Você está na página 1de 37

PLANEJAMENTO

PREVIDENCIÁRIO

Apresentação
Dra. Ana Carollina Ribeiro
Dra. Ana Carollina Ribeiro

Advogada, Sócia fundadora do escritório Dionizio


Ribeiro Advogados Associados, Conselheira Seccional
da OAB-GO (Gestão 2016/2018 e 2019/2021),
Presidente da Comissão de Direito Previdenciário da
OAB-GO (Gestão 2019/2021), Graduada em direito
pela Pontifícia Universidade de Goiás-PUC/Goiás,
Especialista em Direito e Processo Previdenciário,
Professora de cursos e pós-graduação, Coordenadora
da pós-graduação em Direito e Processo Previdenciário
na Escola Superior de Advocacia da OAB-GO (ESA/GO).
LEGISLAÇÃO APLICÁVEL
 CF/88: INSS, benefícios previdenciários e assistenciais, urbanos e rurais, regras
custeio/prestação.
 Lei 8212/91 (Lei Custeio), Lei 8213/91 (Lei Benefícios), Decreto 3048/99
(explicitação das disposições constitucionais e legais sobre previdência).
 Lei 8742/93: legislação atual assistência social – o benefício assistencial,
diversamente do benefício previdenciário, prescinde de contribuição ao
sistema. Mudanças recentes na Previdência Social:
 a) MP 871 convertida na Lei 13.846/2019 (pente fino e prazo decadencial)
 b) Lei 13876/2019 (regras de competência delegada e limitação da prova
pericial)
 c) EC 103/2019 (mudanças nas aposentadorias e pensões)
 d) Decreto 10.410/2020 (primeiro regulamento após a Emenda 103).
O QUE É PLANEJAMENTO PREVIDENCIÁRIO?

É o estudo personalizado do histórico de tempo de serviço, da idade e


das contribuições previdenciárias que o segurado possui.

Análise do passado, presente e futuro;

Atenção aos regimes diversos;

projeções futuras para orientar o segurado sobre as possibilidades de


aposentadoria que possui e qual lhe será mais vantajosa.
PRINCIPAIS VANTAGENS PARA QUEM FAZ O
PLANEJAMENTO

❖Garantir proteção social diante da ocorrência do risco social

❖Entrega imediata de benefício previdenciário programado (permanente)

❖Consultivo (independência x retorno financeiro rápido)

❖Correção de dados do benefício programado (vínculos não computados


ou invalidados)
PRINCIPAIS VANTAGENS PARA QUEM FAZ O
PLANEJAMENTO

❖Enquadramento do direito adquirido

❖Enquadramento da melhor regra de transição

❖Orientação quanto aos recolhimentos presentes e futuros

❖Reanálise de processos deferidos e indeferidos


PARA QUEM É INDICADO O PLANEJAMENTO?

Para quem ainda não está aposentado.


Para quem quer evitar que o pedido de aposentadoria seja
negado pelo INSS.
Para quem quer corrigir possíveis erros de contribuições no
sistema do INSS.
Para quem quer garantir o melhor benefício.
O MITO DO PLANEJAMENTO
Cálculo ou Parecer ???

 Reorganização
 Avaliação de inconsistências
 Falhas contributivas
 Avaliação de categorias de segurado
 Avaliação do ambiente de trabalho
 Recebimento de benefícios e seus reflexos
 Avaliação da situação jurídica previdenciária e o entendimento
administrativo e judicial
 Revisar o ato de indeferimento
O MITO DO PLANEJAMENTO
❖ Não é uma busca incessante pela RMI;
❖ Não é um conjunto de serviços:
❖ Investigação do passado (ajuste do CNIS, inscrição diversa, elos,
tempo rural, militar, especial, emissão de CTC, aluno aprendiz,
conversão de tempo comum em especial, etc)
❖ Presente (orientação de como recolher, retomada de
recolhimentos, revisão de benefícios concedidos e indeferidos)
❖ Futuro (regra do descarte?)
QUAL É O PROFISSIONAL INDICADO PARA FAZER
O SEU PLANEJAMENTO?

ADVOGADO PREVIDENCIARISTA!!!
IMPORTÂNCIA DO ATENDIMENTO
PREVIDENCIÁRIO
 ENTREVISTA (FICHA DE ATENDIMENTO)

 DOCUMENTOS BÁSICOS INCIAIS (PONTO DE PARTIDA)


- CNIS
- CTPS (EXTRATO ANALÍTICO DO FGTS E RAIS)
-CARNÊS (MICROFICHAS)
PASSO A PASSO DO PLANEJAMENTO

1º PASSO: ANÁLISE JURÍDICA PREVIDENCIÁRIA INICIAL;

2º PASSO: ACESSO AOS DOCUMENTOS PREVIDENCIÁRIOS;

3º PASSO: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA DOCUMENTAÇÃO;

4º PASSO: DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DOS DADOS;


PASSO A PASSO DO PLANEJAMENTO

5º PASSO: ANÁLISE PROCESSUAL PREVIDENCIÁRIA;

6º PASSO: ANÁLISE DA POSSIBILIDADE DE CONTRIBUIR EM ATRASO E O


QUANTUM A SER PAGO;

7º PASSO: SIMULAÇÃO DO DIREITO ADQUIRIDO E DO DIREITO


EXPECTADO

8º PASSO: CÁLCULO DE TODAS AS RENDAS MENSAIS INICIAIS QUE


PORVENTURA O SEGURADO TENHA OU POSSA TER DIREITO
PASSO A PASSO DO PLANEJAMENTO

➢ TER BONS PROGRAMAS (DESGUSTAÇÃO)

➢ PROGRAMAS GRATUITOS : (JUSPREV/JFRS);

➢ PROGRAMAS PAGOS: PREVIUS 3.0, IEPREV, SONPREV, PREVIDENCIARISTA, CÁLCULO


JURÍDICO;
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES A SEREM FEITAS :

 Auxílio-Doença (Benefício por incapacidade temporária) e Aposentadoria por invalidez


(Benefício por incapacidade permanente);

 Tema 1125 STF- Possibilidade de contagem, para fins de carência, do período no qual o
segurado esteve em gozo de auxílio-doença, desde que intercalado com períodos de
atividade laborativa; (facultativo?)

 IEAN (indicativo de período laborado com exposição aos agentes nocivos);

 RPPS

 Analisar os benefícios indeferidos como um todo.(reabertura de tarefa, revisão, recurso)


(hipóteses para trabalhar e oferecer além do planejamento);
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES A SEREM FEITAS :
 Extemporaneidade no CNIS

 Art. 19 RPS: § 2º Informações inseridas extemporaneamente no CNIS, independentemente de serem


inéditas ou retificadoras de dados anteriormente informados, somente serão aceitas se corroboradas
por documentos que comprovem a sua regularidade, na forma prevista no art. 19-B.

 Quando se considera extemporânea (par. 3º):


 I - relativos à data de início de vínculo empregatício, após o último dia do quinto mês subsequente ao
mês da data da admissão do segurado;
 II - relativos à remuneração de trabalhador avulso ou contribuinte individual que preste serviços a
empresa ou equiparado, após o último dia do quinto mês subsequente ao mês da data da prestação de
serviço pelo segurado;
 ou III - relativos à contribuição, sempre que o recolhimento tiver sido feito sem observância ao disposto
em lei.
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES A SEREM FEITAS
 Art. 19 RPS: § 4º A extemporaneidade de que trata o § 3º poderá ser desconsiderada depois
de decorrido o prazo de um ano, contado da data de inserção das informações relativas a
vínculos e remunerações, conforme critérios definidos pelo INSS

 Solução!

 Fazer um protocolo digital com o requerimento de atualização do CNIS para inclusão,


alteração, correção, exclusão de informações;

 (Fundamentação legal: art. 58 e par. IN 77/2015).

 Canal remoto: 135; 0800 135 0135; Guichê virtual;


OBSERVAÇÕES IMPORTANTES A SEREM FEITAS

CONTRIBUIÇÕES EM ATRASO E CARÊNCIA – ART. 28, § 4º DO DECRETO 3.048/99

 § 4º Para os segurados a que se refere o inciso II do caput, na hipótese de perda da qualidade de segurado,
somente serão consideradas, para fins de carência, as contribuições efetivadas após novo recolhimento sem
atraso, observado o disposto no art. 19-E.
 Art. 27. Para cômputo do período de carência, serão consideradas as contribuições: (Redação dada pela Lei
Complementar nº 150, de 2015)
 I - referentes ao período a partir da data de filiação ao Regime Geral de Previdência Social (RGPS), no caso
dos segurados empregados, inclusive os domésticos, e dos trabalhadores avulsos; (Redação dada pela Lei
Complementar nº 150, de 2015)
 II - realizadas a contar da data de efetivo pagamento da primeira contribuição sem atraso, não sendo
consideradas para este fim as contribuições recolhidas com atraso referentes a competências anteriores, no
caso dos segurados contribuinte individual, especial e facultativo, referidos, respectivamente, nos incisos V e
VII do art. 11 e no art. 13. (Redação dada pela Lei Complementar nº 150, de 2015
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES A SEREM FEITAS
Cenários importantes:

---------------I-------------------------I-------------------------I------------------
EC 20/98 LEI 9.876/99 EC 103/19

 Entender o que aconteceu antes, durante e depois! (Suma importância)


RESUMO DOS CENÁRIOS IMPORTANTES

✓ Mudança do Salário de Benefício (De 100% dos 36 meses) para:

✓ Média 80% maiores salário de contribuição a partir de 07/94, criação do


divisor mínimo (Artigo 3º§2º) e fator previdenciário (Artigo 29, I):

✓ Aplicado obrigatoriamente o fator previdenciário (variante), que leva em


consideração TC, idade mínima, expectativa (tabela IBGE) ;

✓ Continua ativo em regra de transição


RESUMO DOS CENÁRIOS IMPORTANTES

✓ Aposentadoria por tempo de serviço : Integral e Proporcional

✓ Com a EC 20/98 – Revogação da Proporcional (somente em regra de transição)

✓ Lei 9.876/99 – Criou o FP, Criou a Média dos 80% dos maiores a partir de 07/94 (revogou
a regra da média dos 36 meses salários de contribuição);

✓ Lei 13.183/15 – Regra de Pontuação em opção ao FP; (Continua obrigatório com opção da
aplicação da regra de pontos) – 100% dos salários de contribuição (Média aritmética
simples dos 80% dos maiores salários de contribuição a partir de 07/94).
EC 103/19 – REFORMA DA PREVIDÊNCIA
REVOGOU TUDO – Aposentadoria por tempo de contribuição Integral e Proporcional (Ressalvado o
Direito Adquirido)

(NÃO EXISTE mais aposentadoria por TC, apenas nas regras de transição para quem já estava no
sistema, passando agora a ser a APOSENTADORIA PROGRAMADA (idade mínima +Tempo mínimo)

ART. 201, §7º, CF:


§ 7º É assegurada aposentadoria no regime geral de previdência social, nos termos da lei,
obedecidas as seguintes condições:
I - 65 (sessenta e cinco) anos de idade, se homem, e 62 (sessenta e dois) anos de idade, se mulher,
observado tempo mínimo de contribuição
(Observem que aqui não tem TC, deixando a cargo da lei para previsão, por isso temos atualmente
uma regra transitória).
REGRAS DE TRANSIÇÃO NA EC 103/19
(O sistema do INSS não faz cálculo de planejamento e sim o cálculo do dia! Cuidado !

ATENÇÃO AO DECRETO 10.410/20 – ALTEROU O DECRETO 3.048/99: MANTEVE A NECESSIDADE DE


CARÊNCIA DE 180 MESES EM TODAS AS REGRAS DE TRANSIÇÃO – ART. 188;
-A EC 103/19 NÃO FALA NADA (Discussão judicial) INSS vai aplicar o decreto (Princípio da Legalidade
estrita);

4 regras de transição na Aposentadoria por tempo de contribuição, ressalvado D. ADQUIRIDO;

a)Pontos – art. 15;


b)Idade mínima – art 16;
c)Pedágio de 50% - art. 17;
d)Pedágio de 100% - art. 20.
REGRA DE PONTOS

Art. 15. Ao segurado filiado ao Regime Geral de Previdência Social até a data de entrada em vigor desta
Emenda Constitucional, fica assegurado o direito à aposentadoria quando forem preenchidos,
cumulativamente, os seguintes requisitos:

I - 30 (trinta) anos de contribuição, se mulher, e 35 (trinta e cinco) anos de contribuição, se homem; e


II - somatório da idade e do tempo de contribuição, incluídas as frações, equivalente a 86 (oitenta e seis)
pontos, se mulher, e 96 (noventa e seis) pontos, se homem, observado o disposto nos §§ 1º e 2º.

§ 1º A partir de 1º de janeiro de 2020 – 87/97, a pontuação a que se refere o inciso II do caput será
acrescida a cada ano de 1 (um) ponto, até atingir o limite de 100 (cem) pontos, se mulher, e de 105
(cento e cinco) pontos, se homem.
§ 2º A idade e o tempo de contribuição serão apurados em dias para o cálculo do somatório de pontos a
que se referem o inciso II do caput e o § 1º.
REGRA DE TRANSIÇÃO: SISTEMA DE PONTOS –
ART. 15 DA EC 103/2019
REGRA DE TRANSIÇÃO DA IDADE MÍNIMA E TEMPO DE
CONTRIBUIÇÃO

Art. 16. Ao segurado filiado ao Regime Geral de Previdência Social até a data de entrada em
vigor desta Emenda Constitucional fica assegurado o direito à aposentadoria quando preencher,
cumulativamente, os seguintes requisitos:

I - 30 (trinta) anos de contribuição, se mulher, e 35 (trinta e cinco) anos de contribuição, se


homem; e

II - idade de 56 (cinquenta e seis) anos, se mulher, e 61 (sessenta e um) anos, se homem.

§ 1º A partir de 1º de janeiro de 2020, a idade a que se refere o inciso II do caput será acrescida
de 6 (seis) meses a cada ano, até atingir 62 (sessenta e dois) anos de idade, se mulher, e 65
(sessenta e cinco) anos de idade, se homem.
REGRA DE TRANSIÇÃO DA IDADE MÍNIMA E TEMPO
DE CONTRIBUIÇÃO
REGRA DE PEDÁGIO DE 50%
Art. 17. Ao segurado filiado ao Regime Geral de Previdência Social até a data de entrada em
vigor desta Emenda Constitucional e que na referida data contar com mais de 28 (vinte e oito)
anos de contribuição, se mulher, e 33 (trinta e três) anos de contribuição, se homem, fica
assegurado o direito à aposentadoria quando preencher, cumulativamente, os seguintes
requisitos:

I - 30 (trinta) anos de contribuição, se mulher, e 35 (trinta e cinco) anos de contribuição, se


homem; e

II - cumprimento de período adicional correspondente a 50% (cinquenta por cento) do tempo


que, na data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional, faltaria para atingir 30 (trinta)
anos de contribuição, se mulher, e 35 (trinta e cinco) anos de contribuição, se homem.
REGRA DE PEDÁGIO DE 50%

 Parágrafo único. O benefício concedido nos termos deste artigo terá seu valor apurado de
acordo com a média aritmética simples dos salários de contribuição e das remunerações
calculada na forma da lei, multiplicada pelo fator previdenciário, calculado na forma do
disposto nos §§ 7º a 9º do art. 29 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991.
REGRA DE PEDÁGIO DE 100%:

Art. 20. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de
Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em
vigor desta Emenda Constitucional poderá aposentar-se voluntariamente quando preencher,
cumulativamente, os seguintes requisitos:

I - 57 (cinquenta e sete) anos de idade, se mulher, e 60 (sessenta) anos de idade, se homem;

II - 30 (trinta) anos de contribuição, se mulher, e 35 (trinta e cinco) anos de contribuição, se


homem; (...)

IV - período adicional de contribuição correspondente ao tempo que, na data de entrada em vigor


desta Emenda Constitucional, faltaria para atingir o tempo mínimo de contribuição referido no
inciso II.
REGRA DE PEDÁGIO DE 100%:

§ 3º O valor do benefício de aposentadoria corresponderá a 100% (cem por


cento) da média aritmética definida na forma prevista no caput e no § 1º:

I - no caso do inciso II do § 2º do art. 20 da EC 103/19


REGRAS DE TRANSIÇÃO NAS
APOSENTADORIAS PROGRAMADAS
- Segurados filiados ao RGPS até a entrada em vigor da EC 103/19.

(Artigos 15, 16, 17, 18, 20,)

- Basicamente 4 regras de transição (TC) e 1 regras de transição para idade


Por Idade
1- Sistema de Pontos 5- Idade mínima e TC - 60%+2%
2- Idade Mínima
3-Pedágio de 50% +FP
4-Pedágio de 100%
CASO CONCRETO
CASO CONCRETO
CASO CONCRETO
“ Maior que a tristeza de não haver vencido é a
vergonha de não ter lutado.”

Rui Barbosa
Obrigada !

Contatos: (62) 3541-1071 (62) 98503-4548


Email: contato@dionizioribeiroadvocacia.com.br
Instagram: dra.anacarollinaribeiro

Você também pode gostar