Você está na página 1de 69

CAPITAL DE

GIRO E ANÁLISE
FINANCEIRA
Gestão da análise de crédito e
capital de giro

Renato Silva
• Unidade de Ensino: 04

• Competência da Unidade: Conhecer as demonstrações contábeis e índices


econômicos, financeiros e empresariais.

• Resumo: Conhecer os aspectos da gestão de recursos financeiros, análise de


crédito e capital de giro para a gestão financeira empresarial.

• Palavras-chave: Capita de giro. Capital de giro líquido. Capital de giro próprio.


Ciclo operacional.

• Título da Teleaula: Gestão de Crédito e Capital de Giro

• Teleaula nº: 04
Administração do
capital de giro Avaliação de risco de crédito

Conceitos sobre
capital de giro Avaliação de valores a
Gestão da análise
receber
de crédito e
capital de giro
Situação Geradora de Aprendizagem
Você vai precisar apresentar um relatório de análise
de CAPITAL DE GIRO da CASA BLANCA.

Deve apurar:
a) Calcular o ciclo operacional e o ciclo financeiro.
b) Calcular a necessidade de investimento em giro.
c) Fazer uma análise geral sobre a administração
financeira de curto prazo.
Fonte: Silva (2016)
Conceitos

INTRODUÇÃO AO CAPITAL DE
GIRO
CAPITAL DE GIRO
O Capital de Giro é o valor que a empresa precisa para operar, para
realizar a sua atividade econômica.
Ele é representado pelos itens de consumo rápido na empresa.
CAPITAL DE GIRO
O capital de giro (CG) representa, então, o valor
total de recursos que a empresa necessita para
financiar seu ciclo operacional, que começa com a
necessidade de compra de matérias-primas
(estoques =>fornecedores) até a venda e
recebimento dos seus produtos ou serviços
Capital de Giro Líquido (circulante)
CGL = AC – PC

CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO

ATIVO CIRCULANTE - PASSIVO CIRCULANTE


Capital de Giro Líquido – CGL
ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE
Capital Circulante Líquido – CCL 300.000,00 225.000,00

ATIVO NÃO PASSIVO NÃO


CIRCULANTE CURCULANTE
CCL = AC – PC
CCL = 300.000 – 225.000 PATRIMÔNIO LÍQUIDO

CCL = 75.000,00

Dos 300.000 aplicados no ativo circulante, 225.000 são


dívidas e obrigações de curto prazo, restando 75.000 de
“folga” de liquidez para a empresa.
Capital de Giro Próprio (CGP)
O Capital de Giro Próprio representa a parcela
dos recursos investidos em Capitais de Giro
(estoques, financiamento de clientes, etc.) que
teve origem nos Capitais Próprios da empresa
(Capital Social e Lucros Acumulados).
Capital de Giro Próprio (CGP)
É o montante de Capitais Próprios que restam
para aplicação no Giro, depois que forem feitas
todas as aplicações em Investimentos
Imobilizados (móveis, imóveis, veículos,
máquinas, equipamentos, etc.) e no realizável a
Longo Prazo.
Capital de Giro Próprio (CGP)
CGP=Patrimônio Líquido - Realizável Longo prazo
ou
CGP=Patrimônio Líquido - Realizável Longo prazo –
Imobilizado
ou
CGP=Patrimônio Líquido – Ativo Não Circulante
Ciclo Operacional
CO=PME+PMR
Em que:
CO = Ciclo Operacional;
PME = Prazo médio de estocagem;
PMR = Prazo Médio de recebimento.
Resolução da SP

Calculando o ciclo financeiro da


Casa Blanca
1º passo: Calcular o Capital de Giro Líquido
Calcular o Capital de Giro Líquido (CGL ou CCL) para os dois anos apresentados:
1º passo: Calcular o Capital de Giro Líquido
2º passo: Apurando o capital de giro próprio (CGP)
Máquinas e equipamentos são classificados no imobilizado e não no realizável a
longo prazo.
Os dados fornecidos pela empresa não permitem calcular o CGP, porque não
informam o realizável a longo prazo.

CGP = Patrimônio Líquido – Realizável a longo prazo


Resolução da SP

Calculando o ciclo financeiro da


Casa Blanca
3° passo: apurando o ciclo operacional e o ciclo
financeiro da empresa
Precisamos calcular:
Prazo Médio de Estocagem (PME)
Prazo Médio de Recebimento (PMR)
Prazo Médio de Pagamento (PMP)
Calculando o Prazo Médio de Estocagem (PME)
PME = (estoque médio/CMV) x 360 PME = 69,64 dias
O PME é de
aproximadamente 70 dias.
PME = ((2.000 + 4.500/2) / 16.800) x 360

PME = (3.250 / 16.800) x 360

PME = (0,19) x 360


Calculando o Prazo Médio de Recebimento (PMR)
PMR = (contas a receber médio/vendas) x 360 PMR = 42,10 dias
O PMR é de aproximadamente
PMR = ((2.800 + 11.000/2) / 59.000) x 360 42 dias.

PMR = (6.900 / 59.000) x 360

PMR = (0,12) x 360


Calculando o Prazo Médio de Pagamento (PMP)
PMP = (fornecedores/compras) x 360 PMP = 79,25 dias
O PMP é de aproximadamente
80 dias.
PMP = ((3.000 + 4.000/2) / 15.900) x 360

PMP = (3.500 / 15.900) x 360

PMP = (0,22) x 360


Calculando o Ciclo Operacional
PME = 69,64 dias
O PME é de
aproximadamente 70 dias.
PMR = 42,10 dias
O PMR é de aproximadamente
42 dias.
Análise: O ciclo operacional da empresa é de
112 dias. Assim, do recebimento da matéria-
prima até o recebimento das vendas, e empresa
precisa desse prazo.
Calculando o Ciclo Financeiro

PMP = 79,25 dias


O PMP é de aproximadamente
80 dias.

Análise: o ciclo financeiro é de 32 dias. Esse é


o prazo que ela precisa financiar suas
operações porque precisa pagar seus
fornecedores 32 dias antes do recebimento
das vendas.
Resolução da SP

Calculando o RETORNO da Casa


Blanca
ROE – Retorno sobre o Patrimônio Líquido
Risco e Retorno
Posturas:

CONSERVADORA
MÉDIA
AGRESSIVA
Para cumprir sua tarefa, considere as seguintes premissas:
ATIVO NÃO CIRCULANTE 26.000 ATIVO CIRCULANTE
Passivo Circulante: 30% do ativo total Cenário Agressivo: igual ao ano 20X1
Passivo Não Circulante: 20% do ativo total Cenário Moderador: aumento de 20%
Cenário Conservador: aumento de 40%; Cenário Conservador: aumento de 40%;
Patrimônio Líquido: 50% do ativo total
Lucro Operacional Bruto: 30.000
Despesa financeira: 15% do capital
de terceiros
Alíquota de IR: 40%
Primeiro faça um
quadro para
comparar as três
estratégias

Agressivo: igual 20x1


Moderador: 20%
Conservador: 40%
Análise após a
aplicação das
premissas
Calculando o
ROE projetado
para cada uma
das estratégias

(*) os percentuais do ROE estão arredondados

ROE = lucro líquido/patrimônio líquido


Calculando
o ROE projetado
para cada uma
das estratégias
Análise dos dados apurados
A empresa deve ponderar as
relações de risco-retorno.
Pode adotar uma Ficar atenta a
posição mais gestão de estoque A empresa tem um índice de
agressiva e ter e de credito para
maior não comprometer liquidez confortável, de 1,5
rentabilidade. sua operação.
(AC22.500/PC15.000).

Como a empresa tem folga


de liquidez, a sugestão
é pela postura mais
agressiva.
Interação

Perguntas?
O ROE é útil para comparar a
rentabilidade de uma empresa
com a rentabilidade de outras
do mesmo setor.
O retorno sobre investimentos pode ser calculado pela divisão
do lucro operacional líquido pelo ativo operacional médio, ou
pelo produto do giro do estoque pela margem operacional?
O retorno sobre investimentos pode ser calculado pela divisão
do lucro operacional líquido pelo ativo operacional médio, ou
pelo produto do giro do estoque pela margem operacional?
CORRETO
Conceitos

AVALIAÇÃO DE RISCO DE
CRÉDITO
Política de Crédito
Uma política de crédito envolve, basicamente, o estudo de
quatro elementos:

1. Análise de Padrões de Crédito


2. Prazo de Concessão
3. Descontos Financeiros por Pagamentos
Antecipados
4. Políticas de Cobrança
Os 5 C’s do CRÉDITO
CARÁTER
CAPACIDADE
CAPITAL
COLATERAL
CONDIÇÕES
Resolução da SP

Política de crédito da Casa


Blanca
Política geral de crédito
Vamos refletir sobre a criação de uma política geral de crédito,
analisando 4 delineadores básicos:
(1) Padrões de crédito
(2) Prazo de concessão de crédito
(3) Descontos financeiros por pagamentos antecipados
(4) Políticas de cobrança
(1) Padrões de Crédito
1. Análise do risco: análise será pela modelo tradicional ou
não tradicional?
2. Haverá a utilização de modelos estatísticos para predição
de inadimplência?
(1) Padrões de Crédito
3. Quais informações/documentação serão utilizadas para
análise do crédito?
4. Para concessão de crédito para vendas a prazo,
os clientes são classificados em categorias de risco?
5. Quais serão essas categorias?
(2) Prazo de concessão de crédito
Qual o prazo médio de concessão de crédito?
São concedidos prazos de pagamento para 30, 60 e 90 dias e
o prazo médio no último período estudado é de 45 dias.

Esse prazo é condizente com a estratégia de


capital de giro da empresa e é monitorado
constantemente.
(3) Descontos financeiros por pagamentos
antecipados
A empresa vai adotar a concessão de descontos?
Como o prazo médio de recebimento combina com a
estratégia de capital de giro, não será adotada a
política de concessão de descontos por pagamentos.
O monitoramento do prazo médio de recebimento é
constante e os descontos só serão utilizados se esse
prazo for maior que 45 dias, comprometendo o
capital de giro.
(4) Política de cobrança
Como você classifica a política de cobrança
da empresa, rígida, intermediária ou “folgada”?
É classificada como intermediária, já que o processo de análise
de risco é bastante rigoroso.
Quais procedimentos de cobrança?
O objetivo é garantir o recebimento
tempestivo dos valores a receber.
Procedimentos de Cobrança

Fonte: Silva (2016)


Conceitos

AVALIAÇÃO DE VALORES A
RECEBER
Avaliação de valores a receber
Vamos agora estudar quais são as principais
medidas financeiras de uma política de
crédito e medidas de controle de crédito.
Avaliação de valores a receber
Segundo Assaf Neto (2007, p. 569-570), "as
mais importantes medidas, típicas de
empresas que vendem a prazo, podem ser
classificadas em: despesas com devedores
duvidosos, despesas gerais de crédito,
despesas de cobrança e custos de
investimento marginal em valores a
receber".
Avaliação de valores a receber
Após uma política de crédito, uma empresa
tem que monitorar suas contas a receber para
analisar se a sua política de crédito está ou
não funcionando com eficácia.
Avaliação de valores a receber
Duas ferramentas que as empresas utilizam
para monitorar as contas a receber são o
prazo de recebimento em dias (ou período
médio de recebimento) e o cronograma de
vencimentos.
Avaliação de valores a receber
Com esse controle a empresa procura, entre
outras informações gerenciais importantes:
• Apurar o nível de atraso com que os clientes
estão pagando;
• Processar uma análise dos clientes de forma a
identificar a pontualidade com que saldam seus
compromissos;
Avaliação de valores a receber
• Identificar as razões de determinada variação
na carteira de valores a receber. Por exemplo, um
aumento do montante das duplicatas a receber
pode ser devido a maiores vendas,
dilatação do prazo de cobrança e maior volume
de atrasos nos pagamentos
AGING
• É uma medida de estudo cronológico dos valores a receber
(ou a pagar) mantidos por uma empresa.
DVR
• É a relação entre os valores a receber e as vendas médias
diárias. O resultado mostra em média, quantos dias, das
vendas que foram realizadas no ano, ainda não foram
recebidas.

DVR
Avaliação conjunta Aging e DVR
Abertura das contas a receber
Para o ano 20X1 as Organizações Casa Blanca tinham projetado
(orçado) os seguintes valores:

Calculando o DVR
(8.000/40.000) x 360 = 72
Resolução da SP

Calculando os valores a receber


Inicialmente vamos calcular o aging dos valores a receber:
Iremos totalizar a tabela e calcular a proporção de cada
vencimento.
Análise
A empresa tem uma carteira em dez/20X1 de R$ 11.000,00
de contas a receber.
Desse valor 10% (R$ 1.100,00) já estão vencidos e ela deve
tomar alguma medida de cobrança.

70% da sua carteira irá vencer em até um mês.


20% restantes vencem em dois meses.
Calcular o DVR – dias de vendas a realizar

DVR 20x0 DVR 20x1


(2.800/13.000) x 360 (11.000/59.000) x 360
Análise
O número de dias de vendas a receber foi
reduzido de quase 78 dias em 20X0 para
aproximadamente 67 dias em 20X1.
Esse é um indicador positivo e pode ser
atribuído a melhor performance da política
de cobrança da empresa.
Análise
Para análise da variação do saldo dos valores a receber,
primeiro compare o orçado e o realizado e justifique as
variações, se devidas pelo
incremento das vendas ou pela alteração na política de
crédito:
Leitura da Análise

Cálculo da Variação pelas Vendas

= −
A empresa fez um orçamento de 8.000 de contas a receber e o
realizado foi de 11.000.
Portanto, um incremento de 3.000.

Essa variação positiva é explicada:


+ 600 por incremento nas vendas
2.400 pela política de crédito
3.000
Interação

Dúvidas
Conceitos

Recapitulando
RECAPITULANDO
Introdução ao capital de giro
Administração do capital de giro
Avaliação de risco de crédito
Avaliação de valores a receber

Você também pode gostar