Você está na página 1de 1

Instituto Teológico Quadrangular- Capão da Imbuia -4ª IEQ.

Disciplina: Cultura Bíblica (EAD) Professora: Walquiria Regina Pereira


Aluno: Elisvaldo Organ da Silva

Resenha do Capitulo 2
O Capítulo 2 da apostila de disciplina Cultura Bíblica do Instituto Teológico
Quadrangular apresenta o panorama de como se organizava e se estruturava a família
tradicional judaica.
A família judaica era formada pelo homem, sua mulher e sua prole; embora o
homem pudesse ter mais de uma mulher se tivesse condições financeiras para isso, e o
divorçio fosse aceito na sociedade, ainda assim os valores de unidade familiar, amor e
fidelidade eram mantidos, sendo o adultério um crime grave; As famílias se reuniam
como um clã familiar: filhos, genros, noras e descendentes moravam no mesmo
ambiente vivendo sobre a proteção do sacerdote que geralmente era o pai, assim,
sentiam se seguros e ajudavam uns aos outros, então, mesmo sendo em um grande
numero de pessoas, ainda assim, se consideravam uma só família.
Suas residências variavam de acordo com as posses de cada família, mas, no geral
eram simples, iluminadas por lamparinas ou pelo chama do fogão, não possuíam muita
mobília, dormindo geralmente sobre a pele de animais no chão; mesa e cadeiras eram
artigos de luxo, geralmente a casa consistia de um único aposento, pois servia
principalmente para dormir. Já nos quintais é onde geralmente se reuniam para
conversar e cantar. Os telhados também eram aproveitados como varandas.
Dentre os hábitos das famílias judaicas podemos destacar: ouso de ombreiras nas
portas relembrando-os de sua aliança com o Senhor; a valorização e respeito as
sinagogas e a Torah, e sua grande hospitalidade e generosidade para com os visitantes.
Comparando com a forma como hoje nossas famílias no geral são constituídas e
estruturadas, percebemos uma diferença gritante com a apresentado pois a maneira
como nossa sociedade hoje interpreta o conceito de família esta bastante diferente:
aceita-se o conceito monoparental ou a família possui apenas um dos genitores em sua
formação, ou ate mesmo os dois genitores sendo do mesmo sexo; o casamento não
possui a mesma força e sua dissolução é aceita ate por motivos simples; a família
geralmente mora sozinha, não em clãs, elevando sentimentos de solidão e
individualismo, enfrentando um estilo de vida consumista, com uma enorme carga de
estresse e ansiedade sobre todos os seus componentes.
Felizmente, dentro dos lares cristãos, temos uma grande parte das famílias que se
mantém fiel ao modelo Bíblico apresentado e que segue os preceitos que o Criador
determinou para que nos organizássemos como família, valorizando o casamento como
indissolúvel, estabelecendo as funções e responsabilidades de cada individuo dentro do
lar e buscando um estilo de vida saudável baseado em relacionamentos e não apenas nas
conquistas materiais, apesar de todo ataque que sofre em nome do progressismo e
movimentos como feminismo, pró-aborto, ideologia de gênero, liberalismo e etc., que
tentam desestruturar a família e seus conceitos tradicionais e Bíblicos.
Ser essa família exemplar, Bíblica, sacerdotal, saudável, responsável e acima de
tudo feliz é a melhor maneira de mostrar sua eficiência e importância para todos os
individuais e sociedade atual.

Você também pode gostar