Você está na página 1de 4

Universidade Católica de Brasília – EAD

LICENCIATURA EM PEDAGOGIA
GESTÃO EDUCACIONAL

TRABALHO FINAL
PESQUISA DE CAMPO
ENTREVISTA COM GESTOR EDUCACIONAL

Estudante: Lunna Mara Sampaio Fonseca


Professora: Carolina Gonçalves Gonzalez

Brasília – DF
2020
Tema da pesquisa: Atividade do gestor(a) escolar.
Forma: Entrevista com uma gestora escolar por e-mail.
Objetivo: Conhecer a realidade enfrentadas pela gestora escolar.
Local e data da pesquisa: Escola Classe 12 de Sobradinho – 07/11/2020.
Entrevistada: Sebastiana Geny dos Santos Amorim.

1. Faça uma breve apresentação informando seu nome, formação, quanto tempo
atua na função e a escola trabalha atualmente.
Meu nome é Sebastiana Geny dos Santos Amorim atualmente sou vice-diretora da
Escola Classe 12 de Sobradinho, possuo graduação em Pedagogia pelo Centro
Universitário de Brasília - UniCEUB (Brasília/ DF); Mestrado em Ciências da
Linguagem pela Universidade Sul de Santa Catarina – UNISUL (Tubarão/SC).
Formada em Teologia pela Faculdade de Teologia da Arquidiocese de Brasília –
FATEO (Brasília/ DF). Iniciei minha carreira em 1984 em uma Instituição particular e
em 1997 ingressei na Secretaria de Educação, com o foco em alfabetização. Assumi
a direção da Escola Classe Boqueirão em 1998, a convite, e permaneci no cargo por
três anos e meio. Solicitei exoneração do cargo em 2002 e retornei à sala de aula para
concluir os estudos. Em 2019, fui eleita para o cargo de vice-diretora da Escola Classe
12 de Sobradinho.

2. Pode enumerar alguns desafios neste período que atua como gestora
escolar?
A minha parte na gestão é totalmente pedagógica. Por isso, os grandes desafios
pedagógicos dos tempos atuais são: 1) Organizar o trabalho pedagógico de forma que
viabilize o alcance dos objetivos propostos favorecendo os eixos: ensinar, aprender,
pesquisar e avaliar; 2) possibilitar aos alunos de classes inclusivas desenvolverem
suas competências cognitivas, afetivas, psicomotoras, superando os limites de sua
condição e adquirindo autonomia no seu cotidiano, no tempo de pandemia; 3) elaborar
estratégias, junto com o professor, para sanar as dificuldades específicas de alunos
com baixo rendimento; 4) estimular a interação entre os grupos de trabalho; 5)
proporcionar momentos de avaliação visando à melhoria do cotidiano escolar.
3. Você pode descrever as funções que desempenha no cotidiano escolar?
Atuo na área pedagógica, porém auxilio na área administrativa quando necessário.
Dessa forma, sou responsável por exemplo: orientar, acompanhar e supervisionar a
produção de atividades; acompanhar e orientar os docentes na plataforma, projetos,
reuniões pedagógicas, eventos, agendas, contato e interação com os pais sobre todo
trabalho pedagógico desenvolvido na escola, etc.

4. Diga quais os pontos da sua gestão que precisam ser melhorados, se


houver, e quais tiveram êxitos.
Precisamos melhorar o acesso à plataforma, a capacitação dos profissionais (servidor,
aluno, direção e corpo docente) para uso das mídias digitais e conscientizar as
famílias (temos um percentual de 27% dos alunos ainda sem acesso as atividades da
plataforma). Cito como êxitos o contato com todos os alunos, a manutenção do corpo
docente motivado, sustentação da equipe pedagógica na pertença de suas funções e
a manutenção da interação família e escola.

5. O que você leva em conta para modificar, investir ou apoiar uma mudança,
seja ela na estrutura física ou pedagógica?
No atual momento, estamos apostando em inovações, ou seja, qualquer contribuição
no sentido de melhorar o atendimento ao aluno nas duas frentes possíveis, tanto na
Plataforma “Sala de aula DF em casa” quanto em relação às atividades impressas.

6. O que você considera importante salientar para uma pessoa que deseja
tornar-se gestor (a) escolar? Quais são os atributos que julga necessários ter
ou desenvolver para quem tem interesse nesse ramo?
É um trabalho árduo. Principalmente, abdicar do seu tempo e ter um perfil adequado
para exercer a função. Julgo necessário: um curso de gestão de pessoas, saber ouvir,
atender as demandas em tempo hábil, ter facilidade contornar o inesperado, saber lhe
dar com as críticas, ser criativo, ter a consciência que não sabe de tudo, pedir ajuda
quando for preciso, valorizar sua equipe de trabalho e manter a equipe em harmonia.

7. Como você visualiza sua gestão?


Devido o inesperado da pandemia tive que mudar o rumo de todo trabalho
pedagógico, não foi fácil colocar todo corpo docente e equipe pedagógica remando
para o mesmo lado, mas agora quase terminando o terceiro bimestre encontramos
um lugar comum para todos. A equipe está concentrada e trabalhando
harmoniosamente com o corpo docente.

8. Sabe-se que durante a pandemia as escolas e seus colaboradores tiveram que


adaptar suas condutas pedagógicas e ferramentais para dar continuidade aos
estudos escolares e concluir o ano letivo sem prejuízos aos educandos.
Diante disso, você acredita que as suas atribuições aumentaram ou
diminuíram?
Aumentaram com certeza.

9. Teve muitas dificuldades na adaptação e gerenciamento dessa nova forma de


trabalho? Se sim, quais foram as dificuldades mais relevantes?
Sim. Principalmente aprender a lhe dá com as tecnologias; enxergar novas
possibilidades de ensinar e aprender; aprender a trabalhar a distância, etc.

ANÁLISE DA ENTREVISTA
Diante do exposto, fica evidente que se trata de uma gestão escolar com
enfoque na área pedagógica, por atuar dentro da instituição, diferentemente da gestão
educacional que desenvolve diretrizes gerais para todo sistema educacional. Embora
sua gestão tenha sido reformulada devido aos últimos acontecimentos deste ano, a
equipe gestora soube se reorganizar e articular soluções para manter as atividades e
o bom funcionamento das relações pessoais, das demandas administrativas e
pedagógicas, cumprindo, portanto, com os requisitos de uma gestão escolar eficiente
e colaborativa, entendendo que os percalços durante a trajetória serão inevitáveis e
requer adaptações e novas habilidades, mas que é possível desenvolver uma boa
gestão mesmo em condições adversas.
Com a administração de perfil colaborativa a entrevistada entende que cada pessoa
dentro da comunidade escolar tem a responsabilidade sob o seu trabalho, porém
trabalhando para o bem comum, ou seja, na administração colaborativa é preciso a
colaboração e participação ativa todos os envolvidos sem isso não vislumbra uma
saída para atingir as metas e as propostas da escola.

Você também pode gostar