Você está na página 1de 5

- Derrames pleurais

Exame físico do aparelho - Hipertrofia do ventrículo


respiratório
3) Depressão
- Atelectasias
Inspeção - Lesões fibróticas de pulmão

Dinâmica
Divide-se em estática e dinâmica.
1) Tipo respiratório
Estática
- Feminino: Costal superior - músculo
escaleno esternocleidomastóideo.
1) Forma do tórax
Tórax chato/plano: Reduzido diâmetro
- Masculino: Tóraco Abdominal-
antero posterior; Não tem significado
musculatura diafragmática
patológico associado.

Tórax cariniforme: Pectus carinatum; 2) Ritmo respiratório


Famoso peito de pombo; Está associado Avaliar: Ortopneia, trepopneia, platipneia
ao raquitismo infantil ou algumas e dispneia.
alterações do ventrículo direito.
→ Kussmaul: Respiração de “peixe fora
Tórax em tonel ou em barril: diâmetro d'água”; Observado em cetoacidose
ântero posterior praticamente se iguala diabética e Insuficiência Renal.
ao transversal; Comum em pacientes com
enfisema pulmonar.

Tórax infundibuliforme: Pectus excavatum;


Famoso peito de sapateiro; Associado ao
Raquitismo congênito ou adquirido.
→ Respiração suspirosa: Surge uma
Tórax em sino ou piriforme: Surge nas
inspiração mais profunda seguida de uma
grandes hepatoesplenomegalias e na
expiração mais demorada.
ascite volumosa.

Tórax cifótico: Encurvamento posterior da


coluna; Associado a tuberculose,
osteomielite e neoplasias.

* Tórax instável traumático: Quando são


fraturadas várias costelas; Ocorre quando
→ Cheyne-Stokes: Insuficiência cardíaca
3 costelas adjacentes estão fraturadas no
grave, acidentes vasculares cerebrais,
mínimo em 2 pontos. - Questão clássica de
prova.
traumatismos cranioencefálicos (TCE) e
nas intoxicações por morfina e
barbitúricos.

→ Respiração de biot: Caracteriza-se


2) Abaulamentos fundamentalmente pela ocorrência de
- Aneurisma da aorta períodos de apneia que interrompem a
- Tumor de timo sequência das incursões respiratórias;

FITS - Monitores: Anna Letícia Siqueira, Elisa Carla, Fabiano dos Santos, Felipe Santos, Larissa Almeida, Maria Eduarda Guimarães.
Meningite, neoplasias cerebrais e
hematoma subdural.

expansibilidade dos ápices

3) Frequência respiratória
- Taquipneia
- Bradipneia
- Apneia
- Eupneia

expansibilidade das bases

A diminuição da expansibilidade pode ser:


- Unilateral: localização apical traduz
processo infeccioso ou cicatricial do
ápice pulmonar; basal ocorre no derrame
4) Amplitude dos movimentos pleural, nas hepatomegalias e nas
respiratórios esplenomegalias; difusa no pneumotórax,
no hidrotórax, na atelectasia, na
5) Tiragem pleurodinia e no traumatismo torácico.
- Quando há obstáculo em uma via - Bilateral: localizado nos ápices indica
respiratória, dificultando ou processo infeccioso ou cicatricial; basal,
impedindo a penetração do ar, a gravidez, ascite, obesidade grave e
parte correspondente do pulmão derrame pleural bilateral; difusa, enfisema
não se expande. pulmonar, esclerodermia e senilidade.
- Tiragem em um hemitórax indica
oclusão de um brônquio principal. Frêmito toracovocal: As vibrações
percebidas na parede torácica pela mão
do examinador quando o paciente emite
Palpação algum som denominam-se frêmito
toracovocal.
Investigam-se três parâmetros: estrutura
da parede torácica, expansibilidade ou
mobilidade e frêmito toracovocal.

Estrutura da parede torácica: A parede


torácica inclui a pele, o tecido celular
subcutâneo, os músculos, as cartilagens e
os ossos.

Expansibilidade ou mobilidade:
Percussão
Avaliam-se separadamente a
expansibilidade dos ápices e a das bases. A percussão é constituída em se produzir
vibrações na parede torácica que se
transmitem aos órgãos e tecidos
subjacentes. Essas vibrações irão produzir

FITS - Monitores: Anna Letícia Siqueira, Elisa Carla, Fabiano dos Santos, Felipe Santos, Larissa Almeida, Maria Eduarda Guimarães.
um som. O som irá variar dependendo da se movimentam, produzindo sons
relação existente entre quantidade de audíveis, sem estetoscópio, e vibrações
ar/tecido. que podem ser palpadas, dependendo da
proporção ar-tecido. Dessa forma, é
Som claro pulmonar: som de baixa possível determinar se os tecidos
tonalidade, com maior duração. subjacentes contêm ar, líquido ou sólidos
localizados até 5 a 7 cm da superfície.
Hipersonoridade ou hiper-ressonância:
indica aumento do ar nos alvéolos
pulmonares. Ao proceder a percussão
ouve-se uma nota de intensidade muito
alta; tom mais alto; longa duração.
Exemplos: DPOC; asma;

Timpanismo: intensidade alta; tom agudo;


longa duração. Indica aprisionamento de
ar no espaço pleural ou em uma grande
cavidade intrapulmonar.
Exemplos: pneumotórax extenso e caverna
tuberculosa, respectivamente.
Ausculta
Submacicez e macicez: Ao contrário, se a
relação ar/tecido estiver reduzida, o som
será de alta frequência e tonalidade, - Paciente preferencialmente sentado;
curto e sem ressonância - Sempre comparar regiões homólogas e
Intensidade média; tom médio; média sempre examinar os dois lados;
duração. Caracterizadas por um
abafamento ou diminuição do som,
indicam a inexistência ou a redução de ar
nos alvéolos pulmonares.

É COMO SE ESTIVESSE PERCUTINDO


SOBRE O FÍGADO, OU SEJA, UM
ÓRGÃO SÓLIDO

Exemplos: hemotórax, empiema, neoplasia,


tuberculose;

A percussão é realizada com o paciente


sentado e deitado, sempre que possível,
em todas as regiões torácicas. Sons pleuropulmonares
1) Percurta a região anterior, seguindo a
linha hemiclavicular, de cima para baixo. ● Normais:
Para percutir as regiões laterais, solicite Som traqueal:
para que o paciente coloque as mãos na - Projeção da traqueia, no pescoço e
cabeça, e siga a linha axilar média. na região esternal;
- Passagem do ar pela fenda glótica
2) A percussão da região posterior do e pela traqueia;
tórax é realizada na linha paravertebral. - Componentes inspiratórios (ruído
Compare cada região com a soproso) e expiratório (forte e
diametralmente oposta, alternando a prolongado).
percussão entre os lados esquerdo e
direito. Execute a manobra em um Respiração brônquica:
ambiente silencioso. Ao percutir o tórax, a - Semelhante ao som traqueal;
parede torácica e os tecidos subjacentes

FITS - Monitores: Anna Letícia Siqueira, Elisa Carla, Fabiano dos Santos, Felipe Santos, Larissa Almeida, Maria Eduarda Guimarães.
- Componente expiratório de menor
intensidade; Sibilos
Respiração broncovesicular: - Pode indicar obstrução por
- Características da respiração neoplasia ou corpo estranho;
brônquica com o MV; - Presentes em enfermidades que
acometem toda a árvore brônquica
Murmúrio vesicular: como a asma e bronquite.
- Turbulência do ar circulante;
- Todo o tórax, exceto regiões Estridor
esternal superior, interescapular - Inspiração;
direita e nível das T3 e T4; - Obstrução da laringe ou da
→ Diminuição do MV= DPOC, presença de traqueia;
ar (pneumotórax), líquido (derrame pleural) - Difteria, laringite aguda, câncer de
ou sólido; laringe e estenose de traqueia.
→ Ausência do MV= derrame pleural,
pneumotórax e atelectasia; ● Atrito pleural
→ Aumento do MV= paciente respira - Pleurite;
amplamente e com a boca aberta, após - Ruído irregular, descontínuo, mais
esforço, em crianças e pessoas intenso na inspiração;
emagrecidas; - Similar ao ranger de couro
atritado;
Ausculta da voz - Mais comumente auscultado nas
- “Trinta e três”; regiões axilares inferiores;
- Ressonância vocal.
● Alterações na ausculta da voz
● Ruídos aduentícios descontínuos - Broncofonia: ausculta mais intensa
com identificação de algumas
Estertores finos: (crepitante) sílabas; consolidação pulmonar;
- Final da inspiração; - Pectorilóquia fônica: ausculta com
- Frequência alta/aguda; mais nitidez com distinção das
- Som similar ao abrir de um velcro; sílabas;
- Principalmente nas bases - Pectorilóquia afônica: ausculta
pulmonares; cochichada/sussurrada;
- Pneumonia (consolidação). - Egofonia: tipo especial de
broncofonia mais anasalada e
Estertores grossos: metálica.
(subcrepitante/bolhoso)
- Frequência menor e duração
DICA: “Treine o ouvido”!!!
maior;
Escute uma vez, escute mais uma vez,
- Em todo o tórax;
- Audível durante inspiração e escute de novo e repita...
expiração;
- “Soprar um canudo em um copo material de auxílio:
d’água”; 1. https://www.youtube.com/watch?v=e8Tj
- Edema agudo de pulmão, dcUQVRo
bronquites e bronquiectasias; 2. https://www.youtube.com/watch?v=OA
9jzo_fDV4
● Ruídos aduentícios contínuos
Algumas síndromes
Roncos
- Sons graves e de baixa frequência;
Edema agudo de pulmão
- Em toda respiração mas
Inspeção → dispnéia, tiragem intercostal e
predomina na expiração;
supraclavicular;
- Asma brônquica, bronquites,
Percussão → Som claro pulmonar;
bronquiectasias e obstruções
localizadas.

FITS - Monitores: Anna Letícia Siqueira, Elisa Carla, Fabiano dos Santos, Felipe Santos, Larissa Almeida, Maria Eduarda Guimarães.
Ausculta → Estertores crepitantes ao fim Percussão → Sonoridade normal ou
da inspiração. submacicez (crônica);
Ausculta → Atrito pleural; MV diminuído.
Derrame pleural
Inspeção → traqueia pode estar desviada Febre, hemoptise, dispneia e suores
para o lado oposto; noturnos.
Palpação → expansibilidade diminuída,
A vida inteira que podia ter sido e que
FTV diminuído ou ausente;
não foi.
Percussão → maciço ou submaciço;
Tosse, tosse, tosse.
Ausculta → MV diminuído.
Mandou chamar o médico:
— Diga trinta e três.
Pneumotórax
— Trinta e três… trinta e três… trinta e
Inspeção → dispnéia, cianose, tiragem
três…
intercostal, desvio da traqueia para o lado
— Respire.
contrário da lesão;
……………………………………………………………………….
Palpação → diminuição ou ausência da
— O senhor tem uma escavação no pulmão
expansibilidade, FTV diminuído ou
esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
ausente;
— Então, doutor, não é possível tentar o
Percussão → hipertimpanismo;
pneumotórax?
Ausculta → MV diminuído.
— Não.

Atelectasia
A única coisa a fazer é tocar um tango
Inspeção → traqueia pode estar desviada
argentino.
para o lado comprometido;
Palpação → expansibilidade diminuída, Pneumotórax - Manuel Bandeira
FTV geralmente ausente;
Percussão → macicez;
Ausculta → MV ausente.
Bons estudos!!!

Asma
Inspeção → taquipnéia, expiração
prolongada, tiragem intercostal;
Palpação → expansibilidade diminuída,
FTV diminuído;
Percussão → hipertimpanismo;
Ausculta → MV diminuído, prolongamento
expiração, presença de sibilo.

Bronquite
Inspeção → Normal;
Palpação → Normal;
Percussão → Normal;
Ausculta → Estertores grossos (aguda)
Estertores grossos, roncos e sibilos
(crônica).

Bronquiectasia
Palpação → Expansibilidade diminuída;
Percussão → Normal;
Ausculta → Estertores grossos, roncos e
sibilos.

Pleurite
Palpação → Expansibilidade diminuída;
FTV diminuído;

FITS - Monitores: Anna Letícia Siqueira, Elisa Carla, Fabiano dos Santos, Felipe Santos, Larissa Almeida, Maria Eduarda Guimarães.

Você também pode gostar