Você está na página 1de 11

ARTIGO CIENTÍFICO

DEFINIÇÃO

O artigo cientifico “é um texto escrito para ser publicado num período especializado e tem o objetivo de
comunicar os dados de uma pesquisa, seja ela experimental, quase experimental ou documental”
(AZEVEDO, 2001, p.82) De acordo com a ABNT (NBR 6022, 2003, p.2), três definições são
apresentadas para o artigo, são elas:

 Artigo cientifico: Parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute idéias,
métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento.
 Artigo de revisão: Parte de uma publicação que resuma, analisa e discute informações já
publicadas.
 Artigo original: Parte de uma publicação que apresenta temas ou abordagens originais.

Primeiro Passo
Antes de iniciar a redação de um artigo cientifico, devemos considerar alguns aspectos
importantes que irão auxiliar neste primeiro momento, o que escreveu, por que escreveu, para quem e
como escrever. Para isto algumas qualidades que devem ser inerentes ao acadêmico e ao professor
pesquisador, conforme segue:
 O interesse e a curiosidade durante todo o desenvolvimento da pesquisa;
 O prazer da produção cientifica, a ponto de dedicar-lhe tempo indefinido para visualizar,
selecionar e entender os detalhes do objeto de estudo, sob seus diversos prismas;
 Capacidade de auto avaliação e aceitar a critica, bem como as outras contribuições que permitam
e favoreçam a realização do trabalho cientifico;
 Estilo próprio e hábito de escrever, que permitam o reconhecimento do que escreveu pelos seus
pares;
 Comportamento metódico de leituras regulares, não só formativa, como também informativa,
contribuindo para a ampliação do seu saber nos diversos campos de atuação.
 Participação em eventos profissionais, com a função de apresentar o seu trabalho e dialogar com
pesquisadores interessados no tema;
 Publicação que tenham uma função significativa na área acadêmica em que se insere;
 Divulgação de suas pesquisas por meio de relatórios, monografias, dissertações, teses e artigos
científicos em revistas indexadas nacionais e internacionais;
 Atuação na atividade didática, enaltecendo a ação pedagógica do ensino por meio da pesquisa e,
portanto, fazendo da sala de aula um laboratório, sustentado no ensino-pesquisa-extensao, como
resultado do trabalho educativo;

Com essas perspectivas, a produção cientifica assume uma função de grande importância na vida
universitária, e o artigo cientifico, passa a ter a finalidade de instrumentos de trabalho, pautando nas
atividades de pesquisa.

1
OBJETIVO

Consiste em permitir a divulgação dos resultados dos trabalhos de pesquisa, para conhecimento
público, não só no sentido do patenteamento da autoria, como também da manifestação de atitudes
críticas, que venham contribuir para o aprofundamento e a compressão inovadora de estudo realizado
sobre determinado tema.

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS

Um bom artigo caracteriza-se por sua qualidade, atualidade e cientificidade, considerando-se (SECAF,
2000; AZEVEDO, 2001):

• Clareza: No resumo, o leitor já deve ter uma noção clara do que trata o artigo, que deve primar
pela objetividade do seu conteúdo;

• Concisão: O assunto abordado deve ser descrito, explicado e argumentado com poucas palavras,
frases curtas e parágrafos breves;

• Criatividade: O texto deve ser escrito de forma criativa, tendo como principal meta atrair os
leitores visados, e o autor pode utilizar inclusive figuras e títulos interrogativos, que chamem
atenção. E, ainda, dizer coisas que já sabe, numa prova perspectiva;

• Correção: Logo após a redação, o texto deve passar por uma avaliação gramatical, com
pontuação adequada, e ser regido conforme as regras da redação cientifica;

• Encadeamento: Tanto os parágrafos como as partes devem apresentar um encadeamento lógico


e hierárquico das idéias, guardando inclusive uma simetria na sua estrutura dimensão;

• Consistência: O pesquisador deve optar por um tempo verbal e manter a coerência ao longo do
texto.

• Contundência: A redação de ser direta ou objetiva em relação ao assunto, evitando a


redundância ou o circunlóquio. As afirmações são importantes e são responsáveis pelo impacto
do texto;

• Precisão: As informações apresentadas no texto devem verdadeiras e os conceitos,


universalmente aceitos;

• Originalidade: O conteúdo abordado precisa ser tratado de forma original, sem o uso de frases
feitas e lugares comuns. É conveniente evitar modismos lingüísticos e o emprego de palavras
rebuscadas, que apareçam demonstrar erudição;

• Extensão: O tamanho do artigo vai depender do número de páginas estabelecido pela revista ou
de folhas, pelo professor em sala de aula;

• Especificidade: É necessário que o texto especifique e apresente os objetivos pretendidos com o


estudo, esclarecendo do que trata, desde do seu título;

2
• Correcão Política: A redação deve observar o uso de termos politicamente corretos, evitando o
emprego de expressões de conotação racista, etnocentrista e de cunho sexista;

• Fidelidade: O texto deve ser escrito dentro dos parâmetros éticos, com absoluto respeito ao
objetivo pesquisado, às fontes estudadas e aos leitores;

Para uma boa redação, alguns lembretes são necessários, dentre eles (AZEVEDO, 2001)

 Não apelar pela generalizações (ex.: sabe-se, grande parte);


 Não repetir palavras, especialmente verbos e substantivos (use sinônimos);
 Não empregar modismos lingüísticos (ex.: em nível de, no contexto, a ponto de);
 Não apresentar redundâncias (ex.: as pesquisas são a razão de ser do pesquisador);
 Não utilizar muitas citações diretas. De preferência às indiretas, interpretando as idéias dos
autores pesquisados;
 Não empregar notas de rodapé desnecessárias que possam interferir no texto, sobrecarregando-o;
 Não usar gírias, abreviaturas, siglas, nomes comerciais e fórmulas químicas, exceto se
extremamente necessário;

TIPOS

Aparecem dois tipos fundamentais:

a) O artigo original utilizado para o relatório de experiência de pesquisa, estudo de caso


etc.. Neste caso são abordados temas únicos, delimitados, em que se serve de um
raciocínio rigoroso e metodológico - de acordo com as diretrizes lógicas da pesquisa
científica - de forma interpretativa, argumentativa, dissertativa e apreciativa, aferem-se
os respectivos resultados e avalia-se o avanço que da pesquisa em relação ao crescimento
cientifico da área, o que exige ampla informação cultural e muita maturidade intelectual,
inclusive por necessitar também de um referencial teórico abalizado de sustentação da
idéia nova, original e inédita que comunica.(GONÇALVES, 2004)
b) O artigo de revisão, que significa um estudo aprofundado sobre o determinado tema com
o propósito de estabelecer um debate entre os autores pesquisados e deles com o autor do
artigo, para a identificação das idéias, posições e posturas acadêmicas, bem como o
estado da arte, marco teórico ou quadro teórico, principalmente por meio de publicações
periódicas científicas e especializadas, objetivando identificar o grau de profundidade
dos estudos desenvolvidos até o mesmo sobre o assunto (NBR 6022, 2003).

.
Em Lakatos e Marconi (2001, p.261), o artigo, de acordo com sua abordagem, pode ser:
 Argumento teórico: Apresenta argumentos favoráveis ou contrário a uma opinião a fim de
comprová-la ou refutá-la;
 Classificatório: Classifica os aspectos de um determinado assunto e explica suas partes;
 Analítico ou de análise: Prioriza o estudo de cada elemento constitutivo do assunto e sua relação
com o todo;
O seu conteúdo abrange os mais variados assuntos, podendo:
a) versar sobre um estudo pessoal, uma descoberta, ou dar um enfoque contrário ao já conhecido;
b) oferecer soluções para questões controvertidas;

3
c) levar ao conhecimento do político intelectual ou especializado no assunto idéias novas, para
sondagem de opiniões ou atualização de informes;
d) abordar aspectos secundários, e levantados em algumas pesquisas, mas que não seriam utilizados
na mesma[sic] (op.cit.,p.260)
Nesse tipo de trabalho, há maior liberdade por parte do autor, no sentindo de defender
determinada idéia, constituindo numa “exposição lógica e reflexiva e em argumentação rigorosa
com alto nível de interpretação e julgamento pessoal”(SEVERINO, 2002, P.153), com o objetivo
de convencer os leitores, mediante a apresentação de razões fundamentadas na pesquisa
cientifica.

A ORGANIZAÇÃO DO TEXTO

A organização obedece a dois grandes paradigmas, de acordo com a área em que o estudo
se insere.
 O primeiro, voltado para as Ciências Humanas e Sociais, é reconhecido pela sigla IDC,
que significa:
I-> introdução
D->desenvolvimento (revisão da literatura e resultados obtidos)
C-> Conclusão.
 O segundo utilizado nas Ciências Naturais, Exatas, Tecnológicas e da saúde, representado
pela sigla IRMRDC, que significa:
I-> introdução
RMRD-> desenvolvimento(revisão da literatura, materiais e métodos, resultados,
discussão)
C-> conclusão.

Nos dois casos, são descritos todos os procedimentos de realização da pesquisa, com o
esclarecimento dos questionamentos sobre os resultados encontrados até o momento e sua
demonstração no artigo científico, considerando o rigor dos aspectos metodológicos envolvidos.

ESTRUTURA FORMAL DE UM ARTIGO (O artigo científico tem a mesma estrutura dos


demais trabalhos científicos.)

Elementos:
a) Pré-textuais
b) Textuais
c) Pós-textuais

4
PRÉ-TEXTUAIS TEXTUAIS PÓS-TEXTUAIS
Modelo Modelo Título e subtítulo (se
Titulo e Subtítulo (se houver) IDC IRMRDC houver), em língua
I -Introdução I-Introdução estrangeira.
Nome do(s) autor (es)
D-Desenvolvimento R- Revisão da Resumo em língua
Resumo na língua vernácula literatura. estrangeira
do texto
C-Conclusão M-Material e Palavras-chave em língua
Palavra-chave na língua métodos estrangeira.
vernácula do texto Nota(s) explicativa(s)
R-Resultados
Referências

D- Discussão Glossário

C- Conclusào Apêndice(s)

Anexos

Agradecimentos

PRÉ-TEXTUAIS
Os elementos pré-textuais, compõe-se das informações iniciais necessárias para uma melhor
caracterização e reconhecimento da origem e autoria do trabalho, descrevendo também, sucinta e
objetivamente, algumas informações importantes para os interessados numa análise mais detalhada do
tema (título, resumo, palavras-chave).

a) Título e subtítulo : São portas de entrada do artigo científico; é por onde a leitura começa,
assim como o interesse pelo texto. Por isso deve ser estratégico, elaborado após o autor já ter avançado
em boa parte da redação final, estando com bastante segurança sobre a abordagem e o direcionamento
que deu ao tema. Deve ser uma composição de originalidade e coerência, que certamente provocará o
interesse pela leitura.
O título do artigo científico deve ser redigido com exatidão, revelando objetivamente o que o
restante do texto está trazendo. Apesar da especificidade que deve ter, não deve ser longo a ponto de
tornar-se confuso, utilizando-se tanto quanto possível de termos simples, numa ordem em que a
abordagem temática principal seja facilmente captada. O subtítulo é opcional e deve complementar o
título com informações relevantes, necessárias, somente quando for para melhorar a compreensão do
tema.
Na composição do título deve-se evitar ponto,vírgula, ponto de exclamação e aspas ou qualquer
outro elemento que interfira no seu significado, exceto o ponto de interrogação, que neste momento
serve destaca-lo, para diferenciando-o dos demais.
Após, o nome(s) do(s) autor(s) de breve currículo, que os qualifique na área de conhecimento do
artigo. Quando é mais de um autor, normalmente o primeiro nome é o autor principal, ou 1° autor, sendo
sempre citado ou referenciado a frente dos demais.
b)Resumo : Indica brevemente os principais assuntos abordados no artigo científico,constituído
de frases concisas e objetivas,deve apresentar a natureza do problema estudado, os objetivos

5
pretendidos, metodologia utilizada, resultados alcançados e conclusões da pesquisa ou estudo realizado,
contendo entre 100 e 250 palavras, descritas em parágrafo único,sem a enumeração de tópicos.Deve-se
evitar qualquer tipo de citação bibliográfica. (ABNT.NBR- 6028, 2003)
c)Palavras-chave :São relacionadas de 3 a 6 palavras-chave que expressem as idéias centrais do
texto, podendo ser termos simples e compostos, ou expressões características. A preocupação do autor
na escolha dos termos mais apropriados, deve-se ao fato dos leitores identificarem prontamente o tema
principal do artigo lendo o resumo e palavras-chave. (NBR 6022)
OBS : Quando o artigo científico é publicado, em revistas ou periódicos especializados de
grande penetração nos centros científicos, inclui-se na parte preliminar o abstract e key-words, que são
o resumo e as palavras-chave traduzido para o idioma inglês.

ELEMENTOS TEXTUAIS (MODELO IDC)

Compõe-se do texto propriamente dito, sendo a etapa onde apresentamos o assunto e o


desenvolvemos, é chamado de “corpo do trabalho”. Como em qualquer outro trabalho acadêmico, os
elementos textuais subdividem-se em introdução, desenvolvimento e conclusão.

a)Introdução : A introdução apresenta o assunto e delimita o tema, analisando a problemática


que será investigada, definindo conceitos e especificando os termos adotados a fim de esclarecer o
assunto. Devem constar os objetivos da pesquisa, o problema e as hipóteses de trabalho ou as questões
norteadoras (quando for o caso), a justificativa da sua escolha e a metodologia utilizada, com base no
referencial teórico pesquisado (GONÇALVES, 2004).
A introdução deve criar uma expectativa positiva e o interesse do leitor para a continuação da
análise de todo artigo.
b)Desenvolvimento : O elemento textual chamado desenvolvimento é a parte principal do artigo
científico, caracterizado pelo aprofundamento e análise pormenorizada dos aspectos conceituais mais
importantes do assunto. É onde são amplamente debatidas as idéias e teorias que sustentam o tema
(fundamentação teórica), apresentados os procedimentos metodológicos e análise dos resultados em
pesquisas de campo, relatos de casos, etc...
O autor deve ter domínio sobre o tema abordado, pois quanto maior for o conhecimento a
respeito, tanto mais estruturado e completo será o texto. A organização do conteúdo deve possuir uma
ordem seqüencial progressiva, em função da lógica inerente a qualquer assunto, que uma vez detectada,
determina a ordem a ser adotada. Muitas vezes pode ser utilizada a subdivisão do tema em seções e
subseções.
O desenvolvimento ou parte principal do artigo, nas pesquisas de campo, é onde são detalhados
itens como: tipo de pesquisa, população e amostragem, instrumentação, técnica para coleta de dados,
tratamento estatístico, análise dos resultados, entre outros, podendo ser enriquecido com gráficos,
tabelas e figuras. O título dessa seção, quando for utilizado, não deve estampar a palavra
“desenvolvimento” nem “corpo do trabalho”, sendo escolhido um título geral que englobe todo o tema
abordado na seção, e subdividido conforme a necessidade.
c)Conclusão : Parte final do trabalho, na qual são apresentadas as conclusões alcançadas com a
pesquisa, deve guardar proporções de tamanho e conteúdo conforme a magnitude do trabalho
apresentado. A conclusão deve limitar-se a explicar brevemente as idéias que predominaram no texto
como um todo, sem muitas polêmicas ou controvérsias, incluindo, no caso das pesquisas de campo, as
principais considerações decorrentes da análise dos resultados. O autor pode nessa parte, conforme o
tipo e objetivo da pesquisa, incluir no texto algumas recomendações gerais acerca de novos estudos,
sensibilizar os leitores sobre fatos importantes, sugerir decisões urgentes ou práticas mais coerentes de
pessoas ou grupos, etc...

6
Proporcionalidade de cada elemento textual em relação ao tamanho total do corpo ou parte
principal do artigo científico

Número Elemento Textual Proporção


01 Introdução 2 a 3 /10
02 Desenvolvimento 6 a 7 /10
03 Conclusão ou considerações 0,5 a 1/10
finais
Total 10/10

ELEMENTOS TEXTUAIS (MODELO IRMRDC)

a) Introdução
A introdução é a parte inicial do trabalho, “onde são estabelecidos, entre outros aspectos, a
delimitação da pesquisa, o problema de que trata e os objetivos desejados”(AZEVEDO, 2001). Termina-
se com uma justificativa da escolha do tema e sua relevância social e científica. Devem constar ainda o
problema investigado, suas hipóteses ou questões norteadoras da pesquisa se for o caso.(GONÇALVES,
2004)

b) Revisão da literatura

Debate entre autores pesquisados e deles com o autor do artigo, com o objetivo de identificar o
estado da arte.Esta discussão baseia-se na bibliografia disponível e atualizada, especialmente por meio
do uso de periódicos científicos.(GONÇALVES, 2004)

c) Material (is) e Métodos

É neste momento que são apresentados e descritos os métodos, as técnicas os instrumentos de


coleta de dados e os equipamentos( estes não deverão ser de uso comum).São permitidas ilustrações
explicativas.

d) Resultados e Discussão

Parte do artigo onde são descritos, explicados e discutidos os resultados, utilizando-se referencial
teórico, a fim de argumentar e sustentar o que foi encontrado.Deve conter ilustrações e as tabelas
necessárias ao entendimento da pesquisa.( GONÇALVES, 2004)

e) Conclusões

Parte final do artigo, onde o autor apresenta as conclusões da pesquisa, de modo sintético, com
descobertas fundamentadas nos objetivos que foram apresentados, comprova ou refuta as hipóteses, ou
confirma as respostas dadas às questões norteadoras, pode apresentar sugestões e recomendações para
outros trabalhos.

7
ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

Compreendem aqueles componentes que completam e enriquecem o trabalho, sendo alguns


opcionais, variando de acordo com a necessidade.

a) Título e subtítulo(se houver)em língua estrangeira (NBR 6022, 2003 p.4).

b) Resumo em língua estrangeira, preferencialmente para o inglês (ABSTRACT), francês


(RÉSUMÉ) e em espanhol (RESUMEN) .

c) Palavras-chave em língua estrangeira, em inglês ( KEY WORDS), em francês (Mots-clés) e


em espanhol (Palabras clave).

d) Notas explicativas são utilizadas opcionalmente quando o texto exige uma explicação
complementar. Sua numeração é feita em algarismos arábicos e deve ser única e consecutiva
para cada artigo, portanto não é iniciada a cada página.

e) Referências elemento obrigatório, elaborado conforme NBR 6023.(encontra-se na pasta


materiais o EaD – PROINPES).

f) Glossário: Opcional deve ser elaborado em ordem alfabética(NBR 14724).

g) Apêndice : Elemento opcional “Texto ou documento elaborado pelo autor a fim de


complementar o texto principal.” (NBR 14724)

h) Anexos: Elemento opcional “texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de
fundamentação, comprovação e ilustração.” (NBR 14724)

i) Agradecimentos e a data de entrega dos originais para publicação.

8
FORMATO DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO

1. PAPEL E ORGANIZAÇÃO DO TEXTO: O artigo deve ser escrito utilizando papel A4, com
margem superior e inferior de 2 cm. A margem esquerda deve ser de 3 cm e a margem direita de
2 cm. O artigo deverá ser escrito considerando um mínimo de 8 e um máximo de 12 páginas.

2. EDITORAÇÃO: O artigo deve ser elaborado em editor de textos (preferencialmente Microsoft


Word) e deverá ser entregue em formato eletrônico em um único arquivo, em dois disquetes ou
um CD-ROM, e uma cópia impressa em papel A4 branco.

3. ORDEM DOS TÓPICOS DO ARTIGO

a. Título do trabalho: No topo da página, em maiúsculas, centralizado, fonte “Times New


Roman” tamanho 18 negrito. Após o título, se não houver subtítulo, deixar duas linhas em
branco em fonte tamanho 12.

b. Subtítulo: Opcional, logo abaixo do título, sem espaçamento, fonte “Times New Roman”
tamanho 16, negrito. Usar maiúsculas e minúsculas seguindo a regra da língua portuguesa.

c. Autoria: Abaixo do título, centralizado, fonte “Times New Roman” tamanho 12, em linhas
distintas, deverá estar o nome do autor, o nome do curso, e debaixo deste igualmente o nome
do co-autor (no caso o orientador) e sua principal instituição de atuação. O nome do(s)
autor(es) deve estar em negrito, as demais linhas não. Após a identificação dos autores,
deixar uma linha em branco.

d. E-mail do autor principal como nota de rodapé: Utilizando a norma do processador de


texto, indicar o e-mail do autor principal no roda-pé.

e. Resumo: Após os nomes dos autores, escreva “Resumo” em fonte “Times New Roman”,
tamanho 12, negrito, alinhado à esquerda. Deixe uma linha em branco. O resumo deve ser 1
parágrafo de no máximo 15 linhas ou até 250 palavras, sem recuo na primeira linha. Usar
espaçamento simples, justificado, fonte "Times New Roman" tamanho 12, itálico. Deixar 2
linhas em branco após o resumo.

f. Palavras-chave: Após o resumo escreva “Palavras-chave:” em fonte “Times New Roman”,


tamanho 12, negrito, alinhado à esquerda. Em seguida liste, de 3 a 6 palavras chaves que
identificam a área do artigo e sintetizam sua temática. As palavras escolhidas devem priorizar
a abordagem geral do tema e na medida do possível usando grandes áreas do conhecimento.
Por exemplo, se o artigo for sobre avaliação de um software educacional, algumas opções de
palavras que identificam o conteúdo do artigo poderiam ser: software educacional, educação,
informática. Deixar 2 linhas em branco após as palavras chaves.

g. Texto principal: Deve ser subdividido no mínimo, em “1. INTRODUÇÃO”, “2.


DESENVOLVIMENTO”, “3. CONSIDERAÇÕES FINAIS”. O texto deve ser escrito usando
a fonte "Times New Roman" tamanho 12. O espaçamento entre as linhas deve ser simples. O
alinhamento do texto deve ser justificado. O início de cada parágrafo deve ser precedido por
um toque de tabulação (Tab.) ou 1.25 cm e deixe uma linha em branco entre cada parágrafo.

h. Referências: As referências devem ser colocadas em ordem alfabética dentro das normas
técnicas especificadas, ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

9
4. TÍTULOS DAS SEÇÕES:

Em letras maiúsculas, tamanho de fonte 12, negrito e alinhamento à esquerda. Deve-se


deixar uma linha em branco após um título de Primeira Ordem. Os títulos das seções de Segunda
Ordem devem ser escritos também em tamanho de fonte 12, sem negrito,maiúsculas e com
alinhamento à esquerda. Deve-se deixar uma linha em branco após um título de seção de
Segunda Ordem.

5. FIGURAS: As figuras devem ter um caráter importante para o conteúdo do artigo e devem ser
centralizadas com legenda numerada partindo-se do 1. O título da figura deve ser precedido pela
palavra “Figura” e pelo seu respectivo número. O título fica centralizado e acima da figura. (A
Fonte ou nota explicativa, quando necessário deve ser posicionado centralizado e abaixo da
figura, em fonte "Times New Roman" tamanho 10.)

 Fotografias devem ser tratadas como figuras, ou seja, com legenda intitulada “Figura”.
No entanto, somente serão aceitas fotografias já digitalizadas em formato JPEG (com
tamanho máximo de 300 Kb) e inseridas dentro do texto eletrônico.

6. TABELAS

A legenda da tabela deve ser precedida pela palavra “Tabela” e pelo seu respectivo
número. A posição do título é centralizada e acima da tabela. Para a construção da tabela deve-se
respeitar as normas estatísticas(IBGE, 1993). A Fonte ou nota explicativa, quando necessário
deve ser posicionado centralizado e abaixo da tabela, em fonte "Times New Roman" tamanho 10.

7. GRÁFICOS:

Os gráficos apresentam dados numéricos em forma gráfica para melhor visualização. O


mesmo procedimento de títulos deve ser adotado para os gráficos, ou seja, usar a palavra
“Gráfico”, seu respectivo número e seu título. A posição do título é centralizada e acima do
gráfico.A Fonte ou nota explicativa, quando necessário deve ser posicionado centralizado e
abaixo do gráfico, em fonte "Times New Roman" tamanho 10.

8. NOTAS DE RODAPÉ

As notas de rodapé devem servir como apoio explicativo e devem ficar sempre no pé da
página. A nota deverá estar separada do resto texto por uma linha. As notas, a exemplo das
figuras também devem ser numeradas partindo de 1. Sugerimos que se utilize do recurso de notas
do próprio Word para inserir notas de rodapé no texto (comando: Inserir -> Notas). O próprio
WORD administrará a numeração. A posição do texto da nota no pé da página deve ser alinhada
à esquerda.

9. PALAVRAS ESTRANGEIRAS

Se, porventura, o trabalho utilizar termos em língua estrangeira, estes deverão ser escritos
usando o modo itálico, exceto a palavra “apud” .
Exemplo: Internet, workaholic, etc.

10
REFERÊNCIAS

ABNT. NBR 6022: informação e documentação: artigo em publicação periódica científica impressa:
apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 5 p.

ABNT. NBR6023: informação e documentação: elaboração: referências. Rio de Janeiro, 2002. 24 p.

ABNT. NBR6024: Informação e documentação: numeração progressiva das seções de um documento.


Rio de Janeiro, 2003. 3p.

ABNT. NBR6028: resumos. Rio de Janeiro, 2003. 2 p.

ABNT. NBR10520: informação e documentação: citação em documentos. Rio de Janeiro, 2002. 7 p.

ABNT. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação.Rio de Janeiro,


2002. 6 p.

AZEVEDO, Israel Belo. O prazer da produção científica: descubra como é fácil e agradável elaborar
trabalhos acadêmicos.10.ed. ver. E atual.São Paulo: Hagnos,2001.205p.

GONÇALVES, Hortência de Abreu.Manual de Artigos Científicos. São Paulo: Editora Avercamp,


2004.86p

IBGE. Normas de apresentação tabular. 3. ed. 1993.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade.Fundamentos de metodologia cientifica. 4.


ed. rev. São Paulo: Atlas, 2001. 288 p.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. Ver. Ampl. São Paulo:
Cortez,2002. 333p.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR). Normas para apresentação de documentos


científicos: teses, dissertações, monografias e trabalhos acadêmicos. Curitiba: UFPR, 2000a. v.8.

11