Você está na página 1de 7

A CONDUTA DO MINISTRO DA RECONCIALIAÇÃO

2 CORINTIOS 6.1-10
Introdução:
- Mensagem do livro: Um ministério digno de ser seguido reflete o poder
da vida na nova aliança àqueles cuja lealdade a Cristo ele busca renovar.
(COP)
- No capitulo anterior , Paulo apresentou as providencias conciliatórias de
Deus e o papel dos servos como ‘‘ministros da reconciliação’’.
- A mensagem e o ministério da reconciliação foram confiados a todos nós
por Deus.
- Deus não só reconciliou o mundo consigo mesmo, mas também
comissionou mensageiros para proclamar as boas novas.
- Todos quantos derem ouvidos ao chamado para o arrependimento e fé
experimentarão por si mesmos a alegria da reconciliação com Deus.

1. Paulo insisti aos coríntios que pratiquem a reconciliação que tinham


recebido para não receberam em vão. 2 Co 6.1
(Pedimos que vocês façam bom uso da bondade que Deus oferece a
vocês ou ainda... Vocês receberam a graça de Deus. Portanto, pedimos
que não deixem que tudo resulte em nada)
Insistimos ...com vocês

para não receberem em vão a graça de Deus. Pois

ele diz:

"Eu o ouvi no tempo favorável e


o socorri no dia da salvação".

Digo-lhes que
agora é o tempo favorável, agora
é o dia da salvação!
- Paulo retoma o tema de 5.20- seu apelo aos Corintios para se
reconciliarem com Deus. Em 5.20, o texto afirma que Deus fez esse apelo
através de Paulo, mas neste versículo é o próprio apostolo que faz o apelo,
como alguém que coopera com Deus.
- A mensagem de um ministério realmente cristão é reconciliação através
de Cristo, que foi nosso sacrifício pelo pecado. Esta era uma mensagem
que os coríntios precisavam pôr em prática em suas vidas ao submeterem-
se mais uma vez a Paulo como o representante indicado de Deus. Seu
perigo atual era desperdiçar a graça que os redimira.
- Cooperadores: esta é uma boa definição de quem são os cristãos. É uma
honra de poder servir como colaborador de Deus. Com a missão de
anunciar que ele deseja reconciliar consigo em Cristo Jesus todos aqueles
que ouvirem o seu chamado.
- Para dar ênfase à necessidade do seu apelo urgente, Paulo cita Isaias 49.8,
com o acréscimo: “eis, agora, o tempo sobremodo oportuno...’’ (2Co 6.2).
Em seu contexto original, estas palavras foram aplicadas ao tempo de
libertação de Israel do exilio babilônico. Se o dia do retorno dos exilados
foi um dia de salvação, o dia que Deus agiu, em Cristo, para reconciliar o
mundo consigo mesmo é o dia da salvação.
Implicação:
- Representamos Jesus Cristo na tarefa de reconciliar a humanidade com o
Pai, privilegio que Ele nos deu.

- Quando vivemos para nós mesmos e não para o Senhor que nos resgatou,
nossa fé é em vão(5.15).

- Quando não aplicamos na vida diária a justiça com que o Senhor nos
revestiu nossa fé é em vão (5.21).

- Uma boa hora para uma mudança de atitude que leva em conta a obra da
salvação na cruz é agora.

- Cristo já veio, morreu por nós e ressuscitou. Já estamos no tempo de


salvação. A hora é agora, antes que ele volte.

02- Paulo insisti, como cooperador de Deus, que não devemos dar
motivo de escândalo a ninguém. (2 Co 6.3)
Insistimos .

Cooperando (com Deus)


Não damos motivo de escândalo a ninguém, em
circunstância alguma,
para que o nosso ministério não caia em descrédito.

- Paulo se preocupa em ter uma vida exemplar, porque não deseja que o
ministério caia em descredito
- Não damos motivo para escândalo: somos chamados a viver com
integridade.
- O fiel ministro de Cristo não faz nada para desacreditar seu ministério,
mas tudo para proteger sua integridade. (Rm 2.24, 1 Co 9.27, Tt 2.1-10)

03. Paulo insisti, como cooperador de Deus, que seu ministério é


recomendado. ( 2 Co 6.4-10)

Insistimos ...com vocês

Cooperando (com Deus)

Pelo contrário...

recomendamo-nos...como servos de Deus...


em

- Recomendação como ministro de Deus, como servo do Senhor (e não


auto recomendação escrita ou com palavras, para apenas impressionar).

a. Com paciência (muita perseverança): 2 Co 6.4-5


Insistimos ...com vocês

Cooperando (com Deus)


Pelo contrário...

recomendamo-nos...como servos de Deus...


em (no)

 muita perseverança;
 sofrimentos,
 privações
 tristezas;
 açoites,
 prisões
 tumultos;
 trabalhos árduos,
 noites sem dormir
 jejuns;

Nas aflições Nos açoites Nos trabalhos


Nas privações Nas prisões Nas vigílias
Nas angustias Nos tumultos Nos jejuns
- Paciência, neste contexto, pode ser o cabeçalho para esses noves
elementos, no ministério de Paulo.
- Paciência, hupomone no grego, representa a habilidade de suportar as
situações de maneira triunfante.
- Situações onde a paciência é aplicada:
- Aflições, thlipsis no grego, pressão física, aflição ou tribulação.
- Privações, anagké no grego, é se privar de necessidades da vida
(materiais, emocionais e físicas).
- Angustias, stenochoria no grego, que significa lugar muito apertado.
- Açoites, sofrimentos físicos de Paulo:
‘‘Cinco vezes recebi dos Judeus quarenta açoites menos um. Três vezes fui
açoitado com varas (11.24,25ª).
- Prisões, Paulo passou vários anos do seu ministério em diferentes cadeias.
- Tumultos: situações de perigo geradas pelos homens (incitações,
expulsão, complô, violência, prisão, rebelião, desordens civis).
- Trabalho, kopos no grego, que é o trabalho que leva um esgotamento, que
exige força do corpo, mente e espirito.
‘‘trabalhei muito mais do que eles.’’ 1 Co 15.10
- Vigílias, agrupnia no grego: noites sem dormir ou dormir menos horas
para dedicar-se a oração ou à obra do Senhor: ou ainda sono perdido por
viagens, preocupações ou pressões.
- Jejuns, nesteía no grego, refere-se ao jejum voluntario a fim de poder
realizar mais trabalhos, mas também pode ser involuntário (privações ou
fome).
b. Com qualidades de caráter. 2 Co 6.6-7
Insistimos ...com vocês

Cooperando (com Deus)

Pelo contrário...

recomendamo-nos...como servos de Deus...


em (no)

 em pureza,
 conhecimento,
 paciência
 bondade;
 Espírito Santo
 amor sincero;
 palavra da verdade
 poder de Deus;

com (por)
 armas da justiça,
o quer de ataque,
o quer de defesa;

Na pureza Na bondade Na palavra da verdade


No saber No espirito Santo No poder de Deus
Na paciência No amor não fingido Pelas armas da Justiça

- Paulo recomendou a si mesmo, de modo positivo, listando importantes


elementos da justiça concedidos a ele por Deus.
- Pureza... hagnotes no grego: evitar cuidadosamente todos os pecados.
- No saber... conhecimentos de Deus, da mensagem do Evangelho (não é
conhecimento teórico ou intelectual).
- Na paciência... makrothumia no grego, refere-se a ter paciência com
pessoas difíceis, a habilidade de suportar as pessoas mesmo quando elas
estejam erradas, não revidar o mal.
- Na bondade... chrestotes no grego, que é benevolência compassiva, pensar
mais no outro do que em si próprio.
- Amor não fingido... amor ágape, é o amor de entrega sem esperar nada
em troca, que paga o mal com o bem, que não se vinga.
- No Espirito santo... Paulo vivia e andava pelo poder do Espirito. (Gl 5.16)
- Na palavra da verdade... Durante todo seu ministério, Paulo nunca operou
além dos limites da direção e orientação da revelação divina. (Cl 1.5)
- No pode Deus... Paulo não confiava em sua própria força quando
ministrava. (1 Co 1.18, 2.1-3)
- Pelas armas da justiça... Paulo não lutava contra o reino de Satanás com
recursos humanos (Ef. 6.10-18):
Quer ofensivas, quer defensivas... Paulo tinha ambos os
instrumentos, os ofensivos, tais como a espada do Espirito, e os defensivos,
tais como o escudo da fé e o capacete da salvação, à sua disposição (Ef. 6-
16-17)
c. Pronto para enfrentar os paradoxos da vida ministerial. 2 Co 6.8-10
Insistimos ...com vocês

Cooperando (com Deus)

Pelo contrário...

recomendamo-nos...como servos de Deus...


 honra e por desonra;
 difamação e por boa fama

tidos por (como)


 enganadores, sendo verdadeiros;
 desconhecidos, apesar de bem conhecidos;
 morrendo, mas eis que vivemos;
 espancados, mas não mortos;
 entristecidos, mas sempre alegres;
 pobres, mas enriquecendo a muitos;
 nada tendo, mas possuindo tudo.

Por desonra Por honra


Por infâmia Por boa fama
Como enganadores Sendo verdadeiros
Como desconhecidos Mas sendo bem – conhecidos
Como se morrendo Mas eis que vivemos
Como castigados Porem não mortos
Como entristecidos Mas sempre alegres
Como pobres Mas enriquecendo a muitos
Como nada tendo Mas possuindo tudo

Você também pode gostar