Você está na página 1de 9

Programa

Algo Novo

22
diretoria A transformação que a OAB precisa,
subseção começa com Algo Novo de verdade

Marco Fran
Alexandre Rocha
Presidente Vice-presidente
Advogado Criminal, Advogada, Mestra em Ciências
Doutor em Direito Penal, Jurídicas, Especialista em
Pós-Doutor em Direito das Famílias e Sucessões
Criminologia e Professor. e Direito LGBTQIA+.

Nilvânia Ozório César


Moreira Campaner
Secretária Adjunta Secretário Geral
Advogada, Graduada em Advogado, Mestre em
Pedagogia pela Direito do Trabalho pela
Universidade Estadual de PUC - Pontifícia
Maringá, Especialista em Universidade Católica de
Direito do Trabalho e São Paulo, Especialista em
Direito Previdenciário pelo Direito Sindical pela
Instituto de Direito ESA-São Paulo, Professor de
Constitucional e Cidadania. Pós-Graduação.

22
Jonnathas
Tofaneto
Tesoureiro
Advogado especialista em
Direito Processual Civil e
Direito Médico, Membro
Fundador e Presidente do
Instituto de Estudos para o
Desenvolvimento da
Advocacia (IEDA). @algonovomaringa

Algo Novo
Paraná Marcelo Thais
Trindade Takahashi
Presidente Vice-presidente
conselho subseção
Marlene Angela Regina Alexandre Aline
Mardegam Aparicio Lemes Casado

Jorge José Accir Mirela Laercio Andréia Aldrei Paulo Alex


Villalobos Marcondes Jr Martins de Lessa Souza da Silva Tironi
Oliveira

Renata de Letícia Luís Claudete Alisson Alex de Bruno


Oliveira de Matos Fernando Gomes da Rosa Oliveira Schmidt
Lessa Centurião Silva

Camila Carolina Édna Fernando Jefferson João Paulo Luciana


Rosa Cleópatra Meneghin do Monte Cupertino Lopes Colosio
Imai

Marco Nathiely Valéria Vivian Walter de


Bosio Chaves Galdino Vieira Silva Souza
Fernandes

conselho seccional
Adilson Reina Leandro Luciana Silvio
Coutinho Ferreira Souza Fante Januário
Bernardo

Isadora Vier
Machado
Secretária-geral
adjunta

Jacheline Marino Elígio Vanda de Tania


Batista Pereira Gonçalves Oliveira Gonçalves
Silva Cardoso de Paula

caixa de
assistência
Moisés
Adão Batista
Diretor
Alessandro Gustavo
Zenni Noronha de
Ávila
1
Valorização da Advocacia e
Defesa Ativa das Prerrogativas
Instituir o Sistema de Valorização da Advocacia e Defesa Ativa das
Prerrogativas, constituído, além da comissão e procuradoria
correspondentes por Câmara presidida por membro da diretoria e formada
por conselheiros e conselheiras da subseção, reforçando tanto a
conscientização sobre a importância das prerrogativas quanto a apuração
e responsabilização das violações.
Criar o programa “Vigilante”, que promoverá campanhas com caráter
pedagógico e preventivo, bem como realizará oficinas permanentes
focadas na formação e preparação de advogadas e advogados e no manejo
dos instrumentos de defesa das prerrogativas.
Implementar uma política específica de capacitação para a área da solução
consensual de conflitos, judiciais ou extrajudiciais.

2
Direitos Humanos e Justiça Social
Garantir a participação paritária de gênero e racial na representação da OAB
Maringá junto aos Conselhos de Direitos já existentes e nos demais órgãos
públicos locais.
Apoiar e participar da criação de uma “Ouvidoria de Direitos Humanos” em
nível regional, orientada ao acolhimento, encaminhamento e
acompanhamento de eventuais denúncias aos órgãos públicos
responsáveis pela apuração e responsabilização de violações.
Travar relações institucionais com o Poder Público e organizações da
sociedade civil, inclusive empresariais, que promovam a defesa dos direitos
e a promoção de políticas públicas de ações afirmativas para a população
negra, disponibilizando de forma consultiva assessoria jurídica voltada ao
tema das relações raciais.

@algonovomaringa
3
Dignidade Material da Advocacia
Reforçar e ampliar as estruturas de coworking existentes, guarnecendo-as de
espaços e equipamentos necessários à realização de atendimentos e
audiências, além da oferta de serviços de escritório a preços subsidiados.
Demandar, junto ao Ministério Público do Trabalho, pela implementação de
uma campanha de conscientização e fiscalização de escritórios que fraudam
a legislação trabalhista, especialmente por meio da inclusão fictícia de
advogadas e advogados como sócios minoritários.
Combater a contratação de advogadas e advogados como analistas jurídicos.

4
Advocacia Iniciante
Criar o programa “Incubadora da Advocacia” visando a profissionalização de
advogadas e advogados, especialmente iniciantes, oferecendo suporte de
gestão administrativa e financeira, de marketing jurídico e planejamento
estratégico, promovendo interação com lideranças de escritórios consolidados.

Garantir a participação da jovem advocacia no âmbito da política interna da


OAB e nas decisões institucionais, com a participação de representante da
Comissão da Advocacia Iniciante nas reuniões do Conselho da Subseção, com
direito a voz.

Prestar o necessário apoio à política de escalonamento para o pagamento de


anuidades proposta pela Algo Novo em nível estadual, iniciando com 100% de
isenção para o primeiro, com descontos até o quinto ano de inscrição.

@algonovomaringa
5
Advocacia Dativa
Exigir a rigorosa observância do sistema instituído pela Lei Estadual
n. 18.664/2015, especialmente por parte do Poder Judiciário, aprimorando o
controle da OAB bem como das advogadas e advogados cadastrados sobre as
nomeações judiciais realizadas.
Defender perante as diversas instâncias competentes, especialmente a OAB PR,
pelo cumprimento do art 22, 3º do Estatuto da Advocacia e da OAB no
concernente aos honorários de advogadas e advogados dativos, com o
pagamento de um terço no início do serviço, outro terço até decisão de primeira
instância e o restante no final.
Viabilizar a construção de um aplicativo eletrônico (app) em que a transparência
exigida seja facilitada às advogadas e advogados inscritos para advocacia dativa
tanto na Justiça Estadual quanto na Justiça Federal.

6
Transparência e Governança
Implementar gestão participativa com a realização de reuniões públicas para
versar sobre o orçamento, em especial, com a consulta prévia à categoria no
caso de investimentos de maior envergadura.

Criar Programa de Compliance na OAB Maringá garantindo uma gestão íntegra


e ética com mais transparência e conferindo maior efetividade aos controles
internos e externos por parte de sua diretoria, membros, equipe administrativa,
e terceiros que se relacionam com a OAB.

Promover a divulgação pormenorizada, periódica e clara da destinação dos


recursos utilizados pela subseção, por meio da ampliação dos dados
disponibilizados pelo Portal da Transparência na internet.
Implementar a transparência dos procedimentos internos, com a transmissão
das reuniões do conselho.

@algonovomaringa
7
Representatividade e Democracia Internas
Incluir no Regimento Interno a ser aprovado a previsão da participação das
advogadas mulheres, advogadas e advogados negros, LGBTQIA+, idosos e
com deficiência, nas comissões e demais espaços, especialmente de
deliberação, da OAB Maringá.
Incluir no Regimento Interno a ser aprovado a previsão de que pelo menos
50% das presidências das comissões sejam ocupadas por mulheres e por
advogadas e advogados negros.
Realizar, por meio de ampla pesquisa, o “censo da Advocacia da Subseção
de Maringá” com a finalidade de reconhecer, com base em evidências
qualitativas e quantitativas, as reais demandas da advocacia a curto, médio
e longo prazos.

8
Cultura, Esporte e Lazer
Instituir política cultural destinada à Advocacia, com a criação de centro
cultural permanente na sede da subseção, otimizando o uso da estrutura
da OAB, com a disponibilização do auditório e estrutura para eventos
culturais.

Ressignificar a política de esportes a partir do reconhecimento mais


qualificado das preferências e necessidades do conjunto da categoria,
ampliando as modalidades esportivas promovidas pela subseção.

@algonovomaringa
9
Compromisso Ecológico
Envolver-se em ações sociais e acadêmicas capazes de posicionar a
subseção à frente das discussões locais, regionais, nacionais e
internacionais sobre justiça climática e demais pautas ecológicas.
Implantar um sistema de gestão sustentável na subseção para a
economia de recursos e respeito aos cinco princípios da Agenda 2030:
pessoas, planeta, prosperidade, parcerias e paz.

10
Advocacia Pública
Defender a inconstitucionalidade da PEC 32, a chamada PEC da reforma
administrativa, que fragiliza os direitos do servidor público, incluindo aí o
advogado público, bem como de outros projetos legislativos em trâmite e
que precariza a sua digna atuação.
Exigir o respeito às prerrogativas do advogado público perante os órgãos
externos e contra abuso de autoridade, assédio moral e outras ações
ilegítimas de superiores hierárquicos ou integrantes da cúpula do órgão
ou ente a que estiver vinculado.

@algonovomaringa
A transformação que a
OAB precisa, começa com
Algo Novo de verdade

@algonovomaringa

22

Você também pode gostar