Você está na página 1de 3

Rômulo Delgado Silva, brasileiro, viúvo, empresário, portador da identidade 113, CPF

114, residente e domiciliado na Avenida Brás Montes, casa 72 – Boa Vista – Roraima
– CEP 222, em entrevista com seu advogado, declara que foi sócio da pessoa jurídica
Delgado Jornais e Revistas Ltda., tendo se retirado há 2 anos e 8 meses da empresa;
que foi surpreendido com a visita de um Oficial de Justiça em sua residência, que da
primeira vez o citou para pagamento de uma dívida trabalhista de R$ 150.000,00,
oriunda da 50ª Vara do Trabalho de Roraima, no Processo 0011250-
27.2013.5.11.0050 e, em seguida, 48 horas depois, retornou e penhorou o imóvel em
que reside, avaliando-o, pelo valor de mercado, em R$ 180.000,00; que tem apenas
esse imóvel, no qual reside com sua filha, já que viúvo; que o Oficial de Justiça
informou que há uma execução movida pela ex-empregada Sônia Cristina de Almeida
contra a empresa que, por não ter adimplido a dívida, gerou o direcionamento da
execução contra os sócios; que foi ao Fórum e fotocopiou todo o processo, agora
entregue ao advogado; que nas contas homologadas, sem que a parte contrária
tivesse vista, foi verificado que a correção monetária foi calculada considerando o mês
da prestação dos serviços, ainda que a sentença fosse omissa a respeito; que, ao
retornar para penhorar o imóvel, o oficial informou que a dívida havia aumentado em
10%, porque o juiz aplicou a multa do artigo 475-J, do CPC.

Diante do que foi exposto, elabore a medida judicial adequada para a defesa dos
interesses do entrevistado, sem criar dados ou fatos não informados. (Valor: 5,0)
01 DOUTO JUÍZO DA 50ª VARA DO TRABALHO DE BOA VISTA – RORAIMA
02
03 Processo nº 0011250-27.2013.5.11.0050
04
05 RÔMULO DELGADO SILVA, brasileiro, viúvo, empresário, portador d identidade
06 113, CPF 114, residente e domiciliado na Avenida Brás Montes, casa 72 – Boa
07 Vista – Roraima – CEP 222, e-mail..., em que contende com SÔNIA CRISTINA
08 DE ALMEIDA, qualificação e endereço completo..., vem respeitosamente perante
09 Vossa Excelência, por seu advogado, com fundamento no art. 884 da CLT,
10 apresentar
11 EMBARGOS À EXECUÇÃO
12 Pelas razões de fato e de direito que passa a expor:
13
14 DOS FATOS
15 Rômulo Delgado Silva, foi sócio da pessoa jurídica Delgado Jornais e Revistas
16 Ltda., tendo se retirado há 2 anos e 8 meses da empresa, sendo que foi
17 surpreendido com a visita de um Oficial de Justiça, em sua residência, onde o
18 citou para pagamento de uma dívida trabalhista de R$ 150.000,00, oriunda
19 deste processo, e, em seguida, realizou a penhora do imóvel em que reside.
20 No entanto a execução não deve prosperar pelas razões que seguem.
21
22 DO CABIMENTO E ADMISSIBILIDADE DOS PERSENTES EMBARGOS
23 Destaca-se que estão previstos os requisitos próprios dos embargos à execução,
24 já que garantido o juízo, com imóvel em que reside com sua filha, avaliado em
25 R$ 180.000,00, e é tempestivo, pois dentro do prazo de 5 dias contados da
26 garantia.
27
28 IMPOSSIBILIDADE DE EXECUÇÃO DE EX-SÓCIO
29 O embargante foi sócio da pessoa jurídica Delgado Jornais e Revistas Ltda.,
30 tendo se retirado há 2 anos e 8 meses da empresa.
31 Por isso, não pode ter a execução direcionada contra si, pois se retirou da
32 sociedade há mais de 2 anos, conforma art. 1.003 § único, do CCB e art. 10-A
33 caput, da CLT.
34 Assim, deve ser o embargante excluído do polo passivo da presente execução
35 BEM DE FAMÍLIA – IMPENHORABILIDADE
36 O Oficial de Justiça penhorou o imóvel em que reside o embargante, seu único
37 imóvel, no qual reside com sua filha, já que viúvo, avaliando-o, pelo valor de
38 mercado, em R$ 180.000,00.
39 Ocorre que se trata de bem de família, não passível de penhora conforme
40 determinação do art. 1º da Lei nº 8.009/90, que elenca um rol de bens
41 impenhoráveis. Assim, requer a desconstituição da penhora.
42
43 DA CORREÇÃO MONETÁRIA
44 Conforme se depreende dos autos, a correção monetária foi calculada
45 considerando o mês da prestação dos serviços, ainda que a sentença fosse
46 omissa a respeito.
47 Porém, a correção monetária deveria ser calculada pelo índice do mês seguinte
48 ao da prestação dos serviços, conforme Súmula nº 381, do TST.
49 Assim, deve ser recalculado o débito, considerando o índice do mês seguinte
50 ao da prestação dos serviços.
51
52 MULTA DO ARTIGO 523, §1º DO CPC
53 Conforme informações do Oficial de Justiça, a dívida havia aumentado 10%
54 porque o juiz aplicou a multa do artigo 523, §1º do CPC.
55 Ocorre que, a multa do artigo 523, §1º do CPC é indevida no Processo do
56 trabalho, que possui regra própria, conforme art. 880, da CLT.
57 Diante disso, requer seja afastada a multa.
58
59 DOS PEDIDOS
60 Diante do exposto requer:
61 a) A notificação do embargado para, querendo, apresentar resposta;
62 b) A procedência dos embargos para determinar a exclusão do embargante
63 do polo passivo da presente ação, bem como para reconhecer a
64 impenhorabilidade do bem de família, e a correção monetária pelo índice do mês
65 seguinte ao da prestação dos serviços, e a inaplicabilidade da multa do art. 523
66 §1º do CPC;
67 c) Protesta pela produção de todas as provas em direito admitidas;
68
69 Valor da causa: R$...
70 Nestes termos, pede deferimento
71 Local... Data...
72 Advogado... OAB...

Você também pode gostar