Você está na página 1de 1

SEMANA 41 (EXTENSIVO) | SEMANA 21 (SEMIEXTENSIVO)

ENEM
TEXTO I

Ninguém estava preparado para uma mudança tão rápida e profunda, capaz de chacoalhar o modo como as pessoas sempre ensinaram e aprenderam. Boa
parte dos professores não tinha noção de como conduzir uma aula on-line e fez o que instintivamente se faz: repetiu o modelo tradicional, passo decisivo para
não dar certo, já que estamos falando de uma linguagem inteiramente nova. Para as crianças também foi doloroso. Elas precisaram se adaptar a jato para
conseguir se virar em ambientes cheios de parentes, barulho e estímulos que levam à distração. As condições eram desfavoráveis. Pesquisas mostram que só
aqueles 10%, 20% que extraem motivação de si próprios têm o aparato para se sair bem.
As aulas on-line receberam um empurrão inédito e entraram para o mapa numa velocidade que, sem crise, levaria pelo menos uma década. Sim, elas vieram
para ficar. Resta saber em que medida. A crise sanitária ajudou a romper com um conceito petrificado, de que a criança só pode aprender na escola, naquele tempo
e espaço. A tecnologia liberta as sociedades dessa ideia e reafirma outra: com tanto conhecimento disponível e evoluindo, as pessoas devem aprender o tempo todo.
Por outro lado, os professores sairão dessa bem mais preparados para se virar no ambiente on-line, algo de valor incalculável para esta e as próximas gerações.
Salman Khan em entrevista à revista Veja em 30 de junho de 2020. Disponível em: https://veja.abril.com.br/paginas-amarelas/salman-khan-o-ensino-on-line-veio-para-ficar/ Acesso em:
5 jan. 2021.

TEXTO II

Pouco antes de 1900, já havia anúncios em jornais de circulação no Rio de Janeiro oferecendo profissionalização por correspondência. Tratava-se de cursos
de datilografia ministrados não por estabelecimentos de ensino, mas sim por professores particulares. Não obstante essas ações isoladas, o marco de referência
oficial do início da educação a distância (EaD) no Brasil foi a instalação das Escolas Internacionais em 1904. O ensino oferecido por essa instituição era por
correspondência, com remessa de materiais didáticos pelos correios, que usavam principalmente as ferrovias para o transporte. A educação pelo rádio foi o
segundo meio de transmissão a distância do saber. A televisão para fins educacionais foi usada de forma positiva nos anos 1960 e 1970. Com os avanços
tecnológicos, a rede mundial de computadores viabilizou sua forte adoção no sistema educativo brasileiro (e mundial).
João Roberto Moreira Alves. A história da educação a distância no Brasil. Disponível em: http://www.ipae.com.br. Acesso em: 5 jan. 2021. [Adaptado].

TEXTO III

DECRETO N. 9.057, DE 25 DE MAIO DE 2017.


Art. 1º Para os fins deste Decreto, considera-se educação a distância a modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de
ensino e aprendizagem ocorra com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com pessoal qualificado, com políticas de acesso, com
acompanhamento e avaliação compatíveis, entre outros, e desenvolva atividades educativas por estudantes e profissionais da educação que estejam em lugares
e tempos diversos.
Art. 2º A educação básica (ensino fundamental e médio) e a educação superior poderão ser ofertadas na modalidade a distância nos termos deste Decreto,
observadas as condições de acessibilidade que devem ser asseguradas nos espaços e meios utilizados. [...]
Art. 9º A oferta de ensino fundamental na modalidade a distância em situações emergenciais se refere a pessoas que:
I - estejam impedidas, por motivo de saúde, de acompanhar o ensino presencial; [...]
III - vivam em localidades que não possuam rede regular de atendimento escolar presencial;
IV - sejam transferidas compulsoriamente para regiões de difícil acesso, incluídas as missões localizadas em regiões de fronteira
Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/d9057.htm Acesso em: 5 jan. 2021.

TEXTO IV

Disponível em: https://abmes.org.br/noticias/detalhe/3268 Acesso em: 5 jan. 2021.

PROPOSTA DE REDAÇÃO
A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-
argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema PERSPECTIVAS PARA A EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO BRASIL,
apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e
fatos para defesa de seu ponto de vista.

Você também pode gostar