Você está na página 1de 122

1

REVISTA CONHECER – REVISTA


INTERDISCIPLINAR DA FACOAM
Camaçari. Ano 1, número 1, jan./jun. 2020. ISSN 2675-6064
Publicação semestral

EXPEDIENTE:

Conselho Editorial
Alfons Heinrich Altmicks Jorge Henrique Valença
Mestre em Ciências da Educação (USCar). Mestre em Ciências da Educação (ULHT,
Mestre em Planejamento Territorial e Portugal). Doutor em Teologia (FASTESP).
Desenvolvimento Social (UCSal). Doutorando Secretaria de Educação do Estado da Bahia.
em Educação e Contemporaneidade (UNEB).
Professor da Universidade Católica do Maria Candida Maiffre Ribeiro Costa
Salvador. Mestra em Gestão Integrada de organizações
(UNEB). Doutora Honoris Causa em Educação
Genivaldo Luiz Santos de Jesus (Erich From World University, Florida, USA).
Mestre em Educação e Contemporaneidade Doutora Honoris Causa em Gestão Esportiva
(UNEB). Doutor em Educação (Universidad (UCSAL). Professora aposentada da UFBA.
Nacional de Rosário, Argentina).
Medson Janer da Silva
Girleide da Silva Xavier Mestre em Agronomia (Escola Superior de
Mestra em Educação e Contemporaneidade Agricultura Luiz de Queiroz), doutor em
(UNEB). Geografia Humana (USP). Professor Visitante
no Curso de Engenharia Ambiental Campus
Jader Cristiano M. de Albuquerque XXIV da UNEB.
Mestre em Administração (UFBA). Doutor em
Difusão do Conhecimento (UFBA). Professor
da Universidade do Estado da Bahia.

Revisão: Raphael Matos Dourado; Capa/editoração: Alfons Heinrich Altmicks; Ilustração: https://pixabay.com/pt/ ( public domain).

Avenida 28 de setembro, 338 - Alto da Cruz -Camaçari-BA. CEP 42.803-105


Fone:3027-3400 / E-mail: facoam.direc@yahoo.com
Diretor: Prof. Osvaldo Miranda Filho
Coordenador: Prof. Dr. Jader Cristiano Magalhães de Albuquerque
Distribuído e comercializado por

AGBook do Brasil S/A


Rui Barbosa, 468/472 – Bela Vista
São Paulo/SP – 01.326-010

Impresso on demand por

Alphagraphics do Brasil S/AAv. Brig. Faria Lima , 2941 – Jardim Paulistano


São Paulo/SP – 01.452-000
periódico mantido pela
FACULDADE OSVALDO ALVES MIRANDA
Publicação semestral circunscrita ao tema da Educação. As opiniões
emitidas são da exclusiva responsabilidade de seus autores.

Revista Conhecer – Revista Interdisciplinar / Faculdade Osvaldo Alves Miranda – a. 1, n. 1


(jan./jun.,2020) – Camaçari: FACOAM, 2020-

Periodicidade semestral

ISSN 2675-6064

1. Interdisciplinar. I. Faculdade Osvaldo Alves Miranda. II. Título.

CDD: 370.5

CDU: 37(05)
SUMÁRIO
9 Apresentação

11 A produção de charuto nos municípios do Recôncavo Baiano


Helder Silva de Melo
Medson Janer da Silva
Henrique Guimarães Silva

23 A influência da propaganda no comportamento do consumidor soteropolitano


Camila Jesus Almeida de Souza
Alfons Heinrich Altmicks

53 Compliance partidário
João de Melo Cruz Filho

61 Relacionamento entre empresa e cliente usando o Instagram: um estudo de caso da


empresa Espaço da Moda
Luana de Santana Ribeiro
Márcia Carvalhal
Marcello Chamusca

79 Tecnologia assistiva na Educação de Surdos: recursos de ensino construídos na


dinâmica da sala de aula inclusiva
Jusceli Maria Oliveira de Carvalho Cardoso
Márcia Raimunda de Jesus Moreira da Silva

91 O legado de Mãe Xanda no município de Lafaiete Coutinho/BA: etnicidade,


identidades e formas de resistência
Paulo Roberto Nogueira Silva
Maria de Fátima A. Di Gregório

99 Planejamento estratégico na gestão da escola pública


Jesus Gomes Filho
Cláudia de Faria Barbosa

113 O estudo da Matemática baseada em jogos infantis no terceiro ano do ensino


fundamental
Mackssaila Santos Bezerra
Apresentação
Com insuspeitada alegria, ora entregamos o primeiro volume da
Revista Conhecer, periódico científico impresso da Osvaldo Alves
de Miranda (FACOAM), legítima publicação da Zona
Metropolitana de Salvador, Município de Camaçari, Bahia, com
todas as idiossincrasias e todas as dificuldades que são peculiares
a esta geografia.
Os artigos, aqui disponibilizados, são fruto de pesquisas acuradas,
dos docentes e profissionais, que atuam na Região. O propósito
do nosso periódico é abrir um espaço initerrupto de debate, que
possa ser apropriado por todos aqueles que lutam em nome da
sociedade camaçariense, baiana, brasileira. O resultado de todo
este esforço pode agora ser conferido nas páginas desta
publicação.
Assim, sem mais tergiversações, entregamos a você, leitor, o nosso
periódico, Revista Conhecer, a revista interdfisciplinar da
FACOAM. Esperamos, sinceramente, que esteja ao seu contento e
à sua altura.
Boa leitura!
Equipe coordenadora

9
10
PRODUÇÃO DE CHARUTO NOS
MUNICÍPIOS DO RECÔNCAVO
BAIANO

Revista Conhecer. Camaçari, ano 1, n. 1, jan./jun. 2020. Pp. 11-22. ISSN 2675-6064.
Helder Silva de Melo
Instituto Federal de Educação Ciência
e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT)
helderbr@gmail.com

Medson Janer da Silva


Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
medsonjaner@hotmail.com

Henrique Guimarães Silva


Universidade de Cuiabá (Kroton)
henriqueguimaraessilva@gmail.com

RESUMO: Essa pesquisa foi desenvolvida em consulta ao Sinditabaco do estado da


Bahia, industrias do ramo e principalmente através de relatórios de entrevistas com
lavradores da região. A sua base é a perceptível decadência da produção do tabaco no
Recôncavo Baiano, que em 1945 chegou a produzir cerca de 44 mil toneladas passando
agora para, inexpressivas 2 mil toneladas. Desde o início do cultivo pelos colonizadores
no século XVII o tabaco nas últimas décadas apresenta quedas desenfreadas de
produtividade. Fatores como; abandono por políticas públicas da agricultura familiar
para o ramo; carga tributária do charuto igualitária para com o cigarro; contraditória
política governamental que por um lado busca erradicar a produção interna
inviabilizando grandes financiamentos para a indústria fumageira e por outro isenta a
importação dos charutos produzidos em Cuba, o que contribui para a degradação da
competitividade, manutenção e a produção do tabaco local. Pontualmente, características
como modernização e automatização do ambiente produtivo do Recôncavo, distinção da
carga tributária para com os charutos, implementação de uma eficiente fiscalização dos
mais diversos tipos de tabaco, que entra de forma ilegal principalmente pelas fronteiras
entre o Paraguai e a Bolívia. São aspectos relevantes para aumentar a média da produção,
garantindo assim a empregabilidade, recolhimento fiscal, expansão do mercado interno e
principalmente externo.

PALAVRAS-CHAVE: Fumo. Tabaco. Charuto. Imposto. Política Pública de


subsistência familiar.

11
1. Introdução armazéns, que ditam as regras de preço e
insumos. (SENA, 1991).

O presente trabalho busca demonstrar de A região do Recôncavo baiano tem no


forma quantitativa os mais diversos antigo arraial e também distrito de São
encargos existentes na atual política Félix, a cidade de Muritiba que desde a
pública de subsistência familiar do Brasil, sua emancipação em 1922, cultiva as
associados aos contraditórios combates à melhores e mais reconhecidas lavouras de
cultura agrícola não alimentícia, que é o fumo. A excelência e qualidade do plantio
tabaco. É sabido que os principais órgãos da região, da conhecida Mata Fina, deu
governamentais de apoio à agricultura origem a outros municípios como é o caso
familiar são avessos ao plantio e cultivo de Cabaceiras do Paraguaçu, o maior e
do fumo, porém desassistem as famílias mais importante centro de produtores que
que também tem em sua base de renda ainda permanece desde a época da
esta atividade. Adventos controversos ao colonização. (SINDITABACO, 2013).
combate interno e privilégios cedidos à
Assim como em Muritiba, também em
entrada de charutos vindos do exterior
Cruz das Almas se instalaram grandes
são associados às afirmações de que o
empresas exportadoras de tabaco, grandes
tabaco deve ser extinto do território
armazéns, e inúmeras fábricas de
nacional. (HELDER, 2013).
charutos. (SINDITABACO, 2013).
O plantio do fumo (Nome científico
Nicotiana Tabacum, Família Solanaceae) Figura 01: municípios do Recôncavo
no Recôncavo Baiano, em sua maior parte, Baiano
é feita dentro do sistema de integração,
onde o produtor possui exclusividade em
fornecer tudo o que produz à empresa
com a qual é integrado. Em troca a
empresa integrada fornece aos produtores .
as sementes, fertilizantes químicos,
inseticidas e capacitação, que tem nos
produtores por sua vez o
comprometimento de vender o produto
exclusivamente a tal empresa, sendo que
esta desconta os valores dos produtos
fornecidos pagando apenas a diferença
aos produtores. (SINDITABACO, 2013).
Fonte: Brasil Fazendas, 2013.
“A quase totalidade do comércio de fumo
na região é controlada pelas empresas As principais fabricas de charutos da
exportadoras que, além de financiar a Bahia tem em sua composição atual 7
produção por intermédio dos armazéns, unidades produtivas abaixo segue a
exercem grande controle sobre os preços descrição de cada uma de acordo com a
pagos aos produtores”. Agricultores das cidade onde esta instalada. Cachoeira:
famílias rurais da região que em sua PARAGUAÇU – Comércio de Charutos
minoria ainda sobrevivem do plantio do Paraguaçu Ltda, e TALVIS – Talvis
fumo, basicamente são controlados pelos Cigarrilhas e Charutos; Cruz das Almas:

12
JOSEFINA – Josefina Tabacos do Brasil composta por mulheres, quase todas
Ltda, MR – MR Charutos Ltda, e DON negras. Há ainda cerca de 2.300 famílias
FRANCISCO CHARUTOS – Fazenda que cultivam o tabaco em suas
Campo Verde Ltda; Maragogipe: propriedades.
MATHEÓ – Matheó Charutos e
Cigarrilhas Ltda; São Félix: 1.1 Justificativa
DANNEMANN – Cia. Brasileira de
Charutos Dannemann. (SINDITABACO, Boa parte do planeta está ciente que,
2013). fumar não traz benefícios à saúde. Quase
em todo lugar que se vá observamos as
Segundo o Diretor do SINDITABACO placas de ‘É proibido Fumar’. Está
Marcos Augusto Souza em uma entrevista banida no planeta inteiro, ou quase, toda
a Mário Bittencout e qualquer propaganda (J.R.GUZZO,
(https://www.uol/economia/especiais/c 2008).
harutos-do-reconcavo-
O fumante é visto, como um cidadão
baiano.htm#charuto-da-bahia), o tabaco
anormal e fora dos conceitos de
para charuto é produzido em 23 cidades
moralidade e/ou perigoso para à
do Recôncavo Baiano e reconhecido
sociedade. Dentro deste contexto
mundialmente, sobretudo o do tipo Mata
podemos afirmar que os fumantes cientes
Fina. O auge do setor na Bahia foi em
dos efeitos do tabaco, tão divulgado e
1910, quando a produção de folha de
classificado pela comunidade médica e
tabaco chegou a 30.734 toneladas.
mídias publicitárias, alimentam o desejo e
Segundo os produtores, a competição com
a satisfação que só a eles competem.
o cigarro, barreiras tarifárias e campanhas
Apreciadores do tabaco é a ponta da
antifumo, porém, fizeram a produção
cadeia que tem nos produtores, artesãos e
despencar para 2.060 toneladas em 2010,
governo sua inserção no giro da
nível semelhante ao da época colonial. O
economia. (HELDER, 2013).
setor do tabaco vem se reerguendo, mas
Segundo pesquisa da Vigilância de
ainda temos muitos problemas para
Fatores de Risco e Proteção para Doenças
enfrentar, sobretudo com governo, que
Crônicas, “a parcela da população que
proibiu a propaganda e impõe altas taxas
fuma caiu 50% nos últimos quatorze
de impostos, o que nos faz menos
anos”. (MINISTERIO DA SAÚDE DO
competitivos em relação a outros países
BRASIL, 2019).
produtores, como Cuba.
Continuando o Diretor destaca na Gráfico 01: fumantes no Brasil
entrevista, de que, a produção atual é de 20% 19%

4.000 toneladas de folha in natura, a 18%

grande maioria (97%) destinada à 16% 15% 15%

14%
exportação. Também são produzidos 13 12%
12% 12% 12%

milhões de unidades de charuto premium


Fumantes Brasil
10% 9% 9%
Homem

artesanais, 60% deles para serem 8% 7% Mulher


6%
exportados, sobretudo para a Alemanha. 4%

Outros destinos são China, América do 2%

Norte e Oriente Médio. A indústria gera 0%


2006 2012 2019

5.000 empregos diretos e indiretos na


Fonte: Ministério da Saúde, adaptado por Helder
região. A maior parte da mão de obra é Silva de Melo, 2019.

13
Em nosso país, a despreocupação com os geralmente não eram computados, isso
produtos naturais e suas manufaturas girava em torno de 50 milhões de
resultou em uma mitigação do espaço unidades anuais. “Considerando o
para outras nações que assim o trata com consumo interno e a produção da SOUZA
seriedade. No princípio de nossa história, CRUZ, chegamos a 75 milhões. Neste ano,
tivemos a exploração e degradação total a população andava em 119 milhões de
do pau-brasil, depois a exploração das habitantes.” Já o consumo de cigarros
minas de ouro e diamante, a borracha e o chegava a um aumento no mesmo
café. Não muito distante até o cupuaçu e a período de 30 anos em cerca de 142
cachaça quase se tornaram propriedades bilhões de unidades. (RIZZIERI, 2008).
de patentes de outros países. Notasse na “A produção baiana e, consequentemente,
Bahia o abandono do Cacau, que outrora do Brasil, em 2000, foi de 7 milhões de
foi à mola propulsora de grande riqueza unidades de charutos, enquanto em 2001,
do estado. Muito mais vem ocorrendo produziram-se na Bahia 6 milhões de
com o tabaco e os charutos produzidos no unidades” A Bahia tem em seu território a
Recôncavo Baiano. “Imperativos políticos maior produção de tabaco para charuto
têm induzido o desaparecimento da do Brasil, chegando a aproximados 10 mil
atividade e nunca houve ajuda oficial hectares dedicados a esta cultura. Exporta
relevante na defesa do renome dos praticamente o total produzido por 36
charutos e dos fumos baianos.”. (NARDI, municípios, e já aguarda a entrada da
2009). China neste circuito como o mais novo
“Em 1891, Rui Barbosa ministro da integrante em seu grupo de importadores.
Fazenda, mirando-se nas experiências (SILVA; PORTUGAL apud LEMOS, 2001).
tributárias dos Estados Unidos, Inglaterra,
França, Rússia e Itália, propõe um Gráfico 02: produção de tabaco mundo
imposto de consumo sobre o tabaco”. E
2.400.000

que teve como principal alvo a cadeia 3.000.000


2.160.000

1.703.500
2.500.000
produtiva do charuto, alavancando 2.000.000 1.533.150

grandes protestos da classe produtora da


745.360

1.500.000
640.820
670.820

576.740

Crú
época. (NARDI, 1985).
1.000.000
141.320

115.330
127.190

103.790

83.230

79.250

Processado
74.910

71.320

500.000

“A taxa criada não estabelecia variantes 000

para charutos de preços distintos. Era


uma só, por unidade. Assim, um charuto
considerado de primeira linha que Fonte: Afubra SAFRA: 2011/12 / Tonelada,
adaptado por Helder Silva de Melo, 2019.
custava 100 réis, a partir do novo imposto,
tinha seu preço de venda aumentado em
5%”. Consequentemente, os produtos O Brasil é a segunda maior lavoura de
mais comuns e de maior consumo, que plantio de tabaco do mundo, ficamos
custavam 2 e 10 réis, subiram cerca 50% a somente atrás da China, fomos líder em
250%. (NARDI, 2011).
importação por 15 anos. Conforme dados
“O consumo interno em 1980 era do Sinditabaco, em média, 85% do fumo
estimado entre 22 e 25 milhões de produzido no Brasil são destinados à
charutos” (GAZETA MERCANTIL, 1980). exportação. “O tabaco é atualmente a
Neste mesmo período a SOUZA CRUZ mais importante cultura agrícola não
tinha a produção de cigarrilhas que alimentícia do planeta, e contribui

14
substancialmente para as economias de 2. Revisão de Literatura
mais de 150 países”. (ADAB, PAULO
EMÍLIO TORRES, 2011). O fumo é descoberto desde a primeira
viagem de Colombo às Américas.
Gráfico 03: demandas países produtores Rodrigo de Jeres e Luís de Torres,
de tabaco no mundo companheiros de Colombo, encontraram
a planta onde é atualmente a ilha de
Cuba, em meados de novembro do ano
de 1492 (BEZERRA, 2001).

As plantações e cultivo do fumo se faz


presente no Recôncavo Baiano desde o
século XVII. A disponibilidade de água
potável, solo massapé, diversidade da
Fonte: Afubra. Safra: 2011/12 / tonelada, fauna e flora assim como a
adaptado por Helder Silva de Melo, 2019. navegabilidade dos rios, favoreceram a
interiorização dos primeiros
1.2 Objetivo colonizadores vindos da Europa e do
povo escravo provenientes da África. A
economia agrícola no período colonial era
Caracterizar os principais indicadores de pujante, onde se observou por vários
encargos públicos fundiários, no âmbito períodos o crescimento da lavoura da
estadual e federal, estratificando os cana-de-açúcar, algodão e fumo, tendo
impactos na cadeia de subsistência nesta região características que
agrícola familiar do pequeno e médio viabilizaram o plantio e cultivo destas
produtor do tabaco no recôncavo baiano. culturas agrícolas. “As primeiras
lavouras de fumo eram cultivadas em
1.3 Objetivo específico pequenas parcelas com mão-de-obra
escrava”. (SENA, 1991).
a) Quantificar os percentuais de Séculos depois o segmento agrícola
impostos incidentes sobre charuto voltado para o fumo no Recôncavo ainda
do recôncavo baiano. se restringe em boa parte à tecnologia da
b) Demonstrar os indicadores de época do período colonial, ou seja, carente
mercado para esta cultura agrícola na gestão da cadeia produtiva e
não alimentícia, no âmbito tecnológica. “Fatores como encargos
regional, brasileiro e mundial. fundiários ao nível da indústria de grande
porte, ausência de investimento do setor
c) Demonstrar o impacto total, público do negócio e baixa expectativas
ausência de assistência dos órgãos de crescimento na demanda desta cultura
governamentais para com os artesanal”. (NARDI, 2011).
produtores do tabaco na Bahia.
“Com a década de 1960, a fumicultura
d) Qualificar controvérsias da política baiana mergulha em uma espiral
pública de combate ao tabagismo decrescente. A produção primária
nacional. experimenta sucessivos reveses”. A
queda na produtividade vem em

15
sucessivas tendências de aceleramento César (2000) descreve a situação
negativo, caindo do patamar de 45 mil decadente da cultura do tabaco na Bahia,
toneladas, em 1945, para inexpressivas 6,1 que o mesmo designa como “império do
mil toneladas, em 2010. Situação tabaco”:
demonstrada esquematicamente no
gráfico abaixo. (MESQUITA, A. SÁVIO; Comparada ao passado fumegante, ela é,
hoje, a pálida fumaça de um vulcão
OLIVEIRA, J. M. CARVALHAL, 2011). recalcitrante, que teima em soltar as suas
cinzas. Nos tempos áureos, a indústria
Gráfico 04: produção de tabaco - Bahia fumageira na Bahia chegou a produzir
1945-2010 – toneladas mais de 200 milhões de charutos, por
ano, exportando 30% da produção para
os mais exigentes paladares da Europa e
45.517

50.000
dos Estados Unidos. Agora não produz
39.199

45.000
34.068

40.000 dez milhões de unidades anuais. Juntas,


29.529

35.000
30.000
as três grandes fábricas do passado – a
25.000 Dannemann, a Costa Penna e a
16.026

20.000
Suerdieck – empregavam cerca de dez
11.250

10.987

15.000
mil pessoas, em Cachoeira, São Felix,
6.147

10.000
5.000 Maragogipe, Cruz das Almas e Muritiba,
0
1945 1955 1965 1975 1985 1995 2005 2010 dentre outros municípios do Recôncavo
Baiano. Agora, as empresas
Fonte: Nardi/IBGE, adaptado por Helder Silva de remanescentes do ramo não
Melo, 2019.
empregavam, diretamente, 500
operários. Nos bons tempos, a Bahia
exportava 60 mil toneladas de tabaco,
A notória regressão da produtividade na
por ano. Hoje, exportava apenas cinco
cadeia produtiva do tabaco na Bahia, é mil toneladas.
proveniente de vários fatores que
ocorreram no referido período, onde tais
A ineficiência tecnológica restringe a
contribuições negativas vieram
produção e qualidade que, se comparada
principalmente dos novos hábitos dos
com o volume de produção/dia, o tabaco
consumidores após a segunda grande
da região é significativamente inferior ao
guerra mundial, a produção norte
do sul do Brasil, seguido da infiltração do
americana, tabaco tipo claro produzidos
exterior, que mesmo tendo matéria prima
principalmente no sul do Brasil (NARDI,
proveniente da região são vendidos no
2013).
próprio Brasil a preços menores.
(SINDITABACO, 2013).
Gráfico 05: exportação de tabaco - Bahia
Um dos fatores que mais tem afetado
1821-2010 – toneladas
negativamente a competitividade no setor
industrial de charutos, alvo de constantes
30.734

35.000
30.239

29.350

reclamações por parte dos seus


28.322

26.403
25.294

30.000

empresários e pelo sindicato que os


20.286

19.359

25.000
18.191

representa é o ostracismo fiscal. A


15.257

20.000
13.687

13.434

15.000 indústria reclama principalmente do


9.046

Imposto sobre Produto Industrializado


7.564
6.751

10.000
5.229
4.318

3.500
3.848

(IPI) que durante o governo Sarney, foi


2.060

5.000

0
reajustado em 100% (elevando o índice de
15 para 30%), permanecendo sem revisão
Fonte: Nardi/IBGE, adaptado por Helder Silva de até os dias atuais. Considerando o
Melo, 2019.

16
Imposto sobre Produtos Industrializados às já existentes frases que os males que o
(IPI), o Imposto sobre Circulação de tabaco causa à saúde humana. Chegando
Mercadorias e Serviços (ICMS), o a meados de 2001 iniciasse à cobrança de
Programa de Integração Social (PIS) e a taxas de fiscalização ambiental sanitária
Contribuição para Financiamento da assim como sobre taxas para a renovação
Seguridade Social (COFINS), a carga de produtos derivados do tabaco. Se
tributária total do valor recebido pela considerarmos a perseguição histórica de
produção é de aproximadamente 82%. politicas publicas de combate ao
(PORTUGAL apud A INDÚSTRIA, 2002). tabagismo os resultados além da
Carvalho (2011), em seu livro “BAHIA depreciação da produtividade, ocorreu
TERRA DE TODOS OS CHARUTOS”, também o aumento do desemprego no
relata o panorama em duas décadas dos setor, assim como a consequente fuga
acontecimentos históricos que afetaram e para marginalidade da resistente
até então negativam a cultura fumageira produção agora escondida em boa parte
do Recôncavo. dos quintais dos vilarejos na região do
Recôncavo. É notória a busca pela
Em 1988 são impostas frases de extinção do tabaco no território brasileiro,
advertência nas embalagens; são
recomendadas medidas restritivas ao
o que não influenciará a extinção de
fumo nos locais de trabalho; criam-se os fumantes, que através da sua busca por
fumódromos; reduz-se o prazo de satisfação buscará o tabaco de outras
recolhimento do IPI de 30 para 10 dias. O praças, o que facilitará o já crescente
patronato começa a pensar duas vezes, contrabando. “A ameaça que representa a
antes de admitir empregados. Afinal
seria preferível um não fumante, a um
queda e fim do consumo mundial do
que, de vez em quando, escapasse em fumo devido à Convenção Quadro para
direção aos tais fumódromos. Por outro Controle do Tabaco se situa num
lado, houvesse mais capital de giro. Em horizonte próximo da virada do século
1989, o ICMS - Imposto sobre Circulação XXII, a Organização Mundial da Saúde.”
de Mercadorias – é aumentado de 12%
para 25% nas vendas interestaduais. A
(NARDI, 2007).
medida representou reajustes de preços
na ordem de 33%, sem benefício algum 3. Metodologia do trabalho
para os fabricantes. Com a abertura às
importações, os charutos estrangeiros
começaram a aparecer no mercado Esta pesquisa foi realizada em visitas a
doméstico. Ante a novidade e os preços campo, nas indústrias de tabaco, tendo
cada vez mais caros dos produtos
baianos, as marcas Premium de charutos
como principal a Charutos Dom
brasileiros sentiram o peso da inédita Francisco. Foram executadas 3 entrevistas
concorrência. A Bahia cria o Fundo a primeira aos lavradores de tabaco da
Estadual de Combate e Erradicação da zona rural, como o senhor Elizário Bispo
Pobreza e para custeá-lo majora de 25% de Cerqueira, a segunda ao Secretário de
para 27% a alíquota do imposto sobre
circulação de mercadorias nas vendas de
Desenvolvimento Rural e Ambiente de
charutos dentro do Estado. Ano seguinte Muritiba, James Lester Magalhães e a
é proibida a comercialização dos terceira ao presidente do SINDITABACO,
produtos derivados do tabaco, via Odacir Tonelli Strada. O desenvolvimento
Internet. ocorreu em 4 etapas: A primeira etapa foi
à observação em campo do plantio,
Neste mesmo período as empresas foram colheita, armazenamento e
obrigadas a estampar imagens associadas comercialização pelos lavradores rurais

17
de tabaco. Na segunda etapa foram do fumo além do bom atendimento e
visitadas fábricas de manufatura de preços acessíveis. A seguir gráficos que
charutos, em Muritiba e Cruz das Almas. demonstram a produção média nos dois
A terceira foi consultas aos documentos principais centros produtores de tabaco
legais no âmbito Estadual e Federal no no Brasil.
que se diz respeito ao fumo, a exemplo do
Manual de Crédito Rural e o site da Gráfico 06: produção média tabaco no
Receita Federal. Na quarta e última etapa Recôncavo Baiano
foram digitalizados os dados das
observações feitas no plantio, indústria,
4.400
entrevistas com os representantes da
indústria fumageira da região e
lavradores. Unid/Hora
Unid/Dia
Unid/Mês

4. Resultados e discussão 200


25

Prod/Média Tabaco, Recôncavo.

Neste trabalho de pesquisa foi Fonte: Dados da Pesquisa (Junho/ Julho/ Agosto,
diagnosticado que a cultura do tabaco é 2013), elaborado por Helder Silva de Melo.
incondicional no âmbito social e
econômico para o Recôncavo assim como O gráfico 06 demonstra o resultado da
para o Brasil. Envolve mais de 6 mil pesquisa realizada nas indústrias de
trabalhadores diretos, em sua maioria do tabaco do Recôncavo Baiano, que produz
sexo feminino, e pertencente à agricultura se considerarmos 22 dias úteis o total de
familiar. A modernização da cadeia 4.400 charutos/mês, onde são produzidos
produtiva do charuto, ajuste nas taxas em média 200/dia, 25/horas o que nos
fiscais e de importação e a exportação leva a conclusão de que cada charuto para
para a China deixa a expectativa de que a ser produzido leva em torno de 2,5
produção aumente consideravelmente, o minutos.
que pode fidelizar a cultura do fumo para
charutos, aumentando os empregos e Gráfico 07: produção média no Sul do
recuperando a economia de toda a região. Brasil
Nos dias atuais a produção média do
charuto no Recôncavo baiano é taxada ao
mesmo nível da produção do cigarro no
1.795.200.000

sul do país, que em vias de fato, possui


uma produtividade incomparavelmente Unid/Hora

superior. Unid/Dia
Unid/Mês

Concluímos também que os consumidores


de charutos, ao contrário do que muitos 10.200.000
81.600.000

pensam, não ocorrem somente entre as Prod/Média, Tabaco Sul

pessoas da terceira idade, mas também Fonte: Afubra (2013), adaptado por Helder Silva
de Melo.
entre os jovens, principalmente os da
Europa, que estão a cada dia, mais
exigentes na hora do consumo, buscam Conforme podemos observar o gráfico 07
garantias das origens, paladar agradável descreve a produção média das indústrias

18
de tabaco do sul do Brasil, que A absurda taxação do tabaco no Brasil é
incomparavelmente a produção Baiana, com privilégio para o recolhimento,
também se considerarmos 22 dias úteis do legalmente se impõe, e legalmente se
mês, chega à 1,7 bilhão de derivados do afirma o total desamparo para com as
tabaco, 81,6 milhão/dia, 10,2 famílias de produtores da zona rural,
milhão/hora, concluindo os cálculos, as como é explicito na Página 5. Item 19 do
indústrias do sul do Brasil a produção é Manual de Crédito Rural (Ministério do
em média de 170 mil derivados do tabaco Desenvolvimento Agrário – MDA
por minutos. Apesar dos dados Secretaria da Agricultura Familiar-SAF,
comparativos no que se diz respeito à Programa Nacional de Fortalecimento da
produtividade, não existe distinção entre Agricultura Familiar – Pronaf Julho de
as taxas impostas aos charutos do 2008) ...[É vedada a concessão de crédito
recôncavo baiano e os derivados do ao amparo do Pronaf relacionado com a
tabaco produzidos por grandes produção de fumo]... Esta informação
companhias do sul do Brasil, mesmo estas descreve de forma direta a posição do
possuindo um alto nível tecnológico e de governo para o que se diz respeito ao
automação se comparados, superiores apoio financeiro às famílias e/ou
com das fábricas do estado da Bahia. cooperativas que tem no tabaco a sua base
econômica. Vetando imparcialmente a
Figura 02: impostos incidentes nos presença deste programa, que é de suma
charutos do Brasil importância e eficaz na participação e
desenvolvimento agrícola das famílias
principalmente no Recôncavo baiano, que
até hoje ainda secam as folha de fumo ao
sol, enquanto em outras partes do mundo
e até mesmo no Brasil isto ocorre em
estufas.
O fator ilegalidade é alimentando
notoriamente pelo incessante aumento da
carga tributária, seguido pelo aumento do
preço no mercado legal. A parcela do
mercado, que tem o domínio do
Fonte: Afubra/(Associação dos Fumicultores do contrabando contamina o comercio de
Brasil) /2013, adaptado por Helder Silva charutos com a concorrência desleal
de Melo.
anulando a competitividade entre as
marcas internas. A indústria do tabaco
A figura 02 descrimina o custo final da historicamente apresenta exemplos da
cada unidade de charuto consumida, carga tributária que visavam tão somente
atualmente no Brasil, sendo este com um à arrecadação o que abriu oportunidade
total de 64 % de impostos, lucro da de expansão para o mercado ilegal. A
indústria em 23,69 %, o varejo em 8,45% e concessão fiscal em favor do concorrente
o fumicultor 3,79 %. Se compararmos as da produção dos charutos brasileiros – os
taxas do tabaco, veremos que no Brasil à charutos cubanos – também contribui
carga tributária é maior do que a negativamente para a concorrência e o
Argentina, Uruguai, Paraguai, ou seja, a crescimento da competitividade na
maior entre os países latinos americanos. indústria fumageira do Recôncavo. Além

19
da inexistência de estrutura nas empresas cooperativas no âmbito da política de
e falta de apoio governamental no âmbito interação entre produtor e armazém, o
financeiro, também para operações de que pode acarretar em melhor qualidade
exportação, impedem a inserção da do fumo e assegurar justas margens de
produção local no mercado internacional. lucro para toda a cadeia.
Buscar alternativas para a ausência do
Gráfico 08: mix do mercado ilegal no “Financiamento Governamental para a
Brasil Indústria do Tabaco”, exercida pelo
Governo Federal, que proíbe o crédito
rural no Programa Nacional de
40%
Fortalecimento da Agricultura Familiar –
Contrabando
PRONAF, criando-se uma instituição
60%
Legal financeira cooperada, com o intuito de
atender exclusivamente o segmento do
tabaco do recôncavo baiano.
Buscar junto ao governo e órgão
Fonte: Nielsen, 2000, adaptado por Helder Silva de
Melo. competente do setor a execução da
reforma tributária, expondo a injustiça de
benefícios fiscais, como a ausência de taxa
Notamos que no gráfico 08, a parcela de de importações de charutos cubanos que
60 % demonstra o potencial de entram no Brasil.
recolhimento fiscal, e que se encontra na O SINDITABACO propor ações rotineiras
ilegalidade. Os outros 40 % visto como de combate ao mercado ilegal e às
legal é o resultado de que o fator taxativo falsificações de charutos, ditos cubanos,
brasileiro vem sendo administrado de pela estrutura da Receita e inteligência da
forma equivocada. Polícia Federal.
Criar acordos comerciais, capazes de
5. Considerações finais ampliar o comércio internacional, em
especial com a China e União Européia.
Buscando estudar a competitividade da Fortalecer o desempenho dos pequenos
indústria fumageira da produção de produtores do tabaco, através de
charutos no Recôncavo Baiano, sugere-se: programas de formação e capacitação.
reorganizar o segmento produtor Buscar alternativas de marketing que
primário do tabaco, que vai desde a mitiguem as imposições legais à
modernização e implementação de divulgação do fumo, mais
tecnologia na base da cadeia produtiva, especificamente o charuto, internamente e
com suporte direto de técnicos agrícolas principalmente no exterior.
capacitados, à fiscalização das

Referências
ASSOCIAÇÃO DOS FUMICULTORES DO BRASIL (AFUBRA). Cigarros e os impostos Brasil.
Disponível em: http://www.afubra.com.br/index.php/conteudo/show/id/85 (Acesso
28/06/2013).

20
BAHIA JÁ. Governo Chinês Autoriza Importação de Charutos Fabricados na Bahia.
Disponível em: http://bahiaja.com.br/imprimirnoticia?idEditoria=1&idNoticia=51368. (Acesso
10/09/2013).
CARVALHO, Hugo Adão de Bittencourt. Bahia Terra de todos os charutos. Disponível em:
http://livrodoscharutos.blogspot.com.br. (Acesso 21/08/2013).
CRUZ, Patrick. Cenário Adverso Para Fumo da Bahia. Disponível em:
www.seagri.ba.gov.br/noticias.asp?prt=true&qact=view&exibir=clipping&notid=1309.
(Acesso 24/09/2013).
CRÉDITO RURAL. Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf): p.
05, item 19, Julho, 2008.
MAPA DA BAHIA DIVIDIDO POR REGIÕES ECONÔMICAS. Recôncavo. Disponível em:
http://www.brasilfazendas.com.br/mapas/mapas.htm. (Acesso 20/10/2013).
MESQUITA, A. Sávio & OLIVEIRA J. M. Carvalhal. A cultura do Fumo na Bahia da excelência
à decadência.
MIX DO MERCADO ILEGAL PARTICIPAÇÃO DE MERCADO. Seminário Internacional Sobre
Fraudes no Setor de Cigarros. 2001, 56p.
NARDI, Jean-Baptiste. Análise da Cadeia Produtiva do Tabaco da Bahia. Salvador: Editora
Arcádia, 2013.
PESQUISA DA PWC. Tabaco pode repetir desempenho recorde em 2013. Disponível em:
http://sinditabaco.com.br/tabaco-pode-repetir-desempenho-recorde-em-2013/. (Acesso
10/10/2013).
PESQUISA DE VIGILÂNCIA DE FATORES DE RISCO E PROTEÇÃO PARA DOENÇAS.
Número de Fumantes no Brasil. Disponível em: http://www.portalk3.com.br/Artigo/saude--
bem-estar/pesquisa-aponta-queda-no-numero. (Acesso 27/10/2013).
WIKERSON, Landim. Como Funciona o Imposto em Compras Internacionais no Brasil.
Disponível em: www.tecmundo.com.br/comercio-eletronico/8776-como-funciona-o-imposto-
em-compras-internacionais-no-brasil-.htm. (Acesso 24/09/2013).
VIGITEL - VIGILÂNCIA DE FATORES DE RISCO E PROTEÇÃO PARA DOENÇAS
CRÔNICAS POR INQUÉRITO TELEFÔNICO. Dados e números da prevalência do tabagismo.
Disponível em: https://www.inca.gov.br/observatorio-da-politica-nacional-de-controle-do-
tabaco/dados-e-numeros-prevalencia-tabagismo. (Acesso 29/06/2020).

21
22
A INFLUÊNCIA DA PROPAGANDA
NO COMPORTAMENTO DO
CONSUMIDOR

Revista Conhecer. Camaçari, ano 1, n. 1, jan./jun. 2020. Pp. 23-52. ISSN 2675-6064.
SOTEROPOLITANO
Camila Jesus Almeida de Souza
Universidade Católica do Salvador (UCSAL)
camilajasouza@gmail.com

Alfons Heinrich Altmicks


Universidade Católica do Salvador (UCSAL)
alfons.altmicks@pro.ucsal.br

RESUMO: O artigo analisa as relações entre consumo e consumismo, ressaltando a parcela de


responsabilidade da propaganda, nesse contexto. O consumo é uma necessidade para a
sobrevivência humana e existe desde as primeiras sociedades, porém, ao passo em que o ser
humano foi galgando os degraus da evolução, o consumo de itens básicos para a sobrevivência
enveredou- se por caminhos do supérfluo, culminando no consumismo, podendo até levar à
compulsão por compras e à oniomania. O tema desta investigação é a influência da propaganda no
comportamento do consumidor soteropolitano, sob o recorte dos possíveis malefícios do consumo,
potencializado pela propaganda, além das suas consequências para a sociedade soteropolitana e
para o meio ambiente, na cidade de Salvador. O objetivo geral desta investigação é o de analisar a
influência da propaganda no comportamento do consumidor soteropolitano. À guisa de objetivos
específicos, procurou-se caracterizar o papel da propaganda na cultura de consumo, diferenciando
os aspectos negativos e positivos; diferenciar consumo de consumismo, para delinear o conceito de
oniomania, e demonstrar que o consumo desenfreado representa um fenômeno nocivo para a
sociedade soteropolitana e para o meio ambiente. Trata-se de um estudo de prospecção, de
natureza fenomenológica e enfoque qualitativo. A metodologia de procedimento utilizada foi a
triangulação crítica de informações, obtidas da análise da literatura disponível sobre o tema, da
aplicação de questionário estruturado, junto a uma amostragem de público consumidor
soteropolitano, e das inferências da própria autora. Como resultado, obteve-se que, a despeito da
constringência da propaganda sobre os consumidores soteropolitanos, o consumo consciente de
produtos, que tenham pouco impacto no meio ambiente e social, está, a cada dia, ganhando espaço
entre os consumidores soteropolitanos.

PALAVRAS-CHAVE: Propaganda. Consumo. Cultura de consumo. Comportamento do


consumidor.

23
1. Introdução Essas e outras questões serão discutidas,
ao longo deste artigo, com a finalidade,
não de encontrar a verdade final, deter-
Presente ao cotidiano humano, desde o minada, absoluta, sobre o consumo, mas,
surgimento das primeiras sociedades, o sim, de entender os mecanismos de
ato de consumir supre as necessidades conversão do “ser” em “ter”, os gatilhos
primordiais do sujeito, como alimentação, ativados diante das marcas, dos serviços e
segurança, proteção em relação às produtos, que levam ao consumo
intempéries naturais. O consumo, entre- exacerbado. Será ainda discutido os tipos
tanto, torna-se consumismo, quando de consumo, ditos “normal” e “consu-
ultrapassa os limites da necessidade, mista”, também chamado também de
adentrando o universo do fetichismo. Por oniomaníaco, e quais as suas implicações
exemplo, ao se consumir um produto ou para a sociedade e para o meio ambiente.
serviço de determinada marca, apenas
Esta pesquisa traduz, portanto, esforços
porque se pode pagar e por querer
de uma investigação preliminar, de natu-
pertencer a um determinado grupo social,
reza qualitativa, cuja base é uma
não importando a que necessidade básica
triangulação crítica de dados e informa-
se destina o ato do consumo. Quando
ções, extraídas dos resultados obtidos da
extrapola essa barreira, o sujeito perde,
aplicação de questionário estruturado,
até mesmo, a noção da sua própria
junto a uma amostra da população da
situação financeira, acumulando produtos
cidade de Salvador, Bahia, de análise da
sem serventia, na sôfrega busca por,
literatura contemporânea, sobre o tema, e
talvez, preencher o seu vazio interno.
das observações da própria autora sobre o
Neste ponto, o sujeito adentra a circuns-
fenômeno estudado. A triangulação das
tância patológica da oniomania: a compul-
fontes sobrecitadas permitiu, por sua vez,
são pela compra, que requer, quase
inferências sobre o tema de investigação,
sempre, tratamento terapêutico e/ou
qual seja, a influência da propaganda no
psicológico (SILVA, 2014).
comportamento do consumidor soteropo-
Assim, entre outras acepções, o consumo litano. O recorte, selecionado, dentro das
está vinculado à sociedade produtiva possibilidades apresentadas pelo tema,
atual, consubstanciando a forma mais circunscreveu-se aos possíveis malefícios
veloz e eficaz de ter, tomar posse de algo. do consumo, potencializado pela propa-
Na sociedade de consumo, muitas vezes, ganda, além das suas consequências para
o “ter” define o indivíduo como sujeito, a sociedade soteropolitana e para o meio
formula o “ser”, ou seja, “ter” e “ser” ambiente, na região.
passam a sinônimos (SILVA, 2014). Dessa
Sobre esse tema, à guisa do problema de
maneira, os teóricos do consumo buscam
pesquisa, impuseram-se as questões: 1)
explicações para questões essenciais à
como se ordena a propaganda na cultura
compreensão do universo do consumo:
de consumo, enquanto ferramenta do
quando o ser humano pós-moderno
modo de produção capitalista, visando a
passou a se deixar levar por desejos e
ampliação e o escoamento da produção?;
frivolidades, a ponto de abandonar as
2) até que ponto a propaganda interfere
suas prioridades básicas? Quais os fatores
no desejo do público em consumir além
que preponderam sobre o processo da
do necessário para a sobrevivência?; 3) em
compra? Como as necessidades são
que medida o comportamento de consu-
convertidas em desejos?
mo dos soteropolitanos é determinado

24
pela propaganda; 4) o comportamento de comportamento de consumo dos
consumo dos soteropolitanos pode ser soteropolitanos no seu potencial de
considerado nocivo à sociedade ou ao nocividade à sociedade e ao meio
meio ambiente?; e 5) há incidência de ambiente, apontando as incidentais
comportamento oniomaníaco entre os ocorrências de comportamento onioma-
consumidores soteropolitanos? níaco entre os consumidores.
Como hipótese fundamental, sustentou-se A escolha do tema foi justificada, diante
que a propaganda fomenta o consumo da uma crescente onda social de consumo,
exacerbado. Como hipóteses secundárias que vem alterando a forma de adquirir
– ou pressupostos de investigação -, produtos e serviços. Nesse contexto,
entendeu-se que: 1) a propaganda discute-se questões sociais, econômicas,
modifica os padrões naturais de consumo, psicológicas e ambientais. Esmiuçar o
dando um novo significado ao ato de consumo é importante, para a sociedade,
consumir, no sentido de criar desejos, que pois possibilita um olhar mais atento às
geram, por sua vez, um padrão relações humanas, e também às relações
desenfreado de consumo; 2) o tom, cada com o meio ambiente. Tudo o que existe
vez mais personificado, adotado pela tem a sua razão e, querendo ou não, está
propaganda das marcas, transmite uma de alguma forma entrelaçado, porém é
sensação de aproximação com o consu- preciso equilíbrio no uso.
midor que, por sua vez, sente-se especial Em última instância, esse tema é
por consumir valores agregados às importante para a autora, uma vez que,
marcas e por, supostamente, passar não encontrando afinidade com nenhuma
pertencer a grupos seletos; 3) a mudança outra área da Comunicação Social, senão
de venda direta de produto para a com a percepção e análise das comuni-
promessa de venda de “experiências”, cações interpessoais e do comportamento
apelando para questões emocionais, humano, tal estudo lhe permitiu ser o
aumenta significativamente o consumo, mais responsável possível para com os
trazendo consequências nefastas para a consumidores e com os públicos de
sociedade soteropolitana e para o meio interesses das marcas, mantendo a ética e
ambiente; e 4) há incidência de a idoneidade das suas considerações
comportamento oniomaníaco entre os teóricas, diante da certeza de que o
consumidores soteropolitanos. conhecimento desenvolvido é capaz de
Face às hipóteses supracitadas, o objetivo impactar, positivamente, a vida das
geral desta investigação foi o de analisar a pessoas.
influência da propaganda no A monografia está disposta em cinco
comportamento do consumidor soteropo- partes, inclusos o texto introdutório e as
litano. Como objetivos específicos, conclusões. Na Introdução, além de uma
procurou-se: 1) caracterizar o papel da breve apresentação do tema, foram
propaganda na cultura de consumo, elencados o problema da pesquisa, a sua
diferenciando os aspectos negativos e hipótese, os seus pressupostos, os seus
positivos; 2) diferenciar consumo de objetivos, a metodologia utilizada e a
consumismo, para delinear o conceito de justificativa sobre a pertinência do
oniomania; 3) demonstrar que o consumo assunto investigado. Em seguida, no
desenfreado representa um fenômeno capítulo intitulado “A propaganda e
nocivo para a sociedade soteropolitana e cultura de consumo”, dividido em duas
para o meio ambiente; e 4) avaliar o partes, são apresentados os conceitos e os

25
variados tipos de propaganda, a em que se especializa e gera tecnologias,
influência das emoções nos hábitos de que implicam mais consumo e nodos
consumo, a interrelação do consumo com processos produtivos – a tal ponto, que
a produção e como o consumo desen- habilitou a Marx (1987, p. 23) afirmar:
freado causa danos enormes, tanto para o “[...] a produção é imediatamente
consumidor quanto para o meio ambiente. consumo, e o consumo é imediatamente
No capítulo “Identidade metodológica da produção”.
investigação”, abordou-se as questões Ao longo do avanço social e tecnológico,
metodológicas que permearam a con-
muita coisa mudou na forma de produção
cepção desta pesquisa, definindo-se os e consumo de produtos e serviços. Na
métodos de abordagem e de procedi- Idade Média, por exemplo, as famílias
mento da pesquisa. No capítulo “Análise produziam para o seu consumo próprio,
e interpretação da coleta”, foi elaborada a porém já havia excessos, uma vez que os
triangulação crítica de dados e impostos eram pagos com a produção
informações, levando-se em conta as (ENGELS, 2006). Com o passar do tempo,
respostas coletadas, junto ao público; os linhas de pensamento revolucionárias e
teóricos utilizados na investigação e as mudanças de paradigmas foram surgindo
inferências da própria autora da pesquisa. e incorporando, na sociedade, ideias sobre
Em “Conclusões”, procurou-se encerrar a as relações de trabalho, no processo de
pesquisa, com o atendimento às suas produção, distribuição e comercialização
hipóteses e com o cumprimento dos seus dos produtos. Essas mudanças tiveram
objetivos. forte influência do sistema capitalista: ao
passo em que proporcionaram emprego e
2. A propaganda e a cultura de aumento de renda, contribuíram,
consumo significativamente, para o aumento do
consumo, tornando-o desenfreado. O
Enquanto racionais, altamente diferen- sistema capitalista tem, por objetivo, a
ciados, em relação a outras espécies, os ampliação da produção para a obtenção
seres humanos dependem, em tudo, de de lucro, transformando, nesse processo,
produção e consumo. Desde as primeiras todas as relações em mercadoria
sociedades, há produção e consumo. A (OKÇANA, 2013).
natureza produz água, frutos, ambiente e A sociedade de consumo é marcada pelo
tudo o mais que, caso não houvesse, fetichismo, no qual todos desejam ter
tornaria impossível a vida humana na tudo, imediatamente. Esse é um aspecto
Terra. Entretanto, para que frua de tudo crítico, proporcionado pela produção e
isso, o ser humano precisa consumir os pelo consumo em massa. Um dos
seus bens naturais, sejam eles nutrientes dispositivos desse fetichismo é a chamada
para manter o organismo, ou insumos obsolescência programada, que se
minerais, para criar abrigos ou tecnologias caracteriza pela confecção de produtos,
de produção. A equação da manutenção cuja durabilidade é reduzida e antevista,
da vida humana, perante a natureza, é de de maneira que sejam, brevemente,
tal modo transcendente à esta, que o ser descartados - e outros, obviamente,
humano necessita do consumo, para consumidos. Esse dispositivo impulsiona
viver, e, por isso, altera o meio ambiente, a economia, num ciclo altamente vicioso e
num franco processo de produção. A danoso, uma vez que são despendidos
produção gera mais consumo, à medida

26
recursos financeiros, matéria-prima, usuários. No caso específico, o cerne da
esforços de produção e descartes questão é que a necessidade do telefone é
inadequados (muitas vezes, com manter a comunicação mais rápida, não o
processos de reciclagem quase nulos). status por possuir um smartphone de
Sem contar nos gatilhos psicológicos última geração. Na indústria
acionados: ansiedade, urgência em se automobilística, por sua vez, a
obter o produto e frustração, nos casos em necessidade de consumo é a locomoção, e
que não se pode obter o produto. O não obter o carro mais tecnológico do ano
aponta para o fenômeno da ânsia em se 2021, quando ainda se está em 2020
obter o produto, sem que, (VOLPI, 2007).
necessariamente, se utilize o objeto de De acordo com Mattar (2020), as pessoas
desejo, ao menos, em sua função consomem mais recursos do que a Terra
primordial (VOLPI, 2007). consegue repor, de maneira que uma
Como exemplo dessa análise, é possível pequena parcela da população mundial
citar a evolução do telefone, que surgiu no consome quase a totalidade dos recursos
século XIX, com o objetivo de tornar a do planeta. O autor afirma, ainda, que “Se
comunicação mais célere, já que, antes, era esse padrão de consumo das nações
somente possível se comunicar por cartas, desenvolvidas fosse adotado pelo resto do
que, por sua vez, cumpriam um longo mundo, precisaríamos de cinco a seis
tempo, no processo entre o envio e o planetas para suprir essa voracidade”
recebimento da mensagem. Do aparelho (MATTAR, 2020, p. 2). A produção com
telefônico fixo, foi-se aprimorando e base na tecnologia é fundamental para o
desenvolvendo novos equipamentos mais avanço da sociedade, mas, em
leves, marcados pela mobilidade, menos contrapartida, o consumo acelerado - e
ruidosos, sem interferências, até surgir o inflado pela propaganda e pelo
aparelho de telefone, como se conhece Capitalismo - modifica a ideia de
hoje: um smartphone, com acesso à necessidade natural (básica) para
internet, inúmeros aplicativos de necessidade agregada, ou seja, a
interação, além da possibilidade de necessidade para a manutenção da vida
compartilhamento de informações, em torna-se fetichismo.
frações de segundos: envios e recebimento Marx (1987) adverte para o fato de que a
de documentos, fotos, vídeos (VOLPI, produção é sempre uma apropriação da
2007). natureza pelo indivíduo, sob demanda da
O objetivo principal, o escopo da sociedade em que está inserido. Vide o
tecnologia, para a qual o telefone foi caso citado acima, a produção atual está
desenvolvido, não é mais levado em de acordo com o que se é exigido nessa
consideração, no momento de sua era: alta produtividade e alta demanda.
aquisição. Os usuários de smartphones Nas palavras do autor:
preferem enviar arquivos de áudios,
mensagens escritas, no lugar de falar pelo [...] os homens que, desenvolvendo sua
produção material e suas relações
telefone, instantaneamente. Não que isso materiais, transformam, com a realidade
seja algo ruim, apenas é a evolução do uso que lhes é própria, seu pensamento e
de uma ferramenta, que foi desenvolvida também os produtos de seu pensamento.
para uma funcionalidade e que, hoje, Não é a consciência que determina a
tomou outros manuseios, entre os vida, mas sim a vida que determina a
consciência (MARX, 1987, p.27).

27
Crescem, ano a ano, a produção e o últimos anos, tem havido uma grande
consumo, aumentando a espoliação do movimentação em torno de uma
planeta, às vistas de todos, que, aliás, produção e um consumo mais consciente,
estão inseridos no processo. Esse cenário o que convida a mudanças nas relações de
só será ainda mais crítico, se não houver trabalho e prestação de serviço,
políticas públicas que intensifiquem comercialização e distribuição de
campanhas e ações voltadas para a coleta produtos (ALTMICKS, 2013).
de materiais que possam ser reciclados, O consumo desenfreado pode separar as
para a substituição ou a modificação na
pessoas em grupos sociais: se alguém usa
estrutura de embalagens de produtos, Nike, ou gosta de esportes, ou dirige um
para a participação ativa de marcas, que carro estilo 4x4, é considerado aventu-
contribuam com o meio ambiente. reiro; se calça Gucci, gosta de cultura e
Embora haja uma tendência ao dirige um sedan clássico, é vista como
descontrole na produção e consumo, há uma pessoa sofisticada. Às vezes, os
também o movimento contrário, de alerta produtos são adquiridos por status,
e real mudança, como supracitado e isso podendo ocasionar inveja e rivalidade,
impulsiona o crescimento de grandes entre as pessoas. De acordo Tolotti (2007),
marcas engajadas na sustentabilidade, as marcas são como brasões, ou seja,
que ultrapassam as barreiras de apenas objetos que incitam a sensação de poder.
substituição de materiais danosos à
natureza, pois sustentabilidade envolve
toda esfera social. 2.1. A propaganda na relação entre
produção e consumo
Nesse caso, pode-se citar a marca O
Boticário, que solicita que seus consu-
midores entreguem nas lojas os O sonho, muitas vezes, é a força motriz
vidros/embalagens dos produtos finali- que impulsiona a humanidade. Sonho
zados. Como os clientes retornam às lojas, sendo compreendido aqui como desejo,
as chances de adquirirem outros produtos aspiração. As grandes invenções e as
são bastante grandes, havendo então mais descobertas surgem, porque alguém, em
consumo, desta vez, balizado pela algum momento, teve o desejo de mudar,
sensação, por parte do cliente, de propagando assim suas ideias e
“cumprimento do dever ambiental”. Há contribuindo com o avanço da sociedade.
empresas outras, ainda, que A palavra propaganda, derivada do latim,
desenvolveram shampoos e condiciona- propagare, com raiz na palavra pangere,
dores em barra, ou seja, sólidos, cuja relação está na prática de plantio
diminuindo usos de embalagens de agrícola, em que se “propagavam” ou
plásticos e utilizando menos água em sua multiplicavam os grãos. Com base nesse
composição, contribuindo, assim, para a significado, Santos e Cândido (2017)
minimizar o impacto na natureza3. Nos afirmam que propaganda é o ato de
propagar, de disseminar ideias,
3 Cf. Shampoo sólido economiza água e evita ideologias, crenças, hábitos, notícias.
descarte incorreto de embalagens. Pensamento
Verde. Disponível em: Para além da sua etimologia, a
<https://www.pensamentoverde.com.br/meio- propaganda contém um teor persuasivo
ambiente/shampoo-solido- economiza-agua-e- que insta, em inúmeras situações, as
evita-descarte-incorreto-de-embalagens/>. Acesso pessoas a decidirem os rumos das suas
em: 18/3/2020.2017
vidas, sejam nas escolhas profissionais,

28
nos credos, nas orientações políticas e, até natalinos, desde 1931 até os dias atuais,
mesmo, na marca de sabão em pó que mexendo com o imaginário das pessoas.
lavará as suas roupas. A propaganda foi No Brasil, a veiculação maciça de
responsável por grandes movimentos propagandas da Coca-Cola, no período do
sociais e econômicos, no século XX, com Natal, faz com que os brasileiros, cujo
grandes impactos no mundo, como a Natal é comemorado no verão, aceitem
divulgação do Nazismo, que convocava propagandas com neves, renas, trenós e
os alemães a se manterem fiéis à tirania de todo a idealização de uma festa dos
Adolf Hitler, culminando na maior sonhos, nos moldes do hemisfério norte.
tragédia da História humana. As religiões, Silva (2014) afirma que “[...] todo ser
desde sempre, fazem as suas propagações humano guarda em si o dom de sonhar”,
de fé. Um exemplo de propaganda e a propaganda, ciente disso, procura
religiosa persuasiva pode ser encontrado vender a vida perfeita, ideal, onírica. A
nas peças televisivas, produzidas pela Rexona, marca de desodorantes e outros
igreja neopentecostal, Universal do Reino produtos de higiene pessoal, nas suas
de Deus, que utiliza os depoimentos de propagandas de desodorantes
pessoas, que afirmam terem sido masculinos, sempre destaca que o
transformadas pela fé, fechando com o homem, ao usar o seu produto, será
slogan “Eu sou a Universal”. tomado de poder irresistível e terá todas
Contar uma história é sempre uma grande as mulheres aos seus pés. Assim como em
estratégia de convencimento. Na esfera de muitas propagandas de cervejas, carros e
movimentos sociais, a propaganda, aqui perfumes, produtos, tradicionalmente,
no sentido de disseminação de ideias, voltados ao público masculino.
contribuiu muito para a convocação de O grande problema é que, ao vender
pessoas, sendo a sua maioria jovens, por sonhos, a propaganda também distribui
meio de redes sociais, para participarem frustrações. Imagine-se a seguinte cena:
das manifestações denominadas de “O uma moça vai caminhando por um
gigante acordou”, ocorridas por todo corredor de um shopping center. Estanca
Brasil em 2013. Esse movimento em frente a uma vitrine, onde está exposto
questionava, inicialmente, o aumento das o jeans “perfeito”, vestido no manequim
tarifas de ônibus e lutas de classes, mas a “perfeita”, cujas medidas são “perfeitas”.
adesão popular foi tamanha, que se Ela adentra a loja, tenta provar a calça,
tornou palco para os mais diversos pleitos mas, para o seu espanto, a calça não a
sociais. vestiu como no manequim. Então, o seu
Por outro lado, é possível contabilizar castelo de areia ruiu. Seu sonho não se
impactos puramente comerciais da realizou. A propaganda, durante anos,
propaganda, em eventos sociais e datas criou a ideia da beleza perfeita, do corpo
comemorativas importantes, como, por com dimensões perfeitas. A mulher que
exemplo, o Natal. A Coca-Cola contribuiu não possui essa silhueta fica fora do
com a maneira com que o ocidente padrão de beleza, construído no imo da
imagina o Natal, vestindo, com as cores propaganda.
da sua embalagem, um símbolo muito
De acordo com Kotler, Hermawan e Iwan
importante dessa festa: o Papai Noel. A (2017), o mundo está na era do Marketing
multinacional tornou o Papai Noel 4.0, ou seja, em um período de transição,
“Garoto Propaganda” de seus comerciais do marketing tradicional para o digital, no

29
qual o marketing tende a focar o ser próximo do público, a começar com o
humano, as marcas tornam-se mais nome que lembra um apelido, ou seja,
próximas do cliente, em cada etapa da sua algo íntimo. Os seguidores dessas marcas,
jornada de compra, fazendo com que as como Magazine Luísa, acabam se
experiências proporcionadas pelos tornando brand lovers, que nada mais é
produtos ou serviços tenham mais do que fãs capazes de “vestir a camisa” da
presença na vida do consumidor. Nesse empresa e divulgá-la aos demais,
contexto, a propaganda é persuasiva e podendo gerar, assim, mais ofertas de
está envolvida em todas as escolhas, em produtos e demandas de produção, num
todos os desejos de pertencer a grupos processo retroalimentado.
sociais, detendo poder, seja de forma sutil Claro que, para se ter fãs tão apaixonados,
ou direta. é preciso investir em conteúdo, estratégias
A propaganda é persuasiva, porque de comunicação mais amplas, uma vez
consegue convencer o público-alvo a que a propaganda é apenas a ponta do
comprar determinado produto, serviço ou iceberg. As estratégias de propaganda são
ideologia, mexendo com as suas emoções. bem antigas e foram se aprimorando, ao
Na maior parte do tempo, e emoções longo das décadas. Recentemente, foi
vendem. Lindstrom (2016, p. 32) afirma lançada, na Netflix, uma minissérie sobre
que “[...] é por meio das emoções que o a vida de Madam C.J. Walker, a primeira
cérebro codifica as coisas que têm valor, e mulher afro-americana a se tornar
uma marca que nos cativa milionária, nos Estados Unidos. A
emocionalmente, vencerá todos os testes personagem, uma mulher fora dos
de pesquisa”, deixando claro que as padrões daquela sociedade, queria que as
marcas estão munidas de estratégias para mulheres negras norte-americanas se
conquistar os clientes, indo além de vissem como bonitas e representadas. Por
descontos e promoções. Na era do isso, como campanha publicitária,
Marketing 4.0, tornar as marcas dotadas estampou o seu próprio rosto nas latas do
de aspectos mais humanizados e mais seu produto de maior sucesso. O que essa
próximos do consumidor tem surtido visionária fez e que, possivelmente, as
efeito, provocando maior engajamento, consumidoras que adquiriam os produtos
num mundo de mídias sociais, em que o sentiam, foi incentivar a
grande desafio do anunciante é prender a representatividade da mulher negra, se
atenção do público, o máximo possível, enxergar em alguém.
uma vez que está inserido em um Embora Madam C.J. Walker não o
contexto de atenção e audiências soubesse, a questão de se ver no outro e
fragmentadas (HELENA; PINHEIRO, imitar, involuntariamente, o seu
2012).
comportamento, tem relação com
Um case bem interessante, para neurônio-espelho, que foi descoberto por
exemplificar essa “humanização” de Giácomo Rizzolati, em 1992, ao analisar
marca, é a inteligência artificial “Lu”, da como os cérebros de macacos da espécie
Magazine Luísa, que possui perfil nas Rhesus organizava seus comportamentos
mídias sociais, interage com os clientes, motores. Rizzolati percebeu que os
auxilia nas compras e escolhas de cérebros dos macacos reagem da mesma
produtos e se engaja em causas sociais, forma quando realizam um gesto
mantendo um discurso cada vez mais direcionado, como levar algo à boca, ou

30
quando somente veem outro macaco o que estão fazendo, em tempo real, as
realizar a mesma ação. Embora não se marcas estão investindo, estrategi-
possa investigar, profundamente, o camente, cada vez mais, em
cérebro humano, em laboratório, estudos influenciadores digitais, sejam eles
apontam para o fato de que os seres Youtubers ou Instagrammers. Kotler,
humanos têm os mesmos neurônios- Hermawan e Iwan (2017) dizem que as
espelho. Acredita-se que esses neurônios melhores estratégias de propaganda são
têm forte ligação com a empatia, levando as feitas por “boca a boca”. Cada vez
o indivíduo a repetir gestos alheios, como mais, as pessoas tendem a buscar opiniões
bocejar ao ver alguém bocejando sobre as marcas e os produtos,
(LINDSTROM, 2016). consultando a terceiros, seja um familiar,
um amigo ou um influenciador digital,
Os estudos de Neuromarketing
pois a experiência do outro conta muito
demonstram várias possibilidades de uso
no processo de compra, por passar maior
dessa relação provocada pelos neurônios-
confiabilidade.
espelho, tanto na propaganda quanto nos
mais variados tipos de comunicação, Essa nova dinâmica de impulsionamento
quase sempre com o intuito de aproximar do consumo e da produção,
os consumidores das marcas. A imitação proporcionada pela propaganda, é o
involuntária de gestos e padrões de resultado de longos estudos, análises e
consumo foi, por exemplo, observada e estratégias, que investigam o
adotada por Steve Jobs, quando comportamento do consumidor, dos seus
popularizou o uso dos fones de ouvido desejos e das suas emoções. Por meio da
brancos de seu IPod (LINDSTROM, 2016). arte de contar histórias, de estimular as
Ou pela Coca Cola, sob o slogan “Abra a emoções, do excesso de informações, a
felicidade”, nos seus comerciais, que o público é exposto, e dos inúmeros
compostos por pessoas sorrindo, com anúncios em diversas telas, os
bastante música e diversão, retratando o consumidores são influenciados a levar
mais puro simulacro de alegria. As um número maior de produtos para
pessoas desejam ser felizes, iguais aos dentro da sua intimidade. Muitas vezes,
personagens dos comerciais, e, por isso, esses produtos são, absolutamente,
quase sempre, escolhem a Coca-Cola para desnecessários.
brindar os momentos de confraternização.
Marcas de roupas, carros e tênis também 2.2. As consequências do consumo
investem pesado nessa venda da vida desenfreado para a sociedade e
perfeita.
para o meio ambiente
Nos dias atuais, com a efervescência das
mídias sociais, nas quais as pessoas
passam muito tempo conectadas4, Por todo lado que se olhe, em cada
compartilhando os seus sonhos, as esquina, em cada casa, há inúmeros
viagens que realizam, o que compraram e produtos, de diferentes marcas. Muitos
consumidores, sequer, recordam os
4No Brasil são 140 milhões de usuários ativos nas nomes dessas marcas, mas conseguem
mídias sociais. Dados do relatório Digital 2019, da identificá-las facilmente, nas gôndolas dos
We Are Social e da Hootsuite. Disponível em: supermercados. É um processo quase que
<https://www.pagbrasil.com/ptbr/insights/relat
intuitivo. Esse fenômeno é corriqueiro, na
orio-digital-in-2019-brasil/>. Acesso em:
24/03/2020. sociedade atual, pois as pessoas lidam

31
com tantas estratégias aprimoradas para financeiro como emocional, deve buscar
conduzir o comportamento do ajuda terapêutica, bem como procurar a
consumidor, que é quase impossível regularização dos débitos contraídos.
resistir aos apelos das propagandas. Não Desta maneira, podem sair das amarras
que seja ruim consumir, ser um invisíveis da oniomania (SILVA, 2014).
brandlover ou comprar algo que sempre Para que o consumo seja equilibrado e
se quis, pelo contrário, ao consumir a dentro das escalas da normalidade, é
economia é estimulada, favorecendo o preciso se questionar o porquê e o para
crescimento social, contribuindo com o
que se deve comprar tal item e o mais
desenvolvimento profissional e com a importante, como será descartado após o
criação e o aprimoramento de produtos e uso. Caso seja percebido que o item que se
serviços que, em sua grande maioria, são deseja adquirir, ou que foi adquirido, não
indispensáveis, no dia a dia. Todos saem tem serventia, não é usado com
ganhando... desde que o consumo não frequência ou que se pode viver sem ele, é
seja predatório. melhor repensar e analisar a real
Mexer com as emoções, acionar gatilhos motivação dessa compra. As estratégias
mentais (como as sensações de escassez, de marketing e propaganda são capciosas,
urgência, novidade, prazer e aprovação tornam os comerciais lindos e
social, dentre outras), pode ser invasivo e convidativos, muitos deles são
eticamente incorreto, sobretudo quando verdadeiras artes, e como arte, devem,
substitui as vontades dos consumidores, sim, ser apreciados. Mas o bom senso é
alienando-os do protagonismo do fundamental. A vida é real, o comercial é
processo de decisão de compra. Mas por só a proposição de um sonho (TOLOTTI,
que isso acontece? Dra. Márcia Tolotti, 2017).
psicanalista, diz que o desejo de Para tornar mais fácil a visualização do
pertencimento, a necessidade de se obter consumo não consciente, veja-se o
poder e prestígio social, são alguns dos impacto do plástico na Natureza, em
fatores que estimulam o consumo escala mundial. O plástico surgiu no
acelerado. Afirma, ainda, que sentimentos início do século XX, mas deslanchou após
como raiva, inveja, angústia e até alegria a Segunda Guerra Mundial, quando os
podem trair os consumidores menos consumidores começaram a retomar as
atentos e levá-los a desembocar numa suas vidas e estavam ávidos por gastar. A
montanha de produtos inúteis, sem uso, indústria, percebendo esse movimento,
ao lado de uma pilha de boletos vencidos resolveu transformar o plástico em itens,
(TOLOTTI, 2007). os mais variados possíveis, como sapatos,
Corroborando a crença de Tolotti (2007), a roupas, utensílios domésticos, ferra-
Dra. Ana Beatriz Silva advoga a ideia de mentas, embalagens, entre outros5. A lista
que os sentimentos e a necessidade de é enorme e todos conhecem, mas o que
preencher vazios existenciais podem poucos, talvez, percebam é o tamanho do
estimular as compras desenfreadas. impacto que todo esse consumo de
Assim, o bom-senso e a atenção aos apelos plástico, embora importante para aquecer
comerciais são fundamentais para a economia mundial no pós-guerra, teve,
minimizar o consumismo. Se o e tem, no planeta.
consumidor, porventura, já estiver no
processo de endividamento, tanto 5 Cf. A farsa da reciclagem. Documentário
Desserviço ao consumidor.

32
Por volta do fim da década de 1960, o A oferta de produtos e serviços diferentes,
mundo começou a se questionar e a se modernos, amplamente divulgados pelas
movimentar contra o consumo de propagandas e com promessas de solução
plástico. A indústria, temendo uma para quase todos os problemas dos
grande quebra no ritmo da sua produção, consumidores, instiga o desejo
lançou uma campanha disfarçada de desenfreado de consumir, transformando
preocupação com a poluição causada pelo o produto em fetiche. Esse consumo, em
plástico, intitulada “O índio que chora” (o muitas situações, tem uma forte relação
personagem, um índio americano, com os sentimentos, o que pode levar
chorava quando via um plástico sendo àqueles que têm uma predisposição a
jogado ao chão), sugerindo que o compulsão por compras ao endivida-
responsável pela poluição era o mento financeiro e também ao dano
consumidor. A campanha foi patrocinada emocional. Quando um consumidor
pela Keep America Beautiful, uma organi- decide adquirir um produto, nem sempre
zação que alegava ser ambientalista, pondera o que, de fato, levou-o à decisão.
composta por empresas como a PepsiCo, Grande parte das decisões de compra é
Coca-Cola e Phillip Morris, todas inconsciente. O consumidor assiste a TV
proliferadoras de embalagens plásticas ao mesmo tempo que navega na internet
(LERNER, 2020). pelo smartphone. Para prender a atenção
dispersada, é preciso um esforço
Analisando os efeitos do plástico no
tamanho. Aí é que entra os estudos
planeta, segundo dados do Banco
combinados da neurociência com o
Mundial, obtidos em 2019, o Brasil é o 4º
marketing, que, juntos, esmiúçam os
maior produtor de lixo plástico no
processos cerebrais e os comportamentos
mundo, emitindo, aproximadamente 1
de compra para descobrir como interferir
quilo de plástico por habitante, a cada
na vida e no relacionamento dos
semana, totalizando, em média, 11,3
consumidores, levando-os ao consumo
milhões de toneladas, por semana,
(VOLPI, 2007).
ficando atrás somente dos Estados
Unidos, China e índia (WWF, 2020). Lindstrom (2016) apresenta uma série de
Apenas uma pequena parte desse lixo é estudos laboratoriais, para responder a
efetivamente reciclada, uma outra é algumas perguntas relacionadas ao
encaminhada para aterros sanitários, e o consumo influenciado pela propaganda,
que sobra é descartado de maneira como, por exemplo, o porquê de, apesar
inadequada em lixões. Muitos países, da obrigatoriedade das embalagens de
como a China, a Índia e a Indonésia, são cigarro conter imagens de situações
conhecidos como os lixões do mundo, desagradáveis ocasionadas pelo uso desse
pois praticamente todo lixo produzido é produto, não ter havido diminuição no
levado para esses locais, para reciclagem número de fumantes pelo mundo. O
ou apenas para descarte, em sua maioria resultado da pesquisa é intrigante: após
inadequado, acarretando muitos interrogatórios e análises cerebrais com
problemas como a poluição do solo, da alguns voluntários, percebeu-se que, ao
água e do ar e propiciando o ver as imagens desagradáveis, os
desenvolvimento de doenças em pessoas, fumantes não só não sentiam repulsa,
cujas moradias são próximas a estes como, pelo contrário, tinham mais
locais. vontade de fumar.

33
No cérebro dessas pessoas, foi acionada a As campanhas da Natura por exemplo,
região do prazer ao ver qualquer coisa mostram ao público a sua preocupação
relacionada ao cigarro. A maioria dos com a escolha de insumos naturais e
voluntários tinha respondido ao renováveis, para a produção dos seus
formulário inicial que iria parar de fumar cosméticos, usando depoimentos das
e que as embalagens dos cigarros eram revendedoras e funcionários,
incomodativas. A ciência provou que eles contribuindo com o sentimento de amor e
não tinham sido honestos em sua cuidado com a riqueza natural do Brasil.
totalidade, seja por vergonha ou por O Boticário tem seguido uma linha
realmente acreditarem no que similar, também trazendo à luz, em seus
respondiam e que tinham o controle do comerciais, a representação de diversas
seu próprio consumo. famílias, casais e pessoas, ou seja,
afirmando que a beleza está em todos.
A propaganda existe e é importante, para
Isso tudo é fruto dos movimentos sociais,
que seja anunciado tudo o que há à
maximizados pelas mídias digitais,
disposição no mercado, mas a cautela e o
exigindo inclusão e representatividade.
bom-senso são grandes aliados em ajudar
a suprir a demanda do novo consumidor. Esse movimento vai além de aspectos de
O consumidor tem se tornado mais beleza e cosméticos, está inserido na troca
exigente e antenado, com acesso às do uso de canudos de plástico por inox,
informações, literalmente, na palma da dos talheres convencionais para os
sua mão, podendo exaltar ou criticar as individuais de bambu, que podem ser
marcas, de acordo com a sua experiência levados aos lugares, do absorvente
de compra. Para esses novos comum para o coletor menstrual e de
consumidores, requisitos como preço, tantos outros produtos, que foram criados
qualidade e diferenciação técnica são ou adaptados para causar menos impacto
potencializados por questões socioambiental, ou seja, é um convite para
socioambientais, sustentadas (ou não) mudança de comportamento de consumo,
pelas empresas. daquele que destrói o planeta para um
que contribua para que as próximas
Não basta mais adquirir um produto
gerações usufruam de um ambiente ainda
bonito e útil, os consumidores querem
habitável.
conhecer o mais profundo da marca, o seu
cerne, quem a compõe, como os produtos Diante desse novo cenário, que se
são feitos e tudo o mais que puderem descortina, pode-se concluir que, se, por
descobrir. Querem transparência! É nesse um lado, a propaganda estimula a
sentido que a propaganda vem tentando produção e o consumo em massa, por
se adequar aos novos meios de anúncios, outro, ela também se conscientiza e tende
às novas formas, menos rebuscadas de a acolher os apelos do novo consumidor
falar com o público, ao engajamento social sobre as questões de sustentabilidade. As
e à proximidade entre consumidor e mídias, sejam elas tradicionais ou digitais,
marca. Grandes marcas brasileiras e favorecem esse posicionamento assertivo,
internacionais já entraram, de cabeça, à medida em que estimula o consumo
nesse contexto, adaptando a forma de consciente, que está em pauta nos últimos
anunciar seus produtos, enfatizando o anos e que tem trazido mudanças
lado emocional e humano da empresa. positivas de hábitos, tornando-se, esse, o

34
papel fundamental da propaganda: a uma atitude afetiva, em relação ao
responsabilidade social. consumo das marcas, o que traduz
uma forte influência da propaganda
3. Identidade metodológica da (SILVA, 2014; SANTOS; CÂNDIDO,
investigação 2017; KOTLER; HERMAWAN;
IWAN, 2017);

Este artigo pretendeu analisar a influência c) os seus efeitos são sentidos no


comportamento de consumo dos
da propaganda no comportamento do
soteropolitanos, que pode apresentar
consumidor soteropolitano, sob o recorte
nocividade à sociedade ou ao meio
dos possíveis malefícios trazidos pela
ambiente, além de, eventualmente,
adoção do padrão de consumo adotado
trazer incidência de comportamento
pelos soteropolitanos, potencializados
pela propaganda, e suas consequências oniomaníaco entre esses consumi-
para a sociedade e para o meio ambiente, dores (TOLOTTI, 2007; HELENA;
na cidade. Sobre o problema estabelecido, PINHEIRO, 2012; SILVA, 2014;
LINDSTROM, 2016; LERNER, 2020).
entende-se estar situado numa zona de
confluência temática, de onde é possível
determiná-lo a partir de quatro distintas Segundo Alvarenga (2010), as
matrizes disciplinares: 1) Psicologia do investigações explicativas são
consumidor; 2) Teoria da Propaganda; e
naturalmente segmentadas de acordo com
3) Teoria do comportamento de consumo.
o seu ponto de partida: pesquisas que
Desta forma, dado o seu caráter
focam as causas se constituem estudos de
multirreferencial, optou-se por uma coorte. Geralmente, observam um grupo
abordagem iminentemente explicativa do por determinado tempo, com o intuito de
fenômeno. verificar a sua evolução, dentro das
Alvarenga define o estudo explicativo características pré-selecionadas para a
como aquele que “[...] busca explicar por observação; pesquisas que partem dos
que sucede determinado fenômeno, qual é efeitos para buscar as causas são
a causa, ou qual é o efeito dessa causa” categorizadas como estudos de caso.
(2010, p. 41), a partir de hipóteses Nestas, as questões que pautam a
explícitas. Nesse sentido, estruturou-se pesquisa são analisadas retrospecti-
um roteiro hipotético para o fenômeno vamente.
investigado nesta monografia, no qual: Esta monografia assume, desde a sua
gênese, a perspectiva de uma análise do
a) as suas causas são localizadas no fenômeno em suas causas, de onde se
comportamento do consumidor infere, portanto, tratar-se de um estudo de
soteropolitano, marcado pela coorte. Merrian (Apud ANDRÉ, 2005)
afirma a concretude como principal
influência da propaganda
característica do estudo de coorte, uma
(TOLOTTI, 2007; VOLPI, 2007;
vez que este investiga a realidade
ALTMICKS, 2013; MATTAR, 2020);
imediata. Segundo a autora, este tipo de
b) a sua configuração fenomênica se investigação deve contemplar quatro
manifesta quando do próprio ato do demandas básicas: 1) a especificidade, já
consumo. Com efeito, o consumidor que deve atender a uma situação
soteropolitano é caracterizado por particular; 2) o detalhamento, em se

35
tratando da análise dentro de uma gráficos. Note-se que o uso meramente
temporalidade, a realidade deve ser incidental de tais elementos não constitui
pormenorizadamente descrita em suas o recurso da pesquisa quanti-qualitativa.
características; 3) a heurística6, porque o Concorda-se com Triviños (1987) que a
estudo de coorte pode revelar ao análise qualitativa não se opõe ao uso de
pesquisador muitos conhecimentos sobre recursos quantitativos. Para o autor, a
o fenômeno, que não seriam percebidos dicotomia entre pesquisa qualitativa e
numa investigação generalista; e 4) a pesquisa quantitativa não é real. Sua
indução, pois, na sua estrutura, pressupõe origem remonta ao momento em que as
a inferência das leis gerais do fenômeno, a teorias da pesquisa qualitativa chegaram
partir das particularidades analisadas. ao Brasil, nos anos de 1970, quando então
os pesquisadores aderiram ingênua e
3.1 O enfoque da investigação e o absolutamente a ela, numa franca reação
paradigma que a norteia ao Positivismo vigente no panorama
epistemológico da época.

Tendo em vista a complexidade do Dentro do enfoque qualitativo, esta


fenômeno investigado nesta monografia e monografia opta pela linha crítico-
levando-se em conta o fato de que ele está participativa, cujo lastro é o paradigma
situado numa zona de confluência fenomenológico. Segundo Triviños (1987),
temática, impôs-se a adoção do enfoque a fenomenologia contempla a construção
qualitativo para os seus procedimentos. genealógica e dialógica dos fenômenos,
De acordo com Alvarenga (2010), “[...] tendo permanentemente em conta o fato
este enfoque abrange processos humanos de que o pesquisador constitui parte
complexos. Tenta descrever e irrevogável do objeto investigado. Assim,
compreender as situações e os processos esta investigação não desenvolve a
de maneira integral e profunda, pretensão da neutralidade científica.
considerando inclusive o contexto que Entende-se que, somente através do
envolve a problemática estudada” posicionamento ideológico, a pesquisa em
(ALVARENGA, 2010, p. 10). Tais Comunicação é capaz de evidenciar as
características tornam o enfoque reais causas e as consequências dos
qualitativo ideal para a construção de fenômenos — situadas para além das
pesquisas sobre um objeto marcado pela aparentes —, bem como as suas relações e
transformação dialética do ser. contradições.

A despeito de ser esta uma monografia de Por sua vez, isso implica a construção de
enfoque qualitativo, elementos hipóteses flexíveis, que não precisam ser,
constitutivos das pesquisas quantitativas em efetivo, empiricamente verificáveis.
aparecem, contingencialmente, ao longo Ou seja, a pesquisa qualitativa
do seu desenvolvimento, sob a forma de fenomenológica é essencialmente aberta a
alterações nas suas hipóteses, embora não
6 Heurística. Do Grego, ευρίσκω, heurísko. seja isenta da delimitação de objetivos
Literalmente, o termo significa “descoberta”. No claros e rígidos. Acredita-se que, desta
sentido do texto, refere-se à capacidade humana forma, esteja assegurada a dimensão da
de, provisoria e intuitivamente, dar conta de
práxis na investigação, superando aquilo
problemas gerais, a partir de estratégias que
resolveram problemas específicos, de similar que Pimenta e Franco definiram como
estrutura. “[...] procedimentos característicos da

36
racionalidade técnica, que pesquisam amostra estabelecida, a taxa de resposta
apenas o visível, o aparente das práxis” esperada foi de 25%, por esta razão, o
(2008, p. 11). questionário foi direcionado a 1000
pessoas, na rede social Facebook7, obtendo-
3.2 Descrição dos procedimentos se um total de 257 respondentes
metodológicos considerados, entre homens e mulheres
soteropolitanos, de idades variadas, com
incidência leve de maioria de público
Inicialmente, foi realizado um feminino, com idades entre 26 a 35 anos.
levantamento sobre as principais
contribuições teóricas sobre o tema desta Ao todo, foram elaboradas vinte e duas
investigação, de modo a situá-lo dentro questões, que podem ser conferidas no
da perspectiva epistemológica da Apêndice A, subscrito ao final do volume.
fenomenologia. Vale ressaltar o seu As questões versaram sobre o gênero e a
caráter multidisciplinar, manifestado nas faixa etária dos participantes; sobre como
contribuições de três segmentos os participantes se consideram em relação
discursivos: 1) Psicologia do consumidor; ao consumo; sobre os seus hábitos de
2) Teoria da Propaganda; e 3) Teoria do consumo; sobre as emoções que os levam
comportamento de consumo. Face à sua a consumir e sobre o que o ato do
pluralidade discursiva, entendeu-se consumo lhes provoca, enquanto
organizar os aportes teóricos, de acordo sensação. Além disso, foi-lhes
com a lógica estrutural preliminar da questionado sobre as consequências dos
pesquisa, segundo a qual, havia a seus hábitos de consumo, para a própria
necessidade de estabelecer: o saúde financeira, bem como sobre a
comportamento do consumidor influência que a propaganda e as
soteropolitano, a influência da promoções, porventura, poderiam ter
propaganda nesse comportamento e as sobre si mesmos e sobre os seus hábitos
suas consequências para a sociedade e de consumo.
para o meio ambiente.
De acordo com Triviños (1987), na
Uma vez consubstanciada a literatura da pesquisa qualitativa, a coleta de dados
investigação, passou-se à elaboração do não é tão importante quanto a análise dos
questionário estruturado, a ser aplicado dados. Em muitos casos, os dois
em uma amostra populacional da cidade movimentos acontecem simultaneamente,
de Salvador. A seleção da amostra foi pois, ao longo de uma análise de
probabilística, utilizando-se o método conteúdo ou dos procedimentos de um
Sturges para determinar a quantidade da questionário estruturado, pode ocorrer ao
amostra, dentro do universo
populacional, economicamente ativo, da 7 A aplicação dos questionários aconteceu entre os
cidade de Salvador. A opção pelo método dias 12 e 16 de junho do ano de 2020. Por motivo
de força maior, uma vez que se está
Sturges se deu por não se ter pretendido experimentando uma situação atípica de
destacar nenhuma variável aleatória para pandemia, provocada pela Covid-19, na cidade de
o cálculo do tamanho da amostra Salvador, os questionários foram aplicados,
(STURGES, 2016). A taxa de desvio exclusivamente, pelas redes digitais, através do
admitida foi de, mais ou menos, 10%, o Google Forms, no endereço https://docs.google
.com/forms/d/e/1FAIpQLSd8s1T6skD51luFzcU5
que perfaz um nível de confiança de, cANwc09O-yTZFniPfRQVDcMKff3BqQ/closedfor
aproximadamente, 90%. Dentro da

37
pesquisador novas fontes ou mesmo necessárias aos seus instrumentos:
outras possibilidades de abordagem do coerência, consistência, originalidade e
seu objeto. Seguindo esta orientação, a objetivação. Na construção dos
análise das informações e dados desta instrumentos de coleta de dados desta
monografia primou pela flexibilidade e investigação, procurou-se contemplar
pela concomitância à sua coleta, sem estas condições estabelecidas pelo autor
perder de vista as hipóteses e os objetivos (TRIVIÑOS, 1987), desenvolvendo
estabelecidos para a investigação. instrumentos que fossem coerentes com as
necessidades da pesquisa e consistentes o
Outrossim, os procedimentos de coleta e suficiente para convalidar os resultados
análise ocorreram sob a égide da técnica obtidos. Da mesma forma, desejou-se que
de triangulação crítica de dados e fossem marcados pela originalidade — no
informações. Para Triviños (1987), a sentido de serem originados no problema
concepção da técnica da triangulação, em que se pretendeu resolver. Por fim,
uma pesquisa qualitativa, parte do entendeu-se que os instrumentos desta
pressuposto de que uma realidade social pesquisa deveriam ser pontuais e
deve ser analisada em toda a sua objetivos na captura das informações, de
amplitude. Assim, os fenômenos devem forma que, mesmo usando da
ser entendidos na sua construção subjetividade ao longo da sua realização,
histórica, nas suas matrizes culturais e na a idoneidade da pesquisa fosse garantida.
sua vinculação a uma realidade maior.
Denzin (apud FLICK, 2009) caracteriza a
triangulação crítica de dados não somente 4. Análise e interpretação da coleta
como a combinação de informações
provenientes de múltiplas fontes, mas, A pesquisa foi realizada por meio de um
sobretudo, como a combinação de questionário online, aplicado entre os dias
metodologias diversas e coerentes entre si 12 a 16 de junho de 2020, contendo 22
no estudo dos fenômenos. Nesse sentido, perguntas e totalizando 257 respostas,
para fins desta investigação, foram com o objetivo de analisar o
tomados, comparados e analisados dados comportamento do consumidor soteropo-
e informações provenientes dos teóricos litano, bem como a relação do seu padrão
consultados para a pesquisa, das de consumo com as emoções, além da
respostas obtidas da aplicação do influência da propaganda e dos seus
questionário estruturado e das inferências principais motivadores de compra.
da própria autora da monografia.
Dentre os respondentes, levando-se em
Para Triviños (1987), nas pesquisas consideração aos grupos sociais em que a
qualitativas, há uma maior atenção ao pesquisa se insere. 178 foram do sexo
informante dos dados e informações e à feminino, perfazendo um total de 69,3%
capacidade interpretativa do pesquisador. da amostra, e 79 do sexo masculino,
Isso torna as suas técnicas e instrumentos compondo 30,7% da amostra, conforme
bastante subjetivos. Até mesmo os dados pode ser visto no Gráfico 1, abaixo. No
obtidos indiretamente — e às vezes até quesito faixa etária, obteve-se maioria
mesmo acidentalmente — são muito (46,7% ou 120 pessoas) pertencente à faixa
relevantes para as investigações. Assim, etária de 26 a 35 anos, conforme
para que os resultados tenham validade observado no Gráfico 2, infracitado.
científica, algumas condições são

38
Gráfico 1: gênero dos participantes da ciência da existência do problema. É nesse
pesquisa. contexto, que a questão 3 indagou, aos
entrevistados, se eles se consideravam
pessoas consumistas? Do total de
entrevistados, 134 pessoas afirmaram que
se consideram um pouco consumistas,
sendo 95 mulheres e 39 homens, com a
faixa etária entre 26 a 35 anos, o que
corresponde a 52,1% do total de
entrevistados, conforme observado no
Gráfico 3, abaixo. Esse contingente de
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020. respostas é considerado satisfatório,
sobretudo, quando comparado aos
Gráfico 2: faixa etária dos participantes da números da questão 10, sobre problemas
pesquisa. financeiros, que será visto, a seguir. Logo,
na amostra pesquisada, não há indícios de
compulsão por compras, o que poderia
configurar a incidência de oniomania.

Gráfico 3: sobre considerar-se uma pessoa


consumista.

Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.

O ato de consumir está envolvido em


tudo, desde as necessidades básicas para a
manutenção da vida até a aquisição de
itens que são, puramente, para satisfazer
os anseios pessoais e sociais. Quando o Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.
consumo extrapola as barreiras dessa
manutenção, provocando o acúmulo de Na questão 4, foi perguntado sobre a
produtos sem utilidade, ou causando a forma de se adquirir um determinado
aquisição de itens, sem que seja tomada produto/serviço, tendo como opções: a)
uma decisão racional – o que pode gerar planejada, b) impulsiva e c) ambas. Do
problemas emocionais, sociais e total de respondentes, 141 pessoas (54,9%)
financeiros –, encontra-se aí um afirmaram que possuem a uma forma
transtorno patológico, nomeado por Silva híbrida de adquirir itens. Dentre essas
(2014) de oniomania, que é definido como pessoas, 101 eram mulheres e 40 eram
a compulsão por compras. Terapia, homens, com idades entre 26 a 35 anos.
medicamentos, apoio emocional, além da Outros 38,9% dos entrevistados
quitação das dívidas contraídas, são afirmaram que consumiam de forma
algumas formas de tratar a oniomania, planejada, conforme pode ser observado
mas que, para serem efetivas, é necessário no Gráfico 4, abaixo.
que os consumidores patológicos tomem

39
Gráfico 4:sobre o planejamento de compra dentes na faixa etária entre 36 a 45 anos
de produtos e serviços. afirmaram sentir-se arrependidos/
culpados, uma vez passada a fase da
ansiedade e da empolgação pela compra.
Esse contingente de participantes situa-se
na fase mais reflexiva do consumo,
analisando se, de fato, o item é importante
a ponto de ser adquirido, naquele
momento. 14 pessoas, dentre as 240,
responderam que o sentimento
predominante nas suas escolhas é a
necessidade do produto/serviço, mas não
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020. ofereceram maiores detalhamentos sobre
A questão 5 é uma pergunta subjetiva se seriam itens de necessidades básica,
com a finalidade de perceber a emoção ou indispensáveis à manutenção da vida, ou
sentimento, envolvidos no processo de se seriam necessários apenas dentro do
compra. A questão “Quando compra algo, contexto da satisfação pessoal.
qual sentimento costuma predominar?” Ao longo da pesquisa teórica que
obteve 240 respostas, de caráter não- precedeu esta análise, falou-se sobre como
obrigatório. Desse contingente de as emoções mexem e influenciam,
respostas, 114 pessoas afirmaram que significativamente, na conduta de
sentem satisfação/realização no seu consumo, alterando, muitas vezes, os
processo de compra, dentre elas, 96 hábitos de vida pessoal e social dos
mulheres e 18 homens, com idades entre consumidores. Conforme Lindstrom
26 a 35 anos. Essa faixa etária, levando-se (2016), as emoções provocam vendas, a
em consideração o contexto social, está na ponto de que, caso uma marca seja capaz
fase da vida em que, geralmente, acontece de envolver emocionalmente o consu-
a entrada no mercado de trabalho, o midor, terá seus índices de vendas
crescimento profissional e o começo da disparados. A questão 6, “Em momentos
independência financeira. Esses fatores de emoções intensas, como alegria,
contribuem para que esses consumidores entusiasmo, prazer, qual(is) itens costuma
passem a adquirir itens que, antes, ainda comprar?”, obteve 257 respostas, dentre
sob “comando” dos pais, não podiam elas 144 pessoas (56%), entre 107 mulheres
adquirir. As sensações de poder e de e 37 homens, na faixa etária de 26 a 35
liberdade foram apontadas em 5 anos, responderam que, nos momentos
respostas, das 114 obtidas, ou seja, mencionados na questão, costumam
configuram a sensação de ter as marcas consumir comida, como fastfood, sorvete
como brasões ou como fator de projeção e chocolate, conforme observado no
social, conforme afirma Tolotti (2007). Gráfico 5, abaixo. Alimentar-se é uma
Quem consome algo, tende a se sentir necessidade básica, pois o organismo
satisfeito, alegre e, às vezes, até eufórico, humano precisa se manter nutrido para
principalmente, se for um bem desejado, sobreviver. Por outro lado, o consumo de
há muito tempo. Analisando as demais comidas está atrelado à vontade e ao
respostas, foi possível observar esse tipo desejo por determinado tipo de alimento –
de reação, embora em quantidade e não, necessariamente, à necessidade de
pequena (17 respondentes). Os respon- saciar a fome. Nesse contexto a Coca Cola

40
é, de longe, a marca mais consumida no caso a vigilância não se faça presente,
mundo, pois atrelou a si a evocação da levando-se ao consumo exagerado de
felicidade, da família que celebra junta, coisas fúteis, desencadeando uma
dos amigos se divertindo... sensação de culpa, arrependimento e
Camargo8, pesquisador do Neuro- endividamento financeiro. Se a emoção
marketing e da Biologia do for intensa, o desejo por comida, que tem
Comportamento do Consumidor, analisa, uma forte relação com a sensação de
além de outros contextos, as substâncias merecimento e consolo, dispara nas
que o ser humano produz, mediante respostas, obtendo 57,6% de afirmações, o
estímulos naturais ou induzidos, e a que equivale a 148 pessoas, em sua
relação com o que tende a consumir, por maioria, do gênero feminino. O consumo
adaptação ao meio social em que vive. de ”outros” produtos também aumenta
Dentre as substâncias estudadas, que bastante, em relação à questão anterior,
fundamentam as suas teorias, cabe uma seguido pelo consumo de bebidas
menção sobre a serotonina, substância alcoólicas, como pode ser observado no
que, entre outras funções, regula o humor Gráfico 6, abaixo.
e o apetite, cujos expressivos 90% são Disso, infere-se que as emoções positivas
produzidos no intestino. Logo, tudo o que e negativas são capazes, indistintamente,
é consumido na alimentação interfere ou de fomentar o consumo. Há uma leve
se ajusta às demandas emocionais incidência de mais respostas afirmativas,
humanas, como é possível de perceber, de em relação às emoções negativas, mas, no
acordo com as respostas dos todo, isso não é capaz de fazer
entrevistados. desvencilhar as atitudes de consumo da
experimentação de emoções intensas.
Gráfico 5: sobre a relação entre emoções
positivas e padrão de compra Gráfico 6: sobre a relação entre emoções
de produtos. negativas e padrão de compra
de produtos.

Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.


Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.
Corroborando a reflexão supracitada,
Tolotti (2007) afirma que, Na questão 8, foi perguntado: “Costuma
independentemente do tipo de emoção comprar para sentir-se melhor/satisfeito
que os consumidores, porventura, consigo mesmo ou para sentir-se parte de
apresentem no momento da compra, as um grupo?". Diante do questionamento,
emoções intensas podem ser traiçoeiras, expressivos 91,1% dos respondentes –
num total de 234 pessoas, sendo 164
8 Cf. https://www.facebook.com/professorpedro mulheres – afirmaram que consomem
camargo/photos/a.317731011696092/17927050708 para se sentirem melhor consigo mesmos,
65338/?type=3

41
como pode ser constatado no Gráfico 7, A tecnologia revolucionou os hábitos das
abaixo. Esta questão alinha-se à questão pessoas, em vários âmbitos. As pessoas
de número 5, bem como suas reflexões, estão na era das multitelas, com a
cujas respostas, em sua maioria, foram audiência e a atenção fragmentadas
relacionadas à satisfação/realização em (HELENA; PINHEIRO, 2012). Era da
adquirir determinado produto. Silva conexão com o mundo, por meio de
(2014) afirma que a busca humana de aparelhos eletrônicos, na qual, o real e o
preencher seus vazios existenciais é virtual são somente questões de pontos-
estímulo para o consumo em maior escala, de-vista. O Brasil é um dos países líderes
por isso manter o bom senso é em quantidade de horas de navegação na
fundamental para que não resulte numa Internet: nove horas e 14 minutos todos os
escala de consumo patológico ou mesmo dias, em média, segundo dados de uma
em uma situação de oniomania. pesquisa realizada por Hootsuite e a We
Os seres humanos dependem de Are Social9, o que corrobora a incidência
produção e consumo para sobreviver. A dos números da questão 9: 229 pessoas,
Humanidade precisa consumir os bens perfazendo um total de 89,1%,
naturais, sejam eles nutrientes para responderam que usam a internet como
manter o organismo, ou insumos meio de pesquisa prévia sobre um
minerais, para criar abrigos ou tecnologias determinado item que desejam comprar,
de produção. A manutenção da vida levando em consideração o tempo em que
humana, imersa na lógica da natureza, passam conectadas às redes digitais. Em
depende de alterações promovidas no seguida, está a opinião de pessoas
meio ambiente, o que constituiu a próximas, de confiança, como pode ser
produção (MARX, 1987). O problema, nas observado no Gráfico 8, abaixo.
sociedades capitalistas, é que consumo e
produção são postos em níveis Gráfico 8: sobre obtenção de informações
devastadores, que não são suportados sobre os produtos/serviços
nem pela sociedade (vide os graves desejados.
problemas sociais enfrentados), nem pelo
meio ambiente (observe-se as urgentes
questões ecológicas da contemporanei-
dade) (OKÇANA, 2013). O consumo
exacerbado, potencializado pela
propaganda, escapa ao consumo natural,
da espécie humana, adentrando ao
universo do fetichismo (VOLPI, 2007).
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.
Gráfico 7: motivação para o consumo.

9 Cf. Brasileiro é um dos campeões em tempo


conectado na internet. Portal G1. Disponível em:
https://g1.globo.com/especial-publicitario/emm
ovimento/noticia/2018/10/22/brasileiro-e-um-do
s-campeoes-em-tempo-conectado-nainternet.ghtml
Acesso em 23/06/2020 às 21:43.
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.

42
A questão 10 objetivou entender a relação débitos, analisaram sobre compras em
entre o consumo e o contexto financeiro excesso e, o mais importante, de acordo
dos entrevistados. 56,4%, 145 respon- com Tolotti (2007), fizeram as pazes com
dentes, afirmaram não ter passado por os débitos emocionais que são atrelados,
problemas financeiros, relacionando-se à muitas vezes, aos débitos monetários.
questão 3, na qual afirmaram ser um
pouco consumistas, mas não a ponto de Gráfico 10: impactos da reorganização
endividar-se financeiramente, por consu- financeira.
mir em demasia, pode ser visto no Gráfico
9, abaixo.

Gráfico 9: sobre problemas financeiros por


excesso de consumo.

Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.

A questão 13 interrogou aos entrevistados


sobre o local em que costuma realizar
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020. suas compras. No Gráfico 11, abaixo,
percebe-se que houve 160 respondentes,
As questões 11 e 12 foram direcionadas 62,3%, que afirmaram preferir a loja física
apenas aqueles que responderam que já para adquirir seus produtos. Esta
tiverem problemas financeiros, decor- afirmação atrelou-se à questão de número
rentes do consumo em maior escala. A 9, em que os respondentes demonstraram
pergunta de número 11, de caráter preferir pesquisar sobre os produtos na
subjetivo e não obrigatória, com o intuito internet. Logo, podemos inferir que o
apenas de entender como eles saíram da hábito dos consumidores entrevistados,
situação conflitante, obteve 121 respostas, neste quesito, é pesquisar online e
dentre elas 50 entrevistados afirmaram comprar fisicamente, supondo ainda a
que renegociaram suas dívidas, cinestesia do brasileiro, segundo a qual,
começaram a entender sobre gestão não basta apenas ver o produto, mas sim
financeira e consumo consciente. 35 percebê-lo, por meio de vários sentidos.
responderam que quebraram/cancelaram
os cartões e diminuíram os gastos Gráfico 11: sobre local de compra.
desnecessários. Os demais disseram que
ainda não tiveram oportunidade de
negociar, outros não souberam opinar.
A questão 12 teve o intuito foi saber se,
após a turbulência do endividamento,
houve mudanças na forma de consumir.
47,2% - 94 respondentes - afirmaram que
houve mudanças, como observado no
Gráfico 10, abaixo. Um ponto positivo foi
que, uma vez que renegociaram os seus Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.

43
A questão 14 abordou os gatilhos mentais, presença das marcas em ações paralelas,
bastante estudados pelo Neuromarketing que envolvam questões ambientais ou
e usados frequentemente nas campanhas sociais, patrocínio em eventos musicais e
publicitárias, perpassando estratégias esportivos, etc. Um exemplo de produto
implícita e explícita. É sobre essas que fixou na cabeça das crianças, da
estratégias que a pergunta repousa, década de 1990, foi o Baton, chocolate da
quando questiona: “O quanto as palavras marca Garoto, que, por meio do slogan
‘promoção’, ‘oferta’ e ‘desconto’ persuasivo “Compre baton”, dito
impactam na sua decisão de compra?” repetidamente, funcionou muito bem
44,7% - 115 respondentes - disseram ser naquela época, a ponto de evocar
razoavelmente influenciados por esses lembranças nos consumidores, até hoje –
gatilhos, seguidos de 30,4% - 78 embora esse tipo de discurso repetido,
entrevistados - que se dizem muito esteja proibido atualmente.
influenciados, conforme pode ser visto no Diante disso, a questão 15 perguntou:
Gráfico 12, abaixo. “Estamos numa época em que os
produtos mantém muita similaridade,
Gráfico 12: impactos das palavras desde as cores, embalagens, tamanhos e
“promoção”, “oferta” e até o preço, podendo atrapalhar a
“desconto” na compra. identificação nas gôndolas. Nesse caso,
qual o seu critério de escolha?”. Como
resposta, 48,6% dos entrevistados
afirmaram que escolhem a marca mais
conhecida no momento das compras.
Seguidos de 44,4% dos respondentes, que
disseram escolher a marca que foi
indicada por alguém de confiança,
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020. conforme observado no Gráfico 13,
abaixo. Essas respostas estão alinhadas ao
Pode-se então perceber que os gatilhos que afirmam Kotler, Hermawan e Iwan
funcionam, são atrativos e podem, de fato, (2017) sobre a propaganda “boca a boca”
reter o consumidor, porém, desde que ter muito espaço e influência sobre os
bem usados e direcionados ao público de consumidores
interesse, como bem fez Steve Jobs ao
popularizar os fones de ouvidos do IPOD, Gráfico 13: sobre critérios de escolha das
por acionar o neurônio espelho, que, marcas.
acredita-se, pode impulsionar a repetição
involuntária de gestos, hábitos e afins uns
dos outros (LINDSTROM, 2016).
Para poder se destacar na multidão de
produtos, as marcas precisam manter o
share of mind alto, além dos share of
heart e voice, que vão além da lembrança
e estabelecem uma relação de afeto entre
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.
marca e consumidor. Para que isso
aconteça, são necessárias várias estraté- Com base na explicação acima, pode-se
gias pouco convencionais, supondo a prosseguir na análise da questão 16, que

44
interrogou aos entrevistados se eles se Essa informação é importante para que as
sentiam influenciados pela propaganda. marcas consigam chegar ao público
Conforme observado no Gráfico 14, desejado, por meio online. Atrelar o
abaixo, 48,2% dos respondentes discurso da marca a alguma história ou
afirmaram que, em algumas situações, situação que dialogue com as vidas das
suas compras são pautadas pela pessoas, tornando-as mais próximas,
influência da propaganda, uma vez que tende a surtir muito efeito, uma vez que,
elas estão por toda parte. Nas perguntas como os consumidores estão envolvidos
subsequêntes, será mais aprofundada a em várias telas, com audiência
análise. fragmentada, somente dará atenção
àquilo que realmente for interessante
Gráfico 14: sobre influência da propa- (HELENA; PINHEIRO, 2012).
ganda no padrão de A questão 18 confirma as questões 15 e 17,
compras. uma vez que os respondentes afirmaram
que costumam lembrar-se das marcas
pelas quais foram impactados por meio
da propaganda, representando um
contingente de 61,9% dos entrevistados,
como pode ser visto no Gráfico 16, abaixo.
Esse dado é relevante para que se
conheça, ainda mais, o consumidor
soteropolitano, entendendo que
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020. costumam se recordar das marcas,
demonstrando que elas estão conseguindo
A questão 17 teve por intuito identificar
atingi-los de alguma forma, apesar da
por qual meio a propagando chega até o
atenção fragmentada.
consumidor, atualmente. No Gráfico 15,
abaixo, verifica-se que 88,7%, quase a
Gráfico 16: lembrança das marcas que
totalidade do público participante da
impactaram pela propa-
pesquisa, afirmaram que são impactados
ganda.
pela propaganda por meio das redes
sociais, dado o tempo que passam
conectados à internet (vide, acima, a
análise proposta na questão 9).

Gráfico 15: meios em que os


consumidores são
impactados.

Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.

A pergunta 19, apresentada aos


entrevistados, questionava-os se, em
algum momento, eles haviam adquirido
um produto, logo após o verem na
propaganda. Conforme observado no
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.
Gráfico 17, abaixo, 41,6% dos

45
respondentes disseram que sim,
traduzindo o fato de que a propaganda
detém uma grande parcela de
interferência nas decisões de consumo das
pessoas, mesmo que, em alguns
momentos, elas possam imaginar o
contrário. Conforme Santos e Cândido
(2017), a propaganda vai além de Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020.
comercial de televisão, está inserida em
muitas áreas da vida cotidiana, o que faz Assim como a propaganda influencia um
com que não seja claramente percebida. consumo acelerado, ela também vem, nos
últimos anos, reinventando-se e
Gráfico 17: sobre adquirir produtos, logo contribuindo para um movimento de
após tê-los visto em consumo consciente, de baixo impacto
propagandas. ambiental e maior abrangência social,
uma vez que a sustentabilidade abarca a
vida de todos por completo. Com essas
mudanças, amplamente disseminadas
pelas redes sociais, cujos fóruns e perfis
de discussões estão a todo momento
questionando marcas, sua composição, a
acessibilidade e a representatividade,
dentre outros contextos, a questão 21
dessa pesquisa questionou, aos
entrevistados, se “Você costuma preferir
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020. produtos de natureza sustentável?” O
item “às vezes” obteve um total de 123
A questão 20, ainda dentro do contexto da respostas, correspondendo a 47,9%,
influência da propaganda nos hábitos dos conforme o Gráfico 19, abaixo. Esse
consumidores, pergunta aos entrevistados percentual foi seguido do item “sim”, que
se eles têm, como obrigação, o consumo obteve 96 respostas (37,4%).
nas datas comemorativas, como o Dias Na pergunta seguinte, “Em caso
das Mães, o Dia dos Namorados ou o afirmativo, lê os rótulos ou realiza
Natal. No Gráfico 18, abaixo, pode-se pesquisa para saber o que os itens que o
perceber uma compilação empatada nos compõe impactam em nós e na
dados obtidos, pois, para as respostas natureza?”, 104 entrevistados respon-
“sim” e “não”, houve, cada uma, 86 deram “ás vezes”, perfazendo um total de
respondentes, o que equivale a 33,5% dos 40,05%. O item “sim” obteve 84 respostas,
entrevistados. Por outro lado, o item constituindo um percentual de 32,7%,
“algumas vezes” obteve 33,1%, ou seja, como pode ser observado no Gráfico 20,
nesses casos, o consumo dependerá de abaixo. Somando-se os respondentes
outros fatores. “sim”, nas duas questões, infere-se que o
número de participantes que já consomem
Gráfico 18: influência das datas ou tem um interesse sobre o consumo
comemorativas sobre o consciente amplia-se, de modo que se
consumo. pode entender que o movimento em prol

46
desse novo cenário, de consumo ao ato de consumir, no sentido de criar
consciente, tem sido expandido, nos desejos, que geram, por sua vez, um
últimos anos (embora não seja tão recente padrão desenfreado de consumo; 2) o
assim nos círculos de discussões sociais. tom, cada vez mais personificado,
adotado pela propaganda das marcas,
Gráfico 19: sobre preferência de produtos transmite uma sensação de aproximação
sustentáveis. com o consumidor que, por sua vez,
sente-se especial por consumir valores
agregados às marcas e por, supostamente,
passar pertencer a grupos seletos; 3) a
mudança de venda direta de produto para
a promessa de venda de “experiências”,
apelando para questões emocionais,
aumenta significativamente o consumo,
trazendo consequências nefastas para a
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020. sociedade soteropolitana e para o meio
ambiente; e 4) há incidência de
Gráfico 20: sobre pesquisa de produtos comportamento oniomaníaco entre os
sustentáveis. consumidores soteropolitanos.
Com base nas análises e dados e
informações coletados, que conduziram o
desenvolvimento desta monografia, foi
possível inferir que o consumo
desenfreado, potencializado pela
propaganda, está ligado ao estímulo das
emoções, dos sentimentos, do desejo de
pertencimento a determinados grupos, ou
Fonte: SOUZA, Camila Jesus Almeida de, 2020. do anseio por se destacar na multidão. De
um lado, o consumo movimenta e ajuda a
5. Conclusões expandir a economia, gerando renda a
milhões de trabalhadores; mas, por outro,
pode transformar o consumidor em um
O tema desta monografia foi a influência
oniomaníaco, um viciado em compras,
da propaganda no comportamento do
caso este tenha a predisposição psíquica
consumidor soteropolitano, sob o recorte
dos possíveis malefícios do consumo, para esse comportamento. Como numa
balança, o equilíbrio é o caminho a seguir.
potencializado pela propaganda, além das
A propaganda está presente na vida de
suas consequências para a sociedade
todos, nas escolhas mais íntimas e
soteropolitana e para o meio ambiente, na
individuais, desde a escolha de um item
região. Diante deste tema, a hipótese
de decoração até a profissão que se irá
fundamental desta investigação foi a de
seguir, tamanha é a exposição que o
que a propaganda fomenta o consumo
público lida, hoje, na era das diversas
exacerbado, no público consumidor da
cidade de Salvador. Como pressupostos telas.
As marcas vêm desenvolvendo estratégias
de investigação, levantou-se: 1) a
propaganda modifica os padrões naturais para se fixar e serem lembradas, a todo
instante, utilizando de formas para se
de consumo, dando um novo significado

47
tornar mais próximas do consumidor, seja todavia, aqueles que passaram por esses
por meio de histórias envolventes, seja momentos desafiadores, de percalços
apoiando causas sociais e/ou ambientais, financeiros por excesso de compra,
de maneira que o valor agregado destas alegaram ter modificado o modo como
seja transportado aos seus interesses consumiam, pesando o sobre os itens
mercadológicos. necessários ou não, dentro do âmbito
Após a coleta dos dados e informações individual. Não foi detectada a incidência
das vinte e duas questões elaboradas para de casos de oniomania, compulsão por
a pesquisa, aplicadas a 257 respondentes, compras; os participantes da pesquisa
entre homens e mulheres soteropolitanos, afirmaram consumir dentro da linha em
de idades variadas (com maioria entre 26 que não se compromete a renda, a saúde
a 35 anos e pertencente ao público ou a vida social/familiar. Por fim,
feminino), pôde-se inferir que: as emoções entende-se que o consumo consciente de
interferem, e muito, nas decisões de produtos que tenham pouco impacto no
compra. De acordo com o tipo de emoção, meio ambiente e social está, a cada dia,
o consumo de produtos e serviços tomando um espaço maior entre os
variados tem a sua incidência alterada. consumidores soteropolitanos.
Contudo, o consumo de comida é Diante do exposto, foi possível concluir
predominante, para quaisquer emoções, que, embora a propaganda tenha diversos
positivas ou negativas. usos, que dependerão do seu
A propaganda mantém forte persuasão direcionamento, é uma ferramenta
nas escolhas e hábitos de consumo dos fundamental de responsabilidade e
soteropolitanos. Em contrapartida, está se transformação social, uma vez que, antes
adaptando também à influência do de vender bens e serviços, lida com seres
público, inserindo-se nas redes sociais, humanos e respondem pela forma como
nas quais os entrevistados afirmaram ser serão impactados.
mais impactados. Os respondentes do Face à hipótese fundamental, assumida
questionário alegaram pesquisar, para esta investigação, percebeu-se que,
frequentemente, sobre os produtos na ao contrário do sustentado na incipiência
internet, mas disseram preferir adquiri-los da pesquisa – qual seja, a ideia de que a
pessoalmente, nas lojas físicas, do que se propaganda fomentaria o consumo
supõe pretenderem manusear os exacerbado, entre os consumidores da
produtos, tirar dúvidas com o vendedor, cidade de Salvador – o público
cumprir o rito da compra (uma vez que os soteropolitano apresentou um padrão de
soteropolitanos são conhecidos por consumo razoavelmente coerente com as
manter uma relação calorosa com as suas necessidades e com as suas
pessoas). Em relação ao share of mind, limitações financeiras. Até certo ponto, o
algumas marcam ainda conseguem seu padrão de consumo inclui elementos
manter-se fixas na lembrança dos subjetivos das crenças e das ideologias,
consumidores, mas a influência dos vigentes na cidade de Salvador, pois foi
grupos de referência dos consumidores encontrada forte preocupação em
também tem espaço na decisão de consumir marcas de produtos e serviços,
compra. engajadas com causas sociais e/ou
Os participantes não apontaram ter ambientais.
grandes problemas financeiros em Por sua vez, não foi confirmado o
decorrência ao consumo exagerado, pressuposto, segundo o qual, a

48
propaganda modifica os padrões naturais a promessa de venda de “experiências”,
de consumo, dando um novo significado apelando para questões emocionais,
ao ato de consumir, no sentido de criar aumentaria, significativamente, o
desejos, que geram, por sua vez, um consumo, trazendo consequências
padrão desenfreado de consumo. Com nefastas para a sociedade soteropolitana e
efeito, as respostas apresentadas pelos para o meio ambiente, na cidade, e o de
participantes ratificaram a perspectiva que haveria incidência de comportamento
dos teóricos da propaganda, sobre a oniomaníaco, entre os consumidores
capacidade de criar necessidades e desejos soteropolitanos, não se confirmaram. Pelo
de consumo, num processo de contrário, de acordo com as respostas
fetichização da mercadoria, mas não obtidas da aplicação do questionário, o
houve indícios de que isso tenha gerado padrão de consumo, entre os
consumo desenfreado, entre os soteropolitanos, tende à racionalidade e à
colaboradores da pesquisa. preocupação com questões sociais e
Outrossim, sobre a acústica social da ambientais.
propaganda, entre os soteropolitanos, foi Estes dados, mais fartamente
confirmado o pressuposto de que o tom, desenvolvidos nas seções antecedentes,
cada vez mais personificado, adotado pela subsidiam o atendimento ao objetivo geral
propaganda, transmite uma sensação de desta investigação, que buscou analisar a
aproximação com o consumidor que, por influência da propaganda no
sua vez, sente-se especial por consumir comportamento do consumidor
valores agregados às marcas e por, soteropolitano. Ao findar esta
supostamente, passar pertencer a grupos investigação, espera-se ter contribuído
seletos. Em muitas repostas ao com a discussão sobre tema tão
questionário, foi possível intuir processos importante, tanto para a Academia
de compras por transferência de status ou quanto para a sociedade soteropolitana.
por necessidade de pertencimento a Evidentemente, não foi a sua pretensão
segmentos sociais específicos. esgotar o tema, apenas contribuir para
O terceiro e o quarto pressupostos da ampliar os debates e, talvez, motivar o
pesquisa, respectivamente, o de que a surgimento de outras pesquisas, com a
mudança de venda direta de produto para mesma naturezar.

Referências
A FARSA DA RECICLAGEM. Desserviço ao consumidor. Produção de Chris Cechin-De La
Rosa e Christopher Collins. Netflix: 2019. 1 vídeo (58 min). Disponível em:
<https://www.netflix.com/title/81002391?s=a&trkid=13747225&=cp>. Acesso em:
25/03/2020.
AFINAL, O QUE É A SUSTENTABILIDADE? In Brasil. Disponível em: <http://www.inbrasil.
ind.br/afinal-o-que-e-a-sustentabilidade/>. Acesso em: 18/3/2020.
ALTMICKS, A. H. Notas para ontologia marxista da Educação. Revista Múltiplo Saber, vol 25,
pp 21-35, jul./set. 2013. ISSN 1980-5969

49
ALVARENGA, E. M. de. Metodologia da investigação quantitativa e qualitativa: normas
técnicas de apresentação de trabalhos científicos. Tradução de César Amarilhas. 2ª Ed.,
Assunção, Gráfica Faz, 2010.
ANDRÉ, M. E. D. A. de. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília, Liber
Livros, 2005.
BRAGA, J. Consumo exacerbado e esgotamento de fontes naturais. Goethe. Disponível em:
<https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/mag/20786930.html>. Acesso em: 19/03/2020.
BATTINI, O. Sociedade, educação e cultura. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2013.
BRASIL É O 4º PAÍS DO MUNDO QUE MAIS GERA LIXO PLÁSTICO. WWF. Disponível em:
<https://www.wwf.org.br/?70222/Brasil-e-o-4-pais-do-mundo-que- mais-gera-lixo-plastico>.
Acesso em: 28/03/2020
ENGELS, F. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. 3a edª., São Paulo:
Centauro Editora, 2006.
FLICK, U. Qualidade na pesquisa qualitativa. Porto Alegre, Artmed, 2009.
HELENA, R. S.; PINHEIRO, A. J. A. Muito além do Merchan! Rio de Janeiro: Elsevier: 2012.
KOTLER, P.; HERMAWAN, K.; IWAN, S. Marketing 4.0. Rio de Janeiro: Sextante, 2017.
LERNER, S. Como a Indústria de Plásticos luta para continuar poluindo o mundo. The
Intercept Brasil. Disponível em:<https://theintercept.com/2019/07/28/como-industria-
plasticos-luta-para-continuar- poluindo-o-mundo/>. Acesso em: 28/03/2020.
LINDSTROM, M. A lógica do consumo: verdades e mentiras sobre por que compramos. Rio de
Janeiro: HarperCollins Brasil, 2016.
LOPEZ. B. Brasil: Os números do relatório Digital in 2019. PagBrasil. Porto Alegre, 28 de fev.
2019. Seção Blog. Disponível em: <https://www.pagbrasil.com/pt-br/insights/relatorio-
digital-in-2019-brasil/>. Acesso em: 24/03/2020
MARX, K. H. Manuscritos econômico-filosóficos e outros textos selecionados. 4ª ed., São
Paulo: Nova Cultural, 1987.
MATTAR, H. Produção e consumo: mudar é preciso. Akatu Consumo Consciente. Disponível
em: <https://www.akatu.org.br/noticia/producao-e-consumo-mudar-e- preciso-ok/>. Acesso
em: 18/03/2020.
PIMENTA, S. G.; FRANCO, M.a A. S. (Orgs.). Pesquisa em Educação: possibilidades
investigativas/formativas da pesquisa-ação. São Paulo, Loyola, 2008.
RONCOLATO, M. Por que a China é chamada de ‘lixeira do mundo’ e como ela pretende
mudar isso. Nexo. 15 de jan de 2018 (atualizado 19/02/2018 às 12h02). Disponível em: <https:
//www.nexojornal.com.br/expresso/2018/01/15/Por-que-a-China-%C3%A9-chamada-de-%E
2%80%98lixeira-do-mundo%E2%80%99.-E- como-ela-pretende-mudar-isso>. Acesso em
28/03/2020.
SANTOS, A. I.; CÂNDIDO, D. Por um conceito de Propaganda e Publicidade: divergências e
convergências. Maceió: EdUNIT, 2017.
SÓLIDO ECONOMIZA ÁGUA E EVITA DESCARTE INCORRETO DE EMBALAGENS.
Pensamento Verde. Disponível em: <https://www.pensamentoverde.com.br/meio-

50
ambiente/shampoo-solido- economiza-agua-e-evita-descarte-incorreto-de-embalagens/>.
Acesso em: 18/3/2020.
SILVA, Ana Beatriz Barbosa. Mentes Consumistas: do consumismo à compulsão por compras.
São Paulo: Globo, 2014.
STURGES, Herbert A. The choice of a class interval. 53ª ed.,New York: American Statistical
Association, 2016.
TOLOTTI, M. As armadilhas do consumo: acabe com o endividamento. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2007.
TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em
educação. São Paulo, Atlas, 1987.
VOLPI, A. A história do consumo no Brasil: do mercantilismo à era do foco no cliente. São
Paulo: Elsevier, 2007.

51
52
COMPLIANCE PARTIDÁRIO
João de Melo Cruz Filho
Advogado Criminalista e ex-juiz doTRE/BA

Revista Conhecer. Camaçari, ano 1, n. 1, jan./jun. 2020. Pp. 53-60. ISSN 2675-6064.
joãomelofilho@yahoo.com.br

RESUMO: O texto pretende ter uma abordagem inédita ao fazer a análise de um


programa de Compliance nos partidos políticos. Indica a imprescindibilidade de lei
que obrigue a implantação do Compliance nas agremiações políticas. Desenvolve o
conceito de duediligence e do canal de denúncias nas empresas e a importante
adaptação desses aos partidos. Por fim, demonstra a necessidade da contratação
de compliance officer para gerir uma estrutura independente de Compliance,
viabilizando a efetividade necessária ao programa adotado, na busca de novas
posturas éticas na política brasileira.

PALAVRAS-CHAVE: Compliance. Partidos políticos. Duediligence. Canal de


denúncias. Compliance officer.

1. Introdução

Muito se tem discutido sobre Compliance como pessoas jurídicas sujeitas às


na área empresarial. Trata-se do sanções administrativas e cíveis ali
conjunto de atividades desenvolvidas elencadas, como o Prof. Modesto
para mitigar riscos relevantes, Carvalhosa (2015, p. 61). Entretanto, não
prevenindo multas, processos judiciais, vemos desta forma, uma vez que o
incrementando o lucro, promovendo a processo hermenêutico reafirma o
diferenciação qualitativa e perenizando afastamento de extensão do significado
a imagem da corporação. Contudo, na da norma, quando se tratar de direito
área eleitoral, pouco se fala a respeito do sancionador. A Lei 12.846/13 se refere,
tema. literalmente, às sociedades empresárias,
Alguns autores têm interpretado a Lei excluindo as organizações religiosas e os
Anticorrupção, que trouxe formalmente partidos políticos, ambos contemplados
ao Brasil critérios em Compliance, de no art. 44 do Código Civil, tal como
modo a abranger os partidos políticos aquelas, como pessoas jurídicas de
direito privado.

53
Todavia, existe, atualmente, um projeto 2. Due Diligence
de lei da autoria do senador Ricardo
Ferraço, do PSDB do Espírito Santo, no
Um bom exemplo de ferramenta em
sentido de alterar a Lei dos Partidos
Compliance é o Due diligence –
Políticos, para incluir nela a
investigações prévias antes da contratação
responsabilidade objetiva das legendas
de fornecedores, empregados e parceiros
por atos de corrupção cometidos contra
comerciais. No curso de um contrato, se
funcionários públicos. O Projeto de Lei nº
um terceiro corromper um funcionário
60/2017 (BRASIL, 2017) ainda acrescenta
público, a empresa contratante
que a existência de programas efetivos em
beneficiada, mesmo à sua revelia, também
Compliance implantados nos partidos,
responde sem averiguação de culpa pelo
influiria, favoravelmente, na dosimetria
ilícito, nos termos da Lei Anticorrupção,
das punições verificadas na Lei
com sanções administrativas e cíveis
Anticorrupção.
severas. Para os partidos políticos, o Due
Esse projeto foi aprovado no Senado diligence poderia (deveria) ser utilizado
Federal e encaminhado, recentemente, antes da escolha dos pré-candidatos em
para revisão da Câmara dos Deputados, convenção, criando parâmetros até mais
estando em trâmite nesta Casa. Se for rigorosos do que a Lei de Inelegibilidade
sancionado e promulgado, acabará, por para impedir a seleção, tais como: a
vez, com qualquer discussão acerca da existência de processos administrativos,
responsabilidade objetiva dos partidos cíveis e eleitorais nos casos ali elencados,
políticos por atos de corrupção, cometidos bem como criminais por delitos dolosos
por dirigentes destas agremiações. Estes, descritos nessa legislação; ações por ato
contudo, seguindo a mesma determinação doloso de improbidade administrativa ou
da Lei 12 846/13, respondem de acordo o registro de infrações das empresas à Lei
com suas culpabilidades, ou de forma Anticorrupção aos seus dirigentes, sem
subjetiva. De qualquer maneira, mesmo que haja necessidade de decisão
ainda não existindo norma legal que transitada em julgado ou proferida por
obrigue aos partidos políticos implantar órgão colegiado em nenhuma das
programas em Compliance, diversamente hipóteses referidas.
do que ocorre com as empresas públicas
Ressalte-se que a lei confere padrões
por força da Lei 13.303/16, usar as suas
mínimos para que o pré-candidato se
ferramentas seria inaugurar um novo
habilite a cargo eletivo, mas dentro do
caminho em busca da ética e integridade
princípio da autonomia partidária, a bem
no meio político nacional. Tendo as
do interesse público, podem ser
agremiações o monopólio na escolha dos
estabelecidos no estatuto da agremiação
candidatos que irão gerir o patrimônio
filtros ainda menos permeáveis, para que
público, toda mudança positiva em
os pretendentes a relevantes cargos
direção à lisura no trato desses bens
públicos demonstrem reunir qualificação,
coletivos deve ocorrer a partir dos
antes mesmo de ter suas candidaturas
partidos. Pensando nisso e fazendo um
lançadas. O pré-candidato que ambicione
paralelo com o Compliance nas empresas,
ocupar altos cargos da República, que
elenco, a seguir, algumas atividades e
resolva suas pendências antes de se
medidas que poderiam ser implantadas
arvorar a tanto ou se filie em outra
nas legendas nacionais.
legenda que não tenha essas exigências. E

54
aos que tem candidatura garantida por maneira muito mais eficaz do que
exercício de mandato parlamentar, acaso qualquer outra. As denúncias mais
desprezadas as atribuições constitu- consistentes ocorrem através de um canal
cionais, o processo renovador, com o externo, uma linha telefônica gratuita
tempo, há de contrapor o benefício legal. operada por outra empresa independente,
que receberá as “dicas” de forma anônima
Essa ferramenta de Compliance utilizada ou sigilosa, circunstâncias que motivam o
pelos partidos deve mitigar o risco de que denunciante a relatar os desvios existentes
sejam votadas e eleitas pessoas, sem na corporação.
idoneidade ou compromisso moral para
atuar pela coletividade e a agremiação vai Para os partidos políticos, essa ferramenta
demonstrar postura ética e respeito com o seria indispensável para reportar desvios
eleitor, perenizando a sua própria éticos dos seus filiados. Denúncias de
imagem. Se a empresa pode ser apenada qualquer um do povo sobre quebra do
por uma atuação ilegal de um parceiro decoro parlamentar, atos de improbidade
comercial, mais ainda sofre o eleitor com a administrativa numa gestão criminosa do
atuação criminosa de um político, com a bem público, ou delitos descritos na Lei
corrupção e o incremento da miséria e da da Ficha Limpa, entre outros. O canal de
violência, que do mandato desqualificado denúncias serviria, principalmente, para
decorrem. desvendar atos de corrupção dos filiados
das agremiações políticas, notadamente
aqueles que detêm mandato parlamentar.
3. Canal de denúncias independente
Num paralelo do Compliance Partidário
Outra ferramenta e um dos pilares de um com o das empresas, a efetividade do
bom programa de Compliance é o canal de sistema passa pela documentação e
denúncias independente. Wagner investigação das fraudes narradas e
Giovanini (2014, p. 241) relata que desvios de conduta. E esse serviço inicia-
conforme a ACFE – Association of se através de ligações telefônicas 0800,
Certified Fraud Examiners, numa com atendimento por operadores
pesquisa entre 1.388 casos de fraudes especializados em registrar as denúncias
corporativas ao redor do mundo, algo em dos informantes, apuração dos delitos e
torno de 5 % do faturamento anual das desvios reportados, que pode conduzir à
empresas é desviado. Por este motivo, a demissão do empregado por justa causa.
estrutura de Compliance precisa ter à sua Perceba que a investigação pelos partidos
disposição ferramentas que a auxiliem na políticos dos atos contrários ao seu
prevenção ou detecção de desvios, sejam estatuto e ao código de conduta pelo canal
eles delitos, ou desrespeito às regras de denúncias, pode levar à expulsão do
elencadas ou não, no código de conduta. infrator da agremiação e a perda do
O autor citado (Giovanini, 2014, p. 241) mandato, que sempre pertencerá ao
menciona que segundo a mesma partido. Este, contudo, tem legitimidade
Associação, o meio mais efetivo para para fazer o requerimento da perda do
identificar problemas é através de “dicas”. mandato parlamentar dos cargos de
Em cerca de 43 % das fraudes descobertas deputado e senador à Câmara ou ao
a forma foi por intermédio das denúncias Senado Federal, somente após a
advindas de canal oficial ou informal, condenação criminal com trânsito em

55
julgado, de acordo com o art. 55, p. 2º da acerca da extensão da própria autonomia
Constituição. partidária. Imunizar, convenientemente,
seus filiados mais ilustres contra processo
Certo é que, tal como existem ferramentas disciplinar, que após ampla e efetiva
de Compliance aptas a barrar a atuação defesa poderia resultar na expulsão e
ilícita do contingente de empregados mal- perda de mandato, é abrir mão de seus
intencionados que atuam nas empresas, o próprios princípios programáticos,
mesmo pode se dar nas agremiações retirando a sua legitimidade como
políticas. Contudo, ao que parece, a sua representante da vontade popular que
implantação dificilmente ocorrerá nas aderiu a esses mesmos valores, quando da
tradicionais legendas. De acordo com escolha democrática. Afinal, se o
matéria publicada no jornal “O Globo” empregado desonesto já causa bastante
(ROXO, 2017), dos 98 políticos integrantes estrago numa empresa privada, muito
de quatro grandes partidos envolvidos em mais o político corrupto fará à sociedade,
atos de corrupção, alguns deles por incremento da desigualdade, da
condenados em segunda instância e já miséria e da violência, que do mandato
cumprindo pena criminal, foi instaurado desqualificado decorrem e se perenizam,
processo ético disciplinar em apenas dois se ele não for afastadorios.
dos casos... Fica muito claro que a escolha
na condução política administrativa dos
partidos será sempre dos dirigentes 4. Compliance officer
(assim como nas empresas) e, se não
houver completa adesão deles (em muitos Por último, outra ferramenta, seria
casos também envolvidos nos esquemas desenvolver uma estrutura independente
criminosos), aos propósitos do Compliance, para dirigir e supervisionar as atividades
nada será possível realizar. Qualquer de Compliance nos partidos políticos;
movimento nesse sentido, sem efetivo fundamentalmente que houvesse a figura
comprometimento da cúpula partidária, do Compliance Officer. Como nas
será nada menos do que um engodo, um empresas, se torna necessário a criação de
jogo de cena. um comitê de Compliance, com a
participação de seus filiados e a
Mesmo com todos os prognósticos
designação de um líder para se
jogando contra, a implantação de um
responsabilizar pela implantação e as
programa em Compliance seria um alento
rotinas do programa permanente.
às futuras gerações, como uma forma
meritória das novas agremiações se O departamento de Compliance, pela
destacarem no cenário nacional: necessidade de independência total, fica
demonstrar ao eleitor o comprometimento mais bem alocado no organograma
partidário com valores éticos e morais, diretamente ligado à direção da empresa,
que não podem ser afastados na gestão do mas nos partidos seria vinculado à cúpula
bem público. Os partidos políticos detêm partidária. Disto resultam vantagens
o monopólio na condução da escolha dos como não se subordinar a nenhum outro
representantes populares; ser inflexível na setor, podendo agir em situações críticas
apuração da conduta dos seus escolhidos nas investigações e definição de medidas
em convenção é uma obrigação que não disciplinares, bem como na demonstração
deve ser relegada, com fundamento numa evidente de interesse e comprometimento
interpretação distorcida, dos dirigentes,

56
da alta direção com o tema, numa a existência de um crime, mas o
mudança comportamental. Compliance Officer, em razão de um
contrato e cláusulas prévias se tornaria
Mas o que tornaria efetiva a atuação do garantidor do bem tutelado, ficando
líder do comitê de Compliance, seria a obrigado a evitar a lesão.
possibilidade de sua responsabilização
criminal por atos omissivos impróprios, A sua responsabilidade criminal nasce da
ou comissivos por omissão (a inação acerca dos deveres aos quais
punibilidade da conduta não resulta anuiu, formalmente descritos e
apenas da inobservância do dever de agir, documentados antes de assumir a sua
mas de um dever maior, porque assumido função, entre eles deveria ser ressaltada a
pelo agente, que se colocou na posição de sua obrigação em informar os fatos
garantidor da integridade do bem criminosos de que têm conhecimento à
jurídico). Conforme o art. 13, p. 2º do cúpula partidária e, após trinta dias desta
Código Penal: “ quando o omitente devia informação, se reportar também ao
e podia agir para evitar o resultado”. Esse Ministério Público. Só assim vai se eximir
dever de agir incumbe a quem tenha por de responder a um processo penal como
lei obrigação de cuidado, proteção e partícipe dos atos delituosos cometidos
vigilância; com seu comportamento nos partidos políticos. Para Robles Planas
anterior criou o risco da ocorrência do (citado em Atribuições e
resultado, ou de outra forma assumiu a Responsabilidades do Compliance Officer):
responsabilidade de impedir o resultado. “a responsabilidade do Compliance Officer
Então, toda vez em que o Compliance se fundamenta no incorreto desempenho
Officer devesse ou pudesse agir para dos deveres assumidos. E os deveres são
evitar ou minorar as consequências de limitados pelo alcance da delegação real e
atos contrários ao estatuto partidário, materialmente assumida pelo profissional.
notadamente delitos descritos na Lei da Por essa razão, a posição de garantia
ficha limpa (LC 135/2010), numa atuação dependerá do compromisso assentido
delimitada previamente em bases pelo Compliance Officer, bem como da
estabelecidas em contrato, e se omitisse, extensão do instrumento de delegação”
dando causa ao resultado, estaria sujeito a
uma sanção penal e todas as De logo, ressaltamos que não se trata de
consequências que desta advêm: aplicar a Teoria da Cegueira Deliberada
indenização por ato ilícito, inelegibilidade (originada no Séc. XIX na Inglaterra, foi
e pena privativa de liberdade. desenvolvida no Direito Costumeiro
Norte Americano e indica que, quem
A fiscalização do programa de Compliance assume intencionalmente uma posição de
é dever do Compliance Officer, muito ignorância sobre um fato delitivo do qual
embora ele normalmente não tenha deveria saber, ou poderia ter ciência,
poderes para determinar as ações responde criminalmente por este evento
partidárias. Contudo, ao se omitir de como se dele participasse). Entretanto,
informar os fatos delituosos praticados não é possível atribuir ao Compliance
através de integrantes das agremiações Officer a responsabilidade criminal, tão
políticas, também contribui para que esses somente porque ele deveria ou poderia
ocorram, ou se perpetuem. Verifique-se conhecer os fatos criminosos ocorridos
que o indivíduo, o particular não é por intermédio da atuação dos partidos
obrigado a informar às autoridades sobre políticos. Ele não pode ser

57
responsabilizado pela sua posição vezes pode ser leniente, conivente,
hierárquica, ou por pura presunção, mas partícipe, ou coautora dos crimes
nos limites da delegação que recebeu da praticados na estrutura partidária.
direção partidária e dos deveres que
assumiu antes de aceitar o encargo. A sua
responsabilidade criminal decorre da 5. Conclusão
inação dolosa, quando conhecia os fatos
que foram devidamente apurados e não O escritor ucraniano Vassili Grossman
agiu para evitá-los, ou diminuir a sua (2015, p. 298), no seu conto “ Descanso
incidência. eterno”, disse que: “as tormentas vêm e
vão, mas as profundezas do mar
Essa é uma função essencial para permanecem...”. Partindo dessa imagem,
efetividade na implantação do Compliance. penso que assim é na nossa vida, assim é
E nortear a conduta do Compliance Officer, com as empresas e também com os
para que a mera fiscalização sem partidos políticos. Na superfície tudo
consequências cíveis, criminais e eleitorais muda muito rápido e frequentemente,
não venham tornar suas atividades mas as alterações relevantes, estruturais,
inócuas, manifesta-se mesmo como um quase nunca são feitas. Aplicar o
requisito basilar do processo. Não fosse Compliance é mudar uma cultura, um
assim, toda atuação no curso de um comportamento. É um processo longo e
programa de Compliance ficaria à mercê da profundo da busca da excelência ética,
cúpula diretiva dos partidos e, que não pode ser relegado. Afinal, ou
infelizmente, sabe-se que esta muitas vamos todos, ou não vai ninguém...

Referências
ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES DO COMPLIANCE OFFICER. Portal de
Licitação. 18 de abril de 2018. Disponível em:
“portaldelicitacao.com.br/2019/artigos/atribuições-e-responsabilidades-do-compliance-
officer-2/”. Acesso em 01 de julho de 2020.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei nº 60/2017. Relator: Sen. Ricardo Ferraço
PSDB/ES. Disponível em :“www25.senado.leg.br/web/atividade/matérias/-
/matéria/128349”. Acesso em 01 de julho de 2020.

CARVALHOSA, Modesto. Considerações sobre a Lei Anticorrupção das Pessoas Jurídicas.


São Paulo. 2015. Revista dos Tribunais.

GIOVANINI, Wagner. Compliance – a excelência na prática. São Paulo, 1ª ed. 2014.

GROSSMAN, VassiliSemenovich. A Estrada/ Vassili Grossman; tradução Irineu Franco


Perpetuo – Rio de Janeiro. 2015. Objetiva.

ROXO, Sérgio. Partidos ignoram acusações na Lava-jato e não investigam filiados. O


Globo. Rio de Janeiro. 18 de junho de 2017. Disponível em :

58
“oglobo.globo.com/brasil/partidos-ignoram-acusacoes-na-lava-jato-não-investigam-
filiados-21488854”. Acesso em 02 de julho de 2020.

59
60
RELACIONAMENTO ENTRE
EMPRESA E CLIENTE USANDO O
INSTAGRAM: UM ESTUDO DE

Revista Conhecer. Camaçari, ano 1, n. 1, jan./jun. 2020. Pp. 61-78. ISSN 2675-6064.
CASO DA EMPRESA ESPAÇO DA
MODA
Luana de Santana Ribeiro
Universidade Católica do Salvador (UCSAL)
consultlua@gmail.com

Márcia Carvalhal
Universidade Católica do Salvador (UCSAL)
marcia.pimentel@pro.ucsal.br

Marcello Chamusca
Universidade Católica do Salvador (UCSAL)
marcello.pimentel@ucsal.br

RESUMO: A comunicação externa é um meio de interação entre empresa, clientes


e comunidade com o intuito de estabelecer um relacionamento. Dessa forma, o
propósito da pesquisa é analisar o relacionamento entre empresa e cliente através
das redes sociais, tomando como canal para análise as interações utilizando o
Instagram. A metodologia de aplicação da pesquisa se configura como revisão
bibliográfica, exploratória por meio de um estudo de caso com a empresa Espaço
da Moda, em Maragogipe/BA, com análise de dados qualitativos e quantitativos
por meio de entrevista e o método observatório do Instagram da empresa durante
30 dias. Os resultados obtidos ressaltam a importância do uso do Instagram como
canal de comunicação e de crescimento das vendas, mesmo em meio concorrência
do mercado, sendo que mesmo usando apenas o básico que a rede social oferece já
é possível alcançar grandes resultados de crescimento do negócio.

PALAVRAS-CHAVE: Comunicação Externa. Relacionamento. Instagram.

61
1. Introdução mídia social, quando se trata de interação
entre a empresa e consumidor.
A comunicação exerce um papel Dessa forma, a pesquisa se justifica a
fundamental nas interações em diferentes partir da compreensão de que o uso da
âmbitos, sempre entre dois ou mais internet como forma de se comunicar já
interlocutores, em cenários distintos, faz parte do cotidiano das pessoas, e, as
como na comunicação interpessoal ou na empresas, para se manterem nesse
comunicação organizacional, os cenário, em que o meio digital exerce forte
interlocutores permanecem, porém, a influência no processo de decisão de
comunicação possui direcionamentos compra entre as pessoas, utilizam os
distintos. Dessa forma, o presente artigo recursos disponíveis como forma de se
tem como objetivo retratar a comunicação relacionar com o mercado. O Instagram é
organizacional externa, com foco no uma mídia social digital que está cada vez
relacionamento com o cliente, através do mais presente nas relações e na
Instagram, considerando um dos comunicação entre empresa e
principais públicos de interesse da consumidor, se tornando uma importante
empresa, que está sempre traçando ferramenta de divulgação de
estratégias para atraí-los e fidelizá-los. produtos/serviços e de interação com
Grandes aliados e facilitadores do públicos de interesse.
processo de comunicação são as O Instagram como ferramenta de negócios
tecnologias digitais e o desenvolvimento possui funcionalidades que contribuem
da internet, que quebraram as barreiras para a comunicação de uma marca para
geográficas, materializando o conceito de com os seus públicos, gerando diferentes
globalização, facilitando as interações meios de interação. O que reforça a
entre empresa e cliente, através do seu relevância da pesquisa realizada para a
uso de forma mais fluida. Assim, surgem elaboração deste artigo é a contribuição
ferramentas facilitadoras desse processo, que pode trazer não apenas para o meio
tanto para comunicação organizacional acadêmico, na instigação de novas
interna - com aplicativos de conversa pesquisas sobre o tema, mas também a
entre os colaboradores e a empresa -, uma contribuição social, como devolutiva
quanto para o principal foco do artigo que para a empresa estudada e comunidade
é a comunicação da empresa com o interessada no assunto.
cliente, através de aplicativos e sites de Assim, o principal objetivo deste trabalho
interação. está em compreender como se dá a
O que leva a compreender o papel do comunicação externa, através do
Instagram como canal comunicador da instagram e os processos de interação das
empresa com os seus públicos de interesse empresas com os seus clientes, seguido de
que, cada vez mais, está conectado ao um estudo mais específico, que pretende
mundo digital e para as empresas se abordar a comunicação organizacional
manterem presentes na vida dos clientes e externa, para verificar como é aplicada a
atraírem novos clientes é preciso estar manutenção do relacionamento qualifi-
sempre atualizadas com as tendências, cado com o cliente; para apresentar o
principalmente as que os seus públicos relacionamento com o cliente através do
estão presentes. No Instagram não é Instagram; e, analisar o uso do instagram
diferente, atualmente é uma importante e os processos desenvolvidos, para

62
verificar a transição do físico para o 2. Comunicação organizacional:
híbrido – físico e virtual. externa
Para atender aos objetivos propostos na
pesquisa, à metodologia aplicada é A comunicação organizacional externa é
conduzida por uma revisão bibliográfica vital para as organizações, pois é através
de caráter descritivo e exploratório, dela que a empresa consegue avaliar o
quantitativa e qualitativa, tendo como mercado, acompanhar as tendências e o
instrumento de coleta de dados uma mais importante em destaque que é se
entrevista semi-estruturada e período de relacionamento com o consumidor e a
análise observatório, durante 30 dias, de sociedade, podendo acompanhar a reação
movimentação no perfil do instagram da do público com base nas ações já
empresa Espaço da Moda. realizada.
O autor Chinem (2017) aborda o conceito
Fundamentar-se-á os argumentos teórico-
de comunicação em sua generalidade,
conceituais em Kunsch (2009) e Marchiori
como o direito de todas as vozes serem
(2011) - em relação a comunicação
ouvidas e do compartilhamento de
organizacional e cultura organizacional.
informações. Já no âmbito organizacional,
Kotler (1999) servirá para apresentar
a comunicação se mostra um importante
estratégias de relacionamento entre
meio para obtenção de sucesso da marca e
empresa e o cliente, além dos conteúdos
conquista de uma maior eficácia nos
sobre o instagram e sua aplicação para
investimentos tecnológicos e inovadores
negócios, abordada pela empresa e site
pela empresa.
resultados digitais, entre demais obras
secundárias complementares para o Para Marchiori e Vilaça (2011), as
desenvolvimento teórico do trabalho. organizações se constituem a partir da
comunicação, sendo um meio de gerar
Dessa forma, o presente artigo é composto relacionamento, seja uma comunicação
por seis partes: 1) a introdução; 2) a interna ou externa, o papel da
segunda parte, em que se aborda a comunicação garante as empresa a base
comunicação organizacional externa e os do conhecimento dos recursos e canais de
aspectos de relacionamento e cultura desenvolvimento para fins de
organizacional; 3) a terceira parte, que crescimento, o que significa dizer que a
trata do uso e desenvolvimento do comunicação não está situada tão somente
Instagram como meio de comunicação como mensageira de informação, ou
entre empresa e cliente, apresentando ferramentas transmissoras, mas se trata da
vantagens e desvantagens da inserção das comunicação organizacional como meio
empresas nas redes sociais digitais; principal de gerar interação social,
desenvolvendo atividades e ações que
4) na quarta parte, se descreve a empresa cause impacto nas pessoas.
estudada, como é pensado e trabalhado o
uso do Instagram pela empresa, e, os Assim, a comunicação passa ser
resultados obtidos; 5) na sequência, se considerada importante pelas organiza-
apresenta a metodologia aplicada, a ções em seu caráter corporativo advindo
análise dos dados e os resultados obtidos da influência de novos entrantes no
ao fim da pesquisa; e, 6) por último, se mercado, e os recursos tecnológicos e de
apresenta a conclusão da análise. inovação, tornando a comunicação algo

63
essencial para as empresas, um meio consumidor vale mais que os ativos de
estratégico de competitividade, tendo em produção que possui. Dessa forma a
vista a complexidade que a comunicação comunicação organizacional externa se
se apresenta na contemporaneidade, mostra para além de uma crença limitante
envolvendo tanto a organização interna - em relação ao senso comum de pensar em
membros e processos internos - quanto comunicação como apenas transmissão de
externa - mercado e sociedade (KUNSCH, informações.
2006). A comunicação organizacional é um meio
A comunicação organizacional, conforme estratégico de competitividade que busca,
já conceituada, ressaltando o seu papel a todo tempo, se conectar com a sociedade
como um meio ativo da empresa, se em busca de suprir as necessidades do
apresenta em seu caráter interno e consumidor, se posicionando de forma
externo, no qual o presente artigo busca diferenciada no mercado, se mantendo
abordar os aspectos de uma comunicação próximo do cliente, tornando sua
externa envolvendo a relação de diálogo mensagem receptiva e atrativa ao cliente,
entre empresa e o cliente mais o que assim, gera a movimentação do
especificamente. mercado e a valorização da marca. Assim,
para uma comunicação eficaz e eficiente
O diálogo externo apresentado por
com o consumidor é importante avaliar as
Chinem (2017) envolve o processo de
estratégias de relacionamento e o papel da
comunicação que a empresa estrutura
cultura organizacional com relação ao
para dialogar com o seu público,
cliente.
baseando se nas influências do mercado e
no comportamento do consumidor, a
comunicação externa se assemelha a 2.1 Relacionamento e cultura
comunicação em marketing por Pinho organizacional
(2001) com relação aos aspectos
mercadológicos, levando a modernização A cultura de uma organização surte efeito
das empresas em pensar nas estratégias a no relacionamento com o cliente, por meio
partir dos aspectos relacionados ao das influências perceptíveis de uma
comportamento do consumidor com o estratégia de comunicação e sensitiva em
intuito de projetar uma informação relação à observação do consumidor. A
prevendo uma reação do público alvo, as Cultura Organizacional se constitui de
estratégias traçadas pela organização com dentro para fora, ou seja, é um processo
foco no cliente se assertivas fortalece a interno que envolve características
marca da empresa e agrega valor a peculiares de como se dá a relação interna
experiência do cliente. do ambiente e como projetar os resultados
Os autores abordados até aqui retratam a no ambiente externo, para com o
importância da comunicação nas relações consumidor.
entre organização e cliente, como fato A cultura organizacional diz muito sobre
principal no processo de desenvolvimento como a empresa se comporta frente ao
tecnológico e inovação, o que leva a consumidor e como é direcionada a sua
analisar o poder da comunicação na política de relacionamento. Kotler (1999)
construção e consolidação de uma marca. trata da relação da cultura organizacional,
O valor da marca em si, se bem a partir da percepção do marketing de
estruturada e bem relacionada com o relacionamento, com o intuito de

64
estabelecer um relacionamento duradouro volvimento corrobora para maturação da
para com o consumidor. empresa e consolidação do
relacionamento com o cliente.
Com foco em compreender as estratégias
de relacionamento com o cliente, os Dessa forma, o relacionamento com o
autores Kotler e Armstrong (2004) cliente vai além do processo de venda do
definem o marketing de relacionamento produto, o processo envolve conhecer de
como sendo uma estratégia que tem como fato o cliente, proporcionar uma
intuito criar, manter e aprimorar as experiência de compra inesquecível,
relações com o cliente e novos públicos. O agregando valor ao seu produto, com o
principal foco do relacionamento está na intuito de gerar satisfação para o cliente.
retenção de clientes, mantendo um O que é reafirmado por Kotler (1999),
relacionamento mais lucrativo e quando observa a importância do papel
duradouro, em que o autor reforça a do marketing de relacionamento e a
cultura organizacional sobre a perspectiva cultura organizacional sendo estes meios
de Louis (1985), de que a cultura envolve indispensáveis e que todas as
significados compartilhados por um organizações busquem estabelecer um
grupo de pessoas, sendo assim, a cultura é relacionamento com o seu consumidor.
composta de três componentes essenciais A Cultura Organizacional, como já
sendo eles; o conteúdo; o grupo e o abordada pelos autores em destaque,
relacionamento entre conteúdo e o grupo,
consolida uma organização a tornando
entendendo a importância das pessoas no diferenciada com relação a empresas
processo organizacional, atendendo as comuns que não possuem uma identidade
necessidades dos seus públicos. bem definida e com relação ao processo
Marchiori (2008) aborda a cultura de relacionamento com o cliente gera uma
organizacional a partir das questões que transformação com base em pensar
envolvem o ambiente interno, sendo estratégias de manutenção desse
necessário um olhar analítico da situação relacionamento como forma de manter o
com base na diversidade, para as cliente e agregar o público interessado.
diferentes crenças culturais que envolvem Assim, a percepção com relação a cultura
uma organização. Em destaque a relação e relacionamento atualmente está atrelada
da cultura organizacional no âmbito de
às influências tecnológicas e aos recursos
uma empresa familiar, a qual é abordada inovadores que permitem a sociedade de
neste estudo de caso. As empresas comunicar em tempo real para além das
familiares representam uma parcela barreiras geográficas. Um dos meios de
considerável no mercado brasileiro e sua comunicação instantânea são as redes
cultura varia de acordo com as influências sociais que tem como objetivo a interação
recebidas por parte do proprietário, dos entre os usuários, a seguir é abordado à
familiares e demais crenças. importância e o papel do instagram para
Kunsch (2018) apresenta a percepção da as organizações.
cultura organizacional como fonte de
valorização das empresas, se destacando 3. Instagram
por meio das estratégias planejadas com o
intuito de se relacionar com o cliente.
Quando se trata de uma cultura O Instagram é uma mídia social que
organizacional, o seu processo de desen- surgiu em 2010 como aplicativo para

65
celular, com o objetivo de ter uma galeria deixar registrado no perfil o que o usuário
virtual para compartilhar fotos dos seus já publicou nos story (RESULTADOS
momentos de forma instantânea. A ideia DIGITAIS, 2018).
surgiu da parceria de Kevin Systrom e do
brasileiro Mike Krieger, anos depois, em A plataforma ainda conta com filtros para
2012, o aplicativo começava a fazer a imagem, configuração de edição para
sucesso. Foi quando os empresários foto e filtros interativos para o story. Em
receberam uma proposta do dono do relação aos investimentos do Instagram
Facebook, Mark Zuckerberg, a qual como ferramenta de negócios, a empresa
estrategicamente foi aceita, uma vez que a programou na plataforma o recurso de
empresa de Zuckerberg detinha um forte loja virtual, onde é possível subir o
poder econômico e influência por parte da catálogo de preços e produtos para
sua rede social o Facebook (GOES at al. facilitar o processo de compra do usuário,
2018). além de curtir e comentar, a ferramenta
conta atualmente com um direcionador
O Instagram, que inicialmente surgiu para enviar para outra conta e o de salvar
como aplicativo de interação instantânea, a publicação que quer ver novamente. As
para compartilhar fotos dos momentos, evoluções da plataforma permitiram que
com filtros, passou por uma forte ela se constituísse num meio estratégico
transição ao longo dos anos, transição esta de marketing e de comunicação, que une
que ocorreu de forma rápida e consistente os 4 P’s - produto, preço, ponto de venda
e hoje o meio é utilizado como canal de e promoção -, que segundo Kotler (1999),
comunicação e de negócios por diversas é a definição do mix fundamental no
pessoas espalhadas no mundo. Sendo processo mercadológico de um negócio.
assim considerada uma das mídias sociais
mais querida pelas pessoas. O crescimento do Instagram como
ferramenta de negócios advém da
Com o sucesso do aplicativo, a plataforma influência da tecnologia, dela estar
que até então tinha o intuito de interação sempre em busca de inovações, visando
entre as pessoas passou a agregar valor no facilitar as relações entre pessoas. Dessa
processo comunicativo uma vez que forma a internet encurtou a distância
despertou o interesse das empresas em geográfica entre as pessoas, da mesma
fazer parte desse universo. Uma empresa forma que estreitou a proximidade das
antenada ao mercado vai aonde o seu empresas com o seu consumidor.
consumidor está, e assim, as empresas Sustentar um negócio físico sem
começaram a se inserir com perfis na rede estratégias de marketing de relaciona-
social. O Instagram em suas adaptações mento com o cliente por meio das redes
possui configuração para perfil de sociais e uso de recursos tecnológicos é
empresa e perfil de criador de conteúdo, limitar o campo de visão, estando fadado
além do perfil pessoal, incluindo os ao fracasso, uma vez que os consumidores
upgrades que o aplicativo recebeu nos estão mais presentes no âmbito da
últimos tempos como o stories que sãos as Internet, buscando ofertas de produtos a
publicações que duram 24 horas, o IGTV todo o momento, bem como é destacado
que é o espaço de compartilhamento de por Kotler (2010), de que as mídias sociais
vídeo onde quanto mais seguidores se possuem uma importante expressividade
tem mais minutos/horas o perfil tem no processo de comunicação, tomando
disponível, nos destaques que é possível sempre grandes proporções e dessa forma

66
os consumidores seguem o progresso, organizacional e o seu papel no
através das redes sociais os clientes desenvolvimento de um empreendimento
possuem voz ativa, tendo assim a partir do relacionamento com o
autonomia para expressar opinião em consumidor está ligada aos recursos
relação à experiência com um produto ou tecnológicos e ao mercado de inovação,
marca. bem como atualmente com o uso do
Instagram para fins de se comunicar de
forma eficiente e eficaz.
3.1 Usos do Instagram como meio
de comunicação Algumas organizações levam o uso do
Instagram a sério, com foco em busca
resultados, e que os resultados se tornem
O Instagram é para além de uma rede escaláveis, sendo assim, o crescimento de
social, também é uma ferramenta um perfil na rede social é possível por
facilitadora no processo de comunicação meio de duas formas, que envolvem o
externa por meio de uma vitrine virtual. O tráfego orgânico e o tráfego impulsionado
uso de fotos e vídeos gera conexão entre o que, como o próprio nome sugere, está
emissor e o receptor. Assim, ligado a investimento financeiro. O
estrategicamente, a ferramenta alcançou tráfego orgânico é baseado nos esforços a
milhões de pessoas ao redor do mundo, partir do conteúdo, do uso das postagens,
atraindo o olhar das empresas em busca o uso da hashtag, como forma de alcançar
dos seus públicos na ferramenta. mais pessoas e assim gerar resultados, já
Para estabelecer uma comunicação entre no tráfego impulsionado, os
empresa e consumidor no instagram é investimentos financeiros em anúncio
importante que a empresa se estruture de contribui para alcançar os públicos
acordo com os públicos que de fato estão idealizados e assim, vai aumentando os
interessados. A definição de uma persona resultados. Os dois métodos dependem
para o negócio digital é fundamental, e a da produção de conteúdo para que a
própria ferramenta corrobora com página seja atrativa aos públicos de
informações específicas para cada perfil. interesse estabelecido (ROCK CONTENT,
2018).
O canal de comunicação Resultados
Digitais (2018) estuda as interações no Além de exercer o papel de ferramenta
mercado digital e as ferramentas que comunicadora, o Instagram é um meio em
possibilitam se comunicar com o cliente, que gera o maior volume de prova social,
uma das principais redes sociais que é onde as pessoas comentam as publicações,
abordada é o Instagram, principalmente o enviam mensagem, via direct,
seu uso nas empresas, que além de definir compartilha algo que achou interessante,
o público-alvo, envolve a construção de contam suas experiências e assim agrega
um planejamento de publicações, com valor à marca em destaque, confirmando
base em temas de interesse destes, a perspectiva defendida por Chinem
imagens que geram empatia com os (2017) em relação à comunicação
indivíduos e o uso estratégico de hashtag organizacional e suas influências, de
como forma de aumentar o alcance e manutenção e de construção de
impressão do conteúdo publicado. relacionamento com o consumidor.
A perspectiva de Kunsch (2006) e Os investimentos em comunicação através
Marchiori (2011) sobre a comunicação do Instagram são altos por parte das

67
organizações, as quais estão sempre digital que é formada por indivíduos e
focadas em alcançar o sucesso e se organizações, a partir de interesses ou
destacar em relação aos concorrentes. valores comuns (RESULTADOS
Dessa forma, os Resultados Digitais (2018) DIGITAIS, 2017).
apresentam boas práticas de como Mendes (2011) ressalta as redes sociais
alcançar o sucesso do perfil no Instagram. como ferramentas com potencial de
Inicialmente é importante identificar o interação sem fronteiras geográficas e em
porquê de está criando, o que vai ser caráter instantâneo, favorecendo assim a
abordado, não gerando conteúdo apenas
inserção de constante troca de
para cumprir calendário, mas tendo informações, o que atrai a atenção do
sempre em mente o foco de agregar valor usuário a estar sempre acompanhando as
à marca. redes sociais, as quais está inserido.
Assim, o Instagram é como uma vitrine de
caráter digital, que possibilita o usuário As mídias sociais que mais obtiveram
escolher o conteúdo que busca seguir as sucesso cativando as pessoas nos últimos
pessoas influentes na área de interesse, anos foram o Facebook – que é uma rede
chegando a consumir produtos e até social para conectar as pessoas gerando
mesmo indicar perfis de profissionais e interação, o Linkedin - que é uma rede
empresa que admira, para outras pessoas, social profissional -, o Twitter - que é a
esse tipo de ação constitui o troca de mensagens com delimitação de
fortalecimento da marca, em se tornar caracteres -, o Youtube - que é
perceptível e confiável aos olhos do comunicação através de vídeos -, o
consumidor. Snapchat - que se tornou popular pela sua
inovação em filtros e sons para realização
Se comunicar através das redes sociais é o de vídeos e fotos -, incluindo também o
novo método de promover uma Pinterest - que é famoso pelo seu estímulo
organização, alcançando a atenção dos ao processo criativo e a ideias através de
usuários, gerando necessidade e desejo no posts - e, atualmente, o Tiktok - meio que
público alvo. As empresas que não optam surgiu há pouco tempo e que já vem se
por atuar nas redes sociais digitais, tornando o querido entre os usuários -
principalmente no Instagram, com o uma ferramenta que se destaca pela
tempo podem ser esquecidas e até mesmo
criatividade e estrutura pré-prontas para
substituídas pelos concorrentes. produção de vídeos curtos. Não poderia
deixar de ressaltar o Instagram, foco do
3.2 Vantagens e desvantagens da estudo, famoso pela sua característica
inserção da empresa em redes principal, desde que surgiu, que tem
sociais digitais como foco o registro de momentos
importantes em imagens (ROCK
CONTENT, 2016).
As redes sociais digitais surgem já nos
primeiros anos do século XXI, atraindo Além das mídias sociais destacadas, que
uma gama de usuários com o intuito de surgiram nos últimos 15 anos, existem
interagir com as pessoas através internet e várias outras que já foram sucesso e que,
também como forma de registrar atualmente, já não são mais conhecidas,
momentos, compartilhar e se comunicar como é o caso do Orkut, que perdeu sua
com outros. É classificada como redes popularidade após a inserção do
sociais digitais toda e qualquer estrutura

68
Facebook. Os avanços tecnológicos com os usuários, em tempo real
provocam mudanças cada vez mais (RESULTADO DIGITAL, 2017).
rápidas. O Instagram, por exemplo, surge
em 2010 e quatro anos depois, em 2014, já Entre as desvantagens da inserção das
era uma das mídias sociais mais empresas em redes sociais está o controle
influentes, tanto em relação ao volume de dos meios em si, uma vez que a empresa
usuários quanto em interações geradas que possui um perfil numa rede social
nele. conta com um sistema da própria
plataforma. Se uma organização não
Em relação às vantagens e desvantagens possui um site estruturado, ou uma carta
do uso das redes sociais tem um ponto em de clientes, e tem as redes sociais como o
comum que é o avanço da tecnologia que, único meio de interação com os seus
se por um lado desperta a necessidade de públicos, ela se torna dependente do
atualização dos meios em oferecer sistema, se a mídia sair do ar a empresa
experiências cada vez mais incríveis na perde a interação que construiu com os
rede social, por outro lado, instiga a seus públicos.
competitividade e o volume de
informações, que se a mídia não estiver Para que isso não aconteça é importante
acompanhando as mudanças, se torna que as empresas construam uma estrutura
obsoleta e perde usuários para as mídias independente como lista de leads (contato
concorrentes. dos clientes, lista de e-mail) para se
comunicar através de e-mail marketing ou
Segundo Resultados digitais (2017), as o mais indicado é o uso de um website,
redes sociais se comportam em que o controle é totalmente da
positivamente, agregando valor na organização, assim, caso a rede social
experiência do usuário, ao permitir que se esteja fora do ar, o público da empresa
comuniquem com outras pessoas à sabe onde encontrar. Dessa forma, as
distância, em proporcionar um espaço de interações nas redes sociais constituem
interação a partir de interesses e um papel fundamental no fortalecimento
características em comum, sendo inclusive da marca e no relacionamento com os
um ambiente para armazenamento de clientes. Contudo, além de manter seus
informações e dados. A informação se dá perfis atualizados, para o fortalecimento
em tempo real, permitindo a comunicação da estrutura, as empresas devem investir
instantânea, principalmente se tratando em um site próprio, como garantia de
de informações urgentes. autonomia sobre o seu empreendimento.
Estar presente na internet é vital para
As mídias sociais usadas como ferramenta sobrevivência das organizações no
de comunicação organizacional com o contexto atual. Estar onde o seu cliente
cliente são ricas em informações, está é um dos lemas que mais define o
possibilitam a empresa uma análise do mercado nos dias atuais. A sociedade está
seu público, entender quais são os seus conectada a todo o momento através das
interesses, e também servem como um redes sociais, aplicativos e ferramentas,
termômetro para medir a interação dos que surgiram a partir das tecnologias
usuários com a marca. Os canais digitais e da popularização do uso da
possibilitam que a empresa realize internet. Dessa forma as pessoas buscam
vendas, através da comunicação direta soluções práticas para o dia a dia, uma
indicação de um amigo nas redes sociais,

69
um anúncio relacionado ao interesse do Dessa forma a gestão do empreendimento
usuário é o suficiente para estabelecer é construída por mãe e filha onde
conexão e gerar vendas. estabelecem as relações e estratégias para
o crescimento do negócio, além da
construção de uma cultura organizacional
4. Empresa Espaço da Moda afetuosa com os consumidores, bem como
é abordado por Marchiori (2008) em
A empresa Espaço da Moda em estudo relação ao ambiente interno e as
está situada no centro comercial de influências.
Maragogipe – BA, atuando com moda
feminina, masculina, infantil e acessórios Em entrevista com as proprietárias, as
no ramo varejista. As atividades da atividades de compra de mercadoria,
empresa iniciaram em 2011 como filial da resoluções administrativas e financeiras
Empresa Blusas.val que era uma loja de são geridas pela proprietária Valdecir e as
bairro na cidade. atividades envolvendo o comercial e
marketing, atendimento online estratégias
A organização possui caráter familiar de relacionamento são de responsa-
fundada pela Senhora Valdecir Santos de bilidade de Micaele. O processo de busca
Jesus começou inicialmente trabalhando por tendências é analisado em conjunto.
como autônoma nas feiras livres da
Cidade de Maragogipe e São Félix com o Os produtos comercializados seguem a
crescimento da clientela o negócio se linha do que é “modinha” na cidade e está
expandir para loja de bairro Blusas.val nas redes sociais. Dessa forma, o fluxo é
negócio em que os produtos trabalhados intenso e a preocupação em atender a
eram mais acessíveis à comunidade e a demanda em relação ao que o mercado
estratégia era manter um preço baixo com apresenta é fundamental. As proprietárias
qualidade, com a expansão e a iniciativa buscam sempre entregar aos consumi-
da loja Espaço da Moda juntamente com dores e ao público local o que a de
sua filha Micaele Pinheiro que cuida da novidade no mercado, sempre analisando
parte comercial e marketing, a estrutura o cenário para não acumular mercadoria,
da empresa passou por transição com o uma vez que a tendência de determinado
resultado da queda de vendas da loja modelo tende a esfriar, dificilmente as
Blusas.val, a empresária tomou a atitude peças são vendidas.
de fechar o ponto e concentra os esforços
A Percepção do mercado por parte das
no negócio que estava dando mais retorno
proprietárias está à redução do consumo,
no momento.
como mudança no comportamento dos
A definição da empresa familiar se dá em consumidores e o desequilíbrio entre a
relação à gestão de um negócio por uma oferta e a demanda, por se tratar de uma
família, em características organizações o cidade pequena o crescimento de lojas de
ambiente organizacional é considerado vestuário mesmo que pequenas se tornam
mais informal seja interno ou externo. concorrentes e estão disputando espaço
Além de transparecer confiança para com pela atenção do público.
os fornecedores e os clientes, pelo
Um dos pontos abordados é a
relacionamento mais próximo entre os
concorrência desleal em relação aos
envolvidos no desenvolvimento do
preços, as empresas investem em preços
negócio (ULRICH, 1997).

70
baixos a fim de se destacarem, já a até hoje a página é atualizada, porém a
empresa Espaço da Moda aposta em uma interação no mesmo foi caindo, por outro
estratégia de qualidade a preço justo, lado a empresa não perdeu público uma
tendo como diferencial a sua atuação no vez que o instagram se sustentou em
mercado e a forma como se comunica com relação à interação ser maior que no
os consumidores. facebook. O comportamento do
consumidor mudou e com isso as
Para se posicionar no mercado a empresa empresas precisam acompanhar as
investe no instagram como canal de transições, principalmente em relação à
comunicação, visibilidade dos produtos atualização tecnológica.
comercializados, além de estabelecer um
A transição ocorreu tranquilamente, e o
relacionamento com o cliente o
instagram se mostrou uma potência em
empreendimento obtém dados e
relação ao aumento na interação e nas
informações relevantes sobre os produtos
vendas da empresa. O canal não é usado
o que mais o público gosta ou reprova, a
para finalização de vendas como afirma as
rede social se torna um termômetro para
proprietárias. O uso da ferramenta é para
desenvolvimento da empresa.
estreitamento das relações e iniciar o
processo de escolha dos produtos, sendo
4.1 Uso do instagram pela uma vitrine dos produtos da empresa em
organização que os visitantes ao perfil podem
perguntar, tirar dúvidas e reservar o
produto para pagamento e entrega no
O Instagram da empresa foi criado em
estabelecimento.
2014 com o intuito de expor os produtos e
ter um canal de comunicação. Antes da As vendas realizadas pela empresa mais
rede social a empresa atuava apenas em de 90% é realizada porque o cliente
seu espaço físico e a comunicação pessoal escolheu a peça no perfil do instagram e
com os consumidores, mas com os foi à loja conferir. Micaele afirma que os
avanços tecnológicos e a internet, a consumidores já chegam à loja com o
empresa sentiu a necessidade do mercado print da roupa que buscam quando não
de se conectar com os consumidores são as imagens do feed da empresa, são
através das redes sociais, iniciando a peças de outras marcas ou lojas que
princípio com uma página no facebook. acompanham no instagram.
O intuito do empreendimento era atrair a Dentre as possibilidades a serem
atenção das pessoas através das fotos dos exploradas a empresa usa o feed para
produtos divulgados nas redes sociais. O postar os looks e as tendências e o story a
facebook alcançou as expectativas da loja empresa usa como meio de informar
e as pessoas começaram a consumir mais abertura da loja, os horários de
no estabelecimento, gerando também funcionamento, os acontecimentos. Além
interação na página, mas o sucesso do de usar os destaques para separar as
facebook logo foi substituído pelo uso do coleções e as categorias. A seguir na
instagram. figura 1 a estrutura do perfil da empresa;
Figura 1 – Perfil da Empresa Espaço da
O Uso do instagram é sincronizado com a
Moda no Instagram.
página da loja no facebook, sendo assim

71
instagram antes da exposição na loja
como meio de entrega aos consumidores
virtuais às novidades que está chegando à
loja.
Bem como é explorado pelo Rock Content
(2018) da importância dos investimentos
nas redes sociais a empresa Espaço da
Moda percebeu o potencial do instagram
e fez investimento em uma câmera
profissional para a realização das fotos
com alta qualidade, as fotos são tiradas
em espaços abertos, próximos à natureza
e em espaços urbanos na cidade, tal
proposta mostra o cotidiano da cidade e
dos perfis de consumidor local.

5. Metodologia aplicada

O presente artigo se constitui por meio de


um estudo bibliográfico baseado nos
principais autores relevantes sobre os
assuntos abordados, no intuito de
construir um paralelo com o mercado, por
meio de um estudo exploratório
descritivo de caráter qualitativo e
quantitativo utilizando como ferramenta
de análise, as atividades desempenhadas
pela empresa na rede social - instagram a
partir do método observatório durante
um período de 30 dias que ocorreu entre
os dias 16 de Novembro de 2019 a 15 de
Dezembro do mesmo ano e através de
uma entrevista semiestruturada junta à
proprietária do negócio Valdecir Santos
Fonte: @espacodamoda27, 2019.
de Jesus juntamente com a sua filha
O canal da empresa no instagram possui Micaele Pinheiro que atua em conjunto no
4.682 seguidores e atualmente a empresa negócio na área comercial e é a
realiza no mínimo 3 postagens de look e responsável pelo gerenciamento da rede
nos story uma média de 8 story social.
informativos e com vídeos curtos A estrutura metodológica estabelecida se
mostrando o funcionamento da empresa. dá a partir das definições e
A empresa possui planejamento de esclarecimentos abordado por Pereira at.
conteúdo. Antes das peças irem para a al. (2018) quanto à importância de
comercialização no estabelecimento é delimitar as estruturas de análise por
realizado uma sessão de fotos de todos os meio dos relatos bibliográficos sobre o
modelos, os quais vão para o perfil no assunto em estudo. A definição de escolha

72
exploratória está na investigação dos fatos Atualmente a empresa não possui site ou
e observatório sem o intuito de e-commerce, não tendo como perspectiva
intervenção com o ambiente em análise. de crescimento em relação à expansão das
O uso de entrevista constitui os dados barreiras geográficas, a empresa se
qualitativos em relação ao parecer das concentra em atender a cidade de
proprietárias em relação ao andamento do Maragogipe e as cidades vizinhas como
empreendimento e a análise dos São Felix e Cachoeira e o instagram serve
quantitativos através dos resultados como um canal de comunicação com o
apresentados pela análise do perfil e público dessas cidades, apresentado o
interação da página do instagram da catálogo dos produtos da empresa e
empresa fornecido pela organização em entregando informações importantes
conjunto com as observações individuais sobre o negócio. A loja Espaço da moda
do perfil. A estrutura de desenvolvimento ainda usa como meio de comunicação o
da presente pesquisa se constitui de forma aplicativo de conversas - WhatsApp como
clara e explicativa como meio de meio de atender aos clientes, confirma
expressar os dados de impacto do entregas, separar produtos e informar as
mercado local em relação ao uso da rede novidades aos clientes, sendo este um
social e o que se tem como abordagem de canal que transparece confiança aos
informações no âmbito teórico. clientes e torna a comunicação mais
informal e sem burocracias.
5.1. Análise dos dados O Instagram bem como os demais canais
de comunicação com o consumidor traz
A empresa Espaço da Moda se adaptou ao como efeito para o empreendimento o
meio tecnológico – digital em que as fortalecimento dos laços de relaciona-
pessoas cada vez mais estão conectadas. O mento com o cliente, entre os clientes que
que dessa forma segundo Resultados entram em contato com a empresa,
Digitais (2017) aponta o crescimento das através dos canais digitais, 80% voltam a
compras online, um dos avanças advindos comprar novamente, um bom
da internet que oferta o rompimento das atendimento virtual fortalece a fidelização
barreiras geográficas, oportunizando do cliente.
espaço para empresas divulgarem e até Proprietária reforça a importância do
mesmo criar um negócio totalmente instagram, ressaltando o desenrolar das
online. vendas mesmo em meio à crise por meio
Assim a Empresa que iniciou o seu do uso consistente da rede social como
negócio 100% físico, atualmente depende meio de se comunicar com os
do virtual para impulsionar as vendas. O consumidores da cidade em que mais de
instagram é a ferramenta em potencial 90% dos seus clientes chegam à loja
para diversos empreendimentos desde através dos produtos disponíveis na rede
grandes organizações, a empreendi- social, sem o uso da ferramenta o
mentos de regiões menores como o caso empreendimento tenderia a diminuir o
da empresa Espaço da Moda, em desempenho.
Maragogipe/BA, que usa a rede social O Relacionamento com o cliente e o meio
como uma vitrine virtual. de comunicação utilizado fortalece o que é
abordado por Kotler (1999) quanto à
estrutura pensada a partir do cliente e do

73
que demanda o mercado. Analisando a pessoas que visualizam o conteúdo da
entrevista das proprietárias se tem a página e a impressão se refere ao número
percepção do complemento entre ambas de vezes que a publicação foi entregue
às experiências quanto a Mãe tem para visualização no feed de alguém
experiência de anos na atividade de (RESULTADOS DIGITAIS, 2018). Em
vendedora e nos processos de relação aos resultados de alcance da
comunicação pessoal a filha já está mais empresa durante o período de 30 dias
atualizada no mundo digital e ter apoio e vario entre 931 a 2.207 visualizações como
consentimento no processo de construção apresentado a seguir na figura 2:
é fundamental para atualização da
empresa. Figura 2 – Alcance da Empresa Espaço da
Moda em 30 dias.
5.2 Os resultados obtidos

Entre os dias 16 de novembro a 15 de


dezembro de 2019, ocorreu uma análise
observatório sob o desempenho e
movimentação do perfil do Instagram da
Empresa como mais um método de
compreender a interação. Durante este
período a empresa realizou 67 postagens
relacionas a coleção de final de ano como
roupas às festas e a moda praia em
conjunto já que na região de atuação da
empresa a moda praia sofre uma forte
demanda nesse período.
A empresa não costuma fazer publicações
aos domingos, apenas em períodos de
festejos que o ambiente fica aberto. Bem
como a descrição do feed do perfil
abordado na figura 1, apesar da empresa
também comercializar roupas masculinas
e infantis, o foco principal é a moda
feminina na qual 100% das postagens
durante o mês de observação foram de
peças para o público feminino.
O perfil da empresa na rede social é
seguido por 66% de mulher entre 18 a 44
anos com audiência principal em relação a
localizações relevantes está à cidade de
Maragogipe com 35% os demais são de
São Félix, Salvador, Cachoeira, Feira de
Santana e Cruz das Almas.
A análise de crescimento da empresa nas
redes sociais se dá por meio do alcance
Fonte: @espacodamoda27, 2019.
que é definido, como o número de

74
A figura 2 mostra o desempenho mento pessoal e as interações no espaço
crescente da empresa se tratando do físico, a rede social é como um adendo de
alcance, a imagem mostra algumas das divulgação do empreendimento, que além
publicações observadas. Os dados de das ações na rede social, a empresa realiza
informação foram disponibilizados pela sorteios, entrega lembranças personali-
empresa uma vez que fazem parte das zadas da loja aos clientes e com a
configurações de acesso pessoal do aquisição da câmera profissional a
usuário. empresa ainda valoriza a localidade
promovendo seção de fotos como
Como atualização do instagram não é
construção de conteúdo para a rede social
mais permitido acompanhar as curtidas
e valorizando os traços regional dos
em postagens, apenas o usuário da conta
consumidores.
pode acompanhar. Os comentários são
visíveis, na página da loja possui alguns
comentários perguntando sobre modelos, 6. Conclusão
preços e até mesmo elogios às imagens
publicadas.
Relacionamento entre empresa e cliente
A interação no story da loja segundo dado ocorre de diferentes formas, de acordo
compartilhado pela proprietária recebe com cada estratégia implantada pela
visualizações de aproximadamente 516 a organização, os dados abordados na
800 visualizações diárias. Já em relação presente pesquisa aborda a comunicação
aos horários de maior interação está entre organizacional externa através do uso do
12h à 21h, período em que após uma instagram – uma ferramenta muito
análise inicial a empresa começou a criar utilizada entre as pessoas como forma de
publicações e expor informáticos. exibir imagens de momentos instante-
A Empresa não faz uso de tráfego pago neos, com a percepção das empresas de
para escalar campanhas e anúncio dos que as pessoas/consumidores têm acesso
seus produtos na rede social, mas já usou à rede social as empresas buscaram
o botão impulsionar para gerar mais espaço na rede social para construir sua
impressões e assim alcançar mais pessoas. vitrine e atrair os consumidores.
Em uma análise parcial em relação ao Para construir um relacionamento com o
potencial das redes sociais como é cliente é fundamental pensar na
discutida e apresentada nos estudos da experiência a qual entrega ao consumidor
Resultados Digitais (2018) e a Rock e as redes sociais passam a prensagem de
Content (2016), o instagram em especifico algo rápido, acessível e de disponibilidade
é a tendência principal para estabelecer por está lá sempre que se busca por algo,
comunicação com as pessoas através de por isso o consumo online cresce por
imagens no meio digital, para as empresas anos.
é fundamental está onde o público está e
O Instagram é uma ferramenta de
sempre usar da melhor forma os recursos
comportamento ajuda as empresas a
digitais ofertados pelas ferramentas, com
segmentar o seu público através dos
o uso do instagram não é diferente a
interesses relacionados. Neste espaço que
ferramenta dispõe de diversos recursos
a rede social disponibiliza é possível
além de postagens no feed e story.
identificar características fundamentais
Em relação à empresa em estudo que tem em relação às empresas quanto à
como propósito fortalecer o relaciona- construção da comunicação, a imagem, a

75
cultura organizacional. Transparecer tais mais longos para publicar na rede social.
aspectos aos consumidores, faz toda E principalmente abrir a visão geográfica
diferença no crescimento da empresa e investindo em anúncios pagos, o perfil da
fidelização dos consumidores. empresa tomaria um novo rumo em
relação a uma expansão em escala e com
Com os dados e características obtidas em
constância.
relação à atuação do empreendimento
Espaço da Moda é perceptível o papel do Dessa forma, a pesquisa conclui em
instagram no processo de desenvolvi- relação ao relacionamento com o cliente o
mento do negócio o qual se sustenta uso fundamental da comunicação virtual
através da rede social como atrativo ao através das redes sociais, o instagram é
consumidor, uma vez que a empresa tem uma ferramenta de grande valia para as
como foco o uso da rede social como uma empresas, de fácil uso e com um grande
vitrine virtual e de interação sem retorno uma vez que as pessoas estão
comercialização de finalização e entrega sempre conectadas. Usar a rede social
dos produtos 100% online, utilizando para promover um empreendimento não
apenas o feed e o story à empresa já se se limita a categorias de empresas ou
destaca na cidade, imagina se a empresa estrutura de grande e médio porte, mas é
abre o campo de visão e busca investir nas um espaço aberto a todos, investir no
demais estruturas disponíveis pela instagram bem como em outras redes
ferramenta como a criação de conteúdo sociais para alcançar resultados, nunca
sobre os produtos em questões de esteve tão acessível como atualmente com
combinação, tendências de cores, tipos de o avanço da internet e da interação nas
roupa para cada corpo, investir no IGTV – redes sociais.
que é a estrutura de criação de vídeos

Referências
CHINEM, RIVALDO. Introdução à comunicação empresarial. Editora Saraiva 2017.
GOES, Natalia Mercante. ABREU, Michele Amaral dos Santos Silva. MEDEIROS, Igor Freitas.
COSTA, Silvio Ronney de Paula Costa. Redes Sociais Impulsionando Negócios. 29º
ENARGRAD, 2018. Dísponivel
em:<http://xxv.enangrad.org.br/pdf/2018_ENANGRAD434.pdf> Acessado em 27 Nov. 2019.
KOTLER, Philip e ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. 9. ed. São Paulo: Pearson,
2004.
KOTLER, Philip. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no
ser humano. Brasil: Elsevier, 2010.
KOTLER, Philip. Marketing para o século XXI: como criar, conquistar e dominar mercados.
São Paulo: Futura, 1999.
KUNSCH, Margarida M. Krohling. Comunicação organizacional: conceitos e dimensões dos
estudos e das práticas. Faces da cultura e da comunicação organizacional, v. 2, p. 169- 192, 2006.
KUNSCH, Margarida M. Krohling. A comunicação estratégica nas organizações
contemporâneas. Media & Jornalismo, v. 18, n. 33, p. 13-24, 2018.

76
LARENTIS, Fabiano. Marketing de Relacionando e Cultura Organizacional: Uma Perspectiva
Inter organizacional. Porto Alegre, 2010
LOUIS. M. R. An investigator’s guide to workplace culture. In: FROST, Peter J. et. al.
Organizational Culture. Newbury Park: Sage, 1985.
MARCHIORI, Marlene; VILAÇA, Wilma. Cultura organizacional e comunicação nas
organizações contemporâneas: temas imbricados ou desarticulados. V ABRAPCORP – Redes
Sociais, Comunicação, Organizações. 2011.
MENDES, Alexandre. As redes sociais e sua influência na sociedade. 2011. Disponível em: <
https://imasters.com.br/artigo/19889/redes-sociais/as-redes-sociais-e-sua-influencia-
nasociedade?trace=1519021197&source=single> Acessado em 28 de Nov. 2019.
PEREIRA, Adriana Soares et al. Metodologia da Pesquisa Científica. 2018. Dísponivel em:<
https://repositorio.ufsm.br/handle/1/15824> Acessado em 23 de Dez. 2019.
PINHO, J. B. Comunicação em Marketing: Princípios da Comunicação mercadológica.
Campinas, SP. Papirus, 2001.
RESULTADOS DIGITAIS. O Guia Definitivo de Redes Sociais. 2017. Disponivel em: <
https://resultadosdigitais.com.br/especiais/tudo-sobre-redes-sociais/> Acessado em 28 Nov.
2019.
RESULTADOS DIGITAIS. Introdução ao Marketing no Instagram. 2018. ROCK CONTENT.
Marketing no Instagram: O Guia da Rock Content. 2016.
ULRICH, S. Decifrando o mistério da empresa familiar: uma perspectiva etnológica. Rede
CEFE International. 1997.

77
78
TECNOLOGIA ASSISTIVA NA
EDUCAÇÃO DE SURDOS:
RECURSOS DE ENSINO

Revista Conhecer. Camaçari, ano 1, n. 1, jan./jun. 2020. Pp. 79-90. ISSN 2675-6064.
CONSTRUÍDOS NA DINÂMICA
DA SALA DE AULA INCLUSIVA
Jusceli Maria Oliveira de Carvalho Cardoso
Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
jcardoso_02@hotmail.com

Márcia Raimunda de Jesus Moreira da Silva


Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
marajesu@gmail.com

RESUMO: Refletimos, neste texto, sobre experiências dialógicas entre Tecnologia Assistiva e
Educação Inclusiva. Assim, nos aventuramos a edificar um estudo alicerçado a partir da seguinte
questão científica: O que pensam e o que fazem os professores que atuam nas salas de aula
regulares sobre a criação de TA voltadas para os processos de ensino aprendizagem dos surdos?
Tal questão se contextualiza a partir das experiências empíricas que buscamos efetivar junto a
alunos graduandos do Curso de Pedagogia, da UNEB-Universidade do Estado da Bahia, no
CAMPUS XI. Tivemos como objetivo: conhecer as concepções e práticas docentes em torno da
construção de recursos de TA voltados para os processos de ensino-aprendizagem de surdos,
escolarizados em espaços de salas de aulas comuns, nas chamadas escolas inclusivas. Como
objetivos específicos buscamos: Identificar as concepções dos docentes sobre TA, identificar
recursos de TA construídos pelos docentes nas dinâmicas das salas de aulas inclusivas para
atenção educativa ao surdo, descrever possíveis práticas de usos de recursos de TA na educação de
surdos. Para condução da pesquisa, optamos pela abordagem qualitativa, sendo considerado como
empírico de cunho exploratório inicial de inspiração descritiva. Colaboraram 03 docentes que
atuam em salas de aula inclusivas. No estudo, efetivamos entrevistas. Quanto ao diálogo teórico
buscamos fundamentos nos trabalho de Galvão Filho (2009),Berssch (2005),Karasinsky (2013),
Sartoretto e Bersch ( 1995),Vaz( 2012) Ramos (2012) e outros. Concluímos sobre a urgência e a
necessidade de os cursos de formação de professores construírem diálogos com a área de TA-
Tecnologia Assistiva, sendo considerada como de relevante contribuição para o processo educativo
dos sujeitos com deficiências.

PALAVRAS-CHAVE: Tecnologia Assistiva. Educação. Inclusão. Surdos.

79
1. Introdução produzir colaborativamente uma pesquisa
exploratória que buscasse por construções
de materiais, recursos aplicáveis ao
Neste artigo, reflete-se sobre a
processo de ensino para surdos,
importância das pesquisas, das ações
veiculados em suportes de baixo custo ou
extensionistas e imersões da docência
mesmo como em formato e suporte nas
universitária constituídos em
TIC-Tecnologias da Informação e
Componentes Curriculares do Curso de
Comunicação em modo multimídia.
Pedagogia, em especial Educação
Diante do desafio, no ano de 2018, já no
Inclusiva como espaços-tempos
Brasil, desenvolvemos diversas incursões
singulares para geração de experiências
ao campo empírico, sendo que emergiu
dialógicas envolvendo Tecnologia
uma questão que tangenciava a relação
Assistiva e Educação , singularizando as
entre a TA e educação de pessoas com
reflexões a partir da experiência
deficiência, no caso deste estudo,
constituída na dinâmica das salas de aulas
singularizou-se nas questões dos sujeitos
inclusivas, para onde convergem alunos
surdos.
dos mais diversos perfis, com mais
distintas demandas e potencialidades. Diante de tal situação, emergiu o
problema de ordem prática: O que
Neste sentido, vislumbra-se a pertinência
pensam e o que fazem os professores que
do estudo sobretudo dada a discussão
atuam nas salas de aula regulares
sobre a inclusão social das pessoas com
inclusivas sobre a criação de TA voltadas
algum tipo de deficiência, neste estudo
para os processos de ensino
singularizando-se as ponderações na
aprendizagem dos surdos? Sendo assim,
perspectiva das pessoas surdas. No seio
tivemos o ensejo de registrar, através
dos debates acirrados que coexistem no
deste artigo acadêmico, algumas das
terreno teórico sobre a educação dos
ideias gestadas pelos educadores que
surdos, mobilizados também pelas leis,
atuam em salas de aulas comuns, no
resoluções e tantos outros documentos e
Território do Sisal, onde são desafiados a
diretrizes, as comunidades surdas, as
criação e/apropriação de TA para atenção
instituições voltadas a inclusão do surdo e
educativa aos surdos em contextos
as Universidades em geral, tem
inclusivos, localizados no Território do
reconhecido a urgência e a necessidade da
Sisal baiano. Para tanto, apoiamos nossas
edificação de estudos, pesquisas
indagações, reflexões e posições teóricas
científicas empenhados na gestação de
dos trabalhos de: Galvão Filho (2009),
propostas de ação, criação de
Berssch (2005), Karasinsky (2013),
metodologias e recursos de Tecnologia
Sartoretto e Bersch (1995), Vaz (2012)
Assistiva(TA), recursos de ensino no que
Ramos (2012) entre outros.
tangem ao processo de ensino a
aprendizagem dos surdos em contextos Para realização deste artigo, optamos por
plurais. adotar uma inspiração metodológica
pautada na abordagem qualitativa da
Neste itinerário, do exercício da docência,
pesquisa, sendo que apoiamos nosso
e da consolidação dos nossos processos
percurso de escrita, no enfoque dos
formativos, imersas nos estudos
estudos de pesquisa de natureza
doutorais, tivemos como atividade de um
exploratório- descritiva.
dos componentes do curso, o desafio de

80
Sendo assim, cremos na pertinência das dos recursos naturais e a transformação
reflexões pontuadas ao longo do texto, no do ambiente ao seu favor, por exemplo, é
capaz de ser considerado como um
sentido de ampliar as discussões sobre movimento tecnológico. (KRASINSKI,
Tecnologia Assistiva, sobretudo 2013, p.1).
salientando a necessidade de abertura de
espaços e tempos para consolidação de A tecnologia, em outras palavras
diálogo fecundante entre tal área do representa toda ação humana, todo ofício,
conhecimento com a educação, sobretudo trabalho em prol da resolução de um
com aquela que desejamos construir no
problema tendo em vista a facilitação da
sentido da inclusão, e da celebração da vida humana. Entretanto, quando nos
diversidade humana. Enfatiza-se sobre a referimos a Tecnologia Assistiva, emerge
urgência e a necessidade de cursos de daí uma nova conotação, sendo que para
formação de professores construírem tanto, carecemos examinar também o
espaços dialógicos e de contato direto sentido da palavra assistiva.
entre os licenciandos com a área de TA-
Tecnologia Assistiva, sendo esta Etimologicamente a palavra assistiva
considerada como de relevante advém de assistir: que em Língua
contribuição para o processo de inclusão Português assume pelo menos quatro
escolar e social dos sujeitos que sentidos: “v.t.ind. Estar presente: assistir a
apresentam algum tipo de deficiência. uma sessão.V.t.d. Ajudar, acompanhar:
ele o assistiu na doença. Caber, competir
2. Sobre o conceito de Tecnologia (direito, ou razão, a alguém): assiste ao
autor o direito de ligar o nome à sua
Assistiva
produção intelectual., V.i. Residir, morar:
assiste no Rio”.
Na busca inicial pelo conceito de
Tecnologia Assistiva, experimentamos Logo, em Língua Portuguesa, o verbo
uma reflexão breve sobre a etimologia dos “Assistir”, de residir, morar, assistir de
termos: Tecnologia e Assistiva. ver, presenciar e assistir no sentido de
Examinemos, pois a Etimologia de ambos ajudar, colaborar, socorrer. Justamente
os vocábulos, para seguirmos com nossa desta última acepção encontramos uma
tentativa de conceituação. A palavra certa lógica ao se cunhar o uso do
“Tecnologia” que vem do grego e que vocábulo assistiva, ao lado de tecnologias.
deve ser separada em duas partes: Assim, seria em primeira análise, a
“téchne”, que pode ser definido como arte tecnologia que objetiva a assistir, ajudar,
ou ofício e “logia”, que significa o estudo colaborar com alguém na execução de
de algo o que segundo Karasinski: trabalhos, tarefas e outros. Para Sartoretto
e Bersch:
[...] podemos dizer que a tecnologia é o
uso de técnicas e do conhecimento Tecnologia Assistiva é um termo ainda
adquirido para aperfeiçoar e/ou facilitar novo, utilizado para identificar todo o
o trabalho com a arte, a resolução de um arsenal de Recursos e Serviços que
problema ou a execução de uma tarefa contribuem para proporcionar ou
específica. Dessa forma, ela pode ser ampliar habilidades funcionais de
aplicada em diversas tarefas diferentes – pessoas com deficiência e
aparecendo em situações que poucas consequentemente promover vida
pessoas consideram envolver a independente e inclusão. É também
tecnologia. O simples aproveitamento

81
definida como "uma ampla gama de com deficiência, passa a ter garantido pelo
equipamentos, serviços, estratégias e seu governo o benefício de serviços
práticas concebidas e aplicadas para
minorar os problemas encontrados pelos
especializados e o acesso a todo o arsenal
indivíduos com deficiências" (COOK; de recursos que necessitam e que venham
HUSSEY apud SARTORETTO; BERSCH, favorecer uma vida mais independente,
1995, p.2). produtiva e incluída no contexto social
geral. (Bersch, 2005)
Porém, com as discussões sendo
ampliadas e constituindo-se a área de A expressão Tecnologia Assistiva deve ser
Tecnologia Assistiva, como cenário entendida como um auxílio que
profícuo e polifônico, sobretudo no promoverá a ampliação de uma
cenário acadêmico e científico, torna-se habilidade funcional deficitária ou
crucial a busca aprofundada do conceito possibilitará a realização da função
sobre Tecnologia Assistiva, o que nos desejada e que se encontra impedida por
demandou uma busca por referenciais circunstância de deficiência ou pelo
mais específicos e científicos, indo envelhecimento. Podemos então dizer que
encontrar respaldo em Galvão Filho: o objetivo maior da TA é proporcionar à
pessoa com deficiência condições de
acesso, mobilidade nas atividades
Tecnologia Assistiva é uma expressão
nova, que se refere a um conceito ainda
funcionais da vida diária, o que de certo
em pleno processo de construção e modo representará independência,
sistematização. A utilização de recursos autonomia e condições de plena
de Tecnologia Assistiva, entretanto, participação na vida social.
remonta aos primórdios da história da
humanidade ou até mesmo da pré- Quando então buscamos a relação entre
história. Qualquer pedaço de pau
Tecnologia Assistiva e educação,
utilizado como uma bengala
improvisada, por exemplo, caracteriza o encontraremos respaldo nas ideias de
uso de um recurso de Tecnologia Galvão Filho:
Assistiva. (GALVÃO FILHO, 2009, p.1).

Existe um número incontável de


Segundo Bersch (2005) o termo Assistive possibilidades, de recursos simples e de
Technology, traduzido no Brasil como baixo custo, que podem e devem ser
Tecnologia Assistiva, foi criado disponibilizados nas salas de aula
inclusivas, conforme as necessidades
oficialmente em 1988 como importante específicas de cada aluno com
elemento jurídico dentro da legislação necessidades educacionais especiais
norte-americana, conhecida como Public presente nessas salas, tais como: suportes
Law 100-407, que compõe, com outras para visualização de textos ou livros;
fixação do papel ou caderno na mesa
leis, o ADA - American with Disabilities
com fitas adesivas; engrossadores de
Act. Este conjunto de leis regula os lápis ou caneta confeccionados com
direitos dos cidadãos com deficiência nos esponjas enroladas e amarradas, ou com
EUA, além de prover a base legal dos punho de bicicleta ou tubos de PVC
fundos públicos para compra dos recursos “recheados” com epóxi; substituição da
que estes necessitam. Houve a mesa por pranchas de madeira ou
acrílico fixadas na cadeira de rodas;
necessidade de regulamentação legal órteses diversas, e inúmeras outras
deste tipo de tecnologia, a TA, e, a partir possibilidades (GALVÃO FILHO;
desta definição e do suporte legal, a TEÓFILO, 2009).
população norte-americana, de pessoas

82
Com tal conceito, alarga-se o objetivo de ajudar na amplificação
entendimento e a importância de tal área sonora e minimizar as perdas auditivas.
A partir dos anos de 1800 o
do conhecimento, de enfoque multi e desenvolvimento científico-tecnológico
interdisciplinar no que tange a geração de permitiu a utilização de recursos mais
pesquisas e ações de disseminação dos sofisticados como a transmissão de
produtos, serviços e recursos oriundos em impulsos eletromagnéticos e outros
prol da inclusão e acessibilidade de recursos, dando origem ao que hoje
conhecemos como “próteses auditivas”
pessoas que, temporária ou de forma mais .Já no século XX surgiram os aparelhos
longa, carecem de apoio e subsídios para com transistores e atualmente a
garantir o processo de participação plena tecnologia digital trouxe para os usuários
na vida social. desses produtos a garantia de resultados
mais satisfatórios em termos de
Entre os vários sujeitos que carecem de amplificação sonora (RAMOS, 2012).
apoio, e criação de tecnologia assistiva
estão os surdos. Deste modo, discutiremos Assim, com relação aos sujeitos surdos,
no próximo tópico mais especificamente temos recursos, serviços e produtos de TA
sobre Tecnologia Assistiva direcionada ao considerados de custo baixo: criados e
processo inclusivo de tais pessoas, disponibilizados para as pessoas com e a
singularizando nossas ponderações no partir de adaptações simples, em
cenário da educação. utensílios da vida diária, com recortes,
figuras coloridas, em pastas de
comunicação tipo Display entre outros.
3. Tecnologia Assistiva e Educação Sobre isso, Ramos diz:
de surdos
Outros exemplos clássicos de T.A. para
surdos são os produtos que utilizam
Ao examinarmos a literatura pertinente,
luzes ou vibração em apoio a aparelhos
encontraremos, na atualidade, já que fazem uso de som como
catalogados e disponíveis para campainhas, despertadores e outros.
conhecimento, estudos e apropriações, Hoje corriqueiros e relativamente de
uma gama ampla de recursos, produtos e baixo custo, já tiveram soluções simples
serviços de TA, muitos deles de baixo e criativas no passado, como um caso a
nós relatado pela professora Lucinda
custo e outros, de certo modo, com custo Ferreira Brito (primeira linguista
mais elevado por serem vinculados e brasileira a pesquisar a Língua Brasileira
veiculados mediante as TIC. Entretanto, de Sinais). Segundo ela, em visita a uma
desde os primórdios da humanidade, os cidade do interior de São Paulo, soube
sujeitos já construíam artefatos, com do caso de um surdo que morava
sozinho e era despertado por uma
intento de auxiliar o surdo nas suas vizinha e colega de trabalho através do
atividades laborais e de convívio social recurso de um barbante amarrado no
como relata Ramos: dedão do pé, acionado diariamente pela
janela…Ela residia no andar de baixo e
Talvez o mais antigo produto de T.A. ele no de cima. Sem dúvida, um belo
para os surdos, pensando-se sob o ponto exemplo de T.A.! (RAMOS, 2012).
de vista médico, sejam os aparelhos de
amplificação sonora. Chifres de animais,
folhas de plantas, objetos de bronze e Por outro lado, temos outros exemplos de
outros apetrechos com o formato de TA envolvendo recursos financeiros altos,
corneta foram utilizados desde a pré- como compra e aparelhos auditivos,
história até meados do século XIX com o implantes cocleares entre outros. Todos

83
importantes para a vida funcional, social e produtos e serviços de Tecnologia
para os processos de ensino Assistiva.
aprendizagem dos surdos efetivados em
escolas, sobretudo nas públicas. Entre vários recursos disponíveis
poderemos listar potencialmente
Além destes, no cenário de mundo softwares de acessibilidade comunica-
globalizado, temos vários softwares e cional, pranchas de comunicação
outros produtos e serviços ligados ao uso alternativa em Libras, como também as
do computador, que são importantes para órteses, como aparelhos auditivos e
o processo de inclusão e escolarização dos mesmo tecnologias de implante coclear.
surdos. Entretanto, neste estudo, dada a
singularidade da opção teórica em
De acordo com Ramos ( 2012) temos caminhar pelo viés do bilinguismo
então, uma gama variada de produtos, (contudo sem negar a importância das
serviços, recursos e estratégias de TA outras perspectivas e correntes teóricas
dirigidas aos surdos, dentre eles: Produtos que abordam o fenômeno da surdez)
tais como: aparelhos de amplificação vamos direcionar nossas reflexões em
sonora individual, sinalizadores torno de tecnologia assistiva mediada pela
domésticos de som, aparelho de FM para Libras. Segundo Ramos:
captação de voz, amplificadores para uso
em telefonia, Aros magnéticos para Defendemos a utilização da Libras
recepção auditiva, softwares para enquanto ferramenta de T.A. para surdos
reabilitação de fala, telefones para surdos, (e ouvintes), como pode ser observado
materiais com acessibilidade em LIBRAS, na Tabela adiante, sem, porém, eliminar
nenhuma proposta de utilização dos
dispositivos digitais. Já com
recursos tecnológicos para correção da
metodologias, estratégias e práticas perda auditiva ou a reabilitação das
podem apontar: adaptações do meio funções auditivas dos surdos. Pelo
ambiente (usando escrita e recursos contrário, acreditamos que a utilização
imagéticos), difusão da Libras, formação da tecnologia vem tornando a vida dos
surdos cada dia mais fácil. Mas não
de professores surdos/ouvintes em
podemos jamais esquecer que os surdos,
LIBRAS, capacitação de intérpretes e além de pessoas com deficiência, são
outros. Como recursos e serviços: também pessoas com língua (e cultura)
Fonoaudiologia, leitura labial, intérprete própria e que o respeito a essa
de libras, Closed caption/Legendas, característica deve estar intrínseco a
qualquer proposta de trabalho realizada,
janelas de LIBRAS, centrais de
incluindo-se toda iniciativa de produção
intermediação telefônica, Mensagens de de T.A. (RAMOS, 2012, p.1).
texto via celular, Whatsap, Skype e
recursos via internet.
Com tal sentido, cremos que todos os
É perceptível que há, de fato, a existência constructos elaborados em termos da
de produtos e serviços voltados para Tecnologia Assistiva constituídos em
favorecer o processo de inclusão de favor da inclusão social do surdo serão
surdos em nossas escolas e na sociedade. importantes para otimização e garantia da
Vários produtos estão catalogados do site qualidade de vida para os sujeitos não
do MCT, outros veiculados em sites ouvintes. Entretanto, por afinidade com a
específicos que tentam difundir recursos, proposta de educação bilíngue,
discutiremos com mais força sobre a

84
Tecnologia Assistiva gerada e mediada De fato, o processo de inclusão social e
pela LIBRAS. escolar de pessoas surdas, paulatinamente
vai se edificando, principalmente com a
Refletindo, especificamente a partir da geração de estudos, pesquisas e o esforço
posição bilíngue, que norteia a prática na difusão de produtos, recursos e
escolar no sentido de ter uma experiência serviços de TA. Entretanto, na prática,
em duas línguas simultâneas de acesso ainda são muitos os obstáculos que os
para o surdo, no caso a LIBRAS e a sujeitos surdos enfrentam em suas
Língua Portuguesa escrita temos já muitos escolas, desde metodologias inadequadas,
recursos ligados as TIC que podem ser presas ao paradigma do modelo
usados pelos sujeitos surdos em diversas “homogeneizador” que preconiza a
situações sociais, principalmente nas máxima: “na escola todos são iguais”, há
escolas, junto a professores. Para Vaz: mesmo, a ausência “do uso” de recursos,
serviços e produtos que colaborem e
Para os surdos os recursos tecnológicos promovam a equiparação de
são, ainda, uma alternativa de oportunidades entre os que ouvem e os
comunicação e aprendizagem. Oferecer
não ouvintes, para estarem interagindo
essa possibilidade de usufruir novas
oportunidades de interação maior e juntos, numa escola de efetiva
melhor contribui também para que sejam aprendizagem para todos.
mais participativos na sociedade. O uso
do computador e da internet abriu novas Além do mais, muitos dos educadores,
possibilidades de comunicação que estão na linha de frente da educação,
principalmente por serem tecnologias
nas salas de aula, reclamam das
visualmente acessíveis, o que é atraente
para o surdo. (VAZ, 2012). dificuldades em lidar pedagogicamente
com o paradigma inclusivo, sendo que
suas bases formativas ainda estão
Temos também vários dicionários de
alicerçadas na escola tradicional e mesmo
Libras digitais, o que favorece o
integradoras.
aprendizado da LIBRAS por possibilitar a
realização do vocábulo em LIBRAS de
modo natural ( com ponto de articulação, 4. Achados da pesquisa: o diálogo
configuração de mão, direção, sentido, entre Tecnologia Assistiva e
movimento e expressão facial , tão
Educação de surdos: saberes que
necessários a compreensão da mensagem
pelo surdo usuário da LIBRAS.
emergem das práticas
constituídas nas salas de aula
Nesse sentido, Stainback e Stainback
(1999) alertavam que: [...] os professores No caminhar da pesquisa, que se
podem atenciosamente incorporar novos consolidou ao longo do ano de 2017 a
instrumentos em sua prática de forma 2018, ocasião em que efetivei estudos
criteriosa e desenvolver suas doutorais, em trabalho de campo, pude
potencialidades, ou podem usar as manter contato com duas situações
técnicas de maneira negligente, queixar-se singulares, no tocante a discussão sobre
de sua falta de eficiência e proclamar a inclusão de sujeitos surdos: Uma se
inclusão como fracasso. constituía na dura exclusão como
realidade para muitos surdos, que
estavam distantes das escolas e salas de

85
aula. A outra, se revelou através o diferentes suportes (DOCENTE X3,
trabalho do CAPENE-Centro de Apoio 2018).
Pedagógico a Educação de Pessoas com
NEE, que acontece na cidade de Serrinha A concepção sobre o conceito de TA
e desponta como referência para muitas apresentada pelos colaboradores X2 e X3,
pessoas que têm deficiências, entre as em parte, estão em conformidade com o
quais surdas. Através do CAPENE, prescrito pelo Comitê de Ajudas Técnicas
tivemos acesso a três salas de aulas – CAT da Secretaria Especial de Direitos
regulares, onde estavam alunos surdos, Humanos da Presidência da República -
num ambiente comum a todos. SEDH/PR.

Nas salas, havia uma tentativa real de A partir destes e outros referenciais o
oferecer uma educação efetiva para o CAT - aprovou, em 14 de dezembro de
surdo, porém o que notamos em duas das 2007, um conceito que pudesse subsidiar
turmas a ausência de recursos de TA e as políticas públicas brasileiras:
também de Tecnologias educacionais
capazes de envolver as especificidades Tecnologia Assistiva é uma área do
dos surdos. Entretanto, descobrimos algo conhecimento, de característica
precioso para os estudos da inclusão: uma interdisciplinar, que engloba produtos,
recursos, metodologias, estratégias,
docente, que elabora todo o material práticas e serviços que objetivam
usado pelo aluno surdo, presente na sua promover a funcionalidade, relacionada
turma. à atividade e participação, de pessoas
com deficiência, incapacidades ou
Como o objetivo da pesquisa era mobilidade reduzida, visando sua
compreender como os docentes autonomia, independência, qualidade de
vida e inclusão social". (BRASIL -
compreendiam as TA e se construíram, SDHPR. – Comitê de Ajudas Técnicas –
em suas práticas recursos voltados para ATA VII).
aprendizagem dos surdos buscamos,
obviamente fazer uma interlocução com Embora as discussões sobre a TA não
os referidos professores, sendo que sejam tão recentes, através da pesquisa,
obtivemos as seguintes definições sobre percebe-se que ainda existe uma grande
TA: Os colaboradores X2 e X3 assim
dificuldade quanto ao conceito entre os
definem TA: colaboradores, sobretudo quanto ao
conceito do que é TA. Os educadores,
Uma tecnologia que dá assistência, na mesmo tendo formação para trabalhar
melhoria da prática do professor, para
ajudar no desenvolvimento do aluno
com alunos com deficiência, evidencia-se
(DOCENTE X 2, 2018). uma barreira epistemológica criada pela
rigidez e resistência ao novo, que acaba
refletindo no conhecimento e
Já o colaborador X3, assim refletiu sobre o
consequentemente na prática pedagógica.
conceito de TA:
No que tange a investigação, foi também
O ato de acompanhar ao educando com nosso intento identificar possíveis
metodologias direcionadas à dificuldade
apresentada dificuldade apresentada por
recursos de TA elaborados pelos
cada estudante. São estratégias voltadas educadores para atender as
para auxiliar na aprendizagem com individualidades dos estudantes, se

86
caracterizando em ajudas, ou recursos pesquisa. Muitas contribuições poderão
assistivos. Nas observações das 03 salas, ser gestadas para a educação que se deseja
foi perceptível a presença e uso de inclusiva, como espaço de diálogos
dispositivos de uso individual, fecundos favorecedores das aprendiza-
confeccionados pela professora X1, gens humanas.
composto do é o alfabeto datilológico.
Aqui, usando pastas do tipo display, onde
colocava sempre a imagem, associada ao 5. Considerações finais
sinal em Libras.
O diálogo entre a Educação Inclusiva e a
Vimos também que a maior parte dos área de Tecnologia Assistiva precisa e
recursos que X1 construiu para ensinar o deve ser fomentado nos cursos de
surdo a Língua Portuguesa Escrita, se formação de professores, pelas múltiplas
baseavam em materiais simples, sucatas, possibilidades que pode gerar para a
figuras e muita criatividade para “ consolidação das práticas de atenção
inventar coisas que chame a atenção do pedagógica aos sujeitos com necessidades
surdo fazendo-o a construir sentidos para educacionais especiais. No que tange a
as palavras inteiras que escritas querem educação dos surdos, este estudo
dizer algo.” (Professora X1, 2018) procurou apontar possibilidades já
construídas e outras tantas que estão
Para construção de atividades/recursos
sendo criadas a partir da conversa e das
de ensino, a professora confecciona
pesquisas incentivadas no seio dos cursos
cartelas como a imagens coloridas,
de Pedagogia e Letras, onde atuamos
contendo gravuras para as quais o aluno
como docente.
surdo deve fazer o sinal em Libras e na
sequência, procura numa caixinha, a A nossa caminhada, suscitou também o
palavra escrita em Português para fazer a auto processo formativo, onde buscamos e
associação. continuadamente, procuraremos manter
diálogos fecundos e fecundantes sobre
Outra dimensão bastante usada pela
educação, inclusão e Tecnologia Assistiva.
professora X1, é a linguagem visual, o que
Deste modo, os escritos aqui registrados,
ela chama de Pedagogia Surda, pois ela
são produto de um esforço articulado
cria, adapta materiais, recursos para uso
entre docente e discentes, que se movem e
exclusivo do garoto surdo que está na sala
acreditam na possibilidade de fazer, de
de aula. Ela usa de todos artifícios que
fato, uma escola aberta a diversidade
pode, de modo simples para ensinar o
humana.
aluno surdo a construir sentidos para a
língua Portuguesa. Destacamos o conceito de TA, bem como
relatar de modo reflexivo e crítico sobre o
Assim, muitos outros relatos, outras
itinerário docente em termos das
tantas experiências podem e devem
descobertas e dos desafios de aproximar a
acrescer aos recortes aqui apresentados,
tecnologia assistiva da educação
elementos colhidos no chão de uma
enfocando a necessidade dos cursos de
Universidade Pública, em meio aos
formação de professores discutirem e
desafios de uma prática docente, que se
aproximarem os graduandos das práticas
constitui na e pela busca incessante de
inclusivas que podem ser gestadas coma
articular a docência a exercício fecundo da
apropriação de tecnologia assistiva já

87
existentes e mesmo com o fomento de ajudas ao aluno surdo no seu processo de
geração de outras tecnologias inclusão escolar.
empenhadas com a acessibilidade e

Referências

BERSCH, R. Tecnologia assistiva e educação inclusiva. In: BERSCH, R. Ensaios


Pedagógicos. Brasília: SEESP/MEC, p. 89-94, 2006. BRASIL, 2004. Decreto 5296 de 02 de
dezembro de 2004. Disponível em <

BERSCH, R., 2005. Introdução à Tecnologia Assistiva. Disponível em


<http://www.cedionline.com.br/artigo_ta.html> Acesso em 04 dez. 2007.

GALVÃO FILHO, T. A. A Tecnologia Assistiva: de que se trata? In: MACHADO, G. J. C.;


SOBRAL, M. N. (Orgs.). Conexões: educação, comunicação, inclusão e interculturalidade. 1
ed. Porto Alegre: Redes Editora, p. 207-235, 2009.(disponível no formato PDF em
<www.galvaofilho.net/assistiva.pdf>

KARANSINSKY, Lucas. O que é tecnologia? Disponível em:


<http://www.tecmundo.com.br/tecnologia/42523-o-que-e-tecnologia-.html >acesso em
22/07/2014 as 19:55.

LUDKE, M; ANDRE, M. Pesquisa em Educação: abordagem qualitativa. São Paulo: EPU,


1986

MACEDO, Roberto Sidnei, Currículo, Diversidade e Equidade Luzes para uma Educação
Crítica. Salvador: EDUFBA, 2007

OLIVEIRA, M.M. de. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007

RAMOS, Clélia Regina. Tecnologia Assistiva para surdos: produtos, estratégias, recursos e
serviços. In: Revista Virtual de Cultura Surda e Diversidade, ISSN: 19826842, Edição:
março de 2012.

STAINBACK, W.; STAINBACK, S. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre:


Artmed, 1999.

VAZ, Vagner Machado. Recurso de Tecnologia na educação de pessoas surdas.


Dissertação de Mestrado, Faculdade de Tecnologia de São Paulo, 2012, Disponível em:
<http://www.projetoacessibilidade.ufc.br/tcc00073.pdf>

VERUSSA, Edna de Oliveira, Tecnologia Assistiva para o ensino de alunos com


deficiência: um estudo com professores do ensino fundamental. Dissertação de mestrado,
universidade Júlio de Mesquita, São Paulo,2009.Disponívelem:

88
http://www.marilia.unesp.br/Home/Pos-
Graduacao/Educacao/Dissertacoes/verussa_eo_me_mar.pdf

89
90
O LEGADO DE MÃE XANDA NO
MUNICÍPIO DE LAFAIETE
COUTINHO / BA: ETNICIDADE,

Revista Conhecer. Camaçari, ano 1, n. 1, jan./jun. 2020. Pp. 91-98. ISSN 2675-6064.
IDENTIDADES E FORMAS DE
RESISTÊNCIA
Paulo Roberto Nogueira Silva
Universidade Estadual do Sudoeste Baiano (UESB)
pnogueirasilva@yahoo.com.br

Maria de Fátima A. Di Gregório


Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
f_digregorio@hotmail.com

RESUMO: Este artigo busca compreender como a parteira Alexandrina


Constantina da Silva, conhecida como Mãe Xanda viveu no distrito de Três
Morros no município de Lafaiete Coutinho/BA, exercendo o ofício de parteira,
além de representar uma mulher de assistência marcada pelo afeto entre as
famílias locais. Recorre-se aqui a metodologia da Historia Oral (HO) cruzando
informações com documentos coletados em instituições locais, pois os mesmos
sem dúvidas dão subsídios e suporte para a escrita do trabalho da pesquisa.
Autores como Thompson (1992) mostram que a História Oral como metodologia e
técnica, pode dar grande contribuição para a reconstituição da memória social,
sendo necessário preservar para não cair no esquecimento. Thompson (1992: p 17).
Nesse viés, analisar a permanência dos símbolos étnicos na trajetória de Mãe
Xanda, reconhecida como uma mulher de matriz africana, viúva, pobre, que
construiu sua identidade enfrentando os ditames de grupos hegemônicos criando
estratégias de resistência.

PALAVRAS-CHAVE: Mãe Xanda. Identidade. Resistência.

91
1. Introdução batalhas em várias frentes femininas,
buscando ser solidária para sanar
carências e falta de recursos das famílias e
Mãe Xanda, - uma mulher que se dedicou
em especial, mulheres e crianças. Mãe
a ética do cuidar pela arte de partejar10.
Xanda ficou conhecida pela luta política
Escrever sobre sua história é refletir sobre
destinada à população desfavorecida,
a trajetória e legado deixado na
enveredando em espaços públicos e
comunidade de Três Morros em Lafaiete
privados em função da de sua profissão,
Coutinho na Bahia. Contar sua história é
provendo saúde e, principalmente,
reconstituir sua identidade na localidade,
cuidando da comunidade.
enfatizando a liderança feminina exercida
entre as mulheres e reafirmando a
identidade étnico-racial, de gênero e 2. Perspectiva Teórico -
laboral de uma parteira da comunidade. Metodológica
Verifica-se a luta das mulheres para
vencer dificuldades em uma sociedade de
Reconstituir a história de uma mulher
modelo patriarcal, de certa forma
parteira, cuidadora é transitar pelos
assegura a posição social entre grupos
caminhos da História Oral contada pela
com privações de direitos. Diante de tais
população local. E, nesse sentido, pensar e
constatações, surge a pergunta: as
debater paradoxos existentes entre a
heranças históricas advindas dos
memória coletiva e a história narrada
processos de colonização, cristalizaram
individualmente. Halbwachs (2006, p.29)
posturas e olhares à essa mulher,
mostra que as memórias individuais se
firmando uma imagem de submissão pela
formam a partir da relação com o outro:
própria condição de inferioridade que
recorremos a testemunhos para reforçar
vem sendo atribuída às mulheres? Ser
ou enfraquecer e também para completar
mulher negra, analfabeta e de classe social
o que sabemos de um evento sobre o qual
desfavorecida, seria um forte marcador
já temos alguma informação. Desse
para o esquecimento de suas memórias?
modo, a análise da trajetória de vida da
O fenômeno da prática de ser parteira, personalidade destacada na região pelos
está arraigada no cotidiano vivido pelas passos da História Oral é acrescentar
mulheres mestras da cultura popular, que informações através de quem narra as
se reconhecem na comunidade, como histórias de vida, ou mesmo da tradição
seguidoras da Mãe Xanda que se tornou de um povo.
ícone, embora invisibilizadas por grupos Para o historiador, os documentos não
hegemônicos da cidade, numa dinâmica existindo, as memórias ocupam espaços
entre lutas e resistências. Reconhecer seu na historiografia, já que documento
legado, é adentar no campo instituído por escrito deixou de ser o repositório
exclusivo dos restos do passado e uma
10A ética do cuidar pressupõe uma obrigação sem
das possibilidades é recorrer às falas de
discussão para as mulheres e configura-se no
dever de cuidar, como se elas fossem responsáveis quem conviveu ou ouviu falar da Mãe
por cuidar do outro, enquanto para os homens Xanda.
seria a ética da justiça, ou seja, o cuidado como um
Estudos de Thompson (1992) mostram
dever meramente de respeito às pessoas
protegendo-as de qualquer interferência em sua que a História Oral tem se revelado útil na
autonomia ou nos direitos à vida e à auto- reconstituição de saberes, experiências
realização (ZOBOLI, 2004).

92
vividas no cotidiano, auxiliando na influenciou tantas outras. Qual seria a
compreensão de processos históricos: razão desse modelo de mulher se impor
numa comunidade? Seria pela forma de
Toda fonte histórica deriva da percepção conduzir uma luta em favor de quem
humana é subjetiva, mas apenas a fonte
oral permite-nos desafiar essa
necessitava de apoio, seria a busca pela
subjetividade: descolar as camadas da cura não só na saúde, mas
memória, cavar fundo em suas sombras, espiritualmente? Era Mãe Xanda, uma
na expectativa de atingir a verdade mulher de ação rápida e de muitas
oculta (THOMPSON, 1992, p. 197). palavras de apoio.
Estudos de Pollak (1992) mostram que no
Nesta perspectiva, referenciar as fontes
caso das pesquisas de História Oral que
orais pressupõe que elas permitem
utilizam entrevistas, sobretudo de história
compor parte desta investigação com
de vida, é aceitável recolher memórias
subsídios nas entrevistas e questionários
individuais e estas podem se cruzar com
com pessoas idosas, moradoras antigas
outras, tecendo uma memória coletiva. Na
que participaram, acompanharam ou
complementação dessa ideia, Alberti
simplesmente remetem à memória social
(1990) explica que a História Oral busca
sobre a vida de Mãe Xanda na localidade.
registrar impressões, vivências,
A memória oral/social pode ser
lembranças de pessoas que se dispõem a
registrada por meio de entrevistas, de
compartilhar sua memória com a
relatos orais que dialogam com as fontes
coletividade, permitindo um
documentais existentes no local, embora
conhecimento do vivido de forma mais
escassas.
rica, dinâmica e colorida.
Em relação às fontes orais, o diálogo entre
Histórias que, de outra forma, não seriam
a história e a antropologia colaboram com
conhecidas, pois conta a vida de minorias
as bases teórico-metodológicas, conside-
invisibilizadas. A trajetória, as memórias
rando a necessidade de compreender as
de Mãe Xanda estão na memória de
histórias de vida dentro de uma estrutura
muitas pessoas, mas com o tempo tendem
estruturada pela cultura que segundo
a serem apagadas e esquecidas.
Laraia (2009) é um processo acumulativo,
resultante das experiências históricas das Conforme pontua Ortiz (2006), a memória
gerações anteriores. Trata-se portanto de nacional e a identidade brasileira são
disposições legais e pressupostos construções simbólicas que dissolvem
entendidos como disposições resultantes heterogeneidade das culturas populares
do vivido e percebido pelos grupos da na homogeneização e narrativa
comunidade em estudo. ideológica, assim como o Estado é a
totalidade que transcende e organiza a
Sendo a História Oral a principal fonte de
partir de um modelo posto, pensar as
coleta de dados utilizada e considerando
identidades a partir de grupos
que as pessoas são sujeitos da sua própria
minoritários, é buscar nas suas narrações,
história, o dispositivo de coleta de dados
seus significado e experiências, tornando
foi um recurso para retratar o cotidiano. E
um desafio para quem buscar saber a
a partir dos critérios de raça/etnia,
história a partir de vários olhares.
posição na família, o legado deixado pela
Mãe Xanã trouxe a outras mulheres, o Recorre-se aqui aos estudos sobre
exemplo e a tentativa de se aproximar etnicidade que se referem aos grupos, ou
dessa prática exercida pela mulher que mais exatamente aos povos e suas

93
construções, espaços potenciais situados Ao utilizar métodos e técnicas da História
em um estágio preliminar de formação de Oral, a ideia é, conforme trazer a história
consciências. Barth (1997) ressalta que: para dentro da comunidade e extraí-la de
dentro da comunidade para compreender
Etnicidade é uma forma de organização o que de fato aconteceu. Por isso, a
social, baseada na atribuição categorial história oral tem se revelado útil na
que classifica as pessoas em função da
sua origem suposta, que se acha validada
reconstituição de saberes, experiências
na interação social pela ativação de vividas no cotidiano e fornece dados
signos culturais socialmente diferencia- importantes para auxiliar na compreensão
dores” (BARTH,1997, p. 141). de processos históricos.
Todavia, a memória de um sujeito pode
O conceito de etnicidade tem um ser a memória de muitos, porque
significado social, estando ligado a possibilita a evidência dos fatos coletivos.
construções inseridas numa cultura pelos Conforme Halbwachs (1990), a memória
seus diversos grupos e intenções. Assim, é, sobretudo uma (re)construção do
torna próxima da noção de raça e passado no presente e esta contribui
preconceito e estes não se manifestam nas também com o debate que distingue
condições de isolamento, ao contrário, nas memória e história. Essa diferenciação é
interações. fundamental para a compreensão de que
Além de ouvir as pessoas que conviveram a memória não traz à tona os fatos
com mãe Xanda e que contam e recontam vividos, mas os reconstrói de acordo com
histórias ouvidas pelas mães e avós, as o pensamento do tempo presente. Ou seja,
histórias estão nas memórias de antigos o que passou é reconstituído a partir das
moradores do município e estas foram experiências que o sujeito ao contar
colhidas através de registros que vieram a ressignifica.
ser escritos pelas falas das colaboradoras A memória tem a capacidade de adquirir,
da comunidade. recuperar, armazenar fatos,
A história local utiliza fontes documentais acontecimentos, nomes de pessoas e
encontradas em arquivos de familiares da instituições, mas há que se atentar para o
Mãe Xanda, isso porque a História Oral é fato de que não é o passado, mas a
o procedimento que permite descobrir reconstituição do passado na atualidade.
pistas, pois através da oralidade o Por isso, Le Goff (1990) aponta o estudo
pesquisador consegue angariar dados da memória social como um dos meios
novos e importantes que não são fundamentais para se abordar os
encontrados e registrados em escritos. problemas do tempo e da história,
Thompson (1992) lembra: conforme o caso em tela.
Além da memória, há que se pensar nos
[...] a história oral pode dar grande
contribuição para o resgate da memória
legados tradicionais que fazem com que
nacional, mostrando-se um método os grupos se vejam representados no
bastante promissor para a realização de tempo pretérito. Para Hobsbawn (1984), o
pesquisa em diferentes áreas. É preciso estudo das tradições esclarece as relações
preservar a memória física e espacial, humanas com o passado, a invenção de
como também descobrir e valorizar a
memória do homem (THOMPSON, 1992,
tradições é essencialmente um processo
p. 17). de formalização e ritualização, caractere-
zado por referir-se ao passado, conside-

94
rando que são transmissões de costumes, sede do município de Itiruçu, cidade
comportamentos e memórias para as vizinha fazer o seu oficio. Mas o que
pessoas de uma comunidade e fazem realmente fez Mãe Xanda sair de sua
parte da cultura desse povo. comunidade? Contam que em razão de
família, resolveu depois de dois partos na
3. A Memória e os Relatos Orais referida cidade, ficar por ali e vivenciar
de Antigos Moradores novas convivências. Exerceu o ofício de
parteira aos trinta anos de idade e em
1940, após ficar viúva no distrito de Três
Alexandrina Constantina da Silva, Morro, já sentia dificuldades para atender
conhecida carinhosamente em sua as demandas locais e o constante
comunidade como Mãe Xanda (1910 – deslocamento das parturientes até a
2006), foi uma mulher negra, simples, sem cidade de Jequié, acabou dizimando a
condições financeiras e viveu no distrito pratica do parto em casa.
de Três Morros, posteriormente município
de Lafaiete Coutinho. Na sua trajetória de Estudos de Abreu (2005) confirmam que
vida construiu uma história de quarenta e as parteiras tradicionais possuem
nove anos de trabalho e é reconhecida, limitados conhecimentos técnico
por alguns moradores, como uma das científicos, principalmente por seu
matriarcas mais queridas e amadas do trabalho encontrar-se isolado do serviço
de saúde local, realizando-se em meio a
lugar devido ao seu ofício. (NOGUEIRA,
dificuldades e falta de equipamentos e
2004).
infraestrutura. É notório que essas
Portanto, o trabalho de partejar destaca a parteiras desenvolvem habilidades que
trajetória e o legado da mulher negra, lhes auxiliam na resolução de problemas
pobre que a identifica como mulher em partos difíceis, tais como: bebê fora da
exemplo pelo legado deixado na posição, sangramento e febre no parto,
comunidade. A sociabilidades construídas eclampsia, dentre outros. Mãe Xanda
por ela, as posições das hierarquias de tinha suas técnicas para o parto natural.
classe, gênero e raça/etnia, interpreta os
significados dos lugares sociais que foram Abreu (2005) ainda cita que as parteiras se
ocupados entre o espaço público e o preocupam com o bem-estar e o conforto
da mulher que assistem, assumindo
privado que trouxeram e realçam a
tarefas domésticas, prestando assistência
identidade étnica nas memórias sobre os
marcada pelo afeto, calor humano,
fazeres e saberes da Mãe Xanda. E para
além desse ofício, ajudou famílias, companheirismo, infunde confiança e
acolheu nas horas de dificuldades e segurança. Essas qualidades contribuíram
recebeu crianças que chegavam ao para potencializar a força da mulher
mundo, sem atenção e cuidados médicos grávida e ajudava a conduzir o parto
natural, criando um ambiente que
adequados, por muitas décadas.
favorecia a evolução do trabalho de uma
Conforme informações vindas da família, parteira, além de recepcionar e acolher o
Mãe Xanda, fez tantos partos na recém-nascido.
comunidade que se fala de mil partos,
Conforme narrações colhidas na região,
encerrando suas atividades no ano de
após fazer o parto, Mãe Xanda mantinha
1989, aos 79 anos de idade. Mulher de luta
um relacionamento com a família da
e resistência quando pelas tentativas de
criança e em muitos casos, chamava a
invisibilidade, resolve mudar-se para a
parturiente de comadre e as crianças

95
quando cresciam iam à sua casa e pedia- mento, contribui para que o sujeito
lhe a benção, demonstrando respeito, busque em seus traços culturais, sua etnia
amor e carinho, apesar do não parentesco e pertença, valorizando não só a tradição,
consanguíneo. Trata-se do parente de mas a cultura local. Nesse sentido, Mãe
consideração, podendo substituir o pai ou Xanda construiu sua identidade nas
a mãe em circunstâncias diversas. relações étnicas e nas formas de luta e
Cuidava das mulheres humildes e, na resistência que se expandiu na região.
maioria das vezes, analfabetas, e era
dotada do dom de partejar, ajudando 4. Considerações
dessa forma a muitas pessoas que
dependiam de assistência, principalmente
Este estudo demonstra que o ato de
no que tange a lugares mais longínquos,
partejar exercido por Mãe Xanda durante
sobretudo nessa região e em anos
décadas no distrito de Três Morros,
passados, cuja acessibilidade era difícil.
permitiu construir sua identidade de
De acordo com Capiberibe (2002), as mulher negra, parteira que deixou um
parteiras foram e ainda são mulheres legado para a população, mas nem por
humildes com idade entre dezoito e isso, saiu da invisibilidade e foi
oitenta anos e a maioria sem estudo. reconhecida por um trabalho de
Apesar disso, desenvolvem o dom de relevância social, a não ser entre grupos
partejar por herança de suas ancestrais populares.
desde o tempo em que viviam nas
A investigação apresenta relevância
senzalas e eram obrigadas a se virar
social, por que se propõe reconstituir
sozinhas. Destarte, por necessidade
pelas memórias da comunidade, de
preservam e mantêm conhecimentos que
mulheres, a história para não cair no
são passados de geração em geração,
esquecimento. Nesse sentido, ressalta-se
atuando em locais em que há extrema
que a preservação das memórias da
falta de médicos e condições de
população é de fundamental importância
locomoção para hospitais. Mulheres que
para o seu desenvolvimento e
viajavam a pé, arriscam em rios, igapós,
manutenção, os registros dos feitos
igarapés e enfrentam os desafios da
históricos e da cultura local é primordial
natureza. Aonde vão, há sempre uma
para a reafirmação da identidade de um
visita a gestante que espera pelo dom da
povo. Criou formas de resistência, voltou
imposição de mãos, pelas rezas e cantos
a sua comunidade e lá ficou até o final de
que fortalecem o espírito e suprem a falta
sua vida.
de assistência à saúde.
Há que se pensar que mulheres como Mãe
Assim, a participação e atuação de Mãe
Xanda, aprenderam naturalmente e com a
Xanda marca a história do município de
prática o trabalho de partejar em
Lafaiete Coutinho com o ofício de partejar
condições precárias, desenvolveram
exercido por quase cinco décadas. Conta-
técnicas de parto natural e se destacaram
se que na região, não havia estradas em
entre as comunidades rurais. Destaca-se a
condições de tráfego, por isso sua função
paciência para atender à necessidade de
era ajudar as mulheres a terem seus filhos.
que o parto fosse normal, considerando
Os estudos de Hall (2004) mostram o fator que não havia outras possibilidades pela
que contribui para a reconstrução dessa total ausência de médicos, falta de
identidade é o sentimento de pertença a hospitais, estradas vicinais sem condições
uma determinada cultura. Este senti-

96
de tráfego, carência de meios de domiciliar, assistidos por parteiras como
transporte e, sobretudo, falta de Mãe Xanda, ainda é muito comum,
ferramentas, instrumentos e até principalmente na região Nordeste,
medicamentos. O parto e nascimento sobretudo em espaços rurais.

Referências

ABREU, I. P. H. Trabalhando com Parteiras Tradicionais: a experiência do Ministério da


Saúde no período de 2000 a 2004. Brasília, 2005. Trabalho de Conclusão de Curso (Pós-
Graduação em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde). Faculdade de Ciências Médicas,
Universidade Estadual de Campinas, 2005.
ALBERTI, Verena. História oral: a experiência do CPDOC. Rio de Janeiro: Fundação
Getúlio Vargas, 1990.
BARTH, Fredric. Grupos Étnicos e suas Fronteiras. In: POUTIGNAT, Philippe; STREIFF-
FENART, Jocelyne. Teorias da etnicidade. Seguido de grupos étnicos e suas fronteiras de
Fredrik Barth. Tradução Elcio Fernandes. São Paulo: UNESP, 1997.
CAPIBERIBE, J. Os Anjos da Floresta: In: JUCÁ, L.; MOULIN, N. (Org.). Parindo um
mundo novo: Janete Capiberibe e as Parteiras do Amapá. São Paulo: Cortez, 2002, p. 21.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Traduzido por: Tomaz Tadeu
da Silva e Guaracira Lopes Louro. 9ª ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.
HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo:
Centauro, 2006.
HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence. A invenção das Tradições. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 1984.
LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 14ª ed. Rio de Janeiro:
Jorge Zahar, 2001.
LE GOFF. Jacques. História e memória. Campinas: UNICAMP, 1990
NOGUEIRA, Alcides Prado. Vila de Três Morros, Exemplo de uma Vida. Jequié: Gráfica
Lelian, 2004.
ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 5ª Ed., 9ª
reimpressão, 2006.
POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Revista Estudos Históricos. Rio de
Janeiro: Ed UFRJ, v. 5, nº 10, p. 200-212, 1992.
POUTIGNAT, Philippe; STREIFF-FENART, Jocelyne. Teorias da etnicidade. São Paulo:
UNESP, 1998.
THOMPSON, Paul. A voz do passado: história oral. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
ZOBOLI, Elma Lourdes Campos Pavone. A redescoberta da ética do cuidado: o foco e a
ênfase nas relações. Rev. Esc. Enferm. USP, 2004, vol. 38, n.1, p.21-27. Disponível
em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080->.Acesso 15maio2020

97
98
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
NA GESTÃO DA ESCOLA PÚBLICA

Revista Conhecer. Camaçari, ano 1, n. 1, jan./jun. 2020. Pp. 99-112. ISSN 2675-6064.
Jesus Gomes Filho
Instituto de Educação Superior Kyre’y Sãso (IESKS)
jesus.gomesfilho@yahoo.com.br

Cláudia de Faria Barbosa


Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)
barbosa.claudiadefariabarbosa@gmail.com

RESUMO: O cenário de turbulência e incertezas, agravado pela pandemia do


vírus Covid-19, impõe às organizações desmensurados desafios, em especial, às
organizações escolares que estão incumbidas de estar à frente da inovação. Neste
contexto, o Planejamento Estratégico é fundamental como instrumento de gestão
da escola pública, foco desta pesquisa ainda em andamento, tendo em vista que
este processo possibilita projetar e efetivar as diretrizes para a organização
adaptar-se e ajustar-se adequadamente a condições cada vez mais imprevisíveis e
adversas em que estão inseridas as instituições escolares. Esta investigação tem
como objetivo investigar a necessidade de aplicabilidade do planejamento
estratégico na gestão da escola pública no estado da Bahia, na percepção dos seus
gestores. Para tal fim, faz-se uma pesquisa bibliográfica e realiza-se estudo
empírico, com abordagem qualitativa descritiva, aplicando-se questionário para
coleta de dados por meio de formulário eletrônico Google Forms. Constata-se que
existe mobilização dos integrantes do conselho escolar para a elaboração deste
planejamento na escola. Faz-se necessária a capacitação e formação dos gestores
nos conceitos e metodologia, no que tange à construção e execução do
Planejamento Estratégico na escola.

PALAVRAS-CHAVE: Planejamento Estratégico. Desafios. Gestão Escolar Pública.

99
1. Introdução temente do seu porte, uma gestão ágil,
inteligente, na qual a construção do seu
Planejamento Estratégico é decisivo, uma
“Não podemos mudar o
vento, mas podemos ajustar vez que estratégias bem formuladas são
as velas” - Confúcio interfaces poderosas para orientar as
decisões em todos os níveis e tempo,
A imprevisibilidade, instabilidade e fazendo com que os sujeitos possam
rupturas de paradigmas impõem novos convergir seus esforços para atingir o
padrões culturais, características que propósito comum daquela organização ou
contribuem na complexificação da escola e ter adaptabilidade neste novo
sociedade do século XXI, em especial, às mundo de inovação e de novos olhares no
organizações escolares para cumprirem o setor da Educação e da sociedade baiana e
desafio de estar à frente da inovação. brasileira.

Para tanto, há que utilizar de forma Conforme Chiavenato e Sapiro (2016), o


efetiva o Planejamento Estratégico como planejamento estratégico é um processo
instrumento de transformação e de formulação e execução de estratégias
desconstrução da escola tradicional no organizacionais para buscar a inserção da
repensar novos modelos de ensino, organização e de sua missão no ambiente
escolas e salas de aula que preparem os onde ela atua.
alunos para, desde cedo, serem cidadãos
do mundo capazes de resolver problemas O planejamento estratégico nas
locais e globais que vivenciam nesta nova instituições de ensino – foco desta
conjuntura. pesquisa – consta como um processo
desafiador em virtude da distância entre
As organizações vivem momentos sua elaboração e implementação por falta
inéditos na história, nos quais a de uma cultura estratégica que,
velocidade e a dimensão das mudanças possivelmente, pode provocar
são maiores do que jamais existiu em ineficiência, no sentido de não produzir as
qualquer outra época. Peter Drucker ações da maneira adequada para atingir
(1989), conhecido como “pai da os objetivos propostos. A ineficácia nas
administração moderna” faz referências a questões prioritárias impede de atingir as
períodos de rupturas como o atual, metas e provocar resultados demandados
denominado de quarta revolução pelas organizações escolares, sobretudo
industrial, que trazem tendências à no que tange ao aprendizado dos alunos e
automatização total por meio de sistemas a formação de cidadãos.
ciberfísicos que são possíveis em função
da internet das coisas e a computação na Para Libâneo (2018), o planejamento
nuvem, entre outras tecnologias, tornando escolar é uma atividade de previsão da
os sujeitos incluídos e excluídos em um ação a ser executada com definição de
mundo mais inteligente e conectado, atividades, objetivos a serem alcançados,
impondo novos padrões culturais e de procedimentos, recursos e métodos
gestão das organizações do século XXI. aplicados para sua viabilização, com
definição de prazos, cronogramas,
Este cenário de mudanças constantes de critérios de avaliação responsáveis pela
conceitos, posições, métodos e práticas qualidade dos trabalhos traçados, visto
impõe às organizações, independen- que sem planejamento estratégico, a

100
gestão e suas escolhas de decisão ocorrem Para tal, realiza-se estudo de campo
de forma improvisada e se mantém aplicado, com abordagem qualitativa e
vulneráveis às continuas demandas, descritiva, utiliza-se, previamente,
mudanças e desafios do meio ambiente pesquisa bibliográfica e empírica sobre o
em que vivem, onde vigoram as tema com a utilização de questionários
turbulências e incertezas. para coleta de dados, por meio do
formulário eletrônico - google forms -
Neste sentido, pretende-se investigar se é ferramenta de coleta que possibilita
aplicado o planejamento estratégico e sua atingir a população foco desta pesquisa -
eficácia nos centros de educação e diante do cenário mundial atual afetado
formação, sob a ótica dos gestores das pela pandemia do covid-19 - que são os
escolas públicas no estado da Bahia. Para gestores e integrantes das escolas que
tanto busca-se, verificar se os gestores das elaboram e aplicam o planejamento
escolas utilizam a ferramenta do estratégico, ou seja, estão nos cargos de
planejamento estratégico e avaliam sua diretores, vice diretores, supervisores,
eficácia na gestão das escolas, examinar se coordenadores e professores. Efetiva-se a
existe visão e interesse dos gestores e análise dos dados coletados fornecidos
responsáveis para elaborar e implantar o pelo próprio aplicativo/ferramenta. A
planejamento estratégico como linha de pesquisa refere-se a análise
ferramenta de tomada de decisão, bem institucional e o processo de inovação
como, se suas formações são adequadas educacional e tem como interesse a
para essa construção e execução e, por análise dos problemas de gestão de
conseguinte, diagnosticar se existe cultura centros de educação e formação.
de métrica na gestão das escolas.
Outrossim, à luz das definições do
planejamento estratégico e sua 2. Planejamento estratégico
metodologia, identificar os fatores
determinantes para o sucesso na gestão O planejamento é um processo mental
escolar, bem como descrever como os que envolve análise, reflexão e previsão
gestores estratégicos percebem a sua sendo, desse modo, uma atividade
importância nos resultados da escola. tipicamente humana. Planejar é analisar
uma realidade, refletir sobre as condições
A escolha por esta área e tema da existentes e prever formas alternativas ou
pesquisa deve-se à formação do autor possibilidades para superar as
desta investigação como administrador de dificuldades e/ou alcançar objetivos. Com
empresas e sua atuação como Gestor ou o fim de trazer para o contexto escolar a
Consultor empresarial, na construção de análise da escola atual, para refletir,
planejamento estratégico dos mais prever e traçar estratégias e ações para
diversos segmentos empresarias de construir a escola que se deseja, na qual os
organizações como no setor financeiro alunos possam colaborar na construção de
(banco público), indústria e comércio uma sociedade mais igualitária e cidadã.
(vestuário feminino), serviços de saúde
(clínicas de urologia, cardiologia e Estratégia, conforme Chiavenato e Sapiro
psicologia), alimentos (restaurantes) e por (2016), é ao mesmo tempo uma arte e
interesse em analisar e contribuir na ciência ou, simplesmente, pensar para
gestão estratégica escolar. agir. Enfim, são escolhas que os gestores
estratégicos selecionam, com a partici-

101
pação de toda organização – dentre as genérico e mais detalhado. O operacional
alternativas e possibilidades disponíveis, é projetado para curto prazo e imediato,
considerando os fatores internos e focado na tarefa e atividade no nível
externos que influenciam a instituição operacional.
educativa para a tomada de decisão em
posições diferentes no futuro em relação a
2.1 Condições Fundamentais para o
situação presente. Ainda com base nestes
autores, as mudanças são inerentes as Sucesso do Planejamento
organizações que, para serem proativas e Estratégico
sobreviventes, necessitam adotar o
processo de planejamento estratégico no
Primeiramente, é fundamental que exista
intuito de desenvolver e formular
um clima de participação e desejo de
estratégias que assegurem sua
sucesso para que os sujeitos da
sustentabilidade
organização ou comunidade escolar
Uma característica intrínseca do estejam conscientes das tarefas a serem
planejamento estratégico, conforme desempenhadas e colaborem,
Libâneo (2018), é o fato de ser um intensamente, em um mutirão e de forma
processo permanente de ação e reflexão orquestrada na construção do
para conhecimento e análise da realidade planejamento estratégico, desde a sua
escolar na formulação de alternativas em intenção estratégica até o resultado.
busca de soluções de problemas, tomada
Destaca-se outras condições
de decisões, bem como, correção de rumo
fundamentais, elencadas por Chiavenato e
das ações elaboradas no planos e projetos
Sapiro (2018), para o sucesso do
definidos pela equipe responsável.
planejamento estratégico, dentre elas,
O planejamento estratégico é uma uma liderança na gestão do processo que
ferramenta utilizada para analisar os atua como visionária empreendedora,
problemas que impactam na organização utiliza sua intuição e experiência na
como um todo, isto é, não conformidades formulação das estratégias de forma
no nível estratégico, sendo que, integrada, com foco na colaboração,
Chiavenato e Sapiro (2016), definem três alinhamento estratégico, melhoria de
níveis distintos de planejamento: procedimentos e compartilhamento do
estratégico, tático e operacional que são planejamento estratégico entre as equipes
elaborados de maneira integrada e que o formam.
articulada para ter viabilidade.
Os gestores na organização devem
O estratégico é o planejamento mais desenvolver a competência de saber ler e
amplo e abrange toda organização com perceber ambientes externos para verificar
visão ampla do ambiente e é projetado no as oportunidades e as ameaças
longo prazo, corresponde ao nível ambientais, que são os fatores externos
principal da instituição, no qual os demais não controlados pela organização, mas
planos estão subordinados. É sintético, tem forte influência sobre ela, bem como
genérico e abrangente. O tático é os ambientes internos para verificar os
projetado para o médio prazo, pontos fortes e fracos, que são os fatores
anualmente, envolve cada departamento e internos de criação ou destruição de valor
é definido em nível médio. É menos formando, desta forma, o diagnóstico

102
daquele momento da organização, pelos conceitos de visão, missão,
formulação dos objetivos e estratégias de princípios e valores da organização e,
ação para atingir os resultados esperados eventualmente, pelas opções estratégicas
pela equipe. escolhidas ou selecionadas pela equipe
responsável no processo do planejamento
A construção do planejamento estratégico estratégico. A declaração de missão é a
deve ser um processo, essencialmente de razão de ser da organização, o seu papel
experiência individual e coletiva, no qual na sociedade. A visão organizacional
as organizações se transformam em representa um estado futuro, isto é, onde
sistemas de aprendizagem organizacional, deseja chegar ou alcançar. Os princípios e
prevalecendo os trabalhos em equipes valores são os pilares que sustentam e
como determinantes do seu sucesso. validam a estrutura organizacional e
estratégias propostas.
Essas transformações estratégicas, de
acordo com Costa (2007), impõem O diagnóstico estratégico externo
adequações contínuas das estratégias da corresponde à análise das variáveis do
entidade ou escola, na capacitação, na sua ambiente externo, oportunidades que
estrutura e infraestrutura física e logística, devem ser exploradas e ameaças que
como consequência das mudanças, precisam ser neutralizadas, porque
tendências e descontinuidades previstas impactam as organizações.
no diagnóstico, onde foram detectadas
possíveis lacunas ou deficiências que O diagnóstico estratégico interno
devem ser supridas ou corrigidas a tempo corresponde à análise das variáveis do
para não comprometerem o futuro da ambiente, forças que devem ser
organização. ampliadas e fraquezas que devem ser
corrigidas ou melhoradas, porque
impactam as organizações.
2.2 Modelos de Processo de
Planejamento Estratégico Os determinantes de sucesso são
denominados fatores críticos e
fundamentam a política da organização.
O modelo proposto por Chiavenato e Trata-se de um recurso metodológico,
Sapiro (2016) é composto dos elementos amplamente utilizado no ambiente
do planejamento estratégico, na seguinte corporativo, na etapa do processo de
ordem ou sequência: declaração de missão análise do cenário ou ambiente entre o
organizacional, visão organizacional, diagnóstico, definição de objetivos e a
diagnóstico externo e interno, formulação das estratégias. É conhecida
determinantes de sucesso, definição dos como análise SWOT (em inglês) ou análise
objetivos, formulação de estratégia e FOFA (força, oportunidades, fraquezas e
formalização do plano e reavaliação ameaças). Trata-se de uma ferramenta
estratégica. estrutural utilizada para avaliação com o
objetivo de formular as estratégias que
Ainda, conforme os autores, o propósito
compõem o planejamento estratégico da
de uma organização é aquilo que ela
organização ou escola.
almeja ser no futuro. No caso da escola é
refletir sobre o que ela é e o que pretender Por definição dos objetivos e formulação
tornar-se. Este propósito e representado de estratégia, entende-se que são etapas

103
construídas imediatamente após a roteiro para atingir os resultados traçados
definição dos pontos críticos e favoráveis que não podem ser determinados
da organização prescritos no diagnóstico, rigidamente, portanto, expõem-se a serem
por ordem de prioridades e urgências modificados ou alterados ao longo da
estratégicas, mediante o estabelecimento execução dos trabalhos, requerendo, de
de uma hierarquia de prioridades de cada forma contínua e permanente, ação,
solução para os problemas e desafios reflexão e tomada de decisão dos
levantados na etapa anterior e compõem o educadores sobre a prática em curso.
plano estratégico da organização.
Para representar o roteiro proposto por
A formalização do plano estratégico é um Libâneo (2018), referente a planejamento
plano para a ação. É a consolidação das escolar, faz-se uma analogia com o
informações e atividades desenvolvidas modelo da medicina no atendimento
no planejamento estratégico. Neste plano médico aos seus pacientes.
deve constar os questionamentos Primeiramente, o profissional de saúde
referentes ao diagnóstico obtido sobre o coleta dados por meio de questionários ou
que fazer, como, quanto, para quem, por entrevistas, obtém informações sobre o
que, por quem e onde, de forma que as histórico familiar, sintomas na percepção
ações traçadas, com base na relação custos do paciente, faz observações e indagações
e benefícios, possam mitigar as ameaças, (anamnese) e realiza exames para o
potencializar as oportunidades a favor da diagnóstico inicial da doença. De forma
organização, tanto quanto assegurar que semelhante na escola, foca-se na obtenção
as fortalezas sejam mantidas e de informações reais e atualizadas com os
revigoradas e as fragilidades sejam principais atores e protagonistas da
revertidas e superadas e, por conseguinte, escola, isto é, gestores, coordenadores,
riscos e ameaças contidos ou eliminados. professores, colaboradores, representantes
de pais, comunidade e alunos que
A reavaliação estratégica é a revisão do permitam identificar as dificuldades
plano implementado para tomada de existentes, causas que as originam, em
decisão de novos caminhos, mantendo as relação aos resultados obtidos
estratégias ou ações que tiveram sucesso e historicamente, com indicadores de
revendo as estratégias fracassadas. Esse desempenho, diagnóstico e a realidade da
procedimento ocorre pela análise dos escola.
indicadores de desempenho para cada
estratégia traçada e pela interação das De posse deste panorama geral da escola,
equipes que construíram o planejamento. realiza-se a identificação do que ela possui
Se as ações planejadas se mostrarem de positivo para alavancá-la rumo a uma
desatualizadas com as novas realidades educação de qualidade, bem como, o que
dos ambientes externos e internos à ela apresenta como crítico e que requer
instituição, devem ser reavaliadas e cuidados para não a levar ao fracasso.
traçadas novas estratégias, ações e Situação similar ao tratamento do
objetivos de forma a produzir os paciente diante do diagnóstico pelo
resultados almejados. médico. No caso específico da escola é a
etapa de definição de objetivos e metas,
O planejamento escolar, de acordo com compatibilizando a política e diretrizes do
Libâneo (2018), devido ao seu caráter sistema escolar com as intenções,
processual, segue um plano prévio ou expectativas e decisões da equipe.

104
No atendimento médico esta é a etapa da Dalcorso (2017) sugere que, inicialmente,
prescrição do tratamento, em outras os gestores escolares promovam a
palavras, a receita médica de constituição do conselho escolar, formado
medicamentos, rotina de cuidados com a por professores, alunos, funcionários, pais
saúde, como alimentação, higiene e e comunidade, para uma atuação
exames clínicos. Na escola, a prescrição é participativa nas etapas do planejamento
o plano de ação construído com ampla estratégico de forma que possam se sentir
participação da equipe da escola e com comprometidos com as ações construídas
base no diagnóstico e estratégias em prol da escola, além de proporcionar
formuladas e selecionadas. Esta etapa é aos gestores uma visão aprofundada da
definida por Libâneo (2018), como realidade em que a instituição está
determinação de atividades e tarefas a inserida.
serem desenvolvidas de acordo com as
prioridades estabelecidas pelas condições Ainda, conforme a autora (2017), as
concretas e adequações com os recursos seguintes etapas para construção do
disponíveis, quais sejam elementos planejamento estratégico da escola são a
humanos, recursos materiais e financeiros. identificação do perfil da realidade
escolar; avaliação dos critérios de eficácia
Finalmente, como na revisão médica, é escolar; realização da avaliação estratégica
feita uma nova anamnese ou entrevista e elaboração do plano de ação da escola.
para avaliação e reavaliação do paciente e
diante das informações obtidas, nova Traçar o perfil da realidade escolar é
prescrição médica com avaliações levantar o perfil social, cultural, físico e
periódicas sistemáticas. Na escola, da econômico da comunidade interna e
mesma forma, avaliação dos resultados externa à escola para um diagnóstico dos
obtidos por meio de medição de principais problemas e questões críticas e
indicadores de desempenho de cada ação prioritárias, avaliar o desempenho,
e estratégia planejada, de forma crítica e indicadores e selecionar as melhores
profunda de todo planejamento estratégias para sua mitigação ou
estratégico com reordenação de rumos e suprimento por meio de questionários,
caminhos além de redefinição de entrevistas, painéis de opiniões e redes
avaliações periódicas e coletivas dos sociais, por exemplo, é a anamnese do
resultados. médico no atendimento do paciente,
conforme relatado anteriormente para
Aborda-se, com a finalidade de prescrição do tratamento.
aprofundar o conhecimento da ferramenta
na gestão escolar, outro modelo de A avaliação da eficácia escolar é composta
elaboração do planejamento estratégico de indicadores de desempenho estratégico
(Dalcorso, 2017), que é fundamentado nos que devem ser mensurados, se possível,
critérios de avaliação de eficácia escolar em tempo real ou em um período mais
elaborado pelo governo federal. Por meio tempestivo possível, para identificar
do Ministério da Educação, é distribuída prontamente os problemas, fazer o
uma minuta para as escolas públicas do diagnóstico com precisão e adotar as
território nacional com a finalidade de ações necessárias para prevenção,
orientar as escolas na elaboração do plano correção ou reordenação de rumos.
de ação, conhecido como Plano de Portanto, os indicadores que
Desenvolvimento de Escolas -PDE-E. fundamentam esta etapa, proposta por

105
Dalcorso (2017), se baseiam na instalações, equipamentos, iluminação,
importância e amplitude na utilização e climatização e acessibilidade que afetam o
mensuração de critérios de qualidade, desempenho e o funcionamento da escola
propostos pelo Ministério da Educação para que o processo de ensino e
(ano) de avaliação escolar: ensino e aprendizagem aconteça em plenitude.
aprendizagem, clima escolar, pais e
comunidade, gestão de pessoas, gestão de O resultado envolve os critérios do órgão
processos, infraestrutura e resultado. governamental federal da educação -
estão relacionados aos indicadores gerais
Ensino e aprendizagem são inerentes a do desempenho da escola como a taxa de
absorção dos conhecimentos e habilidades aprovação, reprovação, abandono e
por parte dos alunos diante da proposta distorção idade/série; satisfação dos
pedagógica, planejamento e método alunos, pais, colaboradores e da
pedagógicos, estratégias de ensino, sociedade; indicadores de melhoria das
práticas educacionais, avaliações de práticas de gestão e cumprimento das
aprendizagem e materiais escolares. metas estabelecidas, onde os atores
Ademais, o clima escolar é o indicador de conhecem os indicadores de sucesso e
satisfação da comunidade escolar, seja em podem visualizá-lo para acompanhar as
relação a liderança, comprometimento, metas e avaliarem se estão vencendo ou
motivação, disciplina, segurança da não. Enfim, pressupõe que todos utilizam
comunidade, enfim, o ambiente geral da os indicadores para acompanhar suas
escola. Os pais e a comunidade fazem a metas.
mensuração da intensidade do
relacionamento e participação da A realização da avaliação estratégica é o
comunidade em geral no desempenho da processo de avaliar, planejar e
instituição. implementar com base na indicadores de
desempenho para cada estratégia
Portanto, fazer a gestão de pessoas é implementada de forma abrangente -
cuidar, liderar, gerir o patrimônio ambiente interno e externo da escola -
intelectual da escola promover o construtiva ou seja, priorizando
planejamento participativo com potencialidades e deficiências, de forma
envolvimento e comprometimento em transformadora com foco em melhorias e
todas as etapas que têm como base a com a validação dos interessados nos
valorização dos sujeitos para alcance dos resultados do planejamento estratégico.
resultados, pois sem os seus Da mesma forma que Chiavenato e Sapiro
colaboradores não existe escola. Para (2016), Dalcorso (2017) propõe promover
acontecer a estratégia tem que existir a análise da revisão das estratégias por
paixão, que é a mola propulsora do meio da avaliação amplamente utilizada
trabalho dos indivíduos. no ambiente corporativo: análise FOFA
(força, oportunidades, fraqueza e
A gestão de processos refere-se a maneira ameaças) ou análise SWOT (em inglês)
como as ações planejadas são geridas na que foi tratada neste artigo, na proposta
escola de forma que os sujeitos tenham de Chiavenato e Sapiro (2016).
consciência e estejam comprometidos com
as atividades que afetam as metas Ademais, Dalcorso (2017) trata da
traçadas. A infraestrutura abrange as elaboração do plano de ação da escola no
questões e condições materiais como qual a equipe gestora promove,

106
conjuntamente, com a comunidade estratégico é necessário ter estratégia, isso
escolar com base nas informações requer liderança que promove o
disponíveis obtidas nas etapas anteriores comprometimento, participação, empol-
desta proposta contendo os objetivos, as gação, foco em metas e objetivos,
metas e ações prioritárias para atingir motivação, aprendizado de pessoas na
uma educação de qualidade, com a coordenação da formulação e implantação
mensuração dos resultados esperados. Os das estratégias com responsabilidade final
prazos de início, término e de reavaliação pelo sucesso e resultados do planejamento
das ações, assim como, instrumentos de estratégico.
acompanhamento para viabilidade do
plano e reavaliação periódica e sistemática Pressupõe-se que essa liderança tenha
para correção de percursos revendo metas ampla participação e envolvimento da
e objetivos são ações responsáveis pelos organização para formular e fazer-se
instrumentos de medição, para que o entendido pelos membros como um todo,
planejamento estratégico seja eficaz e os porque possibilita melhor análise da
resultados almejados. situação (diagnóstico), elaboração,
execução de ações e assegura eficiência na
Verifica-se, portanto, pontos de implementação das estratégias
intercessão ou comuns nas três visões e
métodos dos autores utilizados como base O foco no futuro e objetividade são
teórica desta pesquisa que podem e relevantes, pois almeja resultados
devem ser adaptados a cada situação, promissores para a organização ou escola
considerando a empresa ou escola, o e não deve ser longo e confuso, além de
momento estratégico e estágio de ter foco e direção nas questões centrais e
implantação da metodologia. As ideias prioritárias, com vistas a minimizar os
dos autores se complementam, seja em problemas de nível estratégico da escola
Libâneo (2018), com formação e trajetória que afetam a instituição. Portanto, o
profissional como professor e educador planejamento estratégico é a ponte para o
com produção na área, seja em Dalcorso futuro.
(2017) também com formação e trajetória
como professora, educadora e gestora de A criação de valor com coerência, lógica e
escola, bem como com Chiavenato e racionalidade entre os vários elementos
Sapiro (2016) que são professores de que o compõem como metas, objetivos,
universidades nacionais e estrangeiras, metodologia, recursos, tempo,
com especializações na área de cronograma, avaliação e reavaliação
podem e devem criar valor para a
Administração, Recursos Humanos,
comunidade na qual está inserida a
Engenharia de Produção, Gestão
Estratégica de negócios e atuam como escola. Também apresenta condições
gestores e consultores de mercado em possíveis e viáveis para sua realização –
empresas de diversos segmentos exequibilidade - e considera-se a
coadunam na necessidade do necessidade dos objetivos serem viáveis
planejamento estratégico nas instituições com base na validade de hipóteses, isso
educacionais. significa que o planejamento estratégico
precisa ser posto em ação pelas pessoas da
Os três autores definem como premissas organização cotidianamente.
principais que para alcançar eficácia na
elaboração e efetivação do planejamento

107
A flexibilidade e continuidade são Evidenciou-se na pesquisa que o
características inerentes ao planejamento planejamento nas escolas ocorre como um
estratégico considerando que deve planejamento em nível operacional, como
apresentar facilidade e possibilidade de definido por Chiavenato e Sapiro (2016),
ser modificado, reconstruído e refeito de curto prazo, imediato, focado na tarefa
para atender e superar situações e atividade no nível operacional, isto é,
imprevistas no ambiente organizacional uma contínua e sistemática gestão por
composto de ameaças e oportunidades, crises, imediatista e com uma visão
como processo sistemático e constante de reativa da realidade, porquanto, muito
tomada de decisões, cujos efeitos e influenciada pela tendência de se agir por
consequências devem ocorrer em tentativas e erros sobre os sintomas que
períodos futuros. aparecem dos problemas, em vez de uma
atuação proativa sobre as suas bases de
O planejamento estratégico utiliza sustentação ou condições amplas de
indicadores de desempenho para superação.
mensuração dos seus resultados que
possibilitem monitoração sistemática das Os resultados apontados nos mecanismos
consequências e correções necessárias de avaliação nacionais e internacionais
para assegurar sua eficácia e sucesso. indicam resultados insatisfatórios na
escola pública brasileira, conforme dados
Esta pesquisa sinaliza a necessidade do do Exame Nacional do Ensino Médio
planejamento estratégico para os gestores (ENEMM), o Índice de Desenvolvimento
escolares das escolas públicas levando em da Educação Básica (IDEB), o Programa
conta as respostas dos questionários Internacional de Avaliação (Pisa), o Plano
recebidos, até a presente data11, de de Desenvolvimento da Escola (PDE-E)
membros de conselho escolar como que têm revelado as adversidades e crise
diretores, vice diretores, coordenadores e da educação no Brasil.
professores da rede estadual e municipal
de escolas de Salvador e cidades Isso remete a uma reflexão de como
metropolitanas e interior do estado. reverter esta situação crítica da educação,
considerando que as escolas são
Os gestores e profissionais em geral, das integrantes dos sistemas educacionais e
escolas pesquisadas, possuem não podem nem devem ser
desconhecimento do significado, responsabilizadas, exclusivamente, por
importância e efetividade do este quadro precário.
planejamento estratégico para alcançar os
resultados da instituição, assim como,
quanto à sua metodologia e forma de 3. Considerações finais
mensuração de indicadores de
desempenho para a tomada de decisão e As escolas públicas estão em um
eficácia para atingir as metas e objetivos momento de extremo conflito, assim como
traçados. a sociedade, situação agravada pela
pandemia provocada pelo Covid-19 e seus
11Este trabalho faz parte de uma investigação mais reflexos na vida das pessoas. Por outro
ampla, em andamento (agosto, 2020) em Programa lado, a escola necessita encontrar
de mestrado do Instituto de Educação Superior
possibilidades de melhorias da qualidade
Kyre’ỹ SÃSO (IESKS).
do serviço prestado, neste mundo de alta

108
complexidade, para preparar e formar currículo para formação do aluno por
alunos-cidadãos do planeta, capazes de meio do ensino e aprendizagem de
resolver problemas locais da sua qualidade e a transformação da realidade
comunidade e globais. O direito a uma da escola com ações no seu ambiente,
educação de qualidade está previsto na dentre estas, a aplicação do planejamento
Constituição vigente. (BRASIL, 1988) estratégico como ferramenta de gestão.

Faz-se necessária a mobilização nacional Verifica-se, por outro lado, que existe uma
envolvendo a sociedade para que os mobilização do conselho escolar formado
governos das esferas federal, estaduais e dos gestores, coordenadores, professores e
municipais adotem medidas representantes da comunidade para
fundamentais a serem instituídas, tais elaboração do planejamento que é
como: Política educacional que destine realizado na escola, no entanto, não são
verbas públicas para o ensino público com aplicados os elementos básicos e etapas
diretrizes educacionais coerentes, com previstas na metodologia do planeja-
continuidade e efetividade na sua mento estratégico.
implantação; valorização dos professores
e profissionais da educação com Assinala-se na pesquisa que neste
remuneração adequada, concurso de momento de paralização das atividades
ingresso, plano de carreira, meritocracia, escolares (2020), decorrente da pandemia
formação sistemática e continuada, do Covid-19, os planos de ações imediatos
possibilitando a atuação dos profissionais bem como, o Projeto Político Pedagógico
mais qualificados nos quadros das (PPP), instrumento teórico metodológico
escolas. da rotina escolar para transformação da
sua realidade, estão suspensos. Estes
Além disso, é necessário que haja planos, tático e operacional,
infraestrutura adequada, não conjuntamente com o planejamento
necessariamente de prédios ou estratégico são fundamentais nesta
monumentos luxuosos, mas de qualidade conjuntura de turbulência, adversidades e
de ensino, com rede escolar suprida de crises vivenciadas pela escola.
bibliotecas, laboratórios de pesquisa com
equipamentos e programas/aplicativos de Percebe-se nas respostas dos
última geração para estudo a distância, colaboradores dessa investigação, que faz-
inclusive, instalações adequadas, se imprescindível a capacitação e
condições reais de reuniões educacionais e formação dos gestores como agentes de
pedagógicas, em suma, conjuntura mudança nos conceitos básicos, na
mínima para implantar a escola pública metodologia e na construção e execução
universal, gratuita, democrática e que do plano estratégico, tático e operacional,
atenda à missão da escola de com a finalidade de proporcionar
proporcionar aprendizagem aos seus consciência estratégica para perceberem e
alunos. absorverem as demandas e contribuições
da ferramenta planejamento estratégico
De outra forma, as escolas, sob a liderança para os resultados da escola diante das
do principal gestor, no processo de ameaças e riscos do ambiente escolar na
elaboração de estratégias, devem atual conjuntura.
promover a mobilização considerando
que é na escola que se constitui o

109
Destarte, para atingir a excelência de em aprendizagem dos seus alunos e
serviços na escola que a sociedade deseja, assegurará o direito social estabelecido na
é vital obter diferentes indicadores que Carta Magna (BRASIL, 1988): Educação
venham a reconhecer o povo brasileiro de qualidade para todos os brasileiros.
com qualidade intelectual. O gestor
articulador – deve ser visionário, Deste modo, esta é a contribuição da
participativo, trabalhar em equipe, saber pesquisa aos gestores de escola e
ler e interpretar ambiente e elaborar e participantes do conselho escolar, quanto
implementar o Planejamento Estratégico - à reflexão da necessidade e eficácia do
certamente, obterá índices de referência planejamento estratégico para gestão da
escola pública.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 5 out. 1988.


Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm Acesso
em: 20 abril 2020.

CHIAVENATO e SAPIRO. Planejamento Estratégico. Fundamentos e aplicações. Da


intenção aos resultados. 3ª Ed. Elsevier Editora Ltda, 2016.

COSTA, Eliezer Arantes, Gestão Estratégica. Da Empresa que temos para a Empresa que
queremos. 2ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

DALCORSO, Claudia Zuppini. O Planejamento Estratégico. Um instrumento para o


Gestor Público, São Paulo: Paco Editorial, 2017.

INEP. Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Disponível em:


https://enem.inep.gov.br/ Acesso em 27 ago. 2020.

INEP. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Disponível em:


http://portal.inep.gov.br/ideb Acesso em 27 ago. 2020.

LIBÂNEO, Jose Carlos. Organização e Gestão da Escola – Teoria e Prática 6ª Ed. Rev. e
Ampliada São Paulo: Heccus, 2018.

MEC. Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE-E). Disponível em:


http://portal.mec.gov.br/component/content/article/137-programas-e-acoes-
1921564125/pde-plano-de-desenvolvimento-da-educacao-102000926/176-apresentacao
Acesso em 27 ago. 2020.

MIRANDA, Alejandra Estelbina e M. de Alvarenga, Metodologia da Investigação


Quantitativa e Qualitativa, 2ª Ed. Assunção Paraguay: A4 Disenos, 2012.

110
OCDE. Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Programa
Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa). Disponível em:
http://portal.inep.gov.br/pisa Acesso em 27 ago. 2020;

111
112
O ESTUDO DA MATEMÁTICA
BASEADA EM JOGOS INFANTIS
NO TERCEIRO ANO DO ENSINO

Revista Conhecer. Camaçari, ano 1, n. 1, jan./jun. 2020. Pp. 113-120. ISSN 2675-6064.
FUNDAMENTAL
Mackssaila Santos Bezerra
Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
mackbezerra19@gmail.com

RESUMO: O presente artigo aborda um trabalho proposto por projeto realizado


pelo PIBID- Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da
Universidade do Estado da Bahia- UNEB, através do projeto “No Universo do
Brincar: Aprender e Cuidar”, onde se observou pedagogicamente o processo de
ensino e aprendizagem através de métodos lúdicos por meio de jogos realizados
na turma do terceiro ano da escola Enock Amaral. Logo, trata-se de um processo
acadêmico ocorrido em 2015, que nos fez perceber que podemos semear
conhecimento e aprendizagem de forma interessante, e realizar atividades
acadêmicas através de jogos. As atividades lúdicas desenvolvidas com as crianças
envolvendo o contato com a matemática relacionada com jogos buscou estimular
uma educação mais voltada na interatividade, resultando assim na construção do
conhecimento das mesmas, visando um aprendizado coletivo. Através deste
projeto podemos verificar que a prática atualizada na sala de aula realiza
mudanças e transformações na educação do ensino fundamental quebrando então
os paradigmas. Sendo assim, ratificamos que a educação voltada para o público
infantil deve ser trabalhada com o objetivo de construir o saber, levando a criança
a compreender que a sua relação com as coisas e pessoas deverão estar
substanciadas de maneira que percebam a diversidade da sociedade em que
vivemos e que podemos transformar o mundo através do conhecimento, mesmo
que boa parte deste percurso tenha sido através de jogos tratados na área da
matemática e envolvendo a língua Portuguesa em rotinas escolares e suprindo
necessidades de ações inovadoras no ensino.

PALAVRAS-CHAVE: Matemática. Jogos infantis. Práxis pedagógica. Ludicidade.

113
1. Introdução norteando-o em sua prática, sustentando
suas atualizações e principalmente sua
ideologia, ou seja, confirmando um
A propósito de a teoria ser uma
caminho de teorias que acredita ser eficaz
ferramenta importante para o
e eficiente para a transformação social
conhecimento do indivíduo e
como todo.
principalmente para a apropriação da
prática. Em observação ao projeto do A partir das observações pudemos
PIBID, um dos grandes desafios para o constatar o quão fomos assertivas na
bolsista é de adquirir a devida experiência referida escolha. As crianças do 3º ano
dentro da real conjuntura das condições apresentavam grandes dificuldades na
de ensino publico. Desse modo, o trabalho leitura, escrita e interpretação.
realizado no PIBID vem conquistando um Observamos ainda que na disciplina de
papel importante na "lapidação" do matemática estas mesmas crianças
graduando em pedagogia, que busca uma apresentavam um melhor nível de
maneira mais propicia de conciliar aprendizado. Consideramos que a nível
conhecimento e praticar a licenciatura em geral, o período de observação e regência
geral. Para Passerini (2007, p. 18) trata-se do projeto, foi muito importante para
de: análise e intervenção que produza
resultados mais objetivos e claros, e em
O processo de formação do professor é particular percebemos que os
contínuo, inicia-se antes mesmo do curso
ensinamentos teóricos agregam ao
de graduação, nas interações com os
atores que fizeram e fazem parte de sua desenvolvimento da prática em sala de
formação. E este processo sofre aula.
influência dos acontecimentos históricos,
políticos, culturais, possibilitando novos As nossas aulas foram pensadas e
modos de pensar e diferentes maneiras produzidas com base no Projeto “No
de agir perante a realidade que o Universo do Brincar: Aprender e Cuidar”,
professor está inserido.
em consonância com as informações
dadas pela professora regente, que nos
Todos os processos de aprendizagem da subsidiaram adequando a realidade das
formação acadêmica partem do ponto de crianças. Optamos por usar uma
vista vivido e abordado no processo de metodologia de aprendizagem
envolvimento de ensino, onde a significativa, a partir do conhecimento
aprendizagem e formação do profissional prévio das crianças, elaborando planos de
nada mais são: um processo contínuo de aulas que priorizavam a participação
dia após dia de aprendizado entre efetiva das mesmas, permitindo-lhes
bolsistas e alunos, que tentam socializar inclusive a elaboração de problemas de
experiências, dentro de um sistema matemática, escolha de duplas para a
possível para o aluno da escola pública e atividade do dominó matemático
sua realidade o qual está inserido. desenvolvendo o raciocínio dos mesmos,
propiciando uma aprendizagem
Portanto a existência de programas de
colaborativa, que ao final do nosso
naturezas conforme o Pibid , para que
trabalho superou às nossas expectativas,
ainda na graduação o docente adquira
tendo em vista a atipicidade já enunciada.
sensibilidade do que realmente se trata a
A educação não se apresenta de uma
formação de um profissional da educação,
única forma, segundo Brandão:

114
Não há uma forma única nem um único um instrumento excludente. Dienes (1975)
modelo de educação; a escola não é um ilustra está discussão quando diz:
único lugar onde ela acontece e talvez nem
seja o melhor; o ensino escolar não é a sua
Particularmente através dos últimos cem
única prática e o professor profissional não anos mais ou menos, a linguagem
é o seu único praticante. (BRANDÃO, matemática tornou-se tão rica que nem
1981, p.9) mesmo os matemáticos podem
familiarizar-se com toda ela. O homem
Educação não significa apenas da rua foi deixado tristemente para trás e
um leigo ouvindo dois matemáticos
adquirir conhecimentos ou correlacionar
discutindo um problema intrincado
fatos; é compreender o significado da vida poderia muito bem supor estar ouvindo
como um todo. O objetivo da educação é uma língua estrangeira [...].
tentar criar seres humanos integrados e,
por conseguinte, inteligentes. Muitas Podemos dizer que comunicar-se em
vezes, o homem que não estudou pode ser Matemática é comunicar-se em outra
mais inteligente do que o erudito. forma de linguagem que não a materna.
Portanto ser inteligente é ter a capacidade Diferentemente da língua materna que é
de perceber o que é essencial, despertar uma linguagem natural, a linguagem
sua própria capacidade e a dos outros. A matemática é uma linguagem construída.
educação procura dar um sentido de
valorização pessoal e de organização para Pode ser que falte a nós, professores,
cada indivíduo; com isso, promove um colocarmo-nos no lugar de nossos alunos,
conhecimento de riquezas culturais ao lembrar que muitas vezes não se aprende
próprio ser humano. não por que faltou comprometimento ou
vontade, mas sim porque muitas vezes
aquilo que é evidente para o professor não
2. O poder pedagógico da é visto da mesma forma pelo aluno.
linguagem matemática
É exatamente nesse momento que a
mesma passa a possuir um valor
Penso que a Matemática possui uma pedagógico triplicado uma vez que a
universalidade em sua linguagem que é mesma propicia apenas com a linguagem
bastante peculiar e que esta se a transformação profissional, o docente
desenvolveu sintética no intuito de passa a ser um professor reflexivo, o que
facilitar a comunicação da mesma entre as influenciara diretamente em sua pratica
pessoas. Além de a linguagem matemática logo na mudança social. Oportunizar esse
ser extremamente rica e forma, penso que momento de reflexão pode fazer com que
muitas vezes acentuamos as dificuldades o aluno entenda a razão deste processo
com o seu simbolismo quando não nos oculto o qual, muitas vezes, recusa a
preocupamos em trabalhar a participar e a partir de então questionar
compreensão dos símbolos, de clarear os por que não, se interessar por ele.
seus significados.
Mas deve se pontuar que a educação
Esta simbologia, que podemos dizer de pública no Brasil é bastante deficiente em
caráter universal, possui formalismos que todas as áreas do conhecimento humano.
acabam afastando o aluno, com uma ideia Enquanto que em países desenvolvidos os
que pertence somente ao mundo dos professores têm um compromisso sério
matemáticos, e, o que é pior, tornado-se com a aprendizagem do educando,
realizando tarefas compromissadas e com

115
muita competência, em nosso país são ação é algo que é executado por todos os
poucos os professores qualificados em filhotes, tornando-se indispensável uma
disciplinas distintas que levam a profissão vez que existe a necessidade de expressão
a sério. Por outro lado, o professor que de sentimentos, seja, ele de qualquer
não tem a qualificação exigida na área de natureza. O ser humano por sua vez
atuação sente dificuldade por não ter possui uma necessidade maior de
segurança na sua atuação em sala de aula. expressão, afinal ele não possui o recurso
Estudantes e professores sofrem as do instinto de forma tão aguçada quanto
conseqüências da deficiência da educação os animais irracionais, por isso o ato de
pública brasileira. brincar tem se tornado objetos de estudo
em diversas esferas da comunidade
Essas conseqüências fizeram com que ao
acadêmica, afinal por mais simples que
longo do tempo a matemática tornar-se
seja possui uma complexidade intensa e
um obstáculo na aprendizagem do aluno.
subjetiva.
A mesma é vista como a “bruxa má” das
disciplinas, pois a maioria dos alunos Uma ação ou uma atividade voluntária,
sente grande dificuldade em aprender os realizada em certos limites fixos de tempo
conteúdos mais simplórios desta ciência. e lugar, segundo uma regra livremente
É óbvio que isso acontece por vários adotada, mas absolutamente imperiosa,
fatores a fazer menção, por exemplo, falta com um fim em si mesmo, acompanhado
de qualificação ao professor, recursos de uma sensação de tensão e jubilo e da
didáticos pedagógicos obsoletos, falta de consciência de ser diferente da vida real.
reformas nas escolas, meios de transporte (HUIZINGA apud SOLER 2003, p. 44).
ineficazes e desinteresse do aluno em Afinal é na brincadeira que a criança
estudar. Mediante esses fatores negativos, expõe seus sentimentos e conhecimentos
os alunos se deslocam à escola e chegam aprimorando-os em cada brincadeira, mas
totalmente desestimulados, desencoraja- é no jogo que se torna possível a
dos em aprender a disciplina de intervenção docente, por que o ato de
matemática. brincar é livre, e justamente por isso e só
por isso ele se torna subjetivo e complexo,
Para que haja uma mudança seria em
mas no jogo, uma das milhares
torno do ensino-aprendizagem da
brincadeiras, é que se torna possível esse
matemática é necessário que o aluno sinta
processo educacional. O jogo então passa
a vontade em aprendê-la e através deste
a assumir uma função pedagógica uma
aprendizado ele possa levar os
conhecimentos obtidos para a sua vez que em tal contexto e responsável
pelo desenvolvimento de uma grande
realidade. Exatamente nesse momento
quantidade de habilidades motoras
que o professor utiliza como válvula de
afetivas e cognitivas.
escape a ludicidade, uma vez que a
mesma propicia meios atrativos e
significativos para os discentes. 4. Experimentando Jogos na
Instituição de Ensino Enock
3. Ludicidade e educação: uma relação Amaral
intrínseca
No segundo semestre do ano de 2015
O ato de brincar é algo inerente ao ser iniciamos nossas atividades na escola
vivo seja ele racional ou não, afinal essa parceira que por sua vez nos recepcionou

116
de forma acolhedora, a princípio ocorreu motivam a abraçar a profissão ora
uma observação da rotina escolar, onde escolhida. Na visão de Sacristán “A
foi possível detectar especificidades e prática pedagógica é uma práxis, não uma
características da sala do 3° ano do ensino técnica. E investigar sobre a prática não é
fundamental, a qual achamos totalmente o mesmo que ensinar técnicas
atípica, porém ela era apenas mais uma pedagógicas”.
turma que não fugia a regra, como elas a O PIBID desempenha um papel de
educação brasileira esta lotada. A parti extrema relevância na formação do
das observações realizamos estudos os professor. Para uma boa formação é
quais permitiu a formulação de um necessário que o professor construa sua
projeto que utilizasse algo lúdico e própria identidade, seja defensor do que
inovador na instituição. acredita e exercite a todo o momento sua
As nossas aulas práticas iniciais foram capacidade de estar sempre se
bem aceitas pela nossa professora regente, reelaborando, se reinventando, e a
o que para nós foi norteador para inserção do licenciando na prática
continuarmos a nossa trajetória de pedagógica ao início do curso produzirá
iniciantes, na primeira aula produzimos motivação importante para que o mesmo
um tabuleiro como recurso pedagógico e certifique sua escolha profissional.
através dele desenvolvemos atividades de Por esta razão nós bolsistas
língua portuguesa e matemática, noções experimentamos um exercício diferen-
de adição, subtração e quantidade, e as ciado de outros licenciando, nossa
crianças amaram, percebemos a trajetória no universo acadêmico de
importância das atividades criativas e formação de professor passou a ter outro
lúdicas no universo das crianças da sabor com a nossa vivencia entrelaçada
educação infantil. Vale ressaltar que as entre a universidade e a escola. O
nossa vivência realizada pelo projeto a sentimento que nos desperta, é uma
título de produção de aulas que não se sensação de descobertas intensas movidas
limitava apenas a elaborações de aulas, pelas ações que acontecem no cotidiano
mas leituras e resumos de textos da escola, e que somente a prática é capaz
biográficos orientados pela coordenadora de mostrar.
professora Tânia, foram também Colaboração foi uma das categorias que
elementos que nos subsidiaram a estudamos no PIBID 2014, e entendemos
percorrer até aqui. que a aprendizagem colaborativa, o
Nesse momento foi possível ser um aprender conjuntamente é uma ação onde
professor reflexivo afinal a parti dos os sujeitos compartilham conhecimento e
planos e do projeto, que por sua vez num processo de interação mútua e
houve uma interação. desenvolvem suas atividades mediadas
pelo professor. Significando que as
4.1 A práxis pedagógica no terceiro categorias, colaboração, mediação e
ano do ensino fundamental prática ou práxis pedagógica se interligam
favorecendo uma boa formação de
professor.
A prática do professor seja ele da
O PIBID, não ensina técnicas pedagógicas,
educação infantil ou de qualquer outro
oportuniza ao licenciando a prática
nível vem sendo experimentada a partir
necessária para sua formação. Assim
de estágios superficiais que não lhes

117
sendo o PIBID pode ser considerado como 5. Considerações finais
sendo um divisor de águas que possibilita
o despertar do sentir-se professor no
A presença da Matemática na escola é
licenciando de pedagogia, exercendo a
uma consequência de sua presença na
prática pedagógica quase que
sociedade e, portanto, as necessidades em
instintivamente, e descobrindo no dia a
relação a mesma, que surgem na escola
dia onde é possível o encaixe da teoria.
deveriam estar subordinadas às
O professor, consciente de que não necessidades matemáticas da vida em
consegue alcançar resultados satisfatórios sociedade. No caso do ensino da
junto a seus alunos e tendo dificuldades disciplina a qual estamos tratando neste
de, por si só, repensar satisfatoriamente artigo, as possibilidades de mudança
seu fazer pedagógico procura novos devem ser resultado de uma constante
elementos muitas vezes, meras receitas de reflexão do professor sobre sua prática,
como ensinar determinados conteúdos buscando sempre novas maneiras de
que, acredita, possam melhorar este trabalhar com os problemas encontrados
quadro. no dia-a-dia.

O professor nem sempre tem clareza das Os desenvolvimentos das novas


razões fundamentais pelas quais os tecnologias, em particular da Internet, e a
materiais ou jogos são importantes para o grande quantidade de software e
ensino-aprendizagem da matemática e, materiais para o ensino da Matemática
normalmente são necessários, e em que oferecem um grande número de
momento deve ser usado. Entretanto, nem possibilidades de desenvolvimento
sempre se pode afirmar que o material curricular que deve ser aproveitado. A
concreto ou jogos pedagógicos são necessidade de se trabalhar com o aluno
indispensáveis para que ocorra uma atividades que os leve a experimentar,
efetiva aprendizagem da matemática. Na exprime o caráter dinâmico e
verdade, por trás de cada material, se investigativo da matemática.
esconde uma visão de educação, de Por fim acreditamos que com este
matemática, do homem e de mundo; ou trabalho estaremos contribuindo para que
seja, existe subjacente ao material, uma jovens e adultos que estejam ingressando
proposta pedagógica que o justifica. na licenciatura em Pedagogia, sintam-se
estimulados ao menos a refletirem sobre
Portanto, antes de optar por um material esta que acreditamos ser a mais
ou um jogo, o professor deve pensar sobre importante das profissões, o ser professor.
o tipo de aluno que quer formar, ou que Contudo nossa experiência foi válida
acredita ser importante para ele. O através dos jogos matemáticos, onde
professor não pode subjugar sua trouxemos a importância de desenvolver
metodologia de ensino a algum tipo de o aprendizado através do mesmo,
material porque ele é atraente ou lúdico. estimulando e motivando os alunos ao
O material ou o jogo pode ser novo e a alegria de estudar. Dessa forma
fundamental para que o ensino e a intencionamos construir e desenvolver os
aprendizagem ocorram. princípios do respeito, da solidariedade,
responsabilidade, colaboração e amizade
envolvendo o brincar.

118
Referências

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 2007.


CHAVES, Eduardo. Tecnologia na Educação. Ensino a Distância e Aprendizagem Mediada
pela tecnologia: conceituação básica. Disponível em: <http://www.edutecnet.com.br>.
Acesso em 09 out 2013.
DELORY-MOMBERGER, Cristine. Fundamentos epistemológicos da pesquisa: biográfica
em educação. PESQUISA E PRÁTICAS DE FORMAÇÃO. Educ. rev. vol.27 n.1 Belo
Horizonte, 2011.
FABRE, Michel. Fazer de sua vida uma obra. PESQUISA E PRÁTICAS DE FORMAÇÃO.
Educ. rev. vol.27 n.1 Belo Horizonte, 2011.
LÉVY, Pierre. As tecnologias da Inteligência: o futuro do pensamento na era da
informática. Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993, 208p.
LÉVY, Pierre. As mutações da educação e a economia do saber -Cibercultura. Tradução de
Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1999, p.169 à 176.
NEVES, Carmen Moreira de C. O Desafio Contemporâneo da Educação à Distância. In: Em
Aberto, Brasília, ano 16, n.70, abr/jun 1996.
RAMOS, Daniela Karine. Possibilidades e formas de colaboração: um estudo com alunos
do ensino fundamental.
IN:https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/.../213401.pdf?...de DK
Ramos - 2005.
SACRISTÁN. José Gimeno. Tendências Investigativas na Formação do Professor. Inter-
Ação: Rev. Fac. Educ. UFG, 27 (2): 1-54, jul./dez. 2002.
SENNETT, Richard; Juntos: os rituais, os prazeres e a política da cooperação. Tradução:
Clóvis Marques – Rio de Janeiro: Record, 2012.
TORRES, Patrícia Lupion; ALCANTARA Paulo R.; IRALA, Esrom Adriano Freitas. Grupos
de consenso: uma proposta de aprendizagem colaborativa para O processo de ensino-
aprendizagem. IN: Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n.13, p.129-145, set./dez.
2004.

119
120
Regras para a submissão de artigos científicos e ensaios

Os artigos científicos e ensaios devem ser encaminhados de acordo com as seguintes


características:

Tema: Serão aceitos artigos e ensaios, cujos temas se refiram às Humanidades (Sociologia,
Antropologia e Ciências Políticas), à cultura e à Arte, às questões educacionais, aos
procedimentos técnicos das Ciências Aplicadas e a pesquisas desenvolvidas no campo da
Saúde. Os artigos e ensaios deverão ser inéditos, escritos até cinco anos antes da data de
submissão. Só poderão ser inscritos artigos produzidos por, no máximo, quatro pessoas.

Estrutura do artigo: Título do trabalho em português, nome(s) completo(s) do(s) autor(es), com
currículo acadêmico e e-mail no rodapé da página. Resumo do texto em português e três a
cinco palavras-chaves, que remetam o leitor ao assunto do artigo. Texto do artigo. Referências,
segundo NBR 6023.

Formatação: Papel A-4 (29,7 x 21 cm); margens: superior e esquerda de 3cm, inferior e direita de
2cm; editor de texto Word, utilizando caracteres Arial, tamanho 12 e espaçamento 1,5. O artigo
deverá possuir entre 10 e 20 laudas, incluindo elementos visuais, notas e referências
bibliográficas. Os elementos não podem ser coloridos. O negrito não deverá ser utilizado. O
itálico deverá ser utilizado apenas para palavras em língua estrangeira. As aspas duplas
deverão ser utilizadas para citações literais menores que três linhas e falas de entrevistados. Em
casos de citações maiores do que três linhas, iniciar com recuo de 4cm, com fonte 10 e
espaçamento simples. Citações deverão ser apresentadas no corpo do texto, utilizando o
sistema Autor/Data, de acordo com a normatização da NBR 10520. Notas devem vir no rodapé
da página, respeitando numeração sequencial, conforme NBR 10520.

Análise dos pareceristas ad hoc da publicação.

Os artigos encaminhados para publicação submeter-se-ão ao sistema de avaliação anônima de


dois pareceristas, conforme política editorial do periódico. Textos que não se enquadrem nas
regras do periódico serão recusados.

Interessados, favor enviar material para revistaconhecerfacoam@gmail.com

121
Uma publicação da

Faculdade Osvaldo Alves Miranda


Avenida 28 de setembro, 338 - Alto da Cruz
Camaçari-BA. CEP 42.803-105

Distribuído e comercializado por

AGBook do Brasil S/A


Rui Barbosa, 468/472 – Bela Vista
São Paulo/SP – 01.326-010

Impresso on demand por

Alphagraphics do Brasil S/A


Av. Brig. Faria Lima , 2941 – Jardim Paulistano
São Paulo/SP – 01.452-000

122

Você também pode gostar