Você está na página 1de 28

SISTEMA DE ENSINO À DISTÂNCIA

EDUCAÇÃO FÍSICA– LICENCIATURA


8º SEMESTRE

PATRICIA ALVES PACHECO

RELATÓRIO DE
ESTÁGIO CURRICULAR EM EDUCAÇÃO FÍSICA II-
ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO

RUBENS BITANCOURT DE FREITAS

RELATÓRIO
Ananindeua
RIBAS DO RIO- Pará DE
PARDO/MS
ESTÁGIO 2021
CURRICULAR2020 EM EDUCAÇÃO FÍSICA-II
PATRICIA ALVES PACHECO

RELATÓRIO DE
ESTÁGIO CURRICULAR EM EDUCAÇÃO FÍSICA II-
ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO

Relatório apresentado à Anhanguera –


UNIDERP, como requisito parcial para o
aproveitamento da disciplina de Estágio
Curricular Em Educação Física II – Anos Finais
do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

Ananindeua - Pará
2021
SUMÁRIO

1INTRODUÇÃO............3
2LEITURAS OBRIGATÓRIAS................6
3PLANEJAMENTO ANUAL............7
4PROPOSTA DE ATIVIDADES PARA ABORDAGEM DOS TEMAS
CONTEMPORÃNEOS TRANSVERSAIS DA BNCC...................8
5OPROCESSO DE GESTÃO ESCOLAR..............11
6ATUAÇÃO DA EQUIPE PEDAGOGICA NO ACOMPANHAMENTO DO
DESENVOLVIMENTO DA DISCIPLINA..................13
7CONHECER AS METODOLOGIAS ATIVAS COM O USO DETECNOLOGIAS
DIGITAIS.....................15
8PLANOS DE AULA...............17
9CONSIDERAÇÕES FINAIS.......................26
10REFERÊNCIAS.....................27
3

INTRODUÇÃO

O Estágio Supervisionado Ensino Médio: Planejamento e Docência têm por


objetivo oportunizar ao estagiário uma análise da realidade escolar, do cotidiano, da
prática pedagógica, dos métodos utilizados, e dos recursos disponíveis para as
atividades. O estágio complementa a formação acadêmica, possibilitando o
confronto entre a teoria e a prática docente, isto é, reveste-se de um caráter
diversificado, uma capacitação que oferece oportunidade de construir em conjunto,
uma consciência crítica/ reflexiva sobre uma determinada realidade, com
possibilidade de transformá-la.
O estágio propicia um conjunto de conhecimentos, ou seja, uma análise
concreta em relação ao papel da escola em todos os seus campos de atuação.
Nota-se, que nos cursos de Licenciatura o estágio é um elemento obrigatório e
relevante para os futuros profissionais, ou seja, o estágio é uma atividade
assegurada na matriz curricular.
A prática do estágio é necessária, para que haja uma reflexão, e uma
articulação em torno da teoria e da prática pedagógica. O Estágio Supervisionado
Ensino Médio: Planejamento e Docência quando desenvolvido concretamente no
ambiente estagiado, é capaz de moldar gradativamente o pensamento do estagiário,
e prepará-lo, para enfrentar a realidade em sala de aula com muito mais clareza das
ações desenvolvidas.
O presente trabalho tem como objetivo relata a aprendizagem obtida no
estagio c. em educação física ll- anos finais do ensino fundamental e ensino médio,
curso de educação física primeira semestre de 2020 trata-se de um modelo
adaptado durante o período de pandemia que atravessa o país realizado pelo
universitário Maycon Ruan dos Santos Celestino estudando do curso de educação
física, matriculado no sétimo semestre na universidade Anhanguera. Intuito
aprimorar os conhecimentos e chegar o mais próximo possível da realidade mesmo
impossibilitado do contato direto, buscando a melhor forma de aplicar os saberes
adquiridos nas disciplinas estudadas.
4

LEITURAS OBRIGATÓRIAS

No curso de licenciatura em Educação Física no que se refere ao estágio


supervisionado é muito importante e um dos objetivos do estágio supervisionado
realizado dentro de uma instituição escolar é estar colocando o acadêmico frente a
frente com a realidade podendo o mesmo colocar em pratica os saberes adquiridos
assim despertando nos acadêmicos uma possível reflexão e vivência do saber
pedagógico.
Assim através de análises das meditações são detectadas três classes de
conhecimento docentes. Abordando conhecimentos naturais para intervenção dos
futuros docentes.
Primeiro saber se trata de saber experiencial. Para Tardif (2008, p. 39), “estes
saberes são conhecimentos que brotam da experiência e que terminam sendo
validados por ela [...] eles incorporam-se à experiência individual e coletiva sob a
forma de hábitus e de habilidades” sendo conjunto de cultura vindo de varias
vivências dentro desse contexto pode se afirmar o como se da o exercer pedagógico
e o conhecer característica de docente.
Podendo evidenciar nos Escritos de Gabriela:

A cada dia que passava via a dificuldade que é estarem todos os dias na
escola, como profissional, lidando com os alunos e seus conflitos, sejam internos ou
provocados por eles mesmos. Adquiri experiência que não esperava ter, devido a
tantas dificuldades como as que encontraram, mas a pedagogia da proposta
escolhida nos faz a cada dia rever os conceitos que as crianças levam e avaliá-las
em relação ao que elas nos mostram a cada aula. (Gabriela – reflexão
metodológica).

Já no segundo caso vem relatando as conquistas diante de uma gestão de


sala de aula no que se refere aos alunos, pois é de responsabilidade do professor a
gestão de sala de aula um bom professor tem que ter estratégias para manter um
bom comportamento de seus alunos bem como o interesse dos mesmos nos
conteúdos aplicados dentro da mesma. O saber prático, Ferreira (2002) denomina
de saber original, sendo um fruto do fazer pedagógico na pratica, mas de outro lado
5

sendo considerado como conhecimentos que se leva ao longo da vida não surgindo
apenas durante a ação docente podendo já estar presente na vida do futuro docente
e só ter vindo a aparecer quando solicitado no período da ação pedagógica.
Assim pode definir a segunda categoria como experiências dentro desse
contexto se fala de experiências já existentes, para Tardif (2008), provenientes da
origem social do professor, ou seja, de sua história de vida. Ferreira (2002)
denominou estes saberes foram de Saberes Culturais. Esses conhecimentos podem
ser relacionados à cultura,bem como experiências pessoais, crenças, etc.

Para João:
[...] entusiasmavam pela facilidade que eles tinham para
transmitir o conteúdo, tendo conquistado também uma grande
amizade com essas pessoas, principalmente com o Professor
Aloísio (para preservação da identidade o nome original foi
alterado) onde [passou] a ser amigo pessoal, recebia muita
informação e conselho de como a vida deveria ser vivida,
influenciando assim a opção em cursar Educação Física
pela Universidade Federal da Paraíba(João - reflexão
epistemológica).
6

PLANEJAMENTO ANUAL

O currículo escolar abrange as atividades desenvolvidas dentro da escola, ou


seja, são as atividades que correspondem a uma finalidade, são executadas de
acordo com um plano de ação elaborado pelo coletivo escolar, a serviço de um
projeto educacional. A primeira função do currículo, sua razão de ser, é a de
explicitar o projeto no qual fundamenta as atividades educativas escolares.

A Matriz Curricular é um documento norteador da escola. É o ponto de partida


de sua organização pedagógica. É a partir da matriz que se define que componentes
curriculares serão ensinados na escola. O Projeto Político Pedagógico e o
Planejamento Anual, construídos pela equipe escolar, deverão explicitar as
habilidades específicas a serem trabalhadas em cada ano de escolaridade.

O Plano de Ensino é um plano de ação; é o registro do planejamento das


ações pedagógicas para o componente curricular1 durante o período letivo. É um
instrumento didático-pedagógico e administrativo de elaboração e uso obrigatórios. .
São organizados bimestralmente e desenvolvidos ao longo do ano letivo, procurando
consolidar as habilidades dos educandos, nos diversos componentes curriculares.

Um dos desafios do currículo por competências refere-se à certificação da


formação profissional, pois o mercado de trabalho não se encontra preparado para
compreender a nova linguagem adotada, isto é, conceitos avaliativos substituindo o
registro numérico. A interdisciplinaridade parte do princípio de que todo
conhecimento mantém um diálogo permanente com outros conhecimentos e a
contextualização requer a concretização dos conteúdos curriculares em situações
mais próximas e familiares aos alunos.

Avaliação da aprendizagem é um instrumento utilizado para avaliar a


evolução dos alunos ao longo do processo de ensino-aprendizagem. Esse
procedimento vai além de aplicar testes e conceder notas aleatórias, mas exige um
acompanhamento do estudante em diferentes momentos do processo educativo.

O acompanhamento é individual, respeitando as diferenças e especificidades


do aluno. A avaliação da aprendizagem é diagnóstica, continua e cumulativa do
rendimento do aluno com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os
7

quantitativos e oferece subsídio ao trabalho do corpo docente para o planejamento


de novas atividades que oportunizem o pleno desenvolvimento do aluno.
8

PROPOSTA DE ATIVIDADE PARA ABORDAGEM DOS TEMAS


CONTEMPORÂNEOS TRANSVERSAIS DA BNCC

PROPOSTA DE ATIVIDADE

INTERDISCIPLINAR (Educação-Física e
Ciências)
TCT
Meio Ambiente - Educação Ambiental (EA) e
Educação para o consumo (EC)

* COMPETENCIA GERAL DA BNCC 07


Formular e defender ideias, pontos de vistas e
OBJETIVO
decisões que respeitem e promovam direitos
humanos, consciência.
Socioambiental e consumo responsável. Ter
posicionamento ético em relação ao cuidado de
si mesmo, dos outros e do planeta.

* COMPETÊNCIA ESPECÍFICA DE
EDUCACAO FISICA 3
Utilizar diferente linguagem (artísticas, corporais
e verbais) para exercer, com autonomia e
colaboração, protagonismo e autoria na vida
pessoal e coletiva, de forma crítica, criativa,
ética e solidária, defendendo pontos de vista
que respeitem o outro e promovam os Direitos
Humanos, a consciência socioambiental e o
consumo responsável, em âmbito local, regional
e global.
Essa competência específica focaliza a
construção da autonomia dos estudantes nas
práticas de compreensão/recepção e de
produção (individual ou coletiva) em diferentes
linguagens.
1- Criar uma cultura de respeito ao meio
ambiente;
2- educar e ampliar o compromisso com as
próximas gerações;
3- aproximar a escola de grandes temas
mundiais gerando consciência ecológica;
4- brincar na natureza como prática que
humaniza;
5- para os professores: exercício de criatividade
9

e prazer

Fase 1- Apresentação do Texto 1 abaixo,


através de slide, colocar algumas imagens para
ATIVIDADE PROPOSTA
ilustrar, visualizar e favorecer a compreensão.

O PRAZER PELA AVENTURA E ESPORTES


NA NATUREZA

O ambiente natural apresenta para aqueles que


buscam praticar atividades corporais, um
variado campo de possibilidades. Nesses
ambientes naturais, o espírito de aventura e a
busca pela superação dos limites são
determinantes. A interação com os elementos
naturais: água, terra e ar estão relacionados
com a reflexão que o respeito ao meio ambiente
deve trazer a cada ser humano.
Vivemos em uma sociedade de valorização do
capital e do consumo, onde a atitude
competitiva se reflete nas práticas corporais.
Isso ocorre de modo especial no esporte, onde
a busca da performance é procurada a qualquer
custo, tendo o sucesso como fim. São vários os
fatores ambientais que podem influenciar
potencialmente a performance e a habilidade
durante a prática esportiva, mas é certo que,
mesmo ciente dos fatores de adversidade para
o desempenho em determinados ambientes, o
espírito aventureiro, a afinidade pelo desafio e a
fantástica capacidade de adaptação do corpo
humano fizeram com que novos ambientes
fossem explorados, através da prática de
esportes da natureza.
Fase 2- Debate sobre o tema, relacionando com
ciência.
. Ouvir os alunos, tirar dúvidas, sugerir situações
problemas, etc.

Fase 3- Solicitar Pesquisa sobre A importância


de cuidar e preservar o Meio Ambiente (textos e
imagens).

Fase 4- Atividade de Fixação relacionada ao


Texto 1.

Fase 5 - Realizar uma atividade física pratica ao


10

ar livre.

Pode ser caminhado, ciclismo, skate, patins,


surf, voleibol de areia, etc. Ficara a critério do
aluno. Depois fazer relatório escrito com os
pontos observados - paisagem, poluição, lixo,
desmatamento, qualidade do ar entre outros.
Depois fazer uma roda de conversa sobre os
pontos observados.

Fase 6 - Após o debate, solicitar que façam


cartazes educativos com material pesquisado,
para expor no ambiente escolar e assim
contribuir com a conscientização em massa.

LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS -


EDUCACAO FISICA
ÁRE DO CONHECIMENTO
(EM13LGG304) Formular propostas, intervir e
tomar decisões que levem em conta o bem
HABILIDADE (TEXTO COM
comum e os Direitos Humanos, a consciência
CÓDIGO) socioambiental e o consumo responsável em
âmbito local, regional e global.

O processo avaliativo devera ser baseado na


BNCC e suas competências.
AVALIAÇÃO
A avaliação devera ser continua e constante,
valorizando todas as produções, todos os
debates, pesquisas, trabalhos expostos,
discussões coletivas e individualizadas.
Devesse ter um olhar diferenciado para o aluno
que apresentar dificuldades. Comentar
pessoalmente, orientar sobre os aspectos
comportamentais inclusive. Caso necessite
fazer atividade de recuperação.
Discutir sobre o senso de responsabilidade,
assiduidade.
As intervenções devem ser continuadas e seguir
um padrão para os alunos perceberem o
aspecto profissional deste trabalho.
Valorizar os alunos e suas produções motiva-os,
incentiva os a cada aula, a cada objetivo
alcançado.
11

O PROCESSO DE GESTÃO ESCOLAR

1. Como o regimento e o PPP se aplicam nas ações do cotidiano da escola.

Implementação do currículo, buscamos evidenciar a contextualização e a


interdisciplinaridade, ou seja, formas de interação e articulação entre diferentes
campos de saberes específicos, permitindo aos alunos a compreensão mais ampla
da realidade. A interdisciplinaridade parte do princípio de que todo conhecimento
mantém um diálogo permanente com outros conhecimentos e a contextualização
requer a concretização dos conteúdos curriculares em situações mais próximas e
familiares aos alunos. Todo conhecimento e informação disponíveis devem se dar
através da construção interativa: professor, aluno, conhecimento.

A avaliação da aprendizagem dos alunos deve ser realizada pelos professores e


equipe pedagógica, assegurando um caráter processual, formativo e participativo,
utilizando vários instrumentos, recursos e procedimentos. O acompanhamento é
individual, respeitando as diferenças e especificidades do aluno. A avaliação da
aprendizagem é diagnóstica, continua e cumulativa do rendimento do aluno com
prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e oferece subsídio ao
trabalho do corpo docente para o planejamento de novas atividades que
oportunizem o pleno desenvolvimento do aluno.

2. Discorra sobre 3 (três) aspectos abordados pelo diretor que você destaca
como mais importantes.

A importância dos documentos escolar nas mudanças de funcionários e de


professores, pois a cada ano vai mudando a estrutura e ambiente escolar, quando
tiver professor substituto ou novato na escola ele ter o conhecimento de cada parte
escolar para depois colocar em pratica.

Todas as pessoas sabendo das suas competências, essas articulações tem que
circular no dia a dia da escola. Todo o seguimento escolar com direção, a equipe de
pedagogos e o setor administrativo, os funcionários todos se interagindo vão fazer
que a escola possa funcionar. Onde o professor possa ir para a sala de aula
12

favorável para aprendizagem do aluno

O projeto, politico, pedagógico, o regimento com documentos, as matriz, as


metodologias ajudar desenvolver o ambiente da escola como a aprendizagem do
aluno.
13

ATUAÇÃO DA EQUIPE PEDAGÓGICA NO ACOMPANHAMENTO DO


DESENVOLVIMENTO DA DISCIPLINA

1. Escolha e conceitue três atribuições da equipe pedagógica que auxiliam o


professor a organizar o Plano de Trabalho Docente.

A equipe pedagógica é responsável pela coordenação das ações didático –


pedagógicas que acontecem na instituição escolar. Funciona como um elo que une
as partes envolvidas no ensino e aprendizagem dos alunos, estabelecendo uma
ponte entre direção, professores, alunos e pais, formando uma rede interligada por
interesses comuns. É um trabalho de liderança que ajuda a escola a desempenhar
melhor o seu processo de ensino-aprendizagem, em função de uma educação eficaz
oferecida aos alunos. Também está entre seus afazeres promover o crescimento
daqueles com quem lida diretamente, como professor e aluno. A equipe pedagógica
tem grande relevância diante da organização e coordenação de ações didáticas
pedagógicas, inerentes a determinado contexto escolar.
Nesse sentido, a equipe tem como função estudar e liderar os métodos de ensino e
aprendizagem que serão empregados, visando a realização do melhor plano de
trabalho docente. Além disso, devem analisar o desempenho dos alunos, buscando
amenizar as dificuldades de cada um.

2. Exemplifique de que maneira a equipe pedagógica poderá orientar o


professor, tendo como referência a utilização do Projeto Político Pedagógico e
da Proposta Curricular.

A equipe pedagógica pode orientar o professor na execução do projeto pedagógico


de modo que muitas vezes há uma adaptação na execução de tarefas escolares
dado à inclusão de novas ementas pedagógicas, por isso, a equipe pedagógica
pode instruir os professores quanto à essas mudanças e como agir.
A proposta curricular - Estabelecer o que e como se ensina, as formas de avaliação
da aprendizagem, a organização do tempo e o uso do espaço na escola, entre
outros pontos.
14

 A formação dos professores - A maneira como a equipe vai se organizar para


cumprir as necessidades originadas pelas intenções e A gestão administrativa - Que
tem como função principal viabilizar o que for necessário para que os demais pontos
funcionem dentro da construção da "escola que se quer".
15

CONHECER METODOLOGIAS ATIVAS COM USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS.

As tecnologias digitais hoje são muitas, acessíveis, instantâneas e podem ser


utilizadas para aprender em qualquer lugar, tempo e de múltiplas formas. O que faz
a diferença não são os aplicativos, mas estarem nas mãos de educadores, gestores
(e estudantes) com uma mente aberta e criativa, capaz de encantar, de fazer
sonhar, de inspirar. Professores interessantes desenham atividades interessantes,
gravam vídeos atraentes. Professores afetivos conseguem comunicar-se de forma
acolhedora com seus estudantes através de qualquer aplicativo, plataforma ou rede
social.
A metodologia é o caminho a forma utilizada pelo professor para atingir os
objetivos e metas propostos. A metodologia está relacionada aos procedimentos
utilizados pela equipe escolar no processo de ensino e aprendizagem. Deve ser
coerente com a concepção pedagógica adotada pela escola, utilizando-se todos os
recursos didático-pedagógicos e tecnológicos, visando a interação aluno/aluno,
professor/aluno e favorecendo as aprendizagens.
Para tanto, a equipe escolar, no desempenho de suas funções de educar,
tem por proposta acolher os alunos, buscando contribuir e utilizar metodologias,
estratégias e recursos de ensino que melhor atendam às suas características
cognitivas. Garantir as aprendizagens propostas no currículo básico comum,
desenvolvendo interesses, sensibilidades e habilidades para usufruir dos bens
culturais disponíveis na sociedade.
A equipe escolar deve possibilitar o convívio com as regras no espaço
público, o convívio democrático com as diferenças, orientado pelo respeito mútuo e
pelo diálogo.

Na aula de educação física, diante da dificuldade e da complexidade em


relação as explicações das atividades praticas de forma verbalizada ou exposição
em quadro branco ,quando se não precisa demonstra uma jogada ou movimentação
dentro de uma espaço delimitado , não traz resultado satisfatório isso encontramos
na utilização das ticks mais especificamente o aplicativo tactalpad uma ferramenta .
Os usos tecnológicos vão à relação entre os gêneros menina-menino na pratica do
futsal.
O desenvolver os fundamentos do futsal é o jogo com time misto e pesquisa
16

como ocorre a participação do gênero feminino no futsal e produzir um vídeo.


Conteúdo da aula vai ter na aula marcação, passe, recepção e finalização.
Essa aula os aluno pode estuda em sala de aula ou em casa pelo celular,
computadores.
17

PLANOS DE AULA

PLANO DE AULA 1

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
Disciplina: Educação Física
Turma: 1 Ano
Período: Matutino

TEMA: Atletismo

OBJETIVOS GERAIS
Vivenciar Proporcionar a prática dos fundamentos técnicos do Atletismo e, a partir
deste estímulo e prática, o professor fará a identificação dos níveis de execuções
dos alunos procurando, após esta primeira prática, organizar aulas apropriadas à
realidade destes alunos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Despertar no aluno o interesse pelas Danças Folclóricas.
Conduzir o aluno a uma vivência diferente do seu cotidiano.
Conhecer a importância histórica da Dança das Fitas/Do Pau de Fitas.
Ensinar os movimentos e passos básicos da Dança das Fitas/Do Paude Fitas.
Trabalhar a Coordenação Motora e o Equilíbrio através da Dança do Pau de Fitas

CONTEÚDO
Atletismo na Educação Física Escolar
18

1) P ri meiroo professor fará a lei tura do alfabeto com os alu no s, dep oi


s fará
METODOLOGIA
-1ª  etapa.

      Perguntar aos alunos o que eles conhecem sobre o atletismo. Em seguida
passar um vídeo que mostre imagens de diversas provas, como esse e esse.
Discutir o vídeo com os alunos, buscando construir um conceito sobre esse esporte.
Deixar todos se manifestar, complemente, corrigindo os equívocos e respondendo
às perguntas que surgirem. Ressaltar que a modalidade engloba diversas provas, a
maioria individual. Agrupar cada uma para melhor entendimento dos alunos:
corridas, saltos, arremessos e lançamentos, explicando que existem variações.
Explicar que as corridas, por exemplo, incluem as corridas de velocidade de 100
metros, as corridas de velocidade de 200 metros, as corridas de revezamento,
corridas de obstáculos, corridas com barreiras e as maratonas.

Escolher uma das provas em conjunto com os alunos ou fazer uma sugestão, como
a corrida de velocidade, que pode ser feita de uma extremidade à outra da quadra.
Primeiramente, separar meninos e meninas explicando que nas modalidades de
corridas oficiais essa é regra (esse será o único momento em que eles estarão
separados). Depois, deverão ser colocados para correr juntos, divididos em grupos
mistos menores. Quem estiver esperando a vez deverá ficar responsável por marcar
os tempos de cada corredor, além de observar e anotar quem chega primeiro.

Em seguida, propor um jogo no qual os estudantes são colocados em duplas. Cada


dupla receberá uma folha de jornal que deverá ser levada ao colega parceiro - que
se posicionará à sua frente, em sentido contrário ao dele e a uma distância que pode
ser de uma lateral a outra da quadra (ou de uma linha de fundo a outra). A folha
deve ser colocada em contato com o corpo, sem ser dobrada, ou segurada pelas
mãos. Vence a dupla que conseguir fazer o trajeto primeiro. (neste caso, quem está
com a folha leva para o parceiro, chegando ao lado oposto à sua posição inicial. O
parceiro então, pega a folha e a leva para o outro lado, de onde saiu seu
companheiro). A dupla que conseguir fazer essa troca de lugar levando a folha de
jornal junto ao corpo andando rápido, mas sem correr, vencerá. Esse mesmo jogo
19

poderá ser feito com mais estudantes, assim, a equipe que trocar de lugar primeiro,
levando o jornal desse modo será a vencedora. Concluídas as duas atividades,
organizar uma roda de conversa e incentivar todos a comentarem as vivências,
identificando o que foi aprendido e de que forma, ou a apresentar dúvidas. Deverá
ser comentado sobre as diversas provas de corrida de velocidade e as
características básicas delas: distâncias curtas, saídas baixas (com blocos de
partida, para dar impulso) e velocidade como capacidade física fundamental, sempre
incentivando a discussão sobre a questão do gênero e mostrando um olhar crítico,
não se esquecendo de incentivar a superação de preconceitos. Comentar sobre a
corrida individual, por gênero e depois mista, perguntando como foi para os alunos
essa vivência. Exponha as questões fisiológicas que permeiam as competições
olímpicas que separam os atletas dessa forma.

2ª etapa.

Retomar as atividades da aula passada, relembrando as características básicas das


corridas de velocidade, e propor a prática de um jogo - que deve ser comparado aos
realizados anteriormente. Dividir a turma em grupos mistos com aproximadamente
oito integrantes cada. Se as equipes ficarem com um número desigual, basta um
aluno participar duas vezes. Organizar os alunos (as) competidores em colunas,
distantes uma da outra em mais ou menos uns dois  metros numa das laterais da
quadra.

Um aluno do grupo fica do lado oposto da quadra e, ao seu sinal, sai em busca do

colega que está no inicio da coluna à sua frente. Lá chegando, ele segura esse
colega pela mão e os dois voltam para lado oposto da quadra. Os dois dão meia
volta e buscam o próximo da fila, sem soltar as mãos.

Ganha a equipe que se transferir mais rapidamente para o outro lado da quadra.

Terminado o jogo, reúna os estudantes numa roda de conversa e peça que


exponham suas reflexões sobre a prática e a construção do conhecimento acerca
dela. Faça um comparativo com as características das corridas de velocidade e as
20

de resistência, buscando levantar os elementos que caracterizam essa última:


distâncias longas, saída alta (em pé) e resistência aeróbica como capacidade física
principal.

3ª etapa

Deverão ser resgatadas as vivências realizadas nas aulas anteriores e, em seguida,


perguntar-se o que as crianças sabem sobre o espaço onde ocorrem as
competições de atletismo. Discutir o tema propondo que todos juntos construam
uma pista na quadra. Poderá ser sugerida a utilização de giz ou fita crepe para
contornar o espaço e construir pelo menos duas raias. Outra opção é o uso de
cones ou garrafas \u201cpet\u201d com água. Feitas as raias, explicar sobre a
diferença no comprimento da interna e que, por isso, quem está nela tem de largar
de uma marca localizada mais atrás. Em seguida deverá ser proposta, uma corrida
de velocidade entre os alunos nesse espaço. Se não for possível fazer várias raias,
sugerir que alguns alunos marquem os tempos dos outros e anotem os nomes numa
cartolina ou papel pardo para posterior análise. Nesse período, os que não
estiverem participando deverão realizar outra atividade. Em seguida, será
organizada uma corrida de revezamento, utilizando cabos de vassouras cortados ou
canudos de jornal, colocando os alunos em grupos mistos e ressaltando a
importância do trabalho em equipe. No fim, formar uma roda de conversa para todos
exporem as reflexões sobre as vivências e o que aprenderam com elas. A seguir,
retomar o cartaz com os nomes e os tempos para uma análise conjunta dos
melhores tempos e equipes e levantar as razões dos resultados e a questão de
ganhar e perder. Apontar se houve mais meninas que meninos com tempos
melhores, incentivando o debate. Cada turma terá um cenário diferente. O
importante é levar os alunos a analisar os resultados de forma crítica, observando as
inúmeras questões que envolvem a competição e as diferenças de gênero. É
possível que apareça uma menina mais rápida que todos os meninos ou não. A
discussão é válida em ambos os casos para acabar com os preconceitos relativos à
participação de meninos e meninas em conjunto nas atividades que englobem a
educação física escolar ou qualquer outra modalidade relacionada atividades físicas
em geral.
21

4ª etapa

Recordar o que foi abordado nas aulas anteriores, comparando os dois tipos de
corrida e suas características principais. Ressaltar a importância da vivência na pista
construída e propor o uso dela para

RECURSOS
Os alunos assistirão vídeo em seu celular enviado pelo professor, sobre corrida,
salto, também foi mostrado um vídeo no slide sobre o atletismo.
Celulares
Quadra esportiva
Pista de atletismo
Roda de conversa
Cronometro

O alfabeto m E.V. A;
 Li vro: hi s tó ria que os bi c hoscontam ;
 A ti vi da de impressa com oalfabeto ponti l had o.
A lfabetoe m E .V.A ;
 Li vro:hi s tó ria que os bi c hoscontam ;
 A ti vi da de impressa com oalfabeto ponti l had o.
A lfabetoe m E .V.A ;
 Li vro:hi s tó ria que os bi c hoscontam ;
 A ti vi da de impressa com oalfabeto ponti l had o

AVALIAÇÃO
Pela participação ativa dos alunos, questionamento, ideias, comportamento e
através da execução correta dos fundamentos do jiu jitsu apresentado pelo professor
durante as aulas. Avaliação de atitudes e procedimental.
22

REFERÊNCIAS
Atletismo: teoria e pratica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014. OLIVEIRA,
Maria Cecília Mariano de. Atletismo escolar: uma proposta de ensino na educação
infantil. Rio de Janeiro: S.

PLANO DE AULA 2

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
Disciplina: Educação Física
Serie: Primeiro Ano
Período: Matutino
TEMA: Jiu Jitsu (Adaptado para Escola)

OBJETIVOS GERAIS
O objetivo além de desaquecer a musculatura e ajudar o relaxamento é a trabalhar
a noção de espaço e o equilíbrio
Inicia o conhecimento do jiu jitsu através da vivencia

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Vivenciar o conteúdo das Lutas de forma adaptada para a escola.
Trabalhar o Jiu Jitsu através de brincadeiras próximas aos seus movimentos reais.
 Levar os alunos ao conhecimento sobre o tema Transversal do 1º Bloco dos PCNs.
23

CONTEÚDO
Jiu Jitsu (Adaptado para Escola)

1) P ri meiroo professor fará a lei tura do alfabeto com os alu no s, dep oi


s fará
METODOLOGIA
* Roubar a Bandeira: Os alunos serão dispostos em duas equipes, uma de cada
lado de Quadra, de posse de uma bandeira, onde as equipes deverão fixar sua
bandeira na sua extremidade da Quadra. Feito isto, cada equipe deverá roubar
a bandeira da outra equipe e ao mesmo tempo proteger a sua guarda (Lembrando
que o “protetor terá de evitar que o seu adversário consiga lhe tocar ou a sua
bandeira”). Se o componente for tocado pelo adversário deverá permanecer parado
no local e só poderá voltar à brincadeira após ser salvo (tocado) por um
companheiro da sua equipe. Cada vez que uma equipe conseguir roubar a bandeira
do adversário e conduzi-la ao seu lado d quadra sem que o “roubador” seja tocado
por algum adversário marca um ponto e a brincadeira recomeça.
PARTE PRINCIPAL (50 minutos)
Teórica 10 minutos
* A Aula tem início com uma pequena abordagem teórica de 10 minutos sobre a
história do Jiu Jitsu, suas diversas características, objetivos e finalidades enquanto
esporte e modalidade Olímpica.
Prática - 40 minutos
* 1ª parte (10 minutos) - Empurra-empurra agachado: Alunos divididos em dois
grupos de números iguais, ambos os sexos ficando cada grupo paralelo ao outro,
ao primeiro comando os alunos deverão ficar a uma distância de aproximadamente
90 cm a frente um do outro, agachados de cocas, ficando de mãos dadas com os
colegas do outro grupo. Ao sinal do segundo comando os educandos terão que
desequilibrar seu colega a fazê-lo sentar. Lembrando que todos deverão esperar o
sinal do professor e não podendo ficar em pé. A brincadeira chega ao fim após todas
as duplas terem um vencedor.
* 2ª parte (10 minutos - Pega-Balão (ou bexiga): Os alunos deverão ficar em
duplas, cada um deles colocará em seu tornozelo um Balão, preso por uma fita
24

(corda ou liga de borracha) de forma que não se desprenda. Em seguida as duplas


deverão colocar as duas mãos no ombro de seu colega, e ao serem autorizados, os
alunos deverão alcançar e estourar os balões que estão no tornozelo de seu colega
sem deixar que o mesmo estoure o seu. Lembrando que não é permitido tirar as
duas mãos ao mesmo tempo do ombro de seu colega e nem interferir com os braços
no ataque do seu adversário, sendo sua única defesa empurrá-lo pelo ombro. A
brincadeira chega ao fim após todas as duplas terem um vencedor.
* 3ª parte (10 minutos) - Desatar o laço: Alunos divididos em duplas. Cada um
deverá amarrar em volta da cintura, com um nó tipo laço, uma corda (ou fita). As
duplas deverão se posicionar de forma que só possa mexer os braços. Nessa
atividade os alunos deverão soltar o laço do seu oponente de forma que não permita
ao seu colega tirar o seu. Lembrando que não poderá se mudar a base de apoio, ou
seja: os pés após o início do combate. A brincadeira chega ao fim após todas as
duplas terem um vencedor.
* 4ª parte (10 minutos) - Nó maluco: Alunos dispostos em um círculo, todos
sentados. Ao primeiro comando irão cumprir a tarefa indicada. (toque no seu colega
a sua direita com a perna direita, agora com o braço segure na camisa do colega a
esquerdar, etc..) e no final da atividade será dado o comando para que todos fiquem
de pé sem soltarem uns dos.
VOLTA À CALMA: 5 minutos
* Andar na Linha: Alunos dispostos em fileira. Será traçada uma linha reta de dez
metros na qual, os alunos deverão passar um a um com os olhos vendados
sobre ela de uma extremidade à outra e durante o percurso a turma batendo
palmas. As palmas ritmarão o companheiro quando o mesmo sair da
linha. Conforme ele sai da linha as palmas vai aumentando Os alunos não
deverão se manifestar verbalmente.
O objetivo além de desaquecer a musculatura e ajudar o relaxamento é a trabalhar
a noção de espaço e o equilíbrio

RECURSOS
Recurso tecnologia o uso do seu próprio celular para ver os vídeos das lutas e
coloca em pratica durante a aula.
25

Balão
Celulares
Quadra de esportes
Roda de conversa
Corda

A lfabetoe m E .V.A ;
 Li vro:hi s tó ria que os bi c hoscontam ;
 A ti vi da de impressa com oalfabeto ponti l had o.
A lfabetoe m E .V.A ;
 Li vro:hi s tó ria que os bi c hoscontam ;
 A ti vi da de impressa com oalfabeto ponti l had o.
A lfabetoe m E .V.A ;
 Li vro:hi s tó ria que os bi c hoscontam ;
 A ti vi da de impressa com oalfabeto ponti l had o

AVALIAÇÃO
Pela participação ativa dos alunos, questionamento, ideias, comportamento e
através da execução correta dos fundamentos do jiu jitsu apresentado pelo professor
durante as aulas. Avaliação atitudinal e procedimental

REFERÊNCIAS
http://www. http://www.cbjj.com.br/Rio de Janeiro:   /   /2014.
26

CONSIDERAÇÕES FINAIS

As aulas foram muito motivadoras e construtivas, uma experiência muito boa, fazer
estagia online, pois no futuro tecnologias como vídeo aula, ira desenvolver muito na
educação escolar.
Tive o conhecimento através dos conteúdos os temas contemporâneos transversais
na BNCC e o processo do gestor escolar tudo que se passa no dia a dia numa
escolar, e o PPP, processo politico pedagógico, a interação muito importante entre a
comunidade e a escolar.
Então, vindo da primeira experiência do primeiro estágio, esse segundo foi de igual
relevância, porém com outra visão, pelo fato de ser com turmas de níveis mais
avançados. Considera-se, finalmente, que o estágio supervisionado é um grande
desafio nos cursos de formação de Educado físico, nos mostram uma realidade que
precisamos desenvolver não só na pratica, mas principalmente na teoria.
27

REFERÊNCIAS

Metodologias Ativas onDrive disponível em: <https://kroton-


my.sharepoint.com/personal/igor_zanatta_kroton_com_br/_layouts/15> acesso em
18 de junho de 2020.

“O QUE EU TRANSFORMARIA? MUITA COISA!”: OS SABERES E OS NÃO


SABERES DOCENTES PRESENTES NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM
EDUCAÇÃO FÍSICA disponível em <https://kroton-
my.sharepoint.com/personal/igor_zanatta_kroton_com_br/_layouts/15/onedrive>
acesso em 19 de junho de 2020.

PLANEJAMENTO ANUAL DO ENSINO MÉDIOEDUCAÇÃO FÍSICA disponível em:


<https://krotonmy.sharepoint.com/personal/igor_zanatta_kroton_com_br/_layouts/15/
onedrive> acesso em 20 de junho de 2020.

Temas contemporâneos e transversais na BNCC disponível em<https://kroton-


my.sharepoint.com/personal/igor_zanatta_kroton_com_br/_layouts/15> acesso em
18 de junho de 2020.

Vídeo 1 (Tema: Atuação da equipe pedagógica) disponível em:


<https://fast.player.liquidplatform.com/pApiv2/embed/dccec41dc31c4129c6cf33cc908
d140f/ec6a387c0ac49fc6fb21a5cd127a9a0a> acesso em 17 de junho de 2020.

Vídeo 1(Tema: Gestão Escolar) disponível


em :
<https://fast.player.liquidplatform.com/pApiv2/embed/dccec41dc31c4129c6cf33cc908
d140f/0633ad7a45a6ecac7399e0041e76bb34>acesso em 20 de junho de 2020.

Você também pode gostar