Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE POSITIVO

GRADUAÇÃO DE
FARMÁCIA

PRÓ-FÁRMACOS

CURITIBA

2021
UNIVERSIDADE POSITIVO
GRADUAÇÃO DE FARMÁCIA

GABRIEL ROCHA DOS SANTOS


GABRIELLE DE FÁTIMA KULKA
JOSÉ ROBERTO DA COSTA JUNIOR
WALESCA KREMER

PRÓ-FÁRMACOS

Trabalho de química orgânica Curso de


Farmácia, Universidade Positivo, Campus
Ecoville, como requisito para obtenção de
conhecimento sobre latenciação e pró-farmacos
da disciplina de química ôrganica e sintese dos
farmácos.
Professor: Marco André Cardoso.

CURITIBA
2021
Os diversos métodos de preparação de pró-fármacos
A primeira vez que o termo pró fármaco foi utilizado foi em 1958, por Adrien
Albert, e em 1959, Harper propôs o termo latenciação de fármacos para o processo
de obtenção de pró fármacos. Porem os pesquisadores começaram a traçar com
mais precisão os caminhos e destino percorridos pelos fármacos no organismo e
compreender melhor a absorção, o metabolismo e a distribuição e excreção
somente a partir de 1970, e desde então o processo de latenciação se tornou o rumo
mais definido no planejamento de fármacos, sendo hoje um dos métodos entre os
processos de modificação molecular fundamental no tratamento de diversas
doenças.
O pró fármaco é um composto farmacologicamente inativo que através de
biotransformações metabólicas é convertido em um fármaco ativo, a latenciação é a
transformação do fármaco em uma forma de transporte inativa, através de enzimas
ou reações químicas, liberta a molécula ativa do fármaco próximo ao local de ação.
A obtenção de pró-fármacos de ácidos carboxílicos e álcoois normalmente é
feita através da formação de ésteres, ou formação de amidas e éteres, a obtenção
de pró fármacos de aminas é feita através da formação de amidas, carbamatos,
bases de mannich e bases de schiff, já a obtenção de pró fármacos de aldeídos e
cetonas pode ser feita através de formação de bases de schiff, oximas, acetais,
oxazolidinas e tiazolidinas. Os pró fármacos são classificados em, pró fármacos
clássicos, bioprecursores, pró fármacos mistos e fármacos dirigidos. Pró Fármacos
clássicos contém na sua estrutura o fármaco ativo ligado a uma porção molecular
designada de carregador, que será removida in vivo. Bioprecursores é o composto
que sofre modificações molecular por via metabólica, formando assim um novo
composto que é o fármaco ativo. Pró fármacos mistos possuem, ao mesmo tempo,
características de pró-fármacos clássicos e de bioprecursores. Os pró fármacos
dirigidos tem transportadores latente que são capazes de transportar os fármacos
seletivamente do local de administração até o sítio de ação.
Os pró fármacos tem diversas aplicações práticas, como aumentar a
lipofilicidade, aumentar a duração dos efeitos farmacológicos, aumentar
especificidade de um fármaco, diminuir a toxicidade e o aperfeiçoamento da
formulação farmacêutica, podendo resolver problemas de formulação, solubilidade,
baixa aceitabilidade do organismo, toxicidade, liberação controlada, instabilidade,
sitio de especificidade, absorção e distribuição.
Hoje em dia, temos diversos pró fármacos no mercado farmacêutico, para
diversas aplicações, alguns dos exemplos é o paracetamol pois precisa ser
previamente convertido a um endocanabinoide e realizar sua função anti-
inflamatória, é um analgésico e antipirético indicado para o alivio da dor de
intensidade leve e moderado e febre. A codeína que é um derivado da morfina
isolado no século XIX, é um pró fármaco que se transforma em morgina no
organismo para assim promover seus efeitos, a codeína é um analgésico oral
bastante usado para o tratamento de dor aguda e crônica e em quadros pós-
operatórios e também um antitussígeno. A levodopa, é um pró fármaco da
dopamina, capaz de atravessar a barreira hematencefalica e ser no cérebro
enzimaticamente convertido em dopamina, é indicada principalmente para o
tratamento da doença de Parkinson. O Ibuprofeno é um pró fármaco do grupo dos
anti-inflamatórios não esteróides, utilizado para o tratamento da dor, febre e
inflamação. A sulfassalazina é um pró fármaco definitivamente antigo no mercado
farmacêutico, é usado para o tratamento da retocolite ulcerativa inespecífica,
tratamento da colite ulcerativa de gravidade moderada.
O processo de latenciação é de grande interesse como método de
desenvolvimento de novos fármacos, e cada vez mais utilizado na atualidade. Suas
vantagens são: economia de tempo, economia de recursos, reintrodução de
fármacos antes descartados por suas propriedades indesejáveis. Além disso, esta
técnica permite o aprimoramento de novos fármacos, antes mesmo que sejam
lançados, entretanto, a latenciação permite o desenvolvimento de fármacos mais
específicos e com melhores resultados. Os pró fármacos são responsáveis pelo
tratamento de diversas doenças, sendo de grande importância para a saúde e para
a humanidade.
Referências

https://www.scielo.br/j/qn/a/cyz8z5knpSjhP4J7qNfsJhF/?lang=pt

https://www.farmaceuticovirtual.com.br/dr-guilherme-rapozeiro-franca/123-
paracetamol-novas-descobertas-apontam-para-acao-sobre-sistema-
endocanabinoide%203

https://saude.abril.com.br/medicina/ibuprofeno/

https://www.bing.com/search?q=pr%C3%B3f
%C3%A1rmacos+utilizados+nos+tempos+atuais&qs=n&form=QBRE&sp=-1&pq=pr
%C3%B3-f%C3%A1rmacos+utilizados+nos+tempos+au&sc=0-
37&sk=&cvid=18B7091EE2D943A485FC4CC0800CB6D3
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/farmacia/latenciacao-de-
farmacos/38858

Você também pode gostar