Você está na página 1de 4

CONTRATO DE TRABALHO POR TERMO DETERMINADO

Entre:

Yellow Smile – Comércio Serviços Lda, sociedade de direito Angolano, com o número de
contribuinte 5000821810, com sede em Malanje, neste acto representada pelo seu legítimo
representante Sr. Eng. Rui da Conceição e Belo com poderes para vincular juridicamente a
sociedade, na qualidade de entidade patronal da firma com poderes para o acto, adiante
designada por “ENTIDADE EMPREGADORA”,

Adelino Telmo da Silva Moitas, de nacionalidade Angolana, estado civil solteiro, portadora do
B.I nº 008141482ME046, emitido em Malanje aos 05 de Março de 2021, pelo sector de
identificação de Malanje, com domicílio na Província de Malanje, Bairro Azul, Casa s/nº,
doravante denominado como “TRABALHADOR”;

Quando referidos conjuntamente, a ENTIDADE EMPREGADORA e o TRABALHADOR são


designados por “PARTES”

As partes acima identificadas, estando de boa-fé, celebram livremente entre si o presente


contrato individual de trabalho por tempo determinado, que se rege pela disposição da Lei
Geral do Trabalho, Lei 7/15 de 15 de Junho, e respectiva Legislação Complementar em vigor
em Angola, Regulamentos Internos e Acordos Colectivos e ainda pelas Cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA

1 – A ENTIDADE EMPREGADORA contrata o TRABALHADOR para a categoria profissional de


Gerente, a que corresponde a categoria ocupacional em conformidade com qualificador
ocupacional, competindo-lhe o desempenho com zelo, diligência e competência, nas inerentes
funções e tarefas que lhe sejam atribuídas e outras que sejam afins ou estejam funcionalmente
ligadas à sua categoria ocupacional e para as quais o TRABALHADOR tenha qualificação
profissional.
2 – Sem prejuízo do disposto no número anterior, ENTIDADE EMPREGADORA pode, nos
termos e dentro dos limites legais, encarregar o TRABALHADOR de desempenhar outras
actividades, ainda que não compreendidas na definição da sua categoria profissional.
3 – O TRABALHADOR cumprirá com rigor e escrúpulo as ordens e instruções que lhe forem
dadas pelos responsáveis e superiores hierárquicos, nas matérias referentes ao trabalho.
4 – O TRABALHADOR deve tratar com respeito e lealdade a ENTIDADE EMPREGADORA, os
responsáveis e superiores hierárquicos, os clientes e os colegas com que se relacione no
exercício das suas tarefas.

CLÁUSULA SEGUNDA

1 – O TRABALHADOR prestará o seu trabalho sob as ordens, direcção e fiscalização da


ENTIDADE EMPREGADORA ou de quem legitimamente a represente, nas instalações da
ENTIDADE EMPREGADORA.
Página 1 | 4
2 – O TRABALHADOR desde já, manifesta sem reservas, a concordância de, a solicitação
da ENTIDADE EMPREGADORA e em caso de necessidade desta, prestar o seu trabalho noutro
local.
CLÁUSULA TERCEIRA

1 – A duração do horário de trabalho semanal é de 44 horas, prestado em cinco dias e


meio durante toda a duração do presente contrato, dando o TRABALHADOR o seu
consentimento a tal facto. O período normal de trabalho semanal será de segunda a sexta-feira
das 08h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00, e aos sábados das 08h00 às 12h00.
2 – O TRABALHADOR obriga-se a comparecer no local de trabalho com pontualidade e
assiduidade, avisando a ENTIDADE EMPREGADORA em caso de impossibilidade de se fazer
presente, bem como justificar fundadamente e por escrito as suas ausências no local de
serviço, no prazo máximo de 5 (cinco) dias. Caso não seja feita a justificação com base nos
preceitos acima referidos ou feita por falsas declarações, será considerada falta injustificada e
constitui uma infracção disciplinar conforme estipulado pelo Art.º 144.º da Lei Geral do
Trabalho.

CLÁUSULA QUARTA

O presente contrato é celebrado pelo prazo de 3 Meses com início desde a assinatura,
podendo ser renovado, por períodos sucessivos de 3 meses, nos termos da lei.

CLÁUSULA QUINTA

1 – A ENTIDADE EMPREGADORA pagará ao TRABALHADOR um salário mensal ilíquido de Akz


40.000,00 (Quarenta mil Kwanzas), sujeito aos respectivos encargos legais.
2 – O pagamento será efectuado através de transferência bancária ou em numerário.

CLÁUSULA SEXTA

Durante os primeiros 30 dias de execução do contrato qualquer das partes o pode rescindir,
sem aviso prévio nem invocação de justa causa, não havendo lugar a qualquer indemnização,
matéria esta regulada no Art.º 18.º da Lei Geral do Trabalho.

CLÁUSULA SÉTIMA

O presente contrato caduca no termo do prazo inicial estipulado ou de cada uma das suas
renovações, desde que qualquer uma das partes comunique ao outro a vontade de o não
renovar, no prazo legal, por escrito, em documento entregue pessoalmente ou em carta
expedida com aviso de recepção.
CLÁUSULA OITAVA

As situações previstas no presente contrato de trabalho são regidas à luz da expressa vontade
das partes e em harmonia com a legislação laboral em vigor.

Página 2 | 4
CLÁUSULA NONA

1 – Durante a vigência do presente contrato, a ENTIDADE EMPREGADORA poderá facultar


ao TRABALHADOR, a título de empréstimo gratuito, a utilização de bens considerados
necessários ou convenientes para o exercício das suas funções (adiante conjunta e
abreviadamente designados por "Bens").

2 – Os Bens permanecerão propriedade da ENTIDADE EMPREGADORA, obrigando-se o


TRABALHADOR a, com a cessação do presente contrato, independentemente do motivo da
mesma, ainda que imputável à ENTIDADE EMPREGADORA, proceder à sua imediata restituição,
não podendo invocar direito de retenção.

3 – Os Bens destinam-se a ser utilizados pelo TRABALHADOR no âmbito e para fins


profissionais, obrigando-se o TRABALHADOR a fazer uma utilização prudente dos mesmos.

4 – Independentemente do preceituado nos números anteriores, o TRABALHADOR está


obrigado a restituir ou permitir o exame dos Bens sempre que a ENTIDADE EMPREGADORA o
solicite.

CLÁUSULA DÉCIMA

O presente contrato de trabalho poderá ser alterado ou modificado nas condições previstas na
Lei geral do Trabalho ou por mútuo acordo das partes.

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA

1 – Durante a execução do presente contrato, o TRABALHADOR obriga-se a não


desenvolver, directa ou indirectamente, por conta própria ou alheia, qualquer actividade que
possa conflituar ou concorrer com a actividade desenvolvida pela ENTIDADE EMPREGADORA.
2 – O TRABALHADOR compromete-se a, durante a vigência e após a cessação deste
contrato por qualquer causa, manter total confidencialidade e a não tirar partido, directa ou
indirectamente, dos conhecimentos e informações a que tenha acesso no exercício das suas
funções, relativos à ENTIDADE EMPREGADORA ou aos clientes desta.
3 – Sem prejuízo da sanção disciplinar eventualmente aplicável, a violação do disposto
nos números anteriores confere à ENTIDADE EMPREGADORA o direito de ser indemnizada de
todos os danos provocados.
CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA

O TRABALHADOR obriga-se a frequentar e a procurar tirar o melhor aproveitamento das acções


ou estágios de formação profissional que a ENTIDADE EMPREGADORA considere necessários
para o bom desempenho profissional daquele, sendo todas as despesas inerentes da
responsabilidade da ENTIDADE EMPREGADORA.

Página 3 | 4
CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA

1 – O presente contrato é um duplicado e composto por 4 (quatro) páginas, que vão ser
assinadas pelas partes.
2 – Os litígios que resulte da execução ou interpretação do presente contrato serão
resolvidos amigavelmente. Caso não haja acordo entre as partes, será competente a sala do
Trabalho do Tribunal Provincial de Malanje.

Ambas as partes aceitam o presente contrato nos seus precisos termos exarados,
manifestando que o mesmo exprime a sua vontade com a assinatura que dele vão fazer.

Malanje, 01 de Novembro de 2021

O TRABALHADOR

___________________________________________________________________

(assinatura)

A ENTIDADE EMPREGADORA

_____________________________________________________________________
(assinatura)

Página 4 | 4

Você também pode gostar