Você está na página 1de 15

 

AO JUÍZO DA 22ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE FORTALEZA/CE

REF. CONTESTAÇÃO

PROCESSO N° 945827-2021.08.6.0001

SILVESTRE SILVA DE SOUZA, brasileiro, solteiro, cozinheiro, inscrito no CPF


nº 049.202.483-00, portador da Cédula de Identidade n º 2007891121, endereço
eletrônico silvestresdesouza@gmail.com residente e domiciliado na Rua Padre
Perdigão Sampaio Nunes, n° 385, Bairro Antônio Bezerra, Fortaleza-Ceará, CEP
13550-140, vem à presença de Vossa Excelência, por intermédio de seus
advogados infra assinados Kátia Antunes, OAB/CE nº 46.000, Rayssa Brasileiro,
OAB/CE nº 47.000 e Wilmar Dias, OAB/CE nº 45.000, integrantes do escritório
Dias, Antunes & Brasileiro Advogados Associados, com sede na Av. Santos
Dumont, nº 2829 , 27 º andar, Aldeota, Fortaleza/CE, com endereço eletrônico
contato@dabadvogados.com.br, telefone (85) 3035.5000, onde recebe
intimações, conforme instrumento procuratório em anexo de acordo com o art.
105, § 2° do CPC, apresentar CONTESTAÇÃO à AÇÃO DE DESPEJO
RESIDENCIAL C/C TUTELA PROVISÓRIA DE URGÊNCIA C/C COBRANÇA
DE ALUGUEL C/C PRIORIDADE DE TRAMITAÇÃO, promovida por PEDRO
PAULO PEREIRA, brasileiro, solteiro, aposentado, inscrito no CPF nº
081.345.765-30, portador da Cédula de Identidade n º 3441992045634,
endereço eletrônico pedropaulo@gmail.com residente e domiciliado na Rua Eva,
nº 69, Bairro Floresta, CEP 12340-203, Fortaleza-Ceará, pelos fatos e motivos
que passa a expor.
 
Av. Santos Dumont, 2829, 27º andar, Aldeota – Fortaleza/CE 
85 3005 5000 – contato@dabadvogados.com.br 
 
 

1. JUSTIÇA GRATUITA

O promovido não possui capacidade financeira suficientes de arcar com as


custas judiciais, visto que é cozinheiro e não aufere renda suficiente para arcar
com o judiciário sem prejuízo do próprio sustento, dessa forma, faz jus ao
benefício da gratuidade da justiça, nos termos do artigo 5°, LXXIV da
Constituição Federal e artigos 98 e 99 do NCPC, conforme Declaração de
Hipossuficiência anexada aos autos do processo em epígrafe (anexo 2).

A possibilidade da simples afirmação da parte que requer o benefício da Justiça


Gratuita, dizendo-se pobre nos termos da lei, desprovida de recursos para arcar
com as despesas do processo. Nesse sentido, é a jurisprudência do STJ:

ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA E SIMPLES AFIRMAÇÃO


DE PESSOA NATURAL. Tratando-se de pessoa física, a justiça
gratuita deve ser concedida à vista da simples afirmação da parte, uma
vez que essa goza de presunção juris tantum de veracidade (art. 99, §
3º, CPC) (STJ, 3º Turma, AgRg no AREsp 602943/SP, Rel. Min. Moura
Ribeiro, DJe 04.02.2015).

Cabe destacar que a lei não exige atestada miserabilidade do Promovido, sendo
suficiente a "insuficiência de recursos para pagar as custas, despesas
processuais e honorários advocatícios" (Art. 98, CPC/15), conforme destaca a
doutrina:

“Não se exige miserabilidade, nem estado de necessidade, nem


tampouco se fala em renda familiar ou faturamento máximos. É
possível que uma pessoa natural, mesmo com boa renda mensal, seja
merecedora do benefício, e que também o seja aquele sujeito que é
proprietário de bens imóveis, mas não dispõe de liquidez. A gratuidade
judiciária é um dos mecanismos de viabilização do acesso à justiça;
não se pode exigir que, para ter acesso à justiça, o sujeito tenha que
comprometer significativamente sua renda, ou tenha que se desfazer

 
Av. Santos Dumont, 2829, 27º andar, Aldeota – Fortaleza/CE 
85 3005 5000 – contato@dabadvogados.com.br 
 
 

de seus bens, liquidando-os para angariar recursos e custear o


processo." 1

2. TEMPESTIVIDADE

Considerando o que dispõe no Código de Processo Civil, em seu artigo 297, o


prazo para oferecer a contestação é de 15 (quinze) dias conforme a seguir
transcrito:
“Art. 297. O réu poderá oferecer, no prazo de 15 (quinze) dias, em
petição escrita, dirigida ao juiz da causa, contestação, exceção e
reconvenção.”

Desta forma, a presente contestação se encontra devidamente tempestiva,


conforme o estabelecido no dispositivo legal, já que recebeu a devida citação do
processo no dia 12/03/2021, não ultrapassando o devido prazo, que findará em
02/04/2021.

3. SÍNTESE DA INICIAL

O Promovente alega na inicial que celebrou um contrato com o promovido


referente á locação de imóvel residencial localizado na Rua Padre Perdigão
Sampaio Nunes, n° 385, Bairro Antônio Bezerra, Fortaleza-Ceará no dia 02 de
fevereiro de 2016, com prazo de três anos e com término em 02 de fevereiro de
2019, ficando combinado que o requerido pagaria por mês a quantia de R$
500,00 (quinhentos reais) com vencimento no dia 10 de cada mês.

Foi arguido que o locatário está inadimplente com sua obrigação de pagar o valor
do aluguel desde janeiro de 2017, e assim, move o Promovente a AÇÃO DE
DESPEJO RESIDENCIAL C/C TUTELA PROVISÓRIA DE URGÊNCIA C/C

 
  DIDIER JR. Fredie. OLIVEIRA, Rafael Alexandria de. Benefício da Justiça Gratuita. 6ª ed.
1

Editora JusPodivm, 2016. p. 60. 


 
Av. Santos Dumont, 2829, 27º andar, Aldeota – Fortaleza/CE 
85 3005 5000 – contato@dabadvogados.com.br 
 
 

COBRANÇA DE ALUGUEL C/C PRIORIDADE DE TRAMITAÇÃO em face do


contestante.

4. REALIDADE FÁTICA

Inicialmente cumpre esclarecer que foi celebrado um contrato de locação entre


promovente e promovido, no dia 02 de fevereiro de 2016, de um imóvel
residencial. Assim, foi alegado na inicial que o requerido está inadimplente desde
janeiro de 2017. No entanto, o locatário se deparou com um ninho de cupins que
já se encontrava desenvolvido e demonstrava estar na laje no imóvel há anos, o
que também ocasionou por estragar toda a madeira de sustentação do telhado.

O requerente ao ser informado de tal problema se recusou em realizar a reforma.


Desta maneira, o contestante optou por pagar do próprio bolso a realização da
reforma completa do telhado da casa, pois os riscos de desabamento e acidentes
no imóvel eram certos.

A mão de obra, juntamente com todos os materiais da obra foram orçados em


R$ 20.000,00 (vinte mil reais), parcelados em 40 parcelas de R$ 500,00
(quinhentos reais), ou seja, exatamente o valor do aluguel, visto que o locatário
é cozinheiro e não poderia suportar com esta reforma e o pagamento do aluguel
por não possuir condições financeiras suficientes e por não ser a sua
responsabilidade contratual.

Os pagamentos da reforma começaram a ser realizados no mês de janeiro de


2017 e serão finalizados no mês de abril de 2021, ou seja, até o mês de abril
deste ano o contestante não tem a obrigação de pagar o aluguel ao locador, pois
essa obrigação está sendo compensada nas despesas da reforma do telhado do
imóvel.

 
Av. Santos Dumont, 2829, 27º andar, Aldeota – Fortaleza/CE 
85 3005 5000 – contato@dabadvogados.com.br 
 
 

Assim, o Contestante impugna todos os fatos articulados na inicial o que se


contrapõem com os termos desta contestação, esperando a IMPROCEDÊNCIA
DA AÇÃO PROPOSTA.

5. FUNDAMENTOS JURÍDICOS

Afirma o autor nas razões iniciais o não pagamento dos aluguéis


pelo Contestante por mais de 36 meses. Ocorre que tais valores de aluguéis
foram devidamente quitados e compensados na reforma da casa, conforme
prova que faz em anexo.

O pagamento se trata do primeiro elemento extintivo do direito do


Autor, configurando má fé a propositura da ação, enquanto ciente do pagamento,
conforme jurisprudência sobre o tema:

Apelação Cível. Procedimento de despejo por falta de pagamento.


Locação residencial. Revelia. Sentença de procedência. Preliminar.
Alegação de incompetência. Inocorrência. Procedimento perante o
Juizado Especial que é de livre escolha do autor. Procedimento vedado
para julgamento dos juizados especiais. Artigo 3º, inciso II, e § 3º, da
Lei  9.099/1995. Insurgência recursal que demonstra o pagamento
integral da dívida. Réus que tentaram solucionar o problema
extrajudicialmente. Autor que solicitou o julgamento antecipado mesmo
após ter recebido o pagamento integral, aproveitando-se da revelia.
Ausência de interesse processual superveniente da demanda
reconhecida. Matéria de ordem pública. Litigância de má-fé do autor,
ora apelado, configurada. Condenação de ofício. Aviltamento dos
deveres de boa-fé, lealdade e veracidade. Recurso parcialmente
provido.1. A competência dos Juizados Especiais é relativa, de livre
escolha da parte autora, como preceitua o artigo § 3º do artigo 3ª, da
Lei nº 9.099/1995, além de que o III expõe que a ação de despejo que
pode ser processada perante os juizados especiais é somente aquela
em que se busca o imóvel para uso próprio, conforme preceitua o
artigo 47, inciso III, da Lei de Locações, o que não é o caso dos autos.2.
Mesmo após ter recebido o pagamento integral, o apelado solicitou -
clara e expressamente - o julgamento antecipado da lide, justificado
pela revelia dos apelantes, em incontestável afronta à boa-fé, o que dá
ensejo a sua condenação, de ofício, por litigância de má-fé.3. A
ausência dos requeridos, ora apelantes, é justificável, em razão de que
é dever do autor entregar à apreciação do magistrado os informes do
 
Av. Santos Dumont, 2829, 27º andar, Aldeota – Fortaleza/CE 
85 3005 5000 – contato@dabadvogados.com.br 
 
 

cumprimento da obrigação e eventual transação, a fim de se concluir a


atividade jurisdicional que não mais possui razão de existir.

(TJPR - 12ª C.Cível - 0061987-47.2018.8.16.0014 - Londrina - Rel.:


Desembargador Rogério Etzel - J. 10.07.2019)

De acordo com a vistoria realizada no ato da assinatura do contrato, não haviam


goteiras ou vazamentos existentes no imóvel, o que até atualmente não existem,
porém, a existência de cupins com anos de degradação na madeira pode
ocasionar o desabamento da parte de cima da laje onde se encontram as telhas,
dessa forma não há viabilidade na ação proposta pelo requerente, já que este é
responsável pela eliminação de pragas antes da locação e pela troca da madeira
do imóvel.

Dessa maneira, é indevida a realização da cobrança do autor movida em ação


contra o contestante e ainda com característica litigância de má-fé.

Assim, o Promovido contesta e apresenta ao juízo as provas realizadas por


análise de pericial da época da realização da reforma no telhado e as imagens
de como se encontrava a madeira na época aluzida.

Como se pode perceber por meio das seguintes imagens:

 
Av. Santos Dumont, 2829, 27º andar, Aldeota – Fortaleza/CE 
85 3005 5000 – contato@dabadvogados.com.br 
 
 

Tratam-se de provas necessárias ao contraditório e à ampla defesa, conforme


dispõe o Art. 369 do Novo CPCP, "As partes têm o direito de empregar todos
os meios legais, bem como os moralmente legítimos, ainda que não
especificados neste Código, para provar a verdade dos fatos em que se funda
o pedido ou a defesa e influir eficazmente na convicção do juiz."

Trata-se da positivação ao efetivo exercício do contraditório e da


ampla defesa disposto no Art. 5º da Constituição Federal:

"Art. 5º (...) LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo,


e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla
defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;(...)"

A doutrina do professor Homero Batista ao disciplinar sobre este


princípio destaca:

"(...) quando se diz "inerentes" é certo que o legislador quis abarcar


todas as medidas passíveis de serem desenvolvidas como estratégia
de defesa. Assim, é inerente o direito de apresentar as razões da
defesa perante o magistrado, o direito de produzir provas, formular
perguntas às testemunhas e quesitos aos peritos, quando necessário,
requerer o depoimento pessoal da parte contrária, ter acesso aos
documentos juntados aos autos e assim por diante."2

 
2
 DA SILVA, Homero Batista Mateus. Curso de Direito do Trabalho Aplicado - vol. 8 - Ed. RT,
2017. Versão ebook. Cap. 14 
 
Av. Santos Dumont, 2829, 27º andar, Aldeota – Fortaleza/CE 
85 3005 5000 – contato@dabadvogados.com.br 
 
 

Para tanto, o Contestante pretende instruir o processo com as


provas acima indicadas, sob pena de nulidade do processo.

5. PEDIDOS
Diante do exposto, requer-se:

a) que seja julgado procedente o pedido de justiça gratuita, conforme o artigo 5°,
inciso LXXIV, da Constituição Federal e 98 do CPC;
b) que seja acolhida a presente Contestação com sua total procedência;
c) que seja acolhida as preliminares de mérito, extinguindo o processo sem
resolução de mérito;
d) que sejam julgados improcedentes os pedidos da inicial;
e) Condenar a parte autora ao pagamento do ônus sucumbencial
compreendendo as custas processuais e os honorários advocatícios, fixados no
percentual de 20% do valor da condenação, nos termos do art. 85.

Protesta provar o alegado por todos os meios de prova admitidos em direito, em


especial, pelo depoimento pessoal do requerente e dos demandados, perícia na
pessoa do autor, ouvida de testemunha, posteriormente arroladas, juntada
posterior de documentos, perícias, etc.

Nestes termos,
pede e espera deferimento.
Fortaleza, 25 de março de 2021

WILMAR DIAS KÁTIA ANTUNES RAYSSA BRASILEIRO


OAB/CE 45.000 OAB/CE 46.000 OAB/CE 47.000

 
Av. Santos Dumont, 2829, 27º andar, Aldeota – Fortaleza/CE 
85 3005 5000 – contato@dabadvogados.com.br 
 
 

PROCURAÇÃO AD JUDICIA ET EXTRA


 
OUTORGANTE:  Silvestre Silva de Souza, brasileiro, solteiro, cozinheiro, inscrito no CPF nº
049.202.483-00, portador da Cédula de Identidade n º 2007891121, endereço eletrônico
silvestresdesouza@gmail.com residente e domiciliado na Rua Padre Perdigão Sampaio Nunes,
n° 385, Bairro Antônio Bezerra, Fortaleza-Ceará, CEP 13550-140.

OUTORGADOS: Wilmar Dias, brasileiro, solteiro, advogado inscrito na OAB/CE n° 45.000,


portador do CPF n° 456.787.567-45, inscrito no RG n° 263214146-98, endereço eletrônico
wilmardiasadv@gmail.com, Kátia Antunes, brasileira, solteira, advogada inscrita na OAB/CE n°
46.000, portadora do CPF n° 478.234.978-89, inscrita no RG n° 374674458-09, endereço
eletrônico katiaantunesadv@gmail.com, Rayssa Brasileiro, brasileira, solteira, advogada inscrita
na OAB/CE n° 47.000, portadora do CPF n° 325.978.906-67, inscrita no RG n° 4629843764-09,
endereço eletrônico rayssabrasileiroadv@gmail.com integrantes do escritório DIAS, ANTUNES
& BRASILEIRO ADVOGADOS ASSOCIADOS com sede na Av. Santos Dumont, nº 2829 , 27 º
andar, Aldeota, Fortaleza/CE, com endereço eletrônico contato@dabadvogados.com.br, telefone
(85) 3035.5000, onde receberá citações, intimações e notificações.

O OUTORGANTE vem por meio deste instrumento conceder aos OUTORGADOS poderes
gerais e especiais, com fim de defender os direitos do outorgante, nos moldes previstos no art.
105 CPC/15, podendo receber, citar, confessar, reconhecer a procedência do pedido, transigir,
desistir, renunciar ao direito sob o qual se funda a ação, receber, dar quitação, firmar
compromisso e assinar declaração de hipossuficiência econômica e substabelecer caso
necessário.

Fortaleza/CE, 13 de março de 2021

____________________________________
SILVESTRE SILVA DE SOUZA
Outorgante
CONTRATO DE EMPREITADA

SILVESTRE SILVA DE SOUZA, brasileiro, solteiro, cozinheiro, inscrito no CPF


nº 049.202.483-00, portador da Cédula de Identidade n º 2007891121, endereço
eletrônico silvestresdesouza@gmail.com residente e domiciliado na Rua Padre
Perdigão Sampaio Nunes, n° 385, Bairro Antônio Bezerra, Fortaleza-Ceará, CEP
13550-140, neste ato denominado CONTRATANTE.

De outro lado,

CONSTRUAREIA LTDA, com sede na Avenida Santos Dumont n° 4635 inscrita


no CNPJ sob o n.º 92873298329-0001, devidamente representada neste ato
pelo seu diretor Fabrício Gomes, brasileiro, casado, inscrito no CPF n°
463.875.098-76, portador do RG n° 276238746-09, endereço eletrônico
fabricioconstruções@gmail.com que a este subscreve, neste ato denominada
CONTRATADA.

Têm entre os mesmos, de maneira justa e acordada, o presente CONTRATO DE


REFORMA DE CONSTRUÇÃO – EMPREITADA, ficando desde já aceito, pelas
cláusulas abaixo descritas.

CLÁUSULA 1. OBJETO DO CONTRATO

O presente tem como OBJETO, a reforma do Telhado da casa do


CONTRATANTE, indicada pelo endereço na qualificação acima. A referida
reforma observará todas as especificações contidas no projeto n.º 64981,
aprovado pela prefeitura, arquivado junto à autoridade competente, realizando
todos os reparos e substituições prescritas no mesmo.

PARÁGRAFO PRIMEIRO: As peças de reposição serão adquiridas pelo


CONTRATANTE e repassadas a EMPREITEIRA-CONTRATADA, via
documento escrito e assinado, devendo a última prestar com zelo todos os
serviços.
Continuação do Contrato de Empreitada celebrado entre SILVESTRE SILVA e CONSTRUAREIA. 

PARÁGRAFO SEGUNDO: A EMPREITEIRA-CONTRATADA manterá


necessariamente e independente de quaisquer circunstancias, dois funcionários
na obra, tendo em vista a obtenção de segurança no local.

PARÁGRAFO TERCEIRO: A reforma prestada pela EMPREITEIRA-


CONTRATADA é de sua inteira responsabilidade, como pessoa jurídica, se
consubstanciando nas relações em trabalhistas, cíveis, tributárias, bem como
todas aquelas que estejam direta ou indiretamente ligadas à execução dos
trabalhos. Cabe salientar que os sócios-diretores da referida EMPREITEIRA-
CONTRATADA respondem solidariamente pelas faltas relacionadas a execução
da obra.

CLÁUSULA 2. PRAZO

A EMPREITEIRA-CONTRATADA se compromete a executar a obra em 3 (três)


meses, a iniciar-se no primeiro dia útil após a assinatura do presente e findar-se
no dia 23 do mês de abril do ano 2017.

PARÁGRAFO PRIMEIRO: Quaisquer interrupções ocorridas na execução das


atividades da empreitada, não serão incluídas no prazo contido nesta
CLÁUSULA.

PARÁGRAFO SEGUNDO: Havendo atraso na entrega da obra, por exclusiva


culpa da EMPREITEIRA-CONTRATADA a mesma arcará com todos os
prejuízos, somando-se compra de materiais desperdiçados, pagamento de seus
credores e funcionários, bem como todos os encargos oriundos direta ou
indiretamente da não entrega no prazo determinado, sem prejuízo de medidas
judiciais e extrajudiciais.

CLÁUSULA 3. OBRAS E EXECUÇÃO

A execução da referida obra por empreitada compreenderá, desde o início até


sua efetiva entrega, com aprovação expressa e inequívoca do CONTRATANTE,
o seguinte: retirada de todas as vigas de madeira que não se encontram em
devidas condições devido praga de cupim, colocação de novas vigas, bem como
Continuação do Contrato de Empreitada celebrado entre SILVESTRE SILVA e CONSTRUAREIA. 

o fornecimento das vigas, colas, parafusos, suportes. Fornecimento da locação


de escoras, transporte dos materiais, motores de corte da madeira, mão de obra
especializada, limpeza de pós obra.

PARÁGRAFO PRIMEIRO: A EMPREITEIRA-CONTRATADA, após a entrega


efetiva da obra e sua respectiva aprovação, dá como garantia de seus trabalhos,
o lapso temporal de 12 (doze) meses. A garantia compreende somente o
resultado dos trabalhos realizados, tais como: erro na execução, vazamento,
etc., portanto, quaisquer ocorrências oriundas de uso normal, ou mesmo por
culpa ou dolo da CONTRATANTE não estão inclusos nesta. Verificando-se tais
prejuízos a EMPREITEIRA-CONTRATADA efetuará os concertos necessários
às suas expensas, ou ressarcirá a CONTRATANTE no valor equivalente.

PARÁGRAFO SEGUNDO: A EMPREITEIRA-CONTRATADA limitar-se-á a


executar o que consta no projeto anexo, sob pena do CONTRATANTE enjeitá-
la ou recebê-la com abatimento no preço.

PARÁGRAFO TERCEIRO: A execução das obras será feita pela


EMPREITEIRA-CONTRATADA, facultando-lhe a contratação de ajudantes, os
quais terão vínculo único e direto com a mesma, que ficará exclusivamente
responsável pelo pagamento e todos os encargos existentes.

PARÁGRAFO QUARTO: A EMPREITEIRA-CONTRATADA fornecerá, além do


pessoal, os materiais necessários à concretização da obra, tais como:
ferramentas, tapumes, etc. ressalvando-se as peças de reposição e os materiais
ligados diretamente à mesma.

PARÁGRAFO QUINTO: Quaisquer danos causados a terceiros provenientes da


execução dos trabalhos, serão de inteira responsabilidade da EMPREITEIRA-
CONTRATADA, independente de culpa, mesmo quando praticados pelos seus
ajudantes.

PARÁGRAFO SEXTO: A EMPREITEIRA-CONTRATADA terá completa e


irrestrita liberdade para executar seus trabalhos, não necessitando de
Continuação do Contrato de Empreitada celebrado entre SILVESTRE SILVA e CONSTRUAREIA. 

predeterminar horários ou funções. Fica assim caracterizado, que a mesma


exerce de maneira autônoma seus serviços, não mantendo nenhum vínculo
trabalhista com o CONTRATANTE.

PARÁGRAFO SÉTIMO: A previsão de material se destina especificamente à


consecução de toda obra. Havendo necessidade de maior quantidade, o
CONTRATANTE juntamente com a EMPREITEIRA-CONTRATADA realizarão
nova previsão, a qual, o primeiro ficará responsável pela compra, salvo quando
haja a verificação de desperdício.

PARÁGRAFO OITAVO: Caso se verifique o desperdício, inutilização ou extravio


de material, ficará a EMPREITEIRA-CONTRATADA obrigada a restituí-los.

CLÁUSULA 4. PREÇO E FORMA DE PAGAMENTO

A título de mão-de-obra e fornecimento de material, fica ajustado que o


CONTRATANTE pagará a EMPREITEIRA-CONTRATADA o valor total de R$
20.000,00 (vinte mil reais). Este valor será dividido em 40 parcelas de R$ 500,00
(quinhentos reais), a serem efetuadas até o terceiro dia útil ao mês subsequente
ao trabalhado. Caso o trabalho não seja efetuado, o pagamento ficará retido,
salvo se ocorrerem motivos alheios à vontade de ambas as partes.

PARÁGRAFO ÚNICO: O valor a ser pago aos ajudantes será feito


individualmente pela EMPREITEIRA-CONTRATADA e às suas expensas, visto
que os mesmos possuem vínculo única e exclusivamente com esta, que se
compromete a pagá-los mensalmente.

CLÁUSULA 5. DAS VISTORIAS

Resta facultado ao CONTRATANTE, realizar vistorias concernentes à execução


das obras a qualquer dia ou horário.

CLÁUSULA 6. RESCISÃO CONTRATUAL


Continuação do Contrato de Empreitada celebrado entre SILVESTRE SILVA e CONSTRUAREIA. 

A rescisão ocorrerá de forma plena e por iniciativa do CONTRATANTE, nos


termos do artigo 623 do Código Civil Brasileiro.

Por iniciativa do EMPREITEIRO, será rescindido o presente instrumento, na


ocorrência dos fatos previstos no artigo 625 do Código Civil Brasileiro.

DISPOSIÇÕES FINAIS

O presente contrato passa a vigorar entre as partes a partir da assinatura do


mesmo, as quais elegem o foro da cidade de Fortaleza, onde se situa o imóvel
para dirimirem quaisquer dúvidas provenientes da execução e cumprimento do
mesmo.

PARÁGRAFO PRIMEIRO: As partes desde já acordam que, responderão por


perdas e danos aquela que infringir quaisquer cláusulas deste contrato, bem
como pela indenização contida no artigo 1.245 do Código Civil.

PARÁGRAFO SEGUNDO: E, por estarem justas e convencionadas as partes


assinam o presente CONTRATO DE REFORMA DE CONSTRUÇÃO –
EMPREITADA, juntamente com 2 (duas) testemunhas.

Fortaleza, 18 de janeiro de 2017.

____________________________________
SILVESTRE SILVA DE SOUZA
Contratante

____________________________________
CONSTRUAREIA LTDA
Contratada
FABRÍCIO GOMES
Diretor
Continuação do Contrato de Empreitada celebrado entre SILVESTRE SILVA e CONSTRUAREIA. 

Você também pode gostar