Você está na página 1de 31

SEMANA FINAL

REVISÃO DAS REVISÕES


Redação
Roman Krznaric (filósofo australiano)

“Empatia é a arte de se colocar no lugar do


outro por meio da imaginação,
compreendendo seus sentimentos e

Empatia perspectivas e usando essa compreensão


para guiar as próprias ações”

1
Djamila Ribeiro (filósofa brasileira)

“Todas as pessoas possuem lugares de fala, pois


estamos falando de localização social.”

Lugar de
fala
2
Hannah Arendt (filósofa alemã)

“A pluralidade é a condição da ação humana


porque somos todos iguais, isto é, humanos, de
um modo tal que ninguém jamais é igual a
qualquer outro que viveu, vive ou viverá.”
Pluralidade
humana
3
Edgar Morin (filósofa francês)

“Complexus significa o que foi tecido junto; de


fato, há complexidade quando elementos
diferentes são inseparáveis constitutivos do todo
(como o econômico, o político, o sociológico, o
“Homo psicológico, o afetivo, o mitológico)”

complexus”
4
Pierre Bourdieu (antropólogo francês)

“Habitus é um sistema de disposições duráveis e


transponíveis que, integrando todas as
experiências passadas, funciona como uma matriz
de percepções, de apreciações e de ações”

Habitus

5
José Murilo de Carvalho (historiador brasileiro)

“Não há como dizer que há democracia (governo


do povo) em um ‘status quo’ tal qual o do Brasil.
Assim, pode-se falar em ‘estadania’, dada a
distância do cidadão das decisões políticas, das
Estadania obrigações civis e dos direitos sociais.”

6
Florestan Fernandes (sociólogo brasileiro)

“O capitalismo dependente envolve, estrutural e


dinamicamente, tanto uma extrema concentração
interna da renda quanto uma dominação externa
e uma drenagem de recursos permanentes.”
Capitalismo
dependente

7
Sílvio Almeida (filósofo brasileiro)

“O racismo é sempre estrutural, ou seja, é um


elemento que integra a organização econômica e
política da sociedade. O racismo é a manifestação
normal de uma sociedade, e não um fenômeno

Racismo patológico ou que expressa algum tipo de


anormalidade.”
estrutural
8
Armando Medeiros (comunicador brasileiro)

“Apelos emocionais e que mobilizam crenças


pessoais são mais eficazes para conquistar a
opinião pública do que fatos objetivos.”

Pós-
verdade
9
Gilles Lipovetsky (filósofo francês)

“Na hipermodernidade, não há escolha, não há


alternativa, senão evoluir, acelerar para não ser
ultrapassado pela ‘evolução’”

Hipermodernidade

10
Intervenção • Não redija ações com
1 a frase temática.
Intervenção • Não formule ações
2 genéricas, tampouco
ações negativas.
Intervenção • Não indique
3 conscientização na
ação.
Intervenção • Faça o detalhamento
4 do agente, da ação
ou do meio com
estruturas explicativas.
•Utilize as expressões
Intervenção específicas: meio (por
5 meio de, mediante, por
intermédio de) e
finalidade (a fim de,
com o objetivo de,
visando)
Intervenção • Quando necessário,
6 aproveite a finalidade
para completar o
projeto de texto.
• Observe as diferenças de
Intervenção atribuição do governo
7 federal (diretrizes e
políticas nacionais) e dos
governos estaduais e
municipais (intervenções
locais)
• Não confunda as
Intervenção atribuições dos Poderes da
8 República (Legislativo,
Judiciário e Executivo) e do
Ministério Público.
• Lembre a função dos
Intervenção principais ministérios: da

9 Educação, da Ciência e
Tecnologia, da Saúde, da
Cidadania, dos Direitos
Humanos, das Comunicações
e da Infraestrutura.
• Tenha atenção com as
Intervenção informações da
10 coletânea: criação ≠
implementação ≠
efetivação.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

Você também pode gostar