Você está na página 1de 8

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

PEDAGOGIA

AGDA MALFACINI FITELMAM

O TRABALHO DO PEDAGOGO
O QUE E SER PEDAGOGO?

BETIM
2014
AGDA MALFACINI FITELMAM

O TRABALHO DO PEDAGOGO
O QUE E SER PEDAGOGO?

Trabalho interdisciplinar. Apresentado à Universidade


Norte do Paraná - UNOPAR, como requisito parcial para
a obtenção de média semestral nas disciplinas de
Educação a Distância, Comunicação e Linguagem,
Metodologia Cientifica, Fund. Do Processo Educativo no
Cont. Hist. Filosófico, Seminário Interdisciplinar I.
Orientador: Prof.ª Melina Klaus, Juliana Fogaça, Okçana
Battini, Márcia Bastos/ Bernadete, Marlizete.
Tutor (a) Eletrônico (a): Edinalva Gaspar Messias
Tutor (a) de Sala: Vivian Francisca de Brito

BETIM
2014
INTRODUÇÃO

Quando se pensa em fazer o curso de pedagogia, devemos ter em


mente o que é ser pedagogo.
Sabendo que pedagogia é o campo do conhecimento, que se ocupa
do estudo sistemático da educação, isto é, do ato educativo, da prática educativa
concreta que se realiza na sociedade, pergunto então, o que é ser pedagogo nos
dias atuais? Qual é o trabalho do pedagogo?
A sociedade moderna apresenta demandas de caráter social e
educacional que ultrapassaram os limites formais do espaço escolar. Via se antes
apenas a relação existente entre educação e escola; hoje, portanto, essa visão
mudou, abriu-se para o entendimento da sociedade, um leque de possibilidades da
educação também em espaços não escolares.
Atualmente, denomina-se pedagogo o profissional cuja formação é a
Pedagogia, que no Brasil é uma graduação e que, por parte do MEC - Ministério da
Educação e Cultura é um curso que cuida dos assuntos relacionados à Educação
por excelência, portanto trata se de uma Licenciatura, cuja grade horário-curricular
atual estipulada pelo MEC confere ao pedagogo, de uma só vez, as habilitações em
educação infantil, ensino fundamental, educação de jovens e adultos, coordenação
educacional, gestão escolar, orientação pedagógica, pedagogia social e
supervisão educacional, sendo que o pedagogo também pode, em falta de
professores, lecionar as disciplinas que fazem parte do Ensino Fundamental e
Médio, além se dedicar à área técnica e científica da Educação, como por exemplo,
prestar assessoria educacional. Devido a sua abrangência, a Pedagogia engloba
diversas disciplinas, que podem ser reunidas em três grupos básicos: disciplinas
filosóficas, disciplinas científicas e disciplinas técnico-pedagógicas.
DESENVOLVIMENTO

O pedagogo precisa sempre estar atualizado, não se formar e


estacionar em uma escola, hoje ele precisa muito mais do que pegar na mão do
aluno e ajudar ele a escrever, tem como objetivo formar cidadão crítico, capaz de
mudar a sociedade pela qual vivemos, tem que estar sempre aprendendo seja com
seu aluno, com seu companheiro de trabalho, com a família ou com o amigo, apesar
de que com estes pilares da educação servem de base para tudo que se tem hoje,
uma das causas pela qual a profissão de pedagogo tem aberto novos caminhos.
Na Grécia antiga, eram chamados de pedagogos, os escravos, que
conduziam as crianças às escolas. E hoje, em pleno século XXI, ser pedagogo é só
conduzir crianças às escolas, ensinar qualquer coisa? Ser pedagogo não é ser
apenas professor, é ser responsável pelo processo educativo, é saber lidar com o
diferente, sem preconceitos. Nas mãos de um pedagogo está o futuro de muitas
pessoas. Não é fácil exercer esta profissão, requer dedicação, confiança,
perseverança e acima de tudo amor pelo que se faz.
Diante das várias dificuldades que hoje existem na educação, ele
“sofre” para poder exercer sua profissão. Portanto ser pedagogo não basta só
querer, tem que gostar, pois não é fácil passar pelas dificuldades da educação
contemporânea e não desistir.
Em uma sociedade em constante processo de transformação, o
pedagogo é o profissional que, a cada dia mais se enquadra para exercer essa
função de transmissão de conhecimento, “ocorrendo em muitos lugares,
institucionalizados ou não, sob várias modalidades.” (Libâneo, 2004, p. 26).
Portanto, ele precisa estar preparado para os grandes desafios do mundo
contemporâneo, sobretudo com as mudanças bruscas do sujeito social motivadas
pelo surgimento das novas tecnologias e pelos efeitos da economia.
O mundo assiste hoje às intensas transformações, como
a internacionalização da economia e as inovações
tecnológicas em vários campos de saberes. Essas
transformações levam à mudança no perfil desses
diversos profissionais, afetando os sistemas de ensino.
(LIBÂNEO, 2004, p.28).

Hoje, é preciso pensar, a todo o momento, que o profissional que se


forma e que irá trabalhar em uma sociedade de mudanças rápidas esteja preparado
para entender a educação como um fenômeno, portanto, é preciso abordar as
questões referentes ao campo de estudo da pedagogia, à identidade profissional e
ao sistema de formação de pedagogos ainda no curso.

O  pedagogo não possui quanto ao seu objeto de estudo um


conteúdo intrinsecamente próprio, mas um domínio próprio (a educação), e um
enfoque próprio (o educacional), que lhe assegurara seu caráter científico. Como
todo cientista da área sócio humana, o pedagogo se apoia na reflexão e na prática
para conhecer o seu objeto de estudo e produzir algo novo na sistemática mesma da
Pedagogia. Tem ele como intuito primordial o refletir acerca dos fins últimos do
fenômeno educativo e fazer a análise objetiva das condições existenciais e
funcionais desse mesmo fenômeno. Apesar de o campo educativo ser lato em sua
abrangência, estritamente são as práticas escolares que constituem seu enfoque
principal no seu olhar epistêmico. O objeto de estudo do pedagogo compreende os
processos formativos que atuam por meio da comunicação e intercâmbio da
experiência humana acumulada. Estuda a educação como prática humana e social
naquilo que modifica os indivíduos e os grupos em seus estados físicos, mentais,
espirituais e culturais. Portanto, o pedagogo estuda o processo de transmissão do
conteúdo da mediação cultural que se torna o patrimônio da humanidade e a
realização nos sujeitos da humanização plena. No plano das ideias, o
grego Platão (427-347 A.C.) foi de fato o primeiro pedagogo, não só por ter
concebido um sistema educacional para o seu tempo mas, principalmente, por tê-lo
integrado a uma dimensão ética e política. Para ele, o objeto da educação era a
formação do homem moral, vivendo em um Estado justo.
Ser pedagogo não significa só atuar em escolas ou salas de aula,
tem que ir muito mais além, acima de tudo, precisa estar acompanhando tudo, a
história muda a cada dia, não deixando para trás nossas raízes, mas sim
atualizando nossos conhecimentos e aprendendo a cada dia um novo jeito de
compreender a vida.
Hoje, ao se pensar na figura do pedagogo, faz-se uma associação
direta à imagem do professor. Contudo, não se deve reduzir esse profissional à
docência. Nessa perspectiva, entende-se que o pedagogo, o cientista da educação,
tem espaço no em que está a educação. Também deve atualizar-se para praticar
seus conhecimentos em ambientes não escolares. Os currículos atuais do curso de
pedagogia contemplam disciplinas que tem como conteúdo a atuação em espaços
que não sejam escolares, demonstrando, mais uma vez, que a presença do
pedagogo está sendo cada vez mais solicitada, tendo em vista sua formação
acadêmica.
Para quem pensa que formação em pedagogia é somente para
atuar em sala de aula engana-se. Um pedagogo pode atuar na administração
escolar: gerenciar estabelecimentos de ensino, administrando recursos humanos,
materiais e recursos financeiros necessários ao funcionamento; No ensino: ser
professor na Educação Básica, com mestrado e/ou doutorado no Ensino Superior,
Educação Profissional (principalmente curso de Formação de Docentes), como
Professor Pedagogo (antigo supervisor e orientador educacional), na Educação de
Jovens e Adultos (EJA), na Pedagogia Hospitalar atuando individualmente com
crianças que precisam ficar muito tempo internadas. Em recursos humanos:
desenvolver programas de treinamento para funcionários de empresas; Com
assessoria pedagógica em serviços de difusão cultural e de comunicação de massa;
E no Terceiro Setor (ONGs): na coordenação de programas e projetos de natureza
educativa.
“ O pedagogo responde pela mediação, organização, integração e
articulação do trabalho pedagógico. Portanto, sugere a própria compreensão de que
ser pedagogo significa ter o domínio sistemático e intencional das formas (métodos)
por meio dos quais deve se realizar o processo de formação cultural (SAVIANI ,
1985). Para Gadotti (2004), o pedagogo é aquele que não fica indiferente, neutro,
diante da realidade. Procura intervir e aprender com a realidade em processo.
Percebe-se aqui o pedagogo como articulador do trabalho coletivo da escola,
articulando a concepção de educação da escola às relações e determinações
políticas, sociais, culturais e históricas, finaliza a pedagoga.
Ser pedagogo não é ser apenas professor (a), Mestre, Tia... É mais
do que isso. É ser responsável, é ter coragem de enfrentar uma sociedade
deturpada, equivocada, sem valores morais, nem princípios, é ser valente, pois
sabemos das dificuldades que se tem nessa profissão no dia a dia. É saber
conhecer seu caminho, sua meta, atingir seus objetivos, lidar com o diferente, sem
preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião. É ter uma
responsabilidade muito grande nas mãos. Talvez até mesmo o futuro
Conclusão

Conclui-se que, hoje em dia ser pedagogo em uma sociedade tão


competitiva e consumista, não se torna uma profissão muito atraente. A sociedade
está muito voltada para avida materialista. As pessoas se perderam no caminho da
dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, pois este
é o caminho dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornarem-se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de ideias e sentimentos sem razão, que não
sabem o que realmente são alienados com interesses voltados apenas pelo TER e
não pelo SER.
Nas mãos de um pedagogo concentra-se o futuro de muitos outros
profissionais. É ser responsável pela vida, pelo caminho de cada uma dessas outras
profissões, que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que
passaram um dia pelas mãos de um pedagogo. É ser mais que profissional, é ser
alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida. Não é fácil, requer
dedicação, confiança, perseverança.
A pedagogia ocupa-se das tarefas de formação humana
em contextos determinados por marcos espaciais e
temporais. A investigação do seu objeto, a educação,
implica considera-la com uma realidade em mudança.
(LIBÂNEO, 2005)

Ser pedagogo é ter a missão de mudar não uma educação retorcida,


mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser utopia pensar assim, mas como futuros pedagogos terão
que ter a capacidade de plantar nessa sociedade tão carente de valores, sementes
que um dia irão florescer. E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão
infértil, possa colher os frutos que só a pedagogia pode dar.
É por esses e outros imensos motivos que desejo ser Pedagoga.
REFERÊNCIAS

TURCI, Flavia Maria do Nascimento. Ser pedagogo diante dos desafios da


educação contemporânea. PUC Minas, 2012. Disponível em:
<http://www.pucminas.br/cursos/> Acesso em 29 mar 14
<http://priper3.wordpress.com//o-que-e-ser-pedagogo/> Acesso em 29 mar 14.
<http://www.ebah.com.br//ser-pedagogo/>Acesso em 29 mar 14