Você está na página 1de 5

PROJETO DE ATENDIMENTO AMBULATORIAL

FISIOTERAPÊUTICO EM CARDIOPNEUMO

OBJETIVO

Esse projeto tem como principal alvo, trazer os conceitos atuais na prática dos
fisioterapeutas que se dedicam a Fisioterapia Cardiopneumofuncional. Além de buscar
o raciocínio crítico e avaliativo das técnicas de fisioterapia Cardiorespiratória e nas suas
aplicabilidades ao tratar de indivíduos com Pneumopatas e Cardiopatas, a fim de
possibilitar a sua reabilitação e melhora da qualidade de vida.

Muitos pacientes pneumopatas e cardiopatas apresentam no decorrer da sua


vida alguns momentos de agudização respiratória levando a um risco de vida eminente
e em outros momentos acometendo suas atividades funcionais diárias. A Fisioterapia
Cardiopneumofuncional nos últimos anos vem crescendo muito técnico-cientificamente,
associada a uma atuação cada vez mais crescente dos fisioterapeutas neste perfil de
de paciente.

O principal Objetivo tem como Atendimento aos Pacientes Pneumopatas e


Cardiopatas tanto em situações clínicas agudizadas como as crônicas.

O fisioterapeuta terá um raciocínio crítico no atendimento ao paciente


pneumopata, estar atualizado com as principais diretrizes científicas de tratamento,
saber traçar objetivos e planos de tratamento, ter capacidade de interação na equipe
interdisciplinar, e estar pronto para prestar serviço hospitalar (Unidades de Tratamento
Intensivo e Unidades de Internamento) e Ambulatorial.

DOENÇAS PULMONARES
Asma

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os problemas respiratórios


são a quarta maior causa de óbito por doenças no Brasil. A asma é uma das doenças
crônicas mais comuns na infância e é a principal causa de falta às aulas e de limitações
para os esportes e atividades físicas.

A asma é uma doença crônica que consiste na inflamação das vias aéreas, o
que causa a dificuldade respiratória. Além da medicação, outras formas de tratamentos
podem auxiliar na prevenção e recuperação dos pacientes. É o caso da fisioterapia
respiratória, indicada tanto para a prevenção quanto para o tratamento de pacientes
com distúrbios pulmonares.

A Fisioterapia respiratória em pacientes asmáticos utiliza técnicas de


relaxamento, alongamento e fortalecimento dos músculos do corpo, promovendo,
assim, a reeducação funcional respiratória. O tratamento se divide em dois momentos:
durante a crise, cujo principal objetivo é a redução da falta de ar por meio de
posicionamento adequado, nebulização e uso da ventilação não invasiva. No segundo
momento, no período inter-crise, é priorizada a reeducação postural e um programa
supervisionado de exercícios físicos.

RESPIRAÇÃO INCORRETA E SUAS CONSEQUÊNCIAS


A Fisioterapia respiratória é um conjunto de técnicas, que visam basicamente a
correção da dinâmica diafragmática, que se encontra alterada na maioria dos pacientes
portadores de Patologias Respiratórias. Uma respiração correta é indispensável ao
bem estar geral e tem como função básica, levar o oxigênio aos tecidos e eliminar o gás
carbônico.

O diafragma é o principal músculo da respiração, numa inspiração normal, ele se


contrai e promove uma leve projeção do abdome para frente e ocorre a expansão dos
pulmões, a musculatura do torax superior deve estar relaxada para que aconteça a
distribuição de ar em todas as áreas do pulmão.

Na expiração acontece o relaxamento do diafragma e o retorno dos pulmões à


posição inicial, com uma leve contração do abdome.

Dizemos que o paciente apresenta um bloqueio inspiratório ou seja, ele usa para
respirar mais a parte superior do toráx e apresenta uma diminuição do movimento da
caixa toráxica inferior com o diafragma tendo sua função invertida. Na inspiração, ele ao
invés de crescer a barriga, encolhe a barriga dificultando assim a descida do diafragma.

Com o passar dos anos, esta respiração errada, provoca um desequilíbrio de


toda a musculatura do toráx levando ao surgimento de deformidades torácicas como:
peito de pombo, peito escavado, depressão sub-mamária, tórax em tonel, entre outras.

O Paciente cria o círculo vicioso no qual a respiração errada piora a postura


errada e a postura errada piora a respiração.

Promove também como consequência alterações da coluna vertebral, desvios


da coluna "escoliose", postura cifótica "corcunda", ombros caídos, aumento da
curvatura da região lombar a "hiperlordose" etc.

Esta respiração produz uma diminuição de oxigenação pulmonar e


consequentemente a instalação de um vício respiratório causando distúrbios gerais de
crescimento, aprendizado, fala associado à uma angústia respiratória que se reflete
numa diminuição na qualidade de vida do paciente.

O Fisioterapeuta tem a função também de orientar a técnica correta de uma


nebulização eficiente assim como o uso de bombinhas, espaçadores e do Peak flow.
Trabalhamos também no sentido de uma readaptação gradativa aos esforços físicos
encorajando o paciente à participar de atividades físicas em geral, dentro de um padrão
de normalidade.

O Tratamento dá ênfase a técnicas de relaxamento e alongamento de todos os


músculos do corpo, engloba técnicas de desobstrução brônquica e das vias aéreas
superiores, reeducação diafragmática e funcional respiratória, correção das de
formidades do tórax e da postura global do paciente.

Atuação da fisioterapia respiratória em um paciente pediátrico


com Atelectasia.
A atelectasia resulta da oclusão de brônquio segmentar, lobar ou de brônquio principal,
levando ao colapso ou perda de volume.

Objetivo

O objetivo do presente estudo é demonstrar o beneficio e a evolução obtida pelo


paciente pediátrico, acompanhado pela fisioterapia respiratória, mostrar a importância
da ação do fisioterapeuta na reabilitação pulmonar, a qual atenuou as desordens
ventilatórias existentes.

A atelectasia é definida como um volume diminuído que afeta todo ou parte do


pulmão , é o colapso de um segmento, lobo ou todo o pulmão, alterando a relação
ventilação/perfusão, provocando um shunt pulmonar, e pode ser classificada como
obstrutiva por secreção pulmonar, tumores e corpo estranho ou não obstrutiva por
relaxamento, adesividade e cicatrização.

A Fisioterapia Respiratória tem importante papel no tratamento de


pneumopatias, através das manobras de higiene brônquica (MHB). Todas objetivam
prevenir ou reduzir as conseqüências mecânicas da obstrução, má distribuição da
ventilação pulmonar, entre outras.

CONCLUSÃO
A fisioterapia respiratória mostra-se atuante e eficaz através das manobras e
recursos que auxiliaram na melhora clínica dos pacientes com patologias
Cardiorespiratórias. A duração das sessões de fisioterapia se estende por um tempo
que pudesse trazer benefício ao paciente e que fosse viável à rotina de atendimento da
instituição.

Concluí-se que as manobras respiratórias, são de extrema importância para a


melhora do paciente e concomitantemente reduz o tempo de internação e os custos
hospitalares.

MATERIAIS

•Maca

•Tablado

•Cunha

•Espelho na Parede

•Gase

•Soro Fisiológico

•Glutaraldeido

•Recipiente para Esterelização

•Álcool 70%

•Inalador

•Respiron

•Flutter

•Manuvacuômetro

•Aspirador

•Sonda de aspiração

•Máscara de proteção

•Luva Esteril (Aspiração)


•Luvas de Proteção

•Óculos de Proteção

•Oxigênio

•Ambu - Adulto e Pediátrico

•CPAP

•Bicicleta

•Esteira

•Bola Suiça - 65cm