Você está na página 1de 9

FUNDAMENTOS DA PSICOLOGIA DA

SAÚDE

SAÚDE MENTAL E OS CAPS

-1-
1 Você sabe o que é saúde mental?
A saúde mental equivale ao nível de qualidade de vida psíquica, que engloba a interação mente, corpo e vida em

sociedade.

Sabemos que a saúde não é apenas a ausência de doença, mas um equilíbrio entre os diversos setores da vida

que implicam na qualidade da saúde e na capacidade do indivíduo de ser resiliente, ou seja, de se adaptar e/ou

superar as situações de crises da vida.

Os valores culturais e a subjetividade humana afetam diretamente o modo como a saúde mental é entendida.

A interpretação dos fatos e as cobranças sociais afetam diretamente o modo como as pessoas lidam com as mais

diversas situações cotidianas.

2 A desospitalização e a inclusão social do doente mental


Conheça agora como aconteceu a inclusão social do doente mental no Brasil:

Década de 70

No final da década de 70 surge a Reforma Psiquiátrica, mobilizada através de forças que reuniram os

profissionais da saúde mental, a divulgação da violência em hospitais psiquiátricos e a comercialização da

loucura.

Década de 80

Na década de 80, em São Paulo, foi criado o 1º Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Na década de 90 foram

implantadas as primeiras normas para a regulamentação da atenção diária em saúde mental.

1990

A Declaração de Caracas, aprovada em 1990, ressalta que o hospital psiquiátrico, como única modalidade

assistencial:
• Isola o doente em seu meio, gerando maior incapacidade social;
• Cria condições desfavoráveis que põem em perigo os direitos humanos e civis do enfermo.
A Declaração dispõe sobre a reestruturação da atenção psiquiátrica ligada ao atendimento primário da saúde,

que incentiva modelos alternativos, centrados na comunidade e dentro de suas redes sociais. Ressalta ainda os

cuidados com os enfermos:


• Dignidade pessoal e direitos humanos e civis;
• Estar baseado em critérios racionais e tecnicamente adequados;
• Propiciar a permanência do enfermo em seu meio comunitário.
1999

-2-
A Legislação Federal – Lei 9.867, de 10 de novembro de 1999 - dispõe sobre a criação e funcionamento de

Cooperativas Sociais, visando à integração social dos cidadãos. A finalidade das Cooperativas é inserir pessoas

em desvantagem no mercado econômico, por meio do trabalho.

Pessoas em desvantagem social:


• Deficientes físicos e sensoriais;
• Deficientes psíquicos e mentais;
• Dependentes químicos;
• Egressos de prisões;
• Condenados a penas alternativas à detenção;
• Adolescentes em idade adequada ao trabalho e situação familiar difícil do ponto de vista econômico,
social ou afetivo.
2001

A Lei nº 10.216, de 6 de abril de 2001 (Lei Paulo Delgado), dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas

com transtornos mentais, ressaltando a não discriminação.

Direitos valorizados:
• Ter acesso ao melhor tratamento no sistema de saúde;
• Ser tratada com humanidade e respeito;
• Ser protegida de abuso e exploração;
• Ter garantia de sigilo nas informações prestadas;
• Ter livre acesso aos meios de comunicação disponíveis;
• Ter direito a presença médica;
• Ser tratada em serviços comunitários de saúde mental;
• Internação só será indicada quando os recursos extra-hospitalares se mostrarem insuficientes;
• É vedada a internação de pacientes em instituições com características asilares;
• Alta planejada com reabilitação psicossocial assistida;
• Internação voluntária e involuntária (deve ser comunicada ao Ministério Público Estadual, no prazo de
72 horas, pelo responsável técnico do estabelecimento).

3 O que são os CAPS


Conheça mais sobre os CAPS!

-3-
Figura 1 - Exemplo de um CAPS, Rocinha - Rio de Janeiro.

Ministério Público

De acordo com o Ministério da Saúde, o CAPS é “um serviço de saúde aberto e comunitário do SUS, local de

referência e tratamento para pessoas que sofrem com transtornos mentais, psicoses, neuroses graves e

persistentes e demais quadros que justifiquem sua permanência num dispositivo de atenção diária,

personalizado e promotor da vida”. Fonte: clique aqui

Característica

O CAPS tem como principal característica ser um serviço de saúde comunitário e aberto do SUS (Sistema Único

de Saúde) que serve de local de referência, acompanhamento e tratamento para aqueles que apresentam algum

tipo de transtorno mental.

Diretrizes e princípios

Os Centros de Atenção Psicossocial obedecem a diretrizes e princípios, como:


• Responsabilidade pelo acolhimento de toda a demanda dos portadores de transtornos de saúde mental
do município em que está inserido;
• Garantia do plantão técnico – presença do profissional responsável para o funcionamento da unidade de
saúde;
• Inclusão de pacientes graves com dificuldade de acompanhar as atividades desenvolvidas no CAPS;
• Ações voltadas aos familiares;
• Planejamento e implantação de projetos de inserção social;
• Gerenciamento de casos;
• Projetos e atividades personalizadas;
• Atividades de inclusão e de permanência diária do paciente em acompanhamento na unidade.

-4-
4 Principais objetivos dos CAPS
De acordo com o Ministério da Saúde, os principais objetivos do CAPS consistem em: oferecer atendimento à

população, realizar o acompanhamento clínico e a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer,

exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

Saiba mais
Os CAPS, entre todos os dispositivos de atenção à saúde mental, têm valor estratégico para a
Reforma Psiquiátrica Brasileira. Com a criação desses centros, possibilita-se a organização de
uma rede substitutiva aos hospitais psiquiátricos no país. Os CAPS são serviços de saúde
municipais, abertos, comunitários, que oferecem atendimento diário.
Os serviços de saúde mental no CAPS devem priorizar a reinserção social através da
desinstitucionalização. Há o enfoque na produção de autonomia, que ressalta a
responsabilidade do usuário e de seus familiares sobre os processos de tratamento.
O CAPS dispõe de projetos e serviços que vão além de seus muros, com parcerias que
potencializam a rede de suporte social, valorizando cada pessoa e sua subjetividade.

É função dos CAPS:


• Prestar atendimento clínico em regime de atenção diária, evitando as internações em hospitais
psiquiátricos.
• Acolher e atender as pessoas com transtornos mentais graves e persistentes, procurando preservar e
fortalecer os laços sociais do usuário em seu território.
• Promover a inserção social das pessoas com transtornos mentais por meio de ações intersetoriais.
• Regular a porta de entrada da rede de assistência em saúde mental na sua área de atuação.
• Dar suporte a atenção à saúde mental na rede básica;
• Articular estrategicamente a rede e a política de saúde mental num determinado território, como por
exemplo organizar a rede de atenção às pessoas com transtornos mentais nos municípios.
• Promover a reinserção social do indivíduo através do acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos
civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

5 Atividades terapêuticas
De acordo com as diretrizes do SUS para a saúde mental, as atividades oferecidas pelos CAPS podem ser:
• Tratamento medicamentoso
• Atendimento a grupo de familiares
• Orientação
• Atendimento psicoterápico

• Atividades de suporte social: projetos de inserção no trabalho, articulação com serviços residenciais

-5-
• Atividades de suporte social: projetos de inserção no trabalho, articulação com serviços residenciais
terapêuticos, atividades de lazer, encaminhamentos para a entrada na rede de ensino e para a obtenção
de documentos.
• Oficinas culturais.
• Visitas domiciliares.
• Desintoxicação ambulatorial: conjunto de procedimentos destinados ao tratamento da intoxicação/
abstinência decorrente do uso abusivo de álcool e outras drogas.

6 Formas de atividades terapêuticas


Os CAPS oferecem diversos tipos de atividades terapêuticas:

Individual

O atendimento individual se dá através de psicoterapia, orientação e prescrição de medicamentos.

Grupo

O atendimento em grupo ocorre através de diversas oficinas (geração de renda, alfabetização, musicalidade,

esportivas, ocupacionais etc.).

Familiar

O atendimento familiar é voltado para o acolhimento familiar, atividades de ensino, lazer, cultura e outras que

possam contribuir para a valorização da família no processo de tratamento em saúde mental.

Comunidade

As atividades comunitárias visam às trocas socioculturais e a integração do paciente da saúde mental com sua

família e a comunidade da qual faz parte. Alguns exemplos de atividades: festas comunitárias, formação de

grupos de interesse, etc.

7 Atuação de psicólogos
Os psicólogos que atuam nos CAPS realizam grande diversidade de atividades e buscam desenvolver novas

estratégias de ação para lidar com os desafios e as dificuldades que permeiam o cotidiano. Sua atuação

dependerá dos seguintes cenários:

Quando o profissional é referência para esse usuário

Ao entrar no CAPS, os usuários são acolhidos, e em alguns casos, são realizados por psicodiagnóstico e triagem.

Os profissionais, em equipe multidisciplinar, traçam um Plano de Intervenção Terapêutico e selecionam um

profissional que atuará como referência para esses usuários dentro do CAPS.

Quando atuam atendendo os recém-chegados ao CAPS

-6-
No momento de entrada do usuário no CAPS, os profissionais atuam visando a garantir um bom acolhimento e a

avaliação dos motivos do encaminhamento ou da procura espontânea. Esse tipo de atendimento é realizado de

diferentes formas: triagem, acolhimento, entrevista inicial, anamnese, avaliação, escuta, encaminhamentos ou

admissões, entre outros.

8 Diferentes tipos de CAPS e implementação


O Ministério da Saúde dividiu os Centros de Atenção Psicossocial em cinco modalidades diferentes, conforme a

clientela específica.

CAPS I

São serviços para cidades de pequeno porte, que devem dar cobertura para toda a clientela com transtornos

mentais severos durante o dia (adultos, crianças, adolescentes e pessoas com problemas devido ao uso de álcool

e outras drogas).

CAPS II

São serviços para cidades de médio porte e atendem, durante o dia, clientela adulta.

CAPS III

São serviços 24h, geralmente disponíveis em grandes cidades, que atendem clientela adulta.

CAPSi

São serviços para crianças e adolescentes, em cidades de médio porte, que funcionam durante o dia.

CAPSad

São serviços para pessoas com problemas causados pelo uso de álcool ou outras drogas, geralmente disponíveis

em cidades de médio porte. Funciona durante o dia.

Para sua implantação, deve-se primeiro observar o critério populacional, cujos parâmetros são definidos da

seguinte forma (ref.: Portaria GM n°. 336, de 19/02/02):

Fonte: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Portaria%20GM%20336-2002.pdf.

-7-
Fonte: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Portaria%20GM%20336-2002.pdf.

9 A composição das equipes e oficinas terapêuticas


As equipes dos CAPS são multiprofissionais, com a presença obrigatória de:

Fique ligado
Além de outros profissionais da área da saúde, conforme o tipo de CAPS.

• Enfermeiro
• Psiquiatra
• Psicólogo
• Assistente social

Saiba mais
O enfoque é o tratamento terapêutico, com direcionamento para a reinserção social. Por isso,
temos CAPS que possuem profissionais das áreas de pedagogia, terapia ocupacional, professor
de educação física, arteterapia, dentre outros.

As oficinas terapêuticas visam promover novos modos de agir social, de interação com o meio e com a cultura na

qual cada usuário está inserido.

A promoção de saúde também se dá pela via da reinserção sociocultural, como por exemplo, oficinas:
• de música;
• de poesia;
• de bijuteria;
• de artes;
• de dança;
• literária etc.

-8-
10 A relação dos CAPS com a Rede de Saúde Básica
Por sua proximidade com famílias e comunidades, as equipes da atenção básica são um recurso estratégico para

o enfrentamento de agravos vinculados ao uso abusivo de álcool, drogas e diversas formas de sofrimento

psíquico (Ministério da Saúde, 2003).

A realidade das equipes de atenção básica demonstra que, cotidianamente, elas se deparam com problemas de

saúde mental: as equipes de saúde da família estão sempre se deparando com questões de saúde mental e

acabam por realizar ações nesta área.

11 A relação dos CAPS com a comunidade


Se a história da loucura revela que os considerados doentes mentais viviam em reclusão e exclusão completa da

sociedade em outra época, atualmente, a comunidade valoriza as unidades de CAPS como um recurso valioso

para cuidar das pessoas com desestruturação mental.

Os CAPS são territorializados, atendem a uma população adscrita, que está ao seu entorno e deve ser um espaço

para a convivência social, a discussão de temas relevantes para a saúde mental da população, a construção de

projetos que promovam cidadania e inserção social.

A comunidade na qual o CAPS está inserido deve ser convidada a integrar seus espaços físicos e construídos

socialmente através de ações para além de suas portas. A saúde mental é uma questão biopsicossocial e deve ser

abordada em todos os seus aspectos.

-9-

Você também pode gostar