Você está na página 1de 10

Prof.

José Eduardo de Oliveira


jose.oliveira359@etec.sp.gov.br

AULA 17 – SUBSTÂNCIAS MOLECULARES E SUAS PRORPIEDADES

Olá alunos, na proposta de hoje vocês deverão ler o texto com muita atenção observando cada
informação dada para entender melhor como surgem as ligações intermoleculares, saber identifica-las
ou mesmo prever a sua formação, para isso você precisará estar seguro quanto a como determinar a
polaridade das moléculas.

Tanto no corpo do texto como no seu final, você terá questões para responder, respondendo a essas
questões você vai tendo no decorrer da leitura um feedback do seu aprendizado. As respostas a essas
questões deverão ser feitas em seu caderno.

Estarei em sintonia com vocês para sanar as dúvidas, caso venham a ter.

Bom trabalho, Dudu

SUBSTÂNCIAS MOLECULARES

Os sólidos moleculares são aqueles que apresentam retículos cristalinos constituídos por moléculas, enquanto os
metálicos são constituídos por átomo e os iônicos constituídos por íons.

Em um sólido molecular, as ligações dentro das moléculas são as ligações covalentes e, em geral são muito mais
fortes do que as ligações entre as moléculas.

Ligação covalente
(entre átomos)

Ligação intermolecular
(entre moléculas)

As ligações entre as moléculas, denominadas ligações intermoleculares, surgem devido a atração ocorrida entre as
moléculas e essa atração apresenta baixa intensidade. Não é de surpreender então, que as substâncias moleculares
sejam moles, pois as moléculas podem ser facilmente deslocadas de um lugar para outro, são substâncias não
condutoras de corrente elétrica, porque os elétrons de valência de cada átomo se encontra na ligação covalente,
localizado entre os núcleos dos átomos que participam dessa ligação, e assim não há como os elétrons se
movimentarem entre as moléculas. Muitas das substâncias moleculares se encontram no estado líquido ou gasoso
quando a temperatura e pressão ambiente.

Para entendermos as propriedades físicas das substâncias moleculares tais como, solubilidade, ponto de fusão e de
ebulição, viscosidade, densidade, etc., precisamos compreender como as forças de atração intermoleculares surgem
e como se estabilizam.

1- Qual a diferença entre uma substância molecular e uma iônica? É possível identifica-las através da leitura da
fórmula molecular?

Forças intermoleculares

O estudo das forças intermoleculares nos permite responder a algumas questões que fazemos em nosso dia a dia,
como por exemplo:

• Por que o gelo flutua na água?


• Como se formam as bolhas de sabão?
• Por que o açúcar e o sal de cozinha se dissolvem na água? E a gordura não?
• Por que o ponto de fusão e o ponto de ebulição de determinados compostos são maiores que de outros?

1
• Por que alguns insetos conseguem andar em cima da água?

Todas essas perguntas podem ser respondidas quando passamos a entender o que mantém as moléculas das
substâncias unidas. Os químicos desenvolveram estudos sobre as forças de atração que se estabelecem entre as
moléculas e as denominaram de forças de van der Waals, em homenagem ao cientista holandês Johannes Diederik
van der Waals (1837-1923), responsável pela descoberta da fórmula matemática que permitiu o estudo desse
assunto.
As três principais forças de van der Waals são: interação de dipolo permanente (dipolo-dipolo), interação ligação de
hidrogênio (anteriormente chamadas de pontes de hidrogênio, termo considerado incorreto hoje em dia) e interação
dipolo-induzido.
Quando duas moléculas se aproximam, há uma interação entre seus polos, o que faz surgir uma força entre elas. É o que chamamos
de força intermolecular. Essas forças variam de intensidade, dependendo do tipo da molécula (polar ou apolar) e, no caso das polares,
de quão polares elas são.

INTERAÇÕES ENTRE MOLÉCULAS POLARES

Vimos que as moléculas polares não apresentam uma distribuição uniforme dos elétrons ao redor dos núcleos. Essa
distribuição assimétrica é responsável pela geração de dipolos elétricos permanente (momento dipolar diferente de
zero ( ≠0), o que faz as moléculas interagirem umas com as outras por atração eletrostáticas entre os dipolos.
Em outras palavras, o polo positivo de uma atrai o negativo da outra.

As moléculas polares podem ligar-se com outras moléculas polares ou com íons. Denomina-se interações dipolo-
dipolo quando a ligação ocorre entre moléculas polares, e interação íon- dipolo quando ocorre entre íons e moléculas
polares.

Interações dipolo-dipolo

É esse tipo de interação que mantem unidas as moléculas do cloreto de hidrogênio (HCl). Nesse caso, o polo positivo
de uma molécula atrai o negativo da outra.

Representação esquemática da
 (carga parcial) Atração intermolecular dipolo-dipolo substância cloreto de hidrogênio
(fraca)

Quanto maior a polaridade de uma molécula, mais intensa as


interações dipolo-dipolo na substância devido à atração entre dipolos permanentes.

Interações íon-dipolo

Interações íon-dipolo são aquelas que ocorrem entre íons e moléculas polares, como as que se dão entre moléculas
de água (molécula polar) e os íons dissociados, Na+ e Cl- separados quando ocorre a dissolução do NaCl(s) em água.

NaCl(s) + H2O (l) → Na+(aq) + Cl-(aq)

2
Água Interação íon-dipolo
Sal Na +

Cl-

Representação esquemática da
substância cloreto de sódio dissociada

Representação esquemática da dissolução do NaCl(s) e


a formação da interação íon-dipolo

Dizemos que os íons atraídos pelas moléculas de água


estão solvatados e são representados, no caso do exemplo acima, por: Na+(aq) e Cl-(aq)

Interações – Ligação de hidrogênio

A ligação de hidrogênio é um exemplo extremo de ligação entre dipolos permanentes (dipolo-dipolo), estas são
especialmente intensas em moléculas que possuem pelo menos um átomo de hidrogênio (H) ligado ao oxigênio (O)
ou ao nitrogênio (N), e um átomo de hidrogênio ligado ao flúor (F).

Essas ligações recebem o nome de ligação de hidrogênio, e elas ocorrem entre dipolos, nos quais o polo positivo
(carga parcial +) é o átomo de hidrogênio, que se encontra ligado ao F, O ou N, sendo estes que apresentam o polo
negativo (carga parcial -).

Normalmente, as ligações intermoleculares do tipo ligação de hidrogênio, ocorrem com as substâncias nos estados
líquido e sólido. Além disso, visto que é uma força de atração muito intensa, é necessária uma energia bem alta
para rompê-la.

Exemplo 1- Ligação de hidrogênio presente na substância fluoreto de hidrogênio (HF), que em condição extrema
se encontra no estado sólido.

Ligação de
hidrogênio

Ligação
covalente

Exemplo 2- As moléculas de água também realizam esse tipo de interação intermolecular com suas próprias
moléculas e com moléculas de outras substâncias que se dissolvem nela. As moléculas de H 2O são polares, pois os

3
hidrogênios possuem carga parcial positiva (δ+), e o oxigênio possui carga parcial negativa (δ-). Assim, o hidrogênio
de uma molécula é atraído pelo oxigênio de outra molécula.
No estado líquido, esse tipo de interação ocorre em todos os sentidos (com moléculas ao lado, acima e abaixo).

Ligação de
hidrogênio

Ligação
covalente

Exemplo 3 – A ligação de hidrogênio também ocorre entre moléculas polares de composição diferentes, formando
assim misturas homogêneas, como exemplo temos o etanol (CH3CH2OH) dissolvido em água (mistura água e
álcool).

δ- Ligação de
hidrogênio

δ+
Ligação
covalente

Parte polar da
molécula do
etanol

Nota: Observe que a ligação de hidrogênio ocorre entre a água e a parte polar da molécula do etanol.

2- Assista ao vídeo sobre ligação intermolecular que ocorre entre moléculas polares, e após assistir, liste os passos
que devemos fazer para representar as ligações intermoleculares dipolo permanente e ligação de hidrogênio.

https://www.youtube.com/watch?v=CRybjwnkY28

3- A seguir são representadas as geometrias das moléculas das substâncias de NH3, CH3Cl, H2S e CH3OH. Informe
o tipo de interação intermoleculares presente em cada uma dessas substâncias, usando os passos que você listou
na questão 2.

NH3 CH3Cl H 2S CH3OH

4- Represente esquematicamente, em seu caderno, as moléculas e as ligações intermoleculares presentes entre as


moléculas das substâncias referentes a questão 3, quando estas estiverem no estado líquido.

5- Busque na internet imagens que mostram as ligações intermoleculares das moléculas citadas no exercício
anterior, e compare com a sua resposta. Se errou e não entendeu o seu erro pregunte, via plataforma, ao seu
professor.

4
6- Busque na internet informações, usando na explicação o conceito de ligação intermolecular: “Por que alguns
insetos conseguem andar em cima da água”? Dica: https://pt.khanacademy.org/science/physics/fluids/fluid-
dynamics/v/surface-tension-and-adhesion

INTERAÇÕES ENTRE MOLÉCULAS APOLARES

O vídeo acima (https://www.youtube.com/watch?v=CRybjwnkY28) apresentou também a interação intermolecular


que ocorre entre moléculas apolares.

7- O que há, em comum, entre as ligações intermoleculares de moléculas polares com as ligações intermoleculares
de moléculas apolares?

Há evidências de que nas substâncias apolares cujas moléculas são apolares, estas se encontram associadas por
forças de baixa intensidade. Por esse motivo, é possível liquefazer gases, como o nitrogênio, N 2. Essas forças
intermoleculares de baixa intensidade também explicam o estado líquido de substâncias apolares como a gasolina,
entre outras, e o estado sólido, como o iodo, I2.

Essas interações são denominadas como interações dipolo induzido–dipolo induzido, dipolo instantâneo –dipolo
induzido, forças de dispersão de London, ou, simplesmente, forças de London.

A interação dipolo induzido-dipolo induzido pode ser compreendido da seguinte forma: quando duas moléculas
apolares se aproximam, as atrações ou repulsões eletrônicas entre seus elétrons e núcleos podem levar a
deformações momentâneas em suas nuvens elétrons. Essas deformações geram nas moléculas a carga parcial
positiva (+) e a negativa (-), gerando assim um dipolo instantâneo, esse dipolo irá induzir nas moléculas vizinhas
outros dipolos, denominados dipolos-induzindo com isso haverá uma atração eletrostática desses dipolos,
dependendo do distanciamento desses dipolos a substância se apresentará no estado líquido ou sólido.

Moléculas apolares sem interação Moléculas apolares próximas o suficiente


para surgir
entre as moléculas a repulsão instantânea ente as
nuvens de elétrons

-
+
Atração entre os dipolos instantâneo e o dipolo
induzido Dipolos formados instantaneamente induz a
formação do outro dipolo (dipolo induzido)

Ligação dipolo instantâneo –dipolo


induzido

5
A intensidade dessas forças varia muito de substância para substância, porém, em geral, é menos intensa que as
anteriores (dipolo-dipolo e ligação de hidrogênio).

As forças intermoleculares dipolo instantâneo-dipolo induzido (Força de London), dependem da superfície de


contato entre as moléculas. Em geral, quanto maior a superfície de contato entre as moléculas apolares, maior a
indução que exerce sobre a outra e maior a atração entre ambas.

Menor contato entre as


moléculas - Forças
menos intensas
Maior contato entre as
moléculas - Forças mais
intensas

Elas também podem ocorrer entre moléculas diferentes, uma delas polar e outra apolar. Nesse caso, o dipolo
permanente de uma das moléculas (polar) induz o dipolo instantâneo na apolar.

Essa interação explica, por exemplo, como do gás oxigênio, O2, se dissolve na água.

H2O- Molécula polar

-
+

O2 -Molécula apolar
Dipolo permanente Dipolo induzido

Força de London

8- O dióxido de carbono sólido, popularmente conhecido como gelo-seco, é muito utilizado em eventos devido ao
fato de sofrer sublimação (passagem direta do estado sólido para o gasoso), gerando ao seu redor uma névoa
branca intensa. Que interação molecular ocorre entre as moléculas de CO 2 no estado sólido? Justifique.

9- Indique o tipo de interação molecular presente nos seguintes casos:

➢ Metano (CH4) líquido


➢ Água e metanol (H3COH)

6
➢ Oxigênio (O2) e nitrogênio (N2)
➢ Íon cálcio (Ca2+) e água

PROPRIEDADES FÍSICAS DAS SUBSTÂNCIAS MOLECULARES e Substancia covalentes

A análise das propriedades físicas dos compostos que realizam ligações covalentes (por compartilhamento de
elétrons) nos mostra que existem grandes diferenças entre esses materiais. Mas, antes de vermos essas
características em si, vejamos qual é a diferença entre substâncias moleculares e covalentes.

As substâncias moleculares são aquelas que se formam quando átomos se ligam por meio de ligações covalentes,
originando moléculas de número de átomos determinado.
Entretanto, a ligação covalente pode originar também substâncias com estrutura de rede que apresenta um número
muito grande e indeterminado de átomos, que são macromoléculas. Tais substâncias são denominadas
de substâncias covalentes ou sólidos de rede covalente. Alguns exemplos desses compostos são: diamante (C),
grafita (C), nanotubo de carbono (C), fulereno (C60), dióxido de silício (SiO2) e Carbeto de silício (Si4C).

Cristais de carbono: “Arranjo de átomos de carbono os quais formam MACROMOLÉCULAS”.

Carbono grafita (C) e a sua Carbono diamante (C) e a sua Nanotubo de carbono (C) e a Fulereno (C60) e a sua
estrutura cristalina estrutura cristalina sua estrutura cristalina estrutura cristalina

Dióxido de silício (SiO2) e a sua Carbeto de silício (CSi4) e a sua


estrutura cristalina estrutura cristalina

Algumas propriedades físicas das substâncias moleculares e covalentes, como a temperatura de ebulição e fusão,
condução de corrente elétrica, solubilidade, dureza, viscosidade dependem principalmente das atrações
intermoleculares.

PONTO DE FUSÃO E EBULIÇÃO:


7
Em geral, os pontos de fusão e ebulição das substâncias moleculares são menores que os das substâncias
iônicas.
As substâncias covalentes apresentam as temperaturas de ebulição mais elevadas que as moleculares, sempre
superiores a 1000ºC. Isso ocorre porque como suas moléculas estão unidas mais intensamente (ligação covalente),
formando as redes cristalinas, é preciso fornecer mais energia para fazê-las mudar de estado.

Dois fatores interferem nos pontos de ebulição e fusão dos compostos covalentes e moleculares: a massa molar e
a força intermolecular.

Aumenta o ponto de fusão e de Ebulição

Substâncias Substâncias Substâncias


moleculares iônicas covalentes

10- Um aluno escolheu a figura E, a qual para ele, foi a que representou melhor a evaporação do metanol
(CH3OH). O aluno errou na sua escolhe. Explique porque o aluno errou.

CORRENTE ELÉTRICA:

Em suas formas puras, tanto líquidos como sólidos não conduzem corrente elétrica.
Uma exceção é a grafita (C), que conduz corrente elétrica na forma sólida, porque seus elétrons das ligações duplas
fazem ressonância (trocam de posição) permitindo certa mobilidade dos elétrons.

Grafita (C) e sua estrutura de ressonância e a movimentação dos elétrons

SOLUBILIDADE:

Substâncias polares se dissolvem em substâncias polares e substâncias apolares se dissolvem em substâncias


apolares

8
Apolar
+ Exemplo: CCl4 + I2
Apolar

Apolar
Exemplo: CCl4 + I2 + H2O +
Polar

Polar
Exemplo: H2O + CH3OH
+
Polar

VISCOSIDADE:
Viscosidade é a propriedade física que caracteriza a resistência de um fluido ao escoamento.

Exemplo: glicerina

DUREZA:

Em geral, as substâncias moleculares no estado sólido possuem elevada dureza. Com exceção da grafita, porque
seus átomos de carbono encontram-se ligados a outros três átomos de carbono, formando placas hexagonais com
certa mobilidade, fazendo com que ela seja macia. Devido a isso, ela é até mesmo usada como lubrificante.
A dureza dessas substâncias varia de acordo com o tipo de cristal, conforme mostrado na tabela a seguir:

Tipo de cristal Força intermolecular Dureza

Força dipolo induzido-


Cristal molecular Extremamente baixa
dipolo induzido

Cristal dipolar(moléculas Força dipolo-dipolo Média


dipolares)
ligação de hidrogênio
e
e Dureza extremamente
Cristal covalente
Macromoléculas elevada
(átomos)

9
11- Veja aqui a diferença entre dureza e elasticidade, e escreva em seu caderno essa diferença.
https://www.youtube.com/watch?v=L2Z-1EeXAjo

12- De modo geral, como deve ser analisada a estrutura de duas moléculas para se comparar qualitativamente a
sua temperatura de ebuição? E a sua solubilidade?

BIBLIOGRAFIA

FOGAÇA, Jennifer Rocha Vargas. "Ligações de Hidrogênio"; Brasil Escola. Disponível em:
https://brasilescola.uol.com.br/quimica/ligacoes-hidrogenio.htm. Acesso em 21 de maio de 2020.

USBERCO, J.; SALVADOR, E. Químca, 5.ed. São Paulo: Saraiva, 2004, p. 543-550.

CANTO, Eduardo Leite do. “Química na Abordagem do cotidiano”, 1;1. ed; São Paulo: Saraiva , 2015.

ANTUNES, MURILO TISSONI. Ser protagonista: Química,1° ano: ensino médio/obra coletiva. São Paulo: 2.Ed
SM,2013.

CISCATO, C. A. M.; CHEMELLO, E.; PEREIRA, L. F.; PROTI, P. B. Química. São Paulo: 1. Ed. Moderna, 2016.

10

Você também pode gostar