Você está na página 1de 8

TEXTO COMPLEMENTAR

FUNDAMENTOS DE BIOLOGIA

Adendo TEXTO IV

Prof. Alysson Rodrigo Fonseca

FILO ECHINODERMATA: EQUINODERNOS

São animais exclusivamente marinhos. Possuem um exoesqueleto interno de placas


calcárias, ás quais se associam espinhos fixos ou móveis. Os principais representantes são
as estrelas-do-mar, pepinos-do-mar, bolachas-da-praia, ouriços e ofiúros.

CARACTERÍSTICAS GERAIS

1. Revestimento e proteção. A epiderme simples recobre o esqueleto e os espinhos (quando


presentes). Os espinhos, que servem como proteção (principalmente no ouriço-do-mar), são
bem alongados e às vezes providos de glândulas venenosas. Algumas espécies possuem
ainda pequenas pinças (pedicelárias) que servem para defesa e para manter sempre limpa a
superfície do corpo.

2. Sustentação e locomoção. Possuem endoesqueleto de placas calcáreas móveis


(articuladas) ou fixas, freqüentemente com espinhos. As placas podem ser macroscópicas,
distribuídas pelo corpo, como nos pepinos-do-mar ou podem constituir uma carapaça muito
resistente, como nos ouriços-do-mar. Nestes animais, a locomoção é lenta e é feita pelos
pés ambulacrários e ainda por espinhos movidos por músculos.

3. Nutrição e digestão. O sistema digestivo é completo, exceto nos ofiúros. As estrelas-do-


mar são carnívoras e predadoras, seu alimento preferido são as ostras. Apesar da potente
musculatura das ostras, as estrelas-do-mar conseguem abrir-lhe as valvas, introduzir seu
estômago e lançar enzimas, ocorrendo um digestão externa. Os ouriços-do-mar alimentam-
se de algas, que são trituradas pelos cinco dentes calcários, que formam a lanterna de
Aristóteles.

4. Circulação. Não possuem coração nem mesmo sistema circulatório típico. Existe,
porém, um reduzido sistema de canais (canais pseudohemais), com disposição radial, onde
circula um líquido incolor contendo amebócitos.
5. Respiração. A respiração por difusão ocorre no sistema ambulacrário. Além disso, na
estrela-do-mar e ouriço-do-mar existem diminutas e ramificadas brânquias dérmicas. Na
cloaca do pepino-do-mar existem túbulos ramificados, as árvores respiratórias ou
hidropulmões, que acumulam água para as trocas gasosas.

6. Excreção. Não existe nenhum órgão especializado. Os catobólitos são levados por
amebócitos aos pés ambulacrários, hidropulmões ou a quaisquer estruturas expostas à água,
que os elimina por difusão.

7. Sistema nervoso. Não há gânglios, mas sim um anel nervoso próximo à região oral, de
onde saem nervos radiais.

8. Sentidos. Possuem células táteis na superfície do corpo. Na extremidade dos braços das
estrelas-do-mar existem células fotorreceptoras.

9. Reprodução. São animais de sexos separados e de fecundação externa. Os órgãos sexuais


são simples, existindo, geralmente, apenas gônadas sem ductos genitais. O
desenvolvimento é indireto, aparecendo em cada classe um tipo característico de larva:
bipinária (nas estrelas-do-mar), pluteus (ofiúros e ouriço), dolidária (crinóides) e auriculária
(pepino-do-mar).

A simetria é bilateral nas larvas, passando a radial nos animais adultos. A reprodução
assexuada aparece em algumas larvas que se autodividem; além disso, as estrelas-do-mar e
o pepino-do-mar têm a capacidade de regenerar partes perdidas.

FIGURA 1: desenho esquemático de um ouriço-do-mar

2
Estruturas e funções

- Pés ambulacrais: Movimentação e fixação no substrato;

- Ampolas: Armazenam água;

- Intestino: Digestão química e absorção;

- Canal Radial: Circulação da água;

- Pedicelárias: Limpeza corporal;

- Dente da Lanterna-de-Aristóteles: Digestão e fixação:

- Anel nervoso: Controlador;

- Nervo radial: Principal nervo;

- Brânquia: Respiração;

- Espinho: defesa;

- Gônada: produzir gametas - Geralmente são de sexos separados, mas pode produzir os
dois também;

- Placa Madrepórica: entrada de água;

CLASSIFICAÇÃO

1. Classe Crinoidea (Crinóides). Estes equinodermos semelhantes a flores vivem desde


abaixo da linha de maré baixa até profundidades abissais. O corpo é um pequeno cálice em
forma de taça, de placas calcáreas, ao qual estão presos 5 braços flexíveis que se bifurcam
formando 10 ou mais extremidades estreitas. Alguns possuem um pedúnculo longo, que
fixa o crinóide ao fundo do mar . Boca e ânus estão presentes na superfície oral.
Alimentam-se de plâncton e de detritos, colhidos pelos tentáculos e dirigidos à boca pelos
cílios. Exemplo: lírio-do-mar.

2. Classe Echinoidea (ouriços-do-mar e bolachas-da-praia). Os membros desta classe têm


o corpo arredondado (forma: hemisférica ou ovóide, nos ouriços-do-mar; disciforme, nas
bolachas-do-mar) sem braços ou raios livres, mas possuem espinhos delgados e móveis. Em
um ouriço-do-mar comum as vísceras estão encerradas em uma carapaça. Cinco áreas

3
(ambulacros), correspondem aos braços da estrela-do-mar, são perfuradas para uma série
dupla de pés ambulacrários. Nas placas há tubérculos baixos, arredondados, nos quais os
espinhos se articulam. Entre os espinhos há pedicelárias, as quais mantêm o corpo limpo e
capturam pequenas presas. Boca e ânus são centrais, mas em pólos opostos. Ouriços
alimentam-se de plantas marinhas, matéria animal morta e pequenos organismos. Bolachas-
da-praia alimentam-se de partículas orgânicas da areia ou do lodo através de ingestão direta
ou por meio de rede de muco.

3. Classe Asteroidea (estrelas-do-mar). As estrelas-do-mar abundam em quase todas as


costas marinhas, especialmente em praias rochosas e ao redor de pilares de portos. Várias
espécies vivem desde as linhas de maré até profundidades consideráveis na areia e no lodo.

O corpo de uma estrela-do-mar consiste de um disco central e cinco raios ou braços


afilados. Na superfície aboral ou superior há espinhos calcários, os quais são partes do
esqueleto. Brânquias dérmicas (pápulas) pequenas e moles projetam-se da cavidade do
corpo entre os espinhos para a respiração e excreção. Ao redor dos espinhos e pápulas há
pedicelárias diminutas em forma de pinça, que mantém a superfície do corpo limpa e
também auxiliam na captura de alimento. O ânus é uma abertura diminuta próxima ao
centro da superfície aboral e nas proximidades do madreporito. A boca está no centro da
superfície oral, ou inferior. Um sulco ambulacrário mediano, orlado de espinhos, estende-se
ao longo da superfície oral de cada braço e dele protaem muitos pés ambulacrários. Na
ponta de cada braço há um tentáculo táctil e uma mancha ocelar, sensível a luz.

As estrelas-do-mar alimentam-se de moluscos, crustáceos e vermes tubícolas. Algumas


alimentam-se de matéria orgânica em suspensão. Animais pequenos e ativos, mesmo
peixes, ocasionalmente podem ser capturados pelos pés ambulacrários e pedicelárias e
levados à boca. Quanto à reprodução, óvulos e espermatozóides são postos na água do mar,
onde ocorre a fecundação. A clivagem é rápida, total, igual e indeterminada. A larva
originada possui simetria bilateral e passa por diferentes fases. Estrelas-do-mar sofrem
acidentes na natureza e podem soltar um braço (autotomia) quando manuseadas rudemente,
mas os braços regeneram-se prontamente.

4. Classe Ophiuroidea (ofiúros). Os ofiúros têm um disco pequeno, arredondado, com 5


braços distintos, longos, delgados, articulados e frágeis. No braço há um ramo do sistema
ambulacrário. Os pés ambulacrários são ventrolaterais, sem ventosas. Eles são sensitivos,
auxiliam na respiração e podem levar alimento à boca. Não há pedicelárias e brânquias
dérmicas. Todos os órgãos digestivo e reprodutores estão no disco. A boca fica no centro da
superfície oral. Não ha ânus.

Vivem desde água rasa a profunda, algumas vezes, escondendo-se embaixo de pedras ou
plantas marinhas ou no lodo e areia, tornando-se ativos à noite. Movem-se por movimentos
serpenteantes rápidos. Alimentam-se de pequenos crustáceos, moluscos e outros animais e
detritos do fundo; podem servir de alimentos a peixes. Ex.: serpente-do-mar.

4
5. Classe Holothuroidea (Holotúrias). Em oposição aos outros equinodermos, as
holotúrias têm o corpo delgado, alongado em um eixo oral-aboral. A boca é circundada por
10 a 30 tentáculos que são modificações de pés ambulacrários bucais encontrados em
outros equinodermos. Algumas holotúrias apresentam 2 zonas longitudinais de pés
ambulacrários na região dorsal, de função táctil e respiratória. O lado ventral tem
tipicamente três zonas de pés ambulacrários, com ventosas, que servem para a locomoção.

As holotúrias movem-se como lesmas no fundo do mar ou cavam no lodo ou areia da


superfície deixando somente as extremidades do corpo expostas, quando perturbadas,
contraem-se lentamente. O alimento é de material orgânico dos detritos do fundo, que é
empurrado para a boca ou de plâncton aprisionado em muco nos tentáculos. As holotúrias
frequentemente são os invertebrados dominantes nas partes mais profundas dos oceanos e
muitos taxa são restritos a águas profundas. Ex.: pepino-do-mar.

Importância para o homem

Os equinodermos são pouco usados como alimento; no entanto, habitantes da bacia do


Mediterrâneo comem, assadas ou cruas, as gônadas do ouriço-do-mar. As paredes do corpo
do pepino-do-mar, após serem fervidas e secas, produzem o “trepang” usado para fazer
sopas. As vísceras de vários equinodermos são usadas como iscas para peixes; entretanto,
estrela-do-mar podem danificar culturas comerciais de ostras e mexilhões, trazendo sérios
prejuízos aos criadores. Está nas pesquisas biológicas a maior utilidade dos equinodermos.
Muitos são os ensaios experimentais sobre fecundação e desenvolvimento feitos com o
ouriço-do-mar.

5
EQUINODERNOS

Classe Crinoidea (Crinóides) Classe Echinoidea (ouriços-do-mar e


bolachas-da-praia)

Classe Echinoidea (ouriços-do-mar e Classe Asteroidea (estrelas-do-mar)


bolachas-da-praia)

6
Classe Ophiuroidea (ofiúros) Classe Holothuroidea (Holotúrias)

DESENHO ESQUEMÁTICO DE UM OURIÇO-DO-MAR

ESTRUTURAS E FUNÇÕES

- Pés ambulacrais: Movimentação e fixação no substrato;

- Ampolas: Armazenam água;

- Intestino: Digestão química e absorção;

- Canal Radial: Circulação da água;

- Pedicelárias: Limpeza corporal;

- Dente da Lanterna-de-Aristóteles: Digestão e fixação:

- Anel nervoso: Controlador;

- Nervo radial: Principal nervo;

- Brânquia: Respiração;

- Espinho: defesa;

- Gônada: produzir gametas - Geralmente são de sexos separados, mas pode produzir
os dois também;

7
- Placa Madrepórica: entrada de água.