Você está na página 1de 56

Quimbanda Xambá – Mago Barão 1

Quimbanda Xambá

Mago Barão
04ª Edição
Quimbanda Xambá – Mago Barão 2

FUNDAMENTOS E PRÁTICAS RELIGIOSAS DA QUIMBANDA XAMBÁ

Muitos anos atrás, não tenho o conhecimento da data precisa, somente sei de que foi
entre os anos de 1950 e 1960, Magos(as) encontravam inúmeras pessoas que gostariam de
praticar a Magia mas de forma que estivesse mais acessível em relação as práticas e obrigações
desta doutrina, ou seja, queriam uma força espiritual equivalente à Magia mas que não tivesse
tantas regras e obrigações quanto a Magia pura. Diante desta busca que era até frequente
naquela época, Magos(as) começaram a se reunir com maior frequência para discutir o assunto,
até que chegaram na ideia de usar a Quimbada tradicional para introduzir alguns fundamentos
de Magia e assim poder ganhar mair força, diferenças significativas nas praticas e segurança
total aqueles que fossem seus adeptos e escolhessem ter apenas este segmento religioso como
pratica espiritual.

Como eram todos de Magia Pura e não tinham conhecimento da Quimbanda em sua raiz,
decidiram procurar alguém deste meio para unir forças e criar uma nova Quimbanda.
Sendo assim, encontraram um Babalorixá do Candomblé da Nação Xambá. Este ajudou com
seus conhecimentos na Quimbanda e assim foram idealizando e trocando experiências,
chegaram à todas as práticas e fundamentos desta nova Quimbanda.

A última decisão que faltava era de como esta Quimbanda seria chamada, os Magos(as)
decidiram então, em forma de agradecimento, batizar esta com o nome segredo do Exú deste
Babalorixá, para que ele sua memória se tornasse imortalizada por todo o apoio no nascimento
desta doutrina. Contudo, o Babalorixá já previa que sua Nação em pouco tempo chegaria à beira
da extinção, pediu que o nome desta Quimbanda levasse o nome de sua Nação do
Candomblé. Por unanimidade foi aceito o pedido e foi batizada de Quimbanda Xambá.

O adepto desta Quimbanda, assim como os Exús e Pombagiras, não necessitam de


ligações ou interligações com Umbanda e nem com Orixás. Este é um segmento religioso
totalmente independente e, mesmo que seu adepto cultue Umbanda, Orixás ou outros
segmentos, jamais os Exús e Pombagiras irão ser subalternos destas ou de outras Entidades.
Mas isto não significa que as Entidades da Xambá ou seus adeptos tem o direito de se intitularem
maiores ou melhores do que outros e muito menos desrespeitarem pessoas ou
Entidades de outros segmentos religiosos. A Quimbanda Xamá possui cerca de 90% de
fundamentos de Magia Pura e 10% de Quimbada tradicional. Em comparação de forças
espirituais, um adepto da Quimbada Xambá que possua mais de 04 Entidades entre Exús e
Pombagiras, tem a mesma força espiritual do que um Babalorixá ou Yalorixá que tenha um
Terreiro com Quimbanda, U,mbanda, Orixas e Culto à Egus. Também possui máxima proteção
espiritual praticamente sem brechas para ataques, sendo assim, um adepto da Xambá neste
nível seria o único responsável pelo seu próprio destino, apenas suas ações e reações moldarão
seu destino.

Caso seja da vontade do adepto de ter uma imagem ou um Ser como “quem comanda a
Quimbanda”, este pode usar do seguinte procedimento: Belzebú seria o Pai e Mãe de todos os
Exús e Pombagiras e tendo em segundo comando Lúcifer como o Grande Príncipe deste Império.
Mas isto é opcional, pois se tratando de um fundamento que tem como raiz principal a
Quimbanda Xambá – Mago Barão 3

Magia Pura, a Magia Universal, cada Entidade Chefe é o Maioral de seu domínio, dispensando
usar a imagem de um Ser Maioral. O(a) Chefe é a Entidade que trabalha como sendo o
mensageiro entre todas as Entidades, sejam elas Exús, Pombagiras, Entidades de Umbanda,
Orixás, Anjos, Demônios, etc... Nos fundamentos raízes da Xambá o(a) Chefe acaba tendo
credenciais espirituais para circular e “negociar” espiritualmente sobre qualquer assunto com
qualquer Entidade, seja para o bem ou para o mal.

Os Mestres da Quimbanda Xambá também poderão ser chamados de Pai/Mãe, pois na


visão espiritual, são eles quem criam, protegem, ensinam e preparam as pessoas diante do
Mundo Espiritual;

Na Doutrina Xambá, é permitido que Mestre (Pai/Mãe) tenham relações sexuais com seus
Filhos(as), pois um Templo Religioso Xambá não adota o mesmo pensamento das demais
Doutrinas; Existe uma exceção lógica: sendo um Mestre(Pai/Mãe) Xambá e também sendo
Cacique de Umbanda ou Babalorixá/Yalorixá, não poderá ter relações com aqueles Filhos que
são de Xambá e também são de sua mão na Umbanda ou Candomblé/Nação; Somente poderá
ter relações sexuais com os Filhos que estão em sua mão só pela Doutrina Xambá; E atenção:
estamos aqui falando das pessoas e NUNCA pessoa com Entidade incorporada ou duas
Entidades Incorporadas tendo relações sexuais!

Não existem hierarquias como existem em algumas Quimbandas ou com Exús de


Umbanda, onde respondem à Caboclos, Orixás, Linhas de comando, etc. Cada casa que cultua
a Quimbanda Xambá é um império independente onde esta abaixo apenas de Belzebú e
Lúcifer. São apenas 04 degraus nesta Quimbanda: iniciado (Exú Firmado), pronto (Exú
Assentado), Chefe (Exús Assentados e com Axé irradiado aos Demônios) e Mestre (Exús
Assentados, Irradiados por Demônios e com Axé para Culto à Eguns).

Para a grande maioria dos segmentos religiosos existe a famosa Lei do Retorno, mas na
Magia Universal e na Quimbanda Xambá seus praticantes estão totalmente imunes a esta Lei
pelas suas práticas espirituais, pois dentro dos Fundamentos as Entidades possuem a habilidade
e credenciais espirituais para se alimentarem tanto de energias positivas quanto de energias
negativas... se alimentam tanto do bem quanto do mal. As energias positivas são direcionadas
para fortalecimento da própria Entidade e as energias negativas são recebidas como forma de
alimento e, esta energia depois fica direcionada para a proteção da pessoa à quem ele protege
e ao local onde se encontra.

Exús são Entidade em evolução, acabam evoluindo, aprendendo e ficando cada vez mais
fortes na medida em que o tempo vai passando, com as práticas das pessoas que estão ligadas
a eles, manutenções, obrigações, etc...

Em qualquer dia ou horário pode-se realizar qualquer tipo de trabalho ou ritual, com
exceção de: primeiro domingo de cada mês e os altos da Lua Minguante, ou seja, os dias que
ficam entre o primeiro e o último dia da Lua Minguante; Nos dias considerados exceções, também
chamados de “dias proibidos”, nada é feito dentro da Quimbanda Xambá;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 4

Deve-se dar preferência para as Mulheres, tanto para início de Rituais como para
quantidades de Frentes, etc...

Duas vezes por ano, no mínimo, uma vez na entrada da Lua Cheia, outra vez na entrada
da Lua Minguante, as obrigações deverão receber a Manutenção Universal, Independente de
haver um ou mais cortes no mesmo ano;

Utilizamos velas de sebo como se fossem velas comuns, para assuntos mais importantes,
que exigem serem velados por mais de três dias, recomendamos velas de 07 dias comuns, pois
as de sebo de 07 dias costumam falhar ou não durar tanto como as comuns; Sempre que
necessitar velar algo, o recomendado é vela de sebo; Se usar uma vela comum de 07 dias, no
dia em que for executar o procedimento, acenda 03 velas de sebo pequenas mais a de 07 dias
comum, nos demais dias deixe apenas a vela de 07 dias acesa, não precisa mais acender outras
velas de sebo.

Poderá trocar as velas de sebo por velas de cera de soja ou, cera de carnaúba ou cera
de palma. Na realidade, o mais importante é que a vela não seja as velas de material comum
utilizado pela maioria das demais religiões afro, este é o significado de alguns Rituais, Feitiços e
Práticas usarem velas de sebo, não pelo fato de que a vela irá alterar de forma expressiva o
andamento do que estará sendo feito, mas sim o fato de uma parcial exclusividade na origem da
luz que estará vibrando com o procedimento. As velas de cera de abelha somente são aceitas
em Rituais de amor/sexo, união/abafamento.

Pode-se usar Guias e Imperiais, contudo, as guias devem estar com as cores enfiadas na
conta da Entidade; As imperiais devem ter onze pernas, onze separações e não podem ter
nenhum tipo de ferramenta anexada, apenas as separações; Todas as contas devem ser
leitosas, as separações podem ser leitosas ou de metal;

Entidades de Cruzeiro, Mata e Praia: numero 07... Entidades de Lomba e de Almas:


numero 09... Belzebu e Lucifer: numero 11

Desejando realizar fortalecimento de incorporação das Entidades, só pode ser feito na


Levantação, jamais se pratica fortalecimento de incorporação nos dia da Obrigação de Corte;

Na Quimbanda Xambá não utilizamos a expressão “Encostar” ou “Encostado” ou


“Encostamento”, para o mesmo, utilizamos as palavras “Firmar” ou “Firmado” ou “Firmação”;

Os Exús e Pombagiras mencionados neste Livro foram escolhidos através de


pesquisa feita em todo território brasileiro e países vizinhos. A falta do nome de um
Exú/Pombagira conhecido por você leitor, não significa que este Exú/Pombagira não
possa ser cultuado dentro da Quimbanda Xambá, também não significa que ele poderá
usar qualquer cor, qualquer conta, receber qualquer comida e que seu nome segredo
Quimbanda Xambá – Mago Barão 5

será montado de forma aleatória. Se fosse utilizar todos os nomes existentes de Exús e
Pombagiras de cada região do país e países vizinhos, este Livro chegaria à mais de 300
páginas só com nomes de Exús e Pombagiras, fato este que não seria necessário pois
existem sim grande afinidade e semelhança entre vários nomes e formas de culto.

Caso ocorra de não encontrar o nome de seu Exú/Pombagira ou de uma Entidade


que necessita, basta entrar em contato com Mago Barão e será respondido como deve
ser as comidas, bebidas, cores e montagem de nome segredo desta Entidade.

HISTÓRIAS E LENDAS SOBRE CADA EXÚ/POMBAGIRA

Algumas práticas de Quimbandas carregam consigo algumas histórias e lendas


sobre cada Exú/Pombagira, contudo, dentro da Quimbanda Xambá isto não é aplicado.
A visão sobre estas Entidades é de que são Seres que já foram humanos e tiveram uma
vida assim como a nossa, mas esta vida passada não fica na memória destas Entidades,
ao ocuparem a posição de Exú ou Pombagira esta memória terrena se perde e carregam
apenas as suas características de personalidade e habilidades, sendo assim, os nomes
de cada um representam não uma história de vida passada, mas sim a personalidade e
habilidades principais de cada um.

MANUTENÇÃO DO ADEPTO DA QUIMBANDA

Independente de iniciado ou veterano, todos os humanos periódicamente devem


passar por uma manutenção de energias em seu corpo. Isto pode ser antes de um
procedimento espiritual tais como sessões, obrigações ou em dias de livre escolha. Esta
manutenção compreende a retirada de possíveis resíduos negativos derivados de fatos
isolados fora da prática e envolvimento com a Quimbanda, locais contaminados com
fortes energias negativas e até mesmo derivados dos próprios pensamentos e atitudes
impensadas que cada humano por ventura possa ter cometido mesmo que de forma
inconsciente.

Esta manutenção pode ser um ato simples, desde que seja periódico, podendo ser
um banho de descarga ou defumação. Fora o Chefe/Mestre/Diretor da casa, esta
manutenção deve ser exercida por terceiros e não pelo próprio adepto. Ou seja, aquele
que esta praticando esta Quimbanda e que possui uma pessoa como seu Mestre/Pai/Mãe
dentro da Quimbanda, deve receber esta manutenção de seu superior e não praticá-la
sozinha. Apenas o Mestre/Chefe/Pai/Mãe pode executar este procedimento em si mesmo
sozinho.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 6

INTERVALO DE TEMPO ENTRE CADA OBRIGAÇÃO/CORTE

Não existe uma regra fixa para o espaço de tempo entre uma Obrigação/Corte, isto
vai depender do Chefe/Mestre de cada casa e de cada adepto. Isto pode ser definido de
diversas formas assim como o intervalo não precisa ser sempre o mesmo.

O mais recomendado é que seja uma vez por ano ou a cada 06 meses. Mas isto
pode ser alterado a qualquer momento, bem como o intervalo entre cada uma pode ser
quebrado desde que esta quebra de tempo seja reduzida e não aumentada.

Exemplo nº 01: esta acostumado a fazer a cada 06 meses, mas por algum motivo
especial decide não aguardar fechar os 06 meses e acaba fazendo quando fechou 03
meses do último corte. Perfeito, pode ser assim sem problemas, neste caso o próximo
corte pode ser daqui à 03 meses (quando iria fechar os 06 meses de forma normal) ou
somente daqui à 06 meses após este corte feito agora.

Exemplo nº 02: esta acostumado a fazer a cada 06 meses e acaba não fazendo
quando fechou os 06 meses e deixa para fazer somente quando fechar 01 ano, isto
poderá fazer com que a Entidade trabalhe de forma mais lenta ou também que ela não
atenda aos pedidos e necessidades como atendia antes, pois o retorno que ela tinha
acabou sendo reduzido também.

Exemplo nº 03: esta acostumado a fazer a cada 06 meses, mas por motivos
financeiros não teria como fazer quando fechou este intervalo de tempo. Sem problemas,
a Entidade também tem memória, pensamento de julgamento e entendimento sobre os
problemas humanos e principalmente sobre todos os detalhes da vida do Ser Humano,
ela não é um Ser irracional e muito menos uma criança mimada que não irá entender a
falta de condições financeiras ou até mesmo físicas que impeçam a pessoa de executar
uma Obrigação ou Corte de presente. Assim que for possível, a pessoa executa a
Obrigação/Corte e depois clomeça a contar o intervalo partindo deste ponto.

O que é importante aprender e jamais se esquecer que, tanto estas quanto quaisquer
outras Entidades, são Seres que possuem pensamentos ativos, sentimentos, memórias e
também podem se acostumar com novos padrões e novas rotinas. Estamos aqui alertando
que após criada uma rotina, se ela for quebrada ou alterada de forma brusca, isto pode
acarretar em comportamento diferenciado por parte da Entidade. Se a Entidade for
acostumada à receber limpeza, bebidas e comidas uma vez por semana e depois a pessoa
começar a fazer isto apenas uma vez por mês, assim de uma hora para outra, a Entidade vai
interpretar isto como um abandono parcial e também vai reduzir o retorno que ela lhe daria
sobre tudo que pede e até sobre aqueles momentos em que você não pede mas ela ajuda
sem que o humano tenha conhecimento sobre isto. Não se pode esperar que a quebra de
uma boa rotina não vá trazer reações por parte da Entidade, pois para cada ação/reação ou
até mesmo falta de ação/reação sempre haverá uma resposta positiva ou negativa por parte
da Entidade.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 7

Após executar mais de 03 vezes o mesmo procedimento ou o mesmo intervalo de


tempo, a Entidade já considera isto como uma rotina e encara isto como se fosse um
direito conquistado. Exemplo: você começou à tratar a Entidade servindo a ela bebida e
comida uma vez por semana, fez isto por 04 semanas seguidas, aí decide do nada passar
a fazer a cada 15 dias, desta forma esta reduzindo os direitos dela, então ela também vai
reduzir a atenção e retorno que daria a você. O que se pode fazer é sempre intercalar os
intervalos de tempo e assim não criar uma rotina, desta forma a convivência fica saudável
e não vira em uma rotina de direito adquirido.

Jamais uma Entidade irá castigar ou atacar seu próprio humano guardião, ou seja,
suas Entidades jamais irão lhe atacar, dar surra, castigar ou coisas do tipo. Sim, existem
muitos religiosos que pregam este terrorismo, mas isto não existe! No momento em que
se cria a ligação com determinada Entidade, seja ela qual for, ela sempre estará dando
alguma espécie de proteção e retorno sobre suas necessidades que não são percebidas
por você, depois sobre as necessidades que você mesmo determina, depois sobre seus
pedidos e assim por diante. Quando a pessoa comete algum erro ou simplesmente
abandona aquela Entidade por descuido, desinteresse ou por mudança de religião, esta
Entidade não irá castigar a pessoa, ela simplesmente não irá mais direcionar suas
energias para aquela pessoa, simplesmente vai cruzar os braços e não irá mais trabalhar
em benefício desta pessoa. Claro que em muitos casos esta postura da Entidade vai
influenciar e muito no dia à dia da pessoa, pois afinal de contas ela vai deixar de receber
as energias e auxílio daquela Entidade. Portanto os efeitos colaterais podem ser desde
moderados até grandes. Isto só volta ao normal após a pessoa corrigir o que estava de
errado ou no momento em que outra Entidade venha à suprir este vazio deixado de
proprósito por aquela Entidade anterior ou, a partir do momento em que a pessoa
encontrar um novo culto religioso que consiga ser forte o bastante para preencher o
espaço que ocupava a Entidade em questão.

Em resumo, a Entidade nunca castiga o humano ao qual tinha envolvimento direto,


ela deixa de trabalhar enquanto o humano não corrige o que esta certo, e o humano
somente encontrará equilíbrio novamente após corrigir o erro ou encontrar uma forma de
culto forte o suficiente para cobrir o espaço ocupado por aquela Entidade.

Jamais deixe de suprir suas necessidades básicas para executar algum


procedimento religioso de manutenção ou renovação, ou seja, jamais deixe de comprar
comida para sua casa ou de pagar suas contas principais para fazer uma
Obrigação/Corte, fazer uma manutenção ou para dar um presente para a Entidade. Todos
nós humanos não estamos livres de passarmos por momentos delicados
financeiramente, as Entidades sabem muito bem disto e entendem quando não podemos
executar determinados procedimentos por falta de dinheiro. Uma Entidade jamais irá
reduzir a atenção e proteção ao humano por que ele não pode fazer algo para ela por
falta de dinheiro, este tipo de situação não é encarada como descaso ou quebra de rotina,
a Entidade entende que naquele momento não é possível e pode sim esperar até que a
situação se normalize e que o humano possa cumprir com suas obrugações e afazeres.
Neste tipo de momento é hora de acender velas, tomar banhos e se possível fazer algo
à mais para o setor financeiro, fazer pedidos e unir sua fé com a força da Entidade para
que esta fase seja superada e passe da forma mais rápia
Quimbanda Xambá – Mago Barão 8

possível. A manutenção, obrigação/corte ou presente, neste tipo de momento delicado


financeiramente não é o mais indicado, pois isto é apenas uma prática comum que existe
na ligação entre a Entidade com o humano, neste caso deve-se praticar ações/reações
destinados ao setor da vida da pessoa que esta em momento delicado.

Não se deve executar Obrigações/Cortes manutenção ou ofertar presentes, sejam


eles através de sacrifícios ou materiais, quando a pessoa estiver na fase mais ativa de
uma doença, com cortes abertos em seu corpo (mesmo que esteja com curativos), ossos
quebrados ou mulheres que estejam em período de menstruação. Quando falamos em
fase mais ativa de uma doença, podemos citar como exemplo uma gripe: se a gripe esta
forte, com febre e fraquesa, neste caso não pode seguir adiante. Quando uma pessoa
esta com alguma doença, o máximo que pode fazer dentro da religião é algo para auxiliar
em sua cura/melhora, nada em benefício de suas Entidades ou de terceiros. Pois nestes
momentos suas energias próprias assim como sua mente não estão equilibrados, por
mais que julgue estar bem, no julgamento espiritual esta em desiquilíbrio momentâneo e
isto não trará bons resultados além de ser algo feito de forma incompleta.

DESPACHO DE QUARTINHAS E DEMAIS CONTEÚDOS

De tempos em tempos iremos servir bebidas e comidas. Este tipo de oferenda são
arriados à frente dos Exús, ficam ali por 03 dias, este tempo já é suficiente para que a
Entidade retire dos alimentos e bebidas as energias que necessita, passado este tempo
já não tem mais utilidade. As bebidas e comidas servidos podem ser despachados dentro
do terreno onde se encontra o local de Aseentamento e Firmação dos Exús ou,
enterrados neste terreno ou até mesmo descartados em lixo convencional.

As quartinhas levam cachaça, estas podem receber dois tipos de prática:

1) Encher até a boca da quartinha e ir acompanhando de vez em quando, assim


que ela estiover quase seca, encher com mais cachaça até a boca
novamente.

2) Encher até a boca, uma vez por semana ou, a cada 15 dias ou uma vez por
mês, pegar a quartinha, sair de dentro do local de costas, sair da casa de
costas, sair do terreno de costas. Ir até uma esquina, escolher um dos cantos
e ali virar o conbteúdo em forma de círculo chamando pelo Exú/Pombagira.
Dar 07 passos para trás, vire-se e vá embora. Chegando em casa, coloque
nova cachaça na quartimnha. Este ato é chamado por alguns de “Despachar
o Exú/Pombagira” ou “Colocar o Exú/Pombagira para rua”. Em muitos
segmentos de Quimbanda acredita-se que despachar as quartinhas traz
mais movimento e agilidade para a Entidade.

O mais recomendado é que seja feito as duas opções, de forma intercalada, não
criando rotinas, como exemplo: uma vez encher até a boca e esperar chegar quase até
o final e depois apenas completar, outra vez despachar na esquina, mais duas vezes só
completar e assim por diante.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 9

Quando for despachar a quartinha, se ela estiver com apenas metade dela de
cachaça ou abaixo da metade, deve encher ela antes de sair para rua. Não pode ser
despachada quando estiver chovendo e nem se o chão estiver molhado, ou seja, estava
chovendo o dia todo, parou de chover no início da noite e mais tarde você planeja
despachar a quartinha: sói faça isto se a rua já estiver completamente seca.

Melhores dias para despachar quartinhas: segundas e sextas com exceção dos
dias proibidos.

EXÚ E POMBAGIRA CHEFE

Cada pessoa tem um Exú/Pombagira Chefe, este é o principal Exú/Pombagira,


ele(a) será o Pai/Mãe deste pessoa. Existem apenas algumas Entidades que não podem
ser Exú/Pombagira Chefe em virtude de serem Entidades que não incorporam em seres
humanos e porque suas habilidades espirituais não são equilibradas ao ponto de interagir
de forma eficiente e segura em todos os setores da vida do ser humano, assim como eles
não podem ser Chefe, também não podem exercer a função de Zelador e muito menos
formar casal com o(a) Chefe:

Exú Belzebú
Exú Lucifér
Exú Leba
Pombagira Camucanguê

O QUE NÃO PODEMOS FAZER OU COMER

Não dar troco para pagamentos de Consultas ou Trabalhos Espirituais;


Não pagar contas em jejum;
Não receber dinheiro em jejum;
Não dar dinheiro que teve como origem a Religião;
Não passar por cima de corda ou corrente de um animal preso;
Não comer cabeça, pescoço ou patas de animais;
Não comer cabeça, pescoço e ponta das asas de aves;
Não comer Rã;
Não assobiar dentro do pátio ou casa;
Não bater palmas dentro do pátio ou casa;
Não colocar cinzas em pratos, copos ou pires;
Não sacrificar ou matar Corujas;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 10

ANIMAIS QUE PODEM SER UTILIZADOS

Pelo: Cabrito, bezerro, coelho e gato (qualquer um destes, quanto mais novo melhor)
Penas: Galos de qualquer cor, galos de briga, pombos pretos e telha, angola escura;
Peixes: Jundiá e Pintado;
Outros: Sapos, morcegos e cobras (apenas após obrigação de 01 ano, pergunte ao
seu Mestre como deve proceder)

Os animais maiores e até mesmo os menores, podem ser segurados por outra pessoa...
No caso a pessoa segura com uma das mãos as patas de trás e com a outra segura as patas
da frente... você somente segura a cabeça com uma das mãos e com a outra faz o corte...

Mas caso não tenha alguém para lhe ajudar a segurar, pode amarrar as patas com uma
corda, bem amarrado... Pode deixar um bom pedaço para até amarrar em sua perna e assim
ficar com uma das mãos para a faca e a outra para segurar a cabeça...

Pode deixar uma corda reservada e exclusiva para isto... Também poderá inventar uma
espécie de plataforma ou altar para amarrar o corpo do animal deixando apenas a cabeça caída
para segura-la no momento do corte e o sangue escorrer livremente para baixo...

BEBIDAS

Em Quartinhas apenas cachaça;


Servidas para os Firmados e Assentados:
Para homens a preferência é Whisky ou Conhaque;
Para mulheres a preferência é Champanha ou Vinho Tinto Suave;
Servidas no Salão: qualquer bebida com exceção de Cachaça;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 11

ORIENTAÇÃO SOBRE TOQUES NO RITUAL DE CORTE:

O corte, até poderá ser tocado, respeitando a ordem do Ritual e as Cantigas obrigatórias.
Contudo, jamais se toca quando existe obrigação arriada, somente no momento do corte e alguns
minutos após. Depois disto, somente após levantação. Se houver necessidade de realizar outro
corte enquanto uma obrigação esta arriada, só é permitido cantar (nada de tambor);

SAUDAÇÃO
Antes de qualquer coisa, bater palmas três vezes e falar: Exú Bê Celebogum Agô
Fazer isto três vezes, então no total baterá palmas nove vezes e falará três vezes

ORDENS DAS CANTIGAS E PONTOS


Não é obrigatório ter o toque de tambor, mas deverá cantar as cantigas principais. Quando
ler a expressão “toque”, isto significa o tipo de batida no tambor, mas os nomes das batidas
acabam variando muito de cidade para cidade, de estado para estado e de região para região.
O tipo de batida é apenas uma referência de que ela deve ser diferente, não significa que é
obrigatório ser a mesma batida que pratico em minha cidade. As palavras estão escritas como
devem ser pronunciadas e não como deveriam ser escritas, isto para que possa executar a
pronuncia correta.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 12

INÍCIO DE OBRIGAÇÕES DE TOQUE OU CORTE:

TOQUE LENTO:

M= Mutuê Mutuê
R= illecebra Lokun Idê

BIS

M= Mutuê Mutuê
R= illecebra Lokun Idê

BIS

M= Gato miô na divisa do terrero


R= Gato miô na divisa do terreiro

BIS

M= Saravando meu Domínio, Satanás e o Ceifeiro


R= Saravando meu Domínio, Satanás e o Ceifeiro

BIS

M= No meu velório, Eu defunto estou de pé


R= No meu velório, Eu defunto estou de pé

BIS

M= Se não acredita, não teste minha fé


R= Se não acredita, não teste minha fé

BIS

M= Nunca vi cobra de pata, nem sapo anda de ré


R= Nunca vi cobra de pata, nem sapo anda de ré

BIS
TOQUE TIPO LADAÍNHA (ARÉ PARA EXÚ):

M= Mavilê tango jaguatá elô


R= Mavilê

M= Mavilê tango jaguatá elô


R= Mavilê

M= Mavilê tango jaguatá elô


R= Mavilê, mavilê tango jaguatá elo, mavilê

M= Olha Belzebú
R= Olha Belzebú
Quimbanda Xambá – Mago Barão 13

M= Tão te chamando na Quimbanda


R= Olha Belzebú

BIS

M= Mas se Deus é bom, mas o Diabo não é mal


R= Mas se Deus é bom, mas o Diabo não é mal

BIS

M= Ele matou um cabrito na encruza


R= E o gato preto ajudou à trabalhar

BIS

TOQUE CRUZADO:

M= Lá no seu Reino ele é Rei


R= Lá no seu Reino ele é Rei

BIS

M= Lá no seu Reino ele é Seu Lucifér


R= Lá no seu Reino ele é Seu Lucifér

BIS

PARTINDO DESTE PONTO, INICIA-SE AS CANTIGAS DE QUIMBANDA

CANTIGA PARA SAÍDA DE EBÓ E ENTRADA DE ECÓ:

M= Ala Keto rê, Keto bara, Exú Maló


R= Ala Keto rê, Keto bara, Exú Maló

BIS
Quimbanda Xambá – Mago Barão 14

FIRMAÇÕES E ASSENTAMENTOS:

Em qualquer Obrigação de corte é OBRIGATÓRIO o sacrifício de pelo menos uma ave,


para que possa fazer os pratos com ela;

O Exú/Pombagira principal da pessoa chamamos aqui de Exú Chefe, o outro que forma o
casal é chamado de Parceiro(a) e o terceiro é chamado de Zelador(a);

Apenas o Chefe recebe o Assentamento principal, o seu “Parceiro(a)” receberá um


Assentamento diferente e, o Zelador(a) será Firmado(a) em imagem;

Quando for Aprontar o(a) Chefe, se ainda não existir um Parceiro(a) Firmado em imagem,
não poderá Firmá-lo, nem no momento do Aprontamento nem após o aprontamento;
O(a) Parceiro(a) só pode estar Firmado em imagem se for antes do Aprontamento do(a) Chefe,
no dia do Aprontamento do(a) Chefe e após o Aprontamento do(a) Chefe, somente será aceito
Assentamento do(a) Parceiro(a) em Ocutá; Os demais Exús/Pombagiras da mesma pessoa,
serão apenas firmadas em imagens, não é admitido o Assentamento de mais de dois
Exús/Pombagiras para a mesma pessoa;

Todos devem possuir mais Pombagiras do que Exú, ou seja, a quantidade de


Pombagiras deve sempre ser superior à quantidade de Exús quando o número de
Exús/Pombagiras forem superior a 04;

Os Exús/Pombagiras em Ocutás não utilizam Quartinhas, caso um Chefe e seu Parceiro


tenham sido firmados em imagem antes de serem aprontados, as Quartinhas são quebradas e
plantadas no dia da Obrigação de Aprontamento; Quando uma obrigação já existe, deve-se
retirar da obrigação tudo que não faz parte da Xambá e incluir o que faz parte da Xambá, o que
for retirado da obrigação deve ser enterrado no mesmo dia em que for feito o corte;

Toda pessoa para ser considerada Pronta e Liberada para ser independente
religiosamente, deve ter no mínimo o seu Chefe Assentado, um Parceiro para seu Chefe e um
terceiro Exú/Pombagira que ficará na condição de Zelador;

OBRIGATÓRIO EM RITUAIS DE CORTE E TOQUE:

É obrigatório no início do Ritual, ter acesa uma vela de sebo, ter o prato com acaçá e ter
o Ecó Seco;

Não pode ter guizos dentro do tambor que será tocado;

Quando vamos apenas cortar para um Filho ou uma terceira pessoa e neste momento vai
ser apenas ave, neste caso o Chefe também deve comer, mas para ele uma ave separada,
sozinho. Esta ave não será cortada em cima da Obrigação e nem em cima do Ocutá do Chefe,
vai apenas cortada em um prato, com um fio de dendê no prato e nada mais. Pode ser um prato
de louça normal ou alguidar, este deve ser obrigatoriamente de louça ou barro. Mesmo que seja
apenas uma Ave para outro Exú/Pombagira, o chefe Também deve comer, neste caso usamos
a ave do Chefe para fazer servir assada.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 15

MATERIAL NECESSÁRIO PARA FIRMAR EXÚS/POMBAGIRAS EM IMAGENS:

– Imagem de no mínimo 20cm


– Quartinha nas cores da Entidade
– Garfo
– Ponteira
– A imagem deve ser gravada com os quatro sinais, sendo que o primeiro é no peito, o
segundo nas costas, o terceiro no meio dos pés e o quarto na base (embaixo);

MATERIAL NECESSÁRIO PARA APRONTAR EXÚ/POMBAGIRA CHEFE:

- Ocutá
- Um alguidar grande ou recipiente redondo grande, de barro ou ferro
- 03 vidros pequenos com tampa, os menores possíveis
- 04 Orobô
- 01 Raiz de arruda macho para Exú ou fêmea para Pombagira
- 03 Raiz de Dandá-da-Costa
- Pouco de enxofre
- Terra de 11 tumbas (sem identificação)
- Raspas ou pedaços de Cruz Mestre (se for raspas, irá precisar de mais um vidro pequeno)
- Um pouco de terra preta ou de preferência granitina
- Restos mortais de um gato ou 11 unhas de gato
- Ferramentas:

Parte Inferior, ou seja, dentro do recipiente, no fundo dele, onde ficará montada a
obrigação: 01 Vassoura, 01 moeda antiga, um anel para a Entidade, Orobôs, raízes, raspas da
cruz e raspas ou unhas de gato. Também 01 vidro com enxofre, 01 vidro com água e outro sem
nada dentro mas tampado porque irá representar o elemento ar. Então isto significa que dentro
da obrigação teremos os 04 elementos: terra (das tumbas), água, ar e fogo (enxofre é
considerado o fogo em pó). Depois de tudo isto dentro, cubra com as terras até ficar próximo da
boca do recipiente mas ainda deixando espaço para terra preta ou granitina para tampar tudo.

Parte Superior, ou seja, em cima das terras e ou granitina, à vista de todos: O Ocutá fica
em cima de tudo bem no meio, e ao redor dele ficarão cravadas 11 lanças, 01 espada, 01 Garfo
de Exú/Pombagira (do sexo da Entidade), 01 Chicote, 01 Marreta, 01 Foice. E deitados ao redor
dele ficarão 11 Búzios africanos em cima das 11 moedas grandes e as 11 Chaves ao lado delas.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 16

MATERIAL NECESSÁRIO PARA FIRMAÇÃO DE PARCEIRO(A):

- Ocutá
- Um alguidar médio ou recipiente redondo de médio porte, de barro ou ferro
- 04 Orobô
- 01 Raiz de arruda macho para Exú ou fêmea para Pombagira
- 03 Raiz de Dandá-da-Costa
- Terra de 11 tumbas (sem identificação)
- Um pouco de terra preta ou de preferência granitina
- Restos mortais de um gato ou 11 unhas de gato
- Ferramentas:

Parte Inferior, ou seja, dentro do recipiente, no fundo dele, onde ficará montada a
obrigação: 01 moeda antiga, um anel para a Entidade, Orobôs, raízes, raspas da cruz e raspas
ou unhas de gato. Depois de tudo isto dentro, cubra com as terras até ficar próximo da boca do
recipiente mas ainda deixando espaço para terra preta ou granitina para tampar tudo.

Parte Superior, ou seja, em cima das terras e ou granitina, à vista de todos: O Ocutá fica
em cima de tudo bem no meio, e ao redor dele ficarão cravadas: 01 lança, 01 Garfo de
Exú/Pombagira (do sexo da Entidade). E deitados ao redor dele ficarão 11 Búzios africanos em
cima das 11 moedas grandes. Se for homem levará mais uma foice, mas se for mulher não irá a
foice. O Chefe mesmo sendo mulher levará a foice.

OBSERVAÇÕES:
As ferramentas do Zelador ficam ao lado da imagem ou escoradas nele. O Gato para tirar
os ossos que vão na obrigação pode ser macho ou fêmea independente do sexo da
Entidade. Para conseguir ossos de gato, sacrifique o animal, retire o couro e corte o animal em
alguns pedaços. Lave a carne, coloque na panela de pressão e deixe no fogo, assim como é
feito para desfiar galinha, mas com ele deixe muito mais tempo, assim a carne se desprende
com maior facilidade e pode fazer com as mãos.

Todo cemitério possui uma Cruz Mestre feita de concreto, deve levar junto um canivete e
ficar raspando com ele na Cruz Mestre, assim vai tirando pó dela. Se tiver uma Cruz Mestre de
madeira, o que acredito improvável hoje em dia, tire lacas dela e depois queime no fogo até virar
pó. A terra das 11 tumbas você usa para colocar na vasilha onde ficará o Exú/Pombagira.
Coloca o material da parte interna e depois as terras misturadas por cima, até chegar próximo
da borda da vasilha.

Os vidrinhos devem ter tampas que fiquem bem fechadas... Estes vidrinhos podem se
aqueles de amostras de perfume, aqueles bem pequenos que as vendedoras tem em
mostruários.

Na primeira obrigação, você vai juntar todas as ferramentas, só tira fora as sementes e os
vidros. Todo o resto, incluindo o Ocutá devem estar em um outro recipiente, sacrifique o animal
em cima de tudo. Isto fica sendo velado por no mínimo 03 dias e no máximo por 07. Depois deste
prazo, siga os passos descritos na parte Levantação. Daí sim é que você vai monta toda a
obrigação na vasilha. No segundo corte e nos demais que seguirão ao correr dos anos, em
cortes, apenas irá tirar da vasilha o Ocutá e todas as ferramentas que ficam na parte de cima da
vasilha, aquelas que ficam ao redor do Exú/Pombagira...
Quimbanda Xambá – Mago Barão 17

MATERIAL PARA RITUAIS DE CORTE


EM IMAGENS OU OCUTAS:

Se for cortar um animal de sangue real, coelho ou outro animal específico de alimento na
Quimbanda Xambá para o Exu, primeiro deve cortar o que ele estava acostumado a comer,
primeiro deve ser um animal específico do Lado em que estava pela última vez. Exemplo: vai
corta um gato e, o Exu comia galo preto. Neste caso, deve cortar o galo preto encima da
obrigação e depois cortar o gato por cima de tudo.

Isto deve ser feito no mínimo uma vez, para que o Exu suporte a Quimbanda Xambá, para
que suas energias fiquem centralizadas, para que o mesmo possa trabalhar de forma mais
perfeita possível e para criar uma forte ligação entre Exu/Seu Protegido/Quimbanda Xambá.

Não são necessárias frentes, mas é obrigatório bebida servida no mesmo dia;

DEVE SER FEITO NO MÍNIMO 7 DIAS ANTES DO CORTE:


**Início: Para levantação é necessário: prepare uma garrafa de dois litros de cachaça com as
seguintes ervas: levante e folha-da-fortuna. Somente coloque as plantas dentro da garrafa, sem
fazer nada, sem cortar as folhas. Guarde a garrafa enrolada em um pano preto ou em outro pano
em local bem escuro. Esta mistura serve para levantação de até cinco Entidades, passando
desta conta, faça mais desta solução; Fim**

Use este preparo para limpar a Entidade e suas ferramentas... Depois montar a
Obrigação na vasilha e esborrifa este preparo em cima das Entidade...

Fora o que está acima, material necessário: 2 cachaças, uma vela de sebo comum, uma vela
7dias comum, canjica branca, maizena, folha de bananeira, pimenta da costa, raiz de arruda, sal,
PÓ REAL, mel, dendê, 02 cebolas grandes. Alface ou couve para forrar dois pratos grandes.
Animal(ais) a ser(em) sacrificado(s).

Observação: a raiz de arruda é para o Exú Chefe (o frente), ou seja, se for homem é raiz de
arruda macho, se for fêmea é raiz de arruda fêmea.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 18

PARA O PÓ REAL

Todos os ingredientes devem ser na mesma quantidade, todos na mesma quantidade e


a quantidade fica a critério de cada pessoa... Um punhado de cada um, dois punhados, etc...
Não importa o quanto, mas a mesma quantidade de cada um...

Utilidades: Fartura, abertura de caminhos, dinheiro,trabalho, prosperidade, tranquilidade


para os ambientes, atração sexual, união, entre outras utilidades...

Material:

-Cravo-da-Índia
-Noz-moscada -
Erva-Doce
-Gengibre -
Canela em pau
-Patchouli
-Pemba branca em pó
-Abere
-Bejerekun (o mesmo que Eru) semente negra com o interior vermelho
-Fava de Aridan

Deve-se aguardar 24horas após preparado, para ser utilizado. Misture tudo em uma panela
pequena, leve ao fogo, fique mexendo, misturando e até mesmo socando, até tudo virar pó.
Mulher em período menstrual deve ser proibida de utilizar. O indicado é que seja feito até mesmo
no patio ou em uma casa que tenha exaustor, pois até que tudo vire pó fará muita fumaça...
Quimbanda Xambá – Mago Barão 19

PARA O ECÓ SECO:

Um alguidar, farinha de mandioca, 01 Orobô para cada canto do cruzeiro do qual irá tirar
um pouco de terra, 01 danda-da-costa para cada canto do cruzeiro escolhido, 01 vela de sebo e
azeite de dendê ou azeite de palma;

Verifique como é o cruzeiro mais próximo de sua casa ou casa onde vai ser feita a
Obrigação... Se for um cruzeiro em formato de "T", isto significa que ele terá 02 pontas, então
você vai pegar um pouco de terra do cruzeiro ,de cada uma das pontas ou em dois cantos, então
serão 02 pontas e dois Orobo e 02 Danda-da-Costa... Se um cruzeiro em formato de "Y" serão
03 pontas, 03 Orobo e 03 Danda... Se for em formato de "X" serão 04 pontas, 04 Orobos e 04
Danda...

Em um alguidar, colocar o Orobo e Danda-da-Costa no fundo... Misture as terras com um


pouco de farinha de mandioca e acrescente meia xícara de azeite,misture bem... A quantidade
de farinha vai depender da quantidade de terras que pegou nos cruzeiros e também do tamanho
do alguidar que vai usar, a mistura de terras e de farinha deve chegar próximo à boca do
alguidar... Depois coloque a vela bem no meio do alguidar, pode cravar ela para dentro da
mistura, mas não poderá ficar próximo de meia vela enterrada... Acender a vela quando for
começar os trabalhos... este Ecó não precisa ser feito apenas em momentos de Obrigação, pode
fazer sempre que desejar pois ele ajuda a limpar o ambiente e a trazer bom movimento...

PLANTAS NECESSÁRIAS PARA MIERÓ:


Folhas de aroeira, amora, arruda, erva-de-bicho, eucalipto, funcho e sementes de
mamoneiro(aquelas que as crianças usam nas fundas e pra brinca de guerrinha).

OBSERVAÇÃO: O MIERÓ É UTILIZADO APENAS NO PRIMEIRO CORTE DE CADA


EXÚ/POMBAGIRA, DO SEGUNDO CORTE EM DIANTE, NÃO PASSARÁ PELO MIERÓ,
APENAS LAVAGEM E BANHO COM CACHAÇA;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 20

PROCEDIMENTOS NO DIA DO CORTE:


1º) PREPARAR O MIERÓ:

As sementes de mamoneiro devem ser esmagadas, bem trituradas, pode ser até em
liquidificador. Todo o bagaço e caldo serão utilizados. Após triturar a mamona, pegue um balde,
com pouca água, inclua a mamona e todas as demais folhas e comece a macerar com as mãos.
Disto tudo, prepare um mieró bem forte. Retire o excesso das folhas.

2º) PREPARAR OS ACACÁS:

Com a canjica e a maizena, prepare 3 acaçás, sem açúcar. Em um prato branco, coloque
os 3 acaçás. Tempere os acaçás com umas pitadinhas de sal e pimenta(não muito), um fio de
dendê e um fio de mel em cada um.

3º) ABERTURA DO RITUAL:

Acenda a vela de sebo. Faça a abertura do Ritual ou seja, a chamada, pedidos e ordens.

4º) BANHO, LAVAR A OBRIGAÇÃO, MÃO E PÉS:

De um banho de cachaça na pessoa e em toda obrigação, lave as patas dos animais;


Caso seja o primeiro corte: Lave toda obrigação com o mieró, lave também as mãos e os pés
da pessoa com o mieró;

Não secar nada, apenas tire o excesso de líquido;

5º) PREPARAR PARA O CORTE:

Embaixo do Exú Chefe, coloque a raiz de arruda; Polvilhe a pessoa com o pó real, de
baixo para cima.

6º) O CORTE:

Cantar as cantigas de abertura dos Rituais da Quimbanda Xambá e só depois os pontos


desejados de Quimbanda Comum. Os animais devem ser SACRIFICADOS E NÃO
SANGRADOS! Ou seja, deve furar o pescoço do animal e deixar cair todo o sangue, somente
depois que o sangue parar é que você poderá cortar o pescoço e arrancá-lo fora.

NÃO ARRANCAR NADA DAS AVES, NÃO EXISTE COROAÇÃO !!! Deve
apenas arrancar os corações das aves.

ANIMAIS DE PELO: cortar fora a cabeça e o coração; A cabeça deve ser colocada em um
prato e deve ficar com o rosto virado para dentro do ambiente onde estão os Exus/Pombagiras;

Prossiga com o corte encima da obrigação, do prato com acaçás e, se tiver frentes de
Quimbanda, somente na frente do Exú a quem pertence o sangue que esta caindo.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 21

No prato com o Acaçá, devem ir gotas de todos os animais sacrificados;

Após cortar tudo que tem para cortar, cante a Cantiga do Ebó da Magia. Esborrife cachaça
em tudo;

Agora, polvilhe toda a obrigação com o pó real, NÃO POLVILHE O PRATO DO ACAÇÁ.
Se houver mais frentes para Exús, estas também devem ser polvilhadas.

7º) PREPARO DO FECHAMENTO DA OBRIGAÇÃO

A ave principal deve ser untada com dendê, coberta com bastante cebola ralada; Leve ao
fogo e asse-a; Após esfriada deve ser servida em um prato forrado com alface ou couve;

Todos os corações são refugados no dendê e servidos após esfriar, em um prato forrado
com alface ou couve; Não separar machos de fêmeas, tudo junto no mesmo prato;

As penas, pelos e demais restos, podem ir para o lixo comum;

A obrigação esta pronta.

8º) A LEVANTAÇÃO:

No terceiro dia, contando o dia do corte, deve ser levantada. Não importa a condição do
tempo. Sendo no inverno, poderá ficar arriada até seis dias. Todos os dias deverá cantar as
Cantigas de abertura dos Rituais e realizar chamada para fazer os pedidos e ordens, de
preferência em horas-grandes.

Na levantação, cantar a abertura dos trabalhos Xambá, fazer chamada para os Exús, fazer
os pedidos e ordens. Lavar tudo com aquela cachaça misturada com as folhas; Deve-se limpar
o máximo possível, se necessário for, pode-se utilizar uma esponja;

Todos os dejetos devem ser plantados, não velar e não forrar o buraco, apenas abrir o
buraco, largar tudo dentro e fechar o buraco; O local pode ser no mesmo terreno em que esta a
obrigação ou então na mata, não pode ser em terreno de propriedade de vizinhos.

O piso da casa não deve ser banhado ou “encerado” com dendê; Desejando lavar com
algo fora água e sabão, pode utilizar cachaça para banhar o chão e até mesmo as paredes;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 22

MANUTENÇÃO UNIVERSAL:
Material necessário:

São 03 Orobô, sangue de algum animal de 04 patas, Ori, Cinzas de Gato; Azeite de dendê
ou Óleo de Carnaúba ou azeite de Palma; Cachaça, Bebida para servir os Exús, uma vela de
sebo e um Prato de Acaçá;

Triturar bem os Orobô, pode-se deixá-los secar ao sol e depois ralar em pedra ou em uma
lima grossa; Misture tudo muito bem misturado, menos a cachaça;

Animal de 04 patas (sangue de um animal sacrificado: coelho, gato ou cabrito). Sacrificado


apenas para colher o sangue, sem derramar nos Exús, apenas no prato. Colocar em um prato
um pouco de wisky e sacroficar o animal deixando o sangue escorrer dentro deste prato, depois
misturar bem o sangue com o wisky e gardar em uma garrafa. não precisa ser no mesmo dia em
que irá fazer a Manutenção, pode ser dias antes. e também não é preciso usar todo este sangue
nesta manutenção, pode usar um pouco agora e guardar o restante para outras vezes);

Ori (esta é uma banha que se compra nas lojas que vendem artigos de Umbanda e
Candomblé);

Cachaça para esborrifar as Entidades e para colocar nas quartinhas que existirem
(esborrifar é quase o mesmo que cuspir, fazer com a boca como se sua boca fosse um
desodorante aerosol)

Acaçá para colocar na frente dos Exús. Bebida para servir para os Exús.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 23

COMO PROCEDER A MANUTENÇÃO UNIVERSAL:

O Prato dos Acaçás deve ficar fora da casa, só entrará na casa após tudo estar pronto;

Nas paredes, em uma altura bem acima da cabeça, faça os quatro sinais, sendo na
seguinte ordem: Norte, Sul, Leste, Oeste;

Acenda a vela de sebo, cante as Cantigas de abertura Xambá e faça uma chamada para
os Exús mas não faça nenhum pedido;

Havendo cachaça nas Quartinhas, despache-as;

Passe a mistura nos Ocutás, Imagens, Ferramentas e Bordas das Quartinhas;

Coloque cachaça nas Quartinhas e esborrife toda a Obrigação com a cachaça;

Agora, busque o Prato dos Acaçás e arreie na frente das Entidades;


Quimbanda Xambá – Mago Barão 24

MONTAGEM DO NOME SEGREDO E SOBRENOME:

O nome segredo dos Exús/Pombagiras não é criado ao acaso... Todos os nomes são
montados, criados utilizando as letras conforme a relação abaixo;

Os nomes podem ter quantas letras desejar, mas o sobrenome deve conter apenas três
letras;

O nome de todos(as) os(as) Chefes devem iniciar com a letra “B”

O nome de todos(as) Parceiros não tem regra aplicada para a letra inicial

O nome de todos(as) os(as) Zeladores(as) devem iniciar com a letra “H”, isto
independente de seu Domínio;

Observação: a letra “H” é pronunciada da seguinte forma: Rô, Rã, Rê

Poderá formar o nome que desejar usando as letras destinadas para cada reino, mas não
se esqueça que o sobrenome deve conter apenas 03 letras... Estas letras são organizadas e
separadas de acordo com o Significado Espiritual de cada letra;

Exús de Cruzeiro, letras: A, E, I, O, U


G, Z, M, N, X, TH, P
Observação: a letra “P” somente como a primeira letra do
nome a letra “TH” é pronunciada da seguinte forma: Tô, Tã, Tê
a letra “F” não pode ser a primeira letra do nome

Exús de Almas, letras: A, E, I, O, U


D, G, T, L, N, S, R, TS, KH, X, TH
Observação: a letra “KH” é pronunciada da seguinte forma: Cã, Cê, Cu,
Cô a letra TS é pronunciada da seguinte forma: Tsí, Tsó, Tsú

Exús de Praia, letras: A, E, O, U


R, D, T, M, N, S, X, TH

Exús de Mata, letras: A, E, I, O, U


V, J, KH, N, S, H, K, X, TH

Observação: a letra “H” é pronunciada da seguinte forma: Rô, Rã, Rê


Quimbanda Xambá – Mago Barão 25

Seguem abaixo algumas indicações de Entidades para cada finalidade,


elas não estão em ordem de preferência:

Defesa, ataque e seguranças:


Exú Lucifér - Exú Rei - Exú Rei das Sete Encruzilhadas - Exú Rei do Cemitério - Exú Pantera -
Exú do Fogo ou Exú Brasa - Exú Capa-Preta - Exús Caveiras - Exú Meia-Noite - Exú Tranca-
Ruas - Exú Destranca-Rua - Exú Do Lodo - Exú 07 Almas - Exú Catatumba ou Sete Catatumbas
- Exú Porteira - Exú Omulú - Exú Ventania ou Sete Ventanias - Pombagira Maria Padilha -
Pombagira Maria Mulambo - Pombagira das Almas - Pombagira Maria Quitéria -
Pombagira Rosa Caveira

Movimento, fartura, caminhos abertos, empregos e negócios:


Exú Rei das Sete Encruzilhadas - Exú Sete da Lira - Exú Marabô - Exú Gira-Mundo - Exú
Destranca-Rua - Exú Maré - Exú 07 Almas - Exú Bigüim - Exú Sete Encruzilhadas - Exú Tiriri -
Exú Toquinho ou Bará Toquinho - Exú Veludo - Exú Zé Pilintra - Exú Meia-Noite - Exú Mirim -
Exú Ventania ou Sete Ventanias - Pombagira Rainha da Encruzilhada - Pombagira Rainha da
Praia - Pombagira Menina - Pombagira Sete Saias - Pombagira Dama da Noite - Pombagira da
Praia - Pombagira da Estrada - Pombagira Sete Encruzilhadas

Ataque, crueldade, maldade:


Exú Lucifér - Exú Rei do Cemitério - Exú Vira-Mundo - Exú do Fogo ou Exú Brasa - Exú Capa-
Preta - Exús Caveiras - Exú Leba - Exú Tranca-Ruas - Exú Mulambo - Exú Omulú - Exú
Catatumba ou Sete Catatumbas - Exú Cobra - Pombagira Maria Padilha - Pombagira Rainha do
Cemitério - Pombagira Maria Mulambo - Pombagira Camucanguê - Pombagira das Almas -
Pombagira do Forno - Pombagira Maria Quitéria - Pombagira Rosa Caveira

Saúde:
Exú Sete da Lira - Exú Maré - Exú Morcego - Exú Tiriri - Exú Mirim - Pombagira Menina -
Pombagira Cigana - Pombagira da Praia - Pombagira da Estrada

Amor e sexo:
Exú Sete da Lira - Exú Maré - Exú Sete Encruzilhadas - Exú Veludo - Exú Ventania ou Sete
Ventanias - Exú Zé Pilintra - Exú Meia-Noite - Pombagira Maria Padilha - Pombagira Rainha da
Encruzilhada - Pombagira Rainha da Praia - Pombagira Menina - Pombagira Sete Saias -
Pombagira Sete Encruzilhadas - Pombagira Maria Quitéria - Pombagira Dama da Noite -
Pombagira Rosa Caveira - Pombagira da Praia - Pombagira da Estrada
Quimbanda Xambá – Mago Barão 26

RESUMOS PARA RITUAIS DE CORTE


Para Assentamentos de Chefes, Parceiros, Firmação de Zeladores e
demais Exús/Pombagiras:

Antes de planejar ou de iniciar qualquer coisa, verifique esta lista

- Montar o Nome Segredo


- Verificar a Lua antes de marcar a data
- Material para o Assentamento ou Firmamento de cada um
- Material para o Corte e para Levantação
- Mieró
- Prato do Acaçá
- Ecó Seco
- No mínimo uma Ave
- Guias ou Imperial (se assim desejar)
- Frentes (se assim desejar)

Do Segundo corte em diante para Chefes, Parceiros, Zeladores, demais


Exús/Pombagiras ou para corte apenas no Prato:

−Verificar a Lua antes de marcar a data


−Material para o Corte e para Levantação
−Prato do Acaçá
−Ecó Seco
−No mínimo uma Ave
−Guias ou Imperial (se assim
desejar) −Frentes (se assim desejar)
Quimbanda Xambá – Mago Barão 27

RELAÇÃO DE ENTIDADES E SEUS REINOS

Observação: embora cada Entidade tenha seu Reino específico, nada impede que ela possa
responder à chamados e Rituais executados em outros Reinos. Casos mais comuns e que não
alteram os resultados: Exús de Cemitério responderem em Mata e vice versa. Exús de Praia
responderem em Cruzei ro ou Mata. Exús de Encruzilhadas responderem na Mata e vice versa.

Encruzilhadas (esquinas)
Exú Rei
Exú Rei das Sete Encruzi lhadas
Exú Sete Encruzilhadas
Exú Sete da Lira
Exú Capa-Preta
Exú Tranca-Ruas
Exú Destranca-Rua
Exú Bigüim
Exú Ti riri
Exú Toquinho ou Bará Toquinho
Exú Veludo
Exú Zé Pilintra
Exú Meia-Noi te
Exú Mirim
Pombagira Rainha das 07 Encruzilhadas
Pombagira Sete Saias
Pombagira Cigana
Pombagira Sete Encruzilhadas
Pombagira Dama da Noite
Pombagira da Estrada

Cemitério – Lomba (almas):


Exú Lucifér
Exú Rei do Cemitério
Exús Caveiras
Exú Tranca-Ruas das Almas
Exú Sombra
Exú Mulambo
Exú Omulú
Exú Porteira
Exú Catatumba ou Sete Catatumbas
Exú Sete Almas
Pombagira Maria Padilha
Pombagira Rainha do Cemitério
Pombagira Maria Mulambo
Pombagira Camucanguê
Pombagira das Almas
Pombagira do Forno
Pombagira Maria Qui téria
Pombagira Rosa Caveira
Pombagira Cigana das Almas
Quimbanda Xambá – Mago Barão 28

Mata e campo aberto e ou local deserto:


Exú Sete da Lira
Exú Gira-Mundo
Exú Vira-Mundo
Exú Pantera
Exú do Fogo ou Exú Brasa
Exú Leba
Exú Morcego
Exú Pimenta
Exu 7 Pedras
Exú Ventania ou Sete Ventanias
Exú Mangueira
Exú Cobra
Exú Sete Cachoeiras
Exu 7 Poeiras

Praia de mar ou àgua doce:


Exú Maré
Exú Marabô
Pombagira da Praia
Pombagira Menina
Pombagira Cigana da Praia
Quimbanda Xambá – Mago Barão 29

Frentes para Exús Homens


Quimbanda Xambá – Mago Barão 30

Exú Lucifér:
Milho torrado, costela crua, charuto e dendê ou;

Folha de bananeira, bife de gado cru, bife de porco cru, bife de fígado cru, todos passados no
dendê e com uma pimenta da costa encima de cada um;

Cores indicadas: lilás e preto;

Exú Sete da Lira:


Pirão doce, feito c/ farinha de milho, carne picada e repolho ou;

Tainha assada com ovos, legumes e farofa;

Cores indicadas: vermelho, preto e branco;

Exú Marabô:
Peixe frito, farofa, 01 charuto, 07 rodelas de ovo cozido ou;

Farofa feita com dendê, misture cerveja preta na farofa, 02 bifes de gado mal passados
recheados com pimentão vermelho e cebola roxa, ovo cozido e picado por cima de tudo;

Cores indicadas: azulão e vermelho;

Exú Gira-Mundo:
Milho torrado, 07 charutos e 01 gema cozida no centro ou;

Farofa, 07 rodelas de kiwi com casca, 07 gemas de ovo cozidas encima de cada laranja e 01
charuto;

Cores indicadas: amarelo, vermelho e marrom;


Quimbanda Xambá – Mago Barão 31

Exú Vira-Mundo:
Farofa, 01 ovo cozido, 07 rodelas de laranja com casca e 01 charuto ou;

Farofa, 07 rodelas de limão com casca, mel encima dos limões e um bife de fígado mal passado
frito no mel;

Cores indicadas: azul e marrom;

Exú do Fogo:
Farofa amarela com cachaça, 07 pimentas vermelhas cravadas na farofa, ponta de um pimentão
vermelho recheado com pólvora ou;

Milho torrado, 07 pimentões vermelhos cortados ao meio e recheados com guisado cru misturado
com dendê;

Cores indicadas: vermelho e amarelo;

Exú Capa-Preta:
Uma costela assada com farofa e dendê ou;

Milho e 02 pimentões bem picados torrados juntos no dendê (torrar o milho e o pimentão juntos),
01 chuleta crua banhada em cerveja, 07 gomos de laranja e 07 gomos de limão (um do lado do
outro: limão, laranja, limão, laranja)

Cores indicadas: preto e branco;

Exú Leba:
Milho e amendoim torrados juntos, 01 cachimbo com pimenta vermelha ou;

Farofa misturada c/ cachaça e dendê, 07 charutos e 01 ovo cru;

Cores indicadas: preto e branco;


Quimbanda Xambá – Mago Barão 32

Exú Caveira:
Milho torrado, 01 bife de gado, 01 charuto, 01 caveira feita de farinha de mandioca e cachaça;
Caveira: bife mal passado;

João Caveira, Caveirinha, Sete-Caveirinha, Sete Caveira: bife bem passado;

Tata Caveira: bife cru passado no dendê;

Outra opção para todos os Caveiras: milho torrado, farinha de mandioca, dendê, 09 camarões
socados, 01 cebola grande ralada, 03 pimentões vermelhos cortados ao meio; Refogue a cebola
no dendê, acrescente a farinha e os camarões, sal à gosto; Em cada pimentão, sirva uma porção
desta comida; Coloque os pimentões encima do milho e acrescente em 01 pimentão um pouco
de mel, no outro um pouco de dendê e no outro dendê primeiro depois mel
em cima;

Cores indicadas: preto, branco e vermelho;

Exú Tranca-Rua:
Farofa de farinha de milho com dendê, 01 charuto, 01 bife de gado, 01 cebola roxa cortada em
04 ou;

Arroz branco, 01 bife de porco frito no mel e dendê, rodelas de limão abaixo e ao redor do bife e
01 ovo cozido cortado em 04;

Cores indicadas: para Tranca-Rua do Cruzeiro é o vermelho preto e


lilás; Para Tranca-Rua das Almas é o preto, branco e lilás;

Exú Destranca-Rua:
Milho torrado, 01 charuto, 01 bife de gado cru e 01 cebola cortada em 04 ou;

Farofa comum, farofa de farinha de milho, farofa amarela, divididas no prato em partes iguais,
01 bife de gado cru passado no dendê no meio do prato, 03 gomos de laranja com casca encima
da farofa comum, 03 gomos de limão com casca encima da farofa de milho e 03 cigarros encima
da farofa amarela;

Cores indicadas: vermelho e preto;


Quimbanda Xambá – Mago Barão 33

Exú Do Lodo:
Milho torrado, 01 bife de fígado mal passado e 01 ovo cru ou;

Arroz, coração bovino frito no dendê com molho feito de: cerveja, pimentão, pimenta, tomate,
cebola e alho; O arroz fica ao redor do coração com molho;

Cores indicadas: preto e lilás;

Exú Maré:
Pirão comum com peixe (de preferência peixe de pele) ou;

Berinjela em rodelas mexida com farinha de mandioca, podendo ser enfeitada colocando-se 01
camarão cru encima de cada rodela;

Cores indicadas: azul, branco e preto;

Exú Morcego:
Farofa amarela com bife de fígado;

Cores indicadas: vermelho, branco e preto;

Exú Mulambo:
Couve com carne picada em pedaços grandes e 01 charuto;

Cores indicadas: vermelho e branco;

Exú Bigüim:
Arroz com bife acebolado, temperados normalmente ou;

Pimentão recheado com guisado e ovo encima de uma farofa amarela;

Cores indicadas: vermelho, branco e preto;


Quimbanda Xambá – Mago Barão 34

Exú Omulú:
Amendoim, bife de fígado cru, mel e charuto ou;

Bife de porco cru com 09 rodelas de cebola roxa;

Cores indicadas:preto e amarelo;

Exú Sete Encruzilhadas:


Costela assada, milho torrado, 01 charuto e azeite de dendê;

Cores indicadas: preto e vermelho;

Exú Porteira:
Bife de gado mal passado, 07 palmitos, 07 folhas de alface, 07 rodelas de tomate, 07 rodelas de
ovo cozido e 07 moedas;

Cores indicadas: preto e branco;

Exú Tiriri:
Bife de gado cru ou mal passado, milho torrado, charuto, dendê e 07 gomos de laranja ou;

Farofa, 07 rodelas de limão, mel em cima dos limões e 07 fatias grossas de carne de gado cruas
encima dos limões;

Cores indicadas: vermelho e preto;

Exú Toquinho ou Bará Toquinho:


Milho torrado, charuto, 01 ovo cru e 01 cebola com casca cortada em 04;

Cores indicadas: vermelho, preto e branco;


Quimbanda Xambá – Mago Barão 35

Exú Veludo:
Farofa de farinha de mandioca, 07 bifes de fígados mal passados e 07 gomos de laranja ou;

Farofa amarela, 07 rodelas de laranja, 07 camarões encima das laranjas, 01 charuto e 01 cravo
vermelho no centro;

Cores indicadas: vermelho e preto;

Exú Ventania ou Sete Ventanias:


Farofa de farinha de mandioca, 07 dentes de alho sem casca, 07 ovos cozidos e 07 gomos de
laranja ou;

Feijão amendoim e milho torrados separadamente, 01 bife de gado bem passado, 01 pimenta
vermelha e grande, 01 charuto encima do bife;

Cores indicadas: vermelho e lilás;

Exú Zé Pilintra:
Ala-minuta completa e 01 cigarro encima dela ou;

Farofa feita com dendê e depois misturada com cachaça, 21 camarões refogados no dendê e na
cerveja preta, 21 azeitonas pretas e 07 gomos de limão;

Cores indicadas: vermelho, preto e branco;

Exú Catatumba ou Sete Catatumbas:


Bife de fígado cru ou mal passado, 07 gomos de laranja, farofa amarela de farinha de milho ou;

Milho torrado junto com feijão, 01 coração de boi cru cortado ao meio, uma metade banhada no
mel e outra no dendê, um charuto entre as duas;

Cores indicadas: preto;


Quimbanda Xambá – Mago Barão 36

Exú Meia-Noite:
Farofa com lingüiça e ovo picado ou;

01 bife de fígado mal passado, 01 cebola roxa cortada em 04 e 01 pimenta vermelha;

Cores indicadas: preto, vermelho e branco;

Exú Cobra:
Milho e amendoim torrados juntos, 01 perna de lingüiça fina crua, 03 rodelas grossas de pimentão
verde e 01 rodela grossa de pimentão vermelho no meio dos verdes;

Cores indicadas: vermelho e marrom;

Exú Sete Almas:


Arroz, 01 folha de couve no centro, 01 bife de fígado cru e 01 charuto;

Cores indicadas: preto e cinza;

Exú Mirim:
Milho torrado, 04 rodelas de laranja, 01 rodela de limão e rodelas de ovo cozido;

Cores indicadas: vermelho e preto;

Para Homens em geral:


Farofa amarela misturada com cachaça, 03 charutos ou cigarros e 07 pimentas da costa;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 37

Frentes para Pombagiras


Quimbanda Xambá – Mago Barão 38

Pombagira Maria Padilha:


Arroz com couve e lingüiça ou;

Farofa de farinha de milho, camarões caramelados, 09 morangos com um cravo-da-índia


cravado em cada um;

Cores indicadas: branco e preto;

Pombagira Rainha:
Farofa, 07 almôndegas cruas temperadas com pimenta ou;

Farofa amarela, 03 chuletas de porco fritas no mel e uma rosa vermelha no meio;

Cores indicadas: vermelho e preto;

Pombagira Maria Mulambo:


Carne picada refogada com dendê e couve ou;

07 folhas de couve com 07 fatias de pão com mel;

Cores indicadas: branco e lilás;

Pombagira Menina:
Pipoca, 07 bolos inglês e 07 almôndegas;

Menina da Praia é almôndega frita;


Menina das Almas é almôndega crua;

Outra opção: farofa amarela, uma almôndega bem grande no


centro, uma rosa amarela, uma rosa vermelha e uma cor de rosa;

Cores indicadas: azul/vermelho (Praia), preto/branco (Almas);


Quimbanda Xambá – Mago Barão 39

Pombagira Camucanguê:
Farofa feita com farinha de milho e mel, 07 almôndegas fritas, aceboladas, bem temperadas,
pétalas de rosa;

Cores indicadas: lilás e preto;

Pombagira Sete Saias:


07 fatias de maçã e 01 almôndega passada na farinha de mandioca ou;

07 folhas de couve, bife de fígado banhado no mel, 02 rosas vermelhas com cabo cruzadas em
cima do bife, 01 gema de ovo cozido em cima do bife, 01 cigarrilha ou cigarro;

Cores indicadas: vermelho e preto;

Pombagira Cigana do Cruzeiro:


Pipoca, maçã e 01 perna de lingüiça ou;

Morangos caramelados, um cacho de uvas pretas no centro, 01 rosa vermelha aberta e 01


cigarrilha ou cigarro;

Cores indicadas: vermelho, preto e amarelo;

Pombagira Cigana das Almas:


Pipoca caramelada com mel e polvilhada com canela em pó ou;

Farofa misturada com mel, 01 laranja cortada em 04, um limão cortado em 07, 01 kiwi cortado
em 04, 03 ameixas pretas no centro;

Cores indicadas: preto e branco;

Pombagira Cigana da Praia:


Farofa doce com frutas carameladas;
Cores indicadas: vermelho e azul;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 40

Pombagira das Almas:


Farofa amarela, 09 morangos, 09 gomos de maçã (cortar para ficar tipo gomo), 04 rodelas de
limão e uma almôndega crua no centro;
Cores indicadas: preto e branco;

Pombagira do Forno:
Farofa amarela, 01 bife de fígado cru, 01 limão cortado em 04, mel por cima de tudo ou;
Pipoca, 01 bife de fígado cru, 03 metades ocas de limão recheadas com: morango, mel e 01
pimenta da costa em cada;

Cores indicadas: preto e branco;

Pombagira Sete Encruzilhadas:


Farofa com lingüiça, 01 maçã cortada em 04 ou;

Arroz branco, 01 perna de lingüiça, 01 limão cortado ao meio recheado com mel e uma rosa
dentro;

Cores indicadas: vermelho e preto;

Pombagira Maria Quitéria:


Arroz com miúdos ou;

Alface para decorar prato, 03 bifes de fígado acebolados e apimentados;

Cores indicadas: preto e lilás;

Pombagira Dama da Noite:


Farofa amarela, 01 maçã, 01 rosa vermelha, 01 bife de fígado banhado no dendê e uma pimenta
vermelha ou;

Farofa de farinha de milho, 09 cruzes pequenas feitas de carne de gado, um cravo-da-índia


cravado em cada cruz, 01 ameixa preta no centro;
Cores indicadas: preto e lilás;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 41

Pombagira Rosa Caveira:


Milho torrado, pipoca, 01 rosa, 01 cruz feita de bife de gado ou;

Milho torrado, morangos em cima de pétalas de rosa, 01 bife de porco cru banhado no dendê;
Cores indicadas: branco e lilás;

Pombagira da Praia:
Farofa amarela, 03 metades de laranja, 03 botões de rosa cravados nas laranjas, 07 camarões
crus, ou;

Farofa de farinha de milho, 07 ameixas pretas, 01 maçã cortada ao meio recheada com
mel; Cores indicadas:azul e preto;

Pombagira da Estrada:
Farofa doce misturada com bebida doce, 01 rosa, lingüiça picada
e frita no dendê, 01 cigarrilha ou cigarro;
Cores indicadas: branco, preto e vermelho;

Para mulheres em geral:


Melado feito com mel e milho, 01 rosa vermelha, pétalas de rosa cor de rosa, 01 cigarrilha ou
cigarro;
Deve ser acompanhado de uma bebida doce;
Quimbanda Xambá – Mago Barão 42

PEQUENO MODELO E EXPLICAÇÃO DE OCUTÁS:


Os Ocutás utilizados na Quimbanda Xambá são praticamente os mesmos utilizados para Orixás
em alguns segmentos Afro... Não podem estar lascados ou quebrados... Não podem ser pintados
com nenhuma espécie de tintas... Não podem ser gravados ou colados... Enfim, deverão ser em
sua forma natural...

Estas pedras chamamos de Ocutás... Em alguns segmentos religiosos também são chamados
de meteoritos, asteróides... Em outros, são utilizadas apenas as pedras lascadas e estas são
chamadas de Lascas para Exú...

Estes Ocutás podem ser encontrados facilmente na beira e fundo de rios... Em lojas
especializadas em artefatos de decoração para jardins são encontradas com o nome de “pedra
seixo”...

Podem ser em tons escuros ou claros, isto não interfere em nada... assim como podem ter
mais de uma cor, rajadas, malhadas, etc...
Quimbanda Xambá – Mago Barão 43

Aqui mais um exemplo de Exú Macho, a primeira foto é sendo visto de frente e a segunda
é ele sendo visto na diagonal. O ocutá pode ser em pedra preta, marrom, cinza, malhada e até
vermelha.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 44

Aqui mais um exemplo de Exú


Fêmea. Na primeira foto esta sendo
vista na horizontal e de lado. Na
segunda esta sendo vista de cima. Na
foto ao lado, esta sendo vista de cima
e em diagonal
Quimbanda Xambá – Mago Barão 45

Aqui estão fotos das Ferramentas mencionadas nas relações de material para
Assentamentos, são todas miniaturas dos objetos e não os objetos propriamente. As chaves
podem ser de qualquer formato e modelo. A ferramenta que esta em minha mão na foto acima
é uma marreta.

Caso encontre dificuldades em encontrar uma ou mais ferramentas em sua região, pode
entrar em contato com Mago Barão e informar quais são elas, será verificado o valor de cada
uma e o valor do SEDEX ou PAC para envio, a pessoa deposita o valor, Mago Barão compra o
material e envia para o endereço que for indicado pela pessoa.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 46

Na foto acima, pode ver a vassoura que vai na parte inferior do(a) Chefe.
Nesta foto pode ver os búzios africanos, todos eles devem ser abertos como pode ver na
foto, a parte que fica a “barriguinha” do búzio deve ser tirada fora, com uma faca de ponta fina
faça um buraco e vá quebrando até que fiquem da forma como na foto acima.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 47

Os vidros mencionados na relação de material são como estes da foto acima, podem ser
vidros de amostra de perfume ou quaisquer outros que sejam pequenos assim como estes e com
tampa. Podem ficar com as propagandas ou podem ser tiradas, isto não interfere em nada porque
o que conta é o conteúdo deles, mas é claro que deve lavar bem lavado caso seja um vidro de
perfume ou outros que já tenham sido usados antes.

Aqui acima são os Orobos, você encontra em Lojas que vendem Artigos para Candomblé,
são guardados sempre dentro de um recipiente com água porque ressecam rapidamente.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 48

Veremos agora um exemplo de montagem de um Parceiro Fêmea, dentro do alguidar, no


fundo, vai colocar o material destinado à parte inferior, depois de colocar tudo ali dentro irá
colocar as terras. Depois o Ocutá e demais ferramentas como constam na lista.

Observação: nas montagens dos modelos não tinhamos raiz de arruda em mãos porque
ela estava na casa onde iríamos fazer a obrigação, então decidimos usar uma outra erva para
poder tirar as fotos porque não seria possível na outra casa em meio aos preparativos da
Obrigação, portanto está com outra erva aqui apenas para se ter a visão de como seria, mas não
deve ser trocada a raiz de arruda por outro tipo de raiz e nem a raiz de danda-da-costa poderá
ser ignorada ou trocada.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 49

Na foto abaixo, esta uma Parceira Fêmea, mas como era apenas uma montagem para
demostração, usamos um Garfo Macho porque o Garfo Fêmea também jé estava na outra casa,
mas não deve se esquecer de que para Pombagira é Garfo Fêmea e para Exú é Garfo
Macho. O Garfo macho é como este na foto abaixo, ele é mais quadrado e o Garfo Fêmea é
mais arredondado.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 50

Note que os búzios ficam em cima das moedas, sendo que a ponta dos búzios ficam
apontados para fora, todos neste sentido, como se estivessem representando a figura do sol
como poderá notar na foto acima.
Quimbanda Xambá – Mago Barão 51

Veremos um exemplo de como deve ficar o material da parte inferior de um Chefe Macho
nas fotos à seguir:
Quimbanda Xambá – Mago Barão 52

Depois de colocado dentro do alguidar todo o material da parte inferior, coloque as terras
e depois o ocuta e os demais materiais, segue abaixo um modelo de Chefe Macho:
Quimbanda Xambá – Mago Barão 53
Quimbanda Xambá – Mago Barão 54
Quimbanda Xambá – Mago Barão 55

ENSINAMENTOS AVANÇADOS E ADICIONAIS

Este Livro foi desenvolvido para que seu possuidor possa exercer a prática da
Quimbanda Xambá, desde sua mudança da Quimbanda tradicional para a Xambá,
inciação de adeptos/filhos e continuidade de sua religião de forma segura, equilibrada e
com progresso. Aqui estão todos os ensinamentos e práticas para seguir adiante.
Contudo, existem mais ensinamentos que não estão incluídos neste Livro, devido à
serem procedimentos à nivel mais avançado e que não são necessários ou obrigatórios
para a prática da Quimbanda Xambá:

***Irradiação de Demônios para os Exús e Pombagiras


Neste procedimento os Exús e Pombagiras ganham um pouco mais de força e
agilidade, pois estarão recebendo uma breve irradiação das forças do Demônio ao qual
possuem influência, ou seja, o Exú ou Pombagira vai receber um pouco mais de energia,
mas isto não trará ligação direta com o Demônio em questão e não faz com que o
Exú/Pombagira trabalhe para aquele Demônio e muito menos que sua Entidade vá
trabalhar nas sombras ou algo parecido, irá apenas receber mais energia espiritual em
troca do que será feito para aquele Demônio.

***Assentamento do Capataz (Egun Chefe)


Neste procedimento, é realizado o Assentamento do que chamamos de Capataz,
ou seja, o Egun Chefe. Na Quimbanda Xambá não existe o fundamento que muitos
utilizam e chama de “Buraco de Egun” ou “Balé de Egun” ou “Casa de Egun”. É feito um
Assentamento especial onde irá o Chamado Capataz, ele é o Egun Chefe, através dele
vai todo o comando de Eguns que não estejam sobre as ordens de seus
Exús/Pombagiras. Todos os Exús/Pombagiras possuem uma certa conta de Eguns que
trabalalham para eles diretamente, cada Exú tem seu “povo” de Egun que trabalha para
todas as finalidades, nenhum Exú esta sozinho, de acordo com sua evolução ele acaba
conquistando mais Eguns para trabalhar à seu favor e sobre suas ordens. Contudo,
sempre irão existir mais Eguns à disposição e rondando um local de culto religioso,
mesmo que neste local tenham vários Exús/Pombagiras Assentados e Firmados. É aí
que o Capataz trabalha, reorganizando e estabelecendo a ordem sobre os demais Eguns
e energias de outros Eguns que não estão atuando, Eguns e energias derivadas deles
que estão inativas, sem comando e sem propósito.

***Vampirismo de Quimbanda
Esta prática é conhecida e chamada de diversas formas, isto depende da região onde se
encontra: em alguns locais é conhecida como vampirismo de Exú, parasita espiritual, suga-
almas, interposto das almas, etc... Qualquer que seja o nome, a prática tem como objetivo: um
Exú/Pombagira utilizar-se de parte das energias espirituais ou vitais de um ser humano ou
resíduos de energias derivadas de um espírito de alguém falecido recentemente, no intúito de
aumentar suas forças espirituais para uso em qualquer finalidade, seja para o bem ou para o
mal, independente do desejo ou conhecimento de sua fonte de energia, ou seja, independente
do conhecimento e aprovação das pessoas ou espíritos dos quais ele detem o controle de parte
de sua energia vital/espiritual. A Entidade irá se alimentar destas energias, sejam elas positivas
ou negativas e irá transformá-las em energia pura para seu uso em qualquer finalidade, aquele
que detem a guarda desta Entidade não sofrerá nenhuma ação ou reação, direta ou
indiretamente, derivados deste ato ou do uso destas energias pela sua Entidade.

Você também pode gostar