Você está na página 1de 8

Veja discussões, estatísticas e perfis de autor para esta publicação em: https://www.researchgate.

net/publication/338876479

Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e áreas de aplicação

Artigo no Materiais hoje: Anais · Janeiro de 2020

DOI: 10.1016 / j.matpr.2020.01.011

CITAÇÕES LEITURA

14 162

6 autores , Incluindo:

Karthi .N Sathish S

Instituto KPR de Engenharia e Tecnologia Instituto KPR de Engenharia e Tecnologia

13 PUBLICAÇÕES 44 CITAÇÕES 22 PUBLICAÇÕES 100 CITAÇÕES

VER PERFIL VER PERFIL

Gokulkumar Sivanantham Prabhu Loganathan

Instituto KPR de Engenharia e Tecnologia INSTITUTO DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA KPR

17 PUBLICAÇÕES 57 CITAÇÕES 20 PUBLICAÇÕES 84 CITAÇÕES

VER PERFIL VER PERFIL

Alguns dos autores desta publicação também estão trabalhando nesses projetos relacionados:

Compósitos Reforçados com Fibras Naturais Ver projeto

Todo o conteúdo que segue esta página foi carregado por Sathish S em 31 de janeiro de 2020.

O usuário solicitou aprimoramento do arquivo baixado.


Materiais hoje: Procedimentos xxx (xxxx) xxx

Listas de conteúdos disponíveis em ScienceDirect

Materiais Hoje: Procedimentos

página inicial do jornal: www.el sevier .com / locate / matpr

Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e
áreas de aplicação

N. Karthi uma , ⇑ , K. Kumaresan b , S. Sathish uma , S. Gokulkumar uma , L. Prabhu uma , N. Vigneshkumar c
uma Departamento de Engenharia Mecânica, Instituto de Engenharia e Tecnologia KPR, Coimbatore 641407, Índia
b Park College of Engineering and Technology, Coimbatore 641659, Índia
c Departamento de Engenharia Agrícola, Instituto Sri Shakthi de Engenharia e Tecnologia, Coimbatore 641608, Índia

informações do artigo resumo

Historia do artigo: A aplicação de compósitos de polímero reforçado com fibra natural (NFPC) em diligências de transporte tornou-se inexorável devido ao peso
Recebido em 9 de agosto de 2019
leve, propriedades superiores, menor custo de produção e adequação a muitos produtos. Mas as principais desvantagens do emprego dessas
Recebido na forma revisada em 27 de dezembro de 2019 Aceito em 1º
fibras são sua baixa estabilidade dimensional e alta natureza hidrofílica. A ligação interfacial entre a fibra e a matriz desempenha um papel vital
de janeiro de 2020
na decisão das características mecânicas dos compósitos. Diversas curas químicas são aplicadas para aumentar a adesão fibra-matriz, o que
Disponível online xxxx
resulta em melhores características mecânicas dos compósitos. As atuais indústrias aeroespacial e automotiva estão procurando mudar os
materiais convencionais que são materiais de alta densidade para materiais compostos para reduzir o peso geral do veículo para aumentar seu
Palavras-chave:
desempenho.
Fibra natural
Tratamento químico
Compostos híbridos
Propriedades mecânicas
Formulários 2020 Elsevier Ltd. Todos os direitos reservados.

Seleção e revisão por pares sob responsabilidade do comitê científico da Conferência Internacional de Materiais e Métodos de Fabricação.

1. Introdução as propriedades dos polímeros são essencialmente insuficientes para muitos propósitos estruturais e
de construção. Em particular, sua rigidez e resistência são muito mais baixas em comparação com
Metais ferrosos e não ferrosos foram usados em tempos anteriores para produzir de tudo, metais e cerâmicas. Os polímeros são reforçados com fibras naturais / sintéticas com base em suas
desde pregos a aeronaves. Os polímeros foram então inventados e os materiais convencionais, propriedades de resistência para superar essas desvantagens.
como metais, por exemplo, interruptores, fechos e componentes estruturais foram substituídos. Os
plásticos são muito fáceis de fabricar componentes complicados e pesam menos do que as A fase em volume contínuo e presente em um volume maior é chamada de matriz. Eles
contrapartes de metal e são ainda mais robustos. Devido à necessidade de materiais leves e fornecem compósitos com ductilidade e tenacidade. Matrix desempenha um papel importante em
robustos, foram desenvolvidos materiais compostos. Um material composto pode ser definido como algumas das propriedades mecânicas do composto, como propriedades de cisalhamento,
uma combinação macroscópica de duas ou mais matrizes e materiais de reforço com propriedades compressão e módulos transversais. As propriedades físicas e químicas da matriz, como
aprimoradas do que os materiais individuais usados isoladamente. Os materiais compostos são temperatura de cura, tempo, viscosidade e comportamento de ligação da fibra, influenciam a escolha
normalmente produzidos pelos três materiais mais importantes, como polímeros, metais e cerâmicas. do método de fabricação.
O objetivo de usar compósitos em diferentes campos é aumentar a resistência, reduza o peso e
atenda às propriedades específicas das aplicações. O material da matriz pode ser polímero, metal ou
cerâmica. A matriz nos compósitos serve ao seguinte propósito,

Para unir as fibras e transferir as cargas aplicadas entre elas

Para manter as fibras na orientação e localização desejadas


Os polímeros são principalmente hidrogênio, carbono e outros elementos orgânicos baseados Para proteger o reforço de um dano ambiental adverso, como temperatura, umidade, produtos
em elementos não metálicos. O físico e mecânico químicos e degradação mecânica geralmente por abrasão

⇑ Autor correspondente. Carregar cisalhamento interlaminar

Endereço de email: karthimli@gmail.com (N. Karthi). Melhora as propriedades transversais do composto

https://doi.org/10.1016/j.matpr.2020.01.011
2214-7853 / 2020 Elsevier Ltd. Todos os direitos reservados.
Seleção e revisão por pares sob responsabilidade do comitê científico da Conferência Internacional de Materiais e Métodos de Fabricação.

Por favor, cite este artigo como: N. Karthi, K. Kumaresan, S. Sathish et al., Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e áreas de aplicação, Materials Today:
Proceedings, https://doi.org/10.1016/j.matpr.2020.01.011
2 N. Karthi et al. / Materiais hoje: Procedimentos xxx (xxxx) xxx

Melhora a resistência ao impacto e à fratura do compósito tabela 1 mostra a comparação entre fibras naturais e de vidro
[1] .
As necessidades ou propriedades desejadas da matriz que são importantes para um composto As fibras naturais são classificadas em diferentes tipos com base em suas origens, como
são as seguintes, algodão, polpa, casca, madeira, cascas de nozes, espigas de milho, bambu, bagaço e vegetais.
Essas fibras naturais são compostas principalmente por celulose, hemiceluloses, pectinas, lignina e
Baixo encolhimento pequenas quantidades de extrativos. Figura 1 mostra as organizações estruturais dos três principais
Estabilidade dimensional constituintes da parede celular da fibra. Figura 2 mostra a classificação de fibras naturais.
Melhor resistência química
Baixo coeficiente de expansão térmica Reduzida
absorção de umidade As fibras naturais fornecem muitas vantagens sobre as fibras sintéticas: fácil disponibilidade e
Força em temperatura elevada baixo custo, reciclabilidade, renovabilidade, biodegradabilidade, baixa densidade, relação de aspecto
Deve ser elástico para transferir carga para a fibra desejável e resistência moderada. mesa 2 mostra as propriedades físicas e mecânicas de várias
Excelentes características de fl uxo para que penetre nos feixes de fibra completamente e fibras naturais. Os compostos de fibra natural podem ser um material econômico, especialmente
elimine vazios durante o processo de compactação painéis de carroceria de automóveis, interiores, dispositivos de armazenamento, painéis de edifícios
e industriais, painéis de partição e tetos falsos. As asas de aeronaves e pás de turbinas eólicas estão
Deve ser facilmente processável na forma final do composto constantemente ultrapassando os limites de tamanho e exigindo materiais, designs e técnicas de
fabricação avançados. Nos próximos dias, os compósitos utilizarão fibras e resinas processadas,
Entre os vários materiais que podem ser desenvolvidos, o plástico tem grande participação materiais com enchimento incorporado. As atividades de pesquisa serão refinadas para usar
como substituto da madeira. Os plásticos são quase usados em todos os campos, desde materiais e etapas aprimoradas para transformá-los em produtos.
eletrodomésticos até complicados componentes de engenharia. Mas os plásticos são não renováveis
e não biodegradáveis. Devido ao aumento diário dos preços e à crise dos materiais à base de
petróleo, surge a necessidade de utilizar alternativas adequadas para uma preocupação
ambientalmente correta.

2. Visão geral do composto de polímero híbrido reforçado com fibra natural


O aprimoramento nas propriedades mecânicas e térmicas de compósitos poliméricos fabricados
depende dos seguintes fatores são

Compósitos híbridos são a combinação de dois ou mais elementos reforçados em uma única
Tipo de fibra
matriz ou uma mistura de diferentes matrizes fundidas em um único elemento de reforço. As
Tipo de matriz
propriedades físicas e mecânicas dos compósitos híbridos dependem da relação de aspecto da fibra,
Tipo de preenchimento (se usado)
propriedades da fibra individual, orientação da fibra, comprimento da fibra individual, adesão entre
Porcentagem de fibras nos compósitos Proporção e
fibra e matriz e sequência de empilhamento de ambas as fibras [2] . As propriedades dos compósitos
orientação da fibra
híbridos de dois elementos podem ser estimadas através da regra das misturas. [3] conforme
Forma da fibra (que pode ser prismas cilíndricos, esféricos ou retangulares de seção transversal
mostrado nas Eqs. (1) e (2) .
ou plaquetas)
Método / técnicas de fabricação

Questões como biodegradabilidade e reciclabilidade têm papel vital na introdução de materiais e PH¼ P1 V1º P2 V2 ð1º
produtos. As fibras naturais têm uma série de vantagens técnico-econômicas e ecológicas sobre as
fibras sintéticas. tabela 1 mostra a comparação entre fibras naturais e de vidro. V1º V2¼ 1 ð2º

Onde, P H é a propriedade a ser analisada, P 1 a propriedade correspondente do primeiro


elemento e P 2 a propriedade correspondente de
Fibras sintéticas como as de carbono e de vidro são amplamente utilizadas como materiais de
o segundo elemento. V 1 e V 2 são a fração de volume do primeiro e do segundo elemento,
reforço, mas sua não biodegradabilidade e não reciclabilidade torna-se uma desvantagem
respectivamente. A maior parte da investigação sobre natural
significativa no final de sua vida útil. Durante o processamento, eles também são perigosos para a
o composto híbrido reforçado com fibras envolve estudos de propriedades de resistência em função do
saúde. Nos últimos dias, o interesse de pesquisa e desenvolvimento tem mudado de materiais
carregamento da fibra, comprimento da fibra, dispersão de fibra
monolíticos para compósitos reforçados com fibra natural. A neutralidade do dióxido de carbono das
fibras vegetais é fascinante. A combustão de elementos derivados de produtos à base de petróleo
libera enormes quantidades de dióxido de carbono no meio ambiente, que se acredita ser a causa
raiz do efeito estufa e, por extensão, da mudança climática global.

tabela 1
Comparação entre fibras naturais e de vidro [1]

S. Não Fibra natural Fibra de vidro

1 Densidade Baixo

2 Custo Baixo

3 Renovabilidade sim
4 Reciclabilidade sim
5 Consumo de energia Baixo

6 Distribuição Ampla
7 CO2 neutro sim
8 Abrasão em máquinas Não

9 Risco de vida Não


Figura 1. Organizações estruturais dos três principais constituintes da parede celular da fibra.
10 Biodegradabilidade sim

Por favor, cite este artigo como: N. Karthi, K. Kumaresan, S. Sathish et al., Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e áreas de aplicação, Materials Today:
Proceedings, https://doi.org/10.1016/j.matpr.2020.01.011
N. Karthi et al. / Materiais hoje: Procedimentos xxx (xxxx) xxx 3

Figura 2. Classificação de fibras naturais.

seção, orientação da fibra, sequência de empilhamento de arranjos de fibra, efeito de vários as propriedades mecânicas do compósito foram encontradas para a direção longitudinal ao invés da
tratamentos químicos das fibras, uso de agentes de acoplamento, seleção de matriz e interação fibra direção transversal. A resistência interfacial entre a fibra natural e a matriz de borracha aumentou no
/ matriz. tratamento alcalino das fibras. Portanto, as fibras tratadas com álcali exibiram resistência máxima à
As propriedades mecânicas de compósitos híbridos de borracha natural reforçados com fibra de tração do que os compósitos de fibra não tratada.
sisal / óleo de palma em função da carga de fibra, proporção e tratamento químico foram
investigadas [4] . O máximo

Por favor, cite este artigo como: N. Karthi, K. Kumaresan, S. Sathish et al., Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e áreas de aplicação, Materials Today:
Proceedings, https://doi.org/10.1016/j.matpr.2020.01.011
4 N. Karthi et al. / Materiais hoje: Procedimentos xxx (xxxx) xxx

mesa 2
Propriedades Físicas e Mecânicas das Fibras Naturais.

Tipo de fibra Densidade (g / cm2) Resistência à tração (MPa) Força específica (MPa) Módulo de Young (GPa) Módulo específico (GPa) Alongamento (%) Gravidade específica

Bast Fibras envolvem o núcleo central da planta


Linho 1,4 340-1600 535-1000 25-81 16,7-54 1,1-3,3 1,5
Cânhamo 1,48 550-900 372-608 70 - 0,8–3 1,5
Remie 1,5 200-1000 147-625 41-130 27-81 1,5–4 1,6
Kenaf 1,2 223–1191 641 11-60 10-42,9 1,6-4,3 1,3
Juta 1,46 385-850 269-548 9-31 6,9-20,7 1,4-2,1 1,3-1,5
Folha Fibras extraídas da folha da planta
Sisal 1,33 400-700 366-441 8,5-40 6,5-30,8 1,9-15 1,3
Abacca 1,5 980 - - - - -
Fruta Fibra coletada das frutas
Coir 1,25 170-230 146 3,0-7,0 2,5–5,0 14-30 1,2-1,4
Banana 1,35 711-789 444 4,0-32,7 3,6-27,3 2,4-3,5 1,1-1,2
Noz de bétele 0,2–0,4 120-166 - 1,3-2,6 1,0-1,9 22–24 1,3-1,4
Caule Fibras coletadas da estaca da planta
Trigo 1,45 - - - - - -
Grama Fibras são células alongadas de esclerênquima que ocorrem em várias partes das plantas
Elefante 0,817 185 - 7,4 - 3 -
Mar 1,5 453-692 - 3,1-3,7 - 13-26,6 -
Bengala Fibra natural obtida a partir de partes ricas em fibras das plantas
Bagaço 1,5 170-350 - 5,1-6,2 3,6-4,1 6,3-7,9 1,4-1,5
Bambu 1,1 500–575 454 27-40 50-67,9 1,9-3,2 0,4-0,8

Os compósitos híbridos preparados com três fibras diferentes como sisal, juta e vidro com resina O efeito da sequência de empilhamento nas propriedades de tração e fl exural de compósitos
epóxi com relação em peso de fibra para matriz de 30:70. Combinações diferentes de compósitos híbridos à base de epóxi reforçado com fibra de vidro e luffa cylindrica investigados. Todas as
foram fabricadas de acordo com o padrão ASTM e testadas quanto às propriedades mecânicas, amostras compostas foram feitas com um total de quatro camadas, variando o número e a posição
como resistência à tração e ao impacto. A resistência máxima à tração e ao impacto foi encontrada da fibra de vidro. A partir dos resultados, verificou-se que a resistência máxima à tração e fl exural
para o compósito híbrido de sisal / vidro / epóxi em comparação com outras combinações [5] . são obtidas a partir do composto híbrido pela colocação de duas esteiras de fibra cilíndrica luffa no
meio quando apoiadas por duas esteiras de fibra de vidro de cada lado [11] .

A pequena quantidade de fibra de vidro em compósitos epóxi reforçados com tecido de seda foi
analisada por propriedades mecânicas. A adição de um pequeno conteúdo de tecido de vidro aos A produção e propriedades mecânicas de compósitos de fibras naturais e artificiais, como
compósitos reforçados com fibra de seda melhorou as propriedades mecânicas. Os resultados cânhamo, kenaf, liocel e algodão foram descritos. A resistência à tração, a resistência ao impacto e o
mostraram que as propriedades mecânicas aumentaram com o aumento da fração de peso do alongamento na ruptura foram melhorados significativamente em comparação com os compósitos de
conteúdo de fibra ao máximo. Eles também descobriram que a absorção de água dos compósitos liocel / PLA usando uma combinação de liocel e cânhamo [12] .
diminuiu pelo processo de hibridização [6] .

A resistência à tração e fl exural de compósitos híbridos de poliéster insaturado reforçado com 3. Tratamento por agentes químicos
fibra de vidro e sisal foram estudados em função do teor de fibra. [7] . Eles notaram que a resistência
à tração e fl exural do compósito híbrido reforçado com fibra de sisal / vidro era maior do que o As fibras naturais possuem inerentemente alta quantidade de umidade e mais capacidade de
compósito reforçado com fibra de sisal, mas menor que o compósito reforçado com fibra de vidro. absorção de água. Isso acaba em uma interface pobre entre a matriz e o reforço. Para converter as
fibras em hidrofóbicas de natureza hidrofílica, o tratamento químico das fibras é necessário. Existem
muitos tratamentos químicos disponíveis em que o melhor tratamento químico é descoberto com
Na avaliação das propriedades físicas, mecânicas e dinâmicas mecânicas de fibras de vidro / base nos aspectos ambientais e no fator de custo.
rami, compósitos híbridos de poliéster reforçado foram fabricados por moldagem por transferência de
resina em função do teor de fibra. [8] . O impacto e a resistência ao cisalhamento interlaminar dos
compósitos foram melhorados com o uso de maior teor de fibra. A alta resistência interfacial entre As principais desvantagens do uso de bio fi bras são a baixa estabilidade dimensional e o
fibra e matriz foi observada durante a análise SEM. aumento do nível de absorção de umidade do ambiente, o que leva a uma má adesão com os
materiais da matriz. As fibras naturais lignocelulósicas são compostas por celulose, hemiceluloses,
lignina, pectina e elementos cerosos. A celulose é o principal elemento da con fi guração da bio fi bra
Os compósitos híbridos de epóxi reforçados com fibra luffa e amolada preparados por técnicas que proporciona alta resistência, rigidez e estabilidade estrutural da fi bra [13] .
de lay-up manuais em função da fração de volume da fibra. Eles descobriram que os compósitos
com 40% de conteúdo de fibra tratada exibiam propriedades mecânicas máximas do que os
compósitos de polímero de amendoim luffa com 30% e 50% de conteúdo de fibra. A menor Figura 1 mostra a organização estrutural dos três principais constituintes da parede celular da fibra.
resistência foi encontrada em 50% de teor de fibra devido ao umedecimento insuficiente entre a fibra
e a matriz [9] . A lignina e a pectina estão ligadas à cadeia celulose-hemicelulose e fornecem a qualidade de
ligação para manter as moléculas unidas. Esta qualidade de ligação é a causa das propriedades de
Foi realizado teste de tração em cachos de frutas vazios de dendê / fibras de juta com resistência da fibra
compósitos híbridos de matriz epóxi reforçados. Melhoria significativa na resistência à tração e [14] .
módulo dos compósitos híbridos de cachos de frutas vazios de dendê / fibra de juta foram Os principais problemas com o uso de compósitos de fibra natural decorrem da natureza
observados em comparação com as fibras de cachos de frutas vazios de dendê utilizadas hidrofílica da fibra da matriz e da natureza hidrofóbica. As interfaces de matriz de fibra são
isoladamente. Finalmente, os compostos híbridos mostraram excelente adesão à matriz do que o quimicamente combinadas na zona de reação. A adesão entre a fibra e a matriz desempenha um
composto de fibra de cachos de frutas vazias de dendê puro durante a análise SEM [10] . papel importante para melhorar as propriedades mecânicas dos compósitos. Má adesão em toda a
zona de reação que

Por favor, cite este artigo como: N. Karthi, K. Kumaresan, S. Sathish et al., Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e áreas de aplicação, Materials Today:
Proceedings, https://doi.org/10.1016/j.matpr.2020.01.011
N. Karthi et al. / Materiais hoje: Procedimentos xxx (xxxx) xxx 5

leva a uma dispersão relativamente fraca de carga ocorre e resulta em menos propriedades aplicações por causa de suas propriedades mecânicas de alta e menor custo
mecânicas [15] . [27-34] .
As conexões entre as fibras e a matriz são desafiadoras e as estruturas químicas de ambas são Produtos feitos de bio fi bras foram aumentados e usados em caixilhos de janelas, decks,
diferentes, o que causa transferência de carga ineficaz na região da interface do composto. Devido à painéis, prateleiras de pacotes, painéis de portas, almofadas de assento, encostos e forros de
presença de grupos hidroxila hidrofílicos nas fibras naturais, a compatibilidade com a matriz é cabine. O uso de fibra natural sobre a fibra à base de petróleo tem sido aumentado em várias
reduzida. A fim de melhorar a conexão da interface entre as fibras e a matriz, a superfície externa indústrias como automotiva, aeroespacial, marinha, elétrica e eletrônica, esportes, equipamentos de
das fibras e dos grupos hidroxila deve ser alterada com diferentes tratamentos químicos, acopladores recreação e equipamentos de maquinaria de escritório devido ao peso leve, reciclabilidade,
e preenchimentos reativos. Os tratamentos químicos expõem grupos mais reativos em toda a biodegradabilidade, baixo custo de processamento, boa mecânica relativa propriedades e resistência
superfície da fibra e fornecem um acoplamento de matriz eficiente [16] . à corrosão e fadiga [22] .

O efeito dos tratamentos químicos nas propriedades mecânicas e térmicas dos termoplásticos
Os mecanismos funcionais de acoplamento em materiais estão a seguir, nomeadamente (a) reforçados com fibras naturais e dos compósitos termofixos abordou e demonstrou as aplicações dos
Eliminação de camadas limite externas fracas (b) produção de camada fina e flexível (c) formação de Compósitos de Fibras Naturais (NFC) nas indústrias automobilística e de construção [35] .
região de compressão inter-fase reticulada com um módulo intermediário entre o substrato e o Verificou-se que as propriedades físicas e mecânicas do NFC podem ser melhoradas por meio da
polímero ( d) melhora na molhabilidade entre a matriz e o substrato (e) desenvolvimento de ligações modificação da superfície, enquanto a absorção de umidade do NFC pode ser reduzida por meio de
covalentes com ambas as fases e (f) alteração da superfície do substrato. O principal objetivo dos tratamento químico em fibras, como alcalinização com adição de agentes de cura. A empresa
tratamentos de superfície em bio fi bras é maximizar a resistência interfacial entre o reforço e a Volkswagen usou fibras naturais para fazer o painel de acabamento da tampa da bagageira, encosto
matriz, assim como a transferibilidade de tensões nos compósitos. São estudadas as influências dos do banco, forro da bagageira e painel da porta na variante Passat, modelo A4, golfe e Bora. A
tratamentos de superfície nas fibras naturais que são utilizadas como reforço nos compósitos. Os Daimler Benz usou fibras naturais para desenvolver os painéis e consoles de apoio de braço
diferentes agentes químicos para os tratamentos incluem álcali, silano, acetilação, acrilação, agente centrais, juntamente com as conchas dos assentos. Além disso, aumentou o uso de NFC em alguns
de acoplamento maleado, benzoilação, permanganato, peróxido, isocinato, clorito de sódio e ácido automóveis em aproximadamente 98% em relação aos modelos anteriores usando fibras de
esteárico. Como resultado, melhorias significativas nas propriedades de resistência dos compósitos celulose, por exemplo, linho e abacate. Tabela 4 . calçados aplicações de fibras naturais no campo
podem ser alcançadas por meio de tratamento químico. automotivo. De acordo com as diretrizes europeias 2000/53 / EC fornecidas pela Comissão Europeia,
85% do peso dos produtos, especialmente automóveis, tinham que ser recicláveis até 2005. Essa
porcentagem de recicláveis aumentará para 95% até 2015. Para enfrentar a sustentabilidade do
equilíbrio e custo, as montadoras são convidadas a usar bio fi bras em compósitos [36] .

Portanto, percebe-se que existem problemas como má ligação entre as fibras e a matriz, e a
natureza hidrofílica das fibras naturais, o que limita suas aplicações. Uma literatura revela que o
tratamento químico em fibras naturais levaria a uma melhor ligação da matriz de fibra, aumento da
hidrofobicidade, melhor umedecimento da fibra, remoção de hemicelulose e lignina. Tabela 3 mostra
o efeito de vários tratamentos químicos nas propriedades mecânicas Os compósitos tornaram-se um material proeminente para aeronaves comerciais como o Airbus
A380 usava 25% dos compósitos e o Boeing 787 '' Dreamliner ”usava 50% dos compósitos,
enquanto o A350 usava 53%. A redução de peso em compostos é um fator crucial para melhorar a
[17-26] . eficiência de combustível [37] . O desenvolvimento de compósitos reforçados com fibras naturais em
aeronaves reduz o peso total da aeronave em 35%. A classe E da Mercedes Benz introduziu o

4. Aplicações de compósito de fibra natural primeiro NFRC para painel de porta interno que contém fl ax e sisal com polímero epóxi mostrado
notável redução de peso de cerca de 20% [38] .

O NFPC pode substituir o vidro em várias aplicações nas quais a capacidade de carga é
considerada um fator importante. Compósitos reforçados com fibra são melhores do que resinas de
polímero no caso de

Tabela 3
Efeito de vários tratamentos químicos nas propriedades mecânicas.

S. Fibra Tratamentos Químicos Aplicados Resultados em propriedades mecânicas Ref.


Não Tratado Não

1 Coir 20% de tratamento alcalino seguido de enxerto com As propriedades mecânicas dos compósitos aumentaram significativamente após o tratamento da fibra. 17
50% de tratamento alcalino de dimetilacrilato de etileno
2 Aspen fi ber A resistência à tração foi melhorada 18
3 Linho Anidrido maleico, mercerização A resistência à tração dos compósitos de fibra / PP tratados com MAH-PP melhorou em 50% em comparação com os compósitos de fibra 19
Tratamento não tratada e mercerizada.
4 Fibra de rami Tratamento Alcalino 15% A resistência à tração da fibra de rami tratada foi melhorada em 4 a 18% maior do que a da fibra de rami não tratada. 20

5 Fibra de linho Tratamento Alcalino O módulo de elasticidade e a resistência à tração dos compostos fl ax / epóxi aumentaram com a diminuição do encolhimento 21
da fibra
6 Diferente Tratamento Alcalino O tratamento alcalino foi considerado o método mais eficaz para melhorar a ligação interfacial entre a fibra e a matriz, enquanto 22
fibras outros métodos de tratamento não exibiram efeito ou reduziram a resistência da fibra.

7 Doum Tratamento Alcalino Após o tratamento alcalino, uma melhora significativa foi observada no módulo fl exural, módulo de young e módulo fl exural 23
Fibras
8 Abacaxi Tratamento alcalino e tratamento com silano As propriedades mecânicas e térmicas foram consideradas altas para o tratamento alcalino 24
Folha Fibras
9 Vetiver Tratamento alcalino a 5% A resistência máxima à tração para o composto de fibra de vetiver bruto e o composto de fibra tratada quimicamente foi de 11,9 25
Fibra MPa e 13,59 MPa, respectivamente.
10 Fibra de Sisal Fibras tratadas x não tratadas A propriedade mecânica dinâmica, como o módulo de armazenamento, foi aumentada para compósitos de fibra tratada em comparação 26
com compósitos de fibra não tratada

Por favor, cite este artigo como: N. Karthi, K. Kumaresan, S. Sathish et al., Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e áreas de aplicação, Materials Today:
Proceedings, https://doi.org/10.1016/j.matpr.2020.01.011
6 N. Karthi et al. / Materiais hoje: Procedimentos xxx (xxxx) xxx

Tabela 4
Aplicações de Fibras Naturais no Campo Automóvel.

Fabricante Modelo Componentes

Audi A2, A3, A4, A4 Avant, A6, A8 Road Audi Seat traseiro, painel da porta lateral e traseira, forro do porta-malas, porta-chapéus, forro do

star, Coupe C5 pneu sobressalente

Citroen Painéis de portas interiores


BMW 3, 5, 7 séries Painéis das portas, painel do tejadilho, forro do porta-bagagens, encosto do banco, painéis

de isolamento acústico, revestimentos dos pés moldados Painéis da carroçaria, spoiler,

Lótus Eco Elise bancos, tapetes interiores Painel da porta

Fiat Punto, Brava, Marea,


Alfa Romeo 146, 156 Astra,
Opel Vectra, Za fi ra Painel instrumental, painel do teto, painéis das portas, painel de cobertura
do pilar
Peugeot 406 Painéis das portas dianteiras e traseiras

Andarilho 2000 e outros Isolamento, prateleira / painel de armazenamento traseiro

Toyota Raum, Brevis, Harrier, Celsior Golf A4, Painéis das portas, encostos dos bancos, tapetes de piso, capa sobressalente Painel da porta,

Volkswagen Passat, Variant, Bora encosto do banco, painel de acabamento da tampa da mala, forro da mala

Mitsubishi Estrela do espaço, Colt Pisos da área de carga, painéis das portas, painéis instrumentais Prateleira traseira do

Renault Clio, Twingo pacote

Daimler-Benz Mercedes A, C, E, classe S, caminhões Painéis das portas, pára-brisa / painel, mesa de negócios, painel de cobertura Piller,

EvoBus (exterior) porta-luvas, suporte do painel instrumental, isolamento, haste / aberturas de

moldagem, painel do encosto do assento, painel do porta-malas, superfície / encosto

do assento, tampa interna do motor, isolamento do motor, quebra-sol, pára-choques,

caixa de rodas, cobertura do tejadilho

Honda Piloto Área de carga

Volvo C70, V70 Acolchoamento do assento, espumas naturais, bandeja do piso de carga Encostos

General Motors Cadillac Deville, Chevrolet, dos assentos, piso do compartimento de carga

Blazer de teste

Saturno L3000 Bandejas de embalagem e painel de porta

Ford Mondeo CD 162, Focus, freestar Bandejas de piso, painéis de porta, B-piller, forro de bagagens

Produtos de consumo, como capacetes, caixa do estabilizador e painel do projetor, são [6] S. Padma Priya, K. Rai, J. Ind. Text. 35 (2006) 217-226 . [7] V. Naga Prasad Naidu, M. Ashok Kumar, G.
Ramachandra Reddy, P. Noorunnisa Khanam, M. Mohan Reddy, KVP Chakradhar, Int. J. Macromol. Sci. 1
desenvolvidos por compósitos de poliéster reforçado com fibra de coco. Uma parte interna do carro
(2011) 19-22 .
contendo compostos à base de cana-de-açúcar foi introduzida pela Toyota.
[8] D. Romanzini, A. Lavoratti, V. Heitor Ornaghi Jr., C. Sandro Amico, J. Ademir Zattera, Mater. Des. 47 (2013) 9-15 .

[9] R. Panneerdhass, A. Gnanavelbabu, K. Rajkumar, Procedia Eng. 97 (2014) 2042– 2051 .


5. Conclusão
[10] M. Jawaid, HPS Abdul Khalil, A. Abu Bakar, P. Noorunnisa Khanam, Mater. Des. 32 (2011) 1014–1019 .

Observou-se que o NFPC apresenta desempenho superior quando comparado aos compósitos [11] N. Mohanta, SK Acharya, Int. Eng. Sci. Tech. 7 (2015) (2015) 1-10 . [12] N. Graupner, S. Axel Herrmann, J.
sintéticos, uma vez que possui baixa densidade, custo acessível e ecologicamente correto. Assim, os Mussig, Compos. Parte A 40 (2009) 810-821 . [13] YM Leonard, PA Martin, J. Appl. Polym. Sci. 84 (2002) 2222-2234 .

compósitos de fibra natural apresentam grandes vantagens para a utilização em aplicações


[14] S. Fakirov, D. Bhattacharyya, Munich Hanser (2007), doi: 978-1-56990-
comerciais e de engenharia. No entanto, as fibras naturais têm menos resistência quando 405-3.
comparadas aos compostos sintéticos, mas em adição aos compostos sintéticos fornecem alta [15] B. Wang, S. Panigrahi, L. Tabil, W. Crerar, J. Reinf. Plast. Compos. 26 (2007) 447-463 .

resistência e menor efeito ambiental. Em observação, verifica-se, para as fibras naturais, que o
[16] BN Dash, AK Rana, SC Mishra, HK Mishra, SK Nayak, SS Tripathy, Polym. Plast. Technol. Eng. 39 (2000)
método mais adequado de modificação química é o tratamento alcalino. O trabalho atual avaliou as
333-350 .
propriedades da fibra natural, a hibridização do composto, os métodos químicos usados para o [17] M. Mizanur Rahuman, A. Mubarak Khan, Comp. Sci. Tech. 67 (2007) 2369-2376 .

processamento e as aplicações da fibra natural em vários campos. Isso dá uma ideia clara sobre o
[18] Y. Xue, DR Veazie, C. Glinsey, MF Horstemeyer, RM Rowell, Compos. Parte B 38 (2007) 152-158 .
processamento de fibras naturais, características de algumas fibras como sisal, juta, cânhamo, etc.

[19] AK Bledzki, HP Fink, K. Specht, J. Appl. Polym. Sci. 93 (2004) 2150-2156 . [20] G. Koichi, MS Sreekala, G.
Alexander, K. Takeshi, O. Junji, Compos. Parte A 37 (2006) 2213–2220 .

[21] J. Gassan, I. Mildner, AK Bledzki, Mech. Compos. Mater. 35 (1999) 435–440 . [22] A. Shalwan, BF Yousif, Mater.
Des. 48 (2013) 14-24 . [23] FZ Arrakhiz, M. El Achaby, M. Malha, MO Bensalah, O. Fassi-Fehri, R. Bouh fi d,

K. Benmoussa, A. Qaiss, Mater. Des 43 (2013) 200–205 .


[24] K. Panyasart, N. Chaiyut, T. Amornsakchai, O. Santawitee, Energy Procedia 56 (2014) 406–413 .
Declaração de Concorrência de Interesses
[25] D. Saravana Bavan, GC Mohan Kumar, Procedia Mater. Sci. 5 (2014) 605–611 . [26] KC Manikandan Nair, S.
Thomas, G. Groeninckx, Compos. Sci. Techol. 61 (2001) 2519–2529 .
Os autores declaram que não conhecem interesses financeiros concorrentes ou relações
pessoais que possam ter influenciado o trabalho relatado neste artigo. [27] S. Sathish, K. Kumaresan, L. Prabhu, S. Gokulkumar, Rom. J. Mater. 48 (2018) 315-323 .

[28] S. Gokulkumar, PR Thyla, L. Prabhu, S. Sathish, J. Nat. Fib. (2019) 1–20 . [29] S. Sathish, K. Kumaresan, L.
Prabhu, S. Gokulkumar, S. Dinesh, Indian J. Sei. Techol. 11 (2018) 1-6 .
Referências
[30] L. Prabhu, V. Krishnaraj, S. Sathish, V. Sathyamoorthy, Indian J. Sei. Techol. 10 (2017) 1-7 .

[1] P. Wambua, J. Ivens, I. Verpoest, Comp. Sci. Tech. 63 (2003) 1259–1264 . [2] M. Jawaid, HPS Abdul Khalil, Carb.
[31] S. Sathish, K. Kumaresan, L. Prabhu, N. Vigneshumar, Polym. Polym. Compos. 25 (2017) 229-236 .
Pol. 86 (2011) 1-18 . [3] MM Thwe, K. Liao, Comp. Sci. Tech 63 (2003) 375-387 . [4] M. Jacob, S. Thomas, KT
Varughese, Comp. Sci. Tech. 64 (2004) 955-965 . [5] S. Sathish, T. Ganapathy, T. Bhoopathy, App. Mech. Mat
[32] L. Prabhu, V. Krishnaraj, S. Gokulkumar, S. Sathish, M. Ramesh, Mater. Hoje, dia 16 (2019) 653–660 .
592-594 (2014) 339-343 .

[33] M. Kumaresan, S. Sathish, N. Karthi, J. Appl. Sci. Eng. 18 (2015) 289-294 .

Por favor, cite este artigo como: N. Karthi, K. Kumaresan, S. Sathish et al., Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e áreas de aplicação, Materials Today:
Proceedings, https://doi.org/10.1016/j.matpr.2020.01.011
N. Karthi et al. / Materiais hoje: Procedimentos xxx (xxxx) xxx 7

[34] S. Gokulkumar, PR Thyla, L. Prabhu, S. Sathish, J. Nat. Fib. (2019) 1-17, https: // [36] G. Koronis, A. Silva, M. Fontul, Comp. Parte B 44 (2013) (2013) 120-127 . [37] Y. Yang, R. Boom, B. Irion, D. Jan
doi.org/10.1080/15440478.2019.1675215 . van Heerdan, P. Kuiper, H. De Wit, Chem. Eng. Processar. Process Intensif. 51 (2012) (2012) 53-68 .
[35] L. Mohammed, MNM Ansari, G. Pua, M. Jawaid, M. Saiful Islam, Int. J. Polym.
Sci 2015 (2015), https://doi.org/10.1155/2015/243947 . [38] D. Puglia, J. Biagiotti, JM Kenny, J. Nat. Fib. 1 (2004) (2004) 23-65 .

Por favor, cite este artigo como: N. Karthi, K. Kumaresan, S. Sathish et al., Uma visão geral: compósitos híbridos reforçados com fibra natural, tratamentos químicos e áreas de aplicação, Materials Today:
Proceedings, https://doi.org/10.1016/j.matpr.2020.01.011
Viieai wppu
credoub
blliiccaattiiosobre
n ssttaattss

Você também pode gostar