Você está na página 1de 3

Experimento 2 - Determinação da Densidade de Sólidos e Líquidos

Densidade
A densidade de uma substância é a razão da sua massa pelo seu volume, ou a massa de uma unidade de
volume. A massa e o volume dependem da quantidade da substância, porém a densidade é constante em uma
temperatura e uma pressão definidas. As propriedades que não dependem da extensão dos sistemas são chamadas
propriedades intensivas e são sempre expressas pela razão de propriedades que dependem da extensão dos
sistemas como é aqui o caso da massa e do volume. As densidades de uma gota de água, da água num balde ou
numa piscina olímpica são exatamente as mesmas, isto é 996,512 g/L a 27 oC sob pressão de uma atmosfera. Alguns
exemplos de propriedades intensivas são: massa por mol, km/hora, preço por quilo. As unidades de densidade são:
g/mL ou g/cm3, kg/L, kg/m3, etc. A temperatura, a pressão e a composição devem ser mencionadas uma vez que a
densidade varia com a temperatura, com a pressão e com a composição.

Determinação da densidade utilizando um picnômetro


O picnômetro é um "Frasco aferido destinado à medição de massa específica de sólidos ou líquidos"
(dicionário Aurélio):

Método do Picnômetro
Trata-se de um pequeno frasco de vidro construído cuidadosamente de forma que o volume do fluido
que contenha seja invariável. Ele possui uma abertura suficientemente larga e tampa muito bem esmerilhada
perfurada na forma de um fino tubo longitudinal. Neste experimento vamos utilizá-lo para medir a densidade
relativa (em relação à água) de um sólido e um líquido. Para usar o picnômetro para se medir densidade de
líquidos e sólidos, deve-se considerar: massa do picnômetro vazio; a massa do picnômetro cheio com a
amostra, cuja densidade relativa se deseja determinar e a massa do picnômetro cheio de água pura (na
prática, água destilada). A densidade relativa do líquido em questão é obtida a partir da equação abaixo:

Objetivo geral do experimento


Determinar a densidade de sólidos e líquidos.

Parte Experimental
Materiais e reagentes
Balança analítica 3 pisseta
Balança semi-analítica 3 béquer de 50 mL
3 picnômetro 3 béquer de 250 mL
1 termômetro 3 proveta de 10, 25 e 50 mL
Álcool comercial 3 pipeta volumétrica de 5, 10, 25mL
BENZENO 3 erlenmeyer de 125 mL
Amostras sólidas (ex. 3 vidro de relógio
objetos metálicos) 3 Pipeta de Pauster

Procedimento Experimental
Calibração do picnômetro
O picnômetro deve ser previamente calibrado, conforme as instruções a seguir:
1) Em um béquer de 250 mL limpo, coloque aproximadamente 150 mL de água destilada. Aguarde algum tempo
até atingir o equilíbrio térmico à temperatura ambiente e, com o auxílio de um termômetro, meça a temperatura
da água.

2) Pese cuidadosamente o picnômetro (vazio e seco) com a sua tampa. Anote sua massa. Lembre-se de utilizar
uma folha de papel ou uma pinça para manusear o picnômetro.

3) Encha o picnômetro com parte da água destilada do béquer. Tampe-o de maneira que o excesso de água escorra
pelo capilar. Verifique se bolhas de ar não ficaram aprisionadas no seu interior. Se isso ocorreu, remova-as e encha
o picnômetro novamente. Coloque o picnômetro dentro do béquer contendo o restante da água destilada, evitando
que o nível de água do béquer atinja a sua tampa. Aguarde algum tempo até atingir o equilíbrio térmico com o
ambiente.

4) Use uma folha de papel para segurar o picnômetro e, com um papel poroso, enxugue cuidadosamente o líquido
da parte externa do picnômetro. Pese o picnômetro contendo a água. Anote a massa.

Atenção! Procure realizar estas operações da forma mais delicada e rápida possível, para não sujar ou engordurar
as paredes externas do picnômetro e para evitar que o líquido mude de temperatura ou evapore.
A diferença entre a massa do picnômetro cheio e a massa do picnômetro vazio é a massa da água. Utilize os dados
obtidos e a tabela 1 para determinar o volume do picnômetro. Interpole para frações de grau Celsius, se necessário.

a) Determinação da densidade do álcool comercial usando-se um picnômetro


Segure sempre o picnômetro com uma folha de papel!
Pese o picnômetro e anote a massa.
1) Lave três vezes o picnômetro com um pequeno volume do líquido cuja densidade será determinada (álcool
comercial) para remover os resíduos de água do seu interior. Descarte estas alíquotas num local apropriado.
2) Adicione o álcool (sugestão: ao encher o frasco com álcool, tome cuidado para não ocorrer a formação de bolhas,
pois isto acarretaria erros nos resultados) e coloque a tampa de maneira que o excesso de líquido escorra pelo
capilar. Com um papel poroso, enxugue o líquido presente na parte externa do picnômetro.

3) Pese o picnômetro (contendo o líquido) e anote sua massa. Utilize um pedaço de papel para manusear o
picnômetro. Meça a temperatura do líquido.

4) Anote os dados, utilizando o modelo de tabela a seguir. A massa do álcool é a diferença entre as massas do
picnômetro cheio e vazio. A densidade do álcool é a razão da massa do álcool dividida pelo volume do picnômetro
previamente determinado.
Massas(g) p/ água Massas(g) p/ água
Massa do picnômetro vazio
Massa do picnômetro + líquido
Massa do líquido
Volume do líquido
Densidade do Líquido

Liquidos Densidade Densidade Erro absoluto Erro relativo


encontrada (g/mL) Verdadeira (g/ml)
Água
Alcool

c) Determinação da densidade utilizando uma proveta


1) Com o auxílio de uma pisseta, coloque 10 ml de água na proveta de XX mL. Ajuste o menisco e anote o
volume.
2) Pese a amostra sólida (ex. objeto metálico).
3) Transfira a amostra para a proveta, inclindo-a em aproximadamente 30° para evitar respingos. Se houver
bolhas nas paredes da proveta ou na superfície da amostra, bata levemente na base da proveta para desprender
essas bolhas. Anote o novo volume.
4) Determine o volume da amostra que é a diferença entre o volume final e o volume inicial.
Com os resultados obtidos acima, calcule a densidade da amostra. Compare a densidade calculada com os valores
da literatura, sabendo qual é a natureza da amostra.
Você pode usar como modelo a tabela a seguir
Amostra Massa/g Volume da Densidade/g. Erro aabosulo Erro relativo
amostra/mL ml-1

Referências bibliográficas
BACCAN, N.; ANDRADE, J.C.; GODINHO, O.E.S.; BARONE, J.S. Química Analítica Quantitativa Elementar.
3ª ed. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2007. p.292.

Você também pode gostar