Você está na página 1de 1

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS

ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE


RELATÓRIO DE IMUNOLOGIA

Nome:_____Júlia Lopes Moura_________________________ Turma:_T03_____Data:10/10/2021_______

Fichamento 5: Antígenos
Antígenos são substâncias que podem ser reconhecidas pelas células apresentadoras de antígenos, células T,
células B ou ambas, através de receptores representados por receptores escavenger, toll, receptores de manose,
receptores de metionina, anticorpos e TCR. Esses antígenos podem ser classificados em: completo e incompleto. Existem
antígenos que têm a capacidade de ativar a resposta imune, então naquela molécula do patógeno tem partes dele que
vão ativar a resposta imune, sendo um antígeno completo. Mas, tem moléculas na superfície daquele patógeno que não
vão iniciar uma resposta imune (patógeno incompleto). São moléculas estranhas, mas que não tem capacidade de
desenvolver uma resposta imune, quando aquela partícula é estranha e tem a capacidade de desenvolver uma resposta
imune é chamada de antígeno completo. Então com isso, surge o conceito de imunógeno, que é essa molécula que tem
a capacidade de estimular uma resposta imune, e esse imunógeno são estruturas que estão presentes no patógeno.

Tem uma região chamada de Epítopo, é quando há fragmento do patógeno. Ocorre a fagocitação do patógeno
e os pedacinhos que sobram são os Epítopos. Esses fragmentos podem também ser chamados de determinantes
antigênicos. São regiões do antígeno que foram gerados após o processo de fagocitose, e eles vão ter tanto aspectos
físicos e químicos que vão proporcionar uma ativação da resposta imune, e esse pedacinho é que vai ser apresentado via
receptor para o sistema imune adaptativo. O imunodominante interage com maior afinidade de ligação e que podem
induzir uma resposta imune mais forte.

Haptenos são antígenos pequenos que por serem tão pequenas passam despercebidas pelo sistema imune
sendo incapaz de desenvolver uma resposta. O que precisa para que ela inicie uma resposta? precisa se acoplar a uma
proteína, se liga a uma proteína carreadora, conseguindo ampliar seu tamanho, para ser vista pelas células do sistema
imune. Exemplo: Hipersensibilidade de contato (brincos). Tolerógenos são as partículas que a se sabe que tem capacidade
antigênica, tem capacidade de estimular a resposta imune, mas que acaba sendo aceita pelo nosso organismo. Ocorre
na anergia, supressão e deleção.

Fatores que influenciam na imunogenicidade: Estranheza, tamanho Grandes x pequenos = fagocitado, forma
física: Antígenos particulados x solúveis, natureza química dos imunógenos e persistência. Os fatores do sistema
biológico: idade: quando eu comparo um recém-nascido, um adulto e um idoso. O recém-nascido ainda não está pronto
para reagir ao patógeno, tem sistema imunológico, mas ainda precisa ser estimulado, precisa entrar em contato com os
antígenos, vacinas que ele vai tomar, e a proteção que ele recebe por enquanto é o aleitamento materno. Então, ele está
sendo protegido através dos anticorpos da mãe. O adulto ele já tem um sistema apto a responder as infecções porque,
já desenvolveu várias células de memoria, então ele já tem uma resposta imune mais eficaz, seu timo está com a
produção adequada de linfócitos. O idoso está mais suscetível a desenvolver infecção por que ele está mais debilitado.
Tem uma fase chamada atrofia do timo, a medula produz células, mas o timo está com uma atrofia.

Método de administração: 1º dose: Doses baixas e altas são arriscadas para o organismo. Logo, de preferência
deve-se dar uma dose nem tão alta nem tão baixa. 2º via subcutânea, intramuscular (prolonga a resposta imune
adaptativa), oral e 3º o adjuvante: substâncias que vão ajudar a reconhecer o antígeno, podem aumentar a resposta
imune a um antígeno. O seu uso, entretanto, é frequentemente prejudicado pelos efeitos colaterais como febre e
inflamação.

Antígenos T-Independentes não precisam do linfócito T para gerar uma resposta. São antígenos que não geram
memoria, não promove o suíte de classe, e como substâncias eu tenho ácidos nucleicos, Polissacarídeos e Lipídios. Os
antígenos T-Dependentes precisam do linfócito T para gerar uma resposta. São antígenos que vão promover a ativação
do linfócito T e vão promover a memória imunológica. Exemplo: Proteínas, porque são elas que vão estimular linfócitos
T. Os linfócitos B reconhecem patógenos na sua forma integra através dos receptores de células B (BCR) e é capaz de
apresenta-lo via molécula de MHC para o linfócito T CD4. Reação cruzada: é quando existe uma semelhança na estrutura
de duas proteínas. temos duas proteínas com forma semelhante, fazendo com que o anticorpo possa se encaixar. Isso
pode influenciar, quando se vai fazer teste diagnóstico: entrei em contato com o patógeno, desenvolvi uma resposta e
vou fazer teste para outro patógeno, se eles têm alguma molécula semelhante pode ocorrer uma reação cruzada. Eu
posso responder aquele exame.

Você também pode gostar