Você está na página 1de 14

NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 33

GERADORES DE CORRENTE CONTINUA SEM CARGA (em vazio)

SURGIMENTO DE TENSÃO NOS GERADORES DE CORRENTE


CONTINUA EM VAZIO.

1. EXCITAÇÃO INDEPENDENTE
Diagrama elétrico Característica Magnética

A E
ch1
Iexc
+
bobinas shunt ou V
- série Ri E
Iexc nominal
fonte
independente
Eresidual

Iexc

1.1. rotação nominal e constante


1.2. ch1 aberta
1.3. surge Eresidual
1.4. fecha a ch1, ajusta a fonte para Iexc1 que produz E1
1.5. variando a tensão da fonte, ajusta para Iexc2 que produz E2, e assim por
diante, obtendo infinitos pontos de equilíbrio Iexc x E
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 34

2. AUTO EXCITAÇÃO
2.1. AUTO EXCITAÇÃO SHUNT – GERADOR SHUNT AUTO EXCITADO
Diagrama elétrico Característica Magnética

ch1
resistência
de controle Iexc nominal
Ri
Rsh
bobinas shunt Eresidual

Iexc

2.1.1. rotação nominal e constante


2.1.2. ch1 aberta
2.1.3. surge Eresidual
2.1.4. fecha ch1 Æ Eresidual oferecido a (Rsh + Ri) Æ Rsh >> Ri Æ
Eres E
surge I exc1 = R
Æ sh = (genericamente)
Rsh I exc
2.1.5. Rsh pode ser representada no mesmo gráfico da Característica
Magnética
Eres
2.1.6. marca
I exc1 = Æ Iexc(1) x E1 (E1 > Eres), pois passou a
Rsh
corrente Iexc1 nas bobinas de campo shunt e produziu fluxo adicional,
aumentando assim a tensão produzida.
E1
2.1.7. R = I exc 2 Æ E2
sh

E2
2.1.8. R = I exc 3 Æ E3
sh
2.1.9. e assim por diante até atingir o ponto de equilíbrio, no cruzamento da
reta Rsh com a curva da Característica Magnética.

Surgiu a tensão E com a corrente de excitação Iexc , sem a necessidade de


uma fonte externa, mas precisando da tensão residual (magnetismo residual)
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 35

Através do ajuste de Rsh, controlamos Ish e controlamos a tensão bruta E produzida:

Caracteristica Magnética Detalhes

E Rsh1 Æ Iexc1 ÆE1

Rsh2 > Rsh1


Ish2 < Ish1
Iexc nominal E2 < E1

Eresidual Rsh3 < Rsh1


Ish3 > Ish1
Iexc E3 > E1

2.2. AUTO EXCITAÇÃO SÉRIE – GERADOR SÉRIE AUTO EXCITADO


Diagrama elétrico Característica Magnética

R'S bobinas série E

RD

resistência de Ch2 Iexc nominal


controle (derivador)
Ri
Eresidual

Iexc

2.2.1. rotação nominal e constante


2.2.2. ch2 aberta
2.2.3. surge Eresidual
2.2.4. fecha ch2
2.2.5. permanece Eresidual pois o circuito está aberto, não passa corrente nas
bobinas série, não ocorre aumento de fluxo nem de tensão bruta
produzida. Não surge nenhuma tensão alem da tensão residual, estando
o gerador série auto excitado em vazio.
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 36

2.3. AUTO EXCITAÇÃO MISTA – GERADOR MISTO AUTO EXCITADO

2.3.1. GERADOR MISTO AUTO EXCITADO EM SHUNT CURTO

Diagrama elétrico Comentários

R'S O conjunto de bobinas série e derivador


não atua, (circuito aberto), então o
gerador misto em shunt curto tem um
Ch1
RD Ch2 comportamento shunt.

Ri Rsh

2.3.2. GERADOR MISTO AUTO EXCITADO EM SHUNT LONGO

Diagrama elétrico Comentários


2.3.2.1. rotação nominal e constante
R'S 2.3.2.2. ch1 e ch2 abertas
2.3.2.3. surge Eresidual
Ch1
2.3.2.4. fecha ch1
RD Ch2 Ri e R´s << Rsh Æ predomina Rsh, despreza-
se Ri e R´s Æ comportamento shunt
2.3.2.5. fecha ch2
Ri Rsh
R s' .R D
Rs = ' < R s' ou R D Æ
Rs + RD
predomina Rsh, despreza-se Ri e Rs Æ
comportamento shunt
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 37

EXEMPLO NUMÉRICO
Espiras shunt = 5000 Æ Rsh = 240,0Ω
Espiras série = 100 Æ R´s = 0,5Ω
Eres = 12,0 V Ri = 0,8Ω

Calcular a tensão oferecida nos terminais da máquina e calcular as FMM dos campos
shunt e serie para um pólo, para as duas configurações – misto em shunt curto e misto em
shunt longo. Cálculos com 4 decimais após a unidade. (valores a comparar estão muito
próximos).

“O GERADOR MISTO (em shunt curto ou em shunt longo) EM VAZIO COMPORTA-SE


COMO GERADOR SHUNT”
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 38

GERADORES DE CORRENTE CONTINUA SOB CARGA

REAÇÃO DO INDUZIDO EM GERADORES DE CORRENTE CONTINUA

A reação do induzido é um campo magnético criado pela corrente do induzido,


quando o gerador está operando sob carga. Este fluxo interage com o campo
magnético produzido pelos pólos, provocando distorção, deslocamento e eventual
alteração do valor do fluxo magnético resultante no entreferro* da máquina.
*ENTREFERRO – espaço entre a sapata polar e a superfície do induzido.

PRIMEIRA SITUAÇÃO – Máquina operando na região linear da Característica


Magnética
figura 1 figura 2 figura 3

N N N

C rotação rotação rotação

B
Iexc nominal

E ou φ A
residual

Iexc
curva simplificada completa S S S
AB - trecho linear
BC - trecho não linear
C em diante - saturação fluxo dos pólos reação do induzido fluxo resultante

SEGUNDA SITUAÇÃO – Máquina operando fora da região linear da


Característica Magnética
figura 1 figura 2 figura 3

N N N

C rotação rotação rotação

B
Iexc nominal

E ou φ A
residual

Iexc
curva simplificada completa S S S
AB - trecho linear
BC - trecho não linear
C em diante - saturação fluxo dos pólos reação do induzido fluxo resultante

COMENTÁRIOS
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 39

OUTRA VISUALIZAÇÃO

N N

rotação fmm fmm reação


polos rotação do induzido

eixo
neutro

S S

só o fluxo dos pólos Só o fluxo da reação do induzido

fmm
RI

rotação
Eixo
neutro

fmm
S fmm polos resultante

Fluxo resultante
(diagrama fasorial sem escala e sem representar a redução do fluxo resultante
provocada pela saturação magnética)

• Observa-se deslocamento e dispersão do fluxo magnético resultante.


• As escovas estavam curto circuitando bobinas não induzidas, mas estas
passaram a ser induzidas pelo FLUXO DISPERSO.
• Pode-se conviver com este problema, que se traduz em aumento na
intensidade do arco voltaico na comutação e aquecimento adicional, ou
pode-se eliminá-lo, movendo-se as escovas para outra posição, para
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 40

voltarem a curto circuitar bobinas não induzidas. (novas posições próximas,


onde o fluxo disperso não atinge bobinas não induzidas).
• O eixo neutro se desloca junto com as escovas - observe a figura em corte
transversal a seguir.
• A OPERAÇÃO DE MUDANÇA DE POSIÇÃO DAS ESCOVAS CHAMA-
SE DECALAGEM.

componente
desmagnetizante
rotação fmm RI
componente
transmagnetizante

novo eixo fmm


neutro resultante
fmm polos
S

Fluxo resultante
(diagrama fasorial sem escala e sem representar a redução do fluxo resultante
provocada pela saturação magnética)

NOTAR QUE AO REALIZAR A DECALAGEM, HAVERÁ REDUÇÃO DO


FLUXO MAGNÉTICO RESULTANTE, INDEPENDENTE DA CONDIÇÃO
DE SATURAÇÃO MAGNÉTICA OU NÃO.
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 41

RESUMO DAS CONSEQUÊNCIAS DA REAÇÃO DO INDUZIDO

DECALA-
CONDIÇÃO ITENS GEM
SEM COM
S N S N
1. distorção do fluxo magnético resultante • •
2. dispersão do fluxo magnético resultante • •
3. redução do fluxo magnético resultante por • •
saturação magnética (região de operação)
Máquina operando 4. tensão e corrente induzidas indesejáveis • •
na região linear da nas bobinas sob comutação Æ mais arco
Característica voltaico e aquecimento
Magnética 5. redução do fluxo magnético resultante • •
pela componente desmagnetizante.
(realização da decalagem)
1. distorção do fluxo magnético resultante • •
2. dispersão do fluxo magnético resultante • •
3. redução do fluxo magnético resultante por • •
saturação magnética (região de operação)
Máquina operando 4. tensão e corrente induzidas indesejáveis • •
fora da região nas bobinas sob comutação Æ mais arco
linear da voltaico e aquecimento
Característica 5. redução do fluxo magnético resultante • •
Magnética pela componente desmagnetizante.
(realização da decalagem)
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 42

• MINIMIZAÇÃO DOS EFEITOS DA REAÇÃO DO INDUZIDO

A minimização dos efeitos da reação do induzido é obtida com artifícios que


aumentam a relutância magnética do caminho seguido pelo fluxo da reação do
⎛ fmm n.I ⎞
induzido, diminuindo assim seu valor e suas conseqüências. ⎜ φ = = ⎟
⎝ Rel ℜ⎠

Caminho percorrido pelas linhas de fluxo da reação do induzido:

INDUZIDO Æ AR Æ SAPATA DO POLO Æ AR Æ INDUZIDO

fmm reação
rotação do induzido

O trecho da sapata polar dos pólos convencionais atravessado pelas linhas de fluxo
da reação do induzido oferece uma determinada RELUTANCIA MAGNÉTICA.

Os pólos FENDIDOS, RANHURADOS E VASADOS, pela sua construção,


oferecerão um aumento da relutância magnética desse trecho, visando reduzir o
⎛ fmm n.I ⎞
fluxo magnético da reação do induzido. ⎜ φ = = ⎟ Aumentando a relutância,
⎝ Rel ℜ⎠
para o mesmo produto n.I , diminui o fluxo.

O fluxo magnético dos pólos também será afetado (diminuído), mas de maneira
muito pouco sensível, sendo desprezada esta redução.
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 43

POLO CONVENCIONAL

POLO FENDIDO

POLO RANHURADO

POLO VASADO
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 44

• ELIMINAÇÃO DA REAÇÃO DO INDUZIDO

A eliminação da reação do induzido será obtida através do Enrolamento de


Compensação, que é realizado nas sapatas polares, aproveitando as ranhuras ou
dutos vasados. Este enrolamento é atravessado pela corrente do induzido, e a
quantidade de espiras é feita de modo que se garanta a relação:
fmmreação do induzido = fmmenrolamento de compensação
os sentidos de corrente devem ser opostos, de modo que as fmm´s em questão se
anulem.

enrolamento de compensação

enrolamento do induzido

Desta forma, se garante a ELIMINAÇÃO DA REAÇÃO DO INDUZIDO.

NEM TODAS AS MÁQUINAS DE CORRENTE CONTINUA SÃO


CONSTRUIDAS COM O ENROLAMENTO DE COMPENSAÇÃO, E/OU COM
OS DIPOSITIVOS PARA REALIZAR A DECALAGEM.

ENTÃO, PARA ESTUDO GERAL DOS GERADORES DE CORRENTE


CONTINUA SOB CARGA, A EXPRESSÃO DA TENSÃO TERMINAL DO
GERADOR SERÁ CORRIGIDA:-

ORIGINAL CORRIGIDA
Vt = E − R i I i V =E −R I =E −R I
t f(I , RI) i i R i i
exc

E = tensão bruta produzida


E = E = tensão produzida afetada pela reação do induzido
f(I , RI) R
exc
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 45

Até o presente momento, a TENSÃO BRUTA PRODUZIDA (E) permanecia


constante, enquanto o fluxo e a rotação permanecessem constantes. A partir de
agora, atentar para os efeitos da REAÇÃO DO INDUZIDO, que podem reduzir o
fluxo resultante e reduzir a tensão bruta produzida (E), transformando-a em tensão
bruta produzida afetada pela reação do induzido (ER).

Em situações práticas, haverá a informação “a reação do induzido provoca uma


redução de x% no fluxo bruto e conseqüentemente uma redução dos mesmos
x% na tensão bruta produzida.

Exemplos:–

“ a reação do induzido provoca uma redução de 3% no fluxo resultante” Æ

ER = 0,97E

“ a reação do induzido provoca redução de 4% na tensão bruta e a decalagem


realizada reduz o fluxo resultante em 5% Æ ER = 0,91E

EXERCICIO

1. (2,5) – Um gerador shunt de corrente continua, com enrolamento em anel de


Gramme, operando a plena carga, com excitação independente e constante de
1,5 A e 120 V. O efeito redutor da Reação do Induzido corresponde a 2,5%., O
gerador apresenta queda de tensão no induzido de 12 V.e tensão bruta já afetada
por RI de 780 V, com potência útil de 96000 W e tensão terminal de 768 V.
Pede-se para as condições expostas:

3.1 - Corrente de cada circuito da máquina;


3.2 - A resistência do induzido;
3.3 - A resistência do campo shunt;
3.4 - As perdas no cobre (enrolamentos)
3.5 - A tensão bruta produzida
NOTAS DE AULAS DE CONVERSÃO I 46