Você está na página 1de 2

Universidade Federal do Piauí – UFPI

Campus Senador Helvídio Nunes de Barros – CSHNB


Curso: Licenciatura Plena em Letras Português
Disciplina: Leitura e Produção de Texto I
Professora: Dra. Lidiany Santos
Data: 10/11/2021

Fernanda Oliveira Lima

KOCH, Ingedore; ELIAS, Vanda Maria. Gêneros textuais. In. _____. Ler e compreender: os
sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2011. pp.101-122.

Ingedore Villaça Koch foi mestre e doutora em Língua Portuguesa pela Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), licenciada em Letras e bacharel em Direito
pela Universidade de São Paulo (USP);

Vanda Maria Elias é doutora em Língua Portuguesa (PUC-SP), professora do Departamento


de Letras da Unifesp e desenvolve pesquisas relacionadas à leitura, produção de textos e
ensino de língua portuguesa. Pela Editora Contexto, é organizadora dos livros Ensino de
Língua Portuguesa e Linguística Textual e Ensino, e coautora do livro Ler e Compreender,
entre outros.

Conhecimento essencial para a realização da leitura e compreensão plena de textos,


assim como para sua produção, o domínio e a capacidade de identificação dos Gêneros
textuais são habilidades exigidas de forma contínua no decorrer de toda a vida acadêmica dos
estudantes.

Neste capítulo, as autoras Ingedore Koch e Vanda Maria Elias realizam explicações
acerca do que são gêneros textuais e como eles se apresentam comumente, tendo como
enfoque a ideia defendida por Koch acerca do desenvolvimento de uma competência
metagenérica pelos indivíduos. Esta competência, explicam elas, “possibilita a produção e a
compreensão de gêneros textuais, e até mesmo que os denominemos”. (p.102).

[...] Feita a devida elucidação e exemplificação acerca dos gêneros textuais, as autoras
parecem perceber a impossibilidade de se falar sobre o assunto sem que seja feito um
aprofundamento a respeito de um fenômeno que se observa com frequência quando se trata de
gêneros textuais: a intergenericidade; em vista disso, elas apresentam este conceito aos
leitores da seguinte forma: [...] “é o fenômeno segundo o qual um gênero pode assumir a
forma de outro gênero, tendo em vista o propósito de comunicação”. (p.114). Não obstante,
Koch e Elias reservam as últimas páginas do capítulo para expor a relação entre gêneros
textuais e tipos textuais1 que, a grosso modo, pode ser entendida como uma relação de
conjunto (gêneros textuais) e elementos (tipos textuais), bem como o fenômeno da
heterogeneidade tipológica2.

Utilizando-se de uma linguagem simples e exemplos claros e objetivos, Ingedore


Villaça Koch e Vanda Maria Elias demonstram seu amplo domínio e afinidade com a Língua
Portuguesa ao transformar este capítulo em algo que não se pode encontrar facilmente: uma
abordagem bastante didática a respeito de um tema complexo, mas que não falha na missão de
transmitir aos seus leitores a importância e a seriedade requerida pelo assunto. Do mesmo
modo, é preciso destacar a sensibilidade demonstrada pelas autoras ao realizar tal abordagem,
haja vista que, como mencionado anteriormente, não é possível para os estudantes, em
especial os de Letras, evoluir academicamente sem que se possua o domínio de um assunto
tão fundamental para a leitura e produção textual como os gêneros textuais, mas que ainda se
apresenta como uma grande dificuldade para alunos dos mais variados níveis de educação em
virtude de seu alto grau de complexidade.

1
Tradicionalmente divididos em cinco tipos: narrativo, descritivo, argumentativo, expositivo e injuntivo.
2
Quando dois ou mais tipos textuais coexistem em um mesmo gênero.

Você também pode gostar