Você está na página 1de 9

UM ENCONTRO COM O NOVO NASCIMENTO

Texto base: João 3.1-21


INTRODUÇÃO

Ilustração:
Benjamin Franklin não era apenas um grande estadista e
inventor, mas também um ótimo correspondente, que recebia
cartas de pessoas famosas do mundo todo.
Certo dia, recebeu aquela que, possivelmente, foi a carta mais
importante a chegar a sua mesa. Era uma correspondência do
conhecido pregador inglês George Whitefield.
"Vejo que estás cada vez mais famoso no mundo erudito",
escreveu Whitefield. "Assim como fizeste tamanho progresso na
investigação dos mistérios da eletricidade, venho instar com
toda humildade que atentes diligentemente para o mistério do
novo nascimento. Trata-se de um estudo de suma importância e
interesse que, quando dominado, o recompensará ricamente por
seus esforços."

No seu ministério Jesus encontrou muitas pessoas, em algumas


ocasiões as pessoas se achegaram até Ele como no encontro
com Nicodemos, mas em outros momentos o próprio Senhor se
dirigiu as pessoas.

Pessoas das mais variadas posições sociais, revelando que de


fato o Senhor não faz acepção de pessoas.

Fazendo um rápido link com a cultura do nosso tempo, pois


como bem disse Karl Barth: “O cristão deve carregar em uma
das mãos a Bíblia e, na outra, o jornal”.

Ele também se relacionou com pessoas ricas em seu tempo,


exemplos disto foram o publicano Zaqueu e o próprio
Nicodemos.
Jesus afirmou que é mais fácil um camelo passar por uma
agulha do que um rico entrar no Reino dos Céus (Lucas 18:24-
25), pois Ele conhece o poder que o dinheiro pode ter sobre o
coração humano, trazendo avareza, ganância e egoísmo.

Mas quando Jesus se relacionava com as pessoas Ele não as


escolhia por causa de sua classe social, Ele se achegava a elas,
pois conhecia suas necessidades mais profundas.

Também se relacionava com as pessoas não para apoiar


qualquer prática pecaminosa que estivessem praticando, mas
para transformar seus corações, pois Ele sabia que o maior
problema do ser humano é o pecado.

Pobres e ricos, homens e mulheres, crianças, jovens, adultos e


idosos, religiosos ou não, enfim todos, precisam de salvação,
todos precisam de Jesus. Todos carecemos de Deus.

Inevitavelmente os encontros com Jesus narrados nos


evangelhos foram momentos marcantes na vida das pessoas.
Vidas foram transformadas para sempre, foi assim na vida dos
discípulos e de muitas outras pessoas.

O encontro verdadeiro com Jesus é transformador! E o melhor


de tudo, é que você pode hoje se encontrar com o Mestre, e ter
a sua vida transformada para todo o sempre.
• Temos um homem chamado Nicodemos, o texto nos dá a
informação de que ele era um fariseu, um homem muito
proeminente entre os judeus.
• Os fariseus eram conhecidos pelo seu zelo com a Lei de
Moisés, porém, levaram isto aos extremos, acreditando que
a salvação era por cumprir a Lei e outras regras que eles
foram acrescentando ao longo do tempo, ou seja, eles
acreditavam em uma salvação pelas obras.
• O texto continua e diz que Nicodemos foi encontrar Jesus à
noite.
• Alguns comentaristas dizem que isto se deve ao fato de
Nicodemos não querer ser reconhecido, pois temia ser
repreendido pelos fariseus, outros afirmam que o encontro
se deu a noite apenas pelo fato de Jesus estar muito
ocupado durante o dia, a noite seria o momento ideal para
conversar livremente com o mestre, sem interrupções.
• Ao se encontrar com Jesus, Nicodemos faz uma bela
declaração de que considerava Jesus um profeta, um
mestre vindo da parte de Deus (v.2b). Ele e alguns de seus
amigos, em nome dos quais ele aparenta falar, tinham esta
convicção em seu coração.

[ST] A resposta de Jesus parece estar desconectada da


declaração inicial de Nicodemos, e isto nos leva ao primeiro
ponto da nossa mensagem que é…

1 – JESUS CONHECE NOSSOS QUESTIONAMENTOS MAIS


PROFUNDOS ( V.3-4 )

Interessante amados, que Nicodemos não faz nenhuma


pergunta pra Jesus, ele apenas declarou a sua crença de que
Jesus era um profeta enviado por Deus, pois os seus milagres
atestavam isto.
Mas antes que Nicodemos pudesse fazer qualquer pergunta,
Jesus já conhecia a pergunta mais profunda da alma daquele
homem.

A luz da resposta de Jesus, podemos afirmar que o


questionamento do interior de Nicodemos era quanto ao que
ele precisava fazer para ser salvo.

Nicodemos era um fariseu, acostumado com duras exigências,


• com normas rígidas,
• com sacrifícios
• e rituais,
• mas a despeito de todas estas coisas seu coração
continuava inquieto quanto à salvação da sua alma.

Você já buscou em muitos lugares, mas o seu coração ainda não


encontrou a paz e o descanso, você se sente perdido, confuso,
você sente que apesar de toda a sua busca ainda não é salvo.

Ouça a resposta Daquele que sonda os nossos corações, Ele


conhece cada pensamento, cada pergunta que há no âmago de
nosso ser.

“[…] respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se


alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”

A palavra grega usada por Jesus, que foi traduzida em nossas


bíblias como “de novo”, mas também pode ser traduzido como
“de cima, do alto”. Nascer de novo, nascer do alto ou nascer de
cima indica a natureza espiritual do novo nascimento.

Jesus responde a pergunta do coração de Nicodemos afirmando


que para ser salvo é preciso nascer de novo, não um
renascimento físico, mas um renascimento espiritual, porém
Nicodemos não consegue entender, ele não conseguia conceber
além do nascimento físico, por isso que a sua contraposição ao
que Jesus disse foi: “Como é que um homem velho pode nascer
de novo? Será que ele pode voltar para a barriga da sua mãe e
nascer outra vez?” (NTLH)

Assim como ambos os pais são necessários para que ocorra o


nascimento físico, também são precisos dois "pais" para que se
dê o nascimento espiritual:
• o Espírito de Deus (Jo 3:5)
• e a Palavra de Deus (Tg 1:18; 1 Pe 1:23-25)
Obviamente é impossível alguém voltar ao ventre materno, se
para um bebê já é inviável, que dirá um homem adulto.

Nicodemos apela para algo absurdo e impossível,


demonstrando que não estava entendendo nada do que Jesus
estava querendo dizer com novo nascimento ou nascer do alto.

[ST] Mas o paciente mestre Jesus explica para Nicodemos o que


Ele queria dizer, e isto nos conduz ao segundo ponto de nossa
mensagem que é…

2 – JESUS NOS MOSTRA A NECESSIDADE DE REGENERAÇÃO E


CONVERSÃO ( V. 5-8 )

Em resposta para Nicodemos Jesus afirma que apenas entra no


Reino de Deus aquele que nasce da água e do Espírito.

Com nascer da água Jesus estava se referindo ao batismo, mas


não é suficiente ser batizado com água para ser salvo, é preciso
nascer do Espírito.

O sinal precisa vir acompanhado daquilo que ele representa. O


batismo simboliza a obra purificadora do Espírito Santo,
portanto nascer do Espírito é essencial para que alguém seja
salvo, tanto que nos versos 6 e 8, Jesus não fala mais de nascer
da água, mas somente nascer do Espírito.

A salvação, portanto depende de uma obra sobrenatural do


Espírito Santo, chamamos esta obra de regeneração,
• que é quando o Espírito Santo infunde nova vida no
coração do pecador, que até então estava morto
espiritualmente.
• Esta obra vivificadora do Espírito transforma
radicalmente a natureza do pecador eleito
• que, antes estava inclinada somente para o pecado e em
desagradar a Deus,
• ele agora passa a ter a capacidade de viver uma vida
piedosa, buscando a santificação e o amadurecimento na
fé.
• A obra da regeneração permite que a conversão ocorra, e
o pecador se volte para Deus em arrependimento e fé
para salvação.

A necessidade do novo nascimento


• porque a inclinação do seu coração é contra Deus.
• porque sem o novo nascimento você não pode ver o reino de
Deus e não pode entrar nesse reino
• Porque uma fé intelectual ou emocional é insuficiente para
você entrar no reino de Deus.
• porque o novo nascimento é uma ordem expressa de Jesus
(3.7).

Jesus afirma ainda a Nicodemos: “O que é nascido da carne é


carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.”
É como se Ele estivesse afirmando:
• a natureza pecaminosa do ser humano só é capaz de
produzir natureza pecaminosa humana,
• mas o Espírito Santo pode produzir uma natureza humana
santificada.

Permita-me abrir um parêntese nessa parte; a maioria das


pessoas de nosso tempo vê Jesus apenas como:
• um “cara legal”, bonzinho, que acolheu todo mundo, quer
que todo mundo seja feliz e que não exige nada,
• não é preciso nenhuma mudança de vida (vide os crentes
famosos da mídia),
• mas aqui em João 3 estamos presenciando um Jesus:
o confrontador,
o que exige uma mudança de vida,
o um novo nascimento,
o conversão genuína,
o algo bem distante do “jesus de açúcar” que a mídia e
os “crentes modernos” querem nos vender.

Jesus reforça nesta parte, o que:


• o caráter soberano da regeneração,
• ou seja, ela é uma obra inteiramente de Deus (v.8).
• Neste intuito, Ele faz uma comparação entre o vento e o
Espírito,
o pois assim como o vento sopra aonde quer,
o o Espírito Santo é soberano em sua obra, não há
como controlá-lo,
o ou seja, ninguém pode salvar a si mesmo, isto é uma
obra totalmente de Deus.

[ST] Isto bate de frente com o pensamento religioso de


Nicodemos. Como assim? Ninguém pode salvar-se? E isto nos
leva ao terceiro e último ponto de nossa mensagem…

3 – JESUS CONFRONTA NOSSAS CONCEPÇÕES MAIS


ARRAIGADAS ( V. 9-15 )

Nicodemos continuou com dúvidas e agora parecia mais


confuso ainda (v.9).

Todo o seu treinamento farisaico não fora capaz de fazê-lo


entender o que é o novo nascimento pregado por Jesus.

Jesus diz: Você é um mestre em Israel, mas não sabe destas


coisas? (v.10).
O ensino de Jesus sobre a necessidade de regeneração para ser
salvo, e de que esta era uma obra de Deus através do Espírito
Santo era estranho e repulsivo para eles, pois batia de frente
com a salvação pelo cumprimento da Lei que eles pregavam.

Neste momento, as convicções mais profundas do coração de


Nicodemos estavam sendo enfrentadas.

E Jesus vai além, confronta ainda mais a Nicodemus (ler


versículo 12).

É como se Jesus estivesse dizendo: “Se, quando digo coisas


claras como o dia você não acredita em mim, por que eu falaria
de coisas que você não pode ver, das coisas de Deus?” (Bíblia A
Mensagem).

Jesus havia falado de coisas relacionadas à experiência


humana, o qual uma reflexão profunda no seu próprio coração
revelaria a Nicodemos a necessidade da regeneração, mas a sua
“bagagem teológica farisaica”, o estava impedindo de enxergar
naquele momento. Como então Jesus poderia revelar-lhe coisas
mais profundas e misteriosas?

O conhecimento de Jesus estava baseado na sua divindade, na


sua pré-existência no céu (v.13).

Ele como Deus filho conhecia o plano redentor de Deus traçado


na eternidade, antes da fundação do mundo (v.14-18).

Este é Jesus, aquele que confronta nossas convicções, aquilo


que está em nossos corações.

CONCLUSÃO
O encontro com Jesus é transformador. O texto não dá a
sequência do que aconteceu com Nicodemos após o encontro
com o mestre.
Mas podemos imaginar que as palavras de Jesus ficaram
martelando na cabeça daquele homem, a vida dele com certeza
não foi a mesma.
Uma pergunta sincera que brota em nossa mente quando lemos
este texto é: E aí Nicodemos se converteu? Ele foi salvo?

O encontro com Jesus mudou a vida de Nicodemos e pode


mudar a nossa também!
Jesus nos convida a um encontro com Ele.

1. Ele conhece os questionamentos do nosso coração


2. Ele nos mostra a necessidade de sermos regenerados
pelo Espírito Santo
3. Ele confronta as nossas convicções distorcidas
Acheguemo-nos a Cristo e tenhamos um encontro pessoal e
transformador com o Salvador.

Oremos ao Senhor.

Você também pode gostar