Você está na página 1de 4

0.

TESTE DE IDENTIFICAÇÃO DE SINAIS DE DISLEXIA – TISD

1. Pirâmides Coloridas de Pfister

Composto por um jogo com quadrados coloridos — divididos em 24


tonalidades — e três cartelas com pirâmides, esse teste foi criado nos anos
1950 pelo suíço Max Pfister. No exame, o indivíduo deve preencher cada uma
das pirâmides com os quadradinhos, de acordo com o seu próprio gosto. No
fim, a pessoa é solicitada a classificar as pirâmides por ordem de preferência.

Durante a aplicação do teste, o psicólogo analisa e anota cada escolha da


pessoa examinada. A frequência das cores utilizadas e a forma como elas
foram distribuídas revelam muito sobre o lado emocional e cognitivo do
indivíduo.

O teste das Pirâmides Coloridas de Pfister pode ser aplicado


independentemente da idade ou nível de escolaridade da pessoa estudada.
Seus resultados podem servir para identificar quadros como os de depressão,
transtorno do pânico, transtorno somatoforme e transtorno obsessivo-
compulsivo.

2. Figuras Complexas de Rey

Esse teste consiste em pedir que a pessoa faça uma cópia de uma imagem
apresentada. Depois, o indivíduo deve reproduzir a figura a partir da sua
memória e, após 30 minutos, repetir o desenho. O tempo para realização do
procedimento é livre. Assim, o exame acaba quando a pessoa disser que
concluiu, sem que sofra pressão para finalizar.

O método foi iniciado pelo psicólogo suíço André Rey em 1941, quando o
pesquisador estudava os efeitos de ferimentos traumáticos no cérebro. Nos
anos seguintes, o teste das figuras complexas foi sendo aprimorado por outros
especialistas até chegar ao formato atual.
As Figuras Complexas de Rey verificam a atividade perceptiva e a memória
visual, sendo utilizadas na identificação de dificuldades de aprendizagem e
problemas de ajustamento social em crianças a partir dos 4 anos. Além disso,
podem ser úteis para avaliar alterações neuropsicológicas e alguns transtornos,
como o de deficit de atenção.

3. WISC-III — Escala de Inteligência

A Escala de Inteligência de Wechsler é indicado para crianças e adolescentes


de 6 a 16 anos. A avaliação demora em torno de 90 minutos e é constituída por
13 subtestes que medem os diferentes aspectos da inteligência do sujeito
observado.

As atividades incluem diversos instrumentos, como cubos, figuras, objetos,


labirintos, símbolos, números e palavras. O intuito do teste é aferir as
capacidades verbais e perceptivo-motoras do jovem.

A primeira escala de inteligência foi desenvolvida em 1939 pelo psicólogo


David Wechsler. Ao longo dos anos, a avaliação sofreu alterações e,
atualmente, a terceira edição é a utilizada no Brasil.

O teste é conveniente no diagnóstico de desordens neurológicas e


psiquiátricas, sendo relevante na determinação da necessidade de assistência
psicológica ou acompanhamento psicopedagógico.

4. Teste Wisconsin de Classificação de Cartas

Criado em 1948, o Teste Wisconsin de Classificação de Cartas (WCST) é


formado por dois baralhos iguais, cada um com 64 cartas, e quatro cartas-
estímulo, que mostram escores de acertos e dificuldades nas atividades. O
baralho contém figuras como cruzes, círculos, triângulos e estrelas, nas
diversas cores (vermelho, azul, amarelo ou verde), e números de dois a quatro.

A avaliação determina a capacidade de raciocínio abstrato do indivíduo e


analisa as estratégias empregadas para a solução de problemas. Esse teste
descobre indicativos de dano cerebral, esclerose múltipla, mal de Parkinson e
outros transtornos psiquiátricos. É destinado a avaliar pessoas de 6 a 89 anos.

5. Teste de Atenção Concentrada

O Teste de Atenção (D2) elaborado por Rolf Brickenkamp permite avaliar a


atenção seletiva e a capacidade de concentração. Além disso, o exame mede a
velocidade de processamento da informação, bem como a qualidade e a
precisão do desempenho do sujeito.

Feito para pessoas com mais de 8 anos, a avaliação é usada para diagnósticos
no campo clínico, escolar e do desenvolvimento, assim como em situações de
recrutamento profissional. Por examinar a atenção, o teste pode servir, por
exemplo, para perceber sintomas do Transtorno do Deficit de Atenção com ou
sem Hiperatividade (TDAH).

O exame é feito com folhas de resposta nas quais o indivíduo deve riscar
algumas letras no material, seguindo as instruções do aplicador, em um tempo
limitado. Para corrigir, o profissional verifica as marcações e as omissões com
o auxílio de uma régua.

6. Escala de Maturidade Mental

A Escala de Maturidade Mental Columbia (EMMC) é um teste de inteligência


desenvolvido por Bessie Burgemeister, Lucille Hollander Blum e Irving Lorge na
Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, a partir de 1947.

O teste traz desenhos cotidianos — como figuras geométricas, objetos,


pessoas, animais e vegetais — impressos em cartões numerados usados para
avaliar a capacidade da criança de discernir entre os vários símbolos. O exame
é curto e demora até 30 minutos.

Com a escala de maturidade é possível verificar se a idade mental do sujeito


está de acordo com sua expectativa cronológica. A avaliação é aplicada,
normalmente, em crianças de 3 a 9 anos. O teste foi desenvolvido para
diagnosticar, sobretudo, pessoas com paralisia cerebral ou com outros
problemas relacionados às funções verbais ou motoras.

Esses são alguns dos mais famosos testes psicológicos sobre educação e
aprendizado usados para identificar problemas psicológicos e defasagens na
aquisição de conhecimentos, especialmente para crianças e adolescentes.

Se você acha que seu filho pode ter alguma dificuldade de aprendizagem ou
apresenta sintomas de algum transtorno psicológico, entre em contato com a
gente! O Núcleo Paulista de Psicologia Aplicada é um centro de referência em
saúde mental e em avaliação neuropsicológica.

Pesquisas (Noronha, Beraldo, & Oliveira, 2003 tem apresentado que


os instrumentos mais utilizados pelos profissionais brasileiros no processo de
avaliação do psicológica com crianças e/ou adolescentes tem sido: o teste de
WISC (escala de inteligência Wechsler para crianças); o testes de
personalidade HTP (Casa-Árvore-Pessoa); o teste de Apercepção Infantil
(CAT) que atualmente possuem duas modalidades, CAT-A (figuras de Animais)
e o CAT-H (figuras Humanas); Além da utilização de escalas, entrevistas,
desenhos livres-temáticos, etc.

Como sugestão, também sugerimos a utilização, para maioria dos casos


de outros testes psicológicos, como: ESI (Escala de Stress Infantil); ESA
( Escala de Stress para Adolescentes); Winconsin Classificação de Cartas
(WSCT); Teste de inteligência infantil DFH (Desenho da Figura Humana); BPA
(Bateria de Provas de Atenção); NEUPSILIN (Instrumento de Avaliação
Neuropsicológica Breve);RAVLT (Teste de Aprendizagem Auditivo-Verbal de
Rey); Figuras Complexas de Rey (teste de memória); entre outros.

Outros instrumentos e técnicas não psicológicas: TLPP (A Tarefa de


Leitura de Palavras e Pseudopalavras); Baralho das Emoções, das Habilidades
Sociais, Desenvolvendo as relações, etc; MTL Brasil (Bateria Montreal
Toulouse de Avaliação da Linguagem); Desenho e estórias temáticas de Valter
Trinca; Desenhos livres; o Desenho da Família; entre outros.

Você também pode gostar