
b) supremacia política e militar da Europa Ocidental.
c) subordinação neocolonial dos países árabes e da América Latina.
d) liderança política mundial da China Comunista através de sua participação na ONU.
e) hegemonia econômica mundial das ex-nações imperialistas, tais como a Inglaterra e
a França.

10. Qual das seguintes afirmações explica, sucintamente, o fim da URSS?


a) O regime entrou em colapso porque os dirigentes estavam desmoralizados, desde as
denúncias de Kruchev no XX Congresso do Partido.
b) O regime deixou de ser sustentado pelo Exército, adversário tradicional do Partido
Comunista.
c) A vitória militar dos EUA na Guerra Fria tornou inviável a manutenção do regime.
d) O colapso do regime deveu-se à crise generalizada da economia estatal, combinada
com o
fracasso da abertura controlada de Gorbachev.
e) Os líderes soviéticos abandonaram a crença no socialismo e decidiram transformar a
URSS em um país capitalista.
ENEM 2021
Estudante aplicador: Nathan de Lucena
Turma: 304
Estudante Ledor:

Data de Aplicação: 08/09/2021 Horário de Início:


Horário de término:

N° de acertos:

QUESTÃO LETRA
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10