Você está na página 1de 17

Defumação

História da defumação
Falar da história das defumações é falar da própria história do homem, da descoberta do fogo e das
primeiras folhas, galhos secos e elementos naturais que eram jogados ao fogo e exalavam aroma agradável.

O ato de defumar e incensar, há estudos de evidências desde o período Neolítico de que ervas aromáticas
eram usadas na culinária e medicina, e que ervas e flores eram enterradas com os mortos e como oferenda
ritual aos Deuses.

O ato de defumar e incensar podemos afirmar através de pesquisas históricas, que vem de civilizações
muito antigas, tais como: Egípcios; Sumérios; Babilônicos; Hindus; Budistas; Gregos; Romanos; Nativos
americanos; católicos e Judeus.

Esse costume foi passando de geração a geração e várias culturas adaptaram essa prática à louvação a
Deus, Deuses e Divindades. A defumação é uma prática antiquíssima de todas as religiões e de todos os
povos.

Defumar é oferecer algo agradável ao aroma, é perfumar - do latim "per fumum" - ou pelo fumo.
Lembrando que fumo não é tudo que se fuma, mas tudo que se queima, e fumaça deriva de fumo... e isso
vai além do uso do tabaco.

A defumação não se limita à purificação religiosa das pessoas e ambientes. Durante muito tempo, a
defumação com Alecrim foi usada como agente antiinfectante para que doenças fossem impedidas de se
propagar pelo ar.

Ninguém sabe quando a humanidade começou a usar as plantas aromáticas. Estamos razoavelmente
seguros de que os sentidos do homem antigo eram bem mais aguçados, e o sentido do olfato foi crucial
para sua sobrevivência. Há evidência do período Neolítico de que ervas aromáticas eram usadas em
culinária e medicina, e que ervas e flores eram enterradas com os mortos. A fumaça ou fumigação foram
provavelmente um dos usos mais antigos das plantas, como parte de oferendas rituais aos deuses. Era
provavelmente notado que a fumaça de várias plantas aromáticas tinha, entre outros, efeitos alucinógenos,
estimulantes e calmantes. Gradualmente, um conjunto de conhecimentos sobre as plantas foi acumulado e
passado a centenas de gerações de xamãs.

Os seres humanos tem uma ligação muito forte com as plantas. As plantas aromáticas têm sido honradas
de um modo especial desde os tempos antigos. Eram utilizadas em rituais religiosos e mágicos, assim como
nas artes curativas. Estas três práticas eram fundamentais para a existência humana (ainda hoje continuam
sendo).

As grandes civilizações desaparecidas do Oriente Médio e do Mediterrâneo glorificavam os aromas, que


faziam parte de suas vidas. Creio que conhecer um pouco da história dos aromas e da defumação mágica, é
uma introdução adequada para sua prática.

Descendentes de Atlântida
Há 4000 anos, existia uma rota de comércio onde se cruzavam as culturas mais antigas do Mediterrâneo e
da África. Através dela, acontecia o comércio e troca de diferentes mercadorias como por exemplo: ouro,
Olíbano, temperos e especiarias em geral; consequentemente, trocavam conhecimentos de suas diferentes
culturas. E foi bem no meio desta rota que nasceu a maior civilização desta época: "O Egito".

A antiga civilização do Egito era devotada em direcionar os sentidos em direção ao Divino. O uso das
fragrâncias era muito restrito. Inicialmente, sacerdotes e sacerdotisas eram as únicas pessoas que tinham
acesso a estas preciosas substâncias. As fragrâncias dos óleos eram usadas em perfumes, na medicina e
para uso estético, e ainda, para a consagração nos rituais. Eram queimados como incenso. Sobre as paredes
das tumbas dos templos antigos perdidos no deserto, há um símbolo que aparece com frequência que
parece uma fumaça que sai dele mesmo. Isto confirma que no Egito se utilizava o incenso desde tempos
antigos. Quando o Egito se fez um país forte, seus governantes importaram de terras distantes incenso,
sândalo, mirra e canela. Esses tesouros aromáticos eram exigidos como tributo aos povos conquistados e se
trocavam inclusive por ouro. Os faraós se orgulhavam em oferecer às deusas e aos deuses enormes
quantidades de madeiras aromáticas e perfumes de plantas, queimando milhares de caixas desses
materiais preciosos. Muitos chegaram a gravar em pedras semelhantes façanhas.

Os materiais das plantas aromáticas eram entregues como tributos ao estado, e doados a templos
especiais, onde se conservavam sobre altares como oferendas aos deuses e deusas. Todas as manhãs as
estátuas eram untadas pelos sacerdotes com óleos aromáticos. Queimava-se muito incenso nas cerimônias
do templo, durante a coroação dos faraós e rituais religiosos. Queimava-se em enterros para extrair do
corpo mumificado os espíritos negativos.

Sem dúvida o incenso egípcio mais famoso foi o Kyphi. O Kyphi se queimava durante as cerimônias
religiosas para dormir, aliviar ansiedade e iluminar os sonhos.

Os Sumérios e os Babilônios
É difícil separar as práticas destas culturas distintas já que os Sumérios tiveram uma grande influência dos
babilônios, e transcreveram muita da literatura dos seus antepassados para o idioma sumério. Sem engano
sabemos que ambos os povos usavam o incenso. Os Sumérios ofereciam bagas de junípero como incenso à
deusa Inanna. Mais tarde os babilônios continuaram um ritual queimando esse suave aroma nos altares de
Ishtar.

Tudo indica que o junípero foi o incenso mais utilizado, eram usadas outras plantas também. Madeira de
cedro, pinho, cipreste, mirto, cálamo e outras, eram oferecidas às divindades. O incenso de mirra, que não
se conhecia na época dos Sumérios foi utilizado posteriormente pelos babilônios. Heródoto assegura que
na Babilônia queimaram uma tonelada de incenso. Daquela época nos tem chegado numerosos rituais
mágicos. O Baru era um sacerdote babilônio esperto na arte da adivinhação. Acendia-se incenso de
madeira de cedro e acreditava-se que a direção que a fumaça levantava determinaria o futuro, se a fumaça
se movia para a direita o êxito era a resposta, se movia-se para a esquerda a resposta era o fracasso.

Os gregos e romanos
Estes povos acreditavam que as plantas aromáticas procediam dos deuses e deusas. O povo chegou a
consumir tantos materiais aromáticos para perfumar-se que no ano de 565 foi decretada uma lei que
proibia utilizar essenciais aromáticas pelas pessoas com temor de não ter suficiente incenso para queimar
nos altares das divindades.

Hindus e Budistas
A Aromaterapia tem sido uma parte essencial do ritual religioso Hindu desde o tempo dos Vedas, cuja idade
pode ser estimada em 5.000 a.C. O incenso favorece um estado meditativo, por isso ele também foi
incorporado pelos budistas, que são naturalmente avessos a rituais externos. É usado na iniciação de Lamas
e Monges, e é oferecido aos bons espíritos nos cultos diários.

Nativos americanos
Os nativos americanos vivem em harmonia com a terra, reverenciam-na como geradora de vida. Os nativos
americanos desde muito tempo têm conhecido o valor e poder de cura das plantas de poder, usadas em
tendas de suor, dança do tambor etc. Queima se sálvia, cedro e resinas para limpeza de objetos de poder. É
usada para a saúde e o bem estar de sua tribo.
Incenso do Templo
Desde épocas mais antigas, as substâncias aromáticas naturais de plantas têm um papel vital na vida diária
dos povos. Estas ligações vitais entre povos e plantas perderam-se, e muitos de nós perdemos o toque com
a terra e com nosso próprio estado de saúde.

De acordo com o Zohar, oferecer incenso é a parte a mais preciosa do serviço do templo para os olhos do
grande deus. Ter a honra de conduzir este serviço, é permitido somente uma única vez na vida. Diz-se que
quem teve o privilégio de oferecer o incenso está recompensado pela sorte com riqueza e prosperidade
para sempre, neste mundo e no seguinte.

Católicos
Como esquecer a história maravilhosa dos três Reis Magos, que presentearam com o Líbano e Mirra o
Mestre Jesus, quando ele nasceu? Essas resinas aromáticas são presentes mágicos, são incensos de alta
importância e fragrância. Em várias igrejas católicas, misturas de incensos contendo resinas de Líbano e
Mirra são queimados durante os rituais.

Continuando com Eugênio:

A defumação é essencial para qualquer trabalho num terreiro de Umbanda, bem como nos ambientes
domésticos. Este ritual é praticado com o objetivo de purificar o ambiente (terreiro/residência), bem como
o corpo do médium e da assistência (pessoas que irão participar da gira), retirando as energias negativas e
preparando o local para que a gira possa ocorrer em harmonia.

Pode-se aproveitar o know-how pego pela Umbanda para fazer uma limpeza em sua própria casa. Para
fazer uma defumação correta só precisa de carvão em brasa dentro de um turíbulo (incensório pequeno,
geralmente feito de barro). Jogue as ervas secas dentro (ou na parte de cima, dependendo do modelo de
incensório) e vá defumando toda a casa: se for para limpeza espiritual, defume sempre de dentro para fora;
se for para atrair bons fluidos e dinheiro, defume de fora para dentro. Os resíduos da defumação podem
ser jogados no rio, no lixo, no terreno baldio, em qualquer lugar bem longe da casa, na encruzilhada, etc.
(isto vai variar com a bula da defumação). Várias pessoas também aconselham seguir a posição da lua. Ex:
para quebrar feitiço e limpeza em geral, fazer na lua minguante. Nas luas nova, crescente ou cheia, fazer a
defumação para prosperidade, amor, etc.

A fumaça aromática
Hoje percebe-se um aumento do interesse pelos incensos naturais de antigamente, e isso se deve ao fato
que querermos que nossa casa seja um lugar mais aconchegante, convidativo e mais agradável.
Infelizmente incensos comerciais raramente contém resinas ou óleos essenciais, e são feitos com essências
sintéticas, carvão e derivados de petróleo que, na verdade, não trazem grandes benefícios. Prefira os feitos
com sândalo (sandalwood) ou serragem (sawdust powder).

Várias pessoas associam incensos com rituais religiosos ou espiritualidade; realmente várias religiões usam
fumaça aromática em seus rituais e suas cerimônias. A fumaça que sai do incenso é usada para santificar,
purificar ou abençoar, e acredita-se que a fumaça é o mensageiro para o reino dos céus. Nossos ancestrais
faziam uso de incensos em suas casas porque pensavam que podiam protegê-los das pragas e doenças.
Essa teoria possui alguma verdade: incensos feitos de ervas, incluindo tomilho e capim limão, há muito são
usados por suas propriedades antissépticas e curativas. Estas e outras ervas eram queimadas em quartos
de doentes, em hospitais, antes da descoberta dos antibióticos. Quando queimamos incensos naturais,
moléculas de óleos essenciais são soltas no ar. Então elas acham seu próprio caminho, pelo sistema olfativo
ou pelos poros da pele, e atuam no cérebro, onde se processam efeitos químicos que podem mudar seu
ânimo, evocar boas memórias e lembranças. Essa fumaça aromática pode relaxar, estimular e aumentar
nossa energia, nos levando para um momento de paz e tranquilidade.
Defumação na Umbanda
Ato de purificar o ser, o objeto e o ambiente, através da fumaça. É o ato de expulsar o negativo, através de
aromas, ou seja, das essências (ervas: alecrim, benjoim, incenso e outras), de acordo com a necessidade da
utilização.

Dentro da religião de Umbanda, o uso da defumação poderia dispensar comentários, mas aqui não
dispensamos nada, procuramos levar o conhecimento do simples, pois simples são as coisas do Criador, nós
seres humanos é que procuramos complicar as coisas.

A defumação é essencial para qualquer trabalho num terreiro de Umbanda. É também uma das coisas que
mais chamam a atenção de quem vai pela primeira vez assistir a um trabalho.

Em geral a defumação na Umbanda é sempre acompanhada de pontos cantados específicos para


defumação.

Eu não conheço nenhum terreiro de Umbanda que inicie seus trabalhos sem cantar para Jurema e defumar
com "suas" ervas. Defumamos para louvar a Deus, seus Sagrados Orixás e os nossos Guias.

Defumamos também para alcançar um estado vibratório adequado para os trabalhos espirituais, trazendo
ao ambiente a força das ervas, a força viva de Jurema.

Defumamos para purificar, limpar, dissolver larvas astrais e miasmas; defumamos para curar espíritos
sofredores e obsessores; e também para dissolver acúmulos energéticos negativos alojados em nosso
espírito, cuja natureza da atuação a torna resistente aos banhos.

As resinas vegetais estão muito presentes na vida dos terreiros através da defumação e seus cantos
consagratórios. Muita gente acha que Mirra, Incenso e Benjoim, aquelas "pedrinhas" de defumar, são
pedrinhas mesmo, de origem mineral, e não são. São resinas de origem vegetal, seiva de ervas endurecidas
e desidratadas, onde restam os óleos aromáticos e capazes de liberar na queima em carvão em brasa, um
perfume delicioso e uma fumaça com poder de realização.

Às resinas, acrescentamos ervas secas de boa qualidade, para a finalidade que queremos.

Sempre falo sobre a qualidade das ervas, porque muitos indivíduos do comércio de artigos religiosos
acreditam que o produto para uso ritualístico pode ser qualquer um, sem critério e qualidade, pois afinal
vai queimar mesmo. Que queimem suas consciências quando descobrirem que ao oferecer coisas boas
para os Orixás e Forças da Natureza, recebemos de volta, multiplicado muitas vezes e aí também está a lei
da ação e reação. A economia na base da porcaria é ilusão, é pobreza de espírito.

Continuando, podemos usar as resinas associada a folhas, cascas, raízes e flores secas com a mesma
finalidade.

Por exemplo, uma boa defumação de limpeza pode ser feita com Dandá (tubérculo e raiz), Jurema Preta
(casca), Arruda (folhas), Guiné (folhas), Casca de Alho (casca do fruto), resina de Benjoim, e resina de
Mirra.

Uma excelente defumação de harmonia e equilíbrio, indicada para preparar ambientes para trabalhos
espirituais pode ser feita com Sálvia (folhas), Alfazema (flor e semente), Alecrim (folhas), Cravo da Índia
(flor) em pequena quantidade, resina de Olíbano ou Incenso como é conhecida essa resina "amarelinha".

Lembrando que preparamos nosso turíbulo, ou incensário ou latinha mesmo, com carvão em brasa e
colocamos as ervas já preparadas (trituradas ou piladas) em cima dessa brasa.

O emprego sistemático da fumaça deve ser reminiscência indígena. Entre todas as tribos da raça Tupi, o
Tabaco é considerado como planta sagrada.
O segredo e a utilização desses elementos por parte de nossas entidades, do uso do cachimbo, do charuto
e do cigarro nos trabalhos, defumando e não como vício, como soprar a fumaça, são variados, dependendo
do caso em questão.

Atuação do Defumador
1ª. - A essência do defumador, desfazendo-se no ambiente, isto é, misturando-se com o éter atmosférico,
vai ser sentido pelos espíritos;

2ª - Seu aroma desperta alguns centros nervosos dos médiuns, fazendo esses centros vibrarem de acordo
com as irradiações fluídas da Entidade.

Atos da Defumação
O ato de cruzar as mãos: Poderíamos dizer que é uma forma de purifica-las na fumaça das ervas ali
queimadas. (Um tipo de higienização energética, pois com as mãos é que fazemos contato com tudo).

O ato de levar as mãos à testa significa que está purificando e desobstruindo o chacra frontal (Do
conhecimento e da consciência).

O ato de levar a mão à nuca significa que está limpando, purificando e desobstruindo o chacra coronal. O
ato de levar a mão à testa para a nuca significa também a ativação do consciente para o inconsciente,
geralmente quando se bate cabeça, cruza a esteira ou o pano de bater cabeça levando a mão à testa e à
nuca.

Como Defumamos o Terreiro:


Começamos nos defumando ainda com as cortinas ainda fechadas, não esquecendo de defumar nossos fios
de conta (guias) antes de colocá-las no pescoço.

Primeiro defumamos o gonga; em seguida os atabaques e a coluna energética; depois se cruza o terreiro de
um canto até o seu oposto, em diagonal; depois defuma-se a assistência.

Por fim são defumados os demais pontos vibracionais do terreiro (caboclo, cruzeiro, etc.), sendo o turíbulo
deixado junto ao portão no final da defumação.

Durante todo o processo a pessoa que defuma é acompanhada por outra que leva um copo de água, que
ao final é despachada e substituída por água limpa.

Tipos de Defumação:
Sendo que hoje para nós UMBANDISTAS trata-se de um procedimento primordial da nossa liturgia, sendo
essencial para qualquer trabalho nas nossas engiras dois tipos de defumação:

A) Defumação Lustral = Correntes positivas de entidades para a abertura de caminhos. A1) Tipos de ervas:
Abre caminho; Alfazema; Anis estrelado; Colônia; Cravo da índia; Eucalipto; Levante; Louro; Madressilva;
Manjericão, Rosa Branca e Sândalo.

B) Defumação de Descarrego = Afastar seres do baixo astral, dissipar larvas, ovoides e crostas astrais que
por ventura esteja impregnada no ambiente e no nosso campo áureo. B1) Tipo de ervas: Alecrim do campo;
beladona; Benjoim resina; Canela; Cardo Santo; Cipó caboclo; Folha de bambu; Guiné; Incenso resina;
Mirra; Palha de alho e Pó de café ou folha.

Modo de usar: Primeiro faça uma higienização completa do ambiente, ou seja, varrer o local e passar um
pano com água de sal grosso ou água do mar de preferência, dissolver uma pedra de anil num balde com
água e passar com um pano nos batentes das portas e janelas do ambiente, depois acenda um braseiro e
coloque três tipos de ervas ou mais desde que seja número ímpar, começando de dentro para fora
entoando cantos rituais ou rezas.
Observação:

Defumação de Descarrego, se faz de dentro para fora.

Defumação Lustral, se faz de fora para dentro.

Defumação no Candomblé
No dialeto banto a defumação é chamada Kufumala.

Pela defumação existem uma infinidade e qualidade de ervas (des)conhecida nossa cada uma
representando seu orixá e para muitos trabalhos afins.

As ervas devem ser colhidas respeitando o seu horário e a fase da lua, muitos babalorixá ainda leva
cânticos e firmamentos para o orixá e procedimentos de sua colheita.

O melhor defumador são os naturais de ervas colhidos e secados a sombra, moídos a mão ou socados no
pilão a finalidade vai depender da mistura das ervas em si.

Defumadores comprados em casa de artigo religioso somente vai perfumar o ambiente e não há nada de
fundamento que faça o espirito egun ou quem quer que seja sair desse ambiente.

Pode-se cantar um ponto de defumação ou apenas rezar o pai nosso, mas com o intuito do seu orixá é
descarregar o ambiente casa, terreiro ou pessoa.

A melhor maneira de se defumar é cruzar os 4 cantos dos cômodos e ir para a porta da casa terminando a
defumação deixa o resto queimar na porta de entrada do lado de fora, e sempre deixar portas e janelas
abertas, para o que estiver no ambiente saia e não fique preso ao ambiente.

Após o uso do mesmo descarrega-se o restante em plantas ou bosque ou na rua, se tiver água corrente
perto dependendo do lugar pode se descarregar na água para que quebre as forças do fogo na água.

Defumação no Xamanismo
Todos os caminhos espirituais tem rituais de limpeza e purificação.

Antes que uma pessoa possa passar por uma sessão de cura, ou curar outra, deve limpar-se de todos os
sentimentos maus, pensamentos negativos, espíritos maus ou energia negativa. Limpeza física e espiritual
ajuda as energias curativas a virem desobstruídas.

Homens de Conhecimento dizem que toda a cerimônia, grupal ou individual, deve ser feita de bom
coração, de modo que possa rezar, cantar, dançar de maneira sagrada, ajudada por bons espíritos. São
várias as formas de purificação e limpeza: fumaça, banhos, passes, alimentação, recolhimentos, calor, etc.

A Fumaça de limpeza é a mais antiga e é também a mais popular do meio xamânico, para purificar
pensamentos, sentimentos e espíritos. O efeito é sempre melhor, se utilizarmos o material apropriado,
conchas e turíbulos com carvão.

Apenas por vivenciar nosso dia-a-dia podemos atrair energias, não procuradas, para achar um lugar em
nossos corações. As frustrações, ciúmes, raiva, inveja, etc., que atacam os humanos. Então é necessário
limpar a nós mesmos de tempo em tempo, e, mais especialmente, antes de irmos para um trabalho com
qualquer poder medicinal. Nossos irmãos verdes, as plantas, tem o poder de limpar o coração, mente,
corpo, espírito. A fumaça restabelece equilíbrio e harmonia transformando a energia através do fogo e
purificando com essência de uma planta. Cria um processo físico, pensamento externo, espelho interno ou
processo espiritual de equilíbrio e restauração de harmonia.
Muitas plantas são usadas para este fim. As mais conhecidas aqui no Brasil são as famosas ervas da Jurema:
alecrim, arruda, alfazema, guiné, benjoim e outras.

O Sweetgrass, Cedro e Salva Branca juntas, são consideradas pelos nativos americanos, como a mais
completa purificação. As ervas são depositadas em uma concha (abalone), que representa o Elemento
Água, onde pedimos purificação do corpo emocional. A própria erva representa o Elemento Terra onde
pedimos purificação do corpo físico e dos caminhos para prosperar na matéria. O* Elemento Fogo* é
representado por ele próprio no momento da queima, nas brasas, e purificamos nosso corpo espiritual.
Uma pena de ave, ventila e espalha a fumaça, representando o Elemento Ar e purificando nosso corpo
mental, nossos pensamentos.

Muitas pessoas falam aos espíritos da planta:

- Espírito do Cedro. Possa eu, ser limpo de pensamentos negativos e sentimentos.

- Possa meu coração ser puro novamente. Que eu consiga caminhar em equilíbrio e harmonia.

- Espírito da Salva! Limpe-me de raivas do......Pode-se pedir limpeza para medos, aborrecimentos, duvidas,
preocupações, etc.

Algumas purificações são feitas com bastões de ervas, nas próprias brasas da fogueira cerimonial e em
turíbulos, com resinas, pó de sândalo, tabaco e Pau-Santo. O Tabaco, além da purificação, é usado para dar
agradecimentos. É oferecido às pessoas idosas na troca para o conselho e a informação. É oferecido
também aos espíritos e guardiões

Muitas outras ervas são usadas ao redor do mundo para esse fim. O simbolismo da cerimônia com fumaça
é a purificação do espaço e dos participantes, banindo todas as energias não desejadas. Uma boa pratica de
purificação também envolve os instrumentos cerimoniais. Enquanto as ervas vão se iluminando o aroma
perfumado alcança suas narinas. As nuvens de fumaça levantam com a pena. O Corpo fica coberto com a
fumaça perfumada, respira-se profundamente, inalando os efeitos. Enquanto a fumaça abaixa em torno de
seu corpo, afeta sua pele e sentidos. Você percebe ficar relaxado, limpo, abençoado mesmo. Sua vida
interna é tocada; suas emoções e memórias agitam.

Os pensamentos acalmam, inicia-se um relacionamento diferente com seus arredores e cria-se o ambiente
propício para o trabalho espiritual.

Ervas e Funções
Abacate: Amor, purificação, saúde, felicidade.

Abre Caminho: Abre os caminhos, atraindo bons fluidos dando força e liderança.

Acácia: Proteção, contra pesadelos e proteção do sono.

Açafrão: Purificação, saúde, felicidade.

Agrimônia: Dissolução de influências negativas e proteção.

Alecrim: Defesa dos males, tira inveja e olho gordo, protege de magias. Afasta maus espíritos e ladrões.
Felicidade, cura, proteção, purificação e justiça. Ajuda na recuperação e no tratamento de doenças. Atrai a
falange dos Caboclos. Proteção na área profissional. Estimulante para concentração, adivinhação, memória
e estudos.

Alfafa: Prosperidade, dinheiro, felicidade.


Alfazema: Limpa o ambiente e atrai prosperidade e bons negócios, bem como pessoas amigas. Acalma,
purifica e traz o entendimento, equilíbrio e harmonia. Amor, sorte e proteção espiritual em todos os
aspectos. Favorece a clarividência

Almíscar: Afrodisíaco, amor.

Amêndoas: Dinheiro, prosperidade, sabedoria.

Amora: Saúde, dinheiro, proteção.

Angélica: Proteção, purificação, saúde, clarividência.

Anis Estrelado: Propicia boas amizades, bons caminhos, paz e triunfo. Adivinhação, purificação, sorte,
amor. Atua tanto no nível material quanto no emocional, produzindo estímulo de natureza positiva. Renova
as energias e atrai proteção espiritual contra qualquer mal.

Arnica: Clarividência

Arroz: Fertilidade.

Arruda: Defende dos males, remove o efeito de feitiços, corta correntes negativas. Intensifica a força de
vontade auxiliando a pessoa que a usa a realizar seus desejos. Proteção.

Artemísia: Esta erva pode utilizado para estimular energia psíquica e sonhos proféticos. Os lakotas
acreditam que quando Artemísia (Mugwort) é queimada faz com que os maus espíritos fujam.

Assa-Fétida: Exorcismo, proteção.

Babosa: Proteção, sorte e amor.

Barbatimão: Espiritualidade, purificação.

Bardana: Saúde, proteção.

Baunilha: Amor, sedução.

Beladona: Limpeza de ambientes.

Benjoim: Elimina bloqueios espirituais. Atrai energias positivas e combate energias negativas. Purifica o
ambiente. Harmoniza nosso raciocínio e diminui a nossa agressividade. Destrói as larvas astrais. Para
pedidos de ajuda a deus.

Calêndula: Proteção, solução de problemas.

Camélia: Prosperidade, riqueza.

Camomila: Dinheiro, amor, purificação.

Canela: Atrai prosperidade. Favorece os negócios, bens materiais, amor, sucesso.

Cânfora: Desenvolvimento psíquico, clarividência, saúde.

Cardamomo: Sedução, amor

Cardo Santo: Cura, defesa, quebra olho gordo.

Carvalho: Fertilidade

Cascara Sagrada: Problemas com a justiça. Dinheiro e proteção.


Cavalinha: Fertilidade.

Cebola: Proteção, saúde, dinheiro.

Cedro: Leva nossas preces ao criador, evoca bons espíritos, queima as energias negativas e invoca as
positivas. O cedro foi a árvore para rituais mágicos de limpeza praticados na Mesopotâmia. O aroma do
cedro proporciona clareza mental, gera autoconfiança e fé durante fases difíceis da vida. Os egípcios e o
povo da Mesopotâmia, usavam o cedro para ter sonhos detalhados que poderiam ser úteis para encontrar
soluções difíceis. O cedro é bom para acompanhar meditações e reflexões. O espírito do cedro é
considerado muito antigo e sábio por tribos do Pacífico Noroeste. É da árvore da vida e é queimado para
expulsar forças negativas.

Cipó Caboclo: Elimina todas as larvas astrais do ambiente.

Cipreste: Longevidade, saúde.

Colônia: Atrai fluidos benéficos.

Copal: Era usada ritualisticamente por séculos. Os pedaços cristalizados da resina copal são colocados no
carvão de lenha ardente que produz um fumo grosso, doce. A resina do Copal é queimada em cerimônias
de proteção, limpeza e de purificação. A resina é extraída de um pinheiro que cresce no México. Segundo
as antigas lendas dos Maias, o copal foi extraído da árvore da vida que o Deus da Terra, presenteou para a
humanidade em forma do sangue vital. É muito procurada por diversas tribos indígenas da América Central,
fazendo parte de os rituais xamânicos. No México conhece-se pelo menos três tipos de copal legítimo.
Copal negro possui um aroma levemente seco e acre, enquanto o copal branco é comparável com a resina
de Olíbano, entretanto, é considerado menos.

Cravo da Índia: Protege de pessoas mal intencionadas, pensamentos negativos subconscientes. É uma das
mais poderosas defumações protetoras. Chama dinheiro e dá força a defumação.

Dama da Noite: É o incenso do amor. Ajuda a encontrar pessoas com a mesma afinidade.

Erva Cidreira: Sucesso, amor.

Erva Doce: Proteção.

Esterco de Vaca: Para espantar Eguns.

Eucalipto: Limpeza, energização, cura, saúde, proteção. Atrai a corrente de Oxóssi.

Figueira: Clarividência, fertilidade

Flor de Laranjeira: Afasta o pânico. Aumenta a segurança e autoconfiança em assuntos emocionais e


financeiros.

Flor de Maçã: Calmante.

Flor de Pitanga: Atua poderosamente na área financeira. Direciona aquisições materiais e negociações com
êxito.

Folha de Bambu: Afasta espíritos vampiros.

Freixo: Adivinhação, cura, proteção, prosperidade.

Gengibre: Dinheiro e sucesso.

Gerânio: Força e vitalidade, calmante e harmonizante. Alivia tensão nervosa.


Ginseng: Amor, realização de desejos, beleza, saúde, proteção e poder.

Girassol: Fertilidade.

Guiné: Atua como um poderoso escudo mágico contra malefícios.

Hortelã: Bom para problemas de saúde e equilíbrio emocional. Estimula apetite.

Incenso: Limpeza em geral, destrói as larvas astrais. Aliado a outros elementos potencializa os efeitos dos
mesmos.

Jasmim: Acalma e ajuda a evitar brigas e desentendimentos, aclara as ideias. Melhora humor, amor, cura.

Junípero: Segundo Eugênio Carlos, para os nativos americanos, Junípero foi uma das plantas mais usadas
para a queima de incensos. Eles usavam a ponta dos galhos. Junípero cria uma fragrância quente e doce,
ela fortalece, cura, acentua e limpa. Os nativos americanos ainda usam Junípero para dar boas-vindas aos
hóspedes e para dar suporte quando realizam algumas cerimônias, usam também para limpar
animais(cavalos) e carros. É muito usado quando se fazem orações ou cânticos sagrados. Sua fragrância
expande a mente, cria e expande espaços internos e aclara. É considerada uma árvore sagrada muito
poderosa, que pode recarregar as energias internas e externas dos lugares. Conhecida como "A árvore da
vida", textos antigos falam que "onde quer que eu tenha a fragrância do junípero, o Diabo não pode ser
encontrado".

Laranja: Amor, dinheiro.

Lavanda: Cura, amor. É nativa da Europa, frequentemente utilizada para convidar os espíritos. O nome
pode ser derivado do latim lavare = lavar ou lavandula = azulada. Entre os egípcios, ela foi usada para
mumificação. Há uma lenda de que as roupas de Jesus Cristo foram colocadas num arbusto de lavanda e
adquiriu a fragrância. Alguns cristãos acreditam que usar perfume de lavanda é uma salvaguarda contra o
mal. Moa para acalmar relacionamentos.

Levante: Abre os caminhos do ambiente.

Limão: Amor.

Lótus: Antidepressivo, usado no trabalho de resgate do equilíbrio de energias, calma e paciência.

Louro: Abre caminho, chama dinheiro, prosperidade e dá energia ao ambiente. Negócios, adivinhação,
proteção, força, saúde. Atrai a corrente de caboclo.

Madeira: Estimula a razão. Aumenta a concentração necessária ao trabalho, estudo e meditação.

Madressilva: Desenvolve a intuição e a criatividade, favorece também a prosperidade.

Manjericão: Amor, purificação espiritual, proteção. Chama dinheiro.

Maracujá: Paz, amizade.

Menta: Melhora o estado de atenção. Indicado para dores de cabeça, mas se for usado em demasia pode
alterar o sono.

Mil Folhas: Exorcismo, amor

Mirra: Facilita o contato com os planos superiores, criando no ambiente uma atmosfera de prece e oração.
Usado para limpeza astral da casa, afasta maus fluidos e estimula a intuição. Poderoso no equilíbrio das
funções do corpo, balanceando o físico e o espiritual. Descarrego forte, afasta maus espíritos. Boa sorte,
meditação, cura e proteção. Incenso sagrado usado para limpar após os rituais, e durante eles. Também é
usado quando se vai se desfazer alguma demanda ou feitiço. Faz vibrar a compaixão. Esta resina ajudar a
um manter um estado do alinhamento Também conecta um ao espírito da juventude. Para espiritualidade,
magia, meditação, paz, proteção, purificação. Tem sido utilizada desde a antiguidade para inspirar oração e
meditação e para fortalecer e revitalizar o espírito. Tem uma qualidade misteriosa e sedutora. Auxilia na
expansão da consciência, da realidade espiritual por traz do cotidiano. Acalma os medos e as incertezas
com relação ao futuro. Amplifica a força e coragem, aquece as emoções.

Morango: Amor, sorte.

Narciso: Cura, sorte, fertilidade.

Noz Moscada: Adivinhação, fertilidade.

Olíbano: Cura, purificação. Também chamado Frankincense. Juntamente com a Mirra, já foi considerado
valioso como o ouro (Ouro, incenso e mirra). Usou-se para embalsamar os corpos dos faraós. Esta resina é
usada para limpeza e para proteger a alma. Usado para suavizar depressão e promover clarividência.
Segundo Eugênio Carlos do Saber da Terra, queimar a resina de Olíbano invoca uma sensação de prazer e
eleva nosso Espírito para um sentimento aconchegante e de prazer. Há séculos o Olíbano é queimado. Ele
nos faz lembrar a maravilhosa história dos Três Reis magos trazendo presentes de Olíbano mirra e ouro
para o bebê Jesus como reconhecimento de sua divindade! Esses presentes trazidos pelos Reis magos eram
incensos altamente valiosos por sua fragrância e efeito em nosso Espírito. A resina de Olíbano tem algo de
especial ela fala de séculos de devoção, inspiração Espiritual beleza harmonia e fé. Uma resina de Olíbano
de primeira qualidade vem da Somália - África, com um aroma que reconhecemos o fundo de nossa alma.
Olíbano e Mirra formam um par bem harmonioso. Mirra representa os princípios da feminilidade, à resina
de Olíbano de boa qualidade é atribuída as forças masculinas. A resina amarga e aromática da Mirra
desenvolve, durante a queima, um aroma doce e balsâmico.

Oliveira: Paz, fertilidade e proteção.

Palha de Alho: Usado para eliminar formas negativas de pensamentos obsessivos. Afasta más vibrações e
maus espíritos.

Palha de Cana: Atrai melhores condições.

Palo Santo (Pau-Santo): Conhecido também como a madeira sagrada é um incense aromático de madeira
natural usado por séculos pelos Incas como um remédio espiritual para purificação e limpeza e para
proteção contra maus espíritos. Segundo Camilo Anguita, a origem do o origem do Palo Santo é muito
antiga. Era usado pelos Incas em seus rituais e cerimônias espirituais. Para que a madeira de palo santo
tenha ótimas qualidades, a árvore deve estar morta há ao menos dez anos por causas naturais, tornando-o
ecologicamente correto. Está comprovado que se corta uma madeira do bosque, ela quase não tem aroma.
É usado frequentemente em cerimônias de Ayahuasca.

Patchuli: Cura a apatia, estimula o amor. Diminui a confusão e indecisão. Aguça a inteligência. Clarividência.

Pinho: Atrair encantos, fertilidade.

Pó de Café: Contra entidades negativas. Elimina formas pesadas de pensamentos e pesadelos. Benéfica
para doentes em recuperação.

Rosa: Amor, espiritualidade, adivinhação, fertilidade. Pétalas de Rosa: Produz um forte, quente e
aromático perfume. Excelente para meditação, adivinhação. Aumenta a capacidade psíquica e conecta-se
com seres de outras dimensões, possibilitando a comunicação. Também são tradicionalmente ligadas ao
amor, conferindo paz, estimulando apetites sexuais, para encontrar a beleza.

Rosa Branca: Paz e harmonia


Sabugueiro: Purificação.

Sagebrush: É considerada uma das plantas mais sagradas da Mãe terra para alguns nativos norte-
americanos. É uma espécie de Artemísia, é ideal para limpeza e purificação de quartos e espaços de casa e
escritórios, criando uma aura protetora. É queimada para expulsar; o mal, sentimentos e pensamentos
negativos. Para manter as entidades negativas afastadas. Alguns esfregam no corpo durante a tenda-do-
suor.

Sálvia: Cura, contra feitiços, sabedoria, realização de desejos. Salvia Branca: Para limpar maus sentimentos,
más influências, para bloquear a entrada de maus espíritos nos locais. Purifica os objetos cerimoniais.
Eugenio Carlos acrescenta que os índios norte-americanos dizem que a fumaça da sálvia branca é para
purificar o corpo, lugares e objetos pessoais. Por esta razão ela é muito sagrada para muitas tribos.
Algumas tribos colocam pedaços de sálvia branca na fogueira na convicção de que a planta purifique o
próprio fogo. Em algumas cerimônias dos índios Dakota, um galho de sálvia branca é colocado atrás da
orelha para que os espíritos possam reconhece-lo. Oferece a força, a sabedoria e a clareza da finalidade

Sândalo: Amor, adivinhação, purificação. Usado há mais de 4.000 anos para cura, proteção e para elevação
espiritual. Os místicos antigos usavam para estimular e ativar os centros psíquicos e os ajudar na
meditação, para acalmar os nervos, ativar a sexualidade. Eugenio Carlos acrescenta que no passado, os
indianos verificam que as pregas não atacavam a árvore do sândalo, por essa razão, é considerada a árvore
da vitalidade. Na medicina Ayurveda, (a ciência da longevidade), o sândalo é usado para tratar problemas
respiratórios, de vesícula, rins, inflamações e problemas de pele. É usado também para dor de cabeça e
tem uma forte substância antibactericida. Sua fragrância gera uma atmosfera calma. É usado quando se
busca paz interior, equilíbrio, em momentos de reflexão, para pessoas com stress e com um estilo de vida
muito movimentado. Dissolve a tensão e é um convite para que sua imaginação flua em uma maravilhosa e
rejuvenescedora viagem. Auxilia no conhecimento de encarnações passadas. Traz coragem e confiança para
enfrentar momentos de mudança rápidas proporciona tranquilidade e alinhamento.

Sangue de Dragão: (Damemenorops draco). Purificação. A Árvore do Dragão” cresce nas Ilhas Canárias. A
Palmeira “Sangue de Dragão” encontra-se na Índia Oriental, Java e Borneo. Ambas as plantas exalam das
frutas o chamado “Sangue do dragão”. Quando a resina líquida é extraída através da corte da casca, exsuda
um liquido vermelho, semelhante de sangue verdadeira. A resina queimada é empregada para receber a
proteção dos Deuses, emitindo um aroma seco e de tempero. Atua em misturas de defumação como
agente de liga de óleos essenciais com resinas. Profundo em sua ação emocional. Abre o coração e clareia o
espírito.

Sésamo: Ajuda a atrair amigos, clientes e dinheiro. Estimula a criatividade e alegria.

Sweetgrass + Grama Doce: Vem está trançada como uma trança de cabelos. É queimada geralmente
encostando em brasas ou pedras quentes. A grama doce traz os espíritos bons e nas influências boas. Como
com cedro, grama doce ardente leva preces até o criador. Eugênio acrescenta que produz uma agradável
fragrância luminosa. Ela limpa a atmosfera e é usada para cerimônias de limpeza. Segundo os nativos
americanos, os bons espíritos, (aqueles que nos ajudam), adoram o aroma da "grama doce". Sweet grass, é
usada para atrair energias positivas durante cerimônias de cura, para gerar uma conexão positiva entre
aluno e professor, para limpar um espaço ou para visualizações. Tradicionalmente, os nativos americanos,
usavam antes a sálvia, para limpar os espaços dos maus espíritos que causavam que causavam as doenças.
Ela é uma erva para alma, gera um clima agradável de limpeza, de relaxamento, ajudando a encontrar
serenidade, luz e cura. Durante uma cerimônia, conecta as pessoas a volta do fogo com as energias
positivas das plantas. Representa a bondade e é queimada para permitir que os espíritos bons entrem.

Tabaco: Sem dúvida uma unanimidade em todas as práticas xamânicas, para purificação, limpeza,
proteção, elevação, agradecimento aos espíritos da natureza, exorcismo, bênçãos, passes. O tabaco é uma
planta de grande ajuda. Utilizada para defumação ou no Cachimbo Sagrado, ele pode, trazer novos
começos para quem quer que o esteja usando ou para quaisquer projetos ou lugares para o qual ele é
queimado. Acredita - se que o Tabaco abre a porta entre a Terra e o Universo do Espírito é usada em
muitas maneiras pelos povos nativos. Se lhe oferecerem tabaco ritualisticamente, aceite, pois esse ato é
sagrado. Para limpeza o tabaco não precisa ser fumado, pode ser colocado em conchas, turíbulos, etc.

Trigo: Fartura, dinheiro, fertilidade.

Urtiga: Exorcismo, proteção, saúde.

Uva: Fertilidade, dinheiro, fartura.

Verbena: Afasta a tristeza, negatividade e melancolia, libera de energias negativas trazendo criatividade,
desenvoltura, alegria e bom astral. Meditação, amor.

Vetiver: Aliado para meditação, inspirador e calmante.

Violeta: Afrodisíaco, meditação, espiritualidade.

Yerba Santa (Eriodicyon californicum). Esta planta de poder é empregada em muitas tribos indígenas para o
fortalecimento e cura. As folhas secas foram usadas também como tabaco no cachimbo da paz. O aroma da
erva queimada assemelha-se de artemísia e resinas de pinheiros, com quais cria notas aromáticas muito
harmoniosas. Seu aroma dá às misturas uma nota quente. Ela ajuda nos estados de angústia e transmite
força e poder. A yerba santa limpa o ambiente e pessoas das energias negativas e restaura uma barreira de
proteção ao nosso redor. As folhas podem ser colocadas em volta da cama de pessoas doentes para
proteção e cura. Devido a estas qualidades a hierba santa pode ser queimada como incenso sagrado para
criar um ambiente de proteção paz e amor

Defumação em Casa
Para fazer uma defumação correta só precisa de carvão em brasa, dentro de um turíbulo (incensório
pequeno, geralmente feito de barro). Jogue as ervas secas dentro (ou na parte de cima, dependendo do
modelo de incensório) e vá defumando toda a casa: Se for para limpeza espiritual, defume sempre de
dentro para fora, se for para atrair bons fluidos e dinheiro, defume de fora para dentro. Os resíduos da
defumação podem ser jogados no rio, no lixo, no terreno baldio, em qualquer lugar bem longe da casa, na
encruzilhada, etc. (isto vai variar com a bula da defumação). Várias pessoas também aconselham a seguir a
posição da lua. Ex: Para quebrar feitiços e limpeza em geral, fazer na lua minguante. Na lua nova, crescente
ou cheia, fazer a defumação para prosperidade, amor, etc.

Às vezes sentimos que o nosso lar ou nosso local de trabalho, estão pesados, inúmeras brigas e discussões
acontecem a toda hora, nada dá certo, uma impaciência toma conta, do nosso ser. O ar está carregado com
partículas de fluídos negativos que aos poucos vai envolvendo cada um, e tornando as coisas mais difíceis.

Temos primeiro que mudar em atos, gestos e pensamento, afastando de nossas mentes aquela corrente
que nos liga a estas energias.

O descarrego destrói as larvas astrais, limpando o ambiente das impurezas, facilitando assim a penetração
de fluídos positivos.

Comece varrendo o lar ou o local de trabalho, e acendendo uma vela para o seu anjo de guarda. Depois,
levando em uma das mãos um copo com água, comece a defumar o local da porta dos fundos para a porta
da rua, que ao final deve ser despachado em água corrente.
Podem-se usar as ervas em sua forma natural, em pó ou em pequenos pedaços moídos, em forma de casca
miúda, etc.

Na limpeza evite escolher ervas com funções diferentes, por exemplo: Levante, Louro e Cardo Santo, pois
duas estão abrindo o caminho e a terceira (Cardo Santo) é para limpeza. Isso pode não combinar, por isso
primeiro defume a casa fazendo somente a limpeza, de dentro para fora; depois, use as ervas para atrair
coisas boas (de fora para dentro).

Quando for fazer defumação de café e açúcar, não faça com os 2 juntos; primeiro, defume de dentro para
fora com o café, jogue as brasas e os resíduos bem longe; depois, defume de fora para dentro com o
açúcar.

Quando for usar Incenso, Mirra e Benjoim, coloque uma quarta erva para limpeza.

Muitas pessoas não podem defumar a casa porque o marido, mulher ou vizinhos não gostam da
defumação. Então, para uma defumação mais simples e funcional, faça-a com incensos (sugestão abaixo).

Na defumação a fumaça do incenso alcança todos os cantos mais escondidos da residência e, através do
contato “absorve” as cargas negativas do lugar. Quanto mais fumaça melhor, desde que não sufoque o
morador. Depois de defumar o ambiente, abrir bem as janelas para colocar toda a fumaça carregada para
fora. É interessante, após da defumação, tomar um banho prolongado, para limpar a aura pessoal.
Aconselho acender uma vela. A chama da vela atrai e queima (transmuta) as cargas negativas que ainda
restarem. Dependendo da quantidade de carga do ambiente uma defumação talvez não seja suficiente,
sendo necessárias várias defumações. Para lugares com desequilíbrio crônico, uma defumação por semana
pode ser uma rotina bastante útil.

Há várias maneiras de se defumar uma casa, a fim de limpar a atmosfera astral, poluída, retirando fluidos
pesados que por ventura pairem sobre ela, causando perturbações de toda ordem nas afeições e no
andamento normal das atividades entre os membros da família, bem como nas relações amistosas com
vizinhos.

Uma delas, de grande eficiência, é feita da seguinte forma:

Adquira um defumador completo nas lojas de artigos de Umbanda ou faça-o você mesmo(a) se souber.

Uma ou duas vezes por semana, às 18:00 horas, abra todas as portas e janelas (se morar em apartamentos,
preferindo, abra apenas as janelas).

Acenda o defumador e, começando dos fundos para a frente, vá defumando os cômodos, em forma de
cruz, ou seja, primeiro em um canto e depois no outro oposto, formando um "X". Ao defumar cada ângulo
(canto), diga as seguintes palavras, equivalentes à uma prece:

"Esta casa tem quatro cantos; cada canto tem seu santo; é Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, a Virgem Maria
e o divino Espirito Santo; que há de proteger a casa toda com seu manto".

Ao dizer as palavras, faça três cruzes no ar com o defumador aceso. Ao final, coloque o defumador atrás da
porta e reze um Pai Nosso e três Ave Marias. Você deixará seu lar com a aura astral renovada e isenta de
vibrações negativas.

Quem mora em apartamento, pode deixar o defumador perto de uma janela aberta.

Truque
Se pretender defumar e perfumar sua casa, mais precisamente a sala onde estuda, trabalha ou descansa,
há um truque, se é que se possa chamar de truque, muito simples para isso.
Basta fazer o seguinte: consiga um conta-gotas (desses que acompanham vidros de remédios), vá a uma
casa especializada em essências e adquira um vidrinho de essência, ou de alfazema, alecrim, rosas, etc. ou,
na falta desses, um vidro de perfume de Colônia. Durante o dia, à hora que quiser, com o auxílio do conta-
gotas, coloque três ou quatro pingos de essência ou de perfume na lâmpada comum e acenda-a.

Sendo o cheiro também produto de vibração, tal qual a luz e o som, quando a lâmpada esquentar,
desprender-se-ão ondas perfumadas, inundando toda a sala. Naturalmente, não terão efeito idêntico ao de
um defumador completo queimado sobre brasas. Todavia, o aroma dar-lhe-á um ambiente limpo,
agradável e perfumado, afastando cheiros e vibrações inconvenientes.

Não molhe a lâmpada, apenas três ou quatro gotas serão suficientes se o extrato for forte e não produz
efeito em lâmpadas fluorescentes.

PARA LIMPEZA DE AMBIENTE COM INCENSOS


Encha um copo virgem (de vidro) de arroz cru, coloque 8 varetas de incenso, podendo ser de Arruda,
Alecrim, Cânfora, Eucalipto, Madressilva ou Pimenta; passe este copo na casa inteira (começando de
dentro para fora da porta de entrada) e quando chegar na porta de entrada, deixe-os queimando; no
término, jogue todos os resíduos (arroz e o pó do incenso) na água corrente; o copo guarde para a próxima
defumação.

Tabela de incensos:
Limpeza: Olíbano, elemi, copal, cravo da índia, junípero, louro cedro, lavanda, alecrim, Salvia branca,
sangue de dragão, Sweet Grass.

Coragem: Elemi, sangue de dragão, bálsamo do Peru, Olíbano, pau-santo, louro, lavanda, cedro, pinho,
junípero, Salvia branca, tomilho.

Criatividade: Anis estrelado, copal, cravo da índia, mastic, elemi, breuzinho, Olíbano, capim limão, junípero.

Relaxar: Lavanda, sândalo, vetiver, sandarac, nardo.

Meditação & oração: Sândalo, mirra, Olíbano, mastic, copal, nardo, Ladano, sangue de dragão, damar,
aloés madeira.

Sono: Sândalo, nardo, galbano, mirra, Salvia branca, lavanda.

Sonhos: Aloés madeira, mastic, louro, lavanda.

Amor: Sândalo, aloés copal, beijoim, mirra, vetiver, cássia, nardo, rosa, patchuli.

ORAÇÃO DE DEFUMAÇÃO
Com a proteção de São Cipriano, pode ser rezada durante a defumação:

"Defumo esta casa, em louvor de Deus e dos bons espíritos. Que o santíssimo nome de Jesus esteja nela.
Com incenso, benjoim e alfazema, eu defumo esta casa para livrá-la dos inimigos, da inveja e do mau-
olhado. Assim como os Reis Magos defumaram o menino, eu defumo tudo aqui pela entrada e pela saída,
pelos quatro cantos, pela porta da frente e dos fundos se todo o mal daqui sairá. Assim seja”.

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE AS DEFUMAÇÕES


Materiais:

• um recipiente apropriado para queimar carvão, que pode ser um incensório de metal ou barro, um pote
ou mesmo um pequeno caldeirão sobre uma base que possa ser segura sem que o oficiante se queime;
• uma porção de carvão quebrado em pedaços pequenos;

• fósforos;

• algum tipo de isca para ajudar a acender o fogo (encontrada em locais que vendem equipamentos para
churrasco), se for julgado necessário;

• a mistura de ervas e resinas a ser queimada;

• uma vela comum;

• um copo com água.

Preparo:

Antes de começar a defumação, deve-se acender a vela para o anjo-da-guarda de quem está realizando o
ritual, deixando-a num lugar alto (numa prateleira alta, por exemplo). É recomendável também colocar um
copo com água ao lado da vela, para absorver os maus fluidos.

Coloque o carvão dentro do recipiente e acenda o fogo. Quando todo o carvão estiver transformado em
brasas vivas, ponha a mistura de ervas e resinas por cima e use imediatamente. Segure o recipiente,
tomando cuidado para não se queimar, e leve-o a cada um dos compartimentos do local a ser defumado,
seguindo a ordem prescrita no ritual (que será indicada para cada tipo de defumador). Movimente o
recipiente dentro de cada cômodo, de modo a cruzar (traçar uma cruz) com fumaça em cada um dos seus
cantos. Durante o ato de defumar, deve-se fazer uma prece relativa ao objetivo que se quer alcançar.

Depois de encerrado o ritual de defumação, o material deve ser deixado dentro do recipiente, em lugar
adequado (o que varia conforme o tipo de defumação, como veremos adiante), até que termine de
queimar. A seguir, deve ser despachado em lugar adequado, e não jogado no lixo comum. A água do copo
deverá ser despejada em água corrente (que pode ser a da torneira de uma pia ou lavatório).

Como fazer sua própria lata de Defumador


Pegue uma lata de leite, ou pêssego em calda ou qualquer outra lata do mesmo tamanho, não pode ser
muito pequena que nem as de milho e ervilha porque não cabe nada ali. Com um abridor de latas, fure a
parte de baixo em volta dando uma distância de 2 dedos de uma para outra. Faça isso no fundo da lata e na
parte lateral em baixo.

Pegue um prego e faça furinhos com o martelo no fundo da lata e nos lados do meio para baixo da lata. Fica
parecendo um chuveirinho. Em cima fure com o abridor de lata um lado e outro na mesma direção para
colocar a alça. A alça será de fio duro/firme e que não derreta quando colocar no fogo, ou arame grosso.
Coloque a alça bem firme com ajuda de um alicate e está pronto a sua latinha de defumador.

Coloque carvão do meio para baixo, pode acender no fogão mesmo.

ORAÇÃO E DEFUMAÇÃO - DEFUMAR A CASA E A NÓS MESMOS A MODA ANTIGA


Materiais:

 Ervas: alecrim, arruda, incenso, oliveira.


 Carvão vegetal
 Recipiente inflamável

Preparo:

Arranje carvão vegetal, coloque-o a arder, quando estiver em brasa coloque-lhe as coisas, e ande com o
recipiente pela casa dizendo:
"Minha casa vou defumar pelo santíssimo sacramento do altar, todo mal que para aqui veio, invejas, ódios,
empates há de se retirar, louvado seja nosso senhor para sempre seja louvado".

Diga o credo no fim.

Se quer defumar-se a si, é de igual modo, pousa o recipiente no chão, e passa por cima 7 vezes.

Quando arrefecer, coloca os restos num jornal, joga no rio ou mar.

Aromaterapia trazendo bem estar nos ambientes.


A aromaterapia auxilia as pessoas a lidarem com suas emoções derivadas do estresse do dia-a-dia, tais
como ansiedade, tensão, irritabilidade e nervosismo, entre outros.

A aromatização do ambiente de trabalho em empresas vem sendo aplicada em vários países,


especialmente nos Estados Unidos e Japão. Através de estudos, foi comprova que o óleo de menta, por
exemplo, aumenta a percepção subjetiva em 15% a 25%.

A combinação de canela com tangerina, na entrada da casa ou na recepção do escritório, torna o ambiente
estimulante e descontraído. A canela possui propriedades que estimulam a mente e aumentam a
produtividade – daí a crença popular de que este aroma traz prosperidade.

Esses vaporizadores podem ser usados com aromas prontos, para diferentes fins mágicos, ou com misturas
de essências preparadas pelo oficiante do ritual mágico, de acordo com suas necessidades.