Você está na página 1de 4

O que é inflação e exemplos?

Em palavras mais simples, podemos dizer que a inflação significa a alteração


(aumento) no valor de um determinado bem ou serviço dentro de um curto ou
médio prazo. Por exemplo: Um consumidor vai até o supermercado e compra
1 KG de carne pagando o valor de 15,000. ... Na prática, isso é denomina-
se inflação.

O que é a produção na economia?


Em economia e automação industrial, produção é um processo que consiste
na combinação dos fatores de produção com a finalidade de satisfazer
necessidades humanas, em termos de bens ou serviços.
O que é consumo exemplos
Desta maneira, a ação de comer, se vestir e até mesmo o lazer, são atos
de consumo. ... Podemos consumir bens materiais de longa ou curta duração.
Um exemplo são os alimentos: as frutas devem ser ingeridas imediatamente;
já os grãos, como o arroz e o feijão, podem ser guardados por mais tempo.
Quais são os tipos de consumo?
Tipos de consumo

 Consumo essencial e supérfluo.
 Consumo individual e coletivo.
 Consumo privado e público.
 Consumo final e intermédio.
 Consumo sustentável.

 Qual o principal objetivo do mercado de crédito e?


 118), o mercado de crédito tem por objetivo fundamental suprir as
necessidades de caixa de curto e médio prazos dos vários agentes
econômicos, podendo ser por meio de concessão de empréstimos às
pessoas físicas ou por empréstimos e financiamentos às empresas.

 Como as empresas podem ser juridicamente classificadas?

 Com relação ao tipo societários, as empresas podem possuir várias
classificações como Empresa de Responsabilidade Limitada (EIRELI),
Microempreendedor Individual (MEI), Empresa de Pequeno Porte
(EPP), Empresa Individual (EI), Sociedade Limitada (LTDA), Sociedade
Anônima (S.A.).

Quem são os agentes econômicos?

Os agentes econômicos são pessoas físicas ou jurídicas que através das


suas ações fazem o sistema econômico funcionar. ... Por isso, um agente
econômico pode ser aquele responsável pela oferta, pela demanda, ou, até
mesmo, alguma entidade reguladora da mesma economia.

A necessidade é o estado de insatisfação e carência, provoca normalmente uma


sensação de mal-estar ou uma sensação desagradável de falta.
As necessidades são diferentes e variam consoantes o meio ambiente e as condições
de vida.
Por exemplo: um habitante das zonas tropicais não tem as mesmas necessidades de
um habitante das regiões mais fria do globo.
Bens são todas as coisas, materiais ou imateriais aptas para satisfazer as necessidades
e o desejo do homem.
Quase todos os bens apresentam características de escassez, ou seja, existem em
quantidades inferiores aquelas que seriam necessárias para satisfazer as necessidades
de todos.

Introdução à Economia/O Rendimento e a


sua Repartição/A repartição funcional dos
rendimentos
< Introdução à Economia | O Rendimento e a sua Repartição

Repartição funcional de rendimento chama-se repartição funcional de rendimento a


forma como o remimento nacional se reparte tendo em atenção as funções que os
fatores produtivos (trabalho e capital) desempenharam no processo produtivo.
Fatores produtivos temos: Trabalho e capita No trabalho temos rendimento que é
salários e temos destinatário que é trabalhador. No capital seus rendimentos temos:
Renda, juro e lucros. Seus destinatários temos: Proprietário, capitalista e empresário.
A renda: Inicialmente o termo renda designava o rendimento proveniente da
exploração agrícola.
Posteriormente, David Richard introduziu os conceitos de renda absoluta e de renda
diferencial. Para Ricardo a renda não era apenas o preço que se pagava pela utilização
do solo. A renda era um rendimento que tinha a sua origem no facto de nem toda a
terra ser igualmente produtiva. Atualmente, o termo renda continua a designar o
rendimento da exploração agrícola, mas utiliza-se também, para designar os
rendimentos que os proprietários recebem pelo arrendamento dos prédios rústicos ou
urbanos ou outros imoveis em virtude da sua cedência a terceiros. O juro: Constitui a
remuneração que os detetores de capital auferem pelo facto de possibilitarem a
utilização de seu capital na produção, por terceiros. O juro determina-se com base
numa taxa de juro. Esta taxa de juro sofre flutuações no mercado de capitais as quais
dependem: Da procura e da oferta de capitais: Do tempo (duração do empréstimo); da
natureza da operação.

A ECONOMIA COMO CIÊNCIA SOCIAL


Introdução A economia é tida como uma ciência social. Ou seja, o estudo das
actividades económicas do ponto de vista social. Contudo, muitos economistas
sustentam que a aprendizagem da economia proporciona um modo de pensar mais do
que o conhecimento de uma colecção de factos económicos e sociais. Um dos aspectos
centrais no modo de pensar de um economista é a distinção entre afirmações positivas
e afirmações normativas. Igualmente importante para o economista é o papel da
teoria e, em particular, o uso de modelos económicos que permitem apreender de
forma simplificada fenómenos complexos. Os modelos económicos geram hipóteses
(i.e. proposições ou previsões) que podem ser empiricamente testadas. Neste capítulo,
explora-se o significado do “científico” no estudo do comportamento humano e
discutem-se os critérios que avaliam o desempenho da economia quanto a este
estudo.

O que é a economia?
Economia é o conjunto de atividades desenvolvidas pelos homens visando a
produção, distribuição e o consumo de bens e serviços necessários à
sobrevivência e à qualidade de vida.

Quais são as instituições jurídicas?


Podem-se tomar como exemplos de instituições jurídicas os contratos, o
direito à propriedade, bem como o Parlamento, a Presidência da República,
dentre tantas outras instituições.

OS VALORES FUNDAMENTAIS DO DIREITO


O Direito como ordem normativa reguladora da vida social, baseia-se num
conjunto de valores, que promovem a adesão prática da comunidade aos seus
imperativos e atribuem validade à sua vigência. Como valores fundamentais do Direito
temos:

O que é a teoria da hierarquia das necessidades?


Maslow, baseia-se na idéia de que cada ser humano esforça-se muito para
satisfazer suas necessidades pessoais e profissionais. ... Segundo
esta teoria, cada indivíduo tem de realizar uma “escalada” hierárquica
de necessidades para atingir a sua plena auto-realização. 05/03/2018

Quais são as ordens normativas do Direito?


A metodologia institucionalista dispõe que o direito é um exemplo de ordem
normativa institucional. Uma ordem normativa é um conjunto de práticas e
expectativas sociais às quais pode ser imputada uma gama de ações comuns
produzidas por participantes dessa mesma prática.

Você também pode gostar