Você está na página 1de 7

http://www.marketingemsaude.

com/empreendedorismo-na-area-da-saude-2/

Empreendedorismo na Área da Saúde

01/12/2015  Celiane Gonçalves

O Empreendedorismo é um tema de relevância para o sucesso profissional, ele cresce em


importância em todas as áreas e ganha destaque na área da saúde. Segundo o SEBRAE, os
profissionais que mais obtém sucesso e se destacam no mercado de trabalho são os
empreendedores.  Na área da saúde em geral, infelizmente os profissionais ainda são pouco
empreendedores. Aqui citamos então os enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, médicos,
fonoaudiólogos, dentistas, preparadores físicos e também os nutricionistas. Na prática
observamos que os profissionais da área saúde se interessam por ser bem preparados
tecnicamente, ou seja, se empenham por conhecer bem sobre a sua área, formas de
tratamento, prevenção de doenças e procuram atender os seus clientes com alta qualidade e
maestria. Porém estes são, em sua grande maioria, despreparados para vender os seus
serviços, possuem enorme dificuldade em captar clientes, de cobrar pelos seus serviços e fazer
negócios de sua profissão.  Os profissionais da área da saúde são pouco empreendedores e
pela falta deste importante comportamento, sofrem com relativa freqüência com a falta de
reconhecimento profissional, valorização e até mesmo retorno financeiro.

Assista ao vídeo – Como Captar Mais Pacientes no Consultório

O que é empreendedorismo?

Segundo Philip Kotler (um dos maiores autores na área de administração, marketing e
estratégia), o empreendedorismo se constitui em um conjunto de comportamentos e de
hábitos que podem ser adquiridos, praticados e reforçados nos indivíduos. O legal então é que
qualquer pessoa que não tenha características empreendedoras, ou seja, que não tenha este
conjunto de comportamentos e de hábitos, podem se tornar empreendedores se forem
treinados. São empreendedores aqueles que criam algo novo, algo diferente, eles mudam ou
transformam valores. Isto significa que as características de um empresário de sucesso, de
qualquer área, podem ser aprendidas com capacitação adequada.

O mercado hoje mudou muito, já não existem empregos para toda a vida e por isso precisamos
reinventar o nosso modo de ganhar o “pão-nosso-de-cada-dia”. Por perceber a falta de
conhecimento sobre este importante assunto junto aos meus clientes da área da saúde, entre
os colegas e os meus alunos, eu sempre trabalho este tema em qualquer curso ou treinamento
que eu ministro e ao final da aula os alunos ficam literalmente impactados.

Como ficar em evidência em um mercado tão competitivo?

É preciso sempre inovar. Eu digo sempre que o mercado é seletivo e espaço existe para os
profissionais que são diferenciados, inovadores e para os melhores preparados.  Certamente
que exige muita dedicação, eficácia (fazer o que precisa ser feito), comprometimento, ousadia
e muito entusiasmo.  É necessário o tempo inteiro aproveitar as oportunidades e gerar ação,
motivo pelos quais muitos profissionais atualmente reclamam de dificuldades, dos baixos
salários, da falta de emprego, da elevada competitividade e reclamam também que o mercado
está difícil.  Percebo muitos estudantes e profissionais presos aos seus paradigmas e com
enorme dificuldade de saírem da zona de conforto.  A maioria fica a espera de uma vaga, envia
currículo por e-mail ou pelo correio, enquanto uma minoria vai à empresa de interesse e pede
para falar com o dono ou com quem decide sobre as contratações.  Como empresária eu digo
sempre que é difícil eu fazer uma contratação se eu não olho nos olhos da pessoa, para saber
se ela transmite confiança, comprometimento, se é motivada, se demonstra entusiasmo e,
acima de tudo, se possui um perfil empreendedor. Ainda são poucos os profissionais pro
ativos, conectados com as inúmeras oportunidades de crescimento que o universo digital
oferece e poucos estão desenvolvendo e utilizando estratégias de marketing digital.

Nas consultorias que realizo com os meus clientes da área da saúde, trabalho primeiramente o
desenvolvimento de um perfil mais empreendedor, para que estes comecem a desenvolver
características fundamentais capazes de elevar os seus negócios a um outro nível. Veja mais
adiante que características são estas.

O Empreendedorismo Digital na Área da Saúde

O Empreendedorismo digital cresce mais a cada dia e o profissional da área da saúde deve
aprender o quanto antes a utilizar as ferramentas da internet a seu favor e com isso conseguir
atrair mais a atenção do seu cliente potencial. Os profissionais da área da saúde que estão
utilizando a internet a seu favor, estão conseguindo captar mais pacientes, ganhar mais
autoridade, divulgar mais os seus serviços e fazer mais e melhores negócios. Como
consequência, tem-se também o aumento do retorno financeiro, o que é altamente positivo e
desejado. Saber usar adequadamente as mídias sociais como Facebook, Instagram, You Tube,
WhatsApp, Periscope, Linkedin, Google Adwords, entre outros, divulgar conteúdo de valor e
manter relacionamento com os clientes potenciais e atuais, garante que o profissional
desenvolva mais autoridade em seu nicho de mercado além de conseguir aumentar mais a sua
visibilidade e ser mais reconhecido. As chances de atrair mais pacientes ou clientes com o uso
do marketing digital (marketing online) são significativamente maiores quando comparados ao
marketing tradicional (off line). Em breve falaremos mais sobre este assunto aqui em nosso
blog.

Quais as características de um empreendedor na área da saúde?

O que é necessário desenvolver para se tornar um empreendedor?

O profissional que deseja ser diferenciado, ter mais autoridade, sair da zona de conforto e
ganhar o seu lugar ao sol, com mais reconhecimento e valorização, deve ter como principais
características:
 Ser visionário

 Possuir comprometimento

 Saber tomar decisões

 Fazer a diferença

 Saber explorar ao máximo as oportunidades

 Ser determinado, dinâmico e dedicado

 Possuir iniciativa

 Ser organizado, corajoso e persistente

 Ser otimista, motivado, entusiástico e apaixonado pelo que faz

 Ser líder e formador de equipes

 Ser bem relacionado e ter facilidade para se conectar com pessoas (networking)

 Assumir riscos calculados

 Estabelece metas

 Possuir planejamento e monitoramento sistemáticos – planejar, planejar, planejar

Se você deseja se aprofundar no tema e se tornar um empreendedor melhor sucedido, eu


recomendo que conheça o EMPRETEC, “um dos maiores programas mundiais para o
desenvolvimento do empreendedorismo mundial. É uma metodologia da Organização das
Nações Unidas – ONU voltada para o desenvolvimento de características de comportamento
empreendedor e para a identificação de novas oportunidades de negócios.” É um treinamento
profundo e incrivelmente poderoso, ministrado pelo SEBRAE.

Ser empreendedor não significa necessariamente que você deverá abrir um negócio. Ser o seu
próprio patrão possui vantagens e desvantagens. As vantagens de ser o seu próprio patrão é a
flexibilidade de você fazer o trabalho na hora que melhor lhe convier, como lhe convier e
talvez isto seja bastante difícil dentro de uma empresa.  As responsabilidades são muitas e
talvez maiores do que você possa realmente conceber. Sendo você o seu próprio chefe, é
necessário se superar ainda mais, pois você é o total responsável pelos resultados dos seus
clientes e pelos seus resultados.  Você está por sua própria conta e por isso o profissional não
deve e não pode se acomodar.  Quando você é patrão, você é patrão somente do seu negócio,
porém, é empregado dos seus clientes. Se você não atender às expectativas de seus clientes,
será despedido por “justa causa”, sendo então dispensado por eles, que vão à busca da
concorrência. Caso você não agrade e encante os seus clientes, eles não hesitarão em lhe
despedir.

As desvantagens de ser o seu próprio patrão é que a responsabilidade na geração de negócios


é a mesma de um empregado, e o pior, é você quem paga suas contas e, o seu salário,
depende de seus clientes.  Hoje como empresária, eu trabalho muito mais do que quando eu
era empregada e não tenho sábado, domingo ou feriado.  Sempre que posso, realizo algum
trabalho para garantir o meu retorno financeiro, a minha expansão e a minha permanência no
mercado. Mas estou muito mais feliz com o trabalho que realizo e tenho mais autonomia. Eu
realmente amo o que eu faço e isso faz toda a diferença, pois o meu trabalho se confunde com
lazer. Mas não é bem isso que ocorre para muitos empreendedores que abrem o seu próprio
negócio, que passam a ser escravos do trabalho e a não ter vida própria.

Para ser empreendedor, não precisa ter o seu próprio negócio

Qualquer pessoa que contribui positivamente para o crescimento de um negócio, ou seja, que
gera riqueza para uma sociedade, pode ser considerada um empreendedor. No contexto da
palavra riqueza, você decide o que é riqueza. Pode ser gerar mais emprego, gerar mais
qualidade de vida, conseguir pagar a faculdade do filho, contribuir para o aumento do PIB, tirar
os meninos das ruas, entre outros.

Um case bem interessante para contar

Para citar um exemplo de um comportamento empreendedor, certa vez uma nutricionista me


procurou para saber que dicas eu poderia lhe dar para que ela fosse bem sucedida em uma
entrevista de emprego em uma academia na cidade de Cascavel/PR. A sua preocupação estava
centrada em seus conhecimentos técnicos, no que ela deveria falar sobre a nutrição para
convencê-los de que ela era a pessoa certa para trabalhar ali. Como orientação, eu disse que
nem se preocupasse em falar muito sobre nutrição, alimentação balanceada, dieta,
reeducação alimentar, que são os assuntos que os nutricionistas mais se preocupam em falar
durante a entrevista. Eu pedi para que ela se concentrasse em mostrar que poderia ajudar a
academia crescer, que ela era capaz de ajudar na captação de novos alunos e com isso
contribuir para o crescimento da academia e também do faturamento do negócio. É
exatamente isso que o empresário quer ouvir, se você está preparado para ajudá-lo a fazer o
negócio crescer. Eu lhe informei que ser um bom nutricionista era o mínimo que ela deveria
ser para ingressar no mercado. Não seria então o seu conhecimento técnico o fator
determinante para a sua contratação e sim o quanto ela poderia convencer o dono da
academia de que ela era a pessoa certa e que estava disposta a ajudar o negócio a crescer. E
qual foi o resultado? Bingo! Ela foi contratada na mesma hora. Fui informada por telefone de
que havia dado tudo certo e que as minhas orientações foram fundamentais para que ela fosse
contratada. O feed back que os donos lhe deram após a entrevista é que ela tinha sido a única
nutricionista que se mostrou diferente e que possuía uma visão mais ampla do negócio, tinha
uma visão empreendedora. Bem legal, não é mesmo!

Exemplos de empreendedores da área da saúde

Qualquer profissional da área da saúde que abra um negócio é considerado um


empreendedor, mas não significa que este possui um comportamento empreendedor e que
será bem sucedido em sua atividade profissional. Nos mais diferentes setores, observamos
empreendedores que abrem os seus consultórios, clínicas, hospitais, empresas de home care,
empresas que oferecem produtos e serviços diversos, lojas de produtos naturais, farmácias,
farmácias de manipulação, academia de ginástica, empresas de treinamento na área da saúde,
laboratórios de diagnósticos, entre outros.

Médico e Empreendedor na Área de Educação Financeira e Investimentos

Compartilho a seguir mais uma história incrível, do meu aluno e cliente Dr. Edson Ichihara,
Oftalmologista e Especialista em Oftalmologia Pediátrica de Campinas/SP. O Dr. Edson
precisava aumentar o número de pacientes em seu consultório e decidiu então realizar o meu
curso online sobre “Captação de Clientes em Consultório“, onde eu ensino muito sobre
empreendedorismo. Ele conta que foi através do conhecimento que teve sobre
empreendedorismo, um conceito completamente novo para ele, e também sobre os conceitos
de marketing, de captação de clientes, de atendimento ao cliente e do marketing digital que
ele obteve sucesso na captação de clientes, conseguiu ter a agenda mais cheia, aumentar o
seu faturamento e também fundou, junto mais dois amigos, a Jornada do Dinheiro (um site
que ensina Educação Financeira e Investimentos). Vale à pena conferir, então assista o vídeo
depoimento do Dr. Edson Ichiara aqui.

Recomendações para quem deseja abrir seu próprio negócio

Entre abrir um negócio e ter sucesso, existe uma distância a ser considerada.  Algo que sempre
recomendo antes de abrir qualquer negócio é que o profissional se prepare, nos seguintes
aspectos:

 Intelectualmente – estude sobre o mercado, faça um plano de negócios, converse com


empresários, vá ao SEBRAE tirar dúvidas, saiba quais os riscos de se abrir um negócio.
Ser empresário implica em estudar sobre negócios, administração, clientes, mercado,
finanças, marketing digital, etc. É investir muito mais em conhecimentos na área
administrativa e comercial do que em conhecimentos técnicos.

 Financeiramente – Realize primeiro um plano de negócios ou um modelo de negócios


(tipo CANVAS), com a projeção de investimentos e resultados financeiros durante os
dois primeiros anos. Você deve ter dinheiro para investir e ficar sem ganhar nada por
pelo menos uns dois ou três anos caso o negócio demore a dar lucro.

 Judicialmente – converse com um advogado com experiência na área empresarial


antes de abrir um negócio. Pergunte sobre os riscos, a parte legal da sociedade, as
implicações que podem ocorrer se a sociedade for desfeita.  É recomendado, em caso
de sociedade, que o advogado quebre o contrato nas mais diferentes formas possíveis,
ou seja, preveja ao máximo tudo o que pode dar errado.

 Evite sociedade com quem você pouco conhece ou convive, mesmo que você acredite
que a outra pessoa seja legal porque você já trabalhou com ela ou convive com ela há
muito tempo. Lembre-se de comentários que ouvimos a cada dia: sociedade é um
casamento e nem sempre conhecemos o nosso cônjuge o suficiente. Ouvi uma frase
há alguns anos que para mim fez muito sentido: logo no início de um relacionamento o
outro já dá sinais de que este relacionamento não vai dar certo. É importante saber
fazer então esta leitura, perceber os sinais, que muitas vezes são sutis.

 Se você for investir financeiramente mais que o outro sócio, você deverá ficar com o
maior percentual de quotas da empresa no capital social (ex: acima de 51%).

 Antes de assinar o contrato social, solicite a avaliação de um advogado de confiança


para saber se os investimentos que você e o seu sócio estão fazendo estão coerentes
judicialmente.

 Provavelmente a sua sociedade não dará certa se você trabalha mais do que o seu
sócio para que o negócio dê certo, é mais proativo, se você se esforça mais para captar
e manter os clientes, se você se empenha em gerar mais negócios e se você aproveita
melhor as horas com o trabalho que precisa ser feito. Você irá se desmotivar em ver
que o outro não se dedica como você esperava, que ele não se compromete o
suficiente, mas quer aproveitar de todos os benefícios e créditos do negócio.
 Assegure-se de ter a saúde sempre em dia, pois ser dono do seu próprio negócio pode
implicar em momentos de tensão, desgaste emocional e físico.

 Planeje com cuidado e trace as metas de curto, médio e longo prazo. Um bom
planejamento é mais do que fundamental para qualquer empresa ou qualquer
profissional.

 Estude as empresas e pessoas bem sucedidas. Aprenda com quem já teve sucesso
antes de você.

Leia também o artigo Paciente, não, cliente!

Profissionais da área da saúde apresentam falta de espírito empreendedor

Frequentemente mantenho contato com empresários e empreendedores da área da saúde


como um todo, donos de clínicas, donos de hospitais, de consultórios, empresários da área de
alimentação e nutrição, donos de academias, donos de farmácias de manipulação, donos de
empresas de estética e um comentário bastante comum que ouço é que existe uma grande
dificuldade em se contratar profissionais empreendedores.  É preciso conhecer bem a parte
técnica para qual o profissional será contratado, mas geralmente o profissional da saúde
possui dificuldades em fazer negócios, tem receio em falar em dinheiro, de faturamento e
desconhece ainda a importância de que a sua contratação deve estar vinculada ao
compromisso em aumentar o retorno financeiro para a organização. Todo empresário precisa
de colaboradores que gerem mais negócios, que saibam captar mais e melhores clientes e que
contribuam para o crescimento do negócio.  Alguns empresários informam ainda que ser
empreendedor implica em maiores ganhos, pois geralmente os cargos estratégicos são
comissionados e quanto mais se vende, mais se ganha.  Eis aí uma grande oportunidade ainda
pouco aproveitada.

O que fazer para ser mais bem sucedido em sua área de atuação

Precisamos trabalhar com mais inteligência e aproveitar melhor as oportunidades. Precisamos


analisar os bem-sucedidos e os ricos, como diz OgMandino em seu livro “O maior vendedor do
mundo – 2”. “São eles abençoados com talentos únicos, inteligência rara, coragem heróica,
ambição persistente e outras qualidades destacadas que não possuo? Foram-lhes concedidas
mais horas, em cada dia, nas quais realizar suas portentosas tarefas? Têm eles corações cheios
de compaixão e almas transbordantes de amor que sejam diferentes dos meus? Não! Deus
não tem favoritos. Somos todos modelados do mesmo barro.

Cabe também citar um trecho do famoso texto de George Washington, o primeiro Presidente
dos Estados Unidos. …

” Você pode triunfar e tornar-se hábil,


Pode tornar-se ilustre, se quiser:
Você tem braços, pernas e um cérebro para usar,
E a pessoa que se alçou a grandes feitos
Começou sua vida com nada mais do que tem você.

… Você nasceu com tudo o que as grandes pessoas tinham;


Com seu equipamento todos eles começaram, por isso, lembre-se,
A maior distância a ser vencida é entre a cabeça e o coração!
Encha-se de coragem e diga: EU POSSO!”
É importante estarmos cientes de que a única diferença entre aqueles que falham e aqueles
que tiveram sucesso está na diferença de seus hábitos. Bons hábitos são a chave do sucesso.
Maus hábitos são a porta aberta para o fracasso. Precisamos então formar bons hábitos e nos
tornarmos escravo deles.”

Você deve ter percebido que empreender dá trabalho e que o Brasil não é um país para
amadores. Se deseja então empreender de maneira responsável, analise muito bem o
mercado em que pretende atuar, conheça bem a sua concorrência, suas estratégias de
marketing, aprenda a fazer o seu marketing pessoal, aprenda a vender a si mesmo, os seus
produtos e os seus serviços, amplie as suas redes de relacionamentos, esteja conectado na
internet e ativo nas mídias sociais, aprenda a planejar e administrar os seus investimentos
financeiros, quer sejam pessoais ou profissionais.  E certamente forme bons hábitos para que
você possa colher, cada vez mais, melhores resultados.

Autora: Celiane Gonçalves

Você também pode gostar