Você está na página 1de 11

1

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELMONTE


NASF- Núcleo de Apoio á Saúde da Família
ESF- Estratégia Saúde da Família
CRAS- Centro de referência da Assistência Social e Setor de Assistência Social

PROJETO:
GRUPO DE GESTANTES

Atividade: Grupo de Gestantes


Público - Alvo: Gestante em qualquer idade gestacional
Responsáveis: Cassia Paloschi (Psicóloga Secretaria Municipal de Saúde)
Franciele Friderich (Assistente Social CRAS)
Marciane Grassi (Psicóloga CRAS)

Belmonte - sc
Janeiro de 2015
2
3

1. INTRODUÇÃO

Agindo dentro das prerrogativas do CRAS (Centro de Referência da Assistência


Social), NASF (Núcleo de Apoio a Saúde da Família), e com o apoio do ESF
(Estratégia Saúde da Família), trabalhando em conjunto na Atenção Primaria a Saúde,
com intervenções amplas e multiprofissionais, percebeu-se a necessidade da grupalidade
nos mais diversos tipos de ambientes, como Grupo com Gestantes. Dando prioridade
aos atendimentos compartilhados, coletivos e interdisciplinares desenvolvendo
atividades que compreendem os mais variados níveis como relações pessoais, realização
de tarefas, reeducação, atividades físicas, oferecendo e recebendo informações, uma
troca de saberes, para que assim possamos ter efeitos positivos sobre a qualidade de
vida da população.
Ainda considerando a Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais,
atividades voltadas ao grupo de gestantes promovem o que prevê a Política Nacional de
Assistência Social no tocante às aquisições dos usuários ao passo em que propicia que
através dos serviços prestados no âmbito do SUAS (Sistema Único de Assistência
Social) sejam produzidas seguranças sociais aos seus usuários, conforme suas
necessidades e a situação de vulnerabilidade e risco em que se encontram. Podem
resultar em medidas da resolutividade e efetividade dos serviços, a serem aferidas pelos
níveis de participação e satisfação dos usuários e pelas mudanças efetivas e duradouras
em sua condição de vida, na perspectiva do fortalecimento de sua autonomia e
cidadania.
Considerando a matricialidade sociofamiliar na lógica do SUAS, acredita-se
possível basear este serviço no respeito à heterogeneidade dos arranjos familiares, aos
valores, crenças e identidades das famílias. Fundamentar-se no fortalecimento da cultura
do diálogo, no combate a todas as formas de violência, de preconceito, de discriminação
e de estigmatização nas relações familiares, desta forma atendendo a uma das
características do CRAS – o trabalho baseado na prevenção.
4

2. OBJETIVOS

2.1 GERAL

 Desenvolver as ações centrando-se prioritariamente em trabalhos realizados por


meio de apoios multidisciplinares, tendo em sua essência atividades
interdisciplinares coletivas, com o grupo de gestantes.

2.2 Específicos

 Discutir assuntos ligados à gestação e puerpério;


 Planejar ações em conjunto com equipe ESF, NASF e CRAS, para melhor
atender as necessidades das gestantes;
 Realizar atividades de lazer, alongamentos, discussões, sempre almejando levar
conhecimento para o grupo;
 Potencializar as ações realizadas pela Unidade Básica de Saúde, no intuito de
atingir o maior número de população em questão, para melhores condições de
atendimento e acompanhamento de pré-natal, e puérperas.
 Esclarecer as gestantes sobre as alterações anato-fisiológicas e psicossociais da
gravidez normal e do puerpério normal;
 Orientar as gestantes quanto à nutrição adequada durante a gravidez e o
puerpério;
 Refletir junto com as gestantes e puérperas sobre seus direitos no âmbito do
Sistema Único de Saúde e demais políticas públicas.
 Discutir acerca dos direitos e deveres dos pais na lógica do Melhor Interesse da
Criança e da Doutrina da Proteção Integral
 Compartilhar dúvidas e inseguranças no enfrentamento da gravidez e puerpério
pela gestante e pela família;
 Proporcionar espaço de diálogo acerca das funções paterna e materna e da
importância de manter fortalecido o papel protetivo da família bem como os vínculos
familiares e comunitários.
5

 Realizar acompanhamento de gestantes puérperas por meio de palestras


informativas, abordando temas como o aleitamento materno, prevenção de infecções,
vacinação da criança, higiene pessoal, entre outros.
 Propiciar material e instrutora para que as gestantes possam confeccionar
algumas peças do enxoval do bebê através do artesanato.
 Trabalhar a auto-estima da gestante e os vínculos afetivos entre a família e desta
para com o bebê através de um ensaio fotográfico através do qual a gestante será
beneficiada com um álbum de fotos contendo 10 fotos feitas por empresa qualificada da
área.

3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A gravidez e o puerpério são influenciados por múltiplos fatores, desde os de


natureza biológica até as características sociais e econômicas da população, além do
acesso e qualidade técnica dos serviços de saúde disponíveis à população.
De acordo com a Lei Orgânica da Saúde, a assistência à saúde no Sistema Único
de Saúde (SUS) deve abranger tanto as ações assistenciais quanto, as atividades de
promoção da saúde e prevenção de doenças.
Para Alves (2001) apud (Vasconcelos, 2006), educar para a saúde implica dar
prioridade a intervenções preventivas e promocionais, em espaços coletivos, como por
exemplo os grupos educativos ou em espaços individuais como as consultas.
Desenvolvemos este projeto direcionado às gestantes e puérperas da comunidade
do Município de Belmonte - SC, através de trabalho em grupo e de palestras
informativas, utilizando práticas educativas que visam fortalecer o conhecimento do
usuário, percebendo a saúde não só como resultado de práticas individuais, mas também
como reflexo das condições de vida em geral. Sendo assim, a educação em saúde pode
ser uma ferramenta de atuação em saúde por possibilitar a troca entre conhecimento
técnico e popular, permitindo o desenvolvimento de ações de prevenção e controle de
doenças que possam vir a se instalar (TRAESEL et al, 2004).
Desse modo, informações sobre as diferentes vivências devem ser trocadas entre
as mulheres, os familiares e os profissionais de saúde. Essa possibilidade de intercâmbio
de experiências e conhecimentos é considerada a melhor forma de promover a
compreensão do processo de gestação.
6

Traesel et al (2004), relatam que é preciso haver comunicação e linguagem clara,


para que essa prática aconteça, permitindo que o usuário se aproprie do conhecimento
técnico sem descaracterizar o conhecimento popular, desencadeando no usuário a
responsabilização pelo cuidado de sua saúde.
Nessa lógica, percebe-se que além de questões de saúde, o grupo de gestantes
objetiva envolver também questões de assistência social, uma vez que enquanto trabalho
voltado à prevenção de situações de risco social configura-se enquanto um serviço do
CRAS no nível de proteção social básica, assim descrito pela Política Nacional de
Assistência Social: “A proteção social básica tem como objetivos prevenir situações de
risco por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, e o fortalecimento
de vínculos familiares e comunitários” (PNAS, 2004, p.33)
Ainda, é importante frisar que a parceria estabelecida entre Secretaria de Saúde e
CRAS atende aos critérios da PNAS:
Os serviços, programas, projetos e benefícios de proteção social
básica deverão se articular com as demais políticas públicas
locais, de forma a garantir a sustentabilidade das ações
desenvolvidas e o protagonismo das famílias e indivíduos
atendidos, de forma a superar as condições de vulnerabilidade e
a prevenir as situações que indicam risco potencial. (2004, p.35)

Diante do exposto, espera-se com o presente projeto priorizar o cidadão como


objetivo central das ações, promovendo desta forma, através da articulação da Política
de Saúde e da Política de Assistência Social um atendimento mais qualificado ao
público alvo deste serviço.

4. MÉTODO
A proposta fundamenta-se na realização de encontros mensais com as gestantes que
estejam em qualquer estágio de gestação. Em cada encontro previamente agendado e
planejado um profissional da equipe ESF, NASF ou CRAS estarão coordenando e
desenvolvendo as atividades de promoção e prevenção a saúde, bem como aquisições
sociais.
Estará sendo observado e orientado que as gestantes tenham no mínimo sete
consultas médica de pré-natal (que acompanhadas desde o início), uma consulta médica
de puerpério, uma avaliação odontológica no pré-natal e uma avaliação odontológica no
puerpério.
7

Ao final da gestação com uma participação de 75% dos encontros do grupo a


gestante recebera um kit contendo: uma bolsa, um termômetro, um pacote de gaze
esterilizada, um frasco de álcool 70%, 2 cueiros, um pacote de fralda RN, e toalhinhas.
Além disso, será disponibilizado material e instrutora de artesanato para as
gestantes que optarem por confeccionar peças do enxoval através do artesanato, sendo
em horários distintos dos dias das palestras e considerados uma atividade opcional para a
gestante, considerando sobre tudo se a mesma identifica-se com artesanato.
Como incentivo à participação será possibilitado para a gestante que ao atingir o
sétimo mês de gestação e possuir participação acima de 75% dos encontros já realizados,
um ensaio fotográfico a partir do qual a gestante será beneficiada com um álbum
fotográfico contendo 10 fotos.

5. CRONOGRAMA

Data Horário Assunto Palestrante


___/02/2015 14h00min Dinâmica de Apresentação Enfermeira ESF
Modificações Físicas do organismo durante a
gestação.
___/03/2015 14h00min Modificações Psicológicas na gestação. Psicóloga NASF
Adaptação dos irmãos ao novo membro da
família.
___/04/2015 14h00min Introdução da alimentação ao bebê Nutricionista
Suplementação de ferro.
Alimentação Materna e a influência no hábito
alimentar do bebê.
Composição do leite materno.

___/05/2015 14h00min Amamentação/ Cuidados com as mamas. Teste Enfermeira ESF


do pezinho, vacinas. Cuidados no puerpério
normal (sutura, mamas, períneo).
___/06/2015 14h00min Cuidados com o recém-nascido (Primeiros Pediatra ESF
socorros, banhos, constipação, troca de fraldas,
desidratação, problemas respiratórios).
___/07/2015 14h00min Licença Maternidade – Questões Judiciais Assistente Social
8

Papel Protetivo da Família CRAS


Função paterna e função materna
Educação dos filhos observando os limites;

___/08/2015 14h00min Fisioterapia e Orientações Posturais para Fisioterapeuta NASF


Gestantes
Exercícios indicados durante a gravidez.

___/09/2015 14h00min Cuidados com a boca durante a gravidez e Odontólogo ESF


puerpério.
___/10/2015 14h00min Direitos e Deveres dos Pais e Filhos. Conselho Tutelar
Afeto e Vínculos Familiares e Comunitários

___/11/2015 14h00min Fortalecimento de vínculos familiares. Psicóloga CRAS

___/12/2015 14h00min Encerramento Equipes ESF, NASF e


CRAS

6. RESPONSABILIDADE TÉCNICA

Da Responsabilidade Técnica, fica acordado da seguinte forma:

NASF/ESF –
 Aquisição de materiais (termômetro, álcool 70%, gaze, bolsa personalizada,
fralda descartável RN).

CRAS –
 Aquisição e organização do lanche (bolacha, suco, café com leite e frutas...)
 Aquisição de materiais (cueiro, toalhinha higiênicas...)
 Lista de Presença
 Espaço físico e organização da sala para receber as gestantes.
 Fotos
7. ORÇAMENTO
9

CRAS
MES LANCHE MATERIAIS FOTOS
Fevereiro 60,00 100,00 100,00
Março 60,00 100,00 100,00
Abril 60,00 100,00 100,00
Maio 60,00 100,00 100,00
Junho 60,00 100,00 100,00
Julho 60,00 100,00 100,00
Agosto 60,00 100,00 100,00
Setembro 60,00 100,00 100,00
Outubro 60,00 100,00 100,00
Novembro 60,00 100,00 100,00
Dezembro 200,00 100,00 100,00

TOTAL 800,00 1.100,00 1.100,00

SAÚDE
MÊS MATERIAIS
Fevereiro 150,00
Março 150,00
Abril 150,00
Maio 150,00
Junho 150,00
Julho 150,00
Agosto 150,00
Setembro 150,00
Outubro 150,00
Novembro 150,00
Dezembro 150,00
TOTAL 1.650,00

REFERÊNCIAS

TRAESEL C. A. Educação em saúde: fortalecendo a autonomização do usuário. In:


Acolher Chapecó. São Paulo: Hucitec, 2004.

VASCONCELOS, Eymard Mourão. Educação Popular e Atenção à Saúde da


Família. 3a ed. São Paulo: HUCITEC, 2006.

Política Nacional de Assistência Social – PNAS 2004.


10

RESOLUÇÃO Nº 109, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2009 - Tipificação Nacional dos


Serviços Socioassistenciais.

Convidamos você gestante para participar do grupo de gestantes,


onde serão realizados encontros mensais com a participação de
profissionais de ESF, NASF e CRAS. Nesses encontros serão
discutidos assuntos de promoção e prevenção à saúde ligada a
gestação.
Encontro na última quinta-feira do mês a partir das 14h00min no
Centro Social de Belmonte.
11

DATA PROFISSIONAL

__/02/2015 Enfermeira ESF


__/03/2015 Psicóloga NASF
__/04/2015 Nutricionista
__/05/2015 Enfermeira ESF
__/06/2015 Pediatra ESF
__/07/2015 Assistente Social CRAS
__/08/2015 Fisioterapeuta NASF

__/09/2015 Odontólogo ESF


__/10/2015 Conselho Tutelar
__/11/2015 Psicóloga CRAS
__/12/2015 Equipes ESF, NASF e CRAS

Você também pode gostar