Você está na página 1de 4

Conceito de material biológico 

Importância de se fazer a coleta de um material biológico 

Exemplos de exames essenciais para manter a saúde em dia 

Exemplos de exames para prevenção de neoplasias 

Procedimentos para higienização das mãos e antissepsia 

Importância dos Exames para fins de estudos epidemiológicos e estudos de


infertilidade 

Importância de se ter uma estrutura adequada para um laboratório de análises clínicas


(LAC) 

Equipamentos de segurança dos colaboradores em uma LAC: equipamento de


proteção individual (EPI) e equipamento de proteção coletiva (EPC).  

Armazenamento dos resíduos sólidos de saúde 

Conservação e limpeza das instalações do LAC 

Etapas da análise laboratorial:

Se divide em pré-analítica, fase analítica, fase pós-analítica. O controle do laboratório


sobre os erros em cada uma dessas fases é variável, porém todos têm impacto na
conduta adotada pelo médico assistente.

Os resultados dos exames laboratoriais são de fundamental importância para a prática


médica diária, em todos os níveis de atenção à saúde.

70% das decisões e diagnósticos médicos são realizados tomando-se como base os
testes de laboratório.
Resultados laboratoriais incorretos podem causar sérios danos ao paciente e à saúde
pública em geral, na medida em que levam a diagnósticos e condutas médicas
equivocadas.

É imprescindível o conhecimento das fases dos exames laboratoriais, e as possíveis


não conformidades em cada uma delas.

Segundo a ABNT, o erro laboratorial pode ser definido como a “falha de uma ação
planejada que não se completou como foi a proposta, ou o uso de um plano incorreto
para alcançar uma meta, que pode ocorrer em qualquer parte do ciclo do laboratório
(desde o pedido da análise até o laudo de resultado e sua interpretação e a reação
aos erros)”.

Caracterização de cada etapa laboratorial: pré-analítica, analítica e pós-analítica:

Pré-analítica: começa na coleta de material, seja ela feita pelo paciente (urinca,fezes e
escarro) ou no ambiente laboratorial.

Engloba desde a indicação pré-teste, passando pela solicitação/requisição do exame,


orientação ao paciente, coleta da amostra biológica, sequência de tubos, identificação,
triagem, acondicionamento, transporte, até a entrada do material para a análise em si,
vem ganhando bastante importância, já que atualmente é a fase onde se concentra a
maior parte dos erros laboratoriais.

Um bom envolvimento do médico com o laboratório de microbiologia pode ser muito


proveitoso para ambos.

É essencial o treinando adequado do profissional responsável pela coleta.

Os requisitos da fase pré-analítica para a cultura geral incluem: cadastramento


adequado da amostra, volume, acondicionamento e transporte.

Cadastramento adequado da amostra: etapa inicial e inclui, além do nome do


paciente, data e hora da coleta, números de registros e identificação que permitem
rastreabilidade.

Volume: o ideal é superior a 1mL. Volumes maiores ( a 10 mL) aumentam a


sensibilidade da cultura e são recomendados para a recuperação de microbactérias e
fungos.

Acondicionamento: em frasco estéril que não provoque aerossóis quando for aberto.

Transporte: em temperatura ambiente, entre 20º e 35º. A amostra não deve ser
exposta a refrigeração e nem a calor ou frio excessivos. Deve ser enviada em até 1
hora ao laboratório, a fim de ser processada o mais rapidamente possível.

Além de algumas etapas não serem de influência direta do laboratório, outras


dificuldades como a alta rotatividade de funcionários e a falta de treinamento e
conscientização dos mesmos, contribuem para esse elevado índice de não
conformidades. Os potenciais inadequações dessa fase são:

Solicitação equivocada do médico


Escrita ilegível ou abreviações grosseiras
Falta de indicação médica
Interpretação errada da solicitação médica
Perda da solicitação médica
Falta de orientação ou preparo incorreto do paciente
Uso de drogas de abuso e de medicamentos

Fase analítica: corresponde à etapa de execução do teste propriamente dito.

Com o avanço da tecnologia, do controle da qualidade das análises, da informatização


e da automação dos processos, os erros laboratoriais da fase analítica, isto é, àquela
que se refere a etapa de execução do exame propriamente dita, foram bastante
mitigados. Os erros mais comuns dessa etapa incluem:

Falha na calibração e manutenção de equipamentos


Variações de energia elétrica
Água reagente fora das especificações técnicas
Erros na diluição de calibradores e controles
Insumos mal acondicionamentos e/ou degradados
Aspiração de bolhas de ar, microcoágulos ou fibrina
Interferentes, estabilidade da amostra prejudicada
Temperatura ambiente ou a de reação inadequadas
Erros em cáculos e em diluições da amostra

Fase pós-analítica: se inicia no laboratório clínico e envolve os processos de validação


e liberação de laudos, encerrando-se após o médico receber o resultado final,
interpretá-lo e tomar sua decisão.

Após a coleta e análise dos dados, os exames de laboratório chegam a última etapa, a
fase pós-analítica. Assim que o resultado final é extraído do sistema analítico, de
forma manual ou informatizada, o laudo é confeccionado e interpretado pelo médico.
As principais não conformidades desse processo englobam:

Laudos incompletos
Resultados ilegíveis
Transcrição inadequada dos resultados
Falhas na impressão e/ou transmissão do laudo
Unidades erradas
Erros nos valores de referência
Interpretação equivocada dos resultados

Exames laboratoriais mais indicados para se detectar: Influenzas, Filariose, Cólera e


Sífilis

Coleta de material biológico contaminado por HPV, Febre amarela, Meningite Viral 


Variáveis biológicas que influenciam a qualidade dos exames laboratoriais   

Procedimentos de coleta: fezes, material genital, trato respiratório, secreções de pele,


conduto auditivo, ponta de cateter intravascular, micológico direto e cultura para
fungos de unhas e lesões superficiais (pele, pêlo e couro cabeludo)