Você está na página 1de 8

Licenciatura em Tecnologias de

Energia

Eletrotecnia II

Trabalho Laboratorial nº1 – Corrente Alternada

Trabalho realizado por:


Grupo 02
Joana Pinto nº 190241028
Filipe Francisco nº 190241035

Ano Letivo 2019/2020


Índice

Objetivos………………………………………………………………………………………………….3
Material……………………………………………………………………….…………………………..3
Introdução……………………………………………………………………………..…………………3
Massas do Osciloscópio……………..…………………………………………………..3
Utilização do Gerador de Sinais………………………………………………………4
Ensaios………………………………………………………………………………………….………….5
Medida de Tensão no canal CH1 – sinusoide sem componente
contínua………………………………………………………………….……………………………….5
Medida de Tensão no canal CH1 – sinusoide com componente
contínua………………………………………………………………………..…………………………6
Medida de Tensão no canal CH1 – onda quadrada…………………………7
Questões Finais………………………………………………………………………………………..8

2
Objetivos

Após completar estas atividades deveremos ser capazes de:


• Observar e interpretar formas de onda com um osciloscópio;
• Familiarizar-nos com os comandos de um osciloscópio;
• Efetuar medidas através da visualização das formas de onda;
• Perceber as diferenças das leituras em corrente alternada (CA ou AC)
e corrente continua (CC ou DC) de um osciloscópio e de um
multímetro.

Material

1 Osciloscópio
1 Gerador de sinais
1 Multímetro
3 Pontas de prova

Introdução

➢ Massas do Osciloscópio

Ligue 2 pontas de prova aos canais CH1 e CH2 do osciloscópio. Utilize o


multímetro para verificar a continuidade entre os crocodilos pretos
(massas) das 2 pontas de prova.

3
Que conclusão pode tirar? O que acontecerá se ligar as 2 massas a
potenciais diferentes de um determinado circuito?

R.: Podemos concluir que existe uma diferença de potencial.

Verifique agora a continuidade entra a massa do CH1 (crocodilo preto) e o


terminal de proteção (ligação à terra) da tomada que alimenta o
osciloscópio. Que conclusão pode tirar?

R.: Concluimos que, não só estão ligadas uma à outra, como estão ainda
ligadas à terra do circuito, existindo assim continuidade.

➢ Utilização do Gerador de Sinais

À semelhança do já realizado para o osciloscópio, ligue uma ponta de prova


na saída do gerador de sinais e verifique a continuidade entre a massa do
gerador de sinais (crocodilo preto) e o terminal de proteção (ligação à terra)
da tomada que alimenta o aparelho. Que conclusão pode tirar?

R.: Podemos constatar que em ambos os casos existe continuidade.

4
Ensaios

➢ Medida de Tensão no canal CH1 – sinusoide sem


componente contínua

Foram feitos os seguintes ajustes:


Gerador de funções: sinusoide, f=1kHz, amplitude ≅ 50%, offset nulo.
Osciloscópio: CH1 em CA, atenuação da ponta de prova igual a 1 (as pontas
de provas utilizadas têm ganho unitário), ganhos vertical e horizontal
ajustados para uma correta visualização da forma de onda.

Fig. 1 - Forma de onda de uma sinusoide sem componente contínua

Conforme se pode observar na fig.1, a amplitude do sinal é de 4,7V,


o seu valor médio é de 0V e o seu valor pico a pico é de 10,6V. Concluiu-se
também que não houve alterações quando selecionado o CH1 do
osciloscópio para CC.
Com base nas leituras do multímetro concluiu-se que, em AC, é
possível medir uma tensão de 3,57V, sendo esta tensão aproximadamente
4,7
igual ao valor eficaz (𝑉𝑒𝑓 = = 3,32𝑉), enquanto que em DC é medido
√2
0,29V, ou seja, aproximadamente 0V.

5
➢ Medida de Tensão no canal CH1 – sinusoide com
componente contínua

Relativamente ao ensaio anterior, selecionou-se o CH1 do osciloscópio para


CC e ajustou-se o offset do gerador de sinais de modo a que a sinusoide
observada no osciloscópio permanecesse sempre positiva.

Fig. 2 - Forma de onda de uma sinusoide com componente contínua

Na figura 2 observa-se um valor de pico a pico de 10,6V.


No momento, em que se alterou o CH1 do osciloscópio para CA, a
forma de onda não se alterou, no entanto, a onda voltou ao seu estado
inicial, ou seja, com componente negativa.
Após ligar o multímetro de modo a medir o sinal de saída, registou-
se um valor de 3,56V em AC e um valor de 5,37V em DC. Conclui-se assim
que o multímetro em AC mede a componente alternada da corrente,
enquanto que em DC é medida a componente continua da corrente, o que
justifica a tensão de 5,37V medida quando é ligado o offset.

6
➢ Medida de Tensão no canal CH1 – onda quadrada

Selecionou-se depois o gerador de funções para uma onda quadrada e


desligou-se o offset.

Fig. 3 - Forma de onda quadrada

Mediu-se uma tensão de 0V em AC e uma tensão de 5,65V em DC.

7
Questões Finais

• O que mede um multímetro em AC?


R.: Em AC o multímetro mede a tensão eficaz.

• E em DC?
R.: Em DC o multímetro mede a tensão média.

• O que é visualizado quando a entrada do osciloscópio fica


selecionada em DC?
R.: Visualiza-se que a onda é afetada pelo offset caso este esteja ligado.

• E quando a entrada está em AC?


R.: Visualiza-se que a onda não é afetada pelo offset

• Como consegue relacionar as leituras do multímetro com as ondas


visualizadas no osciloscópio?
R.: Relacionam-se através do valor de tensão média e do valor de tensão
eficaz.

Você também pode gostar