Você está na página 1de 6

ANEXO IV

ESTRUTURA PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA DE PRÉ-PROJETO DE PESQUISA DE


TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

1. Título/Área da Pesquisa
Análise de aplicativos/Software para educar crianças feministas
Ciências sócias aplicadas. Pesquisa básica ou teórica.
Baseado na agenda de 2030 da ONU.

2. Problema de Pesquisa

A igualdade de gênero é um tema bastante discutido e atual.


Gênero é um termo utilizado para designar homens e mulheres, ou qualquer

ser sexuado. Com o passar do tempo essa palavra passou a ser utilizada para

determinar papéis sociais. O gênero assim se define como tudo aquilo que ao

longo do tempo foi definido como comportamento, papel ou função que a

sociedade exige de alguém baseado no seu sexo biológico.

Segundo Joan Scott (1995), as feministas americanas começaram a usar o

conceito de gênero para se referir à organização social entre os sexos e só

mais tarde passaram a usá-lo para enfatizar o caráter fundamentalmente social

das distinções fundadas sobre sexo e rejeitar o determinismo biológico implícito

nos termos “sexo” ou “diferença sexual”.

A análise de gêneros levou a uma discussão dos estudos, que antes eram

centrados apenas nas mulheres e apontou a necessidade de estudo sobre as

relações de gênero e a principal igualdade. Tendo em vista que o mundo das

mulheres não pode ser separado dos homens, há uma relação entre si, não

podendo torná-las esferas separadas. Tomá-los como esferas separadas

reforça o mito de que a experiência de um sexo tem muito pouco ou nada a ver

com o outro sexo. Além disso Scott (1995) acrescenta que o uso do termo

“gênero” para designar relações sociais entre os sexos rejeita radicalmente


explicações biológicas que encontram um denominador comum para diversas

formas de subordinação feminina. Para Scott,

O termo “gênero” torna-se, antes, uma maneira de indicar “construções culturais” – a criação
inteiramente social de idéias sobre papéis adequados aos homens e às mulheres. Trata-se de
uma forma de se referir às origens exclusivamente sociais das identidades subjetivas de
homens e de mulheres. “Gênero” é, segundo essa definição, uma categoria social imposta
sobre um corpo sexuado. Com a proliferação dos estudos sobre sexo e sexualidade, “gênero”
tornou-se uma palavra particularmente útil, pois oferece um meio de distinguir a prática sexual
dos papéis sexuais atribuídos às mulheres e aos O termo “gênero” torna-se, antes, uma
maneira de indicar “construções culturais” – a criação inteiramente social de idéias sobre
papéis adequados aos homens e às mulheres. Trata-se de uma forma de se referir às origens
exclusivamente sociais das identidades subjetivas de homens e de mulheres. “Gênero” é,
segundo essa definição, uma categoria social imposta sobre um corpo sexuado. Com a
proliferação dos estudos sobre sexo e sexualidade, “gênero” tornou-se uma palavra
particularmente útil, pois oferece um meio de distinguir a prática sexual dos papéis sexuais
atribuídos às mulheres e aos homens (Scott, 1995, p. 75).

Na definição de Scott (1995), gênero é um elemento constitutivo das relações

sociais fundadas sobre as diferenças percebidas entre os sexos e também um

modo primordial de dar significado às relações de poder.

Além da atribuição histórica, o gênero também pode ser empregado como uma

categoria política para analisar a questão da igualdade e da diferença,

apontando para uma nova perspectiva de interpretação e transformação da

realidade social.

No início do movimento feminista a luta pela igualdade se sobrepôs a

diferença, foi somente na década de 70 e no decorrer dos anos 80 que a

discussão sobre diferença e igualdade virou pauta. Onde a diferença passou a

ter uma valência positiva, as feministas direcionaram suas lutas em prol da

igualdade na diferença, passou se então a abordar temas como diferença

cultural, cultura feminina, experiência feminina, reconhecimento da diversidade

cultural de gênero e assim por diante.


Sendo assim, conclui se que o movimento feminista pela igualdade de gêneros

é uma luta para todos, sendo uma luta constate tanto para mulheres quanto

para homens. Baseado na ideia da luta pela igualdade, e de que todos nós

podemos fazer a diferença, deduz-se que a melhor forma de instruir sobre a

importância da igualdade de gênero é desconstruindo a atribuição histórica de

gênero e seus papéis sociais, na qual determinou funções para o homem é a

mulher. A melhor forma de desconstruir essa ideia inicial é desde cedo

ensinando crianças sobre a importância da desigualdade.

3. Justificativa
O objetivo 5 da agenda das nações unidas “igualdade de gênero” visa alcançar
a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas. Todavia há
uma grande desigualdade entre mulheres e homens na sociedade atual, após
uma análise deduziu-se que a melhor forma de termos adultos conscientes
sobre a igualdade de gênero é conscientizando crianças sobre a sua
importância.

4. Objetivos (Geral e Específicos)


Geral:
• Analisar aplicativo paras educar de forma lúdicas crianças feministas.
Específicos:
• Analisar o comportamento de crianças em relação às diferenças de
gênero.
• Verificar por meio de um questionário lúdico o entendimento de criança

sobre a igualdade de gênero.

5. Referencial Teórico Preliminar


SCOTT, JOAN. Gênero é a política da história. 30 anniversary ed. Nova Iorque:
Columbia University Press, 2018.

HOOKS, BELL. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Trad. Ana
Luiza Libânio.15. Kentucky: Rosa dos tempos, 2018.
SOLNIT, REBECCA. Os homens explicam tudo para mim. 1. São Paulo: Cultrix,
2017.

AUSTEN, JANE. Orgulho e preconceito. 1. São Paulo: Martin Claret, 2018.

LISPECTOR, CLARICE. Perto do coração selvagem. 1. Rio de Janeiro: Rocco, 2019.

NGOZI ADICHIE, CHIMAMANDA. Para educar crianças feministas. 1. São Paulo:


Companhia das letras, 2017.

6. Metodologia
Sendo uma pesquisa bibliográfica com a finalidade de analisar aplicativos
software para educar crianças feministas, em uma pesquisa realizada de julho
a dezembro que terá uma abordagem fazendo uso de pesquisas bibliográficas
com finalidade de entender o feminismo como um todo e a melhor forma de
mostrar a igualdade de gênero de uma forma lúdica para crianças. Tendo como
referencial bibliográfico o livro o “Feminismo é para todo mundo: políticas
arrebatadoras”, e o livro para educar crianças feministas onde será realizada
uma análise da melhor forma para assim se desenvolver um protótipo de
aplicativo ou software para ensinar crianças sobre a importância da igualdade
na prática.
A pesquisa também terá composta por uma bibliografia secundária onde será

analisado o comportamento da sociedade ao longo dos anos quanto a

igualdade de gênero, utilizando das obras de época “Orgulho e preconceito” e

“Perto do coração selvagem”, obras escritas há quase um século onde as

autoras retratam a desigualdade de gêneros da sua época, analisando assim a

evolução ao longo dos anos. Também será aplicado um questionário lúdico

para crianças de 4 a 12 anos onde os dados serão coletados e analisados,

para assim avaliar o conhecimento sobre o tema abordado.

7. Cronograma
Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez.

Pesquisa bibliográfica 1: [O feminismo


é para todos: Políticas arrebatadoras]
Pesquisa bibliográfica 2: [Os homens
explicam tudo para mim]
Pesquisa bibliográfica 3: [Para educar
crianças feministas]
Pesquisa bibliográfica 4: [Orgulho e
preconceito]
Pesquisa bibliográfica 5: [Perto do
coração selvagem]
Coleta de dados 1: [Análise de
comportamento (4-8 anos)]
Coletas de dados 2: [Análise de
comportamento (9-12 anos)]

Coletas de dados 3: [Análise de


comportamento (12-16 anos)]

Planejamento questionário

Aplicação do questionário

Análise dos dados coletados:


organização e cruzamento

Redação da Pesquisa e Resultados

Revisão do Trabalho

Banca de Defesa

Revisão final e entrega do TCC


finalizado (pós-banca)

8. Resultados Esperados
Espera se que com a pesquisa possa entende-o conhecimento infantil sobre a
desigualdade de genro.

Você também pode gostar